TEMÁRIO PROVISÓRIO ANOTADO E ORGANIZAÇÃO DO TRIGÉSIMO TERCEIRO PERÍODO DE SESSÕES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TEMÁRIO PROVISÓRIO ANOTADO E ORGANIZAÇÃO DO TRIGÉSIMO TERCEIRO PERÍODO DE SESSÕES"

Transcrição

1 Distr. GERAL LC/G.2431(SES.33/2) 9 de abril de 2010 PORTUGUÊS ORIGINAL: ESPANHOL TEMÁRIO PROVISÓRIO ANOTADO E ORGANIZAÇÃO DO TRIGÉSIMO TERCEIRO PERÍODO DE SESSÕES I. Organização do trigésimo terceiro período de sessões II. III. Temário provisório Anotações ao temário provisório

2

3 1 I. ORGANIZAÇÃO DO TRIGÉSIMO TERCEIRO PERÍODO DE SESSÕES O trigésimo terceiro período de sessões da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) será realizado em Brasília de 30 de maio a 1 de junho de Os Estados membros, mediante resolução aprovada no trigésimo segundo período de sessões (Santo Domingo, 9 a 13 de junho de 2008) 1, aceitaram o oferecimento de sede formulado pelo Brasil, que foi posteriormente aprovado pelo Conselho Econômico e Social, em virtude de sua resolução 2008/9. A reunião será realizada em conformidade com o calendário de conferências da CEPAL para o período O período de sessões é o encontro bienal mais importante da CEPAL, já que oferece uma instância propícia para analisar temas relevantes para o desenvolvimento dos países da região e examinar o andamento das atividades da Comissão. Em consulta com o país anfitrião, o tema selecionado para esta ocasião é A hora da igualdade: brechas por selar, caminhos por abrir. O período de sessões permite, também, que os governos dos Estados membros conheçam, através do exame do relatório de atividades da Secretaria, o trabalho realizado pela CEPAL nos últimos dois anos e definam, mediante a aprovação do programa de trabalho e do calendário de conferências, os mandatos que orientarão o trabalho futuro da Comissão. Pela presente nota, a Secretaria se permite formular algumas sugestões para agilizar o exame dos diversos pontos do temário provisório e organizar a distribuição do tempo disponível. Se os governos dos Estados membros as aceitarem, isso facilitaria o desenvolvimento das deliberações. Como é habitual nas reuniões da CEPAL, estas sugestões sobre a organização dos trabalhos poderiam ser consideradas pelos chefes de delegação em sua reunião de 29 de maio às 18 horas na Sala 2 do Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada, juntamente com a temário provisória e a constituição da Mesa. A Secretaria colocará à disposição das delegações documentos de trabalho e de referência sobre os pontos do temário e os projetos de resolução que se espera que sejam aprovados na seção de 1º de junho 3. Os trabalhos do trigésimo terceiro período de sessões se estenderão de 30 de maio a 1 de junho de A abertura oficial do trigésimo terceiro período de sessões terá lugar na manhã de domingo, 30 de maio, em uma cerimônia a ser realizada às 9 horas na Sala 1 do Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada. Posteriormente, será eleita a Mesa do período de sessões e se submeterá à aprovação do plenário a temário da reunião. O resto da manhã será dedicado ao exame do relatório de atividades da CEPAL correspondente ao período e à apresentação do projeto de programa de trabalho do sistema da CEPAL (Sala 1). Durante a tarde de 30 de maio estará em sessão na Sala 1o Comitê de Cooperação Sul-Sul. Esta sessão será aberta com uma conferência de Celso Amorim, Ministro de Relações Exteriores do Brasil. Em 31 de maio, às 9 horas, a Secretaria Executiva apresentará na Sala 1 o documento La hora de la igualdad: brechas por cerrar, caminos por abrir. Após a apresentação, está convidado como orador Leonel Fernández, Presidente da República Dominicana, país que presidiu o trigésimo segundo período Resolução 643(XXXII) da CEPAL. Resolução 634(XXXII) da CEPAL. Veja Documentos presentados al trigésimo tercer período de sesiones de la Comisión (LC/G.2441(SES.33/12)).

4 2 de sessões da CEPAL. Posteriormente, o documento será analisado em profundidade em um seminário de alto nível a ser realizado durante o resto da manhã, na tarde desse dia e parte da manhã de 1 de junho. No final da manhã de 1 de junho tomará a palavra Luiz Inácio Lula da Silva, Presidente do Brasil, país que presidirá o trigésimo terceiro período de sessões. Durante a tarde de 1 de junho, espera-se que os delegados participem de um debate geral e aprovem as resoluções pertinentes. A cerimônia de encerramento será realizada às 18 horas desse dia na Sala 1. Adiante, apresentam-se o temário provisório e as correspondentes anotações, em que se oferecem antecedentes sobre os temas propostos e sugestões para sua análise no âmbito do período de sessões. A esse respeito, cabe recordar a resolução 419(PLEN.14), na qual se assinala que, para o pleno êxito da reunião, será necessário que as delegações governamentais incluam peritos nas matérias a serem abordadas. II. TEMÁRIO PROVISÓRIO 1. Eleição da Mesa 2. Aprovação do temário provisório e organização dos trabalhos do trigésimo terceiro período de sessões 3. Apresentação e análise do documento La hora de la igualdad: brechas por cerrar, caminos por abrir 4. Relatório de atividades da CEPAL desde o trigésimo segundo período de sessões 5. Projeto de programa de trabalho do sistema da CEPAL, Calendário de conferências da CEPAL proposto para o período Comitê de Cooperação Sul-Sul 8. Outros assuntos 9. Consideração e aprovação das resoluções do trigésimo terceiro período de sessões da CEPAL

5 3 III. ANOTAÇÕES DO TEMÁRIO PROVISÓRIO 1. Eleição da Mesa Conforme previsto no artigo 16 do Regulamento da CEPAL, ao início de cada período de sessões a Comissão elegerá um Presidente, dois ou mais Vice-Presidentes e um Relator, que permanecerão em seus cargos até que sejam eleitos seus sucessores. De acordo com a prática estabelecida em anteriores períodos de sessões da CEPAL, a Presidência cabe ao chefe da delegação do país anfitrião. Cabe assinalar, também, que o artigo 20 do Regulamento dispõe que o Presidente ou Vice-Presidente exercendo a função de Presidente participará das sessões da Comissão nessa qualidade, e não como delegado do país que o tenha credenciado. Sugere-se que o Comitê de Cooperação Sul-Sul seja presidido por uma Mesa integrada por um Presidente, dois Vice-Presidentes e um Relator. Propõe-se que a composição da Mesa do período de sessões seja considerada na reunião de chefes de delegação a ser realizada em 29 de maio de Aprovação do temário provisório e organização dos trabalhos do trigésimo terceiro período de sessões Os delegados terão diante de si, para sua consideração e aprovação, o temário provisório (LC/G.2429(SES.33/1)/Rev.1)) que foi elaborado pela Secretaria de acordo com as disposições contidas no capítulo II do Regulamento da CEPAL, tendo em mente os mandatos conferidos à Comissão. Os delegados dos Estados membros poderão formular observações e sugerir as modificações que considerem pertinentes, atendo-se ao mencionado Regulamento. Sugere-se que o temário seja considerado na reunião de chefes de delegação a ser realizada em 29 de maio. 3. Apresentação e análise do documento La hora de la igualdad: brechas por cerrar, caminos por abrir Documentos de trabalho: La hora de la igualdad: brechas por cerrar, caminos por abrir (LC/G.2432(SES.33/3)) A hora da igualdade: brechas por selar, caminhos por abrir. Síntese (LC/G.2433(SES.33/4)) A Secretária Executiva da CEPAL fará a apresentação do documento na manhã de 31 de maio, à qual se seguirão os comentários de três participantes do painel. Posteriormente, com o fim de analisar detidamente o tema central do trigésimo terceiro período de sessões, a Secretaria organizou um seminário de alto nível, no qual participarão ministros, delegados dos países membros, personalidades acadêmicas e destacados peritos. Este seminário, que terá lugar em 31 de maio (Sala 1), foi dividido em quatro painéis dedicados aos principais temas examinados no documento.

