Projeto Pedagógico. Curso de Farmácia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto Pedagógico. Curso de Farmácia"

Transcrição

1 0 Projeto Pedagógico Curso de Farmácia Pouso Alegre - MG 2013

2 1 ESTRUTURA UNIVERSITÁRIA Presidente da Fundação Prof. Rafael Tadeu Simões Reitor Prof. Dr. Félix Carlos Ocáriz Bazzano Vice-Reitora Profª Ma. Maria Aparecida Silva Mariosa Pró-Reitora de Graduação Profª Ma. Maria Aparecida Silva Mariosa Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação Profª Dra. Daniela Francescato Veiga Pró-Reitora de Extensão e Assuntos Comunitários Faculdade de Ciências da Saúde Dr. José Antonio Garcia Coutinho Diretor Acadêmico Prof. Dr. Antônio Carlos Aguiar Brandão Vice-Diretor Prof. Me. Pyhtágoras de Alencar Olivotti Curso de Farmácia Coordenador Prof. Me. Pythágoras de Alencar Olivotti Vice-Coordenadora Profª Ma. Ana Lúcia Francisco Bertoncin

3 2 DESCRITORES DO CURSO DE FARMÁCIA Denominação do Curso Modalidade Regime Carga horária do curso (DCN) Farmácia Bacharelado Presencial Seriado semestral horas Carga horária do curso (PPC) Processo Seletivo Número de vagas/ano horas Anual 70 Turno de funcionamento Noturno Última alteração da matriz 2012 Tempo de integralização Coordenador do Curso Formação do Coordenador Regime de Trabalho do Coordenador Mínimo: 10 semestres Máximo: 15 semestres Prof. Me. Pythágoras de Alencar Olivotti Graduação em Farmácia Bioquímica e em Ciências Biológicas Mestrado em Educação Integral Tempo de trabalho de Coordenação 20 horas semanais Autorização Portaria nº 18/2002 Consuni, de 17/09/2002 Reconhecimento Decreto MG, de 30/03/2005 Diretrizes Curriculares Resolução CNE/CES 2, de 19 de Fevereiro de 2002

4 3 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO HISTÓRICO DA UNIVERSIDADE DO VALE DO SAPUCAÍ IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO MANTENEDORA IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO MANTIDA MISSÃO DA UNIVÁS OBJETIVOS E DIRETRIZES PEDAGÓGICAS DA UNIVÁS CONTEXTO EDUCACIONAL HISTÓRICO DO CURSO OBJETIVOS DO CURSO Objetivos Gerais Objetivos Específicos PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO PERFIL PROFISSIOGRÁFICO COMPETÊNCIAS E HABILIDADES GERAIS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES ESPECÍFICAS ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA ORGANIZAÇÃO CURRICULAR EIXOS DE FORMAÇÃO REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DA ESTRUTURA CURRICULAR MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE FARMÁCIA COMPONENTES CURRICULARES METODOLOGIA Pesquisa Trabalho de Conclusão de Curso Jornada Estágio Atividades es Monitoria Infraestrutura de apoio Corpo docente Núcleo docente estruturante - NDE Apoio ao Discente Tecnologias de Informação e Comunicação - TICs FORMAS DE ACESSO AO CURSO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM ANEXOS... 92

5 4 1 APRESENTAÇÃO 1.1 Histórico da Universidade do Vale do Sapucaí A Universidade do Vale do Sapucaí - Univás nasceu da fusão da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Eugênio Pacelli com a Faculdade de Ciências Médicas Dr. Antonio Garcia Coutinho, com o nome de Universidade de Pouso Alegre Unipa, em 8/10/1999, pelo Decreto do Governador do Estado nº Em 2001, visando ampliar o raio de ação da Universidade em toda a região do Vale do Sapucaí, foi solicitada, ao Conselho Estadual de Educação, a alteração do nome para Universidade do Vale do Sapucaí Univás. A aprovação veio com o Decreto Estadual nº , de 21/12/2001. A Univás é mantida pela Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí, que é uma instituição particular, sem fins lucrativos, sendo administrativa e financeiramente autônoma, criada pela Lei Estadual nº 3.227, de 25 de novembro de A Faculdade de Ciências Médicas Dr. José Antônio Garcia Coutinho - Facimpa, hoje Faculdade de Ciências da Saúde Dr. José Antonio Garcia Coutinho, primeira unidade acadêmica da Universidade, obteve autorização para funcionamento de seu Curso de Medicina pelo Decreto nº , em 21 de novembro de 1968, e reconhecimento pelo Decreto nº de 02/12/74. Realizou, em fevereiro de 1969, com grande sucesso o seu primeiro vestibular e, em novembro do mesmo ano, a 1ª Semana Médica, que se tornou uma tradição, possibilitando a presença dos mais renomados conferencistas da área médica brasileira. A Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Eugênio Pacelli- Fafiep obteve autorização pelo Decreto nº , em 23/5/1972, com cursos de licenciatura em Ciências Biológicas, História, Letras e Pedagogia, que funcionam regularmente desde A Universidade do Vale do Sapucaí está localizada na cidade de Pouso Alegre, Sul de Minas Gerais, às margens da Rodovia Fernão Dias BR 381, numa área estratégica e de acesso aos três maiores centros de produção e consumo do país. A cidade é um centro industrial, educacional, e está próxima das estâncias hidrominerais, circuito das malhas e do vale da eletrônica e, situada em uma região com grande potencial em turismo ecológico. A Univás rege-se pela legislação brasileira da educação superior, por seu Estatuto, Regimento Geral, por atos normativos internos e, no que couber, pelo Estatuto da Fundação

6 5 de Ensino Superior do Vale do Sapucaí, sua Mantenedora. É uma instituição de ensino superior presente em Pouso Alegre há quatro décadas, que ao longo de sua existência formou mais de profissionais atuantes no mercado de trabalho. A Universidade oferece educação nos níveis de graduação e pós-graduação stricto sensu e lato sensu, com objetivos de desenvolver conhecimentos e habilidades com as competências necessárias para o futuro profissional. Alguns de seus cursos estão localizados na Unidade Central, na Av. Cel. Alfredo Custódio de Paula, 320, Centro e outros na Unidade Fátima, na Av. Prefeito Tuany Toledo, 470, Fátima I. A Univás conta na área da saúde com o Hospital das Clínicas Samuel Libânio, um Hospital Universitário, que é referência para 54 municípios do Sul de Minas, e atende uma população de, aproximadamente, um milhão e duzentos mil habitantes. O Corpo Docente da Univás dispõe de um número de mestres e doutores superior ao exigido pelo Ministério da Educação - MEC. Em 2004, é realizado na Univás o 1º Congresso de Iniciação Científica com a abertura do evento pelo Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais FAPEMIG. Esse evento significou a entrada do acadêmico na área da pesquisa, firmando-se a Iniciação Científica como uma das vocações da Univás. Em 2005, é recomendado pela CAPES o projeto de Atendimento de Turma Especial (Mestrado Interinstitucional - Minter) pelo Programa em Cirurgia Plástica Reparadora da Universidade Federal de São Paulo UNIFESP oferecido pela Univás. Nos dias 23 e 24 de março de 2006 houve a primeira eleição, na qual foi eleito pela comunidade acadêmica formada por professores, alunos e funcionários o primeiro Reitor da Univás, por um número de votos expressivo. A posse aconteceu no dia 12 de maio de Em 16 de abril de 2007, por Decreto do Governador do Estado, a Univás obteve o reconhecimento, pelo prazo de cinco anos, do Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu em Bioética Mestrado Acadêmico. Em 13 de julho de 2007, por Decreto do Vice-Governador, no exercício do cargo de Governador do Estado, a Univás obteve o reconhecimento, pelo prazo de quatro anos, do Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu em Linguística Mestrado Acadêmico. Este curso obteve, também, reconhecimento conforme Portaria nº 1.045, do Ministro de Estado da Educação, Anexo publicado no Diário Oficial da União- DOU n.º 159, de , Seção 1, página 10/14.

