INTELIGÊNCIA EM COMPRAS: O NOVO DESAFIO DA BOLSA ELETRÔNICA DE COMPRAS DE SÃO PAULO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTELIGÊNCIA EM COMPRAS: O NOVO DESAFIO DA BOLSA ELETRÔNICA DE COMPRAS DE SÃO PAULO"

Transcrição

1 Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 16, 17 e 18 de abril de 2013 INTELIGÊNCIA EM COMPRAS: O NOVO DESAFIO DA BOLSA ELETRÔNICA DE COMPRAS DE SÃO PAULO Maria de Fátima Alves Ferreira

2 2 Painel 01/003 Experiências e metodologias para a qualidade do gasto público INTELIGÊNCIA EM COMPRAS: O NOVO DESAFIO DA BOLSA ELETRÔNICA DE COMPRAS DE SÃO PAULO Maria de Fátima Alves Ferreira RESUMO A contribuição dos sistemas eletrônicos de compras públicas para a melhoria do gasto é de reconhecimento amplo e é objeto de inúmeros registros e artigos. Apenas o Estado de São Paulo, que iniciou a aquisição de bens e serviços por meio eletrônico em 2000, já gerou neste período uma economia de cerca de R$ 7,4 bilhões. (fonte:sitewww.bec.sp.gov.br -consulta em 11/03/2013). O desafio apresentado no momento é de promover inovações para ampliar ainda mais sua colaboração. Como planejar melhor as compras ou torná-las ainda mais ágeis e com menores custos? O que é necessário fazer para oferecer melhor condição de negociação de preços com fornecedores? Como dar maior transparência e confiabilidade? Estas são algumas das questões que têm orientado as ações da Coordenadoria de Entidades Descentralizadas e de Contratações Eletrônicas da Sefaz na implantação de um processo contínuo de melhoria. Este artigo narra a experiência recente de implantação de uma solução Business Intelligence que permita criar uma inteligência em compras, aprimorando o planejamento, criando preços de referência, e facilitando o processo de negociação.

3 3 INTRODUÇÃO A Bolsa Eletrônica de Compras do Governo do Estado de São Paulo BEC/SP foi implantada em setembro de 2000, para aquisição de bens, com o procedimento de Dispensa de Licitação, pelo valor, para aquisições até R$ 8.000,00, sendo que em setembro de 2001 a Bolsa Eletrônica iniciou as operações com a modalidade Convite, envolvendo aquisições de até R$ ,00. No ano de 2002 ampliou sua atuação com a introdução de negociação de medicamentos e correlatos e, a partir de 2003, ocorreu a expansão do Sistema BEC/SPpara procedimentos de Dispensa de Licitação aos Municípios Paulistas, Universidades e Sociedades de Economia Mista, não dependentes, do Estado de São Paulo. Esse sistema opera na plataforma internet. A garantia aos princípios da legalidade, moralidade, impessoalidade, publicidade e eficiência, além da manutenção da probidade administrativa encontram-se presentes reforçadas pela automação do Sistema BEC/SP, sistema que retira qualquer ingerência humana da etapa de apuração de preços e pela maior rapidez na realização dos próprios procedimentos. Em 2005 foi regulamentado o Pregão Eletrônico para a Secretaria da Fazenda e, em 2006, para a Administração Direta, Autárquica e Fundacional do Estado de São Paulo. O Decreto n º , de 2 de janeiro de 2007, determinou que a utilização da modalidade Pregão, em sua forma eletrônica, para aquisição de bens e serviços comuns, fosse obrigatória para toda a Administração Pública estadual, por meio da Bolsa Eletrônica de Compras do Governo do Estado de São Paulo Sistema BEC/SP. Essa medida foi adotada não somente para dar mais transparência ao processo de aquisição de bens e serviços comuns pelo setor público,mas também para abrir o acesso das compras governamentais ao mercado. Entre os resultados estão a tendência de queda nos preços praticados, pela ampliação da competitividade, reunindo um maior número de fornecedores envolvidos e despertando o interesse dos que jamais haviam participado de processos licitatórios convencionais, pela abrangência que o processo oferece. As principais vantagens para o Estado concentram-se na redução do custo processual e das negociações,

4 4 o que imprime maior agilidade e confere transparência ao procedimento licitatório,além do benefício à economia paulista com a pulverização geográfica das empresas participantes que possibilita a ampliação da perspectiva de vendas e o desenvolvimento regional. Para o perfeito funcionamento do Sistema BEC/SP, a condição essencial foi a implantação do Sistema Integrado de Informações Físico-Financeiras - Siafisico, ocorrida em 02 de janeiro de 1998, pelo Decreto nº , de 09 de dezembro de 1997, que integra dados físicos do banco de itens de materiais e serviços, contemplando os respectivos preços de aquisição, com a execução orçamentária e financeira do Estado, registrada no Sistema Integrado de Administração Financeira para Estados e Municípios Siafem/SP, este implantado pelo Decreto nº , de 21 de dezembro de 1995, e utilizado por todos os órgãos e entidades que compõem a estrutura administrativa do Estado de São Paulo, operando na plataforma mainframe com o Sistema BEC/SP. Todos esses sistemas se integram independentemente da plataforma em que operam. O Siafisico promoveu a padronização da descrição de materiais e serviços contratados pelo Estado, possibilitando a identificação dos preços praticados nas regiões administrativas e dos fornecedores contratados, permitindo análises do comportamento desses dados, transformando em informações estratégicas para o Estado. Este sistema constitui-se basicamente em Cadastros Únicos de: a) Fornecedores b) Materiais e Serviços c) Banco de Preços. Para viabilizar essa comunicação e promover a efetiva integração de dados, a partir de 06 de abril de 1998, foi criado o documento de emissão obrigatória, denominado Oferta de Compra - OC, que desencadeia a reserva da dotação orçamentária, mediante a informação, pelas unidades compradoras, do preço estimativo para contratação. As condições necessárias para um salto de qualidade na gestão das negociações eletrônicas havia sido alcançado. A utilização das informações com a finalidade de serem respondidas questões essenciais para uma boa compra já existem:

