PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Instituto de Ciêncis Ambientis, Químics e Frmcêutics cmpus Didem PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA Volume 1 Didem 2014

2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Instituto de Ciêncis Ambientis, Químics e Frmcêutics cmpus Didem UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Reitor Prof. Dr. Sory Soubi Smili Vice-Reitor Prof. Dr. Vléri Petri Pró-Reitor de Grdução Prof. Dr. Mri Angélic Pedr Minoto Pró-Reitor de Pós Grdução e Pesquis Prof. Dr. Mri Luci Oliveir de Souz Formigoni Pró-Reitor de Extensão Prof. Dr. Florinit Coelo Brg Cmpos Pró-Reitor de Administrção Prof. Dr. Jnine Scirmer Pró-Reitor de Assuntos Estudntis Prof. Dr. André Rbinovici Pró-Reitor de Plnejmento Prof. Dr. Esper Abrão Cvleiro Pró-Reitor de Gestão com Pessos Prof. Dr. Rosemrie Andrezz Diretor Acdêmico do cmpus Didem Prof. Dr. João Miguel de Brros Alexndrino Vice-Diretor Acdêmico do cmpus Didem Prof. Dr. Newton Andréo Filo Diretor Acdêmico do Curso de Frmáci Prof. Dr. Pulo Roberto Regzi Minrini Vice-Diretor Acdêmico do Curso de Frmáci Prof. Dr. Fábio Kummrow Didem

3 Comissão do Curso de Frmáci Coordenção Prof. Dr. Pulo R. R. Minrini Diretor Acdêmico do Curso de Frmáci Prof. Dr. Fábio Kummrow Vice-diretor cdêmico do Curso de Frmáci Representntes ds Uniddes Curriculres de Ciêncis Ambientis Prof. Dr. Mirin Cieko Sinzto - titulr Prof. Dr. Cludio Benedito Bptist Leite - suplente Representnte ds Uniddes Curriculres de Ciêncis Biológics Prof. Dr. Giselle Zenker Justo titulr Prof. Dr. Crl Cristin Lopes de Azevedo - suplente Representnte ds Uniddes Curriculres de Ciêncis Exts Básics Prof. Dr. Tigo André Mour Veig - titulr Prof. Dr. Lucin Vrnd Rizzo suplente Representnte ds Uniddes Curriculres de Ciêncis Frmcêutics - Alimentos e Nutrição Prof. Dr. Cristin Mri Pedroso Yosid titulr Prof. Dr. Ann Cecíli Venturini suplente Representnte ds Uniddes Curriculres de Ciêncis Frmcêutics - Análises Clínics e Toxicológics Prof. Dr. Ptrici Mri Bérgmo Fávro titulr Prof. Dr. An Cludi Trocoli Torrecils - suplente Representnte ds Uniddes Curriculres de Ciêncis Frmcêutics - Fármcos e Medicmentos Prof. Dr. João Pulo dos Sntos Fernndes - titulr Representnte ds Uniddes Curriculres de Ciêncis Frmcêutics - Súde Públic Prof. Dr Solnge Aprecid Nppo titulr Prof. Dr Mrci Terezin Lonrdoni Croztti - suplente Presidente d Comissão Assessor de Estágios Curriculres Obrigtórios Prof. Dr. Edimr Cristino Pereir Presidente d Comissão Assessor de Trblos de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luciene Andrde d Roc Minrini Presidente d Comissão Assessor de Atividdes Complementres Prof. Dr. Antonio Távor de Albuquerque Silv

4 Representnte do Núcleo Docente Estruturnte Prof. Dr. Helen Onisi Ferrz titulr Prof. Dr. Cristin Mri Pedroso Yosid - suplente Representnte discente Victor Alfredo Spin Hering titulr Rfel Mntovni titulr Representnte dos Técnicos em Assuntos Educcionis Joice Kelly Pereir d Cost titulr Julin dos Sntos Oliveir suplente

5 Núcleo Docente Estruturnte O Núcleo Docente Estruturnte do Curso de Frmáci foi instituído pel Comissão do Curso de Frmáci de cordo com s seguintes resoluções: Precer CONAES nº 04/2010; Resolução CONAES nº01 de 17/06/2010 e Portri d Reitori/UNIFESP nº 1125 de bril de Su composição tul é seguinte: Prof. Dr. Pulo R. R. Minrini presidente Prof. Dr. Helen Onisi Ferrz vice-presidente Prof. Dr. Cludi Fegdolli Prof. Dr. Cristin Mri Pedroso Yosid Prof. Dr. Luciene Andrde d Roc

6 Este documento reflete o trblo do Núcleo Docente Estruturnte e d Comissão do Curso de Frmáci que form responsáveis pel tulizção do Projeto Pedgógico do Curso e pel reformulção d mtriz curriculr do Curso de Frmáci, d Universidde Federl de São Pulo cmpus Didem.

7 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem SUMÁRIO VOLUME 1 1. APRESENTAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DADOS GERAIS DO CURSO CONTEXTUALIZAÇÃO A UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO O CAMPUS DIADEMA HISTÓRICO DO CURSO DE FARMÁCIA As Diretrizes Curriculres Ncionis pr os Cursos de grdução 11 em Frmáci 4. CONCEPÇÃO DO CURSO DE FARMÁCIA DA UNIFESP OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO HABILIDADES E COMPETÊNCIAS PRESSUPOSTOS TEÓRICOS PRESSUPOSTOS DIDÁTICOS-PEDAGÓGICOS PRESSUPOSTOS METODOLÓGICOS Form de Ingresso, Número de Vgs e Turno de Funcionmento Integrlizção SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Avlição do corpo discente Avlição do ensino Avlição dos egressos Avlição do Curso ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ATIVIDADES COMPLEMENTARES ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO EMENTÁRIO DAS UNIDADES CURRICULARES E BIBLIOGRAFIA BÁSICA REFERÊNCIAS 110 Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

8 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem 1- APRESENTAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO Este projeto expõe s diretrizes geris do curso de Frmáci d Universidde Federl de São Pulo (UNIFESP). Nest instituição, o curso surgiu, em 2007, no âmbito do processo de expnsão ds universiddes federis, especificmente pós crição do novo cmpus d UNIFESP, loclizdo no município de Didem (SP). O curso de Frmáci d UNIFESP vis à formção do frmcêutico generlist conforme previsto n resolução CNE/CES nº 2, de 19 de fevereiro de 2002 que instituiu s Diretrizes Curriculres Ncionis do Curso de Grdução em Frmáci. Atulmente, oferece 50 vgs no turno integrl e 100 vgs no turno noturno, pr formção do frmcêutico em przo mínimo de integrlizção de 5 e 6 nos, respectivmente. Visndo tender o cráter generlist do profissionl frmcêutico tul, o curso oferece uniddes curriculres (disciplins) nos diferentes âmbitos de tução do profissionl, não perdendo, entretnto, o cerne d profissão, loclizdo no desenvolvimento, produção e controle de medicmentos e dispensção, orientção e compnmento do uso dos mesmos. A mtriz do curso possibilit ind, trvés ds diverss uniddes curriculres eletivs, o primormento em áres específics de tução profissionl, permitindo o discente de Frmáci o direcionmento de su crreir, obedecendo o princípio d flexibilidde curriculr. Além ds uniddes curriculres os discentes deverão cumprir tividdes de estágio curriculr obrigtório, trblo de conclusão de curso e tividdes complementres pr estrem bilitdos receberem o título de Bcrel em Frmáci. Tis tividdes fvorecem vivênci e reflexão em mbiente profissionl dos conteúdos prendidos no meio cdêmico, possibilitndo su sedimentção e integrção entre teori e prátic. Além disso, sendo UNIFESP um instituição de excelênci no ensino, estruturção curriculr do curso de Frmáci put-se pel sólid formção dos discentes ns ciêncis básics, buscndo servir de bse pr compreensão dos fenômenos nturis, sej d Químic, Físic e Biologi, possibilitndo um mpl e profund formção voltd à quisição de competêncis necessáris o desenvolvimento científico e tecnológico. Esper-se, deste modo, que o Frmcêutico formdo pel UNIFESP estej bilitdo tur de form umnist, crític e reflexiv em todo âmbito frmcêutico, sendo gente modificdor d sociedde. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

9 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem 2- DADOS GERAIS DO CURSO Curso: Modlidde: Titulção: Form de Ingresso Vgs oferecids: Crição: Reconecimento: Regime: Crg Horári Totl do Curso Ano de implntção: Turnos de Funcionmento: Tempo de Integrlizção: Orgnizção do Currículo FARMÁCIA Bcreldo Bcrel em Frmáci Anul (Sistem de Seleção Unificd SiSU/MEC) 50 VAGAS (INTEGRAL) 100 VAGAS (NOTURNO) Serão plicdos os seguintes percentuis de vgs pr o sistem de cots: %; %; ,5%; % Resolução do Conselo Universitário d UNIFESP (Resolução n o 33, 15 de dezembro de 2005) Curso integrl: Portri nº 735 de 27 de dezembro de Curso Noturno: Portri n 650 DE 10 de dezembro de Semestrl, com semestre letivo de 18 semns e or-ul com durção de 60 minutos ors (de cordo com Resolução CNE/CES Nº04, de 06 de bril de 2009) (Integrl) e 2009 (Noturno) Integrl e Noturno INTEGRAL 10 semestres (mínimo) 15 semestres (máximo) NOTURNO 12 semestres (mínimo) 21 semestres (máximo) Uniddes Curriculres Obrigtóris Fixs: ors Unidde Curriculres Obrigtóris Eletivs: 540 ors Estágio Curriculr Supervisiondo: ors Atividdes Complementres: 120 ors Trblo de Conclusão de Curso: 2 ors Totl: ors Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

10 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem 3- CONTEXTUALIZAÇÃO 3.1 A UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO A istóri d Universidde Federl de São Pulo (UNIFESP), ntig Escol Pulist de Medicin (EPM), teve início n décd de Ness époc, São Pulo contv pens com um curso de Medicin, o d Fculdde de Medicin d Universidde de São Pulo. Foi neste cenário que no di primeiro de juno de 1933 ocorreu fundção de um incipiente e promissor Escol Médic por um grupo de destcdos jovens médicos, critivos, com lm de pioneiros, dotdos de invulgr dose de entusismo, possuidores do desejdo espírito de lut e imbuídos do continudo mor o trblo, que tiverm de trnsmitir às gerções que os sucederm, ess excelente som de virtudes e idelismo. Já em 1939, foi crido o curso de Enfermgem n mesm instituição. A então Escol Pulist de Medicin foi federlizd em jneiro de 1956 pel Lei n de 21 de jneiro de 1956 e trnsformd em estbelecimento isoldo de ensino superior, de nturez utárquic, pel Lei n de 29 de setembro de Desde fundção d EPM, qulidde do profissionl formdo foi prioridde bsolut, preocupção express em tods s tividdes cdêmics, o que levou um mplição do conecimento científico, d diversificção de seus recursos umnos, mteriis e de seu espço físico. A evolução constnte d Escol Pulist de Medicin crretou em su trnsformção n Universidde Federl de São Pulo, trvés d Lei n de 15 de dezembro de Com este propósito de mplição, lém do curso médico e de enfermgem, vários outros cursos form cridos o longo ds décds de sessent e setent, sber: Tecnologi Ortóptic (1962), o qul evolui pr o Curso de Tecnologi Oftálmic (1988), Ciêncis Biológics Modlidde Médic (1966) e Fonoudiologi (1968). A EPM foi instituição pioneir n construção do primeiro ospitl-escol do pís, ssim como n implntção de progrms de Residênci Médic, os quis form inicidos em 1957 com o objetivo de dequr formção do médico os vnços d medicin e às demnds d sociedde brsileir que se tornvm cd vez mis complexs. N qulidde de instituição de ensino especilizd em súde, UNIFESP é formdor de profissionis e de docentes ltmente qulificdos. Em 1948 foi crido o primeiro núcleo de pesquis básic n instituição, sob lidernç dos professores José Lel Prdo e José Ribeiro do Vlle form instldos os Lbortórios de Bioquímic e Frmcologi. Em 1970 foi oferecido o primeiro curso de pósgrdução, culminndo nos qurent e dois progrms tuis, os quis vêm formndo mestres e doutores de elevdo nível. Estes progrms estão entre os mis bem conceitudos pel CAPES, tendo corpo docente com produção científic de qulidde significtiv, em váris áres do conecimento. A Instituição cont 42 progrms de pós-grdução, dos quis 41 oferecem Mestrdo e/ou Doutordo Acdêmico, sendo 03 destes oferecidos no cmpus Didem, sber: Biologi Químic, Ciênci e Tecnologi d Sustentbilidde e Ecologi e Evolução. A trdição extensionist d UNIFESP remont o no de 1965, com crição do Projeto Xingu, idelizdo pelo Professor Roberto Bruzzi, pós solicitção relizd pelos indigenists Cláudio e Orlndo Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

11 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Vills Bos. Atulmente, Universidde cont com vários projetos e progrms de extensão universitári que permitem proximção d Universidde com sociedde e formção de profissionis tentos às demnds sociis de seu pís. A UNIFESP oferece ind cursos de especilizção (pós-grdução ltu sensu) de elevd excelênci e qulidde; brnge cursos de reciclgem e tulizção profissionl, treinmento de pessol especilizdo e progrms voltdos pr esclrecimentos d populção sobre ssuntos relciondos à áre d súde. Outrs tividdes de extensão são crcterizds principlmente pels tividdes de ssistênci desenvolvid no Hospitl São Pulo, em seus mbultórios e nos demis ospitis dministrdos pel Instituição. Um Universidde de lto nível e produtor de conecimento e recursos umnos de qulidde n áre d súde não poderi furtr-se do compromisso político-socil de expndir sus fronteirs e oferecer ensino, pesquis e extensão em outrs áres do conecimento. Neste cenário, em respost à demnd socil e polític do governo federl com poio à expnsão ds vgs públics no ensino superior e de interiorizção ds tividdes ds universiddes federis, UNIFESP inici, em 2005, o seu processo de expnsão, com crição do cmpus d Bixd Sntist e dos cursos de grdução, ind n áre d súde, em Psicologi, Fisioterpi, Nutrição, Educção Físic e Terpi Ocupcionl. Ms recentemente, trvés do Progrm de Apoio Plnos de Reestruturção e Expnsão ds Universiddes Federis (REUNI; Decreto n o de 24 de bril de 2007) foi crido o curso de Serviço Socil no mesmo cmpus. Neste processo de expnsão constnte, UNIFESP cri em 2006 três novos cmpi - Gurulos, São José dos Cmpos e Didem e dá início novos cursos de grdução em diferentes áres do sber. O cmpus de Gurulos inici, já em 2007, cursos n áre ds Humniddes: Pedgogi, Filosofi, Ciêncis Sociis e Históri e, mis recentemente, o curso de Letrs e Históri d Arte (REUNI, 2009). O cmpus de São José dos Cmpos pss oferecer os cursos de Bcreldo em Ciêncis d Computção e Bcreldo em Mtemátic Computcionl. Já o cmpus Didem pss oferecer, prtir de 2007, os cursos de grdução em Ciêncis Biológics, Engenri Químic, Frmáci e Químic (bcreldo) e, mis recentemente os cursos de Químic Industril e Frmáci em período noturno e Ciêncis Ambientis e Licencitur Plen em Ciêncis. 3.2 O CAMPUS DIADEMA Bernrdo do Cmpo. O município de Didem está loclizdo n região metropolitn de São Pulo (região do grnde ABCD), fzendo limites com o município de São Pulo, norte e oeste, e com São Bernrdo do Cmpo, leste e sul. Ocup um áre de 30,65 km 2, constituindo-se em áre de elevd densidde demográfic. A região onde se encontr oje o município de Didem correspondi qutro povodos pertencentes o município de São Bernrdo do Cmpo Pirporin, Eldordo, Tboão e Vil Conceição e, somente em 1948, trvés d Lei Estdul número 233, foi crido o Distrito de Didem, ind pertencente o município de São Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

12 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem A região, embor muito próxim d cpitl pulist, mntin um identidde própri e vid cotidin bstnte simples, sem grnde destque n economi pulist. Após construção d Repres Billings durnte décd de 20, o Birro do Eldordo, limítrofe com região de Snto Amro, pssou ser visto como um possibilidde de lzer pr s fmílis pulistns. Em 1947, com construção d Vi Anciet e o trnsporte rodoviário de crgs pr o Porto de Sntos, ouve instlção de um grnde número de indústris n região de São Bernrdo do Cmpo e de Didem, s quis começrm fomentr o desenvolvimento econômico regionl. Os primeiros movimentos de emncipção d região, então Distrito de Didem, inicirm-se n décd de 50, com um plebiscito relizdo no di 25 de dezembro de 1958 que seprou Didem de São Bernrdo do Cmpo. As discussões form cpitneds pel Vil Conceição, qul sofri mis com flt de recursos e distânci do então município sede de São Bernrdo do Cmpo. A eleição dos primeiros dirigentes do novo município conteceu em 04 de outubro de 1959, culminndo com posse de seu primeiro prefeito Sr. Evndro Ciff Esquível em 10 de jneiro de 1960 e instlção definitiv do município de Didem. Durnte tod segund metde do século XX, Didem sofreu um processo de crescimento urbno intenso, com o precimento de muits áres de ocupção desordend e instlção de um prque industril bstnte significtivo. Hoje, possui cerc de bitntes concentrdos em áres de lt densidde demográfic, sujeits os grndes problems econômicos e sociis ds grndes ciddes brsileirs, especilmente quels pertencentes grndes regiões metropolitns. N Tbel 1 mostrd seguir estão lguns indicdores do município de Didem, coletdos nos últimos sensos relizdos pelo IBGE. Tbel 1. Indicdores do Município de Didem (2010). Indicdores Ddos do IBGE bitntes Populção totl omens muleres Populção urbn 100% Áre d unidde territoril 30,65 km 2 Densidde populcionl ,07 b/km 2 Mortlidde infntil (té 1 no) 18,38 crinçs cd 1 mil bitntes Tx de lfbetizção 93,8% Produto Interno Bruto (PIB) R$ mil Produto Interno Bruto per cpit R$ ,26 Índice de Desenvolvimento Humno 0,790 FONTE: Instituto Brsileiro de Geogrfi e Esttístic (IBGE) {ttp://www.ibge.gov.br} Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

13 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Atulmente, o município de Didem tem um economi considerável, com um PIB o redor de 7,7 bilões de reis (IBGE/2006) e um prque industril bstnte desenvolvido, com destque pr o setor de cosméticos. O Pólo Brsileiro do Cosmético de Didem cont com cerc de 400 empress que trblm com mtéris-prims, mquinários/equipmentos especilizdos, emblgens, produtos cbdos e produtos correltos (pr mis informções ver: ttp://www.polodecosmeticos.com.br). Trt-se, indiscutivelmente, de um cenário idel pr integrção d Universidde, especilmente do Curso de Frmáci, com o setor produtivo locl, conforme discussão presentd seguir. O cmpus Didem d Universidde Federl de São Pulo trvés d Resolução número 33 de 15 de dezembro de 2005 do Conselo Universitário d UNIFESP e inugurdo em 2007 com o propósito de integrr cursos relciondos às áres ds Ciêncis Químics e Frmcêutics. Nquele momento, form cridos os cursos de grdução em Ciêncis Biológics, Químic, Engenri Químic e Frmáci, com s Ciêncis Ambientis como eixo nortedor d estrutur curriculr e d formção do egresso. Neste contexto, o cmpus Didem foi crido com o objetivo centrl de...plicr recursos públicos no ensino superior ds ciêncis químics e biológics mbientis com finlidde de prover o mercdo de profissionis competentes, técnic e cientificmente, com visão contemporâne de sus respectivs profissões e preprdos, inclusive socilmente, pr enfrentr os desfios d produção industril limp, dimensão dos problems mbientis e de súde de um pís em desenvolvimento e melori d qulidde de vid de seu povo. O cmpus Didem está loclizdo n região próxim à Repres Billings, qul fornece águ potável pr Bixd Sntist e sofre com o processo de ocupção desordend e produção industril poluidor. Este cenário é, portnto, um excelente modelo de uso indequdo de mnnciis e desenvolvimento urbno cótico, constituindo-se cenário importnte pr projetos de recuperção mbientl e de promoção de súde umn (individul e coletiv) dos Cursos de Grdução e Pós- Grdução do cmpus, em sus tividdes de ensino, pesquis e extensão. Ademis, conforme já menciondo, Didem tem instldo um prque industril considerável, o qul por su vez pode ser uxilido no que diz respeito à modernizção e mnejo sustentável de su produção, diminuindo contminção mbientl e melorndo qulidde de vid d populção que bit este centro urbno. O cmpus Didem cont ind com váris tividdes de Extensão, s quis objetivm proximção d Universidde com comunidde locl, e permitem, de fto, indissocibilidde do tripé ensino/pesquis/extensão com tução rel dos lunos em prol do desenvolvimento d sociedde. Em contrprtid, foment-se o ensino de qulidde, com formção de ciddãos críticos e tuntes, cpzes de trnsformr sus ções profissionis em prol do desenvolvimento de um sociedde mis just e prósper pr todos. Pr informções sobre os projetos e tividdes de extensão em ndmento, cessr o sítio d Pró-Reitori de Extensão d Universidde Federl de São Pulo n Internet (ttp://www.unifesp.br/reitori/proex/). O cmpus Didem, com su vocção multidisciplinr, inici em 2008 s proposts pr crição de seus Progrms de Pós-Grdução. A propost inicil contempl crição de cursos interdisciplinres n interfce ds Ciêncis d Súde com s Ciêncis Exts, Humns e Ambientis, permitindo Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

14 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem extrpolção dos modelos disciplinres clássicos. Tis progrms têm o objetivo gerl de formr recursos umnos ltmente cpcitdos n fronteir do conecimento de váris áres correlts e que possm contribuir pr o desenvolvimento dos processos educcionis nests áres (docênci universitári de lto nível) e tur em projetos de pesquiss de qulidde elevd, em sus respectivs áres, sem perder de vist o cráter multidisciplinr de su formção. Atulmente o cmpus cont com três progrms de pós-grdução provdos pel CAPES, sendo eles Biologi Químic, Ciênci e Tecnologi d Sustentbilidde e Ecologi e Evolução. Em 2014, um grupo de docentes com mior proximção com o Curso de Grdução em Frmáci present um propost de crição de um curso de Pós-grdução stricto sensu em Ciêncis Frmcêutics. A propost teve seu mérito reconecido e provdo pel Próreitori de Pós-Grdução e Pesquis d UNIFESP e, tulmente, gurd precer d Coordenção de Pessol de Nível Superior (Cpes). O cmpus Didem d UNIFESP certmente trouxe novs possibiliddes o município de Didem (e continurá trzendo), com vists à formção de profissionis que encontrrão inserção no mercdo de trblo locl, promovendo mudnçs positivs n economi locl, projetos de extensão universitári que impctm qulidde de vid d populção locl e o desenvolvimento econômico regionl, com instlção no município de estudntes, docentes e funcionários oriundos de outrs regiões d grnde São Pulo e do pís. 3.3 HISTÓRICO DO CURSO DE FARMÁCIA Até medos do século XIX, profissão frmcêutic encontrv seu referencil n figur do boticário, profissionl responsável pel preprção de dispensção de medicmentos. Os sberes d rte frmcêutic erm, inicilmente, trnsmitidos por um profissionl mis experiente, utilizndo s própris botics como cenário de prendizgem, e bsev-se n vivênci d prátic do cotidino (RIBEIRO, 2009). No Brsil dquel époc, o exercício d profissão frmcêutic er permitido àqueles que relizvm um exme em Portugl, plicdo pelo oficil do rei e por médicos e boticários por ele escolidos, depois de um período de prendizgem de qutro ou mis nos. Durnte o século XIX, o mundo experimentv um revolução científic sem precedentes istóricos, o que levou um revolução rdicl no modo como s Ciêncis Médics, e outrs áres, pssrim ser vists. O desenvolvimento científico influenciri de form decisiv o modo de trnsmissão de sberes, dentre eles, queles relciondos o ensino ds Ciêncis Frmcêutics. À époc n Europ, o ensino ds Ciêncis Frmcêutics er ministrdo ns Fculddes de Medicin, n cdeir de Mtéri Médic (SARMIENTO, 1996). No Brsil do século XIX, o ensino superior em Frmáci teve início pós vind d Fmíli Rel Portugues. O ensino pioneiro em Frmáci se deu com crição ds Escols de Medicin n Bi e no Rio de Jneiro em 1808 e, consequentemente, crição d disciplin de Mtéri Médic e Prmáci" n Escol Antômic, Cirúrgic e de Prmáci do Rio de Jneiro (SOUZA, BARROS, 2003). Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

