CASA PALETE Cassiús Baungarten (1); Noé Vega Cotta de Mello (2); Joseane da Silva Almeida (3) Resumo Palavras-chave Abstract

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CASA PALETE Cassiús Baungarten (1); Noé Vega Cotta de Mello (2); Joseane da Silva Almeida (3) Resumo Palavras-chave Abstract"

Transcrição

1 CASA PALETE Cassiús Baungarten (1); Noé Vega Cotta de Mello (2); Joseane da Silva Almeida (3) (1) Aluno do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Católica de Pelotas, Pelotas/RS, Brasil. (2) Professor do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Católica de Pelotas, Pelotas/RS, Brasil. (3) Professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Católica de Pelotas, Pelotas/RS, Brasil. Resumo O trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Extensão em Habitat Social do Centro Politécnico da Universidade Católica de Pelotas, tem por objetivo oferecer qualidade de vida, atraves da arquitetura para comunidades carentes, oferecendo, ao mesmo tempo, oportunidade de aprendizado prático aos acadêmicos do curso. A equipe de extensão vem trabalhando no projeto e execução de uma sede para a Associação das Mulheres de uma comunidade carente, apostando na possibilidade concreta de transformação, através da construção da sede. O objetivo é produzir algo que, mesmo sendo pontual, possa ter efeito multiplicador no pequeno núcleo habitacional. Durante esse processo, os alunos participam ativamente, ajudando na execução da obra, e assim surgiu a idéia da Casa Palete. Um dos alunos impressionou-se com as condições habitacionais da população, e surpreendeu-se com a boa vontade e alegria das crianças em colaborar, e pensou que como futuro arquiteto não poderia deixar de pensar em algo para melhorar as condições habitacionais daquelas crianças. No outro dia, ao acompanhar um descarregamento de matéria prima (polietileno) na indústria onde trabalha, observou que os sacos de matéria prima vinham empilhados em cima de um palete de madeira que, após a utilização da matéria prima, eram descartados por não terem utilidade no processo produtivo da indústria. Então teve a idéia de utilizar esse material em madeira para construção de uma casas modular e de todo seu mobiliário. Palavras-chave: Núcleo de Extensão, Habitat Social, Qualidade de Vida. Abstract Traduzir The work of the Extension Center for Social Habitat in the Polytechnic Center of the Catholic University of Pelotas, aims to provide quality of life, through the architecture to needy communities, offering at the same time, practical learning opportunities to students from the course. The extension team has been working on the design and implementation of a headquarters for the Association of Women in a disadvantaged community, focusing on the real possibility of transformation through the construction of the headquarters. The goal is to produce something that, even if timely, may have a multiplier effect in the small housing project. During this process, students actively participate and help in carrying out the work, and so

2 the idea of the Pallet House. One student was struck by the housing conditions of the population, and was surprised by the good will and joy of children at work, and thought that as a future architect could not stop thinking about something to improve the housing conditions of those children. The other day, when following an unloading of raw material (polyethylene) in the industry where he works, he noted that the bags of raw materials were stacked on top of a wooden pallet that after the use of raw material, were discarded because they did not use industry in the production process. So had the idea to use this material in wood for construction of a modular homes and all their furniture. Keywords: Extension Center, Social Housing, Quality of Life. 1. INTRODUÇÃO 1.1. Déficit habitacional A migração do campo para a cidade e o crescimento demográfico nos grandes centros urbanos caracteriza o cenário brasileiro na atualidade. Em 1940 viviam nas cidades 31% da população brasileira. Em 2000 esta taxa subiu para 81% (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- IBGE, 2000). O déficit habitacional no país foi estimado em unidades no ano de A maior incidência desta carência é urbana e corresponde a 81,3 % do montante brasileiro. A distribuição do déficit habitacional, segundo seus componentes, revela a predominância da coabitação familiar, que responde isoladamente por 56,1% da estimativa brasileira, e por 65,4% do déficit metropolitano. Esse quadro da política habitacional brasileira aponta para uma demanda potencial significativa por novas unidades habitacionais e, também, por serviços de conservação das unidades já existentes em condições de precariedade Situação sócio-econômica Dentre os brasileiros diretamente afetados pelo déficit habitacional, estima-se que 97,2% não têm acesso a crédito imobiliário. O Censo Demográfico realizado pelo IBGE no ano de 2000 indica que 24,9 % dos entrevistados recebem entre ¼ a 1 salário mínimo, 19,76% entre 1 a 2 salários mínimos e 24,18% entre 2 a 5 salários mínimos. Os dados demonstram a contundência da falta de capitalização e de acesso ao crédito para financiamento habitacional que persiste para grande parte da população, mesmo com incremento das ações nesse sentido verificadas atualmente pelo Governo Federal Sustentabilidade na Habitação de Interesse Social A produção habitacional sustentável representa um desafio complexo para as sociedades contemporâneas. Não se trata apenas de considerar a preservação dos recursos ambientais e do meio ambiente mas, fundamentalmente, de assegurar condições de vida digna aos usuários dessas habitações. Os eixos do desenvolvimento sustentável na cidade contemporânea

3 baseiam-se nos seguintes pilares: sustentabilidade econômica, social, política, ambiental e cultural, que devem comparecer desde a elaboração inicial de qualquer projeto, ou seja, desde as intervenções urbanísticas, incluindo o traçado paisagístico, até o detalhamento do projeto arquitetônico e acompanhamento na execução da edificação Arquitetura, Urbanismo, e Paisagem Urbana com Sustentabilidade O crescimento desordenado das cidades, nos grandes centros urbanos, é visto como um dos principais responsáveis pela degradação do meio ambiente. A concentração da população nas metrópoles intensifica a demanda de fontes energéticas e da utilização dos recursos naturais disponíveis. Este fenômeno torna-se incompatível com a capacidade de suporte do meio ambiente e agrava a problemática da concentração populacional. O setor da construção civil é atualmente um dos maiores causadores de impactos ambientais. As atividades relacionadas à construção civil são responsáveis pela degradação ambiental, que ocorrem por meio do consumo excessivo de recursos naturais, pela demanda por matéria prima industrializada e pela geração de resíduos. A minimização dos impactos ambientais gerados pelas edificações e a difusão dos conceitos de desenvolvimento sustentável são estratégias fundamentais para um melhor desempenho ambiental, e devem perpassar, desde a concepção inicial dos projetos até as suas implementações. Cabe destacar ainda, que devido ao grande consumo energético nas edificações, desencadeou-se uma difusão dos conceitos de projeto ecológico. As avaliações ambientais tornam-se, neste cenário, cada vez mais importantes nos indicadores de qualidade dos projetos arquitetônicos e urbanísticos. A aplicação de sistemas de avaliação ambiental de edifícios já consiste em uma prática corrente em diversos países da Europa, assim como, nos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão. O mais conhecido dos sistemas de avaliação ambiental de edifícios é o BREEAM (Building Research Establishmnet Environmental Assessment Method), criado no Reino Unido em No Brasil, a estratégia para a introdução de uma metodologia de avaliação de impactos ambientais de edifícios iniciou-se com a integração do País no projeto Green Building Challenge, durante a Conferência Sustainable Building no ano de A Arquitetura, o Urbanismo e o Paisagismo devem ser desenvolvidos não só como uma atividade de baixo impacto ambiental mas, principalmente, como uma atividade renovadora, reparadora e restauradora do ambiente urbano Objetivo A aplicação da técnica modular nos processos construtivos proporciona simplificação, organização, rapidez de produção, redução de mão-de-obra, de desperdício de materiais e de custos na construção.

