Manual Técnico. Nota: No início de cada uma das partes encontra-se o índice detalhado da mesma.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual Técnico. Nota: No início de cada uma das partes encontra-se o índice detalhado da mesma."

Transcrição

1 MONITOR DE TEMPERATURA TM1 TM2 Índice Manual Técnico Parte Título Página Segurança e Garantia ii Histórico de Revisões iii I Filosofia de Funcionamento I-1 II Projeto e Instalação II-1 III Colocação em Funcionamento III-1 IV Resolução de Problemas IV-1 V Apêndices V-1 Nota: No início de cada uma das partes encontra-se o índice detalhado da mesma. Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. i

2 SEGURANÇA E GARANTIA Este manual deve estar disponível aos responsáveis pela instalação e usuários do Monitor de Temperatura. A instalação e operação do Monitor de Temperatura (TM1/TM2) normalmente não envolvem riscos de segurança aos operadores, no entanto a operação de transformadores de potência requer cuidados especiais e todas as normas aplicáveis, procedimentos de segurança, práticas de trabalho seguras e bom julgamento devem ser utilizadas durante a instalação, operação e manutenção dos equipamentos. AVISO Para garantir a segurança dos usuários, proteção dos equipamentos e operação correta, os seguintes cuidados devem ser seguidos durante a instalação e manutenção do TM1/TM2: 1) Leia cuidadosamente este manual antes da instalação, operação e manutenção dos TM1/TM2. Erros na instalação ou nos ajustes do TM1/TM2 podem causar operação insegura, envolvendo riscos ao equipamento, avaria e desligamento indevido do transformador. 2) A instalação, ajustes e operação do TM1/TM2 deve ser feita por pessoal treinado e familiarizado com dispositivos de controle e circuitos de comando de transformadores de potência. 3) Atenção especial deve ser dada à instalação do TM1/TM2 (vide item 6), incluindo o tipo e bitola dos cabos utilizados, bem como aos procedimentos para colocação em serviço (item 8), incluindo a correta parametrização do equipamento. TERMO DE GARANTIA O Monitor de Temperatura será garantido pela Treetech pelo prazo de 2 (dois) anos, contado a partir da data de aquisição, exclusivamente contra eventuais defeitos de fabricação ou vícios de qualidade que o tornem impróprio para o uso regular. A garantia não abrangerá danos sofridos pelo produto, em conseqüência de acidentes, maus tratos, manuseio incorreto, instalação e aplicação incorreta, ensaios inadequados ou rompimento do selo de garantia. A eventual necessidade de assistência técnica deverá ser comunicadas à TREETECH, ou a uma assistência técnica por ela nomeada, com a apresentação do equipamento acompanhado da respectiva Nota Fiscal de compra. Nenhuma garantia, expressa ou subentendida, além daquelas citadas acima é provida pela Treetech. A Treetech não provê qualquer garantia de adequação do TM1/TM2 a uma aplicação particular. O vendedor não será imputável por qualquer tipo de dano a propriedades ou por quaisquer perdas e danos que surjam, estejam conectados, ou resultem da aquisição do equipamento, da performance do mesmo ou de qualquer serviço possivelmente fornecido juntamente com o TM1/TM2. Em nenhuma hipótese o vendedor será responsabilizado por prejuízos ocorridos, incluindo mas não se limitando a: perdas de lucros ou rendimentos, impossibilidade de uso do TM1/TM2 ou quaisquer equipamentos associados, custos de capital, custos de energia adquirida, custos de equipamentos, instalações ou serviços substitutos, custos de paradas, reclamações de clientes ou funcionários do comprador, não importando se os referidos danos, reclamações ou prejuízos estão baseados em contrato, garantia, negligência, delito ou qualquer outro. Em nenhuma circunstância o vendedor será imputado por qualquer dano pessoal, de qualquer espécie. Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. ii

3 Histórico de Revisões Rev. No. Emitido Por Descrição Fco Emissão original Fco Fco Incluída folha Histórico de Revisões; revisada Figura 4.13: Dimensional TM1 e TM2 (inclusão números dos bornes); revisão Tabela 1 Ajustes sugeridos (HS+ e HS*); troca logotipo rodapé. Adição do submenu PRT (seleção do Protocolo de comunicação serial) e do parâmetro SUP4. Alteração da faixa de ajuste para GEO e mapa de memória. Nota: Esta versão do manual se aplica apenas aos aparelhos com versão de firmware V2.0.2 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. iii

4 Parte I Filosofia de Funcionamento Índice de Assuntos Capítulo Título Página 1. Introdução I-2 2. Filosofia de Funcionamento I-3 3. Operação I Indicações iniciais I Função das teclas I Tela de consulta I Tela de consulta TM1 I Tela de consulta TM2 I Comandos I-9 Índice de Figuras Figura Título Página 1.1 Monitores de Temperatura TM1 e TM2 I Indicações iniciais -1 I Indicações iniciais -2 I Indicações iniciais -3 I Comandos refrigeração forçada e alternância I-9 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. I 1

5 1. INTRODUÇÃO O TM-1 tem grande flexibilidade de utilização: um mesmo modelo de equipamento pode ser parametrizado para qualquer aplicação, sendo desnecessária a especificação das características do aparelho na aquisição. O sistema é modular, pois permite a expansão do número de enrolamentos medidos pela utilização em conjunto com o monitor de temperatura TM-2, interligado com o TM-1 através da comunicação serial RS485. Os monitores de temperatura TM-1 e TM-2 são totalmente compatíveis em ligações e em dimensões com as versões anteriores de MT1 e MT2 e com o Módulo de Supervisão MS, podendo ser mescladas as 2 gerações de equipamentos. Entrada para sensores Pt100 Ohms a 0ºC com auto-calibração, precisão 0,2% do fim de escala e alta estabilidade em larga faixa de temperatura ambiente. Pode ser utilizado um sensor Pt100 a 3 fios, um Pt100 a 4 fios ou dois Pt100 a 3 fios (medição redundante de temperatura e validação da medição); 1 entrada universal de corrente AC True RMS de 0 a 10A, precisão 0,5% do fim de escala para medição de carga e cálculo da temperatura do enrolamento pelo processo de imagem térmica; 2 displays tipo LED de alta luminosidade para fácil visualização, indicando as temperaturas do óleo e do enrolamento; Cálculo da previsão de gradiente final de temperatura óleoenrolamento para a carga atual; 2 saídas de corrente para indicações remotas de temperaturas, com seleção da faixa de saída (0...1mA, 0...5mA, mA, mA ou mA); 2 contatos NA (NF ou combinações sob pedido) para alarmes por temperaturas do óleo e do enrolamento; 2 contatos NA (NF ou combinações sob pedido) para desligamentos por temperaturas do óleo e do enrolamento com dupla segurança no acionamento (ordem simultânea dos 2 microcontroladores para operação). Temporização ajustável de 0 a 20 min com contagem regressiva no display; Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. I 2

6 2 contatos NF para acionamento de grupos de resfriamento forçado com temporização entre a partida dos grupos (mesmo com falta de alimentação para o TM-1) e operação forçada pelas rotinas de autodiagnóstico em caso de falha ou em falta de tensão; 1 contato (NF), para indicação de falha interna ou falta de tensão detectado pelo auto-diagnóstico; 1 contato (NF), para indicação de entrada no modo de contagem para atuação do desligamento; Seleção do protocolo de comunicação serial entre MODBUS-RTU e DNP FILOSOFIA DE FUNCIONAMENTO Baseado nas leituras da temperatura do óleo isolante e da corrente de carga do transformador, o Monitor de temperatura traça a curva de imagem térmica do enrolamento, através do algoritmo implementado em seu software. Fazem parte deste algoritmo outros dados, que são programados no aparelho pelo usuário, adaptando o modelo para a característica de cada transformador. O método utilizado para a medição de temperatura é o de imagem térmica, onde é feita a medição direta da temperatura do óleo isolante e da corrente que circula pelo enrolamento do transformador (através de TC s auxiliares). Estes dados alimentam um modelo matemático implementado no software, A medição da temperatura do óleo é feita diretamente, utilizando sensores resistivos, tipo PT100 Ω a 0ºC. A conexão é feita diretamente ao aparelho, não sendo necessários transdutores externos. Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. I 3

