MONITORES DE VÁLVULA. Sensores e Instrumentos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MONITORES DE VÁLVULA. Sensores e Instrumentos"

Transcrição

1 MITRS D VÁLVULA

2 Monitores de Válvulas s monitores de válvulas foram desenvolvidos para automatizar válvulas rotativas de diversos tipos. odem ser montados sobre qualquer válvula rotativa ou atuador pneumático, proporcionando uma indicação visual local e sinalização elétrica remota da posição da válvula (aberta ou fechada). Indicação Visual Local Através de palhetas móveis acionadas automaticamente por meio do eixo principal conectado a válvula ou ao atuador pneumático permite a indicação do estado aberto ou fechado da válvula monitorada. Indicação Visual Local de Fluxo A indicação local mostra o estado aberto ou fechado da válvula, com palhetas amarelas com escrito preto, mas opcionalmente podem ser fornecidas em outras cores ou com desenhos que indicam o sentido do fluxo. Sem Indicação Visual Local pcionalmente, os monitores podem ser fornecidos com a tampa sem indicação visual local, somente com a sinalização elétrica remota, atendendo aplicações onde não há operadores ou em locais de difícil acesso. Sinalização létrica Remota ode ser efetuada por contatos mecânicos, sensores tipo reed switch, sensores indutivos ou ainda por placas de redes com sensores internos, acionados por meio de um eixo de cames rotativos. Conexão létrica Utiliza régua de bornes aparafusáveis (2, mm 2 ) que permitem a instalação de fios com ou sem terminais préisolados. ntrada de Cabos Todos os monitores possuem 2 entradas de cabos roscadas ½ T (Sentinel ¾ T) e podem ser especificados ainda com uma terceira entrada de ½ T. Válvulas Solenóides Completando a automação da válvula, os monitores podem ser fornecidos com válvulas solenóides arker, disponíveis em vários modelos para as mais diversas aplicações. Suporte para Válvula Manual ou Atuador neumático o momento da encomenda, podemos especificar e fornecer um kit completo contendo todos parafusos de fixação do suporte / atuador / monitor, além do próprio suporte desenvolvido em chapa de aço pintada ou inox.

3 133, Invólucro Caixa Metálica m alumínio revestido com pintura epoxi preta muito robusta para ambientes agressivos, equipada com parafusos e eixo em aço inoxidável. Disponível em três versões: alumínio uso geral; alumínio segurança aumentada e alumínio à prova de explosão. Caixa lástica Totalmente reformada, agora utilizando novo material plástico (Zytel) muito resistente a interperes, agentes químicos, salinalidade e temperatura elevada. Disponível para uso geral e em segurança aumentada. specificação Técnica dos Invólucros Série Watchman Survivor Sentinel Aplicação Uso Geral Uso Geral pcional Versão x Segurança Aumentada Segurança Aumentada À rova de xplosão Certificado x Cepel/Inmetro Br x em IIC T6 (x039/02x) Br x em IIC T6 (x039/02x) Br x d IIC T6 (x03/9x) Invólucro Alumínio Termoplástico Alumínio Acabamento intura poliuretano intura poliuretano Grau de proteção I 66 I 66 I 66 ntrada de cabos Código 0 2 entradas ½ T 2 entradas ½ T 2 entradas ¾ ntrada cabos opcional Cód 6 1 entrada ½ T 1 entrada ½ T 1 entrada ½ T Vedação Bucha do eixo Buna Código B Bronze (pcional sob encomenda: Códido M Monel, Código S Aço inoxidável, Código G Grafite) Material do eixo / arafuso tampa Aço inoxidável 303 / Tipo fenda aço inoxidável 303 Tipo de ponteira do eixo Indicação visual local pção de cores da indicação visual pções de indicação visual Sem indicação visual local Sinalização elétrica remota Código Tipo amur (pcional sob encomenda: Código 1 onta Reta) Código Y pen / Closed na cor amarela / preta Sob encomenda: Código G verde / branco, Código R vermelho / branco, Código B azul / branco Sob encomenda com indicação de fluxo 3 ou 4 vias Códigos:, T, F, S, U e indicação graduada de posição Código Flat Cover com tampa lisa sem indicação (pronta entrega) Mecânico, sensor, reed switch, placa de redes: ASInterface, Deviceet ou rofibus D pção sinalização elétrica remota oteciômetro de 1K ou placa com saída 420mA ou ainda placa analógica Deviceet Conexão da sinalização elétrica Barra Sindal 2, mm 2 para sensores e com terminais aparafusáveis ou de pressão para cabos 1,mm 2 para as placas Temperatura de operação / eso 0º C à 0º C / 1300 g 0º C à 0º C / 1300 g 0º C à 0º C / 1900 g Suporte de fixação Válvula solenóide Acessório fornecido separadamente (informar fabricante e modelo do atuador para orçamentos) specificadas à parte: vários modelos arker uso geral, xe, xd, amur e bobina interna vide tabela de válvulas 102,0 102,0 102,0 FIXAÇÃ,1 mm RSCA /16 1 UF 4 FURS,1 mm 1/2T (2x) 14,0, 2, 9,,1 Rosca /16 (4x) 14 1/2 T (2x) 141,0 9,,1 12,0 14,0, 2, Rosca /16 (4x) 12,4 3/4 T (2x) 9,,1 166,6 14,0 0,0 2, Rosca /16 (4x) Rosca 1/2 T para Modelo 3 conduítes

4 Indicação Visual Local Indicam a posição da válvula através de palhetas móveis acionadas automáticamente por meio de um eixo principal mecanicamente conectado ao eixo da válvula ou do atuador. Utilizando um visor plástico altamente transparente e robusto para aplicação em ambientes agressivos, suportando diversos agentes químicos. A vedação do visor, resistente a jatos d água, congelamento e poeiras, utiliza um anel de borracha (Buna ) comprimido pelo encaixe do visor. Indicação Visual Local de Fluxo pcionalmente podese ainda indicar o fluxo do fluido controlado pela válvula através de uma das opções: T F S adrões de Cores na Indicação Visual Local As palhetas de indicação visual são fornecidas em amarelo com as letras em preto, mas opcionalmente (sob encomenda) podem ser fornecidas nos padrões: L G R B Y 120º 10º Sinalização létrica Remota s monitores possuem um conjunto de chaves internas que possibilitam indicar remotamente a abertura e fechamento da válvula e que através de um exclusivo eixo de cames rotativos possibiltam o ajuste do ponto de comutação sem a necessidade de ferramentas. eixo é acoplado ao atuador pneumático ou diretamente na válvula e tem como função acionar o sinalizador local (palhetas) e os cames dos sensores remotos. ajuste dos cames é realizado pressionandoo para baixo (came superior) ou para cima (came inferior), liberandoos da mola que os mantêm pressionados contra a roda entalhada fixa ao eixo. Uma vez liberados, podem ser girados em qualquer ângulo, permitindo seu posicionamento preciso do ponto de comutação. Sinalização com Contato Mecânico Utiliza um came excêntrico que quando gira, aciona a alavanca de fim de curso mecânico. Sinalização com Reed Switch ara acionamento do reed switch utilizase um came magnético que possui um pequeno ímã, que quando passa na frente do reed provoca o seu acionamento. Sinalização com Sensor de roximidade came para sensor indutivo possui um pino metálico que aciona o sensor quando passa pela sua frente. Sinalização com laca s monitores com sinalizações em rede e na versão com transmissão analógica, utilizam uma placa eletrônica com sensores que detectam a passagem do came magnético. A placa é montada dentro de uma caixa plástica preenchida com resina e possui bornes para a conexão elétrica.

5 Características Técnicas dos Sensores para Sinalização Remota da Válvula Sensor Contato Mecânico Sensor Magnético (Reed Switch) Sensor roximidade Indutivo Modelo CM MM R MS2 MM R S2M31 S2M312 S2M31 Aplicação Uso geral e em invólucro à prova de explosão e segurança aumentada Vantagem Baixo custo Herméticamente selado Resinado, baixo custo e vida útil longa Tipo de contato 1 SDT 1 SDT amur Came de acionamento Com ressalto Magnético ino metálico 3,2x6mm Distância de acionamento Contato 2 mm Sn = 2mm/Sa =0,1.Sn Ângulo acionado ~ º ~ 3º < 1º Histerese <º <º <º Repetibilidade < 0,4 º < 0,3 º < 0,01 º Tempo de resposta 0 ms 3 ms 2 ms Temperatura de operação 2ºCà0ºC 2ºCà0ºC 2ºCà0ºC Grau de proteção I 2 I 6 I 6 Selagem Resina Resina Invólucro lástico lástico BT / V lástico BT / V Conexão Rabicho 3 fios 10 cm Rabicho 3 fios 10 cm Rabicho 2 fios 10 cm Rabicho 3 fios 10 cm 20 Vca 1 A 20 Vca 0,2 A Corrente amur ositivo egativo Capacidade de chaveamento 12 Vca 1 A 12 Vca 0,4 A Desacionado I > 3 ma 200 ma 24 Vcc 20 Vcc 0,2 A 20 Vcc 0,2 A Acionado I < 1mA 110mA0ºC 12 Vcc 0, A 12 Vcc 0,4 A 24 Vcc 2, A 24 Vcc 1, A Tensão de alimentação Vcc 10 a 30 Vcc Ripple máximo % 10 % Corrente de consumo 10 ma Queda de tensão 2 Vcc roteção Inversão de polaridade Inversão de polaridade, curto circuito e sobrecarga Solenóide Contato 2 Contato 1 F A C F A C Solenóide Switch 2 Switch 1 F A C F A C Solenóide Sensor 2 Sensor 1 Solenóide Sensor 2 Sensor 1 F F A A Diagrama de conexão () () () () () () () () 6 4 3