5 5 O que comprar? De que forma comprar? Quanto comprar? Quando comprar? O novo desafio da BEC/SP concentrou-se na implantação de um Sistema de Gestão Estratégica, com a definição de missão, visão, princípios, padronização de processos e identificação de indicadores capazes de aprimorar o processo de contratação pública. Diante da imensidão de dados que são registrados na execução orçamentário-financeira, somente um sistema de extração de dados que pudesse combinar dimensões e fatos poderia colaborar na elaboração de diagnósticos e de previsões, visando mitigar riscos e aprimorar o processo de planejamento das compras governamentais. Para tanto, uma sucessão de medidas foi adotada, iniciando-se com o processo de certificação ISO 9001:2008, a definição de 44 indicadores de gestão envolvendo as camadas estratégicas, de gestão e operacionais, bem como a forma de seu monitoramento, a apuração de preço estimativo para contratação a partir da contratação de consultoria da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas Fipe, para tratar o banco de preços praticados pelo Estado e para produzir informações de preços de mercado para balizar as aquisições de produtos pela administração pública. Essa prática será implementada a partir da seleção dos produtos mais adquiridos, que contemplam as aquisições mais frequentes. Todo esse processo de modernização foi viabilizado com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID. O objetivo da Coordenadoria de Entidades Descentralizadas e de Contratações Eletrônicas Cedc, gestora da Bolsa Eletrônica de Compras do Estado de São Paulo - BEC/SP, no escopo do programa de modernização do Estado, é aumentar a eficiência e a eficácia dos processos de trabalho e melhorar o controle do gasto público e dos serviços por ela prestados. A abrangência do Sistema BEC/SP engloba as Unidades Compradoras do Estado de São Paulo, Secretarias, Autarquias, incluindo as Universidades, Fundações, Sociedades de Economia Mista, Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas, Municípios Paulistas e Entidades conveniadas, tais como Sebrae e Investe SP.

6 6 Os números do Sistema BEC/SP descrevem a grandeza de sua atuação: 900 Unidades Compradoras;155mil itens cadastrados no Cadastro Único de Materiais e Serviços, sendo 43 mil da área da saúde e 11 mil da área metroferroviária, utilizada pelo Metrô e Companhia de Trens Metropolitanos de São Paulo. Em sintonia com a proposta de sustentabilidade do Governo do Estado de São Paulo, a BEC/SP também desenvolveu o Catálogo Socioambiental, em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente, atualmente composto por mais de 850 itens. Esse selo é conferido pela Secretaria de Meio Ambiente, que identifica os produtos e serviços que atendam os seguintes critérios socioambientais:redução de emissão de poluentes; racionalização do uso de matérias primas; utilização de produtos de baixa toxicidade; minimização da geração de resíduos de produção; e utilização de produtos de baixa toxicidade. Dentro do processo de melhoria contínua, a implantação de um Cadastro Unificado de Fornecedores do Estado de São Paulo Caufesp que pudesse padronizar e unificar procedimentos, agilizar e reduzir o custo dos fornecedores para o cadastramento, já que uma vez cadastrado poderá fornecer para todas as Unidades Compradoras do Estado, se tornou imprescindível e foi implantado por meio do Decreto nº , de 27 de setembro de 2007, de uso obrigatório pelo Estado. Hoje já são 43 mil fornecedores inscritos, sendo 20% de micro e pequenas empresas. Uma nova expansão aconteceu a partir do Decreto , de 20 de abril de 2012, com a autorização da celebração de convênios com municípios paulistas para utilização da modalidade pregão eletrônico, envolvendo aquisição de bens e contratação de serviços comuns, independentemente do valor, ampliando ainda mais a perspectiva de negócios. As prefeituras de São Paulo e São Caetano do Sul foram as primeiras a participar do sistema, atualmente estendido a outras cidades como Piquete, Limeira, São João da Boa Vista e Pederneiras. A adesão das prefeituras traz um potencial ainda maior de negócios, de economia e de eficiência nos gastos. Desde o ano 2000 até fevereiro de 2013, foram adquiridos, entre bens e serviços, 2,5 milhões de itens, movimentando compras no valor de R$ 23 bilhões, com a economia de 22% gerada no período, ou seja, 7,4 bilhões de reais.(fonte: site de 11/03/2013).

7 7 Só no ano de 2012,foram adquiridos,entrebens e serviços, aproximadamente 307 mil itens,movimentando compras novalor der$9,1 bilhões, com 23% de economia gerada no período.(fonte: sitewww.bec.sp.gov.br, de11/03/2013). Melhorias constantes são implantadas visando ampliar o nível de transparência para os usuários e cidadãos, como a modernização do site da BEC/SP que facilitou a usabilidade e navegabilidade pelo sistema; o registro damarca BEC/SP no Instituto Nacional da Propriedade Industrial INPI, demonstrando a credibilidade que o governo paulista deposita no sistema;a realização de auditoria independente visando assegurar os procedimentos que envolvem a política de segurança do Sistema; a Implantação de Sistema de Gestão da Qualidade e a conquista, em 2010, da Certificação ISO 9001:2008. Todas as iniciativas demonstradas e a constante melhoria e expansão do sistema indicam ser a Bolsa Eletrônica de Compras do Estado de São Paulo BEC/SPum projeto de gestão pública que alimenta a economia paulista e contribui para a melhoria do gasto público. OBJETIVO Com a exigência cada vez maior por transparência, agilidade nos processos e qualidade nos resultados obtidos nas aquisições de bens e serviços pela administração pública estadual, é premente a necessidade de se adotar instrumentos mais eficazes para apuração de estimativa de preços de produtos a serem negociados por meio da Bolsa Eletrônica de Compras do Estado de São Paulo - BEC/SP. Atualmente o desafio da BEC/SP é promover inovações de gestão e de inteligência em compras que contribuam para atingir este objetivo. Desta forma, a Coordenadoria de Entidades Descentralizadas e de Contratações Eletrônicas da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, gestora da BEC/SP, com o apoio da tecnologia da informação e foco no processo contínuo de melhoria, promoveu a implantação do Sistema de Business Intelligence BEC/SP, que visa dotar a Administração Pública de instrumentos que lhe permitam obter visão estratégica de suas ações, conduzindo-a a tornar-se um modelo de administração baseado em

