REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TECNÓLOGO EM PRODUÇÃO DO VESTUÁRIO (com ênfase em calçados)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TECNÓLOGO EM PRODUÇÃO DO VESTUÁRIO (com ênfase em calçados)"

Transcrição

1 Mantenedora: Fundação Educacional Fausto Pinto da Fonseca - CNPJ : / Av. Dom Cabral, 31 Centro - CEP: Nova Serrana - MG Fone: (37) Site: REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TECNÓLOGO EM PRODUÇÃO DO VESTUÁRIO (com ênfase em calçados) FEVEREIRO

2 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TECNÓLOGO EM PRODUÇÃO DO VESTUÁRIO (com ênfase em calçados) Dispõe sobre a prática das Atividades de Estágio Supervisionado do Curso de Tecnólogo em Produção do Vestuário (com ênfase em calçados). SEÇÃO I CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento disciplina as atividades do estágio supervisionado, a ser desenvolvido no curso de Tecnólogo em Produção do Vestuário (com ênfase em calçados) da Faculdade de Nova Serrana FANS. Art. 2º. O estágio supervisionado se caracteriza pela oportunidade de exercício e intervenção profissional de demonstrar competências e habilidades adquiridas e desenvolvidas ao longo da trajetória curricular. Art. 3º. As atividades de estágio supervisionado são obrigatórias e preponderantemente práticas e devem proporcionar ao estudante a participação em situações reais de vida e trabalho, nas profissões da área dos cursos que integram. Parágrafo Único. O Estágio Supervisionado é um componente direcionado à consolidação dos desempenhos profissionais desejados, inerentes ao perfil do formando. Art. 4º. O Estágio Supervisionado inicia-se a partir do 5º (quinto) período do curso e permanece no 6º (sexto período). Parágrafo único. O aluno tem a liberdade de mudar de estágio em qualquer dos semestres, desde que conclua separadamente as 100 (cem) horas de estágio mínimo na instituição. Art. 5º. O Estágio Supervisionado será realizado individualmente, em organizações com ou sem fins lucrativos, em uma ou mais áreas da gestão (produtiva e administrativa). 1

3 Art. 6º. O tempo despendido em estágio não concluído, não poderá ser computado na carga horária mínima de um novo estágio, caso haja mudança de organização concedente, com CNPJ diferente. Art. 7º. As condições exigidas para matrícula e realização do Estágio Supervisionado são: I. Ter cursado no mínimo horas do curso; II. Aluno (a) deve estar regularmente matriculado (a) e com frequência exigida em legislação vigente; III. Área escolhida para estagiar deve ser referente à(s) unidade(s) curricular(es) afim(ns) cursada(s); IV. Existência de um Instrumento Jurídico entre a empresa/organização concedente do estágio e a IES Instituição de Ensino Superior; V. Termo de compromisso entre o (a) estagiário(a) e a concedente, com interveniência da IES; Art. 8º. Ao início do 5º período o aluno deverá matricular-se na disciplina Estágio Supervisionado e Projeto Integrador I, além dos demais conteúdos curriculares. Art. 9º. O Professor Orientador responsável pela disciplina será um docente pertencente a um dos departamentos que fornecem disciplinas ao Curso, respeitado a sua especialidade. Art. 10. Por solicitação de qualquer uma das partes envolvidas, poderá ocorrer substituição do orientador. Art. 11. O (a) aluno(a) poderá estagiar em empresa/organização pública ou privada, desde que devidamente qualificada e conveniada com a Instituição, levando-se em conta a área de concessão do estágio. Art. 12. Entende-se por empresa/organização qualificada aquela que deverá: I. Possuir em seu(s) quadro(s) um profissional, preferencialmente de nível superior, que esteja em condições de supervisionar os trabalhos de estágio; II. Proporcionar uma vivência temporária que complemente a formação do(a) estagiário(a) e o possibilite a uma iniciação de capacitação profissional; 2

4 III. IV. Desenvolva atividades em conformidade com o projeto de estágio aprovado; Ter, de preferência, tradição na oferta de estágios. CAPITULO II DOS DOCUMENTOS DE INÍCIO DO ESTÁGIO Art. 13. O aluno deverá entregar ao professor orientador informação da instituição ao qual deseja estagiar, ou solicitar indicação de empresa concedente conforme termos de convênios firmados pela FANS. Art. 14. O aluno, seja em entidades públicas ou privadas, será acompanhado pelo Professor Orientador de Estágio, o qual fiscalizará todas as atividades desenvolvidas e o cumprimento da carga horária de 50 (cinquenta) horas para Estágio Supervisionado I no quinto período e 50 (cinquenta) horas para Estágio Supervisionado II no sexto período. Art. 15. Definida a entidade concedente do estágio, deverá o aluno entregar ao Professor Orientador de estágio para sua análise: I - Termo de convênio; (Anexo I) II - Termo de Compromisso; (Anexo II) III Cópia dos seus documentos pessoais (CPF e RG); Parágrafo Primeiro: Caso a empresa selecionada para realização do estágio já possua convênio com a FANS e o mesmo esteja válido o aluno fica dispensado de apresentá-lo novamente. Parágrafo Segundo: Caso o aluno opte por fazer o estágio na empresa onde está registrado fica o mesmo dispensado de apresentar o Termo de Compromisso. Art. 16. O aluno matriculado em estágio e com experiência profissional em área correlata comprovada poderá utilizar esta prática profissional para a elaboração dos relatórios de estágio, desde que cumpridas as exigências abaixo citadas, e apresentado os documentos comprobatórios relativas as situações: Parágrafo Primeiro: No caso de aluno empregado da empresa concedente: I folha de registro de empregado 3

