Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012)"

Transcrição

1 Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012) 1. Andre Asevedo Nepomuceno (UFF) Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias que decaem em um par de elétrons ou muons. A atividade consiste na análise dos dados do ATLAS com foco na busca de novas partículas, implementando modelos em geradores de eventos, usando simulações computacionais, analisando erros estatísticos e sistemáticos, fazendo validação de eventos simulados, validação de software de reconstrução, calculando incertezas das Pdfs, etc. Um dos responsáveis pela análise que interpretou os dados do ATLAS em termos de modelos de torção (novo campo vetorial), produzindo os primeiros limites experimentais nos parâmetros nesta teoria. Análise de torção baseada em artigos de fenomenologia elaborados pelo grupo brasileiro do ATLAS em que é um dos co-autores. Neste ano de 2012 participou da elaboração de artigo, já aceito pelo JHEP, com dados de colisão a energia de 7 TeV e de uma nota de conferência com dados de colisão a 8 TeV. Atualmente orienta um aluno de pós-graduação com assunto relacionado ao ATLAS. 2. Augusto Santiago Cerqueira (UFJF) Coordenador do grupo da Universidade Federal de Juiz de Fora no cluster ATLAS/Brasil, representando a instituição junto ao CERN. No ATLAS, desempenha atividades relacionadas à calorimetria do experimento, com foco principal no calorímetro hadrônico de Telhas (TileCal) e sua interface com o sistema de filtragem on-line. É membro ativo do grupo TileCal, desenvolvendo atividades de pesquisa relacionadas a instrumentação eletrônica, detecção e estimação, inteligência computacional e desenvolvimento de algoritmos de otimização para o sistema de filtragem on-line. Junto ao TileCal, tem participado ativamente do programa de upgrade para alta luminosidade, estando envolvido principalmente na eletrônica de aquisição de dados on-line e na sua interface com o sistema de filtragem on-line.

2 Neste ano de 2012, orientou duas dissertações de mestrado com temas relacionados ao ATLAS. Dezembro concluirá uma orientação de doutorado conjuntamente com o prof. José Manoel de Seixas com tema relacionado ao ATLAS. 3. Carmen Lucia Lodi Maidantchik (UFRJ) Coordenadora do projeto Glance, tecnologia de acesso a banco de dados heterogêneos utilizada no desenvolvimento de 14 sistemas Web para gerenciar pessoas, equipamentos e publicações do ATLAS. Responsável pelo projeto de soluções tecnológicas para apoiar o ATLAS Management no rastreamento das peças do detector, dosagem da radioatividade, cooperação no processo de elaboração de documentos científicos, gerenciamento de atribuições e responsabilidade dos membros, etc. Coordenadora da colaboração junto aos experimentos LHCb e ALICE para o desenvolvimento de sistemas Web que utilizam o Glance para gerenciar equipamentos e colaboradores. Coordenadora dos projetos de desenvolvimento dos softwares de controle, monitoramento da operação, qualidade de dados, calibração e análise de testes do Calorímetro de Telhas do ATLAS. Responsável pelo projeto Tile-In-One do TileCal. 4. Fernando Marroquim (UFRJ/UFSJ) Coordenador do cluster ATLAS/Brasil. Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias que decaem em um par de elétrons ou muons. A atividade consiste na análise dos dados do ATLAS com foco na busca de novas partículas, implementando modelos em geradores de eventos, usando simulações computacionais, analisando erros estatísticos e sistemáticos, fazendo validação de eventos simulados, validação de software de reconstrução, calculando incertezas das pdfs, etc. Um dos responsáveis pela análise que interpretou os dados do ATLAS em termos de

3 modelos de torção (novo campo vetorial), produzindo os primeiros limites experimentais nos parâmetros desta teoria. Análise de torção baseada em artigos de fenomenologia elaborados pelo grupo brasileiro do ATLAS em que é um dos co-autores. Neste ano de 2012 participou da elaboração de artigo, já aceito pelo JHEP, com dados de colisão a energia de 7 TeV e de uma nota de conferência com dados de colisão a 8 TeV Atuamente orienta um aluno de pós-graduação e um aluno de Iniciação Científica. Os dois com atividades relacionadas ao ATLAS. 5. Jose Manoel de Seixas (UFRJ) Deputy do cluster ATLAS/Brasil. Atuação junto ao Tilecal (estimação de energia, deteção de múons, projetos de instrumentação eletrônica, trigger de primeiro nível), Projetos de upgrade para a SuperRod (reconstrução de energia) e para o trigger de primeiro nível) e à colaboração Trigger/DAq (nível um - monitoração online, calibração) e de nível 2 (canal elétron/jato, infraestrutura de configuração e teste). Participação no Steering Committee do Trigger/DAq. Trabalha junto ao ATLAS Outreach, visando a divulgação do ATLAS no Brasil, através de visitas virtuais ao ATLAS com alunos de ensino médio e de graduação. Foram feitas 03 visitas virtuais em Luciano Manhães Andrade Filho (UFJF) Desenvolvimento e implementação em hardware de algoritmos para estimação de energia e fase no calorímetro Hadrônico (TileCal) do ATLAS. Participação no projeto do novo sistema de leitura (Read Out Drivers - ROD) do TileCal. Processamento digital em FPGA para reconstrução de energia em ambiente com alto nível de pile-up, com projeção para o upgrade do ATLAS/LHC 7. Luiz Pereira Calôba (UFRJ)