6 4 Depois de cada um dos painéis terá início um debate. De acordo com o Regulamento da CEPAL, participarão do debate os representantes dos Estados membros e, uma vez finalizadas suas intervenções, se oferecerá a palavra aos demais participantes. 4. Relatório de atividades da CEPAL realizadas desde o trigésimo segundo período de sessões Documento de trabalho: Relatório de atividades da Comissão de janeiro de 2008 a dezembro de 2009 (LC/G.2436(SES.33/7)) Documentos de referencia: Informe de la octava reunión del Comité Ejecutivo de la Conferencia Estadística de las Américas de la Comisión Económica para América Latina y el Caribe (LC/L.2994) Proyecto de informe de la novena reunión del Comité Ejecutivo de la Conferencia Estadística de las Américas de la Comisión Económica para América Latina y el Caribe Informe de la quinta reunión de la Conferencia Estadística de las Américas de la Comisión Económica para América Latina y el Caribe (LC/L.3125) Informe de la cuadragésima segunda reunión de la Mesa Directiva de la Conferencia Regional sobre la Mujer de América Latina y el Caribe (LC/L.3027) Informe de la cuadragésima tercera reunión de la Mesa Directiva de la Conferencia Regional sobre la Mujer de América Latina y el Caribe (LC/L.3177) Informe del vigésimo quinto período de sesiones del Comité Plenario (LC/L.3014) Objetivos de Desarrollo del Milenio: avances en la sostenibilidad ambiental del desarrollo de América Latina y el Caribe (LC/G.2428-P) Balance preliminar de las economías de América Latina y el Caribe, 2008 (LC/G.2401-P) Balanço preliminar das economias da América Latina e do Caribe, 2009 (LC/G.2424-P) Estudio económico de América Latina y el Caribe, (LC/G.2410-P) La inversión extranjera directa en América Latina y el Caribe, 2008 (LC/G.2406-P) Panorama social da América Latina, 2008 (LC/G.2402-P) Panorama de la inserción internacional de América Latina y el Caribe, (LC/G.2413-P)

7 5 La reacción de los gobiernos de las Américas frente a la crisis internacional: una presentación sintética de las medidas de política anunciadas hasta el 31 de diciembre de 2009 (LC/L.3025/Rev.6) Crisis internacional y oportunidades para la cooperación regional (LC/R.2150) Políticas macroeconómicas en tiempos de crisis: opciones y perspectivas (LC/W.275) Espacios iberoamericanos: la economía del conocimiento (LC/G.2392) Espaços ibero-americanos: a Ibero-América em face da crise (LC/L.3121) El comercio internacional en América Latina y el Caribe en 2009: crisis y recuperación (LC/L.3184) UNASUR: un espacio de cooperación por construir (LC/L.3109) El Arco del Pacífico Latinoamericano después de la crisis: desafíos y propuestas (LC/R.2156) Cambio climático y desarrollo en América Latina y el Caribe. Reseña 2009 (LC/L.3140) La economía del cambio climático en América Latina y el Caribe. Síntesis 2009 (LC/G.2425) Mudança do clima: uma perspectiva regional (LC/L.3207) Ni una más! Del dicho al hecho, cuánto falta por recorrer? Inovar para crescer. Desafios e oportunidades para o desenvolvimento sustentável e inclusivo na Ibero-América (LC/G.2443) Espacios de convergencia y cooperación regional (LC/L.3201) América Latina en clave de cohesión social: indicadores seleccionados (LC/L.3189) A Secretaria apresentará à consideração das delegações um relatório que resume as atividades realizadas e os resultados alcançados no âmbito do programa de trabalho do sistema da CEPAL para o biênio , que inclui o Instituto Latino-Americano e do Caribe de Planejamento Econômico e Social (ILPES). Convidaram-se os presidentes dos órgãos subsidiários da Comissão a apresentar breves relatórios sobre as atividades desses órgãos no período

8 6 5. Projeto de programa de trabalho do sistema da CEPAL, Documento de trabalho: Projeto de programa de trabalho do sistema da CEPAL, (LC/G.2434(SES.33/5)) Documento de referência: Projeto de programa de trabalho do sistema da CEPAL, (LC/G.2373(SES.32/9)) A Secretaria submeterá à consideração do plenário o projeto de programa de trabalho da Comissão para o biênio , que inclui o Instituto Latino-Americano e do Caribe de Planejamento Econômico e Social (ILPES). Este documento tem como referência programática o projeto de quadro estratégico e prioridades substantivas da CEPAL para o biênio , que está sendo examinado pelos órgãos competentes da Assembleia Geral na Sede das Nações Unidas em Nova York, do qual foram extraídos elementos essenciais que se refletem na matriz de quadro lógico que cada subprograma incorpora como parte de sua estrutura. O projeto de programa de trabalho começa apresentando as prioridades temáticas e as linhas de trabalho que a Comissão sugere abordar durante o biênio , levando em conta os principais desafios que os países da região enfrentam, bem como as prioridades globais. Um dos principais elementos da proposta do programa de trabalho é a inclusão de um novo subprograma referente ao financiamento para o desenvolvimento, em resposta às principais necessidades dos países da região nesta esfera no contexto posterior à crise e dado seu caráter de países de renda média. Em seguida, o documento se divide em 13 subprogramas interdependentes e complementares que refletem a visão multidimensional com que a Secretaria propõe abordar os temas do desenvolvimento. Os quatro primeiros se referem às atividades da CEPAL no campo do desenvolvimento econômico, incluindo o financiamento para o desenvolvimento (subprogramas 1 a 4); depois vêm as atividades de desenvolvimento social (subprogramas 5 a 7), as relacionadas ao desenvolvimento sustentável (subprogramas 8 e 9), as dedicadas à capacitação e à gestão pública (subprograma 10), as estatísticas (subprograma 11) e dois subprogramas de enfoque sub-regional, um relacionado às atividades no México, América Central e Caribe de língua francesa e espanhola, e outro com o Caribe de língua inglesa e holandesa (subprogramas 12 e 13). Cada um dos subprogramas indica a estratégia que se pretende implantar para alcançar os resultados propostos, bem como as áreas temáticas nas quais se agrupam as atividades e produtos a serem realizados durante o biênio Calendário de conferências da CEPAL proposto para o período Conforme disposto na resolução 419(PLEN.14), aprovada pelo Comitê Plenário da CEPAL em seu décimo quarto período de sessões, realizado em novembro de 1980, o ponto focal em torno do qual se organizam as reuniões da Comissão é o período de sessões, que tem lugar a cada dois anos. A resolução mencionada dispõe, também, que os períodos de sessões terão lugar nos anos pares, a fim de coincidir com o ciclo bienal de programação orçamentária estabelecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas. Decidiu-se também que no período de sessões será considerado o calendário completo de conferências e reuniões programadas até o seguinte período de sessões, estipulando, na medida do possível, a data, a duração e o lugar de cada uma delas.

