internacionais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "internacionais - 2008"

Transcrição

1 O estudante brasileiro de MBA em escolas internacionais São Paulo Brasil

2 A Pesquisa Realizada por meio de aplicação de questionários quantitativos com 44 alunos brasileiros de 2º ano de MBA das principais escolas de negócios dos Estados Unidos e Europa, a pesquisa MBA 2008 teve como principal objetivo a observação do perfil do aluno brasileiro que realiza um MBA no exterior, incluindo eventuais particularidades entre os diferentes cenários continentais, bem como o confronto com a pesquisa realizada em 2007, quando apenas os Estados Unidos foram considerados. 2

3 A Pesquisa Amostra: Tipo de pesquisa: Critério para aplicação de pesquisa: 44 estudantes brasileiros (31 nos EUA, 13 na Europa) quantitativa primária alunos de 2º ano das 25 primeiras universidades de acordo com o ranking de 2008 do Financial Times versus disponibilidade 3

4 Os Resultados Lógica para apresentação dos resultados da pesquisa: Gráficos Explicação dos dados obtidos 4

5 Padrões Sócio-Culturais 5

6 Idade Idade - Geral 19% Idade - EUA 10% 0% 26% 11% 0% 23% 45% 27% 39% Idade - Europa 15% 0% 15% 20 a a a a a a 40 Acima de 40 23% 47% 6

7 Idade 27% Idade - Geral 11% 0% 39% 23% 89% dos alunos que responderam à pesquisa estão na faixa dos 25 a 32 anos; sendo 66% entre 28 e 32 anos. Em 2007, estes números eram, respectivamente, de 92% e 79%. 1. Verifica-se que a maioria dos alunos que ingressam no curso de MBA são ainda jovens, entre 25 e 32 anos. 2. A maior fatia dos Estados Unidos (no gráfico) está concentrada entre 28 a 29 anos (45% versus 23% na Europa), enquanto a maior fatia da Europa está concentrada entre 30 a 32 anos (47% versus 19% nos Estados Unidos). 3. A maior concentração dos Estados Unidos (juntando-se fatias do gráfico) encontrase entre 25 e 29 anos (71% versus 38% na Europa), enquanto a maior concentração da Europa entre 28 e 32 anos (70% versus 64% nos Estados Unidos). Conclusão: Na Europa, os estudantes possuem uma média de dois anos a mais que nos Estados Unidos. 7

8 Idade Idade - Geral 11% 0% 23% 27% Com relação à pesquisa de 2007, temos: 39% Se comparamos os cenários de Estados Unidos (2007 e 2008): Faixa EUA 2007 EUA 2008 Ocorrência 25 a 27 13% 26% 28 a 29 40% 45% 30 a 32 39% 19% 33 a 36 8% 10% 8

9 Idade Idade - Geral 27% 11% 0% 23% Com relação à pesquisa de 2007, temos: 39% Se comparamos os cenários de Estados Unidos 2007 e geral 2008: Faixa 25 a a a a 36 EUA % 40% 39% 8% 2008 Ocorrência 23% 39% 27% 11% 9

10 Idade Idade - Geral 27% 11% 0% 23% Com relação à pesquisa de 2007, temos: 39% 1. Em 2007: maior parcela entre 28 e 32 anos - 79%. 2. Em 2008: maior parcela entre 28 e 32 anos - 66%. 3. A queda de 13% na média etária é principalmente refletida no aumento da faixa entre 25 e 27 anos. Conclusão: mesmo com a Europa "puxando" dois anos para cima, a idade dos estudantes caiu em comparação a 2007, em termos gerais. 10

11 Gênero Gênero - EUA Gênero - Geral 19% 18% 81% Gênero - Europa 82% 15% Homens Mulheres 85% 11

12 Gênero Gênero - Geral 18% 82% Entre os alunos pesquisados em 2008, 82% são homens e 18% mulheres. Os motivos para tais números podem se explicar por: 1. Divergência entre salários de homens e mulheres o que resulta no investimento para desenvolvimento prioritário da carreira do homem, no caso de pessoas casadas. (Vide pesquisa do IBGE de 2007 embora tenha diminuído, a diferença do rendimento entre homens e mulheres ainda é muito grande fonte: Agência Brasil). 2. A idade média dos alunos de MBA, para mulheres em franca expansão de carreira, coincide com a época do casamento e primeiro filho, o que contribui para a baixa presença feminina no MBA (vide gráfico de Idade pág. 9). (Vide pesquisa IBGE de 2006 entre as mulheres, a maior taxa de nupcialidade legal 2 ocorreu no grupo etário de 20 a 24 anos (30,0%). Já os homens tiveram taxa mais elevada na faixa de 25 a 29 anos (35,8%) fonte: IBGE). 12

13 Gênero Gênero - Geral 18% 82% Comparados os números de Estados Unidos e Europa, houve uma diferença de 4% entre as proporções, sendo 85% de homens na Europa, versus 81% nos Estados Unidos. 1. Comparando-se a pesquisa de 2007 (feita com base nos Estados Unidos) com os dados dos Estados Unidos obtidos em 2008, têm-se uma redução de 6% no número de homens, contra o equivalente crescimento no número de mulheres presentes nos cursos de MBA. 2. Comparando-se a pesquisa de 2007 com os dados gerais da pesquisa de 2008, têm-se uma redução de 5% no número de homens, contra o equivalente crescimento no número de mulheres presentes nos cursos de MBA (Estados Unidos mais Europa). Conclusão: Em 2008, houve uma queda na idade média dos alunos de MBA, comparativamente a 2007, o que justificaria a maior parcela de mulheres fazendo o curso, uma vez que se encontram em idade anterior à do casamento. 13

14 Família Levou família - EUA Levou família - Geral 45% 55% 45% 55% Levou família - Europa 46% Sim Não 54% 14

15 Família Levou família - Geral 55% 45% Apenas 45% dos alunos que responderam à questão levaram família para o exterior enquanto cursam o MBA em Os números da Europa e Estados Unidos são os mesmos, com reflexo nos números gerais. 2. Comparativamente a 2007, houve uma queda de 55% para 45% dos estudantes que levaram suas famílias para o MBA. 3. Em 2007, portanto, este gráfico era invertido, com predominância de estudantes que levaram suas famílias enquanto cursavam o MBA. Naquele ano, a média etária, como já se mencionou, foi maior que a atual, o que pode justificar a alteração percebida no gráfico acima, referente a Ou seja, assume-se que, por serem os estudantes de 2008 mais jovens, em média, ainda não constituíram família e, portanto, viajaram sozinhos. 15

16 Retorno ao Brasil Retorno ao Brasil após MBA - EUA 24% Retorno ao Brasil após MBA - Geral 76% 18% Retorno ao Brasil após MBA - Europa 82% 0% Sim Não 100% 16

17 Retorno ao Brasil Retorno ao Brasil após MBA - Geral Em 2008, 76% dos alunos brasileiros de MBA dos Estados 18% Unidos que responderam à pergunta desejam voltar ao Brasil após o término do curso, versus 100% dos alunos brasileiros 82% na Europa, o que resulta num quadro geral de 82% de alunos que desejam voltar ao país após o término do MBA no exterior. 1. Comparando-se o cenário dos Estados Unidos à pesquisa realizada em 2007, houve uma redução de 9% no número de alunos dispostos a voltar ao Brasil, o que é compatível com a queda da média etária e a conseqüente disponibilidade para permanecer mais tempo no exterior. 2. Quando tem-se o cenário geral da pesquisa de 2008, o número de pessoas dispostas a voltar para o Brasil cresce para 82%, em função da maior senioridade dos estudantes na Europa. 17

18 Retorno ao Brasil 75,00% Porque retornar ao Brasil 56,25% 1. Em 2008, as principais motivações para se retornar ao Brasil baseiam-se principalmente em oportunidades (54%) e família (41%). 6,25% Oportunidades Família Qualidade de vida Outros 6,25% 2. Grande parte dos alunos que desejam voltar ao Brasil mencionam o bom cenário/perspectivas do país frente ao mercado internacional. 3. Dos que pretendem permanecer no exterior, as principais motivações são a importância de estenderem a experiência internacional e a percepção de maiores oportunidades. 18

19 Carreira 19

20 Graduação Natureza da instituição de graduação - EUA Natureza da instituição de graduação - Geral 26% 32% 21% 37% 42% Natureza da instituição de graduação - Europa 42% 8% Privada Pública Estadual Pública Federal 42% 50% 20

21 Graduação Natureza da instituição de graduação - Geral 21% 42% 37% Em 2008, 63% dos alunos brasileiros de MBA pesquisados provêem de escolas públicas de graduação, sendo 42% de escolas Estaduais e 21% de Federais, versus 37% de escolas Privadas. 1. Nos Estados Unidos, predominaram os alunos provenientes de escolas Públicas Estaduais (42%), enquanto que, na Europa, predominaram os alunos provenientes das escolas Privadas (50%). 2. As escolas Federais foram as menos incidentes em 2008 (mesmo cenário de 2007), possivelmente em função da maior presença de estudantes vindos da região Sudeste do Brasil, onde há uma maior concentração de escolas Públicas Estaduais encontradas nos MBAs, tais como UNICAMP e USP. 3. Na Europa, há uma incidência maior de estudantes provenientes de escolas Privadas do que nos Estados Unidos. Somando este dado ao fato de que, na Europa, observou-se uma maior incidência de alunos que custearam o MBA com recursos próprios (como será visto mais adiante), conclui-se que possivelmente estes alunos tenham melhores condições financeiras, em média, do que aqueles que cursam escolas nos Estados Unidos. 21