7 Figura 1.1 Monitores de Temperatura TM1 e TM2 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. I 4

8 3. OPERAÇÃO Todas as operações no Monitor de Temperatura TM1 e TM2 são realizadas através do teclado de seu painel frontal, não sendo necessárias chaves ou botões externos. A temperatura do óleo e do enrolamento (ou enrolamentos) serão indicadas nos displays, e a condição de alarmes, desligamentos e comandos da refrigeração forçada serão indicados pelos led s de sinalização. 3.1 INDICAÇÕES INICIAIS: Durante o modo normal de trabalho, o Monitor de Temperatura indicará a temperatura do óleo e enrolamento (ou enrolamentos) a ele conectado (s). Temperatura do Óleo Temperatura do Enrolamento 2 Led s de sinalização Teclas de operação e programação Temperatura do Enrolamento 1 Temperatura do Enrolamento 3 Figura 3.1 Indicações iniciais 1 Quando o valor de temperatura programado para um evento for atingido, o led sinalizador correspondente acenderá, acionando também o contato de saída deste evento. Alarme de temperatura do óleo ativo Grupo de ventilação ligado Figura 3.2 Indicações iniciais 2 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. I 5

9 Caso ocorra alguma anomalia, o código de erro correspondente será indicado nos displays (ver tabela de erros, capítulo IV). Figura 3.3 Indicações iniciais FUNÇÃO DAS TECLAS: Tecla de Programação: Acesso aos menus de programação e avanço para o próximo parâmetro em um submenu. Tecla sobe: navegação para os menus e incrementa valores programados. Tecla desce: navegação para os menus e decrementa valores programados. Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. I 6

10 3.3 TELA DE CONSULTA: O Monitor de Temperatura disponibiliza diversas informações para orientação quanto as condições de trabalho do transformador. Estas informações são acessadas através das teclas, e durante o modo normal de trabalho TELA DE CONSULTA TM1: Serão indicadas nos displays do aparelho as seguintes informações, de forma seqüencial ao pressionar a tecla. Pressionando a tecla temos a ordem inversa ao indicado abaixo: 1) temperatura máxima do óleo - É a temperatura máxima do óleo atingida no período. - Para resetar esta indicação após consulta, pressionar e manter pressionada a tecla e pressiona a tecla : a indicação se iguala à temperatura atual do óleo. 2) temperatura máxima do enrolamento 1 - É a temperatura máxima do enrolamento 1, atingida no período. - Para resetar esta indicação após consulta, pressionar e manter pressionada a tecla e pressionar a tecla : a indicação se iguala à temperatura atual do enrolamento 1. 3) gradiente final - Indica qual será a diferença entre as temperaturas de óleo e enrolamento 1 após a estabilização térmica, mantendo-se a condição atual de carga. 4) porcentagem de carregamento do enrolamento monitorado - É a carga no transformador, dada em percentual da corrente nominal do enrolamento que está sendo monitorado. 5) corrente medida do secundário do TC auxiliar - É a corrente no secundário do TC de imagem térmica do enrolamento monitorado, dada em àmperes. 6) corrente do enrolamento em ka - É a corrente do enrolamento do transformador onde está sendo monitorada a temperatura, dada em KA. 7) medição do sensor de temperatura do óleo (PTA) ou (PTB), conforme configurado - É a temperatura do óleo que está sendo monitorada através do sensor de temperatura A, dada em C. 8) medição do sensor de temperatura do óleo (PTB). - O aparelho só indica esta informação se for configurado para dois sensores (veja programação submenu configuração CNF) - É a temperatura do óleo que está sendo monitorada através do sensor de temperatura b, dada em C. Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. I 7

11 3.3.2 TELA DE CONSULTA TM2: Serão indicadas nos displays do aparelho as seguintes informações, de forma seqüencial ao pressionar a tecla. Pressionando a tecla temos a ordem inversa ao indicado abaixo: 1- temperatura máxima do enrolamento 2 - É a temperatura máxima do enrolamento 2, atingida no período. - Para resetar esta indicação após consulta, pressionar e manter pressionada a tecla e pressionar a tecla : a indicação se iguala à temperatura atual do enrolamento gradiente final enrolamento 2 - Indica qual será a diferença entre as temperaturas de óleo e enrolamento 2 após a estabilização térmica, mantendo-se a condição atual de carga. 3- porcentagem de carregamento do enrolamento 2 - É a carga no transformador, dada em percentual da corrente nominal do enrolamento que está sendo monitorado. 4- corrente medida do secundário do TC auxiliar 2 - É a corrente no secundário do TC de imagem térmica do enrolamento monitorado, dada em àmperes. 5- corrente do enrolamento 2 em ka - É a corrente do enrolamento do transformador onde está sendo monitorada a temperatura, dada em KA. 6- temperatura máxima do enrolamento 3 - É a temperatura máxima do enrolamento 3, atingida no período. - Para resetar esta indicação após consulta, pressionar e manter pressionada a tecla e pressionar a tecla : a indicação se iguala à temperatura atual do enrolamento gradiente final enrolamento 3 - Indica qual será a diferença entre as temperaturas de óleo e enrolamento 3 após a estabilização térmica, mantendo-se a condição atual de carga. 8- porcentagem de carregamento do enrolamento 3 - É a carga no transformador, dada em percentual da corrente nominal do enrolamento que está sendo monitorado. 9- corrente medida do secundário do TC auxiliar 3 - É a corrente no secundário do TC de imagem térmica do enrolamento monitorado, dada em àmperes. 10- corrente do enrolamento 3 em ka - É a corrente do enrolamento do transformador onde está sendo monitorada a temperatura, dada em KA. Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. I 8

12 3.4 Comandos: Através das teclas, e podemos ligar os grupos de refrigeração forçada 1, 2 ou 1 e 2 ou manter seu controle em automático, através do ajuste programado e também ligar ou desligar o modo de alternância automático entre os grupos de refrigeração. 1) Modo de trabalho normal do TM. ( 1 ) ( 2 ) 2) Pressionar e soltar a tecla O TM mostra a tela de controle da R.F.1 3) Pressionar e soltar a tecla ( 3 ) A R.F.1 é ligada e o led indicador correspondente acende. Para desligar a R.F.1, pressionar e soltar a tecla 4) Pressionar e soltar a tecla ( 4 ) O TM mostra a tela de controle da R.F.2 5) Pressionar e soltar a tecla ( 5 ) A R.F.2 é ligada e o led indicador correspondente acende. Para desligar a R.F.2, pressionar e soltar a tecla 6) Pressionar e soltar a tecla O TM mostra a tela de controle da alternância entre grupos de refrigeração forçada 7) Pressionar e soltar a tecla A alternância é ligada. Para desligar, pressionar e soltar a tecla Nota: a função alternância faz com que se inverta a ordem dos grupos de ( 6 ) refrigeração (ventiladores, bombas...), mantendo os valores programados para cada estágio de resfriamento. Ex.: 65ºC 75ºC 1º partida: grupo 1 grupo 2 2º partida: grupo 2 grupo 1 3º partida grupo 1 grupo 2 ( 8 ) ( 7 ) 8) Pressionar novamente para retornar à indicação de temperatura. Figura 3.4 Comandos refrigeração forçada e alternância Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. I 9

13 Parte II Projeto e Instalação Índice de Assuntos Capítulo Título Página 4. Topologia do Sistema II Projeto e Instalação II Entradas e Saídas II Diagramas de Aplicação II Instalação Mecânica II Parametrização II Programação II Acesso ao menu de programação II Estrutura de acesso aos submenus II Submenu ALM II Monitor de Temperatura TM1 Submenu ALM II Monitor de Temperatura TM2 Submenu ALM II Submenu CNF II Monitor de Temperatura TM1 Submenu CNF II Monitor de Temperatura TM2 Submenu CNF II Submenu CNF II Monitor de Temperatura TM1 Submenu TRF II Monitor de Temperatura TM2 Submenu TRF II Submenu PRT II Tabela 1 Ajustes Sugeridos II-29 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 1