4 Participação nos projetos de instrumentação eletrônica (Tilecal) e de trigger de nível Marco Aurelio Lisboa Leite (USP) Coordenador do grupo da Universidade de São Paulo (USP) no cluster ATLAS/Brasil, representando a instituição junto ao CERN. Vice-coordenador do ZDC. Responsável pelo desenvolvimento e manutenção dos códigos de análise e monitoramento do ZDC dentro do "framework" ATHENA do ATLAS. Atua na implantação e disponibilização do primeiro gerador de eventos para dissociação eletromagnética (RELDIS) para íons pesados no ATLAS, tanto na implementação como na validação desse gerador e no desenvolvimento de algoritmos para a luminosidade "bunch by bunch" através da informação de trigger do sistema de dados "offline" e colisões Pb+Pb. Coordena a construção do sistema de testes na USP para o teste de circuitos digitalizadores do ATLAS quanto a sua tolerância à radiação para o futuro programa de upgrade do sistema de calorimetria do ATLAS. Desenvolvimento de algoritmos para análise de dados em colisões Pb+Pb no ATLAS na região dianteira do ATLAS Determinação da luminosidade e seção de choque hadrônica e de dissociação eletromagnética a partir de varreduras van der Meer em Pb+Pb Implementação e validação de geradores de eventos para dissociação eletromagnética no ATLAS (RELDIS) Estudos da implementação de alta segmentação no trigger do ATLAS utilizando SuperCells (LAr) Testes do efeito da radiação em componentes para o upgrade do sistema de calorimetria do ATLAS. Orientou uma tese de mestrado em 2012 com assunto relacionado ao ATLAS. Atualmente orienta um aluno de iniciação científica, um de mestrado e um de doutorado em temas ligados ao ATLAS Trabalha junto ao ATLAS Outreach, visando a divulgação do ATLAS no Brasil, através de visitas virtuais ao ATLAS com alunos de ensino médio e de graduação.

5 9. Maria Aline Barros do Vale (UFSJ) Coordenador do grupo da Universidade Federal de São João del Rei no cluster ATLAS/Brasil, representando a instituição junto ao CERN. Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias que decaem em um par de elétrons ou muons. A atividade consiste na análise dos dados do ATLAS com foco na busca de novas partículas, implementando modelos em geradores de eventos, usando simulações computacionais, analisando erros estatísticos e sistemáticos, fazendo validação de eventos simulados, validação de software de reconstrução, calculando incertezas das pdfs, etc. Um dos responsáveis pela análise que interpretou os dados do ATLAS em termos de modelos de torção (novo campo vetorial), produzindo os primeiros limites experimentais nos parâmetros desta teoria. Análise de torção baseada em artigos de fenomenologia elaborados pelo grupo brasileiro do ATLAS em que é um dos co-autores. Neste ano de 2012 participou da elaboração de artigo, já aceito pelo JHEP, com dados de colisão a energia de 7 TeV e de uma nota de conferência com dados de colisão a 8 TeV Atuamente orienta um aluno de pós-graduação, coorienta um outro aluno de pós-graduação e orienta dois alunos de Iniciação Científica. Todos com atividades relacionadas ao ATLAS. 10.Marisilvia Donadelli (PosDosc, USP) Atuação no grupo de íons pesados e no subsistema de detetores dianteiros do ATLAS (ZDC - Zero Degree Calorimeter). Responsável pela utilização dos dados do ZDC no estudo da determinação da seção de choque em processos hadrônicos e de dissociação eletromagnética em colisões de íons pesados a energias do LHC, envolvendo a comparação dos dados com os geradores de eventos (HIJING para processos hadrônicos e RELDIS para processos eletromagnéticos), resultando em nota de análise interna do ATLAS. Trabalhou junto ao Task Force de luminosidade do ATLAS para modificar e implantar os algoritmos utilizados em próton-próton para o caso de íons pesados.

6 Colaborou na tomada de dados de próton-próton em 2012 e realizou atividades de divulgação do experimento em escolas secundárias. Responsável pela adaptação e preparação de material específico para a divulgação do ATLAS e o programa do LHC para o público brasileiro. 11.Yara do Amaral Coutinho Atualmente em fase de qualificação junto ao TILECAL para ser autora. Esta qualificação deverá ser concluída em setembro/2013. Atividade inicial de qualificação: Analysis of the Tilecal Quality Factor Algorithms. Membro do grupo de física exótica do ATLAS em particular a procura por novas ressonâncias que decaem em dileptons de mesmo sinal de acordo com extensões do MP. Trabalha junto ao ATLAS Outreach, visando a divulgação do ATLAS no Brasil, através de visitas virtuais ao ATLAS com alunos de ensino médio e de graduação. Foram feitas 03 visitas virtuais em Artigos de fenomenologia submetidos em fase de revisão relativos a Física no LHC: "Vector-bilepton Contribution to Four Lepton Production at the LHC" E. Ramirez Barreto (UFABC), Y. A. Coutinho (IF - UFRJ), J. Sá Borges (IF UERJ). "Mirror matter, inverse seesaw neutrino masses and the Higgs mass spectrum" M. M. Candido, Y. A. Coutinho, P. C. Malta, J. A. Martins Simões, A. J. Ramalho (IF -UFRJ) "Lepton number violation and the minimum scheme for massive neutrinos" Y. A. Coutinho, P. C. Malta, J. A. Martins Simões, A. J. Ramalho (IF -UFRJ) Artigo em fase de redação: Z' from 331 model at the LHC, Y. A. Coutinho, V. S. Guimarães (IF-UFRJ), A. A. Nepomuceno (PURJ -UFF).

Lista de Atividades dos Autores do ATLAS

Lista de Atividades dos Autores do ATLAS Lista de Atividades dos Autores do ATLAS 1. Andre Asevedo Nepomuceno (UFF) Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias que decaem em um par de elétrons ou muons.