22 Graduação Natureza da instituição de graduação - Geral 21% 42% 37% Em relação à pesquisa feita em 2007, temos as seguintes comparações: 1. Em 2008, manteve-se prioridade das universidades públicas, com redução de escolas Privadas e aumento de Públicas comparado a Com relação ao quadro geral de 2008, em comparação a 2007, como na Europa há uma maior incidência de alunos que fizeram graduação em escolas Privadas, as proporções entre escolas Públicas e Privadas permanecem as mesmas, havendo diferença com relação às escolas Federais, que caíram, versus as Estaduais, que cresceram. 22

23 Área de Graduação Área de graduação - EUA Área de graduação - Geral 3% 45% 52% 2% 49% 49% Área de graduação - Europa 0% 42% Humanas Exatas Biológicas 58% 23

24 Área de Graduação 49% Área de graduação - Geral 2% Em 2008, o mesmo número de alunos são provenientes dos cursos de Humanas e Exatas (49%), contra uma predominância 49% bastante clara em 2007, quando 68% dos alunos brasileiros de MBA pesquisados haviam feito sua graduação na área de Exatas. 1. O perfil dos alunos selecionados pelas universidades exige uma forte base analítica, tanto quantitativa quanto qualitativa, encontrada nos cursos de graduação focados nas áreas de Exatas e Humanas (Administração e Economia). 2. Apenas 2% dos alunos que responderam à pesquisa são provenientes da área de Biológicas. Para estes, o MBA representa uma forma de redirecionar a carreira profissional para o mundo corporativo. 3. Em 2007, 57% dos alunos eram provenientes dos cursos de Exatas, 38% de Humanas e 5% Biológicas. Em 2008, tanto analisando-se o cenário dos Estados Unidos quanto o geral, houve uma redução nos alunos provenientes da área de Exatas e um aumento dos vindos de áreas de Humanas, o que reflete uma maior presença dos cursos de Economia e Administração de Empresas nos cursos de MBA. 24

25 Experiência no Exterior Experiência prévia no exterior - EUA Experiência prévia no exterior - Geral 19% 10% 26% 14% 7% 32% 10% 35% 14% 33% Experiência prévia no exterior - Europa 23% 0% Trabalho e estudo Estudo Trabalho Não Férias 46% 31% 25

26 Experiência no Exterior 14% Experiência prévia no exterior - Geral 7% 14% 32% 33% Em 2008, 79% dos estudantes tiveram prévia experiência com trabalho e/ou estudo no exterior, enquanto 7% apenas passaram férias fora e os outros 14% tiveram, no MBA, sua primeira experiência internacional. 1. Os números apontam o perfil internacional dos alunos brasileiros que seguem para um MBA no exterior. 2. Enquanto na Europa 100% dos alunos de MBA brasileiros tiveram prévia experiência no exterior a trabalho e/ou estudo, nos Estados Unidos este número cai para 71%. 3. Com relação a 2007, quando 85% dos alunos haviam passado por prévia experiência com trabalho e/ou estudo no exterior, houve uma queda para 71% nos Estados Unidos e para 79% no cenário geral em Conclusão: Houve uma redução nos alunos que tiveram prévia experiência com estudo e/ou trabalho no exterior em 2008, fato que pode estar diretamente relacionado à menor média etária em comparação a

27 Experiência de Trabalho Anos trabalhados antes do MBA - EUA Anos trabalhados antes do MBA - Geral 13% 3% 0% 39% 18% 7% 0% 34% 45% Anos trabalhados antes do MBA - Europa 41% 15% 0% 23% 0 a 3 3 a 5 5 a 7 7 a 10 Mais de 10 31% 31% 27

28 Experiência de Trabalho Anos trabalhados antes do MBA - Geral 18% 7% 41% 0% 34% Em 2008, 34% dos estudantes tiveram prévia experiência profissional de 3 a 5 anos; 41% de 5 a 7 anos; 18% de 7 a 10 anos e 7% acima de 10 anos. 1. Nos Estados Unidos, a maior fatia de estudantes está localizada entre 5 a 7 anos de prévia experiência profissional (45%), enquanto na Europa o percentual de estudantes dentro desta categoria iguala-se ao percentual de estudantes com prévia experiência de 7 a 10 anos (31% para ambos). 2. Considerando um cenário ainda mais abrangente, nos Estados Unidos 84% dos alunos tiveram prévia experiência profissional de 3 a 7 anos, enquanto, na Europa, a maioria encontra-se na faixa entre 5 a 10 anos, com 61% de representatividade. Tais números são compatíveis com o fato de que, na Europa, os estudantes apresentam uma média etária superior. 28

29 Experiência de Trabalho Anos trabalhados antes do MBA - Geral 18% 7% 41% 0% 34% Comparando-se os dados dos Estados Unidos em 2008 aos obtidos em 2007, apesar de não haver uma diferença muito discrepante entre os dois cenários, houve uma queda dos estudantes com prévia experiência de 5 a 7 (55% para 45%) anos e um crescimento da faixa de 3 a 5 anos (29% para 39%), o que é compatível com a menor média etária dos estudantes em No cenário geral de comparação entre os dois anos (considerando-se Europa e Estados Unidos), percebe-se que houve uma "juniorização" dos estudantes que tem entre 3 e 7 anos de prévia experiência profissional, enquanto que, na faixa acima de 7 anos, houve uma "seniorização", em função do cenário da Europa, que apresenta estudantes com maior média etária do que nos Estados Unidos. 3 a 5 anos 5 a 7 anos 7 a 10 anos Acima de 10 anos % 55% 13% 3% % 45% 18% 7% 29

30 Segmento pré-mba Segmento antes do MBA - EUA Segmento antes do MBA - Geral 6% 3% 3% 3% 3% 6% 3% 32% 22% 19% 7% 5% 5% 2% 2% 2% 2% 25% Banco Consultoria Indústria Negócio próprio Banco (Asset Mgt) Banco investimento Telecom Educação ONG Private Equity 9% 18% 23% Segmento antes do MBA - Geral 8% 8% 8% Banco Consultoria Indústria Negócio próprio Banco (Asset Mgt) Banco investimento Telecom Entretenimento ONG Private Equity Educação 8% 26% 8% 34% Banco Consultoria Indústria Negócio próprio Banco (Asset Mgt) Entretenimento Telecom 30

31 Segmento pré-mba Segmento antes do MBA - Geral 7% 9% 5% 5% 2% 2% 2% 2% 18% 25% 23% Em 2008, os principais segmentos dos quais provieram os estudantes brasileiros para os cursos de MBA foram Bancos, Consultorias e Indústrias. 1. Na Europa, há uma grande incidência de alunos com negócios próprios, o que somente é superado por alunos provenientes de Consultorias. 2. Nos Estados Unidos, 35% dos alunos provêem de Bancos, seguido de 22% de Indústrias e 19% de Consultorias. A maioria dos alunos vindos de Bancos é coerente com o foco dos cursos dos Estados Unidos serem mais voltados a instituições financeiras. 31

32 Posição pré-mba Posição antes do MBA - EUA Gerente Posição antes do MBA - Geral Gerente 6% 6% 3% 3% 0% 30% Analista Sênior Outros Consultor Analista Sênior 10% Gerente Sênior Analista 7% 7% 7% 5% 0% 33% Outros Gerente Sênior Consultor 19% 23% Consultor Sênior Negócio Próprio C-Level / Diretor / VP / CEO / Sócio 9% 16% 16% Consultor Sênior Negócio Próprio Analista 15% Posição antes do MBA - Europa 8% 0% Gerente Gerente Sênior Consultor Sênior C-Level / Diretor / VP / CEO / Sócio 15% 47% Negócio Próprio Outros Analista Sênior 15% Consultor Analista C-Level / Diretor / VP / CEO / Sócio 32

33 Posição pré-mba Posição antes do MBA - Geral 7% 9% 7% 7% 16% 5% 0% 16% 33% Em 2008, os estudantes brasileiros eram, antes do MBA, principalmente Gerentes (33%) e Analistas Seniores (16%). 1. Nos Estados Unidos, os cargos mais presentes são também de Gerentes (30%) e Analistas Seniores (23%), enquanto que, na Europa, são principalmente de Gerentes (47%), Gerentes Seniores (15%) e Consultores Seniores (15%) % dos estudantes ocupavam, antes de fazer o MBA, posições de gerência ou prégerência. Além disso, na Europa os estudantes ocupavam posições mais seniores do que os dos Estados Unidos, o que é compatível com a diferença de média etária. 33

34 Posição pré-mba Posição antes do MBA - Geral 7% 9% 7% 7% 5% 0% 33% Comparando-se a pesquisa de 2008 à de 2007, temos que: 16% 16% 1. Analisando-se a pesquisa de 2007 ao quadro dos Estados Unidos em 2008, considerando-se os níveis mais relevantes, houve manutenção da quantidade de Analistas Seniores, mas uma inversão de Consultores e Gerentes. Tendo em vista que, nos Estados Unidos, houve uma redução da média etária e do tempo médio trabalhado antes do MBA, chega-se à conclusão de que não seria possível uma seniorização dos profissionais, mas sim uma redução daqueles provindos do segmento de Consultoria. 2. Comparando-se 2007 ao contexto geral de 2008, ao considerar-se os níveis mais relevantes, percebe-se um decréscimo no número de Analistas Seniores e Consultores, bem como crescimento no número de Gerentes. Estes resultados são verificados por: 1) menor presença de profissionais vindos do segmento de Consultoria (como visto em item anterior); 2) além de uma maior senioridade dos profissionais que estudam na Europa. 34

35 Summer Job Fizeram Summer Job - EUA 3% Fizeram Summer Job - Geral 7% 97% Fizeram Summer Job - Europa 93% 15% Sim Não 85% 35