8 8 transparência e eficiência, estimulando a profissionalização dos setores envolvidos, aprimorando o planejamento, criando preços de referência, e facilitando o processo de negociação. Este projeto contribui, ainda, para transformar os dados das aquisições efetuadas nos últimos anos no Estado de São Paulo, armazenados na BEC/SP, em informações estratégicas para a tomada de decisões nos níveisestratégico, tático e operacional permitindo a melhoria da eficiência nos processos de compras futuras, como ilustrado na figura abaixo: O projeto conta com a prestação de serviços técnicos especializados da Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo Prodesp, para implementação de um Sistema de Informações para a Bolsa Eletrônica de Compras - BEC/SP, bem como acompanhamento de processos de comprascom apoio da tecnologia de Business Intelligence BI e Business ActivityMonitoring BAM utilizando a plataforma coorporativa da Prodesp. Atualmente, a Prodesp garante o funcionamento, a manutenção, a evolução e hospedagem do sistema. Criada em 1969, pelo Decreto Estadual nº 137, a Prodesp é a empresa de Tecnologia da Informação do Governo de Estado de São Paulo vinculada à Secretaria de Estado de Gestão Pública, que construiu e consolidou um diferencial único: a união de sua expertise tecnológica a um profundo conhecimento da administração pública.criada há mais de 40 anos, é uma das maiores empresas estaduais de tecnologia da informação do País.

9 9 A Prodesp colocou em produção seu ambiente de Business Intelligence BI Corporativo e com ele passou a oferecer a seus clientesa modalidade SaaSSoftware as a Service (em português, software como serviço). Como parte deste projeto também consta a implantação de metodologia estatística para tratamento do Banco de Preços oriundo das negociações eletrônicas realizadas na Bolsa Eletrônica de Compras - BEC/SP e produção de relatórios gerenciais, com o objetivo de consolidar a visão estratégica das compras governamentais. Para a consecução desse projeto,foi contratada a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas Fipe - instituição de notória especialização e reconhecido conceito em realização de projetos na Administração Pública, entidade vinculada à Universidade de São Paulo, para prestação de serviços técnicos especializados,com o intuito de desenvolver os dois produtos, apartir de estudos e pesquisas nos bancos de dados que apoiam o Sistema BEC/SP, É inquestionável a sedimentação de uso de tecnologia da informação para aprimoramento das compras públicas; por isso, a preocupação de se adotarem instrumentos mais eficazes para a apuração de uma estimativa de preços dos produtos a serem negociados por meio da BEC/SP um dos elementos chave do sucesso do sistema. A ampla utilização do Sistema BEC/SP faz com que medidas como essas, que proporcionem redução de tempo dos processos realizados, bemcomo o aprimoramento dos instrumentos empregados na sua gestão, sejamcondições essenciais para a sua modernização. Assim, contextualizado o Profisco e os seus objetivos no âmbito da Coordenadoria de Entidades Descentralizadas e de Contratações Eletrônicas - Cedc, os projetos Implantação de metodologia estatística para o Banco de Preços na BEC/SP e Produção de relatórios gerenciais, são especificamente voltados ao incremento da eficiência e eficácia do funcionamento da Bolsa Eletrônica de Compras do Estado de São Paulo BEC/SP, bem como para usufruir do potencial de informações que esse sistema oferece, capaz de imprimir uma política de suprimentos do Estado, dentro de um processo de melhoria do gasto público, direcionado para o desperdício zero.

10 10 A visão compartilhada possibilita aperfeiçoar o processo de tomada de decisão levando em consideração os mais diversos aspectos: dados de atendimento, comportamento dos usuários e clientes do sistema, gerenciamento e desenvolvimento da carteira de fornecedores, dados financeiros, de economia, desempenho do portfólio de compras de produtos e serviços, além de diversas outras análises, cuja necessidade se detectar. METODOLOGIA O termo Business Intelligence (BI) pode ser traduzido como inteligência de negócios ou inteligência empresarial. É uma tecnologia inovadora que permite transformar dados, por meio do processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento, em informação qualitativa e importante à tomada de decisão. Com a utilização de ferramentas de software BI, BAM, GEO, ETL, Base de Dados DW, o Sistema de Business Intelligence BEC IBEC permite a obtenção de informações gerenciais, com acesso em tempo real aos indicadores de desempenho críticos, para tomada de decisões de maneira mais ágil e com melhor efetividade das operações, proporcionando informações confiáveis, velocidade, visão corporativa, escalabilidade, descentralização da informação, enfim, a informação a serviço de todos. A ferramenta Business ActivityMonitoring BAM - é uma solução completa para a construção de uma visão interativa e em tempo real de painéis gerenciais, por meio de alertas que monitoram processos de negócio e níveis de serviço.

11 11 Para viabilizar a construção da solução de Business Intelligence que atendesse os indicadores mapeados, consideraram-se dados de sistemas interligados com o Sistema BEC/SP. O Geoprocessamento GEO- é um ramo do processamento de dados que opera transformações nos dados contidos em uma base de dados referenciada territorialmente (geocodificada), usando recursos analíticos, gráficos e lógicos, para a obtenção e apresentação das transformações desejadas.

12 12 De forma genérica: Se onde é importante para seu negócio, então Geoprocessamento é a sua ferramenta de trabalho. Qualquer setor que trabalhe com informações que possam ser relacionadas a pontos específicos do território pode, em princípio, valer-se das técnicas e ferramentas de Geoprocessamento. De acordo com Laudon (2005), o software pode reunir armazenar, manipular e exibir informações geograficamente, amarrando dados com pontos, linhas de um mapa. Assim, o GEO pode ser usado em apoio à decisões que requerem conhecimento sobre a distribuição geográfica de pessoas ou de outros recursos de pesquisa científica, gerenciamento de recursos e planejamento de desenvolvimento. No caso da BEC/SP, por exemplo, o GEO pode ser utilizado para ajudar as unidades compradoras no processo de decisão nas análises de concentração de fornecedores por região, identificação de polos de desenvolvimento regional, potencializando o poder de compra do Estado. De acordo com Turban (2005), um Data Warehouse é um repositório de dados históricos orientados a assunto, que são organizados para serem acessíveis em uma forma prontamente aceitável para atividades de processamento analítico (como data mining, apoio à decisão, consulta e outras aplicações). As características de um DataWarehouse incluem:

13 13 Organização: Os dados são organizados por assunto (por exemplo, por cliente, fornecedor, produto, nível de preço e região), e contêm informações relevantes apenas para o apoio à decisão. Consistência: Os dados nos diferentes bancos de dados operacionais podem ser codificados de forma diferente. Variante de tempo: Os dados são mantidos por muitos anos, de modo que possam ser usados para tendências, previsão e comparações com o tempo. As ferramentas de backend são as responsáveis pelo processo de extração, limpeza, carga e restauração dos dados utilizados num sistema de Data Warehouse (DW). Essa etapa é também denominada de ETL - Extração, Limpeza, Transformação e Carga dos Dados. A consolidação da utilização dessas ferramentas representa um processo gradativo e sistemático de absorção das técnicas administrativas de decisão e vem agregar conhecimento e habilidade gerencial aos integrantes da administração da Bolsa Eletrônica de Compras do Estado de São Paulo BEC/SP. Quanto à apuração de estimativa de valores de preços para as compras do Estado e modelagem para extração de relatórios que permitam o controle ainda mais eficaz dos procedimentos realizados pela Bolsa Eletrônica de Compras do Estado de São Paulo - BEC/SP foram desenvolvidos dois produtos distintos, compreendendo: metodologia para tratamento do atual banco de preços existente - compreendendo a análise econômica e estatística dos dados referentes às aquisições do Estado de São Paulo a qual contribui para o seu aperfeiçoamento permitindo aprimorar a estimativa de preços para contratações e minimizar distorções oriundas de sazonalidade e oscilações atípicas do mercado; modelagem de relatórios - a partir de mineração nos bancos de dados que compõem o Sistema BEC/SP, utilizando ferramentas específicas já disponíveis para esse fim - relatórios esses voltados para diferentes públicos-alvo, com o propósito de dotar a Administração Pública de instrumentos que lhe permitam obter uma visão estratégica de suas ações, dotando-a dos instrumentos necessários para orientar a tomada de decisão e fornecer aos clientes, internos e externos, maior informação, orientação e serviços ainda mais eficientes.

14 14 DETALHAMENTO: ESTIMATIVA DE VALORES DE PREÇOS A dinamização da gestão da BEC/SP passa pelo aprimoramento de seus componentes, em especial, no presente caso, o tratamento dos dados do banco de preços negociados pelo Governo do Estado de São Paulo, objetivando o estabelecimento de estimativa de valores de preços a ser utilizada como apoio às contratações do Estado. Este produto será obtido mediante o desenvolvimento de metodologia de análise estatística e econômica do banco de preços que é parte integrante da BEC/SP, compreendendo: a avaliação da distribuição estatística dos preços pagos pelo Estado com vistas à análise de sua variabilidade; o estabelecimento da relação entre preços pagos pelo Estado e o volume de compras; o tratamento dos preços já pagos pelo Estado com o objetivo de identificar os melhores valores de referência a serem utilizados como parâmetro para contratações e o comportamento destes no tempo; a identificação do padrão regional dos preços pagos pelo Estado; a produção de índices de Preços (diário/mensal/anual) praticados pela BEC, tais como: volume global de negócios (Índice BEC); preços por Secretarias, Fundações, Autarquias, Empresas, Municípios; preços por ramo de atividade/linha de fornecimento (Grupo/Classe/Material/Item). Ao final, será oferecido, aos agentes responsáveis pela operação da BEC/SP e às unidades compradoras, o preço estimado tratado que se apurou para as aquisições negociadas pelo Estado, o que viria facilitar a aceitação dos preços oferecidos nas Dispensas de Licitação, a classificação ou desclassificação das propostas nos Convites e subsidiar a negociação com os fornecedores e a análise de aceitabilidade dos preços pelos Pregoeiros. Será, ainda, oferecida, a especificação da metodologia utilizada em novos preços que vierem a fazer parte do referido bando de dados.

15 15 DETALHAMENTO: MODELAGEM DE RELATÓRIOS A partir de três macrovisões de atuação da BEC/SP - estratégica, gerencial e pública adiante detalhadas, disponibiliza relatórios modelados e customizados que visam: possibilitar pesquisas e análises flexíveis e pró-ativas das informações para tomada de decisões estratégicas; facilitar a gestão da BEC/SP pelo monitoramento operacional dos procedimentos de compra nela operados, envolvendo a aplicação das regras de negócios e a análise das tendências; VISÃO ESTRATÉGICA Disponível para os gestores da Bolsa Eletrônica de Compras do Estado de São Paulo - BEC/SP e para as outras instâncias administrativas superiores da Secretaria da Fazenda e do Governo do Estado de São Paulo, a visão estratégica permite, em nível mais elevado, o acompanhamento e a análise das operações da BEC/SP com utilização de gráficos, relatórios e alertas de negócios, propiciando a tomada de decisões estratégicas. A visão estratégica permite, ainda, em meio eletrônico, a movimentação diária das operações do Sistema BEC/SP concernente a valores negociados, compradores, unidades gestoras que operam, fornecedores, bens e serviços negociados, bem como identificação geográfica, no Estado de São Paulo, das negociações e atividades do sistema.

16 16

17 17

18 18 VISÃO GERENCIAL DAS OPERAÇÕES DO SISTEMA Na visão gerencial, as informações disponíveis sãoajustadas às regras de negócio para a Dispensa de Licitação, para o Convite e para o Pregão. A metodologia também permitea visualização das operações feitas pelas unidades compradoras, administração direta e indireta, autarquias, fundações, municípios, empresas não dependentes, universidades e outros entes federativos, estabelecendo em tempo real o monitoramento dessas operações. Contempla, ainda, identificações para eventos importantes, como alertas de exceções e mudanças de comportamento em relação às regras de negócio. Oferece, ainda, informações detalhadas dos diferentes cadastros existentes na retaguarda da BEC/SP, tais como: Cadastro Único de Materiais e Serviços Cadmat;Cadastro Unificado de Fornecedores do Estado de São Paulo Caufesp; cadastro de unidades compradoras; cadastro de operadores das unidades compradoras e cadastro de operadores dos fornecedores; e assim como indicadores de controle e alertas associados a esses cadastros, em função de suas respectivas regras de negócios.