14 Índice de Figuras Figura Título Página 4.1 Diagrama de Blocos II Detalhe Aterramento e Malha Comunicação serial TM1 / TM2 Detalhe Aterramento e Malha Sensor RTD TM1 / TM2 II-6 II Opção 1 2 RTD s a 3 fios II Opção 2 1 RTD a 4 fios II Opção 3 1 RTD a 3 fios, RTD A II Opção 3 1 RTD a 3 fios, RTD B II Conexão TM1 / TM2 II Conexão TM1 / MT2 II Conexão MT1 / TM2 II Conexão MT1 / TM2 / MC II Conexão MT1 / TM2 / MS II Conexão MT1 / MT2 / MS II Conexão TM1 / TM2 / MS II Dimensional TM1 e TM2 II Acesso ao menu de programação II Estrutura de acesso aos submenus II-17 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 2

15 4. Topologia do Sistema: Basicamente, o sistema de Monitoração de Temperatura é composto de: RTD (Óleo) TC (Enrol.1) TC (Enrol.2) TC (Enrol.3) Sistema de Aquisição de Dados Monitor de Temperatura TM1 Monitor de Temperatura TM2 Figura 4.1: Diagrama de Blocos - comando refrigeração - alarmes - desligamentos - indicação remota - auto diagnóstico Os itens necessários para o sistema são: - Monitor de Temperatura TM1 - Sensor RTD (quantidade e tipo conforme configuração desejada) - Monitor de Temperatura TM2 (monitoração para mais de um enrolamento) - Transformadores de corrente (TC de bucha do transformador) - Cabo par-trançado blindado 2 vias para comunicação serial - Cabo blindado 3 ou 4 vias (conforme opção de ligação adotada) para conexão RTD - Caixa para instalação ao tempo (opcional) Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 3

16 4.1 Projeto e instalação: O(s) sensor(es) de temperatura do óleo (RTD s) deve(m) ser conectado(s) ao Monitor de Temperatura TM1 através de cabo blindado, sem interrupção da malha, que deve ser aterrada apenas na extremidade ligada ao Monitor de Temperatura. Para a conexão da(s) entrada(s) do(s) transformador(es) de corrente, tomar os devidos cuidados, verificando que o transformador esteja desenergizado e os conectores do(s) TC s curto-circuitados e aterrados, normalizando o circuito apenas após conferência das conexões. A comunicação serial (RS485) entre os Monitores de Temperatura TM1 / TM2 deve ser interligada por meio de um cabo de par trançado blindado, mantendo a malha sem interrupção até sua terminação na entrada específica dos aparelhos, aterrando apenas uma das extremidades. O mesmo cuidado deve ser tomado ao conectar a comunicação serial (RS485) do Monitor de Temperatura TM1 a um Sistema de Aquisição de Dados, lembrando que a distância máxima admitida para este tipo de comunicação serial é de 1300 metros, utilizando um resistor de terminação em cada extremo, no valor de 120 ohms. Também a ligação entre o(s) sensor(es) de temperatura RTD e o Monitor de Temperatura TM1 deve ser efetuada utilizando cabos blindados, mantendo a malha sem interrupção em todo o seu percurso, aterrando apenas uma das extremidades. Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 4

17 4.2 Entradas e Saídas: No Monitor de Temperatura TM1 e TM2, estão disponíveis as seguintes entradas e saídas: TERMINAIS ENTRADAS TM1 TM2 1) Alimentação auxiliar e terra: Entrada para alimentação universal (38 ~ 265 8W, 50/60Hz). 2) Entrada para RTD: Esta entrada permite a conexão de sensores RTD em três configurações, com as seguintes opções de circuito e ordem de preferência: 1º - 2 RTD s a três fios (recomendado); 2º - 1 RTD a quatro fios (recomendado) e 3º - 1 RTD a três fios (alternativo). (vide diagramas de opção de conexão) 3) Porta RS485 TM2: Conexão com o Monitor de Temperatura complementar TM2, protocolo MODBUS-RTU, via cabo de par trançado e blindado. 13 terra 14 cc/ca 15 cc/ca 22, 23, 24, A5 e A6 (vide diagrama de ligação) 16 ( + ) 17 ( - ) 13 terra 14 cc/ca 15 cc/ca ) Porta RS485 TM1: Conexão com o Monitor de Temperatura TM1, protocolo MODBUS-RTU, via cabo de par trançado e blindado ( + ) 17 ( - ) 5) Porta RS485 - Scada: Conexão a sistema de aquisição de dados, protocolo MODBUS-RTU, via cabo de par trançado e blindado. A7 ( + ) A8 ( - ) ) Porta RS232: Conexão para computador externo, para parametrização e aquisição de dados. Conector DB9 (painel traseiro) Conector DB9 (painel traseiro) 7) Entrada para TC: Entrada para medição direta do secundário do TC de bucha para imagem térmica. Faixa de medição selecionada através do software do aparelho. 25 e e e 28 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 5

18 Caso haja a necessidade de bornes intermediários para interligação da comunicação serial RS485 e/ou do sensor RTD, passar também a malha do cabo por borne, evitando a interrupção da mesma. O trecho de cabo sem blindagem - devido a emenda - deve ser o mais curto possível. Figura 4.2: Detalhe aterramento e malha comunicação serial TM1 / TM2 Figura 4.2.1: Detalhe aterramento e malha sensor RTD TM1 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 6

19 TERMINAIS SAÍDAS TM1 TM2 1) Saídas em loop de corrente: Duas saídas independentes para indicação remota das temperaturas medidas. Padrão de saída selecionado por software (0...1, 0...5, , ou ma). 18(+) Óleo 19( - ) 20(+) Enrol.1 21( - ) 18(+) Enrol.2 19( - ) 20(+) Enrol.3 21( - ) 2) Rele de alarme: Dois contatos independentes, livres de potencial (NA), sinaliza alarme por temperatura alta do transformador. Sob pedido, estes contatos podem ser fornecidos normalmente fechados (NF) Óleo Enrol Enrol.2 Enrol.3 3) Rele de desligamento: Dois contatos independentes, livres de potencial (NA), para o circuito de proteção do transformador. Estes contatos podem ser programados para atuarem com temporização de até 20 minutos Óleo Enrol Enrol.2 Enrol.3 4) Rele de comando da refrigeração forçada: Dois contatos independentes, livres de potencial (NF), para comando da refrigeração forçada do transformador. Ao energizar o Monitor de Temperatura, estes contatos mudam de estado, retornando a posição de repouso quando atuado. Sob pedido, estes contatos podem ser fornecidos normalmente abertos (NA) R.F. 1 R.F R.F. 1 R.F. 2 5) Rele de autodiagnóstico: Contato livre de potencial (NF), sinaliza falha de alimentação, falha interna ou do sistema. Ao energizar o Monitor de Temperatura, este contato muda de estado, retornando a posição de repouso na ocorrência de falha. Sob pedido, estes contatos podem ser fornecidos normalmente abertos (NA). 6) Rele de sinalização de desligamento: Contato livre de potencial (NA), sinaliza desligamento do transformador. Ao atingir a temperatura para desligamento, este contato atua instantaneamente, sinalizando desligamento em curso, caso os contatos de proteção estejam temporizados. Sob pedido, estes contatos podem ser fornecidos normalmente fechados (NF). A3 e A4 A1 e A2 A3 e A4 A1 e A2 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 7

20 4.3 Diagramas de aplicação: Ω Figura 4.3 : Opção 1-2 RTD s a 3 fios Ω Figura 4.4: Opção 2 1 RTD a 4 fios Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 8

21 Ω Figura 4.5 : Opção 3 1 RTD a 3 fios, RTD A Ω Figura : Opção 3 1 RTD a 3 fios, RTD B : Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 9

22 Ω Figura 4.6 : Conexão TM1 / TM2 Ω Figura 4.7 : Conexão TM1 / MT2 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 10

23 Ω Figura 4.8 : Conexão MT1 / TM2 Ω Figura 4.9 : Conexão MT1 / TM2 / MC Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 11

24 Ω Figura 4.10 : Conexão MT1 / TM2 / MS Ω Figura 4.11: Conexão TM1 / MT2 / MS Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 12

25 Ω Figura 4.12: Conexão TM1 / TM2 / MS Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 13

