MANUAL TEÓRICO DAS TABELAS PROCESSUAIS UNIFICADAS DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Diretoria de Modernização Judiciária

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL TEÓRICO DAS TABELAS PROCESSUAIS UNIFICADAS DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Diretoria de Modernização Judiciária"

Transcrição

1 MANUAL TEÓRICO DAS TABELAS PROCESSUAIS UNIFICADAS DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA Diretoria de Modernização Judiciária Aracaju, 29 de agosto de

2 1 APRESENTAÇÃO Este Manual tem por escopo apresentar aos membros e servidores do Tribunal de Justiça de Sergipe alguns pontos teóricos e procedimentais sobre o cadastramento ou a modificação das autuações das petições de acordo com as Tabelas Processuais Unificadas do Conselho Nacional de Justiça. Criadas pela Resolução nº 46/2007, do CNJ, em razão da necessidade de melhorar os serviços prestados pela Justiça aos cidadãos e de aprimorar a coleta de informações estatísticas essenciais ao planejamento estratégico do Poder Judiciário, as Tabelas Padronizadas Unificadas (TPU s) representarão um importante passo no processo de modernização pelo qual vem passando o Poder Judiciário nos últimos anos. A padronização prevista na supramencionada Resolução do CNJ abrangerá as Classes e os Assuntos e Movimentos Processuais que, a partir de 22/09/2008 já deverão estar devidamente implantados em todos os Tribunais do País. Por esta razão pela qual cada novo processo judicial ou administrativo receberá nomenclaturas padrões tanto para o procedimento judicial utilizado (Classe) quanto para a(s) matéria(s) discutida(s) na lide, ao tempo que atos processuais, por seu turno, também serão registrados através de movimentos unificados em todo o Poder Judiciário. Ressaltamos, outrossim, que o presente documento foi baseado no Manual das Tabelas Processuais Unificadas 1 do Conselho Nacional de Justiça bem como nas apresentações do 2º Encontro Nacional de Tabelas Processuais Unificadas 2, razão pela qual agradecemos, antecipadamente, a todos os colaboradores. Feita esta breve apresentação, passemos aos principais pontos que devem ser observados quando da aplicação das Tabelas Padronizadas Unificadas do CNJ nos processos judiciais no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe. 1 Disponível em 2 Disponível em 2

3 2 REGRAS GERAIS CLASSES X ASSUNTOS As Classes podem ser conceituadas como a nomenclatura dada ao tipo de procedimento adotado pela parte na petição inicial. Para exemplificar, temos: a) Na Área Cível a classe Procedimento Sumário deverá ser utilizada quando a petição inicial indicar alguma das situações previstas no art. 275, do CPC. Já a classe Procedimento dos Juizados Especiais, quando a petição inicial prever o rito especial das Leis Ordinárias Federais nº 9.099/95 e /01. b) Na Área Criminal a classe Ação Penal será utilizada para as ações penais públicas ou privadas que sigam o procedimento previsto nos arts. 394 e seguintes do CPP; Já a classe Ação Penal de Competência do Júri será utilizada apenas para os feitos que tenha por objeto um crime doloso contra a vida que devam observar o procedimento previsto nos arts. 406 e seguintes do CPP. processo judicial. Os Assuntos são as matérias ou os temas/pedidos que são discutidos no A título de exemplificação, temos: a) Na Área Cível diversos podem ser os assuntos, a depender do ramo do Direito: Cível Comum: Indenização por Dano Moral Erro Médico e Indenização por Dano Moral Acidente de Trânsito ; Família: Casamento Nulidade/Anulação e Casamento Dissolução ; Fazenda Pública: Licitações Sanções Administrativas e Contratos Administrativos Rescisão. b) Na Área Criminal: os assuntos, em regra, serão os crimes descritos no Inquérito Policial ou na Denúncia/Queixa-Crime. 3

4 Júri: Crimes contra a Vida Homicídio Qualificado e Crimes contra a Vida Induzimento, Instigação e Auxílio a Suicídio. Comum: Crimes contra o Patrimônio Furto e Crimes contra a Fé Pública Moeda Falta/Assimilados. Entorpecentes: Crimes de Tráfico Ilícito e Uso Indevido de Drogas Tráfico de Drogas e Condutas Afins e Crimes de Tráfico Ilícito e Uso Indevido de Drogas Indução, Instigação ou Auxílio ao Uso de Drogas. REGRAS GERAIS PARA O CADASTRAMENTO DE PROCESSOSNO 1º GRAU: QUANDO DO RECEBIMENTO DA PETIÇÃO INICIAL, O USUÁRIO DEVERÁ VERIFICAR QUAL O PROCEDIMENTO PREVISTO NA PETIÇÃO INICIAL DAQUELE PROCESSO. PARA TANTO, O USUÁRIO TEM QUE LER A PETIÇÃO INICIAL E CONSULTAR A LEGISLAÇÃO. VERIFICADO QUAL O PROCEDIMENTO, O USUÁRIO DEVERÁ ESCOLHER A CLASSE PROCESSUAL ADEQUADA. APÓS A ESCOLHA DA CLASSE PROCESSUAL ADEQUADA, O USUÁRIO DEVERÁ VERIFICAR QUAIS SÃO TODOS OS PEDIDOS/TEMAS DO PROCESSO E VINCULÁ-LOS À CLASSE PROCESSUAL ESCOLHIDA NA ORDEM EM QUE FOREM APRESENTADOS NA PETIÇÃO INICIAL (NO CASO DOS ASSUNTOS CRIMINAIS, VINCULÁ-LOS EM ORDEM INICIANDO-SE DO CRIME DE MAIOR PARA O DE MENOR POTENCIAL OFENSIVO). APÓS A VINCULAÇÃO DA CLASSE E DO(S) ASSUNTO(S) PROCESSUAL(IS) ADEQUADOS, O PROCESSO SERÁ REGISTRADO E AUTUADO, OU SEJA, CADASTRADO, RECEBENDO A NUMERAÇÃO PROCESSUAL DO TJSE. 4