19 19

20 20

21 21

22 22 VISÃO PÚBLICA A Bolsa Eletrônica de Compras do Estado de São Paulo - BEC/SP pode assumir a função de servir como banco de informações e referências para o mercado de físicos, em função dos valores, do número e da diversidade de bens e serviços que são negociados por seu intermédio. Por um lado, os fornecedores terão informações suficientes à disposição para praticarem preços justos nas vendas ao Estado e por outro, a administração pública terá ferramenta importante para a negociação. Essas informações são apresentadas na forma de indicadores, que não identifiquem operações individuais efetuadas pelo Sistema BEC/SP. Os indicadores gerados nesta visão pública também oferecem ao Governo uma ferramenta importante para negociação com os ramos de negócio/linhas de fornecimento do mercado, podendo até levar à criação de fóruns setoriais.

23 23 Assim como a consolidação da utilização das ferramentas de BI representa um processo gradativo e sistemático de absorção das técnicas administrativas de decisão e vem agregar conhecimento e habilidade gerencial aos integrantes da administração da Bolsa Eletrônica de Compras do Estado de São Paulo BEC/SP, o mesmo se aplica para as análises estatísticas e econômicas dos bancos de dados gerados neste sistema. Os serviços foram realizados pelas etapas a seguir, de forma simultânea ou sequencial: Levantamento de dados, inclusive do arcabouço jurídico, coleta de informações, detalhamento do projeto, apontamento de todas as necessidades da BEC/SP e das diferentes áreas que fazem uso da nova metodologia. Definição, discussão e aprovação de todos os parâmetros criados e modelados no projeto.

24 24 Estudo das regras de negócios e documentação dos critérios para construção das visões de indicadores e de relatórios gerados pela nova metodologia. Análise das informações coletadas nas etapas anteriores e definição estatística da apresentação das informações. Modelagem da metodologia com base na estrutura de dados do Sistema BEC/SP. Validação da metodologia, em discussão com as equipes internas alocadas no projeto. Conclusões e recomendações, inclusive quanto à regulamentação jurídica eventualmente a se alterar, teste dos modelos e cálculos, preparação dos relatórios e finalização do projeto. As equipes da Cedc acompanharam todas as etapas do projeto e foram capacitadas na interpretação das inovações implementadas, bem como na operacionalização das ferramentas de análise utilizadas. Da mesma forma foi alocada pela Prodesp equipe técnica para dar suporte ao uso das ferramentas da plataforma de BI para absorção da tecnologia utilizada e futura manutenção dos produtos gerados. APRENDIZADO ORGANIZACIONAL A utilização das ferramentas de Business Intelligence BI representa um processo gradativo e sistemático de absorção e fortalecimento das técnicas administrativas de decisão e deve agregar conhecimento e habilidade gerencial às equipes de profissionais que operam a Bolsa Eletrônica de Compras do Estado de São Paulo e aos integrantes da Administração Pública Estadual que venham a utilizá-lo.

25 25 CONCLUSÃO Com a implantação do Sistema de Business Intelligence BEC/SP IBEC, as áreas de gestão do Estado - com destaque para a Coordenadoria de Entidades Descentralizadas e de Contratações Eletrônicas Cedc, a superior administração da Secretaria de Fazenda e o Governo do Estado de São Paulo, terão a visão consolidada das atividades da Bolsa Eletrônica de Compras BEC/SP em conjunto com as diversas bases de dados correlatos existentes, de acordo com o perfil e o nível hierárquico de cada usuário final. Os gestores terão como ferramenta para a tomada de decisão, comparativos históricos das negociações;ofertas de compras e seus itens negociados e não negociados; compras por faixa de valor; volumes comprados; análise específica do pregão e do registro de preço; movimentação mensal de fornecedores por unidade compradora; materiais e serviços mais adquiridos por unidade compradora; ranking dos fornecedores; movimentação diária das negociações de materiais e serviços; preço indicativo por item; média, desvio padrão, intervalos de confiança e dispersão dos preços; economia orçamentária; valor da economia orçamentária por região; índices de preços BEC/SP; indicadores de qualidade da administração do sistema; comparação do previsto com o realizado; monitoramento mensal. Os servidores que fazem parte da administração da Bolsa Eletrônica de Compras BEC/SP foram capacitados na ferramenta e consta do Plano de treinamento para os gestores da Administração Pública Estadual. Por sua vez, a análise estatística e econômica dos dados das compras de materiais e contratação de serviços da Administração Pública deverá fornecer, às áreas de gestão do Estado, um diagnóstico mais apurado sobre a formação dos preços pagos. A estipulação de preços de referência adequados é importante para preservar o orçamento público, evitando gastos excessivos com compras. Para isso, é fundamental que se tenha informações sobre a distribuição de preços, levando-se em consideração diversos cenários. Um preço de referência excessivamente alto poderá levar a Administração Pública a realizar aquisições a um custo maior que o necessário. Por outro lado, um preço de referência excessivamente baixo pode

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas 1. Apresentação do Problema Epitácio José Paes Brunet É cada vez mais expressiva, hoje, nas cidades brasileiras, uma nova cultura que passa

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS Alice Viana Soares Monteiro Secretária de Estado de Compras Governamentais sob o aspecto da Sustentabilidade Compra Pública Sustentável ou Licitação

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Apresentação da Empresa Somos uma empresa especializada em desenvolver e implementar soluções de alto impacto na gestão e competitividade empresarial. Nossa missão é agregar valor aos negócios de nossos

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE BUSINESS INTELLIGENCE

OTIMIZAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE BUSINESS INTELLIGENCE OTIMIZAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE BUSINESS INTELLIGENCE Guimarilza Barbosa de Souza João Gabriel Ribeiro Luiz Cláudio de Arruda Isoton II Congresso Consad de Gestão Pública Painel 5:

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

Eficiência na manutenção de dados mestres referentes a clientes, fornecedores, materiais e preços

