Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica Projeto de Transportadores Mecânicos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica Projeto de Transportadores Mecânicos"

Transcrição

1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Mecânica Coordenação de Estágio Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica Projeto de Transportadores Mecânicos Banca: Prof. Dr. Eng. Laercio Javarez Junior Prof. Dr. Eng. Davi Fusão Prof. Dr. Eng. Felipe Barreto Campelo Cruz Realizado por: CASSIO EDUARDO NADAL FERREIRA Ponta Grossa, 26 de fevereiro de 2014

2 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Ponta Grossa Coordenação de Engenharia Mecânica e de Engenharia de Produção Mecânica TERMO DE APROVAÇÃO do ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO por Cássio Eduardo Nadal Ferreira A Defesa Final desse Estágio Curricular Obrigatório foi realizada em 04 de fevereiro de 2014 como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Engenharia Mecânica. O candidato foi arguido pela Banca Examinadora composta pelos professores abaixo assinados. Após deliberação, a Banca Examinadora considerou o estágio aprovado. Prof. Dr. Laércio Javarez Junior Prof. Orientador Prof. Dr. Eng. Davi Fusão Membro Titular Prof. Dr. Eng. Felipe Barreto Campelo Cruz Coordenador de Estágios dos Cursos de Engenharia Mecânica e de Engenharia de Produção Mecânica UTFPR/Campus Ponta Grossa Prof. Dr. Thiago Antonini Alves Coordenador dos Cursos de Engenharia Mecânica e de Engenharia de Produção Mecânica UTFPR/Campus Ponta Grossa - O Termo de Aprovação assinado encontra-se na Coordenação do Curso -

3 Lista de Figuras Figura 1 - Porta Pallets...5 Figura 2 - Auto Portante...5 Figura 3 - Drive-in/ Through...6 Figura 4 - Armazenagem Dinâmica...6 Figura 5 - Push Back...7 Figura 6 - Flow Rack...7 Figura 7 - Transportadores...8 Figura 8 - Mezanino...8 Figura 9 - Transportador motorizado em teste...10 Figura 10 - Rampa em lona do transportador motorizado...10 Figura 11 - Planilha de resultados...13

4 Sumário 1. Identificação Responsabilidade pelas Informações Responsabilidades do Aluno Responsabilidades do Supervisor Introdução Descrição da Empresa Produtos Águia Sistemas Descrição das Atividades Desenvolvidas no Estágio Dificuldades Encontradas Áreas de Identificação com o Curso Resultados Conclusão Referências Bibliográficas...16

5 1 1. Identificação Aluno: Cassio Eduardo Nadal Ferreira Curso: Engenharia Mecânica Período: 10º Endereço: Rua Marechal Deodoro, 832, ap.21, Centro, Ponta Grossa-PR Telefone: (42) / (42) Professor Orientador: Laércio Javarez Junior Formação: Engenheiro Mecânico Telefone: (42) Supervisor de Estágio: Paulo Rogério Zanatta Moreira Formação: Administrador de empresas Cargo: Gerente técnico Telefone: (42) Empresa: AGUIA SISTEMAS DE ARMAZENAGEM S/A Endereço: Av. Senador Flávio Carvalho Guimarães, 3505, Boa vista, Ponta Grossa-PR Telefone: (42) Início do estágio: 10/09/2013 Término do estágio: 10/01/2014 Carga horária semanal do estágio: 30 horas Carga horário total do estágio: 480 horas Atividades realizadas: Análise de viabilidade; Análise crítica de projetos; Verificação do produto; Validação do projeto; Elaboração de layout; Desenvolvimento de novos produtos; Dimensionamento de correias; Cálculo de potência requerida pelos motores.

6 2 2. Responsabilidade pelas Informações 2.1 Responsabilidades do aluno Eu, Cassio Eduardo Nadal Ferreira, portador do CPF , estudante de Engenharia Mecânica na UTFPR campus Ponta Grossa, através deste termo de compromisso, assumo a responsabilidade pela veracidade das informações contidas nesse relatório, referente ao período de estágio obrigatório na empresa AGUIA SISTEMAS DE ARMAZENAGEM S/A, realizado entre 10 de setembro de 2013 e 10 de janeiro de Data: / / Responsabilidade do supervisor Eu, Paulo Rogério Zanatta Moreira, portador do CPF , supervisor de estágio na UCE, asseguro a veracidade das informações e autorizo a divulgação para fins acadêmicos na UTFPR campus Ponta Grossa. Informações referentes ao período de estágio obrigatório de Cassio Eduardo Nadal Ferreira, portador do CPF , na empresa AGUIA SISTEMAS DE ARMAZENAGEM S/A, realizado entre 10 de setembro de 2013 e 10 de janeiro de Data: / /..

7 3 3. Introdução Neste relatório, será abordado sobre o estágio realizado dentro do setor de automação de transportadores motorizados, na Águia Sistemas de Armazenagem S/A, com a apresentação das atividades desenvolvidas durante o período de estágio e a sua correlação com o curso de Engenharia Mecânica. O estágio acadêmico tem uma elevada importância na formação do profissional de engenharia. É necessário que todos os conceitos e teorias, apresentadas durante o curso, sejam utilizados na prática, para que o futuro profissional tenha a competência de utiliza-las futuramente na profissão. Nesse caso o estágio foi realizado na área de projetos mecânicos de transportadores motorizados. O projeto mecânico do transportador consiste na elaboração do layout do transportador, suas vistas laterais detalhadas, na escolha e análise de componentes mecânicos do transportador, no dimensionamento da correia e no cálculo da potência dos motores a serem utilizados. Através do estudo de custo dos componentes utilizados nos transportadores, era possível entender e analisar a viabilidade da escolha de um determinado componente ao invés de outro. Durante o período de estágio foram realizados testes no laboratório de montagem dos transportadores. Neles foi possível observar, com maior precisão, como funcionam os diversos componentes presentes nos projetos. As dificuldades encontradas pelos montadores foram importantes na melhoria dos projetos, buscando eliminar possíveis erros e falhas de projetos anteriores. O relatório apresenta uma descrição do histórico da empresa e uma breve descrição dos produtos, projetados e construídos pela empresa. Em seguida, serão detalhadas todas as atividades desenvolvidas durante o estágio e as dificuldades encontradas para a realização delas. Por fim, serão identificadas todas as disciplinas do curso de Engenharia Mecânica que foram úteis durante o período de estágio e os resultados obtidos das atividades realizadas.

