Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados,

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados,"

Transcrição

1 Deputado Edson Ezequiel PMDB/RJ 19/05/2014 Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Venho a esta tribuna para falar de um assunto altamente preocupante para o nosso país. Trata-se do CUSTO BRASIL, assunto recorrente na pauta das pessoas preocupadas com o desenvolvimento e com a produção de riqueza. Apesar de contarmos com importante parque fabril, de praticarmos uma agricultura moderna e pujante, de possuirmos um mercado interno de 180 milhões de pessoas e que cada dia demanda mais consumo, continuamos patinando e não conseguimos nos transformar no tão falado País do futuro. Porque estamos perdendo para nações que aparentemente não possuem os recursos humanos, minerais, territoriais e climáticos que possuímos? Porque os brasileiros preferem pegar um avião e ir fazer compras em outro país e com a diferença nos preços das compras pagam as despesas e ainda fazem turismo? Porque está tudo tão caro no Brasil? Imóveis, veículos, roupas, alimentação, lazer, educação, turismo, saúde, em geral tudo que uma pessoa precisa para viver bem? Serão os impostos o grande vilão do nosso pesadelo? Os impostos são um dos responsáveis, visto que 1% de aumento na carga tributária, segundo o IPEA, reduz 3,8% do PIB no longo prazo. Segundo a Revista KPMG Business Magazine cobramos mais 42,6% de impostos que os Estados Unidos, a Nação mais rica do mundo. O Brasil fica atrás da França, Itália e Japão em cobranças de impostos e cobra mais que a Rússia, China, Índia e México, países os quais competimos diretamente. Em março de 2013, a FIESP Federação das Indústrias de São Paulo produziu um estudo sobre a competitividade dos produtos brasileiros e concluiu que os manufaturados aqui produzidos são 34,2% mais caros que os similares importados de nossos parceiros comerciais.

2 Vejam Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, em 2012 o consumo brasileiro cresceu 8,4% no varejo e a industria brasileira de transformação recuou 2,5%. Curiosamente no período de 2008 a 2010, as importações de bens manufaturados cresceram 40% e somente no ano de 2011, cresceram 100%. O fraco desempenho da indústria de transformação brasileira pode ser atribuído fundamentalmente ao Custo Brasil e à valorização do Real. O Custo Brasil é um termo genérico, usado para descrever o conjunto de dificuldades estruturais, burocráticas e econômicas que independem da competência e de estratégias das empresas, pois decorre de deficiências em fatores sistêmicos, as quais somente podem ser dirimidas com políticas de Estado. O Custo Brasil tem sido apontado como a principal causa da perda de competitividade da economia e sobretudo da indústria de transformação. Os principais fatores que influenciam no Custo Brasil são: câmbio e inflação; custo de capital de giro; matérias primas; energia; custos de serviços a funcionários; serviços e infraestrutura logística e outras ineficiências sistêmicas. São consideradas ineficiências sistêmicas a corrupção administrativa pública elevada; a manutenção de taxas de juros reais elevadas; o déficit público elevado; a burocracia excessiva para criação e manutenção de empresa; o spread bancário exagerado (no caso do Brasil, é um dos maiores do mundo); a burocracia excessiva para importação e exportação, que dificulta o comércio exterior; os altos custos trabalhistas e do sistema previdenciário; a legislação fiscal complexa e ineficiente; a insegurança jurídica e a infraestrutura precária. Não é necessário detalhar todas as ineficiências, são de conhecimento geral, porém, algumas situações beiram o absurdo e é preciso que todos conheçam. Em artigo publicado na revista Gerente de Cidades estima-se que em sistemas eficientes a perda de energia elétrica seja de 4%. No Brasil é de 17%. Em relação à água, a perda aceitável deve ser em torno de 20%. Em muitos municípios brasileiros esta perda chega a 42% da água disponibilizada.

3 Segundo a Abimaq, um estudo que mensurou o Custo Brasil para produtos agrícolas concluiu que apenas a falta de infraestrutura logística para o transporte de grãos ocasiona uma perda estimada em 4 bilhões de dólares. Tiago Ornaghi, em matéria publicada na Folha de São Paulo, estima em 6% a perda de grãos durante o transporte das safras até o mercado de destino, chegando o desperdício a 7 milhões de toneladas. Outro importante gargalo com impacto no Custo Brasil, é a condição das estradas brasileiras, uma vez que a predominância do transporte de cargas no Brasil é rodoviário. De acordo com dados da CNT (Confederação Nacional dos Transportes) 41% das estradas estão em estado deficiente, 25% estão ruins e 16,8%, em péssimo estado. Segundo o professor José Vicente Caixeta Filho, da Escola superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo, em longas distâncias o transporte ferroviário é 30% mais barato que o rodoviário e o transporte hidroviário é 50% mais barato que o rodoviário. Mas como trocar o transporte rodoviário pelo ferroviário, se reduzimos a malha ferroviária de km para km? Como integrar a rede ferroviária se operamos com 4 tipos de bitolas? A Revista Brasil Econômico divulgou matéria que demonstra que o sistema ferroviário brasileiro, localizado ao longo da costa, não se interliga. Além disso, as ligações com os portos brasileiros ainda são precárias e a malha ferroviária nacional precisaria dobrar para suprir a demanda. Atualmente os 29 mil quilômetros de ferrovia transportam 25% da produção agrícola. Os portos brasileiros são um desastre esta é a expressão da Revista Exame, que acompanhou a viagem de um navio do Amazonas até Santa Catarina e observou: Longas filas de espera para atracar; Poucas horas de operação quando o navio é atracado é preciso interromper as operações à meia-noite de sexta feira, pois a Receita Federal não trabalha nos finais de semana; Falta de espaço nos pátios para os contêineres - o espaço é disputado por caminhões e trens;

