ORGANIZAÇÃO DA EXTENSÃO NA FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORGANIZAÇÃO DA EXTENSÃO NA FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE"

Transcrição

1 ORGANIZAÇÃO DA EXTENSÃO NA FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE A Extensão na Fesurv Universidade de Rio Verde é desenvolvida sob a forma de programas, projetos e ações em consonância com a Política do Fórum de Pró Reitores das Universidades Públicas Brasileiras, inseridas em áreas temáticas e linhas programáticas, conforme caracterização a seguir: Programa é um conjunto articulado de projetos e outras ações de extensão (cursos, eventos, prestação de serviços), preferencialmente integradas a atividades de pesquisa e ensino. Tem caráter orgânico institucional, clareza de diretrizes e orientação para um objetivo comum, sendo executado a médio e longo prazo. Projeto ação processual e contínua de caráter educativo, cultural, científico ou tecnológico, com objetivo específico, a curto e médio prazo. Curso de Extensão é um conjunto articulado de ações pedagógicas, teóricas e/ou práticas, presencial ou a distância, planejada e organizada de maneira sistemática, com carga horária mínima de 8 horas e critérios de avaliação definidos. Inclui oficina, workshop, laboratório e treinamentos. Tais cursos poderão ser classificados como de iniciação, de atualização, de qualificação profissional, de aperfeiçoamento, entre outros. Observação ações dessa natureza com menos de 8 horas devem ser classificados como evento ; prestação de serviço realizada como curso, deve ser registrado como curso. Classificação de CURSO I II III PRESENCIAL A DISTÂNCIA MENOR QUE 30 HORAS IGUAL OU SUPERIOR A 30 HORAS INICIAÇÃO ATUALIZAÇÃO TREINAMENTO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL APERFEIÇOAMENTO ESPECIALIZAÇÃO DEFINIÇÃO Curso em que as atividades de ensino aprendizagem são desenvolvidas com a presença simultânea de alunos e professor durante toda a carga Curso em que as atividades de ensino aprendizagem são desenvolvidas majoritariamente sem que alunos e professores estejam presentes no mesmo lugar á mesma hora, tendo, acompanhamento do professor e/ou tutor durante toda a realização do curso. Curso cuja carga horária é de até 30 horas Curso cuja carga horária é igual ou superior a 30 horas Curso que objetiva principalmente oferecer noções introdutórias em uma área específica do conhecimento Curso que objetiva principalmente atualizar e ampliar conhecimentos, habilidades ou técnicas em uma área do conhecimento Curso que objetiva principalmente treinar e capacitar em atividades profissionais específicas Curso com carga horária mínima de 180h, destinados a graduados. Curso com carga horária mínima de 360h, destinados a graduados.

2 Evento ação que implica na apresentação e/ou exibição pública, livre ou com clientela específica, do conhecimento ou produto cultural, artístico, esportivo, científico e tecnológico desenvolvido, conservado ou reconhecido pela Universidade. Classificação de DEFINIÇÃO CONGRESSO OU JORNADA OU CONFERÊNCIA OU CICLO DE DEBATES OU ESPETÁCULO EXPOSIÇÃO ESPORTIVO FESTIVAL CAMPANHA Evento de grandes proporções, de âmbito regional, nacional ou internacional, em geral com duração de 3 dias ou mais, que reúne participantes de uma comunidade científica ou profissional ampla. Abrange um conjunto de atividades como: mesas redondas, palestras, conferências, apresentação de trabalhos, cursos, minicursos, oficina/workshop. Observações: inclui se nessa classificação os eventos de grande porta, como conferência nacional de...,semana de..., reunião anual de...etc. Os cursos incluídos no congresso, com duração igual ou superior a 8 horas devem,também, ser registrados e certificados como curso. Evento científico de âmbito menor do que o congresso, tanto em termos de duração (1 a 3 dias), quanto em número de participantes, cobrindo campos de conhecimento mais especializados. Incluem se nessa classificação os eventos de médio porte, como seminário encontro, simpósio, jornada, mostra, colóquio, fórum, reunião (maior que 8 horas). Evento científico de âmbito menor do que a jornada, em termos de duração (menor que 8 horas). Incluem se nessa classificação os eventos de pequeno porte como palestra, debate, mesaredonda, minicurso, reunião ou oficina menor que 8 horas. Encontros seqüenciais que visam a discussão de um tema específico. Inclui: Ciclo de..., Circuito de..., entre outros. Demonstração pública de eventos cênicos musicais. Inclui: recital, concerto, show, festival, apresentação teatral, exibição de cinema e televisão, demonstração pública de canto, dança e interpretação musical, entre outras. Exibição pública de obras de arte, produtos, serviços, etc. Em geral é utilizada para promoção e venda de produtos e serviços. Inclui: feira, salão, mostra, lançamento, entre outras. Inclui: campeonato, torneio, olimpíada, apresentação esportiva, entre outros. Série e de ações/eventos ou espetáculos artísticos, culturais ou esportivos realizados concomitantemente, em geral em edições periódicas. Ação pontual de mobilização e divulgação que visa a um objetivo definido Prestação de Serviço é a realização de trabalho oferecido pela IES ou contratado por terceiros (comunidade, empresa, órgão público, etc). A prestação de serviços se caracteriza

