MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (8ª ICFEx / 1992)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (8ª ICFEx / 1992)"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (8ª ICFEx / 1992) BOLETIM INFORMATIVO N.º 02 (FEV / 2008) FALE COM A 8ª ICFEx Correio Eletrônico: Página Internet: Telefones: Fixo - 0 xx Chefia 0 xx / Geral 0xx /2256 R-27 (Ouvidoria) Error! No index entries found.

2 ÍNDICE ASSUNTO PÁGINA 1ª PARTE Conformidade Contábil... 4 Registro da Conformidade Contábil JAN/ ª PARTE Informações sobre Aprovação de Tomada de Contas Tomadas de Contas Anuais Tomadas de Contas Especiais ª PARTE Orientações Técnicas Modificações de Rotinas de Trabalho... 5 a. Execução Orçamentária...5 b. Execução Financeira...5 1) vinculação de ND/Subitem não tabelados...5 2) vinculação de ND/Subitem não tabelados críticas (5668 e 5679)...5 a. Execução Contábil...6 1) Contas Contábeis...6 a) Modificação no roteiro contábil de evento da dedução DAR...6 b) Dicas para retificar uma RA incorreta...6 2) Patrimônio...6 Nada a considerar...6 3) Custos...6 d. Execução de Licitações e Contratos...6 e. Pessoal...6 1) NOTA INFORMATIVA Nº 001 /CPEx, de 17 Jan 08 Bloqueio e reversão de pagamento...6 2) Abertura de contas correntes para EV no Banco do Brasil....6 f. Controle Interno...7 1) Consultas ao sistema SEF...7 2) Prazo para guarda e conservação de Documentos de Prestação e Tomada de Contas...7 3) Plano anual das Atividades de Auditoria/2008 da 8ª ICFEx (Unidades de sede) publicado no Bol Interno Nr SEF, de 21 Fev Recomendações sobre prazos... 7 Certificação Digital - A/2-SEF Soluções de Consultas Atualização da Legislação, das Normas, dos Sistemas Corporativos e das orientações para as UG... 8 a. Legislações e Atos Normativos...8 b. Sistemas Corporativos...9 Sistema de medição do SIRE produtividade...9 c. Orientações...9

3 1) Msg SIAFI...9 Cartão de pagamento do Governo Federal (CPGF) - D Cont...9 Modelo de ofício de encaminhamento à JIS/JISG...9 Solicitação de alteração de teto FUNADOM...9 Disponibilidade comprovante de rendimentos pagos (CRP)...9 amento de pessoal civil...9 UG com encargos de pagamento de pessoal civil...9 Rol dos responsáveis...9 Rol dos responsáveis...9 Dicas para retificar uma RA incorreta...9 vinculação de ND/Subitem não tabelados críticas (5668 e 5679)...9 2) Msg SIASG ) Rol dos responsáveis ª PARTE Assuntos Gerais Informações do tipo "VOCÊ SABIA...? " ANEXO A Of nº 031 Asse Jur 08 (A1/SEF) - Circular, de 11 Fev 08, da SEF...13 ANEXO B Prazo para guarda e conservação de Documentos de Prestação e Tomada de Contas...15 ANEXO C NOTA INFORMATIVA Nº 001 /CPEX, DE 17 JAN 08 - BLOQUEIO E REVERSÃO DE VALORES...16 ANEXO D PORTARIA N o 002-SEF, DE 27 DE FEVEREIRO DE

4 4 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO 8ª ICFEx (1982) Registro da Conformidade Contábil JAN/2008 1ª PARTE Conformidade Contábil Em cumprimento às disposições da Coordenação-Geral de Contabilidade da Secretaria do Tesouro Nacional (CCONT/STN), que regulam os prazos, os procedimentos, as atribuições e as responsabilidades para a realização da conformidade contábil das Unidades Gestoras (UG) vinculadas, esta Inspetoria registrou, no SIAFI, a conformidade contábil para certificar os registros contábeis efetuados em função da entrada de dados no Sistema, no mês de JANEIRO de Encontra(m)-se COM RESTRIÇÃO a(s) seguinte(s) UG: Código da UG Nome da UG Batalhão de Caçadores 2ª PARTE Informações sobre Aprovação de Tomada de Contas 1. Tomadas de Contas Anuais Esta Setorial Contábil recebeu o ofício n 032 SCCR/D Aud, de 28 Jan 08, informando sobre a aprovação pelo Tribunal de Contas da União de processos de TCA, como regulares e sem restrição, referente às contas do exercício de 2005 das UG a seguir, dando quitação plena aos responsáveis, de acordo com os pareceres emitidos nos autos: UG Sede Acórdão Ata Data da sessão do TCU N do processo Hospital de Guarnição de Marabá-PA 3848/ /2007 4/12/ / Marabá CFAP / 34 BIS Macapá-AP 3852/ /2007 4/12/ / Em conseqüência, os OD das UG mencionadas deverão observar atentamente o contido no Of nº 079 A/2 - SEF, de 17 Ago 06, quanto aos critérios para incineração de documentos. 2. Tomadas de Contas Especiais - Nada a considerar.

5 5 3ª PARTE Orientações Técnicas 1. Modificações de Rotinas de Trabalho a. Execução Orçamentária - Nada a considerar b. Execução Financeira 1) vinculação de ND/Subitem não tabelados (Msg SIAFI 2008/ , de 12 Fev 08, da D Cont) Assunto: Msg Nr 003-S/3 D Cont - vinculação de ND/Subitem não tabelados Do: Diretor de Contabilidade Ao: Sr Ordenador de Despesa "SENHORES USUÁRIOS Retransmissão da Msg nº 2008/ DLSG/SIASG/DF, DE 28 Jan 08 Comunicamos que, caso ocorram críticas no SIASG "(5668) ND/subitem não tabelados"e" (5679) não foi informado subitem para o item da licitação", para análise das ref críticas, é necessário informar à UASG , os seguintes dados, quando se tratar críticas p/ emissão de NE de serviço: 1) ND/subitem a serem vinculados; 2) código do serviço objeto da licitação e constante do CATSER; 3) se pagamento despesa será efetuado à pessoa física ou jurídica; 4) se trata pagamento de exercício corrente ou exercícios anteriores; 5) dados licitação (n convite, dispensa, pregão etc e ano realização);e 6) telefone / responsável pelo setor orçamento e financeiro da UASG para possível contato. Informamos, ainda, que as ref críticas foram liberadas para material. Atenciosamente, Gerência Operacional do SIASG/DLSG/SLTI/MP Brasilia-DF, 12 de fevereiro de Gen Div Marcio Rosendo de Melo Diretor de Contabilidade 2) vinculação de ND/Subitem não tabelados críticas (5668 e 5679) (Msg SIAFI 2008/ , de 28 Fev 08, D Cont)

6 a. Execução Contábil 1) Contas Contábeis a) Modificação no roteiro contábil de evento da dedução DAR. 6 (Transcrição da Msg SIAFI n 2008/ , de 14/02/08 - Coordenação Geral de Contabilidade) Assunto: Modificação no roteiro contábil de evento da dedução DAR. A Coordenação-geral de Contabilidade - CCONT, da STN, informa que devido a uma modificação no roteiro contábil do evento , que trabalha como complementar do evento na dedução DAR, várias UG têm apresentado, ao tentar realizar os documentos gerados até a data de 17 de janeiro de 2008 às 16h26, a crítica "documentos com valores incorretos e/ou incompletos". Para solução desse problema as UG deverão fazer uma NL com o evento e, depois disso, realizar os compromissos. b) Dicas para retificar uma RA incorreta 2) Patrimônio Nada a considerar 3) Custos Nada a considerar d. Execução de Licitações e Contratos - Nada a considerar Atenciosamente, CCONT/STN 14 de fevereiro de (Msg SIAFI n 2008/ , de 26 Fev 08 STN/CONFIN/GEARE) e. Pessoal 1) NOTA INFORMATIVA Nº 001 /CPEx, de 17 Jan 08 Bloqueio e reversão de pagamento 2) Abertura de contas correntes para EV no Banco do Brasil. (Transcrição Msg SIAFI nº 2008/ SEF, de 27/02/08) Do Chefe do Centro de amento do Exército Aos Sr Ordenadores de Despesas Assunto: Abertura de contas correntes para EV no Banco do Brasil. 1. Versa a presente sobre utilização do aplicativo (auto-atendimento setor público) para abertura de conta corrente para pagamento do efetivo variável. 2. As OM que desejarem ativar a senha de seus operadores deverão remeter a este Centro as informações pessoais do operador (nome completo, posto/graduação, função, chave de acesso). Caso seja o primeiro acesso, desconsiderar a chave de acesso. 3. Aqueles OD que optarem pela utilização do aplicativo, deverão solicitar a agência do Banco do Brasil de seu interesse para que efetue a instalação do aplicativo em um computador solicitando, posteriormente, o cadastramento