Eficiência na manutenção de dados mestres referentes a clientes, fornecedores, materiais e preços da solução SAP SAP ERP SAP Data Maintenance for ERP by Vistex Objetivos Eficiência na manutenção de dados mestres referentes a clientes, fornecedores, materiais e preços Entregar a manutenção de dados

Leia mais

PROGRAMA DE MELHORIA DA GESTÃO MUNICIPAL

PROGRAMA DE MELHORIA DA GESTÃO MUNICIPAL Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 PROGRAMA DE MELHORIA DA GESTÃO MUNICIPAL Maria Luiza dos Santos Vellozo Rosangela Maria Luchi Flavia Cardoso Garcia Chaves Julio

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

GESTÃO. Educacional. www.semeareducacional.com.br. Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede

GESTÃO. Educacional. www.semeareducacional.com.br. Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede GESTÃO Educacional A P R E S E N T A Ç Ã O www.semeareducacional.com.br Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede A EXPANSÃO TECNOLOGIA Nossa MISSÃO: Transformação de Dados em Informação Transformação

Leia mais

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper ÍNDICE ÍNDICE...2 RESUMO EXECUTIVO...3 O PROBLEMA...4 ILHAS DE INFORMAÇÃO...4 ESTRUTURA FRAGMENTADA VS. ESTRUTURA

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa O Poder Judiciário tem-se conscientizado, cada vez mais, de que se faz necessária uma resposta para a sociedade que exige uma prestação jurisdicional mais célere e

Leia mais

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento.

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento. BUSINESS INTELLIGENCE Agenda BI Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento Segurança da Objetivo Áreas Conceito O conceito de Business Intelligencenão é recente: Fenícios, persas, egípcios

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Solução em Software e Automação Comercial

Solução em Software e Automação Comercial Solução em Software e Automação Comercial EMPRESA A Aps Informática é uma empresa de desenvolvimento de sistemas voltados para a gestão empresarial localizada em Recife, Pernambuco. Desde 1992 no mercado,

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DO GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DO GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DO GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Dayan Giubertti Margon Julia Sasso Aliguieri

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

Resolução CC-52, de 23-6-2004

Resolução CC-52, de 23-6-2004 Resolução CC-52, de 23-6-2004 ANEXO I Institui a Política e o Plano Estratégico de Uso de Software na Administração Pública Estadual O Secretário-Chefe da Casa Civil, na qualidade de Presidente do Comitê

Leia mais

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras Plano Estratégico PETROBRAS Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional,

Leia mais

THIAGO TUPINAMBÁ DE QUEIRÓZ Coordenador de Compras Municipais Prefeitura de Manaus

THIAGO TUPINAMBÁ DE QUEIRÓZ Coordenador de Compras Municipais Prefeitura de Manaus THIAGO TUPINAMBÁ DE QUEIRÓZ Coordenador de Compras Municipais Prefeitura de Manaus COMPRAS MANAUS: Gestão Integral da Cadeia de Suprimentos da Prefeitura de Manaus Cadeia de Suprimentos Conceito Uma rede

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE AQUISIÇÕES (SIGA): TRANSFORMAÇÃO DA LOGÍSTICA DE

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE AQUISIÇÕES (SIGA): TRANSFORMAÇÃO DA LOGÍSTICA DE III Congresso Consad de Gestão Pública SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE AQUISIÇÕES (SIGA): TRANSFORMAÇÃO DA LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS NO GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Marcel Pacano Marco Tulio Marçal Pinto Fabio

Leia mais

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Nome da iniciativa inovadora: FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Painel de BI (Inteligência nos negócios) para publicação dos dados associados ao controle estadual Responsável pela Iniciativa

Leia mais

PREÇOS REFERENCIAIS: ECONOMIA, RAPIDEZ E QUALIDADE NAS COMPRAS GOVERNAMENTAIS

PREÇOS REFERENCIAIS: ECONOMIA, RAPIDEZ E QUALIDADE NAS COMPRAS GOVERNAMENTAIS PREÇOS REFERENCIAIS: ECONOMIA, RAPIDEZ E QUALIDADE NAS COMPRAS GOVERNAMENTAIS Maria Leila Casagrande Angeliki Natsoulis Cestari Ana Paula P. Delfino Motta II Congresso Consad de Gestão Pública Painel 33:

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE www.ucp.fazenda.gov.br PROGRAMAS EM ANDAMENTO Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios Brasileiros - PNAFM

Leia mais

Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006

Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006 Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006 Agenda A Informal Perspectiva Histórica Modelos de Arquitetura Benefícios para Gestão Caso de Referência Agenda A Informal

Leia mais

Experiência: Sistema de Custos e Informações Gerenciais do Banco Central do Brasil

Experiência: Sistema de Custos e Informações Gerenciais do Banco Central do Brasil Experiência: Sistema de Custos e Informações Gerenciais do Banco Central do Brasil Ministério da Fazenda Banco Central do Brasil Responsável: José Clovis Batista Dattoli, Chefe do Departamento de Planejamento

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

CONHEÇA A VALECARD TODA ESSA ESTRUTURA EXISTE PRA VOCÊ: Reduzir custos. Ganhar tempo. Organizar processos.

CONHEÇA A VALECARD TODA ESSA ESTRUTURA EXISTE PRA VOCÊ: Reduzir custos. Ganhar tempo. Organizar processos. CONHEÇA A VALECARD Soluções completas e integradas para a gestão de benefícios, gestão financeira e de frotas. Cartões aceitos em todo território nacional, por meio da Redecard, Cielo e ValeNet, o que

Leia mais

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo CBSI Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação BI Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais em Sistemas de Informação Faculdade de Computação Instituto

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Acerca dos conceitos básicos de gerenciamento de projetos e considerando o PMBOK, julgue os itens a seguir. 51 No gerenciamento de um projeto, deve-se utilizar não apenas as ferramentas

Leia mais

GESTÃO DE COMPRAS PÚBLICAS

GESTÃO DE COMPRAS PÚBLICAS CONGRESSO CONSAD de GESTÃO PÚBLICAP GESTÃO DE COMPRAS PÚBLICAS Roberto Meizi Agune Horácio José Ferragino Grupo de Apoio Técnico à Inovação - GATI I Congresso de Gestão PúblicaP Governo do Estado de São