8 4 4. Descrição da Empresa A Águia Sistemas de Armazenagem S/A é uma indústria metalúrgica, de médio porte, que se dedica a projetar e produzir soluções no segmento de logística, fornecendo uma variedade de produtos que complementam toda a infraestrutura logística de armazenagem e transporte de materiais para o cliente. Fundada em 1973, a Águia Sistemas tem aproximadamente mil funcionários e tem como política de qualidade Projetar, fabricar e instalar com eficácia, qualidade, produtividade, competitividade, e lucratividade, soluções customizadas em movimentação e armazenagem de materiais, atendendo as necessidades e interesses dos clientes, colaboradores e meio ambiente, melhorando e inovando continuamente. (Disponível em <www.aguiasistemas.com.br>) Situada em Ponta Grossa, Paraná, a Águia Sistemas faz parte da Águia Participações que engloba outras três empresas: Águia Florestal, Águia Química, Smart Sistemas Construtivos. A Águia Florestal atua no reflorestamento e fabricação de painéis de madeira. A Águia Química atua na fabricação de resina para indústria de tintas, selantes e adesivos. Já a Smart Sistemas Construtivos trabalha na construção civil no sistema Light Steel Framing, no qual a alvenaria é substituída por estruturas em aço. 4.1 Produtos Águia Sistemas A Águia Sistemas fabrica produtos que tem a finalidade de armazenar e movimentar materiais, sendo que grande parte produzidos dentro da própria empresa, e uma minoria (ex: parafusos, correias, rollerdrivers, etc) são adquiridos de fornecedores externos. Os produtos fabricados pela Águia Sistemas estão relacionados e descritos a seguir. - Porta Pallets: Destinado à armazenagem de Pallets, permite a verticalização do espaço de forma simples e seletiva, possibilitando o acesso rápido a toda carga armazenada através do uso de empilhadeiras.

9 5 Figura 1 Porta Pallets. - Auto Portante/ Corredores Estreitos: Combinando alta seletividade e densidade, a operação deste sistema é feita por empilhadeiras trilaterais e selecionadoras de pedidos. Em grandes alturas são utilizados transelevadores controlados por softwares que destinam os pallets a endereços aleatórios, gerenciando o fluxo de movimentações e permitindo maior velocidade nas operações de carga e descarga. Figura 2 Auto Portante. - Drive-in/Through: Destinado à armazenagem de grandes volumes e pouca variedade de itens, possibilita um bom aproveitamento da área maximizando o volume armazenado pela redução do número de corredores.

10 6 Figura 3 Drive in. - Armazenagem Dinâmica: Sistema para estocagem de cargas com grande rotatividade e necessidade de controle do prazo de validade. Os pallets são colocados em uma extremidade da estrutura e deslizam sobre os roletes até a outra pela ação da gravidade, sendo que a aceleração dos pallets é controlada por reguladores de velocidade. Figura 4 Armazenagem Dinâmica. - Push Back: Possibilita uma boa seletividade na armazenagem de alta densidade, sua configuração dividida em tuneis permite o acesso direto a cada túnel facilitando a rotatividade.

11 7 Figura 5 Push Back. - Flow Rack: Sistema indicado para pequenos volumes e grande rotatividade onde se faz necessário a conferencia para a separação dos materiais. A posição inclinada das roldanas facilita o deslizamento das caixas, sua reposição e o apanhe dos materiais. Figura 6 Flow Rack. - Transportadores: São sistemas de movimentação de cargas que podem ser manuais, gravitacionais ou motorizados. Está direcionado ao transporte de produtos durante a seleção de um pedido e seu envio até a expedição.

12 8 Figura 7 Transportador. - Mezanino: Utilizado para armazenagem de materiais ou para áreas de trabalho, dimensionado de acordo com a sobrecarga prevista. Figura 8 Mezanino. -Container tubular: Possibilita armazenar, agrupar, transportar, distribuir, e expor mercadorias. -Container armado: Desenvolvido para atender as mais diversas modalidades de armazenagem e movimentação, é leve e possui ótima estabilidade. Pode ser auto empilhador ou armazenado em porta pallets.

13 9 5. Descrição das Atividades Desenvolvidas no Estágio O estágio ocorreu dentro do setor de automação dos transportadores motorizados. As atividades previamente propostas como objetivos do estágio foram: Análise de viabilidade do projeto, Análise crítica do projeto, Elaboração de layout, Verificação do produto, Validação do projeto e desenvolvimento de novos produtos. A parte mecânica dos projetos dos transportadores consiste primeiramente na idealização da lógica do transportador juntamente com as necessidades do cliente. Com a lógica definida o próximo passo é a elaboração do layout do transportador, prevendo a necessidade de rampas (motorizadas ou não) com sua respectiva angulação, curvas, passo entre os rolos, altura do transportador e a necessidade de componentes especiais, tais como: Pusher, Desviador Bell-Transfer e Pop-up. Para a elaboração dos desenhos foi utilizado como apoio o software AutoCad. A elaboração do layout de transportadores motorizados é usada para o projeto comercial, ou seja, após a conclusão do layout o orçamento é realizado e passado ao cliente para aprovação. Previamente ao projeto do transportador, deve ser realizado o projeto das estruturas de armazenamento da Águia, tais como, Mezaninos, Flow Racks, Porta Palletsl, etc. Contudo muitas vezes se fez necessário a alteração das estruturas previamente projetadas devido à interferência do transportador no projeto. A readequação do vigamento dos mezaninos foi muitas vezes necessária. Em outros casos, foi necessário prever um mezanino para o apoio do transportador em alturas muito elevadas. Isto devido ao fato de que os cavaletes de sustentação dos transportadores atingem no máximo 3900 mm, tornando uma análise crítica do projeto mais complexa. Em alguns projetos foi necessário projetar passarelas cobertas para o transportador, pois a necessidade do cliente era que o transportador atravessasse de um galpão para o outro. Nessas passarelas foram utilizados os mesmos perfis e vigas dos mezaninos, porém com uma telha como cobertura. A realização da análise crítica do projeto, considerando as limitações e as necessidades do cliente paralelamente as limitações do produto e de serviços oferecidos pela empresa esteve presente em todo projeto realizado. A análise de viabilidade do projeto, buscando satisfazer o cliente com um produto que atenda suas necessidades e ao mesmo tempo seja viável financeiramente frente à concorrência também foi constantemente considerada, com o auxilio do setor de orçamentos fornecendo alguns parâmetros para visualizar o produto de uma maneira mais ampla, ponderando seus custos e a vantagem de cada solução escolhida.