7 7 de operadores e a emissão de uma chave de acesso ao CPEX, que somente poderá ser utilizada para a abertura de contas. Após o envio da chave de acesso, a OM enviará para o CPEX uma senha de quatro dígitos para cadastramento do computador. f. Controle Interno Brasília, DF, 26 de fevereiro de 2008 José Orlando Ribeiro Cardoso - Cel Chefe Interino do CPEX 1) Consultas ao sistema SEF anexo A 2) Prazo para guarda e conservação de Documentos de Prestação e Tomada de Contas anexo B 3) Plano anual das Atividades de Auditoria/2008 da 8ª ICFEx (Unidades de sede) publicado no Bol Interno Nr SEF, de 21 Fev 08. UG Local Período Início Fim Pq R Mnt/8 Belém-PA 29 Abr Abr 08 8 D Sup Belém-PA 13 maio maio 08 Cmdo 8ª RM/8ªDE Belém-PA 19 maio maio 08 HGeBe Belém-PA 10 Jun Jun CSM Belém-PA 30 Jun Jun 08 2 BIS Belém-PA 12 Ago Ago 08 8 D Sup Belém-PA 01 Out Out 08 HGeBe Belém-PA 22 Out Out 08 Cmdo 8ª RM/8ªDE Belém-PA 04 Nov Nov Recomendações sobre prazos Certificação Digital - A/2-SEF (Transcrição da Msg SIAFI n 2008/ , de 20 Fev 08, SEF) Do: Subsecretário de Economia e Finanças Aos: Chefes de ICFEX Referência: Msg /DLSG/SIASG/DF, de 18 Fev Informo a essa Chefia que a Secretaria de Logística da Informação - SLTI, por intermédio do Departamento de Logística e Serviços Gerais-DLSG, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão- MPOG, está dando continuidade ao processo de certificação digital dos usuários do COMPRASNET (Pregoeiro e ordenadores de despesas), os quais só poderão operar e homologar pregão eletrônico por meio da referida certificação com a utilização do dispositivo TOKEN, que será retirado junto ao SERPRO. 2. Já foram certificados os usuários das cidades de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. 3. De acordo com a mensagem citada na referência, o cronograma previsto pela SLTI/DLSG para certificação conjunta dos sistemas das das capitais das regiões abaixo é o seguinte: - região Sudeste: 15 Mar 08; - região Sul e Centro-Oeste - 02 Abr 08; - região Norte e Nordeste - 02 maio 08; e - aos usuários de órgãos localizados nas cidades do interior do país, o prazo final é 31 Jul 08.

8 8 4. Em função do exposto, solicito a essa Chefia informar aos OD das UG vinculadas que o manual de certificação para Pregoeiros e Ordenadores de Despesas encontra-se disponível no banner - CERTIFICAÇÃO DIGITAL-, na página inicial do COMPRASNET, e contém os procedimentos para obtenção do certificado; a relação de documentos necessários; e as informações sobre os contatos a serem mantidos com o SERPRO local. Brasília - DF, 20 de fevereiro de Gen Div Sebastião Peçanha Subsecretário de Economia e Finanças Em conseqüência, esta ICFEx recomenda que os Srs OD e pregoeiros das UG vinculadas compareçam até o SERPRO PA (Av.perimetral da ciência n 2010 bairro terra firme), até 02 maio 08 (UG da sede) e 31 Jul 08 (UG fora de sede), munidos dos seguintes documentos: - 02 fotos 3x4 recente; - 02 cópias da carteira de identidade + original; - 02 cópias do titulo de eleitor + original; - 02 cópias do PIS/PASEP; - 02 cópias comprovante de residência; e - 02 cópias cadastro pessoa física (CPF) + original. Deve-se informar, também, o Institucional da UG. 3. Soluções de Consultas - Nada a considerar. 4. Atualização da Legislação, das Normas, dos Sistemas Corporativos e das orientações para as UG. a. Legislações e Atos Normativos Assunto Onde encontrar Observações Decreto 6.370, de Altera os Decretos nos 5.355, de 25 de janeiro de 2005, que dispõe sobre a utilização do Cartão de amento do Governo Federal - CPGF, e , de 23 de dezembro de 1986, que dispõe sobre a unificação dos recursos de caixa do Tesouro Nacional, atualiza e consolida a legislação pertinente, e determina o encerramento das contas bancárias destinadas à movimentação de suprimentos de fundos. Portaria 014 Cmt Ex, de Altera dispositivos das Normas para Aplicação do Plano de Assistência Pré-Escolar do Exército (PAPEEX), para os militares, aprovadas pela Portaria do Comandante do Exército nº 566, de Portaria Normativa 051 MD, de Delegação de competência para emitir a autorização de cessão de uso para atividade de apoio dos bens imóveis da União Federal sujeitos à administração militar. Ato /2008/Decreto/D6370.htm fex/s2/legislacao.htm fex/s2/normas/port_051md,de15jan2 008-delega_comp_cessao_uso.html Tomar conhecimento Tomar conhecimento Tomar conhecimento

9 9 Assunto Onde encontrar Observações PORTARIA N o 002-SEF, DE 27 DE FEVEREIRO DE Dispõe Sobre a Utilização do Cartão de amento do Governo Federal, no Âmbito do Comando do Exército. b. Sistemas Corporativos Sistema de medição do SIRE produtividade r/icfex/s3/php/normas3.php?tipo=p ORT&nr=2&data= Anexo D (Transcrição Msg SIAFI n 2008/ , de 19 Fev 08 DIORFA/DGP) Assunto: Sistema de medição do SIRE - produtividade Do Ch DIORFA/DGP Ao Srs Ordenadores de Despesas Assunto: Sistema de medição do SIRE - produtividade Tomar conhecimento Informo que os médicos e dentistas que realizam atendimento deverão ser mantidos ativos no SIRE durante afastamentos temporários com prazo inferior a 30 dias. Caso essa UG não utilize o SIRE favor desconsiderar esta mensagem. Elói Lázaro de Paula-Cel Ch DIORFA/DGP c. Orientações 1) Msg SIAFI N Msg Data Emissor Assunto 2008/ Fev 08 D Cont Cartão de pagamento do Governo Federal (CPGF) - D Cont 2008/ Fev 08 DIORFA/DGP Modelo de ofício de encaminhamento à JIS/JISG 2008/ Fev 08 DGO Solicitação de alteração de teto FUNADOM 2008/ Fev 08 CPEx Disponibilidade comprovante de rendimentos pagos (CRP) 2008/ Fev 08 CPEx amento de pessoal civil 2008/ Fev 08 CPEx UG com encargos de pagamento de pessoal civil 2008/ Fev 08 SEF Rol dos responsáveis 2008/ Fev 08 SEF Rol dos responsáveis 2008/ Fev 08 STN/CONFIN/GEARE Dicas para retificar uma RA incorreta 2008/ Fev 08 D Cont 2) Msg SIASG vinculação de ND/Subitem não tabelados críticas (5668 e 5679) N Msg Data Emissor Assunto

10 10 N Msg Data Emissor Assunto Obs: Os documentos acima relacionados devem estar arquivados em ordem cronológica, com visto do OD e do chefe da seção interessada. 3) Rol dos responsáveis. Encontra-se disponível no sítio desta Inspetoria o ROTEIRO para o Rol dos responsáveis/2008. endereço: 1. Informações do tipo "VOCÊ SABIA...? " 4ª PARTE Assuntos Gerais PESSOAL - Que por intermédio da Nota Informativa nº 001, de 17 Jan 08, o CPEx estabeleceu uma nova rotina para o bloqueio e reversão de valores (pagamento de militares e civis da ativa, na inatividade e de pensionistas civis e militares) junto às instituições financeiras? SUPRIMENTO DE FUNDOS - Que, a partir do dia 03 Mar 08, os Ordenadores de Despesas não poderão mais conceder suprimentos de fundos em conta bancária, e que as UG deverão aguardar orientações da SEF sobre a utilização do Cartão de amento do Governo Federal? CERTIFICAÇÃO DIGITAL - Que os Ordenadores de Despesa e os Pregoeiros das UG vinculadas deverão procurar os escritórios ou agências regionais do SERPRO para obtenção da certificação digital, obrigatória para operar e homologar pregão eletrônico, com a utilização do dispositivo token? - Que, antes do OD ou pregoeiro dirigir-se à agência ou escritório do SERPRO, deverá ser realizado contato para fim de agendamento? - Que o processo de certificação digital do OD e pregoeiro de UG situadas nas capitais: Belém, Macapá e São Luís deverá ocorrer até 02 Maio 08? Que para os agentes de UG do interior, o prazo é até 31 Jul 08? Que os agentes que não atenderem os prazos estabelecidos poderão ficar prejudicados no acesso ao Comprasnet? - Que o agendamento para a obtenção da Certificação Digital na Regional Belém poderá ser realizado por intermédio dos telefones e (falar com a Srª Edinéia Macedo)? - Que, na página desta Setorial (sítio link Destaques), constam orientações sobre a Certificação Digital, tais como: orientações básicas, instalação da cadeia de certificados e manuais (Uso do Certificado Digital do Pregoeiro, Certificação Digital Passo a Passo e Usando o Token em Outros Computadores)? - Que os endereços dos escritórios ou regional SERPRO nas capitais que possuem UG vinculadas a esta Setorial são os seguintes: - Regional Belém PA - Av. Perimetral da Ciência, nº Terra Firme CEP: , - Escritório de Macapá AP - Av. Iracema Carvão Nunes, 93 - Bairro Centro CEP , e - Escritório de São Luiz MA - Rua Grande, n.º Canto da Fabril? ROL DOS RESPONSÁVEIS (NOVA METODOLOGIA) - Que as transações do Módulo Rol dos Responsáveis são: ATUAGENTE (Atualiza Agente Responsável); ATUCOMPNAT (Atualiza Complemento de Natureza); ATUNATRESP (Atualiza Natureza); CONAGENTE (Consulta Agente Responsável);