5 II Cópia da Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) para comprovação do vínculo trabalhista Parágrafo segundo: No caso de aluno proprietário da empresa onde realizará o estágio: I Cópia do contrato social (última alteração) Parágrafo terceiro: No caso de aluno filho de proprietário da empresa: I Cópia do contrato social (última alteração) II Cópia dos documentos pessoais dos pais (que assinam pela empresa). Art. 17 Os documentos do estágio devem ser entregues ao professor orientador, conforme horário de aulas definidos no semestre pela coordenação do curso. CAPITULO III DO PROCESSO DE ORIENTAÇÃO Art. 17. No decorrer do estágio o aluno desenvolverá as atividades propostas pela concedente do estágio, desde que concernente a área afim do estágio. Art. 18. As disposições contidas na Lei /2008, ou outra que venha a substituir, aplicam-se integralmente ao processo de orientação do estágio, inclusive, carga horária semanal que não exceda a 30 horas semanais e diárias de 6 horas. Art. 19. No processo de orientação compete ao professor orientador instruir o discente que possua qualquer dúvida ou discordância do processo de orientação contida por seu supervisor, avaliando o desempenho deste. Art. 20. No processo de orientação compete ao supervisor do estágio na concedente: I - Efetuar um planejamento dos trabalhos a serem desenvolvidos pelo estagiário, e comunicados ao fim ao coordenador do estágio, em relatório de atividades desenvolvidas. II Orientar o estagiário para o correto cumprimento do cronograma e do aprendizado nos termos da legislação vigente. III Comunicar-se com o professor orientador do estágio sobre o processo de orientação do aluno, seja positivo ou negativo, para que haja a integração triangular. 4

6 CAPITULO IV DOS DOCUMENTOS DE CONCLUSÃO DO ESTÁGIO Art.21 O aluno após processo de orientação, entregará ao professor orientador de Estágio: I Relatório contendo a carga horária cumprida, o período, a síntese das atividades desenvolvidas, e a avaliação da concedente, devidamente assinado, para posterior análise do professor orientador (Anexo III); Art.22 O professor orientador deverá solicitar retificação dos documentos acima citados, caso apresentem incorreções de preenchimento, em até 07 dias do recebimento dos documentos pelo discente. CAPITULO V DA APROVAÇÃO Art. 23 O aluno será aprovado na disciplina Estágio Supervisionado e Projeto Integrador I e II desde que tenha atendido as seguintes disposições: I- Tenha entregue toda a documentação citada anteriormente; II- Tenha se submetido ao processo de orientação III- Tenha realizado a prática proposta para o projeto integrador, com diagnóstico da situação problema, e proposição de melhorias a serem implantadas no ambiente organizacional, decorrentes das observações realizadas no Estágio. IV- Tenha cumprido no mínimo 50 horas de estágio e 200 horas de projeto integrador em cada semestre. Art. 24. Será considerado aprovado(a) o aluno(a) que obter análise satisfatória pelo professor orientador do Estágio da FANS e pelo supervisor do Estágio da Concedente, lavrado no Relatório de Estágio, assinado por ambos, e tendo cumprido às 50 horas de estágio e 200 horas de projeto integrador (as atividades decorrentes do projeto integrador possuem normatizações específicas). 5

7 Art. 25. Concluído o estágio e apresentado o projeto integrador, o professor orientador encaminhará a Secretaria Diário contendo a carga horária cumprida, e considerará nota 100 (cem), para aluno aprovado, ou 0 (zero) para aluno reprovado. SEÇÃO II CAPITULO I DOS OBJETIVOS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO Art. 26. Os objetivos do Estágio Supervisionado Obrigatório são oferecer ao aluno oportunidade de: I. Adquirir contato com o ambiente de negócios, sendo o estágio Supervisionado parte integrante do processo de formação e constitui espaço, por excelência, para a união dialética entre a teoria e a prática. II. Complementar uma vivência direta da realidade organizacional e profissional, com a finalidade de preparação para iniciar-se no mercado de trabalho; III. Fazer uma comparação crítica entre os conhecimentos adquiridos e habilidades aprendidas no curso e as práticas gerenciais existentes; IV. Ser um elemento de realimentação no processo ensino-aprendizagem e da preparação do futuro profissional definido pelo curso; V. Inserir o acadêmico no contexto de seu campo de atuação e na realidade objetiva do exercício profissional da carreira; VI. Vivenciar situações práticas que demandem o domínio da ciência e da tecnologia; VII. Promover a integração da Instituição/Curso-Empresa-Comunidade; VIII. Desenvolver comportamento ético em relação às suas atividades profissionais e IX. Facilitar o processo de atualização das unidades curriculares, permitindo adequar, aquelas de caráter profissionalizante às constantes inovações tecnológicas, políticas, sociais e econômicas a que estão sujeitas; CAPÍTULO II DA ESTRUTURA DA PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 6

8 Art. 27. A prática de estágio supervisionado abrange o exercício prático das atividades gerenciais e será desenvolvida na comunidade externa à IES, através de estabelecimentos de convênios com entidades, organizações públicas ou privadas. CAPITULO III DA CARGA HORÁRIA A SER INTEGRALIZADA Art. 28. O estágio supervisionado é componente curricular obrigatório, a ser realizado no quinto e sexto períodos do curso de Tecnólogo em Produção do Vestuário com ênfase em calçados. Art. 29. A carga horária a ser integralizada nas disciplinas de Estágio Supervisionado e Projeto Integrador I e II é de 500 horas divididos da seguinte forma: I Quinto Período: 50 horas de estágio horas de projeto integrador II - Sexto Período: 50 horas de estágio horas de projeto integrador CAPÍTULO IV DISPOSIÇÕES FINAIS Art. 30 Os anexos I à III, fazem parte desta portaria. Art.31 Os documentos do estágio serão encaminhados à Secretaria ao fim do Semestre, para arquivo na pasta individual de cada discente. Art.31 Os casos omissos serão tratados pela coordenação do curso. Nova Serrana, 01 de Fevereiro de Profª. Ana Cláudia Azevedo Coordenadora do Curso 7

9 ANEXO I TERMO DE CONVÊNIO PARA CONCESSÃO DE ESTÁGIO (Lei Federal /2008) INSTITUIÇÃO DE ENSINO FACULDADE DE NOVA SERRANA FANS Av. Dom Cabral, 31 - Bairro Centro Nova Serrana - Minas Gerais. CNPJ: / Representada por: Adm. Ms. Elaine Soares Silva UNIDADE CONCEDENTE Nome: Endereço: Tel./fax: () Tipo de estabelecimento: CNPJ: Representante Legal: I.E: As partes acima qualificadas celebram entre si o presente TERMO DE CONVÊNIO PARA CONCESSÃO DE ESTÁGIO, conveniando as cláusulas e condições seguintes: CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO 1.1º O presente convênio visa formalizar as condições básicas de Estágios de alunos da INSTITUIÇÃO DE ENSINO, de interesse curricular, obrigatório ou não, em atividade de aprendizagem, treinamento prático e aperfeiçoamento, em estabelecimento da UNIDADE CONCEDENTE, conforme a legislação do estágio. 1.2-Para fins deste convênio entende-se como estágio as atividades de aprendizagem social, profissional e cultural proporcionadas a estudante pela participação em situações reais de vida e trabalho, em estabelecimento da UNIDADE CONCEDENTE, com a interveniência da INSTITUIÇÃO DE ENSINO. 1.3-Para fins deste convênio a UNIDADE CONCEDENTE não deverá repassar qualquer tipo de verba á INSTITUIÇÃO DE ENSINO pelo fato de conceder oportunidade de estágio em suas instalações. O estágio terá duração coincidente com o ano letivo da INSTITUIÇÃO DE ENSINO, com uma jornada diária de no máximo SEIS horas. 8