5 3 REGRAS ESPECÍFICAS CLASSES 3.1 ÁREA CÍVEL: JUIZADOS ESPECIAIS: As classes Embargos à execução, Embargos à adjudicação, Embargos à arrematação, Incidente de falsidade, Impugnação ao valor da causa e Exceção de incompetência não são de uso obrigatório para os Juizados Especiais, ante as particularidades do seu procedimento. A interposição desses processos acessórios deve ser registrada como movimentos processuais. ADOÇÃO : deve ser observada a seguinte regra: o Adoção : deve ser cadastrada nos procedimentos de jurisdição voluntária, ou seja, em que não há conflito de interesses. o Adoção c/c destituição do poder familiar : deve ser cadastrada nos procedimentos de jurisdição contenciosa, ou seja, quando há conflito de interesses entra as partes do processo. Atenção! Os diferentes tipos de adoção (de criança e de adolescente, nacional e internacional), ligados à condição do adotante e do adotando, devem ser classificados como assuntos. EXECUÇÃO HIPOTECÁRIA : o Execução Hipotecária do Sistema Financeiro Nacional : destina-se a classificar as execuções de cobrança de crédito hipotecário vinculado ao Sistema Financeiro da Habitação o Execução de Título Extrajudicial : as demais execuções de hipoteca devem ser registradas nesta classe, sendo que, obrigatoriamente, deve constar dentre os assuntos do processo o de Cédula Hipotecária. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO : a classe não será utilizada no 1º Grau de jurisdição, devendo a interposição desse recurso ser registrada na lista de 5

6 movimentos do processo principal, JAMAIS COM CADASTRAMENTO DE PROCESSO. LIQUIDAÇÃO DA SENTENÇA : Nos termos do Provimento nº 03/2006 da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Sergipe: o DEFINITIVA: deverá ser processada nos próprios autos (arts. 475-A a 475-H do CPC). O usuário, neste caso, deverá cadastrar um novo processo incidente (gerando um novo número) ao principal na seguinte Classe das TPU s: Liquidação Por Arbitramento ou Liquidação por Artigos ; ato contínuo, deverá ser impressa uma nova folha de autuação e aposta sobre a antiga.!!! IMPORTANTE!!! Os assuntos do processo NÃO devem ser alterados!!! o PROVISÓRIA: deverá ser processada em autos apartados (art. 475-A, 2º, do CPC). O usuário, neste caso, deverá cadastrar um novo processo incidente (gerando um novo número) ao principal, utilizando uma das seguintes Classes das TPU s: Liquidação Provisória Por Arbitramento ou Liquidação Provisória por Artigos. Ato contínuo deverá ser impressa a folha de autuação do novo processo, o qual será apensado ao feito principal.!!! IMPORTANTE!!! Neste caso o processo principal NÃO terá nem a classe nem o(s) assunto(s) alterados!!! CUMPRIMENTO DA SENTENÇA : Nos termos do Provimento nº 03/2006 da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Sergipe: o DEFINITIVA: deverá ser processada nos próprios autos (arts. 475-I a 475-N do CPC). O usuário, neste caso, deverá cadastrar um novo processo incidente (gerando um novo número) ao principal, utilizando 6

7 uma das seguintes Classes das TPU s: Cumprimento de Sentença ; ato contínuo, deverá ser impressa uma nova folha de autuação e aposta sobre a antiga.!!! IMPORTANTE!!! Os assuntos do processo NÃO devem ser alterados!!! o PROVISÓRIA: deverá ser processada em autos apartados (art , 3º, do CPC). O usuário, neste caso, deverá cadastrar um novo processo incidente (gerando um novo número) ao principal, utilizando uma das seguintes Classes das TPU s: Cumprimento Provisório de Sentença. Ato contínuo deverá ser impressa a folha de autuação do novo processo, o qual será apensado ao feito principal.!!! IMPORTANTE!!! Neste caso o processo principal NÃO terá nem a classe nem o(s) assunto(s) alterados!!! IMPUGNAÇÃO DA SENTENÇA : Nos termos do Provimento nº 03/2006 da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Sergipe e das regras do Conselho Nacional de Justiça: o ATÉ A ANÁLISE DO EFEITO SUSPENSIVO OU COM EFEITO SUSPENSIVO: deverá tão-somente ser juntada aos autos do Cumprimento da Sentença. Assim, NÃO haverá modificação na Classe nem no(s) Assunto(s) do processo. o SEM EFEITO SUSPENSIVO: deverá ser processada em autos apartados (art. 475-M, 2º, primeira parte, do CPC). O usuário, neste caso, deverá cadastrar um novo processo incidente ao principal, utilizando a seguinte Classe da TPU s: Impugnação ao Cumprimento de Sentença. Ato contínuo deverá ser impressa a folha de autuação do novo processo, o qual será apensado ao feito principal. 3.2 ÁREA CRIMINAL: PROCEDIMENTO INVESTIGATÓRIO DO MP (PEÇAS DE INFORMAÇÃO) : cadastrar nesta classe as denúncias oferecidas sem base 7

8 em inquérito policial bem como os pedidos de arquivamento de peças de informação º GRAU: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO : deverá ser registrada no 2º Grau de Jurisdição. Atenção! Conforme veremos a seguir, os assuntos do processo principal serão carregados automaticamente. APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO : aplicada quando houver interposição concomitante de recursos de ofício e voluntário. O recurso adesivo não implicará cadastramento de nova classe além da que ensejou a adesão. 8

9 4 REGRAS ESPECÍFICAS ASSUNTOS 4.1 TODAS AS ÁREAS: IMUTABILIDADE RELATIVA: O(s) assunto(s) cadastrado(s) permanecerá(ão) imutável(is) até o fim do processo podendo ser alterados para correção de equívocos; PROCESSOS DEPENDENTES: Os processos cadastrados por dependência carregarão, automaticamente, os assuntos do processo principal. O usuário, entretanto, deverá complementar o rol de assuntos quando for o caso. VARAS ESPECIALIZADAS: Deve(m) ser cadastrado(s) primeiramente o assunto que define a competência. 4.2 ÁREA CÍVEL: MATÉRIAS DE DIREITO PROCESSUAL: serão utilizadas no 1º Grau, excepcionalmente, apenas em processos dependentes (com registro e autuação, portanto) e que possuem natureza específica, tais como Embargos à execução, Embargos à adjudicação, Embargos à arrematação, Incidente de falsidade, Impugnação ao valor da causa e Exceção de incompetência. Atenção! Neste caso os assuntos de natureza processual integrarão a autuação do processo dependente não do principal! PREVIDENCIÁRIO: o usuário deverá identificar o(s) tipo(s) de Benefício(s) Previdenciário(s), cadastrá-lo(s) como assunto(s) e complementar cada um deles com o(s) assunto(s) complementar(es) correspondente(s) à(s) tese(s) e pedido(s) específico(s). TRIBUTÁRIO: 9