11 11 CONCOMPNAT (Consulta Complemento de Natureza); CONEFETGES (Consulta Efetiva Gestão) e CONNATRESP (Consulta Natureza)? - Que os dados dos agentes continuam sendo lançados por meio das transações ATUAGENTE e CONAGENTE, com as opções de inclusão, alteração, listagem, detalhamento, histórico e consulta da efetiva gestão? - Que os novos códigos de natureza para Encarregado do Setor Financeiro, Fiscal Administrativo e Encarregado do Setor de Pessoal são 138, 306 e 342, respectivamente? - Que deverá ser observado as orientações a seguir, quando da inserção dos dados no Rol dos Responsáveis: 1) não pode haver sobreposição de períodos de gestão; 2) o período de gestão deve estar contido no período de responsabilidade do agente (titular, substituto ou interino); 3) a data final do período de responsabilidade deve ser a data de exoneração menos um; 4) caso não haja data de exoneração, o final do período de responsabilidade deve ficar em branco; 5) caso a data de designação seja igual à data de exoneração, o período de responsabilidade deve iniciar e terminar nesta data; 6) para a mesma UG/gestão, natureza e seqüêncial não pode haver mais de um titular, um substituto e um interino designado ao mesmo tempo, observando que a data de exoneração de um agente pode coincidir com a data de nomeação de outro; 7) são obrigatórios os campos Unidade Gestora, gestão, CPF do agente, natureza de responsabilidade, seqüêncial, tipo, documento de designação, data de designação, nome do cargo ou função, documento de exoneração/dispensa e data de exoneração/dispensa; 8) não há obrigatoriedade de preenchimento dos campos "data DOU designação" e "data DOU exoneração/dispensa"; e 9) as atualizações processadas pela transação "ATUEFETGES" estão disponíveis por meio da transação "CONEFETGES", a qual permite verificar na tela o "rol de responsáveis", bem como a sua impressão. - Que está Setorial disponibilizou, na sua página eletrônica (sítio o novo roteiro do Rol dos Responsáveis 2008? SISCUSTOS - Que o SISCUSTOS será implantado em todas as OM do Exército Brasileiro. Até 31 Maio 08, nas OM sediadas na Guarnição de Belém e, até 31 Dez 08, nas demais OM vinculadas a esta Setorial? - Que um dos sistemas que alimentam o SISCUSTOS é o SIMATEx? Que a importância das OM estarem com seus materiais (permanente e consumo) 100% implantados? - Que o Gestor de Custos é o responsável pela orientação, coordenação e fiscalização dos dados de custeio da OM? Que produz informações gerenciais, as apresenta ao tomador de decisão da OM e cadastra os operadores do Sistema? Que preferencialmente, deverá ser o Fiscal Administrativo da OM? - Que o Operador do SISCUSTOS é o responsável pelo lançamento dos dados de custeio no Sistema? FÓRUM - Que encontra-se disponível no sítio da 8ª ICFEx ( um fórum que tem por finalidade ampliar o debate sobre temas relacionados à atividade econômico-financeira desenvolvida no âmbito do Exército Brasileiro. SÉRGIO ALBERTO FELIPE PESSÔA Cel Int

12 12 Confere com o original RAIMUNDO WILTON CHAVES CRUZ Maj Subchefe da 8ª ICFEx

13 13 ANEXO A Of nº 031 Asse Jur 08 (A1/SEF) - Circular, de 11 Fev 08, da SEF

14 14

15 15 ANEXO B Prazo para guarda e conservação de Documentos de Prestação e Tomada de Contas Acórdão 78/2008 Plenário 1. Processo TC n / Grupo I / Classe III / Plenário 3. Interessado: Sebastião Eurípedes Rodrigues - Secretário de Controle Interno 4.Órgão: Secretaria de Controle Interno do Ministério da Defesa 5.Relator Ministro Benjamin Zymler 6. Representante do Ministério Público: não atuou 7. Unidade Técnica SECEX-3-3ª Secretaria de Controle Externo 8. Advogados constituídos nos autos: não consta 9. Acórdão: Vistos, relatados e discutidos estes autos de consulta formulada pelo Secretário de Controle Interno do Ministério da Defesa, segundo o qual existe uma aparente contrariedade entre as Instruções Normativas TCU nº 49/2005 e nº 47/2004, o Decreto nº /1986 e a Instrução Normativa STN nº 5/1996, especificamente no que concerne ao prazo de conservação de documentos. ACORDAM os Ministros do Tribunal de Contas da União, reunidos em Sessão do Plenário, ante as razões expostas pelo Relator, em: 9.1. não conhecer da consulta em tela nos termos do art. 265 do Regimento Interno desta Corte de Contas; 9.2. informar ao Sr. Sebastião Eurípedes Rodrigues, Secretário de Controle Interno do Ministério da Defesa, que: as Instruções Normativas TCU nº 49/2005 e nº 47/2004, o Decreto nº /1986 e a Instrução Normativa STN nº 5/1996 regulam situações diversas, uma vez que a primeira norma dispõe sobre as fiscalizações realizadas por este Tribunal enquanto as demais normas abordam as prestações e tomadas de contas. Assim sendo, esses normativos possuem um caráter complementar, não contraditório; o prazo para guarda e conservação de documentos que tiverem sido analisados pelo Tribunal de Contas da União para fins de julgamento de contas anuais é de cinco anos, contados da data da decisão definitiva sobre essas contas proferida pelo TCU. Até porque esse é o prazo estabelecido para interposição de eventual recurso de revisão no âmbito da Corte de Contas; documentos que não tiverem sido analisados pelo TCU, por exemplo, aqueles que se referirem a receitas percebidas ou despesas efetuadas por quem não presta contas ordinárias ao Tribunal, deverão ser guardados por dez anos, contados da data de recebimento ou de aplicação dos recursos, respectivamente. 10. Ata Nr 2/ Data da sessão: 30/1/2008 Ordinária 12. Código eletrônico para localização na página do TCU na internet: AC /08-P 13. Especificação do quorum: Ministros presentes: Ubiratan Aguiar (na Presidência), Valmir Campelo, Guilherme Palmeira, Benjamin Zymler (Relator), Aroldo Cedraz e Raimundo Carreiro Auditor convocado: Marcos Bemquerer Costa.

16 16 ANEXO C NOTA INFORMATIVA Nº 001 /CPEX, DE 17 JAN 08 - BLOQUEIO E REVERSÃO DE VALORES MILITARES DA ATIVA, NA INATIVIDADE E PENSIONISTAS MILITARES 1. FINALIDADE A presente Nota Informativa tem por finalidade regular os procedimentos relativos a bloqueio e reversão de valores junto às instituições bancárias, por motivo de óbito e/ou cessação de direitos de militares da ativa, na inatividade e de pensionistas. 2. REFERÊNCIAS a. Decreto nº , de 12 de janeiro de 1990, que aprova o Regulamento de Administração do Exército (RAE). b. Portaria nº 005/SEF, de 22 de novembro de 2000, que orienta quanto a reversão de valores. c. Portaria nº 008/SEF, de 23 de dezembro de 2003, que aprova as Normas para Apuração de Irregularidades Administrativas. d. Nota Informativa nº 326/CPEx, de 31 de agosto de 2004, que regula os procedimentos em caso de óbito. e. Nota Informativa nº 333/CPEx, de 03 de agosto de 2006, que regula o Ajuste de Contas (restituição de valores por óbito ou cessação de direitos) de militares da ativa, da inatividade e de pensionistas militares. 3. OBJETIVO a. Bloquear os valores a serem depositados nas instituições bancárias, verificados após o pronto do pagamento, em decorrência de óbito ou cessação de direitos de militares da ativa, na inatividade e de pensionistas. b. Reverter aos cofres públicos os valores bloqueados. 4. CONCEITUAÇÃO Cessação de Direito: interrupção do pagamento da remuneração, proventos, pensão ou de algum benefício concedido ao militar da ativa, na inatividade ou de pensionista militar, em decorrência da perda do direito que o originou o referido pagamento. Poderá ser: por óbito, por decisão judicial, por alteração de cotas de pensão, por extinção de pensão implantada com data limite (maioridade), por erro de processamento do Sistema Automático de amento de Pessoal (SIAPPES) ou por outros casos que assim se assemelharem. 5. CONDIÇÕES DE EXECUÇÃO Os Ordenadores de Despesas deverão adotar os seguintes procedimentos, ao formalizarem a solicitação de reversão e/ou bloqueio de pagamento: a.antes do depósito do pagamento na conta-corrente: A UG solicitará o bloqueio total do pagamento por meio de ofício (Anexo l) à instituição financeira. Esta deverá devolver os valores diretamente ao CPEx.