36 Summer Job Fizeram Summer Job - Geral 7% 93% 93% dos alunos pesquisados participaram de Summer Jobs durante o MBA. A alta percentagem de alunos que participaram de Summer Job evidencia o uso deste tipo de experiência para estreitarem o relacionamento com empresas para oportunidades futuras. 1. O MBA facilita aos alunos zerarem a carreira e o Summer Job auxilia no processo de tomada de decisão, pela nova orientação profissional, quando aplicável. 2. Além de auxiliar na carreira, ajuda a custear a vida acadêmica do estudante durante o período de MBA (que passa dois anos apenas investindo, sem nenhuma remuneração em contrapartida). 3. Comparativamente a 2007, em 2008 houve um decréscimo nas pessoas que realizaram o Summer Job, o que foi principalmente impactado pela Europa. 36

37 Summer Job Países em que realizou Summer Job - Geral 45% Países em que realizou Summer Job - EUA 43% 31% 17% 3% 3% 3% 3% 3% 3% 3% 23% 15% 18% Brasil Estados Unidos Reino Unido Chile Argetina Uruguai Índia China Canadá Emirados Árabes 8% 8% 3% Países em que realizou Summer Job - Europa 36% 36% Brasil EUA Inglaterra Outros países Europa América Latina Ásia Canadá 18% 9% 9% Brasil Espanha Bélgica Reino Unido Suíça 37

38 15% 18% 8% 8% Summer Job Países em que realizou Summer Job - Geral 43% 23% Dos 93% dos alunos pesquisados que participaram de Summer Job durante o MBA, 43% o fizeram no Brasil. 3% 1. Os estudantes que fizeram MBA nos Estados Unidos focaram seus Summer Jobs no Brasil, Estados Unidos, América Latina, Ásia e apenas a Inglaterra, na Europa. Já os estudantes da Europa tiveram suas experiências no Brasil e países da Europa, em geral. 2. O Brasil é, hoje, um dos principais focos dos alunos para realização do Summer Job, afinal, o país passa por um bom momento e é tido pelo contexto internacional como um mercado de grande potencial, fato, este, que vem sendo crescentemente reforçado junto aos cursos de MBA. 3. Para reforçar este entendimento, vide comparação entre a pesquisa de 2007 com Em 2007, a grande maioria dos estudantes fez seu Summer Job nos Estados Unidos, enquanto que, em 2008, seja analisando-se Estados Unidos, seja analisando-se o contexto geral, o foco prioritário foi o Brasil, enquanto a presença nos Estados Unidos caiu de 49% para 31% e 23%, respectivamente (no contexto geral, houve grande impacto da Europa). 38

39 Summer Job Segmento Summer Job - EUA 46% Segmento Summer Job - Geral 55% 31% 7% 3% 3% 31% 13% 5% 3% Segmento Summer Job - Europa 30% 30% 20% 10% Instituições Financeiras Consultorias Indústria Mídia e Entretenimento Educação 0% 39

40 Summer Job Segmento Summer Job - Geral 46% 31% 13% 5% 3% Dos 93% dos alunos pesquisados que participaram do Summer Job durante o MBA em 2008, 46% o fizeram em Instituições Financeiras, 31% em Consultorias, 13% em Indústria, 5% Mídia e Entretenimento e 3% Educação. 1. Os estudantes dos Estados Unidos são mais orientados a Instituições Financeiras, na maioria (55%), com segundo foco voltado à Consultoria (31%). Já na Europa, Consultorias e Indústrias dividem a primeira orientação dos estudantes (30%), o que demonstra um foco distinto de carreira entre as duas localidades. 2. Comparando-se o cenário dos Estados Unidos de 2007 ao cenário de 2008, tanto nos Estados Unidos em si, quanto agregado à Europa, houve uma queda substancial na busca pela realização de Summer Jobs em Instituições Financeiras e uma diversificação para outros segmentos, com prioridade para Consultorias, que apresentaram um crescimento também relevante. Tal mudança de cenário foi justificada pelos estudantes em função da menor contratação das Instituições Financeiras frente à crise que vem se instalando desde outubro de 2007 no mercado financeiro, bem como à relevância que o assunto tem tomado nos cursos de MBA, o que influenciou na opção por outros segmentos. 40

41 Summer Job Bolsa-auxílio Summer Job - EUA Bolsa-auxílio Summer Job - Geral 14% 13% 86% Bolsa-auxílio Summer Job - Europa 87% 10% Sim Não 90% 41

42 Summer Job Bolsa-auxílio Summer Job - Geral 13% 87% Dos alunos pesquisados que participaram de Summer Job durante o MBA, 87% receberam bolsa-auxílio. Nos Estados Unidos, 14% não receberam bolsa-auxílio, enquanto na Europa este número cai para 10%. 1. Em comparação a 2007, quando 96% dos estudantes haviam recebido bolsa-auxílio durante o Summer Job, em 2008 houve um aumento daqueles que não a receberam, principalmente em função do cenário dos Estados Unidos. 2. A média do valor da bolsa-auxílio se mostra entre US$ 15 e 30 mil para o Summer Job. 3. Os valores de bolsa auxílio se mostraram maiores para os estudantes das escolas dos Estados Unidos do que da Europa. Intervalos US$ 10k a US$ 20k US$ 21k a US$ 30k Europa 87,5% 12,5% EUA 43% 57% 42

43 Atuação Pós-MBA Segmento alvo após MBA - EUA 61% Segmento alvo após MBA - Geral 52% 48% 42% 26% 26% 57% 52% 3% 3% 6% 41% 34% 34% 32% 9% 5% 5% 54% Segmento alvo após MBA - Europa 54% 46% 46% Private Equity Consultoria Mercado Financeiro Venture Capital Outros Bens de Consumo Farmacêutico Automotivo Negócio Próprio 23% 15% 23% 8% 0% 43

44 Atuação Pós-MBA Segmento alvo após MBA - Geral 57% 52% 41% 34% 34% 32% 9% 5% 5% No cenário geral dos alunos brasileiros que responderam à questão, há uma priorização pelos segmentos de Finanças, Investimentos e Consultoria. Esta tendência é principalmente evidenciada nos Estados Unidos, onde pelo menos 40% dos alunos se mostraram interessados nestes mercados. 1. Na Europa, mais de 50% dos alunos brasileiros disseram-se interessados em Consultoria, número equiparado à somatória de estudantes abertos a segmentos como Tecnologia, Engenharia, Aviação, Energia e Mídia. Tais percentuais são seguidos por indústrias de Bens de Consumo e segmento de Private Equity, com o Mercado Financeiro representando 23% da opção dos alunos e Venture Capital apenas 15%. 2. Enquanto os alunos dos Estados Unidos estão mais dispostos a assumirem carreiras em segmentos de maior risco, como mercado financeiro, na Europa há um maior interesse por segmentos mais estáveis. 44

45 Atuação Pós-MBA Segmento alvo após MBA - Geral 57% 52% 41% 34% 34% 32% 9% 5% 5% Comparando-se a pesquisa realizada em 2007, foram obtidas as seguintes conclusões: 1. Em 2008, houve um aumento dos estudantes interessados em Consultoria e outros segmentos, tais como Bens de Consumo e outras indústrias. Tal fato reflete diretamente a situação corrente do mercado global, porquanto há uma maior instabilidade dos segmentos de Investimentos e Finanças, bem como uma menor abertura destes segmentos para contratação de profissionais. 2. Além disto, reforça-se o interesse diversificado dos estudantes que estão na Europa, o que faz com que os números do quadro geral de 2008 com o de 2007 (quando somente Estados Unidos foram considerados) sofra ainda maior alteração. 45

46 Valia do MBA Valia do MBA no exterior - EUA 4% Valia do MBA no exterior - Geral 2% 96% Valia do MBA no exterior - Europa 98% 0% Sim Não 100% 46

47 Valia do MBA Motivações para MBA no exterior - EUA Motivações para MBA no exterior - Geral 85% 89% 81% 67% 26% 85% 85% 78% 68% 33% Motivações para MBA no exterior - Europa Netw orking Troca de cultura 85% 77% 69% 69% Qualidade de ensino Maior credibilidade no mercado nacional 46% Outros 47

48 Valia do MBA Valia do MBA no exterior - Geral 2% 98% dos alunos brasileiros que responderam à questão consideram que o MBA cursado no exterior tem maior relevância para suas carreiras do que o cursado no Brasil. 98% Comparando-se o cenário de 2008 ao de 2007 (tanto avaliando-se Estados Unidos isoladamente, quanto Estados Unidos e Europa), não houve diferenças passíveis de comentários. Motivações para MBA no exterior - Geral Networking e troca de cultura são os fatores mais relevantes, na opinião dos estudantes brasileiros, para escolha de um MBA no exterior. 85% 85% 78% 68% 33% Em seguida, a qualidade de ensino e maior credibilidade no mercado nacional foram apontados. Dos 33% que deram outras justificativas, o item mais relevante foi a dedicação integral ao curso, mencionada por 23% dos estudantes brasileiros da Europa que responderam à pergunta (7,5% do quadro total de estudantes que responderam). 48

49 Aspectos Financeiros 49

50 Formas de Pagamento do MBA Formas de pagamento do MBA - EUA Formas de pagamento do MBA - Geral 71% 42% 35% 73% 23% 6% 10% 34% 32% 16% 7% 7% Formas de pagamento do MBA - Europa 77% Recursos Próprios ou Familiares Instituição Financeira Patrocínio atual Empregador Financiamento MBA Bolsa ou Doações Outros 15% 23% 0% 8% 0% 50

51 Formas de Pagamento do MBA Formas de pagamento do MBA - EUA 17% 31% 23% Formas de pagamento do MBA - Geral 13% 40% 28% 10% 14% 10% Somente recursos próprios 15% Somente patrocínio do empregador Composição de fontes distintas, que não recursos próprios 50% a 99% de fontes distintas, além de recursos próprios 1% a 49% de fontes distintas, além de recursos próprios 18% 9% Formas de pagamento do MBA - Europa 9% 0% 64% 51

