Estados Unidos: o Federal Reserve (banco central norte-americano) divulga o nível do Crédito ao Consumidor.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estados Unidos: o Federal Reserve (banco central norte-americano) divulga o nível do Crédito ao Consumidor."

Transcrição

1 07/05/2013 INDICADORES ECONÔMICOS AGENDA DO DIA Brasil: o Não há indicadores relevantes para o período. Mundo: o Estados Unidos: o Federal Reserve (banco central norte-americano) divulga o nível do Crédito ao Consumidor. NOTÍCIAS RELEVANTES PARA O SETOR DE ENERGIA Aneel cobra agilidade no caso Rede Energia e chega a falar em caducidade das concessões Fonte: Jornal energia Os diretores da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) pediram mais agilidade no que se refere à situação das oito distribuidoras da Rede Energia, que estão sob intervenção da agência reguladora desde 31 de agosto. A ação da Aneel, na época, foi motivada devido à degradação da situação financeira, econômica e operacional das empresas. Desde dezembro, porém, o grupo Rede, controlado pelo empresário Jorge Queiroz de Morais Junior, vem negociando a transferência das empresas para a CPFL Energia e a Equatorial. No entanto, segundo os diretores da Aneel, a demora na conclusão do negócio está agravando ainda mais a situação da prestação do serviço de fornecimento de energia em regiões como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo e Paraná. A Aneel tratou da revisão tarifária de quatro distribuidoras do grupo Rede - Nacional, Caiuá, Bragantina e Vale do Paranapanema, todas de São Paulo - e notou uma deterioração na qualidade do serviço de fornecimento de eletricidade nos últimos meses, levando em consideração a sinalização dos indicadores DEC e FEC, que medem, respectivamente, a duração e a frequência de interrupções de energia elétrica. Estão sob intervenção da Aneel às distribuidoras Enersul (MS), Cemat (MT), Celtins (TO), Cuiuá-D (SP), Bragantina (SP), Vale do Paranapanema (SP), Nacional (SP) e CFLO (PR). Atualmente, as empresas são administradas por três ex-diretores da agência reguladora (Jaconias de Aguiar, Jerson Kelman, e Isaac Pinto Averbuch), além do superintendente de negócios no exterior da Eletrobras, Sinval Zaidan. Segundo o Plano de Recuperação Judicial da Rede Energia, apresentado no dia 18 de março 2013 à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a CPFL e a Equatorial terão que desembolsar R$1,8 bilhão para saldar as dívidas da holding com seus credores. De acordo com dados econômicos e financeiros do grupo Rede em 31 de dezembro de 2012, as empresas acumulavam um prejuízo de R$1,44 bilhão. A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou nesta terça-feira (07/05) os reajustes tarifários de quatro empresas da Rede Energia. O aumento será de 10,66% para os consumidores residenciais da Caiuá; de 3,93% para os da CNEE; de 6,42% para os da Bragantina; e de 14,45% para os da Vale do Paranapanema. As novas tarifas das distribuidoras da Rede Energia entrarão em vigor na próxima sexta-feira (10/05). Pela regulação brasileira do setor elétrico, as empresas não poderiam aplicar os reajustes nas contas de luz por estarem inadimplentes no setor. No entanto, a situação de intervenção permite que o reajuste seja aplicado. Sendo assim, os consumidores da Caiuá na baixa tensão perceberão um efeito médio de 12,10% e na alta tensão, de 10,78%. No caso da

2 CNEE, o impacto será de 3,31% na alta e em 5,02% na baixa tensão. Já na Vale do Paranapanema, as tarifas de alta tensão vão aumentar em média 11,76% e as da baixa tensão, 14,94%. Na Bragantina, o efeito médio será de 4,51% na alta tensão e de 7,64% na baixa tensão. Somadas, essas quatro distribuidoras atendem a cerca de 630 mil unidades consumidoras. Aneel abre consultas públicas sobre outorga fotovoltaica e medição anemométricas Fonte: Jornal energia As Consultas Públicas nºs7 e 8 foram abertas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a partir de 06/05 e deverão receber contribuições até o dia 21/05. A primeira (nº7) busca colher subsídios para estabelecer condições e procedimentos para emissão de outorgas de autorização para implantação e exploração de Centrais Geradoras Fotovoltaicas, bem como para registro daquelas já implantadas com capacidade instalada reduzida. A segunda (nº8) pretende estabelecer condições e procedimentos a serem observados para instalação, operação e manutenção de estações de medição anemométricas, solarimétricas e climatológicas pelas empresas detentoras de outorgas de geração de energia a partir de fonte eólica e solar fotovoltaica. Aneel vê necessidade de acelerar recuperação do Grupo Rede Fonte: REUTERS Os diretores da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) veem necessidade de acelerar a recuperação nas empresas do Grupo Rede Energia sob intervenção, para evitar que a qualidade do serviço de distribuição de energia das companhias seja comprometida por falta de recursos para investimentos. O diretor da Aneel, Edvaldo Santana, disse que as empresas menores do Grupo Rede sob intervenção, que atuam principalmente em São Paulo, nunca tiveram problema de qualidade de serviço apesar das dificuldades financeiras que motivaram a intervenção. O diretor André Pepitone disse ainda que os interventores estão administrando as empresas sem recursos adicionais que não aqueles decorrentes da própria tarifa de energia. Oito distribuidoras do Grupo Rede Energia estão sob intervenção da Aneel desde agosto do ano passado e atualmente a Equatorial Energia junto com CPFL Energia estão em processo de aquisição das empresas, assim como da holding e outros ativos do Grupo Rede Energia. O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, disse que se reuniu com os interessados na transferência do controle do Grupo Rede na segunda-feira, para discutir o andamento do processo. Ele acrescentou, no entanto, que a transferência depende também do fim do processo de recuperação judicial da holding Grupo Rede e de outra companhias do grupo. A expectativa é que o processo seja finalizado até o fim desse semestre, segundo já afirmou a CPFL. As distribuidoras Celtins (TO), Cemat (MT), Enersul (MS), Companhia Força e Luz do Oeste (PR), Caiuá (SP), Bragantina (SP/MG), Vale Paranapanema (SP) e Nacional (SP) estão sob intervenção do governo. A Aneel ainda aprovou os reajustes das tarifas de energia de quatro distribuidoras do Grupo Rede Energia que estão sob intervenção. As novas tarifas passam a valer em 10 de maio. Os consumidores da Nacional (CNEE), que atende 106 mil clientes no interior de São Paulo, sentirão um aumento médio de 4,6% nas tarifas de energia. O aumento médio é de 3,31% para os consumidores em alta tensão, como as indústrias, e de 5,02% para os de baixa tensão, como as residências. Já a Caiuá-D, que atende 222 mil consumidores em municípios de São Paulo, terá um aumento de 11,75% a ser sentido na tarifa dos consumidores. As residências terão um aumento médio de 12,1% e as indústrias sentirão uma alta média de 10,78% nas tarifas. A Bragantina, que distribui energia para 125 mil unidades consumidores em municípios em São Paulo e Minas Gerais, terá um aumento médio na tarifa de 6,51% a ser sentida na tarifa dos consumidores. As residências sentirão um aumento médio de 7,64% e as indústrias, de 4,51%. Os cerca de 166 mil consumidores da Vale Paranapanema, empresa que atende 27 cidades no estado de São Paulo, sentirão um aumento médio de 13,94% nas tarifas. Apine volta a pedir saída dos geradores do rateio do custo das térmicas Fonte: Canal Energia A Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica se reuniu com o secretárioexecutivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann. Na pauta estava a resolução CNPE 03, que, entre outras determinações, inclui os geradores, comercializadores e distribuidores no rateio dos custos com Encargo de Serviço de Sistema por segurança energética, devido ao despacho de térmicas fora