7 6 Em 2008, é aprovado o projeto de Atendimento de Turma Especial de Doutorado Interinstitucional - DINTER pelo Programa de Pós-Graduação em Cirurgia Plástica da Universidade Federal de São Paulo UNIFESP oferecido pela Univás. Em 18/08/2010, pela Portaria nº do Ministro de Estado da Educação, foi reconhecido o Mestrado em Ciências da Linguagem, anteriormente denominado Linguística, e, em 2012, foram recomendados pela Capes os cursos de Pós-Graduação em Educação, nível Mestrado Acadêmico, e em Ciências Aplicadas à Saúde, nível Mestrado Profissional. O Mestrado em Saúde Coletiva oferecido pela Univás em 2007, quando integrante do Conselho Estadual de Educação, obteve convalidação de estudos e validação nacional dos estudos para os 13 (treze) egressos, conforme publicação no DOU, de12/6/2013. Em 19 de setembro de 2013, na 149ª reunião da Capes, o Doutorado em Ciências da Linguagem foi recomendado com a nota 4. A Universidade obteve a renovação de seu credenciamento pelo prazo de 5 (cinco) anos, conforme Decreto de 17/10/2005, publicado no Diário Oficial de Minas Gerais, de 18/10/2005. O recredenciamento deu-se pelo prazo, também, de 5 (cinco) anos, conforme Portaria MEC nº 1139, de 12/9/2012, publicada no Diário Oficial da União, de 13/09/2012, nº 178, Seção 1, p Ciente de sua missão, empenhada na concretização da visão a que se propõe e ancorada nos valores e objetivos que a fundamentam, a Univás procura cumprir seu compromisso com o aluno e com a sociedade em que se acha inserida. 1.2 Identificação da Instituição Mantenedora NOME : FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO SAPUCAÍ SIGLA : FUVS ENDEREÇO : AV. CEL. ALFREDO CUSTÓDIO DE PAULA, 240 CIDADE : POUSO ALEGRE CEP TELEFONE : (35) Identificação da Instituição Mantida NOME :UNIVERSIDADE DO VALE DO SAPUCAÍ ENDEREÇO :AV. PREFEITO TUANY TOLEDO, 470 BAIRRO : FÁTIMA I CIDADE : POUSO ALEGRE CEP

8 7 TELEFONE : (35) HOME PAGE : 1.4 Missão da Univás A Universidade do Vale do Sapucaí Univás, em consonância com suas funções de ensino, pesquisa e extensão e inspirada nos princípios e fins da educação nacional, tem por missão: Contribuir para a formação de indivíduos éticos, socialmente responsáveis e competentes, que possam ser elementos de transformação social na construção de um mundo sempre mais justo, livre e democrático. 1.5 Objetivos e Diretrizes Pedagógicas da Univás Centrada no diálogo e no trabalho em equipe, respeitando os direitos humanos, comprometida com a justiça, a verdade e a ética, a Univás procura desenvolver uma prática reflexiva e humanística promovendo o ser humano em consonância com suas funções de ensino, pesquisa e extensão inspiradas nos princípios e fins da educação nacional. No exercício de sua autonomia, de acordo com os ditames legais e regimentais, respeitando o princípio da indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão, a Univás tem como principais objetivos: a) cumprir função humanística, contribuindo para o processo de consolidação da cidadania brasileira, mediante a primazia da pessoa humana sobre a matéria; primazia do bem comum sobre o bem individual; primazia da justiça e da fraternidade no relacionamento entre as pessoas e da correlação dos direitos e deveres de cada um; b) cumprir função cultural, estimulando as diversas produções culturais, principalmente as regionais, promovendo a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos que constituem patrimônio da humanidade e comunicar o saber por meio do ensino, de publicações ou de outras formas de comunicação;

9 8 c) cumprir função social, atendendo permanentemente a comunidade por meio de projetos e ações integradas, estimulando propostas junto aos diversos setores da sociedade em todos os campos e níveis do saber; d) cumprir função formadora e transformadora, investindo no aluno, para formar diplomados em cidadãos competentes, socialmente responsáveis e empreendedores nas diversas áreas do conhecimento, aptos para a inserção em setores profissionais e para a participação no desenvolvimento da sociedade brasileira, e colaborar na sua formação contínua; e) cumprir função renovadora, buscando o ajuste contínuo às mudanças por que passa a sociedade, criando e reformulando cursos, adotando a flexibilidade como características de métodos, critérios e currículos; f) cumprir função científica, incentivando o trabalho de pesquisa e a investigação, desenvolvendo o entendimento do homem e do meio em que vive e mantendo a possibilidade de expressão de diferentes linhas de pensamento; g) cumprir função administrativa, buscando a viabilidade financeira das atividades exercidas, aumentando a produtividade e a competitividade com redução de custos e sem prejuízo do nível de qualidade; h) cumprir função empreendedora, valorizando o corpo discente como polo convergente das atividades da Univás, valorizando o corpo técnico-administrativo como apoio imprescindível, valorizando o corpo docente como agente fundamental no desenvolvimento das ações que propiciem o alcance dos objetivos da Instituição. 2 CONTEXTO EDUCACIONAL 2.1 Histórico do Curso O curso de Farmácia da Universidade do Vale do Sapucaí - Univás foi criado em 17 de setembro de 2002, Portaria 18/2002 Consuni. A Avaliação das Condições de Ensino do Curso de Farmácia da Univás feita pelo Conselho Estadual de Educação ocorreu no dia 22 de outubro de O curso foi bem avaliado no que tange à organização didático-pedagógica, às condições de oferta e instalações e ao corpo docente.