10 1.4-O estágio poderá ser renovado quando houver aquiescência da UNIDADE CONCEDENTE e do ESTAGIÁRIO com a interveniência da INSTITUIÃO DE ENSINO, durante o período em que o mesmo for aluno regularmente matriculado na FACULDADE. CLÁUSULA SEGUNDA DAS PROPOSIÇÕES DA UNIDADE CONCEDENTE 2.1-A UNIDADE CONCEDENTE se propõe a propiciar aprendizado profissional aos estudantes da INSTITUIÇÃO DE ENSINO nos termos da legislação e das disposições deste convênio. 2.2-A seu critério, no seu âmbito, fixará o número de vagas para ESTAGIÁRIOS, bem como a distribuição dessas vagas dentre as atividades de aprendizagem social, profissional e/ou cultural. 2.3-Fornecerá a INSTITUIÇÃO DE ENSINO as informações disponíveis sobre o desempenho do ESTÁGIO, através de relatórios sucintos fornecidos mensalmente, para efeito de avaliações. 2.4-Assinará com cada ESTAGIÁRIO um TERMO DE COMPROMISSO na forma e padrão usado para a finalidade do estágio atendendo a legislação vigente. 2.5-Providenciará, para cada ESTAGIÁRIO, seguro contra acidentes pessoais. 2.6-Indicará a INSTITUIÇÃO DE ENSINO para ser substituído o ESTAGIÁRIO que, por motivo de natureza técnica, administrativa ou disciplinar, não for considerado apto a continuar suas atividades de estágio. 2.7-Nos termos do disposto da lei Federal nº de 25/09/2008, o ESTÁGIO não terá para qualquer efeito, vinculo empregatício com UNIDADE CONCEDENTE. CLÁSULA TERCEIRA DAS OBRIGAÇÕES DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO 3.1-A INSTITUIÇÃO DE ENSINO se obriga a apresentar á UNIDADE CONCEDENTE os candidatos selecionados para o estágio dentro das normas estabelecidas pelas partes conveniadas. 3.2-Fornecerá e firmará os TERMOS DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO, como interveniente, para todos os ESTAGIÁRIOS que foram aceitos pela UNIDADE CONCEDENTE. 3.3-Atenderá UNIDADE CONCEDENTE segunda deste convênio. nos casos previstos no item 2.6 da cláusula CLÁUSULA QUARTA- DAS BOLSAS DE COMPLEMENTAÇÃO 9

11 4.1-A UNIDADE CONCEDENTE outorgará ou não a cada estagiário admitido nas condições deste convênio, uma bolsa de complementação educacional a ser fixada não devendo, entretanto, ser inferior a 75% (setenta e cinco por cento) do salário mínimo. 4.2-O pagamento da bolsa supra referida deverá ser feito ao ESTAGIÁRIO BOLSISTA diretamente pela UNIDADE CONCEDENTE. 4.1-O que dispõe ao item 2.7 da cláusula segunda só terá validade para os estágios realizados pelos alunos da INSTITUIÇÃO DE ENSINO por força dos termos deste convênio. CLÁUSULA QUINTA DO PRAZO E DA RESCISÃO 5.1-O presente convênio vigorará por tempo indeterminado, podendo ser rescindido por iniciativa de qualquer uma das partes, mediante aviso com antecedência mínima de 30 dias. CLÁUSULA SEXTA DO FORO 6.1-Elegem o foro da comarca de Nova Serrana (MG), para dirimir quaisquer dúvidas oriundas de interrupção do instrumento. Por assim estarem em comum acordo, firmam as partes este instrumento, em duas vias de igual teor, na presença das testemunhas abaixo. Nova Serrana, XX de XXXXX de 20XX. FACULDADE DE NOVA SERRANA - FANS UNIDADE CONCEDENTE TESTEMUNHAS CPF: CPF: 10

12 ANEXO II FACULDADE DE NOVA SERRANA Credenciado pela Portaria nº 2923 de 14/12/2001 Curso de Tecnólogo em Produção do Vestuário (com ênfase em calçados) Autorizado pela Portaria MEC 301 de 10 de dezembro de Publicado no D.O.U de 15 de Dezembro de Av. Dom Cabral, 31 - Centro Nova Serrana MG Tel: (37) TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO Empresa: Endereço: CEP: Tel/Fax: Tipo de Estabelecimento: Representada por: UNIDADE CONCEDENTE Cidade: CNPJ: ESTAGIÁRIO (A) Nome: Estado Civil: Data de Nascimento: Endereço: CEP: Cidade: CPF: Telefone: Curso: Matricula: Turma: INSTITUIÇÃO DE ENSINO FACULDADE DE NOVA SERRANA FANS Av. Dom Cabral, 31, Bairro Centro, Nova Serrana MG CNPJ: / Representada por: Prof. Adm. Ms. Elaine Soares Silva As partes acima qualificadas celebram entre si o presente TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO, conforme as normas da Lei Nº , de 25 de setembro de 2008, com base no TERMO DE CONVÊNIO PARA CONCESSÃO DE ESTÁGIO firmado entre a ENTIDADE CONCEDENTE e a INSTITUIÇÃO DE ENSINO, do qual fica fazendo parte integrante, estabelecendo as condições seguintes: 1. O estágio objetiva proporcionar ao (à) ESTAGIÁRIO (A) uma formação técnicocientífico, social e profissional. 2. O (A) ESTAGIÁRIO (A) compromete-se a cumprir as tarefas que a ENTIDADE CONCEDENTE determinar, desde que relacionadas com a profissão adquirente. 11