17 17 b. efetuado o depósito do pagamento em conta-corrente: l) em caso de falecimento de militar da ativa, na inatividade e pensionista militar: A UG deverá encaminhar à agência bancária do correntista um ofício com a cópia da certidão de óbito do de cujus e com dados para preenchimento da GRU para o recolhimento à OM/OP de vinculação. 2) em caso de decisão judicial: A UG deverá encaminhar à agência bancária do correntista um ofício com a cópia da decisão judicial e com dados da GRU para o recolhimento dos valores à OM/OP de vinculação. 3) em caso de alteração de contas de pensão, por extinção de pensão implantada com data limite (maioridade), por erro de processamento da UG, do Sistema Automático de amento de Pessoal (SIAPPES) ou outros casos que assim se assemelharem. A UG deverá encaminhar à agência bancária do correntista um oficio com a anuência do militar da ativa, inatividade ou da pensionista militar autorizando a reversão total ou parcial do valor do pagamento indevido efetuado em sua conta-corrente e os dados da GRU para o recolhimento à OM/OP de vinculação. Todas as solicitações de reversão bancária, efetuadas pelo Ordenador de Despesas (OD) deverão ser por documento oficial (modelo Anexo 2). O OD/UA tem autonomia para solicitar a reversão de valores a serem creditados junto às agências bancárias dos militares da ativa, na inatividade e de pensionistas militares, pelos motivos citados no item 5 desta NI. Por motivos contábeis, as instituições bancárias não bloqueiam valor parcial, devendo os OD solicitarem a totalidade do valor a ser bloqueado. A agência bancária que receber a solicitação de bloqueio deverá providenciar o recolhimento de imediato ao CPEx e ao recebe solicitação de reversão deverá providenciar o recolhimento à OM. 6. ATRIBUIÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MILITARES (OM) Seção de amento de Pessoal Preparar ofício de solicitação de bloqueio ou reversão do valor repassado diretamente do OD à instituição financeira, observando os anexos 1 e 2 desta NI. Caso o valor do ajuste de contas a ser revertido, calculado de acordo com o prescrito na NI nº 333/CPEx, de 3 Ago 06, seja maior que o valor creditado no banco entrar em contato com o militar da ativa, na inatividade ou pensionista militar para o mesmo assinar um documento de anuência para a instituição bancária reverter o valor em sua totalidade. Manter o controle efetivo sobre as reversões e/ou bloqueios pelos bancos, especificando Nome, PREC/CP, CPF, data de óbito/cessação de direito e valor do documento recebido pelo banco. Encaminhar, mensalmente, relatório específico ao Setor de Finanças do Órgão ador, identificando, o PREC/CP, CPF, nome, valores e mês do pagamento de referência das devoluções no período considerado, em função das respostas dos bancos.

18 18 5) Executar todos os procedimentos de ajuste de contas previstos nesta NI no tocante ao Formulário de Alteração de Ficha Financeira (FAFF), visando a rapidez no processamento deste, de forma a atualizar a ficha financeira. Do Setor de Finanças Elaborar a Programação Financeira (PF), conforme as orientações abaixo: As devoluções ao CPEx deverão ser efetuadas de forma individualizada, estando proibida a elaboração de PF restituindo valores correspondentes a mais de uma pessoa, para os casos específicos de reversão, devendo constar na mesma o nome do militar da ativa (na inatividade ou pensionista), o Prec/CP, o CPF, o motivo da reversão, a data do óbito/cessação de direito, o valor e o mês de pagamento. 7. PRESCRIÇÕES DIVERSAS O Ordenador de Despesas é o responsável por todas as atividades descritas nesta NI, devendo envidar esforços no sentido de evitar prejuízos ao erário. A OM ou OP, de posse do valor revertido pelo banco, deverá confeccionar e remeter ao CPEx o processo de ajuste de contas, de acordo com o prescrito na NI mº 333/CPEx, de 03 Ago 06. Esta Nota Informativa entra em vigor na data de sua publicação. 8. ANEXOS Anexo 01 Modelo de ofício de Reversão. Anexo 02 Modelo de ofício de Bloqueio. Brasília, DF, 17 de janeiro de Gen Bda LEANDRO SOUZA DE ALCÂNTARA Chefe do Centro de amento do Exército

19 19 ANEXO 01 - NOTA INFORMATIVA Nº 001 /CPEx, de 17 Jan 08 Senhor Gerente, MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO Versa o presente expediente sobre bloqueio total de valores pagos pelo Centro de amento do Exército (CPEx) a correntista dessa agência. Em conformidade com o convênio estabelecido entre essa Instituição Financeira e o Centro de amento do Exército (CPEx), solicito a V. Sa. as providências no sentido de reverter (totalmente ou parcialmente) a importância referente ao (à) correntista abaixo discriminado (a) e restituir por intermédio da Guia de Recolhimento da União (GRU), com as seguintes características: Unidade favorecida (código): 16xxxx - xxxxxxxxxxxxxxx Gestão: Tesouro Recolhimento (código): Informo a V. Sa. que o (s) crédito(s) a ser (em) bloqueado (s) é (são) referentes(s) ao valor creditado posterior ao óbito/decisão judicial/cessação de direito do beneficiário ou por erro administrativo em favor do correntista (a) abaixo especificado, conforme comprovado com a documentação em anexo (certidão de óbito/ decisão judicial/ termo de anuência assinado pelo correntista autorizando a reversão e a publicação que formalizou a cessação de direito).. CPF NOME BANCO AGÊNCIA C/C VALOR (R$) Atenciosamente (nome e posto) OM do OD A Sua Senhoria o (a) Senhor (a) Gerente do Banco Agência Cidade/UF

20 20 ANEXO 02 - NOTA INFORMATIVA Nº 001 /CPEx, de 17 Jan 08 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO Senhor Gerente, Versa o presente expediente sobre bloqueio total de valores pagos pelo Centro de amento do Exército (CPEx) a correntista dessa agência. 2. Em conformidade com o convênio estabelecido entre essa Instituição Financeira e o Centro de amento do Exército (CPEx), solicito a V. Sa as providências no sentido de bloquear totalidade a importância referente ao (à) correntista abaixo discriminado (a) e restituir diretamente ao CPEx. Informo a V. Sa. que o (s) crédito (s) a ser (em) bloqueado (s) é (são) referente (s) ao valor creditado posterior ao óbito/decisão judicial/cessação de direito do beneficiário ou por erro administrativo em favor do correntista abaixo especificado, conforme comprovado com a documentação em anexo (certidão de óbito/ decisão judicial/ termo de anuência assinado pelo correntista autorizando a reversão e a publicação que formalizou a cessação de direito). CPF NOME C/C VALOR (R$) Atenciosamente, (nome e posto) OM do OD OM do OD A Sua Senhoria o (a) Senhor (a) Gerente do Banco Agência Cidade/UF