9 7 No trigésimo segundo período de sessões, a Comissão considerou o documento Calendário de conferências da CEPAL proposto para o período Nota da Secretaria 4. Após o exame deste tema, foi aprovada a resolução 634(XXXII), em virtude da qual se decidiu que a Comissão manteria a estrutura intergovernamental e o padrão de reuniões vigentes, e se aprovou o calendário de conferências para o período indicado. Com o fim de dar cumprimento a esta resolução, a Secretaria elaborou um quadro (anexo ao documento LC/G.2435(SES.33/6)) em que figuram as reuniões programadas para o período em conformidade com os mandatos aprovados pelos governos nas reuniões da CEPAL e de seus órgãos subsidiários. 7. Comitê de Cooperação Sul-Sul Documentos de trabalho: Temário provisório (LC/G.2437(SES.33/8)) Temário provisório anotado (LC/G.2438(SES.33/9)) Relatório de atividades do sistema da CEPAL durante o biênio para promover e apoiar a cooperação Sul-Sul (LC/G.2439(SES.33/10)) A cooperação internacional no novo contexto mundial: reflexões a partir da América Latina e do Caribe. Nota da secretaria (LC/G.2440(SES.33/11)) 8. Outros assuntos Neste ponto serão considerados outros temas que as delegações considerem oportunos. 9. Consideração e aprovação das resoluções do trigésimo terceiro período de sessões da CEPAL 4 LC/G.2374(SES.32/10).

COMITÊ ESPECIAL SOBRE POPULAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO PERÍODO DE SESSÕES DA CEPAL

COMITÊ ESPECIAL SOBRE POPULAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO PERÍODO DE SESSÕES DA CEPAL Distr. GERAL LC/G.2169(SES.29/15) 28 de Fevereiro de 2002 PORTUGUES ORIGINAL: ESPAÑOL Vigésimo nono período de sessões Brasília, Brasil, 6 a 10 de maio de 2002 COMITÊ ESPECIAL SOBRE POPULAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

ACORDOS POPULAÇÃO E DESENVOLVIMENTO: TEMAS PRIORITÁRIOS PARA 2010-2012

ACORDOS POPULAÇÃO E DESENVOLVIMENTO: TEMAS PRIORITÁRIOS PARA 2010-2012 1 ACORDOS POPULAÇÃO E DESENVOLVIMENTO: TEMAS PRIORITÁRIOS PARA 2010-2012 O Comitê Especial da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe sobre População e Desenvolvimento, na reunião celebrada

Leia mais

TEMÁRIO PROVISÓRIO ANOTADO

TEMÁRIO PROVISÓRIO ANOTADO Distr. LIMITADA LC/L.3659(CRM.12/2) 2 de agosto de 2013 PORTUGUÊS ORIGINAL: ESPANHOL Décima Segunda Conferência Regional sobre a Mulher da América Latina e do Caribe Santo Domingo, 15 a 18 de outubro de

Leia mais

PRIMEIRA CONFERÊNCIA DOS ESTADOS PARTES DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO. Buenos Aires, Argentina 2, 3 e 4 de maio de 2001

PRIMEIRA CONFERÊNCIA DOS ESTADOS PARTES DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO. Buenos Aires, Argentina 2, 3 e 4 de maio de 2001 PRIMEIRA CONFERÊNCIA DOS ESTADOS PARTES DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO Buenos Aires, Argentina 2, 3 e 4 de maio de 2001 DOCUMENTO DE BUENOS AIRES SOBRE O MECANISMO DE ACOMPANHAMENTO DA

Leia mais

Declaração dos Mecanismos das Mulheres da América Latina e do Caribe frente ao 58º Período de Sessões da Comissão do Status da Mulher (CSW)

Declaração dos Mecanismos das Mulheres da América Latina e do Caribe frente ao 58º Período de Sessões da Comissão do Status da Mulher (CSW) Declaração dos Mecanismos das Mulheres da América Latina e do Caribe frente ao 58º Período de Sessões da Comissão do Status da Mulher (CSW) Cidade do México, México 7 de fevereiro de 2014 Nós, ministras

Leia mais

Declaração de Salvador

Declaração de Salvador Declaração de Salvador Os Chefes de Estado da República Federativa do Brasil, da República de Cabo Verde, da República da Guiné, da República Oriental do Uruguai, o Vice-Presidente da República da Colômbia,

Leia mais

NOTAS SOBRE O DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA E NO CARIBE E OS DESAFIOS PARA A MUDANÇA ESTRUTURAL COM IGUALDADE 1

NOTAS SOBRE O DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA E NO CARIBE E OS DESAFIOS PARA A MUDANÇA ESTRUTURAL COM IGUALDADE 1 NOTAS SOBRE O DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA E NO CARIBE E OS DESAFIOS PARA A MUDANÇA ESTRUTURAL COM IGUALDADE 1 Jorge Máttar 2 Luis Riffo Pérez 3 1 DESENVOLVIMENTO E DESIGUALDADES REGIONAIS

Leia mais

ACORDO CONSTITUTIVO DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DA VINHA E DO VINHO. Preâmbulo

ACORDO CONSTITUTIVO DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DA VINHA E DO VINHO. Preâmbulo ACORDO CONSTITUTIVO DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DA VINHA E DO VINHO Preâmbulo Mediante Acordo firmado em 29 de novembro de 1924, os Governos da Espanha, França, Grécia, Hungria, Itália, Luxemburgo, Portugal

Leia mais

DISCURSO DE ALÍCIA BÁRCENA

DISCURSO DE ALÍCIA BÁRCENA DISCURSO DE ALÍCIA BÁRCENA Secretária Executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) na Cerimônia de abertura do trigésimo terceiro período de sessões da Comissão Brasília, 30

Leia mais

24 de maio de 2002 OBJETO DA ANÁLISE NO ÂMBITO DA PRIMEIRA RODADA

24 de maio de 2002 OBJETO DA ANÁLISE NO ÂMBITO DA PRIMEIRA RODADA METODOLOGIA PARA A ANÁLISE DA IMPLEMENTAÇÃO DAS DISPOSIÇÕES DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO QUE FORAM SELECIONADAS NO ÂMBITO DA PRIMEIRA RODADA [1]/ INTRODUÇÃO 24 de maio de 2002 O Documento