10 9 Foi reconhecido pelo Decreto MG, de 30 de março de 2005 (Parecer n. 17 de 04 de janeiro de 2005) de emissão do governador do Estado de Minas Gerais. Tinha como característica formar profissionais Farmacêuticos qualificados para a dispensação, manipulação, atenção e assistência farmacêutica, análises clínicas e/ou indústria. A primeira turma ingressou em fevereiro de 2003 e colou grau em janeiro de Um novo projeto pedagógico foi formulado pela Coordenação e pelo Departamento em 2004 e encaminhado ao CONSUNI e foi aprovado através da Resolução CONSUNI 14/2005 em 02 de fevereiro de 2005, Ata Nº 01/2005, passando de modalidades para farmacêutico generalista, procurando atender à Resolução nº 2 do Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Superior, de 19 de fevereiro de O projeto prevê a formação de um profissional generalista com âmbito humanista, crítico e reflexivo, tendo como atribuições essenciais a prevenção, promoção, proteção e recuperação da saúde humana, desenvolvendo atividades associadas ao fármaco e ao medicamento, às análises clínicas e toxicológicas e ao controle, produção e análise de alimentos. A primeira turma generalista ingressou em fevereiro de Sua estrutura foi elaborada visando abranger os conhecimentos dos seguintes campos: Ciências Biológicas e da Saúde, Ciências Exatas, Ciências Humanas e Sociais e Ciências Farmacêuticas, determinados pelas Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Farmácia. Diversos alunos do curso participam de projetos de pesquisa e extensão, com bolsas de pesquisa, ou se envolvem como voluntários em atividades relacionadas à graduação. A participação dos acadêmicos em eventos científicos locais, regionais ou nacionais também tem sido estimulada assim como em atividades de extensão. Semestralmente os acadêmicos participam de programas de monitoria para laboratório ou monitoria de ensino, além de poderem realizar estágio remunerado em diferentes setores (Indústria Farmacêutica, Laboratório de Análises Clínicas, Farmácias de Manipulação, Farmácia de Dispensação, Vigilância Sanitária, etc). Diversas visitas orientadas a estabelecimentos ou empresas farmacêuticas vêm sendo realizadas buscando aproximar o acadêmico da prática profissional. 2.2 Objetivos do Curso Objetivos Gerais Seguindo as tendências das Diretrizes Curriculares nacionais para o curso de graduação em Farmácia, considerando o caráter interdisciplinar da profissão farmacêutica, o

11 10 currículo permitirá a integração entre as ciências exatas, biológicas e da saúde, humanas, sociais e farmacêuticas, despertando, nas séries iniciais, o interesse dos alunos para o desenvolvimento de competências e habilidades gerais, recebendo informações sobre os princípios e fundamentos da profissão, ressaltando sua importância, a responsabilidade do papel social e o compromisso com a cidadania. O profissional farmacêutico formado pela Univás deverá ter sólidos conhecimentos na área de fármacos e medicamentos. Deverá, ainda, possuir formação diferenciada do ponto de vista técnico-científico em decorrência da complexidade de suas áreas de atuação. O curso de Farmácia da Univás tem como eixo principal: - A inserção do farmacêutico no Sistema Único de Saúde; - Atenção Farmacêutica individual e coletiva; - Dispensação de medicamentos; - Orientação à comunidade no uso racional de medicamentos; - Desenvolver, produzir e controlar a qualidade de fármacos e medicamentos, promovendo o desenvolvimento industrial da Região; - Exames bromatológicos e toxicológicos; - Planejar e gerenciar serviços farmacêuticos; - Monitorar farmacoterapia; - Dermatologia e Cosmetologia; - Estruturação da pesquisa na área de Saúde; - Monitorar farmacovigilância. Dessa forma, o curso de Farmácia da Univás objetiva formar o farmacêutico generalista, apto para atuar com sucesso na indústria farmacêutica, na indústria cosmética, na área de alimentos, nas análises clínicas e toxicológicas, nas farmácias magistrais ou drogarias, nos hospitais ou unidades básicas de saúde ou ainda nas áreas de pesquisa e desenvolvimento Objetivos Específicos O Curso de Farmácia tem como objetivos específicos: a) auxiliar os estudantes no aprendizado de fatos, conceitos e hipóteses para que saibam utilizá-los na interpretação das funções normais e nos distúrbios patológicos, em termos de interações moleculares, bem como permita a resolução dos problemas que usualmente ocorrem nas áreas de produção e controle de qualidade, quer seja de processos, quer seja de produtos;

12 11 b) ensinar a empregar o método científico na análise e solução de problemas habituando-os ao rigor e a vivência do trabalho em laboratório; c) capacitar os alunos para estudar por si mesmo e estimular o desenvolvimento de um espírito crítico que lhes permita avaliar a literatura disponível, fazendo uso inteligente de seus conhecimentos na aprendizagem e, posteriormente, no exercício profissional; d) desenvolver habilidades no manuseio de materiais biológicos e químicos e familiarizar os alunos com a instrumentação e técnicas a nível laboratorial e industrial, com ênfase na informatização e automação. 3 PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO 3.1 Perfil Profissiográfico Em sintonia com as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Farmácia, de 19 de fevereiro de 2002 e publicada no Diário Oficial da União em 04 de março de 2002, o egresso do curso proposto pela Univás terá formação generalista, humanista, crítica e reflexiva para atuar em todos os níveis de sua habilitação profissional. Estará capacitado para o exercício de atividades de pesquisa, produção e controle de qualidade de fármacos, medicamentos, cosméticos, alimentos e indústria, além de atuar em análises clínicas, toxicológicas, vigilância sanitária e atenção à saúde. Esse profissional deverá se pautar em princípios éticos, com compreensão da realidade social, cultural e econômica do seu meio, visando atuar sempre em benefício da sociedade. 3.2 Competências e Habilidades Gerais O Curso de Farmácia, fundamentado nas Diretrizes Curriculares da área de Saúde, propõe para seus formandos: Atenção à saúde: os profissionais de saúde, dentro de seu âmbito profissional, devem estar aptos a desenvolver ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo. Cada profissional deve assegurar que sua prática seja realizada de forma integrada e contínua com as demais instâncias do sistema de saúde, sendo capaz de pensar criticamente, de analisar os problemas da sociedade e de procurar soluções para os mesmos. Os profissionais devem realizar seus serviços dentro dos mais altos