4 Que os armazéns ficam distantes do ponto de atracação, o que prolonga a transferência da carga para a embarcação. Diante de tantos problemas, não é de se surpreender que o Brasil tenha ficado em 130º (centésimo trigésimo) lugar entre os países avaliados no quesito qualidade dos portos, no último relatório do Fórum Econômico Mundial. De 2000 a 2010 o Brasil não inaugurou nenhum porto relevante e a Índia inaugurou 5 novos portos, dobrando a capacidade de movimentação de carga. A China inaugurou recentemente um terminal com a capacidade de movimentar 30 milhões de contêineres por ano, enquanto o porto de Santos, o maior do Brasil, conseguiu movimentar 2,8 milhões de contêineres em A construção e exploração de portos privados com movimentação de carga para terceiros só foi possível a partir de 5 de julho de 2013, com a sanção da Lei (Lei dos Portos). Ainda assim, o Brasil transporta por navio apenas 11% de suas cargas, enquanto a China transporta 48%, a Europa 37% e os Estados Unidos 28%. Finalmente chegamos ao transporte de carga aéreo, imaginando que ele seria solução para importação e exportação rápidas e eficientes. Contudo, a FIERJ Federação das Industrias do Rio de Janeiro divulgou estudo onde mostra que o tempo médio de liberação de mercadorias em cinco grandes aeroportos brasileiros é de 175 horas. Essa espera parece absurda, se comparada com os aeroportos de Londres, que libera em 8 horas, dos Estados Unidos, em 6 horas, e da China, em apenas 4 horas. No comércio exterior somente as mercadorias mais caras são transportadas de avião. No Brasil isso representa 1% da carga transportada e 10% do valor transportado. Através dos aeroportos só chegam ou saem mercadorias que precisam ser entregues com urgência. Mas infelizmente não é o que acontece no Brasil, onde a pressa perde para a burocracia. Os órgãos responsáveis pela liberação dessas mercadorias, como por exemplo a Receita Federal, trabalham somente no horário de expediente e muitos departamentos trabalham apenas 6 horas por dia, de segunda a sexta feira, ao contrário

5 da maioria dos países, nos quais esse trabalho é de 24 horas por dia, e sete dias por semana. Os custos de armazenagem das mercadorias, as perdas, os atrasos e a estocagem desnecessária são outros complicadores. Por exemplo, uma carga paga para desembarcar no aeroporto do Rio de Janeiro 40 vezes mais do que para desembarcar no aeroporto de Singapura, um dos mais ágeis do mundo. Encerrando, esbarramos na burocracia. Podemos definir burocracia como um excesso de procedimentos que uma pessoa ou empresa deve tomar para desenvolver suas atividades. Geralmente é resultado da falta de eficiência dos órgãos governamentais. E a burocracia excessiva impõe dificuldades para abrir e manter uma empresa ou impõe perdas. Com base em informações extraídas do Portal de Contabilidade, constatamos que para a abertura e manutenção de empresas existem aproximadamente 100 obrigações fixas, além daquelas que podem ser geradas a partir delas. Segundo uma pesquisa do IBPT Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, a cada hora são expedidas em média 2 normas, inovando ou alterando regras tributárias, trabalhistas, previdenciárias ou assemelhadas. O custo médio para se abrir uma empresa no Brasil é de R$ 2.038,00 (dois mil e trinta e oito reais). Na China é de R$ 280,00; na Rússia R$ 559,00; na Índia R$ 1.176,00. Se compararmos o Brasil com os demais países do BRICs, ele fica em último lugar. Ao direcionar tempo e dinheiro às exigências do estado ineficiente, as empresas contribuem menos do que poderiam ao desenvolvimento do país. O relatório Doing Business do Banco Mundial divulgou um ranking com 189 nações, em ordem crescente de burocracia. O Brasil ficou em 116º (centésimo, décimo sexto) lugar. Se comparado ao México, que ficou em 51º (quinquagésimo primeiro) lugar e que tem o PIB e as condições de desenvolvimento parecidos com o Brasil, percebemos que há muito a ser melhorado.

6 Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, concluímos que para baixar o Custo Brasil precisamos de ações públicas reais e não paliativas e periféricas. Obrigado.

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 21/11/2014 da Empresa ANDRADE GUTIERREZ S/A, Nire e

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 21/11/2014 da Empresa ANDRADE GUTIERREZ S/A, Nire e pág. 1/46 pág. 2/46 pág. 3/46 pág. 4/46 pág. 5/46 pág. 6/46 pág. 7/46 pág. 8/46 pág. 9/46 pág. 10/46 pág. 11/46 pág. 12/46 pág. 13/46 pág. 14/46 pág. 15/46 pág. 16/46 pág. 17/46 pág. 18/46 pág. 19/46 pág.

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico que este documento da empresa COOPERNOVA COOPERATIVA NOVALIMENSE DE TRANSPORTE DE CARGAS E

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico que este documento da empresa COOPERNOVA COOPERATIVA NOVALIMENSE DE TRANSPORTE DE CARGAS E pág. 1/23 pág. 2/23 pág. 3/23 pág. 4/23 pág. 5/23 pág. 6/23 pág. 7/23 pág. 8/23 pág. 9/23 pág. 10/23 pág. 11/23 pág. 12/23 pág. 13/23 pág. 14/23 pág. 15/23 pág. 16/23 pág. 17/23 pág. 18/23 pág. 19/23 pág.

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 13/04/2016 da Empresa ALGAR TI CONSULTORIA S/A, Nire e

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 13/04/2016 da Empresa ALGAR TI CONSULTORIA S/A, Nire e pág. 1/71 pág. 2/71 pág. 3/71 pág. 4/71 pág. 5/71 pág. 6/71 pág. 7/71 pág. 8/71 pág. 9/71 pág. 10/71 pág. 11/71 pág. 12/71 pág. 13/71 pág. 14/71 pág. 15/71 pág. 16/71 pág. 17/71 pág. 18/71 pág. 19/71 pág.

