Federação Nacional dos Portuários. Boletim Econômico. (Agosto 2015)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Federação Nacional dos Portuários. Boletim Econômico. (Agosto 2015)"

Transcrição

1 Boletim Econômico (Agosto 2015) I. Movimentação Portuária As estatísticas de movimentação portuária, publicada pela ANTAQ, referente ao primeiro trimestre de 2015 mostram que os portos organizados e os terminais privados movimentaram 224,8 milhões de toneladas, o que significou um crescimento de 2,5% em relação ao primeiro trimestre de Isso representou um acréscimo de 5,5 milhões de toneladas movimentadas. Contudo, ao comparar o último trimestre de 2014 com o primeiro de 2015, nota-se uma redução de 26,9 milhões de toneladas movimentadas, o volume total de 251,7 milhões passou para 224,8 milhões no primeiro semestre de 2015, conforme apresentado no Gráfico 1. Os portos organizados apresentaram uma queda de 3,2% no primeiro trimestre de 2015 quando comparado com o primeiro trimestre de 2014, enquanto os terminais privados apresentaram um aumento de 5,8% no mesmo período. Gráfico 1 - Total geral de cargas-movimentação trimestral (milhões de toneladas). Fonte: SIG/ANTAG. Consulta realizada em 15/05/2015.

2 Do total das cargas movimentadas no primeiro trimestre de 2015, os terminais privados são responsáveis por 65,1%, enquanto os portos organizados respondem por 34,9%. O Gráfico 2 mostra que no 1º trimestre de 2015 as mercadorias com maior movimentação foram: minério de ferro (3,8 milhões de toneladas), combustível (1,4 milhões de toneladas), farelo de soja (1,0 milhão de toneladas) e contêineres (959 mil toneladas). Gráfico 2 - Distribuição das mercadorias movimentadas 1º trimestre/2015. Fonte: SIG/ANTAG. Consulta realizada em 15/05/2015. Em relação à natureza da carga movimentada o destaque ficou com a participação do granel sólido que representa 60% da movimentação total de cargas do país (só o minério de ferro contribui com 35,4%), conforme se observa no Gráfico 3. Gráfico 3 - Participação por natureza da carga 1º trimestre/2015. Fonte: SIG/ANTAG. Consulta realizada em 15/05/2015.

3 II. Índice de Desempenho Logístico Portuário do Banco Mundial A economia e a competitividade de um país dependem em grande parte de sua eficiência logística. De fato, não há como aumentar a competividade e a produtividade da economia brasileira sem que se conte com uma eficiente plataforma de logística. Isso é assim no mundo inteiro. (BRITO, 2010a, p. 7). O ranking de desempenho logístico, elaborado pelo Banco Mundial, em 2007 e 2010, mostra que o Brasil neste período galgou 20 posições, ou seja, saiu da 61º posição em 2007 (entre 150 países avaliados) para 41º posição em 2010 na classificação geral entre 155 países. O estudo avalia o desempenho logístico de vários países (Logistics Performance Index), e utiliza como critério alguns indicadores técnicos em conjunto com a visão das empresas que operam no setor (empresas transportadoras que despacham mercadorias e cruzam fronteiras internacionais). É importante notar que a pesquisa não está focada em nenhuma modalidade de transporte, apenas enfatiza o ambiente, a cadeia e o processo logístico. Porém, como o foco do estudo é o comércio internacional e este depende estreitamente do setor portuário, o estudo acaba sendo uma medida considerável para justificar a pretensão de atribuir ao setor portuário parte da responsabilidade na melhoria dos padrões logísticos. O ranking não é divulgado anualmente e foi realizado apenas nos anos de 2007, 2010, 2012 e Em 2012 o Brasil caiu 4 (quatro) posições e foi classificado em 45ª, no estudo seguinte, em 2014, sofreu uma nova redução e foi classificado na 65ª posição (considerando que a quantidade de países avaliados foi maior, 160 no total), ver Tabela 1 (a tabela completa está disponível no ANEXO I). A análise ainda demonstra que o primeiro lugar é disputado entre Alemanha e Cingapura. Nos anos de 2007 e 2012, Cingapura aparece em primeiro lugar com o sistema logístico portuário mais eficiente do mundo, já a Alemanha fica com este título nos anos de 2010 e Entre os dez primeiros colocados sempre estão países como, Japão, Holanda e Reino Unido. Outros países como Bélgica e Suécia também aparecem

4 Federação Nacional dos Portuários frequentemente, a Bélgica só não aparece entre os 10 primeiros em 2007 e a Suécia em Tabela 1 - Índice de Desempenho Logístico do Banco Mundial, 2007 a Avaliação 2007 (150 países) Ranking pontos Avaliação 2010 (155 países) Ranking pontos Avaliação 2012 (155 países) Ranking pontos Avaliação 2014 (160 países) Ranking pontos Cingapura Alemanha Cingapura Alemanha Holanda Cingapura Hong Kong, China Holanda Alemanha Suécia Finlândia Bélgica Suécia Holanda Alemanha Reino Unido Áustria Luxemburgo Holanda Cingapura Japão Suíça Dinamarca Suécia Suíça Japão Bélgica Noruega Hong Kong, China Reino Unido Japão Luxemburgo Reino Unido Bélgica Estados Unidos Estados Unidos Canadá Noruega Reino Unido Japão Irlanda Irlanda Áustria Irlanda Bélgica Finlândia França Canadá Dinamarca Hong Kong, China Suécia França Estados Unidos Canadá Canadá Suíça Finlândia Estados Unidos Luxemburgo 15 Hong Kong, 3.82 China Noruega Dinamarca Suíça Austrália Austrália França 17 Emirados Árabes 3.84 Unidos Dinamarca França Austrália Austrália Espanha nova Zelândia Áustria Taiwan Taiwan Emirados Árabes Unidos Taiwan Espanha Itália Brasil Brasil Brasil Brasil Fonte: Logistics Performance Index The World Bank, 2007 a Elaboração: Subseção DIEESE na FNP A avaliação do índice de desempenho logístico () leva em consideração uma média entre seis indicadores, conforme abaixo (cujas notas variam entre 01 e 05, ou seja, do mínimo ao máximo): 1. Eficiência no processo de liberação de cargas (Customs): velocidade e simplicidade nas alfândegas e em outras agências de controle de fronteiras, incluindo aduaneiras;