14 10 Verificação do produto em seu laboratório de testes, analisando o funcionamento da parte mecânica juntamente com a automação dos transportadores. Visualizar seu funcionamento com maior propriedade, verificando possíveis problemas, dificuldades na montagem e no funcionamento do produto, levando isso de aprendizado para o momento de idealizar um novo projeto, buscando minimizar os erros e problemas possíveis. As figuras 9 e 10 mostram o transportador na sua fase de testes. Figura 9 Transportador motorizado em teste. Figura 10 Rampa em lona do transportador motorizado. Foi realizada uma planilha para o calculo de potencia dos motores e dimensionamento de correias a serem utilizados nos transportadores com o intuito de melhorar o processo de

15 11 calculo e aperfeiçoar os resultados para diminuir perdas, e conseqüentemente evitar escolhas de motores que fornecem uma potência muito acima da requerida. Antes da elaboração da planilha os projetos eram realizados com motores padrão sem a realização de um cálculo mais profundo. Para a realização do cálculo é necessário informar a largura do transportador, o comprimento da pista a ser motorizada, a diferença de altura entre o início e o fim da pista, o passo entre os rolos, as dimensões das caixas a serem transportados, o peso das caixas e o fluxo de caixa por hora. Com esses dados o programa do Excel calcula a velocidade do transportador, a força de resistência do transportador, o comprimento de correia e a potência mecânica requerida. Após a elaboração do layout é definido então a potencia dos motores a serem utilizados e o tamanho de correia, para o orçamento ter uma precisão maior e diminuir a chance de erro no orçamento. 6. Dificuldades Encontradas A principal dificuldade encontrada foi à falta do conhecimento pleno do produto e seu mecanismo de funcionamento. O desconhecimento de alguns padrões utilizados pela empresa também dificultou. Em muitas ocasiões foi necessário refazer ou alterar o projeto devido a limitações desconhecidas ou que passaram despercebidas. A falta de informação clara vinda do cliente também foi uma dificuldade encontrada, pois muitas vezes a informação passada não era bem entendida pelo vendedor ou não era expressa de maneira clara para os projetistas. Outra dificuldade foi à adaptação com o meio de trabalho, que ainda não havia frequentado a cobrança por resultados e os prazos curtos estabelecidos, foi algo que teve que ser superado com o tempo. A realização de planilha para o cálculo de potência de motores e dimensionamento de correias não constava no plano de estágio, porém foi uma situação que apareceu no dia a dia de trabalho e foi possível contribuir com meus conhecimentos adquiridos no curso para a realização dessa planilha, utilizando o software Excel. Por ser uma situação especifica da empresa houve dificuldade em conseguir encontrar a maneira correta de realizar o cálculo para transportadores de rolos de aço com a transmissão de força do motor realizada pela correia. Foi utilizado como apoio a NBR 8205(Norma Brasileira), porém ela não engloba totalmente os transportadores produzidos na águia. A NBR 8205 se refere a Transportadores contínuos Transportadores de correia- Cálculo de força e potência, porém sem utilizar rolos em aço para a movimentação de cargas, utilizando apenas correias. Essa norma foi tomada

16 12 como base juntamente com algumas fórmulas contidas no catálogo de motores da SEW e conseguiu-se atingir valores aceitáveis. 7. Áreas de Identificação com o Curso A área de desenho técnico foi bastante exigida durante o estágio, na realização de vistas, cotação e elaboração de layouts. O entendimento de alguns desenhos mais complexos como engrenagens e desenhos de montagens de maquinas, também se fez necessário. O conhecimento sobre resistência de materiais esteve presente principalmente na elaboração de mezaninos, onde foi necessário o dimensionamento de vigas, colunas e perfis. Na realização da planilha de cálculo de motores e dimensionamento de correias, os conhecimentos em elementos de máquina foram muito requisitados, inclusive consultando os materiais de sala de aula como material de apoio para o dimensionamento de componentes de transmissão (correias). Segundo SHIGLEY (1984), o comprimento da correia é encontrado somando-se os comprimentos dos dois arcos com duas vezes a distância entre o começo e o fim do contato. Indiretamente algumas disciplinas também contribuíram. Computação auxiliou na formulação de um programa no Excel, com a utilização de alguns comandos similares. A disciplina de mecanismos teve sua importância para um melhor entendimento do funcionamento dos transportadores, nos momentos em que o transportador era testado no laboratório de testes foi importante visualizar os diferentes mecanismos contidos no transportador. 8. Resultados O principal resultado obtido no estágio foi na elaboração de projetos comerciais de transportadores mecânicos para empresas de pequeno, médio e grande porte, porém durante o período de estágio nenhum desses projetos chegou a ganhar a aprovação do cliente para o projeto ser desdobrado e então enviado para a produção, devido ao período curto do estágio. Foi realizado em torno de 20 projetos dos mais diversos tamanhos e dificuldades, todos realizados no software AutoCAD, com os cálculos previamente definidos pelo Engenheiro e com correção do supervisor. No projeto continha o layout do transportador com as indicações de cada componente, as informações de altura, motorização, as vistas laterais das rampas e

17 13 detalhes da pista de conferência. Quando se fez necessário o projeto conjunto do mezanino e/ou passarela foi necessário uma folha a parte que continha à planta baixa e o vigamento da estrutura, sempre com o engenheiro responsável acompanhando o processo e autorizando o projeto no final. A planilha realizada para o cálculo de potência de motores e dimensionamento de correias pode ser visualizada na Figura 11. É necessário informar os dados do transportador como largura, comprimento da pista, fluxo de caixas e a inclinação da pista para o programa realizar os cálculos e então o projetista selecionar no catálogo de motores o motor mais adequado para a situação. Figura 11 - Planilha de resultados. O cálculo consiste em descobrir as forças resistentes que o motor deverá superar para que o transportador se movimente na velocidade desejada. A força total consiste na soma de outras três forças: a força resistente principal, a força resistente secundária e a força de resistência ao aclive. A força de resistência principal pode ser calculada pela seguinte equação, mr Fh L. f. g(( ) (2mc ml)(cos( )) L (1) Onde,

18 14 L = Comprimento da pista [m] f = fator de atrito g = aceleração da gravidade [m/s²] mr = massa total dos rolos [kg] mc = massa da correia [kg] ml = carga máxima transportada [kg/m] A força de resistência secundária pode ser expressa por, Fn ( C 1) Fh (2) Sendo que, C é o coeficiente de atrito. Por fim a força de resistência ao aclive, só estará presente caso haja inclinação na pista do transportador. A resistência ao aclive pode ser expressa por, Fst L. g. ml( sen( )) (3) A força de resistência total é então a soma das três resistências, Fr Fh Fn Fst (4) A potência mecânica requerida pode ser calculada então por, Fr. V P 1000 Rd (5) Onde, V = velocidade requerida para o transportador [m/s] Rd = Rendimento global do motor