21 ANEXO D 21 PORTARIA N o 002-SEF, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2008 Dispõe Sobre a Utilização do Cartão de amento do Governo Federal, no Âmbito do Comando do Exército. O SECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 117 das Instruções Gerais para a Correspondência, as Publicações e os Atos Normativos no Âmbito do Exército (IG 10-42), aprovadas pela Portaria n o 041, de 18 de fevereiro de 2002, e o inciso IX do art. 4 o do Regulamento da Secretaria de Economia e Finanças, aprovado pela Portaria n o 15, de 16 de janeiro de 2004, ambas portarias do Comandante do Exército, resolve: Art. 1 o Dispor, em caráter provisório, no âmbito do Comando do Exército, sobre a utilização, pelas Unidades Gestoras (UG), do Cartão de amento do Governo Federal (CPGF) de que tratam o Decreto n o 5.355, de 25 de janeiro de 2005, o Decreto n o 6.370, de 01 de fevereiro de 2008, e a Portaria n o 41, de 04 de março de 2005, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), até que o Ministério da Defesa normatize o assunto, com fulcro nas situações de excepcionalidade para a concessão de suprimento de fundos de que tratam os art. 45 a 47 do Decreto n o , de 26 de dezembro de Parágrafo único. Além da supracitada legislação as UG devem observar as disposições contidas na Macrofunção do Manual SIAFI, disponibilizado e atualizado pela Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda Art. 2 o Está autorizada a utilização do CPGF na Unidade Orçamentária (UO) Comando do Exército, Órgão Parágrafo único. A utilização do CPGF na UO Fundo do Exército (F Ex), Órgão 52904, não está permitida, até que sejam solucionadas as questões operacionais existentes junto ao Banco do Brasil (BB) e à Coordenação-Geral de Contabilidade da Secretaria do Tesouro Nacional (CCONT/STN). Art. 3 o As UG, na utilização do CPGF, deverão, previamente, iniciar o respectivo processo administrativo e comparecer na agência do Banco do Brasil S/A de seu domicílio bancário para firmar o Termo de Adesão ao contrato celebrado entre o MPOG e a instituição financeira autorizada. Art. 4 o O Ordenador de Despesa (OD) é a autoridade competente para decidir as situações em que será utilizado o CPGF e indicar o (s) portador(es) desse instrumento de pagamento, não podendo ser o próprio OD, dentro das condições estabelecidas na legislação específica em vigor e nas disposições desta Portaria. Parágrafo Único. O OD é o responsável pelo cumprimento das regras contratuais e demais instruções relativas ao uso do CPGF, bem como pelo pagamento das despesas decorrentes, respeitados os prazos de vencimentos das correspondentes faturas, sem a incidência de acréscimos financeiros resultantes de juros ou de outros encargos, a qualquer título. Art. 5 o O CPGF é o instrumento de pagamento a ser utilizado, para a realização de despesas com suprimentos de fundos, previstos nos decretos citados no art. 1 o e concedidos de acordo com a Portaria Normativa n o 1.403, de 26 de outubro de 2007, do Ministério da Defesa. Art. 6 o Nenhuma despesa poderá ser realizada, por parte do portador do CPGF, além do valor empenhado ou em desacordo com a natureza da despesa específica do objetivo da concessão de suprimento de fundo indicada na respectiva NE, emitida em favor da instituição financeira contratada ou em favor do Agente Suprido, conforme o caso. Art. 7 o O CPGF poderá ser utilizado para realização de despesa nos estabelecimentos afiliados ou, excepcionalmente, para saque de recursos pelo Agente Suprido, quando previsto no ato de concessão do respectivo suprimento de fundos e de acordo com a legislação prevista no art. 1 o.

22 22 Parágrafo 1 o O saque de recursos somente poderá ocorrer, pelo portador do CPGF, se a UG dispuser de limite de saque na vinculação específica de pagamento para esse fim. pela UG. Parágrafo 2 o O valor máximo de saque permitido é de até 30% do total de suprimentos de fundos concedidos Art. 8 o O portador identificado no CPGF é responsável pela sua guarda e utilização, devendo informar, de imediato, ao OD e ao operador do cartão, eventual extravio, roubo ou furto, para solicitação pela UG do bloqueio para o uso do mesmo, além do competente registro, de imediato, no boletim interno da Organização Militar a que pertence. Art. 9 o A concessão dos suprimentos de fundos e a emissão dos CPGF por parte das UG deverão ser acompanhadas, mensalmente, pelas ICFEx de vinculação. Art. 10. A série histórica de despesas e saques realizados mediante o uso de CPGF devem ser detalhados no Relatório de Prestação de Contas Mensal e no Relatório de Gestão, este, relativo ao processo de Tomada Contas Anual (TCA). Art. 11. Os casos omissos na presente Portaria serão solucionados pelo Secretário de Economia e Finanças. Art. 12. Determinar que a presente Portaria entre em vigor na data de sua publicação. Gen Ex FERNANDO SÉRGIO GALVÃO Secretário de Economia e Finanças

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) BOLETIM INFORMATIVO Nº 05 (MAIO / 2014) FALE COM A 11ª

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) FALE COM A 2ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) FALE COM A 2ª ICFEx MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) Correio

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT / 2005

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT / 2005 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) 1ª ICFEx / 20 BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT

Leia mais

PRINCIPAIS IMPROPRIEDADES ENCONTRADAS NOS PROCESSOS DE GERAÇÃO DE DIREITOS, PAGAMENTO DE PESSOAL E EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS

PRINCIPAIS IMPROPRIEDADES ENCONTRADAS NOS PROCESSOS DE GERAÇÃO DE DIREITOS, PAGAMENTO DE PESSOAL E EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO PRINCIPAIS IMPROPRIEDADES ENCONTRADAS NOS PROCESSOS DE GERAÇÃO DE DIREITOS,

Leia mais

COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011

COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011 COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011 Mensagem: 2011/0478560 Emissora 160509 SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANCAS-GESTOR de 09/03/11 as 08:41 por WILLIAMS CARVALHO PESSOA Pag. 01/02 Assunto:

Leia mais

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Banco do Setor público 2 Sumário Introdução 04 Cartão de Pagamento do Governo Federal CPGF 04 Passo a Passo 10 Perguntas e Respostas 12 Legislação I Ementa

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº 06, de 17.2.09 O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO o disposto nos arts.

Leia mais

Portaria nº 008 -SEF, de 23 de Dezembro de 2003

Portaria nº 008 -SEF, de 23 de Dezembro de 2003 Portaria nº 008 -SEF, de 23 de Dezembro de 2003 Aprova as Normas para a Apuração de Irregularidades Administrativas. O SECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS, de acordo com o que prescreve o art. 117 das Instruções

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009. FALE COM A 1ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009. FALE COM A 1ª ICFEx IC MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009 FALE

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012 FALE

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL Departamento de Administração INSTRUÇÃO NORMATIVA DA/PGT Nº 01, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2010.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL Departamento de Administração INSTRUÇÃO NORMATIVA DA/PGT Nº 01, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2010. MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL Departamento de Administração INSTRUÇÃO NORMATIVA DA/PGT Nº 01, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2010. Regulamenta a concessão, aplicação e prestação de contas dos

Leia mais

SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS

SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 017-SEF, DE 25 DE OUTUBRO DE 2006. Aprova as Normas para a Administração das Receitas Geradas pelas Unidades Gestoras. O SECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS,

Leia mais

SUPRIMENTO DE F RIMENTO UNDOS

SUPRIMENTO DE F RIMENTO UNDOS SUPRIMENTO DE FUNDOS - Legislação Oficina 75 ABOP Slide 1 Oficina nº 75 Suprimento de Fundos - Legislação Carga Horária: 4h Conteúdo: 1. Conceito e normatização de suprimento de fundos. Finalidades. Despesas

Leia mais

EXAME DE PAGAMENTO DE PESSOAL

EXAME DE PAGAMENTO DE PESSOAL OBJETIVO APRESENTAR DE FORMA RESUMIDA ALGUNS PROCEDIMENTOS PARA: 1. PAGAMENTO DA ATIVA 2. EXAME DE PAGAMENTO DA ATIVA 3. PRINCIPAIS FALHAS 4. SUGESTÕES SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO II. DESENVOLVIMENTO 1. CONSIDERAÇÕES

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012 10ªICFEx (1ª FASE)

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012 10ªICFEx (1ª FASE) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 10ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012

Leia mais

Gen Ex ERON CARLOS MARQUES Secretário de Economia e Finanças

Gen Ex ERON CARLOS MARQUES Secretário de Economia e Finanças MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DO EXÉRCITO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA N o 046 - SEF, DE 01 DE JULHO DE 2005. Estabelece Normas Complementares para Consignação de Descontos em Folha de Pagamento.

Leia mais

TREINAMENTO NOVO SUBSISTEMA CONTAS A PAGAR E A RECEBER (CPR)

TREINAMENTO NOVO SUBSISTEMA CONTAS A PAGAR E A RECEBER (CPR) MINISTÉRIO DA DEFESA ORDEM DE INSTRUÇÃO n 006 S/1 TREINAMENTO NOVO SUBSISTEMA CONTAS A PAGAR E A RECEBER (CPR) Belém-PA, 14 dez 11 1. FINALIDADE Regular as atividades relativas ao TREINAMENTO DO NOVO SUBSISTEMA

Leia mais

1ª PARTE LEIS E DECRETOS 2ª PARTE ATOS ADMINISTRATIVOS COMANDANTE DO EXÉRCITO

1ª PARTE LEIS E DECRETOS 2ª PARTE ATOS ADMINISTRATIVOS COMANDANTE DO EXÉRCITO 1ª PARTE LEIS E DECRETOS Sem alteração. 2ª PARTE ATOS ADMINISTRATIVOS COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 813, DE 28 DE SETEMBRO DE 2012. Aprova as Normas para a Realização das Atividades de Auditoria e

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nr 06/02

BOLETIM INFORMATIVO Nr 06/02 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO São Paulo, SP, 28 de junho de 2002 BOLETIM INFORMATIVO Nr 06/02 1ª PARTE

Leia mais

DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL PORTARIA Nº 142-DGP, DE 10 DE JULHO DE 2007.

DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL PORTARIA Nº 142-DGP, DE 10 DE JULHO DE 2007. DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL PORTARIA Nº 142-DGP, DE 10 DE JULHO DE 2007. Aprova as Instruções Reguladoras para a Execução da Evacuação e do Traslado de Corpos (IR 30-51). O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2015 - CD

RESOLUÇÃO Nº 02/2015 - CD Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado da Educação e da Cultura - SEEC FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE FUERN Conselho Diretor - CD Rua Almino Afonso, 478 -

Leia mais

PORTARIA N 014, DE 30 DE JUNHO DE 1999

PORTARIA N 014, DE 30 DE JUNHO DE 1999 PORTARIA N 014, DE 30 DE JUNHO DE 1999 Aprova as Instruções Reguladoras para Concessão do Auxílio Transporte no âmbito do Exército Brasileiro (IR 70-21). O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DE SERVIÇOS, no uso

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS ESPECIAL

MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS ESPECIAL Anexo IX MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS ESPECIAL (PARA TOMADAS DE CONTAS ESPECIAIS QUE NÃO TRATEM DE RECURSOS REPASSADOS POR CONVÊNIO OU INSTRUMENTOS CONGÊNERES) RELATÓRIO DE TCE Nº 999/20XX

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE CADASTRAMENTO E HABILITAÇÃO NO SISTEMA SIASG E SIAFI

ORIENTAÇÕES SOBRE CADASTRAMENTO E HABILITAÇÃO NO SISTEMA SIASG E SIAFI Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo ORIENTAÇÕES SOBRE CADASTRAMENTO E HABILITAÇÃO NO SISTEMA SIASG E SIAFI Pró-Reitoria de Administração Diretoria de Finanças Gerência de Contabilidade

Leia mais

Sistema de Concessão de Diárias e Passagens SCDP FAQ PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES

Sistema de Concessão de Diárias e Passagens SCDP FAQ PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistema de Concessão de Diárias e Passagens SCDP FAQ PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Operacionalização - Solicitação de Viagem 1 CADASTRAMENTO DE VIAGEM 1.1 Como reativar uma PCDP já cancelada? 1.2 -

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ 2013)

BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ 2013) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ ) FALE COM

Leia mais

TOMADA DE CONTAS ESPECIAL

TOMADA DE CONTAS ESPECIAL TOMADA DE CONTAS ESPECIAL COMPARATIVO ENTRE A IN TCU Nº 13/1996 E A IN TCU Nº 56/2007 IN TCU Nº 13/1996 IN TCU Nº 56/2007 Art. 1º Diante da omissão no dever de prestar contas, da não comprovação da Aplicação

Leia mais

Art. 2º. Fazer publicar esta Portaria em Boletim de Serviço, revogando-se a Portaria 577/05-R, de 05 de dezembro de 2005.

Art. 2º. Fazer publicar esta Portaria em Boletim de Serviço, revogando-se a Portaria 577/05-R, de 05 de dezembro de 2005. PORTARIA 328/R-06 DE 22 DE JUNHO DE 2006. O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso da competência que lhe foi atribuída pelo artigo 39, inciso XX, do Regimento Geral da UFRN; CONSIDERANDO

Leia mais

Ref.: NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO DE 2009

Ref.: NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO DE 2009 Universidade Federal de Minas Gerais Pro - Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Departamento de Contabilidade e Finanças e-mail: dcf@dcf.ufmg.br Tel. (031) 3409-4102 1 OFÍCIO CIRCULAR DCF 028/2009

Leia mais

Diário Oficial Poder Executivo Estado de São Paulo - Seção I GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN

Diário Oficial Poder Executivo Estado de São Paulo - Seção I GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN Diário Oficial Poder Executivo Estado de São Paulo - Seção I GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN Volume 123 - Número 57 - São Paulo, quarta-feira, 27 de março de 2013 RESOLUÇÃO SEDS 005, DE 26 DE MARÇO DE 2013

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO N.º 02

BOLETIM INFORMATIVO N.º 02 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg/2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO N.º 02 (MAR / 2006) FALE

Leia mais

Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos

Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO - DECEx ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO ADMINISTRATIVO - APA Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos 1)

Leia mais

GRUPO I - CLASSE VII - PLENÁRIO TC-002.612/2015-1 Natureza: Administrativo Interessado: Tribunal de Contas da União

GRUPO I - CLASSE VII - PLENÁRIO TC-002.612/2015-1 Natureza: Administrativo Interessado: Tribunal de Contas da União TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 002.62/205- GRUPO I - CLASSE VII - PLENÁRIO TC-002.62/205- Natureza: Administrativo Interessado: Tribunal de Contas da União SUMÁRIO: ADMINISTRATIVO. PROJETO DE INSTRUÇÃO

Leia mais

Dispõe sobre as instruções de implantação e uso do Crachá Digital no âmbito da Secretaria da Fazenda.

Dispõe sobre as instruções de implantação e uso do Crachá Digital no âmbito da Secretaria da Fazenda. Portaria Conjunta CGA/CPM - 1, de 27-11-2012 Dispõe sobre as instruções de implantação e uso do Crachá Digital no âmbito da Secretaria da Fazenda. Os Coordenadores da Coordenadoria Geral de Administração

Leia mais

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14 Leia-se:...Art. 1º DELEGAR COMPETÊNCIA e as responsabilidades decorrentes ao Superintendente Regional do DNIT nos estados de Goiás e Distrito Federal para Lavrar o Termo Aditivo de Prorrogação de prazo,

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria Federal de Controle Interno

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria Federal de Controle Interno MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria Federal de Controle Interno ORIENTAÇÃO NORMATIVA n.º 02 SFC/MF Em, 21 de dezembro de 2001. Assunto: Orientações técnicas sobre as normas dispostas na Instrução Normativa

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho ATENDIMENTO IT. 14 16 1 / 23 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o atendimento realizado pelo Crea GO ao profissional, empresa e público em geral. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Lei n 5.194 24 de dezembro

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS BOLETIM INFORMATIVO N 02 (Fevereiro 2013) FALE COM A ina Internet: www.5icfex.eb.mil.br Telefones: Fixo Fax 0 xx 41 3323 23 56

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA N 1.095/SAF, DE 03 DE OUTUBRO 2007.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA N 1.095/SAF, DE 03 DE OUTUBRO 2007. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA N 1.095/SAF, DE 03 DE OUTUBRO 2007. Dispõe sobre procedimentos relativos à supervisão, à fiscalização e à gestão dos contratos, convênios e outros ajustes de

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Pró-Reitoria de Recursos Humanos e Assuntos Comunitários

Universidade Estadual de Maringá Pró-Reitoria de Recursos Humanos e Assuntos Comunitários EDITAL N O 08/2007-PRH O PROFESSOR DOUTOR MÁRIO LUIZ NEVES DE AZEVEDO, REITOR EM EXERCÍCIO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ, no uso de suas atribuições estatutárias e regimentais, com base na Lei Complementar

Leia mais

PARECER DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA

PARECER DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA 1/14 PARECER DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA A Unidade de da FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS, em função do disposto no Parágrafo 6º do Artigo 15 do Decreto nº. 3.591, de 06/09/2000 redação que

Leia mais

RÔMULO FEITOSA NAVARRO Presidente

RÔMULO FEITOSA NAVARRO Presidente SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 16/2010 Aprova o II Curso de Especialização em Economia: Economia Política

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 008.130/2009-5

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 008.130/2009-5 GRUPO I CLASSE V Plenário TC-008.130/2009-5. Natureza: Levantamento de Auditoria. Entidade: Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Naturais do Estado do Piauí. Interessado: Congresso Nacional. Advogado

Leia mais

Orientações para Pagamento de Diárias e Prestação de Contas Versão nº 05, 06/04/2011

Orientações para Pagamento de Diárias e Prestação de Contas Versão nº 05, 06/04/2011 Orientações para Pagamento de Diárias e Prestação de Contas Versão nº 05, 06/04/20 Sumário I - REQUISIÇÃO DE DIÁRIA / PAGAMENTO DE DIÁRIA... Solicitante (Servidor que irá realizar a viagem)... Aprovador

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 09/2014

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 09/2014 CONSÓRCIO PÚBLICO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE DO NORTE PIONEIRO RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 09/2014 A Diretoria Administrativa do Consórcio Público Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro -, no uso de suas