6 Válvulas Solenóides Low ower Visando completar a automação da válvula, os monitores podem ser fornecidos com válvulas solenóides arker. conjunto é entregue completamente montado, onde a válvula é fixada mecanicamente ao monitor, que integra também sua conexão elétrica. Disponíveis em várias versões inclusive para atmosferas potencialmente explosivas (certificadas pelo Inmetro), tornando o sistema prático e versátil. Uso Geral Low ower A série VL são válvulas de corpo plástico e conexão em latão de vias (para utilização de 3 vias fornecemos 2 tamponadas) com alta vazão e baixo consumo (Low ower < 1,2W) disponíveis em duas versões: Dupla Solenóide ara atuadores dupla ação, as solenóides VL podem ser fornecidas também com dupla solenóide, ambas Low ower. Uso Geral Acoplamento amur acoplamento segundo o padrão amur, dispensa as conexões pneumáticas (tubos e engates plásticos) entre a válvula e o atuador, pois possue orifícios que se encaixam perfeitamente no atuador, reduzindo os custos de instalação. ota o atuador deve possuir entrada amur para poder receber esta válvula. Conexão 1/4 VLC1116TF Conexão 1/4 VLC1126TF Uso Geral VL STF Versão x com rabicho VL STF x Conexão 1/ VLB1116TF Conexão 1/ VLB1126TF Segurança Aumentada Low ower ara utilização em atmosferas potencialmente explosivas, disponibilizamos uma versão da série VL, certificada pelo Inmetro/Cepel como segurança aumentada. Disponível em duas versôes: Bobina Interna Através de um suporte de fixação especial a bobina da válvula solenóide é montada dentro da caixa do monitor de válvulas, protegendoas contra intenperes. 1 /4 : VLC1116TFI 1 / : VLB1116TFI Válvula à rova de xplosão Low ower monitor de válvulas xd pode ser fornecido com válvula arker série 1 certificada pela Inmetro/Cepel para uso em áreas classificadas como invólucro à prova de explosão. fornecimento compreende acessórios (bucha redutora ¾ ½ T e nipple ½ T) também certificados para um perfeito acoplamento a entrada de cabos ¾ do monitor. Com Rabicho quipada com um rabicho de cabo tipo e bobina encapsulada com fusível de proteção, atendendo a requisitos xem, permitindo seu uso em atmosferas potencialmente explosivas. Conjunto Solenóide x A válvula piloto utilizada na série VL foi certificado pelo Inmetro/Cepel como Segurança Aumentada para aplicações em Zonas1e2. 1 /4 : VLC1116TFX 1 / : VLB1116TFX Código: S292C49 ipple ½ 12 Bucha redução ¾ ½ 3412 Válvula 1BF12TFX

7 6,3 30,0 Características Técnicas das Válvulas Low ower Série Foto 1 Foto 2 Foto 3 Foto 4 Tipo VL1/ VL1/4 VL amur À rova xplosão Modelo Uso Geral Modelo Duplo Solenóide Versão x bobina interna Versão x rabicho Solenóide Corpo da Válvula VLB1116TF VLB1126TF VLB1116TFI VLB1116TFX VLC1116TF VLC1126TF VLC1116TFI VLC1116TFX VL119013STF VL119013STFX 1BF12TFX Foto / Desenho Tipo de proteção x Segurança Aumentada Segurança Aumentada Segurança Aumentada À rova de xplosão Tensão de bobina 24 Vcc 10% 24 Vcc 10% 24 Vcc 10% 24 Vcc 10% otência da bobina 1,2 W 1,2 W 1,2 W 2,0 W Corrente arranque / ermanente / 4 ma / 4 ma / 4 ma 9 / ma Grau de proteção I 6 I 6 I 6 I Conexão elétrica roteção x da bobina Bobina fornecida com plug 3 bornes, fixo por parafuso, acoplável a minicaixas de bornes aparafusáveis (1 mm 2 ) via prensa cabo para cabo 4a6mm. (Versões x via rabicho < 1m para uso em invólucros de segurança aumentada ) Bobina encapsulada com resina e equipada com fusível de ma, e na versão com rabicho possue proteção mecânica contra choque. ntrada com rosca fêmea ½ T e conexão por 2 fios 1cm Bobina com carcaça à prova de explosão Conexão pneumática 1/ BS ¼ BS amur ¼ BS 1/4 BS (opcional: 3 / e ½ ) úmero de vias / 2 vias / 2 vias / 2 vias 3 vias F 1 ( vias opcionais) Cv 0,6 1,1 0,4 0,94 bar 900 l/mm 10 l/mm 1190 l/mm 1490 l/mm Tipo de válvula iloto em conjunto com a bobina da válvula iloto integrado a válvula ressão de entrada 3 a 10 bar 3 a 10 bar 1,4 a 10 bar 2 a 10 bar Material do corpo oliamida oliamida Alumínio Latão (inox opcional) Componentes internos Latão Latão Acetal / oliamida Aço / Inox Vedações oliuretano oliuretano Buna Buna Temperatura de operação 1ºC a 60ºC 1ºC a 60ºC 1ºC a 0ºC 1ºC a ºC Acessório incluso 2 tampas latão 1/ 2 tampas latão 1/4 pcionais 2 silenciadores 1/ 2 silenciadores 1/4 2 silenciadores 1/ 1 silenciador 1/4 1,2 10,0, 11,6 32,1 43 RSCA BS 1/4 (3x) 21, RSCA BS 1/ (x) 2 34,1 13,3, RSCA BS 1/ (3x) 31, 1 1,0 1,9 0 24, Desenho 1 Desenho 3 66,3 RSCA BS 1/4 (x) Desenho 2 Desenho FIS CXÃ LÉTRICA 1/2 T 1 nergizar para abrir a válvula

8 Conexão létrica s monitores possuem uma barra de terminais aparafusáveis (para cabos de até 2, mm 2 ) instalada dentro do invólucro protegido contra a penetração de líquidos, permitindo a interconexão dos sensores e solenóide do cabo do sitema de controle. Quando o monitor utiliza placas de rede não existe mais a barra de terminais, pois os fios são ligados diretamente a placa eletrônica. Conexão létrica ntrada de Cabos s monitores foram projetados para receber diretamente eletrodutos, flexíveis ou prensa cabos, através de suas entradas roscadas. São equipados com duas entradas fêmeas roscadas em ½ T (exceto versão à prova de explosão com 2 furos roscados de ¾ ) e uma terceira entrada opcional sempre com rosca de ½ T. Uso Geral Flexível Comum Conduíte Flexível letroduto rensa Cabo Uso em Atmosferas xplosivas letroduto xd Flexível xd rensacabo xd rensa Cabo xe Conexão létrica em Rede ara aplicações em redes industriais, o monitor de válvulas pode ainda vir equipado com uma terceira entrada de cabos (rosca ½ T), onde a válvula solenóide deve ser acoplada ou utilizada para a saída de seu cabo. As outras duas entradas de cabos podem ser utilizadas para o cabo da rede entrar e sair do monitor, utilizando nosso exclusivo derivador interno. Monitor x d com cabo de rede entrando e saindo do invólucro e a solenoíde diretamente acoplada a terceira entrada de cabo. Monitor x e com cabo de rede entrando e saindo do invólucro e a solenóide com bobina interna, montada na terceira entrada de cabo. Monitor x e com cabo de rede entrando e saindo do invólucro e a solenóide com bobina externa conectada a terceira entrada de cabo.

9 Acessórios rensacabo Uso Geral ½ T: C12 ¾ T: C34 Suporte Solenóide VL Suporte para válvula solenóide série VL para montagem sob o monitor. VL 1 / : VL ¼ : MSVL1 MSVL14 rensacabo Seg. Aumentada xe ½ T: CX12 ¾ T: CX34 rensacabo À rova de xplosão xd ½ T: CXD12 ¾ T: CXD 34 Bucha Redução xd Rosca externa: Rosca interna: Modelo: ipple xd Rosca externa: Comprimento: Modelo: Tampão xd ¾ T ½ T 3412 ½ T 2 mm 12 ½ T: T12 ¾ T: T34 Tampão Solenóide VL As válvulas são fornecidas com 2 tampões para uso como 3 vias, para encomenda de sobressalentes: VL 1 / : TVL1 VL ¼ : TVL14 Silenciador lástico VL s fornecimentos à incluem o silenciador, encomendados pelo códigos: VL 1 / : SLVL1 VL¼ : SLVL14 Silenciador Metálico VL pcionalmente o silenciador pode ser metálico, apresentando maior robustez: VL 1 / : SLMVL1 VL ¼ : SLMVL14 Kit Bobina Interna VL kit para montagem da bobina internamente na caixa do monitor de válvulas, pode ser adquirido para montagem de conjuntos existentes, na entrada roscada 1 /2 T: VL 1 / : VL ¼ : MSIVL1 MSIVL14 Cabo Flat para Rede Cabo flat para uso geral com os exclusivos conectores Sense. ASInterface: Deviceet: Cabos para Rede ara uso geral ou áreas classificadas dependendo do prensacabo: ASInterface: rofubus: Deviceet fino: Deviceet grosso: CBASI CBDFLAT CBASI1202 CBD1204 CBD00 CBD120 Bobina para Válvula VL conjunto de bobina e caixa de conexão pode ser fornecido separadamente e acoplamse as válvulas VL de ¼ e 1 /. Uso geral: VLIL Segurança aumentada: VLILx Conector Cabo Flat ara montagem de uso geral, com placas de rede ofertamos os exclusivos conectores para cabo flat. ASInterface: Deviceet: ASILVY/13 DLVY/13