5 2. Infraestrutura (Infrastructure): qualidade do transporte (portos, ferrovias, estradas, tecnologia da informação); 3. Embarques internacionais a preços competitivos (International shipments); 4. Competência Logística (Logistics competence): qualidade da indústria local de logística, dos operadores portuários, despachantes aduaneiros etc; 5. Rastreamento e acompanhamento de carga (Tracking & tracing); 6. Tempestividade, rapidez e Pontualidade dos embarques para alcançar o destino dentro do prazo de entrega previsto ou esperado (Timeliness). No caso brasileiro, quando se analisam os 6 (seis) itens que compõem o, observa-se que a principal deficiência não está na falha de infraestrutura ou na competência logística, mas, principalmente, na baixa eficiência no processo de liberação de cargas (Customs); baixa velocidade e simplicidade nas alfândegas e em outras agências de controle de fronteiras, incluindo aduaneiras (burocracia aduaneira), neste item o Brasil ficou, em 2014, na 92ª posição, conforme mostra a Tabela 2 e o Gráfico 4 1. Outro item de grande impacto esta relacionado ao alto custo com preços pouco competitivos nos embarques internacionais (International shipments), ver Tabela 2. 1 No Brasil existem mais de 20 órgãos, federais, estaduais, e às vezes, municipais com interveniência nos portos na hora de liberar a carga, pelo menos 6 (seis) sempre estão presentes em cada desembaraço: A autoridade Portuária, a Marinha, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Receita Federal, a Polícia Federal e o Ministério da Agricultura. Dependendo da carga a liberação pode demorar de 1 a 5. No entanto, é importante mencionar que avanços ocorreram, em 2011 foi implantado o Projeto Porto sem Papel que modificou sensivelmente a documentação necessária para agilizar e analisar a liberação das mercadorias.

6 Brasil Alemanha Cingapura Holanda Reino Unido Bélgica Japão Suécia Hong Kong China Federação Nacional dos Portuários Tabela 2 - Índice de Desempenho Logístico por item de avaliação 2007 a Brasil. Itens de Avaliação Número de Avaliados Ranking (Score-pontos) Alfândega Infraestrutura Embarques Internacionais Competência Logística Rastreamento e Localização Tempestividade Fonte: Logistics Performance Index The World Bank, 2007 a Elaboração: Subseção DIEESE na FNP Gráfico 4 Ranking de Eficiência no processo de liberação de cargas (Customs) ª Posição 4,5 4,1 4,01 3,96 3,94 4 3,8 3,78 3,75 3,72 3,5 3, ,48 2, ,5 1 0, Fonte: Logistics Performance Index The World Bank, 2007 a Nota: notas variam entre 01 (mínimo) e 05 (máximo). Elaboração: Subseção DIEESE na FNP Os itens acima destacados são aqueles em que a classificação parcial do Brasil é pior do que a classificação geral. Ao comparar os resultados de 2007 e 2010, nota-se que os indicadores do Brasil melhoraram, exceto, para os itens que avaliam justamente as condições burocráticas de liberação de cargas e os preços competitivos nos

7 embarques internacionais. A mesma comparação feita entre 2012 e 2014 deixa claro o retrocesso ocorrido, principalmente, em relação aos dois itens já destacados. A análise sobre a avaliação do Banco Mundial é inquietante uma vez que a 7ª maior economia do mundo está na 65ª na posição do ranking de desempenho logístico de Um dos fatores que explica o lento avanço brasileiro pode estar relacionado ao ineficiente investimento na infraestrutura logística no contexto histórico de desenvolvimento econômico. O segundo pode ser explicado pelos programas de aceleração do crescimento lançados pelo governo federal PAC I ( ) e PAC II ( ), que não se mostraram suficiente para modificar a infraestrutura logística no país. A posição do Brasil no ranking do Banco Mundial pode ser um indicativo da ineficiente estratégia de investimento para a área de logística portuária, mesmo sabendo que a pesquisa não esta focada em nenhuma modalidade de transporte específica. Isso porque estimativas apontam que do valor total gerado pela corrente do comércio exterior, aproximadamente 80%, passam pelo conjunto de portos brasileiros, se considerar a movimentação em toneladas, a participação aumenta, atingindo 95%. Para o porto funcionar de maneira eficiente deve existir um conjunto de acessibilidade na sua infraestrutura que não está associada apenas à acessibilidade hidroviária (realizada pela dragagem nos portos), mas também pela acessibilidade terrestre por meio de ferrovias e rodovias. Além disso, os portos precisam de energia elétrica, sistema de telecomunicação e informação eficiente, com sistema de fiscalização e liberação de carga rápida e eficaz. Para isso os portos necessitam de investimento público, não apenas em infraestrutura, mas também na melhoria institucional, fiscalizatória e na área de tecnologia da informação. No mundo inteiro os portos são públicos 2 esta estrutura é baseada no modelo landlord port model no qual cabe ao governo os investimentos na infraestrutura dos acessos terrestres e aquaviários ficando 2 Existem duas exceções: Inglaterra e Nova Zelândia, ver Brito 2010a, p. 9.

8 para a iniciativa privada a operação portuária (carga, descarga, armazenamento e todas as operações relacionadas à movimentação de mercadorias ou de passageiros). O Brasil precisa realizar um planejamento de longo prazo para o setor portuário que envolva investimentos públicos e privados, e que também integre a classe trabalhadora na estratégia de modernização, nenhum processo obterá resultados positivos sem que a totalidade dos atores estejam envolvidos. De que serve ter o mapa se o fim está traçado? De que serve a terra à vista se o barco está parado?[] de costas voltadas não se vê o futuro. Nem o rumo da bala nem a falha no muro. E alguém me gritava com voz de profeta: que o caminho se faz entre o alvo e a seta! (Maria Bethânia Quem me leva os meus fantasmas).

9 Nº Nº Ranking Federação Nacional dos Portuários índice Ranking ANEXO I Avaliação 2007 Avaliação 2010 Avaliação 2012 Avaliação 2014 índice Ranking índice Ranking 1 Cingapura Alemanha Cingapura Alemanha Holanda Cingapura Hong Kong, China Holanda Alemanha Suécia Finlândia Bélgica Suécia Holanda Alemanha Reino Unido Áustria Luxemburgo Holanda Cingapura Japão Suíça Dinamarca Suécia Suíça Japão Bélgica Noruega Hong Kong, China Reino Unido Japão Luxemburgo Reino Unido Bélgica Estados Unidos Estados Unidos Canadá Noruega Reino Unido Japão Irlanda Irlanda Áustria Irlanda Bélgica Finlândia França Canadá Dinamarca Hong Kong, China Suécia França Estados Unidos Canadá Canadá Suíça Finlândia Estados Unidos Luxemburgo Hong Kong, China Noruega Dinamarca Suíça Austrália Austrália França Emirados Árabes Unidos Dinamarca França Austrália Austrália Espanha Nova Zelândia Áustria Taiwan Taiwan Emirados Árabes 20 Unidos Taiwan Espanha Itália Taiwan Nova Zelândia Coréia, Rep Coréia, Rep Itália Itália Noruega Áustria Luxemburgo Coréia, Rep África Do Sul Nova Zelândia África Do Sul Emirados Árabes Unidos Itália Finlândia Coréia, Rep Espanha Irlanda Malásia Espanha República Tcheca China Portugal Malásia China Peru Emirados Árabes Unidos Portugal África Do Sul Portugal China Grécia Malásia Malásia Catar China Polônia Polônia Peru Tailândia Israel Nova Zelândia Polônia Chile Bahrain Islândia República Tcheca Israel Líbano Catar Hungria Peru Portugal Eslovenia África Do Sul Hungria Tailândia Chipre Tailândia Bahrain Kuweit Bulgária Letônia Eslovenia Letônia Arábia Saudita Islândia República Tcheca República Eslovaca Tailândia Eslovenia Índia Peru Chile Estônia Polônia Arábia Saudita Hungria Romênia Arábia Saudita Brasil Tunísia Israel Letônia Islândia Croácia Chile Indonésia Estônia Malta República Eslovaca Kuweit Filipinas República Tcheca Grécia Argentina Lituânia Brasil Panamá Catar Chipre Índia Lituânia Estônia Índia México Bulgária Omã Argentina Bahrain Vietnã índice