Leia mais

CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL

CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL Art. 4º Determinar que as organizações militares atualizem a situação dos militares licenciados no Sistema Eletrônico de Recrutamento Militar (SERMIL), com a finalidade de viabilizar a apresentação do

Leia mais

PORTARIA Nº 11, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2008

PORTARIA Nº 11, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2008 PORTARIA Nº 11, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2008 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO - DENATRAN, no uso das atribuições legais que lhe conferem os incisos I e XII do artigo 19 da Lei nº 9.503, de

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA A EXECUÇÃO FINANCEIRA DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES DO PJERJ

PROCEDIMENTOS PARA A EXECUÇÃO FINANCEIRA DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES DO PJERJ PROCEDIMENTOS PARA A EXECUÇÃO FINANCEIRA DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES DO PJERJ Proposto por: Diretor da Divisão de Acompanhamento das Despesas de Pessoal do Poder Judiciário (DIPJU) Analisado por:

Leia mais

ORDENS BANCÁRIAS ESTADOS E MUNICÍPIOS MANUAL DO USUÁRIO

ORDENS BANCÁRIAS ESTADOS E MUNICÍPIOS MANUAL DO USUÁRIO ORDENS BANCÁRIAS ESTADOS E MUNICÍPIOS MANUAL DO USUÁRIO Ordens Bancárias Estados e Municípios Sumário 1. Introdução... 3 2. Público Alvo... 3 3. Características... 4 3.1. Modalidades e tipos de ordens

Leia mais

Portaria n.º 65, de 28 de janeiro de 2015.

Portaria n.º 65, de 28 de janeiro de 2015. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 65, de 28 de janeiro de 2015. O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02/2014 - FOZPREV DATA: 5 de junho de 2014 SÚMULA: Regulamenta critérios de participação em eventos externos e procedimentos para a utilização de diárias de viagem e passagens custeadas

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica Municipal,

O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica Municipal, DECRETO N.º 060 /2013. REGULAMENTA A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NO MUNICÍPIO DE ARACATI E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe

Leia mais

port 617-2007 - ANVISA - ATENDIMENTO AO PÚBLICO - POLÍTICA - REGRAS

port 617-2007 - ANVISA - ATENDIMENTO AO PÚBLICO - POLÍTICA - REGRAS port 617-2007 - ANVISA - ATENDIMENTO AO PÚBLICO - POLÍTICA - REGRAS PORTARIA ANVISA Nº 617, DE 30 DE AGOSTO DE 2007 DOU 03.09.2007 Dispõe sobre a Política de Atendimento ao Público da Agência Nacional

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SAF N 016 DE 09 DE SETEMBRO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA SAF N 016 DE 09 DE SETEMBRO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA SAF N 016 DE 09 DE SETEMBRO DE 2015 Dispõe sobre a movimentação financeira em Instituições Bancárias pelos Órgãos, Fundos e Entidades da Administração Pública do Poder Executivo Estadual

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004.

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004 Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado, em reunião

Leia mais

SECRETARIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL

SECRETARIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Resolução SEADS - 8, de 5-8-2005 Dispõe sobre as Normas Operacionais Básicas para o Projeto Ação Jovem e dá providências correlatas A Secretária Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social, com fundamento

Leia mais

Portaria Ministerial nº 241, de 13 de março de 1989

Portaria Ministerial nº 241, de 13 de março de 1989 Portaria Ministerial nº 241, de 13 de março de 1989 Normas para registro, movimentação e controle dos recursos oriundos da fonte 050 O MINISTRO DE ESTADO DO EXÉRCITO, de acordo com o artigo 57 das Instruções

Leia mais

Gestão de Suprimento de Fundos

Gestão de Suprimento de Fundos Suporte Institucional MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Gestão de Suprimento de Fundos Esta edição do Manual foi atualizada até 26/06/2014. Ministério Público Federal Procuradoria da República do Rio Grande

Leia mais

Interessados: RESPONSÁVEIS: João Paulo Bastos Hildebrandt e Paulo Macedo de Carvalho Mesquita

Interessados: RESPONSÁVEIS: João Paulo Bastos Hildebrandt e Paulo Macedo de Carvalho Mesquita Tribunal de Contas da União Número do documento: AC-0054-06/99-1 Identidade do documento: Acórdão 54/1999 - Primeira Câmara Ementa: Tomada de Contas. Centro Psiquiátrico Pedro II. Exercício de 1997. Garantias

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012 (1ª FASE)

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012 (1ª FASE) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO 8ª ICFEX (1982) ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO

Leia mais

Considerando a necessidade de promover o efetivo acompanhamento dos contratos de materiais e serviços no âmbito da Administração Pública Estadual;

Considerando a necessidade de promover o efetivo acompanhamento dos contratos de materiais e serviços no âmbito da Administração Pública Estadual; INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 02/SEA - de 25/03/2013 Orienta quanto à utilização do Módulo de Gerenciamento de Contratos do Sistema Integrado de Planejamento e Gestão Fiscal do Estado de Santa Catarina SIGEF

Leia mais

PORTARIA Nº 615, DE 28 DE AGOSTO DE 2012 - DOU de 30/08/2012

PORTARIA Nº 615, DE 28 DE AGOSTO DE 2012 - DOU de 30/08/2012 PORTARIA Nº 615, DE 28 DE AGOSTO DE 2012 - DOU de 30/08/2012 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL SUPERINTENDÊNCIAS REGIONAIS 7ª REGIÃO FISCAL A SUPERINTENDENTE REGIONAL DA RECEITA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COOPERATIVA DE CRÉDITO DE LIVRE ADMISSAO DE ASSOCIADOS DE COLORADO E REGIÃO SICOOB COLORADO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COOPERATIVA DE CRÉDITO DE LIVRE ADMISSAO DE ASSOCIADOS DE COLORADO E REGIÃO SICOOB COLORADO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COOPERATIVA DE CRÉDITO DE LIVRE ADMISSAO DE ASSOCIADOS DE COLORADO E REGIÃO SICOOB COLORADO TÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA FINALIDADE Art. 1º O Conselho de Fiscal é

Leia mais

PORTARIA Nº 146 /2011-DG BRASÍLIA, 16 DE JUNHO DE 2011.

PORTARIA Nº 146 /2011-DG BRASÍLIA, 16 DE JUNHO DE 2011. PORTARIA Nº 146 /2011-DG BRASÍLIA, 16 DE JUNHO DE 2011. DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE INCENTIVO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDO DE IDIOMA ESTRANGEIRO NO ÂMBITO DA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS

Leia mais

Tribunal de Contas da União

Tribunal de Contas da União Tribunal de Contas da União Dados Materiais: Acórdão 271/97 - Segunda Câmara - Ata 16/97 Processo TC nº 012.895/94-6. Responsável: Júlio Maito Filho, Presidente. Entidade: Conselho Regional dos Representantes

Leia mais

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DOS VALES DO SÃO FRANCISCO E DO PARNAÍBA - MI NORMA DE AUDITORIA (NOR-902)

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DOS VALES DO SÃO FRANCISCO E DO PARNAÍBA - MI NORMA DE AUDITORIA (NOR-902) COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DOS VALES DO SÃO FRANCISCO E DO PARNAÍBA Vinculada ao Ministério da Integração Nacional - MI NORMA DE AUDITORIA (NOR-902) FOR-101/01 NORMAS ESPECIAIS CÓDIGO: 900 FOLHA Nº:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/ FNDE/CD/ Nº 044, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Constituição Federal de 1988 artigos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628 LEI N 812 de 12 de maio de 2014. Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e, a Ferramenta de Declaração Eletrônica de Serviços - DES, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPIMIRIM,,

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA

MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA Versão.0 Sistema de Controle de Concessão de Adiantamentos Sumário O Sistema CCA ----------------------------------------------------- 3 Iniciando a operacionalização do

Leia mais

Coordenadoria de Controle Interno

Coordenadoria de Controle Interno Plano Anual de Auditoria Exercício de 2014* *Elaborado em consonância com os dispositivos da Resolução TRESC n. 7.265, de 12 de dezembro de 2001 e da Resolução CNJ n. 171, 1º de março de 2013. I - Unidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO RIO GRANDE DO NORTE

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO RIO GRANDE DO NORTE ATO NORMATIVO Nº 01, DE 28 DE MARÇO DE 2012. Institui o Normativo de Pessoal EMPREGO DE LIVRE PROVIMENTO E DEMISSÃO DE NÍVEL SUPERIOR, EMPREGOS TEMPORÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR E EMPREGOS TEMPORÁRIOS DE NÍVEL

Leia mais

2005 IAC 118-1002 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL

2005 IAC 118-1002 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL ! MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA DAC N o 956 /STE, DE 16 DE SETEMBRO DE. Aprova a Instrução de Aviação Civil - IAC que trata dos procedimentos e trâmite

Leia mais

Circular 0188/2000 São Paulo, 09 de junho de 2000.