Leia mais

Proposta de Regulamento Interno do Conselho de Enfermagem Regional Secção Regional do Sul da Ordem dos Enfermeiros

Proposta de Regulamento Interno do Conselho de Enfermagem Regional Secção Regional do Sul da Ordem dos Enfermeiros Secção Regional do Sul Proposta de Regulamento Interno do Conselho de Enfermagem Regional Secção Regional do Sul da Ordem dos Enfermeiros CAPÍTULO 1 - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1 - Objeto e Âmbito 1- O

Leia mais

SEMINÁRIO POLÍTICA JUDICIAL LATINO-AMERICANA EM UMA PERSPECTIVA DA DEFENSORIA PÚBLICA DIRETRIZES METODOLÓGICAS

SEMINÁRIO POLÍTICA JUDICIAL LATINO-AMERICANA EM UMA PERSPECTIVA DA DEFENSORIA PÚBLICA DIRETRIZES METODOLÓGICAS SEMINÁRIO POLÍTICA JUDICIAL LATINO-AMERICANA EM UMA PERSPECTIVA DA DEFENSORIA PÚBLICA DIRETRIZES METODOLÓGICAS PAINEL, RODAS DE CONVERSA GRUPOS DE TRABALHO, PLENÁRIA FINAL e SESSÃO DE ENCERRAMENTO Introdução

Leia mais

TEMÁRIO PROVISÓRIO ANOTADO E ORGANIZAÇÃO DO TRIGÉSIMO SEXTO PERÍODO DE SESSÕES

TEMÁRIO PROVISÓRIO ANOTADO E ORGANIZAÇÃO DO TRIGÉSIMO SEXTO PERÍODO DE SESSÕES Distr. GERAL LC/G.2659(SES.36/2)/Rev.4 19 de maio de 2016 PORTUGUÊS ORIGINAL: ESPANHOL 16-00541 TEMÁRIO PROVISÓRIO ANOTADO E ORGANIZAÇÃO DO TRIGÉSIMO SEXTO PERÍODO DE SESSÕES A. Organização do trigésimo

Leia mais

-------------------------------------------------------------------------------- RESOLUÇÃO CFM Nº 1772/2005

-------------------------------------------------------------------------------- RESOLUÇÃO CFM Nº 1772/2005 Normas para certificado de atualização profissional O Conselho Federal de Medicina aprovou, em sessão plenária encerrada no dia 12 de agosto, a Resolução 1772/2005, que institui o certificado de atualização

Leia mais

Guadalupe, Espanha 19 a 21 de Setembro de 2005 DECLARAÇÃO DE GUADALUPE

Guadalupe, Espanha 19 a 21 de Setembro de 2005 DECLARAÇÃO DE GUADALUPE XIV ASSEMBLEIA-GERAL DE MINISTROS E AUTORIDADES MÁXIMAS DA HABITAÇÃO E DO URBANISMO DE AMÉRICA LATINA E AS CARAÍBAS X FÓRUM IBERO-AMERICANO DE MINISTROS E AUTORIDADES MÁXIMAS DO SECTOR HABITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

ATIVIDADES DO SISTEMA DA CEPAL NO BIÊNIO 2008-2009 PARA PROMOVER E APOIAR A COOPERAÇÃO SUL-SUL

ATIVIDADES DO SISTEMA DA CEPAL NO BIÊNIO 2008-2009 PARA PROMOVER E APOIAR A COOPERAÇÃO SUL-SUL Distr. GERAL LC/G.2439(SES.33/10) 11 de maio de 2010 PORTUGUÊS ORIGINAL: ESPANHOL ATIVIDADES DO SISTEMA DA CEPAL NO BIÊNIO 2008-2009 PARA PROMOVER E APOIAR A COOPERAÇÃO SUL-SUL 2010-232 2 ÍNDICE Página

Leia mais

CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES

CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES TERCEIRA REUNIÃO DE MINISTROS DA JUSTIÇA OEA/Ser.K/XXXIV.3 OU DE MINISTROS OU PROCURADORES-GERAIS REMJA-III/doc. 13/00 rev. 2 DAS AMÉRICAS 3 março 2000 1º a 3 de março de 2000 Original: espanhol San José,

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA DE JACOBINA

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA DE JACOBINA REGIMENTO INTERNO DA IV CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JACOBINA BA Art. 1º. Este regimento interno da IV Conferência Municipal de Saúde de Jacobina-BA CMS tem como finalidade definir a organização dos

Leia mais

DECRETO Nº 1.211, DE 3 DE AGOSTO DE 1994.

DECRETO Nº 1.211, DE 3 DE AGOSTO DE 1994. DECRETO Nº 1.211, DE 3 DE AGOSTO DE 1994. Promulga o Tratado Geral de Cooperação e Amizade e o Acordo Econômico Integrante do Tratado Geral de Cooperação e Amizade, entre a República Federativa do Brasil

Leia mais

ASSOCIAÇAO DAS ADMINISTRAÇOES MARITIMAS DE AFRICA. PROJECTO DE REGULAMENTO INTERNO Adoptado a 23 de Outubro de 2013 em Johannesburgo Africa do Sul

ASSOCIAÇAO DAS ADMINISTRAÇOES MARITIMAS DE AFRICA. PROJECTO DE REGULAMENTO INTERNO Adoptado a 23 de Outubro de 2013 em Johannesburgo Africa do Sul ASSOCIAÇAO DAS ADMINISTRAÇOES MARITIMAS DE AFRICA PROJECTO DE REGULAMENTO INTERNO Adoptado a 23 de Outubro de 2013 em Johannesburgo Africa do Sul 1 PRIMEIRA PARTE DISPOSICOES GERAIS Artigo 1º OBJECTO DO

Leia mais

REGULAMENTO DE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS

REGULAMENTO DE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS REGULAMENTO DE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS JUNHO/2011 CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Art. 1º. Os cursos de Pós Graduação Lato Sensu da Faculdade de Tecnologia

Leia mais

Fondo Europeo de Desarrollo Regional

Fondo Europeo de Desarrollo Regional Anúncio da Autoridade de Gestão (Vice-secretaria da Economia e Assuntos Económicos com a União Europeia do Governo das Canárias), pelo qual se dá publicidade à primeira convocatória do Programa Operacional

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO GEO CIDADES

APRESENTAÇÃO DO PROJETO GEO CIDADES 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO GEO CIDADES O Global Environment Outlook (GEO) é um projeto iniciado em 1995 pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) para avaliar o estado do meio ambiente

Leia mais

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013 Cria a Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S/A RIOSAÚDE e aprova seu Estatuto. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

A POLÍTICA DE PARIDADE E ALTERNÂNCIA NA LEI ELEITORAL DE COSTA RICA. Um avanço para assegurar a autonomia na tomada de decisões das mulheres.