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 08/05/2015 da Empresa UNIMED JUIZ DE FORA COOPERATIVA DE TRABALHO

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 08/05/2015 da Empresa UNIMED JUIZ DE FORA COOPERATIVA DE TRABALHO pág. 16/49 pág. 17/49 pág. 18/49 pág. 19/49 pág. 20/49 pág. 21/49 pág. 22/49 pág. 23/49 pág. 24/49 pág. 25/49 pág. 26/49 pág. 27/49 pág. 28/49 pág. 29/49 pág. 30/49 pág. 31/49 pág. 32/49 pág. 33/49 pág.

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 19/10/2015 da Empresa COOPERATIVA DE CONSUMO DOS SERVIDORES DO

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 19/10/2015 da Empresa COOPERATIVA DE CONSUMO DOS SERVIDORES DO pág. 1/26 pág. 2/26 pág. 3/26 pág. 4/26 pág. 5/26 pág. 6/26 pág. 7/26 pág. 8/26 pág. 9/26 pág. 10/26 pág. 11/26 pág. 12/26 pág. 13/26 pág. 14/26 pág. 15/26 pág. 16/26 pág. 17/26 pág. 18/26 pág. 19/26 pág.

Leia mais

Certifico que este documento da empresa UNIMED MONTES CLAROS COOPERATIVA DE TRABALHO MEDICO, Nire: , foi deferido e arquivado na Junta

Certifico que este documento da empresa UNIMED MONTES CLAROS COOPERATIVA DE TRABALHO MEDICO, Nire: , foi deferido e arquivado na Junta pág. 1/34 pág. 2/34 pág. 3/34 pág. 4/34 pág. 5/34 pág. 6/34 pág. 7/34 pág. 8/34 pág. 9/34 pág. 10/34 pág. 11/34 pág. 12/34 pág. 13/34 pág. 14/34 pág. 15/34 pág. 16/34 pág. 17/34 pág. 18/34 pág. 19/34 pág.

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS Data: 09.02.2015 Veículo: DIARIO DO PARÁ Caderno: BRASIL Pág.:A3 Coluna: LINHA DIRETA 1- Matérias referente diretamente à Companhia ( X ) 3- Matérias de interesses da Companhia ( ) Data: 09.02.2015 Veículo:

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PAUINI GABIENTE DA PREFEITA Ato do Poder Executivo

ESTADO DO AMAZONAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PAUINI GABIENTE DA PREFEITA Ato do Poder Executivo LEI MUNICIPAL Nº245, de 30 de dezembro de 2014. Estima a Receita e fixa a Despesa do Orçamento Anual do Município de PAUINI, para o exercício financeiro de 2015. A Prefeita Municipal de Pauini, Estado

Leia mais

Invest in Lombardy porta de entrada na Itália, ponte entre a Europa e o Mediterrâneo

Invest in Lombardy porta de entrada na Itália, ponte entre a Europa e o Mediterrâneo Invest in Lombardy porta de entrada na Itália, ponte entre a Europa e o Mediterrâneo 2 PORQUE A LOMBARDIA LOMBARDIA - PERFIL População: 9,7 milhões PIB: 300 bilhões Área: 24 mil Km 2 Quase um quarto do

Leia mais

Prefeitura Municipal de Itiuba-BA

Prefeitura Municipal de Itiuba-BA Edição Nº 030/2912 00120 Quinta-Feira Quit-Feira 0827 de Março Junho de 2012 2013 1 A Prefeitura Municipal de Itiuba, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Decreto No. 1

Leia mais

Um infográfico fácil explicar crescimento hacking

Um infográfico fácil explicar crescimento hacking Um infográfico fácil explicar crescimento hacking E postando infográfico do Youssef para meu blog eu estou ajudando o crescimento hack seu negócio, por fornecer um link valioso de SEO para seu site, bem

Leia mais

Desafios da Cabotagem em 2015 ILOS

Desafios da Cabotagem em 2015 ILOS Desafios da Cabotagem em 2015 ILOS Clique para editar o título mestre Agenda Contexto Atual Razões para maior competitividade da Cabotagem Evolução da Movimentação de Cabotagem Visão das Empresas sobre

Leia mais

Debate Menos Gargalos e Mais Empregos Grandes obras e sua capacidade de geração de empregos

Debate Menos Gargalos e Mais Empregos Grandes obras e sua capacidade de geração de empregos Debate Menos Gargalos e Mais Empregos Grandes obras e sua capacidade de geração de empregos 24/01/2017 Iniciou suas atividades em 1998 Oferece um amplo conjunto de serviços especializados de consultoria

Leia mais

Perspectivas de Negócios em Infraestrutura. novembro 2013

Perspectivas de Negócios em Infraestrutura. novembro 2013 Perspectivas de Negócios em Infraestrutura novembro 2013 Brasil no Mundo Globalizado - Importação e exportação manufaturas, commodities e serviços; - Crescimento da economia e aumento do consumo nos países

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATEUS LEME

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATEUS LEME Página 00001 Lei nº 2.420, de 01 de Dezembro de 2008 Estima a receita e fixa a despesa do Município de Mateus Leme, MG, para o exercício financeiro de 2009. O povo do Município de Mateus Leme, por seus

Leia mais

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013 Agronegócio em Mato Grosso Abril 2013 Brasil Visão Geral Brasil - Visão Geral Area 8,5 milhões km 2 (5º maior) População (2011) 195 milhões (6 º maior) PIB (2011) US$ 2,47 Trilhões (6 ª maior) Produção

Leia mais

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS TRANSPORTE NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: OS MODAIS DE TRANSPORTE

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS TRANSPORTE NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: OS MODAIS DE TRANSPORTE GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS TRANSPORTE NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: OS MODAIS DE TRANSPORTE Prof. Dr. Daniel Caetano 2016-1 Objetivos Conhecer os principais modos de transporte usados na Gestão da Cadeia