13 12 padrões de qualidade e dos princípios da ética/bioética, tendo em conta que a responsabilidade da atenção à saúde não se encerra com o ato técnico, mas sim, com a resolução do problema de saúde, tanto em nível individual como coletivo; Tomada de decisões: o trabalho dos profissionais de saúde deve estar fundamentado na capacidade de tomar decisões visando ao uso apropriado, eficácia e custo-efetividade, da força de trabalho, de medicamentos, de equipamentos, de procedimentos e de práticas. Para este fim, os profissionais devem possuir competências e habilidades para avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas; Comunicação: os profissionais de saúde devem ser acessíveis e devem manter a confidencialidade das informações a eles confiadas, na interação com outros profissionais de saúde e o público em geral. A comunicação envolve comunicação verbal, não-verbal e habilidades de escrita e leitura; o domínio de, pelo menos, uma língua estrangeira e de tecnologias de comunicação e informação; Liderança: no trabalho em equipe multiprofissional, os profissionais de saúde deverão estar aptos a assumir posições de liderança, sempre tendo em vista o bem estar da comunidade. A liderança envolve compromisso, responsabilidade, empatia, habilidade para tomada de decisões, comunicação e gerenciamento de forma efetiva e eficaz; Administração e gerenciamento: os profissionais devem estar aptos a tomar iniciativa, fazer o gerenciamento e administração tanto da força de trabalho, dos recursos físicos e materiais e de informação, da mesma forma que devem estar aptos a serem empreendedores, gestores, empregadores ou lideranças na equipe de saúde; Educação permanente: os profissionais devem ser capazes de aprender continuamente, tanto na sua formação, quanto na sua prática. Desta forma, os profissionais de saúde devem aprender a aprender e ter responsabilidade e compromisso com a sua educação e o treinamento/estágios das futuras gerações de profissionais, proporcionando condições para que haja benefício mútuo entre os futuros profissionais e os profissionais dos serviços, inclusive, estimulando e desenvolvendo a mobilidade acadêmico/profissional, a formação e a cooperação através de redes nacionais e internacionais. Estimular o aprendizado de técnicas modernas de gerenciamento de empresas farmacêuticas em qualquer de suas modalidades.

14 Competências e Habilidades Específicas O Curso de Graduação em Farmácia deve assegurar, também, a formação de profissionais com competências e habilidades específicas para: respeitar os princípios éticos inerentes ao exercício profissional; atuar em todos os níveis de atenção à saúde, integrando-se em programas de promoção, manutenção, prevenção, proteção e recuperação da saúde, sensibilizada e comprometida com o ser humano, respeitando-o e valorizando-o; atuar multiprofissionalmente, interdisciplinarmente e transdisciplinarmente com extrema produtividade na promoção da saúde baseado na convicção científica, de cidadania e de ética; reconhecer a saúde como direito e condições dignas de vida e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema; exercer sua profissão de forma articulada ao contexto social, entendendo-a como uma forma de participação e contribuição social; conhecer métodos e técnicas de investigação e elaboração de trabalhos acadêmicos e científicos; desenvolver assistência farmacêutica individual e coletiva; atuar na pesquisa, desenvolvimento, seleção, manipulação, produção, armazenamento e controle de qualidade de insumos, fármacos, sintéticos, recombinantes e naturais, medicamentos, cosméticos, saneantes e domissaneantes e correlatos; atuar em órgãos de regulamentação e fiscalização do exercício profissional e de aprovação, registro e controle de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes e correlatos; atuar na avaliação toxicológica de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes, correlatos e alimentos; realizar, interpretar, emitir laudos e pareceres e responsabilizar-se tecnicamente por análises clínico-laboratoriais, incluindo os exames hematológicos, citológicos, citopatológicos e histoquímicos, biologia molecular, bem como análises toxicológicas, dentro dos padrões de qualidade e normas de segurança;

15 14 realizar procedimentos relacionados à coleta de material para fins de análises laboratoriais e toxicológicas; avaliar a interferência de medicamentos, alimentos e outros interferentes em exames laboratoriais; avaliar as interações medicamento/medicamento e alimento/medicamento; exercer a farmacoepidemiologia; exercer a dispensação e administração de nutracêuticos e de alimentos de uso enteral e parenteral; atuar no planejamento, administração e gestão de serviços farmacêuticos, incluindo registro, autorização de produção, distribuição e comercialização de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes e correlatos; atuar no desenvolvimento e operação de sistemas de informação farmacológica e toxicológica para pacientes, equipes de saúde, instituições e comunidades; interpretar e avaliar prescrições; atuar na dispensação de medicamentos e correlatos; participar na formulação das políticas de medicamentos e de assistência farmacêutica; formular e produzir medicamentos e cosméticos em qualquer escala; atuar na promoção e gerenciamento do uso correto e racional de medicamentos, em todos os níveis do sistema de saúde, tanto no âmbito do setor público como do privado; desenvolver atividades de garantia da qualidade de medicamentos, cosméticos, processos e serviços onde atue o farmacêutico; realizar, interpretar, avaliar, emitir laudos e pareceres e responsabilizar-se tecnicamente por análises de alimentos, de nutracêuticos, de alimentos de uso enteral e parenteral, suplementos alimentares, desde a obtenção das matérias primas até o consumo; atuar na pesquisa e desenvolvimento, seleção, produção e controle de qualidade de produtos obtidos por biotecnologia; realizar análises físico-químicos e microbiológicas de interesse para o saneamento do meio ambiente, incluídas as análises de água, ar e esgoto; atuar na pesquisa e desenvolvimento, seleção, produção e controle de qualidade de hemocomponentes e hemoderivados, incluindo realização, interpretação de exames e responsabilidade técnica de serviços de hemoterapia; exercer atenção farmacêutica individual e coletiva na área das análises clínicas e toxicológicas;

16 15 gerenciar laboratórios de análises clínicas e toxicológicas; atuar na seleção, desenvolvimento e controle de qualidade de metodologias, de reativos, reagentes e equipamentos. realizar, interpretar e controlar a qualidade dos exames clínicos laboratoriais, citológicos e toxicológicos. A formação do farmacêutico deverá contemplar as necessidades sociais da saúde, a atenção integral da saúde no sistema regionalizado e hierarquizado de referência e contrareferência e o trabalho em equipe, com ênfase no Sistema Único de Saúde (SUS). 4 ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA 4.1 Organização Curricular O presente Projeto Pedagógico do curso de Farmácia apresenta uma proposta envolvendo flexibilização vertical e horizontal. A flexibilização vertical supõe três núcleos de formação, assim divididos: núcleo de formação geral; núcleo de formação específica e núcleo de formação pedagógica. A flexibilização horizontal tem por objetivo possibilitar ao aluno desenvolver as várias atividades es e acadêmicas, a partir de quatro Eixos Temáticos: Eixo de Ciências Exatas, Eixo de Ciências Farmacêuticas, Eixo de Ciências Biológicas e da Saúde, e Eixo de Ciências Humanas e Sociais. Os componentes es que compõem o núcleo de formação geral serão obrigatórios para todos os estudantes. Este núcleo contém os componentes que possibilitam ao aluno uma formação sólida, preparando-o através de aulas teóricas e práticas, para compreender o papel e as atribuições do farmacêutico na sociedade, enfrentar problemas e desafios próprios da profissão. Os componentes es estão incluídos nas 4 grandes áreas do conhecimento, a saber: a) Ciências Exatas para suporte das ciências farmacêuticas (Física, Química, Matemática e Bioestatística); b) Ciências Farmacêuticas, que incluem os conteúdos teóricos e práticos relacionados com a pesquisa, desenvolvimento, cosméticos e alimentos, toxicologia, biossegurança, deontologia,