4 O presente artigo tem como objetivo demonstrar a aplicação modular, em elementos construtivos do sistema leve a partir de uma estruturas de madeira palete descartados pelas indústrias de diversos segmentos, assim reutilizando esta material para construção de habitação de interesse social com qualidade. Este artigo está organizado em 5 seções: Sistema modular, Sistemas leves em madeira, Painéis modulares, Aplicação dos painéis e Conclusão. Na seção Sistema modular, serão apresentados os conceitos básicos relacionados a esse assunto. Em Sistemas leves em madeira, descreve-se o Sistema Plataforma. Na seção Painéis modulares, são propostos os módulos básicos dos painéis e discutidos sua composição e detalhamento técnico. Na seção Aplicação dos painéis, apresentam-se de ligações entre os painéis. E, finalmente, são apresentadas as conclusões obtidas neste trabalho. 2. SISTEMA MODULAR O uso do sistema modular não é incomum na história da arquitetura. Os gregos utilizavam na construção de seus templos a simetria dinâmica e as divinas-proporções. E os romanos utilizavam medidas antropométricas conhecidas como passus romano (ROSSO, 1976). Isto pode ser constatado através do Tratado de Arquitetura escrito pelo arquiteto-engenheiro Vitrúvio no século I a.c. Nesse tratado, ele explica a aplicação dos módulos para garantir a proporção e a simetria na criação de efeitos plásticos das formas arquitetônicas. Nesse contexto, o módulo é a unidade básica de medida usada para quantificar e medir um espaço. A utilização do módulo na arquitetura foi intensificada após a 2ª Guerra Mundial, quando muitos países, passando por processos de recuperação dos efeitos da guerra, necessitavam suprir a carência habitacional por meio de métodos construtivos simplificados, rápidos e de custo baixo. Seguindo esses requisitos estabelecidos pela situação emergente e pelo aumento da demanda de empreendimentos de construção, novas idéias sobre eficiência construtiva foram introduzidas na produção industrial. Isso resultou na criação de regras e critérios dimensionais para os elementos construtivos (CUPERUS, 2001). O sistema modular utiliza um vocabulário técnico específico. No Brasil, estes termos estão definidos na norma técnica NBR 5731 (ABNT, 1982) (Tabela 1). Nela define-se o módulo básico igual a 10 cm, seguindo a especificação da International Organization for Standardization (ISO). O sistema modular utiliza um reticulado espacial de referência definido por um módulo, unidade básica de medida, que permite a repetição com compatibilização das formas escolhidas. É um instrumento que auxilia no dimensionamento, posicionamento e conectividade dos materiais e componentes, tanto no projeto quanto na execução da construção. Entre as vantagens da prática do sistema modular, ressalta-se: a simplificação e a compatibilização dos projetos e das operações de execução, com maior precisão dimensional e locação da obra, facilitada pelo reticulado modular; a padronização dos materiais e componentes, facilitando a produção em série, evitando quebras e a substituição; a redução dos problemas de interface entre os componentes, elementos e subsistemas; a facilidade na

5 utilização de técnicas pré-definidas; o possível intercâmbio nacional e internacional das tecnologias de construção e inovações nos materiais (PARIZOTTO FILHO, 2004). 3. SISTEMAS LEVES O sistema de construção em estruturas leves em madeira é muito difundido na América do Norte e caracteriza-se pela praticidade, flexibilidade de modulação, industrialização das peças, curto prazo de construção e produtividade (CAMPOS, 2006). Após a 2ª Guerra Mundial, os países norte-americanos defrontaram-se com a necessidade de produção em massa de casas. A industrialização sobreveio e a pré-fabricação em madeira foi intensamente explorada a partir desse período como técnica construtiva viável. Pesquisas contribuíram para a evolução do uso deste material na construção, resultando no desenvolvimento de estruturas leves em madeira. Esses sistemas destacaram-se por sua eficiência, por um processo construtivo de fácil e rápida execução e de baixo custo. 4. PAINÉIS MODULARES As possibilidades de criação de painéis verticais modulares utilizando a estrutura do palete (Figura 1) são amplas. No entanto, a proposta a ser apresentada aqui visa mostrar a aplicação do sistema modular nesse sistema para evidenciar o aproveitamento de um material descartado pelas indústrias. Os projetos de painéis verticais em madeira foram baseados nas seguintes premissas: proporcionar simplificação, organização, rapidez de produção, redução de mão-de-obra, de desperdício de materiais, de custos na construção e a sustentabilidade. Os tamanhos dos painéis podem variar conforme a necessidade do projeto arquitetônico, esses painéis modulares podem ser, entre 1,10 x 1,30 metros. Figura 1: Palete e sua utilização 4.1. Módulos básicos dos painéis Nesta seção, serão apresentados quatro módulos básicos: painel fechado (Figura 3), painelporta e painel janela (Figura 4) e painel telhado (Figura 5) os quais poderão ser combinados resultando em painéis do tipo: fechado + porta; fechado + janela; porta + janela; fechado +

6 porta + janela. No projeto dos módulos básicos de painel foram considerados: as técnicas do sistema modular Linha de montagem Módulos de painéis fechado Figura 2: Sequência de montagem dos painéis modulares O módulo painel fechado (Figura 3) é o mais complexo dos três módulos básicos, de confeccionar, pois possui menor quantidade e variedade de elementos na sua composição. A