26 4.4 Instalação Mecânica Os Monitores de Temperatura devem ser instalados protegidos das intempéries, seja no interior de painéis ou em abrigados em edifícios. Em qualquer dos casos, deve haver sistema anti-condensação. O Monitor de Temperatura (TM1 e TM2) é adequado para instalação do tipo embutida, podendo ser fixado, por exemplo, em portas ou chapas frontais de painéis. As presilhas para fixação são fornecidas junto com o TM. Na figura abaixo são mostradas as principais dimensões do equipamento, bem como as dimensões do recorte na chapa para inserção do mesmo. Atenção especial deve ser dada à espessura das camadas de pintura da chapa onde é feito o recorte, pois em alguns casos, quando é utilizada pintura de alta espessura, a diminuição da área do recorte pode até mesmo impedir a inserção do equipamento. Os terminais de ligação estão instalados na parte traseira do TM, em 2 conectores removíveis e em terminais aparafusados (conexão dos TC s para imagem térmica), de forma a facilitar as conexões. Podem ser utilizados cabos de 0,5 a 2,5mm2, nus ou com terminais do tipo pino (ou agulha ) para os conectores removíveis, e até 6mm para os conectores dos TC s A5 A6 A7 A A1 A2 A3 A4 Figura 4.13: Dimensional TM1 e TM2 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 14

27 5. Parametrização Para garantir a correta operação do sistema, devem ser ajustados no TM1 e TM2, diversos parâmetros que fornecerão ao equipamento as informações necessárias ao seu funcionamento. Os ajustes podem ser efetuados por meio de seu teclado frontal, com o auxílio do display, ou software de parametrização, através das portas de comunicação serial RS232 ou RS485, disponível para o usuário no painel traseiro do aparelho. Os parâmetros programáveis estão organizados em menus com acesso protegido por senha. No menu principal o usuário terá acesso aos submenus de programação, onde poderá navegar e ajustar os valores de acordo com as características do transformador e necessidades dos usuários. 5.1 Programação A programação dos parâmetros nos Monitores de Temperatura TM1 e TM2 devem ser realizadas durante os procedimentos de instalação e comissionamento do sistema. Os ajustes são gravados em memória não volátil, não sendo necessário verificações periódicas. Quando o submenu desejado for mostrado na tela do aparelho, pressionar a tecla para acessá-lo e proceder a programação de seus parâmetros. Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 15

28 5.2 Acesso ao menu de programação Para acessar o menu de programação dos Monitores TM1 e TM2, seguir o procedimento abaixo: 3) Utilizando as teclas e ajustar a senha. (faixa = 0 a 999) * valor de fábrica = 0 Este valor pode ser alterado pelo usuário ( * ver submenu configuração). 1) Na tela de indicação de temperatura, pressionar e manter pressionada a tecla por 5 segundos 2) Será mostrada a tela de senha de acesso (password). O número inicial que é mostrado quando se chega a este parâmetro serve para recuperar a senha. Informar o número ao nosso Depto. de Assistência Técnica para decifrá-lo. 4) Após ajustar a senha, pressionar e soltar a tecla para entrar no menu de programação. 5) Tela do menu principal, onde pode-se navegar para os submenus de programação. Figura 5.1: Acesso ao menu de programação Os parâmetros programáveis estão divididos em quatro submenus: ALM (ajuste de alarmes, R.F. e desligamentos), CNF (configurações do aparelho), TRF (dados para imagem térmica) e PRT (protocolo de comunicação). Há ainda dois submenus (CAL e DWL) utilizados apenas para assistência técnica, bloqueados por senha. Para selecionar um submenu, utilizar as teclas e. Quando o submenu for mostrado na tela do aparelho, pressionar a tecla programação. para proceder a Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 16

29 5.3 Estrutura de acesso aos submenus: Volta à indicação de temperatura Menu Principal Avança Submenu DWL Senha de assistência técnica Retorna Avança Submenu PRT MDB DNP Retorna Avança Submenu CAL Senha de assistência técnica Retorna Avança Retorna Retorna Retorna Submenu TRF Submenu CNF Submenu ALM Volta à indicação de temperatura Avança Avança ALO DSO RDO RF1 RF2 ALE DSE RDE HIS FSA RTD SML DMT COM BDR END SUP IDI NPW GEO TE HS+ HS* 2*M CNT CNS Dentro de um submenu, pressionar a tecla para avançar para o próximo parâmetro. Figura 5.2: Estrutura de acesso aos submenus A seguir detalharemos os submenus. Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 17

30 5.3.1 Submenu ALM: ALM: - Permite acesso a todos parâmetros referentes a alarmes, desligamentos, e acionamento de grupos de ventiladores. - Com o display indicando mnu / alm, pressionar a tecla para dar ter acesso aos parâmetros de alarmes ou; - Pressione a tecla para ir ao menu de configuração mnu / mnu ALM cfn, ou para retornar a indicação de medição. - Em cada parâmetro, utilizar as teclas e para ajustar o valor desejado Monitor de Temperatura TM1 Submenu ALM ALM - ALO alarme por temperatura do óleo Faixa de ajuste: 0 a 150ºC, em passos de 1ºC Pressionar a tecla para avançar ao parâmetro DSO ALO 95 - DSO desligamento por temperatura do óleo Faixa de ajuste: 0 a 150ºC, em passos de 1ºC Pressionar a tecla para avançar ao parâmetro RDO DSO RDO retardo para desligamento por temperatura do óleo Faixa de ajuste: 0 a 20 min., em passos de 0,1min. Pressionar a tecla para avançar ao parâmetro RF1 RDO 20 - RF1 temperatura de atuação 1º grupo de refrigeração forçada Faixa de ajuste: 0 a 150ºC, em passos de 1ºC Pressionar a tecla para avançar ao parâmetro RF2 RF RF2 temperatura de atuação 2º grupo de refrigeração forçada Faixa de ajuste: 0 a 150ºC, em passos de 1ºC Pressionar a tecla para avançar ao parâmetro ALE RF ALE alarme por temperatura do enrolamento 1 Faixa de ajuste: 0 a 150ºC, em passos de 1ºC Pressionar a tecla para avançar ao parâmetro DSE ALE 105 Manual Técnico Monitor de Temperatura TM1/2 V2.0.2 MA /11/2004 Rev. 2 Pág. II 18

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/7 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MASTERTEMP foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp Plus foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

Relés de Proteção Térmica Simotemp

Relés de Proteção Térmica Simotemp Relés de Proteção Térmica Simotemp Confiabilidade e precisão para controle e proteção de transformadores Answers for energy. A temperatura é o principal fator de envelhecimento do transformador Os relés

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES Indicador Microprocessado - IT-IND-2S-LC INFORMAÇÕES DO PRODUTO. Versão: 1.xx / Rev. 03

MANUAL DE INSTRUÇÕES Indicador Microprocessado - IT-IND-2S-LC INFORMAÇÕES DO PRODUTO. Versão: 1.xx / Rev. 03 1 Introdução: Os indicadores possuem uma entrada analógica configurável por software, que permite a conexão de diverstos tipos de sensores de temperatura e outras grandezas elétricas sem a necessidade

Leia mais

Monitor de Temperatura M96

Monitor de Temperatura M96 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura M96 foi desenvolvido para supervisionar até 8 (oito) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada!