17 16 legislação profissional, gestão administrativa, envolvendo também disciplinas direcionadas à área de Indústria Farmacêutica tais como: Controle de Qualidade Físico-Químico e Microbiológico de Fármacos, Enzimologia, Física Industrial, Análise Instrumental, Tecnologia de Fermentações e Tecnologia de Soros e Vacinas; c) Ciências Biológicas e da Saúde, que incluem conteúdos teóricos, práticos e fundamentação científica da estrutura e da função das células, tecidos, órgãos e sistemas; processos bioquímicos, microbiológicos, parasitológicos e imunológicos; genética e biologia molecular; biotecnologia, estudo de fisiopatologia dos processos patológicos de diferentes aparelhos e sistemas integrados com as análises clínicas, a farmacologia e com a química farmacêutica, bom como conteúdos de saúde pública, fármaco-epidemiologia e fármacovigilância; d) Ciências Humanas e Sociais, que envolvem os conteúdos necessários à compreensão dos determinantes sociais, culturais, comportamentais, psicológicos, ecológicos, éticos e legais para a formação do profissional no exercício da cidadania (Quadro 1). O desenvolvimento da estrutura prevista neste Projeto Pedagógico acompanha o sistema de semestralidade. O aluno, para integralizar a formação no Curso de Farmácia, deverá cursar os componentes es básicos e específicos que compõem o núcleo sólido da matriz (3.296 horas), mais as Atividades es definidas em 120 horas, perfazendo uma carga horária total de horas em atividades distribuídas pelos 10 períodos letivos. Mais ainda, para fazer jus ao diploma de Farmacêutico, o aluno também deverá realizar horas de estágio e apresentar o Trabalho de Conclusão do Curso TCC, totalizando uma carga horária de horas. A qualificação do perfil de Farmacêutico Generalista exigido pelas Diretrizes Curriculares Nacionais será cumprida através dos componentes es do núcleo comum (ciclo pré-profissional), pelos componentes es do ciclo profissional, pelo Estágio e pelo Trabalho de Conclusão de Curso. Com este Projeto Pedagógico, o curso de graduação em Farmácia da Univás deverá ser cumprido em 10 semestres e, no máximo, em 15 semestres, procurando formar profissionais altamente qualificados para atuar em todas as frentes que abrangem a sua habilitação.

18 Eixos de Formação EIXOS TEMÁTICOS CIÊNCIAS EXATAS CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Quadro 1 Distribuição dos componentes es por eixos temáticos Ciências Exatas Ciências Farmacêuticas Bioestatística Aplicada à Farmácia 1º período Química Orgânica 2º período Farmacobotâni ca 3º período Farmácia Hospitalar 5º período Farmacotécnica II 6º período Bioquímica Clínica 9º período Anatomia 1º período Complementos de Matemática 1º período Síntese de Compostos Orgânicos 3º período Farmacognosia I 4º período Farmacotécnica I 5º período Farmacoterapia 6º período Citologia Clínica 10º período Citologia, Histologia e Embriologia 1º período Física Aplicada à Farmácia 1º período Análise Instrumental 7º período Química Farmacêutica 4º período Homeopatia 7º período Toxicologia 7º período Hematologia Clínica 10º período Genética 2º período Química Geral e Inorgânica 1º período Física Industrial 8º período Bromatologia 6º período Atenção Farmacêutica 6º período Controle de Qualidade Físico-Químico de Produtos Farmacêuticos 8º período Microbiologia Clínica 9º período Enfermagem e Primeiros Socorros 3º período Físico-Química 2º período Farmacognosia II 5º período Biotecnologia Farmacêutica 8º período Tecnologia das Fermentações 8º período Parasitologia Clínica 9º período Bioquímica Geral 3º período Química Analítica Qualitativa e Quantitativa 2º período Deontologia e Legislação Farmacêutica 6º período Tecnologia de Soros e Vacinas 10º período Controle de Qualidade Biológico e Microbiológi co de Produtos Farmacêutico s 9º período Cosmetologia 10º período Fisiologia Geral 4º período

19 18 Ciências Biológicas e da Saúde Ciências Humanas e Sociais Parasitologia 3º período Patologia 7º período Introdução às Ciências Farmacêuticas 1º período Políticas de Saúde e Controle Social 5º período Bioquímica Metabólica 4º período Saúde Pública e Epidemiologia 7º período Metodologia Científica 2º período Língua Portuguesa 10º período Farmacologia Geral 5º período Microbiolo gia de Alimentos 8º período Administra ção de Empresas Farmacêuti cas 6º período Libras 9º Período Fisiologia Farmacêutica 5º período Hematologia 9º período Trabalho de Conclusão de Curso 9º e 10º períodos Microbiologia e Imunologia 4º período Atividades es Farmacodinâ mica 6º período Sociologia Aplicada à Farmácia 10º período O presente currículo foi elaborado com o objetivo de dar uma formação sólida ao profissional farmacêutico nas diferentes áreas de atuação. A estrutura do curso busca dar uma abordagem precoce de temas inerentes às atividades profissionais de forma integrada às ciências básicas e em complexidade crescente. A formação humanista também está distribuída ao longo de todo o curso por meio de disciplinas que garantam o embasamento sociocultural e padrões éticos. 4.3 Representação Gráfica da Estrutura Curricular Distribuição dos Componentes Curriculares por Eixos Temáticos Ciências Exatas Ciências Humanas e Sociais Ciências Biológicas e da Saúde Ciências Farmacêuticas 17% 41% 30% 12%

20 19 Gráfico 1 - Distribuição dos Componentes Curriculares por Eixos Temáticos. Distribuição dos Componentes Curriculares nos Eixos Temáticos/ Carga Horária Ciências Exatas Ciências Biológicas e da Saúde Ciências Humanas e Sociais Ciências Farmacêuticas Série Gráfico 2 - Distribuição dos Componentes Curriculares nos Eixos temáticos/carga horária Gráfico 3 - Visão Global da Carga Horária da Estrutura Curricular

Missão. - Estimular a capacidade de análise dos problemas que se apresentam no campo da Saúde Pública e Privada;

Missão. - Estimular a capacidade de análise dos problemas que se apresentam no campo da Saúde Pública e Privada; CURSO: Farmácia Missão O curso tem como missão formar profissionais farmacêuticos capazes de exercer atividades referentes aos fármacos e aos medicamentos, às análises clínicas e toxicológicas, ao controle,

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL 1.1. Perfil Comum: Farmacêutico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva.