15 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Após trnsformção ds Escols de Medicin em Fculddes de Medicin, pel Lei do Ensino Médico de 3 de Outubro de 1832, form cridos os primeiros Cursos de Frmáci, ind ssocidos às Fculddes de Medicin d Bi e do Rido de Jneiro (SOUZA, BARROS, 2003). A primeir escol independente de Frmáci foi fundd em 4 de bril 1839 Escol de Prmáci de Ouro Preto com um curso de dois nos e currículo que contv com s disciplins Frmcologi, Botânic e Mtéri Médic, entre outrs, ministrds pelos Frmcêuticos Clixto José Arier e Mnoel José Cbrl. Este modelo foi seguido por instituições de outrs regiões do pís: em 1884 foi crid Escol Superior de Frmáci do Rio de Jneiro e, em 12 de outubro de 1898 foi crid Escol Livre de Frmáci de São Pulo, qul seri trnsformd em Fculdde de Frmáci e Odontologi em 1901 e pssri integrr Universidde de São Pulo em 1934 (FCF USP). O curso de Frmáci tin durção de qutros nos, conferindo o título de Frmcêutico o fim d terceir série, e o de bcrel pós um exme relizdo pós o término d qurt série. O cenário ncionl experimentou um crescimento centudo no número de instituições de ensino superior pós promulgção d Constituição de 1891, qul propun um sistem educcionl descentrlizdo, onde cbi os Estdos orgnizr seus sistems escolres completos. Assim, entre 1892 e 1910, form crids 27 instituições de ensino superior; em 1880 o Brsil contv com dois mil e 300 estudntes, em 1915 somvm mis de 10 mil mtrículs; em 1930 vi quse 20 mil lunos (RIBEIRO, 2009). Neste cenário de profunds mudnçs, o profissionl Frmcêutico gnv destque, pssndo do boticário mnipuldor de medicmentos rtesnis um profissionl de formção sólid, multidisciplinr e cpz de tur em diferentes setores. Os boticários, que pesquisvm e mnipulvm fórmuls extemporânes, form lentmente sendo substituídos pelos Frmcêuticos formdos. O Brsil do início do século XX experimentv trnsformções drástics e su economi qul pssv de gro-exportdor pr um economi industril incipiente. A sociedde compnv est trnsformção e exigi do Sistem de Súde Públic do pís mis cuiddos e tenção; o Brsil creci de um Sistem Previdenciário orgnizdo e eficiente, pr um populção tiv e sudável continur o seu processo desenvolvimentist (COHN, ELIAS, 1996). As décds de vinte, trint e qurent form mrcds pels discussões cerc ds Leis do trblo, dos sistems de posentdoris e pensões e d ssistênci médic os trbldores. Prlelmente, o ensino em Frmáci sofri tmbém profunds trnsformções, pr tender s demnds d sociedde brsileir em desenvolvimento. São instituídos sistems de vlição té então inexistentes, provs prciis escrits, estágios compndos de reltórios, freqüênci e exmes finis, tudo com obrigtoriedde de execução, como exigêncis pr obtenção do título (RIBEIRO, 2009). As tribuições reservds o profissionl Frmcêutico tmbém sofrerm lterções durnte primeir metde do século XX. Um mrco foi o Decreto de 19 de jneiro 1931, o qul dispôs sobre profissão frmcêutic e seu exercício no Brsil, firmndo que o profissionl Frmcêutico cberi, lém de sus funções privtivs de mnipulção e comércio de medicmentos, tmbém fbricção de produtos biológicos, s nálises clínics, biológics e bromtológics, e função de legist. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

16 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem O Brsil do pós-ii Guerr Mundil vive segund fse do processo de industrilizção e er do milgre econômico. O Brsil dos Cinquent nos em cinco de Juscelino Kubitscek impct tods s áres e os setores produtivos do pís. As empress frmcêutics, té então pequens e médis empress de cráter fmilir, começm dr espço pr s grndes corporções Frmcêutics multincionis e o pís pss ter cesso um rsenl mior de medicmentos mis sofisticdos. A profissão Frmcêutic tem seu foco lterdo pr produção de medicmentos em lrg escl, contemplndo formção de um profissionl pr tender s necessiddes do novo mercdo de trblo que se instl no pís. Neste cenário, á instituição do currículo mínimo pr os Cursos de Grdução em Frmáci, trvés do precer n. 267/69 e d Resolução n. 04 de 11 de bril de 1969 do Conselo Federl de Educção; os Cursos de Frmáci pssm contr com um ciclo préprofissionliznte seguido de um profissionliznte único, cpcitndo o profissionl trblr em frmácis e drogris (bilitção de Frmcêutico), e um ciclo profissionliznte posterior, o qul levv à formção do Frmcêutico Industril (com ênfse em cosméticos ou medicmentos) ou do Frmcêutico (Análises Clínics e Toxicológics e Alimentos) (FCF USP, 2008; RIBEIRO, 2009). O novo prdigm do ensino em Frmáci e s excelentes oportuniddes de trblo oferecids pelo setor industril produtivo de insumos, medicmentos e cosméticos, crretm em um processo conecido istoricmente como desprofissionlizção do Frmcêutico, crcterizdo pelo distncimento deste profissionl ds frmácis e drogris, locl onde exerci efetivmente o ppel de gente promotor de súde, e pel formção tecnicist excerbd. Adicionlmente, bertur do comércio Frmcêutico pr leigos, trvés d Lei de 17 de dezembro de 1973, desfigur Frmáci como estbelecimento de súde, restringido-, n miori ds vezes, simples uniddes de vend de medicmentos (BRASIL, 1973). Neste cenário, prtir d consttção efetiv d presenç de um profissionl Frmcêutico distnte de su função trdicionl de gente de súde, novs discussões cerc do ensino em Frmáci começm surgir em medos d décd de oitent. Em 1986, 8ª Conferênci Ncionl de Súde (8ª CNS, 1986) contou com mpl prticipção d sociedde, de prestdores de serviços e gestores do setor, culminndo com crição do Sistem Único e Descentrlizdo de Súde (SUDS), em 1987, e do Sistem Único de Súde (SUS), em 1988 (BRASIL, 1988). Em tendimento às recomendções d Orgnizção Mundil d Súde, o SUS trz um nov visão do cesso universl, integrl e igulitário o sistem de súde publico do pís. Este novo modelo, bsedo n medicin preventiv e no cuiddo integrl o pciente, e não n medicin curtiv trdicionl, pss requisitr profissionis diferencidos, com qulidde técnic e tentos à relidde socil de seu pís. Nsce à époc, o conceito do Uso Rcionl de Medicmentos e reorientção do ppel do profissionl Frmcêutico, cpz de tender s demnds do SUS, constituindo-se o momento idel pr Reprofissionlizção do Frmcêutico e retomd de su função como gente promotor de súde e reproximção com o pciente e o cuiddo. As discussões cerc do currículo dos Cursos de Grdução em Frmáci gnrm forç prtir d décd de novent; form relizdos vários encontros pr discussão do tem, com prticipção mciç de estudntes (Executiv Ncionl dos Estudntes de Frmáci; ENEFAR), Instituições de Ensino Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

17 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Superior, representntes do governo (Ministério d Educção), representntes do Conselo Federl de Frmáci e dos Conselos Regionis, e entiddes do setor (por exemplo, Federção Ncionl dos Frmcêuticos, FENAFAR), culminndo com publicção ds Diretrizes Curriculres Ncionis pr os Cursos de Grdução em Frmáci, pel Câmr de Educção Superior do Conselo Ncionl de Educção, em 19 de fevereiro de As Diretrizes Curriculres Ncionis pr os Cursos de Grdução em Frmáci As Diretrizes Curriculres Ncionis pr os Cursos de Grdução em Frmáci rtificm os compromissos ssumidos n Lei de Diretrizes e Bses d Educção (LDB, 1996), enftizndo o compromisso de formção de um profissionl Frmcêutico Generlist, cpz de tur no SUS, exercer seu ppel de gente de súde e relizr tividdes relcionds à Atenção Frmcêutic e o Uso Rcionl de Medicmentos. Neste contexto, exlt-se o idel de formção de um profissionl Frmcêutico com qulidde técnic e étic, um ciddão tento às questões sociis de seu pís e cpz de tender às demnds dos setores produtivos e dos serviços de súde. Almej-se um profissionl Frmcêutico cpz de trnsformr os seus conecimentos em benefícios reis pr sociedde e pr o desenvolvimento do pís. Em seu décimo rtigo, s DCNs trzem necessidde do Projeto Pedgógico de Curso orientr os currículos dos Cursos de Frmáci de mneir...contribuir, tmbém, pr compreensão, interpretção, preservção, reforço, fomento e difusão ds culturs ncionis e regionis, interncionis e istórics, em um contexto de plurlismo e diversidde culturl (CNE, 2002). O foco do ensino em Frmáci deix de ser o medicmento e pss ser todo o processo súdedoenç do ciddão, d fmíli e d comunidde, integrdo à relidde epidemiológic e profissionl. A dispensção de medicmentos deix de ser entendid como um simples entreg do medicmento o pciente, e pss ser desejd como um ção compnd de informção sobre o uso correto do mesmo, visndo grnti de sucesso d terpi medicmentos. Voltm-se s tenções, ssim, pr s prátics d Frmcovigilânci e d Frmcepidemiologi. De cordo com s DCNs, formção do Frmcêutico tem por objetivo, dotr o profissionl dos conecimentos necessários pr o exercício ds seguintes competêncis e biliddes geris (CNE, 2002): i. Atenção à súde: Os Frmcêuticos devem estr ptos desenvolver ções de prevenção, promoção, proteção e rebilitção d súde, tnto em nível individul qunto coletivo. ii. Tomd de decisões: O que pressupõe competêncis e biliddes pr vlir, sistemtizr, e decidir s conduts mis dequds. iii. Comunicção: Envolve comunicção verbl, não verbl e biliddes de leitur e escrit. iv. Lidernç: Envolve compromisso, responsbilidde, empti, bilidde pr tomd de decisões e gerencimento de form efetiv e eficz. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

18 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem v. Administrção e Gerencimento: Os profissionis devem estr ptos tomr inicitivs, fzer o gerencimento e dministrção e serem empreendedores, gestores, empregdores ou lidernçs. vi. Educção permnente: Os profissionis devem ser cpzes de prender continumente, tnto n su formção, qunto n su prátic. Juntmente com s diretrizes pr contemplção ds biliddes e competêncis do luno egresso dos Cursos de Frmáci, s DCNs trzem recomendções geris sobre estrutur curriculr dos cursos, os estágios curriculres supervisiondos e tividdes com vists à formção complementr do luno. Fix durção dos estágios supervisiondos em 20% d crg orári totl do curso, reenftizndo proximção do luno à prátic profissionl e o prender trvés d vivênci do cotidino. As DCNs representm um mrco istórico pr o ensino em Frmáci e resgtm possibilidde de formção de um profissionl Frmcêutico promotor de súde, corondo o processo de Reprofissionlizção do Frmcêutico. Entretnto, muito tem se discutido respeito d plicção ds Diretrizes n prátic do ensino em Frmáci, trvés de vários Fóruns de Discussão e Encontros de Coordendores de Curso, orgnizdos pelo Conselo Federl de Frmáci e/ou pelos Conselos Regionis de Frmáci, com prticipção de representntes ds Instituições de Ensino Superior, estudntes e representntes do Ministério d Educção/Secretri de Educção Superior (SeSU). Há um cmino muito longo se percorrer em direção o ensino em Frmáci idelizdo por todos, ms s conquists oriunds d promulgção ds DCNs, principlmente no âmbito de tução do profissionl Frmcêutico n Frmáci Públic e nos serviços básicos de súde, são inquestionáveis. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

19 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem 4. CONCEPÇÃO DO CURSO DE FARMÁCIA DA UNIFESP Conforme já menciondo nteriormente, UNIFESP deu início o seu processo de expnsão no no de 2005, com crição do cmpus d Bixd Sntist, seguidos dos cmpi de Gurulos, Didem e São José dos Cmpos. Neste processo, o Curso de Frmáci do cmpus Didem teve seu funcionmento utorizdo pelo Ministério d Educção trvés d Portri número 1.235, publicd no Diário Oficil d União no di 20 de dezembro de 2007 (BRASIL, 2007). Um Universidde trdicionl d áre d súde como UNIFESP não poderi deixr de oferecer ensino n áre ds Ciêncis Frmcêutics. A possibilidde de relizção de tividdes de ensino, pesquis e extensão nest áre d súde trz inúmers possibiliddes pr est Universidde. Deste modo, o Curso de Frmáci d UNIFESP vem no momento em que Universidde vê-se com o desfio de expndir sus fronteirs pr outros cmpi e oferecer ensino em outrs áres do conecimento, com os mesmos pdrões de excelênci que colocm UNIFESP como um ds melores Universiddes Públics deste pís. Juntmente com os demis cursos de grdução do cmpus Didem Ciêncis Biológics, Químic, Químic Industril, Engenri Químic, Ciêncis Ambientis e Ciêncis: Licencitur o Curso de Frmáci oferece oportuniddes de cooperção em projetos de pesquis e extensão com s áres e os grupos de pesquis já consoliddos do cmpus São Pulo, visndo o desenvolvimento de novos produtos (fármcos e novos mteriis de interesse biológico), novos processos de produção de insumos frmcêuticos e medicmentos pr o tendimento d demnd dos ospitis e serviços de súde gerencidos pel Universidde e formção interdisciplinr de seus lunos de grdução e pósgrdução, entre outrs oportuniddes. 4.1 OBJETIVOS DO CURSO Gerl: O Curso de Frmáci d UNIFESP objetiv formr profissionis cpzes de exercer, no âmbito d profissão frmcêutic, tividdes referentes os fármcos e os medicmentos, às nálises clínics e toxicológics e os limentos, com competênci e étic, como gente de desenvolvimento científico, tecnológico e socil. Específicos: O curso de Frmáci d UNIFESP, putdo pels Diretrizes Acdêmics geris do cmpus Didem e pels Diretrizes Curriculres Ncionis pr os Cursos de Grdução em Frmáci, tem como objetivos geris: i. Contemplr s biliddes e competêncis elencds ns Diretrizes Curriculres de form étic e com responsbilidde cdêmico-socil. ii. Desenvolver no luno um postur crític e étic sobre o conecimento dquirido e sobre o ppel de ciddão n sociedde brsileir. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

20 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem iii. Fornecer condições pr indissocibilidde do tripé ensino/pesquis/extensão. iv. Estimulr educção continud e especilizção como forms de grntir formção de qulidde e tulizd. v. Estimulr postur tiv frente à construção do conecimento e prticipção em tividdes extrclsse que contribum pr formção complementr do luno. vi. Fornecer formção cdêmico-científico-profissionl sólid e de qulidde, que tend s necessiddes do mercdo de trblo e contribu pr o desenvolvimento dos setores produtivos e de serviços relciondos o âmbito de tução do profissionl Frmcêutico. vii. Fomentr formção e s tividdes relcionds à Assistênci e Atenção Frmcêutics, em vários níveis de tução, contribuindo pr formção de um profissionl Frmcêutico que tend s necessiddes d sociedde modern. viii. Despertr o interesse do luno pr s tividdes relcionds Súde Públic e tução nos serviços básicos de súde (Sistem Único de Súde e Progrms de Súde d Fmíli). ix. Desenvolver biliddes e competêncis relcionds o Uso Rcionl de Medicmentos, à prticipção em tividdes/projetos de Atenção Frmcêutic, Frmcovigilânci e Frmcoepidemiologi. x. Desenvolver biliddes e competêncis relcionds o setor produtivo de insumos Frmcêuticos, medicmentos, cosméticos, limentos, produtos biotecnológicos, mteril pr dignóstico e produtos domissnentes, entre outros, com o compromisso de formr profissionis cpcitdos desenvolver ções relcionds pesquis e desenvolvimento de novos produtos, produção, controle e grnti de qulidde e ssuntos regultórios, entre outros. xi. Desenvolver biliddes e competêncis relcionds às Análises Clínics e Toxicológics, com vists à formção de um profissionl Frmcêutico cpz de tur de form crític n relizção, desenvolvimento e interpretção de exmes lbortoriis clínicos e relciondos às nálises toxicológics, umn e mbientl. O cráter multidisciplinr ds Ciêncis Frmcêutics está contempldo nos vários eixos do conecimento que compõe estrutur curriculr do Curso de Frmáci (cf. dinte). Assim, objetiv-se crir subsídios pr formção de um profissionl Frmcêutico com visão generlist, em tendimento à legislção vigente, entretnto, tento às prticulriddes d su áre de tução e, o mesmo tempo, com um visão globl do cenário o qul su tividde profissionl se insere, sem perder de vist o cráter especilizdo ds tividdes que pode vir desenvolver em su vid profissionl. Além de contemplr s biliddes e competêncis elencds ns DCNs, refletids nos objetivos descritos cim, o Curso de Frmáci d UNIFESP foi idelizdo pr tender demnd locl/ncionl de profissionis ltmente qulificdos. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

21 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem 4.2 PERFIL DO EGRESSO O luno egresso do Curso de Grdução em Frmáci d UNIFESP terá contemplds s biliddes e competêncis geris e específics constntes ns Diretrizes Ncionis pr os Cursos de Grdução em Frmáci (Resolução CNE/CES nº 2, de 19 de fevereiro de 2002, Art. 4º e 5º). O Curso deverá cpcitr ind o luno egresso tur de mneir crític e étic em su vid profissionl, dentro do Âmbito Profissionl do Frmcêutico, estbelecido pelo Decreto Presidencil n de 07 de bril de 1981, desenvolvendo tividdes relcionds à Atenção Frmcêutic, à Dispensção e Mnipulção de Medicmentos, à Pesquis Acdêmic e Tecnológic, os Setores Produtivos d Áre Frmcêutic sber, Indústri Frmoquímic e de outros insumos Frmcêuticos, Indústri de Medicmentos, Indústri de Cosméticos, Indústri de Alimentos, entre outrs e às Análises Clínics e Toxicológics (BRASIL, 1981). 4.3 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS O Frmcêutico formdo pel UNIFESP deverá desenvolver em su formção, s biliddes e competêncis descrits ns diretrizes curriculres, lém dquels própris d formção diferencid propost pel UNIFESP: I. respeitr os princípios éticos inerentes o exercício profissionl; II. III. IV. tur em todos os níveis de tenção à súde, integrndo-se em progrms de promoção, mnutenção, prevenção, proteção e recuperção d súde, sensibilizdos e comprometidos com o ser umno, respeitndo-o e vlorizndo-o; tur multiprofissionlmente, interdisciplinrmente e trnsdisciplinrmente com extrem produtividde n promoção d súde bsedo n convicção científic, de ciddni e de étic; reconecer súde como direito e condições digns de vid e tur de form grntir integrlidde d ssistênci, entendid como conjunto rticuldo e contínuo ds ções e serviços preventivos e curtivos, individuis e coletivos, exigidos pr cd cso em todos os níveis de complexidde do sistem; V. exercer su profissão de form rticuld o contexto socil, entendendo- como um form de prticipção e contribuição socil; VI. VII. VIII. conecer métodos e técnics de investigção e elborção de trblos cdêmicos e científicos; desenvolver ssistênci frmcêutic individul e coletiv; tur n pesquis, desenvolvimento, seleção, mnipulção, produção, rmzenmento e controle de qulidde de insumos, fármcos sintéticos, recombinntes e nturis, medicmentos, cosméticos, snentes e domissnentes e correltos; Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

22 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem IX. tur em órgãos de regulmentção e fisclizção do exercício profissionl e de provção, registro e controle de medicmentos, cosméticos, snentes, domissnentes e correltos; X. tur n vlição toxicológic de medicmentos, cosméticos, snentes, domissnentes, correltos e limentos; XI. XII. XIII. XIV. XV. XVI. XVII. XVIII. XIX. XX. XXI. XXII. XXIII. XXIV. XXV. XXVI. relizr, interpretr, emitir ludos e preceres e responsbilizr-se tecnicmente por nálises clínico-lbortoriis, incluindo os exmes emtológicos, citológicos, citoptológicos e istoquímicos, biologi moleculr, bem como nálises toxicológics, dentro dos pdrões de qulidde e norms de segurnç; relizr procedimentos relciondos à colet de mteril pr fins de nálises lbortoriis e toxicológics; vlir interferênci de medicmentos, limentos e outros interferentes em exmes lbortoriis; vlir s interções medicmento/medicmento e limento/medicmento; exercer frmcoepidemiologi; exercer dispensção e dministrção de nutrcêuticos e de limentos de uso enterl e prenterl; tur no plnejmento, dministrção e gestão de serviços frmcêuticos, incluindo registro, utorizção de produção, distribuição e comercilizção de medicmentos, cosméticos, snentes, domissnentes e correltos; tur no desenvolvimento e operção de sistems de informção frmcológic e toxicológic pr pcientes, equipes de súde, instituições e comuniddes; interpretr e vlir prescrições; tur n dispensrão de medicmentos e correltos; prticipr n formulção ds polítics de medicmentos e de ssistênci frmcêutic; formulr e produzir medicmentos e cosméticos em qulquer escl; tur n promoção e gerencimento do uso correto e rcionl de medicmentos, em todos os níveis do sistem de súde, tnto no âmbito do setor público como do privdo; desenvolver tividdes de grnti d qulidde de medicmentos, cosméticos, processos e serviços onde tue o frmcêutico; relizr, interpretr, vlir, emitir ludos e preceres e responsbilizr-se tecnicmente por nálises de limentos, de nutrcêuticos, de limentos de uso enterl e prenterl, suplementos limentres, desde obtenção ds mtéris prims té o consumo; tur n pesquis e desenvolvimento, seleção, produção e controle de qulidde de produtos obtidos por biotecnologi; Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

23 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem XXVII. XXVIII. XXIX. XXX. XXXI. relizr nálises fisico-químics e microbiológics de interesse pr o snemento do meio mbiente, incluíds s nálises de águ, r e esgoto; tur n pesquis e desenvolvimento, seleção, produção e controle de qulidde de emocomponentes e emoderivdos, incluindo relizção, interpretção de exmes e responsbilidde técnic de serviços de emoterpi; exercer tenção frmcêutic individul e coletiv n áre ds nálises clínics e toxicológics; gerencir lbortórios de nálises clínics e toxicológics; tur n seleção, desenvolvimento e controle de qulidde de metodologis, de retivos, regentes e equipmentos. O Curso de Frmáci d UNIFESP, em rzão d su loclizção geográfic e su origem institucionl, lém ds competêncis e biliddes citds cim, deverá fomentr no grdundo titudes, comportmentos e biliddes putdos n étic visndo promoção e recuperção d súde e mudnç d relidde socil. Deverá, ssim, promover prátic d Assistênci Frmcêutic integrd à equipe de súde, visndo um frmcoterpi rcionl bsed em indictivos de melori d desão o trtmento e d qulidde de vid. Aind, no âmbito d pesquis científic, os formndos do curso de Frmáci deverão estr ptos tur no plnejmento, execução, interpretção e divulgção de resultdos científicos. Assim, busc de informção científic, su vlição crític, proprição do conecimento trvés dos resultdos obtidos e utilizção dos mesmos pr proposição de novs questões deverão fzer prte de su rotin. 4.4 PRESSUPOSTOS TEÓRICOS Atulmente, estruturção dos cursos de Frmáci em todo pís deve tender às Diretrizes Curriculres Ncionis (DCN), publicds n Resolução CNE/CES nº 2 de 19 de fevereiro de Tis diretrizes fornecem orientções e estbelecem os requisitos mínimos que um curso de Frmáci deve possuir pr ter seu funcionmento reconecido em todo o território ncionl. Prtindo-se deste pressuposto, o Curso de Frmáci d UNIFESP foi concebido considerndo três pilres fundmentis: s orientções estbelecids pels DCNs, s crêncis regionis e ncionis dos serviços de súde e desenvolvimento tecnológico, respeitndo os princípios filosóficos d utonomi universitári que putrm, o longo d istóri, o desenvolvimento cdêmico, científico, culturl, político e socil dest Instituição de Ensino Superior. No que tnge às DCN, o curso cumpre com recomendção de formr um frmcêutico generlist, umnist, crítico e reflexivo. Acredit com isto que o frmcêutico formdo pel UNIFESP estrá cpcitdo o exercício de tividdes referentes os insumos frmcêuticos, medicmentos e cosméticos, às nálises clínics e toxicológics e o controle, produção e nálise de limentos, putdo em princípios éticos e n compreensão d relidde socil, culturl e econômic do seu meio. Busc cumprir ssim, com formção de um perfil generlist conforme recomenddo, sem, entretnto, perder Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

