DOENÇAS DA TIREÓIDE. A Tireóide é uma glândula endócrina produtora de 2 hormônios do tipo amina:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DOENÇAS DA TIREÓIDE. A Tireóide é uma glândula endócrina produtora de 2 hormônios do tipo amina:"

Transcrição

1 Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira DOENÇAS DA TIREÓIDE 1 - HORMÔNIOS DA TIRÓIDE: A Tireóide é uma glândula endócrina produtora de 2 hormônios do tipo amina: 1. Tri-iodotironina ou T3 2. Tiroxina ou T4 São ambos hormônios de ação muito variada, dentre as quais as mais evidentes são: Aumentar o consumo de oxigênio pela célula, com aumento da produção de calor Provavelmente aumentar a síntese do ATP Estimular a síntese de RNA e a biossíntese protéica Enzimas da Cadeia Glicolítica, p. ex. O resultado é um aumento do METABOLISMO BASAL do organismo. Assim estes hormônios são considerados reguladores deste metabolismo. Biossíntese: A biossíntese do T3 e do T4 depende da captação de IODO pelas células da glândula, e da ação da TIREOGLOBULINA, a proteína-mãe de ambos os hormônios. O Iodo é captado e organificado pela célula. A enzima chave de todo o processo é a IODO-PEROXIDASE, que: Oxida o iodeto a iodo Faz a iodização do anel dos resíduos de tirosina da tireoglobulina Catalisa a ligação de 2 anéis iodados. No lugar do doador de tirosil surge um resíduo de serina. Armazenamento: A tiroglobulina é armazenada no lúmen do folículo tireoidiano, contendo resíduos de tirosina e de T3. Na necessidade de liberação dos hormônios, a tireoglobulina entra na célula e é

2 cindida por proteases, liberando resíduos de T3 e principalmente T4. Cerca de 85 % do T3 é produzido nos tecidos periféricos a partir do T4. Regulação: 2 hormônios: a) TRH: Ou Thyrotrophyn-Releasing-Hormone Hipotalâmico; atua sobre a hipófise regulando a liberação do TSH. b) TSH: Ou Thyreoid-Stimulating-Hormone, Tireotrofina ou ainda Tireotropina Hipofisário, atua sobre a Tireóide regulando a liberação de T3 e T4, por estímulo da saída da tireoglobulina do folículo e entrada da mesma na célula. Todo o processo é baseado no mecanismo de "Feed-Back". Transporte: 99,9 % do T3 e do T4 séricos estão ligados a proteínas transportadoras: a) TBG: Thyroxyn-Binding-Globuline - 60 % b) Albumina e Pré-Albumina - 30% A TBG é uma proteína que tem sua concentração sérica marcadamente influenciada por diversos fatores, como a presença de estrógenos, por exemplo. Degradação: A tiroxina tem uma 1/2 vida de 7 dias; a tri-iodotironina tem ½ vida de apenas 1 dia, provavelmente por menor afinidade de ligação com a TBG. O processo de biotransformação envolve as etapas de conjugação, desaminação descarboxilação e deiodização a RT3 ( T3 reverso, inativo). 2- HIPERFUNÇÃO DA TIREÓIDE: 2 Formas principais: a) Hiperfunção Difusa ou Doença de Basedow-Graves; b) Adenomas Tóxicos de Tireóide. 1. Doença de Basedow-Graves: Doença auto-imune causada pela presença do LATS, ou "Long Acting Thyroid Stimulator" um anticorpo com especificidade para receptores do TSH no tecido tireoidiano. Quadro Clínico Hiperexcitabilidade, taquicardia, perda de peso e, nos casos mais

3 graves, exoftalmia. São conseqüências do aumento exagerado do metabolismo basal do paciente. 1. Adenoma Tóxico: Pequenas áreas hiperativas da glândula, também chamados de "nódulos quentes". Funcionam de forma independente ao controle da hipófise. Quadro Clínico O mesmo observado para "a", menos acentuado e sem exoftalmia. Tratamento Cirúrgico ou com dose terapêutica de Iodo radioativo. 3 - HIPOFUNÇÃO DA TIREÓIDE: Em geral causada por: a) Defeito genético Vários locais! b) Tireóide hipoplásica c) Deficiência de Iodo d) Produção de auto-anticorpos Tireoidites = Inflamação crônica com destruição de tecido tireoidiano. Quadro Clínico Geral: a) Na Criança: Retardo físico e mental, eventualmente acompanhado de surdez/mudez = Cretinismo. b) No adulto: Maior sensibilidade ao frio, atividades físicas e intelectuais mais lentas, mixedema (pele ressecada). Tratamento: Administração de Tiroxina. 4 - OUTRAS DOENÇAS TIREOIDIANAS: 1 - Bócio: Causado pela deficiência de Iodo. Há o estímulo da síntese da proteína captadora de iodo, que leva a uma hipertrofia da glândula. A produção de T3 e T4 é NORMAL!! O tratamento profilático baseia-se na adição de iodo na água e no sal; o tratamento terapêutico limita-se à administração de iodo. 2 - Tireoidites: Inflamações da tireóide, classificadas em 3 grupos:

4 a) Aguda: Muito rara, geralmente causada por infecção bacteriana. O paciente é geralmente eutireoideano. A cintilografia revela áreas hipocaptantes. b) Sub-Aguda: Etiologia presumivelmente viral, com quadro semelhante a "a" e longa duração (semanas a meses). c) Crônica: Doença de Hashimoto: Uma das formas mais comuns e importantes de doença tireoidiana. É a causa mais comum de hipotireoidismo. Etiologia autoimune de apresentação clínica variável, dependendo da fase da doença. Fase Inicial: T3 e T4 normais. Fase Avançada: T3 e T4 baixos e TSH Elevado com baixa captação de iodo. Na investigação da doença é muito importante a pesquisa de anticorpos antitireoidianos. 3- Nódulos Tireoidianos: A maioria: Benignos! A avaliação Laboratorial mostra muitas vezes um quadro eutireoidiano, e os testes de captação de iodo são fundamentais para a classificação do nódulo em: Quente Hipercaptante e quase sempre benigno Morno Eucaptante Frio Hipocaptante Nos casos de nódulos mornos ou frios a possibilidade de malignidade é maior e a citologia oncótica é decisiva. 4- Neoplasias de Tireóide: Temos valores de tireoglobulina aumentados no soro na maioria absoluta dos casos, de maneira não específica. O dado é útil no acompanhamento pós-tratamento do caso. 5 - PROVAS LABORATORIAIS: 2 Grupos: 1 - Medem os processos secretórios da glândula:

5 a) Dosagem de T3 e T4 séricos b) Avaliação do eixo Hipotálamo/Hipófise/Tireóide Dosagem de TSH Teste de Estímulo com TRH 2 - Indicam/sugerem a natureza da doença tireoidiana: a) Cintilografia b) Ultra-Sonografia c) Detecção de Auto-Anticorpos d) Citologia Aspirativa No Hipertireoidismo: a) Dosagem de T4 Total: O T4 Total está elevado em 95 % dos casos de hipertireoidismo. Geralmente por RIA, o teste mede o T4 livre (0,04%) e o T4 ligado à TBG. Logo, o teste sofre grande influência da concentração sérica de TBG. O teste de Retenção de T3 pode ser utilizado para corrigir as distorções causadas pela TBG. b) Dosagem de T4 Livre: FT4: Mede apenas o T4 não ligado à TBG. É um teste muito mais sensível e preciso. c) Dosagem do T3 Total: É o teste mais sensível para investigação de hipertireoidismo; o T3 sobe antes mesmo que as alterações no TSH. Também sofre influência da TBG, em menor escala. Pode estar mascarado pela "síndrome do T3 Baixo". d) Dosagem de TSH: É o teste mais sensível de investigação de doenças da Tireóide! Está 160 vezes aumentado quando de um aumento de 2 vezes do FT4. No Hipertireoidismo está sempre diminuído, pela ação inibidora por feed-back do T3 e T4 aumentados no sangue. e) Teste de Estímulo com TRH: Verifica a resposta do TSH sérico após administração endovenosa de TRH. É útil na diferenciação entre hipertireoidismo secundário e terciário. f) Cintilografia de Tireóide: É o mapeamento da glândula após ingestão e captação de iodo radioativo (I 131 ). Fornece um estudo morfológico e funcional da glândula. A captação de iodo é aumentada na Doença de Graves, Nódulos Autônomos em pacientes com carência de iodo. No Hipotireoidismo: a) Dosagem de T4 Total: Diminuído na maioria dos casos. Sofre a mesma influência da TBG, que pode ser eliminada com os testes de retenção de T3 e dosagem de T4 Livre.

6 b) Dosagem de T3 Total: Está normal nas fases iniciais do hipotireoidismo. * Síndrome do T3 Baixo: Ampla variedade de situações metabólicas que levam a uma diminuição do T3 sérico, tais como: Desnutrição, IAM, Choque, Neoplasias, Insuficiência Cardíaca, etc. Logo, a dosagem de T3 Total tem pouco valor no diagnóstico de hipotireoidismo. c) Dosagem de TSH: 95 % dos casos de hipotireoidismo são primários, logo o TSH é aumentado! É o primeiro teste a se alterar! O teste de estímulo com TRH é necessário para a diferenciação se o caso for de doença secundária ou terciária (TSH baixo). d) Cintilografia: Deve ser realizada em associação com o teste de organificação do iodo que, quando diminuído, é sugestivo de Tireoidite de Hashimoto. e) Pesquisa de Anticorpos: Importante na investigação da Tireoidite de Hashimoto, que é auto-imune! Pesquisam-se principalmente 2 anticorpos: - Anti-Tireoglobulina - Anti-Microsomal ou Anti-Peroxidase. **Atualmente: O protocolo básico de investigação de doenças tireoidianas inclui as dosagens de FT4, T3 e TSH.**

Tireoidites e Comportamento Tireoidiano

Tireoidites e Comportamento Tireoidiano Tireoidites e Comportamento Tireoidiano Dr Semy Krillos Orientação: prof. Dr. Romeu Carillo Jr Hipotálamo Células do sistema parvicelular Secretam TRH ( hormônio liberador de tireotropina) Secretam CRH

Leia mais

Hormônios Metabólicos da

Hormônios Metabólicos da Hormônios Metabólicos da Tireóide Tireóide Produz Calcitoninahomeostasia de CA Produz hormôniocolóide [Ca +2 ] plasmática (inibe osteoclastos) [Ca +2 ] plasmática Síntese dos Hormônios Capilar Bomba de

Leia mais

26 de Março de 2008. Professor Perseu. Tireóide

26 de Março de 2008. Professor Perseu. Tireóide 26 de Março de 2008. Professor Perseu. Tireóide Embriologia A tireóide apresenta origem endodérmica: de um espessamento do assoalho da cavidade oral primitiva (faringe), a partir do 16 (décimo-sexto) dia

Leia mais

Fisiologia da glândula Tireóide

Fisiologia da glândula Tireóide Universidade Federal do Espírito Santo PSICOLOGIA Fisiologia da glândula Tireóide Élio Waichert Júnior Localização anatômica Secreta 3 Hormônios: Tiroxina (T4) Triiodotironina (T3) Calcitonina Prof. Élio

Leia mais

FISIOLOGIA ENDÓCRINA. Aula Fisiologia da Tireóide

FISIOLOGIA ENDÓCRINA. Aula Fisiologia da Tireóide UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Programa de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas Lab. Regulação Central do Sistema Cardiovascular Prof. Hélder Mauad FISIOLOGIA ENDÓCRINA Aula Fisiologia da Tireóide