10 RD ASI TRADAS RD TRADAS Topologia Branch A topologia ACH também pode ser aplicada às mesmas redes, mas as derivações devem atender os requisitos de comprimento em função da taxa de comunicação específica para cada rede. TRADAS MÓDUL D 4 TRADAS 4 SAÍDAS A TRASISTR DMD44STVT S1 S2 S3 4 S4 RD S1 S2 S3 S4 ASI ASI V CH GD CL V F F V CL GD CH V Configuração da Alimentação de ntrada/saída RD DVICT FT XTRA RD DVICT SAÍDAS laca de Rede s monitores de válvulas são os elementos da automação que mais se adaptam a utilização de redes industriais, pois propciam uma grande redução de custos aliada a facilidade de projeto, montagens (elétrica e mecânica), operação e manutenção. Função das lacas de Rede Através da rede podese enviar o estado de sinalização da válvula e receber o comando para acionar suas saídas que podem utilizar a própria linha de alimentação da rede e energizar a válvula solenóide que move o atuador. As placas de rede substituem os sensores de sinalização remota. Transistores de efeito hall estão embutidos no circuito eletrônico da placa de rede protegidos pelo encapsulamento da resina que preenche toda o invólucro. A placa de rede que está disponível para protocolos ASInterface, Devicenet e rofibus D, propciam além da sinalização remota, o acionamento da válvula, oferecendo ainda bornes para conexão dos fios e leds de sinalização dos sensores da saída e de status da rede. Topologia de Redes A topologia de redes industriais divergem dependendo do protocolo utilizado, mas os monitores de válvulas podem ser aplicados em todas as redes utilizando nossos derivadores de rede interno ou externo. Topologia Line A topologia LI pode ser aplicada na rede ASI, Deviceet e rofibus D. cabo principal da rede sai do controlador e passa por todos os monitores de válvulas. Deviceet XT. FT D lug para ndereçador MÓDUL D 4 TRADAS ASIMD4VT I/=Ø hid= Ø h lacas de Rede em Atmosferas otencialmente xplosivas À rova de xplosão As placas de rede podem ser montadas no invólucro a prova de explosão e acionar a válvula arker série 1 também x d. cabo de rede pode utilizar flexíveis, eletrodutos ou ainda prensa cabos à prova de explosão, simplificando a instalação na planta. Segurança Aumentada os invólucros de segurança aumentada as placas de rede são especiais, utilizam tecnologia xem e podem ser montadas no invólucro plástico ou metálico dos monitores que utilizam esta proteção. conjunto interno possue uma tampa plástica de acrílico que permite a visualização dos leds da placa de rede e se for removida, dá acesso a troca da placa eletrônica e da válvula solenóide, pois são desenergizadas SM interromper o funcionamento do restante da rede. ste sistema exclusivo foi certificado segundo as normas de segurança aumentada permitindo seu uso nas zonas 1 e 2.Compreende um derivador que detecta a presença da tampa acrílica, que se removida desernegiza a interligação da rede que alimenta a placa, independentemente da entrada e saída do cabo principal da rede. A instalação do cabo não requer eletrodutos metálicos e entra no invólucro através de prensa cabos de segurança aumentada.

11 Derivador Interno ste exclusivo sistema de derivação do cabo de rede totalmente integrado ao monitor de válvulas, permite sua utilização através da topologia LI. Caso a placa eletrônica ou a válvula solenóide precisem ser substituídas, o sistema admite esta intervenção sem a necessidade de interromper o funcionamento da rede. Características Técnicas dos Derivadores Modelo D2 D Versão x D2C DC úmero de vias 2 Conexão entrada / saída Bornes aparafusáveis 2, mm 2 Derivação Rabicho 10 cm Rabicho 10 cm 2 fios 0,2mm 2 fios 0,2mm 2 Comutação via tampa de acrílico a versão x a versão x roteção de curto Versão x: 00 ma Versão x: 00 ma alimentação 200 ma sinal Diagrama de Conexão D2 Interligação Tampa plástica ntrada Rede Saída Rede Interligação da rede para a placa laca eletrônica D2C ntrada Interligação Saída Derivador Interno D Rede Interligação VD / AM Rede ntrada Saída VD / AM VD / AM ntrada do cabo de rede DC Rede Interligação VD / AM Rede Conectores para os cabos de rede Saída do cabo de rede ntrada VD / AM Rede Saída VD / AM Rede Detalhe do Derivador Interno Dimensões Mecânicas Tampa código C Derivador D Derivador D2 Derivador código D2 ou D

12 D1 D2 Deviceet. RD D DISTRIBUIDR DVICT DMD4VT ALIMTAÇÃ D3 D4 Configuração da Alimentação de Saída C/JUM ÇÃ VIA FT DVICT S/JUM ÇÃ VIA FT XTRA 24Vcc Derivador xterno derivador externo é um acessório que pode ser fornecido com a finalidade de distribuir o cabo de rede para cada monitor de válvula, permitindo a sua substituição em caso de avaria, sem a necessidade de interromper o funcionamento do restante da rede. Características Técnicas do Derivador Mod. Uso Geral ASIMD2VT ASIMD4VT DMD2VT DMD4VT DMD2VT DMD4VT Modelo x ASIMD2VTx ASIMD4VTx DMD2VTx DMD4VTx DMD2VTx DMD4VTx úmero derivações úmero de vias 2 2 Rede aplicável ASInterface rofibus D Deviceet Conexão entrada/saída Conexão de derivação Bornes tipo plug in aparafusáveis 2, mm 2 Borne fixo aparafusável 2, mm 2 Fonte externa ara alimentação dos derivadores através de borne fixo aparafusável 2, mm 2 ntrada / saída cabos ntrada e saída de rede G 16 / Saída de derivações G 13, Derivador 2 pontos Derivador 4 pontos Configuração da Alimentação de Saída ÇÃ VIA FT DVICT V F F V (F) (F) C/JUM S/JUM ÇÃ VIA FT XTRA 24Vcc (V) (CL) MALHA (GD) (CH) (V) MALHA MALHA Diagrama de Conexão D1 MALHA DISTRIBUIDR DVICT DMD2VT MALHA D2 V F F (V) (CL) MALHA (GD) (CH) (V) ALIMTAÇÃ Deviceet. V (F) (F) MALHA MALHA RD D Derivador 2 ontos, Derivador 4 ontos 29,

13 TRFAC A B 3,9 Características Técnicas das lacas de Rede 1,4 61,4 3,0 S 99,2 44, Rede Deviceet ASInterface rofibus D Modelo Uso Geral Saída Transistor D M 2H 2ST ASI M 2H 2ST D M 2H 2ST Modelo Uso Geral Saída Relé D M 2H 2SR ASI M 2C 2H 2SR Modelo x Seg. Aumentada (Transistor) DM2H1STx ASIM2H1STx DM2H1STx Alimentação Sensores Saídas Rede Alimentação via rede 24 Vcc 10% 30, Vcc 10% 24 Vcc 10% Consumo (exceto das saídas) < 0 ma < 2 ma < 40 ma roteção Inversão de polaridade Sinalização Led verde Sensores internos da placa Sensores de sinalização de válvula aberta e fechada Acionamento do sensor Via came acionador magnético Ângulo acionado / Histerese / Repetibilidade ~ 3º /<º/<0,3º Sinalização Led amarelo úmero de saídas 2 saídas independentes Tensão de chaveamento 24 Vcc da rede 24 Vcc obtida via rede 24 Vcc da rede com cabo D 4 fios Corrente máxima de chaveamento 00 ma 100 ma 00 ma Corrente versão x 200 ma 100 ma 200 ma Queda de tensão na saída até 2 Vcc roteção de saída Contra curto nas versões com saída a transistor roteção de falha de comunicação Carga desernegizada Sinalização de saída Led vermelho ndereçamento na rede Via dipswitch 0a63 Viasoftware 0a31 Viacheve rotativa 0a99 Taxa de transmissão 12, 20 e 00kbps (via dip) adrão ASI Automática até 00kbps Tipo de comunicação olled scravo scravo Dado transmitido Rx 1 byte / Tx 1 byte ntrada 2 bits / Saída 2 bits Rx 1 byte / Tx 1 byte utros DS file eds I =3hID = 2h GSD file Sinalização de rede led bicolor 1 led verde 1 led verde Invólucro Caixa em termoplástico roteção circuito Impregnação com resina laca Conexão Borne pressão # 1, mm 2 Fixação no monitor Através de 2 parafusos M 3 Temperatura operação 20ºC a ºC Grau de roteção I 20 Diagrama de Conexão Deviceet ASInterface rofibusd SLÇÃ DRÇ S1S6: 00 A 63 BAUD RAT SS: Kbps V CL GD CH V Malha SAÍDAS HALL HALL 1 SSR HALL 2 RD D MITR DVICT 2 TRADAS HALL 2 SAÍDAS A TRASISTR DM2H2ST LUG ARA DRÇADR SAÍDAS ASI ASI HALL HALL 1 SSR HALL 2 RD ASI MITR ASI 2 TRADAS HALL 2 SAÍDAS A TRASISTR I/=3h ID=Øh ASIM2H2ST X ndereço Faixa: 01 a V X VD GD Malha SAÍDAS AM/ V HALL HALL 1 SSR HALL 2 RD / ALIM. TRMIAÇÃ D RD C/ TRM. S/ TRM. ARÂMTRS: RD D 20 U 2V I 0mA Tamb.= C MITR FIBUSD 2 TRADAS HALL 2 SAÍDAS A TRASISTR DM2H2ST SLID XT. SAÍDAS A TRASISTR I<00mA RD D SLID XT. SAÍDAS A TRASISTR I<100mA RD ASI SLID XT. SAÍDAS A TRASISTR I<200mA RD D SAÍDAS U 2V I<200mA x 2