24 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem crcterístic institucionl de formção de profissionis de excelênci, ltmente cpcitdos pr áres de tução específic dos profissionis. Acredit-se deste modo, que mtriz curriculr pr o curso de Frmáci deve ser concebid prtir ds ciêncis básics fundmentis que drão suporte s demis ciêncis pr bordgem ds questões reltivs o ser umno em seu contexto sócio-culturl e de súde. Tem-se como princípio trblr os conteúdos contextulizndo-os às questões do cotidino, proximndo estes d relidde dos cdêmicos, fvorecendo o prendizdo trvés de experiêncis pregresss. O licerce fornecido pels ciêncis básics dá suporte à construção do conecimento técnico científico, crcterístico dos conteúdos borddos ns diferentes áres de tução do profissionl frmcêutico. Dentre tis áres, quel que se refere o medicmento, cerne d profissão frmcêutic, foi privilegid no curso proposto. Um crcterístic importnte deste Projeto Pedgógico é que o luno, prtir de um determindo período do curso, poderá optr por quis Uniddes Curriculres irá cursr. Desse modo, o luno terá liberdde de definir o seu perfil profissionl com bse ns Uniddes Curriculres Eletivs que escoler. O Curso de Frmáci oferece Uniddes Curriculres Eletivs que contemplm tods s áres ds Ciêncis Frmcêutics. Além disso, o luno poderá complementr su formção com Uniddes Curriculres de outros cursos, inclusive loclizdos em outros cmpi, tis como os cursos de Medicin, Fonoudiologi, Nutrição, Enfermgem, entre outros. A escol ds Uniddes Curriculres Eletivs pelo luno será orientd por docentes tutores. É importnte enftizr que esse docente tutor em nenum momento definirá o perfil de Uniddes Curriculres Eletivs que o luno irá cursr, sendo figur que orient s escols já definids pelo luno. A loclizção do Curso de Frmáci no Município de Didem trz como possibilidde de lbortório didático, um cmpo enorme pr tividde prátic voltdo principlmente pr áre de Atenção e Assistênci Frmcêutic. Por se trtr de um populção predominntemente pobre, o Sistem Único de Súde (SUS) é principl form de cuiddo d populção. Com proximdmente 20 Unidde Básics de Súde (UBS), nesses locis será possível desenvolver de form bstnte stisftóri s questões prátics que envolve Atenção e Assistênci Frmcêutic. Esss tividdes estrão contemplds dentro de um convênio de cooperção técnic que será firmdo entre Prefeitur de Didem e Universidde Federl de São Pulo. Os Lbortórios de Análises Clínics e Toxicológics nos ospitis e centro de súde do Município, tmbém poderão estr disponíveis pr tução dos lunos do Curso de Frmáci. 4.5 PRESSUPOSTOS DIDÁTICOS-PEDAGÓGICOS O curso de Frmáci d UNIFESP/cmpus Didem, tem como bse pr formção de seus grdundos o mbiente cdêmico constituído por sls de uls e lbortórios didáticos específicos pr relizção de tividdes prátics. A prtir do no de 2015, com implntção d nov mtriz curriculr, o Curso de Frmáci d Unifesp presentrá um importnte lterção estruturl. Com provção d dissolução do Ciclo Básico Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

25 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem pel Congregção em 2014, os qutro cursos que utilizvm de tl estrutur, i. e. Frmáci, Químic, Ciêncis Biológics e Engenri Químic, pssrão ter utonomi no gerencimento de sus mtrizes tmbém no início do curso. A propost do Ciclo Básico mostrou-se pouco eficiente o longo dos últimos nos, contribuindo, de cert form, pr evsão de lunos. Ess importnte mudnç foi exustivmente discutid e estudd o longo do no de 2014, ns diverss instâncis cdêmics do cmpus Didem e tmbém em instâncis superiores. Em su miori, os conteúdos trbldos ns diverss Uniddes Curriculres possuem cráter teórico e prático, em gerl n proporção de 1:1, sej pr s Uniddes Curriculres Obrigtóris Fixs ou Eletivs. A prte teóric do curso est bsed principlmente em uls expositivs, tnto pel presentção trdicionl de conteúdos qunto pel contextulizção dos mesmos trvés de questões do cotidino. Outrs estrtégis didátics são utilizds pr o profundmento e proprição do conecimento, tis como discussões e dinâmics em grupos, presentção de seminários, estudos dirigidos, visits técnics, tividdes vi pltforms multimídi, e.g. Moodle, permitindo inclusive utilizção de novs metodologis tivs de ensino-prendizgem. As uls prátics são conduzids por docentes em lbortórios didáticos específicos, buscndo trzer relidde profissionl o mbiente cdêmico, fim de treinr os cdêmicos em tividdes pertinentes su prátic profissionl e despertr questões étics reltivs o exercício d profissão de Frmcêutico. Estágios (curriculres obrigtórios e não obrigtórios), Trblo de Conclusão de Curso e Atividdes Complementres são ferrments pr vivênci, compreensão e modificção d relidde do mbiente profissionl, construção do conecimento prtir ds diferentes reliddes vivencids e constnte busc pel tulizção técnic, científic, culturl socil e polític dos cdêmicos, bse pr formção crític e reflexiv tão lmejd e preconizd pels Diretrizes Curriculres. Buscndo flexibilidde curriculr e diversificção d formção dos futuros Frmcêuticos este Projeto Pedgógico de Curso estbelece que os cdêmicos do Curso de Frmáci devm cumprir crg orári em Uniddes Curriculres Obrigtóris Eletivs (UCE), preferencilmente nos últimos nos de su formção. A diversidde de conteúdos borddos ns UCE oferecids pelo Curso e possibilidde de livre escol dests Uniddes Curriculres (UCs) permite os cdêmicos direcionr e profundr su formção cdêmic em um ou mis áres de tução do profissionl frmcêutico, possibilitndo este, tur nos serviços de súde relciondos à ssistênci e tenção frmcêutic, n áre de fármcos e medicmentos, de nálises clínics e toxicológics e ds ciêncis dos limentos. Considerndo s necessiddes tuis do mercdo de trblo, que busc profissionis cd vez mis ecléticos em seu sber, pto desenvolver váris funções e trblr em equipes multiprofissionis, este Projeto Pedgógico de Curso bre possibilidde do cdêmico complementr su formção cursndo prte d crg orári destind às UCE, em UC ou disciplins ofertds por outros cursos de Grdução, sej no cmpus Didem, em outros cmpi d Unifesp ou outrs Instituições de Ensino Superior (IES) desde que sejm provds pel Comissão de Curso de Frmáci. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

26 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Acredit-se que tis prátics de flexibilidde d estrutur curriculr fvoreçm diferencição profissionl dos cdêmicos já n grdução, estimulndo utoconstrução do perfil profissionl que o cdêmico pretende ter, respeitndo su vocção, e incutindo o senso de responsbilidde sobre ele mesmo e su inserção no mercdo de trblo. 4.6 PRESSUPOSTOS METODOLÓGICOS Form de Ingresso, Número de Vgs e Turno de Funcionmento O Curso de Frmáci d UNIFESP cmpus Didem é oferecido nos turnos Integrl de segunds sexts-feirs, ds 8 às 18 ors, com dus ors de intervlo pr lmoço e Noturno de segunds sext feirs, ds 19 às 23 ors e os sábdos, ds 8 às 12 ors. O ingresso no Curso de Frmáci d UNIFESP cmpus Didem - é nul e feito trvés Exme Ncionl do Ensino Médio (ENEM), vi Sistem de Seleção Unificd (Sisu), gerencido pelo Ministério d Educção. São oferecids 50 vgs no turno Integrl e 100 vgs no turno Noturno. De cordo com Lei nº , de 29 de gosto de 2012, serão plicdos os seguintes percentuis de vgs pr o sistem de cots: %; %; ,5%; % Integrlizção O Curso de Frmáci d UNIFESP cmpus Didem - é oferecido em turno integrl e noturno, estruturdo em módulos semestris (SEMESTRE = TERMO). Possui durção mínim de 5 nos (10 s) e máxim de 7,5 nos (15 s) pr o turno Integrl e durção mínim de 6 nos (12 s) e máxim de 10,5 nos (21 s) pr o turno Noturno, segundo definições do Regimento Interno d Pró-Reitori de Grdução d Universidde Federl de São Pulo (ttp://www.unifesp.br/reitori/progrd/index.pp/legislco/norms-e-resolucoes/regimentos/regimento-interno-dprogrd-pdf). O Curso está orgnizdo em Mtriz Curriculr, dividid por UNIDADES CURRICULARES (UCs) obrigtóris, clssificds como fixs e eletivs, contemplndo formção do profissionl em tendimento Lei de Diretrizes e Bses d Educção Ncionl promulgd em 1996 (Lei 9.394/96) e do Editl n. 04/97 d Secretri de Educção Superior do MEC. A crg orári totl do curso é de ors (Mtriz 2015), sendo ors em UCs Obrigtóris Fixs, 540 ors em UCs Obrigtóris Eletivs, ors de Estágio Supervisiondo Obrigtório, 120 ors de Atividdes Complementres e 02 ors pr o Trblo de Conclusão de Curso. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

27 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Até o fim de 2014, s Uniddes Curriculres Obrigtóris Fixs erm ofertds em dois ciclos, sendo o primeiro, denomindo Ciclo Básico, no qul s Uniddes Curriculres erm comprtilds com outros três cursos de Grdução do cmpus: Ciêncis Biológics, Engenri Químic e Químic. Pr o Turno Integrl o Ciclo Básico possuí durção de 02 s (01 no), enqunto pr o Turno Noturno, de 03 s (1,5 nos). No segundo ciclo, os lunos cursvm Uniddes Curriculres Obrigtóris Fixs (2.718 ors-ul) que visvm complementção d formção básic, porém específic pr formção do cdêmico em Frmáci e necessári pr o desempeno de tividdes ns diferentes áres de tução do profissionl frmcêutico. Com dissolução do Ciclo Básico, Comissão do Curso de Frmáci retom pr si responsbilidde de pensr e reestruturr su mtriz curriculr de cordo com s necessiddes de formção do profissionl Frmcêutico. Com ess nov dinâmic, bre-se oportunidde de levr pr o início do curso, disciplins com cráter mis dedicdo às Ciêncis Frmcêutics, proporcionndo o luno ingressnte, um despertr mis precoce pr su futur áre de tução profissionl. Conforme menciondo nteriormente, lém ds UCs Obrigtóris Fixs, os lunos devem cumprir crg orári de 540 ors em UCs Obrigtóris Eletivs (UCE). Dest crg orári, no mínimo 80% (432 ors) devem ser cumpridos em UCEs presentes n mtriz curriculr do Curso de Frmáci, sendo ests, denominds, UCs Obrigtóris Eletivs Condicionds (UCEC). Tis UCs serão oferecids regulrmente (um vez o no no mínimo) os lunos do curso de Frmáci, preferencilmente, no indicdo n mtriz curriculr do Curso e com número de vgs suficiente pr receber tod turm regulr pertencente o específico (50 ou 100 vgs, pr os turnos integrl e noturno, respectivmente), mis um excedente de 10% do número de vgs. Devido o forte cráter profissionliznte ds UCECs oferecids pelo Curso, estbeleceu-se que, um vez efetud mtrícul, o discente estrá obrigdo obter provção n referid Unidde Curriculr, sej no semestre em curso ou em semestres subsequentes. A vlidção d crg orári no istórico escolr do discente somente será relizd pós provção n referid unidde curriculr. O restnte d crg orári de UCs Obrigtóris Eletivs poderá ser cumprido em Uniddes Curriculres/Disciplins oferecids pelo curso de Frmáci que não pertençm mtriz curriculr do Curso, por outros cursos de grdução d UNIFESP ou em outrs IES credencids pel Comissão de Curso. As Uniddes Curriculres cursds nests condições são denominds Uniddes Curriculres Eletivs Livres (UCEL). Ao contrário ds UCEC, pós efetur mtrícul, o discente deverá cursr Unidde Curriculr regulrmente, não estndo, entretnto, obrigdo obter provção n mesm. A vlidção d crg orári no istórico escolr do discente somente será relizd pós provção n referid unidde curriculr. A mtrícul e vlidção ds Uniddes Curriculres Eletivs é regulmentd por Resolução d Comissão de Curso de Frmáci (ANEXO II). Com vigênci d nov mtriz curriculr prtir de 2015, o Estágio Curriculr Supervisiondo Obrigtório do Curso de Frmáci será contempldo por ors, sendo prte essencil do Curso e responsável pel integrção entre o mundo do trblo e vid cdêmic. Os estágios do Curso de Frmáci d UNIFESP deverão propicir complementção do ensino e d prendizgem dos conteúdos relciondos às tividdes do profissionl frmcêutico, em s de treinmento prático, de perfeiçomento técnico-culturl, científico e de relcionmento umno, devendo ser plnejdos, Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

28 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem relizdos, compndos e vlidos em conformidde com os currículos, progrms e clendários cdêmicos. Os estágios do Curso de Frmáci d UNIFESP podem ser clssificdos como obrigtórios e nãoobrigtórios. Enqunto os não-obrigtórios podem ocorrer o longo de todo o curso, os obrigtórios somente poderão ser inicidos prtir do 5º Termo pr o turno Integrl e 7º Termo pr o turno Noturno. Mntendo filosofi do Curso de flexibilizção e construção do próprio percurso formtivo é ddo o luno possibilidde de relizção de estágio n(s) áre(s) de su escol, desde que consig provção em processo seletivo relizdo pel empres/instituição contrtnte. O Curso fix, entretnto, medinte Regulmento específico (ANEXO III), que 25% d crg orári de estágio (257 ors Mtriz Curriculr 2015) sejm cumpridos em estágios que contemplem tividdes relcionds à áre de Assistênci Frmcêutic. Além disso, o luno poderá relizr estágio curriculr com crg orári superior às 6/diáris (ou 30 semnis) pens nos períodos em que não estiverem progrmds uls presenciis, ou sej, durnte s féris cdêmics ou no semestre reservdo pr relizção do estágio curriculr obrigtório. As tividdes de estágio prevists pr os cdêmicos do Curso de Frmáci d UNIFESP cumprem com o estbelecido n Lei nº , de 25 de setembro de 2008 (BRASIL, 2008), que regulment, em nível federl, o estágio de estudntes e vism tender o estbelecido n Resolução CNE/CES nº 2, de 19 de fevereiro de 2002 (BRASIL, 2002). Entendendo que formção do futuro profissionl frmcêutico, não se restringe pens questões técnico-científics e, portnto, não deve ocorrer pens nos limites d sl de ul e em outros espços formis onde ocorrem s Uniddes Curriculres, este Projeto Pedgógico de Curso estbelece, com bse ns DCNs pr os Cursos de Frmáci, que os cdêmicos deverão cumprir, conforme regulmentção específic do Curso, 120 ors em Atividdes Complementres. Tis tividdes deverão ser cumprids o longo do curso e são regids por regulmento próprio (ANEXO IV). Aind, pr estr pto colr gru, o discente do curso de Frmáci d UNIFESP deverá elborr e defender publicmente um Trblo de Conclusão de Curso (TCC). Est tividde consiste em trblo individul de pesquis bibliográfic e/ou de pesquis de cmpo ou lbortoril, relizdo sob orientção docente, reltdo n form de estudo monográfico e versdo sob tem único dentro de qulquer um ds áres de conecimento d Frmáci e constntes nos conteúdos curriculres do curso. Assim, o TCC tem por objetivo integrção de conceitos teóricos e tividdes prátics, propicindo o luno formção complementr o processo de ensino e prendizgem, visndo o primormento de su formção profissionl. Est etp d formção do luno constitui um Unidde Curriculr com crg orári de 02 (dus) ors. A Regulmentção pr relizção de TCC no Curso está estbelecid em norm própri provd pel Comissão do curso de Frmáci (ANEXO V). Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

29 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem 4.7 SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Avlição do corpo discente O processo de vlição discente poderá vrir entre s diferentes Uniddes Curriculres e será definid pelo professor coordendor d UC em cordo com os demis professores colbordores. Os instrumentos de vlição (provs escrit e/ou orl, teóric e prátics, dissertções, exercícios, seminários, trblos em grupo, uto-vlições, entre outros) e form com que serão conduzidos deve ser presentdo os discentes pelos professores d UC qundo do início do período letivo de cd semestre e deve constr dos Plnos de Ensino prticdos no curso. O sistem de vlição seguirá o Regimento Interno d Pró-Reitori de Grdução d Unifesp (ttp://www.unifesp.br/reitori/progrd/index.pp/legislco/norms-e-resolucoes/regimentos/regimento-interno-dprogrd-pdf). Nos csos em que vlição do proveitmento cdêmico ocorrer por nots, ests serão tribuíds em um escl de 0 (zero) 10 (dez), computds té primeir cs deciml. Os critérios pr obtenção do conceito finl e frequênci mínim necessários pr provção são definidos de cordo com modlidde de unidde curriculr. Aind de cordo com tl Regimento, pr s Uniddes Curriculres Obrigtóris Fixs ou Eletivs, devem se dotr os critérios seguir: Art. 91. Desde que ten cumprido frequênci mínim em Unidde Curriculr cujo proveitmento sej definido por not, o estudnte será provdo ou reprovdo de cordo com os seguintes critérios: I se obtiver not inferior 3,0 (três), estrá reprovdo sem direito exme; II se obtiver not entre 3,0 (três) e 5,9 (cinco inteiros e nove décimos), terá que se submeter exme; III se obtiver not igul ou mior que 6,0 (seis), estrá utomticmente provdo. Art. 92. No cso de o estudnte relizr exme, not finl de provção n Unidde Curriculr deverá ser igul ou mior que 6,0 (seis) e seu cálculo obedecerá à seguinte fórmul: Not finl = (médi obtid n Unidde Curriculr + not do exme) 2 Regimento Interno d Pró-Reitori de Grdução (2014). Os critérios de vlição pr o Trblo de Conclusão de Curso (TCC) levrão em cont qulidde técnic do trblo e su estrutur forml de presentção, defes públic e vlição d bnc exmindor, sendo tmbém dotdo o critério de vlição por nots. O detlmento do processo de vlição do TCC pr o Curso encontr-se descrito em Regulmento próprio (ANEXO V). O processo de vlição referente o Estágio Curriculr Supervisiondo Obrigtório é definido por Regulmentção específic do curso (ANEXO III) que consider: ()- entreg e regulridde de todos os documentos necessários à relizção de estágio; (b)- cumprimento integrl d crg orári de estágio, sendo que 25% d crg orári devem ser cumpridos obrigtorimente em tividdes de Assistênci Frmcêutic; (c)- entreg e provção de reltórios de estágio. Tmbém pr o Estágio Curriculr Supervisiondo Obrigtório, finlizd vlição Comissão Assessor de Estágios definirá se o discente cumpriu ou não com tods s exigêncis referentes às tividdes de Estágio e lnçrá os conceitos CUMPRIDO ou NÃO CUMPRIDO, respectivmente. O discente que receber o conceito NÃO Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

30 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem CUMPRIDO deverá se mtriculr no semestre subsequente pr o cumprimento ds pendêncis reltivs o Estágio e submissão novo processo de vlição Avlição do ensino A vlição do ensino deve ser feit predominntemente pelos discentes e deve contemplr tods s uniddes curriculres. Ess vlição será efetud o finl de cd semestre por intermédio de um questionário remetido os discentes, de form nônim, solicitndo que expressem sus percepções reltivs à orgnizção, conteúdo, métodos didático-pedgógicos, desão às proposts do Curso e s competêncis e biliddes do profissionl frmcêutico. Além disso, Pró-Reitori de Grdução d UNIFESP cont com um Comissão Permnente de Avlição (CAP) que disponibiliz on line vlição semestrl de tods s Uniddes Curriculres oferecids pelos cursos de Grdução d UNIFESP. A CAP tbul os ddos coletdos e encmin às coordenções de curso pr ciênci. À critério d Comissão do Curso de Frmáci, os lunos poderão ser submetidos à Prov do Progresso, orgnizd pel Comissão de Avlição d Pró-Reitori de Grdução d UNIFESP. Este instrumento vlitivo crcteriz-se por ser um prov únic plicd todos os lunos do curso, de mbos os turnos, bordndo questões reltivs os conteúdos de tods s UCs do Curso. As condições de ensino tmbém serão vlids pelos docentes e funcionários técnicodministrtivos trvés de questionário contendo questões berts e de múltipl escol relcionds à infrestrutur de sls de ul, lbortórios didáticos, bibliotec, locis pr trblos de cmpo, disponibilidde de regentes e outros mteriis de consumo, equipmentos, etc. Os resultdos ds vlições serão compildos pel Comissão de Curso e utilizdos como um dos instrumentos nortedores pr correção, dequção e desenvolvimento do curso Avlição dos egressos Embor ind não j um polític consolidd pr seguimento dos egressos, pretende-se mnter cdstro tulizdo dos egressos do Curso, ssim como relizr o compnmento do desenvolvimento profissionl, crgos e funções ocupdos pelos mesmos. Pr tnto, lém d mnutenção do cdstro físico dos lunos, pretende-se, trvés de redes sociis disponíveis em mbiente virtul, mnter contto com os egressos do Curso. Pretende-se ind, despertr nos egressos o desejo de mnutenção do vínculo destes com Universidde, estimulndo que retornem o mbiente cdêmico, não como discentes ou profissionis formdos, ms como prceiros. Pr o Curso de Frmáci d UNIFESP o egresso deve ser entendido como prceiro d Universidde que o formou. É ele ponto de ligção entre o Universo Acdêmico e o Universo Profissionl. Deste modo, pretende-se despertr nos egressos o senso de colborção e prceri junto Universidde. Tl ção ger um vi de mão dupl em que Universidde pss reconecer prontmente s necessiddes e desfios do Universo Coorportivo e trt de buscr meios científicos e tecnológicos em Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