52 Formas de Pagamento do MBA 73% Formas de pagamento do MBA - Geral 34% 32% 16% 7% 7% Em 2008, a grande maioria dos alunos que fizeram MBA no exterior utilizaram recursos próprios ou familiares para pagamento de parte ou da integralidade do curso. 1. Comparando-se Estados Unidos e Europa, o gráfico do primeiro demonstra uma utilização de composição maior para pagamento do curso do que no cenário da Europa, onde evidencia-se uma forte utilização de recursos próprios como principal fonte de pagamento (77%), seguido de patrocínio do atual empregador (23%) e financiamentos de Instituições Financeiras (15%). 2. Comparando-se 2007 e 2008, em linhas gerais nota-se um aumento na utilização de mais de um recurso para pagamento do MBA, porquanto todos os meios de pagamento tiveram acréscimo. Em especial, houve um crescimento substancial no número de estudantes aptos a pagarem parte ou a totalidade de seu curso com recursos próprios ou familiares (de 33% para 73%), bem como de estudantes que utilizaram recursos de Instituições Financeiras (21% para 34%, percentual que nos Estados Unidos foi de 42%). 52

53 Formas de Pagamento do MBA Formas de pagamento do MBA - Geral 13% 23% 40% 10% 15% Em 2008, 40% dos alunos que responderam à questão utilizaram recursos próprios ou familiares para quitação (100%) do curso de MBA e 15% foram 100% patrocinados por seu atual empregador. 1. O número geral de estudantes que pagaram a totalidade do MBA com recursos próprios ou familiares foi principalmente determinado pela Europa, onde 64% dos estudantes estão nesta condição, o que pode sugerir uma concentração de indivíduos com melhor condição financeira (vide pontos referentes a idade, posição prévia e tipo de instituição proveniente). 2. Também na Europa, 18% foram patrocinados integralmente por seus atuais empregadores, número similar aos Estados Unidos, onde 14% dos alunos encontram-se nesta condição % dos estudantes totais que responderam à questão utilizaram fontes alternativas para pagamento de seus MBAs, seja em composição com recursos próprios e familiares / de empregadores ou não. Quando comparados os dois cenários, na Europa apenas 18% dos alunos buscaram fontes alternativas, enquanto nos Estados Unidos este número sobe para 54%. 53

54 Formas de Pagamento do MBA Patrocinaram profissionais no MBA - EUA 83% Patrocinaram profissionais no MBA - Geral Banco 40% Consultoria 60% 14% Indústria 36% Banco Consultoria Patrocinaram profissionais no MBA - Europa 13% Indústria 20% Consultoria 54

55 Formas de Pagamento do MBA Patrocinaram profissionais no MBA - Geral 36% 60% 13% Em 2008, Consultorias, Bancos e Indústrias foram os principais segmentos a patrocinarem profissionais brasileiros para cursarem MBA no exterior. 1. Na Europa, as Consultorias foram as principais instituições a patrocinarem seus profissionais, com uma quase irrisória parcela de contribuição de empresas de Entretenimento. 2. Nos Estados Unidos, além de Consultorias, Bancos e Indústrias, há também uma irrisória parcela de contribuição de empresas de Telecom. 3. Dentre os segmentos que patrocinaram seus profissionais, as Consultorias apresentamse em primeiro lugar. No quadro geral, 60% dos alunos provenientes de Consultorias tiveram seu curso patrocinado, na totalidade ou em parte (sendo 83% nos Estados Unidos e 20% na Europa). 4. Ainda no quadro geral, 36% dos alunos provenientes de Bancos e 13% dos provenientes de indústria tiveram seu MBA patrocinado na totalidade ou em parte. 55

56 Formas de Pagamento do MBA Percentual de patrocínio Geral Percentual de patrocínio EUA Segmento Quanto patrocina Percentual Segmento Quanto patrocina Percentual Banco 70% 17% Banco 70% 25% Banco 100% 50% Banco Consultoria 100% 33% 75% 17% Consultoria Consultoria Consultoria 33% 40% 50% 17% 17% 33% Consultoria 40% 17% Consultoria 80% 17% Consultoria 50% 33% Consultoria Consultoria 80% 100% 17% 17% Percentual de patrocínio Europa Segmento Quanto patrocina Percentual Consultoria 100% 100% 56

57 Formas de Pagamento do MBA Segmento Quanto patrocina Percentual Banco Banco Consultoria Consultoria Consultoria Consultoria 70% 100% 33% 40% 50% 80% 25% 75% 17% 17% 33% 17% Em 2008, 75% dos Bancos que patrocinaram seus profissionais brasileiros arcaram com 100% dos custos do MBA. Nas Consultorias, apenas 17% arcaram com 100% do curso. Consultoria 100% 17% 1. Cruzando-se os dados referentes aos segmentos que patrocinaram seus profissionais e o percentual patrocinado, chega-se à conclusão de que as Consultorias estão mais dispostas a auxiliar seus profissionais a irem ao exterior, com um leque extenso de patamares de patrocínio. Já os Bancos suportam menos profissionais, mas aqueles que o são têm quase ou totalidade de seu curso pago pela instituição. 57

58 Remuneração antes do MBA Salários (em US$ 1.000,00) versuscargo - EUA 100 Salários (em US$ 1.000,00) versus cargo - Geral Diretor Gerente Sênior Gerente Consultor Sênior Consultor Analista Sênior Associado Diretor Gerente Sênior Gerente Consultor Sênior Consultor Analista Sênior Associado Salários (em US$ 1.000,00) versuscargo - Europa Diretor Gerente Sênior Gerente Consultor Sênior 58

59 Remuneração antes do MBA Salários (em US$ 1.000,00) versus faixa etária - EUA Salários (em US$ 1.000,00) versus faixa etária - Geral a a a a a a a a Salários (em US$ 1.000,00) versus faixa etária - Europa 25 a a a a 36 59

60 Remuneração antes do MBA Faixa etária versus salários (em US$ 1.000,00) - Geral Diretor Gerente Sênior Gerente Consultor Sênior Consultor Analista Sênior Associado Todos os alunos pesquisados em 2008 ficaram dentro da faixa média de remuneração anual de US$50mil a US$75mil. Considerando-se os cenários de Europa e Estados Unidos, obteve-se uma análise de que os dois cargos melhor remunerados dentre os estudantes brasileiros são os de Gerente Sênior e Consultor. 1. No caso dos Diretores, aqueles que responderam à pesquisa estavam trabalhando em empresas próprias ou de pequeno/médio porte. Por esta razão, seus salários não foram os mais altos do gráfico. 2. Quando se analisa os Estados Unidos isoladamente, nos cenários de 2007 e 2008 notou-se que, quanto maiores os cargos, maiores suas faixas salariais anuais. Já na Europa, não foi identificada a mesma relação. Tal fato ocorre porque os alunos são provenientes de segmentos distintos e empresas de portes também variados, o que é diretamente refletido na (in)coerência da relação entre cargos e salários. 60

61 Remuneração antes do MBA Cargo versus salários (em US$ 1.000,00) - Geral a a a a 36 Em 2008, nota-se que tanto nos Estados Unidos quanto na Europa há uma progressão de remuneração conforme a faixa etária dos alunos cresce. No entanto, há um desvio na faixa de 30 a 32 anos nos Estados Unidos e de 33 a 36 anos na Europa, questões não justificadas nos dados obtidos na pesquisa. 1. Na pesquisa geral, entretanto, há uma compensação destes dados, tornando o gráfico de cargos versus salários mais coerente. 2. Comparando-se o cenário de 2007 ao de 2008, tanto quando se analisa apenas os Estados Unidos, quanto o contexto geral, nota-se um aumento na remuneração dos alunos localizados entre 28 e 29 anos, bem como 33 a 36 anos, além de uma redução salarial dos alunos entre 30 e 32 anos localizados exclusivamente nos Estados Unidos. Tais fatores também não foram justificados na pesquisa. 61

62 Remuneração antes do MBA Expectativa de incremento salarial pós MBA - EUA 13% 7% 7% 27% Expectativa de incremento salarial pós MBA - Geral 12% 9% 7% 26% 43% 3% 37% 9% Expectativa de incremento salarial pós MBA - Europa 0% a 40% 41% a 80% 81% a 120% 121% a 160% 15% 8% 161% a 200% 201% a 240% 8% 23% 23% 23% 62

63 Remuneração antes do MBA Expectativa de incremento salarial pós MBA - Geral 12% 37% 9% 7% 9% 26% 79% dos alunos que cursam MBA no exterior em 2008 têm expectativa de incrementar seus pacotes anuais em até 160%, sendo que a maior parte (37%) tem expectativa entre 121% e 160% de incremento. 1. Analisando-se separadamente os cenários dos Estados Unidos e da Europa, verifica-se tendência similar, com 80% dos alunos nos Estados Unidos e 77% na Europa com expectativas de um incremento de até 160%. 2. Em 2007, 58% dos estudantes esperavam um incremento de até 150% em sua compensação anual, versus 79% que em 2008 manifestaram expectativa de até 160% de incremento, o que denota pouca mudança, principalmente considerando-se o desvio de intervalo. 3. Como conclusão, mantém-se o entendimento de que o MBA representa para o profissional um investimento na carreira, com vistas ao crescimento, inclusive salarial, aspecto no qual tem expectativa de alavancagem. 63