14 Monitor para Válvulas Rotativas com Transmissor de osição Analógico 4 a 20 ma Indicação de Ângulo ara a automação de válvulas onde necessitase a indicação local do ângulo de abertura da válvula. Transmissor de osição e Sinalização létrica Remota eixo do monitor que é mecanicamente ligado à válvula, possue um sistema de engrenagens que amplifica seu movimento e aciona um potenciômetro de 1k (outros valores sob encomenda), que pode ser utilizado para transmitir a posição da válvula. monitor pode ser fornecido com uma placa transmissora de corrente (similar a placa de rede) que converte o sinal do potenciômentro, permitindo o ajuste do início e fim da escala, convertendo ângulo em 4 a 20 ma, além dos dois sensores de posição, que permitem sinalizar a válvula aberta e fechada, ajustados também pelos seus cames. laca de Rede Deviceet Analógica ara aplicação em Rede Deviceet ofertamos ainda uma exclusiva placa que possue uma entrada analógica para receber o sinal do potenciômetro e enviar pela rede a percentagem da abertura da válvula.informar ainda com dois sinais digitais a posição aberta ou fechada, pois a placa possui dois sensores magnéticos (hall), que podem ser ajustados pelos cames externos, sendo que um deles está acoplado a uma das engrenagens, mas permite o seu ajuste livremente. módulo possue ainda uma saída analógica de 4 a 20 ma,comandada pela rede e prestase a atuar um conversor eletropneumático para a válvula. Características Técnicas das lacas Transmissoras Versão Somente com potenciômetro otenciômetro com placa transmissora de posição otenciômetro com placa transmissora de posição Deviceet Código T 1K... T1KM2SRD1TA DM1A2H1SA Desenho Alimentação xterna, máximo 24 Vcc 19 a 24 Vcc 24 Vcc 10%0mA Sensores de posição 2 reed switch com came magnético 2 sensores (hall) aberto e fechado Capacidade dos sensores 24 Vcc 1, A0W ntrada de potenciômetro 1k 360º 1k 360º 1k 360º ntrada analógica 4 20 ma ara rede Deviceet conversão 12 bits Ajuste de conversão Zero / spam trimpot multivoltas Sem ajuste (permite ligar um transmissor 2 fios) Saída analógica 4 20 ma (comandada pela rede) ndereçamento Via dip switch 0a63 Taxa de transmissão 12, 20 e 00 kbps (via dip) Tipo de comunicação / transmissão olled / Tx 3 bytes e Rx 2 bytes Conexão Sindal 2, mm 2 Borne 1, mm 2 Borne 1, mm 2 Código do visor Com graduação de ângulo : Des K TRADA TCIÔMTR 1K 360 Des. 2 RD AJUSTS SSR A C F A C F SAÍDA SAÍDA SA ZR 1K RD2 RD1 RD 2 TRADA TCIÔMTR 1K 360 TRASMISSR AALÓGIC D SIÇÃ SA 420mA MITR AALÓGIC TRADA TCIÔMTR 2 SAÍDAS RD 1 TRADA AALGICA 420mA T1KM2SRD1TA Des. 3 SA A SLÇÃ A 1~10K TRADA AALÓGICA RL DRÇ S1S6: 00 A 63 BAUD RAT SS: Kbps Vcc 1Vcc T. SRV. FT V DI CL GD Malha CFIGURAÇÃ CRRT U TSÃ/T CRRT TSÃ/T DI DI FF CH RD D 20 U 2Vcc I 90mA V SA SA I/V? SAÍDA AALÓGICA RL HALL HALL 1 SSR HALL 2 RD D MITR DVICT 1 TRADA AALÓGICA 2 TRADAS HALL 1 SAÍDAS AALÓGICA DM1A2H1SA

15 Chave de Códigos Material do Invólucro A STIL Alumínio à prova de explosão F WATCHMA Alumínio uso geral e segurança aumentada SURVIVR Indicação Visual Local M com indicação local F sem indicação local onteira do ixo ponteira tipo amur 1 ponteira reta ( sob encomenda ) úmero de Chaves 1 uma chave 2 duas chaves ntrada para Conexão létrica laca de Rede 0 2 furos ½ T (Sentinel 2x¾ ) 6 3 furos ½ T (Sentinel 2 x ¾ e1x½ ) ASI com placa endereçadora AS Interface ASIM2H2ST transistor ASIM2H2STx Segurança Aumentada ASIM2H2SR relé D com placa endereçadora Deviceet DM2H2ST transistor DM2H2STx Segurança Aumentada DM2H2SR relé Transmissor de osição Analógica da Válvula T1K com potenciômetro de 1K T1KM2SRD1TA com placa transmissora 420mA DMIA2H1SA placa Transmissora Deviceet AMYBH20DCD... VL... Sinalização létrica Remota 1 contato mecânico 2 sensor reed switch sensor de proximidade indutivo sensor de proximidade indutivo amur 9 sensor de proximidade indutivo Bucha do ixo B bronze (standard) pcional S inox, M monel, G grafite Sinalização da osição da Válvula Y com indicação Aberto / Fechado sem indicação local com indicação de ângulo (0a100%) opcional com indicação de fluxo e outras cores: Derivador Interno D2 rede ASI D2C rede ASI versão x D rede Deviceet e rofibus D Tipo VL 1 / VL ¼ VL amur ¼ À rova xplosão Modelo Uso Geral VLB1116TF VLC1116TF VL119013STF Modelo Duplo Solenóide VLB1126TF VLC1126TF Versão x bobina interna VLB1116TFI VLC1116TFI Versão x rabicho VLB116TFX VLC1116TFX VL119013STFX 1BF12TFX

16 Códigos Mais Comuns Uso Geral Metálico lástico Monitor de válvula com contato mecânico (sem solenóide) Monitor de válvula com reed switch (sem solenóide) Monitor de válvula com contato mecânico e solenóide ¼ Monitor de válvula com reed switch e solenóide ¼ Monitor de válvula com placa de rede ASInterface e solenóide ¼, com bobina interna e conexão para cabo flat ASI Monitor de válvula com placa de rede Deviceet e solenóide ¼, com bobina interna para ser usada com derivador externo DMD4VT FMYB120 FMYB220 FMYB120VLC1116TF FMYB220VLC1116TF FMYBH20ASIM2H2STVLC1116TFIVY FMYBH20DM2H2STVLC1116TFI MYB120 MYB220 MYB120VLC1116TF MYB220VLC1116TF MYBH20ASIM2H2STVLC1116TFIVY MYBH20DM2H2STVLC1116TFI Modelos X À prova de explosão ( caixa metálica ) Segurança aumentada F caixa metálica / caixa plástica Monitor de válvula com contato mecânico (sem solenóide) Monitor de válvula com reed switch (sem solenóide) Monitor de válvula com contato mecânico e solenóide ¼ Monitor de válvula com reed switch e solenóide ¼ Monitor de válvula com placa de rede ASInterface x, solenóide ¼, derivador de rede interno Monitor de válvula com placa de rede Deviceet x, solenóide ¼, com bobina interna x, derivador de rede interno AMYB120 AMYB220 AMYB1201BF12TFX AMYB2201BF12TFX AMYBH26ASIM2H2STD21BF12TFX AMYBH26DM2H2STD1BF12TFX FMYB120x MYB120x FMYB220x MYB220x FMYB120VLC1116TFXx MYB120VLC1116TFXx FMYB220VLC1116TFXx MYB220VLC1116TFXx FMYBH26ASIM2H2STD2CVLC1116TFIx MYBH26ASIM2H2STD2CVLC1116TFIx FMYBH26DM2H2STDCVLC1116TFIx MYBH26DM2H2STDCVLC1116TFIx utros rodutos Versões x: consulte previamente disponibilidade de certificação e observe todas recomendações dos anexos dos certificados. Rua Tuiuti, 123 Tatuapé Cep São aulo S Fone: (11) Fax: (11) mail: Reservamonos o direito de modificar as informações aqui contidas sem prévio aviso Rev. 0 11/02

Monitores de Válvula

Monitores de Válvula Sensores e Instrumentos MAUAL D ISTRUÇÕS Monitores de Válvula Recomendações de Instalação Chave de Códigos Material do Invólucro A - STIL Alumínio à prova de xplosão F - WATCHMA Alumínio uso geral e segurança