13 3. A duração do estágio será de / / até / /, prorrogável mediante entendimento entre as partes, por simples aditivo. 4. O (A) ESTAGIÁRIO (A) não terá nenhum vínculo empregatício com a ENTIDADE CONCEDENTE e/ou a INSTITUIÇÃO DE ENSINO, desde que observados os requisitos legais dispostos nos artigos 3º e 15 da Lei Nº / O estágio será cumprido nos seguintes dias semanais:, com uma jornada de x (extenso) horas diária (Inciso II, do Art. 10 da Lei Nº /2008), podendo ser estendido para outros dias. Todavia, não pode ultrapassar 30 (trinta) horas semanais. 6. A INSTITUIÇÃO DE ENSINO e/ou ENTIDADE CONCEDENTE a seu critério poderá conceder bolsa e auxílio transporte ou outra forma de contraprestação ao ESTAGIÁRIO desde que o estágio seja de caráter obrigatório ( Na hipótese deste ser não obrigatório, a concessão dos benefícios citados é obrigatória, (Art. 12, da Lei Nº /2008). A legislação dispõe no 1º do Art. 12 que a concessão de benefícios relacionados a transporte, alimentação e saúde, entre outros, não caracteriza vínculo empregatício. 7. É assegurado ao ESTAGIÁRIO: - recesso de 30 (trinta) dias, a ser gozado preferencialmente durante suas férias escolares quando o período de estágio tenha duração igual ou superior a 1 (um) ano (Art. 13 da Lei Nº /2008) - proteção à saúde e direito à segurança no trabalho (Art. 14), de responsabilidade de ENTIDADE CONCEDENTE de Estágio. O valor da apólice deve ser compatível com valores de mercado (Inciso IV, do Art. 9º e Art. 14 da Lei Nº /2008). 8. A INSTITUIÇÃO DE ENSINO deve observar os quesitos dispostos no Art. 7º da Lei Nº /2008; 9. A ENTIDADE CONCEDENTE de Estágio deve observar os dispositivos constantes nos artigos 9º e 15 da Lei Nº /2008, para que o estágio se caracterize como atividade de natureza empregatícia. 10. Qualquer das partes poderá rescindir o presente TERMO DE COMPROMISSO mediante comunicação escrita com prazo de 30 (trinta) dias, mas a ENTIDADE CONCEDENTE poderá rescindi-lo a qualquer momento, constando inadequação técnica, administrativa ou disciplinar por parte do (a) ESTAGIÁRIO (A). 11. Para efeito de avaliação escolar o (a) ESTAGIÁRIO (A) apresentará e devidamente visado pela ENTIDADE CONCEDENTE, relatório das atividades desenvolvidas, em modelo exigido pela INSTITUIÇÃO DE ENSINO INTERVENIENTE. 12. É facultado à ENTIDADE CONCEDENTE suspender o estágio do ESTAGIÁRIO que não atender as condições previstas no presente termo. 12

14 13. O (A) ESTAGIÁRIO (A) declara que não exerce atividade, político-partidária e não mantém vinculo empregatício ou profissional com outra empresa praticante de atividades afins ou semelhantes com atividades da ENTIDADE CONCEDENTE. E por estarem as partes de comum acordo, assinam o presente TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO em 3 (três) vias de igual teor, na presença das testemunhas abaixo. Nova Serrana, XX de XXXXX de 20XX. ENTIDADE CONCEDENTE DE ESTÁGIO Nome: CNPJ: ESTAGIÁRIO (A) Nome: CPF: INSTITUIÇÃO DE ENSINO FUNDAÇÃO FAUSTO PINTO DA FONSECA FACULDADE DE NOVA SERRANA - FANS CNPJ: /

15 ANEXO III Nome: Período: RELATÓRIO MENSAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO ALUNO (A) Curso: Tecnólogo em Produção do Vestuário (com ênfase em Calçados) Orientador (a): Razão Social: Supervisor: Área de atuação: CNPJ: EMPRESA Natureza do vínculo: Estágio Empregado Proprietário Filho de Proprietário DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO PERIODO Dias da semana de realização do estágio: Horário: Total de dias de estágio no período: Total CH cumprida no período: Setor: / / a / / Mapeamento das atividades desenvolvidas e identificação de problemas: Assinatura do Aluno (a): Nova Serrana, / / SUPERVISÃO DE ESTÁGIO 14

16 Declaramos que o Sr. (a) aqui descritas nesse relatório. desenvolveu as atividades Sem observações a relatar. Observações sobre o desempenho do estagiário. Local, / / Carimbo e assinatura supervisor. ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIO Recebido em: / / Justificativa Aprovado Rejeitado Nova Serrana, / / Assinatura do Prof.(a) Orientador do Estágio 15

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Mantenedora: Fundação Educacional Fausto Pinto da Fonseca - CNPJ : 04.149.536/0001-24 Av. Dom Cabral, 31 Centro - CEP: 35.519-000 - Nova Serrana - MG Fone: (37) 3226-8200 - Site: www.fanserrana.com.br

Leia mais

Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio FAN - CEUNSP SALTO. Campus V

Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio FAN - CEUNSP SALTO. Campus V Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio FAN - CEUNSP SALTO Campus V Regulamento Interno de Estágio Supervisionado e ou Trabalho Pedagógico Supervisionado FAN-CEUNSP-SALTO -Campus V O presente

Leia mais

Manual de Estágio Não Obrigatório

Manual de Estágio Não Obrigatório Manual de Estágio Não Obrigatório Faculdade Antonio Meneghetti Recanto Maestro, 2010 1 Introdução A lei nº 11.788/2008 define estágio como o ato educativo escolar, supervisionado, desenvolvido no ambiente

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO FISIOTERAPIA

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO FISIOTERAPIA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO FISIOTERAPIA Capítulo I - Do Conceito Art. 1º - O Estágio não obrigatório do Curso de Fisioterapia da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG) é aquele

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE)

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) PARTES ESSENCIAIS: I- QUALIFICAÇÃO DAS PARTE; II- INFORMAÇÕES RELEVANTES; III- CLÁUSULAS; IV- ASSINATURAS: das partes através de seus representantes

Leia mais

Fatec de São Carlos. A Faculdade de Tecnologia de São Carlos será a última parte envolvida a assinar o termo de compromisso e demais documentos.