31 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem prceri com este Universo pr superá-los. Por outro ldo, Universidde deve encontrr-se pront receber os egressos pr tulizção e complementção d formção n form de cursos de tulizção e progrms de pós-grdução lto sensu e stricto sensu. Sendo profissionis tuntes no mercdo de trblo, é tmbém do interesse do Curso receber os egressos como gentes uxilires n formção dos futuros profissionis. Deste modo, prticipção dos egressos ministrndo cursos, plestrs, seminários, etc. é visto como ção de grnde vlor, estimulndo os cdêmicos vislumbrr um futuro profissionl mis plpável. Por fim, entende-se ser indispensável visão do egresso qunto formção que recebeu, pontos fortes e frcos e relevânci destes frente seu ingresso e permnênci no mercdo de trblo. Neste sentido, questionários cerc d formção que receberm serão envidos os egressos. Os ddos serão tbuldos e os resultdos gerdos poderão ser usdos como ferrment pr dequções necessáris o Curso Avlição do Curso De posse dos instrumentos nteriormente citdos, somdos os reltórios produzidos pelo INEP (Instituto Ncionl de Estudos e Pesquiss Educcionis) prtir d prticipção dos lunos no ENADE (Exme Ncionl de Desempeno dos Estudntes) e de orientções produzids por órgãos de clsse ligdos à profissão frmcêutic, como o CFF (Conselo Federl de Frmáci) e Abenfrbio (Associção Brsileir de Ensino de Frmáci), Comissão de Curso de Frmáci (CCF), deverá, periodicmente, rever seu Projeto Pedgógico e vlir necessidde de lterções do mesmo, putd sempre no compromisso com sociedde de oferecer um curso de excelênci técnico-científic, visndo à formção de um profissionl consciente do ppel que deve desempenr pr o desenvolvimento d sociedde e de seu pís. 4.8 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR O curso de Frmáci d UNIFESP possuirá prtir de 2015, em su estrutur curriculr, uniddes curriculres (UC), sendo 47 UCs Obrigtóris Fixs e 25 Obrigtóris Eletivs (UCE). Apesr d provção d dissolução do Ciclo Básico pel Congregção, o NDE e Comissão do Curso de Frmáci mntiverm propost de um formção sólid ns ciêncis básics e que são extremmente importntes pr formção do profissionl frmcêutico. Além disso, form ntecipds e/ou crids lgums UCs que tendem à ntecipção dos conteúdos ds Ciêncis Frmcêutics os lunos ingressntes, tornndo-se ssim, um curso mis dinâmico e trtivo. Com reformulção d mtriz curriculr propost pelo NDE e provd pel CCF, os cdêmicos pssrão compnr o Curso de Frmáci sob um nov perspectiv, que culminrá com possibilidde de relizção de estágios, dito observcionis, logo no início/metde do curso, pois terão contto com conteúdos mis direciondos à formção de um bse de conecimento mis mplo ns Ciêncis Frmcêutics. As UCs de Frmcologi form ntecipds em um semestre letivo, servindo de elo às Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

32 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem UCs mis profissionlizntes, concentrds d metde pr o finl do curso, tnto no integrl, qunto no noturno. Um nov bordgem foi concebid: e.g. n áre de Fármcos, Medicmentos e Cosméticos, os conteúdos d Frmcobotânic serão incorpordos às UCs de Frmcognosi, desmembrd em dus. Os conteúdos d Frmcotécnic e d Tecnologi Frmcêutic serão redistribuídos em dus UCs de Tecnologi Frmcêutic e trbldos de form mis profundd, visndo à integrção de todo o conecimento relciondo o desenvolvimento e crcterizção de medicmentos. O Curso gnrá tmbém com incorporção de UCs relcionds às Análises Clínics: deixrá de ofertr UC de Introdução às Análises Clínics e em seu lugr form crids dus novs outrs UCs obrigtóris, com um crg orári mis comptível com formção generlist: Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I e Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics. Outr áre que gn mis espço n mtriz, sob form de UCs obrigtóris, é de Assistênci Frmcêutic, que terá seus conteúdos borddos ns seguintes UCs: Bioétic, Frmáci Socil, Epidemiologi Gerl, Frmcoepidemiologi e Frmcovigilânci, Dispensção e uso rcionl de medicmentos e Frmáci Clínic I. A áre de limentos mnteve UC de Ciênci dos Alimentos como obrigtóri, porém pss gor ter gor um mior ofert de UCs eletivs condicionds. Com filosofi empregd desde su crição, o Curso de Frmáci d UNIFESP oferece diferentes percursos formtivos, cbendo os discentes escol mis proprid os seus nseios profissionis. Isto contece em função do conjunto de UCs eletivs condicionds que estão presentes n mtriz curriculr. Os conteúdos trbldos nests UCs serão responsáveis pel formção de perfis diferencidos dos futuros profissionis. O luno deverá cumprir, pr integrlizção do curso, um totl de 540 ors em UCs eletivs, sendo que deste totl, 80% d crg orári totl serão obrigtórios em UCs eletivs condicionds, ou sej, quels presentes n mtriz do curso. A mtrícul e vlidção em Uniddes Curriculres Eletivs no Curso de Frmáci são regids por regulmento específico d Comissão do Curso de Frmáci (ANEXO II). Além ds Uniddes Curriculres Obrigtóris Fixs e Eletivs, os lunos do curso de Frmáci deverão cumprir Estágio Curriculr Supervisiondo Obrigtório, Trblo de Conclusão de Curso e Atividdes Complementres. Tis tividdes serão discutids frente. A seguir, presentmos mtriz curriculr do Curso de Frmáci, períodos integrl e noturno, que entrrá em vigor em 2015, com provção do Conselo de Grdução: Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

33 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem MATRIZ CURRICULAR 2015 Integrl Curso: Frmáci Coordendor do Curso: Pulo R. R. Minrini Gru Conferido: [ x ] Bcrel [ ] Licencitur [ ] Tecnólogo Turno: [ x ] Integrl [ ] Mtutino [ ] Vespertino [ ] Noturno Mtriz Válid pr Ingressos prtir do no: 2015 té: Regime do Curso: [ x ] Semestrl / [ ] Anul Versão d Mtriz: Tempo Mínimo de Integrlizção: 10 semestres Dt de provção no CG: Tempo Máximo de Integrlizção: 15 semestres Documento legl do curso: Portri nº 735 de 27 de dezembro de Crg Horári Fix: ors Qudro Resumido por Ctegori / Grupo Crg Horári de Estágio Fixo: ors Crg Horári Eletiv: 540 ors Crg Horári de Estágio Eletivo: Crg Horári de Atividde Complementr: 120 ors Crg Horári de TCC: 02 ors Crg Horári Totl do Curso: ors Crg Horári ENADE: Códi go 1º Nome d UC Cte gori 2228 Cálculo I fix Fundmentos de Físic I fix 2234 Químic ds Trnsformções fix Químic ds Trnsformções Experimentl fix 2227 Biologi Celulr fix 2249 Estrutur d Mtéri fix 2969 Bioétic fix Te óri c 58 57, 6 Prá tic 14 14, 4 To tl Pré-Requisitos Códi go 2º Nome d UC Cte gori Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx: Te óri c Prá tic Fundmentos de Físic II fix Introdução à Químic Orgânic fix Físico-Químic fix Genétic fix Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e 2591 Sistems I (EFTOS I) fix To tl Pré-Requisitos Estrutur d Mtéri; Químic ds Trnsformções Químic ds Trnsformções 27

34 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Códi go 3º Termo Nome d UC Cte gori 2583 Bioesttístic fix 34 Químic Orgânic II fix 2590 Químic Orgânic Experimentl fix 2718 Bioquímic Integrd Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems II (EFTOS II) Frmáci Socil 3457 Genétic Humn fix fix fix Eletiv fix Te óri c 11 5,2 54 Prá tic 28, 8 54 To tl Pré-Requisitos Introdução à Químic Orgânic 10 8 Introdução à Químic Orgânic Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems I Genétic Códi go 4º Termo Nome d UC Químic Anlític Gerl Cte gori fix 2594 Químic Orgânic III fix 2711 Biologi Moleculr fix 2973 Ptologi Gerl fix 2963 Imunologi Básic fix 3147 Operções Unitáris fix Te óri c Prá tic To tl 54 Pré-Requisitos Químic ds Trnsformções Químic Orgânic II Genétic, Bioquímic Integrd Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems II Físico-Químic Códi go 5º Termo Nome d UC Frmcognosi I Cte gori fix 3181 Frmcologi I fix Fisioptologi Fix 29 Microbiologi Básic fix 2719 Prsitologi Básic fix Epidemiologi eletiv 3465 Gerl Te óri c Prá tic To tl Pré-Requisitos Introdução à Químic Orgânic Estrutur e Função de Órgãos, Tecidos e Sistems II Ptologi Gerl Biologi Celulr Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

35 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem 2974 Ciênci dos Alimentos fix Químic Anlític Gerl Experimentl fix Bioquímic Integrd Químic Anlític Gerl Códi go 6º Termo Nome d UC Análise Instrumentl I Frmcognosi II Tecnologi Frmcêutic I Cte gori fix fix fix 3151 Químic Frmcêutic I fix 3458 Frmcologi II fix Frmcoepidemiologi e Frmcovigilânci 4038 Primeiros Socorros fix Eletiv fix Te óri c Prá tic To tl Pré-Requisitos Químic Anlític Gerl Frmcognosi I Químic Orgânic III Frmcologi I Epidemiologi Gerl Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems II; Bioétic Códi go 7º Termo Nome d UC Cte gori 3455 Deontologi e Legislção Frmcêutic fix 3462 Químic Frmcêutic II fix Tecnologi Frmcêutic II Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I Análise Instrumentl II 3467 Frmcotécnic Homeopátic Controle de Qulidde Biológico e 3812 Microbiológico Tecnologi 3463 Fitofrmcêutic Gestão de Empress Frmcêutics 4100 Imunologi Clínic Educção 3508 Ambientl fix fix fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Te óri c Prá tic 16 To tl Pré-Requisitos Químic Frmcêutic I Tecnologi Frmcêutic I Microbiologi básic, Prsitologi básic e Imunologi Básic Químic Anlític Gerl, Químic Anlític Gerl Experimentl Tecnologi Frmcêutic II Microbiologi Básic Frmcognosi II Bioétic Imunologi Básic Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

36 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem 4101 Alimentos Funcionis 3813 Frmcoterpi Eletiv fix eletiv Ciêncis dos Alimentos Frmcologi II; Fisioptologi Códi go 8º Termo Nome d UC Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics Cte gori fix Te óri c 52 Prá tic 20 To tl Pré-Requisitos Frmcologi II Fisioptologi, Dispensção e Uso Rcionl de Medicmento fix 3554 Toxicologi Gerl fix Frmáci Clínic I 3816 Tecnologi Químico-Frmcêutic Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris II Análise de Alimentos 4099 Controle de Qulidde Físico-Químico Tecnologi de Alimentos 3509 Gestão Ambientl fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Frmcologi II, Deontologi e Legislção Frmcêutic Frmcologi I Frmcologi II Fisioptologi Químic Orgânic III Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I Ciêncis dos Alimentos; Análise Instrumentl I, Análise Instrumentl II Análise Instrumentl I, Análise Instrumentl II Ciêncis de Alimentos, Operções Unitáris Códi go 9º Termo Nome d UC 3809 Bioquímic Clínic 4093 Cosmetologi 4049 Cito-Hemtologi 3171 Controle d Poluição Ambientl 4096 Frmáci Hospitlr Desenvolvimento de Fármcos Frmáci Clínic II Cte gori Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Eletiv fix Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx: Te óri c Prá tic To tl 14 4 Pré-Requisitos Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics Tecnologi Frmcêutic II Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics Frmcoepidemiologi e Frmcovigilânci; Deontologi e legislção frmcêutic. Bioquímic Integrd Químic Orgânic III Físico-químic Frmáci Clínic I 4098 Análises Eletiv Toxicologi Gerl; Análise 30

37 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Toxicológics fix 6 Instrumentl I, Análise Instrumentl II Análise Sensoril de Alimentos Eletiv fix Ciêncis de Alimentos Códi go 10º Termo Nome d UC Cte gori Te óri c Prá tic To tl Pré-Requisitos 4342 ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO (1.025)* Códi go Nome d UC Cte gori 4816 Atividdes Complementres* fix 4596 Trblo de Conclusão de Curso (TCC)* fix Te óri c Prá tic To tl Pré-Requisitos * Vide norms ds comissões Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

38 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem MATRIZ CURRICULAR 2015 Noturno Curso: Frmáci Coordendor do Curso: Pulo R. R. Minrini Gru Conferido: [ x ] Bcrel [ ] Licencitur [ ] Tecnólogo Turno: [ x ] Integrl [ ] Mtutino [ ] Vespertino [ ] Noturno Mtriz Válid pr Ingressos prtir do no: 2015 té: Regime do Curso: [ x ] Semestrl / [ ] Anul Versão d Mtriz: Tempo Mínimo de Integrlizção: 12 semestres Dt de provção no CG: Tempo Máximo de Integrlizção: 21 semestres Documento legl do curso: Portri n 650 DE 10 de dezembro de Crg Horári Fix: ors Crg Horári Eletiv: 540 ors Crg Horári de Atividde Complementr: 120 ors Crg Horári Totl do Curso: ors Qudro Resumido por Ctegori / Grupo Crg Horári de Estágio Fixo: ors Crg Horári de Estágio Eletivo: Crg Horári de TCC: 02 ors Crg Horári ENADE: 1º Códi go Nome d UC Ctegori 2228 Cálculo I fix 2583 Bioesttístic fix 2249 Estrutur d Mtéri fix 2227 Biologi Celulr fix 2969 Bioétic fix Te óri c 57, 6 Pr áti c 14, 4 C H To t l Pré-Requisitos 2º Códi go Nome d UC Ctegori Fundmentos de Físic I fix 2234 Químic ds Trnsformções fix Químic ds Trnsformções Experimentl fix 2411 Genétic fix Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos 2591 e Sistems I (EFTOS I) fix Te óri c 58 Pr áti c 14 C H To t l 14 4 Pré-Requisitos Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

39 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem 3º Termo Códi go Nome d UC Ctegori Fundmentos de Físic II fix 2695 Introdução à Químic Orgânic fix 2592 Físico-Químic fix Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos 2718 e Sistems II (EFTOS II) fix Frmáci Socil fix 3457 Genétic Humn Eletiv fix Te óri c Pr áti c C H To t l Pré-Requisitos Estrutur d Mtéri; Químic ds Trnsformções 8 Químic ds Trnsformções 10 Estrutur e Função de 8 Tecidos, Órgãos e Sistems I Genétic 4º Termo Códi go Nome d UC Ctegori 34 Químic Orgânic II fix Químic Anlític Gerl Bioquímic Integrd fix fix 2973 Ptologi Gerl fix 3147 Operções Unitáris fix Te óri c 11 5,2 32 Pr áti c 28, 8 22 C H To t l Pré-Requisitos Introdução à Químic Orgânic Químic ds Trnsformções Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems II Físico-Químic 5º Termo Códi go Nome d UC Ctegori 2590 Químic Orgânic Experimentl fix Químic Anlític Gerl Experimentl Análise Instrumentl I fix fix 3181 Frmcologi I fix Te óri c Pr áti c C H To t l 10 8 Pré-Requisitos Introdução à Químic Orgânic Químic Anlític Gerl Químic Anlític Gerl Estrutur e Função de Órgãos, Tecidos e Sistems Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

40 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem II Fisioptologi 6º Termo Fix Códi go Nome d UC Ctegori 2594 Químic Orgânic III fix Análise Instrumentl II fix 2963 Imunologi Básic fix 2711 Biologi Moleculr fix 3458 Frmcologi II fix 4038 Primeiros Socorros Eletiv fix Te óri c Pr áti c C H To t l Ptologi Gerl Pré-Requisitos Químic Orgânic II Químic Anlític Gerl, Químic Anlític Gerl Experimentl Genétic, Bioquímic Integrd Frmcologi I Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems II; Bioétic 7º Termo Códi go Nome d UC Ctegori 3455 Deontologi e Legislção Frmcêutic fix 29 Microbiologi Básic fix 2719 Prsitologi Básic fix 2974 Ciênci dos Alimentos fix 3465 Epidemiologi Gerl eletiv Te óri c Frmcognosi I fix Gestão de Empress Frmcêutics Eletiv fix Pr áti c C H To t l Pré-Requisitos Biologi Celulr Bioquímic Integrd Introdução à Químic Orgânic Bioétic 8º Termo Códi go Nome d UC Ctegori Tecnologi Frmcêutic I fix Te óri c 52 Pr áti c 20 C H To t l Pré-Requisitos Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

41 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem 3151 Químic Frmcêutic I fix Frmcoepidemiologi e Frmcovigilânci fix 3554 Toxicologi Gerl fix Frmcognosi II fix Químic Orgânic III Epidemiologi Gerl Frmcologi I Frmcognosi I 9º Termo Códi go Nome d UC Ctegori 3462 Químic Frmcêutic II fix 3812 Tecnologi Frmcêutic II Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I Controle de Qulidde Biológico e Microbiológico fix fix Eletiv fix 3463 Tecnologi Fitofrmcêutic Eletiv fix 4100 Imunologi Clínic Eletiv fix 4101 Alimentos Funcionis Eletiv fix 3467 Frmcotécnic Homeopátic Eletiv fix Te óri c Pr áti c C H To t l 14 4 Pré-Requisitos Químic Frmcêutic I Tecnologi Frmcêutic I Imunologi Básic Microbiologi Básic Prsitologi Básic Microbiologi Básic Frmcognosi II Imunologi Básic Ciêncis dos Alimentos Tecnologi Frmcêutic II Educção Ambientl 3508 Eletiv fix 3813 Frmcoterpi Eletiv fix Frmcologi II; Fisioptologi 10º Termo Códi go Nome d UC Ctegori Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics fix Dispensção e Uso Rcionl de Medicmento Frmáci Clínic I fix fix 3816 Tecnologi Químico-Frmcêutic Eletiv fix Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris II Eletiv fix Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx: Te óri c Pr áti c C H To t l Pré-Requisitos Frmcologi II Fisioptologi, Frmcologi II, Deontologi e Legislção Frmcêutic Frmcologi II e Fisioptologi Químic Frmcêutic III Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I Eletiv fix Ciêncis dos Alimentos; 35

42 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Análise de Alimentos Análise Instrumentl I; Análise Instrumentl II 4099 Controle de Qulidde Físico-Químico Eletiv fix Análise Instrumentl I; Análise Instrumentl II 3509 Gestão Ambientl Eletiv fix 29 7 Tecnologi de Alimentos Eletiv fix Ciêncis de Alimentos, Operções Unitáris 11º Termo Códi go Nome d UC Ctegori 4093 Cosmetologi Eletiv fix 3171 Controle d Poluição Ambientl Eletiv fix 4049 Cito-Hemtologi Eletiv fix Análise Sensoril de Alimentos Frmáci Hospitlr Eletiv fix Eletiv fix Te óri c Desenvolvimento de Fármcos Eletiv fix Bioquímic Clínic Eletiv fix Análises Toxicológics Eletiv fix Pr áti c C H To t l Pré-Requisitos Tecnologi Frmcêutic II Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics Ciêncis dos Alimentos Frmcoepidemiologi e Frmcovigilânci; Deontologi e legislção frmcêutic. Bioquímic Integrd Químic Orgânic III Físico-Químic Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics Toxicologi Gerl; Análise Instrumentl I; Análise Instrumentl II Frmáci Clínic II Eletiv fix Frmáci Clínic I 12º Termo Códi go Nome d UC Ctegori Te óri c Pr áti c C H To t l Pré-Requisitos 4342 ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO (1.025)* Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

43 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Códi go Nome d UC Ctegori 4816 Atividdes Complementres* fix Trblo de Conclusão de Curso 4596 (TCC)* fix Te óri c Pr áti c C H To t l Pré-Requisitos * Vide norms ds comissões Além d mtriz curriculr dos ingressntes prtir de 2015, Comissão do Curso de Frmáci provou um mtriz de trnsição pr queles que já estão em curso, conforme se segue: MATRIZ DE TRANSIÇÃO PARA DISCENTES INGRESSANTES NO PERÍODO DE 2007 A 2014 Processo de Trnsição - Todos os lunos, independente do no de ingresso, deverão migrr pr o novo currículo do curso Frmáci; - Foi previst Mtriz de Trnsição pr lunos que ingressrm n Instituição té o no 2014; - O proveitmento entre UCs obrigtóris e eletivs condicionds do currículo ntigo e s novs do currículo novo será efetivdo conforme Qudros 1 e 2 pr lunos do período Integrl e Noturno, respectivmente; - As UCs do currículo ntigo serão vlidds conforme Qudros 1 e 2 pr lunos do período Integrl e Noturno, respectivmente. Qudro 1: Equivlêncis entre UCs d mtriz ntig e nov do curso Frmáci, período Integrl UC SITUAÇÃO TERM UC EQUIVALENTE SITUAÇÃO TERM OBSERVAÇÃO O O 1 TERMO Cálculo I Obrigtóri 1 Não ouve modificção Físic I Obrigtóri 2 Fundmentos de Físic I Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx: Obrigtóri 1 Alterção no nome d UC. Se cumprid, não verá necessidde de cursr UC que equivle. Se não cumprid, o luno deverá cursr UC equivlente citd. Geometri Anlític Obrigtóri 1 Geometri Anlític Eletiv Se cumprid, será 37

44 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem considerd Eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de cursá-l. Químic ds Trnsformções Obrigtóri Químic ds trnsformções Químic ds Obrigtóri Obrigtóri 1 1 Se cumprid, não verá necessidde Trnsformções Experimentl de cursr s UCs que equivle. Se não cumprid, o luno deverá cursr s 2 UCs equivlentes citds. Estrutur d Mtéri Obrigtóri 1 Não ouve modificção Biologi celulr Obrigtóri 1 Não ouve modificção Geologi Obrigtóri 1 Geologi Eletiv Se cumprid, será considerd Eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de cursá-l. 2 TERMO Cálculo II Obrigtóri 2 Cálculo II Eletiv Se cumprid, será considerd Eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de cursá-l. Físic II Obrigtóri 2 Fundmentos de Físic II Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx: Obrigtóri 2 Alterção no nome d UC e redução n. Se cumprid, não verá necessidde de cursr s UC que equivle. Se não cumprid, o luno deverá cursr UC equivlente citd. Álgebr Liner Obrigtóri 2 Álgebr Liner Eletiv Se cumprid, será considerd Eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de cursá-l. 38

45 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Introdução à Químic Orgânic Obrigtóri Não ouve modificção Bioquímic estruturl Obrigtóri 2 Bioquímic estruturl e metbólic Obrigtóri Se cumprid, será considerd Eletiv e o luno deverá cursr UC equivlente Bioquímic estruturl e metbólic. Se não cumprid, o luno deverá fzer Bioquímic estruturl e metbólic. Genétic Obrigtóri 2 Não ouve modificção Introdução à Ecologi Obrigtóri 2 Introdução à Ecologi Eletiv Se cumprid, será considerd Eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de cursá-l. 3 TERMO Bioesttístic Obrigtóri 3 Não ouve modificção Químic Anlític Qulittiv Obrigtóri Químic Anlític Gerl Obrigtóri 4 Se cumprid, não á obrigtoriedd e de cumprir equivlente. Se não cumprid, o luno deverá cursr UC equivlente citd Físico Químic Obrigtóri Físico Químic obrigtóri Modificção pens de Químic Orgânic II Obrigtóri 3 Não ouve modificção Bioquímic metbólic Obrigtóri Bioquímic metbólic e estruturl obrigtóri Se cumprid, será equivlente à UC Bioquímic estruturl e metbólic. Se não cumprid, o luno deverá cursr UC equivlente citd. Os conteúdos Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

46 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems I 4 TERMO Metodologi Científic Químic Anlític Quntittiv obrigtóri Introdução e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems I obrigtóri form unidos n UC Bioquímic estruturl e metbólic. Modificção pens de Obrigtóri 4 A UC será extint e o conteúdo distribuído ns UCs de Bioétic e Químic ds Trnsformçõe s Experimentis. Se cumprid, será considerd Eletiv. Obrigtóri Químic Anlític Gerl Experimentl Obrigtóri 5 Se cumprid, não á obrigtoriedd e de cumprir equivlente. Se não cumprid, o luno deverá cursr UC equivlente citd. Químic Orgânic Experimentl Obrigtóri Químic Orgânic Experimentl Obrigtóri Modificção pens de Químic Orgânic III Obrigtóri 4 Incorporção do conteúdo d UC Compostos Heterocíclicos. Biologi Moleculr Obrigtóri 4 Não á modificção Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems II obrigtóri Introdução e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems II obrigtóri Modificção pens de Imunologi Básic obrigtóri 4 Não á modificção 5 TERMO Bioétic Obrigtóri 5 Bioétic Obrigtóri 1 Modificção pens de Análise Instrumentl Obrigtóri Análise Instrumentl I Análise Instrumentl II Obrigtóri Obrigtóri 6 7 Se cumprid, não verá necessidde de cursr s UCs que equivle. Se Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