Circular 0188/2000 São Paulo, 09 de junho de 2000. [fesehf/cabecalho.htm] Circular 0188/2000 São Paulo, 09 de junho de 2000. Assunto: Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS Prezado(a) Senhor(a), Administrador(a) Planos de Saúde A Agência Nacional de

Leia mais

PORTARIA TC Nº 382, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014. CAPÍTULO I

PORTARIA TC Nº 382, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014. CAPÍTULO I PORTARIA TC Nº 382, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014. Disciplina a utilização dos certificados digitais no âmbito interno, pelos funcionários do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco TCE-PE e demais usuários

Leia mais

CONTABILIZAR RECURSOS E DESPESAS DE PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS 1 OBJETIVO

CONTABILIZAR RECURSOS E DESPESAS DE PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS 1 OBJETIVO CONTABILIZAR RECURSOS E DESPESAS DE PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS Proposto por: Equipe da Divisão de Apropriação e Análise Contábil (DIANA) Analisado por: Diretor do Departamento Contábil (DECON) Aprovado

Leia mais

considerando o Decreto nº 6.114, de 15 de maio de 2007; considerando a Portaria/MEC nº 1.084 de 02 de setembro de 2008;

considerando o Decreto nº 6.114, de 15 de maio de 2007; considerando a Portaria/MEC nº 1.084 de 02 de setembro de 2008; Dispõe sobre os critérios e valores para pagamento de Gratificações por Encargo de Cursos ou Concursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (IFMS). A COORDENADORA-GERAL

Leia mais

Art. 2º - Aprovar o Regulamento Geral do Programa de Assistência à Saúde dos Servidores do Detran/DF, que acompanha esta Instrução de Serviço.

Art. 2º - Aprovar o Regulamento Geral do Programa de Assistência à Saúde dos Servidores do Detran/DF, que acompanha esta Instrução de Serviço. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ INSTRUÇÃO Nº 12, DE 21 DE JANEIRO 2008 Cria o Programa de Assistência à Saúde dos Servidores do Departamento de Trânsito do Distrito Federal

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA ANÁLISE SOCIOECONÔMICA DE CONCESSÃO DA BOLSA PROUNI - 1º SEMESTRE LETIVO DE 2016

PROCESSO SELETIVO PARA ANÁLISE SOCIOECONÔMICA DE CONCESSÃO DA BOLSA PROUNI - 1º SEMESTRE LETIVO DE 2016 A UBEC União Brasiliense de Educação e Cultura, Mantenedora das seguintes Instituições de Ensino Superior: A) UCB Universidade Católica de Brasília; B) UNILESTE Centro Universitário do Leste de Minas Gerais;

Leia mais

ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO.

ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO. ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO. Acrescentado pelo Decreto 24.441 de 14 de agosto de 2008. Publicado no DOE de 14.08.2008 Convênio ICMS nº 143/02 e

Leia mais

Utilização do FGTS Passo a passo para utilização do FGTS no seu contrato de financiamento imobiliário.

Utilização do FGTS Passo a passo para utilização do FGTS no seu contrato de financiamento imobiliário. Utilização do FGTS Passo a passo para utilização do FGTS no seu contrato de financiamento imobiliário. Itaú Crédito Imobiliário Em caso de dúvidas ou para obter mais informações, você tem à disposição

Leia mais

PORTARIA CADE Nº 271, DE 11 DE SETEMBRO DE 2015.

PORTARIA CADE Nº 271, DE 11 DE SETEMBRO DE 2015. Boletim de Serviço Eletrônico em 14/09/2015 Minist ério da Just iça - MJ Conselho Administ rat ivo de Def esa Econômica - CADE SEPN 515 Conjunto D, Lote 4 Ed. Carlos Tauris ano, 4º andar - Bairro As a

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689.

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689.017297/2014-47 Aprova o Calendário para o Encerramento do Exercício Financeiro

Leia mais

Treinamento Proposta Online

Treinamento Proposta Online Treinamento Proposta Online 03 Procedimentos para preenchimento da Proposta Preenchendo a Proposta Online Digitalizando os documentos 06 20 33 Pendências nas Propostas 02 Procedimentos para preenchimento

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012

Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012 Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012 DOU de 31.12.2012 Altera a Instrução Normativa RFB nº 1.131, de 21 de fevereiro de 2011, que dispõe sobre os procedimentos a serem adotados para

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSUNI) N.º 03/2011

RESOLUÇÃO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSUNI) N.º 03/2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS RESOLUÇÃO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSUNI) N.º 03/2011 Dispõe sobre as normas gerais para a celebração de contratos ou convênios da Universidade

Leia mais

Entidade: Sociedade de Proteção à Infância e Maternidade de Bom Jesus de Itabapoana - SPIM/RJ

Entidade: Sociedade de Proteção à Infância e Maternidade de Bom Jesus de Itabapoana - SPIM/RJ Tribunal de Contas da União Número do documento: AC-0376-36/99-1 Identidade do documento: Acórdão 376/1999 - Primeira Câmara Ementa: Tomada de Contas Especial. Subvenção Social. MBES. Sociedade de Proteção

Leia mais

DADOS PESSOAIS. Endereço: Município: Bairro: CEP: Complemento:

DADOS PESSOAIS. Endereço: Município: Bairro: CEP: Complemento: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL DADOS PESSOAIS Sexo: ( ) Masculino ( ) Feminino Data de Nascimento: / / Naturalidade:

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CENTRO FORMADOR DE RECURSOS HUMANOS CEFOR/SES-PB. CURSO TÉCNICO SAÚDE BUCAL

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CENTRO FORMADOR DE RECURSOS HUMANOS CEFOR/SES-PB. CURSO TÉCNICO SAÚDE BUCAL ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº. 06/2012/SES/CEFOR-PB A Secretaria do Estado da Saúde, através do CEFOR-PB, torna público para conhecimento dos interessados a realização de PROCESSO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO DO ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPA Nº 03/2011 Versão: 01 Publicação: DJE nº de / /2012 Unidade Responsável: Departamento de Material e Patrimônio - DMP I FINALIDADE Dispor sobre os procedimentos

Leia mais

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 Disciplina a celebração de convênios e operações de crédito com previsão de ingresso de recursos financeiros que beneficiem órgãos e entidades da Administração

Leia mais

RESPOSTAS A PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA SOCIEDADE (inciso VI do art. 8º da Lei nº 12.527/2011) SUMÁRIO. 1. Registro Profissional...

RESPOSTAS A PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA SOCIEDADE (inciso VI do art. 8º da Lei nº 12.527/2011) SUMÁRIO. 1. Registro Profissional... SUMÁRIO 1. Registro Profissional... 2 2. Isenção de Anuidade... 3 3. Transferência de Regional... 4 4. Cancelamento de Registro (Pessoa Física)... 5 5. Reativação de Registro Profissional... 6 6. Parcelamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO COLÉGIO AGRÍCOLA DOM AGOSTINHO IKAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO COLÉGIO AGRÍCOLA DOM AGOSTINHO IKAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO COLÉGIO AGRÍCOLA DOM AGOSTINHO IKAS EDITAL DE SELEÇÃO INTERNA CODAI/UFRPE/PRONATEC Nº 002/2016 SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE SERVIDORES ATIVOS

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS VERIFICAÇÕES PRELIMINARES Art. 3, caput e 1 ; 1. O objeto do convênio ou contrato de repasse guarda relação com a atividade do convenente? 2.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE SUBVENÇÃO SOCIAL, AUXÍLIO FINANCEIRO, CONTRIBUIÇÃO E OUTRAS FONTES DE RECURSO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO. A Controladoria Geral do Município

Leia mais

CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI

CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI SECAO 020300 - MACROFUNÇÕES ASSUNTO 020317 - RESTOS A PAGAR 1 - REFERÊNCIAS: 1.1 - RESPONSABILIDADE - Coordenador-Geral

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-400-R00 ESTÁGIO CURRICULAR

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-400-R00 ESTÁGIO CURRICULAR MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-400-R00 ESTÁGIO CURRICULAR 02/2016 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 22 de fevereiro de 2016. Aprovado, Antonia Valeria Martins Maciel 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO

Leia mais

RESOLUCAO N. 003211/2004

RESOLUCAO N. 003211/2004 RESOLUCAO N. 003211/2004 RESOLUCAO 3.211 --------------- Altera e consolida as normas que dispõem sobre a abertura, manutenção e movimentação de contas especiais de depósitos à vista e de depósitos de

Leia mais

Câmara Municipal dos Barreiros

Câmara Municipal dos Barreiros Barreiros, 30 de Abril de 2010 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO Ofício nº 006/2010 SCI EXMO. SR. JOSÉ GERALDO DE SOUZA LEÃO M.D. Presidente da Câmara de Vereadores dos Barreiros NESTA O Coordenador do Sistema

Leia mais