Fatec de São Carlos. A Faculdade de Tecnologia de São Carlos será a última parte envolvida a assinar o termo de compromisso e demais documentos. Memo 04/15 Coordenação São Carlos, 26 de Fevereiro de 2015. Orientações Gerais aos Discentes Assunto: Estágio obrigatório e não obrigatório O estágio é regulamentado pela legislação através da LEI DO ESTÁGIO

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE PAULISTA - UNORP

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE PAULISTA - UNORP REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE PAULISTA - UNORP CAPÍTULO I DOS FUNDAMENTOS LEGAIS Artigo 1º- O presente regulamento de estágios do Centro Universitário do Norte Paulista

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA FACULDADE DE COMPUTAÇÃO. CAPÍTULO I DA COE/CC/Facom

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA FACULDADE DE COMPUTAÇÃO. CAPÍTULO I DA COE/CC/Facom REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA FACULDADE DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DA COE/CC/Facom Art. 1 A Comissão de Estágio do curso de Ciência da Computação da Faculdade de Computação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 396, DE 02 DE OUTUBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 396, DE 02 DE OUTUBRO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 396, DE 02 DE OUTUBRO DE 2014. O PRESIDENTE DO CONSELHO DE CÂMPUS DO CÂMPUS DO PANTANAL, da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais, e Considerando

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA FACULDADE BRASILEIRA - MULTIVIX

MANUAL DE PROCEDIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA FACULDADE BRASILEIRA - MULTIVIX MANUAL DE PROCEDIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA FACULDADE BRASILEIRA - MULTIVIX VITÓRIA 2013 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 INTRODUÇÃO... 3 3 OBJETIVOS... 4 2.1 OBJETIVO GERAL... 4 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS...

Leia mais

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENSINO MÉDIO

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENSINO MÉDIO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENSINO MÉDIO RIBEIRÃO PRETO 2013 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Aluno: RA: Ano/semestre: Período letivo: 2 SUMÁRIO ORIENTAÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 CAPÍTULO I Da Definição e Finalidades. Artigo 1 - O Estágio Supervisionado constitui-se no desenvolvimento, pelo aluno, de atividades práticas, exercidas mediante

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 015/2009-CONSUNIV-UEA ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RESOLUÇÃO Nº 015/2009-CONSUNIV-UEA ESTÁGIO SUPERVISIONADO RESOLUÇÃO Nº 015/2009-CONSUNIV-UEA ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA NATUREZA DO ESTÁGIO Art. 1º. Os estágios obrigatórios ou não-obrigatórios, de estudantes de curso de graduação da Universidade do

Leia mais

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º Estágio Supervisionado em Administração (ESA), é a disciplina

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as políticas

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS PROFISSIONALIZANTES

ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS PROFISSIONALIZANTES ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS PROFISSIONALIZANTES Introdução Os cursos profissionalizantes incluem o estágio curricular supervisionado, por vezes denominado de Estágio de Prática Profissional. Especificar-se-á

Leia mais

MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO

MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO CONVÊNIO ENTRE O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO, FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO E O CENTRO DE ENSINO MÉDIO INTEGRADO - UPF 081/2006 - SEPLAN O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO, pessoa jurídica de direito público,

Leia mais

Manual de Estágio Supervisionado

Manual de Estágio Supervisionado NEP Manual de Estágio Supervisionado Sumário Apresentação.................................................................... 3 Considerações Iniciais............................................................

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL Art. 1 o O Estágio regulamentado pela Lei N o 11.788, de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA RESOLUÇÃO N o 24/2012, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO Aprova as Normas Gerais de Estágio de Graduação da Universidade Federal de Uberlândia, e dá outras providências. O CONSELHO DE GRADUAÇÃO DA, no uso das competências

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO FARMÁCIA

MANUAL DE ESTÁGIO FARMÁCIA UNIP MANUAL DE ESTÁGIO FARMÁCIA MANUAL DO ALUNO COMISSÃO : Prof Carlos A Rosin Prof Alípio O Carmo São Paulo - SP 2009 Versão 1 Março 2009 UNIP O estágio curricular é uma DISCIPLINA OBRIGATÓRIA do curso

Leia mais

das demais previsões relativas ao estágio previstas no Projeto Pedagógico do Curso, no Regimento Interno e na Legislação.

das demais previsões relativas ao estágio previstas no Projeto Pedagógico do Curso, no Regimento Interno e na Legislação. DIRETRIZES E NORMAS PARA O ESTÁGIO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE REDENTOR DE PARAÍBA DO SUL DOS OBJETIVOS Art. 1 O Sistema de Estágio da FACULDADE REDENTOR DE PARAÍBA DO SUL terá por objetivos gerais:

Leia mais

PROJETO DE ESTÁGIO ANO 2007 CURSOS: ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS

PROJETO DE ESTÁGIO ANO 2007 CURSOS: ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROJETO DE ESTÁGIO ANO 2007 CURSOS: ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO GERAL PARA OS ESTÁGIOS CURRICULARES (DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO) ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS E CIÊNCIAS CONTÁBEIS CAPÍTULO

Leia mais

REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO

REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO Res. CONSUN nº 49/03, 10/12/03 Art. 1 o O presente documento objetiva fornecer as orientações

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DE CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DE CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO TÍTULO I 3 DA PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU E SEUS OBJETIVOS 3 TÍTULO II 5 DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA 5 CAPÍTULO I 5 DA ESTRUTURA 5 CAPÍTULO II 6 DA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU 6 CAPÍTULO

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO- OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNISC

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO- OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNISC UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO- OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNISC CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Administração é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP Capítulo I DA NATUREZA E SUAS FINALIDADES Art. 1º O estágio baseia-se na Lei nº. 11.788, sancionada em 25 de setembro de 2008. Parágrafo

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL

Leia mais

Regulamento. Estágio Curricular Supervisionado. Engenharia de Produção

Regulamento. Estágio Curricular Supervisionado. Engenharia de Produção Regulamento Estágio Curricular Supervisionado Engenharia de Produção Campinas SP Fevereiro de 2013 1 INTRODUÇÃO O Estágio Curricular Supervisionado, obrigatório e definido por legislação, deve ser vivenciado

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés Regulamento do Programa de Monitoria para os cursos de Graduação A Monitoria é uma atividade Acadêmica dos cursos de Graduação que visa dar oportunidade de aprofundamento vertical de estudos em alguma

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Licenciatura em Educação Física (3 anos)

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Licenciatura em Educação Física (3 anos) Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Licenciatura em Educação Física (3 anos) 2012-2013 1 Prezado (a) estagiário (a), O presente manual visa orientá-lo (la) quanto à realização do Estágio