Leia mais

ESTUDO DA ORIGEM DIATÉSICA DE NÓDULOS TIREOIDIANOS E TIREOIDITES. Erica Erina Fukuyama Maísa Lemos Homem de Mello Romeu Carillo Jr

ESTUDO DA ORIGEM DIATÉSICA DE NÓDULOS TIREOIDIANOS E TIREOIDITES. Erica Erina Fukuyama Maísa Lemos Homem de Mello Romeu Carillo Jr ESTUDO DA ORIGEM DIATÉSICA DE NÓDULOS TIREOIDIANOS E TIREOIDITES Erica Erina Fukuyama Maísa Lemos Homem de Mello Romeu Carillo Jr BÓCIO - aumento da glândula, pode ser devido a: Nódulos doenças inflamatórias

Leia mais

Tireóide. Prof. Thais Almeida

Tireóide. Prof. Thais Almeida Tireóide Prof. Thais Almeida Anatomia Localização: região cervical, anterior à laringe 2 lobos + istmo Histologia Folículos tireoidianos: células foliculares; material colóide (tireoglobulina). Septos

Leia mais

Doenças da Tireóide. Prof. Fernando Ramos

Doenças da Tireóide. Prof. Fernando Ramos Doenças da Tireóide Prof. Fernando Ramos Introdução A tireóide é uma glândula localiza na porção anterior do pescoço e responde pela produção de hormônios como Triiodotironina (T3) e Tiroxina (T4) que

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Me. Leandro Parussolo

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Me. Leandro Parussolo SISTEMA ENDÓCRINO Prof. Me. Leandro Parussolo Sistema Endócrino Função de garantir o fluxo de informações entre diferentes cells, permitindo a integração funcional de todo o organismo; Garantir a reprodução;

Leia mais

Hipotireoidismo. O que é Tireóide?

Hipotireoidismo. O que é Tireóide? Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Hipotireoidismo O que é Tireóide? É uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, bem abaixo

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON

SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON CARACTERÍSTICAS FUNCIONAMENTO DO CORPO COMUNICAÇÃO COM CÉLULAS: AÇÃO HORMONAL LIBERAÇÃO POR DETERMINADAS CÉLULAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS: CÉLULAS PRODUTORAS DE HORMÔNIOS

Leia mais

CURSO BÁSICO DE ULTRASSONOGRAFIA DA TIREOIDE E PARATIREOIDE ORGANIZAÇÃO

CURSO BÁSICO DE ULTRASSONOGRAFIA DA TIREOIDE E PARATIREOIDE ORGANIZAÇÃO CURSO BÁSICO DE ULTRASSONOGRAFIA DA TIREOIDE E PARATIREOIDE ORGANIZAÇÃO Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Departamento de Tireoide da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Jatin Das TIREÓIDE

SISTEMA ENDÓCRINO. Jatin Das TIREÓIDE SISTEMA ENDÓCRINO Jatin Das Os hormônios tireoidianos são fundamentais para o desenvolvimento de vários órgãos no período embrionário, rio, mas também m são responsáveis pelo crescimento, a diferenciação

Leia mais

Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise):

Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise): Introdução Sistema Endócrino O sistema endócrino é composto por um grupo de tecidos especializados (glândulas) cuja função é produzir e liberar na corrente sanguínea substâncias chamadas Hormônios. Os

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA III

FISIOLOGIA HUMANA III FISIOLOGIA HUMANA III UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO Profª Drª Silvia Aparecida Pieta Interação dos sistemas nervoso e endócrino Os sistemas nervoso e

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. TIAGO

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. TIAGO SISTEMA ENDÓCRINO Prof. TIAGO CARACTERÍSTICAS GERAIS INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS. CONTROLEDEATIVIDADES FISIOLOGICAS. SEMELHANTE AO SISTEMA NERVOSO. EFETUADO POR HORMÔNIOS TRANSPORTADO PELA CORRENTE SANGUINEA

Leia mais

Módulo II.III - Fisiologia. Tema da Aula: Tiróide Docente: Prof. Alberto Escalda Data: 03/12/2008 Número da Aula Previsto:16

Módulo II.III - Fisiologia. Tema da Aula: Tiróide Docente: Prof. Alberto Escalda Data: 03/12/2008 Número da Aula Previsto:16 Módulo II.III - Fisiologia Tema da Aula: Tiróide Docente: Prof. Alberto Escalda Data: 03/12/2008 Número da Aula Previsto:16 Desgravador: Luís Miguel Magalhães Vieira Castro de Lemos Corrector: Ana Margarida

Leia mais

EUTHYROX 137 levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 137 mcg

EUTHYROX 137 levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 137 mcg EUTHYROX 137 levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 137 mcg Euthyrox levotiroxina sódica APRESENTAÇÕES Comprimidos 137 mcg - Embalagem contendo 50 comprimidos. USO ORAL USO ADULTO e PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia Humana Introdução Boa parte do funcionamento do corpo humano depende da comunicação entre as células por meio de mensageiros químicos que viajam pelos sangue. Conjunto de células produtoras de hormônios. Hormônios

Leia mais

EUTHYROX 137 levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 137 mcg

EUTHYROX 137 levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 137 mcg EUTHYROX 137 levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 137 mcg Euthyrox levotiroxina sódica APRESENTAÇÕES Comprimidos 137 mcg - Embalagem contendo 50 comprimidos. USO ORAL USO ADULTO e PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO

Leia mais

Agenda. Nódulo da Tireóide. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear em Cardiologia 17/10/2011

Agenda. Nódulo da Tireóide. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear em Cardiologia 17/10/2011 Agenda Medicina Nuclear Endocrinologia Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com O objetivo desta aula é abordar a Medicina nuclear em endocrinologia (notadamente aplicações Câncer de Tireóide).