10 Nº Nº Ranking Federação Nacional dos Portuários ANEXO I Continuação I Avaliação 2007 Avaliação 2010 Avaliação 2012 Avaliação 2014 índice Ranking índice Ranking índice Ranking 49 Chipre Chile Argentina Arábia Saudita República Eslovaca México Marrocos México Romênia Panamá República Eslovaca Malta Jordânia Hungria Filipinas Bahrain Vietnã Vietnã Vietnã Indonésia Panamá Grécia Romênia Índia Bulgária Catar Bósnia e Herzegovina Croácia México Costa Rica Uruguai Kuweit Egito, República 57 São Tomé e Príncipe Eslovenia Filipinas Árabe. 58 Lituânia Senegal Lituânia Chipre Peru Romênia Indonésia Omã Tunísia Omã Peru Argentina Brasil Tunísia Panamá Ucrânia Guiné Cazaquistão Omã Egito, República Árabe Croácia Bulgária Iêmen, Rep Sérvia Sudão Malta Colômbia El Salvador Filipinas República Dominicana Estônia Brasil El Salvador Uganda Ucrânia Bahamas, The Mauritânia Peru Benin Montenegro Paquistão Uzbequistão Botswana Jordânia Venezuela, RB Benin Grécia República Dominicana Equador Honduras Kuweit Jamaica Paraguai Equador Paquistão Peru Costa Rica Colômbia Mauritius Paquistão Ucrânia Macedónia, ARJ Malavi Malavi Belarus Croácia Guatemala Quênia Guatemala Indonésia Sérvia Nigéria Quênia Paraguai Letônia Venezuela, RB Gambia, The Uruguai Georgia Guatemala Irã, Rep Islâmica Bahamas, The Albânia Paraguai Uruguai Bangladesh Equador Cote d'ivoire Honduras República Árabe Da Síria Bahamas, The Ruanda Camboja Jordânia Sri Lanka Bósnia e Herzegovina Colômbia Mauritius Costa Rica Maldivas Uganda Sérvia Cote d'ivoire Camboja Camarões Venezuela, RB Madagáscar São Tomé e Príncipe Comores Congo, Dem. Rep República Dominicana Líbano Angola El Salvador Cazaquistão Equador Bangladesh Bósnia e Herzegovina Níger Costa Rica Bósnia e Herzegovina Madagáscar Tanzânia Cazaquistão Benin Azerbaijão Namíbia Sri Lanka Macedónia, ARJ Guatemala Bolívia Federação Russa Malavi República do Quirguizistão Belarus Uruguai Sri Lanka Egito, República Árabe República Árabe Da Síria Nigéria Georgia El Salvador Namíbia Marrocos Federação Russa Guiné-Bissau Moldova Papua Nova Guiné Tanzânia Federação Russa Nicarágua República Dominicana Togo Líbano Argélia Egito, República 97 Árabe Guiné Togo Colômbia Líbano Haiti C.A.R Burkina Faso Federação Russa Quênia Macedónia, ARJ Belarus Zâmbia Nigéria Armênia Gana Armênia índice

11 Nº Nº Ranking Federação Nacional dos Portuários ANEXO I Continuação II Avaliação 2007 Avaliação 2010 Avaliação 2012 Avaliação 2014 índice Ranking índice Ranking índice Ranking 101 Senegal Iêmen, Rep Camboja Senegal Cote d'ivoire Ucrânia Jordânia Libéria República do 103 Quirguizistão Irã, Rep Islâmica Zimbábue Honduras Etiópia Moldova Maldivas Etiópia Libéria Camarões Honduras Nepal Moldova Níger Camarões Ilhas Salomão Bolívia Nicarágua Butão Burundi Lesoto Jamaica Gana Bangladesh Mali Cote d'ivoire Laos Benin Moçambique Paquistão Senegal Tunísia Azerbaijão Armênia Venezuela, RB Fiji Iêmen, Rep Bolívia Irã, Rep Islâmica Angola Burundi Gambia, The Paraguai Chade Zimbábue Turquemenistão São Tomé e Príncipe Tajiquistão Sérvia Chade Guiné Mauritius Guiné-Bissau Congo, Rep Azerbaijão Georgia Laos Gana Uzbequistão Macedónia, ARJ Jamaica Laos Gambia, The Líbia Togo Albânia Libéria Mali Madagáscar Comores Montenegro Botswana Burkina Faso Montenegro Nigéria Bolívia Nicarágua Gabão Quênia Guiné Haiti Etiópia Fiji Zâmbia Eritreia Papua Nova Guiné Jamaica Guiana Gana Maldivas Argélia Azerbaijão Namíbia Djibouti Ilhas Salomão Papua Nova Guiné Somália Libéria Mauritânia Guiné-Bissau Uzbequistão Butão Papua Nova Guiné Comores Butão Camboja Myanmar Uzbequistão Nepal Argélia República do Quirguizistão Níger Armênia Tajiquistão Gabão Laos Mauritius Líbia Moldova Madagáscar Cazaquistão Myanmar Guiana Lesoto Gabão Botswana Burkina Faso C.A.R República Árabe Da 135 Síria Ilhas Salomão Afeganistão Mongólia Mongólia Moçambique Tajiquistão Guiné Equatorial Tanzânia Sri Lanka Líbia Zimbábue Ilhas Salomão Zâmbia Angola Tanzânia Albânia Mali Ruanda Togo Argélia Guiana Mongólia Turquemenistão Guiana Mongólia Etiópia Iraque Chade Angola Lesoto Camarões Níger Afeganistão Congo, Dem. Rep Butão Serra Leoa Fiji Cuba Haiti Djibouti Burkina Faso Iraque Myanmar Tajiquistão Sudão Comores Gambia, The Myanmar Nepal Eritreia Moçambique Ruanda Iraque Sudão Mauritânia Timor-Leste Guiné-Bissau Congo, Rep República do Quirguizistão Afeganistão Cuba Serra Leoa Gabão Ruanda Nepal Iêmen, Rep Namíbia Chade Cuba Serra Leoa Haiti Sudão Eritreia Djibouti Djibouti Somália Burundi República Árabe Da Síria Eritreia Congo, Rep Afeganistão Congo, Dem. Rep Somália índice

12 BIBLIOGRAFIA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS - ANTAQ. Sistema de Informações Gerenciais (SIG). Disponível em: < Acesso em: 03 agosto de BANCO MUNDIAL. Logistics Performance Index 2007 a Disponível em: <http://lpi.worldbank.org/international/global>. Acesso em: 20 jul BRITO, Pedro. Muito a Navegar: Uma Análise Logística dos Portos Brasileiros. Rio de Janeiro: TopBooks, Ciclo de Palestra: Portos - SAE. Brasília, 2010a.

PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM

PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM 1 PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM 2 17. TABELA DE VISTOS Apresentamos a seguir uma tabela

Leia mais

INSTRUTIVO N.º 01/2015 de 14 de Janeiro

INSTRUTIVO N.º 01/2015 de 14 de Janeiro INSTRUTIVO N.º 01/2015 de 14 de Janeiro ASSUNTO: CLASSIFICAÇÃO DE PAÍSES, BANCOS MULTILATERAIS DE DESENVOLVIMENTO E ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS Havendo necessidade de se estabelecerem critérios de classificação

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 24/11/2015) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 24/11/2015) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Como não organizar todos os países do mundo?

Como não organizar todos os países do mundo? Como não organizar todos os países do mundo? A FIFA tem federações de 186 países independentes, de 19 regiões não independentes e das 4 regiões do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte (abreviado

Leia mais

ANEXO 17 TABELA DENACIONALIDADES EPAÍSES (CARTÃO SUS)

ANEXO 17 TABELA DENACIONALIDADES EPAÍSES (CARTÃO SUS) ANEXO 17 TABELA DENACIONALIDADES EPAÍSES (CARTÃO SUS) NACIONALIDADES Cód. Afeganistão 101 África do Sul 102 Albânia 103 Alemanha 104 Ando ra 105 Angola 106 Angui la 107 Antigua e Barbuda 108 Antilhas Holandesas

Leia mais

A) Lista dos países terceiros cujos nacionais devem possuir um visto para transporem as fronteiras externas. 1. Estados:

A) Lista dos países terceiros cujos nacionais devem possuir um visto para transporem as fronteiras externas. 1. Estados: Lista dos países terceiros cujos nacionais estão sujeitos à obrigação de visto para transporem as fronteiras externas e lista dos países terceiros cujos nacionais estão isentos dessa obrigação A) Lista

Leia mais

A lista que se segue mostra o sistema de definição de televisão standard utilizado na maioria dos Países do Mundo. American Forces Radio.

A lista que se segue mostra o sistema de definição de televisão standard utilizado na maioria dos Países do Mundo. American Forces Radio. SISTEMAS DE TV MUNDIAIS Países diferentes usam sistemas de TV diferentes. A diferença entre estes sistemas reside em parte na forma como a informação do sinal de cor é modulada com a informação de luminosidade

Leia mais

Necessidade de visto para. Não

Necessidade de visto para. Não País Necessidade de visto para Turismo Negócios Afeganistão África do Sul Albânia, Alemanha Andorra Angola Antígua e Barbuda Arábia Saudita Argélia. Argentina Ingresso permitido com Cédula de Identidade

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO JULHO DE 2013 (DADOS ATÉ JUNHO DE 2013)

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO JULHO DE 2013 (DADOS ATÉ JUNHO DE 2013) Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO JULHO DE 2013 (DADOS ATÉ JUNHO DE

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil País Afeganistão África do Sul Albânia Alemanha Andorra Angola Antígua e Barbuda Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Austrália

Leia mais

Central de Atos TJMG. Manual Técnico de Informática Versão 1.1

Central de Atos TJMG. Manual Técnico de Informática Versão 1.1 Central de Atos TJMG Manual Técnico de Informática Versão 1.1 Sumário 1 Introdução... 3 2 O modelo de arquivo... 3 3 Tabelas... 5 3.1 PAPEIS DA PARTE... 5 3.2 TIPO DE ATO... 5 3.3 PAÍSES... 6 1 Introdução

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA (UNILAB)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA (UNILAB) RESOLUÇÃO N 13/2013, DE 06 DE AGOSTO DE 2013. Dispõe sobre a criação do Programa de Apoio à participação de discentes de graduação e pós-graduação em Eventos Cientificos, Tecnológicos, Esportivos, Culturais

Leia mais

Inscrição de. Peregrinos. Jornada Mundial da Juventude

Inscrição de. Peregrinos. Jornada Mundial da Juventude Inscrição de Peregrinos Jornada Mundial da Juventude Bem-vindos à JMJ Rio2013 Em breve serão abertas as inscrições para a JMJ Rio2013. Organize seu grupo! A pouco menos de um ano para o início da JMJ Rio2013

Leia mais

DIRETRIZES PARA PAGAMENTO (POR PAÍS)

DIRETRIZES PARA PAGAMENTO (POR PAÍS) PT (115) DIRETRIZES PARA PAGAMENTO (POR PAÍS) Este documento tem o propósito de informar rotarianos sobre opções de pagamento e dados necessários para recebimento de fundos do Rotary. Consulte a lista

Leia mais

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil PAÍS Visto de Turismo Visto de Negócios Observação Afeganistão Visto exigido Visto exigido África do Sul Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Albânia Dispensa de visto,

Leia mais

Índice de desenvolvimento humano

Índice de desenvolvimento humano 1Monitorizar o desenvolvimento humano: aumentar as escolhas das pessoas... Índice de desenvolvimento humano a DESENVOLVIMENTO HUMANO ELEVADO Valor do índice de desenvolvimento humano (IDH) Esperança de

Leia mais

COOPERAÇÃO SUL-SUL BRASILEIRA

COOPERAÇÃO SUL-SUL BRASILEIRA COOPERAÇÃO SUL-SUL BRASILEIRA Representação organizacional da ABC O Mandato da ABC Negociar, aprovar, coordenar e avaliar a cooperação técnica internacional no Brasil Coordenar e financiar ações de cooperação

Leia mais

Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 )

Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 ) Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 ) Legend # Entrance allowed by presenting Civil Identity Card * - Maximum stay of 90 days every 180 days For more informations: Phone: +55 11 2090-0970

Leia mais

2015 Global Feed Survey

2015 Global Feed Survey 2015 Global Feed Survey 2015 RESULTADOS DA PESQUISA RESUMO EXECUTIVO 2015 é o quarto ano consecutivo que a Alltech realiza a pesquisa global sobre rações. Este empreendimento exige uma quantidade significativa

Leia mais

L A E R T E J. S I L V A

L A E R T E J. S I L V A MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Programa de Incentivo para Bancos em Países Emergentes Perguntas & Respostas Janeiro de 2016

Programa de Incentivo para Bancos em Países Emergentes Perguntas & Respostas Janeiro de 2016 Programa de Incentivo para Bancos em Países Emergentes Perguntas & Respostas Janeiro de 2016 1. O que é o Programa de Incentivo para bancos em Países Emergentes? O Programa de Incentivo para Bancos em