Leia mais

REDE NACIONAL DE FÍSICA DE ALTAS ENERIAS COMITÊ TÉCNICO CIENTÍFICO. Fomulário para apresentação de projetos à RENAFAE 2013

REDE NACIONAL DE FÍSICA DE ALTAS ENERIAS COMITÊ TÉCNICO CIENTÍFICO. Fomulário para apresentação de projetos à RENAFAE 2013 REDE NACIONAL DE FÍSICA DE ALTAS ENERIAS COMITÊ TÉCNICO CIENTÍFICO Fomulário para apresentação de projetos à RENAFAE 2013 1. Informações Gerais Título Pesquisador Proponente Instituição Executora Instituições

Leia mais

Uma Breve Introdução à Física de Partículas O DEE-UFBA na Colaboração do Detector ATLAS do LHC

Uma Breve Introdução à Física de Partículas O DEE-UFBA na Colaboração do Detector ATLAS do LHC no do do no Uma Breve à Física de Partículas O na Colaboração do Detector do LHC Prof. (eduardo.simas@ufba.br) Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal da Bahia Colaboração

Leia mais

O Experimento CMS Parte 2/2

O Experimento CMS Parte 2/2 O Experimento CMS Parte 2/2 Thiago Tomei 29/03/2007 7/5/2007 Thiago Tomei 1 Sumário Parte 1: O Experimento CMS Large Hadron Collider LHC Compact Muon Solenoid CMS Estrutura de Hardware do CMS: Detector

Leia mais

Colaboração na experiência ATLAS (LHC)

Colaboração na experiência ATLAS (LHC) Colaboração na experiência ATLAS (LHC) em parceria com FCTUC CFNUL/FCUL e ainda UNL IDMEC/IST UCatFF UM Colaboração internacional ANL (Chicago) Barcelona Clermont-Ferrand Michigan St. Univ. Pisa Praga

Leia mais

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE Julho 2010 Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE São Paulo Regional Analysis Center Sergio Ferraz Novaes Sumário I. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA... 3 II. QUALIFICAÇÃO DO PROBLEMA... 3 III. OBJETIVOS

Leia mais

ESTUDOS SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO ONLINE DE UMA TÉCNICA DE ESTIMAÇÃO DE ENERGIA NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO ATLAS

ESTUDOS SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO ONLINE DE UMA TÉCNICA DE ESTIMAÇÃO DE ENERGIA NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO ATLAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA ESTUDOS SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO ONLINE DE UMA TÉCNICA DE ESTIMAÇÃO DE ENERGIA NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO ATLAS EM CENÁRIOS DE ALTA LUMINOSIDADE ALUNO: MARCOS VINÍCIUS

Leia mais

SISTEMA DIGITAL PARA REDUÇÃO DO EMPILHAMENTO EM MEDIÇÕES DE ENERGIA NUM DETECTOR DE PARTÍCULAS

SISTEMA DIGITAL PARA REDUÇÃO DO EMPILHAMENTO EM MEDIÇÕES DE ENERGIA NUM DETECTOR DE PARTÍCULAS SISTEMA DIGITAL PARA REDUÇÃO DO EMPILHAMENTO EM MEDIÇÕES DE ENERGIA NUM DETECTOR DE PARTÍCULAS MARCELO M. CAVALCANTI, EDUARDO F. SIMAS FILHO, PAULO C. M. A. FARIAS Laboratório de Sistemas Digitais, Departamento

Leia mais

ATA DO WORKSHOP E REUNIÃO DO CTC. 07 e 08 de Dezembro de 2011. RENAFAE Rede Nacional de Física de Altas Energias

ATA DO WORKSHOP E REUNIÃO DO CTC. 07 e 08 de Dezembro de 2011. RENAFAE Rede Nacional de Física de Altas Energias ATA DO WORKSHOP E REUNIÃO DO CTC 07 e 08 de Dezembro de 2011 RENAFAE Rede Nacional de Física de Altas Energias O Presidente da RENAFAE, Prof. Ricardo Galvão convocou o Workshop para todos os membros da

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informação I

Fundamentos de Sistemas de Informação I 16/3/2016 Componentes de um sistema 1. Entrada 2. Processamento 3. Saída 4. Realimentação (Feedback): interface com usuário, interface com outros sistemas ou subsistemas. 5. Controle Elementos de um sistema

Leia mais

1. Tilecal 1. Receptor de Múons (L1) 2. Reconstrução de Energia 3. Qualidade de Dados 4. Manutenção Preditiva 5. Upgrade 2. Trigger 1.

1. Tilecal 1. Receptor de Múons (L1) 2. Reconstrução de Energia 3. Qualidade de Dados 4. Manutenção Preditiva 5. Upgrade 2. Trigger 1. 1. Tilecal 1. Receptor de Múons (L1) 2. Reconstrução de Energia 3. Qualidade de Dados 4. Manutenção Preditiva 5. Upgrade 2. Trigger 1. High Level Trigger Neural Ringer Leptonjets 2. Offline 3. Upgrade

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE DOCENTE PROFESSOR CELSO CANDIDO QUALIDADE DE SOFTWARE Formação: o Bacharel em Sistemas de Informações (SI); o MBA em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Conhecimentos: o Web Designer; o Arquitetura

Leia mais

Introdução. Software (Parte I)

Introdução. Software (Parte I) Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Introdução à Computação Software (Parte I) Prof. a Joseana Macêdo Fechine Régis

Leia mais

Colaboração ATLAS/Brasil. Atividades 2009-2010

Colaboração ATLAS/Brasil. Atividades 2009-2010 Colaboração ATLAS/Brasil Atividades 2009-2010 Histórico Colaboração com o CERN iniciou-se em 1988. P&D para o LHC em calorimetria hadrônica usando material plástico cintilante Membro da Colaboração ATLAS