Leia mais

Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas)

Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas) Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas) É formado pelas glândulas endócrinas Essas tem origem no tecido epitelial

Leia mais

Atualização em Disormonogênese Tireoidiana. R3 Endocrinologia Thayse Lozovoy Orientadora Dra Gisah Amaral de Carvalho

Atualização em Disormonogênese Tireoidiana. R3 Endocrinologia Thayse Lozovoy Orientadora Dra Gisah Amaral de Carvalho Atualização em Disormonogênese Tireoidiana R3 Endocrinologia Thayse Lozovoy Orientadora Dra Gisah Amaral de Carvalho Roteiro de Aula INTRODUÇÃO Epidemiologia Síntese do hormônio tireoidiano Disormonogênese

Leia mais

DOENÇAS DA TIRÓIDE. Figura nº1 Localização da Tiróide e da Hipófise

DOENÇAS DA TIRÓIDE. Figura nº1 Localização da Tiróide e da Hipófise DOENÇAS DA TIRÓIDE O que é a Tiróide? A Tiróide é uma glândula situada na base do pescoço imediatamente abaixo da maçã de Adão (fig.nº1) e é constituída por dois lobos unidos por uma parte central chamada

Leia mais

3º Imagem da Semana: Ultrassonografia da Tireoide

3º Imagem da Semana: Ultrassonografia da Tireoide 3º Imagem da Semana: Ultrassonografia da Tireoide Paciente 23 anos, sexo feminino, compareceu ao endocrinologista devido a histórico familiar de tireoidite Hashimoto. Ao exame físico, palpou-se um nódulo

Leia mais

Câncer de Tireóide. O segredo da cura é a eterna vigilância

Câncer de Tireóide. O segredo da cura é a eterna vigilância Câncer de Tireóide Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira O câncer de tireóide é um tumor maligno de crescimento localizado dentro da glândula

Leia mais

levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg

levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg levotiroxina sódica Medicamento genérico Lei nº 9.797, de 1999 APRESENTAÇÕES Comprimidos 25 mcg - Embalagem contendo

Leia mais

FACULDADE TECSOMA Curso de Biomedicina. Thalisson Ryller Caixeta

FACULDADE TECSOMA Curso de Biomedicina. Thalisson Ryller Caixeta FACULDADE TECSOMA Curso de Biomedicina Thalisson Ryller Caixeta AVALIAÇÃO TIREOIDIANA DOS IDOSOS DO LAR SÃO VICENTE DE PAULO EM PARACATU, MINAS GERAIS. Paracatu -MG 2012 Thalisson Ryller Caixeta AVALIAÇÃO

Leia mais

EUTHYROX. levotiroxina sódica. Merck S/A. Comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg

EUTHYROX. levotiroxina sódica. Merck S/A. Comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg EUTHYROX levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg Euthyrox levotiroxina sódica APRESENTAÇÕES Comprimidos 25 mcg - Embalagem contendo 50 comprimidos. Comprimidos

Leia mais

FUNÇÃO TIREOIDIANA PRINCIPAIS TESTES LABORATORIAIS E APLICAÇÕES DIAGNÓSTICAS

FUNÇÃO TIREOIDIANA PRINCIPAIS TESTES LABORATORIAIS E APLICAÇÕES DIAGNÓSTICAS FUNÇÃO TIREOIDIANA PRINCIPAIS TESTES LABORATORIAIS E APLICAÇÕES DIAGNÓSTICAS Prof. Homero Jackson de Jesus Lopes Assessor Técnico-Científico da Gold Analisa Diagnóstica Ltda Belo Horizonte MG Ano 2002

Leia mais

GLICOCORTICÓIDES PRINCIPAIS USOS DOS FÁRMACOS INIBIDORES DOS ESTERÓIDES ADRENOCORTICAIS

GLICOCORTICÓIDES PRINCIPAIS USOS DOS FÁRMACOS INIBIDORES DOS ESTERÓIDES ADRENOCORTICAIS GLICOCORTICÓIDES - Hormônios esteroidais: Hormônios sexuais e Hormônios do Córtex da Adrenal. - Hormônios do Córtex da Adrenal: o Adrenocorticosteróides [glicocorticóides e (cortisol) e Mineralocorticóides

Leia mais

Corpo humano: diversos sistemas interligados

Corpo humano: diversos sistemas interligados 79 Corpo humano: diversos sistemas interligados Bruna Moretto Rodrigues 1*, Karina Alves de Toledo 1, Célia Regina Nogueira 2 1 Departamento de Ciências Biológicas. Faculdade de Ciências e Letras. Univ

Leia mais

Alterações tireoidianas do paciente idoso

Alterações tireoidianas do paciente idoso Alterações tireoidianas do paciente idoso Ana Cristina N. B. Faria Mestrado UFMG, Geriatra do CIAPE, Coordenadora da especialização Lato sensu em Geriatria do CIAPE/ FCMMG Material didático do curso de

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL

SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL HORMÔNIOS 1. MENSAGEIROS QUÍMICOS PRODUZIDOS PELAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS. 2. REGULADORES: - (ESTIMULANTES OU INIBIDORES) - (CRESCIMENTO, METABOLISMO, REPRODUÇÃO, ETC.)