10 o Regra Geral: o usuário deverá identificar o(s) Tributo(s), cadastrá-lo(s) como assunto(s) e complementar cada um deles com o(s) assunto(s) complementar(es) correspondente(s) à(s) tese(s) e pedido(s) específico(s). o Execução Fiscal de Tributos: usar o assunto Dívida Ativa Tributária e complementá-lo com o(s) tipo(s) tributário(os). EXECUÇÕES o TÍTULOS JUDICIAIS: o(s) assunto(s) será(ão) o(s) mesmo(s) do processo principal; o TÍTULOS EXTRAJUDICIAIS: o(s) assunto(s) será(ão) o(s) próprio(s) título(s); 4.3 ÁREA CRIMINAL: Todos os crimes descritos na denúncia devem ser cadastrados. ASSUNTO PRINCIPAL: será o de maior potencial ofensivo, ou seja, o que possui maior pena abstratamente cominada (prevista no artigo legal). Exemplo: O crime de Homicídio (art. 121, CP) possui uma pena base de 06 a 20 anos e, portanto, tem maior potencial ofensivo do que o roubo (art. 157, CP), que possui pena abstrata de 04 a 10 anos. CRIME TENTADO e CRIME CULPOSO : devem ser cadastrados como complemento ao assunto, quando for o caso. Exemplo: A denúncia narra 2 crimes um tentado e um culposo. Neste caso, cadastraremos os 2 delitos como assuntos e em um acrescentaremos o assunto complementar Crime Tentado e no outro Crime Culposo º GRAU: 10

11 Os assuntos do processo de origem serão carregados automaticamente nos processos cadastrados no 2º Grau. O 2º Grau deverá cadastrar TODOS os assuntos complementares que são objeto do recurso. COMO IDENTIFICAR UM ASSUNTO?!!!!!!!!!!!!!! QUESTIONE-SE!!!!!!!!!!! A) DO QUE trata este processo? Qual a relação jurídica entre as partes? R: A resposta, geralmente, encontra-se no início da petição, nos fatos, após a identificação das partes. B) O QUE SE QUER com este processo? QUAL O PEDIDO? R: Normalmente a resposta está localizada na parte reservada ao pedido. Em petições bem formuladas, em regra, a resposta está ao final da petição. 11

12 5. DÚVIDAS Em caso de dúvidas deverá ser observada a seguinte cadeia de dúvidas, a depender da lotação do usuário: 1º Grau: Chefe da Distribuição/Recepção Escrivão/Chefe de Secretaria ((Diretor do Foro, onde houver) Assessoria do Juiz de Direito (Diretor do Foro, onde houver) Juiz de Direito ((Diretor do Foro, onde houver) Grupo Gestor Interno do TJSE CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA 2º Grau: Chefe da Distribuição do 2º Grau Secretaria Judiciária Grupo Gestor Interno do TJSE CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA Verificando que a classe necessária NÃO se encontra na tabela, o caso deverá ser enviado diretamente ao Grupo Gestor Interno do TJSE a quem competirá solicitar a inclusão da 12

13 nossa Classe nas TPU s ao Conselho Nacional de Justiça. O processo, neste caso, deverá permanecer cadastrado temporariamente até que haja uma deliberação do CNJ a respeito. Confirmada a ausência de assunto na tabela, o responsável deve autorizar a classificação provisória em nível mais genérico e encaminhar o caso imediatamente ao Grupo Gestor Interno do TJSE a quem competirá solicitar a inclusão do(s) novo(s) assunto(s) ao Conselho Nacional de Justiça, sem prejuízo de, internamente, autorizar diretamente a criação do mesmo. 13

4.1 CADASTRAMENTO DE ASSUNTOS PROCESSUAIS NA ÁREA CÍVEL 4.2 CADASTRAMENTO DE ASSUNTOS PROCESSUAIS NA ÁREA CRIMINAL

4.1 CADASTRAMENTO DE ASSUNTOS PROCESSUAIS NA ÁREA CÍVEL 4.2 CADASTRAMENTO DE ASSUNTOS PROCESSUAIS NA ÁREA CRIMINAL 1 SUMÁRIO: 1. APRESENTAÇÃO 2. TABELAS PROCESSUAIS UNIFICADAS DO PODER JUDICIÁRIO 3. TABELA DE CLASSES PROCESSUAIS 4. TABELA DE ASSUNTOS PROCESSUAIS 4.1 CADASTRAMENTO DE ASSUNTOS PROCESSUAIS NA ÁREA CÍVEL

Leia mais

2. TABELAS PROCESSUAIS UNIFICADAS DO PODER JUDICIÁRIO

2. TABELAS PROCESSUAIS UNIFICADAS DO PODER JUDICIÁRIO 1. APRESENTAÇÃO O Conselho Nacional de Justiça CNJ, a fim de melhorar os serviços prestados pela Justiça aos cidadãos, visando aprimorar a coleta de informações estatísticas essenciais ao planejamento

Leia mais

CARTILHA DISTRIBUIÇÃO E ATENDIMENTO GERAL

CARTILHA DISTRIBUIÇÃO E ATENDIMENTO GERAL CARTILHA DISTRIBUIÇÃO E ATENDIMENTO GERAL CADASTRO E ALTERAÇÃO DE PROCESSOS - CLASSES E ASSUNTOS DO CNJ Aracaju, agosto de 2015. 1 SUMÁRIO 1. Introdução...3 1.1. Classes Processuais...3 1.2. Assuntos Processuais...5

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO MANUAL DE APLICAÇÃO DAS TABELAS UNIFICADAS RECIFE - 2008

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO MANUAL DE APLICAÇÃO DAS TABELAS UNIFICADAS RECIFE - 2008 1 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO MANUAL DE APLICAÇÃO DAS TABELAS UNIFICADAS RECIFE - 2008 2 INDICE ORIENTAÇÕES GERAIS... 4 CLASSES... 4 ASSUNTOS... 9 CASOS ESPECIAIS... 14 Adoção... 14 Cartas

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. RESOLUÇÃO Nº 36, DE 6 DE ABRIL DE 2009 (Alterada pela Resolução nº 51, de 09 de março de 2010)

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. RESOLUÇÃO Nº 36, DE 6 DE ABRIL DE 2009 (Alterada pela Resolução nº 51, de 09 de março de 2010) RESOLUÇÃO Nº 36, DE 6 DE ABRIL DE 2009 (Alterada pela Resolução nº 51, de 09 de março de 2010) Dispõe sobre o pedido e a utilização das interceptações telefônicas, no âmbito do Ministério Público, nos

Leia mais

Questões de Processo Penal

Questões de Processo Penal Questões de Processo Penal 1º) As Contravenções Penais (previstas na LCP) são punidas com: a) ( ) Prisão Simples; b) ( ) Reclusão; c) ( ) Detenção; d) ( ) Não existe punição para essa espécie de infração

Leia mais

Resumo. Sentença Declaratória pode ser executada quando houver o reconhecimento de uma obrigação.