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada! Electron do Brasil Tecnologia Digital Qualidade Comprovada! Ensaios de Tipo Realizados Tecnologia ao seu alcance Catálogo Monitemp - rev3 Produtos Certificados! www.electrondobrasil.com O Monitor de Temperatura

Leia mais

Monitor de Temperatura MONITEMP

Monitor de Temperatura MONITEMP ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp foi desenvolvido para supervisionar até 3 (três) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Nível de Óleo para Transformadores e reatores MNO, é um equipamento microprocessado de alta precisão que indica o nível de óleo em escala

Leia mais

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 CATÁLOGO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Relé de Proteção de Motores RPM foi desenvolvido para supervisionar até 2 (dois) grupos ventiladores/motores simultaneamente, é utilizado

Leia mais

CR20C. Manual do Usuário

CR20C. Manual do Usuário CR20C Manual do Usuário Descrição Geral Controlador para ar condicionado CR20C O CR20C é um controlador digital microprocessado de baixo custo e de fácil programação e instalação. O seu avançado software

Leia mais

LAD. Monitor de Temperatura para Transformadores Secos, Motores e Geradores. Catálogo

LAD. Monitor de Temperatura para Transformadores Secos, Motores e Geradores. Catálogo LAD Catálogo Monitor de Temperatura para Transformadores Secos, Motores e Geradores A monitoração térmica de equipamentos elétricos, tais como transformadores secos, motores, geradores e outros é essencial

Leia mais

1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides

1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides 1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides CONTROLE DE FLUSHING AUTOMÁTICO LCF 12 Modo Periódico e Horário www.lubing.com.br (19) 3583-6929 DESCALVADO SP 1. Instalação O equipamento deve

Leia mais

ST 160 ST 160 0 # Manual de Referência e Instalação

ST 160 ST 160 0 # Manual de Referência e Instalação ST 160 ST 160 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 # Manual de Referência e Instalação Descrições 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 # 3 2 Número Descrição 1 Indicador de modo 2 Antena 3 Matriz do Teclado 4 Parafuso Especificações

Leia mais

INDICADOR DE POSIÇÃO DE TAP DIGITAL - IPTE

INDICADOR DE POSIÇÃO DE TAP DIGITAL - IPTE Catálogo Técnico INDICADOR DE POSIÇÃO DE TAP DIGITAL - IPTE CATÁLOGO TÉCNICO ÍNDICE CATÁLOGO TÉCNICO... 1 INTRODUÇÃO... 2 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS... 2 DADOS TÉCNICOS... 3 ENSAIOS DE TIPO REALIZADOS...

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Renz Multimedidor MGG-92 ÍNDICE 1.0 INTRODUÇÃO 3 1.1 Aplicação 2.0 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 2.1 Mecânicas 2.2 Elétricas 2.3 Grandezas Elétricas medidas e/ou calculadas 3.0

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Temporizador Automático / Relógio Programador de Horário Para Acionamento Automático de Sirenes e Outros Equipamentos Código: AFKITPROG 2 O REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO REP O Relógio Acionador Automático

Leia mais

Leandro N.Alem 1351/53 -(1871)- Dock Sud Buenos Aires - Argentina T.E.:4201-5316 / 4222-9821 FAX:4222-9821 Web:www.ingecozs.com MANUAL DE OPERAÇÃO

Leandro N.Alem 1351/53 -(1871)- Dock Sud Buenos Aires - Argentina T.E.:4201-5316 / 4222-9821 FAX:4222-9821 Web:www.ingecozs.com MANUAL DE OPERAÇÃO Leandro N.Alem 1351/53 -(1871)- Dock Sud Buenos Aires - Argentina T.E.:4201-5316 / 4222-9821 FAX:4222-9821 Web:www.ingecozs.com MANUAL DE OPERAÇÃO ÍNDICE Especificações... 3 INSTALAÇÃO... 3 Operação...

Leia mais

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO O controlador CDE4000 é um equipamento para controle de demanda e fator de potência. Este controle é feito em sincronismo com a medição da concessionária, através dos dados

Leia mais

CR20I MANUAL DO USUÁRIO

CR20I MANUAL DO USUÁRIO CR20I MANUAL DO USUÁRIO R Índice Descrição Geral... 3 Aplicações... 3 Características Técnicas... 3 Modo de Operação... 3 Programação... 4 Esquema de Ligações... 9 Dimensões (mm)... 10 2 Indicador CR20IG

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE Página 1 de 10 Manual Técnico Transformadores de potência Revisão 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 RECEBIMENTO...2 3 INSTALAÇÃO...3 3.1 Local de instalação...3 3.2 Ligações...3 3.3 Proteções...7 4 MANUTENÇÃO...9

Leia mais

Relés de Nível. Manual de Instalação. Relé de Nível Inferior (RNAI) Relé de Nível Superior (RNAS) C205726 - REV 1

Relés de Nível. Manual de Instalação. Relé de Nível Inferior (RNAI) Relé de Nível Superior (RNAS) C205726 - REV 1 Relés de Nível Relé de Nível Inferior (RNAI) Relé de Nível Superior (RNAS) Manual de Instalação C205726 - REV 1 1) Apresentação Relés de Nível RNAI e RNAS Este manual descreve as características de funcionamento,

Leia mais

CENTRAL DE ALARME DE INCÊNDIO MULTIPLEX Série AIM48 (Final)

CENTRAL DE ALARME DE INCÊNDIO MULTIPLEX Série AIM48 (Final) 1 - INTRODUÇÃO: CENTRAL DE ALARME DE INCÊNDIO MULTIPLEX Série AIM48 (Final) Trata-se de uma sistema de alarme de incêndio para utilização onde há somente acionadores manuais e sirenes convencionais, não

Leia mais

Módulo de Aquisição de Dados e Controle. Catálogo

Módulo de Aquisição de Dados e Controle. Catálogo DM Catálogo Módulo de Aquisição de Dados e Controle O Módulo de Aquisição de Dados e Controle - DM efetua a interface de sistemas digitais com qualquer equipamento analógico ou eletromecânico que não possui

Leia mais

Série Quasar. Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente. www.altus.com.br

Série Quasar. Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente. www.altus.com.br Série Quasar Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente www.altus.com.br Na medida exata para seu negócio Modular: ampla variedade de configurações para

Leia mais

PCPT 4 ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω ) PCPT4 SmA ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω e saída 4... 20mA )

PCPT 4 ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω ) PCPT4 SmA ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω e saída 4... 20mA ) MANUAL DE OPERAÇÃO PCPT 4 ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω ) PCPT4 SmA ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω e saída 4... 20mA ) VERSÃO 4.04 RELÉ DE PROTEÇÃO TÉRMICA ( ANSI 23/26/49 ) CONTROLE

Leia mais

ABB Automação. 13.82kV 119.4kA. 13.81kV 121.3kA. 13.85kV 120.2kA IDR 144 INDICADOR DIGITAL REMOTO MODO DE USO

ABB Automação. 13.82kV 119.4kA. 13.81kV 121.3kA. 13.85kV 120.2kA IDR 144 INDICADOR DIGITAL REMOTO MODO DE USO IDR 144 INDICADOR DIGITAL REMOTO MODO DE USO 13.82kV 119.4kA 13.81kV 121.3kA 13.85kV 120.2kA Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Protocolo de comunicação Modbus RTU Dimensional ABB

Leia mais

Solução para continuidade de serviço em toda e qualquer situação

Solução para continuidade de serviço em toda e qualquer situação Catálogo Técnico Solução para continuidade de serviço em toda e qualquer situação Monitor de isolação 203-02/2006-0 Tudo sob controle Em aplicações, onde a falta de tensão pode causar graves conseqüências

Leia mais

Relé de proteção do diferencial 865

Relé de proteção do diferencial 865 Relé de proteção do diferencial 865 Para a proteção do diferencial de motores, transformadores e geradores Boletim 865, Série A Guia de especificações Sumário Página de descrição da seção 1.0 Características

Leia mais

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Contador Digital Microprocessado K204. Versão 1.XX / Rev.

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Contador Digital Microprocessado K204. Versão 1.XX / Rev. Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais Manual de Instruções Contador Digital Microprocessado K204 Versão 1.XX / Rev. 1 Índice Item Página 1. Introdução...02 2. Características...02

Leia mais

GPRS Universal. Manual do Instalador. C209994 - Rev 0

GPRS Universal. Manual do Instalador. C209994 - Rev 0 GPRS Universal Manual do Instalador C209994 - Rev 0 » Introdução: Antes da instalação deste produto, recomendamos a leitura deste manual, que contém todas as informações necessárias para a correta instalação

Leia mais

ANUNCIADOR DE ALARME AL-2003

ANUNCIADOR DE ALARME AL-2003 AL-2003 Manual do usuário Anunciador de Alarme MAN-PT-DE-AL2003 Rev.: 1.00-12 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso AL-2003. Para garantir o uso correto e eficiente do AL-2003, leia este manual

Leia mais

INDICADOR DIGITAL PANANTEC ATMI

INDICADOR DIGITAL PANANTEC ATMI INDICADOR DIGITAL PANANTEC ATMI MANUAL DE REFERÊNCIA PANANTEC ATMII COMÉRCIIO E SERVIIÇO LTDA Rua Apuanã, 31 - Jd. Jaçanã cep: 02318-050 São Paulo / SP Brasil Fone: (11) 2243-6194 / 2243-6192 Fax: (11)

Leia mais

BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA

BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA DISCAGEM POR PULSO E TOM INDICAÇÃO DE POLARIDADE DE LINHA MEMORIZA ÚTIMO NÚMERO DISCADO MONITORAÇÃO EM ALTA IMPEDÂNCIA PROTEÇÃO CONTRA REDIOINTERFERÊNCIA

Leia mais

Hera Indústria de Equipamentos Eletrônicos LTDA. Manual de Instalação e Operação. Discadora por Celular HERA HR2048.