3 da ordem de mérito. Na reunião, a Apine defendeu a alteração ou a flexibilização da resolução, de forma a minimizar o ônus que está sendo imputado aos geradores. Na semana passada, a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia entrou com uma Ação Ordinária com Pedido de Tutela Antecipada na Justiça Federal contra a CNPE 03. A Abraceel questiona o rateio do ESS-SE e diz que esse ônus sempre foi do consumidor e que passar isso para o produtor não faz sentido. Vianna, da Apine, afirmou que a hipótese dos geradores também entrarem na justiça não está descartada Rio Grande do Sul quer aumentar aproveitamento eólico na região Fonte: Jornal energia O Rio Grande do Sul está trabalhando para utilizar ao máximo seu potencial eólico, e tem criado facilidades para fomentar a indústria e a exploração de novos parques, que reúnem, atualmente, investimentos de R$4,8 bilhões. E para reforçar essa empreitada, o Estado que possui 11% do potencial eólico brasileiro, iniciará nos próximos dois meses a atualização do seu atlas eólico com medições acima de 100 metros, onde se estima 115GW de potência para geração. A previsão do Estado é divulgar o novo estudo em 10 meses, já que o potencial apontado na região utilizou medições a 50 metros, e foi realizado em 2000, pela então secretária de energia Dilma Rousseff, hoje presidente da República. Para a sua realização, um protocolo de entendimentos foi assinado com a Eletrosul. E para atrair investimentos para a região, o Estado tem criado condições e possibilidades para que o empreendedor possa investir, como ter o planejamento correto, e o licenciamento ambiental em prazo adequado. Por isso, está sendo realizado o zoneamento ambiental eólico do Rio Grande do Sul, visando ter áreas pré-licenciadas para o desenvolvimento dos parques, e o indicativo de quais regiões são propícias. Hoje quatro fábricas do setor estão instaladas no Rio Grande do Sul, sendo que a implantação de mais três está em fase de negociação. A atratividade também é dada, segundo Marco Franceschi, pela infraestrutura de logística com todas as áreas em que foi detectado o potencial, além disso, todos os empreendimentos possuem conexão para escoamento da energia gerada. Ao fato de não passar por problemas como os de empreendimentos no Nordeste, o diretor da AGDI, declara que é devido ao planejamentoe à antecipação para exploração dos parques. Já o quadro de trabalhadores tecnicamente qualificados é fruto de um programa de educação técnica do governo, em parceria com o Senai. Recentemente, a Honda Automóveis do Brasil (HAB) anunciou a construção de um parque eólico na cidade de Xangri-lá que irá suprir toda a demanda de energia de sua fábrica de automóveis, localizada na cidade de Sumaré (SP). A iniciativa prevê inicial de R$100 milhões. A energia será produzida por nove turbinas de 3MW, com capacidade instalada de 27MW, que representará a geração de 95 mil MWh/ano. Geração de energia rende R$172,8 milhões de compensação em abril Fonte: Jornal energia A compensação financeira pela utilização de recursos hídricos (CFURH) para geração de energia elétrica a municípios, estados e União, incluindo royalties (compensação financeira devida pela Usina de Itaipu) somou R$172,87 milhões em abril de 2013 e totalizou R$684,86 milhões no acumulado de janeiro a abril. Ao todo, em abril, 698 municípios de 22 estados, o Distrito Federal e a União receberam R$ 130,24 milhões a título de CFURH, enquanto a transferência de R$ 42,6 milhões de royalties chegou a 346 municípios de seis estados, DF e União. De janeiro a abril, foi distribuído um total de R$ 519,15 milhões por CFURH e R$ 165,71 milhões em royalties. Municípios ficam com 45% da arrecadação, enquanto outros 45% vão para os estados. O dinheiro pode ser aplicado em programas de saúde, educação e segurança, mas não pode ser usado para abater dívidas, a não ser que o credor seja a União, nem para o pagamento de pessoal. A União recebe os 10% restantes, que são distribuídos à Agência Nacional de Águas (ANA), ao Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) e aos ministérios do Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Amazônia Legal (MMA) e Minas e Energia (MME). Aneel rever calendário de leilões de ajuste Fonte: Canal Energia A Agência Nacional de Energia Elétrica está revendo o calendário de realização dos leilões de ajute deste ano. O 16º leilão de ajuste está previsto originalmente para a próxima quinta-feira, 9 de maio. A Câmara