Leia mais

1 Instituições. 2 Pesquisadores Autores: 3 Pesquisadores Colaboradores. 4 PosDocs Colaboradores. 5 Estudantes:

1 Instituições. 2 Pesquisadores Autores: 3 Pesquisadores Colaboradores. 4 PosDocs Colaboradores. 5 Estudantes: Relatório ATLAS Janeiro a Dezembro de 2013 1 Instituições Oficialmente no ATLAS: 1.Universidade Federal do Rio de Janeiro 2.Universidade de São Paulo 3.Universidade Federal de Juiz de Fora 4.Universidade

Leia mais

Operações do SPRACE: DØD

Operações do SPRACE: DØD Operações do SPRACE: DØD Sergio M. Lietti I Workshop do SPRACE Sumário O Experimento DØ O Cluster SPRACE suas três fases Operações para o DØ durante a primeira fase Simulação de MC (mcfarm) Operações para

Leia mais

Dimensões Extras Universais

Dimensões Extras Universais Dimensões Extras Universais Parte 2: Experimento do DZero Pedro Mercadante (UNESP) Sumário Detector Simulação Pythia ued DZero Monte Carlo Cafe Alguns objetos: Missing E T e Muon 2006 P. Mercadante 2 The

Leia mais

Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP)

Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP) Guia para Análises Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP) Sumário Dados Sinal Simulação por MC Definição dos objetos Físicos Background Simulação por MC Estimativa a partir dos dados Comparação

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

EXPERIMENTOS DE FÍSICA DE ALTAS ENERGIAS COMO FOMENTO PARA ATRAÇÃO E PERMANÊNCIA DE ALUNOS EM CURSOS DE ENGENHARIA

EXPERIMENTOS DE FÍSICA DE ALTAS ENERGIAS COMO FOMENTO PARA ATRAÇÃO E PERMANÊNCIA DE ALUNOS EM CURSOS DE ENGENHARIA EXPERIMENTOS DE FÍSICA DE ALTAS ENERGIAS COMO FOMENTO PARA ATRAÇÃO E PERMANÊNCIA DE ALUNOS EM CURSOS DE ENGENHARIA Eduardo F. Simas Filho eduardo.simas@ufba.br Mariana Reis marianareis24@yahoo.com.br Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

Escola Preparatória de Cadetes do Exército 1978 a 1980. Escola Naval - Bacharel em Ciências Navais com Habilitação em Eletrônica - 1981 a 1985

Escola Preparatória de Cadetes do Exército 1978 a 1980. Escola Naval - Bacharel em Ciências Navais com Habilitação em Eletrônica - 1981 a 1985 I Dados Pessoais Nome: Cesar Bezerra Teixeira Data de Nascimento: 12 de Maio de 1963 Naturalidade: E-mail: Rio de Janeiro c_txr@yahoo.com II Formação Acadêmica Segundo Grau Graduação Pós Graduação Mestrado:

Leia mais

BIOSYS: sistema de captura e armazenamento de imagens para exames oftalmológicos em biomicroscópios - Fase 1 1

BIOSYS: sistema de captura e armazenamento de imagens para exames oftalmológicos em biomicroscópios - Fase 1 1 BIOSYS: sistema de captura e armazenamento de imagens para exames oftalmológicos em biomicroscópios - Fase 1 1 Hélton José Oliveira Fernandes 2 ; Paulo Cesar Rodacki Gomes 3 INTRODUÇÃO O presente descreve

Leia mais

FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO

FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO Protocolo nº033/2011 FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E ETENSÃO 1. Instruções 1 O Formulário deverá ser enviado via e-mail para a Secretaria do NIPE: nipe@eafmuz.gov.br; 2 O projeto será

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 1 Conceitos da Computação em Nuvem A computação em nuvem ou cloud computing

Leia mais

Laboratório de Processamento de Sinais (LPS), Escola Politécnica/COPPE, UFRJ 1. E-mails: {xavier,seixas}@lps.ufrj.br 2. Universidade de Wisconsin.

Laboratório de Processamento de Sinais (LPS), Escola Politécnica/COPPE, UFRJ 1. E-mails: {xavier,seixas}@lps.ufrj.br 2. Universidade de Wisconsin. DISCRIMINAÇÃO NEURAL DE PARTÍCULAS PARA UM DETECTOR SUBMETIDO A UMA ALTA TAXA DE EVENTOS Thiago Ciodaro Xavier1, José Manoel de Seixas1, André Rabello dos Anjos2 1 Laboratório de Processamento de Sinais

Leia mais

um experimento dedicado a estudar a composição de partículas primárias de raios cósmicos e interações hadrônicas de altas energias.

um experimento dedicado a estudar a composição de partículas primárias de raios cósmicos e interações hadrônicas de altas energias. Uma análise sobre diferentes parametrizações da atmosfera em simulações de chuveiros atmosféricos extensos de raios cósmicos Stefano Castro TOGNINI; Ricardo Avelino GOMES Instituto de Física Universidade

Leia mais

Desenvolvimento de ferramenta computacional para o controle de equipamentos de acordo com a ISO/IEC 17025.

Desenvolvimento de ferramenta computacional para o controle de equipamentos de acordo com a ISO/IEC 17025. Desenvolvimento de ferramenta computacional para o controle de equipamentos de acordo com a ISO/IEC 17025. Computational development tool for equipament control according to ISO/IEC 17025. Heloisa de Campos

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

Ementas Disciplinas Obrigatórias

Ementas Disciplinas Obrigatórias Ementas Disciplinas Obrigatórias INFORMÁTICA Algoritmos I Resolução de problemas e desenvolvimento de algoritmos: análise do problema, estratégias de solução e representação. Estruturação e modularização.

Leia mais

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger O controle da entrada e saída (E/S ou I/O, input/output) de dados dos dispositivos é uma das funções principais de um sistema operacional.