3 pela intangibilidade (o produto não pode ser visto, tocado ou provado a priori), inseparabilidade (produzido e utilizado ao mesmo tempo) e não resulta na posse de um bem. GRUPO CLASSIFICAÇÃO DEFINIÇAO CONSULTORIA Análise e emissão de pareceres, envolvendo pessoal do quadro, acerca de situações e/ou termos específicos. SERVIÇO ASSESSORIA Assistência ou auxílio técnico em um assunto específico, EVENTUAL envolvendo pessoal do quadro, graças a conhecimentos especializados. CURADORIAS Organização e manutenção de acervos e mostras de arte e cultura, envolvendo pessoal do quadro. OUTROS Incluem se nessa categoria pesquisa encomendada, restauração de bens móveis e imóveis e outras prestações de serviço eventuais. EM SAÚDE HUMANA EM SAÚDE ANIMAL LAUDO JURÍDICO E JUDICIAL AO PÚBLICO EM ESPAÇO DE CULTURA, CIÊNCIA E CONSULTA AMBULATORIAL EXAME LABORATORIAL CENTRO DE PESQUISA EM PRODUTOS FITOTERÁPICOS CLÍNICAS E FARMÁCIAS ESCOLAS CONSULTA AMBULATORIAL INTERNAÇÃO CIRURGIA EXAME LABORATORIAL E COMPLEMENTAR LAUDO TÉCNICO JURÍDICO E JUDICIAL ESPAÇO E MUSEU CULTURAL ESPAÇO E MUSEU DE CIÊNCIA E OUTROS ESPAÇOS Consulta ambulatorial ou domiciliar programada, prestada por profissional da área da saúde. Exames de patologia clínica e anátomo patologia Atendimento em centros de pesquisa com produtos fitoterápicos Atendimento em Clínicas Escolas bem como Farmácia Escola da IES Atendimento ambulatorial a animais Atendimento veterinário a animais internados Intervenções cirúrgicas em animais (hospitalares e ambulatoriais) Exames de patologias clínica e anátomo patologias Exames, perícias e laudos realizados pelas diversas áreas da IES, que oferecem serviço permanente, envolvendo pessoal do quadro. Inclui: análise de solos, exames agronômicos e botânicos, análise farmacológica, qualidade de produtos, laudos psicológicos, antropológicos, perícia ambiental, dentre outros. Atendimento a pessoas em orientação ou encaminhamento de questões jurídicas ou judiciais Atendimento a visitadores em museus e centros de memória da IES. Atendimento ao público em espaços culturais das IES Atendimento ao público em espaços de ciência e tecnologia das IES, como observatório, estação ecológica, planetário, jardim botânico, setores e laboratórios. Outros atendimentos não incluídos nos itens anteriores

4 ATIVIDADES DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DEPÓSITO DE PATENTES E DE MODELO DE UTILIDADES REGISTRO DE MARCA E SOFTWARE CONTRATO DE TRANSFERÊNCIA E REGISTRO DE DIREITO AUTORAL Depósito e registro de patentes Registro de marcas e softwares Contrato de transferência de direito sobre tecnologia Registro de direitos autorais Publicações e outros produtos acadêmicos caracterizam se como a produção de publicações e produtos acadêmicos decorrentes das ações de extensão para difusão e divulgação cultural, científica e tecnológica. CLASSIFICAÇÃO DEFINIÇÃO LIVRO Produção efetivada (não inclui no prelo); inclui traduções de livro Anais de eventos científicos publicados ANAIS Produção efetivada (não incluir no prelo); inclui composições e arranjos CAPÌTLULO DE LIVRO editados e divulgados. ARTIGO Inclui: artigos em periódicos nacionais e estrangeiros e trabalhos completos em congressos publicados em Anais. TRABALHO COMPLETO Inclui: trabalhos completos publicados em Anais de eventos científicos EM CONGRESSO Inclui: comunicações curtas, temas livres e resumos publicados em Anais de RESUMOS EM CONGRESSO eventos científicos. MANUAL Inclui: Cartilhas, Livreto ou Libreto, Fascículos, Cadernos, Boletins. JORNAL Periódico de divulgação de notícias, entrevistas, comentários e informações. Inclui Boletim Revistas e periódicos editados REVISTA Textos completos voltados para a divulgação restrita:publicações ou relatórios RELATÓRIO TÉCNICO de produção, relatório de tecnologias e de metodologias de extensão,teses e dissertações de docentes, memoriais de concursos, relatos técnicos. PRODUTO AUDIOVISUAL Filmes produzidos pela IES FILME PRODUTO AUDIOVISUAL Vídeos produzidos pela IES VÍDEO PRODUTO AUDIOVISUAL CD s produzidos pela IES CD s PRODUTO AUDIOVISUAL OUTROS Outros produtos audiovisuais não classificados nos itens anteriores. Inclui: fitas cassetes, discos, etc. PROGRAMA DE RÁDIO Programas produzidos com caráter de difusão em Rádio PROGRAMA DE TV Programas produzidos com caráter de difusão em TV APLICATIVO PARA Softwares produzidos pela IES COMPUTADOR JOGO EDUCATIVO Jogos educativos criados ou produzidos pelas IES PRODUTO ARTÍSTICO Inclui: partituras, arranjos musicais, gravuras, textos teatrais, entre outros. OUTROS PRODUTOS E Outras publicações e produtos acadêmicos não classificados nos itens PUBLICAÇÕES

5 anteriores.