64 Conclusões 64

65 Aspectos Sócio-Culturais 1. Faixa etária preponderante dos alunos: 25 aos 32 anos. Em comparação a 2007, houve uma redução da média etária dos estudantes. Na Europa, há uma diferença média de dois anos a mais dos alunos em relação aos Estados Unidos. 2. Predominância masculina nos cursos de MBA do exterior. A idade observada, segundo o IBGE, é aquela em que homens e mulheres brasileiros se casam. Como há salários maiores no mercado para homens, investe-se na carreira masculina. Em comparação a 2007, houve um aumento do número de mulheres brasileiras nos cursos, o que é compatível com a redução da média etária, quando as mulheres ainda se encontram em fase préfamiliar. 3. Evidente intenção de retorno ao Brasil após o MBA. Oportunidades no Brasil, frente ao mercado global e atual crise mundial. Proximidade a suas famílias. 65

66 Aspectos de Carreira 1. Predominância de alunos provenientes de cursos de graduação em escolas públicas, que historicamente possuem melhor qualidade de ensino. Na Europa, 50% dos estudantes provêem de escolas particulares de primeira linha. Possivelmente estes alunos tenham melhores condições financeiras, em média, do que aqueles que cursam escolas nos Estados Unidos. 2. O perfil dos alunos selecionados pelas universidades exige uma forte base analítica, tanto quantitativa quanto qualitativa, encontrada nos cursos de graduação de Exatas e Humanas (Administração e Economia). Em 2008, houve um crescimento da proporção de cursos de Humanas dentre os alunos pesquisados. 3. A pesquisa evidencia que grande parte dos alunos brasileiros de MBA no exterior possuem experiência internacional anterior ao MBA % dos alunos de segundo ano pesquisados participaram de Summer Job durante o MBA. Em 2008, 43% o fizeram no Brasil, refletindo o momento em que se vislumbra um grande potencial no mercado brasileiro. A alta percentagem de alunos que participaram de Summer Job evidencia o uso deste tipo de experiência para estreitarem o relacionamento com empresas para oportunidades futuras. O MBA facilita aos alunos zerarem a carreira e o Summer Job auxilia nesse processo de redirecionamento. O Summer Job também ajuda a custear a vida acadêmica do estudante durante o período de MBA (que passa dois anos apenas investindo, sem nenhuma remuneração em contrapartida). 66

67 Aspectos de Carreira 5. O aluno entende o MBA como um investimento e busca maximizar o retorno financeiro, por isso acaba buscando segmentos que melhor remuneram seus profissionais, tais como Mercado Financeiro e Consultoria Estratégica. Em 2008, houve um decréscimo dos estudantes brasileiros interessados no Mercado Financeiro e aumento daqueles interessados em Consultoria e outros segmentos, refletindo a situação corrente do mercado global, com a instabilidade dos segmentos de Investimentos e Finanças, bem como uma menor abertura destes segmentos para contratação de profissionais. Os estudantes que estão na Europa também demonstram interesses mais diversificados que os dos Estados Unidos.. 6. A maioria dos alunos acreditam que um MBA realizado no exterior é de maior valor para a carreira que um realizado no Brasil. Networking e troca de cultura estão entre os principais pontos elencados pelos estudantes. 7. Em 2008, os principais segmentos dos quais provieram os estudantes brasileiros para os cursos de MBA foram Bancos, Consultorias e Indústrias. 67

68 Aspectos Financeiros 1. 46% dos estudantes brasileiros utilizaram fontes alternativas para pagamento de seus MBAs em 2008, seja em composição com recursos próprios e familiares / de empregadores ou não. Quando comparados os dois cenários, na Europa apenas 18% dos alunos buscaram fontes alternativas, enquanto nos Estados Unidos este número sobe para 54% % dos alunos utilizaram recursos próprios ou familiares para quitação (100%) do curso de MBA e 15% foram 100% patrocinados por seu atual empregador. 3. Em 2008, Consultorias, Bancos e Indústrias foram os principais segmentos a patrocinarem profissionais brasileiros para cursarem MBA no exterior. As Consultorias são as que mais enviam profissionais e os Bancos são os que investem mais em cada indivíduo. 4. Todos os alunos pesquisados em 2008 ficaram dentro da faixa média de remuneração anual de US$50mil a US$75mil pré-mba. Considerando-se os cenários de Europa e Estados Unidos, obteve-se uma análise de que os dois cargos melhor remunerados dentre os estudantes brasileiros são os de Gerente Sênior e Consultor. 5. Todos os alunos esperam incremento salarial após o término do MBA. 79% têm expectativa de incrementar seus pacotes anuais em até 160%, sendo que a maior parte (37%) tem expectativa entre 121% e 160% de incremento. 68

Partners of Talenters (Argentina) O estudante de MBA em escolas internacionais - 2010

Partners of Talenters (Argentina) O estudante de MBA em escolas internacionais - 2010 Partners of Talenters (Argentina) O estudante de MBA em escolas internacionais - 2010 A pesquisa No seu quarto ano, a pesquisa MBA contou com a participação de 102 alunos brasileiros de MBA das principais

Leia mais

Partners of Talenters (Argentina) O estudante de MBA em escolas internacionais - 2009

Partners of Talenters (Argentina) O estudante de MBA em escolas internacionais - 2009 Partners of Talenters (Argentina) O estudante de MBA em escolas internacionais - 2009 A pesquisa No seu terceiro ano, a pesquisa MBA 2009 contou com a participação de 94 alunos brasileiros de segundo ano

Leia mais

O Estudante de MBA em Escolas Internacionais 2011/2012

O Estudante de MBA em Escolas Internacionais 2011/2012 O Estudante de MBA em Escolas Internacionais 2011/2012 A Pesquisa A Pesquisa A Gnext Talent Search publica pelo 5º ano consecudvo, os resultados da Pesquisa GNext MBA. Os resultados deste ano englobam

Leia mais

O Estudante de MBA em Escolas Internacionais 2013

O Estudante de MBA em Escolas Internacionais 2013 O Estudante de MBA em Escolas Internacionais 2013 A Pesquisa A Pesquisa Esta pesquisa, no seu 6º ano consecutivo, oferece informações ao mercado sobre estudantes brasileiros que estejam cursando MBA nas

Leia mais

Pesquisa de Perfil, Expectativas e Percepção de Qualidade. Alunos de Programas de MBA 2013

Pesquisa de Perfil, Expectativas e Percepção de Qualidade. Alunos de Programas de MBA 2013 Pesquisa de Perfil, Expectativas e Percepção de Qualidade Alunos de Programas de MBA 2013 Tópicos Sobre a Anamba Objetivos da Pesquisa Metodologia Principais Resultados Sobre a Anamba Tem por missão contribuir

Leia mais

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil 2014 Objetivo Metodologia Perfil da Empresa de Consultoria Características das Empresas Áreas de Atuação Honorários Perspectivas e Percepção de Mercado

Leia mais

Melhora nos indicadores da presença feminina no mercado de trabalho não elimina desigualdades

Melhora nos indicadores da presença feminina no mercado de trabalho não elimina desigualdades A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DE PORTO ALEGRE NOS ANOS 2000 Boletim Especial: Dia Internacional das Mulheres MARÇO/2010 Melhora nos indicadores da presença feminina no mercado de trabalho

Leia mais

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO 1 - CHINA 2 - ESTADOS UNIDOS 2014 34.292 84,4 4.668 11,5 1.625 4,0 6.370 23,6 5.361 19,8 13.667 50,6 2013 38.973 84,7 5.458 11,9

Leia mais

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade.

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. A educação de nível superior superior no Censo de 2010 Simon Schwartzman (julho de 2012) A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. Segundo os dados mais recentes, o

Leia mais

na região metropolitana do Rio de Janeiro

na região metropolitana do Rio de Janeiro O PERFIL DOS JOVENS EMPREENDEDORES na região metropolitana do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL MARÇO DE 2013 Nº21 PANORAMA GERAL Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE) de 2011,

Leia mais

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero.

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero. Pesquisa O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero. Introdução Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e políticas capazes de ampliar a inserção da mulher no mercado de trabalho.

Leia mais

2 ASPECTOS DEMOGRÁFICOS

2 ASPECTOS DEMOGRÁFICOS 2 ASPECTOS DEMOGRÁFICOS Neste capítulo se pretende avaliar os movimentos demográficos no município de Ijuí, ao longo do tempo. Os dados que fomentam a análise são dos censos demográficos, no período 1920-2000,

Leia mais

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 14 de maio de 2014 Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina¹ O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 O indicador

Leia mais

TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás.

TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás. TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás. O Dia Internacional da Mulher, celebrado dia 8 de março, traz avanços do gênero feminino no mercado de trabalho formal. Segundo informações disponibilizadas

Leia mais

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você.

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. A HR Academy e a NextView realizaram uma pesquisa focada em geração y, com executivos de RH das principais

Leia mais

Pesquisa. Intenção de

Pesquisa. Intenção de Pesquisa SPC BRASIL: Intenção de Compras para o Natal Novembro/2013 Pesquisa do SPC Brasil revela que brasileiros pretendem gastar mais e comprar mais presentes neste Natal Se depender dos consumidores

Leia mais

O QUE ESTÃO FAZENDO OS JOVENS QUE NÃO ESTUDAM, NÃO TRABALHAM E NÃO PROCURAM TRABALHO?

O QUE ESTÃO FAZENDO OS JOVENS QUE NÃO ESTUDAM, NÃO TRABALHAM E NÃO PROCURAM TRABALHO? O QUE ESTÃO FAZENDO OS JOVENS QUE NÃO ESTUDAM, NÃO TRABALHAM E NÃO PROCURAM TRABALHO? Ana Amélia Camarano* Solange Kanso** 1 INTRODUÇÃO As fases da vida são marcadas tanto por eventos biológicos, como

Leia mais

EFEITOS DA POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA SOBRE A TAXA DE DESEMPREGO

EFEITOS DA POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA SOBRE A TAXA DE DESEMPREGO NOTA TÉCNICA EFEITOS DA POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA SOBRE A TAXA DE DESEMPREGO Maria Andréia Parente Lameiras* 1 INTRODUÇÃO Ao longo da última década, o mercado de trabalho no Brasil vem apresentando

Leia mais

I Ao longo do último século o Brasil passou de um país mentalmente aberto para um país mentalmente fechado.