Leia mais

Implementação de uma Ferramenta de Apoio à Criação de Sistemas Especialistas

Implementação de uma Ferramenta de Apoio à Criação de Sistemas Especialistas 1 Implementação de uma Ferramenta de Apoio à Criação de Sistemas Especialistas Fabrício Kelmer Pinto, Elio Lovisi Filho (Orientador) Departamento de Ciência da Computação - Faculdade de Ciência da Computação

Leia mais

Serviço de Segurança de Middlewares

Serviço de Segurança de Middlewares Serviço de Segurança de Middlewares Autor: Célio Domingues Gonçalves 1, Orientador: Prof. Dr. Luis Fernando Faina 1 1 Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Universidade Federal do Uberlândia

Leia mais

FILTRAGEM ONLINE DE EVENTOS RAROS E/OU EXÓTICOS BASEADA EM DADOS DE CALORIMETRIA DE ALTA ENERGIA EM UM DETECTOR FINAMENTE SEGMENTADO

FILTRAGEM ONLINE DE EVENTOS RAROS E/OU EXÓTICOS BASEADA EM DADOS DE CALORIMETRIA DE ALTA ENERGIA EM UM DETECTOR FINAMENTE SEGMENTADO FILTRAGEM ONLINE DE EVENTOS RAROS E/OU EXÓTICOS BASEADA EM DADOS DE CALORIMETRIA DE ALTA ENERGIA EM UM DETECTOR FINAMENTE SEGMENTADO Danilo Lima de Souza Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-graduação

Leia mais

DEFINIÇÃO DE UMA REDE DE SENSORES SEM FIO PARA A ARQUITETURA AGROMOBILE 1

DEFINIÇÃO DE UMA REDE DE SENSORES SEM FIO PARA A ARQUITETURA AGROMOBILE 1 DEFINIÇÃO DE UMA REDE DE SENSORES SEM FIO PARA A ARQUITETURA AGROMOBILE 1 Marcos Sulzbach Morgenstern 2, Roger Victor Alves 3, Vinicius Maran 4. 1 Projeto de Pesquisa Agromobile - Uma Arquitetura de Auxílio

Leia mais

Computação no Alice e grid. Alexandre Suaide IF-USP

Computação no Alice e grid. Alexandre Suaide IF-USP Computação no Alice e grid Alexandre Suaide IF-USP 1 Resumo Alguns números importantes Requerimentos (dados e simulações) Processamente Armazenamento Estrutura computacional GRID Nossas necessidades 2

Leia mais

Estudo de técnicas de rastreamento de objetos aplicadas à detecção de múltiplas larvas

Estudo de técnicas de rastreamento de objetos aplicadas à detecção de múltiplas larvas Estudo de técnicas de rastreamento de objetos aplicadas à detecção de múltiplas larvas Guilherme de Oliveira Vicente Orientador: Prof. Dr. Hemerson Pistori Coorientador: Prof. Me. Kleber Padovani de Souza

Leia mais

Introdução aos Sistemas Computacionais

Introdução aos Sistemas Computacionais GUIÃO DE Introdução aos Sistemas Computacionais de Dulce Domingos e Teresa Chambel DI-FCUL GU ISC 01 11 Outubro 001 Departamento de Informática Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Campo Grande,

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG)

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) MONTES CLAROS FEVEREIRO/2014 1 COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA RASTREAMENTO DE MOTOCICLETAS ORIENTADOR:

Leia mais

6º Semestre de SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. - 6 Inscritos -

6º Semestre de SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. - 6 Inscritos - 6º Semestre de SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 6 Inscritos - Tema: [Área 9]: Comunidade - Tema: 4. Iniciativas para a redução das desigualdades sociais Título: Aplicação de IHC para Inclusão Social e Digital

Leia mais

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO Este documento descreve os serviços que devem ser realizados para a Implantação da Solução de CRM (Customer Relationship Management), doravante chamada SOLUÇÃO, nos ambientes computacionais de testes,

Leia mais

ANEXO II INFORMAÇÕES BÁSICAS DOS CURSOS. Modalidade Subseqüente

ANEXO II INFORMAÇÕES BÁSICAS DOS CURSOS. Modalidade Subseqüente Serviço Público Federal Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará Campus Belém Processo Seletivo Técnico Subseqüente 2012/2 ANEXO II INFORMAÇÕES BÁSICAS DOS CURSOS

Leia mais

Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios

Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios Empresas e outras organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus

Leia mais

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS GPSis Grupo de Pesquisa em Sistemas de Informação

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS GPSis Grupo de Pesquisa em Sistemas de Informação NOME DA LINHA: Análise e Desenvolvimento de Sistemas Computacionais OBJETIVO: a) estimular a produção cientifica entre docentes e alunos visando à participação em congressos; b) desenvolver softwares em

Leia mais

Prêmio Mario Covas 2007 Roteiro de Apresentação do Trabalho

Prêmio Mario Covas 2007 Roteiro de Apresentação do Trabalho Prêmio Mario Covas 2007 Roteiro de Apresentação do Trabalho Identificação Título: Sistema de Gerenciamento do Colegiado da Congregação da FMRP e disponibilização dos documentos via Web. Nome da instituição

Leia mais

Large Hadron Collider

Large Hadron Collider Rede Nacional de Física de Altas Energias Setembro 2008 Large Hadron Collider Participação Brasileira nos Experimentos do CERN Sumário I. CERN: BREVE HISTÓRICO...3 II. PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NO LHC...5

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE Introdução O administrador de redes geovanegriesang@ifsul.edu.br www.geovanegriesang.com Gerenciamento de redes Gerenciamento de rede é o ato de iniciar, monitorar e modificar

Leia mais

Abstrações e Tecnologias Computacionais. Professor: André Luis Meneses Silva E-mail/msn: andreluis.ms@gmail.com Página: orgearq20101.wordpress.