Resumo. Sentença Declaratória pode ser executada quando houver o reconhecimento de uma obrigação. 1. Execução Resumo A Lei 11.232/05 colocou fim à autonomia do Processo de Execução dos Títulos Judiciais, adotando o processo sincrético (a fusão dos processos de conhecimento e executivo a fim de trazer

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo JUSTIÇA FEDERAL. Atualizado em 08/05/2012 RECOLHIMENTO DE CUSTAS PROCESSUAIS

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo JUSTIÇA FEDERAL. Atualizado em 08/05/2012 RECOLHIMENTO DE CUSTAS PROCESSUAIS JUSTIÇA FEDERAL Atualizado em 08/05/2012 RECOLHIMENTO DE CUSTAS PROCESSUAIS (EXCLUSIVAMENTE NA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL) TABELA DE CÓDIGOS E UNIDADES GESTORAS (Resolução nº 426/11-CA-TRF3 que altera Resolução

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO Conselho da Magistratura PROVIMENTO N 01/2007 (DOE 18/05/07)

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO Conselho da Magistratura PROVIMENTO N 01/2007 (DOE 18/05/07) PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO Conselho da Magistratura PROVIMENTO N 01/2007 (DOE 18/05/07) EMENTA: Orienta os juízes sobre a competência do Juizado de Violência Doméstica

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL Este questionário objetiva diagnosticar a realidade dos tribunais em relação às aprovadas no II Encontro Nacional do Judiciário, bem como subsidiar medidas concretas a serem adotadas

Leia mais

Anexo Tabela única de classes da 2ª Região

Anexo Tabela única de classes da 2ª Região CLASSE 01000 AÇÕES ORDINÁRIAS Anexo Tabela única de classes da 2ª Região CORRESPONDÊNCIA NA TABELA ÚNICA DE CLASSES DO DA 01001 ORDINÁRIA / TRIBUTÁRIA 29 AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM 07 ORDINÁRIO)

Leia mais

SEMINÁRIO - O PODER JUDICIÁRIO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL ENUNCIADOS APROVADOS

SEMINÁRIO - O PODER JUDICIÁRIO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL ENUNCIADOS APROVADOS 1) Entende-se por fundamento referido no art. 10 do CPC/2015 o substrato fático que orienta o pedido, e não o enquadramento jurídico atribuído pelas partes. 2) Não ofende a regra do contraditório do art.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO Assegurar o acesso à justiça, de forma efetiva, na composição dos conflitos decorrentes das relações de trabalho. Missão Institucional do TRT da 8ª Região. INTRODUÇÃO Prática adotada pelo Tribunal Regional

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS PODER JUDICIÁRIO JUÍZO DE DIREITO DA VARA DO ÚNICO OFÍCIO DE BOCA DA MATA EDITAL DE SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS

ESTADO DE ALAGOAS PODER JUDICIÁRIO JUÍZO DE DIREITO DA VARA DO ÚNICO OFÍCIO DE BOCA DA MATA EDITAL DE SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS ESTADO DE ALAGOAS PODER JUDICIÁRIO JUÍZO DE DIREITO DA VARA DO ÚNICO OFÍCIO DE BOCA DA MATA EDITAL DE SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS O Doutor ANDRÉ GUASTI MOTTA, MM Juiz de Direito Titular da Comarca de Boca da

Leia mais

O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal

O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal 202 O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal Juliana Andrade Barichello 1 O objetivo deste trabalho é discorrer sobre os principais pontos das palestras, enfatizando a importância das alterações

Leia mais

CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO Nº 09 DE 12 DE ABRIL DE 2004. O Corregedor-Geral da Justiça Federal da 2 a Região, no uso de suas atribuições legais, e

CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO Nº 09 DE 12 DE ABRIL DE 2004. O Corregedor-Geral da Justiça Federal da 2 a Região, no uso de suas atribuições legais, e CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO Nº 09 DE 12 DE ABRIL DE 2004 Disciplina os procedimentos a serem adotados durante e após as audiências para o registro audiovisual de depoimentos e interrogatórios. O Corregedor-Geral

Leia mais

VALOR (R$) ou FORMA de CÁLCULO (Cód. Tributário RJ)

VALOR (R$) ou FORMA de CÁLCULO (Cód. Tributário RJ) TAXA JUDICIÁRIA: Classes processuais - Justiça Estadual (1º GRAU) Cód. VALOR (R$) ou FORMA de CÁLCULO (Cód. Tributário RJ) JUIZADOS DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE 547 Seção Cível 1385 Cartas 1450 Carta de

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO 9 RESPOSTAS. 1. Princípios que Regem a Execução Trabalhista. 2. Ação Rescisória na Justiça do Trabalho.

ESTUDO DIRIGIDO 9 RESPOSTAS. 1. Princípios que Regem a Execução Trabalhista. 2. Ação Rescisória na Justiça do Trabalho. ESTUDO DIRIGIDO 9 RESPOSTAS 1. Princípios que Regem a Execução Trabalhista. 2. Ação Rescisória na Justiça do Trabalho. 1. Princípios que Regem a Execução Trabalhista: 1.1. Quais os princípios que regem

Leia mais

APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL. APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL NO ESPAÇO Dispositivo Legal... 35 Princípio da territorialidade...

APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL. APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL NO ESPAÇO Dispositivo Legal... 35 Princípio da territorialidade... Sumário Título I APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL Capítulo I APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL NO ESPAÇO Dispositivo Legal... 35 Princípio da territorialidade... 35 Capítulo II APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL

Leia mais

ADITIVO AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007

ADITIVO AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007 ADITIVO AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007 O Presidente da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São João del-rei FAUF e o Prefeito Municipal de Ibirité, Antonio Pinheiro Júnior, faz saber

Leia mais

15/05/2013 MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE

15/05/2013 MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE Direito Processual Penal 2ª Fase OAB/FGV Professora Beatriz Abraão MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da... Vara Criminal da Comarca... (especificar

Leia mais

Apostila Exclusiva Direitos Autorais Reservados www.thaisnunes.com.br 1

Apostila Exclusiva Direitos Autorais Reservados www.thaisnunes.com.br 1 Direito - Técnico do TRF 4ª Região É possível estudar buscando materiais e aulas para cada uma das matérias do programa do concurso de Técnico do TRF 4ª Região. Basta disciplina e organização. Sugestão

Leia mais

SIGLAS E ABREVIATURAS

SIGLAS E ABREVIATURAS SIGLAS E ABREVIATURAS ABREVIATURA AFIZON AR BU CAE CE CF CGE CO CP CPC CPP CRE ELO FAE FASE GRU IP IPAJ JE LC MP OAB PETE RAE RELDIA Res. RRI SPCE TCO TE TRE TSE VC ZE NOMENCLATURA Relatório de Títulos

Leia mais

Seção 2 A Escrituração e Utilização dos Livros

Seção 2 A Escrituração e Utilização dos Livros Seção 2 A Escrituração e Utilização dos Livros 2.2.1 - Quando da lavratura dos atos das serventias, serão utilizados papéis com fundo inteiramente branco, salvo disposição expressa em contrário. A escrituração

Leia mais

Processo Eletrônico. Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores:

Processo Eletrônico. Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores: Processo Eletrônico Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores: Princípio da Universalidade; Princípio da Uniquidade; Princípio da Publicidade; Princípio

Leia mais

Estabelecer critérios e procedimentos para a autuação de processos judiciais.