Leia mais

monitor de Válvula M31 linha de produtos - monitor duplo IP67 M31 Monitor para Sinalização de Válvula Sense

monitor de Válvula M31 linha de produtos - monitor duplo IP67 M31 Monitor para Sinalização de Válvula Sense monitor de Válvula M31 linha de produtos monitor duplo IP67 M31 Monitor para Sinalização de Válvula 1 monitor de Válvula M31 Monitores Convencionais O monitor para sinalização de válvulas M31 foi idealizado

Leia mais

MONITORES DE VÁLVULA. Sensores e Instrumentos

MONITORES DE VÁLVULA. Sensores e Instrumentos MITRS D VÁLVULA Sensores e Instrumentos Monitores de Válvulas s monitores de válvulas foram desenvolvidos para automatizar válvulas rotativas de diversos tipos. odem ser montados sobre qualquer válvula

Leia mais

Posicionador digital PD

Posicionador digital PD Posicionador digital PD PFLEX - Protocolo Hart Descrição O posicionador PD - PFLEX, através da comunicação digital, utiliza o protocolo HART e recebe um sinal de entrada e controla a pressão de alimentação

Leia mais

dmtech Booster Amplificador de Volume Descrição Características

dmtech Booster Amplificador de Volume Descrição Características Booster Amplificador de Volume Descrição O Booster - Amplificador de volume - tem como função reproduzir sinais pneumáticos com aumento da capacidade de vazão. É utilizado quando a tubulação entre o instrumento

Leia mais

Manual de Instruções de Operação e Manutenção Monitor de Posição

Manual de Instruções de Operação e Manutenção Monitor de Posição Manual de Instruções de Operação e Manutenção Monitor de Posição 1. INFORMAÇÕES GERAIS... 3 2. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... 3 3. DESENHO DIMENSIONAL... 4 4. INSTALAÇÃO... 5 4.1 MONTAGEM EM ATUADOR ROTATIVO...

Leia mais

www.microkits.com.br

www.microkits.com.br Rua Conceição de Monte Alegre, 33 Brooklin - São Paulo - SP - CEP 053-00 FONE/FAX: (55 11) 5.90 / 57.29 E-mail: microkits@microkits.com.br MICROKITS IND. E COM. LTDA. www.microkits.com.br LA MA AZ BC VM

Leia mais

Entradas. AS-Interface. Módulo I/O - Digital 4 Entradas MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sensores e Instrumentos. Manual de Instruções

Entradas. AS-Interface. Módulo I/O - Digital 4 Entradas MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sensores e Instrumentos. Manual de Instruções Módulo Digital ASInterface Manual de Instruções Sensores e Instrumentos MANUAL DE INSTRUÇÕES Entradas ASInterface Entrada 4 Entrada Entrada 3 Entrada Conexão da Rede ASInterface Fig. Módulo I/O Digital

Leia mais

VÁLVULAS MULTIFUNÇÃO TIPO SPOOL Operadas por ar ou solenóide-ar ISO 5599/01 - Tamanho 1

VÁLVULAS MULTIFUNÇÃO TIPO SPOOL Operadas por ar ou solenóide-ar ISO 5599/01 - Tamanho 1 Série Modelo PH VÁLVULAS MULTIFUNÇÃO TIPO SPOOL Operadas por ar ou solenóidear ISO 99/0 Tamanho /2/ vias / posições VANTAGENS: A série no novo modelo PH oferece além das vantagens da linha : Excepcional

Leia mais

Monitor de Posição Axiom - AX

Monitor de Posição Axiom - AX Monitor de Posição Axiom - AX com sensores de chaveamento FOUNDATION Fieldbus (Com Rede Energizada Saídas) Instruções de instalação, manutenção e operação (AX93 ) 2 Sumário Sumário...Página 2 Guia de modelos

Leia mais

Aplicações de uso geral / zonas perigosas

Aplicações de uso geral / zonas perigosas AVID Série Z Monitorizador de Válvulas Rotativas Proporcionando uma monitorização integrada e um controlo das válvulas de processo automatizadas, a série Z foi projetada tanto para aplicações de uso geral

Leia mais

linha de produtos - derivadores DERIVADORES DE REDE PROCESS FIELDBUS NTERFACE

linha de produtos - derivadores DERIVADORES DE REDE PROCESS FIELDBUS NTERFACE linha de produtos - derivadores DERIVDORES DE REDE S O PROESS FIELDUS l NTERFE S MD - Derivadores Passivos Uso Geral Fornecem de maneira simples e segura a distribuição para até quatro equipamentos, utilizando

Leia mais

Válvulas Direcionais 5/2 vias tipo 740/DN7. Um desenvolvimento da Rexroth que conecta perfeitamente vantagens e desempenho.

Válvulas Direcionais 5/2 vias tipo 740/DN7. Um desenvolvimento da Rexroth que conecta perfeitamente vantagens e desempenho. Válvulas Tipo 740 Válvulas Direcionais 5/2 vias tipo 740/DN7 Um desenvolvimento da Rexroth que conecta perfeitamente vantagens e desempenho. As vantagens estão nos detalhes Válvula de diafragma Capacidade

Leia mais

SENTRONIC 608/609 Versão para sub-bases Conector DN 4 Peso: 560 g Orifício para parafusos M4 Interface de programação Parafuso M4 para ligação à terra Orifício para parafusos M4 DN 8 Peso: 1.130 g Orifícios

Leia mais

Monitor de Posição Axiom - AX

Monitor de Posição Axiom - AX Monitor de Posição Axiom - AX com sensores de chaveamento AS-Interface (endereçamento estendido) Instruções de instalação, manutenção e operação (AX9 ) Número da publicação 105revA Sumário Número da publicação

Leia mais

Derivadores de Rede. Foundation Fieldbus Profibus PA. www.sense.com.br

Derivadores de Rede. Foundation Fieldbus Profibus PA. www.sense.com.br Derivadores de Rede Foundation Fieldbus Profibus PA www.sense.com.br Introdução Este catálogo contém informações sobre as redes Profibus PA e Foundation Fieldbus e tem como objetivo, expor a linha de derivadores

Leia mais

Monitor Inteligente Para Válvula Diafragma

Monitor Inteligente Para Válvula Diafragma Linha de Produtos * Monitores de Válvulas Monitor Inteligente Para Válvula Diafragma Calibração automática Sensoriamento totalmente eletrônico do posicionamento da válvula LEDs Extra Brilho para indicação

Leia mais

INFORMAÇÕES TÉCNICAS 1) PRINCÍPIO DE OPERAÇÃO

INFORMAÇÕES TÉCNICAS 1) PRINCÍPIO DE OPERAÇÃO Esta seção de informações técnicas contém uma completa descrição de operação das válvulas, tipos disponíveis, terminologia das partes das válvulas, bobinas e informações sobre vazão. ) PRINCÍPIO DE OPERAÇÃO

Leia mais

Capítulo 9. signum. Dispositivos de comando e sinalização

Capítulo 9. signum. Dispositivos de comando e sinalização Capítulo 9 signum Dispositivos de comando e sinalização SIGUARD Safety Integrated Técnica de segurança Sinalizador 8WD Com lâmpada incandescente e LED Diâmetro Ømm Pág. Tabela de escolha 9/ Acessórios

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Manual de Operação e Instalação LC110 Chave de nível multipontos Cod: 073AA-057-122M Março / 2009 S/A Rua João Serrano, 250 Bairro do Limão São Paulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999 FAX: (11) 3488-8980

Leia mais

Válvulas Automáticas de Controle e Fluxo

Válvulas Automáticas de Controle e Fluxo Válvulas Automáticas de Controle e Fluxo As válvulas automáticas são utilizadas em processos de automação ou acionamento remoto para controle de fluxo de líquidos e gases, e também nos processos de dosagem

Leia mais

Explicação dos Tipos de Válvula Solenóide

Explicação dos Tipos de Válvula Solenóide Explicação dos Tipos Válvula Solenói Todas as válvulas da Danfoss possuem agora uma signação que talha sua estrutura e operação.vários números e letras finem se a válvula é operada diretamente ou servocontrolada,

Leia mais

PNEUMÁTICA. Enroladores de mangueiras e de cabos. Desempenho superior, design durável e facilidade de uso

PNEUMÁTICA. Enroladores de mangueiras e de cabos. Desempenho superior, design durável e facilidade de uso PNEUMÁTICA Enroladores de mangueiras e de cabos Desempenho superior, design durável e facilidade de uso 2 Para uso profissional em ambientes industriais. Satisfação das necessidades dos ambientes de trabalho

Leia mais

SENSORES INDUTIVOS. Standard NAMUR

SENSORES INDUTIVOS. Standard NAMUR SENSORES INDUTIVOS Standard Linha Standard Características Técnicas PS1-6,5-25-N-L PS2-6,5-25-N-L PS1-8GI25-N-L PS2-8GI25-N-L (Normal DIN 19324) 6,5 / 8 Corrente Contínua Namur Cabo Desenho 1 2 3 4 Distância

Leia mais

CM 60. Manual de Instruções. CHAVE DE FLUXO Conexões de Rosca DN 1/2, 3/4, 1, 1.1/4, 1.1/2 e 2 TECNOFLUID

CM 60. Manual de Instruções. CHAVE DE FLUXO Conexões de Rosca DN 1/2, 3/4, 1, 1.1/4, 1.1/2 e 2 TECNOFLUID Português CM 60 CHAVE DE FLUXO Conexões de Rosca DN 1/2, 3/4, 1, 1.1/4, 1.1/2 e 2 Manual de Instruções Leia este manual atentamente antes de iniciar a operação do seu aparelho. Guarde-o para futuras consultas.