7 ossatura desse painel é formada por: dois montantes externos, um montantes internos, uma travessa inferior e outra superior. Essas peças de madeira são conectadas entre si, normalmente, por pregos cravados de topo ou em ângulo. Para completar o painel estrutural, a ripa de eucalipto do palete, que enrijece a ossatura, deve ser pregada em todos montantes e travessas. A fixação do painel-fechado na fundação pode ser feita por parafusos auto-atarrachantes ( parabolts ) ou aplicar, previamente, uma guia de madeira à fundação por meio de parafusos. O painel fechado é fixado sobre esta guia por meio de pregos, ou pelos próprios parafusos de fixação da guia à fundação, se a altura dos parafusos for suficiente. O uso da guia facilita a instalação e a precisão de posicionamento do painel. Figura 3: Módulo painel fechado Módulos de painéis porta e janela A ossatura dos módulos de painel-porta e painel-janela é diferenciada da ossatura do painel fechado, a fim de comportar os vãos de encaixe das esquadrias. Por isso, além dos montantes externos e das travessas, existem os elementos especiais desses módulos: vergas, contra-vergas e umbrais, cada umbral está fixado lateralmente a um montante inteiro e tem seu comprimento limitado ao nível da verga. As vergas estão apoiadas e fixadas sobre os umbrais, e a contra-verga está apoiada e fixada sobre montantes curtos (Figuras 4 e 5). O módulo de painel-porta possui pouca área coberta com as ripas de eucalipto do palete e por isso apresenta pouca rigidez. Nos módulos porta e janela, deve-se ter cuidado com os ajustes e tolerâncias externas e internas ao módulo. Internamente, há um vão modular para encaixar a esquadria. A folha, marco, contra-marco e junta devem corresponder ao vão modular para garantir o posicionamento adequado destes componentes no painel.

8 Figura 4: Módulo painel-janela Figura 5: Módulo painel-porta Módulos de telhado O telhado é modular como podemos observar na Figura 6, como aplicação de um material impermeabilizante; caixa Tetra Pak de fácil montagem e baixo custo já que as caixas são reaproveitadas do lixo.

9 Figura 6: Telhado modular com caixa Tetra Pak 4. APLICAÇÃO DOS PAINÉIS Os métodos de união são especialmente importantes na etapa de montagem dos elementos constitutivos. O grau de facilidade da montagem afeta o custo da construção. Por isso, esta deve ser fácil, rápida e estruturalmente confiável. Na Figura 7 podemos observar os métodos de união dos painéis modulares tanto entre si como no radier. Figura 7: Método de união

10 5. CONCLUSÃO A falta de investimento em técnicas alternativas para a habitação de interesse social, especialmente nos programas governamentais, onde a necessidade de grande escala inviabiliza as opções mais artesanais ; no entanto, é fundamental o conhecimento científico que a academia proporciona, na medida em que muitas vezes são necessárias alternativas em menor escala, bem como alternativas de emergência. Agregado a isto está o fato já comentado, do grande desperdício de material em condições de ser utilizado em outras finalidades, e ainda o volume de lixo que a construção civil tradicional gera. Portanto, a solução proposta está em sintonia com os princípios do desenvolvimento sustentável, ao mesmo tempo em que afirma o papel da academia e seu compromisso social. Atualmente o projeto encontra-se em fase de analise, foi construído um protótipo no pátio da universidade (Figura 16) para fazer acompanhamento estrutural, patológico, de conforto térmico e acústico. Os resultados obtidos até o momento são satisfatórios, o projeto tem com prazo de conclusão Dezembro de 2012, onde vamos contemplar uma família, já escolhida da comunidade carente Dunas Fundos. 6. REFERÊNCIA Habitação de Madeira como Opção para Século XXI André Berriel Mercadante Stinghen. ABNT NBR 15873:2010 Coordenção Modular para Edificações. 7. AGRADECIMENTO A todos os professores orientadores e aos acadêmicos dos cursos, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica e Arquitetura que contribuiram para execução da Casa Palete. 8. ANEXO 4.1. Fotos do trabalho Figura 8 Palete

11 Figura 9 Desmontagem do Palete Figura 10 Retirada dos pregos Figura 11 Inicio da montagem do módulo Figura 12 União lateral dos dois palete

12 Figura 13 Fechamento do módulo Figura 14 Módulo pronto Figura 15 Telhado utilizando caixas tetra pak Figura 16 Telhado utilizando caixas tetra pak Figura 15 Protótipo do quarto

13 Figura 17 Equipe de acadêmicos trabalhando Figura 18 Comunidade carente Dunas Fundos onde a extensão atua diretamente com ações.

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod

Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod Davi Fagundes Leal 1,, Rita de Cássia Silva Sant Anna Alvarenga 2, Cássio de Sá Seron 3, Diôgo

Leia mais

LIGHT STEEL FRAMING COMO ALTERNATIVA PARA A CONSTRUÇÃO DE MORADIAS POPULARES

LIGHT STEEL FRAMING COMO ALTERNATIVA PARA A CONSTRUÇÃO DE MORADIAS POPULARES CONSTRUMETAL CONGRESSO LATINO-AMERICANO DA CONSTRUÇÃO METÁLICA São Paulo Brasil 31 de agosto a 02 de setembro 2010 LIGHT STEEL FRAMING COMO ALTERNATIVA PARA A CONSTRUÇÃO DE MORADIAS POPULARES RESUMO Alexandre

Leia mais

Líder em Tecnologia. www.ceramicacity.com.br SAC (15) 3246 8030

Líder em Tecnologia. www.ceramicacity.com.br SAC (15) 3246 8030 Líder em Tecnologia Líder em Tecnologia Vedação Racional As maiores construtoras buscam a qualidade e desempenho dos s City para ganhar em produtividade e reduzir desperdícios Vedação Racional O bloco

Leia mais

ESQUADRIAS Resumo da aula

ESQUADRIAS Resumo da aula ESQUADRIAS Resumo da aula Os vãos têm como funções a vedação e a comunicação dos ambientes internos e externos do edifício. Ambos necessitam de obras e serviços, executadas com materiais, segundo determinadas

Leia mais

SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING COMO FECHAMENTO EXTERNO VERTICAL INDUSTRIALIZADO

SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING COMO FECHAMENTO EXTERNO VERTICAL INDUSTRIALIZADO CONSTRUMETAL CONGRESSO LATINO-AMERICANO DA CONSTRUÇÃO METÁLICA São Paulo Brasil 09, 10 e 11 de Setembro 2008 SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING COMO FECHAMENTO EXTERNO VERTICAL INDUSTRIALIZADO Alexandre Kokke