- COPPEX - COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO

- COPPEX - COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO - COPPEX - COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO QUADRO GERAL DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO: CLASSIFICAÇÃO E CATEGORIA 1 PROGRAMA Conjunto de ações de caráter orgânico-institucional, de médio

Leia mais

Ações de Extensão. 05_Ações de Extensão_COOPMED.indd 35 10/5/2007 14:47:15

Ações de Extensão. 05_Ações de Extensão_COOPMED.indd 35 10/5/2007 14:47:15 5 Ações de Extensão As ações de extensão são classificadas em programa, projeto, curso, evento e prestação de serviços, e obedecem às seguintes definições: I PROGRAMA Conjunto articulado de projetos e

Leia mais

EXTENSÃO extensao@faj.br

EXTENSÃO extensao@faj.br EXTENSÃO extensao@faj.br O QUE É EXTENSÃO? Conjunto articulado de projetos de caráter educativo, social, cultural, científico ou tecnológico preferencialmente integrados a atividades de pesquisa e ensino,

Leia mais

Ações de extensão, áreas temáticas e linhas de extensão mais relacionadas com o Curso de Ciências Biológicas

Ações de extensão, áreas temáticas e linhas de extensão mais relacionadas com o Curso de Ciências Biológicas Ações de extensão, áreas temáticas e linhas de extensão mais relacionadas com o Curso de Ciências Biológicas 1. AÇÕES DE EXTENSÃO São consideradas ações de extensão os programas, projetos, cursos, eventos,

Leia mais

NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO NUPE/FAME AÇÕES DE EXTENSÃO

NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO NUPE/FAME AÇÕES DE EXTENSÃO NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO NUPE/FAME AÇÕES DE EXTENSÃO Programa - Conjunto articulado de projetos e outras ações de extensão - cursos, eventos, prestação de serviços -, de caráter educativo, social,

Leia mais

Artigo 3º - As ações de extensão deverão ter coerência com a atuação do docente no ensino e na pesquisa.

Artigo 3º - As ações de extensão deverão ter coerência com a atuação do docente no ensino e na pesquisa. RESOLUÇÃO CONGREGAÇÃO FEF/UNICAMP Nº 65/07 Regulamenta Normas para as ações de Extensão Universitária na Faculdade de Educação Física UNICAMP A Congregação da Faculdade de Educação Física, no uso de suas

Leia mais

DADOS DO INEP Instituto Nacional de estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Ministério da Educação UDESC/ 2005

DADOS DO INEP Instituto Nacional de estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Ministério da Educação UDESC/ 2005 DADOS DO INEP Instituto Nacional de estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Ministério da Educação UDESC/ 2005 Número total de Programas 1 e seus respectivos projetos vinculados, público atendido

Leia mais

Parágrafo único Compete a PROEX a coordenação das atividades de Extensão no âmbito da UFRR.

Parágrafo único Compete a PROEX a coordenação das atividades de Extensão no âmbito da UFRR. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Av. Ene Garcês, 2413 Bairro Aeroporto 69.304-000 - Boa Vista/RR Fone (095)621-3108 Fax (095)621-3101 Resolução

Leia mais

de junho de 2007, destinados a profissionais com graduação ou bacharelado.

de junho de 2007, destinados a profissionais com graduação ou bacharelado. PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU posgraduacao@poliseducacional.com.br O QUE É PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU? A pós graduação lato sensu são cursos promovidos pelas faculdades do grupo POLIS EDUCACIONAL com mais de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2012

RESOLUÇÃO Nº 02/2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO ACADÊMICO DE PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 02/2012 Aprova o Regulamento de Extensão Universitária da Universidade

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO. VOTO CONSU 2012-26 de 14/06/2012 MANUAL DA EXTENSÃO UNASP. Manual da Extensão - UNASP

CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO. VOTO CONSU 2012-26 de 14/06/2012 MANUAL DA EXTENSÃO UNASP. Manual da Extensão - UNASP VOTO CONSU 2012-26 de 14/06/2012 MANUAL DA EXTENSÃO UNASP 2012 Manual da Extensão - UNASP ÍNDICE 1 A Extensão......03 2 Políticas de Extensão......04 3 Modalidades de Extensão......04 3.1 Programa......04

Leia mais

Dispõe sobre as Ações de Pesquisa e Extensão no Instituto Federal do Paraná. As Ações de Pesquisa e Extensão no Instituto Federal do Paraná.

Dispõe sobre as Ações de Pesquisa e Extensão no Instituto Federal do Paraná. As Ações de Pesquisa e Extensão no Instituto Federal do Paraná. PORTARIA N 2 DE 6 DE JUNHO DE 2009 Dispõe sobre as Ações de Pesquisa e Extensão no Instituto Federal do Paraná. A Pró-Reitora de Ensino, Pesquisa e Extensão do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA COMISSÃO SUPERIOR DE EXTENSÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA COMISSÃO SUPERIOR DE EXTENSÃO REGULAMENTO DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DA UNILA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Na UNILA, a extensão é o elo entre a Universidade e a Comunidade. 1º - A ação de extensão da UNILA é constituída

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 17/2015

RESOLUÇÃO Nº 17/2015 RESOLUÇÃO Nº 17/2015 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, em sessão de 29/04/2015, tendo em vista o constante no processo nº 23078.037190/09-89, nos termos do Parecer nº 09/2015 da Comissão de Diretrizes

Leia mais

As ações de Extensão são classificadas em Programa, Projeto, Curso, Evento e Prestação de Serviços, e obedecem às seguintes definições:

As ações de Extensão são classificadas em Programa, Projeto, Curso, Evento e Prestação de Serviços, e obedecem às seguintes definições: AÇÕES DE EXTENSÃO As ações de Extensão são classificadas em Programa, Projeto, Curso, Evento e Prestação de Serviços, e obedecem às seguintes definições: PROGRAMA Conjunto articulado de Projetos e outras

Leia mais

Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Extensão PROGRAMA DE EXTENSÃO

Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Extensão PROGRAMA DE EXTENSÃO Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão, Pós-graduação e Cultura Assessoria de Extensão PROGRAMA DE EXTENSÃO EDITAL 01/2010 O Pró-reitor de Pesquisa, Extensão,

Leia mais

Disciplina 2. Gestão e Institucionalização da Extensão

Disciplina 2. Gestão e Institucionalização da Extensão CURSO DE FORMAÇÃO EM AVALIAÇÃO DA EXTENSÃO UNIVERISTÁRIA Disciplina 2 Gestão e Institucionalização da Extensão Edite da Penha Cunha - UFMG Maria das Dores Pimentel Nogueira UFMG Marilia Barcellos Guimarães

Leia mais

PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. De acordo com o Plano Nacional de Extensão 2011-2020 (PNExt), a Extensão é considerada como atividade acadêmica que articula

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 034, de 13 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº. 034, de 13 DE OUTUBRO DE 2014 Parecer N o 070/04 Aprovado em //04 RESOLUÇÃO Nº. 04, de DE OUTUBRO DE 04 ANEXO I - CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE PONTUAÇÃO CAMPO I ATIVIDADES DE ENSINO. Docência em curso de graduação sem remuneração adicional

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA A REDE DOCTUM torna público à comunidade acadêmica de todas as suas unidades a abertura do processo

Leia mais

ANEXO I. 02 Aulas Efetivas em Curso de Pós-Graduação, observada a legislação vigente. 1. Tutoria de pós-doutorado concluída (por aluno).

ANEXO I. 02 Aulas Efetivas em Curso de Pós-Graduação, observada a legislação vigente. 1. Tutoria de pós-doutorado concluída (por aluno). 1 ANEXO I QUADRO DE ATIVIDADES REFERENCIAIS E CRITÉRIOS DE PONTUAÇÃO PARA A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PARA FINS DE PROGRESSÃO E PROMOÇÃO NA CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR NO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS GRUPO

Leia mais

ANEXO DA RESOLUÇÃO Nº 13/2015-CONUNI - AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO FUNCIONAL

ANEXO DA RESOLUÇÃO Nº 13/2015-CONUNI - AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO FUNCIONAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO CONSELHO UNIVERSITÁRIO ANEXO DA RESOLUÇÃO Nº 13/2015-CONUNI - AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO FUNCIONAL Atividades de Ensino Pontuação Quantidade Total Página Aulas

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO EM AVALIAÇÃO DA EXTENSÃO UNIVERISTÁRIA

CURSO DE FORMAÇÃO EM AVALIAÇÃO DA EXTENSÃO UNIVERISTÁRIA CURSO DE FORMAÇÃO EM AVALIAÇÃO DA EXTENSÃO UNIVERISTÁRIA Disciplina 2 Gestão e Institucionalização da Extensão Ana Inês Sousa - UFRJ Edite da Penha Cunha - UFMG Maria das Dores Pimentel Nogueira UFMG Marilia

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamenta normas para o funcionamento das Atividades Complementares no âmbito dos Cursos de Administração, Ciências Contábeis e Cursos de Tecnologia da Faculdade

Leia mais

Regulamento de Atividades Complementares

Regulamento de Atividades Complementares Regulamento de Atividades Complementares Centro Universitário UNISEB (Ribeirão Preto/SP) 2011 CAPÍTULO I - DAS FINALIDADES Art. 1º - As Atividades Complementares se constituem em parte integrante dos currículos

Leia mais

As ações de extensão são classificadas em programa, projeto, curso, evento e prestação de serviços, e obedecem às seguintes definições:

As ações de extensão são classificadas em programa, projeto, curso, evento e prestação de serviços, e obedecem às seguintes definições: 1 A A Ç Õ E S D E E X T E N S Ã 1 As ações de extensão são classificadas em programa, projeto, curso, evento e prestação de serviços, e obedecem às seguintes definições: I P R G R A M Conjunto articulado

Leia mais

ANEXO II DESCRIÇÃO SUMÁRIA

ANEXO II DESCRIÇÃO SUMÁRIA ANEXO II DESCRIÇÃO SUMÁRIA de Cargos, Nível, Resumo de Atribuições, Formação e Habilitação Classe/Nível: Intermediário: Classe/Nível: C FORMAÇÃO E HABILITAÇÃO CARGOS EXIGIDAS Assistente Alunos Auxiliar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA ADMINISTRATIVA ANEXO II

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA ADMINISTRATIVA ANEXO II ANEXO II CRITÉRIOS PARA ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA AVALIAÇÃO DE MEMORIAL CRITÉRIOS PARA ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA AVALIAÇÃO DE MEMORIAL 1.1 Aulas ATIVIDADES DE ENSINO PONTUAÇÃO REFERÊNCIA 1.1.1 Graduação

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AÇÕES DE EXTENSÃO

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AÇÕES DE EXTENSÃO ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AÇÕES DE EXTENSÃO 2004 I. APRESENTAÇÃO A extensão tem um grande leque de atuação, englobando tipos de ações variadas, envolvendo pessoas e grupos acadêmicos de diferentes segmentos