Leia mais

Dados técnicos. 0,2 m/s Dados elétricos: U e : 24 VDC 15%/+10% (estabilizado PELV) 1,2 A max. 0,6 A 800 V

Dados técnicos. 0,2 m/s Dados elétricos: U e : 24 VDC 15%/+10% (estabilizado PELV) 1,2 A max. 0,6 A 800 V Encravamento de segurança AZM 200 37,7 3,3 6, 32, GN RD YL 7, M20x1, 220 1, 20 1 Invólucro plástico A tecnologia do sensor permite um ajuste +/ mm entre actuador e encravamento Até PL e de acordo com EN

Leia mais

Atuadores Pneumáticos

Atuadores Pneumáticos / / D Atuadores Pneumáticos Os atuadores pneumáticos HiTork são dispositivos utilizados para o acionamento de válvulas de controle e outros elementos semelhantes. Possuem construção robusta, grandes torques

Leia mais

POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS 4 a 20 ma + Comunicação Digital HART. smar

POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS 4 a 20 ma + Comunicação Digital HART. smar POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS a ma + Comunicação Digital HART DESCRIÇÃO O posicionador microprocessado FY proporciona o posicionamento rápido e seguro dos atuadores tipo diafragma ou cilindro.

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS Índice 1.0 Conexões Pneumática Instantâneas...... 4 1.1 - Redutores... 7 1.2 Válvulas Manuais... 8 2.0 Acessórios Pneumáticos... 8 3.0 Válvulas Mecânicas... 10 3.1 Piloto... 10 3.2

Leia mais

Válvulas Direcionais Série Tigre

Válvulas Direcionais Série Tigre Válvulas Direcionais Série Tigre 14662120 Info 100 Visão geral da linha MFH, MOFH, JMFH, VL/O,VL,JH,JDH -M- Vazão : 500 l/min : 800 l/min : 3700 l/min -P- Tensão 12... 48 V cc 24... 240 V ca/ 50... 60

Leia mais

Central de Alarme de Incêndio AF-18 18 Setores - versão 12V-24V. Central. Fonte de Alimentação. 1. Apresentação 1/12

Central de Alarme de Incêndio AF-18 18 Setores - versão 12V-24V. Central. Fonte de Alimentação. 1. Apresentação 1/12 Central de Alarme de Incêndio AF-18 18 Setores - versão 12V-24V 1. Apresentação Parabéns, você acaba de adquirir mais um produto desenvolvido pela CS Comunicação e Segurança: Central de Alarme de Incêndio

Leia mais

MÓDULOS I/O PARA CAMPO AS-INTERFACE

MÓDULOS I/O PARA CAMPO AS-INTERFACE Módulos linha de produtos - * redes industriais MÓDULOS PARA CAMPO AS-INTERFACE www.sense.com.br Sense l NTERFACE ( ) 245-0444 - Compacto: 4 entradas digitais em um invólucro compacto que facilita a instalação

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Segurança Chaves de Intertravamento e Sensores de Segurança

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Segurança Chaves de Intertravamento e Sensores de Segurança Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Soluções em Segurança de Intertravamento e Sensores de Segurança de Intertravamento de Segurança Operada por Lingueta sem Solenóide CISC - Compacta

Leia mais

Série 83400 Regulador eletrônico de pressão diferencial

Série 83400 Regulador eletrônico de pressão diferencial 83400 Regulador eletrônico de pressão diferencial Identifica a pressão diferencial requerida para atuar em filtros com pó Boa interferência de imunidade tal como na Diretiva EMC Usando operação dot matrix

Leia mais

FX3 - A3R -P SENSORES PARA FIBRA ÓPTICA. Chave de código: FX / FZ

FX3 - A3R -P SENSORES PARA FIBRA ÓPTICA. Chave de código: FX / FZ SENSORES PARA FIBRA ÓPTICA FX / FZ Sensores para fibra óptica série FX Todos os modelos microprocessados. Alta repetibilidade e precisão. Indicação da quantidade de luz recebida através de display 4 dígitos

Leia mais

110,5 x 22,5 x 114 (term. mola)

110,5 x 22,5 x 114 (term. mola) Supervisão de parada de emergência e monitoramento de portas Supervisão de sensores de segurança magnéticos codificados Entrada para 1 ou 2 canais Categoria de Segurança até 4 conforme EN 954-1 Para aplicações

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO N.º 50/15 RETIFICADO EM 07/12/2015

EDITAL DE PREGÃO N.º 50/15 RETIFICADO EM 07/12/2015 SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO - SAAE CNPJ: 21.260.443/0001-91 - Inscrição Estadual: isento Rua Nonô Ventura, 394, CEP 35680-205, Bairro Lourdes - Itaúna/MG EDITAL DE PREGÃO N.º 50/15 RETIFICADO EM

Leia mais

Sistemas de válvula Sistemas de válvulas conforme norma ISO 5599-1, tamanho 3, série 581. Catálogo impresso

Sistemas de válvula Sistemas de válvulas conforme norma ISO 5599-1, tamanho 3, série 581. Catálogo impresso ISO 5599-1, tamanho 3, série 581 Catálogo impresso 2 ISO 5599-1, tamanho 3, série 581 Acionamento elétrico Sistema de válvulas, Série 581, tamanho 3 Qn = 4100 l/min Largura da válvula piloto: 22 mm conexão

Leia mais

Sistema de ligação para electroválvulas e distribuidores, compatíveis com bus de terreno PROFIBUS-DP, INTERBUS-S, DEVICE-NET

Sistema de ligação para electroválvulas e distribuidores, compatíveis com bus de terreno PROFIBUS-DP, INTERBUS-S, DEVICE-NET ValveConnectionSystem Sistema de ligação para electroválvulas e distribuidores, compatíveis com bus de terreno PROFIBUS-DP, INTERBUS-S, DEVICE-NET P20.PT.R0a O SISTEMA V.C.S. O sistema VCS é um conjunto

Leia mais

Didática Bosch Rexroth

Didática Bosch Rexroth Didática Bosch Rexroth 2 Introdução A Divisão Service da Bosch Rexroth oferece ao mercado a sua linha didática. Sempre preocupada com a qualificação técnica do profissional brasileiro, oferece à indústria

Leia mais

CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T

CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T Introdução Obrigado por ter escolhido nosso CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T. Para garantir o uso correto e eficiente do TRM-270T, leia este manual completo e atentamente

Leia mais

Bancada Didática para CLP SIEMENS (LOGO!) - XC123 -

Bancada Didática para CLP SIEMENS (LOGO!) - XC123 - T e c n o l o g i a Bancada Didática para CLP SIEMENS (LOGO!) - XC123 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada Didática para CLP SIEMENS (LOGO!)

Leia mais

Telefone para atmosferas explosivas tipo ExResistTel IP2

Telefone para atmosferas explosivas tipo ExResistTel IP2 Extrato para o manual de instruções OCP 0007 Telefone para atmosferas explosivas tipo ExResistTel IP2 Visão externa da parte superior do telefone Normas aplicadas (extrato) ABNT NBR IEC 60079-0 ABNT NBR

Leia mais

Marcação máxima. Observar as informações na placa de características. II 1/2 G. Ex d + e/d IIC Ga/Gb I M 1. Ex d + e I Ma. Certificado Conformidade

Marcação máxima. Observar as informações na placa de características. II 1/2 G. Ex d + e/d IIC Ga/Gb I M 1. Ex d + e I Ma. Certificado Conformidade s relativas às instruções Ao trabalhar em zonas com risco de explosão, a segurança de pessoas e equipamentos depende do cumprimento dos regulamentos de segurança relevantes. As pessoas que são responsáveis

Leia mais

Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50

Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50 Catálogo técnico Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50 EV220B 15 50 é um programa universal de válvula solenoide de 2/2 vias indiretamente servo-operada. O corpo da válvula em

Leia mais

Sensores e Transdutores - XC 201 -

Sensores e Transdutores - XC 201 - T e c n o l o g i a Sensores e Transdutores - XC 201 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Sensores e Transdutores - XC 201 - INTRODUÇÃO Sensores e transdutores

Leia mais

e Catálogo de Componentes Pneumáticos e Elétricos www.festo.com.br

e Catálogo de Componentes Pneumáticos e Elétricos www.festo.com.br Painel Simulador Painel Simulador de Pneumática de Pneumática e Eletropneumática e Catálogo de Componentes Pneumáticos e Elétricos www.festo.com.br Festo Didactic Presente desde 1974 no Brasil, a Festo

Leia mais

Válvulas de Segurança 3/2 vias DM² C

Válvulas de Segurança 3/2 vias DM² C Válvulas de Segurança 3/2 vias DM² C Isolamento da Energia Pneumática Categoria 4 Líder na Tecnologia de Válvulas de Segurança Desde 1950 2005 Tecnologia e experiência 1995 2000 1980 1976 1967 1962 1954