Leia mais

Distúrbios da glândula tireóide Resumo de diretriz NHG M31 (julho 2013)

Distúrbios da glândula tireóide Resumo de diretriz NHG M31 (julho 2013) Distúrbios da glândula tireóide Resumo de diretriz NHG M31 (julho 2013) Van Lieshout J, Felix-Schollaart B, Bolsius EJM, Boer AM, Burgers JS, Bouma M., Sijbom M. traduzido do original em holandês por Luiz

Leia mais

UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACS CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ANÁLISES CLÍNICAS E GESTÃO DE LABORATÓRIO

UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACS CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ANÁLISES CLÍNICAS E GESTÃO DE LABORATÓRIO UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACS CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ANÁLISES CLÍNICAS E GESTÃO DE LABORATÓRIO Larisse Coelho Siqueira INTERFERÊNCIA DAS DOSAGENS LABORATORIAIS

Leia mais

EUTHYROX 137 levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 137 mcg

EUTHYROX 137 levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 137 mcg EUTHYROX 137 levotiroxina sódica Merck S/A Euthyrox levotiroxina sódica APRESENTAÇÕES - Embalagem contendo 50 comprimidos. USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO Euthyrox : cada comprimido contém

Leia mais

Doenças Benignas da Tireóide

Doenças Benignas da Tireóide Doenças Benignas da Tireóide Introdução A tireóide é a maior glândula endócrina do corpo, sendo responsável pela produção dos hormônios tireoideanos (T3 e T4), envolvidos com diversos componentes da homeostase

Leia mais

CONTROLE E INTEGRAÇÂO

CONTROLE E INTEGRAÇÂO CONTROLE E INTEGRAÇÂO A homeostase é atingida através de uma série de mecanismos reguladores que envolve todos os órgãos do corpo. Dois sistemas, entretanto, são destinados exclusivamente para a regulação

Leia mais

Senhor Presidente PROJETO DE LEI

Senhor Presidente PROJETO DE LEI Senhor Presidente PROJETO DE LEI " INSTITUI, NO CALENDÁRIO OFICIAL DE DATAS E EVENTOS DO MUNICÍPIO DE SÃO DE CAETANO DO SUL, O 'MÊS DE CONSCIENTIZAÇÃO E PREVENÇÃO DO CÂNCER DE TIREOIDE' NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

PURAN T4 (levotiroxina sódica) Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda. Comprimido 12,5 mcg/ 25 mcg / 37,5 mcg/ 50 mcg / 62,5 mcg/ 75 mcg / 88 mcg / 100 mcg

PURAN T4 (levotiroxina sódica) Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda. Comprimido 12,5 mcg/ 25 mcg / 37,5 mcg/ 50 mcg / 62,5 mcg/ 75 mcg / 88 mcg / 100 mcg PURAN T4 (levotiroxina sódica) Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda. Comprimido 12,5 mcg/ 25 mcg / 37,5 mcg/ 50 mcg / 62,5 mcg/ 75 mcg / 88 mcg / 100 mcg / 112 mcg / 125 mcg / 150 mcg / 175 mcg / 200 mcg/

Leia mais

Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1

Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1 Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1 Hormônios 2 HORMÔNIOS DA HIPÓFISE E DO HIPOTÁLAMO Quanto a sua origem os hormônios da hipófise e hipotálamo podem ser classificados em : - Hormônios da hipófise

Leia mais

Os folículos são circundados por células parafoliculares. A maioria das células parafoliculares sintetiza e secreta o hormônio calcitonina.

Os folículos são circundados por células parafoliculares. A maioria das células parafoliculares sintetiza e secreta o hormônio calcitonina. 1 2 3 Os folículos são circundados por células parafoliculares. A maioria das células parafoliculares sintetiza e secreta o hormônio calcitonina. Em consequência, são frequentemente designadas como células

Leia mais

DISTÚRBIOS DA TIREÓIDE

DISTÚRBIOS DA TIREÓIDE UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª: FLÁVIA NUNES DISTÚRBIOS DA TIREÓIDE CONCEITO HORMÔNIOS A tireóide é um órgão em forma de borboleta situado na região inferior do pescoço, anteriormente à traquéia.

Leia mais

Provas de Função Tireoidiana

Provas de Função Tireoidiana Provas de Função Tireoidiana imunologia 1. INTRODUÇÃO Nos últimos 40 anos, ocorreu uma melhora substancial na sensibilidade e especificidade dos testes tireoidianos principalmente com o desenvolvimentos

Leia mais

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas Biologia Tema: Módulo 01: Anatomia e fisiologia Marcos Vinícius Introdução É um sistema que juntamente com o sistema nervoso atua no controle das funções gerais do nosso organismo. É representado pelos

Leia mais

Embriologia e Histologia Animal II

Embriologia e Histologia Animal II Embriologia e Histologia Animal II HISTOFISIOLOGIA DO SISTEMA ENDÓCRINO Daniela dos Santos Brum Glândulas endócrinas Secretam seus produtos (moléculas biologicamente ativas) HORMÔNIOS Corrente sanguínea

Leia mais

HIPOTIROIDISMO INTRODUÇÃO

HIPOTIROIDISMO INTRODUÇÃO HIPOTIROIDISMO INTRODUÇÃO Deficiência hormonal mais comum Produção ou ação deficiente dos hormônios tiroidianos Prevalência de 2 a 3% na população geral Mais comum em mulheres (10:1), idosos e brancos

Leia mais

levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg

levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg levotiroxina sódica Merck S/A Comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg levotiroxina sódica Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Comprimidos 25 mcg - Embalagem contendo

Leia mais

Aula 23 Sistema endócrino

Aula 23 Sistema endócrino Aula 23 Sistema endócrino O sistema endócrino é formado por órgãos e tecidos que secretam hormônios. Os hormônios são lançados na corrente sangüínea e influenciam a atividade de células, órgãos ou sistemas.

Leia mais

10/06/2013 GLÂNDULAS ENDÓCRINAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS (NAV) Tireóide Paratireóide Hipófise Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo

10/06/2013 GLÂNDULAS ENDÓCRINAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS (NAV) Tireóide Paratireóide Hipófise Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Campus Curitibanos Medicina Veterinária ANATOMIA II (NAV) Tireóide Paratireóide Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo Profa. Rosane Silva glândulas de secreção

Leia mais

TIREÓIDE. O que é tireóide?