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

Projeto Pedagógico. Curso de Farmácia

Projeto Pedagógico. Curso de Farmácia 0 Projeto Pedagógico Curso de Farmácia Pouso Alegre - MG 2013 1 ESTRUTURA UNIVERSITÁRIA Presidente da Fundação Prof. Rafael Tadeu Simões Reitor Prof. Dr. Félix Carlos Ocáriz Bazzano Vice-Reitora Profª

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO Curso: Biomedicina (17) Ano: 2013 Semestre: 2 Período: 2 Disciplina: Anatomia Humana (Human Anatomy) Carga Horária Total: 90 Teórica: 60 Atividade Prática: 30 Prática Pedagógica: 0 Aulas Compl. Tutorial:

Leia mais

FARMÁCIA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC

FARMÁCIA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC FARMÁCIA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: FARMÁCIA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base legal da Mantenedora

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA-FORMAÇÃO FARMACÊUTICO GENERALISTA

CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA-FORMAÇÃO FARMACÊUTICO GENERALISTA CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA-FORMAÇÃO FARMACÊUTICO GENERALISTA Coordenaçăo: Profª. MS. Érika Guimarães Costa E-mail: farmacia@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 217 O Curso forma o profissional

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) Institui Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Medicina Veterinária.

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES Nº 5, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Nutrição. O Presidente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO Curso: Nutrição (04) Ano: 2013 Semestre: 1 Período: 1 Disciplina: Anatomia Humana (Human Anatomy) Carga Horária Total: 90 Teórica: 60 Atividade Prática: 30 Prática Pedagógica: 0 Aulas Compl. Tutorial:

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 30-30 02

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 30-30 02 MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 1º SEMESTRE 1. Anatomia Humana 30 30 60 04-2. Bioestatística Geral 30-30 02-3. Bioética 30-30 02-4. Biofísica 60-60 04-5. Citologia, Histologia e Embriologia

Leia mais

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1 Portaria Credenciamento IES: Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01. Portaria Autorização Administração : Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01 Portaria Reconhecimento Administração : Portaria 3.519 D.O.U.14/10/05. Portaria

Leia mais

FINALIDADES E OBJETIVOS DO CURSO

FINALIDADES E OBJETIVOS DO CURSO 1.Identificação e situação legal - Identificação do curso, ato de criação, início do curso e ato de reconhecimento. CURSO: SITUAÇÃO LEGAL: Medicina Veterinária Dados de Criação/Autorização: Documento:

Leia mais

FFARM Faculdade de Farmácia

FFARM Faculdade de Farmácia FFARM Faculdade de Farmácia Secretaria: Prédio12 - Bloco A Fone: 3320-3512 E-mail: farmácia@pucrs.br www.pucrs.br/farmacia Departamentos: Análises Clínicas e Toxicológicas n.º 351 Desenvolvimento e Produção

Leia mais

ODONTOLOGIA ANATOMIA HUMANA GERAL 1º Período / Carga Horária: 90 horas

ODONTOLOGIA ANATOMIA HUMANA GERAL 1º Período / Carga Horária: 90 horas ODONTOLOGIA ANATOMIA HUMANA GERAL 1º Período / Carga Horária: 90 horas 1. PRÉ-REQUISITO: Não há Pré-Requisitos 2. EMENTA: Conceito de Anatomia com as diversas formas de seu estudo. Conceito de normal,

Leia mais

Competências e Habilidades Específicas:

Competências e Habilidades Específicas: DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Enfermeiro, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Profissional qualificado

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado

Leia mais

FISIOTERAPIA - GRADUAÇÃO

FISIOTERAPIA - GRADUAÇÃO FISIOTERAPIA - GRADUAÇÃO CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: Curso De Graduação Em Fisioterapia. DIPLOMA CONFERIDO: BACHAREL NÚMERO DE VAGAS: 225 VAGAS ANUAIS TURNOS DE OFERTA: NOTURNO REGIME LETIVO:

Leia mais

Matriz Curricular Bacharelado em Farmácia

Matriz Curricular Bacharelado em Farmácia Matriz Curricular Bacharelado em Farmácia Semestre 1 01 Introdução às Ciências Farmacêuticas 30 30-2 - 02 Anatomia 75 30 45 5-03 Biologia Celular e Molecular 60 30 30 4-04 Química Geral e Inorgânica 75

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa Email: liamara@uniarp.edu.br Período/ Fase: 1ª Fase Semestre:

Leia mais

PREMISSAS DE ORIENTAÇÃO DAS DCN

PREMISSAS DE ORIENTAÇÃO DAS DCN DOCUMENTO CONSOLIDADO ABEF/COMENSINO/CAEF PREMISSAS DE ORIENTAÇÃO DAS DCN As Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Farmácia (DCNs) constituem orientações para a elaboração dos currículos

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista PLANO DE ENSINO - ENFERMAGEM

Faculdade da Alta Paulista PLANO DE ENSINO - ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO - ENFERMAGEM DISCIPLINA SÉMESTRE PERÍODO LETIVO CARGA HORÁRIA ANATOMIA HUMANA 1ª 2014 160 hs I EMENTA Anatomia Sistêmica e Descritiva. Estudo morfofuncional dos principais sistemas orgânicos.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 02/2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO Aprova a estrutura curricular do Curso de Nutrição, na modalidade bacharelado,

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 MED-100 - Unidades de Ensino da área de conhecimento das bases moleculares e celulares dos processos normais e alterados, da estrutura e função

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 2, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 2, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 2, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) Institui Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Biomedicina. O Presidente

Leia mais

a) ÁREA DE CONHECIMENTO BÁSICO: História do Pensamento Econômico/História Econômica.

a) ÁREA DE CONHECIMENTO BÁSICO: História do Pensamento Econômico/História Econômica. Campus Governador Valadares Concurso 106: Departamento de Economia Proc. nº 23071.009825/2013-25 Vaga(s): 01(uma) Classe A: Professor Assistente A a) ÁREA DE CONHECIMENTO BÁSICO: Econometria. DAS PROVAS:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 19/04-CEPE

RESOLUÇÃO Nº 19/04-CEPE RESOLUÇÃO Nº 19/04-CEPE Fixa o Currículo Pleno do Curso de Farmácia, do Setor de Ciências da Saúde. O, órgão normativo, consultivo e deliberativo da Administração Superior, no uso de suas atribuições conferidas

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às CURSO: ENFERMAGEM Missão Formar para atuar em Enfermeiros qualificados todos os níveis de complexidade da assistência ao ser humano em sua integralidade, no contexto do Sistema Único de Saúde e do sistema

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21/10/11 - DOU de 24/10/11 PLANO DE CURSO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21/10/11 - DOU de 24/10/11 PLANO DE CURSO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21/10/11 - DOU de 24/10/11 Componente Curricular: Citologia e Histologia Código: Pré-requisito: ---- Período

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Biologia Geral, Citologia e Genética Estudo da célula, seus componentes e relação com as funções