4 de Comercialização de Energia Elétrica afirmou através da assessoria de imprensa, que aguarda um posicionamento da Aneel sobre a realização do certame. Já a assessoria da Aneel disse que a Comissão Especial de Licitação está analisando o calendário e deve ter uma posição sobre o assunto até a próxima quinta-feira. A decisão final será publicada no Diário Oficial da União. O leilão poderá ser remarcado ou até cancelado. O último leilão de ajuste foi realizado em março mas terminou sem comercialização de energia. O preço máximo de R$ 164 por MWh desestimulou os vendedores, que tem preços mais elevados no mercado de curto prazo. O 17º leilão de ajuste está marcado para 8 de agosto. O principal leilão de energia existente aguardado para este ano é o A-0, marcado para junho. O certame, com período de suprimento de 1º de julho de 2013 a 30 de junho de 2014, pretende atender a subcontratação das distribuidoras, ocorrida com o fim dos contratos de energia de usinas não renovadas e de contratos já revogados. As regras do certame são semelhante ao do A-1 realizado em A diretoria da Aneel ainda tem que votar o edital para definição da data exata de realização do A-0. NOTÍCIAS SOBRE ECONOMIA GERAL Produção global de café atingirá 144,7 milhões de sacas em 2012/13 Fonte: Valor econômico A produção global de café na safra 2012/13 é estimada em 144,7 milhões de sacas, aumento de 6,9% sobre a temporada anterior, segundo estimativa da Organização Internacional do Café (OIC). As principais áreas que deverão apresentar forte incremento na colheita do grão são África, Ásia e Oceania e América do Sul, de acordo com a entidade. No México e na América Central, a produção é projetada para 17,2 milhões de sacas, queda de 15,2% sobre 2011/12. A epidemia do fungo roya, causador da ferrugem, deverá provocar perdas de cerca de 2,3 milhões de sacas de café no atual ciclo, segundo dados da Promecafé, que estima efeitos mais severos em 2013/14. Além disso, há um custo social com os pequenos agricultores perdendo grande parte de suas colheitas. As exportações globais de café em março de 2013 totalizaram 9,6 milhões de sacas, alta de 3,9% sobre março de Nos primeiros seis meses do atual ano-safra (outubro de 2012 a março de 2013), a América do Sul com o Brasil respondendo por grande parte do total foi a maior exportadora do grão, com 22,645 milhões de sacas, queda de 2% sobre o mesmo período da temporada anterior. A região Ásia/Oceania ficou em segundo lugar no ranking de volume embarcado, para 20,622 milhões de sacas, alta de 13,9% sobre o intervalo anterior. Na África, as vendas externas cresceram 30,2%, para 5,429 milhões de sacas, na mesma base de comparação. Os embarques de México e América Central aumentaram 4,9%, para 7,4 milhões de sacas. O consumo mundial de café em 2012 é estimado em aproximadamente 142 milhões de sacas, aumento de 2,2% sobre O índice composto de preços da OIC recuou 1,4% em abril ante março, para US$ 1,2955 por libra-peso. Sobre abril do ano passado, a queda é de 19,3%. O indicador registrou sua menor média mensal desde maio de Juros caem na véspera de divulgação do IPCA de abril Fonte: Exame As taxas futuras de juros passaram o dia todo em queda, apesar de terem minimizado momentaneamente as perdas no meio da tarde, sobretudo nos vencimentos mais longos.tal movimento ocorreu na esteira da melhora do ambiente internacional que já se configurava desde o início. Os investidores, no entanto, deram peso maior à desaceleração mostrada pelo IPCA ponta da Fundação Getúlio Vargas (FGV), sobretudo do grupo Alimentos e Bebidas, na véspera da divulgação do índice oficial de inflação pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ao término da negociação regular na BM&FBovespa, o contrato de DI com vencimento em julho de 2013 ( contratos) marcava 7,43%, igual ao ajuste anterior. O DI com vencimento em janeiro de 2014 ( contratos) apontava mínima de 7,85%, de 7,89%. O juro com vencimento em janeiro de 2015 ( contratos) indicava 8,19%, de 8,24% na véspera. Entre os longos, o contrato com vencimento em janeiro de 2017 ( contratos) marcava 8,76%, de 8,78% ontem, e o DI para janeiro de 2021 ( contratos) estava em 9,33%, de 9,36% no ajuste anterior.o exterior reagiu bem ao aumento das encomendas à indústria da Alemanha, de +2,2% em março, ante expectativa de queda de 0,5%, e aos resultados dos bancos HSBC e Commerzbank. No mercado doméstico, o IPCA ponta, na coleta diária de inflação da FGV, mostrou nova desaceleração dos preços de alimentos. O número relativo