19 15 9. Conclusão Os objetivos inicialmente propostos foram atingidos, os projetos realizados tiveram valor agregado dos conhecimentos do valor de cada componente do transportador e a melhor logística para o funcionamento do transportador dentro da empresa, através de uma analise de viabilidade. O trabalho foi realizado dentro do setor de automação, que faz a automatização do transportador através de sensores e CLP s(controladores Lógicos Programáveis) após a realização do projeto mecânico, por isso foi necessário o trabalho em conjunto para entender as limitações de cada parte do projeto e ser capaz de realizar uma análise crítica mais profunda. A análise do funcionamento do transportador foi de grande importância, pois assim houve um entendimento melhor do funcionamento mecânico do transportador e com isso houve melhoras no momento de inicialização do projeto buscando menor quantidade de erros e maior agilidade na conclusão do projeto. O período como estagiário contribuiu em grande parcela da minha formação como Engenheiro Mecânico. Vivenciar na prática todos os passos da realização de um projeto, sendo necessário interagir com outros setores para obter melhores resultados, com prazos curtos para cumprir as atividades, mostrou a realidade dentro de uma organização de médio porte como a Águia Sistemas.

20 16 Referências Bibliográficas SHIGLEY, Joseph Edward. Elementos de maquinas. Rio de Janeiro: LTC- Livros Técnicos e Científicos, v. SHIGLEY, Joseph Edward. Elementos de maquinas. Rio de Janeiro: LTC- Livros Técnicos e Científicos, v. Catálogo de motoredutores SEW Site: visitado em 28/01/2014.

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Mecânica Coordenação de Estágio. Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Mecânica Coordenação de Estágio. Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Mecânica Coordenação de Estágio Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica Banca: Prof. Dr. Eng. Laércio Javarez Júnior Prof. Dr.

Leia mais

Verticalização dos Estoques

Verticalização dos Estoques Verticalização dos Estoques Considerações Iniciais A principal prioridade dos operadores é reduzir o tempo de ciclo dos pedidos e não economizar espaço. As soluções que permitem economizar espaço não permitem

Leia mais

DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM

DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM A EMPRESA NOSSAS SOLUÇÕES PARA ARMAZENAGEM 25 DE AGOSTO DE 1969 Dar continuidade ao legado do pai, exímio ferreiro e artesão. Esse foi o sonho que impulsionou os irmãos

Leia mais

Elevador para Cabinas Elevador para Cabinas / Montacarga Elevador para Paletes Elevador Contínuo / Elevador para Pequenos Volumes

Elevador para Cabinas Elevador para Cabinas / Montacarga Elevador para Paletes Elevador Contínuo / Elevador para Pequenos Volumes Forma Construtiva dos Transelevadores Modo de Funcionamento dos Transelevadores Sistemas de Transferência Transelevadores para Armazém Autoportante Transelevadores para Armazém Autoportante Climatizado

Leia mais

Sistemas de Armazenagem de Materiais

Sistemas de Armazenagem de Materiais Sistemas de Armazenagem de Materiais Características e conceitos para utilização de Sistemas de armazenagem de materiais Objetivos Destacar a importância dos equipamentos de armazenagem de materiais na

Leia mais

Sistemas de separação

Sistemas de separação Intelligrated Com mais de 100 anos de experiência em separação e milhares de instalações, a Intelligrated oferece sistemas de separação para operações de distribuição e abastecimento automatizados eficientes,

Leia mais

Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO

Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Mecânica Coordenação de Estágio Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO Banca: Prof. Alexandre

Leia mais

A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM

A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM A CESTARI PRODUTOS GALVANIZADOS produz equipamentos para todo processamento de produtos em geral que asseguram o melhor resultado para a indústria

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO. 1 Alimentador

DESCRITIVO TÉCNICO. 1 Alimentador DESCRITIVO TÉCNICO Nome Equipamento: Máquina automática para corte de silício 45º e perna central até 400 mm largura Código: MQ-0039-NEP Código Finame: *** Classificação Fiscal: 8462.39.0101 1 Alimentador

Leia mais

SISTEMAS DE ARMAZENAGEM

SISTEMAS DE ARMAZENAGEM SISTEMAS DE ARMAZENAGEM Engº. Cláudio Sei Guerra OUTUBRO - 2006 Revisado ÍNDICE 1. Prefácio... 03 2. Sistemas de Armazenagem de Materiais... 04 3. Estruturas de Armazenagem Porta-Pallets... 06 4. Porta-Pallets

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Oferecemos a nossos clientes máquinas e equipamentos econômicos e eficientes, com atenção personalizada segundo suas necessidades.

APRESENTAÇÃO. Oferecemos a nossos clientes máquinas e equipamentos econômicos e eficientes, com atenção personalizada segundo suas necessidades. PORTFÓLIO Mecânica APRESENTAÇÃO A ProjeCrea é uma empresa que desenvolve soluções personalizadas integrais para: agroindústrias, metalúrgicas, indústrias e locais comerciais gerais. Temos parcerias com

Leia mais

MANUAL DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM. Eng.º. Cláudio Sei Guerra

MANUAL DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM. Eng.º. Cláudio Sei Guerra MANUAL DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM Eng.º. Cláudio Sei Guerra FEVEREIRO - 2014 ÍNDICE 1. Prefácio... 03 2. Sistemas de Armazenagem de Materiais... 04 3. Estruturas de Armazenagem Porta-Pallets... 07 4. Porta-Pallets

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

Tire suas dúvidas sobre Sistemas de Armazenagem

Tire suas dúvidas sobre Sistemas de Armazenagem Tire suas dúvidas sobre Sistemas de Armazenagem Os chamados Sistemas de Armazenagem fazem parte de um grupo de acessórios e equipamentos bastante utilizados na indústria como uma maneira mais simplificada

Leia mais

Armazenagem. Por que armazenar?

Armazenagem. Por que armazenar? Armazenagem Introdução Funções da armazenagem Atividades na armazenagem Objetivos do planejamento de operações de armazenagem Políticas da armazenagem Pilares da atividade de armazenamento Armazenagem

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Departamento Acadêmico de Mecânica. Coordenação de Estágio. Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica

Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Departamento Acadêmico de Mecânica. Coordenação de Estágio. Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Mecânica Coordenação de Estágio Relatório Final de Estágio Engenharia Mecânica Banca: Prof. Dr. Luciano Augusto Lourençato (Orientador

Leia mais

AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 06 FILIPE S. MARTINS

AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 06 FILIPE S. MARTINS AULA 06 FILIPE S. MARTINS ROTEIRO EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS PALETEIRA EMPILHADEIRA ESTEIRA TRANSPORTADORA TRANSPORTADOR DE ROLETES MONOVIA / TALHA ELÉTRICA TRANSELEVADORES

Leia mais

PLANILHA DE MATERIAIS/SERVIÇOS E QUANTIDADES TERMINAL DE CARGAS DO AEROPORTO INTERNACIONAL EDUARDO GOMES EM MANAUS - AM.