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15

Teleconferência de Resultados 1T15 Teleconferência de Resultados 1T15 Relações com Investidores São Paulo, 08 de maio de 2015 Ressalva sobre declarações futuras Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: EDITORIA: CAPA E ECONOMIA

FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: EDITORIA: CAPA E ECONOMIA FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 13.11.16 EDITORIA: CAPA E ECONOMIA CONTINUAÇÃO CONTINUAÇÃO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 12.11.16 EDITORIA: ECONOMIA CONTINUAÇÃO VEÍCULO: JORNAL DE FATO DATA:

Leia mais

VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM

VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM PALESTRA: ENGº. JOSÉ CARLOS DE OLIVEIRA LIMA VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM 1 A FIESP REPRESENTA MAIS DE

Leia mais

Construir Parcerias quer dizer ter a oportunidade e a coragem de empreender, no mercado dos Países de Língua Portuguesa, de forma a se obter um

Construir Parcerias quer dizer ter a oportunidade e a coragem de empreender, no mercado dos Países de Língua Portuguesa, de forma a se obter um CRESCIMENTO DESENVOLVIMENTO PARCERIAS Construir Parcerias quer dizer ter a oportunidade e a coragem de empreender, no mercado dos Países de Língua Portuguesa, de forma a se obter um espaço (CONFEDERAÇÃO

Leia mais

Flutuações Econômicas no Curto Prazo OA e DA CAPÍTULO 33

Flutuações Econômicas no Curto Prazo OA e DA CAPÍTULO 33 Flutuações Econômicas no Curto Prazo OA e DA CAPÍTULO 33 Segunda Prova Dia 01 de julho (quinta-feira) - 19:00 hs. Dúvidas 01/06 à tarde. Dia 24 e 25 de junho não haverá aula. Prova para os que faltaram

Leia mais

Relatório de Resultado de Vendas Páscoa 2015

Relatório de Resultado de Vendas Páscoa 2015 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina Relatório de Resultado de Vendas Páscoa 2015 O perfil do empresário e

Leia mais

Análise da alocação de slots aeroportuários no Brasil

Análise da alocação de slots aeroportuários no Brasil PET - Economia UnB 3 de junho de 2014 Motivação O artigo tem como objetivo analisar a alocação de slots aeroportuários no Brasil Estrutura 1 Introdução 2 3 Atual regulação Proposta de resolução 4 5 6 Importância

Leia mais

1º ENFACO Goiânia. 1. Considerações Gerais; 2. Autorregulação; 24/04/2017 PROJETO DE AUTORREGULAÇÃO DAS FUNDAÇÕES DE APOIO

1º ENFACO Goiânia. 1. Considerações Gerais; 2. Autorregulação; 24/04/2017 PROJETO DE AUTORREGULAÇÃO DAS FUNDAÇÕES DE APOIO 1º ENFACO Goiânia PROJETO DE AUTORREGULAÇÃO DAS FUNDAÇÕES DE APOIO Fernando Peregrino, D.Sc. Presidente 1. Considerações Gerais; 2. Autorregulação; 1 Velocidade da Inovação http://asgard.vc/tag/acceleration-growth/

Leia mais

Decifrando a economia para superar a crise. com Denise Barbosa & Antonio Lacerda

Decifrando a economia para superar a crise. com Denise Barbosa & Antonio Lacerda Decifrando a economia para superar a crise com Denise Barbosa & Antonio Lacerda EUA produção industrial continua patinando 110 105 Índice base 2007 = 100 100 95 90 85 80 jan/09 jan/10 jan/11 jan/12 jan/13

Leia mais

Ciclo de Seminários para o Enem: Mobilidade Urbana e Nacional

Ciclo de Seminários para o Enem: Mobilidade Urbana e Nacional Ciclo de Seminários para o Enem: Mobilidade Urbana e Nacional Diamantina, Outubro de 2016 Mobilidade Urbana 2 Histórico Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri UFVJM 1 Republica (1989

Leia mais

Brasil está quase na lanterna do ranking mundial de crescimento do PIB País ocupa a 31ª posição da lista de 34 nações, que é liderada pela China

Brasil está quase na lanterna do ranking mundial de crescimento do PIB País ocupa a 31ª posição da lista de 34 nações, que é liderada pela China Brasil está quase na lanterna do ranking mundial de crescimento do PIB País ocupa a 31ª posição da lista de 34 nações, que é liderada pela China Matéria publicada em 29 de Novembro de 2014 SÃO PAULO -

Leia mais

Gargalos logísticos e perspectivas

Gargalos logísticos e perspectivas Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Gargalos logísticos e perspectivas Daniel Furlan Amaral Gerente de Economia ABN AMRO São Paulo SP 26 de janeiro de 2015 1 Produção de grãos cada vez

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL BARRO ALTO

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL BARRO ALTO LEI Nº 069/2009 De 31 de dezembro de 2009. Estima a Receita e Fixa a Despesa do Município de BARRO ALTO Ba, para o Exercício Financeiro de 2010. O PREFEITO MUNICIPAL DE BARRO ALTO, Estado da Bahia, no

Leia mais

SETE LAGOAS DESTINO INDUTOR ESTUDO DE COMPETITIVIDADE TURÍSTICA

SETE LAGOAS DESTINO INDUTOR ESTUDO DE COMPETITIVIDADE TURÍSTICA SETE LAGOAS DESTINO INDUTOR ESTUDO DE COMPETITIVIDADE TURÍSTICA Destinos Indutores São aqueles que possuem infraestrutura básica e turística além de atrativos qualificados e são capazes de atrair e/ou

Leia mais

Facilitação e Desburocratização do Comércio Exterior

Facilitação e Desburocratização do Comércio Exterior FGV/2017 Facilitação e Desburocratização do Comércio Exterior Abrão Miguel Árabe Neto Secretário de Comércio Exterior Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - CENÁRIO ATUAL Desafios à Competitividade