Estabelecer critérios e procedimentos para a autuação de processos judiciais. Proposto por: Equipe da 5ª Vara de Órfãos e Sucessões da Capital Analisado por: Representante da Administração Superior (RAS) Aprovado por: Juiz de Direito 5ª Vara de Órfãos e Sucessões da Capital 1 OBJETIVO

Leia mais

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO...

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO...19 DEDICATÓRIA...21 CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 23 1. Antecedentes históricos da função de advogado...23 2. O advogado na Constituição Federal...24 3. Lei de

Leia mais

Conselho da Justiça Federal

Conselho da Justiça Federal RESOLUÇÃO Nº 058, DE 25 DE MAIO DE 2009 Estabelece diretrizes para membros do Poder Judiciário e integrantes da Polícia Federal no que concerne ao tratamento de processos e procedimentos de investigação

Leia mais

AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO)

AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO) AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO) RELATÓRIO O EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR FEDERAL

Leia mais

Atendimento Policial a Vítimas de Violência Doméstica

Atendimento Policial a Vítimas de Violência Doméstica Pág. 01 Pág. 02 Pág. 03 Pág. 04 Pág. 05 Pág. 06 Pág. 07 Pág. 08 As condutas delituosas inseridas no contexto da Violência Doméstica e/ou familiar contra a mulher receberam uma conceituação legal a partir

Leia mais

Instado à exibição dos documentos originais (f.193), o Autor esquivou-se de fazê-lo (f.194).

Instado à exibição dos documentos originais (f.193), o Autor esquivou-se de fazê-lo (f.194). SENTENÇA 0024.09.690410-7 25ª Vara Cível da Comarca de Belo Horizonte Vistos, etc. I - RELATÓRIO Nilton Antônio Monteiro ajuizou ação de indenização contra Samarco Mineração S/A, José Tadeu de Morais e

Leia mais

ESTRUTURA DO CURSO PREPARATÓRIO PARA PROCESSO SELETIVO

ESTRUTURA DO CURSO PREPARATÓRIO PARA PROCESSO SELETIVO ESTRUTURA DO CURSO PREPARATÓRIO PARA PROCESSO SELETIVO As Aulas serão no Edf. Metrópole, Auditório do Terraço, R. Dr. José Peroba, no Costa Azul. 18/10 18hs às 22hs (total 4hs) PROFESSOR: JOSINALDO LEAL

Leia mais

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PEÇA PROFISSIONAL Lúcio, policial federal acusado de extorquir, no exercício de suas funções, determinada quantia em dinheiro de servidor público federal, encontra-se

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DE ROTINAS DAS VARAS CRIMINAIS PROCESSO DE EXECUÇÃO PENAL

MANUAL PRÁTICO DE ROTINAS DAS VARAS CRIMINAIS PROCESSO DE EXECUÇÃO PENAL MANUAL PRÁTICO DE ROTINAS DAS VARAS CRIMINAIS PROCESSO DE EXECUÇÃO PENAL Autores: Henrique Baltazar Vilar dos Santos Fábio José Guedes de Sousa Sumário: 1. Início do processo:... 2 a. Recebimento de Processo

Leia mais

NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA EVANDRO LINS E SILVA

NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA EVANDRO LINS E SILVA NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA EVANDRO LINS E SILVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS /IBMEC REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA EVANDRO LINS E SILVA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo

Leia mais

CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA

CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA Sumário Histórico Noção Bem Jurídico Sujeito Ativo Sujeito Passivo Tipos Objetivos Tipo Subjetivo Consumação Concurso de Crimes Penas Ação Penal Extinção da Punibilidade

Leia mais

1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO ENTRE SEQUESTRO E ARRESTO:... 2. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS EM ESPÉCIE

1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO ENTRE SEQUESTRO E ARRESTO:... 2. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS EM ESPÉCIE 1 PROCESSO PENAL PONTO 1: Medidas Assecuratórias PONTO 2: Medidas Assecuratórias em Espécie PONTO 3: Sequestro PONTO 4: Arresto 1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO N 23.219 INSTRUÇÃO N 296-67.2010.6.00.0000 - CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL.

RESOLUÇÃO N 23.219 INSTRUÇÃO N 296-67.2010.6.00.0000 - CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO N 23.219 INSTRUÇÃO N 296-67.2010.6.00.0000 - CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral.

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA Nº 17/2015

PORTARIA CONJUNTA Nº 17/2015 PORTARIA CONJUNTA Nº 17/2015 A Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, Desembargadora Cezarinete Angelim, e a Corregedora-Geral da Justiça do Estado do Acre, Desembargadora Regina Ferrari,

Leia mais

PARTE 1. Resolução 551/2011

PARTE 1. Resolução 551/2011 PARTE 1 Resolução 551/2011 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO RESOLUÇÃO Nº 551/2011 Regulamenta o processo eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e dá outras providências.

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.419, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2006. Mensagem de veto Dispõe sobre a informatização do processo judicial; altera a Lei no 5.869,

Leia mais

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 Disciplina a celebração de convênios e operações de crédito com previsão de ingresso de recursos financeiros que beneficiem órgãos e entidades da Administração

Leia mais

1 Apresentação... 2. 2 Tabelas Processuais Unificadas... 2. 3 Objetivos... 3. 4 Tabela de Assuntos Processuais... 4. 4.1 Estrutura...

1 Apresentação... 2. 2 Tabelas Processuais Unificadas... 2. 3 Objetivos... 3. 4 Tabela de Assuntos Processuais... 4. 4.1 Estrutura... 0 Sumário 1 Apresentação... 2 2 Tabelas Processuais Unificadas... 2 3 Objetivos... 3 4 Tabela de Assuntos Processuais... 4 4.1 Estrutura... 4 4.2 Orientações específicas para a utilização da Tabela de

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE CONCURSO PÚBLICO - DELEGADO DE POLÍCIA SUBSTITUTO EDITAL Nº 001/SSP/DGPC/ACADEPOL/2014

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE CONCURSO PÚBLICO - DELEGADO DE POLÍCIA SUBSTITUTO EDITAL Nº 001/SSP/DGPC/ACADEPOL/2014 Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE CONCURSO PÚBLICO - DELEGADO DE POLÍCIA SUBSTITUTO EDITAL Nº 001/SSP/DGPC/ACADEPOL/2014 SEGUNDA FASE PROVA DISSERTATIVA GABARITO DE RESPOSTAS QUESTÃO

Leia mais

Corregedoria Geral da Justiça

Corregedoria Geral da Justiça ,,* Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Página 1 de 7 r Corregedoria Geral da Justiça Provimento CG. N 33/97 Regulamenta a informatização dos Ofícios de Justiça que passam a utilizar o Sistema de

Leia mais

Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências.

Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. (Publicada no DJ-e nº 187/2010, em 11/10/2010, pág. 4-6) RESOLUÇÃO Nº 121, DE 5 DE OUTUBRO DE 2010. Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição

Leia mais

SUMÁRIO. I - Introdução ao Direito Processual do Trabalho, 1

SUMÁRIO. I - Introdução ao Direito Processual do Trabalho, 1 SUMÁRIO I - Introdução ao Direito Processual do Trabalho, 1 1 Fontes do direito processual do trabalho, 2 1.1 Fontes materiais, 2 1.2 Fontes formais, 3 1.2.1 Fontes formais diretas, 3 1.2.2 Fontes formais

Leia mais

ORIENTAÇÕES AO JUDICIÁRIO RELATIVAS À ARRECADAÇÃO DE RECEITAS DA UNIÃO SUMÁRIO

ORIENTAÇÕES AO JUDICIÁRIO RELATIVAS À ARRECADAÇÃO DE RECEITAS DA UNIÃO SUMÁRIO ORIENTAÇÕES AO JUDICIÁRIO RELATIVAS À ARRECADAÇÃO DE RECEITAS DA UNIÃO SUMÁRIO 1. Restituição ou Retificação de recolhimentos efetuados por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais DARF. 2.

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL Apresentação O curso de Pós-graduação em Direito Processual Civil e Práticas Processuais qualifica o participante para a aprovação em concursos públicos,

Leia mais

MATERIAL DE AULA LEI Nº 9.296, DE 24 DE JULHO DE 1996.

MATERIAL DE AULA LEI Nº 9.296, DE 24 DE JULHO DE 1996. MATERIAL DE AULA I) Ementa da aula Interceptação Telefônica. II) Legislação correlata LEI Nº 9.296, DE 24 DE JULHO DE 1996. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono

Leia mais

Alienação Parental. Andréia Magalhães Araújo 1

Alienação Parental. Andréia Magalhães Araújo 1 28 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 12 Família do Século XXI - Aspectos Jurídicos e Psicanalíticos Alienação Parental Andréia Magalhães Araújo 1 A Lei 12.318, com efeitos gerados a partir da data de

Leia mais

C U S T A S P R O C E S S U A I S E M J U I Z A D O S E S P E C I A I S

C U S T A S P R O C E S S U A I S E M J U I Z A D O S E S P E C I A I S C U S T A S P R O C E S S U A I S E M J U I Z A D O S E S P E C I A I S (COM AS MODIFICAÇÕES INTRODUZIDAS PELA RESOLUÇÃO CONJUNTA TJ/CGJ Nº 01/2015, COM VIGÊNCIA A PARTIR DE 05/06/2015) Organização: Divisão

Leia mais

A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA PRÁTICA

A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA PRÁTICA A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA PRÁTICA CONSIDERAÇÕES INICIAIS A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA É UMA DAS MODALIDADES DE SUJEIÇÃO PASSIVA TRIBUTÁRIA; ANÁLISE DAS HIPÓTESES DE RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA

Leia mais

Memorando nº 08/2015 Em 07 de Maio de 2015

Memorando nº 08/2015 Em 07 de Maio de 2015 DESTINATÁRIO (S): ASSUNTO: Aos Senhores Magistrados e Servidores das Varas com competência Criminal, Juizado Especial Criminal e de Execução de Penas e Medidas Alternativas Instrução Normativa Conjunta

Leia mais

ENUNCIADOS DA ASSESSORIA DE ASSUNTOS INSTITUCIONAIS DE 2009

ENUNCIADOS DA ASSESSORIA DE ASSUNTOS INSTITUCIONAIS DE 2009 O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o procedimento nº 2009.000.30103, da Subprocuradoria-Geral de Justiça de Planejamento Institucional, AVISA aos Membros

Leia mais

PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL.

PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL. PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL. A PROVA FOI MUITO BEM ELABORADA EXIGINDO DO CANDIDATO UM CONHECIMENTO APURADO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 07 DE 30/05/2014 (DJE 04/06/2014)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 07 DE 30/05/2014 (DJE 04/06/2014) INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 07 DE 30/05/2014 (DJE 04/06/2014) EMENTA: Implanta o Sistema Processo Judicial Eletrônico-PJe nas Varas Cíveis da Capital e dá outras providências. O Presidente do Tribunal de Justiça

Leia mais

Índice Sistemático do Novo Código de Processo Civil

Índice Sistemático do Novo Código de Processo Civil Índice Sistemático do Novo Código de Processo Civil LEI CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Parte Geral Livro I DAS NORMAS PROCESSUAIS CIVIS TÍTULO ÚNICO DAS NORMAS FUNDAMENTAIS E DA APLICAÇÃO DAS NORMAS PROCESSUAIS

Leia mais

JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ Vara Federal e Juizado Especial Federal de Pato Branco

JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ Vara Federal e Juizado Especial Federal de Pato Branco PORTARIA Nº 001/2009 A DOUTORA LIANE VIEIRA RODRIGUES, MM. JUÍZA FEDERAL DIRETORA DO FORO DA SUBSEÇÃO DE PATO BRANCO -, e O MM. JUIZ FEDERAL SUBSTITUTO, DOUTOR RAFAEL WEBBER, usando as atribuições que

Leia mais

QUESTÕES E PROCESSOS PARTE II

QUESTÕES E PROCESSOS PARTE II QUESTÕES E PROCESSOS INCIDENTES PARTE II INCOMPATIBILIDADES E IMPEDIMENTOS: ART. 112 CPP- DUAS HIPÓTESES: ABSTENÇÃO: ARGUIÇÃO PELA PARTE: PROCESSO ESTABELECIDO PARA EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO. ART. 252 E 253

Leia mais

O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais,

O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais, RESOLUÇÃO N.º102 /97 - P.G.J. Estabelece normas para o exercício do controle externo da atividade de Polícia Judiciária pelo Ministério Público, previsto no artigo 129, inciso VII, da Constituição Federal

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. de administração de carteiras de valores mobiliários

MERCADO DE CAPITAIS. de administração de carteiras de valores mobiliários MERCADO DE CAPITAIS 01/04/2015 CVM edita a Instrução nº 558/15, que regula a atividade de administração de carteiras de valores mobiliários A Comissão de Valores Mobiliários ( CVM ) divulgou, em 26 de