Abstrações e Tecnologias Computacionais. Professor: André Luis Meneses Silva E-mail/msn: andreluis.ms@gmail.com Página: orgearq20101.wordpress. Abstrações e Tecnologias Computacionais Professor: André Luis Meneses Silva E-mail/msn: andreluis.ms@gmail.com Página: orgearq20101.wordpress.com Agenda Introdução Sistemas Computacionais Arquitetura X

Leia mais

Simulador de Direção Hidráulica para Veículos Pesados Comerciais

Simulador de Direção Hidráulica para Veículos Pesados Comerciais Simulador de Direção Hidráulica para Veículos Pesados Comerciais Resumo do projeto que foi realizado com o Prof. Ricardo Lorenzati Machado. Faculdade de tecnologia de Sorocaba Introdução O projeto do simulador

Leia mais

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Visão geral do Serviço Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Os Serviços de gerenciamento de dispositivos distribuídos ajudam você a controlar ativos

Leia mais

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Histórico Uso de Metodologias Histórico Uso de Metodologias Era da Pré-Metodologia 1960-1970 Era da Metodologia

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Curso: CST em ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Curso: CST em ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CST em ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Missão Formar profissionais na área de Análise e Desenvolvimento de Sistemas cônscios de sua responsabilidade social, ética

Leia mais

Busca por um campo de torção em colisões pp e + e + X com s = 8 TeV no ATLAS/LHC. Simão Paulo Silva

Busca por um campo de torção em colisões pp e + e + X com s = 8 TeV no ATLAS/LHC. Simão Paulo Silva Busca por um campo de torção em colisões pp e + e + X com s = 8 TeV no ATLAS/LHC Simão Paulo Silva 25 de junho de 2014 Abstract In the present work a search for a torsion field was performed and restrictive

Leia mais

Qualidades. Atributos de Qualidade. Atributos de Qualidade. Categorias de Qualidades. Arquitecturas de Software

Qualidades. Atributos de Qualidade. Atributos de Qualidade. Categorias de Qualidades. Arquitecturas de Software Arquitecturas de Software Atributos de Qualidade António Rito Silva Rito.Silva@inesc-id.pt Qualidades Nenhuma qualidade pode ser maximizada num sistema sem sacrificar uma outra qualidade ou qualidades

Leia mais

Projeto: Implantação de Sistema Objetivo

Projeto: Implantação de Sistema Objetivo Projeto: Implantação de Sistema Objetivo Permitir ao aluno o contato com sistemas de informação gerenciais e com algumas fases de implantação de sistemas, como, análise do sistema, definição da matriz

Leia mais

Introdução à Arquitetura de Computadores. Renan Manola Introdução ao Computador 2010/01

Introdução à Arquitetura de Computadores. Renan Manola Introdução ao Computador 2010/01 Introdução à Arquitetura de Computadores Renan Manola Introdução ao Computador 2010/01 Introdução Conceitos (1) Computador Digital É uma máquina que pode resolver problemas executando uma série de instruções

Leia mais

Thiago Ciodaro Xavier

Thiago Ciodaro Xavier IDENTIFICAÇÃO ONLINE DE SINAIS BASEADA EM CALORIMETRIA DE ALTAS ENERGIAS E COM FINA SEGMENTAÇÃO Thiago Ciodaro Xavier Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica,

Leia mais

Localização Online do Vértice Primário de Colisão Utilizando a Transformada de Hough Adaptativa com Condição de Parada Dinâmica

Localização Online do Vértice Primário de Colisão Utilizando a Transformada de Hough Adaptativa com Condição de Parada Dinâmica CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISAS FÍSICAS COORDENAÇÃO DE ATIVIDADES TÉCNICAS - CAT LABORATÓRIO DE PROCESSAMENTO DIGITAL DE SINAIS E IMAGENS - LPDSI Localização Online do Vértice Primário de Colisão Utilizando

Leia mais

Martinho André Cerqueira de Oliveira

Martinho André Cerqueira de Oliveira Martinho André Cerqueira de Oliveira O Recurso a Tecnologias Web para Suporte da Gestão do Conhecimento Organizacional Um Exemplo Nacional Orientador: Prof. Doutor Luís Borges Gouveia Universidade Fernando

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas de Computação

Introdução à Computação: Sistemas de Computação Introdução à Computação: Sistemas de Computação Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Projeto Georisc Planejamento Final. Alfredo Veiga de Carvalho alfredo@les.inf.puc-rio.br 28/03/2012

Projeto Georisc Planejamento Final. Alfredo Veiga de Carvalho alfredo@les.inf.puc-rio.br 28/03/2012 Projeto Georisc Planejamento Final Alfredo Veiga de Carvalho alfredo@les.inf.puc-rio.br 28/03/2012 Roteiro Introdução Entendimento Atividades Cronograma Resultados Conclusão Introdução Apresenta o trabalho

Leia mais

Ambiente de Simulação Virtual para Capacitação e Treinamento na Manutenção de. Disjuntores de Subestações de Energia Elétrica,

Ambiente de Simulação Virtual para Capacitação e Treinamento na Manutenção de. Disjuntores de Subestações de Energia Elétrica, Ambiente de Simulação Virtual para Capacitação e Treinamento na Manutenção de Disjuntores de Subestações de Energia Elétrica Prof. Dr. Lineu Belico dos Reis EPUSP Resumo: O informe técnico apresenta a

Leia mais

OBSERVATÓRIO RIO DAS METROPOLES NÚCLEO RM NATAL (CCHLA-UFRN) & GRUPO DE GOPROCESSAMENTO DO NORDESTE (CRN INPE)

OBSERVATÓRIO RIO DAS METROPOLES NÚCLEO RM NATAL (CCHLA-UFRN) & GRUPO DE GOPROCESSAMENTO DO NORDESTE (CRN INPE) OBSERVATÓRIO RIO DAS METROPOLES NÚCLEO RM NATAL (CCHLA-UFRN) & GRUPO DE GOPROCESSAMENTO DO NORDESTE (CRN INPE) APRESENTAÇÃO 1. O ATLAS SOCIO-ECONÔMICO-AMBIENTAL DA RM NATAL, COM BASE EM APLICATIVO DESENVOLVIDO