5 à segunda-feira mostrou que o segmento "Alimentação e Bebidas" teve alta de 0,30%, vindo de 0,48% na semana passada. O IPCA ponta caiu para 0,33%, de 0,45% na semana passada. Amanhã, o IBGE anuncia o IPCA fechado de abril. Dólar desvaloriza 0,27% com otimismo no exterior Fonte: Brasil Econômico O dólar encerrou em queda frente ao real nesta terça-feira (7/5), refletindo o otimismo nos mercados internacionais diante de sinais animadores sobre a economia alemã e da perspectiva de continuidade de estímulos monetários em todo o mundo. Os ganhos foram limitados, no entanto, pois investidores continuam a evitar grandes apostas no mercado cambial devido ao temor de novas intervenções do Banco Central. A moeda norte-americana caiu 0,27%, para R$ 2,0075 na venda. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de US$ 2,8 bilhões. O número de encomendas à indústria alemã subiu novamente em março, em um sinal animador sobre as perspectivas econômicas da principal economia da Zona do Euro. Ainda assim, declarações de autoridades europeias nessa semana sugerem que essa melhora não é suficiente para motivar o fim dos estímulos monetários implementados na região. Os dados deram novo impulso aos mercados, elevando a demanda por ativos arriscados como ações de países emergentes e pressionando para baixo as cotações do dólar. Minutos antes do fechamento, o principal índice da Bovespa avançava 1,4%. As flutuações do dólar frente ao real têm sido contidas, no entanto, pela perspectiva de que o BC intervenha no mercado caso a divisa norte-americana ultrapasse as extremidades de uma banda cambial informal ditada pelo BC. Segundo analistas, esta banda atualmente se situaria entre R$ 1,95 e R$ 2,03. Isso levou o dólar a se estabilizar em torno do patamar de R$ 2,00, considerado confortável pelas autoridades brasileiras. Analistas afirmam que a estabilidade do dólar nesse nível ajuda o setor exportador, sem causar pressões inflacionárias adicionais. NOTÍCIAS SOBRE A INDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS Instituto estima alta de 5,8% na produção de aço no Brasil em 2013 Fonte: Folha de S.Paulo O Instituto Aço Brasil estima que a produção de aço bruto no país subirá 5,8% este ano, para 36,510 milhões de toneladas, com vendas internas em alta de 7,6%. No primeiro trimestre, porém, o setor acumulou queda de 4,4% na produção (8,345 milhões de toneladas) e alta de apenas 1% nas vendas internas (5,382 milhões). Já as exportações tiveram queda de 4,6% nos três primeiros meses do ano, para 2,467 milhões de toneladas, e em valores, de 13,6%, para US$ 1,558 bilhão. As exportações, no entanto, devem cair 8,8% em 2013, para 8,9 milhões, em função de uma tímida recuperação da economia na Europa. As previsões do Iabr levam em conta um crescimento de PIB (Produto Interno Bruto) de 3,7% em O consumo aparente, que representa a soma de vendas internas mais a importação, deverá ter alta de 4,2% este ano, para 26,240 milhões de toneladas. A queda de importações, da ordem de 15,4%, para 3,2 milhões de toneladas, será provocada pelo fim da guerra dos portos, segundo o presidente do Iabr, Marco Polo de Mello Lopes. Lopes informou que o setor siderúrgico enfrenta sobra de oferta e, no momento, trabalha abaixo da sua capacidade, operando hoje com 71% do total. Produção e venda de veículos batem recorde em abril Fonte: Agência Estado A produção e venda de veículos bateram recordes históricos em abril e nos primeiros quatro meses do ano, informou o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Luiz Moan. A produção de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no mercado brasileiro somou unidades em abril de 2013, uma alta de 6,8% na comparação com março e um avanço de 30,7% ante igual período de Com o resultado, a produção acumula nos quatro primeiros meses de 2013 alta de 17% sobre a mesma base de comparação de 2012, para 1,17 milhão de unidades. Já as vendas de veículos leves somaram unidades no mês passado e no ano e as de caminhões foram de em abril,

6 para um acumulado de no ano. Ainda segundo ele, a intenção de investimentos de 2013 a 2017 no setor automotivo é de R$ 60 bilhões, mas os números devem ser revistos diante dos anúncios, como o de ontem da Fiat, que ampliou em R$ 9 bilhões, para R$ 15 bilhões os investimentos previstos para o País. De acordo com os dados da Anfavea, as exportações do setor somaram US$ 1,541 bilhão em abril, uma alta de 11,2% em relação a março e um crescimento de 15,8% na comparação com abril de No quadrimestre, as exportações movimentaram US$ 5,03 bilhões, uma alta de 2,8% ante igual período de Os valores consideram as exportações de autoveículos e máquinas agrícolas. O mês de abril encerrou com automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus exportados, um avanço de 26,5% ante março e uma alta de 13,1% sobre o mesmo período do ano passado. As vendas externas desses veículos somaram, ao final dos quatro primeiros meses deste ano, US$ 3,93 bilhões, uma alta de 4,5% sobre igual período de No primeiro quadrimestre, foram exportadas unidades de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, resultando em um avanço de 3,8% ante o mesmo período de O setor automotivo encerrou o mês de abril com empregados, o que representa uma alta de 0,5% em relação a março. Na comparação com abril de 2012, houve avanço de 5,4% no contingente de empregados, considerando autoveículos e máquinas agrícolas. O segmento de autoveículos registrou crescimento de 0,6% ante março no total de empregados, totalizando Em relação ao mesmo mês do ano passado, o avanço em abril foi de 5,8%. O segmento de máquinas agrícolas teve diminuição de 0,2% no número de empregados na comparação com março e registrou funcionários. Na comparação com abril de 2012, a alta foi de 2,9%. MAIORES ALTAS E MAIORES BAIXAS NA BOVESPA* Maiores altas da Bolsa 06/05/2013 Maiores altas da Bolsa 03/05/2013 Desempenho da Bolsa Desempenho da Bolsa DASAON NM 4,26 R$ 11,49 OGX PETROLEO ON NM 9,28 R$ 2,00 BRASIL ON NM 4,14 R$ 25,38 HY PERMARCAS ON ED NM 4,08 R$ 16,55 SANTANDER BRUNT N2 3,67 R$ 14,67 GOL PN N2 2,91 R$ 12,34 GAFISA ON NM 3,6 R$ 4,03 PETROBRAS ON EJ 1,94 R$ 19,37 JB SON ED NM 3,44 R$ 6,31 DASA ON NM 1,94 R$ 11,01 Maiores altas da Bolsa 06/05/2013 Maiores altas da Bolsa 03/05/2013 Desempenho da Bolsa Desempenho da Bolsa TELEF BRASIL PN -2,95 R$ 52,55 OI PN N1-5,86 R$ 4,33 OGX PETROLEO ON NM -2,54 R$ 1,92 B2W VAREJO ON NM -5,31 R$ 11,41 GERDAU PN N1-2,07 R$ 15,14 ELETROBRAS PNB EJ N1** -5,29 R$ 8,05 GERDAU METPN N1-2,03 R$ 19,28 PDG REALT ON NM -5,24 R$ 2,17 ROSSI RESIDON NM -1,18 R$ 3,34 BROOKFIELD ON NM -4,52 R$ 2,11 * Referente ao fechamento do dia anterior. **Empresas do setor de energia. Fonte: BMF & Bovespa/Elaboração própria.