Leia mais

MANUAL MUNICÍPIOS EMPRESAS E UNIVERSIDADES

MANUAL MUNICÍPIOS EMPRESAS E UNIVERSIDADES MANUAL MUNICÍPIOS EMPRESAS E UNIVERSIDADES PROCEDIMENTO DISPENSA DE LICITAÇÃO SISTEMA BEC/SP BOLSA ELETRÔNICA DE COMPRAS GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO OUTUBRO 2005 Secretário da Fazenda: Eduardo RefinettiGuardia

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL E A QUALIDADE DOS GASTOS PÚBLICOS

PLANO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL E A QUALIDADE DOS GASTOS PÚBLICOS PLANO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL E A QUALIDADE DOS GASTOS PÚBLICOS Ceres Alves Prates II Congresso Consad de Gestão Pública Painel 31: Qualidade do Gasto Público I PLANO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Leia mais

Como o CERNE foi construído?

Como o CERNE foi construído? Por que CERNE? O movimento brasileiro de incubadoras vem crescendo a uma taxa expressiva nos últimos dez anos, alcançando uma média superior a 25% ao ano. Atualmente, as incubadoras brasileiras apóiam

Leia mais

Sumário. Antecedentes legais. Atividades relevantes. O que é o SIGAP. Estrutura simplificada do SIGAP. Principais benefícios

Sumário. Antecedentes legais. Atividades relevantes. O que é o SIGAP. Estrutura simplificada do SIGAP. Principais benefícios Sumário Antecedentes legais Atividades relevantes O que é o SIGAP Relevância do SIGAP para o acompanhamento de projetos Estrutura simplificada do SIGAP Principais benefícios Atividades em desenvolvimento

Leia mais

Interatividade aliada a Análise de Negócios

Interatividade aliada a Análise de Negócios Interatividade aliada a Análise de Negócios Na era digital, a quase totalidade das organizações necessita da análise de seus negócios de forma ágil e segura - relatórios interativos, análise de gráficos,

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS Asia Shipping Transportes Internacionais Ltda. como cópia não controlada P á g i n a 1 7 ÍNDICE NR TÓPICO PÁG. 1 Introdução & Política 2 Objetivo 3 Responsabilidade

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES 1. Introdução As tabelas a seguir apresentam os MACROPROCESSOS do BNDES, segregados por plataformas. As

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009.

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO: Dispõe sobre o Modelo Integrado de Gestão do Poder Executivo do Estado de Pernambuco. Faço saber que a Assembléia

Leia mais

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation.

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. O SoftExpert PPM Suite é a solução mais robusta, funcional e fácil para priorizar, planejar, gerenciar e executar projetos, portfólios

Leia mais

Bolsa Eletrônica de Compras como mecanismo de aprimoramento das aquisições

Bolsa Eletrônica de Compras como mecanismo de aprimoramento das aquisições Bolsa Eletrônica de Compras como mecanismo de aprimoramento das aquisições Sumário 1 2 3 4 5 6 7 Produtos CCE BEC/SP CADMAT CADTERC CAUFESP Projetos do CCE USP na BEC/SP Produtos Bolsa Eletrônica de Compras/SP

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 SISTEMA DE APOIO À DECISÃO Grupo: Denilson Neves Diego Antônio Nelson Santiago Sabrina Dantas CONCEITO É UM SISTEMA QUE AUXILIA O PROCESSO DE DECISÃO

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa busca a modernização e a ampliação das ações e dos instrumentos de Comunicação para atender às necessidades de divulgação e alinhamento de informações

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima

Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima CONCEITO: O SIAFI (Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal) é um sistema informatizado que processa e controla, por meio de terminais instalados em todo o território nacional,

Leia mais

Objetivos do Compromisso Bahia

Objetivos do Compromisso Bahia Objetivos do Compromisso Bahia Geral Conferir qualidade ao gasto público estadual Específicos Desenvolver uma cultura de responsabilização dos servidores em relação à gestão pública Dotar o governo de

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL

CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL DAS AMÉRICAS Washington D. C - março 2014 NOME CLASSIFICAÇÃO CATEGORIA TEMA PALAVRAS-CHAVE REDE SOCIAL EMPRESARIAL : CONNECT AMERICAS PRÁTICA INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES Fábio S. de Oliveira 1 Daniel Murara Barcia 2 RESUMO Gerenciar informações tem um sido um grande desafio para as empresas diante da competitividade

Leia mais

Quem somos? Por que a sua empresa merece o Sistema de Gestão ERP da Otimizy?

Quem somos? Por que a sua empresa merece o Sistema de Gestão ERP da Otimizy? Por que a sua empresa merece Quem somos? A Otimizy Sistemas Inteligentes é a desenvolvedora do software ErpSoft, um Sistema de Gestão Empresarial voltado a resultados, que automatiza processos operacionais

Leia mais

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding Unindo a estratégia às operações com sucesso Visão Geral O Scorecarding oferece uma abordagem comprovada para comunicar a estratégia de negócios por toda a

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares Fóruns Comunidades de Prática Mapeamento do Conhecimento Portal Intranet Extranet Banco de Competências Memória Organizacional

Leia mais

GLOSSÁRIO. Atividade: ação, em geral repetitiva, que permite gerar um determinado produto (bens e serviços), estendendo-se por tempo indeterminado.

GLOSSÁRIO. Atividade: ação, em geral repetitiva, que permite gerar um determinado produto (bens e serviços), estendendo-se por tempo indeterminado. GLOSSÁRIO Accountability: obrigação de prestar contas. Responsabilização. Envolve não apenas a transparência dos processos como também a definição de responsabilidades e identificação dos responsáveis.