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

Apresentaçã. ção o da RDC nº n 11 de 16 de fevereiro de 2012. Gerência Geral de Laboratórios de Saúde Pública abril de 2013 Curitiba - Paraná

Apresentaçã. ção o da RDC nº n 11 de 16 de fevereiro de 2012. Gerência Geral de Laboratórios de Saúde Pública abril de 2013 Curitiba - Paraná Ministério da Saúde/ Diretoria de Coordenação e Articulação do Sistema Nacional - DSNVS Apresentaçã ção o da RDC nº n 11 de 16 de fevereiro de 2012 Gerência Geral de Laboratórios de Saúde Pública abril

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Introdução ao Visual Studio VB.Net. Programação Estruturada. Prof. Celso Candido ADS / REDES / ENGENHARIA

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Introdução ao Visual Studio VB.Net. Programação Estruturada. Prof. Celso Candido ADS / REDES / ENGENHARIA Introdução ao Visual Studio VB.Net Programação Estruturada 1 Nesse momento inicial não iremos programar em VB.Net, usando o Visual Studio, mas conhecer alguns comandos e variáveis usadas em uma linguagem

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE OBJETIVOS Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

GEOCODIFICAÇÃO DE ENDEREÇOS

GEOCODIFICAÇÃO DE ENDEREÇOS GEOCODIFICAÇÃO DE ENDEREÇOS Sergio Vicente Denser Pamboukian 1, Gabriella Teixeira Dias Leite 2, Larissa Porteiro Carminato 3 Resumo Muitas vezes, informações referenciadas apenas pelo endereço do seu

Leia mais

Modelagem Molecular no Brasil

Modelagem Molecular no Brasil Modelagem Molecular no Brasil De 12 a 14 de março de 2010 nas instalações do Hotel Quality Niterói em Camboinhas, ocorreu o III Workshop de Modelagem Molecular realizado pela Escola de Química da UFRJ

Leia mais

esip- Sistema Integrado de Processo

esip- Sistema Integrado de Processo esip- Sistema Integrado de Processo Geração Distribuição Transmissão www.ecilenergia.com.br Integração dos dispositivos da SE na rede do esip Criação de uma Base de Dados Unificada Otimização no Deslocamento

Leia mais

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server André Luiz Silva de Moraes chameandre@gmail.com Faculdade Senac http://www.senacrs.com.br Feira das Oportunidades 04 de Maio de 2011 1 / 11 1 Conceitos Básicos Definições

Leia mais

Unidade III SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Prof. Victor Halla

Unidade III SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Prof. Victor Halla Unidade III SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Prof. Victor Halla Conteúdo Gerenciamento de Segurança Política de Segurança Ferramentas de Gerencia Segurança em Sistemas Distribuídos Gerenciamento de segurança Sistemas

Leia mais

VI-029 - FUNDAMENTOS DE GEOPROCESSAMENTO E SUAS APLICAÇÕES ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

VI-029 - FUNDAMENTOS DE GEOPROCESSAMENTO E SUAS APLICAÇÕES ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina VI-029 - FUNDAMENTOS DE GEOPROCESSAMENTO E SUAS APLICAÇÕES ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

Leia mais

Virtualização de Sistemas Operacionais

Virtualização de Sistemas Operacionais Virtualização de Sistemas Operacionais Felipe Antonio de Sousa 1, Júlio César Pereira 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil felipeantoniodesousa@gmail.com, juliocesarp@unipar.br Resumo.

Leia mais

ANEXO V Edital nº 03508/2008

ANEXO V Edital nº 03508/2008 ANEXO V Edital nº 03508/2008 Projeto de integração das informações de mandado de prisão e processos dos Tribunais Regionais Federais e do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios O objetivo

Leia mais

ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO. Tem sob a sua responsabilidade as seguintes unidades curriculares:

ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO. Tem sob a sua responsabilidade as seguintes unidades curriculares: ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais Inteligência Artificial Aplicada a Jogos, com 6 Paradigmas de Programação I, com 9 Paradigmas de

Leia mais

22 BRAZILIAN SYMPOSIUM ON COMPUTERS AND EDUCATION 17 WORKSHOP ON COMPUTERS AT SCHOOL November 21 to 25 Aracaju /SE

22 BRAZILIAN SYMPOSIUM ON COMPUTERS AND EDUCATION 17 WORKSHOP ON COMPUTERS AT SCHOOL November 21 to 25 Aracaju /SE TERCEIRA CHAMADA DE TRABALHOS 22 SBIE/17 WIE A Universidade Federal de Sergipe sente-se honrada em realizar com a promoção da SBC Sociedade Brasileira de Computação, conjuntamente com a Universidade Federal

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 01 - Introdução Edirlei Soares de Lima O que é um sistema operacional? Um computador moderno consiste em: Um ou mais processadores; Memória principal;

Leia mais

DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CAPÍTULO I DA DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E SEUS FINS

DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CAPÍTULO I DA DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E SEUS FINS DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CAPÍTULO I DA DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E SEUS FINS Art. 1º A Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação da Universidade Federal

Leia mais

Profa. Reane Franco Goulart

Profa. Reane Franco Goulart Sistemas CRM Profa. Reane Franco Goulart Tópicos Definição do CRM O CRM surgiu quando? Empresa sem foco no CRM e com foco no CRM ParaqueCRM é utilizado? CRM não é tecnologia, CRM é conceito! CRM - Customer

Leia mais

Proposta de Projeto Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase

Proposta de Projeto Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase Proposta de Projeto Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase GTTV Grupo de Trabalho de TV Digital Guido Lemos Universidade Federal da Paraíba Setembro de 2006 1. Concepção do serviço 1.1. Descrição do serviço