A POLÍTICA DE PARIDADE E ALTERNÂNCIA NA LEI ELEITORAL DE COSTA RICA. Um avanço para assegurar a autonomia na tomada de decisões das mulheres. A POLÍTICA DE PARIDADE E ALTERNÂNCIA NA LEI ELEITORAL DE COSTA RICA. Um avanço para assegurar a autonomia na tomada de decisões Este documento foi alaborado sob a supervisão de Sonia Montaño, Director

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE RIO MAIOR

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE RIO MAIOR Município de Rio Maior CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE RIO MAIOR Regimento Preâmbulo A Lei nº 159/99, de 14 de Setembro, estabelece na alínea b) do nº2, do seu artigo 19, a competência dos órgãos municipais

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação

Regimento do Conselho Municipal de Educação Considerando que: 1- No Município do Seixal, a construção de um futuro melhor para os cidadãos tem passado pela promoção de um ensino público de qualidade, através da assunção de um importante conjunto

Leia mais

Declaração tripartida de Yaoundé sobre a instituição de um Pacote de Base de Protecção Social

Declaração tripartida de Yaoundé sobre a instituição de um Pacote de Base de Protecção Social Declaração tripartida de Yaoundé sobre a instituição de um Pacote de Base de Protecção Social Nós, os delegados tripartidos de 47 Estados Africanos membros da Organização Internacional do Trabalho ao Segundo

Leia mais

PROPOSTA DE REGIMENTO DO SECRETARIADO TÉCNICO PERMANENTE DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DA CPLP

PROPOSTA DE REGIMENTO DO SECRETARIADO TÉCNICO PERMANENTE DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DA CPLP PROPOSTA DE REGIMENTO DO SECRETARIADO TÉCNICO PERMANENTE DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DA CPLP Maio de 2012 1 1. Introdução Tendo em conta a mais alta prioridade da erradicação da fome e da pobreza,

Leia mais

APRESENTAÇÃO. 1. Informação geral sobre o Brasil

APRESENTAÇÃO. 1. Informação geral sobre o Brasil INFORMAÇÃO GERAL 1 APRESENTAÇÃO O trigésimo terceiro Período de Sessões da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) terá lugar na cidade de Brasília, de 30 de maio a 1 de junho de 2010.

Leia mais

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO OUI- IOHE MISSÃO OUI DE UNIVERSIDADES CANADENSES NO BRASIL 28 de novembro a 2 de dezembro de 2011 Programa preliminar A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO À luz dos excelentes

Leia mais

A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s d e G u i a - P o m b a l

A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s d e G u i a - P o m b a l 2014/2018 ÍNDICE ÍNDICE...2 PREÂMBULO...3 Capítulo I...3 Disposições Gerais...3 Artigo 1.º - Âmbito de aplicação...3 Artigo 2.º - Objeto...3 Artigo 3.º - Composição...3 Artigo 4.º - Designação dos representantes...3

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-CAE CAPÍTULO II

REGIMENTO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-CAE CAPÍTULO II REGIMENTO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-CAE CAPÍTULOI DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º. O Conselho de Alimentação Escolar - CAE, do Município de Sorriso-MT criado por meio da Lei municipal nº 870

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Setembro de 2012 I - DA ELEIÇÃO ELEIÇÕES PARA PRESIDENTE DA FIOCRUZ - 2012 REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1º - A eleição do presidente da Fiocruz será autorizada e acompanhada pelo

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. Deliberação nº 1.100/2014 DS/CMDCA

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. Deliberação nº 1.100/2014 DS/CMDCA CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Deliberação nº 1.100/2014 DS/CMDCA Dispõe sobre a Autorização para Captação de Recursos Financeiros para o Fundo Municipal para Atendimento dos

Leia mais

DEMOCRACIA. O desafio democrático e a integração econômica. Síntese das conferências e discussões da sexta-feira, 19 de setembro de 1997

DEMOCRACIA. O desafio democrático e a integração econômica. Síntese das conferências e discussões da sexta-feira, 19 de setembro de 1997 DEMOCRACIA O desafio democrático e a integração econômica Síntese das conferências e discussões da sexta-feira, 19 de setembro de 1997 Presidente: Sr. Isidro Muñoz Rivera Presidente do Congresso do Estado

Leia mais

Mercosul Protocolo de Ouro Preto

Mercosul Protocolo de Ouro Preto PROTOCOLO DE OURO PRETO PROTOCOLO ADICIONAL AO TRATADO DE ASSUNÇÃO SOBRE A ESTRUTURA INSTITUCIONAL DO MERCOSUL (Ouro Preto, 17/12/1994) A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO CDS-PP

REGULAMENTO ELEITORAL DO CDS-PP REGULAMENTO ELEITORAL DO CDS-PP (APROVADO A 24 DE NOVEMBRO DE 2007 E ALTERADO A 2 DE AGOSTO DE 2008, EM CONSELHO NACIONAL) CAPÍTULO I Disposições Preliminares Artigo 1º (Âmbito de aplicação) 1. O presente

Leia mais

Tema de Trabalho : Desenvolvimento com Eqüidade e Responsabilidade Ambiental

Tema de Trabalho : Desenvolvimento com Eqüidade e Responsabilidade Ambiental Desde 2003 o Brasil é membro efetivo da Associação Internacional de Conselhos Econômicos e Sociais e Instituições Similares (AICESIS), e em junho de 2007 assumiu a sua presidência para um mandato de dois

Leia mais

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia, nomeadamente o terceiro parágrafo do artigo 159º,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia, nomeadamente o terceiro parágrafo do artigo 159º, REGULAMENTO (CE) Nº 1082/2006 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 5 de Julho de 2006 relativo aos agrupamentos europeus de cooperação territorial (AECT) O PARLAMENTO EUROPEU E O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA,

Leia mais

Art.7º. A Província tem sua estrutura e organização nas seguintes áreas de animação: III. ÓRGÃOS DE GOVERNO E DE ANIMAÇÃO

Art.7º. A Província tem sua estrutura e organização nas seguintes áreas de animação: III. ÓRGÃOS DE GOVERNO E DE ANIMAÇÃO ESTATUTO DA PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL-CHILE I. NOME, COMPOSIÇÃO Art. 1º. A Província La Salle Brasil-Chile 1 é parte do Instituto dos Irmãos das Escolas Cristãs, Instituto de Vida Religiosa, de direito

Leia mais

Workshop Cooperação Internacional e rede de cidades

Workshop Cooperação Internacional e rede de cidades Workshop Cooperação Internacional e rede de cidades Vicente Trevas, Vice-Presidente da RIAD e Subchefe de Assuntos Federativos da Presidência da República do Brasil. Inicialmente, gostaria de colocar algumas

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GOLEGÃ

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GOLEGÃ REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GOLEGÃ A Lei 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19º, n.º2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos locais de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS Art. 1º - O Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional, vinculado ao Instituto

Leia mais

54 o CONSELHO DIRETOR

54 o CONSELHO DIRETOR 54 o CONSELHO DIRETOR 67 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL DA OMS PARA AS AMÉRICAS Washington, D.C., EUA, 28 de setembro a 2 de outubro de 2015 Tema 7.5 da agenda provisória CD54/INF/5 10 de julho de 2015 Original:

Leia mais

REGIMENTO DO COMITÊ DE ÉTICA NO USO ANIMAL DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MARÍLIA CEUA-FATEC MARILIA

REGIMENTO DO COMITÊ DE ÉTICA NO USO ANIMAL DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MARÍLIA CEUA-FATEC MARILIA REGIMENTO DO COMITÊ DE ÉTICA NO USO ANIMAL DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MARÍLIA CEUA-FATEC MARILIA O Comitê de Ética para uso Animal da Faculdade de Tecnologia de Marília CEUA. Reger-se-à Pelas Presentes

Leia mais

Elaboração de materiais para um curso de espanhol via MOODLE

Elaboração de materiais para um curso de espanhol via MOODLE Elaboração de materiais para um curso de espanhol via MOODLE Chris Royes Schardosim Guilherme Gili Maba (IFC/Ibirama - Cnpq) Resumo Dentro do NUBE (Núcleo Universal de Brasileños Españolizados), que iniciou

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL BRASIL PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTRELA Rua Julio de Castilhos, 380 Centro Estrela/RS Fone: 39811000

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL BRASIL PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTRELA Rua Julio de Castilhos, 380 Centro Estrela/RS Fone: 39811000 Edital de convocação para inscrição de candidatos para o Conselho Municipal de Previdência CMP do Município de Estrela. A Lei Municipal nº 4.493, de 13 de setembro de 2007, dispõe sobre o Regime Próprio

Leia mais

FERNÁNDEZ, Francisco Moreno. Qué español enseñar? Madrid: Arco/Libros, 2000. 95 p.

FERNÁNDEZ, Francisco Moreno. Qué español enseñar? Madrid: Arco/Libros, 2000. 95 p. FERNÁNDEZ, Francisco Moreno. Qué español enseñar? Madrid: Arco/Libros, 2000. 95 p. Adja Balbino de Amorim BARBIERI DURÃO Universidade Estadual de Londrina O livro resenhado Qué español enseñar?, de Francisco

Leia mais

Regimento. do Conselho Municipal de Educação. município, garantir o adequado ordenamento da rede educativa nacional e municipal;

Regimento. do Conselho Municipal de Educação. município, garantir o adequado ordenamento da rede educativa nacional e municipal; Regimento do Conselho Municipal de Educação Ao abrigo do artigo 8º do Decreto-Lei nº 7/2013, de 15 de janeiro, alterado pela Lei nº 41/2003, de 22 de agosto (objeto da Declaração de Retificação nº 13/2003,

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Fórum Social Mundial 2006: Desafios e possibilidades de um fórum mundial policêntrico I. Justificativa

Leia mais

Estatutos ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO DOURO SUPERIOR DE FINS ESPECÍFICOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS ARTIGO 1º.

Estatutos ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO DOURO SUPERIOR DE FINS ESPECÍFICOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS ARTIGO 1º. Estatutos ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO DOURO SUPERIOR DE FINS ESPECÍFICOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS ARTIGO 1º Denominação A Associação adopta a denominação de ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO

Leia mais

DELIBERAÇÃO CES Nº 130 /2015 De, 10 de junho de 2015.

DELIBERAÇÃO CES Nº 130 /2015 De, 10 de junho de 2015. Secretaria Estadual De Saúde Conselho Estadual De Saúde - RJ DELIBERAÇÃO CES Nº 130 /2015 De, 10 de junho de 2015. APROVA O REGIMENTO IN- TERNO DA 7ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO. O

Leia mais

e) A sustentação das vertentes científica e técnica nas actividades dos seus membros e a promoção do intercâmbio com entidades externas.

e) A sustentação das vertentes científica e técnica nas actividades dos seus membros e a promoção do intercâmbio com entidades externas. ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DISTRIBUIÇÃO E DRENAGEM DE ÁGUAS Capítulo I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Natureza 1. A Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA) é uma associação sem fins

Leia mais

uma agenda universal para o desenvolvimento sustentável

uma agenda universal para o desenvolvimento sustentável uma agenda universal para o desenvolvimento sustentável Raphael Azeredo Vinícius Fox Drummond Cançado Trindade Só nos sustentamos em pé porque estamos ligados uns aos outros. A inspiradora frase de Candido

Leia mais

DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007

DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007 DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007 Aprova o Estatuto Social da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal e dá outras providências. O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA VIII CONFERÊNCIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

REGIMENTO INTERNO DA VIII CONFERÊNCIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL REGIMENTO INTERNO DA VIII CONFERÊNCIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Define as regras de funcionamento da VIII Conferência Nacional de Assistência Social. Art. 1º A VIII Conferência Nacional de Assistência

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 08/03-COUN

RESOLUÇÃO Nº 08/03-COUN RESOLUÇÃO Nº 08/03-COUN Estabelece o Regimento Interno do Núcleo de Educação a Distância (NEAD) da Universidade Federal do Paraná. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Paraná, no uso de

Leia mais

DISPOSIÇÃO REGULAMENTAR DA

DISPOSIÇÃO REGULAMENTAR DA DISPOSIÇÃO REGULAMENTAR DA FEDERAÇÃO LATINOAMERICANA DE QUÍMICOS TÊXTEIS 1 DISPOSIÇÃO REGULAMENTAR I: DAS ASSEMBLÉIAS Artigo 1: As Assembléias se classificam em Ordinárias e Extraordinárias. Artigo 2:

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE POLÍTICAS CULTURAIS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CONSELHO MUNICIPAL DE POLÍTICAS CULTURAIS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CONSELHO MUNICIPAL DE POLÍTICAS CULTURAIS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regimento interno disciplina o funcionamento do Conselho Municipal de Políticas Culturais,

Leia mais

Regulamento do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora (CIEP-UE)

Regulamento do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora (CIEP-UE) Regulamento do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora (CIEP-UE) Sob proposta da Directora do CIEP-UE, com parecer favorável da Assembleia de Representantes da Escola de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA

REGIMENTO INTERNO DO COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA REGIMENTO INTERNO DO TÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES CAPÍTULO I Da Natureza Art. 1º. O Colegiado do Curso de Graduação em Arquivologia é um órgão normativo e deliberativo, com sede no Centro de

Leia mais

FÓRUM AMAZONENSE DE REFORMA

FÓRUM AMAZONENSE DE REFORMA REGIMENTO INTERNO DA 6ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES DO AMAZONAS CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES 1 Art. 1º - São objetivos da 6ª Conferência Estadual das Cidades do Amazonas: I - Propor a interlocução

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MESTRADO EM FISIOTERAPIA NORMAS ESPECÍFICAS

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MESTRADO EM FISIOTERAPIA NORMAS ESPECÍFICAS FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MESTRADO EM FISIOTERAPIA NORMAS ESPECÍFICAS Res. Consun nº 005/12, de 28/03/12. CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º O Curso de Mestrado em Fisioterapia, regido pela

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 4.799, DE 4 DE AGOSTO DE 2003. Dispõe sobre a comunicação de governo do Poder Executivo Federal e dá outras providências.