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/02/2013) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/02/2013) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Fundo Monetário Internacional

Fundo Monetário Internacional Fundo Monetário Internacional É uma organização internacional que pretende assegurar o bom funcionamento do sistema financeiro mundial pelo monitoramento das taxas de câmbio e da balança de pagamentos,

Leia mais

DIRETORIA DE PROGRAMAS COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS CGPE EDITAL CAPES/MEC E SECEX/MDIC Nº 19/2009 PRÓ-COMEX

DIRETORIA DE PROGRAMAS COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS CGPE EDITAL CAPES/MEC E SECEX/MDIC Nº 19/2009 PRÓ-COMEX Instruções para Apresentação de Projetos do Programa de Apoio ao Ensino e à Pesquisa em Desenvolvimento e Promoção do Comércio Exterior PRÓ-COMEX C A P E S DIRETORIA DE PROGRAMAS COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS

Leia mais

DDI VIA EMBRATEL Relação de países e seus respectivos códigos de acesso

DDI VIA EMBRATEL Relação de países e seus respectivos códigos de acesso PAIS CODIGO ACESSO DDI AFEGANISTAO 93 N AFRICA DO SUL 27 S ALASCA 1 S ALBANIA 355 S ALEMANHA 49 S ANDORRA 376 S ANGOLA 244 S ANGUILLA 1 S ANT.HOLANDESAS 599 S ANTIGUA 1 S ARABIA SAUDITA 966 S ARGELIA 213

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 14/05/2014) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 14/05/2014) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Tarifário 2016 Em vigor a partir de 1/1/2016

Tarifário 2016 Em vigor a partir de 1/1/2016 Uzo Original Destino Preço por Minuto/SMS/MMS Voz Todas as redes nacionais 0,193 Voz (tarifa reduzida) Todas as redes nacionais 0,145 SMS Todas as redes nacionais 0,098 SMS (tarifa reduzida) Todas as redes

Leia mais

Aos PAIS LEVANDO os FILHOS para o EXTERIOR, TRAZENDO os FILHOS para o JAPÃO

Aos PAIS LEVANDO os FILHOS para o EXTERIOR, TRAZENDO os FILHOS para o JAPÃO Aos PAIS LEVANDO os FILHOS para o EXTERIOR, TRAZENDO os FILHOS para o JAPÃO Problemas relacionados ao sequestro de crianças (Sistema jurídico de cada país e a Convenção de Haia) Ministério dos Negócios

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

IX-5 Lista de Consulado Geral e Embaixadas em Kansai

IX-5 Lista de Consulado Geral e Embaixadas em Kansai IX-5 Lista de Consulado Geral e s em Kansai 1. Consulado Geral, e consulado em Kansai Consulado Geral Endereço Telefone Australia Ed. Twin 21 MID Tower 16º andar, 06-6941-9271 Consulado Geral da Austrália

Leia mais

RESENHA DO RESULTADO DO MERCADO DE SEGUROS. Janeiro a Dezembro de AnoX

RESENHA DO RESULTADO DO MERCADO DE SEGUROS. Janeiro a Dezembro de AnoX RESENHA DO RESULTADO DO MERCADO DE SEGUROS Janeiro a Dezembro de AnoX Faturamento e Rentabilidade dos Segmentos de Seguros, Previdência Privada e Capitalização. Dados Realizados em AnoX Base das informações:

Leia mais

ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS

ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS 1º. Semestre 2013 O Google Analytics é um serviço gratuito oferecido pelo Google que permite analisar as estatísticas de visitação de um site. Este é o primeiro

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 2.8.2005 COM(2005)358 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO sobre a aplicação do Anexo X do Estatuto (Regulamento n 3019/1987 do Conselho, de 5 de Outubro

Leia mais

MULHERES, EMPRESAS E O DIREITO 2016

MULHERES, EMPRESAS E O DIREITO 2016 MULHERES, EMPRESAS E O DIREITO 2016 AVANÇAR RUMO À IGUALDADE PRINCIPAIS RESULTADOS 2015 Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento/Banco Mundial 1818 H Street NW, Washington, DC 20433 Telefone:

Leia mais

Tabelas estatísticas

Tabelas estatísticas Tabelas estatísticas Estatísticas sociais e econômicas de países e territórios do mundo, com referência particular ao bem-estar da criança. Panorama..........................................82 Nota geral

Leia mais

Tarifa 2013. www.mrw.pt 707 236 333

Tarifa 2013. www.mrw.pt 707 236 333 Tarifa 2013 www.mrw.pt 707 236 333 Fazemo-lo por si ÍNDICE Qualquer alteração da informação detalhada neste documento posterior à sua publicação aparecerá atualizada em www.mrw.pt Informação válida, salvo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/ PPGD/2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/ PPGD/2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/ PPGD/2012 Disciplina a concessão de Recursos do PROEX/CAPES para a participação

Leia mais

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação Membros da MIGA Agência Multilateral de Garantia de Investimentos Membro Data de afiliação África do Sul 10 de março de 1994 Albânia 15 de outubro de 1991 Alemanha 12 de abril de 1988 Angola 19 de setembro

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO 2012 (JANEIRO)

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO 2012 (JANEIRO) Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO 2012 (JANEIRO) MRE-DPR JANEIRO/2012

Leia mais

Introdução... 14. 1. Brasões de Armas da África... 16 1.1. África do Sul... 16

Introdução... 14. 1. Brasões de Armas da África... 16 1.1. África do Sul... 16 Sumário Introdução... 14 1. Brasões de Armas da África... 16 1.1. África do Sul... 16 1.1.1. Brasões de Armas da África do Sul... 18 1.1.2. Brasão de armas e Botswana... 23 1.1.3. Brasão de armas do Lesoto...

Leia mais

O COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO COM PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO

O COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO COM PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial O COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO COM PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO Fevereiro/2004 Introdução...4 1. As Exportações Para Países em Desenvolvimento no Período

Leia mais

PROPOSIÇÃO DE SUBSTITUIÇÃO DO MEIO DE PAGAMENTO BÁSICO UTILIZADO NOS TELEFONES DE USO PÚBLICO (TUP) DO STFC

PROPOSIÇÃO DE SUBSTITUIÇÃO DO MEIO DE PAGAMENTO BÁSICO UTILIZADO NOS TELEFONES DE USO PÚBLICO (TUP) DO STFC PROPOSIÇÃO DE SUBSTITUIÇÃO DO MEIO DE PAGAMENTO BÁSICO UTILIZADO NOS TELEFONES DE USO PÚBLICO (TUP) DO STFC A. Empresa: TELEFÔNICA BRASIL S.A. B. Descrição: O Regulamento do Telefone de Uso Público do

Leia mais

Campus Prof. José Rodrigues Seabra - Av. BPS, 1303 - Bairro Pinheirinho - CEP 37500-903 - Itajubá -MG - Brasil Fone (35) 3629 1771

Campus Prof. José Rodrigues Seabra - Av. BPS, 1303 - Bairro Pinheirinho - CEP 37500-903 - Itajubá -MG - Brasil Fone (35) 3629 1771 RESOLUÇÃO Nº 001/2015 Dispõe sobre os critérios e valores de concessão e pagamento de auxílio financeiro a alunos para participação em eventos, cursos e trabalhos de campo. O Pró-Reitor de Extensão, da

Leia mais

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S.