PLANILHA DE MATERIAIS/SERVIÇOS E QUANTIDADES TERMINAL DE CARGAS DO AEROPORTO INTERNACIONAL EDUARDO GOMES EM MANAUS - AM. PLANILHA DE MATERIAIS/SERVIÇOS E QUANTIDADES LOCAL DA OBRA: OBJETO: TERMINAL DE CARGAS DO AEROPORTO INTERNACIONAL EDUARDO GOMES EM MANAUS AM. CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO ETIQUETAS SERVIÇOS. soluções definitivas

IDENTIFICAÇÃO ETIQUETAS SERVIÇOS. soluções definitivas IDENTIFICAÇÃO ETIQUETAS SERVIÇOS soluções definitivas paralogística Identificação Placas de Rua O início da sinalização e o endereçamento de um armazém começam pelas placas de rua. Elas devem ser instaladas

Leia mais

Guia para o processo de avaliação e seleção da solução de separação correta para a sua empresa

Guia para o processo de avaliação e seleção da solução de separação correta para a sua empresa Entendendo suas opções de separação Guia para o processo de avaliação e seleção da solução de separação correta para a sua empresa automação 1 Entendendo que traz suas resultados opções de separação Entendendo

Leia mais

PortaBag Rack metálico desenvolvido para acondicionar big bags.

PortaBag Rack metálico desenvolvido para acondicionar big bags. R A C K M E T Á L I C O * Pallet vendido separadamente. MPA - Módulo Padrão de Armazenagem Rack auto-empilhável, desmontável, construído em chapa de aço dobrada e soldada. Produto: O MPA tem como principal

Leia mais

Block Plus sistema convencional

Block Plus sistema convencional SOLUÇÕES DE ARMAZENAGEM Block Plus sistema convencional Block Plus sistema convencional estantes convencionais Trata-se do sistema de armazenagem mais comum e generalizado, adequado para armazenagem dedicada

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS Ricardo A. Cassel A movimentação de materiais é uma atividade importante a ser ponderada quando se deseja iniciar o projeto de novas instalações. Existe uma forte relação entre

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL CARLOS HENRIQUE FELIPE POÇAS RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio

Leia mais

CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA

CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA REVISÃO DOS DADOS 04 RELAÇÃO DE CARGOS Auxiliar de Montagem Montador Supervisor de Produção Técnico de Programação da Produção Coordenador de Produção IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

CATÁLOGO GERAL DE PRODUTOS. Movimentação de Granéis

CATÁLOGO GERAL DE PRODUTOS. Movimentação de Granéis CATÁLOGO GERAL DE PRODUTOS Movimentação de Granéis Há mais de 88 anos garantindo os melhores resultados para nossos clientes. 03 A Companhia Experiência aliada à inovação. É isso que faz a Kepler Weber

Leia mais

construímos a inovação POR

construímos a inovação POR construímos a inovação POR construímos a inovação 2 3 Compact Habit, uma iniciativa da empresa de Manresa, Constructora d Aro S.A., foi criada em 2004 para atender à necessidade de inovação na construção.

Leia mais

SISTEMAS TRANSPORTADORES DE CAIXAS

SISTEMAS TRANSPORTADORES DE CAIXAS SISTEMAS TRANSPORTADORES DE CAIXAS Sistemas transportadores de caixas Com mais de um século de experiência e centenas de instalações, os equipamentos, o software e os controles dos transportadores de caixas

Leia mais

Agregue Segurança produtos e a sua

Agregue Segurança produtos e a sua Agregue Segurança e Valor aos seus produtos e a sua armazenagem. Material de Manuseio e Soluções de Logística SKILL, QUALITY AND EXPERIENCE www.troax.com Líder Mundial em Produtos de Segurança para Proteção

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL EVERTON DE BRITTO SANTOS

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL EVERTON DE BRITTO SANTOS UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL EVERTON DE BRITTO SANTOS RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio

Leia mais

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Tópicos Abordados: 1. Porta Paletes Seletivo (convencional): 2. Drive-in / Drive-thru Objetivo: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento

Leia mais

LEVAMOS NO PEITO A MISSÃO DE DAR SEGURANÇA, QUALIDADE E PRATICIDADE À VOCÊ!

LEVAMOS NO PEITO A MISSÃO DE DAR SEGURANÇA, QUALIDADE E PRATICIDADE À VOCÊ! CATÁLOGO DE PRODUTOS LEVAMOS NO PEITO A MISSÃO DE DAR SEGURANÇA, QUALIDADE E PRATICIDADE À VOCÊ! A EMPRESA A SA é uma empresa com 15 anos de atuação no Brasil, nascida em Belo Horizonte, Minas Gerais,

Leia mais

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ Daiane Maria De Genaro Chiroli 1

Leia mais

Sistemas de Armazenagem de

Sistemas de Armazenagem de Sistemas de Armazenagem de Materiais Características e conceitos para utilização de Sistemas de armazenagem de materiais Objetivos Destacar a importância do lay-out out, dos equipamentos de armazenagem

Leia mais

Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas

Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas As soluções em esteiras transportadoras da Intelligrated

Leia mais

Apostila técnica de Mezanino 01 de 09

Apostila técnica de Mezanino 01 de 09 Apostila técnica de Mezanino 01 de 09 OBJETIVO: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento básico sobre Mezaninos, seus acessórios e suas aplicações, facilitando a solução de problemas

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém Bloco Suprimentos WMS Gerenciamento de Armazém Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo WMS, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas foram

Leia mais

Industry Services. Serviços de alta performance e confiabilidade em todo o ciclo de vida da planta. www.siemens.com.br/industryservices

Industry Services. Serviços de alta performance e confiabilidade em todo o ciclo de vida da planta. www.siemens.com.br/industryservices Industry Services Serviços de alta performance e confiabilidade em todo o ciclo de vida da planta www.siemens.com.br/industryservices Answers for industry Siemens Industry Services 11 3833 4040 suporte

Leia mais

catálogo de PRodutos

catálogo de PRodutos catálogo de PRodutos Linhas de trabalho Equipamentos como os fabricados pela eixomaq reduzem o esforço físico, tornando a jornada de trabalho muito mais prática e produtiva, além de, na maioria das vezes,

Leia mais

Função: Operação da Cadeia de materiais. 1.1 Identificar princípios da organização da área de materiais.