Leia mais

Tópicos Especiais. Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Informática Educativa no Brasil 17/01/2009

Tópicos Especiais. Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Informática Educativa no Brasil 17/01/2009 Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Arquitetura da Informática e Automação MBA Gestão em Tecnologia da Informaçao 1 Tópicos Especiais Informática Educativa no Brasil

Leia mais

PLANO PLURIANUAL DE INFRA-ESTRUTURA EM PESQUISA DA USP: Tecnologia da Informação e Core Facilities - FASE 2 -

PLANO PLURIANUAL DE INFRA-ESTRUTURA EM PESQUISA DA USP: Tecnologia da Informação e Core Facilities - FASE 2 - PLANO PLURIANUAL DE INFRA-ESTRUTURA EM PESQUISA DA USP: Tecnologia da Informação e Core Facilities - FASE 2 - Comissão Organizadora do CT-FINEP2011/2012 - Profa. Dra. Belmira Bueno-FE -Prof.Dr.OswaldoNakao-Poli

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Cluster, Grid e computação em nuvem Slide 8 Nielsen C. Damasceno Introdução Inicialmente, os ambientes distribuídos eram formados através de um cluster. Com o avanço das tecnologias

Leia mais

Virtualização. Alunos: Danilo Abreu Rafael Homsi Ricardo Antonio

Virtualização. Alunos: Danilo Abreu Rafael Homsi Ricardo Antonio Virtualização Faculdade Anhanguera de Anápolis Ciência da Computação Seminários Avançados em Computação Alunos: Danilo Abreu Rafael Homsi Ricardo Antonio Sumário: Introdução Tipos de Virtualização Custo

Leia mais

RECEPÇÃO DO SINAL DE MÚONS NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO EXPERIMENTO ATLAS. Fernando Miranda Vieira Xavier

RECEPÇÃO DO SINAL DE MÚONS NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO EXPERIMENTO ATLAS. Fernando Miranda Vieira Xavier PPEE/UFJF RECEPÇÃO DO SINAL DE MÚONS NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO EXPERIMENTO ATLAS Fernando Miranda Vieira Xavier Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica,

Leia mais

ÁREA: CV ( ) CHSA ( ) ECET ( )

ÁREA: CV ( ) CHSA ( ) ECET ( ) ADAPTAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO PROCESSADOR RISCO A UMA ARQUITETURA MULTI-CORE PARA SISTEMAS EMBARCADOS DE PROPOSITO GERAL Laysson Oliveira Luz (Bolsista PIBIC/CNPq), Ivan Saraiva Silva (Orientador, Departamento

Leia mais

Conhecendo e utilizando softwares de Edição de vídeos

Conhecendo e utilizando softwares de Edição de vídeos PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS 1 APRESENTAÇÃO: O objetivo desse curso é propiciar ao professor da educação Infantil, fundamental I, fundamental II e Ensino Médio, conhecimento de técnicas

Leia mais

REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Capítulo 12 REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 12.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS De que forma o desenvolvimento de um novo sistema poderia mudar a maneira de uma organização trabalhar?

Leia mais

A"vidades e planos dos novos integrantes do CMS/CBPF

Avidades e planos dos novos integrantes do CMS/CBPF A"vidades e planos dos novos integrantes do CMS/CBPF (FSQ,SuSy,LPC WW lνjj,hcal) Arthur Moraes Carsten Hensel Patricia R. Teles Clemencia Mora H. Introdução Novos integrantes vindos do ATLAS ou de teoria/fenomenologia

Leia mais

Detector de Neutrinos para o Reator de Angra

Detector de Neutrinos para o Reator de Angra Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) Detector de Neutrinos para o Reator de Angra Detector Central, Sistema de VETO, Eletrônica (resumo das diretivas de projeto) Laudo Barbosa (24 de Maio, 2007)

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 1 OBJETIVOS 1. Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Síntese do Projeto Pedagógico do curso Objetivos do curso Objetivo Geral O curso em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da ESADE,

Leia mais

CONEXAO.COM/FGV. Analista de MARKETING FGV

CONEXAO.COM/FGV. Analista de MARKETING FGV Analista de MARKETING FGV Apresentação do curso O curso Analista capacita o profissional de maneira prática, para imediata atuação na respectiva área de interesse. O profissional torna-se habilitado por

Leia mais

Programas de Professores no CERN inspiram a próxima geração de cientistas

Programas de Professores no CERN inspiram a próxima geração de cientistas Programas de Professores no CERN inspiram a próxima geração de cientistas Profª. Mainara Biazati Gouveia SEDUC/ MT Profº. Wanderson Breder CEFET/ NF/RJ Centro Europeu de Investigação Nuclear Seleção Objetivo

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG)

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) MONTES CLAROS FEVEREIRO/2014 COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DISPOSITIVOS MÓVEIS INTELIGENTES ORIENTADOR:

Leia mais

Plano de Curso. Programação de Jogos Digitais Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio

Plano de Curso. Programação de Jogos Digitais Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio Plano de Curso Programação de Jogos Digitais Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Segmento: Informática Plano de Curso Programação de Jogos Digitais

Leia mais

Desenvolvimento de um Sistema de Caracterização Elétrica dos Efeitos da Radiação Ionizante em Dispositivos Semicondutores e Circuitos Integrados

Desenvolvimento de um Sistema de Caracterização Elétrica dos Efeitos da Radiação Ionizante em Dispositivos Semicondutores e Circuitos Integrados Desenvolvimento de um Sistema de Caracterização Elétrica dos Efeitos da Radiação Ionizante em Dispositivos Semicondutores e Circuitos Integrados "A principal vantagem da Plataforma PXIE em relação a outras

Leia mais