47 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Compostos Heterocíclicos Obrigtóri 5 Compostos Heterocíclicos não cumprid, o luno deverá cursr s 2 UCs equivlentes citds. Eletiv UC extint. Incorporção do conteúdo dest UC n de Químic Orgânic III. Se cumprid, será considerd eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de curs-l. Frmcobotânic Obrigtóri 5 54 Frmcognosi I Obrigtóri 5 Se cumprid, não verá necessidde de cumprir Frmcognosi I. Se não cumprid, equivlente deverá ser cursd. Microbiologi Básic Obrigtóri 5 Não á lterção Prsitologi Básic Obrigtóri 5 Não á lterção Ptologi Gerl Obrigtóri 5 54 Ptologi Gerl Obrigtóri 4 54 Modificção pens de Ciênci dos Alimentos Obrigtóri 5 Não á modificção 6 TERMO Operções Unitáris Obrigtóri 6 Operções Unitáris Obrigtóri 4 Modificção pens de Frmcognosi Obrigtóri Frmcotécnic I Obrigtóri 6 Tecnologi Frmcêutic I Frmcognosi II Obrigtóri 6 Se cumprid, não verá necessidde de cumprir Frmcognosi II. Se não cumprid, equivlente deverá ser cursd. Obrigtóri 6 Se cumprid, não verá necessidde de cumprir Tecnologi Frmcêutic I. Se não cumprid, Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

48 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Químic Frmcêutic I equivlente deverá ser cursd. Obrigtóri 6 Modificção somente no Pré-requisito. Deixrá de ser Compostos Heterocíclicos. Químic Orgânic III deve ser incorpord como Prérequisito n UC em questão.. Frmcologi I Obrigtóri 6 Frmcologi I Obrigtóri 5 Modificção pens de Fisioptologi I Obrigtóri 6 Fisioptologi Obrigtóri 5 Se cumprid, verá necessidde de cumprir Fisioptologi. Introdução às Análises Clínics 1 Obrigtóri 6 Se cumprid, será considerd Eletiv. A UC será extint e conteúdo distribuído ns UC Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I e Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics, que se tornrm obrigtóris. 1 Ingressntes de 2013 em dinte e/ou que não cursrm UC Introdução às Análises Clínics obrigtorimente deverão cursr s UCs Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I e Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics 7 TERMO Deontologi e Legislção Frmcêutic Obrigtóri 7 Não á modificção Frmcotécnic II Obrigtóri 7 Tecnologi Frmcêutic II Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx: Obrigtóri Mesmo sendo cumprid, verá necessidde de cursr UC Tecnologi Frmcêutic II. Se não cumprid, equivlente deverá ser 42

49 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem cursd. Químic Frmcêutic II Obrigtóri 7 Não á modificção Frmcologi II Obrigtóri 7 Frmcologi II Obrigtóri 6 Modificção pens de Fisioptologi II Obrigtóri 7 Fisioptologi Obrigtóri 5 UC extint. Conteúdo e Crg orári ssimild n UC Fisioptologi. Se cumprid, não verá necessidde de cumprir Fisioptologi. Se não cumprid, equivlente deverá ser cursd. Frmáci Homeopátic Eletiv condiciond 7 Frmcotécnic Homeopátic Eletiv condiciond 7 Alterção no nome d UC Tecnologi Fitofrmcêutic Gestão de Lbortório de Análises Clínics Gestão de Empress Frmcêutics Genétic Humn Dignóstico Lbortoril de Doençs Infeccioss e Prsitáris 2 Eletiv condiciond Eletiv condiciond Eletiv condiciond Eletiv condiciond Eletiv condiciond 7 Não á lterção 7 Gestão de Empress Frmcêutics Eletiv condiciond 7 UC extint. Conteúdo bsorvido n UC Gestão de Empress Frmcêutics. Se cumprid, será considerd como Eletiv. 7 Nest UC form introduzidos conteúdos referentes à Gestão de Lbortório de Análises Clínics. 7 Genétic Humn Eletiv condiciond Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris II A prtir do 3 Modificção de Obrigtóri 7 Se cumprid, não verá Eletiv condiciond 8 necessidde de cursr s UCs equivlentes. A UC Introdução às Análises Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

50 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Clínics será considerd como equivlente d UC Dignóstico Lbortoril de Doençs Infeccioss e Prsitáris I. O luno que cumpriu UC Introdução às Análises Clínic não terá que cumprir UC Dignóstico Lbortoril de Doençs Infeccioss e Prsitáris I. 2 Ingressntes de 2013 em dinte e/ou que não cursrm UC Introdução às Análises Clínics obrigtorimente deverão cursr s UCs Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I Primeiros Socorros Tecnologi de Alimentos Educção Ambientl Epidemiologi Gerl 3 Eletiv condiciond Eletiv condiciond Eletiv condiciond Eletiv condiciond 7 Primeiros Socorros Eletiv condiciond 7 Tecnologi de Alimentos Eletiv condiciond A prtir do 6 Alterção de somente 8 Alterção de somente 7 Não á modificção 7 Epidemiologi Gerl Obrigtóri 5 Tornou-se obrigtóri 3 Ingressntes de 2013 em dinte obrigtorimente deverão cursr UC Epidemiologi Gerl 8 TERMO Tecnologi Frmcêutic Obrigtóri Tecnologi Frmcêutic II Obrigtóri Modificção de. Frmáci Socil e Obrigtóri 8 Frmáci Socil Obrigtóri 3 Modificção Atenção de e Frmcêutic nome d UC Toxicologi Gerl Obrigtóri 8 54 Toxicologi Gerl Obrigtóri 8 Modificção de totl Tecnologi Químico- Frmcêutic Eletiv Condiciond Tecnologi Químico- Frmcêutic Eletiv Condiciond 8 Redução de Biotecnologi Frmcoterpi Controle de Qulidde Físico Químico Bioquímic Clínic 4 Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond 8 Biotecnologi Eletiv Tornou-se UC Eletiv 8 Não á lterção 8 Não á lterção Dignóstico de Doençs Metbólics Obrigtóri 8 Se cumprid, não verá Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

51 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem e Hemtológics necessidde Bioquímic Clínic Eletiv 9 de cursr s Condiciond UCs equivlentes. A UC Introdução às Análises Clínics será considerd como equivlente d UC Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics. O luno que cumpriu UC Introdução às Análises Clínic não terá que cumprir UC Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics. 4 Ingressntes de 2013 em dinte e/ou que não cursrm UC Introdução às Análises Clínics obrigtorimente deverão cursr UC Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics Cito-Hemtologi I Eletiv Condiciond 8 90 Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics Controle de Qulidde de Alimentos Gestão Ambientl Prátics Frmcêutics no SUS 9 TERMO Controle de Qulidde Biológico e Microbiológico Desenvolvimento de Fármcos Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond 8 54 Análise de Alimentos Eletiv Condiciond Obrigtóri 8 Prte do conteúdo foi incorpordo n UC Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics. Se cumprid, não verá necessidde de cumprir UC equivlente citd Somente lterção no nome d UC 8 Não á lterção 8 UC será extint. 9 Controle de Qulidde Biológico e Microbiológico 9 Desenvolvimento de Fármcos Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond 7 Modificção pens de 9 Redução de Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

52 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Cosmetologi Frmáci Clínic 5 Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Não á lterção 9 Frmáci Clínic I Obrigtóri 8 Se cumprid, Frmáci Clínic II Eletiv Condiciond 9 não verá necessidde de cursr UC obrigtóri equivlentes 5 Ingressntes de 2012 em dinte obrigtorimente deverão cursr UC Frmáci Clínic Cito-Hemtologi II Eletiv Condiciond 9 90 Cito-emtologi Eletiv Condiciond Análises Toxicológics Controle de Poluição Ambientl Imunologi Clínic Frmcoepidemiolog i e Frmcovigilânci 6 Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Análises Toxicológics Eletiv Condiciond 9 Alterção de nome d UC com redução de Redução de 9 Não á lterção 9 Imunologi Clínic Eletiv Condiciond 9 54 Frmcoepidemiolog i e Frmcovigilânci 7 Alterção de Obrigtóri 6 Tornou-se obrigtóri. 6 Ingressntes de 2013 em dinte obrigtorimente deverão cursr UC Frmcoepidemiologi e Frmcovigilânci Alimentos Funcionis Eletiv Condiciond 9 Alimentos Funcionis Eletiv Condiciond 7 Alterção de e diminuição de Uniddes Curriculres crids: Análise Sensoril de limentos Eletiv Condiciond 9 Anteriormente Considerd Eletiv Frmáci Hospitlr Eletiv Condiciond 9 Não existi ns mtrizes nteriores. Qudro 2: Equivlêncis entre UCs d mtriz ntig e nov do curso Frmáci, período Noturno UC SITUAÇÃO TERM UC EQUIVALENTE SITUAÇÃO TERM OBSERVAÇÃO O O 1 TERMO Cálculo I Obrigtóri 1 Não ouve modificção Geometri Anlític Obrigtóri 1 Geometri Anlític Eletiv Se cumprid, será considerd Eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de cursá-l. Estrutur d Mtéri Obrigtóri 1 Não ouve modificção Biologi celulr Obrigtóri 1 Não ouve Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

53 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem modificção Geologi Obrigtóri 1 Geologi Eletiv Se cumprid, será considerd Eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de cursá-l. 2 TERMO Físic I Obrigtóri 2 Fundmentos de Físic I Químic ds Trnsformções Obrigtóri Químic ds trnsformções Químic ds Trnsformções Experimentl Obrigtóri 2 Alterção no nome d UC. Se cumprid, não verá necessidde de cursr s UC que equivle. Se não cumprid, o luno deverá cursr UC equivlente citd. Obrigtóri 2 Se cumprid, não verá necessidde Obrigtóri 2 de cursr s UCs que equivle. Se não cumprid, o luno deverá cursr s 2 UCs equivlentes citds. Cálculo II Obrigtóri 2 Cálculo II Eletiv Se cumprid, será considerd Eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de cursá-l. Álgebr Liner Obrigtóri 2 Álgebr Liner Eletiv Se cumprid, será considerd Eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de cursá-l. Genétic Obrigtóri 2 Não ouve modificção 3 TERMO Físic II Obrigtóri 3 Fundmentos de Físic II Obrigtóri 3 Alterção no nome d UC e redução n. Se cumprid, não verá necessidde Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

54 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Introdução à Químic Orgânic Obrigtóri Bioquímic estruturl Obrigtóri 3 Bioquímic estruturl e metbólic Introdução à Ecologi Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx: Obrigtóri de cursr s UC que equivle. Se não cumprid, o luno deverá cursr UC equivlente citd. Não ouve modificção Se cumprid, será considerd Eletiv e o luno deverá cursr UC equivlente Bioquímic estruturl e metbólic. Se não cumprid, o luno deverá fzer Bioquímic estruturl e metbólic. Obrigtóri 3 Introdução à Ecologi Eletiv Se cumprid, será considerd Eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de cursá-l. Físico Químic Obrigtóri TERMO Químic Anlític Obrigtóri Qulittiv Físico Químic obrigtóri Não ouve modificção Químic Anlític Gerl Obrigtóri 4 Se cumprid, não á obrigtoriedd e de cumprir equivlente. Se não cumprid, o luno deverá cursr UC equivlente citd Químic Orgânic II Obrigtóri 4 Não ouve Bioquímic metbólic Obrigtóri Bioquímic Estruturl e Metbólic obrigtóri modificção Se cumprid, será equivlente à UC Bioquímic estruturl e metbólic. Se não cumprid, o luno deverá cursr UC equivlente 48

55 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems I 5 TERMO Metodologi Científic Químic Anlític Quntittiv obrigtóri Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems I obrigtóri citd. Os conteúdos form unidos n UC Bioquímic estruturl e metbólic. Modificção pens de Obrigtóri 5 A UC será extint e o conteúdo distribuído entre s UCs de Bioétic e Químic ds Trnsformçõe s Eperimentl. Se cumprid, será considerd Eletiv. Obrigtóri Químic Anlític Gerl Experimentl Obrigtóri 5 Se cumprid, não á obrigtoriedd e de cumprir equivlente. Se não cumprid, o luno deverá cursr UC equivlente citd. Obrigtóri Não á modificção Químic Orgânic Experimentl Obrigtóri Químic Orgânic Experimentl Químic Orgânic III Obrigtóri 5 Incorporção do conteúdo d UC Compostos Heterocíclicos. Alterd pr o 6º. Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems II obrigtóri Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sistems II obrigtóri Modificção pens de 6 TERMO Bioesttístic Obrigtóri 6 Bioesttístic Obrigtóri 1º Modificção pens de Biologi Moleculr Obrigtóri 6 Não á modificção Imunologi Básic obrigtóri 6 Não á modificção Bioétic Obrigtóri 6 Bioétic Obrigtóri 1 Modificção pens de Análise Instrumentl Obrigtóri Análise Instrumentl Obrigtóri 5 Se cumprid, Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

56 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Compostos Heterocíclicos I não verá Análise Instrumentl II Obrigtóri 6 necessidde de cursr s UCs que equivle. Se não cumprid, o luno deverá cursr s 2 UCs equivlentes citds. Obrigtóri 6 Compostos Eletiv UC extint. Heterocíclicos Incorporção do conteúdo dest UC n de Químic Orgânic III. Se cumprid, será considerd eletiv. Cso contrário, não verá obrigtoriedd e de curs-l. 7 TERMO Frmcobotânic Obrigtóri 7 54 Frmcognosi I Obrigtóri 7 Se cumprid, não verá necessidde de cumprir Frmcognosi I. Se não cumprid, equivlente deverá ser cursd. Microbiologi Básic Obrigtóri 7 Não á lterção Prsitologi Básic Obrigtóri 7 Não á lterção Ptologi Gerl Obrigtóri 7 54 Ptologi Gerl Obrigtóri 4 54 Modificção pens de Ciênci dos Alimentos Obrigtóri 7 Não á modificção Operções Unitáris Obrigtóri 7 Operções Unitáris Obrigtóri 4 Modificção pens de 8 TERMO Frmcognosi Obrigtóri Frmcotécnic I Obrigtóri 8 Tecnologi Frmcêutic I Frmcognosi II Obrigtóri 8 Se cumprid, não verá necessidde de cumprir Frmcognosi II. Se não cumprid, equivlente deverá ser cursd. Obrigtóri 8 Se cumprid, não verá Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

57 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Químic Frmcêutic I necessidde de cumprir Tecnologi Frmcêutic I. Se não cumprid, equivlente deverá ser cursd. Obrigtóri 8 Modificção somente no Pré-requisito. Deixrá de ser Compostos Heterocíclicos. Químic Orgânic III deve ser incorpord como Prérequisito n UC em questão. Frmcologi I Obrigtóri 8 Frmcologi I Obrigtóri 5 Modificção pens de Fisioptologi I Obrigtóri 8 Fisioptologi Obrigtóri 5 Se cumprid, verá necessidde de cumprir Fisioptologi. Introdução às Análises Clínics 1 Obrigtóri 8 Se cumprid, será considerd Eletiv. A UC será extint e conteúdo distribuído ns UC Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I e Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics, que se tornrm obrigtóris. 1 Ingressntes de 2012 em dinte e/ou que não cursrm UC Introdução às Análises Clínics obrigtorimente deverão cursr s UCs Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I e Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics 9 TERMO Deontologi e Legislção Frmcêutic Obrigtóri 9 Deontologi e Legislção Frmcêutic Frmcotécnic II Obrigtóri 9 Tecnologi Frmcêutic II Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx: Obrigtóri 7 Modificção pens de Obrigtóri Mesmo sendo cumprid, verá necessidde de cursr UC 51

58 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Tecnologi Frmcêutic II. Se não cumprid, equivlente deverá ser cursd. Químic Frmcêutic II Obrigtóri 9 Não á modificção Frmcologi II Obrigtóri 9 Frmcologi II Obrigtóri 6 Modificção pens de Fisioptologi II Obrigtóri 9 Fisioptologi Obrigtóri 5 UC extint. Conteúdo e Crg orári ssimild n UC Fisioptologi. Se cumprid, não verá necessidde de cumprir Fisioptologi. Se não cumprid, equivlente deverá ser cursd. Frmáci Homeopátic Tecnologi Fitofrmcêutic Gestão de Lbortório de Análises Clínics Gestão de Empress Frmcêutics Genétic Humn Dignóstico Lbortoril de Doençs Infeccioss Eletiv condiciond Eletiv condiciond Eletiv condiciond Eletiv condiciond Eletiv condiciond Eletiv condiciond 9 Frmcotécnic Homeopátic Eletiv condiciond 9 Alterção no nome d UC 9 Não á lterção 9 Gestão de Empress Frmcêutics 9 Gestão de Empress Frmcêutics Eletiv condiciond Eletiv condiciond 9 Genétic Humn Eletiv condiciond Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I 7 UC extint. Conteúdo bsorvido n UC Gestão de Empress Frmcêutics. Se cumprid, será considerd como Eletiv. 7 Nest UC form introduzidos conteúdos referentes à Gestão de Lbortório de Análises Clínics. A prtir do 3 Modificção de Obrigtóri 9 Se cumprid, não verá necessidde Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

59 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem e Prsitáris 2 Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris II Eletiv condiciond 10 de cursr s UCs equivlentes. A UC Introdução às Análises Clínics será considerd como equivlente d UC Dignóstico Lbortoril de Doençs Infeccioss e Prsitáris I. O luno que cumpriu UC Introdução às Análises Clínic não terá que cumprir UC Dignóstico Lbortoril de Doençs Infeccioss e Prsitáris I. 2 Ingressntes de 2012 em dinte e/ou que não cursrm UC Introdução às Análises Clínics obrigtorimente deverão cursr s UCs Dignóstico de Doençs Infeccioss e Prsitáris I Primeiros Socorros Tecnologi de Alimentos Educção Ambientl Epidemiologi Gerl 3 Eletiv condiciond Eletiv condiciond Eletiv condiciond Eletiv condiciond 9 Primeiros Socorros Eletiv condiciond 9 Tecnologi de Alimentos Eletiv condiciond A prtir do 6 Alterção de somente 10 Alterção de somente 9 Não á modificção 9 Epidemiologi Gerl Obrigtóri 7 Tornou-se obrigtóri 3 Ingressntes de 2012 em dinte obrigtorimente deverão cursr UC Epidemiologi Gerl 10 TERMO Tecnologi Frmcêutic Obrigtóri Tecnologi Frmcêutic II Obrigtóri Modificção de. Frmáci Socil e Obrigtóri 10 Frmáci Socil Obrigtóri 3 Modificção Atenção de e Frmcêutic nome d UC Toxicologi Gerl Obrigtóri Toxicologi Gerl Obrigtóri 8 Modificção de totl Tecnologi Químico- Frmcêutic Tecnologi Químico- Frmcêutic 10 Redução de Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

60 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Biotecnologi Frmcoterpi Controle de Qulidde Físico Químico Bioquímic Clínic 4 Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx: Biotecnologi Eletiv Tornou-se UC Eletiv 10 Não á lterção 10 Não á lterção Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics Bioquímic Clínic Obrigtóri 10 Se cumprid, não verá Eletiv Condiciond 11 necessidde de cursr s UCs equivlentes. A UC Introdução às Análises Clínics será considerd como equivlente d UC Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics. O luno que cumpriu UC Introdução às Análises Clínic não terá que cumprir UC Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics. 4 Ingressntes de 2012 em dinte e/ou que não cursrm UC Introdução às Análises Clínics obrigtorimente deverão cursr UC Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics Cito-Hemtologi I Eletiv Condiciond Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics Controle de Qulidde de Alimentos Gestão Ambientl Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Análise de Alimentos Eletiv Condiciond Obrigtóri 10 Prte do conteúdo foi incorpordo n UC Dignóstico de Doençs Metbólics e Hemtológics. Se cumprid, não verá necessidde de cumprir UC equivlente citd Somente lterção no nome d UC 10 Não á lterção 54

61 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Prátics Frmcêutics no SUS 11 TERMO Controle de Qulidde Biológico e Microbiológico Desenvolvimento de Fármcos Cosmetologi Frmáci Clínic 5 Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond 10 UC será extint. 11 Controle de Qulidde Biológico e Microbiológico 11 Desenvolvimento de Fármcos Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond 9 Modificção pens de 11 Redução de Não á lterção 11 Frmáci Clínic I Obrigtóri 10 Se cumprid, Frmáci Clínic II Eletiv Condiciond 11 não verá necessidde de cursr UC obrigtóri equivlente. 5 Ingressntes de 2011 em dinte obrigtorimente deverão cursr UC Frmáci Clínic I Cito-Hemtologi II Eletiv Condiciond Cito-emtologi Eletiv Condiciond Análises Toxicológics Controle de Poluição Ambientl Imunologi Clínic Frmcoepidemiolog i e Frmcovigilânci 6 Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Eletiv Condiciond Análises Toxicológics Eletiv Condiciond 11 Alterção de nome d UC com redução de Redução de 11 Não á lterção 11 Imunologi Clínic Eletiv Condiciond Frmcoepidemiolog i e Frmcovigilânci 9 Alterção de Obrigtóri 8 Tornou-se obrigtóri. 6 Ingressntes de 2012 em dinte obrigtorimente deverão cursr UC Frmcoepidemiologi e Frmcovigilânci Alimentos Funcionis Eletiv Condiciond 11 Alimentos Funcionis Eletiv Condiciond 9 Alterção de e diminuição de Uniddes Curriculres crids: Análise Sensoril de limentos Eletiv Condiciond 11 Anteriormente Considerd Eletiv Frmáci Hospitlr Eletiv Condiciond 11 Não existi ns mtrizes nteriores. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

62 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES EFETUADAS NA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA Tendo em vist que os processos de crição dos cursos de grdução são grdtivos e estão sujeitos dequções o longo de su implntção, mtriz curriculr do curso de Frmáci pssou, desde su crição, por lgums lterções, tnto no turno integrl qunto noturno. Tis lterções não resultrm em lterção do perfil do profissionl ser formdo, ssim como ds biliddes e competêncis definids pr os mesmos. PERÍODO INTEGRAL Os ingressntes do no de 2007 e 2008 do turno integrl ingressrm em mtrizes curriculres de e ors, respectivmente, pouco superior prticd n Mtriz Curriculr 2009 Integrl de ors. Est lterção de crg orári deu-se, principlmente, devido um processo de dequção d crg orári totl ds uniddes curriculres do curso no finl do no de 2008, tendo em vist que neste período foi definido que pssrim ser considerds 18 semns letivs, o invés de 20 semns letivs, como feito nteriormente. Deste modo, observndo s mtrizes curriculres de 2007 e 2008 é possível notr crg orári totl ds UCs do 1º o 4º s (Mtriz 2007) e 1º e 2º s (Mtriz 2008) como múltiplos de 20. Ao contrário, s UCs prtir do 5º (Mtriz 2007), 3º (Mtriz 2008) e tod Mtriz 2009, crg orári totl ds UCs são múltiplos de 18. Abixo são listds s lterções ocorrids relcionds dequção de conteúdo progrmático, mudnç de de oferecimento e fusão de UCs. As lterções decorrentes d contgem de 18 e não mis 20 semns não form presentds n listgem por se trtr de um lterção gerl. UC/ Mtriz 2007 UC/ Mtriz 2008 UC/ Mtriz 2009 Resumo ds lterções e justifictivs Químic ds Trnsformções I e II (120 cd), 1º e 2º s, respectivmente Químic ds Trnsformções (200 ), 1º. Químic ds Trnsformções (180 ), 1º. Houve junção do conteúdo progrmátic ds dus uniddes curriculres em um únic UC, que pssou ser oferecid somente no primeiro letivo. Considerndo importânci dos conteúdos de Químic ds Químic ds Orgânic I e II (80 cd), 1º e 2º s, respectivmente Introdução à Químic Orgânic (120 ) no 2º e Químic Orgânic II ( ) no 3º Introdução à Químic Orgânic (108 ) no 2º e Químic Orgânic II ( ) no 3º Trnsformções pr Químic Orgânic, ouve crição d UC de Introdução à Químic Orgânic no 2º e Químic Orgânic II pssou ser oferecid no 3º, com dequção de crg orári. Houve lterção de de oferecimento Estrutur d Mtéri (80 ), 1º Estrutur d Mtéri (60 ), 1º Estrutur d Mtéri ( ), 1º Houve dequção de conteúdo. Ecologi de Introdução à Ecologi Introdução à Ecologi Houve lterção d nomencltur Ecossistems (80 ), 1º (80 ), 2º ( ), 2º d UC e dequção de conteúdo. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