Leia mais

ticketsclub

ticketsclub ticketsclub www.ticketsclub.com.br Empresa Nossa sede fica na cidade do Rio de Janeiro. Contamos com uma equipe de profissionais com vasta experiência em vendas online e diretas, segmento de compras coletivas

Leia mais

As melhores referência de turismo em parques no mundo contam com parcerias com empresas privadas

As melhores referência de turismo em parques no mundo contam com parcerias com empresas privadas 4.1 Unidades de conservação devem As melhores referência de turismo em parques no mundo contam com parcerias com empresas privadas Por um lado, a criação de áreas públicas protegidas, como das formas mais

Leia mais

1 Introdução 1.1 Apresentação

1 Introdução 1.1 Apresentação 1 Introdução 1.1 Apresentação O Brasil é, notoriamente, um país com características geográficas favoráveis ao cultivo de produtos agrícolas. O primeiro registro dos predicados agrícolas desta terra data

Leia mais

Vice-Presidente da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio No Brasil

Vice-Presidente da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio No Brasil APRESENTAÇÃO CBP-CE - A Câmara Brasil Portugal no Ceará - Comércio, Indústria e Turismo (CBP-CE), fundada em junho de 2001, é uma associação civil sem fins lucrativos com atuação no estado do Ceará, Portugal

Leia mais

Projeto de Confecções do Agreste Pernambucano

Projeto de Confecções do Agreste Pernambucano Projeto de Confecções do Agreste Pernambucano Pesquisa de Caracterização Econômica do Pólo de Confecção do Agreste Araripina S. Cruz do Capibaribe 19 km Serra Talhada Pólo de Confecções Toritama Caruaru

Leia mais

TÉCNICO EM AGRONEGÓCIO AGRICULTURA I IFSC CÂMPUS LAGES CULTURA DO FEIJÃO

TÉCNICO EM AGRONEGÓCIO AGRICULTURA I IFSC CÂMPUS LAGES CULTURA DO FEIJÃO TÉCNICO EM AGRONEGÓCIO AGRICULTURA I IFSC CÂMPUS LAGES CULTURA DO FEIJÃO 1. IMPORTÂNCIA ECONÔMICA No mercado mundial de feijão circulam, anualmente, cerca de 24 milhões de toneladas da leguminosa. O

Leia mais

Infraestrutura estagnada: o nó da economia brasileira

Infraestrutura estagnada: o nó da economia brasileira Boletim Econômico Edição nº 51 dezembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Infraestrutura estagnada: o nó da economia brasileira 1 Situação atual da infraestrutura no

Leia mais

TÍTULO: MULTIMODALIDADE APLICADA AO ESCOAMENTO DAS PRINCIPAIS MASSA ECONOMICAS BRASILEIRAS DESTINADAS À EXPORTAÇÃO PELO PORTO DE SANTOS

TÍTULO: MULTIMODALIDADE APLICADA AO ESCOAMENTO DAS PRINCIPAIS MASSA ECONOMICAS BRASILEIRAS DESTINADAS À EXPORTAÇÃO PELO PORTO DE SANTOS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MULTIMODALIDADE APLICADA AO ESCOAMENTO DAS PRINCIPAIS MASSA ECONOMICAS BRASILEIRAS DESTINADAS

Leia mais

PROJETO DE LEI N /2006

PROJETO DE LEI N /2006 PROJETO DE LEI N /2006 Dispõe sobre os fundamentos e a Política do Agroturismo ou Turismo Rural no Estado da Paraíba e dá outras providências. A Assembléia Legislativa do Estado da Paraíba Decreta: Art.1º

Leia mais

III - MÓDULO MÉTODO DE CUSTEIO / FORMAÇÃO DE PREÇOS.

III - MÓDULO MÉTODO DE CUSTEIO / FORMAÇÃO DE PREÇOS. III - MÓDULO MÉTODO DE CUSTEIO / FORMAÇÃO DE PREÇOS. Método de custeio direto ou variável e margem de contribuição. A pousada Lagoa Azul possui 90 quartos para alugar, praticando um preço médio de R$ 56,00

Leia mais

Presença da China na América do Sul

Presença da China na América do Sul Presença da China na América do Sul 1 1 Em 2008, 3% das exportações chinesas foram destinadas à América do Sul... Principais Destinos das Exportações Chinesas (2008) Estados Unidos 17,7% Japão 8,1% Coréia

Leia mais

BRASILATA S/A EMBALAGENS METÁLICAS RESULTADOS 2016

BRASILATA S/A EMBALAGENS METÁLICAS RESULTADOS 2016 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS EXERCÍCIO 2016 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, esta Diretoria vem submeter à apreciação

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL. Aula 9. Prof.: Marcelo Valverde

CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL. Aula 9. Prof.: Marcelo Valverde CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL Aula 9 Prof.: Marcelo Valverde Plano de Ensino da Disciplina: CONTABILIDADE GERENCIAL UNIDADE 05 Custeio Variável 5.1 Conceito de margem de contribuição 5.2 Custeio variável

Leia mais

Resultados 3º Trimestre 2012

Resultados 3º Trimestre 2012 Resultados 3º Trimestre 2012 jan/03 abr/03 jul/03 out/03 jan/04 abr/04 jul/04 out/04 jan/05 abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09

Leia mais

ARTIGO DO MÊS 2013 Movimento Nossa Betim Rua Paulo de Freitas nº 16 Sala

ARTIGO DO MÊS 2013 Movimento Nossa Betim Rua Paulo de Freitas nº 16 Sala ARTIGO DO MÊS Setembro 2013 Periodicamente o Movimento Nossa Betim divulga artigos sobre temas ligados à sustentabilidade no contexto da gestão de cidades Movimento Nossa Betim Rua Paulo de Freitas nº

Leia mais

CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS

CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS Premissas Importantes Os eventos têm importância significativa na área do turismo, além de ser a atividade que mais crescem nesse segmento. Segundo Zanella (2003),

Leia mais

Perspectivas para a indústria brasileira uma proposta baseada na exportação de manufaturados