Leia mais

Tribunal de Justiça do Piauí TJ/PI Área Judiciária Carreira de Escrivão Judicial

Tribunal de Justiça do Piauí TJ/PI Área Judiciária Carreira de Escrivão Judicial Tribunal de Justiça do Piauí TJ/PI Área Judiciária Carreira de Escrivão Judicial ÍNDICE VOLUME 1 CONHECIMENTOS BÁSICOS LÍNGUA PORTUGUESA Elementos de construção do texto e seu sentido: gênero do texto

Leia mais

egrégio Conselho da Magistratura a aplicação da pena, nos termos da Lei Estadual 4.930/85. 3.3.8.2 - A aplicação das penalidades de advertência e

egrégio Conselho da Magistratura a aplicação da pena, nos termos da Lei Estadual 4.930/85. 3.3.8.2 - A aplicação das penalidades de advertência e egrégio Conselho da Magistratura a aplicação da pena, nos termos da Lei Estadual 4.930/85. 3.3.8.2 - A aplicação das penalidades de advertência e censura independe de sindicância ou processo, podendo ser

Leia mais

PARECER. Em suma, as providências postuladas pelo parquet federal referemse aos seguintes fatores:

PARECER. Em suma, as providências postuladas pelo parquet federal referemse aos seguintes fatores: PARECER Proposta de especialização de varas com competência para processar ações relacionadas aos interesses difusos, coletivos e individuais homogêneos, e de outras providências relacionadas ao bom andamento

Leia mais

Esta Rotina Administrativa (RAD) se aplica aos Juizados Especiais Cíveis, passando a vigorar a partir de 18/10/2013.

Esta Rotina Administrativa (RAD) se aplica aos Juizados Especiais Cíveis, passando a vigorar a partir de 18/10/2013. Proposto por: Equipe do Juizado Especial Cível Analisado por: Representante da Administração Superior (RAS Coordenador) Aprovado por: Juiz Direito Coordenador do SIGA/JEC 1 OBJETIVO Estabelecer critérios

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.051/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.051/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.051/05 Aprova a NBC P 2.6 Responsabilidade e Zelo. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas Brasileiras

Leia mais

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA ASSESSORIA JURÍDICA

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA ASSESSORIA JURÍDICA SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA ASSESSORIA JURÍDICA Parecer n. 549/2015 Processo SEI n. 22579/2015 Assunto: Divulgação de notícias no site do STJ sobre processos com publicidade restrita. Consulta. Publicações

Leia mais

PONTO 1: Concurso de Crimes PONTO 2: Concurso Material PONTO 3: Concurso Formal ou Ideal PONTO 4: Crime Continuado PONTO 5: PONTO 6: PONTO 7:

PONTO 1: Concurso de Crimes PONTO 2: Concurso Material PONTO 3: Concurso Formal ou Ideal PONTO 4: Crime Continuado PONTO 5: PONTO 6: PONTO 7: 1 PROCESSO PENAL PONTO 1: Concurso de Crimes PONTO 2: Concurso Material PONTO 3: Concurso Formal ou Ideal PONTO 4: Crime Continuado PONTO 5: PONTO 6: PONTO 7: 1. CONCURSO DE CRIMES 1.1 DISTINÇÃO: * CONCURSO

Leia mais

AS RESTRIÇÕES JUDICIAIS FACE ÀS TRANSMISSÕES DA PROPRIEDADE IMOBILIÁRIA. Telma Lúcia Sarsur Outubro de 2011

AS RESTRIÇÕES JUDICIAIS FACE ÀS TRANSMISSÕES DA PROPRIEDADE IMOBILIÁRIA. Telma Lúcia Sarsur Outubro de 2011 AS RESTRIÇÕES JUDICIAIS FACE ÀS TRANSMISSÕES DA PROPRIEDADE IMOBILIÁRIA Telma Lúcia Sarsur Outubro de 2011 Para conceituarmos restrição judicial, há de se definir restrição, que é limitação imposta ao

Leia mais

e 63 do ProvimentoGeral Consolidadoda JustiçaFederalN

e 63 do ProvimentoGeral Consolidadoda JustiçaFederalN 48 Vara Federal - 198 Subseção Judiciária - Guarulhos/SP PORTARIA n 004/2006 o Dr. ALESSANDRO DIAFERIA, MM. Juiz Federal da 48 Vara de Guarulhos - 198 Subseção Judiciária do Estado de São Paulo, no uso

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO DO ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPA Nº 03/2011 Versão: 01 Publicação: DJE nº de / /2012 Unidade Responsável: Departamento de Material e Patrimônio - DMP I FINALIDADE Dispor sobre os procedimentos

Leia mais

BRUNO AUGUSTO VIGO MILANEZ FELIPE FOLTRAN CAMPANHOLI COMPLIANCE CRIMINAL

BRUNO AUGUSTO VIGO MILANEZ FELIPE FOLTRAN CAMPANHOLI COMPLIANCE CRIMINAL BRUNO AUGUSTO VIGO MILANEZ FELIPE FOLTRAN CAMPANHOLI COMPLIANCE CRIMINAL TÉCNICAS CORPORATIVAS DE PREVENÇÃO DA RESPONSABILIDADE PENAL Compliance Criminal técnicas corporativas de prevenção da responsabilidade

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO MACHADO CORDEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO MACHADO CORDEIRO ACR 12760 AL (0007902-40.2007.4.05.8000) APTE : JOSEVAL REIS LIMA REPTE : DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : JUÍZO FEDERAL DA 4ª VARA AL (SENTENCIANTE: DR. SÉRGIO DE

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS Excelentíssimo(a) Sr(a) Dr(a) Juiz(a) de Direito da 7ª Vara Criminal Da Comarca De Goiânia Go. Autos n.º 7ª Vara Criminal. Ação Penal Acusados:,, Protocolo PGJ n.º - Distribuição por dependência: PENAL.

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Pampa Pró-Reitoria de Gestão de Pessoal FOLHA PONTO

Ministério da Educação Universidade Federal do Pampa Pró-Reitoria de Gestão de Pessoal FOLHA PONTO FOLHA PONTO Abrangência: Técnicos Administrativos É de responsabilidade da Chefia imediata, o acompanhamento através da folha ponto da situação de Frequência do Servidor, sobre o que estabelece a presente

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRICIÚMA SC

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRICIÚMA SC EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 1ª VARA FEDERAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CRICIÚMA SC Petição inicial nº /2008 Distribuição por dependência ao Processo nº 2000.72.04.002543-9 O MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 11/2016-CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 11/2016-CM PROVIMENTO N. 11/2016-CM Institui o Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário GMF de que trata a Resolução n. 96, de 27-10-2009 e a Resolução n. 214, de 15-12-2015, ambas do Conselho

Leia mais

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação Supervisão: Habermann Editora Capa: Kaloã Tuckmantel Habermann Diagramação: Habermann Editora Dados Internacionais de Catalogação na Publicação Soluções Práticas do Dia a Dia do Advogado - Doutrina, Legislação,