63 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Houve lterção de de oferecimento Geologi (80 ), 2º Geologi (80 ), 1º Geologi ( ), 1º Houve lterção de de oferecimento Diminuição d crg orári totl Genétic (120 ), 2º Genétic ( ), 2º Genétic ( ), 2º d UC devido redequção de conteúdo. Reformulção de conteúdo, eliminção d UC de Biologi dos Biologi dos Tecidos (80 Estrutur e Função de Estrutur e Função de Tecidos e junção ds uniddes ), 3º e Estrutur Órgãos, Tecidos e Órgãos, Tecidos e curriculres, com dequção d e Função de Órgãos e Sistems I e II (144 e Sistems I e II (144 e crg orári, permitindo ministrr Sistems I e II (80 108, respectivmente), 108, respectivmente), os conteúdos d Histologi, cd), 3º e 4º s 3º e 4º s 3º e 4º s Antomi e Fisiologi de mneir integrd. Químic Orgânic Químic Orgânic Químic Orgânic Redução de crg orári semnl Experimentl (160 ), Experimentl (108 ), 4º Experimentl (108 ), 4º (de 8 /semn pr 6 /semn) 4º Químic Orgânic III (80 Químic Orgânic III ( Químic Orgânic III ( Houve lterção de de ), 3º ), 4º ), 4º oferecimento Compostos Compostos Heterocíclicos Compostos Heterocíclicos Houve lterção de de Heterocíclicos (40 ), 4º ( ), 5º ( ); 5º oferecimento Inversão d ordem de oferecimento dests dus UCs de cráter básico, Prsitologi Básic (80 ) e Imunologi Básic (80 ), 4º e 5º s, Imunologi Básic ( ) e Prsitologi Básic ( ); 4º e 5º s, Imunologi Básic ( ) e Prsitologi Básic ( ), 4º e 5º s, tendendo solicitção dos docentes envolvidos e considerndo que os conteúdos d Imunologi Básic respectivmente respectivmente respectivmente são fundmentis pr o entendimento d relção prsitospedeiro. PERÍODO NOTURNO Tmbém o curso oferecido no turno noturno pssou por lterções desde su propost inicil, ests mis significtivs. Inicilmente o curso noturno foi crido com o nome de Ciêncis Químics e Frmcêutics (CQF) e propun um entrd únic de 100 lunos que posteriormente frim opção por um de dus crreirs, Frmáci ou Químic Industril. Este orgnizção curriculr foi propost em tendimento às diretrizes do Plno de Reestruturção e Expnsão ds Universiddes Federis (REUNI), s quis privilegivm o oferecimento de cursos com estrutur curriculr que evitsse escol precoce d profissão. O Curso noturno, inicilmente com est configurção, começou ser oferecido em 2009 com um Mtriz Curriculr de ors pr formção em Frmáci. Este possuí durção de 11 semestres, Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

64 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem sendo que 04 semestres compunm um Ciclo Comum entre s dus crreirs tendids. Como o integrl, o noturno tmbém previ relizção de Estágio Curriculr Supervisiondo Obrigtório, Trblo de Conclusão de Curso e Atividdes Complementres. Tmbém neste cso o perfil do profissionl ser formdo, sus biliddes e competêncis são os mesmos já pontdos pr queles que cursm Mtriz Curriculr 2009 Integrl, descrit neste Projeto Pedgógico de Curso. Devido às limitções encontrds no registro do Curso de Ciêncis Químics e Frmcêutics com um únic entrd e, posteriormente, divisão em dus crreirs distints, sem, no entnto, o oferecimento de titulção intermediári, optou-se por encerrr o curso com entrd únic, sendo este desmembrdo em dois cursos independentes: Frmáci e Químic Industril. Aos ingressntes de 2009 foi dd opção de escol do curso que desejv seguir, sem estbelecer qulquer restrição relciondo o número de vgs. Um vez que os ingressntes 2009 já cursvm o segundo do curso, foi plnejdo e presentdo os lunos um nov Mtriz Curriculr que pssrim cursr em 2010, gor como Curso de Frmáci. Após extinção do ciclo básico profissionliznte de dois nos, ouve necessidde de váris redequções e um Mtriz Curriculr de dptções foi propost. Nest mtriz de dptções, lgums UCs form trocds de semestre pr permitir comodção dequd e crg orári totl semnl de, no máximo 24 ors (4 em 6 dis/semn). Após 2010, um Mtriz Curriculr com s mesms UCs do curso integrl foi propost, diferencindo, entretnto, n comodção ds UCs nos semestres letivos (12 no totl), devido menor crg orári semnl n grde orári do curso noturno. A mtriz propost presentv 03 s de dptção e prtir do sexto (segundo semestre de 2011) Mtriz Curriculr torn-se equivlente Mtriz Curriculr 2010 Noturno. Abixo são listds s lterções ocorrids relcionds dequção de conteúdo progrmático, mudnç de de oferecimento e fusão de UCs. UC/ Mtriz Ciêncis Químics e Frmcêutics UC/ Mtriz Frmáci ADAPTAÇÃO UC/ Mtriz Frmáci Resumo ds lterções e justifictivs Álgebr Liner ( ), Álgebr Liner ( ), 1º Álgebr Liner ( ), 2º Houve lterção de de 1º oferecimento Químic ds Trnsformções (180 ), 1º Químic ds Trnsformções (180 ), 1º Químic ds Trnsformções (180 ), 2º Houve lterção de de oferecimento Metodologi Científic Metodologi Científic ( Metodologi Científic Houve lterção de de ( ), 1º ), 1º ( ), 5º oferecimento Esttístic e Bioesttístic ( ), 2º Esttístic e Bioesttístic ( ), 2º Bioesttístic ( ), 6º Houve dequção de conteúdo e lterção de de oferecimento Introdução à Químic Orgânic (108 ), 2º Introdução à Químic Orgânic (108 ), 2º Introdução à Químic Orgânic (108 ), 3º Houve lterção de de oferecimento Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

65 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem UC elimind do curso noturno por não possuir Químic Inorgânic ( ), 2º correspondente no curso integrl. A crg orári d UC poderá ser proveitd como UC eletiv. Biologi Celulr (108 ), Biologi Celulr (108 ), 2º Biologi Celulr (108 ), Houve lterção de de 2º 1º oferecimento Geologi ( ), 3º Geologi ( ), 3º Entrd de UC pertencente o Ciclo Básico (comum entre os períodos integrl e noturno) Genétic ( ), 5º Genétic ( ), 3º Genétic ( ), 2º Houve lterção de de oferecimento Químic Orgânic II ( Químic Orgânic II ( ), Químic Orgânic II ( Houve lterção de de ), 3º 3º ), 4º oferecimento Químic Anlític Qulittiv (108 ), 3º Químic Anlític Qulittiv (108 ), 4º Químic Anlític Qulittiv (108 ), 4º Houve lterção de de oferecimento UC elimind do curso Seminários pr Atução Profissionl ( ), 1º noturno por não possuir correspondente no curso integrl. A crg orári d UC poderá ser proveitd como UC eletiv. UC elimind do curso noturno por não possuir Físic III ( ), 4º correspondente no curso integrl. A crg orári d UC poderá ser proveitd como UC eletiv. Introdução à Ecologi ( ), 5º Introdução à Ecologi ( ), 3º Entrd de UC pertencente o Ciclo Básico (comum entre os períodos integrl e noturno) Químic Orgânic Experimentl (108 ), 4º Químic Orgânic Experimentl (108 ), 5º Químic Orgânic Experimentl (108 ), 5º Houve lterção de de oferecimento Químic Orgânic III ( Químic Orgânic II ( ), Químic Orgânic II ( Houve lterção de de ), 4º 5º ), 5º oferecimento Químic Anlític Quntittiv (108 ), 4º Químic Anlític Quntittiv (108 ), 5º Químic Anlític Quntittiv (108 ), 5º Houve lterção de de oferecimento Estrutur e Função de Órgãos, Tecidos e Sistems I (144 ), 5º Estrutur e Função de Órgãos, Tecidos e Sistems I (144 ); 4º Estrutur e Função de Órgãos, Tecidos e Sistems I (144 ); 4º Houve lterção de de oferecimento Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

66 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Estrutur e Função de Órgãos, Tecidos e Sistems II (108 ), 6º Estrutur e Função de Órgãos, Tecidos e Sistems II (108 ), 5º Estrutur e Função de Órgãos, Tecidos e Sistems II (108 ), 5º Houve lterção de de oferecimento Bioétic ( ), 5º Bioétic ( ), 5º Houve lterção de de oferecimento Compostos Heterocíclicos ( ), 5º Compostos Heterocíclicos ( ), 6º Houve lterção de de oferecimento Análise Instrumentl (144 ), 5º Análise Instrumentl (144 ), 6º Houve lterção de de oferecimento Imunologi Básic ( ), 5º Imunologi Básic ( ), 6º Houve lterção de de oferecimento A prtir do sexto pr os ingressntes em 2009 (Mtriz Ciêncis Químics e Frmcêutics 2009) pss-se seguir, regulrmente, mtriz curriculr propost em 2010 (Mtriz Frmáci noturno 2010). As Mtrizes Curriculres plicds os ingressntes de 2007, 2008 e 2009 do turno integrl e 2009 e 2010 do turno noturno, serão presentds logo bixo. HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES DE CARGA HORÁRIA ESTÁGIO Por fim, em diligênci do Ministério d Educção trvés d Secretri de Regulção e Supervisão d Educção Superior SERES / Diretori de Regulção d Educção Superior DIREG, de 18/06/2012, pontou-se necessidde de correção d crg orári de Estágio Supervisiondo pr, no mínimo, 20% d crg orári totl do Curso, conforme recomend Resolução CNE/CES nº 2, de 19/02/2002 que estbelece s Diretrizes Curriculres Ncionis pr os cursos de Frmáci. Neste sentido, buscou-se tender recomendção promovendo s lterções de crg orári de Estágio Supervisiondo e consequentemente crg orári totl do Curso, conforme citdo nos qudros de 1 4. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

67 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Qudro 1. Adequção de Crg orári de Estágio Supervisiondo pr Mtriz Curriculr turno integrl no 2007 do Curso de Frmáci d Unifesp/cmpus Didem. Mtriz Curriculr Turno Integrl no 2007 Atividde Acdêmic Apresentd em 08/01/2012 Crg orári Percentul de () crg orári (%) Adequd em 03/07/2012 Crg Percentul de orári () crg orári (%) Unidde Curriculr Fix , ,01 Unidde Curriculr Eletiv , ,07 Atividdes Complementres 120 2, ,92 Estágio Supervisiondo , ,00 TOTAL , ,00 Qudro 2. Adequção de Crg orári de Estágio Supervisiondo pr Mtriz Curriculr turno integrl no 2008 do Curso de Frmáci d Unifesp/cmpus Didem. Mtriz Curriculr Turno Integrl no 2008 Apresentd em 08/01/2012 Adequd em 03/07/2012 Atividde Acdêmic Crg orári Percentul de Crg Percentul de () crg orári (%) orári () crg orári (%) Unidde Curriculr Fix , ,56 Unidde Curriculr Eletiv , ,46 Atividdes Complementres 120 2, ,98 Estágio Supervisiondo , ,00 TOTAL , ,00 Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

68 Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Qudro 3. Adequção de Crg orári de Estágio Supervisiondo pr Mtriz Curriculr turno integrl no 2009 e turno noturno no 2010 do Curso de Frmáci d Unifesp/cmpus Didem. Mtriz Curriculr Turno Integrl no 2009 e Turno Noturno no 2010 Apresentd em 08/01/2012 Adequd em 03/07/2012 Atividde Acdêmic Crg orári Percentul de Crg Percentul de () crg orári (%) orári () crg orári (%) Unidde Curriculr Fix , ,12 Unidde Curriculr Eletiv , ,84 Atividdes Complementres 120 2, ,04 Estágio Supervisiondo , ,00 TOTAL , ,00 Qudro 4. Adequção de Crg orári de Estágio Supervisiondo pr Mtriz Curriculr turno noturno no 2009 do Curso de Frmáci d Unifesp/cmpus Didem. Mtriz Curriculr Turno Noturno no 2009 Apresentd em 08/01/2012 Adequd em 03/07/2012 Atividde Acdêmic Crg orári Percentul de Crg Percentul de () crg orári (%) orári () crg orári (%) Unidde Curriculr Fix , ,23 Unidde Curriculr Eletiv , ,74 Atividdes Complementres 120 2, ,02 Estágio Supervisiondo , ,01 TOTAL , ,00 Abixo são presentds s Mtrizes Curriculres 2007, 2008 e 2009, Turno Integrl, e Mtrizes Curriculres 2009 e 2010, Turno Noturno, que sofrerm dptções e encontrm-se em processo de extinção. Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

69 1º Termo (680 ) Cálculo I (80) Físic I (80) Geometri Anlític (40) Químic ds Trnsformçõ es I (120) Químic Orgânic I (80) Estrutur d Mtéri (80) Biologi Celulr (120) Ecologi de Ecossistems (80) 2º Termo (680 ) Cálculo II (80) Físic II (80) Álgebr Liner (40) Químic ds Trnsformçõ es II (120) Químic Orgânic II (80) Bioquímic Estruturl (80) Genétic (120) Geologi (80) MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA 3º Termo (680 ) Bioesttístic (80) Químic Anlític Qulittiv (120) Físico Químic (120) Químic Orgânic III (80) Bioquímic Metbólic (120) Estrutur e Função de Órgãos Sist. I (80) Biologi dos Tecidos (80) (período integrl ingresso em 2007) 4º Termo (600 ) Metodologi Científic (40) Químic Anlític Quntittiv (120) Químic Orgânic Experimentl (160) Compostos Heterocíclicos (40) Biologi Moleculr (80) Estrutur e Função de Órgãos,e Sist. II (80) Prsitologi Básic (80) 5º Termo (504 ) Bioétic () Análise Instrumentl (144) Frmco botânic (54) Microbiologi Básic () Imunologi Básic () Ptologi Gerl (54) Ciêncis dos Alimentos () 6º Termo (504 ) Operções Unitáris () Frmcognosi (144) Frmcotécni c I () Químic Frmcêutic I () Frmcologi I () Fisioptologi I () Introdução às Análises Clínics () 7º Termo ( ) Deontologi e Legislção Frmcêutic () Frmcologi II () Fisioptologi II () 8º Termo ( ) A crg orári mínim totl em Eletivs (756 ) deverá ser cumprid prtir do 7 o. Distribuição sugerid de 180, Frmcotécni c I I () Químic Frmcêutic II () Toxicologi Gerl (54) 9º Termo 10º Termo (0 ) A crg orári do Estágio Curriculr supervisiondo obrigtório (1.253 ) deverá ser cumprid prtir do 8º. Mínimo de 25% em Atenção Frmcêutic. Tecnologi Frmcêutic (108) Frmáci Socil e Atenção Frmcêutic Uniddes Curriculres Obrigtóris Fixs: 4134 Unidde Curriculres Obrigtóris Eletivs: 756 Estágio Curriculr Supervisiondo: Atividdes Complementres: 120 Crg Horári Totl do Curso: Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

70 7º Termo (sugestão: 180 ) Frmáci Homeopátic () Gestão de Lb. de Análises Clínics () Genétic Humn () Primeiros Socorros () ELENCO DE UNIDADES CURRICULARES ELETIVAS Tecnologi Fitofrm cêutic () Gestão de Empress Frmcêutic s () Dignóstico Lbortoril Doençs Inf. e Prsitáris Tecnologi de Alimentos () Educção Ambientl () Epidemiologi Gerl () MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA 8º Termo (sugestão: 216 ) Tecnologi Químico- Frmcêutic (108) Frmcoterp i () Bioquímic Clínic (108) Controle de Qulidde de Alimentos (54) (período integrl ingresso em 2007) Biotecnologi () Controle de Qulidde Físico- Químico () Cito- Hemtologi I (90) Gestão Ambientl () Prátics Frmcêutic s no SUS () 9º Termo (sugestão: 0 ) Controle de Qulidde Biol. e Microbiológic Cosmetologi (144) Cito- Hemtologi II (90) Controle d Poluição Ambientl () Frmcoepid. e Frmcovigilânci (54) Desenvolv. de Fármcos () Frmáci Clínic () Análises Toxicológics (144) Imunologi Clínic () Alimentos Funcionis () OBSERVAÇÕES O luno deverá cumprir ors de Estágio Curriculr Supervisiondo prtir do 8º, sendo que um mínimo de 25% dest crg orári deve ser cumprid em Atenção Frmcêutic (Frmáci Públic, Frmáci Hospitlr, SUS etc) (verificr Normtizção pr Estágios Curriculres Supervisiondos). O luno deverá eleger uniddes curriculres que complementem su formção em diferentes áres de tução do profissionl Frmcêutico. Deverão ser cumprids, no mínimo, 756 ors em uniddes curriculres obrigtóris eletivs entre o 7º e 9º s. A distribuição sugerid é 180, 216 e 0, respectivmente, ms é fcultd o luno construção de seu itinerário formtivo complementr diferencido (verificr Normtizção pr Uniddes Curriculres Eletivs). O luno deverá cumprir, no mínimo, 120 ors em Atividdes Complementres, em pelo menos qutro ctegoris diferentes (verificr Normtizção pr Atividdes Complementres). O Trblo de Conclusão de Curso deverá ser presentdo no finl do 9º ou do 10º s (verificr Normtizção pr Trblos de Conclusão de Curso). Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

71 1º Termo (660 ) Cálculo I (80) Físic I (80) Geometri Anlític (40) Químic ds Trnsformçõ es (200) Estrutur d Mtéri (60) Biologi Celulr (120) 2º Termo (600 ) Cálculo II (80) Físic II (80) Álgebr Liner (40) Introdução Químic Orgânic (120) Bioquímic Estruturl (80) Genétic (120) Geologi (80) Introdução à Ecologi (80) MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA 3º Termo (612 ) Bioesttístic () Químic Anlític Qulittiv (108) Físico Químic (108) Químic Orgânic II () Bioquímic Metbólic (108) Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sist. (período integrl ingresso em 2008) 4º Termo (576 ) Metodologi Científic () Químic Anlític Quntittiv (108) Químic Orgânic Experimentl (108) Químic Orgânic III () Biologi Moleculr () Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Imunologi Básic () 5º Termo (540 ) Bioétic () Análise Instrumentl (144) Compostos Heterocíclicos () Frmco botânic (54) Microbiologi Básic () Prsitologi Básic () Ptologi Gerl (54) Ciêncis dos Alimentos () 6º Termo (504 ) Operções Unitáris () Frmcognosi (144) Frmcotécni c I () Químic Frmcêutic I () Frmcologi I () Fisioptologi I () Introdução às Análises Clínics () 7º Termo ( ) 8º Termo ( ) A crg orári mínim totl em Eletivs (756 ) deverá ser cumprid prtir do 7 o. Distribuição sugerid de 180, Deontologi e Legislção Frmcêutic () Frmcotécni c I I () Químic Frmcêutic II () Frmcologi II () Fisioptologi II () 9º Termo 10º Termo (0 ) A crg orári do Estágio Curriculr supervisiondo obrigtório (1.214 ) deverá ser cumprid prtir do 8º. Mínimo de 25% em Atenção Frmcêutic. Tecnologi Frmcêutic (108) Frmáci Socil e Atenção Frmcêutic Toxicologi Gerl (54) Uniddes Curriculres Obrigtóris Fixs: 3978 Unidde Curriculres Obrigtóris Eletivs: 756 Estágio Curriculr Supervisiondo: Atividdes Complementres: 120 Crg Horári Totl do Curso: Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

72 7º Termo (sugestão: 180 ) Frmáci Homeopátic () Gestão de Lb. de Análises Clínics () Genétic Humn () Primeiros Socorros () MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA ELENCO DE UNIDADES CURRICULARES ELETIVAS Tecnologi Fitofrm cêutic () Gestão de Empress Frmcêutic s () Dignóstico Lbortoril Doençs Inf. e Prsitáris Tecnologi de Alimentos () Educção Ambientl () Epidemiologi Gerl () 8º Termo (sugestão: 216 ) Tecnologi Químico- Frmcêutic (108) Frmcoterp i () Bioquímic Clínic (108) Controle de Qulidde de Alimentos (54) (período integrl ingresso em 2008) Biotecnologi () Controle de Qulidde Físico- Químico () Cito- Hemtologi I (90) Gestão Ambientl () Prátics Frmcêutic s no SUS () 9º Termo (sugestão: 0 ) Controle de Qulidde Biol. e Microbiológic Cosmetologi (144) Cito- Hemtologi II (90) Controle d Poluição Ambientl () Frmcoepid. e Frmcovigilânci (54) Desenvolv. de Fármcos () Frmáci Clínic () Análises Toxicológics (144) Imunologi Clínic () Alimentos Funcionis () OBSERVAÇÕES O luno deverá cumprir ors de Estágio Curriculr Supervisiondo prtir do 8º, sendo que um mínimo de 25% dest crg orári deve ser cumprid em Atenção Frmcêutic (Frmáci Públic, Frmáci Hospitlr, SUS etc) (verificr Normtizção pr Estágios Curriculres Supervisiondos). O luno deverá eleger uniddes curriculres que complementem su formção em diferentes áres de tução do profissionl Frmcêutico. Deverão ser cumprids, no mínimo, 756 ors em uniddes curriculres obrigtóris eletivs entre o 7º e 9º s. A distribuição sugerid é 180, 216 e 0, respectivmente, ms é fcultd o luno construção de seu itinerário formtivo complementr diferencido (verificr Normtizção pr Uniddes Curriculres Eletivs). O luno deverá cumprir, no mínimo, 120 ors em Atividdes Complementres, em pelo menos qutro ctegoris diferentes (verificr Normtizção pr Atividdes Complementres). O Trblo de Conclusão de Curso deverá ser presentdo no finl do 9º ou do 10º s (verificr Normtizção pr Trblos de Conclusão de Curso). Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

73 1º Termo (612 ) Cálculo I () Físic I () Geometri Anlític () Químic ds Trnsformçõ es (180) Estrutur d Mtéri () Biologi Celulr (108) 2º Termo (504 ) Cálculo II () Físic II () Álgebr Liner () Introdução Químic Orgânic (108) Bioquímic Estruturl () Genétic () Geologi () Introdução à Ecologi () MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA 3º Termo (612 ) Bioesttístic () Químic Anlític Qulittiv (108) Físico Químic (108) Químic Orgânic II () Bioquímic Metbólic (108) Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Sist. (período integrl ingresso prtir de 2009) 4º Termo (576 ) Metodologi Científic () Químic Anlític Quntittiv (108) Químic Orgânic Experimentl (108) Químic Orgânic III () Biologi Moleculr () Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Imunologi Básic () 5º Termo (540 ) Bioétic () Análise Instrumentl (144) Compostos Heterocíclicos () Frmco botânic (54) Microbiologi Básic () Prsitologi Básic () Ptologi Gerl (54) Ciêncis dos Alimentos () 6º Termo (504 ) Operções Unitáris () Frmcognosi (144) Frmcotécni c I () Químic Frmcêutic I () Frmcologi I () Fisioptologi I () Introdução às Análises Clínics () 7º Termo ( ) 8º Termo ( ) 9º Termo 10º Termo (0 ) A crg orári mínim totl em Eletivs (756 ) deverá ser cumprid prtir do 7 o. Distribuição sugerid de 180, 216 e 0 do 7º o 9º, respectivmente. Deontologi e Legislção Frmcêutic () Frmcotécni c I I () Químic Frmcêutic II () Frmcologi II () Fisioptologi II () A crg orári do Estágio Curriculr supervisiondo obrigtório (1.178 ) deverá ser cumprid prtir do 8º. Mínimo de 25% em Atenção Frmcêutic. Tecnologi Frmcêutic (108) Frmáci Socil e Atenção Frmcêutic Toxicologi Gerl (54) Uniddes Curriculres Obrigtóris Fixs: 3834 Unidde Curriculres Obrigtóris Eletivs: 756 Estágio Curriculr Supervisiondo: Atividdes Complementres: 120 Crg Horári Totl do Curso: Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