Função: Operação da Cadeia de materiais. 1.1 Identificar princípios da organização da área de materiais. MÓDULO II Qualificação Técnica de Nível Médio ASSISTENTE DE LOGÍSTICA II.1 Gestão de Recursos e Materiais Função: Operação da Cadeia de materiais 1. Contextualizar a importância da Administração de materiais

Leia mais

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Contribuição técnica nº 19 EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Autor: ROSANE BEVILAQUA Eng. Consultora Gerdau SA São Paulo, 01 de setembro de 2010. PROGRAMA Introdução Vantagens da utilização de Edifícios

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

Soluções de armazenagem

Soluções de armazenagem Soluções de armazenagem Seja qual for o seu produto, temos a solução ideal para o armazenar 50 anos a oferecer soluções de armazenagem 3 Presença em mais de 70 países 3 11 centros de produção 3 4 centros

Leia mais

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s Mezaninos Os mezaninos permitem aproveitar ao máximo a altura útil de um local, duplicando ou triplicando sua superfície e acondicionando-a como área de armazenagem, vestuário, escritórios, etc. A instalação

Leia mais

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM Os consumidores quando vão às prateleiras das lojas esperam encontrar os produtos que necessitam, não importando se os produtores estão a 10 ou 2.500 Km de distância. Este é o trabalho da logística: prover

Leia mais

Push-back é um sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidade, por cada nível.

Push-back é um sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidade, por cada nível. Push-back Push-back é um sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidade, por cada nível. Características gerais do sistema Push-back As estantes Push-back

Leia mais

ESTRUTURA PARA ENGRADAMENTO DE TELHADOS DE RESIDÊNCIAS COM SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING

ESTRUTURA PARA ENGRADAMENTO DE TELHADOS DE RESIDÊNCIAS COM SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING ESTRUTURA PARA ENGRADAMENTO DE TELHADOS DE RESIDÊNCIAS COM SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING ALEXANDRE KOKKE SANTIAGO, Arq. M.Sc. FRANCISCO CARLOS RODRIGUES, Prof. Dr. MAÍRA NEVES RODRIGUES, Arq. M.Sc. ESTRUTURAS

Leia mais

Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial.

Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial. Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial. A trabalha dentro de normas. Como: NBR, ASME, DIN, API e etc. Nosso galpão industrial comporta

Leia mais

LAYOUT IMPACTANDO DIRETAMENTE NOS CUSTOS DE PRODUÇÃO: LUCRO NA PRODUÇÃO COM ÊNFASE NO JUST-IN- TIME

LAYOUT IMPACTANDO DIRETAMENTE NOS CUSTOS DE PRODUÇÃO: LUCRO NA PRODUÇÃO COM ÊNFASE NO JUST-IN- TIME 1 LAYOUT IMPACTANDO DIRETAMENTE NOS CUSTOS DE PRODUÇÃO: LUCRO NA PRODUÇÃO COM ÊNFASE NO JUST-IN- TIME Marcio Alves Suzano, M.Sc. Marco Antônio Ribeiro de Almeida, D.Sc. José Augusto Dunham, M.Sc. RESUMO.

Leia mais

Topografia de Alto Desempenho

Topografia de Alto Desempenho Topografia de Alto Desempenho Estações de Alta Tecnologia Eng. Rodrigo Eger Gerente de Produtos Santiago & Cintra www.santiagoecintra.com.br Introdução A Topografia Hoje... Cada vez mais necessitamos:

Leia mais

Linha de MOVIMENTAÇÃO

Linha de MOVIMENTAÇÃO Linha de MOVIMENTAÇÃO 2010 Empilhadeira Elétrica MEE 1.5 Ton MEE 2.0 Ton As Empilhadeiras Elétricas Menegotti são totalmente automatizadas, possuem controles de velocidade para deslocamento do equipamento

Leia mais

Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das

Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das unidades de carga. Trata-se de um conjunto de elementos

Leia mais

I N S T A L A Ç Õ E S I N D U S T R I A I S C A L D E I R A R I A E Q U I P A M E N T O S

I N S T A L A Ç Õ E S I N D U S T R I A I S C A L D E I R A R I A E Q U I P A M E N T O S I N S T A L A Ç Õ E S I N D U S T R I A I S C A L D E I R A R I A E Q U I P A M E N T O S WWW.MONTEX.COM.BR Publicação: MONTEX Montagem Industrial Ltda. CNPJ: 44.700.375/0001-30 Endereço: Rua das Tulipas,

Leia mais

Soluções em Açúcar, Etanol e Co-geração

Soluções em Açúcar, Etanol e Co-geração Soluções em Açúcar, Etanol e Co-geração A Sucral Iniciou suas atividades em 1968 e foi uma das empresas pioneiras no desenvolvimento do setor sucroenergético não só do país como também no exterior. Nos

Leia mais

McGraw-Hill. A reforma no centro de distribuição melhorou a capacidade de expedição e diminuiu a manutenção da editora educativa ESTUDO DE CASO

McGraw-Hill. A reforma no centro de distribuição melhorou a capacidade de expedição e diminuiu a manutenção da editora educativa ESTUDO DE CASO McGraw-Hill A reforma no centro de distribuição melhorou a capacidade de expedição e diminuiu a manutenção da editora educativa automação que traz resultados A reforma no centro de distribuição melhorou

Leia mais

750,48. Shop 870,08 1.407,62 704,67 763,00. www.mecalux.com.br/shop

750,48. Shop 870,08 1.407,62 704,67 763,00. www.mecalux.com.br/shop Shop REF.: MC-219 750,48 REF.: MPP-15346 870,08 REF.: Nmc-1169 1.407,62 REF.: RGA-7700B 704,67 REF.: RGA-9078P 763,00 0800 770 6870 www.mecalux.com.br/shop Ligue agora e dentro de 12 dias úteis seu pedido

Leia mais

Ferramentas SIMARIS. Fácil, rápido e seguro planejamento de Distribuição de Energia Elétrica. Totally Integrated Power

Ferramentas SIMARIS. Fácil, rápido e seguro planejamento de Distribuição de Energia Elétrica. Totally Integrated Power s Totally Integrated Power Ferramentas SIMARIS Fácil, rápido e seguro planejamento de Distribuição de Energia Elétrica. Answers for infrastructure and cities. Planejamento de distribuição de energia mais

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística : Técnico em Logística Descrição do Perfil Profissional: Planejar, programar e controlar o fluxo de materiais e informações correlatas desde a origem dos insumos até o cliente final, abrangendo as atividades

Leia mais

Dimensionamento de espaço

Dimensionamento de espaço Dimensionamento de espaço Definindo os volumes de produtos e os tipos de produtos que serão tratados no projeto, teremos condições, a partir de agora, de dimensionar o tamanho do armazém, suas características