7 TAXAS DE CÂMBIO Câmbio 07/05/2013 Dólar EUA(Ptax*) Compra Venda 2,0104 2,0110 Euro (Ptax*) Compra Venda 2,6302 2,6312 *Ptax é a média das taxas de câmbio informadas pelos dealers durante 4 janelas do dia. Fonte: BACEN/Elaboração própria. CONTINUOS COMMODITY INDEX CRB (Commodity Research Bureau) - Continuous Commodity Index * Índices - Spot (1967=100) Hoje (07/05/2013) PrevisãoTendência da previsãovariação (%) Ano anterior Variação (%) Metais 843,02 843,19-0,17 903,18-60,16 Produtos Têxteis 288,5 287,77 0,73 284,61 3,89 Matérias primas 524,84 525,07-0,23 538,86-14,02 Produtos alimentícios 410,84 413,22-2,38 421,12-10,28 Gorduras e óleos 466,98 470,2-3,22 505,36-38,38 Pecuária 602,85 603,87-1,02 610,44-7,39 CRB SPOT INDEX 474,96 476,21-1,25 487,32-12,36 *Índice internacionalmente reconhecido que mede o movimento geral de preços das commodities. Fonte: CRBTrader/Elaboração própria.

8 ÁREAS DE ATUAÇÃO DAIMON: Regulação: A Daimon atua fortemente na Regulação do setor energético brasileiro. Através de Consultorias, Estudos e Pesquisa & Desenvolvimento, nossa equipe está totalmente capacitada e preparada para atender as demandas mais complexas deste mercado. Software: Desenvolvemos sistemas computacionais altamente especializados para o setor elétrico. Nossas ferramentas são utilizadas pelas maiores empresas de distribuição do país nos segmentos de operação, proteção, perdas, tarifas, mercado, confiabilidade e muito mais. Engenharia: A Daimon tem destacada participação no programa de Pesquisa & Desenvolvimento do setor elétrico brasileiro. A Empresa conta em seu corpo técnico com vários pesquisadores oriundos de conceituadas universidades brasileiras, em particular, da Escola Politécnica da USP, onde boa parte desenvolve ou já desenvolveu trabalhos acadêmicos de mestrado e doutorado com significativas contribuições teóricas. Novos Negócios: Eficiência e Gestão Energética, smart grids, são exemplos de projetos desenvolvidos pela equipe de novos negócios Daimon. Atenta as novas demandas e em busca de melhorias contínuas a Daimon desenvolve novos negócios em linha com as necessidades do setor energético nacional. DAIMON, ESPECIALISTAS EM ENERGIA. Engenharia Av Paulista, Cj 22 B Bela Vista CEP: São Paulo Brasil / Software Regulação Novos Negócios A reprodução, inteira ou em parte, em qualquer forma ou meios, sem a expressa autorização por escrito da Daimon Engenharia e Sistemas não é permitida. Esta newsletter contém informações que são designadas somente aos seus destinatários. Consequentemente qualquer publicação, duplicação, distribuição ou qualquer ação tomada neste sentido é proibida e ilegal.

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas CAFÉ CAFÉ Bolsas BM&F ICE FUTURES Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação Fechamento Máxima Mínimo Variação set/13 144,45 150,00 143,95-4,05 120,60 124,25 119,35-2,85 dez/13 148,50

Leia mais

Spinelli Panorama Diário

Spinelli Panorama Diário Spinelli Panorama Diário 09 de fevereiro de 2010 Indicadores Variação - % Pontos dia semana mês Bolsas Ibovespa 63.153 0,62 0,62-3,44 IBX 19.989 0,47 0,47-3,70 S&P500 1.056-0,89-0,89-1,60 Dow Jones 9.908-1,04-1,04-1,58

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quarta-feira, 18 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 133,50 0,00 0,00-4,85 SET13 111,05 114,75 111,10-3,75

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana #100 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Dólar sem freios Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana Festa no exterior Brasileiros continuam gastando cada vez mais fora

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: PIB e Juros... Pág.3 Europa: Recuperação e Grécia... Pág.4

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Mudanças aumentam atratividade

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Mudanças aumentam atratividade Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Mudanças aumentam atratividade Duas importantes medidas foram anunciadas no fim de março pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para tornar

Leia mais

A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL

A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL ANÁLISE ECONÔMICA DA CSN DE SETEMBRO DE 2011 Cenário Internacional 2011 foi marcado por um ambiente econômico de instabilidade, agravamento da crise européia.

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas CAFÉ CAFÉ Bolsas BM&F ICE FUTURES Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação SET13 136,80 136,50 135,80-1,80 SET 113,50 115,70 113,25-1,45

Leia mais

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem queda, mas encerra mês em alta Mercado vê inflação maior e PIB baixo em 2015 Casino vai acelerar expansão do Pão de Açúcar Minério de ferro cai 48% e tem pior cenário Brokers fecha

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas segunda-feira, 23 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 134,55 0,00 0,00 0,00 DEZ13 117,75 121,95 121,50-1,25

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

BOLETIM DE NOTÍCIAS. Janela de Negócios. Market News. Edital do Leilão de Geração A-1 entra em audiência pública. 5 de outubro de 2015

BOLETIM DE NOTÍCIAS. Janela de Negócios. Market News. Edital do Leilão de Geração A-1 entra em audiência pública. 5 de outubro de 2015 BOLETIM DE NOTÍCIAS Janela de Negócios Demanda de Energia I5: Períodos de Suprimento Montante em (MW médios) Ideia de preço (NÃO É PROPOSTA) 1º trimestre 2016 Até 5 R$185/MWm Demanda de Energia Convencional:

Leia mais

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano Mais um plano CONJUNTURA ECONÔMICA A chave da agenda positiva tão perseguida pelo governo federal em tempos de crise política e volta da inflação parece ser a preservação dos empregos. Na última terça-feira

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Atraso afeta as obras de geração e distribuição no País

Atraso afeta as obras de geração e distribuição no País Atraso afeta as obras de geração e distribuição no País SETEMBRO 23, 2014 by ABEGAS REDACAO in NOTÍCIAS Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) constatou grandes atrasos nas obras de geração e transmissão

Leia mais

Em resumo, tarifa de energia elétrica dos consumidores cativos é, de forma um pouco mais detalhada, constituída por:

Em resumo, tarifa de energia elétrica dos consumidores cativos é, de forma um pouco mais detalhada, constituída por: A Tarifa de Energia O que é a tarifa de energia? Simplificadamente, a tarifa de energia é o preço cobrado por unidade de energia (R$/kWh). Em essência, é de se esperar que o preço da energia elétrica seja

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA SEMANA DE 21 A 25 DE SETEMBRO de 2009 Semana de preço estável no mercado de Boi Gordo no Rio Grande do Sul, com o preço encerrando a semana a R$ 4,61/kg carcaça.