74 7º Termo (sugestão: 180 ) Frmáci Homeopátic () Gestão de Lb. de Análises Clínics () Genétic Humn () Primeiros Socorros () MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA (período integrl ingresso prtir de 2009) ELENCO DE UNIDADES CURRICULARES ELETIVAS (distribuição sugerid e sujeit lterções) Tecnologi Fitofrm cêutic () Gestão de Empress Frmcêutic s () Dignóstico Lbortoril Doençs Inf. e Prsitáris (144) Tecnologi de Alimentos () Educção Ambientl () Epidemiologi Gerl () 8º Termo (sugestão: 216 ) Tecnologi Químico- Frmcêutic (108) Frmcoterp i () Bioquímic Clínic (108) Controle de Qulidde de Alimentos (54) Biotecnologi () Controle de Qulidde Físico- Químico () Cito- Hemtologi I (90) Gestão Ambientl () Prátics Frmcêutic s no SUS () 9º Termo (sugestão: 0 ) Controle de Qulidde Biol. e Microbiológic o () Cosmetologi (144) Cito- Hemtologi II (90) Controle d Poluição Ambientl () Frmcoepid. e Frmcovigilânci (54) Desenvolv. de Fármcos () Frmáci Clínic () Análises Toxicológics (144) Imunologi Clínic () Alimentos Funcionis () OBSERVAÇÕES O luno deverá cumprir ors de Estágio Curriculr Supervisiondo prtir do 8º, sendo que um mínimo de 25% dest crg orári deve ser cumprid em Atenção Frmcêutic (Frmáci Públic, Frmáci Hospitlr, SUS etc) (verificr Normtizção pr Estágios Curriculres Supervisiondos). O luno deverá eleger uniddes curriculres que complementem su formção em diferentes áres de tução do profissionl Frmcêutico. Deverão ser cumprids, no mínimo, 756 ors em uniddes curriculres obrigtóris eletivs entre o 7º e 9º s. A distribuição sugerid é 180, 216 e 0, respectivmente, ms é fcultd o luno construção de seu itinerário formtivo complementr diferencido (verificr Normtizção pr Uniddes Curriculres Eletivs). O luno deverá cumprir, no mínimo, 120 ors em Atividdes Complementres, em pelo menos qutro ctegoris diferentes (verificr Normtizção pr Atividdes Complementres). O Trblo de Conclusão de Curso deverá ser presentdo no finl do 9º ou do 10º s (verificr Normtizção pr Trblos de Conclusão de Curso). Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

75 1º Termo (432 ) Cálculo I () Álgebr Liner () Geometri Anlític () Químic ds Trnsformç ões (180) Estrutur d Mtéri () Metodologi Científic () 2º Termo (504 ) Cálculo II () Físic I () Esttístic e Bioesttístic () Introdução Químic Orgânic (108) Químic Inorgânic () Biologi Celulr (108) MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA 3º Termo (468 ) Físic II () Físico- Químic (108) Químic Orgânic II () Químic Anlític Qulittiv (108) Bioquímic Estruturl () Seminários pr Atução Profissionl () (período noturno ingresso prtir de 2009) 4º Termo (468 ) Físic III () Químic Orgânic Experimentl (108) Químic Orgânic III () Químic Anlític Quntittiv (108) Bioquímic Metbólic (108) CIÊNCIAS QUÍMICAS E FARMACÊUTICAS 5º Termo (504 ) Bioétic () Compostos Heterocíclico s () Análise Instrumentl (144) Genétic () Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Imunologi Básic () 6º Termo (504 ) Frmco botânic (54) Prsitologi Básic () Microbiologi Básic () Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Ptologi Gerl (54) Biologi Moleculr () Ciêncis dos Alimentos () 7º Termo (504 ) Operções Unitáris () Frmcognos i (144) Frmcotécni c I () Frmcologi I () Químic Frmcêutic I () Fisioptologi I () Introdução às Análises Clínics () 8º Termo ( Frmcotécni c II () 9º Termo ( º Termo (414 ) A crg orári mínim totl em Eletivs (756 ) deverá ser cumprid o Deontologi e Legislção Frmcêutic () Frmcologi II () Químic Frmcêutic II () Fisioptologi II () Uniddes Curriculres Obrigtóris Fixs: 3870 Unidde Curriculres Obrigtóris Eletivs: º Termo A crg orári do Estágio Curriculr supervisiondo obrigtório (1.187 ) deverá ser cumprid prtir do 9º. Mínimo de 25% em Atenção Frmcêutic. Tecnologi Frmcêutic (108) Frmáci Socil e Atenção Frmcêutic Toxicologi Gerl (54) Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

76 8º Termo (sugestão: 108 ) Frmáci Homeopátic () Gestão de Lb. de Análises Clínics () Genétic Humn () Primeiros Socorros () MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA ELENCO DE UNIDADES CURRICULARES ELETIVAS (distribuição sugerid e sujeit lterções) Tecnologi Fitofrm cêutic () Gestão de Empress Frmcêutic s () Dignóstico Lbortoril Doençs Inf. e Prsitáris Tecnologi de Alimentos () Educção Ambientl () Epidemiologi Gerl () 9º Termo (sugestão: 234 ) Tecnologi Químico- Frmcêutic (108) Frmcoterp i () Bioquímic Clínic (108) Controle de Qulidde de Alimentos (54) (período noturno ingresso em 2009) Biotecnologi () Controle de Qulidde Físico- Químico () Cito- Hemtologi I (90) Gestão Ambientl () Prátics Frmcêutic s no SUS () 10º Termo (sugestão: 414 ) Controle de Qulidde Biol. e Microbiológic Cosmetologi (144) Cito- Hemtologi II (90) Controle d Poluição Ambientl () Frmcoepid. e Frmcovigilânci (54) Desenvolv. de Fármcos () Frmáci Clínic () Análises Toxicológics (144) Imunologi Clínic () Alimentos Funcionis () OBSERVAÇÕES O luno deverá cumprir ors de Estágio Curriculr Supervisiondo prtir do 9º, sendo que um mínimo de 25% dest crg orári deve ser cumprid em Atenção Frmcêutic (Frmáci Públic, Frmáci Hospitlr, SUS etc) (verificr Normtizção pr Estágios Curriculres Supervisiondos). O luno deverá eleger uniddes curriculres que complementem su formção em diferentes áres de tução do profissionl Frmcêutico. Deverão ser cumprids, no mínimo, 756 ors em uniddes curriculres obrigtóris eletivs entre o 8º e 10º s. A distribuição sugerid é 108, 234 e 414, respectivmente, ms é fcultd o luno construção de seu itinerário formtivo complementr diferencido (verificr Normtizção pr Uniddes Curriculres Eletivs). O luno deverá cumprir, no mínimo, 120 ors em Atividdes Complementres, em pelo menos qutro ctegoris diferentes (verificr Normtizção pr Atividdes Complementres). O Trblo de Conclusão de Curso deverá ser presentdo no finl do 9º ou do 10º s (verificr Normtizção pr Trblos de Conclusão de Curso). Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

77 1º Termo (432 ) Cálculo I () Álgebr Liner () Geometri Anlític () Químic ds Trnsformçõ es (180) Estrutur d Mtéri () Metodologi Científic () 2º Termo (504 ) Cálculo II () Físic I () Esttístic e Bioesttístic () Introdução Químic Orgânic (108) Químic Inorgânic () Biologi Celulr (108) CQF crg orári cumprid durnte o no letivo de 2009 MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA Adptção d Mtriz Curriculr pr os ingressntes no Ciclo Básico ds Ciêncis Químics e Frmcêutics no no de º Termo (468 ) Físic II () Químic Orgânic II () Físico- Químic (108) Bioquímic Estruturl () Geologi () Genétic () 4º Termo (432 ) Químic Anlític Qulittiv (108) Químic Orgânic III () Bioquímic Metbólic (108) Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e 5º Termo (432 ) Químic Anlític Quntittiv (108) Químic Orgânic Experimentl (108) Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Introdução à Ecologi () A prtir do 6º, mtriz permnece idêntic à propost pr os ingressntes em Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

78 1º Termo (0 ) Cálculo I () Geometri Anlític () Estrutur d Mtéri () Biologi Celulr (108) Geologi () 2º Termo (432 ) Cálculo II () Físic I () Álgebr Liner () Químic ds Trnsformç ões (180) Genétic () MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA 3º Termo (432 ) Físic II () Introdução Químic Orgânic (108) Físico- Químic (108) Bioquímic Estruturl () Introdução à Ecologi () (período noturno ingresso prtir de 2010) 4º Termo (432 ) Químic Anlític Qulittiv (108) Químic Orgânic II () Bioquímic Metbólic (108) Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e 5º Termo (432 ) Químic Anlític Quntittiv (108) Químic Orgânic III () Químic Orgânic Experimentl (108) Estrutur e Função de Tecidos, Órgãos e Metodologi Científic () 6º Termo (432 ) Análise Instrumentl (144) Compostos Heterocíclico s () Imunologi Básic () Biologi Moleculr () Bioétic () Bioesttístic () 7º Termo (396 ) Frmco botânic (54) Operções Unitáris () Microbiologi Básic () Prsitologi Básic () Ptologi Gerl (54) Ciêncis dos Alimentos () 8º Termo (432 ) Frmcogno si (144) Frmcotécn ic I () Frmcologi I () Químic Frmcêutic I () Fisioptologi I () Introdução às Análises Clínics () 9º Termo ( ) 10º Termo ( ) A crg orári mínim totl em Eletivs (756 ) deverá ser cumprid prtir do 7 o. Distribuição sugerid de 108, 234 Frmcotécn ic II () Frmcologi II () Químic Frmcêutic II () Fisioptologi II () Deontologi e Legislção Frmcêutic () Tecnologi Frmcêutic (108) Frmáci Socil e Atenção Frmcêutic Toxicologi Gerl (54) Uniddes Curriculres Obrigtóris Fixs: 3834 Unidde Curriculres Obrigtóris Eletivs: 756 Estágio Curriculr Supervisiondo: Atividdes Complementres: 120 Crg Horári Totl do Curso: º Termo (414 ) 12º Termo A crg orári do Estágio Curriculr Supervision do Obrigtório (1.178 ) deverá ser cumprid prtir do 10º. Mínimo de 25% em Atenção Frmcêutic. Ministério d Educção Universidde Federl de São Pulo Pró-Reitori de Grdução Curso de Frmáci cmpus Didem Ru Prof. Artur Ridel, 275 Didem, SP, Brsil CEP Telefone: ; Fx:

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 004/2012 UNEMAT A, no uso de sus tribuições legis e em cumprimento ds norms prevists no rtigo

Leia mais

Ter formação mínima em nível superior comprovada que atenda a formação acadêmica ou formação ou vinculação em programa de

Ter formação mínima em nível superior comprovada que atenda a formação acadêmica ou formação ou vinculação em programa de ANEXO II EDITAL Nº 04/2014 2 º PRORROGAÇÃO PARA VAGAS REMANESCENTES QUADRO DE VAGAS REMANESCENTES PARA O PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE PROFESSORES PESQUISADORES FORMADORES ÁREA DA PESQUISA EMENTA EIXO

Leia mais

Plano de Gestão 2012-2015

Plano de Gestão 2012-2015 Plno de Gestão 202-205 - Cmpus UFV - Florestl - Grdução Missão: Promover polítics de incentivo à pesquis, pós-grdução, inicição científic e cpcitção de recursos humnos, objetivndo excelênci do Cmpus Florestl

Leia mais

Vo t a ç ão TEXTO DO CONGRESSO. PROPOSTA DO GOVERNO / Partidos da Base PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO E / OU ATEMPA / SIMPA

Vo t a ç ão TEXTO DO CONGRESSO. PROPOSTA DO GOVERNO / Partidos da Base PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO E / OU ATEMPA / SIMPA PROPOSTA DO GOVERNO / Prtidos d Bse PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO do Governo (Mensgem Retifictiv) E / OU ATEMPA / SIMPA Vo t ç ão TEXTO DO CONGRESSO Diverss estrtégis pr tingir s mets Emend 1- exclui

Leia mais

Área de Conhecimento ARTES. Período de Execução. Matrícula. Telefone. (84) 8112-2985 / ramal: 6210

Área de Conhecimento ARTES. Período de Execução. Matrícula. Telefone. (84) 8112-2985 / ramal: 6210 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROGRAMA DE APOIO INSTITUCIONAL À EXTENSÃO PROJETOS DE EXTENSÃO EDITAL 01/014-PROEX/IFRN Os cmpos sombredos

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS MATO GROSSO

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS MATO GROSSO PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS MATO GROSSO Objetivo 1: Grntir prioridde técnic, polític e finnceir pr ções de enfrentmento do HIV/DST voltds

Leia mais

PROGRAMA: ESTUDOS AVANÇADOS EM LIDERANÇA CRISTÃ (IGREJA BATISTA DO MORUMBI)

PROGRAMA: ESTUDOS AVANÇADOS EM LIDERANÇA CRISTÃ (IGREJA BATISTA DO MORUMBI) PROGRAMA: ESTUDOS AVANÇADOS EM LIDERANÇA CRISTÃ (IGREJA BATISTA DO MORUMBI) 1) Servo de Cristo e legislção vigente O Servo de Cristo respeitndo legislção vigente, ns orientções do MEC em seu Precer nº

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA a CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE MEIO AMBIENTE, URBANISMO E PATRIMÔNIO CULTURAL

ESTADO DO MARANHÃO MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA a CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE MEIO AMBIENTE, URBANISMO E PATRIMÔNIO CULTURAL 1 N O T A T É C N I C A N º. 0 0 3 / 2 0 0 7 Análise ds demnds identificds ns udiêncis públics do Plnejmento Estrtégico. Construção de plnejmento. 1 JUSTIFICATIVA Após relizção de seis udiêncis públics

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turm K) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Celso Mnuel Lim Docente Celso Mnuel

Leia mais

1.8 Não será permitida a inscrição simultânea em mais de 2 (dois) componentes curriculares a serem lecionados no mesmo período.

1.8 Não será permitida a inscrição simultânea em mais de 2 (dois) componentes curriculares a serem lecionados no mesmo período. VISO PÚBLICO Nº 04/UNOESC-R/2015 O Reitor d Universidde do Oeste de Snt Ctrin Unoesc, Unoesc Virtul, entidde educcionl, crid pel Lei Municipl nº 545/68 e estruturd de direito privdo, sem fins lucrtivos,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL MISSÃO DO CURSO O Curso Superior de Tecnologi em Automção Industril do Centro Universitário Estácio Rdil de São Pulo tem

Leia mais

4. ESTRUTURA GERAL DO SISTEMA EDUCACIONAL

4. ESTRUTURA GERAL DO SISTEMA EDUCACIONAL 4. ESTRUTURA GERAL DO SISTEMA EDUCACIONAL 4.1 A ESTRUTURA DO SISTEMA EDUCACIONAL A tul estrutur e funcionmento d educção brsileir decorre d provção d Lei de Diretrizes e Bses d Educção (Lei n.º 9.394/96),

Leia mais

Escola SENAI Theobaldo De Nigris

Escola SENAI Theobaldo De Nigris Escol SENAI Theobldo De Nigris Conteúdos borddos nos cursos de Preservção 2011 1) CURSO ASSISTENTE DE CONSERVAÇÃO PREVENTIVA (362h) I Étic e históri n conservção (72h): 1. Étic e históri d Conservção/Resturo

Leia mais

Educação Ambiental na Comunidade Escolar no Entorno do Parque Natural Municipal do Paragem*

Educação Ambiental na Comunidade Escolar no Entorno do Parque Natural Municipal do Paragem* Educção Ambientl n Comunid Escolr no Entorno do Prque Nturl Municipl do Prgem* 1 ALMEIDA, Grciel Gonçlves ; ARENDT, Krine Sles; LIRA, Elinlv Silv ; MACEDO, Gbriel Zcris; VIEIRA, An Pul. Plvrs-chve: Meio

Leia mais

A ÁGUA COMO TEMA GERADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA

A ÁGUA COMO TEMA GERADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA A ÁGUA COMO TEMA GERADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA AUTORES: AMARAL, An Pul Mgno; NETO, Antônio d Luz Cost. E-MAIL: mgno_n@yhoo.com.br; ntonioluzneto@gmil.com INTRODUÇÃO Sendo um desfio ensinr químic pr

Leia mais

WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Paulo/SP

WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Paulo/SP WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Pulo/SP PNRS E O WASTE-TO-ENERGY Definições do Artigo 3º - A nov ordenção básic dos processos Ordem de prioriddes do Artigo 9º

Leia mais

Pró-Reitoria de Recursos Humanos EDITAL Nº. 01/2014 - PRORH/CCDP VAGAS EM CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO

Pró-Reitoria de Recursos Humanos EDITAL Nº. 01/2014 - PRORH/CCDP VAGAS EM CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO Pró-Reitori de Recursos Humnos EDITAL Nº. 01/2014 - PRORH/CCDP VAGAS EM CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO A Pró-Reitori de Recursos Humnos d Universidde Federl de Juiz de For, no uso de sus tribuições e, em cumprimento

Leia mais

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso.

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso. TERMO DE ADESÃO A POLITICA DE INSCRIÇÃO NOS EVENTOS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM 9ª. JORNADA BRASILEIRA DE ENFERMAGEM GERIÁTRICA E GERONTOLÓGICA TEMA CENTRAL: A interfce do cuiddo de enfermgem

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA Código: 164 Município: PALMITAL Áre de conhecimento: Ciêncis d Nturez, Mtemátic e sus Tecnologis Componente Curriculr: FÍSICA

Leia mais

PLANO ANUAL DE TRABALHO

PLANO ANUAL DE TRABALHO PLANO ANUAL DE TRABALHO DE ARAUCÁRIA 06 smed@rucri.pr.gov.br 1 1. APRESENTAÇÃO O Conselho Municipl de Educção CME de Arucári, crido nos termos d Lei Municipl nº 1.527/04, de 02 de novembro de 04, é o órgão

Leia mais

Liberdade de expressão na mídia: seus prós e contras

Liberdade de expressão na mídia: seus prós e contras Universidde Estdul de Cmpins Fernnd Resende Serrdourd RA: 093739 Disciplin: CS101- Métodos e Técnics de Pesquis Professor: Armndo Vlente Propost de Projeto de Pesquis Liberdde de expressão n mídi: seus

Leia mais

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama.

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama. Crtilh Explictiv Segurnç pr quem você m. Bem-vindo, novo prticipnte! É com stisfção que recebemos su desão o Fmíli Previdênci, plno desenhdo pr oferecer um complementção de posentdori num modelo moderno

Leia mais

Carta Convite para Seleção de Preceptores. Desenvolvimento de Competência Pedagógica para a prática da Preceptoria na Residência Médica

Carta Convite para Seleção de Preceptores. Desenvolvimento de Competência Pedagógica para a prática da Preceptoria na Residência Médica ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MÉDICA (ABEM) Av. Brsil, 4036 sls 1006/1008 21040-361 Rio de Jneiro-RJ Tel.: (21) 2260.6161 ou 2573.0431 Fx: (21) 2260.6662 e-mil: rozne@bem-educmed.org.br Home-pge: www.bem-educmed.org.br

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA : 15 Mnutenção e Revitlizção do Ensino Infntil FUNDEB 40% 1. Problem: O município possui pens dus escol que oferece ensino infntil e não tende tod demnd.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO - UEMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG COODERNAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG EDITAL Nº17/2014 PPG/CPG/UEMA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO - UEMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG COODERNAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG EDITAL Nº17/2014 PPG/CPG/UEMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO - UEMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG COODERNAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG EDITAL Nº17/2014 PPG/CPG/UEMA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO

GABINETE DO PREFEITO ESTDO D PRIB PREFEITUR MUNICIPL DE LGO SEC GBINETE DO PREFEITO Lei nº 117/20, de 31 de dezembro de 20 INSTITUI O CENTRO DE TENÇÃO PSICOSSOCIL NO MUNICÍPIO DE LGO SEC-PB, CRI CRGOS DE PROVIMENTO EFETIVO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA 1 - Ddos do Proponente 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F

Leia mais

Catálogo de Cursos de Graduação da FAP 1

Catálogo de Cursos de Graduação da FAP 1 Ctálogo de Cursos de Grdução d FAP 1 SUMÁRIO 1 DADOS CADASTRAIS 03 1.1 ENTIDADE MANTENEDORA 03 1.2 INSTITUIÇÃO 03 2 DIRIGENTES 04 2.1 DIRETORA GERAL 04 2.2 DIRETOR ACADËMICO 04 2.3 DIRETORA ADMINISTRATICA

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: ETEC ANHANQUERA Município: Sntn de Prníb Áre de Conhecimento: : Proteção e Prevenção Componente Curriculr: LNR Legislção e Norms Regulmentodors

Leia mais

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG 1 - DADOS DO PROPONENTE 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F 1.9- Telefone 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P

Leia mais

Vem aí, novo curso no Icesp/Promove

Vem aí, novo curso no Icesp/Promove Aem n S Informe Icesp Semnl Ano IV nº 49 11/04/2014 Vem í, novo curso no Icesp/Promove A prtir do segundo semestre de 2014, o ICESP Promove de Brsíli brirá inscrições pr o curso de Tecnologi em Construção

Leia mais

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU 1 ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU EDITAL UFU/PREFE/044/2010 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO(A) A Pró-reitori de Grdução d Universidde Federl de Uberlândi, mprd no rtigo 248 ds Norms de Grdução

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA Código: 164 Município: PALMITAL Áre de conhecimento: Ciêncis d Nturez, Mtemátic e sus Tecnologis Componente Curriculr: FÍSICA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA. Projeto Pedagógico CURSO DE ENGENHARIA FÍSICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA. Projeto Pedagógico CURSO DE ENGENHARIA FÍSICA Projeto Pedgógico CURSO DE ENGENHARIA FÍSICA ENGENHARIA FÍSICA SUMÁRIO PROJETO PEDAGÓGICO...1 INTRODUÇÃO...5 Histórico d UNILA...8 Histórico do Curso de Engenhri Físic...10 Justifictiv...11 Formção do

Leia mais

II NÚMERO DE VAGAS: As vagas serão oferecidas em cada disciplina optativa de acordo com a disponibilidade institucional do Programa.