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO

TERMO DE COMPROMISSO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO TERMO DE COMPROMISSO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO Termo de compromisso para realização de estágio obrigatório que entre si fazem a concedente, inscrita no CNPJ sob o nº, estabelecida na e o estagiário (a), documento

Leia mais

Lucia Maria Sá Barreto de Freitas

Lucia Maria Sá Barreto de Freitas RESOLUÇÃO DO CONSEPE Nº 12/2010 Aprova o Regulamento das Atividades de Estágio do Curso de Engenharia de Produção da FSSS e dá outras Providências. A PRESIDENTE DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO-

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 Este regulamento fixa as normas para o estágio do Curso de Graduação

Leia mais

MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO

MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO CONVÊNIO DE COLABORAÇÃO FIRMADO ENTRE O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO E A ANHANGUERA EDUCACIONAL LTDA mantenedora da UNIVERSIDADE ANHANGUERA UNIDERP Pólo de Passo Fundo 038/2012 PGM O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO,

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Barretos SP 2014 APRESENTAÇÃO O Estágio Supervisionado do Curso de Ciências Contábeis da FACULDADE BARRETOS é um componente curricular

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º O presente instrumento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - CEE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - CEE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - CEE PROJETO DISCIPLINADOR DO ESTÁGIO CURRICULAR - CEE/UNIFAP Estabelece diretrizes e normas necessárias

Leia mais

CONSIDERANDO os pronunciamentos contidos no Processo nº 39460/2006:

CONSIDERANDO os pronunciamentos contidos no Processo nº 39460/2006: DELIBERAÇÃO CÂMARA DE GRADUAÇÃO Nº 04/2007 Aprova o Regulamento de Estágios Curriculares Obrigatório e não Obrigatório do Curso de Letras Modalidade: Licenciatura Habilitações: Língua Inglesa e Respectivas

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIOS DA UFC

MANUAL DE ESTÁGIOS DA UFC MANUAL DE ESTÁGIOS DA UFC C EXTENSÃO E ESTÁGIO F PESQUISA U ENSINO SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... xx INTRODUÇÃO... xx 1. QUAIS AS OBRIGAÇÕES DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO?... xx 2. QUAIS OS DIREITOS E DEVERES DO

Leia mais

GUIA DO ESTAGIÁRIO CURSO SUPERIOR

GUIA DO ESTAGIÁRIO CURSO SUPERIOR GUIA DO ESTAGIÁRIO CURSO SUPERIOR FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE CURSO SUPERIOR EM BACHAREL EM SITEMAS DE INFORMAÇÃO 1 Faculdade de Tecnologia de São Vicente Av. Presidente Wilson, 1013 Centro

Leia mais

REGULAMENTO E MANUAL. Pedagogia e Letras

REGULAMENTO E MANUAL. Pedagogia e Letras INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE BARRETOS Mantido pelo Centro de Educação e Idiomas de Barretos Autorizado pela Portaria 71 de 11/01/2005 DOU Pedagogia Reconhecido pela portaria nº 663 de 11/05/2009 DOU

Leia mais

A Instituição Evangélica de Novo Hamburgo IENH, vem a oferecer para a EMPRESA um beneficio extra a seus colaboradores, conforme tabela abaixo.

A Instituição Evangélica de Novo Hamburgo IENH, vem a oferecer para a EMPRESA um beneficio extra a seus colaboradores, conforme tabela abaixo. CONVÊNIO 555/2012 CONVÊNIO QUE FIRMAM A INSTITUIÇÃO EVANGÉLICA DE NOVO HAMBURGO SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO IMOBILIÁRIO DE SÃO LEOPOLDO. A INSTITUIÇÃO EVANGÉLICA DE NOVO HAMBURGO, CNPJ

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio do Curso de Turismo da Universidade Estadual do Centro- Oeste, UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO:

Leia mais

CONVÊNIO DE CONCESSÃO DE ESTÁGIO Nº / EM FORMA DE BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL, DE ACORDO COM A LEI Nº 11.788 DE 25 DE SETEMBRO DE 2008

CONVÊNIO DE CONCESSÃO DE ESTÁGIO Nº / EM FORMA DE BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL, DE ACORDO COM A LEI Nº 11.788 DE 25 DE SETEMBRO DE 2008 CONVÊNIO DE CONCESSÃO DE ESTÁGIO Nº / EM FORMA DE BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO EDUCACIONAL, DE ACORDO COM A LEI Nº 11.788 DE 25 DE SETEMBRO DE 2008 Pelo presente instrumento, de um lado o (a) situado (a) à

Leia mais

Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP REGULAMENTO DE APRENDIZAGEM EM ATIVIDADES VETERINÁRIAS DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP REGULAMENTO DE APRENDIZAGEM EM ATIVIDADES VETERINÁRIAS DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP Decreto Estadual nº 3909, publicado no Diário Oficial do Estado do Paraná em 01/12/08 Campus Luiz M eneghel Bandeirantes CNPJ 08.885.100/0004-05 REGULAMENTO

Leia mais

RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008

RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008 RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008 Normas para o Estágio 1) Considerando a Lei 11.788 de 25 de setembro de 2008, que trata de Estágios de Estudantes; 2) Considerando a não existência de resolução geral que normatize

Leia mais

CONVÊNIO. UNIDADE CONCEDENTE: Razão Social: CNPJ: Ramo de Atividade: Endereço: Cidade: Estado: CEP: Telefone: Fax: e-mail: Representado por : Cargo:

CONVÊNIO. UNIDADE CONCEDENTE: Razão Social: CNPJ: Ramo de Atividade: Endereço: Cidade: Estado: CEP: Telefone: Fax: e-mail: Representado por : Cargo: CONVÊNIO UNIDADE CONCEDENTE: Razão Social: CNPJ: Ramo de Atividade: Endereço: Cidade: Estado: CEP: Telefone: Fax: e-mail: Representado por : Cargo: UNIDADE DE ENSINO: Razão Social: CENTRO DE ENSINO SUPERIOR

Leia mais

Regulamento de Estágios ORIENTAÇÕES GERAIS

Regulamento de Estágios ORIENTAÇÕES GERAIS Regulamento de Estágios ORIENTAÇÕES GERAIS Versão 1.0 2015 I. Introdução Consistirá o estágio em um período de trabalho, realizado pelo aluno, sob o controle de uma autoridade docente, em um estabelecimento

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia de Alimentos é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes

Leia mais

3. Quais são as modalidades de estágio? Estágio obrigatório e Estágio não obrigatório (art. 2º da Lei 11.788/2008).

3. Quais são as modalidades de estágio? Estágio obrigatório e Estágio não obrigatório (art. 2º da Lei 11.788/2008). 1. O que é o estágio? Estágio é o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de estudantes. O estágio integra o itinerário

Leia mais

MANUAL DO SUPERVISOR DE ESTAGIÁRIO

MANUAL DO SUPERVISOR DE ESTAGIÁRIO MANUAL DO SUPERVISOR DE ESTAGIÁRIO Rua Dr. Alberto Ferreira, 179 - Centro - 13480-074 - Limeira/SP - (19) 3404.9634 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO:... 4 2. PERGUNTAS E RESPOSTAS:... 4 1. O que é estágio?... 4

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ- BREVES FACULDADE DE LETRAS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ- BREVES FACULDADE DE LETRAS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ- BREVES FACULDADE DE LETRAS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS/PORTUGUÊS INTRODUÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º- Considera-se estágio, as atividades de aprendizagem social, profissional, proporcionadas ao

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regulamento do Estágio Supervisionado do Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior, na forma do ANEXO.

Art. 1º Aprovar o Regulamento do Estágio Supervisionado do Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior, na forma do ANEXO. RESOLUÇÃO Nº 77/2010, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2010 Aprova o Regulamento do Estágio Supervisionado do Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior, na forma do Anexo. O Reitor da Fundação Universidade

Leia mais

Resolução 128/Reitoria/Univates Lajeado, 28 de setembro de 2012

Resolução 128/Reitoria/Univates Lajeado, 28 de setembro de 2012 Resolução 128/Reitoria/Univates Lajeado, 28 de setembro de 2012 Reedita a Resolução 085/Reitoria/Univates, de 03/07/2008, que aprova o Regulamento dos Estágios Obrigatórios dos cursos de graduação e sequenciais

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 11.788 DE 25/09/2008 Dispõe sobre o estágio de estudantes, altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e a

Leia mais

MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO

MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO CONVÊNIO DE COLABORAÇÃO FIRMADO ENTRE O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO E A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO mantenedora da UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO 019/2009 PGM O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO, pessoa jurídica

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO 2012

MANUAL DE ESTÁGIO 2012 MANUAL DE ESTÁGIO 2012 2 1. IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO O estágio é um conjunto de atividades desenvolvidas pelo discente em entidades de direito privado, instituições de ensino e/ou pesquisa e órgãos da administração

Leia mais

MINUTA DE CONVÊNIO PADRÃO

MINUTA DE CONVÊNIO PADRÃO MINUTA DE CONVÊNIO PADRÃO CONSIDERANDO CONSIDERANDO CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO O presente convênio tem por objeto conceder vagas para estágio (obrigatório/não obrigatório) em Unidades de Saúde da SMSDC,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA Coordenação Geral de Integração Escola Comunidade - CGIEC REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Capítulo I Da Definição e Finalidade Art. 1º Entende-se como Estágio Supervisionado o conjunto de atividades práticas direcionadas para o aprendizado e o desenvolvimento

Leia mais

Regulamentação Específica do Estágio de Interesse Curricular. Curso de Pedagogia

Regulamentação Específica do Estágio de Interesse Curricular. Curso de Pedagogia 1 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 Regulamentação Específica do Estágio de Interesse Curricular Capítulo I - Dos Objetivos Curso de Pedagogia Resolução No. 010/2007 do Conselho de Ensino, Pesquisa

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE Bacharelado em Administração Modalidade a Distância

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE Bacharelado em Administração Modalidade a Distância REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE Bacharelado em Administração Modalidade a Distância I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Bacharelado em Administração Modalidade a Distância é uma

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PORTO VELHO PROCURADORIA GERAL CONVÊNIO Nº 018/PGM/2013 - PROCESSO Nº 16.00068-00/2013

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PORTO VELHO PROCURADORIA GERAL CONVÊNIO Nº 018/PGM/2013 - PROCESSO Nº 16.00068-00/2013 CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PORTO VELHO, POR INTERMÉDIO SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE/SEMA, DE UM LADO, E DE OUTRO O CENTRO DE INTEGRAÇÃO EMPRESA ESCOLA CIEE, PARA OS FINS QUE

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE CONVÊNIO

MINUTA DE CONTRATO DE CONVÊNIO MINUTA DE CONTRATO DE CONVÊNIO CONVÊNIO Nº / QUE ENTRE SI CELEBRAM CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE GUANAMBI CESG, MANTENEDOR DA FACULDADE GUANAMBI FG, POR MEIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO DE DIREITO DA FACULDADE

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE NÍVEL MÉDIO PROFISSIONALIZANTE E DE GRADUAÇAO DO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA - IFB

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE NÍVEL MÉDIO PROFISSIONALIZANTE E DE GRADUAÇAO DO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA - IFB REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE NÍVEL MÉDIO PROFISSIONALIZANTE E DE GRADUAÇAO DO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA - IFB Brasília DF março/2011 Pró-reitoria de Ensino PREN Pró-reitoria

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO INTERNO

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO INTERNO TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO INTERNO CONCEDENTE e INSTITUIÇÃO DE ENSINO: A UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO - UNISA, mantida pela OBRAS SOCIAIS E EDUCACIONAIS DE LUZ - OSEL, com filial na Rua Professor Enéas

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CURSO DE JORNALISMO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CURSO DE JORNALISMO Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá Normatiza a organização e funcionamento do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá

Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá Normatiza a organização e funcionamento do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E RELAÇÕES DE ESTÁGIO

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E RELAÇÕES DE ESTÁGIO LEI N.º 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DO NORTE MT CNPJ.: 03.238.672/0001-28

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DO NORTE MT CNPJ.: 03.238.672/0001-28 DECRETO Nº. 810/2015, DE 03 DE FEVEREIRO DE 2015 Regulamenta o estágio de estudantes em órgãos municipais, com base na Lei Federal nº 11.788, de 25 de setembro de 2008, e dá outras providências. O PREFEITO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS Gabinete do Prefeito

PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS Gabinete do Prefeito MINUTA DE CONVÊNIO Convênio que celebram entre si o Município de Canoas e o Centro Integração Empresa Escola (CIEE/RS). O MUNICÍPIO DE CANOAS, pessoa jurídica de direito público interno, com sede na Rua

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO Considerando o objetivo de formação de docentes em que a atividade prática de prestação de serviços especializados é relevante à sociedade, torna-se necessário

Leia mais

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS DE GUANAMBI Distrito de Ceraíma, s/n - Zona Rural - Cx Postal

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 076. de 06 de maio de 2008.