Hera Indústria de Equipamentos Eletrônicos LTDA. Manual de Instalação e Operação. Discadora por Celular HERA HR2048. Discadora por Celular HERA HR2048 Manual do Usuário Índice: Paginas: 1. Introdução 03 1.1 Visão Geral 03 2. Características 04 3. Funcionamento 04, 05 e 06 3.1 Mensagens 06 e 07 4. Instalação da Discadora

Leia mais

Central de Alarme de Oito Zonas

Central de Alarme de Oito Zonas Central de Alarme de Oito Zonas R02 ÍNDICE CARACTERÍSTICAS GERAIS:... 3 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS:... 3 CONHECENDO A CENTRAL:... 4 COMO A CENTRAL FUNCIONA:... 4 COMO APAGAR A MEMÓRIA DA CENTRAL:... 4 COMO

Leia mais

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma cabeça escrava para redes PROFIBUS-DP do tipo modular, podendo usar todos os módulos de E/S da série. Pode ser interligada a IHMs (visores

Leia mais

Manual do Indicador Digital Mod. IT versão: (Janeiro 2006)

Manual do Indicador Digital Mod. IT versão: (Janeiro 2006) Manual do Indicador Digital Mod. IT versão: (Janeiro 2006) Este manual contém informações para instalação e operação do Indicador Digital Mod.IT. Siga corretamente as instruções para garantir perfeito

Leia mais

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador P7C - HI Tecnologia 7C O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador P7C da HI tecnologia (PMU10700100). A lista de verbetes consta na versão

Leia mais

Boletim Técnico Agosto / 2011

Boletim Técnico Agosto / 2011 Página 01/08 TÍTULO: INFORMATIVO DO NOVO CONTROLE REMOTO COM FIO PARA UNIDADES SPLITÃO 2 ESTÁGIOS SUMÁRIO Esta publicação visa informar o novo controle remoto com fio para as Unidades da Linha Splitão

Leia mais

Sumário. Capítulo 2 COMPONENTES... 5

Sumário. Capítulo 2 COMPONENTES... 5 Sumário Capítulo 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 Apresentação... 3 1.2 Sobre este manual... 3 1.3 Instruções de segurança... 3 1.4 Instruções de instalação... 4 1.4.1 Fixação... 4 1.4.2 Ventilação... 4 1.4.3 Proteção

Leia mais

CR20PW. Manual do Usuário

CR20PW. Manual do Usuário CR20PW Manual do Usuário R Índice Termostato eletrônico com saída controlada CR20PW... 3 Descrição Geral... 3 Características Técnicas... 3 Modo de Operação... 4 Programação... 4 Esquema de ligações...

Leia mais

DESCRIÇÃO DO FUNCIONAMENTO Basicamente o ANTRON II-s recebe sinais provenientes da atuação de contatos elétricos externos, associados a equipamentos

DESCRIÇÃO DO FUNCIONAMENTO Basicamente o ANTRON II-s recebe sinais provenientes da atuação de contatos elétricos externos, associados a equipamentos DESCRIÇÃO DO FUNCIONAMENTO Basicamente o ANTRON II-s recebe sinais provenientes da atuação de contatos elétricos externos, associados a equipamentos ou sistemas que se queiram supervisionar, via contatos

Leia mais

INDICADOR MULTI-PONTOS TM-2100CS

INDICADOR MULTI-PONTOS TM-2100CS INDICADOR MULTI-PONTOS TM-2100CS Introdução Obrigado por ter escolhido nosso INDICADOR MULTI-PONTOS TM-2100CS. Para garantir o uso correto e eficiente do TM-2100CS, leia este manual completo e atentamente

Leia mais

Nobreak. 160 e 300 kva. senoidal on-line trifásico PERFIL PROTEÇÕES

Nobreak. 160 e 300 kva. senoidal on-line trifásico PERFIL PROTEÇÕES Nobreak senoidal on-line trifásico dupla convers o 60 a 300 kva 60 kva de 80 a 120 kva 160 e 300 kva PERFIL Os nobreaks on-line de dupla conversão da linha Gran Triphases foram desenvolvidos com o que

Leia mais

PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição

PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição Uma solução completa para a medição e monitoramento de um vasto conjunto de grandezas elétricas, com indicações de valores individuais para

Leia mais

Controlador Automatizador CAP-1

Controlador Automatizador CAP-1 Controlador Automatizador CAP-1 Guia de Referência 1 Sumá rio 1 Introdução... 3 2 Especificações Técnicas... 3 2.1 Itens Inclusos... 4 3 Controle Remoto... 4 3.1 Funcionalidades das Teclas... 4 4 Conexões...

Leia mais

DECIBEL Indústria e Comércio Ltda RELÉ DE SEGURANÇA D 195 MANUAL DO USUÁRIO. www.decibel.com.br

DECIBEL Indústria e Comércio Ltda RELÉ DE SEGURANÇA D 195 MANUAL DO USUÁRIO. www.decibel.com.br DECIBEL Indústria e Comércio Ltda RELÉ DE SEGURANÇA D 195 MANUAL DO USUÁRIO www.decibel.com.br ATENÇÃO É de fundamental importância a leitura completa deste manual antes de ser iniciada qualquer atividade

Leia mais

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Indicador Microprocessado ITM44. Versão: 1.xx / Rev.

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Indicador Microprocessado ITM44. Versão: 1.xx / Rev. Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais Manual de Instruções Indicador Microprocessado ITM44 Versão: 1.xx / Rev. 03 ÍNDICE Item Página 1. Introdução... 02 2. Características... 02 3.

Leia mais

1 Componentes da Rede Gestun

1 Componentes da Rede Gestun PROCEDIMENTO PARA DETECÇÃO DE FALHAS EM REDES DATA: 23/06/14. Controle de Alterações DATA 23/06/14 MOTIVO Versão Inicial RESPONSÁVEL Márcio Correia 1 Componentes da Rede Gestun -Módulo de comunicação:

Leia mais

Manual de instalação e operação

Manual de instalação e operação Manual de instalação e operação Central de alarme de incêndio endereçável INC 2000 Central de alarme de incêndio INC 2000 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul.

Leia mais

A N U A L D E O P E R A Ç Ã O

A N U A L D E O P E R A Ç Ã O PRESSÃO LINHA AUTOMAÇÃO Wärme M A N U A L D E O P E R A Ç Ã O & I N S T A L A Ç Ã O PRESSOSTATO DIGITAL WTMD-5001-A ÍNDICE Item Página Características Técnicas...01 Tabela de Conversão de Pressão...01

Leia mais

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1 Easy Lab Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14 www.dma.ind.br DMA Electronics 1 A DMA ELECTRONICS projeta e fabrica sistemas para aquisição e registro de dados com conexão a um computador do tipo PC.

Leia mais

www.comatreleco.com.br R:Benjamim Constant, 56 Tel:(11) 2311-5682 contato@comatreleco.com.br

www.comatreleco.com.br R:Benjamim Constant, 56 Tel:(11) 2311-5682 contato@comatreleco.com.br Monitoramento de motores monofásico/trifásico MRU, MRI, MRM 1 Características Tensão de Alimentação UC12-48V ou UC110-240V Contato Reversível Entradas de medição separadas galvanicamente da alimentação

Leia mais

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E SIGMA Sistema Integrado de Combate a Incêndio CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E CABO BLINDADO (SHIELD) 4 VIAS 2X2,50 MM + 2X0,75 MM IHM Possibilidade de até 95 loops. LOOP LOOP LOOP CABO

Leia mais

Modo Execução. Modo Parametrizacão

Modo Execução. Modo Parametrizacão 1/7 Introdução O HM206 é um indicador para operar com comunicações RS485. O HM206 pode operar como escravo (slave) de rede fornecendo os dados ou operando comandado por outros sistemas ou como mestre (master)

Leia mais

CONTROLADOR CONDAR MP3000.