Leia mais

Guia para o desenvolvimento de Projetos de Extensão

Guia para o desenvolvimento de Projetos de Extensão Guia para o desenvolvimento de Projetos de Extensão A Extensão Universitária, sob o princípio constitucional da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, é um processo interdisciplinar educativo,

Leia mais

PROGRAMA ESTADUAL DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA PROFICE EDITAL Nº 001/2014. ANEXO I - Categorias

PROGRAMA ESTADUAL DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA PROFICE EDITAL Nº 001/2014. ANEXO I - Categorias ANEXO I - Categorias ARTES VISUAIS PRODUÇÃO DE VIDEOARTE E PERFORMANCE DESENVOLVIMENTO DE DIGITALIZAÇÃO DE ACERVOS FESTIVAIS, MOSTRAS, FEIRAS, FESTAS E SIMILARES PUBLICAÇÃO DE LIVROS, CATÁLOGOS, PERIÓDICOS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 10/05-CEPE

RESOLUÇÃO Nº 10/05-CEPE RESOLUÇÃO Nº 10/05-CEPE Fixa a tabela de pontuação para avaliação de currículo para concurso público na carreira de Magistério Superior da UFPR. 1 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, órgão normativo,

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL DO PROGRAMA DE EXTENSÃO (ProExt) N 02/2012

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL DO PROGRAMA DE EXTENSÃO (ProExt) N 02/2012 UNIVERSIDADE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL DO PROGRAMA DE EXTENSÃO (ProExt) N 02/2012 O REITOR DA UNIVERSIDADE, no uso de suas atribuições estatutárias, e tendo em vista especialmente

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA ANEXO I - Programa de Iniciação Científica da UNILA Identificação do Proponente Nome completo do Pesquisador: Silvia Aparecida Zimmermann Área do qualis

Leia mais

Diretrizes de Apoio às Ações de Extensão no IFRS Campus Osório

Diretrizes de Apoio às Ações de Extensão no IFRS Campus Osório Diretrizes de Apoio às Ações de Extensão no IFRS Campus Osório O presente documento visa orientar a estruturação de propostas de Extensão vinculadas ao - Campus Osório. Este instrumento consta das diretrizes

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO

ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO CURSOS DE EXTENSÃO: Caracterizados como um conjunto articulado de ações pedagógicas, de caráter teórico e/ou prático, presencial ou à distância,

Leia mais

Programa 1017 Infraestrutura Pública

Programa 1017 Infraestrutura Pública Órgão 20570 Junta Comercial do Estado do Tocantins - JUCETIS Programa 1017 Infraestrutura Pública Ação 3033 Construção da Sede da JUCETIS Elaboração de projetos estruturais, arquitetônicos, hidro-sanitário

Leia mais

MANUAL DO ALUNO (A) ATIVIDADES COMPLEMENTARES/ESTUDOS INDEPENDENTES

MANUAL DO ALUNO (A) ATIVIDADES COMPLEMENTARES/ESTUDOS INDEPENDENTES A formação complementar é fruto da participação do aluno, durante o período de realização do seu curso superior, em atividades que não estão inseridas na grade curricular, mas que reconhecidamente contribuem

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS EDITAL PROGEPE Nº 29, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013 A Pró-Reitora de Gestão de Pessoas em exercício, da Universidade Federal da Integração Latino-Americana UNILA, designada pela Portaria Unila nº 640, de 09

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE NUTRIÇÃO/UFPI - CSHNB CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE NUTRIÇÃO/UFPI - CSHNB CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE NUTRIÇÃO/UFPI - CSHNB CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 - As atividades complementares serão implementadas durante o curso de Nutrição,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE EDUCAÇÃO COLÉGIO DE APLICAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE EDUCAÇÃO COLÉGIO DE APLICAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE EDUCAÇÃO COLÉGIO DE APLICAÇÃO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA, TÉCNICA E TECNOLÓGICA Edital nº 19, de 27 de abril

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO Diretoria de Educação a Distância REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Art. 1º. As atividades acadêmico-científico-culturais

Leia mais

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação:

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação: ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO Nome do Servidor: SIAPE: Lotação: Email: Telefone: Graduação: Titulação: Nível de RSC pretendido (marque com x o perfil pretendido) RSC I RSC

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E DO TRABALHO Coordenadoria de Desenvolvimento de Recursos Humanos

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E DO TRABALHO Coordenadoria de Desenvolvimento de Recursos Humanos ANEXO 1 CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DO FATOR IV PRODUTIVIDADE 1 A avaliação do Fator Produtividade será realizada de acordo com as atividades de Ensino, Pesquisa, Extensão e Produção Intelectual, e Gestão,

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária Ano Base: 2013 Título do Projeto: Programa de Atividades Optativas Tipo

Leia mais

II. Atividades de Extensão

II. Atividades de Extensão REGULAMENTO DO PROGRAMA DE EXTENSÃO I. Objetivos A extensão tem por objetivo geral tornar acessível, à sociedade, o conhecimento de domínio da Faculdade Gama e Souza, seja por sua própria produção, seja

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL Regulamento das Atividades Complementares

CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL Regulamento das Atividades Complementares CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL Regulamento das Atividades Complementares 1 CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL Regulamento das Atividades Complementares As atividades