Leia mais

Informações do PPC que constarão na página eletrônica do Curso. Missão

Informações do PPC que constarão na página eletrônica do Curso. Missão Informações do PPC que constarão na página eletrônica do Curso CURSO: Biomedicina Missão O Curso de Biomedicina tem como missão a formação de um profissional generalista, humanista, crítico e reflexivo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROJETO PRÓ-SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROJETO PRÓ-SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROJETO PRÓ-SAÚDE Florianópolis, 09 de novembro de 2007. Da: Coordenadoria do Curso de Graduação em

Leia mais

Bacharelado em Medicina Veterinária

Bacharelado em Medicina Veterinária Bacharelado em Medicina Veterinária INFORMAÇÕES Duração do Curso: 05 anos (10 semestres) Horário: Manhã Número de Vagas: 100 anuais Coordenador: Profº Dr. Carlos Tadeu Bandeira de Lavor O CURSO O Curso

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA Coordenaçăo: Profª. MS. Mara Rosana dos Santos E-mail: nutricao@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 211 Ser Nutricionista É atuar em todas

Leia mais

Farmácia. ~ Projeto Pedagógico ~

Farmácia. ~ Projeto Pedagógico ~ Farmácia ~ Projeto Pedagógico ~ Projeto Pedagógico do Curso de Farmácia ~ 2012 ~ 2 Sumário 1) Dados gerais... 4 2) Histórico... 4 3) Organização institucional... 4 4) Justificativa... 7 5) Concepção do

Leia mais

C.H DISCIPLINAS T P CRÉDITO

C.H DISCIPLINAS T P CRÉDITO Resolução UNICASTELO GR/ nº. 070 / 09 O Reitor e Presidente do Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão CONSEPE e do Conselho Universitário CONSUN, Gilberto Luiz Moraes Selber, no uso das atribuições legais,

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 2ª Série Anatomia II Educação Física A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS MATRIZ 3 1º AO 3º PERÍODO 1 º Período C.H. Teórica: 90 C.H. Prática: 90 C.H. Total: 180 Créditos: 10

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

MEDICINA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1

MEDICINA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 MEDICINA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: MEDICINA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base legal da Mantenedora

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

CONSIDERANDO: os critérios e os padrões de qualidade estabelecidos pela UFPB para formação de profissionais;

CONSIDERANDO: os critérios e os padrões de qualidade estabelecidos pela UFPB para formação de profissionais; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 34/2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Química Industrial, Bacharelado,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 76/2014-CONSUNIV/UEA Aprova a reformulação do Projeto Pedagógico do Curso de

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 76/2014-CONSUNIV/UEA Aprova a reformulação do Projeto Pedagógico do Curso de UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 76/2014-CONSUNIV/UEA Aprova a reformulação do Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em Enfermagem, de oferta regular em Manaus.

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições;

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº /2010 Altera a estrutura curricular do Curso de Graduação em Medicina, do Centro

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 12/2012 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 1) Área de Conhecimento:

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO Este documento regulamenta os estágios obrigatórios e não obrigatórios do Curso de Bacharelado em Biomedicina visando à formação integral do

Leia mais

Curso. Administração. Arquitetura. Ciências Biológicas

Curso. Administração. Arquitetura. Ciências Biológicas FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA /FCSES EDITAL Nº002/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 2º SEMESTRE DE 2014 1 A Secretária Geral da Faculdade Católica

Leia mais

INFORMAÇÕES DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE FARMÁCIA

INFORMAÇÕES DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE FARMÁCIA 1 INFORMAÇÕES DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE FARMÁCIA Justificativa da oferta do curso O curso de Farmácia da Universidade do Sagrado Coração está inserido no âmbito do Centro de Ciências da Saúde e

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 38/2001 ALTERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ENFERMAGEM, REGIME SERIADO SEMESTRAL, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso

Leia mais

Projeto Pedagógico. Curso de Enfermagem. Noturno

Projeto Pedagógico. Curso de Enfermagem. Noturno Projeto Pedagógico Curso de Enfermagem Noturno Pouso Alegre- MG 2013 2 ESTRUTURA UNIVERSITÁRIA Presidente da Fundação Prof. Rafael Tadeu Simões Reitor Prof. Dr. Félix Carlos Ocáriz Bazzano Vice-Reitora

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 02/2012 Aprova a estrutura curricular contida no Projeto

Leia mais

DISCIPLINAS CHP CHS CHST CHSP

DISCIPLINAS CHP CHS CHST CHSP MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA (Bacharelado) Aplicada aos Ingressantes a partir de 2011/1 Turnos Integral Matutino/Vespertino e Integral Vespertino/Noturno 1 o Período BIOLOGIA CELULAR

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA

CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNAMBUCANO DIREÇÃO DE ENSINO DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR 1. Perfil do Curso CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR FUNÇÃO: Educação para Saúde SUBFUNÇÃO OU COMPONENTE CURRICULAR: ANATOMIA

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS. Duração do Curso: semestral mínimo de 09 e máximo de 18 em horas-aula: 4.320. Vagas oferecidas: 50 semestrais - matutino)

INFORMAÇÕES GERAIS. Duração do Curso: semestral mínimo de 09 e máximo de 18 em horas-aula: 4.320. Vagas oferecidas: 50 semestrais - matutino) INFORMAÇÕES GERAIS Habilitação: Farmacêutico, podendo exercer todas as competências inerentes ao profissional farmacêutico, incluindo atuação em Farmácia Comunitária, manipulação de fórmulas magistrais,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia. O Presidente

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM UBERABA MG 2010 INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR ACADÊMICO

Leia mais

Curso de Graduação em Medicina

Curso de Graduação em Medicina Curso de Graduação em Medicina Disciplina: Histologia e Citologia Ano: 2012 Série: 1º ano Carga Horária: 172 horas teórico-práticas Departamento: ogia Coordenador: Profa. Duarte Barros Considerações: A

Leia mais

P R O G R A M A PRIMEIRA FASE

P R O G R A M A PRIMEIRA FASE UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE - CEFID DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - DEF CURSO: LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA CURRÍCULO: 2008/2 P R O G

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM NUTRIÇÃO

MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM NUTRIÇÃO MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM PRIMEIRO PERÍODO / 1 O ANO CIÊNCIAS SOCIAIS, HUMANAS E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Sociologia, Antropologia e Filosofia 2-40 Iniciação à Pesquisa em Nutrição 2-40 Leitura

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior COLEGIADO CES PARECER CNE/CES 105/2002 - HOMOLOGADO Despacho do Ministro em 9/4/2002, publicado no Diário Oficial da União de 11/4/2002, Seção 1, p. 14. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO:

Leia mais

Onde os Biomédicos atuam?