CONTROLADOR CONDAR MP3000. CONTROLADOR CONDAR MP3000. O equipamento CONDAR MP3000 é um Controlador Eletrônico Microprocessado desenvolvido especificamente para automação de até três Condicionadores de Ar instalados em um mesmo ambiente

Leia mais

AFERIDOR E PROGRAMADOR DE BANCADA MICROSAD STC-BR

AFERIDOR E PROGRAMADOR DE BANCADA MICROSAD STC-BR MANUAL DE OPERAÇÃO AFERIDOR E PROGRAMADOR DE BANCADA MICROSAD STC-BR STC-BR REV-002 Atenção: Modificações futuras serão reportadas através das Informações de Serviço (I.S.). Este documento é propriedade

Leia mais

SMART CONNECT X835 MANUAL DO USUÁRIO 2014 V1.1

SMART CONNECT X835 MANUAL DO USUÁRIO 2014 V1.1 SMART CONNECT X835 MANUAL DO USUÁRIO 2014 V1.1 Importantes informações de segurança estão contidas na seção de manutenção. Familiarize se com estas informações antes de instalar ou outros procedimentos.

Leia mais

Características & Interligação. Módulo APGV. Módulo Ponte Graetz com Ventilação Forçada. Revisão 00 de 13/05/10

Características & Interligação. Módulo APGV. Módulo Ponte Graetz com Ventilação Forçada. Revisão 00 de 13/05/10 Características & Interligação Módulo APGV Módulo Ponte Graetz com Ventilação Forçada Revisão 00 de 13/05/10 Direitos Reservados à Todas as informações contidas neste manual são de uso exclusivo da Equipamentos

Leia mais

PROGRAMAÇÃO FÁCIL DO. Micro Master. Midi Master

PROGRAMAÇÃO FÁCIL DO. Micro Master. Midi Master 1 PROGRAMAÇÃO FÁCIL DO Micro Master E Midi Master Preparado por ASI 1 PS 2 1. PARAMETRIZAÇÃO BÁSICA INICIAL...3 1.1 AJUSTES INICIAIS DO APARELHO...3 1.2 AJUSTE DE TEMPOS DE ACELERAÇÃO E DESACELERAÇÃO...3

Leia mais

CLIMATIZAÇÃO. Relação de Entradas e Saídas

CLIMATIZAÇÃO. Relação de Entradas e Saídas CLIMATIZAÇÃO O exemplo apresentado aqui controla um sistema que envolve bombas, torres, chillers e fan-coils para climatização ambiente para conforto térmico. Pode-se montar controles para sistemas dos

Leia mais

3.1.6 Entradas digitais Quantidade: 8. Tipo: NPN / PNP conforme configuração, dividida em 2 grupos de 4 entradas. Impedância de entrada: 8.8KΩ.

3.1.6 Entradas digitais Quantidade: 8. Tipo: NPN / PNP conforme configuração, dividida em 2 grupos de 4 entradas. Impedância de entrada: 8.8KΩ. 8 Tecla Cancelar. Utilizado para retorno de nível de programação. 9 Tecla Enter. Utilizado para acessar programação. Obs.: Todas as teclas podem ser utilizadas no diagrama Ladder. 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Leia mais

ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 3 DESEMBALAGEM... 3 ESPECIFICAÇÕES... 4 CONEXÕES... 5

ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 3 DESEMBALAGEM... 3 ESPECIFICAÇÕES... 4 CONEXÕES... 5 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 3 DESEMBALAGEM... 3 ESPECIFICAÇÕES... 4 CONEXÕES... 5 OPERAÇÃO... 7 LIGANDO O MEDIDOR... 8 REALIZANDO AS PRIMEIRAS MEDIDAS... 8 FUNÇÕES ESPECIAIS... 8 CONFIGURAÇÃO... 10 CICLO DE

Leia mais

Temporizador NT240. TEMPORIZADOR PROGRAMÁVEL - MANUAL DE INSTRUÇÕES V2.0x A INTRODUÇÃO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SAÍDAS DO TEMPORIZADOR

Temporizador NT240. TEMPORIZADOR PROGRAMÁVEL - MANUAL DE INSTRUÇÕES V2.0x A INTRODUÇÃO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SAÍDAS DO TEMPORIZADOR TEMPORIZADOR PROGRAMÁVEL - MANUAL DE INSTRUÇÕES V2.0x A INTRODUÇÃO O temporizador programável tem como função básica monitorar o tempo e acionar sua saída de acordo com programação previamente realizada

Leia mais

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3.2 CARACTERÍSTICAS DE SOFTWARE 1. CARACTERÍSTICAS O CLG535R é um controlador programável que integra os principais recursos empregados em uma automação industrial. Dispõe integrado

Leia mais

PLANILHA DE PROPOSTA

PLANILHA DE PROPOSTA 0001 012186 INVERSOR DE FREQUENCIA 144 AMPERES / 220 VCA Inversor de freqüência para aplicação em motor elétrico trifásico com corrente nominal de serviço 140A, tensão nominal 220V, temperatura de funcionamento

Leia mais

TML. Supervisor de Temperaturas de Óleo e Enrolamentos. Catálogo

TML. Supervisor de Temperaturas de Óleo e Enrolamentos. Catálogo TML Catálogo Supervisor de Temperaturas de Óleo e Enrolamentos O Supervisor de Temperaturas TML da Treetech é um sistema digital de proteção térmica e controle de resfriamento forçado para transformadores

Leia mais

Manual do instalador Box Output DC Rev. 0.01.000. Figura 01 Apresentação do Box Output DC.

Manual do instalador Box Output DC Rev. 0.01.000. Figura 01 Apresentação do Box Output DC. Pág. 1/10 Apresentação Equipamento para acionamento de cargas em corrente contínua. Comunicação com outros dispositivos por rede CAN. 6 entradas digitais para acionamento local ou remoto. 6 entradas/saídas

Leia mais

GUIA DE TELAS IHM Delta ARVTi 2000

GUIA DE TELAS IHM Delta ARVTi 2000 GUIA DE TELAS IHM Delta ARVTi 2000 Revisão 00 de 02/06/10 Direitos Reservados à Todas as informações contidas neste manual são de uso exclusivo da Equipamentos Eletrônicos Ltda., não podendo ser reproduzidas,

Leia mais

2. MODELOS DISPONÍVEIS

2. MODELOS DISPONÍVEIS Manual de Serviço Este manual descreve a instalação, o uso e a configuração do Medidor Eletrônico de Insumos (MEI). 1. CARACTERÍSTICAS O Medidor Eletrônico de Insumos (MEI) é um equipamento desenvolvido

Leia mais

ANUNCIADOR DE ALARMES AL-2001

ANUNCIADOR DE ALARMES AL-2001 ANUNCIADOR DE ALARMES AL-2001 Série: A Manual de usuário Ref.: AL-2001 AL-2001 V1.0Rev.:A07/07 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso AL-2001. Para garantir o uso correto e eficiente do AL-2001,

Leia mais

Máx Unid Padrão. Mín 1 / 0.1 0/0 0/0 0/0 0/0 100 / 6.9 100 / 6.9 100 / 6.9 999 150.0 / 302 5.0/9 2 -50.0 / -58 0.1/1 1 / 0.