Perspectivas para a indústria brasileira uma proposta baseada na exportação de manufaturados Perspectivas para a indústria brasileira uma proposta baseada na exportação de manufaturados Apresentação preparada para o Seminário Perspectivas para a economia brasileira nos próximos anos, na FIESP

Leia mais

QUESITOS PARA APURAÇÃO DE HAVERES DE SÓCIO

QUESITOS PARA APURAÇÃO DE HAVERES DE SÓCIO QUESITOS PARA APURAÇÃO DE HAVERES DE SÓCIO 1. Sócio vivo 2. Sócio falecido No caso do sócio vivo, ou se retirando da firma, os pontos que reputamos importantes para determinação do valor real e justo da

Leia mais

IV local para onde o empregado irá se deslocar;

IV local para onde o empregado irá se deslocar; Alterada pela resoução 23/2007 RESOLUÇÃO OABMS Nº 16/2007 Estabelece as condições para pagamento de diárias a empregados da Seção da Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul nos deslocamentos

Leia mais

A (falta de) infraestrutura e sua influencia no Mercado Global. Tema: Escoamento de safras agrícolas

A (falta de) infraestrutura e sua influencia no Mercado Global. Tema: Escoamento de safras agrícolas A (falta de) infraestrutura e sua influencia no Mercado Global Tema: Escoamento de safras agrícolas O desafio logístico é transformar distancias físicas em distancias econômicas isto é aproximar o centro

Leia mais

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES. ABIMAQ fevereiro de 2014

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES. ABIMAQ fevereiro de 2014 Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ fevereiro de 2014 Prioridades BNDES Infraestrutura logística e energética Infraestrutura urbana de saneamento e mobilidade. Modernização

Leia mais

TITULO I I DOS OR AMENTOS FISCAIS E DA SEGURIDADE SOCIAL CAPITULO I DA ESTIM ATIVA DA RECEITA

TITULO I I DOS OR AMENTOS FISCAIS E DA SEGURIDADE SOCIAL CAPITULO I DA ESTIM ATIVA DA RECEITA LEI N. 4 43 22 Novembro 2 0 1 3. ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DO MUNICIPIO PARA O EXERCICIO DE 2014. A CAMARA MUNICIPAL DE CARIRE aprova a seguinte Lei: TITULO I DAS DISPOSICOES GERAIS Art. 1. - Esta

Leia mais

BRASIL. Paulo André de Oliveira. Conjuntura Econômica JUROS. Ciclos de expansão da Economia 1. Ciclos de expansão da Economia 2

BRASIL. Paulo André de Oliveira. Conjuntura Econômica JUROS. Ciclos de expansão da Economia 1. Ciclos de expansão da Economia 2 UNESP FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS Paulo André de Oliveira Pós Graduação Energia na Agricultura Economista DÓLAR Conjuntura Econômica JUROS BRASIL CRISE FINANCEIRA SETOR INTERNO E EXTERNO Ciclos de

Leia mais

Marcos De Marchi Presidente do Conselho Diretor da Abiquim

Marcos De Marchi Presidente do Conselho Diretor da Abiquim Marcos De Marchi Presidente do Conselho Diretor da Abiquim A QUÍMICA OCUPA POSIÇÃO DE DESTAQUE NA INDÚSTRIA BRASILEIRA 3º maior PIB Industrial 10,4% 2,5% do PIB Brasil US$ 58,6 bilhões Produtos Químicos

Leia mais

Entendendo o Sped como um projeto de investimento em competitividade

Entendendo o Sped como um projeto de investimento em competitividade Entendendo o Sped como um projeto de investimento em competitividade Somente se melhora o que se pode medir, Vicente Falconi Campos por: prof. Roberto Dias Duarte Apresentação "Conheço apenas a minha ignorância

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL Tangará da Serra - Estado de Mato Grosso

CÂMARA MUNICIPAL Tangará da Serra - Estado de Mato Grosso 1 PEQUENO EXPEDIENTE 34ª SESSÃO ORDINÁRIA DE 4/10/2016 Início do Expediente: Leitura de um Capítulo Bíblico VEREADOR WELLINGTON BEZERRA. PROJETO DE LEI Nº 145/2016, de autoria do Executivo Municipal, que

Leia mais

P R O C E SSO D E D E S E N VOLVIMENTO D E S O F T WAR E

P R O C E SSO D E D E S E N VOLVIMENTO D E S O F T WAR E 1 2 3 4 5 6 ASSUNTO DO MATERIAL DIDÁTICO ENGENHARIA DE SOFTWARE 8ª EDIÇÃO/2007 IAN SOMMERVILLE CAPÍTULO ESTIMATIVAS DE CUSTO DE SOFTWARE 7 CONCEITOS DE LUCROS E DESPESAS Lucro = Receita Despesa Procura

Leia mais

Prêmio Valor Inovação Brasil 2017

Prêmio Valor Inovação Brasil 2017 Prêmio Valor Inovação Brasil 2017 Inovação Inovação é a geração e desenvolvimento estruturado, de maneira recorrente, de novas ideias que geram valor significativo para as empresas Critérios de participação

Leia mais

Carga tributária brasileira por setores

Carga tributária brasileira por setores Esta publicação contempla os seguintes temas: Novembro/2016 Carga tributária brasileira por setores A carga tributária brasileira é equivalente à de países desenvolvidos e muito superior à de outros países

Leia mais

Área de formação académica e/ou profissional. Actividade /Atribuições / Projectos / Competências ou Perfil. Lic. Adm. Pública e Autárquica

Área de formação académica e/ou profissional. Actividade /Atribuições / Projectos / Competências ou Perfil. Lic. Adm. Pública e Autárquica MAPA DE PESSOAL 2017 Mapa de Pessoal 2017 ESTRUTURA ORGÂNICA POSTOS DE TRABALHO OCUPADOS POSTOS DE TRABALHO CATIVOS * POSTOS TRABALHO A OCUPAR Unidade Orgânica Serviço ou Função Director de Serviços Director