II NÚMERO DE VAGAS: As vagas serão oferecidas em cada disciplina optativa de acordo com a disponibilidade institucional do Programa. Av. Fernndo Ferrri, 514 Vitóri ES CEP: 29.075-910 Cmpus de Goibeirs Tel/Fx: +55 (27) 4009-7657 E-mil: ppghis.ufes@hotmil.com http://www.histori.ufes.br/ppghis EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS A ALUNO ESPECIAL

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO. DISCIPLINA: OPERAÇÕES TÉCNICAS DE RECEÇÃO (12º Ano Turma M)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO. DISCIPLINA: OPERAÇÕES TÉCNICAS DE RECEÇÃO (12º Ano Turma M) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO DISCIPLINA: (12º Ano Turm M) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Teres Sous Docente Teres Bstos Ano Letivo 2015/2016 Competêncis

Leia mais

Considerando a necessidade de contínua atualização do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores - PROCONVE;

Considerando a necessidade de contínua atualização do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores - PROCONVE; http://www.mm.gov.br/port/conm/res/res97/res22697.html Pge 1 of 5 Resoluções RESOLUÇÃO Nº 226, DE 20 DE AGOSTO DE 1997 O Conselho Ncionl do Meio Ambiente - CONAMA, no uso ds tribuições que lhe são conferids

Leia mais

COPEL INSTRUÇÕES PARA CÁLCULO DA DEMANDA EM EDIFÍCIOS NTC 900600

COPEL INSTRUÇÕES PARA CÁLCULO DA DEMANDA EM EDIFÍCIOS NTC 900600 1 - INTRODUÇÃO Ests instruções têm por objetivo fornecer s orientções pr utilizção do critério pr cálculo d demnd de edifícios residenciis de uso coletivo O referido critério é plicável os órgãos d COPEL

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015. Etec Profª Ermelinda Giannini Teixeira

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015. Etec Profª Ermelinda Giannini Teixeira Coorden http://www.etecermelind.com.br/etec/sis/ptd_tec_6.php 1 de 5 18/09/2015 12:45 Unidde de Ensino Médio e Técnico Cetec Ensino Técnico Integrdo o Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plno de Trblho Docente

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA (versão Preliminar)

PLANO DE AÇÃO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA (versão Preliminar) PLANO DE AÇÃO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA (versão Preliminr) PLANO DE AÇÃO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DIREITOS HUMANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA Governo do Estdo de Rorim Secretri Estdul

Leia mais

Chamada Pública MCT/FINEP/SEBRAE Ação Transversal - Cooperação ICTs / Empresas - 10/2005 LINHA 1

Chamada Pública MCT/FINEP/SEBRAE Ação Transversal - Cooperação ICTs / Empresas - 10/2005 LINHA 1 LINH 1 Prot. Elet. Ref. Título do Projeto Proponente / Executor / Projeto Nome Executor UF 1 2984/05 PL TECNOLOGI VNÇD PR PEDR CRIRI FCPCCENTECPLTPCRI INSTITUTO CENTRO DE ENSINO TECNOLÓGICO 3 3235/05 E

Leia mais

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se . Logritmos Inicilmente vmos trtr dos ritmos, um ferrment crid pr uilir no desenvolvimento de cálculos e que o longo do tempo mostrou-se um modelo dequdo pr vários fenômenos ns ciêncis em gerl. Os ritmos

Leia mais

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra Serviços de Acção Socil d Universidde de Coimbr Serviço de Pessol e Recursos Humnos O que é o bono de fmíli pr crinçs e jovens? É um poio em dinheiro, pgo menslmente, pr judr s fmílis no sustento e n educção

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ESOLA SEUNDÁRIA DR. JOAQUIM DE ARVALHO, FIGUEIRA DA FOZ PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015-2016 [Escrev texto] Págin 0 B I B L I O T E A E S O L A R PLANO ANUAL DE TRABALHO/ATIVIDADES A urrículo, litercis

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria Acadêmica Setor de Pesquisa

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria Acadêmica Setor de Pesquisa FORMULÁRIO PARA INSCRIÇÃO DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Coordenção/Colegido o(s) qul(is) será vinculdo: Engenhris Curso (s) : Engenhris Nome do projeto: MtLb Aplicdo n Resolução de Sistems Lineres.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RELATÓRIO DE GESTÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RELATÓRIO DE GESTÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RELATÓRIO DE GESTÃO 2005 DIRIGENTES REITOR CÍCERO MAURO FIALHO RODRIGUES VICE-REITOR ANTÔNIO JOSÉ DOS SANTOS PEÇANHA PRÓ-REITORA DE ASSUNTOS ACADÊMICOS

Leia mais

Relatório de atividades. Abril / 2011 a Janeiro / 2014. A Coordenação de Convênios e Contratos da UFG/CAC está vinculada à direção do

Relatório de atividades. Abril / 2011 a Janeiro / 2014. A Coordenação de Convênios e Contratos da UFG/CAC está vinculada à direção do Reltório de tividdes Abril / 2011 Jneiro / 2014 A d UFG/CAC está vinculd à direção do Câmpus e, posteriormente, o Setor de Convênios e Contrtos do Gbinete d Reitori. Tem como função intermedir s relções

Leia mais

A Activar centrará a sua ação em CINCO eixos de intervenção fundamentais:

A Activar centrará a sua ação em CINCO eixos de intervenção fundamentais: ACTIVAR EM 2015 PLANO DE INTERVENÇÃO ANUAL INTRODUÇÃO: A Animção de um território depende do conjunto de tores existentes e de cordo com missão de cd um deles. É fundmentl que exist um efetiv cooperção

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA Código: 164 Município: PALMITAL Áre de conhecimento: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curriculr: EDUCAÇÃO E CIDADANIA

Leia mais

Eleições Diretório Acadêmico Fisioterapia

Eleições Diretório Acadêmico Fisioterapia Eleições Está berto o período de inscrição pr s novs chps do Diretório Acdêmico - Gestão 2015 Inscrições: dos dis 17 29 de gosto de 2015 somente pelo e-mil: fisioufu.d.@gmil.com A votção será relizd nos

Leia mais

Ilha Solteira, 17 de janeiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013

Ilha Solteira, 17 de janeiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013 Nossos prceiros Pel trnsprênci e qulidde d plicção dos recursos públicos Ilh Solteir, 17 de jneiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013 Ao Exmo. Sr. Alberto dos Sntos Júnior Presidente d Câmr Municipl de Ilh

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO DISCIPLINA: Comercilizr e Vender (10.º Ano) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Celso Mnuel Lim Docente Mri do Crmo Mendes Ano Letivo 2013/2014 Competêncis Geris

Leia mais

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA:

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: CESUMAR CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: POLÍTICAS E NORMAS DE OPERACIONALIZAÇÃO MARINGÁ 2005 CESUMAR CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ REITOR Professor Wilson de Mtos Silv VICE-REITOR

Leia mais

ESTRATÉGIA e-sus ATENÇÃO BÁSICA

ESTRATÉGIA e-sus ATENÇÃO BÁSICA NOTA TÉCNICA 07 2013 ESTRATÉGIA e-sus ATENÇÃO BÁSICA E SISTEMA DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE DA ATENÇÃO BÁSICA - SISAB Brsíli, 19 de bril de 2013 (tulizd em julho de 2013 com Portri nº 1.412, de 10 de julho de

Leia mais

LEI Nº 5.580. Institui o Plano de Carreira e Vencimentos do Magistério Público Estadual do Espírito Santo O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

LEI Nº 5.580. Institui o Plano de Carreira e Vencimentos do Magistério Público Estadual do Espírito Santo O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO LEI Nº 5.580 Institui o Plno de Crreir e Vencimentos do Mgistério Público Estdul do Espírito Snto O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Fço sber que Assembléi Legisltiv decretou e eu snciono seguinte

Leia mais

Recomendação sobre o HIV e a Aids e o mundo do trabalho

Recomendação sobre o HIV e a Aids e o mundo do trabalho Recomendção sobre o HIV e Aids e o mundo do trblho Recomendção sobre o HIV e Aids e o mundo do trblho, provd pel Conferênci Interncionl do Trblho em su Nongésim Non Sessão, Genebr, 17 de junho de 2010

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA: 022 - Progrm Súde d Fmíli 1. Problem: Alto índice de pcientes que visitm unidde Mist de Súde pr trtr de problems que poderim ser resolvidos com visit do médico em su cs.

Leia mais

Educação integral/educação integrada e(m) tempo integral: concepções e práticas na educação brasileira

Educação integral/educação integrada e(m) tempo integral: concepções e práticas na educação brasileira Educção integrl/educção integrd e(m) tempo integrl: concepções e prátics n educção brsileir Mpemento ds experiêncis de jornd escolr mplid no Brsil UFPR UNB UNIRIO UFRJ UERJ UFMG ULBRA Educção integrl/educção

Leia mais

A Diretoria de Relações Internacionais da Fundação de Ensino e Pesquisa do Sul de Minas - 1. OBJETIVO 2. PRÉ-REQUISITOS. Re~ unis

A Diretoria de Relações Internacionais da Fundação de Ensino e Pesquisa do Sul de Minas - 1. OBJETIVO 2. PRÉ-REQUISITOS. Re~ unis Crid pel Lei Estdul nn 2. 766/63 CNPJ.: 21.420.85610001-96 - lrrsc Estdul. ISENTA Entidde M ntenedor do Grupo Educcionl Uni: Centro Universitdrio do Sul d Mins - UNIS Fculdde Bum- FABE Fculdde Três Ponts

Leia mais

Gerenciamento de Aquisições em Projetos de Obras

Gerenciamento de Aquisições em Projetos de Obras Gerencimento de Aquisições em Projetos de Obrs Frhd Abdollhyn, MSc., PMP MSP & PRINCE2 Prctitioner frhd@uol.com.br Ptrocindores: Relizção: Frhd Abdollhyn, PMP PRINCE2 Prctitioner Cyrus Associdos Apoio

Leia mais

Autor: Carlos Otávio Schocair Mendes

Autor: Carlos Otávio Schocair Mendes Plno de Implntção do no Centro Federl de Educção Tecnológic Celso Suckow d Fonsec CEFET- RJ 1 Autor: Crlos Otávio Schocir Mendes O objetivo desse trblho é fornecer subsídios pr implntção no no CEFET- RJ.

Leia mais

Proteja o que tem de mais valioso, o resultado das suas ideias! Procure o Gabinete de Apoio Técnico do +Valor PME

Proteja o que tem de mais valioso, o resultado das suas ideias! Procure o Gabinete de Apoio Técnico do +Valor PME Protej o que tem de mis vlioso, o resultdo ds sus ideis! www.misvlorpme.pt VlorPME APOIAR, DIFUNDIR E ORGANIZAR A PROPRIEDADE INDUSTRIAL + futuro + inovção + proteção + competitividde + vlor www.misvlorpme.pt

Leia mais

ESMAFE/PR Escola da Magistratura Federal do Paraná

ESMAFE/PR Escola da Magistratura Federal do Paraná ESMAFE/PR Escol d Mgistrtur Federl do Prná Curso Regulr Preprtório pr Crreir d Mgistrtur Federl com opção de Pós-Grdução ltu sensu em Direito Público em prceri com UniBrsil - Fculddes Integrds do Brsil

Leia mais

Wittgenstein e a importância dos jogos de linguagem na educação infantil*

Wittgenstein e a importância dos jogos de linguagem na educação infantil* Wittgenstein e importânci dos jogos de lingugem n educção infntil* Ivnldo Sntos** Resumo O objetivo desse ensio não é presentr tods s questões discutids por Wittgenstein em sus Investigções filosófics,

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA EDITAL Nº 01 /2015

SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA EDITAL Nº 01 /2015 SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA EDITAL Nº 01 /2015 SELEÇÃO DE PROFESSOR BOLSISTA EXTERNO DO PRONATEC PARA CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL A Coordenção Gerl do PRONATEC torn públic lterção do Anexo II

Leia mais

Data Tema Objetivos Atividades Recursos

Data Tema Objetivos Atividades Recursos Plno Anul de Atividdes do Pré-Escolr Dt Tem Objetivos Atividdes Recursos Setembro Integrção /dptção ds crinçs -Promover integrção/ (re) dptção ds crinçs á creche; -Proporcionr um mbiente que permit às

Leia mais

CPV O cursinho que mais aprova na GV

CPV O cursinho que mais aprova na GV O cursinho que mis prov n GV FGV Administrção 04/junho/006 MATEMÁTICA 0. Pulo comprou um utomóvel fle que pode ser bstecido com álcool ou com gsolin. O mnul d montdor inform que o consumo médio do veículo

Leia mais

SUMÁRIO ESTE BOLETIM DE SERVIÇO É CONSTITUÍDO DE 26 (VINTE E SEIS) PÁGINAS CONTENDO AS SEGUINTES MATÉRIAS:

SUMÁRIO ESTE BOLETIM DE SERVIÇO É CONSTITUÍDO DE 26 (VINTE E SEIS) PÁGINAS CONTENDO AS SEGUINTES MATÉRIAS: ANO XLIV N.º 095 01/07/2014 SUMÁRIO ESTE BOLETIM DE SERVIÇO É CONSTITUÍDO DE 26 (VINTE E SEIS) PÁGINAS CONTENDO AS SEGUINTES MATÉRIAS: SEÇÃO I EXTRATO DE INSTRUMENTO CONVENIAL...02 SEÇÃO II PARTE 1: DESPACHOS

Leia mais

AGENTE ADMINISTRATIVO DO MP/RS DIREITO ADMINISTRATIVO DELEGAÇÃO DE SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS DO RS

AGENTE ADMINISTRATIVO DO MP/RS DIREITO ADMINISTRATIVO DELEGAÇÃO DE SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS DO RS 1 SUMÁRIO I. Administrção Públic... II. Atos Administrtivos... III. Poder de Políci... IV. Serviço Público... V. Responsbilidde Civil do Estdo... VI. Controle d Administrção Públic... 02 09 21 23 25 27

Leia mais

I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS:

I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS: PAINT 24 - I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS: 1.1 - Auditoris de Conformidde Uniddes Orig d dnd: Intern com bse nos resultdos d Mtriz de Risco elbord pel Auditori Intern Nº UNIDADE OBJETIVOS ESCOPO

Leia mais

Edital de Processo Seletivo Nº 21/2015

Edital de Processo Seletivo Nº 21/2015 Editl de Processo Seletivo Nº 21/2015 O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DO PIAUÍ, SENAC-PI, no uso de sus tribuições regimentis, torn público que estão berts

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 018/2012 UNEMAT A, no uso de sus tribuições legis e em cumprimento ds norms prevists no rtigo

Leia mais

Plano Plurianual de Gestão 2015-2019 Etec Rodrigues de Abreu

Plano Plurianual de Gestão 2015-2019 Etec Rodrigues de Abreu Plno Plurinul de Gestão 2015-2019 Etec Rodrigues de Abreu De cordo com o disposto no Cpítulo II do Regimento Comum ds Escols Técnics do CEETEPS, o Plno Plurinul de Gestão - PPG present propost de trblho

Leia mais

a FICHA DE AVALIAÇÃO FORMATIVA 9.º ANO

a FICHA DE AVALIAÇÃO FORMATIVA 9.º ANO Cristin Antunes Mnuel Bispo Pul Guindeir FICHA DE AVALIAÇÃO FORMATIVA 9.º ANO Escol Turm N.º Dt Grupo I Documento I É um serviço de tendimento telefónico de Trigem, Aconselhmento e Encminhmento, Assistênci

Leia mais

Nº 36, segunda-feira, 12 de maio de 2015 HOSPITAL UNIVERSITÁRIO LAURO WANDERLEY

Nº 36, segunda-feira, 12 de maio de 2015 HOSPITAL UNIVERSITÁRIO LAURO WANDERLEY Nº 36, segund-feir, 12 de mio de 25 HOSPITAL UNIVERSITÁRIO LAURO WANDERLEY N 36, 12 de mio de 25 1 Nº 36, segund-feir, 12 de mio de 25 EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES EBSERH HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Mnul de Operção e Instlção Clh Prshll MEDIDOR DE VAZÃO EM CANAIS ABERTOS Cód: 073AA-025-122M Rev. B Novembro / 2008 S/A. Ru João Serrno, 250 Birro do Limão São Pulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999

Leia mais

Faculdade Atenas Maranhense (FAMA) FAMA A Avenida São Luis Rei de França, n.º 32 Turu, São Luís/MA

Faculdade Atenas Maranhense (FAMA) FAMA A Avenida São Luis Rei de França, n.º 32 Turu, São Luís/MA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO DE SÃO LUÍS HOSPITAL MUNICIPAL DJALMA MARQUES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS

Leia mais

Oferta n.º 1274; 1275 e 1276

Oferta n.º 1274; 1275 e 1276 Procedimento de seleção pr recrutmento de Técnicos no âmbito do Progrm de Atividdes de Enriquecimento Curriculr do 1.º Ciclo de Ensino Básico Inglês Ofert n.º 1274; 1275 e 1276 A Câmr Municipl Mi procede

Leia mais

O sistema de cotas no Brasil: um estudo de caso na Universidade Estadual do Norte Fluminense -UENF

O sistema de cotas no Brasil: um estudo de caso na Universidade Estadual do Norte Fluminense -UENF O sistem de cots no Brsil: um estudo de cso n Universidde Estdul do Norte Fluminense -UENF Ludmil Gonçlves d Mtt Doutor em Sociologi Polític Professor do Mestrdo em Plnejmento Regionl e Gestão de Ciddes

Leia mais

Programa Currículo e Prática Docente 2014

Programa Currículo e Prática Docente 2014 Pr sber mis sobre s ções de formção ofertds pel EFAP, cesse: www.escoldeformco.sp.gov.br Progrm Currículo e Prátic Docente Progrm Currículo e Prátic Docente 2014 *Versão revisd e tulizd em 11/06/2014:

Leia mais

Desenvolvendo novas ferramentas pedagógicas para a formação de gestores de parques nacionais: jogos de papéis e simulação informática.

Desenvolvendo novas ferramentas pedagógicas para a formação de gestores de parques nacionais: jogos de papéis e simulação informática. Desenvolvendo vs ferrments pedgógics pr formção gestores prques ncionis: jogos ppéis e simulção informátic 1 Equipe Jen-Pierre Briot (LIP6 & LES/DI/PUC-Rio) (coorndor) Mrt Irving (EICOS/IP/UFRJ) (vice-coorndor)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 3.768, DE 25 DE OUTUBRO DE 2005

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 3.768, DE 25 DE OUTUBRO DE 2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº.768, DE 5 DE OUTUBRO DE 005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de sus tribuições legis, e considerndo o disposto n Portri MP no 08, de de julho

Leia mais

EDITAL Nº 006/2012 SELEÇÃO DE PESSOAL

EDITAL Nº 006/2012 SELEÇÃO DE PESSOAL EDITAL Nº 006/2012 SELEÇÃO DE PESSOAL O Serviço Socil do Comércio Administrção Regionl no Distrito Federl SESC/DF, instituição privd inscrit no CNPJ 03.288.908/0001-30, por meio d su Divisão de Administrção

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Edital nº 334 de 09 de outubro de 2013 Acesso aos Cursos de Graduação 2014 O Reitor da Universidade Federal do

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Edital nº 334 de 09 de outubro de 2013 Acesso aos Cursos de Graduação 2014 O Reitor da Universidade Federal do UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Editl nº 334 de 09 de outubro de 2013 Acesso os Cursos de Grdução 2014 O Reitor d Universidde Federl do Jneiro (UFRJ), no uso de sus tribuições legis, torn público

Leia mais

DECRETO Nº 27631. de 22 de abril de 2010.

DECRETO Nº 27631. de 22 de abril de 2010. DECRETO Nº 27631 de 22 de bril de 2010. Regulment Períci Médic e Ocupcionl dos servidores municipis d Prefeitur de Gurulhos. SEBASTIÃO DE ALMEIDA, PREFEITO DA CIDADE DE GUARULHOS, no uso de sus tribuições

Leia mais

EDITAL 001/2013 - EADUnC

EDITAL 001/2013 - EADUnC EDITAL 001/2013 - EADUnC O Reitor d Universidde do Contestdo-UnC, de cordo com o disposto no Regimento, fz sber, trvés do presente Editl, que estrão berts inscrições e mtriculs pr ingresso nos Cursos de

Leia mais

PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE FOSSA BIODISGESTORA

PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE FOSSA BIODISGESTORA PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE FOSSA BIODISGESTORA Acdêmicos: Adenilton Sntos Moreir 123 RESUMO Este rtigo present um projeto de foss biodigestor, que será executdo pelo utor do mesmo, su principl finlidde é

Leia mais

Educação para a Convivência com o Semiárido Guia de Orientação para os Municípios

Educação para a Convivência com o Semiárido Guia de Orientação para os Municípios Educção pr Convivênci com o Semiárido Gui de Orientção pr os Municípios Selo UNICEF Município Aprovdo Edição 2009-2012 FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA Educção pr Convivênci com o Semiárido Gui

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO Curso: Engenhri de Produção Período/Módulo: 6º Período Disciplin/Unidde Curriculr: Simulção de Sistems de Produção

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS EMPRESARIAIS. PEDRO RUI BRANCO Presidente do Conselho Fiscal AAIPS

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS EMPRESARIAIS. PEDRO RUI BRANCO Presidente do Conselho Fiscal AAIPS INIU PLIÉCNIC ÚBL CL UPI CIÊNCI MPII P UI BNC Presidente do Conselho Fiscl IP NQUMN C/IP está inserid n ede Públic de nsino uperior. No ubsistem do nsino Politécnico: É um ensino com um missão diferente

Leia mais

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG 1º EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SENAC/AL

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG 1º EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SENAC/AL PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG 1º EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SENAC/AL 1. DO PROGRAMA 1.1. O PSG destin-se pessos de bix rend cuj rend fmilir mensl per cpit não ultrpsse 2 slários mínimos federis,

Leia mais

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA MANUAL DE USO DA MARCA DA MARÇO/2011 1 Identidde Visul Sobre o Mnul d Mrc Este mnul vis pdronizr e estbelecer regrs de uso pr mrc d Forç Aére Brsileir. Mrc é um símbolo que funcion como elemento identificdor

Leia mais

PROJETOS DE EXTENSÃO EXECUTADOS

PROJETOS DE EXTENSÃO EXECUTADOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE SÃO LUÍS DE MONTES BELOS Ru d Sudde, esq. com Viel B, nº56 Vil Edurd São Luís de Montes Belos GO CEP: 76.100-000 - Telefone: (64) 3671-3751 Site:

Leia mais

Fundamentação Metodológica

Fundamentação Metodológica E M.Montessori Fundmentção Metodológic Mnuis Didáticos Progrms em Níveis Listgens de Ambientes Preprdos Progrms Anuis - Bimestris As crinçs, em contto com um mbiente dequdo desenvolvem s potenciliddes

Leia mais

07 AVALIAÇÃO DO EFEITO DO TRATAMENTO DE

07 AVALIAÇÃO DO EFEITO DO TRATAMENTO DE 07 AVALIAÇÃO DO EFEITO DO TRATAMENTO DE SEMENTES NA QUALIDADE FISIOLOGICA DA SEMENTE E A EFICIENCIA NO CONTROLE DE PRAGAS INICIAIS NA CULTURA DA SOJA Objetivo Este trblho tem como objetivo vlir o efeito

Leia mais

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular Áre de formção 523. Eletrónic e Automção Curso de formção Técnico/ de Eletrónic, Automção e Comndo Nível de qulificção do QNQ 4 Componentes de Socioculturl Durção: 775 hors Científic Durção: 400 hors Plno

Leia mais

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular Áre de formção 523. Eletrónic e Automção Curso de formção Técnico/ de Eletrónic, Automção e Comndo Nível de qulificção do QNQ 4 Componentes de Socioculturl Durção: 775 hors Científic Durção: 400 hors Plno

Leia mais

Grupo Educacional Unis

Grupo Educacional Unis Fundção de Ensino e Pesquis do Sul de Mins Centro Universitário do Sul de Mins Editl de Processo Seletivo Modlidde Distânci - CPS 01/2015 Vestibulr 2015 1º Semestre Grupo Educcionl Unis O Reitor do Centro

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Infância. - Pais/ encarregados de educação; - Pessoal docente e não docente; -Direção;

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Infância. - Pais/ encarregados de educação; - Pessoal docente e não docente; -Direção; Infânci ANO LETIVO 2015/2016 1º Período Reunião de pis /encrregdos de educção - Entreg e presentção do Plno Anul de Atividdes; - Entreg de documentção orgnizcionl; - Horários ds tividdes de complemento

Leia mais

EXPO ENERGIA LUSOFONIA PROGRAMA PRELIMINAR

EXPO ENERGIA LUSOFONIA PROGRAMA PRELIMINAR A PROGRAMA PRELIMINAR ALTO PATROCÍNIO ECONOMIA DIPLOMACIA AMBIENTE CIDE ANFITRIÃ PATROCÍNIOS ORGANIZAÇÃO ENQUADRAMENTO Portugl pltform intercontinentl e polo de inovção Portugl tem de conseguir cpitlizr

Leia mais