I Ao longo do último século o Brasil passou de um país mentalmente aberto para um país mentalmente fechado. I Ao longo do último século o Brasil passou de um país mentalmente aberto para um país mentalmente fechado. Em 1900, o País chegou a ter 7,3% da população composta por imigrantes; hoje, tem apenas 0,3%.

Leia mais

3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil. realização:

3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil. realização: www.significa.com.br 3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil 2006 realização: Método e amostra Pesquisa quantitativa Entrevistas telefônicas Questionário estruturado Período

Leia mais

Análise dos resultados

Análise dos resultados Análise dos resultados análise, a seguir, tem como objetivo apresentar a organização, o A perfil e o dimensionamento do setor de Tecnologia da Informação e Comunicação - TIC, no Brasil, enfocando os principais

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 214 vai movimentar o Turismo Brasileiro 9 dias O estudo As empresas Principais conclusões a 9 dias da Copa 1 principais emissores 1 Desempenho das cidades-sede Chegadas internacionais

Leia mais

RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28

RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 no Estado do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 PANORAMA GERAL Na última década, o Brasil passou por profundas mudanças

Leia mais

Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular. Edição n 05

Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular. Edição n 05 Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular Edição n 05 Junho de 2010 2 Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular Edição n 05 O objetivo geral deste estudo foi investigar as percepções gerais

Leia mais

Perfil ocupacional dos empregados do setor de energia elétrica no Brasil: 1998/2004

Perfil ocupacional dos empregados do setor de energia elétrica no Brasil: 1998/2004 Ano 3 Nº 28 dezembro de 2006 Perfil ocupacional dos empregados do setor de energia elétrica no Brasil: 1998/2004 REDE ELETRICITÁRIOS RESUMO Este estudo retrata a evolução do emprego no setor elétrico entre

Leia mais

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho Pesquisa Semesp A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho 2008 Ensino superior é um forte alavancador da carreira profissional A terceira Pesquisa Semesp sobre a formação acadêmica dos profissionais

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Destaques do Education at a Glance 2014

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Destaques do Education at a Glance 2014 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Destaques do Education at a Glance 2014 Diretor de Estatísticas Educacionais Carlos Eduardo Moreno Sampaio

Leia mais

INVESTIMENTOS NA INDÚSTRIA

INVESTIMENTOS NA INDÚSTRIA INVESTIMENTOS NA INDÚSTRIA Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 5 Número 01 janeiro de 2014 www.cni.org.br Intenção de investimentos para 2014 é a menor desde 2010 Investimentos em 2013

Leia mais

Marketing Visão 360º. O nosso objetivo é ter uma visão ampla dos temas de Marketing, abordando os seguintes tópicos.

Marketing Visão 360º. O nosso objetivo é ter uma visão ampla dos temas de Marketing, abordando os seguintes tópicos. Marketing Visão 360º O Mundo do Marketing em parceria com a TNS Research International está realizando pesquisas mensais com profissionais da área de marketing para investigar temas relacionados ao dia-a-dia

Leia mais

O espaço dos jovens e dos idosos no mercado de trabalho atual. Resumo

O espaço dos jovens e dos idosos no mercado de trabalho atual. Resumo O espaço dos jovens e dos idosos no mercado de trabalho atual Amilton Moretto Palavras-chave:,, Ocupação, Mercado de trabalho. Resumo O artigo analisa o espaço que jovens e as pessoas idosas têm ocupado

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Pesquisa Mensal de Emprego - PME Pesquisa Mensal de Emprego - PME Dia Internacional da Mulher 08 de março de 2012 M U L H E R N O M E R C A D O D E T R A B A L H O: P E R G U N T A S E R E S P O S T A S A Pesquisa Mensal de Emprego PME,

Leia mais

MICRORREGIÃO GEOGRÁFICA DE ARAXÁ: ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO

MICRORREGIÃO GEOGRÁFICA DE ARAXÁ: ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PLANALTO DE ARAXÁ NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS INFORMATIVO ANO II Nº V AGOSTO 2008 MICRORREGIÃO GEOGRÁFICA DE ARAXÁ: ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO Prof. Dr. Vitor Alberto

Leia mais

PERFIL DO PROCURADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO

PERFIL DO PROCURADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO PROCURADORIA GERAL 8% 8% 8% CORREGEDORIA SECRETARIA GERAL 4% CENTRO DE ESTUDOS 12% PROCURADORIA DE APOIO PROCURADORIA CONSULTIVA 23% PROCURADORIA CONTENCIOSO 37% PROCURADORIA DA FAZENDA PROCURADORIA REGIONAL

Leia mais

Dinamismo do mercado de trabalho eleva a formalização das relações de trabalho de homens e mulheres, mas a desigualdade persiste

Dinamismo do mercado de trabalho eleva a formalização das relações de trabalho de homens e mulheres, mas a desigualdade persiste Dinamismo do mercado de trabalho eleva a formalização das relações de trabalho de homens e mulheres, mas a desigualdade persiste Introdução De maneira geral, as mulheres enfrentam grandes dificuldades

Leia mais

Debates jurídico-trabalhistas mundiais Uma visão dos principais itens debatidos na Conferência Mundial de Advocacia em Tóquio

Debates jurídico-trabalhistas mundiais Uma visão dos principais itens debatidos na Conferência Mundial de Advocacia em Tóquio Debates jurídico-trabalhistas mundiais Uma visão dos principais itens debatidos na Conferência Mundial de Advocacia em Tóquio Dr. WOLNEI TADEU FERREIRA novembro 2014 O que é a IBA e o que ela significa

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

Apesquisa suplementar sobre acesso à Internet e posse de telefone

Apesquisa suplementar sobre acesso à Internet e posse de telefone Análise dos resultados Apesquisa suplementar sobre acesso à Internet e posse de telefone móvel celular para uso pessoal ampliou a investigação rotineira da PNAD, que restringe o levantamento sobre o assunto

Leia mais

Estudo ABERJE 2012 Comunicação Interna. Comunicação Interna

Estudo ABERJE 2012 Comunicação Interna. Comunicação Interna Estudo ABERJE 2012 JULHO DE 2012 20 2012 ABERJE Pesquisa 2012 Associação Brasileira de Comunicação Empresarial Concepção e planejamento: Prof. Dr. Paulo Nassar Coordenação: Carlos A. Ramello Desenvolvimento:

Leia mais

Entenda o que é IDH Secretaria de Saúde Pública do Pará

Entenda o que é IDH Secretaria de Saúde Pública do Pará Entenda o que é IDH Secretaria de Saúde Pública do Pará O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), divulgado pela ONU, parte do pressuposto de que para aferir o avanço de uma população não se deve considerar

Leia mais

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA SETEMBRO /2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 1. Dimensão e características da ocupação no setor da construção civil no Brasil e na Bahia (2000 e 2010)...

Leia mais

Crianças/Adolescentes ocupados por U.F e por Faixa Etária

Crianças/Adolescentes ocupados por U.F e por Faixa Etária Erradicação do Trabalho Infantil Brasília, 2 de fevereiro de 21 Introdução Esta nota apresenta um quadro do trabalho infantil no período de 26 a 28, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios

Leia mais

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sistema de pesquisas domiciliares existe no Brasil desde 1967, com a criação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD; Trata-se de um sistema de pesquisas

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010 1 CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010 O Censo da Educação Superior, realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), constitui se em importante instrumento

Leia mais

Monitor de Responsabilidade Social Corporativa

Monitor de Responsabilidade Social Corporativa Monitor de Responsabilidade Social Corporativa 2005 Síntese dos principais achados do único estudo comparativo mundial O Monitor de Responsabilidade Social Corporativa é um estudo global realizado anualmente

Leia mais

WORLD GIVING INDEX 2015

WORLD GIVING INDEX 2015 WORLD GIVING INDEX 2015 QUEM SOMOS Fundado em 1999, organização pioneira no apoio técnico ao investidor social no Brasil e na América Latina, e tem como missão promover e estruturar o sistema de investimento

Leia mais

IBRI e FIPECAFI divulgam resultado de Pesquisa do Profissional e Área de RI. Levantamento traça atual estágio das Relações com Investidores no Brasil

IBRI e FIPECAFI divulgam resultado de Pesquisa do Profissional e Área de RI. Levantamento traça atual estágio das Relações com Investidores no Brasil IBRI e FIPECAFI divulgam resultado de Pesquisa do Profissional e Área de RI Levantamento traça atual estágio das Relações com Investidores no Brasil A 6ª Pesquisa sobre a área e os profissionais de Relações

Leia mais

A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014

A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014 A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Março de 2015 A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014 Em 2014, a presença de

Leia mais

PESQUISA SOBRE A MULHER NA COMUNICAÇÃO CORPORATIVA

PESQUISA SOBRE A MULHER NA COMUNICAÇÃO CORPORATIVA PESQUISA SOBRE A MULHER NA COMUNICAÇÃO CORPORATIVA O Instituto ABERJE de Pesquisas realizou uma pesquisa sobre a Mulher na Comunicação Corporativa, com o patrocínio da Natura e da Multibrás, e ouviu 6

Leia mais

Capítulo 3. Fichas de Qualificação de Indicadores

Capítulo 3. Fichas de Qualificação de Indicadores Capítulo 3 Fichas de Qualificação de Indicadores A Demográficos População total A.1................................... 58 Razão de sexos A.2................................... 60 Taxa de crescimento da