TIREÓIDE. O que é tireóide? TIREÓIDE O que é tireóide? A tireóide é uma glândula em forma de borboleta, situada no pescoço, logo abaixo do ossinho do pescoço, popularmente conhecido como gogó. A tireóide produz um hormônio capaz

Leia mais

Fisiologia do Sistema Endócrino-I

Fisiologia do Sistema Endócrino-I Curso Preparatório para Residência em Enfermagem-2012 Fisiologia do Sistema Endócrino-I Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam

Leia mais

XIV O Sistema Endócrino

XIV O Sistema Endócrino 103 XIV O Sistema Endócrino a. HORMÔNIOS: São substâncias químicas produzidas por um grupo de células, numa parte do corpo e, secretadas na corrente sangüíneas, controlam ou ajudam no controle de outras

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE MEDICINA DISCIPLINA DE CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO. Câncer da Tireóide. Dr. Pedro Collares Maia Filho

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE MEDICINA DISCIPLINA DE CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO. Câncer da Tireóide. Dr. Pedro Collares Maia Filho UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE MEDICINA DISCIPLINA DE CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO Câncer da Tireóide Maia Filho Revisão da Anatomia REVISÃO ANATOMIA REVISÃO ANATOMIA REVISÃO ANATOMIA REVISÃO

Leia mais

TIREÓIDE E PARATIREÓIDE

TIREÓIDE E PARATIREÓIDE Disciplina de Fisiologia Veterinária TIREÓIDE E PARATIREÓIDE Prof. Fabio Otero Ascoli Localização: TIREÓIDE Caudalmente à traquéia, na altura do primeiro ou segundo anel traqueal Composição: Dois lobos,

Leia mais

Carcinoma de tireóide ide na infância

Carcinoma de tireóide ide na infância Carcinoma de tireóide ide na infância Dra. Rossana Corbo INCa/UFRJ 2006 Incidência: 5 casos/milhão /ano EUA (1973 1977) crianças as com idade inferior a 20 anos Apresentação clinica: predomínio em meninas

Leia mais

Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU

Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU SISTEMA ENDRÓCRINO Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU GLÂNDULAS DIFERENTES QUE SECRETAM HORMÔNIOS. OS HORMÔNIOS SÃO MENSAGEIROS QUÍMICOS,GERALMENTE TRANSPORTADOS

Leia mais

Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano

Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano 1. Na pirâmide alimentar, que alimentos precisam ser consumidos em maior quantidade? a) Carboidratos complexos, como alimentos integrais

Leia mais

Sistema endócrino + Sistema nervoso. integração e controle das funções do organismo

Sistema endócrino + Sistema nervoso. integração e controle das funções do organismo Sistema endócrino Sistema endócrino + Sistema nervoso integração e controle das funções do organismo Sistema endócrino Conjunto de glândulas endócrinas que secretam hormônio Relembrando Glândulas que liberam

Leia mais

Nódulo da Tireóide. Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Serviço de Cirurgia Turma 5 - Grupo D

Nódulo da Tireóide. Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Serviço de Cirurgia Turma 5 - Grupo D Nódulo da Tireóide Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Serviço de Cirurgia Turma 5 - Grupo D Alberto Paulo Costa Ana Filipa Pedrosa Ana Rita Pombal João Carlos Costa João Cláudio Antunes Setembro

Leia mais

VIVIANE CANADAS DA MOTA. AVALIAÇÃO DA RADIOIODOTERAPIA COM DOSES DE 10 E 15 mci EM PACIENTES COM DOENÇA DE GRAVES UFPE

VIVIANE CANADAS DA MOTA. AVALIAÇÃO DA RADIOIODOTERAPIA COM DOSES DE 10 E 15 mci EM PACIENTES COM DOENÇA DE GRAVES UFPE VIVIANE CANADAS DA MOTA AVALIAÇÃO DA RADIOIODOTERAPIA COM DOSES DE 10 E 15 mci EM PACIENTES COM DOENÇA DE GRAVES UFPE Recife 2005 VIVIANE CANADAS DA MOTA AVALIAÇÃO DA RADIOIODOTERAPIA COM DOSES DE 10 E

Leia mais

3) (UFABC/2009) Leia a tirinha:

3) (UFABC/2009) Leia a tirinha: Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 2 Ano Disciplina: Biologia 11) (Fuvest-1998) Uma jovem que sempre foi saudável chegou a um hospital em estado

Leia mais

Ana Carolina Hespanhol Rodrigues. Relação entre Disfunção Tireoidiana e Depressão

Ana Carolina Hespanhol Rodrigues. Relação entre Disfunção Tireoidiana e Depressão Ana Carolina Hespanhol Rodrigues Relação entre Disfunção Tireoidiana e Depressão Londrina 2012 Ana Carolina Hespanhol Rodrigues Relação entre Disfunção Tireoidiana e Depressão Monografia apresentada ao

Leia mais

Exercícios de Coordenação Endócrina

Exercícios de Coordenação Endócrina Exercícios de Coordenação Endócrina 1. (UFABC) Leia a tirinha: Material de apoio do Extensivo Enquanto o futuro não chega, diabéticos controlam a glicemia através de injeções diárias de insulina ou mesmo

Leia mais

Autor. Revisão Técnica. Durval Alex Gomes e Costa

Autor. Revisão Técnica. Durval Alex Gomes e Costa Apresentação A estrutura do Guia de Interpretação de Exames, em que cada capítulo aborda um exame diferente, foi concebida para ser uma alternativa à literatura especializada na melhor interpretação possível

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DOS DISTÚRBIOS TIREOIDIANOS EM USUÁRIOS DE UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