Leia mais

Chaves posicionadoras eletromecânicas múltiplas e simples

Chaves posicionadoras eletromecânicas múltiplas e simples e Conteúdo. 00 conf. DIN 43697.4 6.6 6.8 7.0 46. 40 eletromecânicas.4 F 60 conf. DIN 43693.6 99 00 s s múltiplas 00 6 6 7 46 40 s s F 60 99 00 Acessórios Peças de reposição. múltiplas conf. DIN 43697 para

Leia mais

CONVERSOR ISOLADOR RS232 / RS485 I-7520

CONVERSOR ISOLADOR RS232 / RS485 I-7520 CONVERSOR ISOLADOR RS232 / RS485 I-7520 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso CONVERSOR ISOLADOR RS232 / RS485 I-7520. Para garantir o uso correto e eficiente do I-7520, leia este manual completo

Leia mais

Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 com Inversor - XC124 -

Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 com Inversor - XC124 - T e c n o l o g i a Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 com Inversor - XC124 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada Didática para CLP SIEMENS

Leia mais

Projetor AlphaLED Ex nc / Ex tb (com alojamento para driver)

Projetor AlphaLED Ex nc / Ex tb (com alojamento para driver) Projetor AlphaLED Ex nc / Ex tb (com alojamento para driver) ALEDZnC Não centelhante e à prova de jatos potentes d água. Características Construtivas Projetor para área explosiva, com corpo e tampa fabricado

Leia mais

Instruções de instalação e ajuste

Instruções de instalação e ajuste Módulo de leitura e comunicação Namur (AMI ) Instruções de instalação e ajuste mm, mm 00, mm Orifícios de admissão de ar / NPT Alojamentos M0 marcados com M E E M S Orifícios de admissão de ar / NPT Entradas

Leia mais

Atuadores. Pneumáticos e Elétricos.

Atuadores. Pneumáticos e Elétricos. Atuadores Pneumáticos e Elétricos. Alta qualidade e construções de extrema durabilidade, atuadores rotativos pneumáticos, elétricos e acessórios para automação de válvulas industriais. MANAGEMENT SERVICE

Leia mais

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET CONJUNTOS DE FACAS WINDJET CONJUNTO DE FACAS WINDJET SOPRADORES CONJUNTOS DE FACAS WINDJET SUMÁRIO Página Visão geral dos pacotes de facas de ar Windjet 4 Soprador Regenerativo 4 Facas de ar Windjet 4

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO A EQUIPEL assegura ao proprietário deste aparelho garantia de 01 ano contra qualquer defeito de peça ou de fabricação desde que,

Leia mais

Instruções de segurança VEGADIF DF65.D******- Z/H/P/F*****

Instruções de segurança VEGADIF DF65.D******- Z/H/P/F***** Instruções de segurança VEGADIF DF65.D******- Z/H/P/F***** NCC 13.02323 X Ex d ia IIC T6...T1 Ga/Gb 0044 Document ID: 47487 Índice 1 Validade... 3 2 Geral... 3 3 Dados técnicos... 3 4 Condições de utilização...

Leia mais

Descrição e dimensões dos itens elétricos

Descrição e dimensões dos itens elétricos Descrição e dimensões dos itens elétricos Item 2 2.1 Condutivímetro (Kit 01 Química - Compostos Iônicos) Lâmpada miniatura rosca. Voltagem 6 volts. Corrente 150 ma à 250 ma Diâmetro 9,5 mm e altura 22

Leia mais

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Redes Industriais Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Capítulo 3 Rede AS-I Actuador - Sensor - Interface Capítulo 3 Histórico A rede AS-Interface

Leia mais

Chave de segurança codifi cada por transponder CTP com bloqueio

Chave de segurança codifi cada por transponder CTP com bloqueio Chave de segurança codifi cada por transponder CTP com bloqueio A chave de segurança CTP A chave de segurança CTP combina o comprovado princípio de funcionamento das chaves de segurança eletromecânicas

Leia mais

Instrução de Montagem e de Regulagem

Instrução de Montagem e de Regulagem Instrução de Montagem e de Regulagem A ser guardada pelo usuário! Indicadores de posição da nova geração ÍNDICE DO CONTEÚDO Legenda 3 Indicações de Segurança 4 SWITCHmaster -Montagem e Regulagem dos Cames

Leia mais

Power Pipe Line. Redes de Ar Comprimido

Power Pipe Line. Redes de Ar Comprimido Power Pipe Line Redes de Ar Comprimido Power Pipe Line - PPL - é um novo sistema de tubulação de encaixe rápido projetado para todo tipo de planta de ar comprimido, bem como para outros fluidos, gases

Leia mais

Bancada Didática para CLP SCHNEIDER _ TWIDO - XC113 -

Bancada Didática para CLP SCHNEIDER _ TWIDO - XC113 - T e c n o l o g i a Bancada Didática para CLP SCHNEIDER _ TWIDO - XC113 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada Didática para CLP Schneider TWIDO

Leia mais

MANUAL TÉCNICO POTENZA ANALÓGICA. Rev. 0

MANUAL TÉCNICO POTENZA ANALÓGICA. Rev. 0 Rev. 0 MANUAL TÉCNICO POTENZA ANALÓGICA ÍNDICE INSTRUÇÕES IMPORTANTES DE SEGURANÇA Instruções importantes de segurança...3 Características técnicas...4 Ferramentas necessárias para instalação...5 Instalação

Leia mais

MONITOR DE MOVIMENTO (ZERO SPEED) RS-210

MONITOR DE MOVIMENTO (ZERO SPEED) RS-210 MONITOR DE MOVIMENTO (ZERO SPEED) RS-210 Manual do usuário Monitor de Movimento (Zero Speed) MAN-DE-RS210 Rev.: 1.00-10 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso Monitor de Movimento (Zero Speed) RS-210.

Leia mais

CATÁLOGO 800035-A Observações sobre as fichas técnicas

CATÁLOGO 800035-A Observações sobre as fichas técnicas CATÁLOGO 800035-A sobre as fichas técnicas Os dados constantes nas fichas técnicas a seguir podem sofrer alterações sem prévio aviso. Alguns modelos possuem pequenas alterações em seus projetos construtivos,

Leia mais

Manual do Usuário - NKPROX

Manual do Usuário - NKPROX Manual do Usuário NKPROX Manual do Usuário - NKPROX Neokoros TI - Biometric Technology Índice 1 - Apresentação e Características Gerais...3 2 - Placa BMC - Especificações...4 2.1 - Conectores (pinagem

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Manual de Operação e Instalação Transmissor de nível Cod: 073AA-005-122M Rev. A Série LT-200 Fevereiro / 2004 S/A. Rua João Serrano, 250 Bairro do Limão São Paulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999

Leia mais

ST90 / ST90A PT10. Transmissor e Sensor de Temperatura

ST90 / ST90A PT10. Transmissor e Sensor de Temperatura ST90 / ST90A PT0 Transmissor e Sensor de Temperatura ST90A PT0 Características Descrição Transmisssor de Temperatura - Ideal para diversos ambientes Industriais e aplicações sanitárias. - Cabeçote em Nylon

Leia mais

HGE / HEG / HHEV / HSph e DGE

HGE / HEG / HHEV / HSph e DGE HGE / HEG / HHEV / HSph e DGE VERSÃO 0 ÍNDICE.0 - FINALIDADE 0.0 - APLICAÇÃO 0.0 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 0.0 - TERMINOLOGIA 0.0 - CARACTERÍSTICAS GERAIS 0.0 - CHAVES FIM DE CURSO ROTATIVA HGE e HGES

Leia mais

Conexão Automática WAGO

Conexão Automática WAGO Conexão Automática WAGO Tudo o que você precisa para fazer uma emenda elétrica perfeita. Linha 222 Linha 224 Linha 773 Linha 243 Mais de anos de história Líder em tecnologia de conexão por mola. Presente

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Manual de Operação e Instalação Chave de nível capacitiva Cod: 073AA-004-122M Rev. B Série LC-200 Março / 2010 S/A Rua João Serrano, 250 Bairro do Limão São Paulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999

Leia mais

CCL. Manual de Instruções. CHAVE DE NÍVEL Tipo Condutiva TECNOFLUID

CCL. Manual de Instruções. CHAVE DE NÍVEL Tipo Condutiva TECNOFLUID Português CCL CHAVE DE NÍVEL Tipo Condutiva Manual de Instruções Leia este manual atentamente antes de iniciar a operação do seu aparelho. Guarde-o para futuras consultas. Anote o modelo e número de série

Leia mais

Sensores Digitais. Prof. Ms. Marco Antonio Baptista de Sousa

Sensores Digitais. Prof. Ms. Marco Antonio Baptista de Sousa Sensores Digitais Prof. Ms. Marco Antonio Baptista de Sousa Apresentação Em função dos novos métodos de fabricação, onde sofisticados comando de processos de automação e robotização de máquinas industriais

Leia mais

SITRANS LVL200H.ME****A****

SITRANS LVL200H.ME****A**** Vibrating Switches SITRANS LVL200H.ME****A**** NCC 14.03368 X Ex d IIC T6 Ga/Gb, Gb Instruções de segurança 0044 Índice 1 Validade... 3 2 Geral... 3 3 Dados técnicos... 4 4 Condições de utilização... 4

Leia mais

Série EN Manual de instalação

Série EN Manual de instalação Série EN Manual de instalação Documento controlado por órgão regulador. Nenhuma alteração está autorizada sem a prévia aprovação do órgão StoneL Corporation One StoneL Drive 67 US Highway 9 Fergus Falls,

Leia mais

kymanual ou automática a escolha é sua

kymanual ou automática a escolha é sua . kymanual ou automática a escolha é sua Válvula borboleta LKB automática ou manual Aplicação ALKBéumaválvulaborboletasanitáriaacionadamanualou automaticamente para uso em sistemas com tubulações em aço

Leia mais

Sensores de condição. Projetado para produzir resultados de alta qualidade em uma variedade de ambientes robustos

Sensores de condição. Projetado para produzir resultados de alta qualidade em uma variedade de ambientes robustos Sensores de condição Projetado para produzir resultados de alta qualidade em uma variedade de ambientes robustos DETECÇÃO DE CONDIÇÃO A Rockwell Automation oferece uma linha impressionante de produtos

Leia mais

FIPAI Fundação para o Incremento da Pesquisa e do Aperfeiçoamento Industrial Tomada de Preço nº. 003/2013 Processo Finep nº 01.09.0563.