Leia mais

O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o

O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o reaquecimento da economia brasileira a partir do ano passado, deixou em alerta todo o sistema produtivo

Leia mais

b) Determinar as raízes de f(x) = g(x) quando m = 1/2. c) Determinar, em função de m, o número de raízes da equação f(x) = g(x).

b) Determinar as raízes de f(x) = g(x) quando m = 1/2. c) Determinar, em função de m, o número de raízes da equação f(x) = g(x). 1. (Fuvest 2004) Seja m µ 0 um número real e sejam f e g funções reais definidas por f(x) = x - 2 x + 1 e g(x) = mx + 2m. a) Esboçar, no plano cartesiano representado a seguir, os gráficos de f e de g

Leia mais

PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS

PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS PROGRAMA DE REVITALIZAÇÃO EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO INTEGRADO RURAL PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Custos de Produção. Introdução Custos de Curto Prazo Custos de Longo Prazo Maximização do Lucro Total

Custos de Produção. Introdução Custos de Curto Prazo Custos de Longo Prazo Maximização do Lucro Total Custos de Produção Introdução Custos de Curto Prazo Custos de Longo Prazo Maximização do Lucro Total 1 Introdução Oferta Teoria da Firma Teoria da Produção (relações entre a quantidade produzida e as quantidades

Leia mais

Caracterização dos Territórios de Identidade Território 25 - Piemonte Norte do Itapicuru

Caracterização dos Territórios de Identidade Território 25 - Piemonte Norte do Itapicuru Caracterização dos Territórios de Identidade Território 25 - Piemonte Norte do Itapicuru Dados Gerais Quantidade de Área Total (km 2 População Total Densidade ) municípios Demográfica 9 13.766,67 261.941

Leia mais

Resultado de Vendas Páscoa 2016

Resultado de Vendas Páscoa 2016 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina Resultado de Vendas Páscoa 2016 O perfil do empresário e resultado de

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS OUTUBRO/2016 Resumo de desempenho Outubro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Programa de Pós Graduação em Economia Aplicada

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Programa de Pós Graduação em Economia Aplicada Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Programa de Pós Graduação em Economia Aplicada Potencial e disponibilidade de biomassa de cana-de-açúcar na região Centro-Sul do

Leia mais

PERTO DAS EMPRESAS PARA AS LEVAR MAIS LONGE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

PERTO DAS EMPRESAS PARA AS LEVAR MAIS LONGE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE PERTO DAS EMPRESAS PARA AS LEVAR MAIS LONGE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE AMBIENTE DE NEGÓCIOS 03 CULTURA DE NEGÓCIOS 04 O MERCADO 05-09 REACIONAMENTO ECONÓMICO BILATERAL 10-12 OPORTUNIDADES

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS JULHO/2015 Resumo de desempenho ho 2015 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre mês mês do ano ano Mês No ano

Leia mais

RESULTADOS 1T13. Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo. 30 de abril de 2013

RESULTADOS 1T13. Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo. 30 de abril de 2013 RESULTADOS 1T13 Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo 30 de abril de 2013 RESULTADO GPA CONSOLIDADO 1T13 Vendas Brutas R$ milhões, 1T13 x 1T12 Cresc. mesmas lojas vs 1T12 14.984 +9,7% ML +6,6% EBITDA R$ milhões,

Leia mais

5 Metodologia do Trabalho

5 Metodologia do Trabalho 5 Metodologia do Trabalho 5.1 Método de Pesquisa Entre as várias formas de se classificar uma pesquisa, dois critérios básicos são propostos por Vergara (2000): quanto aos fins e quanto aos meios. Quanto

Leia mais

Componente Curricular. Data. Conteúdos. Livro de Língua Portuguesa, páginas: de 82 até 117 e 205 até 210.

Componente Curricular. Data. Conteúdos. Livro de Língua Portuguesa, páginas: de 82 até 117 e 205 até 210. Sobradinho - DF, 18 maio de 2017. Assunto: Cronograma de Avaliações do 2º Trimestre-AV1 Prezados Senhores Pais ou Responsáveis. Segue o calendário de avaliações do 2º trimestre AV1. Solicitamos que ele

Leia mais

Edital nº Revisão de textos de produtos editoriais

Edital nº Revisão de textos de produtos editoriais São Paulo, 15 de fevereiro de 2016 Edital nº 05-2016 Revisão de textos de produtos editoriais O Instituto Pólis pretende selecionar empresa ou profissional especializado na revisão de textos para três

Leia mais

O MERCADO INTERNACIONAL DE MINÉRIO DE FERRO E SUAS PERSPECTIVAS

O MERCADO INTERNACIONAL DE MINÉRIO DE FERRO E SUAS PERSPECTIVAS O MERCADO INTERNACIONAL DE MINÉRIO DE FERRO E SUAS PERSPECTIVAS Maio, 2014 N T I A L S T R I C T L Y P R I V A T E A N D C O N F I D E N HRC - China Níquel Cobre Alumínio Minério de Ferro Apr-14 Jan-14

Leia mais

Estudo de Mercado sobre Distribuição e Logística em Angola

Estudo de Mercado sobre Distribuição e Logística em Angola Estudo de Mercado sobre Distribuição e Logística em Angola 1.População e Território 2.Modelo de Desenvolvimento 3.O Desafio da Diversificação 4.O Papel da Logística 5.A Rede de Distribuição 6.O Novo Quadro

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos XVII Assembleia Geral da CIT 27 e 28/06/2012 - Manaus/AM Sávio Neves Diretor Institucional ANPTrilhos Presidente ABOTTc

Leia mais

Fabio Barretta (coan)

Fabio Barretta (coan) Fabio Barretta (coan) De: Enviado em: sexta-feira, 8 de abril de 2016 13:45 Para: 'Sergio X. dos Santos / Coan Contabil' Cc: 'Marco Fábio Ramenzoni'; 'Danielle - Corr Group';