Leia mais

EDITAL Nº 06/2016-PROGRAD

EDITAL Nº 06/2016-PROGRAD EDITAL Nº 06/2016-PROGRAD ANEXO III PLANILHA DE PONTUAÇÃO DA PROVA DE TÍTULOS, ANEXO II DA ITEM I: TITULAÇÃO MÁXIMA (pontuação não cumulativa) Doutorado na área 15,00 1 15,00 Doutorado em área afim 10,00

Leia mais

Fundação Educacional Serra dos Órgãos Centro Universitário Serra dos Órgãos Pró-Reitoria Acadêmica Diretoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

Fundação Educacional Serra dos Órgãos Centro Universitário Serra dos Órgãos Pró-Reitoria Acadêmica Diretoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Fundação Educacional Serra dos Órgãos Centro Universitário Serra dos Órgãos Pró-Reitoria Acadêmica Diretoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Plano de Extensão Teresópolis Dezembro de 2014 2 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 33/2014 Regulamenta o processo de avaliação para fins de promoção à classe E (Professor

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES ANO BASE

RELATÓRIO DE ATIVIDADES ANO BASE Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco L, Lote 6. CEP: 70.040-020 Brasília/DF Brasil RELATÓRIO DE ATIVIDADES ANO BASE IES

Leia mais

- REGIMENTO INTERNO - Secretaria de Cultura

- REGIMENTO INTERNO - Secretaria de Cultura - REGIMENTO INTERNO - Secretaria de Cultura Leis nº 6.529/05 e nº 6.551/06, Decreto nº 12.633/06, nº 14.770/10, nº 15.416/12 e nº 15.486/12 I - Secretaria Executiva: - auxiliar e assessorar o Secretário

Leia mais

Potencial PSI. Educação. www.potencialpsi.com.br

Potencial PSI. Educação. www.potencialpsi.com.br Educação O povo feliz é o povo que mais se preocupa com a educação de seus filhos, seja na educação intelectual seja na educação dos sentimentos. Umpovoinstruídoamaotrabalhoesabecomocrescercomele. Ao nascer,

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA REGULAMENTO CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS OBJETIVOS DA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA REGULAMENTO CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS OBJETIVOS DA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA REGULAMENTO CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS OBJETIVOS DA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Art. 1º. A Extensão Universitária é um processo educativo, cultural

Leia mais

Orientações sobre preenchimento de áreas e linhas de extensão no cadastro de atividades de extensão na UNIFAP

Orientações sobre preenchimento de áreas e linhas de extensão no cadastro de atividades de extensão na UNIFAP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E AÇÕES COMUNITÁRIAS DEPARTAMENTO DE EXTENSAO Orientações sobre preenchimento de áreas e linhas de extensão no cadastro de atividades de extensão

Leia mais

II ORIENTAÇÕES, CRITÉRIOS ESPECÍFICOS E DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR

II ORIENTAÇÕES, CRITÉRIOS ESPECÍFICOS E DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR Anexo II ORIENTAÇÕES, CRITÉRIOS ESPECÍFICOS E DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR I Orientações Gerais (Qualquer área) a) Projeto com duração superior a seis meses deverá apresentar, pelo menos, 25% (vinte e cinco

Leia mais

CULTURA OBJETIVOS E METAS

CULTURA OBJETIVOS E METAS CULTURA OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a participação juvenil na elaboração das políticas públicas na área de cultura com a participação de mais entidades e partidos políticos, via projetos e via mobilização

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade normatizar o planejamento,

Leia mais

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA. IFSP Campus São Paulo AS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA. IFSP Campus São Paulo AS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP Campus São Paulo AS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS O componente curricular denominado Atividades Acadêmico-Científico- Culturais foi introduzido nos currículos

Leia mais

COORDENADORIA DE EXTENSÃO

COORDENADORIA DE EXTENSÃO COORDENADORIA DE EXTENSÃO Coordenadora: Profa. Teresa Lenice Nogueira da Gama Mota E-mail: teresa_mota@yahoo.com.br Tel: (85) 9991-4491 4as. Feiras 18:00 às 22:00 h e 5as. Feiras de 14:00 às 18:00 h Coordenadora

Leia mais

EDITAL Nº 001/2015 PARA OFERTA DE CURSOS DE EXTENSÃO SEÇÃO I - DA DEFINIÇÃO E FINALIDADE

EDITAL Nº 001/2015 PARA OFERTA DE CURSOS DE EXTENSÃO SEÇÃO I - DA DEFINIÇÃO E FINALIDADE EDITAL Nº 001/2015 PARA OFERTA DE CURSOS DE EXTENSÃO A Pró-Reitoria Comunitária e de Extensão - PROCE, da Universidade do Grande Rio - prof. José de Souza Herdy, no âmbito de suas atribuições, torna público

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS. PRÓ-REITORIA DE EXENSÃO-PROEX

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS. PRÓ-REITORIA DE EXENSÃO-PROEX 2 EXPEDIENTE Elaboração e Produção: Cheila Cristina Naves Barbiero Kim Nay dos Reis W. A. Figueiredo Revisão Geral: Sylmara Barreira Digitação: Kim Nay dos Reis W. A. Figueiredo Capa, Diagramação e Revisão

Leia mais

Tabela para classificação de ações de extensão

Tabela para classificação de ações de extensão Tabela para classificação de ações de extensão Linha de Extensão 1. Alfabetização, leitura e escrita Formas mais freqüentes de operacionalização Alfabetização e letramento de crianças, jovens e adultos;

Leia mais

Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015.

Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. PROGRAMA DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA, CULTURAL, ARTÍSTICA E TECNOLÓGICA Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Produção Científica, Cultural, Artística e Tecnológica visa fortalecer a relação

Leia mais

I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS:

I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS: Reitoria Resolução nº 003, de 12 de março de 2009. Regulamenta o Programa de Atividades Complementares- PAC dos cursos de graduação O Reitor da Universidade Candido Mendes, no uso de suas atribuições estatutárias

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE - IESRIVER REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE - IESRIVER REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE - IESRIVER REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES Seção I Da finalidade CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 - O presente regulamento

Leia mais

Regulamento - Disciplina Atividades Complementares

Regulamento - Disciplina Atividades Complementares Regulamento - Disciplina Atividades Complementares Introdução Entende-se por Atividades Acadêmico-Científico-Culturais o conjunto de trabalhos acadêmicos que complementam os processos presenciais tradicionais

Leia mais

Ministério da Cultura Estrutura Organizacional e Competências. Professor Francisco Carlos M. da Conceição

Ministério da Cultura Estrutura Organizacional e Competências. Professor Francisco Carlos M. da Conceição Ministério da Cultura Estrutura Organizacional e Competências Professor Francisco Carlos M. da Conceição DECRETO Nº 6.835, DE 30 DE ABRIL DE2009. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo

Leia mais

PALMAS-TO AGOSTO 2014

PALMAS-TO AGOSTO 2014 REGULAMENTO INTERNO PARA PROCESSO DE RECONHECIMENTO DE SABERES E COMPETÊNCIAS RSC. Aprovado pela Resolução nº 10/2014/CONSUP/IFTO, de 28 de abril de 2014, alterado pela Resolução nº 28/2014/CONSUP/IFTO,

Leia mais

Formulário de projetos de eventos para cadastro no SIEX Sistema de Gerenciamento da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis

Formulário de projetos de eventos para cadastro no SIEX Sistema de Gerenciamento da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis Formulário de projetos de eventos para cadastro no SIEX Sistema de Gerenciamento da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis 1. Título: 2. Vinculado ao Programa: 3. Caracterização: 4. Objetivo Geral:

Leia mais

CAPÍTULO I - DA CARACTERIZAÇÃO

CAPÍTULO I - DA CARACTERIZAÇÃO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I - DA CARACTERIZAÇÃO Art.

Leia mais

CURSO LICITAÇÕES, CONTRATOS E CONTROLE de OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA na ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

CURSO LICITAÇÕES, CONTRATOS E CONTROLE de OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA na ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CURSO LICITAÇÕES, CONTRATOS E CONTROLE de OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA na ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA OBJETIVOS: Proporcionar desenvolvimento profissional em Licitações e Contratos de Engenharia na Administração

Leia mais

CAPÍTULO V. CONTRIBUÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIAL CULTURAL E PARA O AMBIENTE REGIONAL

CAPÍTULO V. CONTRIBUÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIAL CULTURAL E PARA O AMBIENTE REGIONAL CAPÍTULO V. CONTRIBUÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIAL CULTURAL E PARA O AMBIENTE REGIONAL 5.1 Desenvolvimento social Torna-se importante sublinhar que diferentemente das universidades de primeiro mundo,

Leia mais

ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS CARGA HORÁRIA 40 HORAS REGULAMENTO

ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS CARGA HORÁRIA 40 HORAS REGULAMENTO ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS CARGA HORÁRIA 40 HORAS Memo03/15- Coordenação REGULAMENTO Este regulamento padroniza a realização das atividades Acadêmico-Científico Culturais, necessárias para

Leia mais

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES, PROGRAMAS E TABELA DE PONTUAÇÃO PARA JULGAMENTO DE TÍTULOS

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES, PROGRAMAS E TABELA DE PONTUAÇÃO PARA JULGAMENTO DE TÍTULOS DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL CONCURSO PÚBLICO PARA ENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 05, de 11 de fevereiro de 2014, publicado no Diário Oficial da União nº 30, de 12 de fevereiro de 2014. INFORMAÇÕES

Leia mais

Referencial para Preenchimento PLATAFORMA LATTES. Augusto Takerissa Nishimura - USP Emerson Antonio Maccari - UNINOVE

Referencial para Preenchimento PLATAFORMA LATTES. Augusto Takerissa Nishimura - USP Emerson Antonio Maccari - UNINOVE Referencial para Preenchimento PLATAFORMA LATTES Augusto Takerissa Nishimura - USP Emerson Antonio Maccari - UNINOVE São Paulo, Setembro de 2009 ÍNDICE 1. DADOS GERAIS... 4 1.1. Identificação... 5 1.2.

Leia mais

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura PLANO ESTADUAL DA CULTURA Matriz Situacional da Cultura Fórum de Planejamento Regional Cidade Sede: Tubarão 27 e 28 de agosto de 2012 Priorização de Diretrizes e Ações Objetivo: Discussão da proposta de

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS/FUNÇÕES

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS/FUNÇÕES ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS/FUNÇÕES - Monitor de Marcenaria, Monitor de Artesanato, Monitor de Música e/ou Violão e Monitor de Patinação e/ou Dança Ministrar aulas teóricas e práticas, conforme a atividade

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais para

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 546, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 546, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 546, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014. O CONSELHO DE CÂMPUS DO CÂMPUS DO PANTANAL, da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais e considerando a Resolução

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUN N 044, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUN N 044, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUN N 044, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 Estabelece as normas para distribuição das atividades