RESOLUÇÃO nº 076. de 06 de maio de 2008. Av. Castelo Branco, 170 -CEP 88.509-900 - Lages - SC - Cx. P. 525 - Fone (0XX49) 3251-1022 Fax 3251-1051 RESOLUÇÃO nº 076. de 06 de maio de 2008. Altera o Art. 4º da Resolução nº 056 de 02 de abril de

Leia mais

FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE LETRAS

FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE LETRAS FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE LETRAS OLÍMPIA 2014 1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LETRAS REGULAMENTO GERAL TÍTULO DO ESTÁGIO E SEUS FINS Artigo

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO Engenharia de Automação Industrial

ESTÁGIO SUPERVISIONADO Engenharia de Automação Industrial CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CEFET-MG UNIDADE ARAXÁ COORDENAÇÃO DE PROGRAMA DE ESTÁGIO - 3ºGRAU ESTÁGIO SUPERVISIONADO Engenharia de Automação Industrial GUIA DO ESTAGIÁRIO CEFET-MG

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO Diretora: - Profª Mayra Santos Cabral

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO Diretora: - Profª Mayra Santos Cabral FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO Diretora: - Profª Mayra Santos Cabral Coordenadores de estágios: - Prof. Marcos

Leia mais

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica:

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica: REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO IFRR N A regulamentação geral de estágio tem por objetivo estabelecer normas e diretrizes gerais que definam uma política

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia Mecânica é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016.

RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016. RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº 43/2016

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/DIR/2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/DIR/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/DIR/2013 ESTABELECE AS NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE PESQUISA PARA SERVIDORES DOCENTES, TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS E DISCENTES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE

Leia mais

Normas Gerais de Estágios

Normas Gerais de Estágios Normas Gerais de Estágios NORMAS GERAIS DE ESTÁGIOS DA UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO - UNISA O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA e EXTENSÃO - CONSEPE, órgão normativo, consultivo e deliberativo da administração

Leia mais

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1. Das Disposições Preliminares Art. 1 o. Este instrumento legal regulamenta o componente curricular Estágio

Leia mais

ANEXO II DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO DO ESTÁGIO

ANEXO II DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO DO ESTÁGIO ANEXO II NORMAS ESPECÍFICAS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - MODALIDADE BACHARELADO DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO DO ESTÁGIO Art.

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO RSGQ-16.01

REGULAMENTO DE ESTÁGIO RSGQ-16.01 REGULAMENTO DE ESTÁGIO RSGQ-16.01 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. DEFINIÇÕES... 4 2.1 ESTÁGIO... 4 2.2 ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 2.3 ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO... 5 2.4 CONCEDENTE... 5 3 DADOS DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TURISMO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TURISMO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I - OBJETIVOS Art. 1º. O presente regulamento tem por finalidade normatizar as atividades de Estágio Supervisionado desenvolvidas no da

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Elaboração: Bruno Márcio Agostini, M. Sc. São João del Rei - MG Julho de 2010 TÍTULO I DAS DEFINIÇÕES PRELIMINARES O presente

Leia mais

Faculdades Borges de Mendonça

Faculdades Borges de Mendonça TERMO DE CONVÊNIO PARA ESTÁGIO CURRICULAR BM/EMPRESA TERMO DE CONVÊNIO PARA ESTÁGIO CURRICULAR QUE ENTRE SI CELEBRAM, DE UM LADO A FACULDADE BORGES DE MENDONÇA E DE OUTRO LADO, A EMPRESA., VISANDO À REALIZAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 02/2010 CONSU/UNIFAP

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 02/2010 CONSU/UNIFAP MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 02/2010 CONSU/UNIFAP Regulamenta o Estágio Supervisionado, no âmbito da Universidade Federal do Amapá.

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO 2008 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO DA FACULDADE DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TÍTULO I ESTÁGIO NATUREZA Art. 1º Os Estágios realizados na Faculdade de Ciência

Leia mais

A Coordenação de Estágios informa:

A Coordenação de Estágios informa: A Coordenação de Estágios informa: I Informações gerais e Dúvidas frequentes sobre o Estágio: Tudo que você precisa saber sobre a nova lei de estágio 1. O que é o estágio? A Lei nº 11.788, de 25 de setembro

Leia mais

UNIFAP: estabelecendo conexões reais entre a formação acadêmica e o mundo profissional. Macapá-AP, 2012

UNIFAP: estabelecendo conexões reais entre a formação acadêmica e o mundo profissional. Macapá-AP, 2012 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIVISÃO DE ACOMPANHAMENTO DE ESTÁGIO UNIFAP: estabelecendo conexões reais

Leia mais

Mantenedora AESGO ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS. Mantida. IESRIVER Instituto de Ensino Superior de Rio Verde

Mantenedora AESGO ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS. Mantida. IESRIVER Instituto de Ensino Superior de Rio Verde Mantenedora AESGO ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS Mantida IESRIVER Instituto de Ensino Superior de Rio Verde MANUAL DE NORMAS E DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR EM ADMINISTRAÇÃO Rio Verde - GO

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE LETRAS (PORTUGUÊS/INGLÊS E SUAS LITERATURAS) REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LETRAS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE LETRAS (PORTUGUÊS/INGLÊS E SUAS LITERATURAS) REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LETRAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE LETRAS (PORTUGUÊS/INGLÊS E SUAS LITERATURAS) REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LETRAS LAVRAS, 2014 CAPÍTULO I Da natureza Art. 1º - O Estágio Supervisionado do

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA Convênio n 07/2014/MPGO CONVÊNIO CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS E O CENTRO DE ENSINO UNIFICADO DE BRASÍLIA UNICEUB, POR INTERMÉDIO DA, VISANDO A CONCESSÃO DE ESTÁGIO

Leia mais

www.queroserprofessor.

www.queroserprofessor. www.queroserprofessor. Documento Revisado em março de 2011 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. O QUE É A MONITORIA? 3. OBJETIVOS DA MONITORIA 4. CONDIÇÕES PARA PARTICIPAR DA MONITORIA 5. INSCRIÇÃO 6. ATRIBUIÇÕES

Leia mais

LEI Nº 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, aprovada pelo Decreto- Lei n o 5.452, de 1 o de maio

Leia mais