Leia mais

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação ITIL na Prática Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 A Estratégia do Conselho da Justiça Federal CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 SUEST/SEG 2015 A estratégia do CJF 3 APRESENTAÇÃO O Plano Estratégico do Conselho da Justiça Federal - CJF resume

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B TERMO DE REFERÊNCIA DO PROCESSO CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES EXECUTORAS DE AÇÕES DE QUALIFICAÇÃO SOCIAL E

Leia mais

ANEXO VII FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO VII FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO VII FICHA DE INSCRIÇÃO MINISTÉRIO SUPERVISOR: Ministério da Educação ÓRGÃO/ENTIDADE: Universidade Federal de Santa Maria/RS DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Campus Centro de Educação da UFSM RESPONSÁVEL:

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA SECOM-PR N o 8 DE 19 DE DEZEMBRO DE 2014 Disciplina a implantação e a gestão da Identidade Padrão de Comunicação Digital das

Leia mais

Obtenção de regras de associação sobre compras governamentais: Um estudo de caso 1

Obtenção de regras de associação sobre compras governamentais: Um estudo de caso 1 Obtenção de regras de associação sobre compras governamentais: Um estudo de caso 1 Keila Michelly Bispo da Silva 2, Starlone Oliverio Passos 3,Wesley Vaz 4 Resumo: O processo de compras governamentais

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Introdução

DATA WAREHOUSE. Introdução DATA WAREHOUSE Introdução O grande crescimento do ambiente de negócios, médias e grandes empresas armazenam também um alto volume de informações, onde que juntamente com a tecnologia da informação, a correta

Leia mais

Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil

Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil PRÁTICA 1) TÍTULO Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: A Auditoria Interna

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI Noções de sistemas de informação Turma: 01º semestre Prof. Esp. Marcos Morais

Leia mais

Desenvolvendo pessoas e um melhor serviço à sociedade

Desenvolvendo pessoas e um melhor serviço à sociedade Desenvolvendo pessoas e um melhor serviço à sociedade Relatório de atividades 2014 Introdução No quadriênio de 2007 a 2010 a implantação de Modelo de Gestão de Pessoas por Competências na Secretaria da

Leia mais

Governança de TI no Ministério da Educação

Governança de TI no Ministério da Educação Governança de TI no Ministério da Educação José Henrique Paim Fernandes Secretário Executivo Ministério da Educação Novembro de 2008 Governança de TI no Ministério da Educação Contexto Gestão e Tecnologia

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica)

Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica) Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica) No decorrer da execução do Projeto, e tão logo sejam definidos os perfis dos consultores necessários para a consecução dos produtos

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

Banco de Dados - Senado

Banco de Dados - Senado Banco de Dados - Senado Exercícios OLAP - CESPE Material preparado: Prof. Marcio Vitorino OLAP Material preparado: Prof. Marcio Vitorino Soluções MOLAP promovem maior independência de fornecedores de SGBDs

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

A importância da. nas Organizações de Saúde

A importância da. nas Organizações de Saúde A importância da Gestão por Informações nas Organizações de Saúde Jorge Antônio Pinheiro Machado Filho Consultor de Negócios www.bmpro.com.br jorge@bmpro.com.br 1. Situação nas Empresas 2. A Importância

Leia mais

SIG VOLTADO PARA A FISCALIZAÇÃO DA ATIVIDADE PROFISSIONAL DE ARQUITETO E URBANISTA

SIG VOLTADO PARA A FISCALIZAÇÃO DA ATIVIDADE PROFISSIONAL DE ARQUITETO E URBANISTA www.caubr.gov.br SIG VOLTADO PARA A FISCALIZAÇÃO DA ATIVIDADE PROFISSIONAL DE ARQUITETO E URBANISTA Máximo Miqueles Coordenador de Geotecnologia CAU/BR São Paulo, SP 07 de maio de 2014 SISTEMA IGEO OBJETIVO

Leia mais

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2012 2015 Controle de Revisão Ver. Natureza Data Elaborador Revisor

Leia mais

MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA 2012.1 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS É uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos, fundada em 20 de dezembro de 1944, com o objetivo de ser um centro voltado

Leia mais

PERSPECTIVA FUNCIONAL DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TIPOS DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO

PERSPECTIVA FUNCIONAL DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TIPOS DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO CURSO: GESTÃO AMBIENTAL PROFESSOR: WENES SILVA DOS SANTOS ALUNOS: ANDRÉ VIANA CAVALCANTE, DANILO CARVALHO DE OLIVEIRA, GEISA MOREIRA DE SOUSA, FERNANDA MONTES, LIAMAR MONTES, PRISCILA CASTRO, RAIMUNDINHA

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof a.:lillian Alvares Fóruns óu s/ Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias

Leia mais

Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 16, 17 e 18 de abril de 2013

Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 16, 17 e 18 de abril de 2013 Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 16, 17 e 18 de abril de 2013 IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE COMO FERRAMENTA DE APOIO À GESTÃO DE DESEMPENHO: O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO

Leia mais

COMO SER FORNECEDOR PETROBRAS. Clovis Francisco de Paula Filho André Costa Reis

COMO SER FORNECEDOR PETROBRAS. Clovis Francisco de Paula Filho André Costa Reis COMO SER FORNECEDOR PETROBRAS Clovis Francisco de Paula Filho André Costa Reis GERÊNCIA - MATERIAIS/CDBS Plano Estratégico PETROBRAS Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN)

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) SISTEMAS COM ERP Profº Adalberto J. Tavares Vieira ERP

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

ESTUDO TÉCNICO N.º 01/2013

ESTUDO TÉCNICO N.º 01/2013 ESTUDO TÉCNICO N.º 01/2013 MONIB: Painel de Indicadores de Monitoramento do Plano Brasil Sem Miséria concepção e funcionalidades MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

Pimenta de Ávila: SAP Business One suporta crescimento da empresa

Pimenta de Ávila: SAP Business One suporta crescimento da empresa Picture Credit Customer Name, City, State/Country. Used with permission. Pimenta de Ávila: SAP Business One suporta crescimento da empresa Geral Executiva Nome da Pimenta de Ávila Consultoria Ltda. Indústria

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Gestão estratégica de pessoas e planos de carreira

Gestão estratégica de pessoas e planos de carreira Gestão estratégica de pessoas e planos de carreira Módulo 3 Conceitos e Princípios Sobre Carreira e Remuneração Fundação Escola Nacional de Administração Pública Presidente Gleisson Rubin Diretor de Desenvolvimento

Leia mais

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional.

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Tema 1: Eficiência Operacional Buscar a excelência na gestão de custos operacionais. Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Agilizar

Leia mais