Leia mais

Resolução nº 9, de 16 de julho de 1997 (publicada no Diário Oficial da União de 13.8.97)

Resolução nº 9, de 16 de julho de 1997 (publicada no Diário Oficial da União de 13.8.97) Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE SCN Quadra 2 Projeção C, Brasília, DF CEP 70712-902 Tel.: (61) 426-8599 Fax: (61) 328-5523 cade@cade.gov.br Resolução nº 9, de 16

Leia mais

FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA

FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA Regras Básicas para as Atividades de Prática Jurídica a partir do ano letivo de 2010 Visitas Orientadas 72 Horas 36 horas para atividades

Leia mais

Conteúdo programático do curso OAB

Conteúdo programático do curso OAB Conteúdo programático do curso OAB Disciplinas Carga Horária ( 30 min.) No. Aulas (noite) Estatuto da Criança e do Adolescente 6 horas/aulas 01 Histórico e Visão Geral do Estatuto Direitos Fundamentais

Leia mais

Programa Inovacred. Título da Apresentação. Análise Jurídica

Programa Inovacred. Título da Apresentação. Análise Jurídica Programa Inovacred Título da Apresentação Análise Jurídica Análise Jurídica Roteiro de Análise Jurídica 1. ANÁLISE JURÍDICA INSTITUCIONAL 2. ANÁLISE JURÍDICA DA OPERAÇÃO 3. GARANTIA 4. PARECER 5. CONDIÇÕES

Leia mais

PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL

PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL *ATENÇÃO: ANTES DE INICIAR A PROVA, VERIFIQUE SE TODOS OS SEUS APARELHOS ELETRÔNICOS FORAM ACONDICIONADOS E LACRADOS DENTRO DA EMBALAGEM PRÓPRIA. CASO A QUALQUER MOMENTO DURANTE A REALIZAÇÃO DO EXAME VOCÊ

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO - CTASP PROJETO DE LEI Nº 7920, DE 2014.

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO - CTASP PROJETO DE LEI Nº 7920, DE 2014. COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO - CTASP PROJETO DE LEI Nº 7920, DE 2014. (Do Supremo Tribunal Federal) Acrescenta o inciso I ao 1º do artigo 4º da Lei nº 11.416, de 15 de dezembro

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 191, DE 27 DE MARÇO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 191, DE 27 DE MARÇO DE 2015 Publicada no Boletim de Serviço, n. 4, p. 6-12 em 10/4/2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 191, DE 27 DE MARÇO DE 2015 Disciplina a formação de processos administrativos no âmbito do Supremo Tribunal Federal

Leia mais

SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO

SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO 1. INTRODUÇÃO 2. DA SOLUÇÃO DOS LITÍGIOS PERANTE O JUDICIÁRIO 2.1 Estrutura jurisdicional brasileira 2.2 Lide, processo e

Leia mais

RELATÓRIO SINTÉTICO DAS ATIVIDADES DE AUDITORIA BIÊNIO: FEVEREIRO/2011 A JANEIRO/2013

RELATÓRIO SINTÉTICO DAS ATIVIDADES DE AUDITORIA BIÊNIO: FEVEREIRO/2011 A JANEIRO/2013 ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ Auditoria Administrativa de Controle Interno RELATÓRIO SINTÉTICO DAS ATIVIDADES DE AUDITORIA BIÊNIO: FEVEREIRO/2011 A JANEIRO/2013

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV AULA DIA 25/05/2015 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com DIREITO PROCESSUAL PENAL IV Procedimento Sumaríssimo (Lei 9.099/95) - Estabelece a possibilidade de conciliação civil,

Leia mais

MEDIDAS ASSECURATÓRIAS

MEDIDAS ASSECURATÓRIAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS Graciel Marques Tarão Assessor do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás 1. Introdução Inicialmente é preciso contextualizar o tema na Legislação Processual Penal. Dessa forma, o

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO PODER JUDICIÁRIO

ESTADO DO MARANHÃO PODER JUDICIÁRIO ESTADO DO MARANHÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATO DA PRESIDÊNCIA Nº. 1226/2011 O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO MARANHÃO, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o disposto

Leia mais

ÍNDICE SISTEMÁTICO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

ÍNDICE SISTEMÁTICO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL ÍNDICE SISTEMÁTICO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL PARTE GERAL LIVRO I - DAS NORMAS PROCESSUAIS CIVIS TÍTULO ÚNICO - DAS NORMAS FUNDAMENTAIS E DA APLICAÇÃO DAS NORMAS PROCESSUAIS CAPÍTULO I - DAS NORMAS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 143/2012 TCE/TO Pleno

RESOLUÇÃO Nº 143/2012 TCE/TO Pleno RESOLUÇÃO Nº 143/2012 TCE/TO Pleno 1. Processo nº : 12767/2011 2. Classe de Assunto : 03 Consulta 2.1. Assunto : 01 Consulta de Gestor Estadual Pagamento de cursos com diárias e passagens. 3. Consulente

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Alexandre Mesquita Presidente da AOJUS-DF

APRESENTAÇÃO. Alexandre Mesquita Presidente da AOJUS-DF APRESENTAÇÃO A Associação dos Oficiais de Justiça do Distrito Federal AOJUS/DF, entidade que congrega os oficiais do TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS, tem a honra de apresentar

Leia mais

EDITAL DE HASTA PÚBLICA

EDITAL DE HASTA PÚBLICA EDITAL DE HASTA PÚBLICA 2ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE MAUÁ/SP. JUIZ TITULAR: DR. THIAGO ELIAS MASSAD GESTOR: VEGAS LEILÕES (www.vegasleiloes.com.br) LEILOEIRO: HUGO ALEXANDRE PEDRO ALEM, JUCESP Nº935. LEGISLAÇÃO:

Leia mais

ANEXO À PORTARIA PGR Nº 556/2014 SUMÁRIO

ANEXO À PORTARIA PGR Nº 556/2014 SUMÁRIO ANEXO À PORTARIA PGR Nº 556/2014 SUMÁRIO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS TÍTULO II DA ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO CAPÍTULO I Da Estrutura CAPÍTULO II Da Chefia de Gabinete Seção I Da Assessoria de Cerimonial

Leia mais

Sumário. Lista de abreviaturas 25. Apresentação 31. Introdução 35. 1. Origens e precedentes históricos do instituto. A legislação comparada 41

Sumário. Lista de abreviaturas 25. Apresentação 31. Introdução 35. 1. Origens e precedentes históricos do instituto. A legislação comparada 41 Sumário Lista de abreviaturas 25 Apresentação 31 Introdução 35 1. Origens e precedentes históricos do instituto. A legislação comparada 41 1.1. Do surgimento do Instituto 41 1.2. O Instituto na legislação

Leia mais