Leia mais

Atividades complementares Festival ou mostra de: Atividades complementares visita a:

Atividades complementares Festival ou mostra de: Atividades complementares visita a: A1 Atividades complementares visita a: ( ) ACERVO OU RESERVA TÉCNICA DE MUSEU ( ) GALERIA DE ARTE ( ) ESPAÇO CULTURAL : A2 Atividades complementares Festival ou mostra de: ( ) VÍDEO ( ) CINEMA ( ) PERFORMANCE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 250

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 250 PROGRAMA Nº- 250 QUALIFICAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS E DEPENDENTES QUÍMICOS SUB-FUNÇÃO: 244 ASSISTÊNCIA COMUNITÁRIA Realizar Cursos de Capacitação para Profissionais que atuam na área de reabilitação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINUTA 5 RESOLUÇÃO Nº /2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINUTA 5 RESOLUÇÃO Nº /2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINUTA 5 RESOLUÇÃO Nº /2014 Estabelece normas procedimentais para progressão e promoção funcional na Carreira de Magistério

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias. Critérios de Avaliação de Curriculum Vitae Atualizado em 15/09/2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias. Critérios de Avaliação de Curriculum Vitae Atualizado em 15/09/2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias Critérios de Avaliação de Curriculum Vitae Atualizado em 15/09/2015 Informações Gerais: A avaliação do currículo está baseada

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da UNILA Identificação do Proponente

Programa de Iniciação Científica da UNILA Identificação do Proponente Programa de Iniciação Científica da UNILA Identificação do Proponente Nome completo do Pesquisador: Área do qualis CAPES pela qual o(s) artigo(s) foi/foram avaliado(s): (conforme Resolução COSUP nº 0/0)

Leia mais

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura PLANO ESTADUAL DA CULTURA Matriz Situacional da Cultura Fórum de Planejamento Regional Cidade Sede: Aranranguá 29 e 30 de agosto de 2012 Priorização de Diretrizes e Ações Objetivo: Discussão da proposta

Leia mais

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Revisão 2004 das Áreas temáticas, Linhas e Ações de Extensão ANEXO 1

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Revisão 2004 das Áreas temáticas, Linhas e Ações de Extensão ANEXO 1 FÓRUM D PRÓ-RITORS D DAS UNIVRSIDADS PÚBLICAS ANXO 1 QUADRO DAS AÇÕS D : PROGRAMA PROJTO Conjunto de ações de caráter orgânico-institucional, de médio a longo prazos, com clareza de diretrizes e orientadas

Leia mais

I SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA I JORNADA CIENTÍFICA E VI FIPA DO CEFET BAMBUÍ REGULAMENTO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS

I SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA I JORNADA CIENTÍFICA E VI FIPA DO CEFET BAMBUÍ REGULAMENTO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS I SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA I JORNADA CIENTÍFICA E VI FIPA DO CEFET BAMBUÍ REGULAMENTO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS 1. DOS OBJETIVOS, CONCEITO E ORGANIZAÇÃO DO EVENTO 1.1 Este regulamento geral tem

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO ANEXO IV PLANILHA DE PONTUAÇÃO RECONHECIMENTO DE SABERES

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CCL

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CCL Informações para Registro de Atividades de Extensão no Centro de Comunicação e Letras-CCL I. Introdução O objetivo deste documento informativo é esclarecer o que é extensão universitária, os tipos de ações

Leia mais

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX INTRODUÇÃO A extensão universitária é, na realidade, uma forma de interação que deve existir permanentemente entre a universidade e os diversos setores da sociedade. Assim, a

Leia mais

RESOLUÇÃO SEC Nº 201 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2008.

RESOLUÇÃO SEC Nº 201 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2008. RESOLUÇÃO SEC Nº 201 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2008. RESTABELECE O RECEBIMENTO DE PROJETOS CULTURAIS CUJA REALIZAÇÃO ESTEJA PREVISTA PARA O PERIODO COMPREENDIDO ENTRE JANEIRO E ABRIL DE 2009, E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS COORDENAÇÃO DE CIÊNCIA POLÍTICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS COORDENAÇÃO DE CIÊNCIA POLÍTICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS COORDENAÇÃO DE CIÊNCIA POLÍTICA REGULAMENTO PARA AFERIÇÃO E AVALIAÇÃO DAS S COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO

Leia mais

BASE LEGAL DISTRIBUIÇÃO DA PONTUAÇÃO POR ATIVIDADE

BASE LEGAL DISTRIBUIÇÃO DA PONTUAÇÃO POR ATIVIDADE Proposta de avaliação de desempenho para promoção à classe E, com denominação de Professor Titular da Carreira de Magistério Superior para os professores do ICE/UFJF. COMISSÃO RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO

Leia mais

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS"

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - A SANTA MARIA QUE QUEREMOS Elaborar o projeto do Plano Municipal de Projeto do Plano Projeto realizado Cultura com ampla participação dos setores da sociedade Conferência Municipal de Cultura Conferência realizada PLANILHA DE OBJETIVOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Nome completo do Pesquisador: Programa de Iniciação Científica da UNILA Identificação do Proponente Área doqualis

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO ACADÊMICO DO AGRESTE NÚCLEO DE DESIGN

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO ACADÊMICO DO AGRESTE NÚCLEO DE DESIGN SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO ACADÊMICO DO AGRESTE NÚCLEO DE DESIGN CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 56 de 16 de JUNHO de 2016, publicado

Leia mais