Leia mais

Desenvolvimento de diretrizes para projeto de edificações para fins didáticos com sistema estrutural construtivo modular em aço

Desenvolvimento de diretrizes para projeto de edificações para fins didáticos com sistema estrutural construtivo modular em aço Desenvolvimento de diretrizes para projeto de edificações para fins didáticos com sistema estrutural construtivo modular em aço Maria Emília Penazzi mepenazzi@yahoo.com.br Prof. Dr. Alex Sander Clemente

Leia mais

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil Aula

Leia mais

Desenvolvimento de Tecnologia Wood Frame para Habitações de Interesse Social

Desenvolvimento de Tecnologia Wood Frame para Habitações de Interesse Social Desenvolvimento de Tecnologia Wood Frame para Habitações de Interesse Social APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Construtora Roberto Ferreira com 60 anos de atuação no mercado buscou sempre inovar, simplificar e

Leia mais

construímos a inovação POR

construímos a inovação POR construímos a inovação POR construímos a inovação 2 3 Compact Habit, uma iniciativa da empresa de Manresa, Constructora d Aro S.A., foi criada em 2004 para atender à necessidade de inovação na construção.

Leia mais

Sistemas da edificação Aplicação na prática

Sistemas da edificação Aplicação na prática 1 Vantagens Alta produtividade com equipes otimizadas; Redução de desperdícios e obra limpa; Facilidade de gerenciamento e padronização da obra; Elevada durabilidade; Facilidade de limpeza e conservação;

Leia mais

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle.

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle. CONCEITO Light (LSF estrutura em aço leve) é um sistema construtivo racional e industrial. Seus principais componentes são perfis de aço galvanizado dobrados a frio, utilizados para formar painéis estruturais

Leia mais

APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS METÁLICAS EM EDIFÍCIOS DE MÚLTIPLOS ANDARES

APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS METÁLICAS EM EDIFÍCIOS DE MÚLTIPLOS ANDARES Autor: Paulo André Brasil Barroso Eng. Civil. Pós-graduado em cálculo estrutural McGill University Montreal Canadá 1975/1977. Sócio de uma das maiores empresas fabricantes de estruturas metálicas do país

Leia mais

...VAI MUITO ALÉM DO QUE VOCÊ IMAGINA

...VAI MUITO ALÉM DO QUE VOCÊ IMAGINA REVISTA AU REFERÊNCIAS DE APLICAÇÃO DE PISO ELEVADO O CHÃO QUE VOCÊ PISA......VAI MUITO ALÉM DO QUE VOCÊ IMAGINA 1- Quais as principais diferenças entre pisos elevados para áreas internas e externas? E

Leia mais

ANDRÉ MONTENEGRO DE HOLANDA www.casasole.com.br Tel.: +55 (85) 3273 5244

ANDRÉ MONTENEGRO DE HOLANDA www.casasole.com.br Tel.: +55 (85) 3273 5244 ANDRÉ MONTENEGRO DE HOLANDA www.casasole.com.br Tel.: +55 (85) 3273 5244 Objetivo O Sistema Casas Olé tem como objetivo apresentar um novo processo para fabricação de habitações, com alta qualidade, através

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PERFIS FORMADOS A FRIO PARA UNIDADES ESCOLARES (1)

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PERFIS FORMADOS A FRIO PARA UNIDADES ESCOLARES (1) CONGRESSO LATINO-AMERICANO DA CONSTRUÇÃO METÁLICA São Paulo Brasil 12, 13 e 14 de Setembro 2006 SISTEMA CONSTRUTIVO EM PERFIS FORMADOS A FRIO PARA UNIDADES ESCOLARES (1) Cristiane Lopes Henriques (2) Arlene

Leia mais

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE Estúdio de Arquitetura: Sustentabilidade Steel Framing Aluna: Gabriela Carvalho Ávila Maio de 2014 ÍNDICE 1 Introdução... 4 2 Sistema Ligth Steel Framing... 5 2.1

Leia mais

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados Projeto e Dimensionamento de de Estruturas metálicas e mistas de de aço e concreto MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados 1 Sistemas estruturais: coberturas

Leia mais

NORMAS DE DESEMPENHO: Alinhamento da Arquitetura Brasileira aos Padrões Mundiais de Projeto

NORMAS DE DESEMPENHO: Alinhamento da Arquitetura Brasileira aos Padrões Mundiais de Projeto 38 a. ASSEMBLEIA & 1º FORUM ANUAL 21 de Maio de 2010 NORMAS DE DESEMPENHO: Alinhamento da Arquitetura Brasileira aos Padrões Mundiais de Projeto Arquiteta Ana Maria de Biazzi Dias de Oliveira anabiazzi@uol.com.br

Leia mais

Casa de steel frame - instalações (parte 4)

Casa de steel frame - instalações (parte 4) Página 1 de 6 Casa de steel frame - instalações (parte 4) As instalações elétricas e hidráulicas para edificações com sistema construtivo steel frame são as mesmas utilizadas em edificações convencionais

Leia mais

O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? ALVENARIA ESTRUTURAL O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Conceituação: O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL?

O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? ALVENARIA ESTRUTURAL O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Conceituação: O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? AULA 5 ALVENARIA ESTRUTURAL Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco PREDIO COM BLOCO DE VEDAÇÃO MACEIO

Leia mais

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 221 ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE

Leia mais

Lucca Schmidt Osellame, Márcio Rosa D Ávila(orientador) Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, PUCRS. Resumo

Lucca Schmidt Osellame, Márcio Rosa D Ávila(orientador) Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, PUCRS. Resumo Sustentabilidade e Habitação de Interesse Social - HIS: potencial de integração de tecnologia inovadora na produção de projetos habitacionais arquitetura em contêiner Lucca Schmidt Osellame, Márcio Rosa

Leia mais

Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC.

Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC. Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC. Comprometida com a qualidade e o desenvolvimento dos nossos produtos investimos continuamente

Leia mais

Coberturas duráveis, com galvanização

Coberturas duráveis, com galvanização Coberturas duráveis, com galvanização A Fifa definiu que a Copa do Mundo de Futebol no Brasil, em 2014, deverá perseguir o que chamou de Green goals, ou seja, metas verdes, numa alusão à desejada sustentabilidade

Leia mais

Gesso Acartonado CONCEITO

Gesso Acartonado CONCEITO CONCEITO As paredes de gesso acartonado ou Drywall, são destinados a dividir espaços internos de uma mesma unidade. O painel é composto por um miolo de gesso revestido por um cartão especial, usado na

Leia mais

PROJETOS PARA PRODUÇÃO COMO INSTRUMENTOS DA MELHORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES

PROJETOS PARA PRODUÇÃO COMO INSTRUMENTOS DA MELHORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES PROJETOS PARA PRODUÇÃO COMO INSTRUMENTOS DA MELHORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES C. C. NOVAES Prof. Dr. - Universidade Federal de São Carlos, Brasil Departamento de Engenharia Civil

Leia mais

Sistema Construtivo para Vedação

Sistema Construtivo para Vedação íder em Tecnologia Sistema onstrutivo para Vedação Vedação Racional O Sistema ity de Vedação Racional ompreende blocos no padrão de 19cm () agrupados em cinco famílias para construção de paredes com arguras

Leia mais

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural.

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural. Alvenaria Estrutural Introdução CONCEITO ESTRUTURAL BÁSICO Tensões de compressão Alternativas para execução de vãos Peças em madeira ou pedra Arcos Arco simples Arco contraventado ASPECTOS HISTÓRICOS Sistema

Leia mais

SISTEMA DE VEDAÇÃO RACIONALIZADA

SISTEMA DE VEDAÇÃO RACIONALIZADA SISTEMA DE VEDAÇÃO RACIONALIZADA Concrete Show - 2011 Guilherme Coelho de Andrade PAE / 14 SISTEMA DE VEDAÇÃO RACIONALIZADA Gama Filho - Março de 2009 Guilherme Andrade PAE / 14 UM ÍCONE DA PESQUISA MCKINSEY

Leia mais

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos Prof. Marco Pádua Se a superestrutura do edifício for definida por um conjunto de elementos estruturais formados por lajes, vigas e pilares caracterizando

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 CONCEITOS QUE INFLUENCIAM NA ELABORAÇÃO DO PROJETO ESTRUTURAL Marco Antônio Nunes de Melo 1 ; Carolina Oliveira Pinto n 1 Universidade de Uberaba marconunes_eng@outlook.com 1; carolina.pinto@uniube.br

Leia mais

PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica

PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica Primeira edição válida a partir

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM GUARDA-ROUPA DE LONA. Fabrício V. A. de SOUZA, Rafael BELUSSO

DESENVOLVIMENTO DE UM GUARDA-ROUPA DE LONA. Fabrício V. A. de SOUZA, Rafael BELUSSO DESENVOLVIMENTO DE UM GUARDA-ROUPA DE LONA Fabrício V. A. de SOUZA, Rafael BELUSSO Instituto de Estudos Superiores da Amazônia (IESAM) Av. Gov. José Malcher, 1148 66.055-260 Belém PA Fvini_souza@hotmail.com

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE ALVENARIA ESTRUTURAL: BLOCOS DE CONCRETO DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE O uso de alvenaria como sistema estrutural já vem sendo usado a centenas de anos, desde as grandes

Leia mais

superações o espetáculo das bate-papo Marco Lentini, presidente do FSC O esporte como protagonista da sustentabilidade

superações o espetáculo das bate-papo Marco Lentini, presidente do FSC O esporte como protagonista da sustentabilidade SET/OUT 2013 ANO II Nº 07 R E V I S TA A REVISTA DA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL o espetáculo das O esporte como protagonista superações da sustentabilidade bate-papo Marco Lentini, presidente do FSC Retrofit

Leia mais

PROCESSO DE PROJETO SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

PROCESSO DE PROJETO SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROCESSO DE PROJETO SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Monique PAIVA M.Sc., Arquiteta, Universidade Federal Fluminense - Correio eletrônico: Paiva.nit@gmail.com Carlos SOARES D.Sc., Arquiteto,

Leia mais

Agora é Que São Elas! A Construção da Associação das Mulheres do Dunas Fundos

Agora é Que São Elas! A Construção da Associação das Mulheres do Dunas Fundos Agora é Que São Elas! A Construção da Associação das Mulheres do Dunas Fundos Noé Vega Cotta de Mello Joseane da Silva Almeida Projeto de Extensão Habitação de Interesse Social Curso de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

Gestão tecnológica em obras de Alvenaria Estrutural

Gestão tecnológica em obras de Alvenaria Estrutural Gestão tecnológica em obras de Alvenaria Estrutural Estudo de caso : Conjunto Residencial Primavera - Itaquera Canteiro com múltiplos edifícios Eng. Leonardo Manzione Março de 2004 Agradecimentos Ao amigo

Leia mais

VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza. Elaine Valentim

VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza. Elaine Valentim VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza Elaine Valentim CONSTRUTORA DACAZA CENÁRIO - 2005 Mais de 20 anos no mercado; Focada na qualidade

Leia mais

Sistema Construtivo Tecverde A fábrica de Casas. José Márcio Fernandes Sócio Diretor Tecverde COMAT

Sistema Construtivo Tecverde A fábrica de Casas. José Márcio Fernandes Sócio Diretor Tecverde COMAT Sistema Construtivo Tecverde A fábrica de Casas José Márcio Fernandes Sócio Diretor Tecverde COMAT Data: 22/maio/2014 Distribuição da população no Brasil Distribuição da população no Brasil Produtividade

Leia mais

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional Projeto de Revestimento de Fachada em Argamassa Engª MSc Fabiana Andrade Ribeiro www.fchconsultoria.com.br Projeto de Revestimento de Fachada Enfoque na Racionalização FCH Consultoria e Projetos de Engenharia

Leia mais

O USO PLENO DAS ESTRUTURAS PRÉ- FABRICADAS DE CONCRETO: DA CONCEPÇÃO ARQUITETONICA A INDUSTRIALIZAÇÃO EFETIVA DA OBRA

O USO PLENO DAS ESTRUTURAS PRÉ- FABRICADAS DE CONCRETO: DA CONCEPÇÃO ARQUITETONICA A INDUSTRIALIZAÇÃO EFETIVA DA OBRA O USO PLENO DAS ESTRUTURAS PRÉ- FABRICADAS DE CONCRETO: DA CONCEPÇÃO ARQUITETONICA A INDUSTRIALIZAÇÃO EFETIVA DA OBRA Eng.Íria Lícia Oliva Doniak Presidente Executiva Associação Brasileira da Construção