Leia mais

Regimento. Conselho Municipal de Educação de Mira

Regimento. Conselho Municipal de Educação de Mira Regimento ÂMBITO A lei 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19º, nº 2, alínea b) a competência dos órgãos municipais para criar os Conselhos Locais de Educação. A Lei 169/99, de 18 de Setembro,

Leia mais

Regulamento do Ramo Pioneiro no Rio Grande do Sul

Regulamento do Ramo Pioneiro no Rio Grande do Sul Regulamento do Ramo Pioneiro no Rio Grande do Sul TÍTULO I - DA CONSTITUIÇÃO Art. 1 - O Ramo Pioneiro é regulamentado conforme o Estatuto dos Escoteiros do Brasil, Resoluções, POR e manuais de Ramo. Art.

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE

CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DA 3ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL CEST/RS (ATUALIZADO PELA RESOLUÇÃO CES/RS Nº 02/2014) CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º A 3ª

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Art. 1º Os Trabalhos de Conclusão de Curso,

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Políticas da LACNIC Versão 2.0. Objetivo do Processo de Desenvolvimento de Políticas da LACNIC

Processo de Desenvolvimento de Políticas da LACNIC Versão 2.0. Objetivo do Processo de Desenvolvimento de Políticas da LACNIC Processo de Desenvolvimento de Políticas da LACNIC Versão 2.0 Alcance Este documento descreve o processo pelo qual passará o desenvolvimento de políticas da LACNIC. Inclui a operação dos diferentes órgãos

Leia mais

Política externa e democracia no Brasil. Reseña. Dawisson Belém Lopes São Paulo, Editora UNESP, 213

Política externa e democracia no Brasil. Reseña. Dawisson Belém Lopes São Paulo, Editora UNESP, 213 Reseña Política externa e democracia no Brasil Dawisson Belém Lopes São Paulo, Editora UNESP, 213 A defesa das instituições democráticas entra definitivamente na agenda internacional da América Latina

Leia mais

ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I. Natureza, denominação, duração, sede e objeto. Artigo 1.º. Natureza e denominação

ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I. Natureza, denominação, duração, sede e objeto. Artigo 1.º. Natureza e denominação ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I Natureza, denominação, duração, sede e objeto Artigo 1.º Natureza e denominação A sociedade tem a natureza de sociedade anónima de capitais

Leia mais

TRATADO DE BUDAPESTE SOBRE O RECONHECIMENTO INTERNACIONAL DO DEPÓSITO DE MICRORGANISMOS PARA EFEITOS DO PROCEDIMENTO EM MATÉRIA DE PATENTES.

TRATADO DE BUDAPESTE SOBRE O RECONHECIMENTO INTERNACIONAL DO DEPÓSITO DE MICRORGANISMOS PARA EFEITOS DO PROCEDIMENTO EM MATÉRIA DE PATENTES. Resolução da Assembleia da República n.º 32/97 Tratado de Budapeste sobre o Reconhecimento Internacional do Depósito de Microrganismos para Efeitos do Procedimento em Matéria de Patentes, adoptado em Budapeste

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) - EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) - EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) - EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO O Trabalho de Conclusão de Curso é componente curricular obrigatório, enriquecedor e implementador do perfil do formando. É concebido

Leia mais

Regulamento do Projeto Experimental em Artes Visuais 2014 Instituto de Artes da UNICAMP (Licenciatura e Bacharelado)

Regulamento do Projeto Experimental em Artes Visuais 2014 Instituto de Artes da UNICAMP (Licenciatura e Bacharelado) Regulamento do Projeto Experimental em Artes Visuais 2014 Instituto de Artes da UNICAMP (Licenciatura e Bacharelado) 1. O que é o Projeto Experimental em Artes Visuais 1.1.Caracterização Para integralizar

Leia mais

NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. CAPÍTULO I Das considerações gerais

NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. CAPÍTULO I Das considerações gerais Sociedade de Educação e Cultura de Goiás www.faculdadearaguaia.edu.br Rua 18 n 81 Centro Goiânia Goiás Fone: (62) 3224-8829 NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO

Leia mais

INFORME DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA PARA A VI REUNIÃO ORDINÁRIA DA INSTÂNCIA EXECUTIVA DO CDS Assunção, 4 de junho de 2012

INFORME DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA PARA A VI REUNIÃO ORDINÁRIA DA INSTÂNCIA EXECUTIVA DO CDS Assunção, 4 de junho de 2012 INFORME DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA PARA A VI REUNIÃO ORDINÁRIA DA INSTÂNCIA EXECUTIVA DO CDS Assunção, 4 de junho de 2012 O presente informe refere-se às atividades e produtos desenvolvidos

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE INSTALAÇÃO DO COMITÊ PERMANENTE DA AMÉRICA LATINA PARA PREVENÇÃO DO CRIME - COPLAD RIO DE JANEIRO - BRASIL 9 E 10 DE MAIO DE 2016

ASSEMBLEIA GERAL DE INSTALAÇÃO DO COMITÊ PERMANENTE DA AMÉRICA LATINA PARA PREVENÇÃO DO CRIME - COPLAD RIO DE JANEIRO - BRASIL 9 E 10 DE MAIO DE 2016 ASSEMBLEIA GERAL DE INSTALAÇÃO DO COMITÊ PERMANENTE DA AMÉRICA LATINA PARA PREVENÇÃO DO CRIME - COPLAD RIO DE JANEIRO - BRASIL 9 E 10 DE MAIO DE 2016 P R O G R A M A Local da Sessão Solene de Abertura

Leia mais

REGULAMENTO. Contratação de doutorados para o Sistema Científico e Tecnológico Nacional

REGULAMENTO. Contratação de doutorados para o Sistema Científico e Tecnológico Nacional REGULAMENTO Contratação de doutorados para o Sistema Científico e Tecnológico Nacional O programa do XVII Governo Constitucional e o seu Compromisso com a Ciência apontam o rápido desenvolvimento científico

Leia mais

- REGIMENTO - CAPITULO I (Disposições gerais) Artigo 1.º (Normas reguladoras)

- REGIMENTO - CAPITULO I (Disposições gerais) Artigo 1.º (Normas reguladoras) - REGIMENTO - Considerando que, a Lei 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19.º, n.º 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos locais de educação; Considerando

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO COMITÉ DE ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA INTERREG V A ESPANHA PORTUGAL (POCTEP) 2014-2020

REGULAMENTO INTERNO DO COMITÉ DE ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA INTERREG V A ESPANHA PORTUGAL (POCTEP) 2014-2020 Tradução Versão aprovada pelo CA 19/05/2016 REGULAMENTO INTERNO DO COMITÉ DE ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA INTERREG V A ESPANHA PORTUGAL (POCTEP) 2014-2020 O Regulamento (UE) nº 1303/2013 do Parlamento Europeu