Leia mais

Armazenagem, Controle. Aula 2. Contextualização. Equipamentos de Armazenagem. Principais Atribuições. Embalagens. Instrumentalização

Armazenagem, Controle. Aula 2. Contextualização. Equipamentos de Armazenagem. Principais Atribuições. Embalagens. Instrumentalização Armazenagem, Controle e Distribuição Aula 2 Contextualização Prof. Walmar Rodrigues da Silva Equipamentos de Armazenagem Simplicidade Barato Flexível Relação custo e benefício Principais Atribuições Peculiaridade

Leia mais

Os Custos de Armazenagem na Logística Moderna

Os Custos de Armazenagem na Logística Moderna Os Custos de Armazenagem na Logística Moderna Maurício Pimenta Lima Introdução Uma das principais características da logística moderna é sua crescente complexidade operacional. Aumento da variedade de

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio Matriz de Especificação de Prova da : Técnico em Design de Móveis Descrição do Perfil Profissional: Desenvolve esboços, perspectivas e desenhos normatizados de móveis. Realiza estudos volumétricos e maquetes

Leia mais

Academia Rain Bird Guia de Treinamento para Irrigação 2015

Academia Rain Bird Guia de Treinamento para Irrigação 2015 Academia Rain Bird Guia de Treinamento para Irrigação 2015 Descrição dos Treinamentos BEM-VINDO À ACADEMIA RAIN BIRD A Academia Rain Bird oferece uma diferenciada seleção de cursos profissionalizantes

Leia mais

WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA. Eficiente. Flexível. Confiável.

WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA. Eficiente. Flexível. Confiável. WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA Eficiente. Flexível. Confiável. Automação SSI Schaefer: Pensamento Global Ação Local Liderança de mercado A SSI SCHAEFER é uma empresa mundialmente conhecida quando se trata

Leia mais

Otimização de abastecimento de pedidos

Otimização de abastecimento de pedidos Otimização de abastecimento de pedidos Quando passar da separação com papel para zero papel automação 1 Otimização que de traz abastecimento resultados de pedidos Otimização de abastecimento de pedidos

Leia mais

GESTÃO DE PRODUTOS PARA OBRAS INDUSTRIAIS

GESTÃO DE PRODUTOS PARA OBRAS INDUSTRIAIS GESTÃO DE PRODUTOS PARA OBRAS INDUSTRIAIS Terrenos Projetos Pisos Sondagem Pré-Fabricados Venezianas Terraplenagem Estruturas Metálicas Estacas O Logo A Cruz de Malta, conhecida como o símbolo do guerreiro

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA BANCADA DIDÁTICA DE TRANSMISSÕES MECÂNICAS. Janaina Vanuza Gall (FAHOR) jg000869@fahor.com.br

DESENVOLVIMENTO DE UMA BANCADA DIDÁTICA DE TRANSMISSÕES MECÂNICAS. Janaina Vanuza Gall (FAHOR) jg000869@fahor.com.br DESENVOLVIMENTO DE UMA BANCADA DIDÁTICA DE TRANSMISSÕES MECÂNICAS Janaina Vanuza Gall (FAHOR) jg000869@fahor.com.br Victor Ergang Streda (FAHOR) vs000849@fahor.com.br Anderson Dal Molin (FAHOR) anderson@fahor.com.br

Leia mais

Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS

Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS Escolha o melhor fornecedor de sistemas e tecnologia e ganhe flexibilidade, rendimento e eficiência operacional automação que traz resultados

Leia mais

Estudo de Eficiência Energética de Sistemas de Iluminação em Aviários Através do Método dos Lúmens

Estudo de Eficiência Energética de Sistemas de Iluminação em Aviários Através do Método dos Lúmens Estudo de Eficiência Energética de Sistemas de Iluminação em Aviários Através do Método dos Lúmens Eduardo Alves de Almeida 1 ; Neander Berto Mendes 2 ; Roberta Passini 3 ; Anderson Marlon Machado Sobrinho

Leia mais

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO CONSTRUINDO NO SISTEMA (CES) LIGHT STEEL FRAMING O sistema Light Steel Frame é caracterizado por um esqueleto estrutural leve composto por perfis de aço galvanizado que trabalham em conjunto para sustentação

Leia mais

HTS ELEVADORES IND. E COM. LTDA.

HTS ELEVADORES IND. E COM. LTDA. HTS ELEVADORES IND. E COM. LTDA. ELEVADORES DE OBRA ELEVADOR DE OBRA ELEVADOR DE OBRA Controle automático digital Eficiência de consumo: quando o a velocidade ou carga está abaixo da condição de regime

Leia mais

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM Uma abordagem multidisciplinar Prof. Fernando Dal Zot 1 Visão geral das atividades do Almoxarifado / Depósito / Armazém Início RECEBER

Leia mais

A retificadora centerless inteligente. Simplifique com Smart 10

A retificadora centerless inteligente. Simplifique com Smart 10 A retificadora centerless inteligente. Simplifique com Smart 10 A retificadora centerless inteligente. Simplifique. Com projeto inovador, a retificadora centerless Smart 10 da BONELI é insuperável em performance.

Leia mais

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD 18.01.2013 Racks Paletização KD O sistema de armazenagem KD de cargas médias e pesadas representa a melhor solução para armazéns em que é necessária uma correta armazenagem para produtos paletizados com

Leia mais

Armazenagem & Automação de Instalações. Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins

Armazenagem & Automação de Instalações. Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins Armazenagem & Automação de Instalações Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins 1 Sumário - Armazenagem Estratégica - Automação na Armazenagem 2 Armazenagem -

Leia mais

SISTEMAS E TÉCNICAS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS: UM ENFOQUE NO ARRANJO DE LAYOUT DE ESTOQUE APLICADO A UMA MONTADORA DE COMPUTADORES

SISTEMAS E TÉCNICAS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS: UM ENFOQUE NO ARRANJO DE LAYOUT DE ESTOQUE APLICADO A UMA MONTADORA DE COMPUTADORES SISTEMAS E TÉCNICAS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS: UM ENFOQUE NO ARRANJO DE LAYOUT DE ESTOQUE APLICADO A UMA MONTADORA DE COMPUTADORES Cristina Pereira Medeiros (UESC) cris_eps@hotmail.com

Leia mais

O FOMENTO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE CRICIÚMA PELA LOGÍSTICA

O FOMENTO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE CRICIÚMA PELA LOGÍSTICA O FOMENTO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE CRICIÚMA PELA LOGÍSTICA Como obter mais resultados com menos despesas Thomas Burger - Arquiteto Burger Arquitetos Arquitetura e Gerenciamento de Projetos Porto Alegre

Leia mais

Proposta de implantação de um sistema de armazenagem automática através de transelevadores no depósito de uma indústria calçadista