Leia mais

Técnicas da Construção Civil. Aula 02

Técnicas da Construção Civil. Aula 02 Técnicas da Construção Civil Aula 02 Necessidades do cliente e tipos de Estruturas Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Necessidades do Cliente Função ou tipo de edificação? Como e quanto o cliente quer

Leia mais

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMA: Modelo, molde de qualquer coisa; EXIGÊNCIAS:

Leia mais

NOVO CONCEITO DA INDÚSTRIA DE ESQUADRIAS DE

NOVO CONCEITO DA INDÚSTRIA DE ESQUADRIAS DE NOVO CONCEITO DA INDÚSTRIA DE ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO NOVO CONCEITO DA INDÚSTRIA DE ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO! Capacitação dos empresários! Capacitação das empresas! O Produto CAPACITAÇÃO DOS EMPRESÁRIOS Capacitação

Leia mais

Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa. Espaçador DL para tela soldada. Barras de transferência

Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa. Espaçador DL para tela soldada. Barras de transferência Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa O espaçador treliçado ABTC da FAMETH é utilizado em lajes, substituindo o ultrapassado caranguejo. É indicado para apoiar e manter o correto posicionamento

Leia mais

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FORMAS E ARMADURAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I CUSTO DA ESTRUTURA (SABBATINI, et. Al, 2007) CUSTO DOS ELEMENTOS DA ESTRUTURA

Leia mais

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS DESENHO DE ESTRUTURAS INTRODUÇÃO A estrutura de concreto armado é resultado da combinação entre o concreto e o aço. Porém, para a sua execução, não é suficiente apenas a presença desses dois materiais;

Leia mais

Paredes Maciças as de Concreto

Paredes Maciças as de Concreto Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4B Paredes Maciças as de Concreto Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção

Leia mais

MODULAÇÃO NO PROJETO ARQUITETÔNICO DE ESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DE SAÚDE:

MODULAÇÃO NO PROJETO ARQUITETÔNICO DE ESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DE SAÚDE: MODULAÇÃO NO PROJETO ARQUITETÔNICO DE ESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DE SAÚDE: o caso dos Hospitais SARAH Antonio Pedro Alves de Carvalho Ígor de Góes Tavares 1. INTRODUÇÃO A coordenação modular consiste

Leia mais

ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DA RIGIDEZ DE SISTEMA MODULAR DE COBERTURA EM PINUS E CHAPA DE PARTÍCULAS (OSB) PARA COBERTURA COM TELHA RECICLADA

ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DA RIGIDEZ DE SISTEMA MODULAR DE COBERTURA EM PINUS E CHAPA DE PARTÍCULAS (OSB) PARA COBERTURA COM TELHA RECICLADA ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DA RIGIDEZ DE SISTEMA MODULAR DE COBERTURA... 67 ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DA RIGIDEZ DE SISTEMA MODULAR DE COBERTURA EM PINUS E CHAPA DE PARTÍCULAS (OSB) PARA COBERTURA

Leia mais

01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA. MOMSteelPor, S.A. www.momsteel.com.pt

01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA. MOMSteelPor, S.A. www.momsteel.com.pt MOMSTEELPOR, S.A. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A, (MOMSteelPor) é uma empresa especializada na conceção, desenvolvimento e produção de projetos e estruturas metálicas, sediada

Leia mais

SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO SUDESTE PRÉ-FABRICADOS PRONTOS PARA TODA E QUALQUER EMPREITADA

SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO SUDESTE PRÉ-FABRICADOS PRONTOS PARA TODA E QUALQUER EMPREITADA 1 CONSTRUINDO GRANDES NEGÓCIOS PRÉ-FABRICADOS 2 SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO SUDESTE PRÉ-FABRICADOS PRONTOS PARA TODA E QUALQUER EMPREITADA SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO ÍNDICE 3 A

Leia mais

poder de compra x custo da construção poder de compra:

poder de compra x custo da construção poder de compra: w ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO poder de compra x custo da construção poder de compra: - Conceito Geral - Engenheiro Civil - Ph.D. (85)3244-3939 (85)9982-4969 luisalberto1@terra.com.br custo

Leia mais

O www.romanio.com.br

O www.romanio.com.br O www.romanio.com.br VANTAGENS Dispensa usos de compensados Simplifica armação Otimiza vãos de maior envergadura Racionaliza a construção de lajes nervuradas Nervuras tecnicamente dimensionadas, de modo

Leia mais

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO CONSTRUINDO NO SISTEMA (CES) LIGHT STEEL FRAMING O sistema Light Steel Frame é caracterizado por um esqueleto estrutural leve composto por perfis de aço galvanizado que trabalham em conjunto para sustentação

Leia mais

PROBLEMAS DETECTADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL INDUSTRIALIZADA E SISTEMAS CONVENCIONAIS.

PROBLEMAS DETECTADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL INDUSTRIALIZADA E SISTEMAS CONVENCIONAIS. PROBLEMAS DETECTADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL INDUSTRIALIZADA E SISTEMAS CONVENCIONAIS. BARBOSA, Luciano Henrique Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva RESUMO No Brasil, hoje existe a necessidade

Leia mais

INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES

INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES Profª. Msc. Carolina Albuquerque de Moraes Prof. Dr. Luiz Fernando Loureiro Ribeiro São Paulo, Brasil

Leia mais

/estudo preliminar pesquisa de materialidades: o steel framing e seus componentes

/estudo preliminar pesquisa de materialidades: o steel framing e seus componentes /estudo preliminar pesquisa de materialidades: o steel framing e seus componentes Gustavo Alves Rocha Zago Izabela Dalla Libera O Light Steel Framing (LSF) é um sistema construtivo de concepção racional

Leia mais

PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE TRABALHO

PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE TRABALHO UNIÃO DE ENSINO E CULTURA DE GUARAPUAVA - UNIGUA FACULDADE GUARAPUAVA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO

Leia mais

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO

Leia mais

Análise, em Emergia, do Comportamento das Reservas de Argila, Gipsita e Calcário sob o Ponto de Vista do Déficit Populacional Brasileiro

Análise, em Emergia, do Comportamento das Reservas de Argila, Gipsita e Calcário sob o Ponto de Vista do Déficit Populacional Brasileiro Análise, em Emergia, do Comportamento das Reservas de Argila, Gipsita e Calcário sob o Ponto de Vista do Déficit Populacional Brasileiro J. G. A. Carvalho a, S. H. Bonilla b a. Universidade Paulista, São

Leia mais

INTRODUÇÃO. Revolução Industrial. Ao mesmo tempo, as ferrovias disseminavam as estruturas metálicas,

INTRODUÇÃO. Revolução Industrial. Ao mesmo tempo, as ferrovias disseminavam as estruturas metálicas, INTRODUÇÃO A construção metálica, com o uso do ferro em escala industrial, ganhou impulso em meados do século XIX, associada ao processo de industrialização dos países participantes da Revolução Industrial.