Leia mais

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP)

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o estudo do perfil

Leia mais

O Sonho de ser Empreendedor no Brasil

O Sonho de ser Empreendedor no Brasil O Sonho de ser Empreendedor no Brasil Marco Aurélio Bedê 1 Resumo: O artigo apresenta os resultados de um estudo sobre o sonho de ser Empreendedor no Brasil. Com base em tabulações especiais elaboradas

Leia mais

Comentários gerais. consultoria em sistemas e processos em TI, que, com uma receita de R$ 5,6 bilhões, participou com 14,1% do total; e

Comentários gerais. consultoria em sistemas e processos em TI, que, com uma receita de R$ 5,6 bilhões, participou com 14,1% do total; e Comentários gerais Pesquisa de Serviços de Tecnologia da Informação - PSTI A investigou, em 2009, 1 799 empresas de TI com 20 ou mais Pessoas Ocupadas constantes do cadastro de empresas do IBGE e os produtos

Leia mais

Relatório de País Brasil

Relatório de País Brasil Education at a Glance 2011 Indicadores da OECD DOI: http://dx.doi.org/10.1787/eag-2011-en OECD 2011 Sob embargo até 13 de setembro, 11h, horário de Paris Relatório de País Brasil Quaisquer dúvidas, contate:

Leia mais

A Área de Marketing no Brasil

A Área de Marketing no Brasil A Área de Marketing no Brasil Relatório consolidado das etapas qualitativa e quantitativa Job 701/08 Fevereiro/ 2009 Background e Objetivos A ABMN Associação Brasileira de Marketing & Negócios deseja

Leia mais

Duração do trabalho em todo o mundo: Principais achados e implicações para as políticas

Duração do trabalho em todo o mundo: Principais achados e implicações para as políticas Duração do trabalho em todo o mundo: Principais achados e implicações para as políticas Brasília, 25 de março de 2010 Jon C. Messenger Programa de Condições de Trabalho e Emprego Escritório da Organização

Leia mais

Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007. Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos

Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007. Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007 Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DOS PROGRAMAS DE TRANSFERÊNCIA MONETÁRIA NA QUEDA DA DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL

A CONTRIBUIÇÃO DOS PROGRAMAS DE TRANSFERÊNCIA MONETÁRIA NA QUEDA DA DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL A CONTRIBUIÇÃO DOS PROGRAMAS DE TRANSFERÊNCIA MONETÁRIA NA QUEDA DA DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL: uma análise a partir do rendimento domiciliar per capita no período 2001-2006 Juliana Carolina Frigo

Leia mais

PERFIL DOS ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ, NO 1º ANO NA ESEL ANO LETIVO 2013/2014

PERFIL DOS ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ, NO 1º ANO NA ESEL ANO LETIVO 2013/2014 PERFIL DOS ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ, NO 1º ANO NA ESEL ANO LETIVO 2013/2014 Realização: Ana Paula Fontinha Ana Cristina Santos Disponibilização de Dados Estatísticos: Bruno Ramos Coordenação:

Leia mais

PED - PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA CIDADE DE SANTOS

PED - PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA CIDADE DE SANTOS PED - PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA CIDADE DE SANTOS MARÇO-2007 OBJETIVO Os principais objetivos desta pesquisa são: Conhecer e divulgar a situação do emprego e desemprego na cidade de Santos, de

Leia mais

VOLUME 3. Projeção Demográfica; Projeção de Matrículas, Taxas de Atendimento e Taxas de Transição; Indicadores do Censo Escolar.

VOLUME 3. Projeção Demográfica; Projeção de Matrículas, Taxas de Atendimento e Taxas de Transição; Indicadores do Censo Escolar. VOLUME 3 Projeção Demográfica; Projeção de Matrículas, Taxas de Atendimento e Taxas de Transição; Indicadores do Censo Escolar. 69 PARTE I PROJEÇÃO DEMOGRÁFICA 70 1 Introdução A atualização de projeções

Leia mais

Exportação de Serviços

Exportação de Serviços Exportação de Serviços 1. Ementa O objetivo deste trabalho é dar uma maior visibilidade do setor a partir da apresentação de algumas informações sobre o comércio exterior de serviços brasileiro. 2. Introdução

Leia mais

RENDA, TRABALHO E EMPREENDEDORISMO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

RENDA, TRABALHO E EMPREENDEDORISMO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RENDA, TRABALHO E EMPREENDEDORISMO NOTA CONJUNTURAL Nº35 2015 NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL Nº35 2015 PANORAMA GERAL O ano de 2015 se inicia com grandes incertezas com relação à economia

Leia mais

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego Mobilidade dos Trabalhadores ESTATÍSTICAS STICAS em síntese O presente estudo baseia-se nas informações que integram a base do Sistema de Informação Longitudinal de Empresas, Estabelecimentos e Trabalhadores

Leia mais

MOTIVAÇÕES PARA A INTERNACIONALlZAÇÃO

MOTIVAÇÕES PARA A INTERNACIONALlZAÇÃO Internacionalização de empresas brasileiras: em busca da competitividade Luis Afonso Lima Pedro Augusto Godeguez da Silva Revista Brasileira do Comércio Exterior Outubro/Dezembro 2011 MOTIVAÇÕES PARA A

Leia mais

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional 08/09/2010-10h00 Pesquisa visitou mais de 150 mil domicílios em 2009 Do UOL Notícias A edição 2009 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

Introdução 02. A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03. A Definição do Negócio 03. Imagem 03. Objetivos Financeiros 04

Introdução 02. A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03. A Definição do Negócio 03. Imagem 03. Objetivos Financeiros 04 ESTUDO DE CASO A construção do BSC na ESPM do Rio de Janeiro Alexandre Mathias Diretor da ESPM do Rio de Janeiro INDICE Introdução 02 A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03 A Definição do Negócio 03 Imagem

Leia mais

Retratos da Sociedade Brasileira: A indústria brasileira na visão da população

Retratos da Sociedade Brasileira: A indústria brasileira na visão da população 18 Retratos da Sociedade Brasileira: A indústria brasileira na visão da população CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI Presidente: Robson Braga de Andrade DIRETORIA DE POLÍTICAS E ESTRATÉGIA José Augusto

Leia mais

Celulose de Mercado BNDES. ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 Gerência Setorial 1

Celulose de Mercado BNDES. ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 Gerência Setorial 1 1 BNDES FINAME BNDESPAR ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 Gerência Setorial 1 Celulose de Mercado Ao longo de 1999 e parte do ano 2000 os preços da celulose foram crescentes, num cenário de demanda aquecida

Leia mais

Instituições de Ensino Superior - estudo financeiro comparativo de universidades públicas: Brasil, Canadá e Estados Unidos

Instituições de Ensino Superior - estudo financeiro comparativo de universidades públicas: Brasil, Canadá e Estados Unidos Instituições de Ensino Superior - estudo financeiro comparativo de universidades públicas: Brasil, Canadá e Estados Unidos Carla Regina Magagnin Roczanski de Albuquerque Pedro Antônio de Melo Universidade

Leia mais

CARREIRA: PANORAMA DE ARTIGOS DA ENANPAD SOBRE O TEMA

CARREIRA: PANORAMA DE ARTIGOS DA ENANPAD SOBRE O TEMA CARREIRA: PANORAMA DE ARTIGOS DA ENANPAD SOBRE O TEMA Rafael Barreiro Takei 1, Adriana Leonidas de Oliveira 2, Nancy Julieta Inocente 3 1 Universidade de Taubaté/ Programa de Pós-graduação em Administração.PPGA.

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA. Presidente Nacional João Alberto Viol

SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA. Presidente Nacional João Alberto Viol SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA Presidente Nacional João Alberto Viol Diretor Executivo Antonio Othon Pires Rolim Gerente Executivo Claudinei Florencio Consultor

Leia mais

INTRODUÇÃO. Conheça agora o que pensam os profissionais de comunicação brasileiros e compare os resultados deste estudo às suas impressões e opiniões.

INTRODUÇÃO. Conheça agora o que pensam os profissionais de comunicação brasileiros e compare os resultados deste estudo às suas impressões e opiniões. INTRODUÇÃO Interpretações, previsões, comparações, sentenças: tudo isso faz parte do cotidiano de qualquer setor. Na comunicação, não poderia ser diferente. Especialmente neste momento de mudanças constantes

Leia mais

V Congresso Auditar. Tema:

V Congresso Auditar. Tema: V Congresso Auditar Tema: Carreira em Organizações Públicas - Conceitos e Experiências Prof. Dr. José Antonio Monteiro Hipólito Brasília, 05 de setembro de 014 14:00 15:30h Agenda 1. Introdução: Importância

Leia mais

Folha de S.Paulo cria ranking de universidades e atrai polêmica

Folha de S.Paulo cria ranking de universidades e atrai polêmica Folha de S.Paulo cria ranking de universidades e atrai polêmica INSTITUIÇÕES APONTADAS POR JORNAL COMO FAVORITAS DO MERCADO TIRARAM ZERO EM QUALIDADE DE ENSINO Por Carlos Orsi O jornal Folha de S.Paulo

Leia mais

A nova classe média vai às compras

A nova classe média vai às compras A nova classe média vai às compras 18 KPMG Business Magazine Cenário é positivo para o varejo, mas empresas precisam entender o perfil do novo consumidor Nos últimos anos o mercado consumidor brasileiro

Leia mais

EXPECTATIVAS DE COMPRAS PARA O CARNAVAL 2014

EXPECTATIVAS DE COMPRAS PARA O CARNAVAL 2014 EXPECTATIVAS DE COMPRAS PARA O CARNAVAL 2014 Compradores "Mais compradores devem frequentar os centros de compras no pólo de confecções do Agreste em 2014" Os compradores dos Centros de Compras do Polo

Leia mais

Número 141 - Outubro de 2014. Transformações recentes no perfil do docente das escolas estaduais e municipais de educação básica

Número 141 - Outubro de 2014. Transformações recentes no perfil do docente das escolas estaduais e municipais de educação básica Número 141 - Outubro de 2014 Transformações recentes no perfil do docente das escolas estaduais e municipais de educação básica Transformações recentes no perfil do docente das escolas estaduais e municipais

Leia mais

Estudo Melhores Empresas para Trabalhar na área da Saúde 2013. 2014 Great Place To Work Institute, Inc. All rights reserved.