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Nos últimos anos, tem crescido a expectativa em torno de uma possível

Leia mais

MULHERES (2020) CSNU (2015) NATO (2014) ONU INTERPOL (2015) FIFA (2015) G7 (2014) C-34 (2010) APMBC (2024)

MULHERES (2020) CSNU (2015) NATO (2014) ONU INTERPOL (2015) FIFA (2015) G7 (2014) C-34 (2010) APMBC (2024) CSNU FIFA OMC Afeganistão República Islâmica do Afeganistão 1 1 1 1 1 1 1 7 África do Sul República da África do Sul 1 1 1 1 1 1 1 1 8 Albânia República da Albânia 1 1 1 3 Republic of Albania 1 1 República

Leia mais

econômicos regionais e a economia brasileira

econômicos regionais e a economia brasileira 20 Blocos econômicos regionais e a economia brasileira Meta da aula Apresentar os principais blocos econômicos regionais e a relação com a economia brasileira. Objetivos Esperamos que, após o estudo do

Leia mais

ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO

ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO Documento atualizado em 20/12/2013. O Programa de Fomento à Pesquisa 2014 oferece aos estudantes regularmente matriculados nos cursos de pós-graduação da UFRGS (mestrado acadêmico,

Leia mais

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC Categorias / Products:, INDUSTRIALIZADA / PROCESSED,,, 1 de 16 2000 1999 %(2000x1999) Janeiro / January US$ (000) US$/Ton 25.537 9.793 2.608 15.392 4.375 3.518 66% 124% -26% INDUSTRIALIZADA / PROCESSED

Leia mais

Termos de acordos/blocos DEFINIÇÃO TERMO. Acordo Geral de Comércio de Serviços (GATS)

Termos de acordos/blocos DEFINIÇÃO TERMO. Acordo Geral de Comércio de Serviços (GATS) Termos de acordos/blocos TERMO Acordo Geral de Comércio de Serviços (GATS) Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio (GATT) Acordo Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA) Área de Livre Comércio das Américas

Leia mais

Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA

Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA June 2002 Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA No início de 2002, a International Planning and Research Corporation (IPR)

Leia mais

Compaq Computer Corporation

Compaq Computer Corporation Compaq Computer Corporation 1. Principais Características Matriz: Compaq Computer Corporation Localização: Houston, Texas, Estados Unidos Ano de fundação: 1982 Internet: www.compaq.com Faturamento (2000):

Leia mais

Estatuto. Este Estatuto foi aprovado no Congresso Mundial realizado em Lille, na França, nos dias 09 e 10 dezembro de 2009.

Estatuto. Este Estatuto foi aprovado no Congresso Mundial realizado em Lille, na França, nos dias 09 e 10 dezembro de 2009. Estatuto Este Estatuto foi aprovado no Congresso Mundial realizado em Lille, na França, nos dias 09 e 10 dezembro de 2009. Preâmbulo Artigo 1 º - Denominação, forma jurídica e sede Artigo 2 º - Objetivos

Leia mais

Exportação Brasileira de Tangerinas por País de Destino 2010

Exportação Brasileira de Tangerinas por País de Destino 2010 Exportação Brasileira de Laranjas por País de Destino 2010 ESPANHA 5.293.450 12.795.098 PAISES BAIXOS (HOLANDA) 4.669.412 10.464.800 REINO UNIDO 2.015.486 5.479.520 PORTUGAL 1.723.603 3.763.800 ARABIA

Leia mais

UNWTO. World Tourism Barometer January August 2015. Análise e resultados estatísticos Turismo Mundial

UNWTO. World Tourism Barometer January August 2015. Análise e resultados estatísticos Turismo Mundial UNWTO World Tourism Barometer January August 2015 Análise e resultados estatísticos Turismo Mundial ÍNDICE Chegada de Turistas Internacionais ao Mundo e às Macro-regiões TOP 50 Chegadas de Turistas por

Leia mais

OEm Observatório da Emigração. Emigração Portuguesa. Relatório Estatístico 2014

OEm Observatório da Emigração. Emigração Portuguesa. Relatório Estatístico 2014 OEm Observatório da Emigração Emigração Portuguesa Relatório Estatístico 2014 Entidade proponente e financiadora Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas (GSECP) Direção Geral dos Assuntos

Leia mais

www.pwc.com/payingtaxes Paying Taxes 2014 Portugal e a CPLP Jaime Esteves 3 de dezembro de 2013, Lisboa

www.pwc.com/payingtaxes Paying Taxes 2014 Portugal e a CPLP Jaime Esteves 3 de dezembro de 2013, Lisboa www.pwc.com/payingtaxes Paying Taxes 2014 Portugal e a CPLP Jaime Esteves 3 de dezembro de 2013, Lisboa Agenda 1. A metodologia do Paying Taxes 2. Resultados de Portugal 3. Resultados da CPLP 4. Reforma

Leia mais

Campus Prof. José Rodrigues Seabra - Av. BPS, 1303 - Bairro Pinheirinho - CEP 37500-903 - Itajubá -MG - Brasil Fone (35) 3629 1771

Campus Prof. José Rodrigues Seabra - Av. BPS, 1303 - Bairro Pinheirinho - CEP 37500-903 - Itajubá -MG - Brasil Fone (35) 3629 1771 EDITAL N 01/2015/Unifei/Proex, de 14 de janeiro de 2015. CHAMADA PÚBLICA PARA CONCESSÃO DE AUXÍLIO-EXTENSÃO PARA PARTICIPAÇÃO EM ATIVIDADES QUE ENVOLVEM COMPETIÇÕES TECNOLÓGICAS, EVENTOS ESPORTIVOS E CULTURAIS.