Leia mais

Eleição presidencial e recessão econômica: presente e futuro

Eleição presidencial e recessão econômica: presente e futuro CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 13 setembro de 2014

Leia mais

RPP - Regulamento Particular de Prova 2º RALLY DE ITAJAÍ - SC 2011 CBR ª Prova do Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade

RPP - Regulamento Particular de Prova 2º RALLY DE ITAJAÍ - SC 2011 CBR ª Prova do Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade RPP - Regulamento Particular de Prova 2º RALLY DE ITAJAÍ - SC 2011 CBR 2011-3ª Prova do Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade 1. Autoridades: Presidente da CBA Presidente da CNR Presidente da FAUESC

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º- Este regulamento é o conjunto das disposições que regem as competições de jogos dos cursos superiores e discentes do IFRS - Campus Ibirubá no ano de 2016. Art.

Leia mais

CONTRATO DE PARCERIA

CONTRATO DE PARCERIA CONTRATO DE PARCERIA ENTRE: 12) Clube de Campismo do Porto", Pessoa Colectiva número 500 065 373, com sede na Rua D. Manuel 11,n.? 30 Porto, neste acta representado pelo Sr. Presidente, Sr. Carlos América

Leia mais

Estatística dos tipos de transportes no Brasil (1999):

Estatística dos tipos de transportes no Brasil (1999): Prof. Andressa Caracterização Geral A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Os transportes contêm três elementos: Infraestrutura - é a malha de transporte: rodoviária,

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS Fevereiro/2013 Faturamento Bruto mensal R$ milhões constantes (defl. Col. 32/FGV) Média Jan-Fev 2008 6.188 2009 4.446 2010 5.178

Leia mais

ESTILO E PREÇO CURITIBA E REGIÃO GANHAM SEU PRIMEIRO OUTLET

ESTILO E PREÇO CURITIBA E REGIÃO GANHAM SEU PRIMEIRO OUTLET ESTILO E PREÇO CURITIBA E REGIÃO GANHAM SEU PRIMEIRO OUTLET Uma estrutura à altura para receber a sua marca O Grupo Amalfitana tem a satisfação de apresentar ao mercado o primeiro outlet de Curitiba e

Leia mais

Finanças Autárquicas em Moçambique. Uri Raich Banco Mundial

Finanças Autárquicas em Moçambique. Uri Raich Banco Mundial Finanças Autárquicas em Moçambique Uri Raich Banco Mundial Mudanças na Legislação Nova Lei (1 / 2008) e Código (63/2008) sobre as Finanças Autárquicas - Mais instrumentos / autonomia em geração de receita

Leia mais

Unidade I SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO. Profa. Lérida Malagueta

Unidade I SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO. Profa. Lérida Malagueta Unidade I SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Profa. Lérida Malagueta Sistemática de importação e exportação - conteúdo O Comércio Internacional Legislação e a estrutura brasileira Termos internacionais

Leia mais

Caracterização. dos Territórios de Identidade. da Bahia. LidaS. Território 26 - Região Metropolitana de Salvador. instituto

Caracterização. dos Territórios de Identidade. da Bahia. LidaS. Território 26 - Região Metropolitana de Salvador. instituto Caracterização dos Territórios de Identidade da Bahia Território 26 - Região Metropolitana de Salvador instituto LidaS Caracterização dos Territórios de Identidade Território 26 - Metropolitana de Salvador

Leia mais

CISER adota novo conceito tecnológico em sua arquitetura de TI

CISER adota novo conceito tecnológico em sua arquitetura de TI CISER adota novo conceito tecnológico em sua arquitetura de TI MAIO/2016 Perfil A CISER Parafusos e Porcas é a maior fabricante de fixadores da América Latina. Tem capacidade produtiva de 6 mil toneladas/mês

Leia mais

Selo Autêntico. Programa de Parcerias e. Micro Franquias

Selo Autêntico. Programa de Parcerias e. Micro Franquias Programa de Parcerias e Micro Franquias O Mercado Você conhece alguém que usa e-mail? Obviamente que sim. A pergunta deveria ser: Quem não usa? Segundo a ONU, em 2014 a população mundial com acesso à internet

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS JANEIRO/2016 Resumo de desempenho Janeiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês/Ano mês anterior

Leia mais

5- FINANÇAS PÚBLICAS Abaixo seguem os dados que retratam a conjuntura das finanças públicas do município de Corumbá.

5- FINANÇAS PÚBLICAS Abaixo seguem os dados que retratam a conjuntura das finanças públicas do município de Corumbá. 5- FINANÇAS PÚBLICAS Abaixo seguem os dados que retratam a conjuntura das finanças públicas do município de Corumbá. Tabela 1 Demonstrativo da Receita Total Arrecadada 2012-2013 Receitas Correntes Discriminação

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS DO AEROPORTO CAMPO DE MARTE - SBMT

INFORMAÇÕES GERAIS DO AEROPORTO CAMPO DE MARTE - SBMT INFORMAÇÕES GERAIS DO AEROPORTO CAMPO DE MARTE - SBMT GERÊNCIA DE NEGÓCIOS COMERCIAS - MTNC 2016 INFORMAÇÕES GERAIS DO AEROPORTO CAMPO DE MARTE - SBMT AEROPORTO CAMPO DE MARTE O Aeroporto Campo de Marte

Leia mais

CONSIDERANDO a necessidade de revisão e unificação das normas e critérios referentes à operação da Seção Farmacêutica do IMASF;

CONSIDERANDO a necessidade de revisão e unificação das normas e critérios referentes à operação da Seção Farmacêutica do IMASF; REGULAMENTA A OPERAÇÃO, A COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS E A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELA FARMÁCIA DO IMASF, CRIA O FUNDO DE CAIXA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. OVÍDIO PRIETO FERNANDES, Presidente do 19º Conselho

Leia mais