FIPAI Fundação para o Incremento da Pesquisa e do Aperfeiçoamento Industrial Tomada de Preço nº. 003/2013 Processo Finep nº 01.09.0563. ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS LOTE 01 Especificar Sistema de Geração de Ar Comprimido, incluindo compressor, secador por adsorção e filtros coalescentes Diagrama Pneumático. Confirmar detalhes com equipe

Leia mais

Invólucro. Invólucro em ferro fundido. Chave de fluxo com palheta (construção robusta) pág. 8. Modelo 010 Modelo 016

Invólucro. Invólucro em ferro fundido. Chave de fluxo com palheta (construção robusta) pág. 8. Modelo 010 Modelo 016 A CONAUT, desde 1965 no mercado nacional, é hoje uma marca conhecida e respeitada no ramo de automação e instrumentação, atuando em todos os ramos da indústria. Além de possuir em sua linha de fabricação

Leia mais

Válvulas - Série PVL. Válvulas pneumáticas Série PVL. Características técnicas. Materiais. Descrição. Catálogo 1001-8 BR Informações técnicas

Válvulas - Série PVL. Válvulas pneumáticas Série PVL. Características técnicas. Materiais. Descrição. Catálogo 1001-8 BR Informações técnicas Informações técnicas Válvulas - Características técnicas Vias/posições 5/2 Conexão G1/8 e G1/4 Tipo construtivo Acionamentos Vazão a 7 bar Faixa de temperatura Faixa de pressão Cv Fluido Spool Elétrico

Leia mais

Válvula com comando por botão. Válvula com comando tipo «cogumelo»

Válvula com comando por botão. Válvula com comando tipo «cogumelo» Válvulas 3/ para painel Série MT - M Tipo... Montagem... Temperatura ambiente.. Temperatura do fluido Fluido... Pressão de trabalho... Vazão nominal... s... Materiais... Válvula 3/ para painel, atuação

Leia mais

Série de Válvulas Compact Performance

Série de Válvulas Compact Performance Série de Válvulas Compact Performance Largura mínima, consumo de energia muito baixo e vazão extremamente alta. Densidade máxima de potência: _ pequena massa _ dimensões mínimas Montagem da válvula diretamente

Leia mais

Manual de Instalação, Operação e Manutenção. Chave Eletrônica de Nível LIDEC 91-92

Manual de Instalação, Operação e Manutenção. Chave Eletrônica de Nível LIDEC 91-92 Chave Eletrônica de Nível LIDEC 91-92 Manual de Instalação, Operação e Manutenção INFORMAÇÕES DE DIREITOS AUTORAIS Este documento não pode ser reproduzido, no todo ou em parte e por quaisquer meios, sem

Leia mais

TR-20. Manual de Instruções. CHAVE DE FLUXO Tipo Êmbolo TECNOFLUID

TR-20. Manual de Instruções. CHAVE DE FLUXO Tipo Êmbolo TECNOFLUID Português TR-20 CHAVE DE FLUXO Tipo Êmbolo Manual de Instruções Leia este manual atentamente antes de iniciar a operação do seu aparelho. Guarde-o para futuras consultas. Anote o modelo e número de série

Leia mais

Ilhas de distribuição. Tamanho 26 mm - Série 503

Ilhas de distribuição. Tamanho 26 mm - Série 503 Ilhas de distribuição Tamanho 26 mm - Série 503 Um caudal máximo para um tamanho mínimo Dimensões reduzidas (26 mm) para instalações menos pesadas Um caudal de 1400 l/min para tamanho de 26 mm Uma conceção

Leia mais

ST 160 ST 160 0 # Manual de Referência e Instalação

ST 160 ST 160 0 # Manual de Referência e Instalação ST 160 ST 160 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 # Manual de Referência e Instalação Descrições 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 # 3 2 Número Descrição 1 Indicador de modo 2 Antena 3 Matriz do Teclado 4 Parafuso Especificações

Leia mais

I-VUE. O monitor inteligente para válvula diafragma. Totalmente eletrônico. Exclusivo indicador luminoso. Display com diagnósticos inteligentes

I-VUE. O monitor inteligente para válvula diafragma. Totalmente eletrônico. Exclusivo indicador luminoso. Display com diagnósticos inteligentes Monitoração de Válvulas I-VUE O monitor inteligente para válvula diafragma. Totalmente eletrônico Exclusivo indicador luminoso Display com diagnósticos inteligentes Calibração automática Indicação do número

Leia mais

SISTEMA DIDÁTICO PARA ESTUDO DE CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS

SISTEMA DIDÁTICO PARA ESTUDO DE CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS DLB CLP 642S SISTEMA DIDÁTICO PARA ESTUDO DE CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS Sistema didático para estudos e práticas em controladores lógicos programáveis, de constituição modular e possibilita a montagem

Leia mais

Electroválvulas Tipo 3963

Electroválvulas Tipo 3963 Instruções de Montagem e Operação Electroválvulas Tipo 3963 Fig. 1 Geral A montagem, colocação em funcionamento e operação destes equipamentos só podem ser efectuadas por pessoal experimentado. São assumidos

Leia mais

Conexões bus estrutura de ligação DDL Estrutura de link DDL, acoplador de bus. Catálogo impresso

Conexões bus estrutura de ligação DDL Estrutura de link DDL, acoplador de bus. Catálogo impresso Estrutura de link DDL, acoplador de bus Catálogo impresso 2 Estrutura de link DDL, acoplador de bus Acoplador de bus com controlador design S Acoplador de bus com controlador Protocolo de bus de campo:

Leia mais

Automação Hidráulica

Automação Hidráulica Automação Hidráulica Definição de Sistema hidráulico Conjunto de elementos físicos associados que, utilizando um fluido como meio de transferência de energia, permite a transmissão e o controle de força

Leia mais

Acessórios Pneumáticos

Acessórios Pneumáticos Conteúdo 5.. 5.. 5.. 5.4. 5.5. 5.6. 5.7. 5.8. 5.9. 5.. 5.. 5.. 5.. 5.4. 5.5. 5.6. 5.7. 5.8. 5.9. Silenciador Cônico Silenciador Charuto Silenciador Controle de Fluxo Silenciador Controle de Fluxo Mondial

Leia mais

Torres Luminosas Compactas e Modulares

Torres Luminosas Compactas e Modulares Torres Luminosas Compactas e Modulares Safe solutions for your industry Índice TLC-60 Torre Luminosa Compacta Página 4 TLM-70 Torre Luminosa Modular Página 10 3 TLC-60 Torre Luminosa Compacta Desenvolvida

Leia mais

INTRODUÇÃO À AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

INTRODUÇÃO À AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO À AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Treinamento Branqs Automação, 2007 Elaboração: Kauê Leonardo Gomes Ventura Lopes Aprovação: Fernando José Cesilio Branquinho Branqs Automação Ltda. Rua do Comércio, nº

Leia mais

1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides

1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides 1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides CONTROLE DE FLUSHING AUTOMÁTICO LCF 12 Modo Periódico e Horário www.lubing.com.br (19) 3583-6929 DESCALVADO SP 1. Instalação O equipamento deve

Leia mais

BERMAD Saneamento. Válvula Controladora de Bomba Válvula de Retenção Ativa. Série 700. Modelo 740

BERMAD Saneamento. Válvula Controladora de Bomba Válvula de Retenção Ativa. Série 700. Modelo 740 Válvula Controladora de Bomba Válvula de Retenção Ativa Isolamento dos efeitos de partida e parada da bomba do sistema, para: Bombas de velocidade única isoladas Bateria para bombas de velocidade única

Leia mais

Módulo WCM200. Controlador WSI250 - HI Tecnologia

Módulo WCM200. Controlador WSI250 - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador WSI250 - HI Tecnologia W i re l e s s S i g n a l I n t e r fa c e O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador WSI250 da HI tecnologia

Leia mais

Linha Embutida a tid u b m a E h Lin

Linha Embutida a tid u b m a E h Lin Dutos de Piso... 27 Modelos... 27 Caixas de passagem... 31 Caixas de tomada... 35 Derivações... 39 Tomadas de piso - Latão/Cromado/Nylon... 42 Espelho para pisos... 43 Caixa de alumínio... 44 Distribuição

Leia mais