CLASSIFICAÇÃO DOS DISTÚRBIOS TIREOIDIANOS EM USUÁRIOS DE UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS CLASSIFICAÇÃO DOS DISTÚRBIOS TIREOIDIANOS EM USUÁRIOS DE UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS Kamila Karoliny Ramos de Lima 1, Josimar dos Santos Medeiros 2. Resumo Entre as principais doenças de evolução

Leia mais

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O CÂNCER DE TIREÓIDE

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O CÂNCER DE TIREÓIDE O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O CÂNCER DE TIREÓIDE 2 Se você ou alguém que você conhece recebeu diagnóstico de câncer da tireóide há pouco tempo ou mesmo há muitos anos, provavelmente as informações atualizadas

Leia mais

Data: 26/04/2013. Medicamento x Material Procedimento Cobertura. Número do processo: 1.0081.11.000734-1/002

Data: 26/04/2013. Medicamento x Material Procedimento Cobertura. Número do processo: 1.0081.11.000734-1/002 NOTA TÉCNICA 58/2013 Solicitante Allan Vinícius Vieira Araújo Assistente Judiciário Gabinete da Des. Vanessa Verdolim Hudson Andrade - 1ª Câmara Cível - TJMG RÉU: Município de Rio Manso Data: 26/04/2013

Leia mais

27- Em relação o uso de insulina bolus no DM1, assinale a CORRETA:

27- Em relação o uso de insulina bolus no DM1, assinale a CORRETA: Questões do TEEM 2009 26 a 50 26- O DCCT comparou a insulinização intensiva (II) com a insulinização convencional (IC), e é considerado um marco na história do DM1. Sobre seus resultados, é INCORRETO afirmar

Leia mais

2. Nesse sistema, ocorre uma relação de protocooperação entre algas e bactérias.

2. Nesse sistema, ocorre uma relação de protocooperação entre algas e bactérias. PROVA DE BIOLOGIA QUESTÃO 01 Entre os vários sistemas de tratamento de esgoto, o mais econômico são as lagoas de oxidação. Essas lagoas são reservatórios especiais de esgoto, que propiciam às bactérias

Leia mais

DISFUNÇÕES DA TIREOIDE

DISFUNÇÕES DA TIREOIDE DISFUNÇÕES DA Muitas pessoas com síndrome de Down apresentam alterações da função da tireoide, sendo o hipotireoidismo - caso em que a glândula é pouco ativa - o mais frequente. Estimase que entre 4% e

Leia mais

TRANSTORNOS DA GLÂNDULA TIREÓIDE *

TRANSTORNOS DA GLÂNDULA TIREÓIDE * TRANSTORNOS DA GLÂNDULA TIREÓIDE * Introdução A tireóide é uma glândula bilateral presente em todos os vertebrados. Está localizada lateralmente sobre a traquéia, abaixo da laringe (Figura 1). Sua função

Leia mais

levotiroxina sódica comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg Merck S/A

levotiroxina sódica comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg Merck S/A levotiroxina sódica comprimidos 25, 50, 75, 88, 100, 112, 125, 150, 175 e 200 mcg Merck S/A levotiroxina sódica Medicamento genérico Lei nº 9.797, de 1999 APRESENTAÇÕES Comprimidos 25 mcg - Embalagem contendo

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA CADERNO DE PROVA

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA CADERNO DE PROVA PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA 19/10/2014 INSTRUÇÕES CADERNO DE PROVA 1. Confira, abaixo, seu nome e número de inscrição. Confira, também, o curso e a série correspondentes à sua inscrição.

Leia mais

Estudo da procedência dos pacientes e tipos de tireopatias... encontradas no Ambulatório de Endocrinologia do HSL-PUCRS nos anos de 2005 e 2006

Estudo da procedência dos pacientes e tipos de tireopatias... encontradas no Ambulatório de Endocrinologia do HSL-PUCRS nos anos de 2005 e 2006 ARTIGO ORIGINAL Estudo da procedência dos pacientes e dos tipos de tireoidopatias encontradas no Ambulatório de Endocrinologia do HSL-PUCRS nos anos de 2005 e 2006 Study of the origin of patients and types

Leia mais

METABOLISMO DAS PROTEÍNAS. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto

METABOLISMO DAS PROTEÍNAS. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto METABOLISMO DAS PROTEÍNAS Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto Aminoácido Os aminoácidos livres são obtidos da degradação da proteína da dieta, da renovação constante das proteínas

Leia mais

Margareth de Freitas Albrecht ANALOGIA ENTRE O HIPOTIREOIDISMO E ALTERAÇÕES VOCAIS

Margareth de Freitas Albrecht ANALOGIA ENTRE O HIPOTIREOIDISMO E ALTERAÇÕES VOCAIS Margareth de Freitas Albrecht ANALOGIA ENTRE O HIPOTIREOIDISMO E ALTERAÇÕES VOCAIS Monografia apresentada ao CEFAC Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clínica para a obtenção do certificado de Conclusão

Leia mais

FUMARATO DE QUETIAPINA (Portaria 344-C1)

FUMARATO DE QUETIAPINA (Portaria 344-C1) FUMARATO DE QUETIAPINA (Portaria 344-C1) Redução dos sintomas de esquizofrenia. Fórmula Estrutural: Fórmula Molecular: (C 21 H 25 N 3 O 2 S) 2,C 4 H 4 O 4 Peso Molecular: 833,09 g/mol DCB: 07539 CAS: 111974-72-2

Leia mais

51 - São causas de hipertireoidismo com bócio difuso: 52 - Os achados ultrassonográficos que sugerem malignidade em um nódulo de tireóide são:

51 - São causas de hipertireoidismo com bócio difuso: 52 - Os achados ultrassonográficos que sugerem malignidade em um nódulo de tireóide são: Questões do TEEM 2009 51 a 75 51 - São causas de hipertireoidismo com bócio difuso: a) RN de mãe com doença tireoideana autoimune, Basedow-Graves e resistência periférica aos hormônios tireoideanos. b)

Leia mais

Aula 28.10.09: Síntese e degradação do glicogênio

Aula 28.10.09: Síntese e degradação do glicogênio Aula 28.10.09: Síntese e degradação do glicogênio Glicogênio síntese e degradação As enzimas que catalisam a síntese e a degradação do glicogênio, além de proteínas reguladoras destes processos, estão

Leia mais

Sistema Endócrino. Introdução

Sistema Endócrino. Introdução Introdução A coordenação das funções do organismo é feita pelos sistemas nervoso e endócrino. Este é formado pelo conjunto das glândulas, que produzem os hormônios, substâncias lançadas no sangue que influenciam

Leia mais

Gráficos: experimento clássico de Gause, 1934 (Princípio de Gause ou princípio da exclusão competitiva).