Leia mais

ESTRUTURA PARA ENGRADAMENTO DE TELHADOS DE RESIDÊNCIAS COM SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING

ESTRUTURA PARA ENGRADAMENTO DE TELHADOS DE RESIDÊNCIAS COM SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING ESTRUTURA PARA ENGRADAMENTO DE TELHADOS DE RESIDÊNCIAS COM SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING ALEXANDRE KOKKE SANTIAGO, Arq. M.Sc. FRANCISCO CARLOS RODRIGUES, Prof. Dr. MAÍRA NEVES RODRIGUES, Arq. M.Sc. ESTRUTURAS

Leia mais

PAULUZZI BLOCOS CERÂMICOS

PAULUZZI BLOCOS CERÂMICOS Conheça a PAULUZZI BLOCOS CERÂMICOS Mais de 80 anos de experiência O imigrante italiano Giovanni Pauluzzi e seus filhos Theo e Ferrucio construíram a primeira unidade da empresa em 1928, especializada

Leia mais

O PROJETO DAS VEDAÇÕES VERTICAIS: CARACTERÍSTICAS E A IMPORTÂNCIA PARA A RACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO.

O PROJETO DAS VEDAÇÕES VERTICAIS: CARACTERÍSTICAS E A IMPORTÂNCIA PARA A RACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO. O PROJETO DAS VEDAÇÕES VERTICAIS: CARACTERÍSTICAS E A IMPORTÂNCIA PARA A RACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO. Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL Menção Honrosa Nova Friburgo Autor: Luis Eduardo Loiola de Menezes Aproximações O terreno destinado a implantação do Centro Cultural de Eventos e Exposições consiste em uma gleba, de posse do governo do

Leia mais

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL SISTEMA DE VEDAÇÃO Um subsistema

Leia mais

Alvenaria de Blocos de Concreto

Alvenaria de Blocos de Concreto Alvenaria de Blocos de Recomendações Gerais Est. Mun. Eduardo Duarte, 1100 - Esq. RST 287. Santa Maria - RS Fone: (55) 3221 2000 e-mail : prontomix@prontomix.com.br Conceitos Gerais O que é Alvenaria Estrutural?

Leia mais

Por que utilizarmos paredes de concreto

Por que utilizarmos paredes de concreto Seminário: Por que utilizarmos paredes de concreto Engenheiro Geraldo Antonio Cêsta Diretor Técnico da Rodobens Negócios Imobiliários ÍNDICE GERAL DA PALESTRA 1. NECESSIDADE DO MERCADO IMOBILIÁRIO NACIONAL

Leia mais

CONSTRUÇÃO RÁPIDA LEVE E FORTE CONSTRUÇÃO MODULAR CONFORTO E QUALIDADE A CONSTRUÇÃO E SOLUÇÃO PERFEITAS AIRCRETE SISTEMA DE CONSTRUÇÃO

CONSTRUÇÃO RÁPIDA LEVE E FORTE CONSTRUÇÃO MODULAR CONFORTO E QUALIDADE A CONSTRUÇÃO E SOLUÇÃO PERFEITAS AIRCRETE SISTEMA DE CONSTRUÇÃO CONSTRUÇÃO RÁPIDA LEVE E FORTE CONSTRUÇÃO MODULAR CONFORTO E QUALIDADE A CONSTRUÇÃO E SOLUÇÃO PERFEITAS AIRCRETE SISTEMA DE CONSTRUÇÃO AIRCRETE SOLUÇÃO DE CONSTRUÇÃO DE CASAS O Concreto Celular Autoclavado

Leia mais

SISMO BUILDING TECHNOLOGY, TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO ANTI-SISMICA: APLICAÇÕES EM PORTUGAL

SISMO BUILDING TECHNOLOGY, TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO ANTI-SISMICA: APLICAÇÕES EM PORTUGAL SÍSMICA 2007 7º CONGRESSO DE SISMOLOGIA E ENGENHARIA SÍSMICA 1 SISMO BUILDING TECHNOLOGY, TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO ANTI-SISMICA: APLICAÇÕES EM PORTUGAL M.T. BRAZ CÉSAR Assistente IPBragança Bragança Portugal

Leia mais

Soluções sustentáveis para a vida.

Soluções sustentáveis para a vida. Soluções sustentáveis para a vida. A Ecoservice Uma empresa brasileira que está constantemente em busca de recursos e tecnologias sustentáveis para oferecer aos seus clientes, pessoas que têm como conceito

Leia mais

APRESENTAÇÃO QUIOSQUE BABAÇU

APRESENTAÇÃO QUIOSQUE BABAÇU APRESENTAÇÃO As empresas Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A. sentem-se honradas em tê-lo como cliente e é com imensa satisfação que entregam este projeto modelo baseado

Leia mais

ADEQUAÇÃO DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES AOS NOVOS PARADIGMAS ECONÔMICO-PRODUTIVOS

ADEQUAÇÃO DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES AOS NOVOS PARADIGMAS ECONÔMICO-PRODUTIVOS ADEQUAÇÃO DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES AOS NOVOS PARADIGMAS ECONÔMICO-PRODUTIVOS RESUMO Celso Carlos NOVAES Professor na Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Engenharia Civil Correio

Leia mais

PROGRAMAS DAS PROVAS

PROGRAMAS DAS PROVAS ENGENHEIRO CIVIL (prova objetiva) PORTUGUÊS: PROGRAMAS DAS PROVAS 1. Compreensão de textos informativos e argumentativos e de textos de ordem prática (ordens de serviço, instruções, cartas e ofícios).

Leia mais

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4 Gesso Acartonado Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil Construção

Leia mais

LOCAL: RUA MANOEL JOSÉ PIRES, S.N. AMÉRICO BRASILIENSE S.P. PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE AMÉRICO BRASILIENSE S.P.