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

1 a 15 de setembro de 2011

1 a 15 de setembro de 2011 1 a 15 de setembro de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quinta-feira, 12 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 140,25 0,00 0,00 4,40 SET13 116,45 116,00 114,00

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) 07 de Junho de 2013 MERCADOS Bolsa A Bolsa segue influenciada pela fragilidade do cenário externo e somente conseguiu uma recuperação no final da tarde, com alta de 0,16%, aos 52.845 pontos. O giro financeiro

Leia mais

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SEMANA DE 29 DE OUTUBRO A 1º DE NOVEMBRO Um dos destaques desta semana é a reportagem do UOL sobre o recuo de 1% na produção industrial brasileira, entre setembro

Leia mais

Terça-feira 02 de Setembro de 2014. DESTAQUES

Terça-feira 02 de Setembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Após pesquisa, Ibovespa testa 62 mil pontos Produção industrial avança em julho Empresas do país têm valor comercial recorde Marcopolo entra na nova carteira do Ibovespa Óleo e Gás conclui etapa

Leia mais

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015 18/05/2015 EconoWeek DESTAQUE INTERNACIONAL Semana bastante volátil de mercado, com uma agenda mais restrita em termos de indicadores macroeconômicos. Entre os principais destaques, os resultados de Produto

Leia mais

Grupo Energisa Apresentação Institucional 2º trimestre de 2014

Grupo Energisa Apresentação Institucional 2º trimestre de 2014 Grupo Energisa Apresentação Institucional 2º trimestre de 2014 Apresentação Grupo Energisa Aspectos Técnicos e Comerciais Aspectos financeiros Crescimento 2 Grupo Energisa 3 Aquisição do Grupo Rede Em

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Carteira Recomendada RENDA FIXA segunda-feira, 1 de junho de 2015

Carteira Recomendada RENDA FIXA segunda-feira, 1 de junho de 2015 1. Alocação recomendada para Junho de 2015 Classe de Ativo Carteira Conservadora* Carteira Moderada* Carteira Agressiva* Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Pós-Fixado

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa interrompe série de altas Dólar cai após seis altas com ação do BC Tesouro dá liquidez aos títulos Latam registra prejuízo líquido no 2º tri Itaú renova acordo com Fiat Faturamento da Minerva

Leia mais

Energia Solar Fotovoltaica

Energia Solar Fotovoltaica Energia Solar Fotovoltaica Dr. Rodrigo Lopes Sauaia Diretor Executivo São Paulo 12/05/2015 Energia Solar Fotovoltaica 2 Quem Somos Reúne empresas nacionais e internacionais de toda a cadeia produtiva do

Leia mais

Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná

Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná A FAEP tem solicitado ao governo federal que libere os recursos anunciados de R$ 5,6 bilhões na Política de Garantia de Preços Mínimos

Leia mais

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM)

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Boletim n.º 05 1º trimestre de O AMBIENTE ECONÔMICO Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Atividade econômica A economia brasileira, medida pelo desempenho do Produto Interno

Leia mais

Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida

Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida Secretário de Infraestrutura Energia Renovável em Pernambuco Desenvolvimento Técnico,

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa já iniciou o ano novo indicando que será mais um período de muita volatilidade para as ações. Diante de um cenário de grandes incertezas do lado doméstico e de olho nos acontecimentos

Leia mais

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão 16 a 31 de agosto de 2012 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

SOL Maior fonte de energia da Terra. A Cadeia de Valor para a Geração Fotovoltaica no Brasil Newton Duarte Vice Presidente Executivo da COGEN

SOL Maior fonte de energia da Terra. A Cadeia de Valor para a Geração Fotovoltaica no Brasil Newton Duarte Vice Presidente Executivo da COGEN termosolar fotovoltaica SOL Maior fonte de energia da Terra A Cadeia de Valor para a Geração Fotovoltaica no Brasil Newton Duarte Vice Presidente Executivo da COGEN 17/09/2014 Relatório GT COGEN SOLAR

Leia mais

Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional

Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional Encontro Econômico Brasil-Alemanha Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional Jackson Schneider Presidente Anfavea Blumenau, 19 de novembro de 2007 1 Conteúdo 2 1. Representatividade

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015 Como Presidente e Gestora do Instituto de Previdência

Leia mais

Seja um Profissional em Energia Solar

Seja um Profissional em Energia Solar Seja um Profissional em Energia Solar Nós, da Blue Sol, acreditamos no empoderamento de todos os consumidores de energia elétrica no Brasil através da possibilidade de geração própria da energia consumida.

Leia mais

Spinelli Panorama Diário

Spinelli Panorama Diário Spinelli Panorama Diário 18 de setembro de 2009 Indicadores Análise Gráfica Ibovespa: Após o teste do suporte de 55.300 pontos, o Ibovespa registrou forte recuperação, superou a resistência de 57.300 pontos,

Leia mais

Preço Futuro da Energia Elétrica" Paulo Cezar C. Tavares Presidente da SOLenergias

Preço Futuro da Energia Elétrica Paulo Cezar C. Tavares Presidente da SOLenergias Preço Futuro da Energia Elétrica" Paulo Cezar C. Tavares Presidente da SOLenergias ÍNDICE 1. Antecedentes 2. Eventos relevantes para formação do Preço 2.1 MP 579 (lei 12.783 ) 2.2 CNPE 03 2.3 PRT 455 2.4

Leia mais

Terça-feira 14 de Outubro de 2014. DESTAQUES

Terça-feira 14 de Outubro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Investidor reforça aposta na oposição Vox Populi mostra empate técnico Estimativa da OGX aumenta em 15 mi barris Cyrela tem queda nos lançamentos e vendas no 3º tri TRF adia decisão sobre liminar

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: MARÇO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO II RELATÓRIO ANALÍTICO 15 1 CONTEXTO ECONÔMICO A quantidade e a qualidade dos serviços públicos prestados por um governo aos seus cidadãos são fortemente influenciadas pelo contexto econômico local, mas