Gráficos: experimento clássico de Gause, 1934 (Princípio de Gause ou princípio da exclusão competitiva). 1 Gráficos: experimento clássico de Gause, 1934 (Princípio de Gause ou princípio da exclusão competitiva). 2 O câncer surge de uma única célula que sofreu mutação, multiplicou-se por mitoses e suas descendentes

Leia mais

Índice. Conceito. Hipotireoidismo. Hipertireoidismo

Índice. Conceito. Hipotireoidismo. Hipertireoidismo Índice Conceito O que é a tireóide e onde se localiza no corpo humano?... 5 Para que serve a glândula tireóide?... 5 Quais as doenças que podem acometer a glândula tireóide?... 5 O que é bócio? Qual a

Leia mais

Profª Leticia Pedroso

Profª Leticia Pedroso Profª Leticia Pedroso Sistema Endócrino O homem apresenta em seu organismo várias glândulas endócrinas (glândulas que secretam hormônios para dentro do sangue). Hormônios são mensageiros químicos responsáveis

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Ornólia Paracampos

SISTEMA ENDÓCRINO. Ornólia Paracampos SISTEMA ENDÓCRINO Ornólia Paracampos CARACTERÍSTICAS Sistema de regulação e integração de funções O mediador químico é um hormônio Alcança o alvo via sangue Aã Ação mais lenta e mais duradoura d São glândulas

Leia mais

O HIPOTIREOIDISMO SOB A ÓTICA FARMACÊUTICA GENERALISTA THE HIPOTIREOIDISM UNDER GENERALIST PHARMACEUTICAL OPTICS

O HIPOTIREOIDISMO SOB A ÓTICA FARMACÊUTICA GENERALISTA THE HIPOTIREOIDISM UNDER GENERALIST PHARMACEUTICAL OPTICS O HIPOTIREOIDISMO SOB A ÓTICA FARMACÊUTICA GENERALISTA THE HIPOTIREOIDISM UNDER GENERALIST PHARMACEUTICAL OPTICS OLIVEIRA, A. B. 3,2 ; OLIVEIRA, A. O. 3,2 ; MIGUEL, M. D. 1,2 ; ZANIN, S. M. W 1,2.; KERBER,

Leia mais

COMUNICAÇÃO CELULAR. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto

COMUNICAÇÃO CELULAR. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto COMUNICAÇÃO CELULAR Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto O que é comunicação celular? As células possuem um sistema responsável por: Geração Transmissão Recepção Resposta. Uma

Leia mais

PATOLOGIAS FETAIS E TRATAMENTO CLÍNICO INTRA-UTERINO. arritmias cardíacas. hipo e hipertireoidismo. defeitos do tubo neural

PATOLOGIAS FETAIS E TRATAMENTO CLÍNICO INTRA-UTERINO. arritmias cardíacas. hipo e hipertireoidismo. defeitos do tubo neural 13. TERAPÊUTICA FETAL MEDICAMENTOSA Entende-se por terapêutica fetal medicamentosa ou clínica, quando nos valemos da administração de certos medicamentos específicos, visando o tratamento de alguma patologia

Leia mais

Miopatias. MSc. Roberpaulo Anacleto

Miopatias. MSc. Roberpaulo Anacleto Miopatias MSc. Roberpaulo Anacleto Miopatias Não- Inflamatórias Tóxicas Neurológicas Endócrino-metabólicas Miopatias Tóxicas Miopatia Tireotóxica A miopatia tireotóxica apresenta-se mais frequentemente

Leia mais

Conceito. Autoimunidade é uma resposta imune específica contra um antígeno ou uma

Conceito. Autoimunidade é uma resposta imune específica contra um antígeno ou uma AUTOIMUNIDADE Conceito Autoimunidade é uma resposta imune específica contra um antígeno ou uma série de antígenos próprios Doença Autoimune é uma síndrome provocada por lesão tissular ou alteração funcional

Leia mais

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual Fisiologia O ciclo menstrual para ocorrer depende de uma série de intercomunicações entre diversos compartimentos femininos. Todo o ciclo menstrual

Leia mais

Raniê Ralph Endocrino Tireóide Folículo tireoidiano Captação do iodo: Oxidação do iodo: Organificação do iodo: Formação dos hormônios tireoidianos

Raniê Ralph Endocrino Tireóide Folículo tireoidiano Captação do iodo: Oxidação do iodo: Organificação do iodo: Formação dos hormônios tireoidianos Tireóide A tireóide localiza-se no pescoço, abaixo da cartilagem de mesmo nome. Possui lobos direito e esquerdo unidos pelo istmo. Pode haver um lobo acessório, o lobo piramidal. Ela secreta hormônios:

Leia mais

Sistema Endócrino: controle hormonal

Sistema Endócrino: controle hormonal Sistema Endócrino: controle hormonal Todos os processos fisiológicos estudados até agora, como digestão, respiração, circulação e excreção, estão na dependência do sistema que fabrica os hormônios. O sistema

Leia mais