Leia mais

Prefixos dos destinos internacionais incluídos nos pacotes MEO

Prefixos dos destinos internacionais incluídos nos pacotes MEO País Tipo Destino ALASCA e Móvel ALEMANHA ANDORRA AUSTRÁLIA ÁUSTRIA BÉLGICA CANADA e Móvel CHILE CHINA e Móvel COREIA DO SUL CROÁCIA DINAMARCA ESLOVÉNIA ESPANHA EUA e Móvel FEDERAÇÃO RUSSA FINLÂNDIA FRANÇA

Leia mais

Quantidade estimada total de brasileiros. Continente País Total Nome do Posto

Quantidade estimada total de brasileiros. Continente País Total Nome do Posto Continente País Total Nome do Posto Quantidade estimada total de brasileiros África do Sul 1.900 Consulado-Geral do Brasil em Cidade do Cabo 400 Embaixada do Brasil em Pretória 1.500 Angola 30.000 Embaixada

Leia mais

PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA

PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA 1. Canadá 2. Comunidade da Austrália 3. Estado da Líbia 4. Estados Unidos da América 5. Federação Russa 6. Japão 7. Reino da Arábia Saudita 8. Reino

Leia mais

Voltagens e Configurações de Tomadas

Voltagens e Configurações de Tomadas Afeganistão C, D, F 240 V África Central C, E 220 V África do Sul C, M, 230 V Albânia C, F, L 230 V Alemanha C, F 230 V American Samoa A, B, F, I 120 V Andorra C, F 230 V Angola C 220 V Anguilla A, B 110

Leia mais

Brasil 2015. FedEx International Priority. FedEx International Economy 3

Brasil 2015. FedEx International Priority. FedEx International Economy 3 SERVIÇOS E TARIFAS Soluções FedEx para o seu negócio Caso você tenha necessidade de enviar documentos urgentes, economizar em remessas regulares ou enviar cargas pesadas, a FedEx tem uma solução de transporte

Leia mais

Dispositivo Universal de Enchimento e Teste FPU-1 para acumuladores de bexiga, pistão e membrana

Dispositivo Universal de Enchimento e Teste FPU-1 para acumuladores de bexiga, pistão e membrana Dispositivo Universal de Enchimento e Teste FPU-1 para acumuladores de bexiga, pistão e membrana 1. DESCRIÇÃO 1.1. FUNCIONAMENTO O dispositivo de enchimento e teste HYDAC FPU-1 é utilizado para carregar

Leia mais

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes.

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes. 3. Geografia Turística 3.1 Geografia Turística: Brasil de Ponta a Ponta Proporcionar ao participante melhor compreensão geográfica do país; Apresentar as principais especificidades existentes nos continentes

Leia mais

VENHA PARA OAGA E invista EM SEU FUTURO.

VENHA PARA OAGA E invista EM SEU FUTURO. FILIAÇÃO INTERNACIONAL 2016 FILIAÇÃO INTERNACIONAL 2016 VENHA PARA OAGA E invista EM SEU FUTURO. Permaneça Atualizado COM AS ÚLTIMAS NOVIDADES E PESQUISAS DE GI. Gastroenterologia e Hepatologia Clínica

Leia mais

Brasil 2012 SERVIÇOS E TARIFAS

Brasil 2012 SERVIÇOS E TARIFAS SERVIÇOS E TARIFAS Soluções FedEx para o seu negócio Caso você tenha necessidade de enviar documentos urgentes, economizar em remessas regulares ou enviar cargas pesadas, a FedEx tem uma solução de transporte

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

Índice de Qualidade Institucional 2011

Índice de Qualidade Institucional 2011 Índice de Qualidade Institucional 2011 AUTOR E PESQUISADOR: MARTÍN KRAUSE PATROCÍNIO DA EDITORA INTERNATIONAL POLICY PRESS, UMA DIVISÃO DA INTERNATIONAL POLICY NETWORK DE LONDRES Lançamento da edição em

Leia mais

5 A ajuda de custo será concedida ainda de acordo com as seguintes condições:

5 A ajuda de custo será concedida ainda de acordo com as seguintes condições: Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular Programa de Pós-Graduação em Bioquímica Campus do Pici - Bloco 907 - CEP 60.451-970 Telefone +55 85 3366

Leia mais

Plano específico para a modalidade LDI (Longa Distância Internacional) utilizando o CSP (Código de Seleção da Prestadora) 17 da Transit.

Plano específico para a modalidade LDI (Longa Distância Internacional) utilizando o CSP (Código de Seleção da Prestadora) 17 da Transit. A. NOME DA EMPRESA Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO Plano Básico de Serviço LDI (Longa Distância Internacional). C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL Plano Básico de Serviço LDI (Longa Distância Internacional).

Leia mais

XI. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de Título de Viagem da RAEM

XI. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de Título de Viagem da RAEM Macau 2015 Livro do Ano XI. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de (países ordenados por continente) Ásia Brunei 14 dias --- Camboja 30 dias c) --- Coreia do Sul 90 dias --- Filipinas

Leia mais

Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013

Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013 Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013 Qual o impacto do Compliance para o desenvolvimento? Qual o impacto do Compliance para o desenvolvimento? Econômico Como o Compliance das empresas

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15

Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15 Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

TRIGÉSIMO QUARTO PERÍODO ORDINÁRIO DE SESSÕES DA ASSEMBLÉIA GERAL DA OEA MANUAL PARA OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

TRIGÉSIMO QUARTO PERÍODO ORDINÁRIO DE SESSÕES DA ASSEMBLÉIA GERAL DA OEA MANUAL PARA OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO Organización de los Estados Americanos Organização dos Estados Americanos Organisation des États Américains Organization of American States 17 th and Constitution Ave., N.W. Washington, D.C. 20006 TRIGÉSIMO

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil

Estatísticas básicas de turismo. Brasil Estatísticas básicas de turismo Brasil Brasília, outubro de 2010 Estatísticas básicas de turismo Índice Páginas I - Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas internacionais

Leia mais

Transparência, Performance e Financiamento de Autoridades de Supervisão de Fundos de Pensão: Boas Práticas Internacionais. Flávia Pereira da Silva

Transparência, Performance e Financiamento de Autoridades de Supervisão de Fundos de Pensão: Boas Práticas Internacionais. Flávia Pereira da Silva Transparência, Performance e Financiamento de Autoridades de Supervisão de Fundos de Pensão: Boas Práticas Internacionais Flávia Pereira da Silva ROTEIRO FMI: Governance Nexus, a importância da governança

Leia mais

Consulta pública - Melhoria dos procedimentos para obtenção de um visto Schengen de curta duração

Consulta pública - Melhoria dos procedimentos para obtenção de um visto Schengen de curta duração Consulta pública - Melhoria dos procedimentos para obtenção de um visto Schengen de curta duração Nos últimos três anos obteve algum visto Schengen de curta duração? A Comissão está a rever os procedimentos

Leia mais

Índice. 1. Registro Contrato DCE... 3. Participante 2

Índice. 1. Registro Contrato DCE... 3. Participante 2 Índice 1. Registro DCE... 3 Participante 2 Registro de de Derivativo Contratado no Exterior Nome do Arquivo Tamanho do Registro 1. Registro DCE Caracteres: 1500 Header Seq Campo Formato Posição Conteúdo

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Notícias PUBLICADO DECRETO QUE MODIFICA VALORES DAS DIÁRIAS Brasília, 05/10/2005 - O governo assinou decreto que corrige uma situação que vem afetando servidores que atuam nas áreas de fiscalização e operações

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Sistema Portuário Brasileiro

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Sistema Portuário Brasileiro Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Sistema Portuário Brasileiro Senadora Kátia Abreu Presidente da CNA 20 fevereiro 2013 Destino da Produção Brasileira de Grãos Safra 2011/2012 Produção de

Leia mais

Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP)

Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP) Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP) Fórum de Debates sobre Governo Aberto Transparência, Participação e Cidadania: Governo Aberto e o Poder Executivo Ministro Jorge Hage Sobrinho

Leia mais

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil FACT-SHEET Cana-de-Açúcar, Milho e Soja Programa Agricultura e Meio Ambiente WWF - Brasília Março 28 WWF- Secretaria Geral Denise Hamú Superintendência de Conservação de Programas Temáticos Carlos Alberto

Leia mais

NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS. Lista da ONU

NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS. Lista da ONU NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS Lista da ONU Países-membros das Nações Unidas Segue-se a lista dos 192 países-membros das Nações Unidas, de acordo com a ordem alfabética de seus nomes em português, com as

Leia mais

Simples. Conecta + 200. Conecta + 400. Conecta + 800

Simples. Conecta + 200. Conecta + 400. Conecta + 800 REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DO PLANO ALTERNATIVO LDI CSP81 Por este instrumento, em que fazem parte de um lado, DATORA TELECOMUNICAÇÕES LTDA, Prestadora do Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC, inscrita no

Leia mais

Relatório Mundial de Saúde 2006

Relatório Mundial de Saúde 2006 170 Relatório Mundial de Saúde 2006 Anexo Tabela 1 Indicadores básicos para todos os Estados-Membros Números computados pela OMS para assegurar comparabilidade a ; não são necessariamente estatísticas

Leia mais

Benfica Telecom. Serviço Internet. Serviço Internacional. em vigor a partir de 1/2/2013 1. preço por minuto / Destino. sms / mms

Benfica Telecom. Serviço Internet. Serviço Internacional. em vigor a partir de 1/2/2013 1. preço por minuto / Destino. sms / mms em vigor a partir de 1/2/2013 1 / Benfica Telecom sms / mms Voz Todas as redes nacionais 0,185 Voz (tarifa reduzida) Todas as redes nacionais 0,082 SMS Todas as redes nacionais 0,093 SMS (tarifa reduzida)

Leia mais

Introdução 1 As tabelas a seguir mostram os cartuchos de jato de tinta HP compatíveis com as impressoras HP Photosmart.

Introdução 1 As tabelas a seguir mostram os cartuchos de jato de tinta HP compatíveis com as impressoras HP Photosmart. Introdução 1 As tabelas a seguir mostram os cartuchos de jato de HP compatíveis com as impressoras HP Photosmart. Impressoras série 100 2 Impressora HP Photosmart 130 HP 57 HP Photosmart 100 HP 57 Impressoras

Leia mais

Obrigatoriedade de visto para estrangeiros que entram na Ucrânia. País Visto obrigatório/não obrigatório Nota *

Obrigatoriedade de visto para estrangeiros que entram na Ucrânia. País Visto obrigatório/não obrigatório Nota * Obrigatoriedade de visto para estrangeiros que entram na Ucrânia País Visto obrigatório/não obrigatório Nota * 1. Áustria Não é obrigatório o Visto para estadia 2. Afganistão PD possuidores de passaporte

Leia mais

Programa de Estágios Internacionais da IAESTE

Programa de Estágios Internacionais da IAESTE IAESTE International Association for the Exchange of Students for Technical Experience Associação Internacional para a Permuta de Estudantes do Ensino Superior para Experiência Prática A IAESTE é uma organização

Leia mais

SWAZILÂNDIA E TANZÂNIA. Across Mundovip Quadrante Soltrópico TUNÍSIA. Club Med Grantur Mundovip Soltrópico. Travelers Travelplan U GANDA.

SWAZILÂNDIA E TANZÂNIA. Across Mundovip Quadrante Soltrópico TUNÍSIA. Club Med Grantur Mundovip Soltrópico. Travelers Travelplan U GANDA. Quem programa o quê? ÁFRICA ÁFRICA DO SUL ANGOLA BOTSWANA CABO VERDE EGIPTO GUINÉ-BISSAU LÍBIA MARROCOS MAURÍCIAS MOÇAMBIQUE NAMÍBIA QUÉNIA SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE SENEGAL SEYCHELLES SWAZILÂNDIA E TANZÂNIA

Leia mais

Convenção de Istambul

Convenção de Istambul Convenção de Istambul Antonio Braga Sobrinho Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil Secretaria da Receita Federal do Brasil Ministério da Fazenda Sumário I. Definição e histórico da Convenção II.

Leia mais

LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA PAÍSES MEMBROS

LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA PAÍSES MEMBROS 1 LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA ÁFRICA DO SUL ARÁBIA SAUDITA BRASIL CANADÁ COREIA DO SUL EGITO EQUADOR HOLANDA ITÁLIA JORDÂNIA NÍGER SUÉCIA ALEMANHA ARGENTINA

Leia mais

A MAIORIDADE PENAL NO BRASIL E EM OUTROS PAÍSES

A MAIORIDADE PENAL NO BRASIL E EM OUTROS PAÍSES A MAIORIDADE PENAL NO BRASIL E EM OUTROS PAÍSES RIBAMAR SOARES Consultor Legislativo da Área II Direito Civil e Processual Civil, Direito Penal e Processual Penal, de Família, do Autor, de Sucessões, Internacional

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas.

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. CARTA-CIRCULAR N 2.070 Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. Divulga relação das missões diplomáticas, repartições consulares de carreira e representações

Leia mais

Renovar Idéias: Política Monetária e o Crescimento Econômico no Brasil PSDB-ITV 16/2/2006

Renovar Idéias: Política Monetária e o Crescimento Econômico no Brasil PSDB-ITV 16/2/2006 Renovar Idéias: Política Monetária e o Crescimento Econômico no Brasil PSDB-ITV 16/2/2006 Julio Gomes de Almeida Diretor-Executivo IEDI Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial Motor do Crescimento

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DA BAHIA

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DA BAHIA R E S O L U Ç Ã O N.º 007, DE 08 DE JUNHO DE 2009 Normatiza critérios e define procedimentos relativos a autorização de viagem, ao adiantamento de numerário e à prestação de contas com deslocamento à serviço

Leia mais

Fundada em 1925, a Kepler Weber desenvolve soluções para armazenagem de grãos e movimentação de granéis.

Fundada em 1925, a Kepler Weber desenvolve soluções para armazenagem de grãos e movimentação de granéis. APIMEC-RIO / NOV15 Fundada em 1925, a Kepler Weber desenvolve soluções para armazenagem de grãos e movimentação de granéis. Com uma estrutura ágil, integrada e capacidade fabril para o processamento de

Leia mais

CATEGORIA: POPULAÇÃO PRISIONAL CATEGORIA: PERFIL DO PRESO

CATEGORIA: POPULAÇÃO PRISIONAL CATEGORIA: PERFIL DO PRESO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL DIRETORIA DE POLÍTICAS PENITENCIÁRIAS SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES PENITENCIÁRIAS ESTÁTÍSTICA SUSEPE - SUPERINTENDÊNCIA DOS SERVIÇOS PENITENCIÁRIOS

Leia mais