Onde os Biomédicos atuam? Onde os Biomédicos atuam? Os profissionais Biomédicos estão distribuídos por todas as esferas científicas públicas e privadas das universidades, faculdades, centros universitários, institutos de pesquisas,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 08/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Enfermagem, modalidade bacharelado,

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ANATOMIA DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA GERAL DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ANATOMIA DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA GERAL DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ANATOMIA DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA GERAL DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA PROGRAMA DO MÓDULO 6MOD059 CONCEPÇÃO E FORMAÇÃO DO CORPO HUMANO ODONTOLOGIA 1º ano LONDRINA

Leia mais

Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de

Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de boticários na Universidade de Coimbra. 1772: Reforma da

Leia mais

Edital n 37/2011 Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. Anexo I Cargos e Vagas

Edital n 37/2011 Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. Anexo I Cargos e Vagas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO Edital n 37/2011 Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor

Leia mais

Avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas;

Avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas; CURSO: FISIOTERAPIA Missão O curso de Fisioterapia da Universidade Estácio de Sá, através de uma estrutura embasada em princípios contemporâneos, tem por missão a formação de um fisioterapeuta generalista,

Leia mais

Matriz Curricular. 1º Período Nome da disciplina

Matriz Curricular. 1º Período Nome da disciplina Matriz Curricular A grade curricular proposta para o Curso de Farmácia abrange três modalidades de disciplinas: disciplinas básicas, que serão comuns aos cursos de Bioquímica, Enfermagem e Medicina, disciplinas

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Cirurgião dentista, profissional generalista, com sólida formação técnico-científica,

Leia mais

1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA

1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA 1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA 1 2. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA Para melhor entendimento desta proposta de reestruturação curricular apresentamos

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

RESOLUÇÃO CA Nº 001/2013

RESOLUÇÃO CA Nº 001/2013 RESOLUÇÃO CA Nº 001/2013 Aprova a alteração na Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética, da Faculdade Independente do Nordeste. O Conselho Acadêmico - CA da Faculdade

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA /FCSES EDITAL Nº002/2013 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 1º SEMESTRE DE 2013 A Secretária Geral da Faculdade Católica

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste CURSO DE FARMÁCIA 1 Biossegurança FAR1201 2 40 Cálculo Aplicado FAR1202 3 60 Química Geral Teórica FAR1203 3 60 Química Geral Experimental FAR1204 3 60 Anatomia FAR1205 5 100 Biologia Celular FAR1206 3

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE BIOMEDICINA. Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE BIOMEDICINA. Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE BIOMEDICINA Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Fase Cod. Disciplina P.R Carga Horária Teórica Prática

Leia mais

FEFUC CURSO DE BACHARELADO EM BIOMEDICINA

FEFUC CURSO DE BACHARELADO EM BIOMEDICINA 1 FEFUC CURSO DE BACHARELADO EM BIOMEDICINA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE BIOMEDICINA I. Campos de atuação O biomédico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva,

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA Departamento de Biotecnologia, Genética e Biologia Celular Centro de Ciências Biológicas Universidade Estadual de Maringá Coordenador: Prof. Dr. João Alencar Pamphile

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA GERAL/FCSES EDITAL Nº009/2010 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 2º SEMESTRE DE 2010 A Secretária Geral da Faculdade

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Habilitação: Bacharel em Medicina Carga Horária: 8220 horas Regime: Semestral Turno de Aplicação: Integral

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Habilitação: Bacharel em Medicina Carga Horária: 8220 horas Regime: Semestral Turno de Aplicação: Integral FAHESA - Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína. ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. Av. Filadélfia, 568 Setor Oeste Araguaína TO CEP 77.816-540 Fone:

Leia mais

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CREDENCIAMENTO DE DOCENTE ESP-MG Nº 015/2011

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CREDENCIAMENTO DE DOCENTE ESP-MG Nº 015/2011 ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CREDENCIAMENTO DE DOCENTE ESP-MG Nº 015/2011 PROJETO: Curso Técnico em Hemoterapia DOCENTE DE CONCENTRAÇÃO Atribuições: ministrar aulas teóricas Habilitação

Leia mais

Biblioteca NMS/FCM ORIENTAÇÃO DE ESTANTES

Biblioteca NMS/FCM ORIENTAÇÃO DE ESTANTES Biblioteca NMS/FCM ORIENTAÇÃO DE ESTANTES ASSUNTO Classificação Estante Prateleira ABORTO espontâneo WQ 225 29 5 terapêutico WQ 440 30 5 ACIDENTES WA 250-292 15 3 ALERGOLOGIA veja em ANÁLISES CLÍNICAS

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE BIOMEDICINA

CATÁLOGO DO CURSO DE BIOMEDICINA CATÁLOGO DO CURSO DE BIOMEDICINA ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Biomedicina Nome da Mantida: Centro Universitário de Rio Preto Endereço de Funcionamento do Curso: Rua Yvette Gabriel Atique, 45 Bairro

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 156/2010

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 156/2010 RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 156/2010 Aprova a reestruturação curricular e fixa normas de regulamentação para o Curso de Graduação em Farmácia. O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade

Leia mais

CURSO DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CURSO DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CURSO DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS 1. OBJETIVOS DO CURSO O Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos tem como objetivo geral formar tecnólogos com visão estratégica em Recursos Humanos,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 51/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ODONTOLOGIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR

ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR EDITAL 162/2013 Curso Sem. Disciplina Perfil do Docente Administração 1º Teoria Geral da Administração Administração 1º Empreendedorismo Administração 1º Sociologia das Organizações

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Semestre 1 Semestre 2

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Semestre 1 Semestre 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Cálculo I 40 Cálculo II 40 Princípios Desenvolvimento de Algoritmos I 80 Princípios Desenvolvimento de Algoritmos II 80 Matemática 40 Lógica Matemática 40 Probabilidade

Leia mais

EDITAL PROGRAD nº 46, de 27 de novembro de 2015 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA

EDITAL PROGRAD nº 46, de 27 de novembro de 2015 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA EDITAL PROGRAD nº 46, de 27 de novembro de 2015 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA A Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), no uso

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Metodologia Científica Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceito e concepção de ciência

Leia mais

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM: PRÁXIS ENFERMAGEM ESTÉTICA

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM: PRÁXIS ENFERMAGEM ESTÉTICA Faculdade Campo Limpo Paulista CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM: PRÁXIS ENFERMAGEM ESTÉTICA PROJETO PEDAGÓGICO 2015 Sumário 1. Curso e Área de Conhecimento 2.Objetivo 3.Público-Alvo 4.Coordenador 5.Duração

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

CIENCIAS MOLECULARES E CELULARES

CIENCIAS MOLECULARES E CELULARES CIENCIAS MOLECULARES E CELULARES Profa. Ms Solange A O Neves Curso: Enfermagem 1 Apresentação do docente Professora Ms Solange Aparecida de Oliveira Neves 2 Curso: Enfermagem Disciplina: Ciências Moleculares

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV

RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV Fixa o currículo do Curso de Graduação em Medicina, na modalidade Bacharelado, da Universidade do Estado do Amazonas. A REITORA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS e PRESIDENTE

Leia mais