Leia mais

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Petrobras é alvo de vendas e puxa correção da bolsa Hypermarcas prevê aumento de preços de produtos de consumo Lopes vende participação majoritária na Dall'Oca Tractebel vê tendência de crescimento

Leia mais

Importações de aço acima do previsto em 2013

Importações de aço acima do previsto em 2013 Aço AÇO BRASIL DEZEMBRO 5 anos 0 I N F O R M A 23ª 23EDIÇÃO DEZEMBRO 2013 Importações de aço acima do previsto em 2013 As importações de produtos siderúrgicos deverão ser de 3,8 milhões de toneladas em

Leia mais

DESTAQUES. Ibovespa renova máxima no ano Eletrobrás capta r$ 6,5 bilhões com BB e Caixa Lucro da Embratel sobe 10%

DESTAQUES. Ibovespa renova máxima no ano Eletrobrás capta r$ 6,5 bilhões com BB e Caixa Lucro da Embratel sobe 10% DESTAQUES Ibovespa renova máxima no ano Eletrobrás capta r$ 6,5 bilhões com BB e Caixa Lucro da Embratel sobe 10% Receita bruta da JSL no 2º trimestre sobe 20,4% Aliansce tem alta de 8,6% nos aluguéis

Leia mais

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento 12 de janeiro de 2015 Relatório Semanal de Estratégia de Investimento Destaques da Semana Economia internacional: Deflação na Europa reforça crença no QE (22/11); Pacote de U$1 trilhão em infraestrutura

Leia mais

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

BOA NOITE INVESTIDOR: Bovespa ajusta, Europa ganha e WS recua com dólar

BOA NOITE INVESTIDOR: Bovespa ajusta, Europa ganha e WS recua com dólar ÚLTIMO INSTANTE - 11/03/2015 às 18h28 BOA NOITE INVESTIDOR: Bovespa ajusta, Europa ganha e WS recua com dólar Ásia perde com expectativa para decisão do Federal Reserve Os principais mercados acionários

Leia mais

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 1 Senhores Associados: RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 Temos a satisfação de apresentar o Relatório da Gestão e as Demonstrações Contábeis da CREDICOAMO Crédito Rural Cooperativa, relativas às atividades desenvolvidas

Leia mais

Índice Setorial Comerc (junho 2013)

Índice Setorial Comerc (junho 2013) PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) PLD - ª Semana de Agosto de 203 Agosto (27.07.203 a 02.08.203) PLD médio PLD médio 2 R$/MWh Sudeste Sul Nordeste Norte Sudeste 53,22 53,05 Pesada 55,55 55,55 55,55

Leia mais

CAFÉ. Conab Companhia Nacional de Abastecimento SGAS Quadra 901, Bloco 901, Bloco A, Lote 69 70390-010 Brasília-DF Tel 61 3312 6000 www.conab.gov.

CAFÉ. Conab Companhia Nacional de Abastecimento SGAS Quadra 901, Bloco 901, Bloco A, Lote 69 70390-010 Brasília-DF Tel 61 3312 6000 www.conab.gov. CAFÉ Jorge Queiroz 1. MERCADO INTERNACIONAL Segundo o USDA, a produção mundial de café deverá atingir no ano 2009/2010, um total de 127,4 milhões de sacas. Entretanto, a OIC (Organização Internacional

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: JULHO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2015 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano

Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano Page 1 of 5 Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano Carolina Medeiros, da Agência CanalEnergia, Reportagem Especial

Leia mais

Cenário Macroeconômico

Cenário Macroeconômico INSTABILIDADE POLÍTICA E PIORA ECONÔMICA 24 de Março de 2015 Nas últimas semanas, a instabilidade política passou a impactar mais fortemente o risco soberano brasileiro e o Real teve forte desvalorização.

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O mês de março de 2015 foi marcado pelo anúncio dos principais resultados da economia de 2014 e deste início de 2015. Dentre eles destacaramse o PIB, taxa de desemprego nas principais

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 1/2 Julho de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

Segunda-feira, 03 de Fevereiro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira, 03 de Fevereiro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa perde 7,5% em janeiro Mercado eleva projeção para a Selic Petrobras terceiriza parte das refinarias BTG mira mercado de previdência Localiza tem lucro líquido de R$90 milhões Cade aprova

Leia mais

Terça-feira, 03 de Setembro de 2013. DESTAQUES

Terça-feira, 03 de Setembro de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa beira os 52 mil pontos Estrangeiros ampliam aposta na alta Produção da Petrobras no Brasil cai 4,6% Produção industrial muda de direção e cai 2% ATS tenta acelerar estreia no Brasil Disputa

Leia mais

Quarta-feira, 26 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Quarta-feira, 26 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa reduz ganhos no fechamento, pressionada por Wall Street Petrobras amplia exigências à Sete Brasil Por Lucro das empresas de capital aberto no Brasil cresce no 2º trimestre FGV: Índice

Leia mais

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao nível de 2009 com tensão global CCR tem expectativa positiva de crescimento para o próximo ano Ações PNA da Vale fecham na menor cotação desde 2006 Corte de produção na China e

Leia mais

Comercialização de Energia Elétrica no Brasil III Seminário: Mercados de Eletricidade e Gás Natural Investimento, Risco e Regulação

Comercialização de Energia Elétrica no Brasil III Seminário: Mercados de Eletricidade e Gás Natural Investimento, Risco e Regulação Comercialização de Energia Elétrica no Brasil III Seminário: Mercados de Eletricidade e Gás Natural Investimento, Risco e Regulação Élbia Melo 12/02/2010 Agenda O Setor Elétrico Brasileiro Comercialização

Leia mais

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Por Prof. Dr. Sergio De Zen e Graziela Correr; Equipe Pecuária de Corte Se, de um lado, a forte alta do dólar frente ao Real tem contribuído para elevar

Leia mais

ANEEL: 13 anos de atuação no mercado elétrico brasileiro

ANEEL: 13 anos de atuação no mercado elétrico brasileiro Seminário - ABDIB ANEEL: 13 anos de atuação no mercado elétrico brasileiro Romeu Donizete Rufino Diretor da ANEEL 8 de dezembro de 2010 São Paulo - SP 1997 1998 1999 2000 2001 2002 Início das atividades,