Máx Unid Padrão. Mín 1 / 0.1 0/0 0/0 0/0 0/0 100 / 6.9 100 / 6.9 100 / 6.9 999 150.0 / 302 5.0/9 2 -50.0 / -58 0.1/1 1 / 0. PCT6 plus CONTROLADOR DIGITAL DE PRESSÃO PARA CENTRAIS DE REFRIGERAÇÃO Ver. PCT6VT74. DESCRIÇÃO O PCT6 plus é um controlador de pressão para ser utilizado em centrais de refrigeração que necessitem de

Leia mais

CAE 80. Manual de Instruções. Revisão 4

CAE 80. Manual de Instruções. Revisão 4 CAE 80 Manual de Instruções Revisão 4 1. INTRODUÇÃO. Parabéns pela aquisição da central endereçável da ILUMAC, modelo CAE80, este equipamento será uma excelente ferramenta na proteção e prevenção contra

Leia mais

Fontes CC. Principais características. www.supplier.ind.br

Fontes CC. Principais características. www.supplier.ind.br A SUPPLIER Indústria e Comércio de Eletroeletrônicos Ltda é uma empresa constituída com o objetivo de atuar no setor das Indústrias Eletroeletrônicas, principalmente na fabricação de fontes de alimentação

Leia mais

Características Técnicas Série Quasar

Características Técnicas Série Quasar Descrição do Produto A Série Quasar é uma linha de painéis tipo CCMi (centro de controle de motores inteligente) para baixa tensão e correntes até 3150 A, ensaiados conforme a norma NBR/IEC 60439-1 - TTA

Leia mais

Vectra L1 / L2. Manual de instruções

Vectra L1 / L2. Manual de instruções Vectra L1 / L2 Manual de instruções Versão 05. 2004 1 Índice Introdução...3 Instalação...3 Setup...5 Display...7 Acionando o módulo de impressora...8 Mensagens de sistema...8 Atualizações...9 Programação

Leia mais

Duplo Indicador de Temperatura com Alarme T204i/2T0-AL HNI Cód. 90.506.0082

Duplo Indicador de Temperatura com Alarme T204i/2T0-AL HNI Cód. 90.506.0082 MANUAL DE OPERAÇÃO Duplo Indicador de Temperatura com Alarme T204i/2T0-AL HNI Cód. 90.506.0082 Programa Executivo: T204AP_2T0AL Modelos: 220VAC, 127VAC e 24VAC. 40.000.0181 Rev. A maio 2011. ÍNDICE 1.

Leia mais

MODEM MONITORAMENTO. Manual de Instalação e Operação

MODEM MONITORAMENTO. Manual de Instalação e Operação COMPATEC PRODUTOS PARA SUA SEGURANÇA MODEM MONITORAMENTO Manual de Instalação e Operação ÍNDICE Características técnicas do modem...3 Características gerais do modem...3 Conheça o modem...3 Apresentação...4

Leia mais

Micro Controladores Programáveis

Micro Controladores Programáveis Micro Controladores Programáveis Transformando energia em soluções Os Micro Controladores Programáveis linha Clic WEG, caracterizam-se pelo seu tamanho compacto, fácil programação e excelente custo-benefício.

Leia mais

Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Manual do Usuário Versão 3.9f

Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Manual do Usuário Versão 3.9f Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro Manual do Usuário Versão 3.9f 2 ÍNDICE PÁG. 1 APRESENTAÇÃO...03 2 DESCRIÇÃO DO EQUIPAMENTO...04 2.1 ROTINA INICIAL DE AVALIAÇÃO DA REDE ELÉTRICA...04 2.2 TROCA DE

Leia mais

Indicador Digital Processos MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional. ABB Automação.

Indicador Digital Processos MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional. ABB Automação. Indicador Digital Processos MODO DE USO Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional ABB Automação Hartmann & Braun Dados Técnicos (NRB5180) Entrada -mvdc: -Vdc -madc Alimentação

Leia mais

GDE4000. Gerenciador de Energia

GDE4000. Gerenciador de Energia Gerenciador de Energia Funções avançadas de controle de demanda e fator de potência Seleção de cargas por prioridade e por potências Flexibilidade na programação de demandas sazonais Simulação de fatura

Leia mais

CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12

CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12 CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12 INSTALAÇÃO DO CONTROLADOR DE TEMPERATURA Atenção: A Montagem e manutenção devem ser realizadas apenas por profissionais

Leia mais

IDM 96 Indicador Digital Multivariáveis

IDM 96 Indicador Digital Multivariáveis IDM 96 Indicador Digital Multivariáveis Modo de uso Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Protocolo de comunicação Modbus RTU Dimensional ABB Instrumentação 1 Dados Técnicos Entrada Tensão

Leia mais

CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO. GL-T540 Painel de Controle

CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO. GL-T540 Painel de Controle CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO GL-T540 Painel de Controle MANUAL PARA OPERADOR Maio 2005 Rev. BI Versão Software: 1.1 SUMMARIO 1) INTRODUÇÃO... 03 1.1) Introdução... 03 1.2) Painel de Controle...

Leia mais

Monitor de Nível mod. MFC-300/N. Manual Técnico. Licht

Monitor de Nível mod. MFC-300/N. Manual Técnico. Licht Monitor de Nível mod. MFC-300/N Manual Técnico Licht Conteúdo 1 Introdução 2 2 Indicações do painel frontal 3 3 Configuração 4 4 Parâmetros programáveis 5 4.1 Saídas de corrente (opcional) 5 4.2 Comunicação

Leia mais

Sistemas indicadores e transmissores de PRESSÃO DIFERENCIAL PARA SALAS LIMPAS MODELO VEC-PP-LED

Sistemas indicadores e transmissores de PRESSÃO DIFERENCIAL PARA SALAS LIMPAS MODELO VEC-PP-LED INTERNO INSTRUMENTO PARA EMBUTIR Sistemas indicadores e transmissores de PRESSÃO DIFERENCIAL PARA SALAS LIMPAS MODELO VEC-PP-LED Aplicação : Especialmente em salas limpas, pois podem ser embutidas em paredes

Leia mais

MANUAL. - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio.

MANUAL. - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio. 1 P/N: AKDMP16-4.2A DRIVER PARA MOTOR DE PASSO MANUAL ATENÇÃO: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio.

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Central de Iluminação de Emergência 12 V(cc), 20 A, com Capacidade de 240 W. Código AFB240 A central de iluminação de emergência é alimentada pela rede elétrica predial (110 ou 220 volts) e também possui

Leia mais

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva Com a linha Geafol, obteve-se um transformador com excelentes características elétricas, mecânicas e térmicas que, adicionalmente, ainda é ecológico. São produzidos sob certificação DQS, ISO 9001 e ISO

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO A EQUIPEL assegura ao proprietário deste aparelho garantia de 01 ano contra qualquer defeito de peça ou de fabricação desde que,

Leia mais

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA 42BEspecificação Técnica LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA 3 / 6 / 8 / 10 / 12 / 15 / 20 kva 38BEngetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: (31) 3359-5800 Web: Hwww.engetron.com.br

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. FONTE NoBreak 360W

MANUAL DO USUÁRIO. FONTE NoBreak 360W MANUAL DO USUÁRIO FONTE NoBreak 360W 2 1 Contém: 1 cabo tripolar; 1 manual do usuário; 1 fonte NoBreak Fonte NoBreak Online 24V/10A 360W: Procedimento de instalação: Ao receber a fonte, verificar a integridade

Leia mais

Central de Alarme de Incêndio AF-18 18 Setores - versão 12V-24V. Central. Fonte de Alimentação. 1. Apresentação 1/12

Central de Alarme de Incêndio AF-18 18 Setores - versão 12V-24V. Central. Fonte de Alimentação. 1. Apresentação 1/12 Central de Alarme de Incêndio AF-18 18 Setores - versão 12V-24V 1. Apresentação Parabéns, você acaba de adquirir mais um produto desenvolvido pela CS Comunicação e Segurança: Central de Alarme de Incêndio

Leia mais

SENHA LIGHT VERSÃO DO MANUAL

SENHA LIGHT VERSÃO DO MANUAL SENHA LIGHT VERSÃO DO MANUAL 1.2. de 05/02/2013 7767 2 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Itens que Acompanham... 5 3. Especificações Técnicas... 5 4. Características Gerais... 6 5. Visão geral do Equipamento...

Leia mais

CD-400 Somador de Sinal

CD-400 Somador de Sinal CD-400 Parabéns por ter adquirido um dos produtos da empresa Fertron, uma empresa que tem orgulho de ser brasileira, atendendo clientes em todo o território nacional e também em diversos países. Nossa

Leia mais

HUMITECH 1. DESCRIÇÃO

HUMITECH 1. DESCRIÇÃO PARA RESFRIAMENTO EVAPORATIVO TEMPER UMIDADE 1. DESCRIÇÃO Controlador microprocessado de alta performance, o Humitech aplica-se em conjunto a sistemas de resfriamento evaporativo para conforto térmico

Leia mais