LOCAL: RUA MANOEL JOSÉ PIRES, S.N. AMÉRICO BRASILIENSE S.P. PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE AMÉRICO BRASILIENSE S.P. OBJETO: LAUDO TÉCNICO DE VISTORIA DAS CONDIÇÕES FÍSICAS DA ESTRUTURA DE COBERTURA DE ÁREA IDENTIFICADA COMO REFEITÓRIO DA C.E.R. LEILA L. D. T. PIZZA DURANTE LOCAL: RUA MANOEL JOSÉ PIRES, S.N. AMÉRICO

Leia mais

Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados em aço

Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados em aço Contribuição técnica nº 2: Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados Autores: Eng. M.Sc. Ygor Dias da Costa Lima Prof. Dr. Alex Sander C. de Souza Contato: alex@ufscar.br 1 Análise

Leia mais

Sustentabilidade na habitação de interesse social

Sustentabilidade na habitação de interesse social Sustentabilidade na habitação de interesse social Profa. Dra. Maria Augusta Justi Pisani Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade Presbiteriana Mackenzie FIMAI São Paulo, 2010 DÉFICIT HABITACIONAL

Leia mais

Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A.

Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A. Concreto PVC A Utilização do Sistema Royal para construção de casas populares. Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A. O Sistema Construtivo O sistema construtivo Royal (Concreto-PVC) nasceu

Leia mais

A NOVA GERAÇÃO DE OBRAS SISTEMA PREMIERE

A NOVA GERAÇÃO DE OBRAS SISTEMA PREMIERE A NOVA GERAÇÃO DE OBRAS SISTEMA PREMIERE Esta inovação faz nascer a técnica industrial aplicada a construção no Brasil SISTEMA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL A Construção Sustentável Premiere representa uma

Leia mais

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR?

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 3 ALVENARIAS: EXECUÇÃO, Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

Diretrizes visando a melhoria de projetos e soluções construtivas na expansão de habitações de interesse social 1

Diretrizes visando a melhoria de projetos e soluções construtivas na expansão de habitações de interesse social 1 Diretrizes visando a melhoria de projetos e soluções construtivas na expansão de habitações de interesse social 1 1. INTRODUÇÃO 1.1. Justificativa O tema estudado no presente trabalho é a expansão de habitações

Leia mais

ADICIONANDO SUSTENTABILIDADE AO PROJETO ARQUITETONICO ECOLATINA- 19 DE OUTUBRO DE 2007

ADICIONANDO SUSTENTABILIDADE AO PROJETO ARQUITETONICO ECOLATINA- 19 DE OUTUBRO DE 2007 ADICIONANDO SUSTENTABILIDADE AO PROJETO ARQUITETONICO ECOLATINA- 19 DE OUTUBRO DE 2007 CURRICULUM Paulo Lisboa, arquiteto, formado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Mackenzie em 1981, com pós-graduação

Leia mais

Uso e Ocupação do Solo. Escolha do local de projeto de acordo com critérios de sustentabilidade

Uso e Ocupação do Solo. Escolha do local de projeto de acordo com critérios de sustentabilidade Uso e Ocupação do Solo Escolha do local de projeto de acordo com critérios de sustentabilidade Os principais objetivos do projeto de um sítio sustentável são minimizar o impacto no local e aumentar os

Leia mais

PROJETO DE AMPLIAÇÃO DO CENPES Centro de Pesquisa da Petrobras. Autor: Siegbert Zanettini Co-autor: José Wagner Garcia

PROJETO DE AMPLIAÇÃO DO CENPES Centro de Pesquisa da Petrobras. Autor: Siegbert Zanettini Co-autor: José Wagner Garcia PROJETO DE AMPLIAÇÃO DO CENPES Centro de Pesquisa da Petrobras Autor: Siegbert Zanettini Co-autor: José Wagner Garcia PARTIDO ARQUITETÔNICO DIRETRIZES GERAIS O edital do concurso aliado ao interesse por

Leia mais

MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA

MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA Arq. Mario Fundaro Seminário internacional arquitetura sustentável São Paulo 2014 A CASA SUSTENTÁVEL Conceitos

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP SILVA V. L. da 1 ; SOUZA T. R. 1 ; RIBEIRO J. S. G. 1 ; CARDOSO C. F. 1 ; SILVA, C. V. da 2. 1 Discentes do Curso de Ciências Biológicas FAP 2

Leia mais

Grupo Usiminas fabrica em Cubatão e Ipatinga, em Minas Gerais, perfis de aço para a construção de habitações

Grupo Usiminas fabrica em Cubatão e Ipatinga, em Minas Gerais, perfis de aço para a construção de habitações Edição: 5132010 Litoral Paulista, sexta-feira, 20 de agosto Página: 1 Grupo Usiminas fabrica em Cubatão e Ipatinga, em Minas Gerais, perfis de aço para a construção de habitações w w w. u s i m i n a s.

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

APRESENTAÇÃO CAIXA DE AREIA

APRESENTAÇÃO CAIXA DE AREIA APRESENTAÇÃO As empresas Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A. sentem-se honradas em tê-lo como cliente e é com imensa satisfação que entregam este projeto modelo baseado

Leia mais

Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico. Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda

Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico. Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE

SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE MOURA, Adilson Tadeu Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva BILESKY, Luciano Rossi Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva

Leia mais

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito.

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito. Ecologicamente correto Economicamente viável Socialmente justo Culturalmente aceito. ENERGIA SEGURANÇA ETE FIBRA-ÓTICA DADOS TELEFONIA PAVIMENTAÇÃO VIAS PROJETADAS GÁS ETA SINALIZAÇÃO EQUIP. URBANOS ACESSIBILIDADE

Leia mais

DESENHOS UTILIZADOS NA REPRESENTAÇÃO DOS PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÕES

DESENHOS UTILIZADOS NA REPRESENTAÇÃO DOS PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÕES DESENHOS UTILIZADOS NA REPRESENTAÇÃO DOS PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÕES Na representação dos projetos de edificações são utilizados os seguintes desenhos: _ Planta de situação _ Planta de localização

Leia mais

MUDANÇAS NA CONSTRUÇÃO COM A APLICAÇÃO DO CONCEITO DE SUSTENTABILIDADE

MUDANÇAS NA CONSTRUÇÃO COM A APLICAÇÃO DO CONCEITO DE SUSTENTABILIDADE CONSTRUMETAL 2010 CONGRESSO LATINO-AMERICANO DA CONSTRUÇÃO METÁLICA SÃO PAULO BRASIL 31 DE AGOSTO A 2 DE SETEMBRO 2010 MUDANÇAS NA CONSTRUÇÃO COM A APLICAÇÃO DO CONCEITO DE SUSTENTABILIDADE Monique Cordeiro

Leia mais