Estudo Melhores Empresas para Trabalhar na área da Saúde 2013. 2014 Great Place To Work Institute, Inc. All rights reserved. Estudo Melhores Empresas para Trabalhar na área da Saúde 2013 Melhores GPTW - Saúde 2013 A maior pesquisa global de avaliação do índice de confiança e engajamento dos funcionários com o ambiente de trabalho

Leia mais

REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E O FINANCIAMENTO DOS INVESTIMENTOS NO BRASIL- 2012/2013

REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E O FINANCIAMENTO DOS INVESTIMENTOS NO BRASIL- 2012/2013 ESTUDO ESPECIAL REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E O FINANCIAMENTO DOS INVESTIMENTOS NO BRASIL- 2012/2013 Carlos A. Rocca Lauro Modesto Santos Jr. Novembro 2013 SUMÁRIO 1. Sumário e conclusões... 3 2. Entre

Leia mais

Pesquisa de. Dia dos Namorados

Pesquisa de. Dia dos Namorados ASSESSORIA ECONÔMICA Pesquisa de Dia dos Namorados 2013 Pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio de Pesquisa - IFEP Relatório elaborado pela Assessoria Econômica Fecomércio-RS PESQUISA DIA DOS NAMORADOS

Leia mais

Plano de Transporte Coletivo da Cidade de Bauru PTC Bauru. NT09 Pesquisa de imagem e opinião sobre o serviço de transporte coletivo municipal de Bauru

Plano de Transporte Coletivo da Cidade de Bauru PTC Bauru. NT09 Pesquisa de imagem e opinião sobre o serviço de transporte coletivo municipal de Bauru -EMDURB Plano de Transporte Coletivo da Cidade de Bauru PTC Bauru NT09 Pesquisa de imagem e opinião sobre o serviço de transporte coletivo municipal de Bauru Junho/2013 1- Apresentação O Plano de Transporte

Leia mais

RH Gestão Transformadora

RH Gestão Transformadora RH Gestão Transformadora Como construir o relacionamento para garantir resultados : desenvolvendo as competências necessárias para criar parcerias, influenciar e atuar como parceiro de Negócios 1 Aonde

Leia mais

sobre as transações no setor de saúde

sobre as transações no setor de saúde 10 Minutos sobre as transações no setor de saúde Valor global de fusões e aquisições cresce e reverte tendência Destaques O valor total das transações no setor de saúde aumentou 4% em relação à segunda

Leia mais

FINANÇAS DOS CLUBES BRASILEIROS E VALOR DAS MARCAS DOS 17 CLUBES MAIS VALIOSOS DO BRASIL

FINANÇAS DOS CLUBES BRASILEIROS E VALOR DAS MARCAS DOS 17 CLUBES MAIS VALIOSOS DO BRASIL FINANÇAS DOS CLUBES BRASILEIROS E VALOR DAS MARCAS DOS 17 CLUBES MAIS VALIOSOS DO BRASIL edição 2012 Sumário Prefácio 5 Finanças dos clubes brasileiros 6 Receita total e 7 receita sem transferências de

Leia mais

NÍVEL DE EMPREGO, ESCOLARIDADE E RENDA NO RAMO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS, SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS, DE CAMPO MOURÃO-PR.

NÍVEL DE EMPREGO, ESCOLARIDADE E RENDA NO RAMO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS, SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS, DE CAMPO MOURÃO-PR. NÍVEL DE EMPREGO, ESCOLARIDADE E RENDA NO RAMO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS, SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS, DE CAMPO MOURÃO-PR Área: ECONOMIA LOPES, Janete Leige PEREIRA, Kelli Patrícia PONTILI, Rosangela

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

A FORMAÇÃO PROFISSIONAL E O MBA REAL ESTATE DO NRE-POLI Profa. Dra. Eliane Monetti

A FORMAÇÃO PROFISSIONAL E O MBA REAL ESTATE DO NRE-POLI Profa. Dra. Eliane Monetti 1 A FORMAÇÃO PROFISSIONAL E O MBA REAL ESTATE DO NRE-POLI Profa. Dra. Eliane Monetti O tema do real estate no Brasil ainda não é alvo de uma formação específica em nível de graduação, sendo contemplado,

Leia mais

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht Page 1 of 7 Comunicação Social 17 de setembro de 2010 Síntese de Indicadores Sociais 2010 SIS 2010: Mulheres mais escolarizadas são mães mais tarde e têm menos filhos Embora abaixo do nível de reposição

Leia mais

2º Panorama Anual da Indústria Brasileira de Fundos de Investimento

2º Panorama Anual da Indústria Brasileira de Fundos de Investimento 2º Panorama Anual da Indústria Brasileira de Fundos de Investimento Abril de 2007 COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS 2º PANORAMA ANUAL DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO Evolução dos fundos

Leia mais

PESQUISA SALARIAL 2011. Março de 2012

PESQUISA SALARIAL 2011. Março de 2012 PESQUISA SALARIAL 2011 Março de 2012 Introdução Histórico Em Setembro de 2010 a ABRADi, associação nacional que congrega as associações regionais de agências digitais por todo o país, contratou a REMUNERAR

Leia mais

PESQUISA SALARIAL 2011. Março de 2012

PESQUISA SALARIAL 2011. Março de 2012 PESQUISA SALARIAL 2011 Março de 2012 Introdução Histórico Em Setembro de 2010 a ABRADi, associação nacional que congrega as associações regionais de agências digitais por todo o país, contratou a REMUNERAR

Leia mais

VERSÃO PRELIMINAR. Notas sobre Redes de Proteção Social e Desigualdade

VERSÃO PRELIMINAR. Notas sobre Redes de Proteção Social e Desigualdade Notas sobre Redes de Proteção Social e Desigualdade 1) Nos últimos dez anos a renda media dos brasileiros que caiu a taxa de 0.6% ao ano, enquanto o dos pobres cresceu 0.7%, já descontados o crescimento

Leia mais

RESUMO DE NOTÍCIAS. Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado de São Paulo www.sintetel.org sintetel@sintetel.org.

RESUMO DE NOTÍCIAS. Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado de São Paulo www.sintetel.org sintetel@sintetel.org. CLARO S/A APRESENTA PROPOSTA VERGONHOSA Depois de enrolar ao máximo o início das negociações, a Claro S/A teve a cara de pau de oferecer APENAS 6% de reajuste salarial, índice muito abaixo da inflação.

Leia mais

Envelhecimento da população residente em Portugal e na União Europeia

Envelhecimento da população residente em Portugal e na União Europeia Dia Mundial da População 11 julho de 15 1 de julho de 15 Envelhecimento da população residente em e na União Europeia Para assinalar o Dia Mundial da População (11 de julho), o Instituto Nacional de Estatística

Leia mais

Cenários do Ensino Superior em Santa Catarina e no Brasil

Cenários do Ensino Superior em Santa Catarina e no Brasil Cenários do Ensino Superior em Santa Catarina e no Brasil Maurício Fernandes Pereira PRESIDENTE DO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA CATARINA PRESIDENTE DO FÓRUM NACIONAL DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013 CONVÊNIO UCDB-ACICG 20/09/2013 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013 CONVÊNIO UCDB-ACICG Professores

Leia mais

O Retrato do Treinamento no Brasil 2013 / 2014. Pesquisa Anual MOT/ABTD/ Revista T&D. Publicação. Realização. Organização

O Retrato do Treinamento no Brasil 2013 / 2014. Pesquisa Anual MOT/ABTD/ Revista T&D. Publicação. Realização. Organização Pesquisa Anual MOT/ABTD/ Revista T&D O Retrato do Treinamento no Brasil 2013 / 2014 Organização www.mot-td.com Publicação C Inteligência Corporativa www.rtd.com.br Realização www.abtd.com.br pesquisa 2014

Leia mais

ÍNDICE INSTITUIÇÃO TÍPICA DO TERCEIRO SETOR DE BELO HORIZONTE...1. 1. A Instituição Típica do Terceiro Setor por Principal Área de Atividade...

ÍNDICE INSTITUIÇÃO TÍPICA DO TERCEIRO SETOR DE BELO HORIZONTE...1. 1. A Instituição Típica do Terceiro Setor por Principal Área de Atividade... ÍNDICE INSTITUIÇÃO TÍPICA DO TERCEIRO SETOR DE BELO HORIZONTE...1 1. A Instituição Típica do Terceiro Setor por Principal Área de Atividade...5 A Instituição Típica da Área de Cultura...5 A Instituição

Leia mais

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA PED PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA CIDADE DE SANTOS Setembro - 2014 OBJETIVO Os principais objetivos desta pesquisa são conhecer e divulgar a situação do emprego e desemprego na cidade de Santos,

Leia mais

São Paulo, 14 de julho de 2004. COMÉRCIO VAREJISTA DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

São Paulo, 14 de julho de 2004. COMÉRCIO VAREJISTA DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO São Paulo, 14 de julho de 2004. COMÉRCIO VAREJISTA DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO E OS TRABALHADORES Pulverizado, com uma grande concentração de empresas de pequeno porte - mais de 60% dos trabalhadores estão

Leia mais