Proposta de implantação de um sistema de armazenagem automática através de transelevadores no depósito de uma indústria calçadista Proposta de implantação de um sistema de armazenagem automática através de transelevadores no depósito de uma indústria calçadista José de Souza (ISI SIM) souza.jose@senairs.org.br Eraldo Almeida Camargo

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

OCUPAÇÃO 19 DESCRITIVO TÉCNICO. Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005

OCUPAÇÃO 19 DESCRITIVO TÉCNICO. Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005 DESCRITIVO TÉCNICO OCUPAÇÃO 19 Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005 A Comissão de Diretores do SENAI Coordenadora das Olimpíadas do Conhecimento determina, de acordo com as normas

Leia mais

ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS

ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS Data: Junho/2000 N o 18 B2C: A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA 1. INTRODUÇÃO O Business-to-Consumer (B2C) refere-se à realização

Leia mais

Estantes para Push-back. Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada canal

Estantes para Push-back. Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada canal Estantes para Push-back Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada canal Características gerais do sistema Push-back As estantes Push-back

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL CÉSAR RODIGHERI RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio Curricular

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA UNIDADE: COORDENAÇÃO DE LOGÍSTICA - COLOG (GESUS) 1 de 10 1. DO OBJETO O objeto da licitação é a contratação de empresa especializada no fornecimento e montagem de Estruturas Metálicas Tipo Cantilever

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Energia Solar

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Energia Solar Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas www.weg.net Tecnologia para minimizar o consumo das indústrias. Sustentabilidade para maximizar a qualidade de vida das pessoas. O sol é uma

Leia mais

Aula II Armazenagem; Inventário. Professor Argélio Lima Paniago

Aula II Armazenagem; Inventário. Professor Argélio Lima Paniago Aula II Armazenagem; Inventário Professor Argélio Lima Paniago Armazenagem Armazenagem de matérias merece um planejamento especifico, Condições impróprias de materiais geram desperdícios, Não acrescenta

Leia mais

Sistemas para Estacionamento e Vagas de Garagem DUPLIKAR. Projetamos e desenvolvemos inúmeras soluções para estacionamentos.

Sistemas para Estacionamento e Vagas de Garagem DUPLIKAR. Projetamos e desenvolvemos inúmeras soluções para estacionamentos. A Empresa A Duplikar é representante autorizado da marca Engecass, queremos apresentar uma solução caso tenha necessidades de aumentar suas vagas de garagem. A Engecass é uma indústria Brasileira, fabricante

Leia mais

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s Mezaninos Os mezaninos permitem aproveitar ao máximo a altura útil de um local, duplicando ou triplicando sua superfície e acondicionando-a como área de armazenagem, vestuário, escritórios, etc. A instalação

Leia mais

Assistente Financeiro, Assistente de TI e Técnico em Manutenção. Os. Descrição e Requisitos

Assistente Financeiro, Assistente de TI e Técnico em Manutenção. Os. Descrição e Requisitos Vitória, 07 de Maio de 2014. A Selecta, empresa de Recrutamento e Seleção, divulga as vagas de emprego em aberto, com destaque para: Encarregado Societário, Recepcionista, Assistente Financeiro, Assistente

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS Tatiane Vaz Ferreira Daudte 1, Vilma da Silva Santos 2, Edson Aparecida de Araújo

Leia mais

Oportunidades Para sucesso!

Oportunidades Para sucesso! Operador Produção - Chapecó/SC Remuneração: R$ 765.00 Descrição: Auxilia do processo de extrusão e maquinas. 3 primeiros meses trabalho no horário 13:20 as 22:00 Após os 3 meses no horário 21:00 as 05:00

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA Das

Leia mais

BIM BIM. Building Information Modeling no Projeto Estrutural. Impactos e benefícios potenciais. Modelagem de Informação do Edifício Projeto Estrutural

BIM BIM. Building Information Modeling no Projeto Estrutural. Impactos e benefícios potenciais. Modelagem de Informação do Edifício Projeto Estrutural BIM Building Information Modeling no Impactos e benefícios potenciais Nelson Covas BIM Building Information Modeling ou Modelagem de Informação da Construção ou Modelagem de Informação do Edifício Premissas

Leia mais

Memorial Descritivo CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

Memorial Descritivo CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 1/8 GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO AMAPÁ DIVISÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS 1. Normas de referência: NBR 10.897-ABNT 1.1. Outras normas: 2. Nome

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA IF SUDESTE MG REITORIA Av. Francisco Bernardino, 165 4º andar Centro 36.013-100 Juiz de Fora MG Telefax: (32) 3257-4100 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE ESTOQUE PARA A ÁREA DE EXPEDIÇÃO EM UMA EMPRESA DO RAMO AUTOMOTIVO

DIMENSIONAMENTO DE ESTOQUE PARA A ÁREA DE EXPEDIÇÃO EM UMA EMPRESA DO RAMO AUTOMOTIVO DIMENSIONAMENTO DE ESTOQUE PARA A ÁREA DE EXPEDIÇÃO EM UMA EMPRESA DO RAMO AUTOMOTIVO Paula de Moraes Rodrigues (UFSCar) pa_mrodrigues@hotmail.com Mauricio Bissi Pires (UFSCar) mauriciobissi@yahoo.com.br

Leia mais

OS PAINÉIS DE CONTROLE E COMANDO DOS EQUIPAMENTOS ESTÃO INCLUSOS NO VALOR DA PROPOSTA

OS PAINÉIS DE CONTROLE E COMANDO DOS EQUIPAMENTOS ESTÃO INCLUSOS NO VALOR DA PROPOSTA Rio de Janeiro, 02 de dezembro de 2011. UNIDADE TRIAGEM E RECICLAGEM E INCLUSÃO SOCIAL E VALORIZAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS. 01. Proposta Simplificada PRODUTO QUANTIDADE VALOR UNITÁRIO VALOR TOTAL

Leia mais

a) Peso Bruto Total Combinado - PBTC igual ou inferior a 74 toneladas;

a) Peso Bruto Total Combinado - PBTC igual ou inferior a 74 toneladas; RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 211, de 13/11/2006 Requisitos necessários à circulação de Combinações de Veículos de Carga - CVC, a que se referem os arts. 97, 99 e 314 do Código de Trânsito Brasileiro - CTB. O CONSELHO

Leia mais

TRANSPORTADORES DE CORREIA

TRANSPORTADORES DE CORREIA 1. DESCRIÇÃO Os Transportadores de correia é a solução ideal para o transporte de materiais sólidos a baixo custo. Sua construção é compacta e com excelente desempenho funcional. Sua manutenção é simples

Leia mais