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO PANORAMA RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO SEMANA DE 10 A 14 DE AGOSTO de 2009 Semana de nova estabilidade no preço do Boi Gordo no mercado físico do Rio Grande do Sul, fechando a semana em R$ 5,28/kg

Leia mais

Concessões de Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica: Perguntas e Respostas

Concessões de Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica: Perguntas e Respostas Concessões de Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica: Perguntas e Respostas Perguntas mais frequentes sobre o marco institucional das Concessões Vincendas de Energia Elétrica Setembro

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa Ontem, a Bovespa não conseguiu acompanhar os mercados internacionais, com o peso das principais ações do índice - OGX, Vale e Petrobras - além de bancos e siderúrgicas. O Ibovespa encerrou

Leia mais

Milho Período: 11 a 15/05/2015

Milho Período: 11 a 15/05/2015 Milho Período: 11 a 15/05/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,0203 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

Desempenho de vendas do setor segue forte

Desempenho de vendas do setor segue forte Macro Setorial segunda-feira, 20 de maio de 2013 Veículos Desempenho de vendas do setor segue forte Depois de obter recorde na venda de automóveis e comerciais leves em 2012, impulsionado por incentivos

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS

INDICADORES FINANCEIROS Relatório 2014 Um Olhar para o Futuro DESEMPENHO ECONÔMICO ECONÔMICA www.fibria.com.br/r2014/desempenho-economico/ 126 INDICADORES FINANCEIROS A Fibria encerrou 2014 com lucro líquido de R$ 163 milhões,

Leia mais

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas 1 O conturbado cenário nacional Economia em recessão: queda quase generalizada do PIB no 2º trimestre de 2015, com expectativa de

Leia mais

Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE

Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE Richard Lee Hochstetler Instituto Acende Brasil Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE MERCADO DE ENERGIA:

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa de juros Selic em 0,5 p.p., a 14,25% ao ano, conforme esperado pelo mercado. A decisão ocorreu após elevação de 0,5 p.p no último encontro.

Leia mais

Edição 40 (Março/2014)

Edição 40 (Março/2014) Edição 40 (Março/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação oficial acelera por alimentos e transportes (Fonte: Terra) O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) avançou 0,73% em março

Leia mais

Máquinas e Equipamentos de Qualidade

Máquinas e Equipamentos de Qualidade Máquinas e Equipamentos de Qualidade 83 A indústria brasileira de máquinas e equipamentos caracteriza-se pelo constante investimento no desenvolvimento tecnológico. A capacidade competitiva e o faturamento

Leia mais

II SEMINÁRIO NACIONAL PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS E MICROGERAÇÃO

II SEMINÁRIO NACIONAL PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS E MICROGERAÇÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA II SEMINÁRIO NACIONAL PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS E MICROGERAÇÃO Luiz Eduardo Barata Secretário-Executivo CÂMARA DOS DEPUTADOS Brasília, 22 de setembro de 2015 Energia

Leia mais

Agronegócio Internacional

Agronegócio Internacional Boletim do Agronegócio Internacional Agronegócio Internacional Recordistas de vendas no valor total exportado pelo Brasil jan-jul 2014/2013 Edição 03 - Agosto de 2014 O agronegócio representou 44% das

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

Milho Período: 16 a 20/03/2015

Milho Período: 16 a 20/03/2015 Milho Período: 16 a 20/03/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,2434 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009

Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009 Nota à Imprensa 11 de maio de 2009 Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009 O preço médio do barril do petróleo tipo Brent caiu 55%, passando de US$ 97 no 1º trimestre de 2008

Leia mais

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema Duas importantes medidas foram anunciadas no fim de março pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para tornar mais

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas sexta-feira, 13 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 139,70 0,00 0,00-0,55 SET13 116,25 116,10 115,75-0,20

Leia mais

Panorama Econômico Abril de 2014

Panorama Econômico Abril de 2014 1 Panorama Econômico Abril de 2014 Alerta Esta publicação faz referência a análises/avaliações de profissionais da equipe de economistas do Banco do Brasil, não refletindo necessariamente o posicionamento

Leia mais

1º a 15 de agosto de 2011

1º a 15 de agosto de 2011 1º a 15 de agosto de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Valor Online 23/11/2015 Bandeira verde pode dar alívio maior para inflação em 2016

Valor Online 23/11/2015 Bandeira verde pode dar alívio maior para inflação em 2016 Valor Online 23/11/2015 Bandeira verde pode dar alívio maior para inflação em 2016 A demanda menor por energia, aliada a uma possível melhora do regime de chuvas no próximo verão, pode ajudar na recuperação

Leia mais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ANÁLISE MENSAL DO MERCADO DE BIODIESEL: EDIÇÃO Nº 13 FEVEREIRO DE 214 A, documento elaborado pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ABIOVE, possui o intuito de levar ao mercado informações

Leia mais

Apresentação CEI. Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica

Apresentação CEI. Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica Apresentação CEI Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica A CEI é produtora independente de energia em MG, com 9 usinas em operação, 15 empreendimentos hidrelétricos em desenvolvimento (130MW) e

Leia mais

Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas econômicas do governo

Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas econômicas do governo Cliente: Trade Energy Veículo: Portal R7 Assunto: Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas Data: 21/01/2015 http://noticias.r7.com/economia/saiba-o-que-vai-mudar-no-seu-bolso-com-as-novas-medidaseconomicas-do-governo-21012015

Leia mais

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR Situação Atual do Setor Têxtil e de Confecção Aguinaldo Diniz Filho Presidente da Abit Brasília, 19 de junho de 2013 PERFIL DO SETOR ESTRUTURA DA CADEIA TEXTIL E DE CONFECÇÃO

Leia mais

VIII CONSE VIII CONSE. Sao Paulo - 24, 25 e 26 de setembro de 2012. Apresentação. Carlos Monte

VIII CONSE VIII CONSE. Sao Paulo - 24, 25 e 26 de setembro de 2012. Apresentação. Carlos Monte VIII CONSE Sao Paulo - 24, 25 e 26 de setembro de 2012 Apresentação Carlos Monte Conceitos Gerais A Engenharia é a profissão do Crescimento. Mais emprego, melhores sálarios e inclusão social com distribuição

Leia mais