Leia mais

Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais

Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais Seminário Internacional sobre Governabilidade Democrática e Igualdade de Gênero CEPAL - Santiago do Chile 1-2 de dezembro de 2004 Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais Gostaria inicialmente

Leia mais

REGULAMENTO, CONSTITUIÇÃO E CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DESPORTO PREÂMBULO

REGULAMENTO, CONSTITUIÇÃO E CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DESPORTO PREÂMBULO REGULAMENTO, CONSTITUIÇÃO E CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DESPORTO PREÂMBULO As Autarquias desempenham um papel fundamental no desenvolvimento desportivo e no incremento da prática desportiva, devido

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO NACIONAL PARA A ECONOMIA SOCIAL

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO NACIONAL PARA A ECONOMIA SOCIAL REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO NACIONAL PARA A ECONOMIA SOCIAL CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1. (Natureza) O Conselho Nacional para a Economia Social, adiante também identificado como CNES,

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO PARA A PROMOÇÃO CULTURAL DA CRIANÇA (APCC) in Diário da República - III Série - N.º 227-30/09/1996

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO PARA A PROMOÇÃO CULTURAL DA CRIANÇA (APCC) in Diário da República - III Série - N.º 227-30/09/1996 ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO PARA A PROMOÇÃO CULTURAL DA CRIANÇA (APCC) in Diário da República - III Série - N.º 227-30/09/1996 CAPÍTULO I Da denominação, sede, âmbito, duração, objeto e princípios ARTIGO 1.º

Leia mais

LIGA ACADÊMICA DE FARMACOLOGIA.

LIGA ACADÊMICA DE FARMACOLOGIA. ESTATUTO OFICIAL DA LIGA ACADÊMICA DE FARMACOLOGIA CAPÍTULO I DEFINIÇÃO Artigo 1º. A Liga Acadêmica de Farmacologia (LAF) é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, organizada pelos acadêmicos

Leia mais

A INCLUSÃO DA LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

A INCLUSÃO DA LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA A INCLUSÃO DA LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA Tassiana Quintanilha de Souza (G CLCA UENP/CJ) Denise da Silva de Oliveira (Orientadora CLCA UENP/CJ) RESUMO: Este artigo visa discorrer sobre a formatação

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 133 13 de Julho de 2009 4449. (CNC), anexo ao presente decreto -lei e que dele faz parte integrante. Artigo 2.

Diário da República, 1.ª série N.º 133 13 de Julho de 2009 4449. (CNC), anexo ao presente decreto -lei e que dele faz parte integrante. Artigo 2. Diário da República, 1.ª série N.º 133 13 de Julho de 2009 4449 Decreto-Lei n.º 160/2009 de 13 de Julho Com a aprovação de um novo Sistema de Normalização Contabilística, inspirado nas normas internacionais

Leia mais

ESTATUTOS DA TINIGUENA. (Revisão aprovada pela 9ª Assembleia Geral da Tiniguena reunida em Bissau a 30 de Agosto de 2003)

ESTATUTOS DA TINIGUENA. (Revisão aprovada pela 9ª Assembleia Geral da Tiniguena reunida em Bissau a 30 de Agosto de 2003) ESTATUTOS DA TINIGUENA (Revisão aprovada pela 9ª Assembleia Geral da Tiniguena reunida em Bissau a 30 de Agosto de 2003) Bissau, 30 de Agosto de 2003 Capítulo I (Denominação, Natureza, Sede, Âmbito e Objecto)

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE AUDITORIA

RELATÓRIO FINAL DE AUDITORIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO AUDITORIA INTERNA Rua do Rouxinol,115 - Bairro do Imbuí - CEP: 41720052

Leia mais

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE)

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) SÉTIMO PERÍODO ORDINÁRIO DE SESSÕES OEA/Ser.L/X.2.7 28 de fevereiro - 2 de março de 2007 CICTE/DEC. 1/07 Cidade do Panamá, Panamá 1º março 2007 Original:

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação do Concelho de Marvão. Preâmbulo

Regimento do Conselho Municipal de Educação do Concelho de Marvão. Preâmbulo Regimento do Conselho Municipal de Educação do Concelho de Marvão Preâmbulo A Lei n.º 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19.º, n.º 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Cinfães

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Cinfães Regimento do Conselho Municipal de Educação de Cinfães A Lei 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19º, nº. 2 alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos locais

Leia mais

Edital para Contratação de Consultoria Externa para Avaliação Final de Projeto. (Pessoa Física ou Pessoa Jurídica)

Edital para Contratação de Consultoria Externa para Avaliação Final de Projeto. (Pessoa Física ou Pessoa Jurídica) Edital para Contratação de Consultoria Externa para Avaliação Final de Projeto (Pessoa Física ou Pessoa Jurídica) Localização: Em domicílio (com visitas de campo previstas) Prazo para envio de candidatura:

Leia mais

ACORDO QUE INSTITUI O LABORATÓRIO EUROPEU DE BIOLOGIA MOLECULARA

ACORDO QUE INSTITUI O LABORATÓRIO EUROPEU DE BIOLOGIA MOLECULARA Resolução da Assembleia da República n.º 31/98 Acordo Que Institui o Laboratório Europeu de Biologia Molecular, concluído em Genebra em 10 de Maio de 1973, no âmbito do Acordo Relativo à Criação da Conferência

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO RESOLUÇÃO CAS Nº 07 / 2007 De 05 de agosto de 2007 Reformula o Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia, a ser implantado a partir do 2º semestre do ano letivo de 2007. CONSIDERANDO

Leia mais

MEDIADORES TECNOLÓGICOS E FORMAÇÃO DE PROFESSORES. CARTOGRAFIA DE UM CASO FRENTE AOS DESAFIOS NO CONTEXTO AMAZÔNICO

MEDIADORES TECNOLÓGICOS E FORMAÇÃO DE PROFESSORES. CARTOGRAFIA DE UM CASO FRENTE AOS DESAFIOS NO CONTEXTO AMAZÔNICO MEDIADORES TECNOLÓGICOS E FORMAÇÃO DE PROFESSORES. CARTOGRAFIA DE UM CASO FRENTE AOS DESAFIOS NO CONTEXTO AMAZÔNICO Jucimara Canto Gomes, Zeina Rebouças Corrêa Thomé Universidade Federal do Amazonas jucimaracanto@hotmail.com

Leia mais

Regimento de Assembleia de Freguesia Santa Margarida da Coutada CAPÍTULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA. Artigo 1 Natureza e âmbito do mandato

Regimento de Assembleia de Freguesia Santa Margarida da Coutada CAPÍTULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA. Artigo 1 Natureza e âmbito do mandato Regimento de Assembleia de Freguesia Santa Margarida da Coutada CAPÍTULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA Artigo 1 Natureza e âmbito do mandato 1. Os membros da Assembleia de Freguesia representam os habitantes

Leia mais

CRITÉRIOS PARA ACEITAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BOTUCATU

CRITÉRIOS PARA ACEITAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BOTUCATU CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA CRITÉRIOS PARA ACEITAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BOTUCATU (Versão Professor) Botucatu - SP Junho 2015 SUMÁRIO

Leia mais