DISTRIBUIDORA DE MEDICAMENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DISTRIBUIDORA DE MEDICAMENTOS"

Transcrição

1 Página 1 de 14 DISTRIBUIDORA DE MEDICAMENTOS FICHA TÉCNICA Setor da Economia : terciário Ramo de Atividade : comércio Tipo de Negócio : distribuidora de medicamentos Produtos Ofertados/Produzidos : distribuição de medicamentos e perfumarias para o varejo farmacêutico, clínicas e hospitais Investimento Inicial : R$ 150 mil Área: 150m² APRESENTAÇÃO Compromisso permanente em oferecer medicamentos de qualidade, com procedência comprovada e adequadamente conservados, atendendo as expectativas de seus clientes de forma rápida e segura: esse deve ser o objetivo principal de uma distribuidora de medicamentos. Para isso, é necessário: um bom relacionamento com a indústria; excelente nível de serviço, utilizando processos avançados que garantem a qualidade e o controle dos estoques e capacitação, rapidez, confiabilidade e simpatia no processo de comunicação com o cliente. A distribuidora é um elo importante entre a indústria e o varejo, facilitando, inclusive, a comunicação entre ambos. MERCADO De acordo com a ABAFARMA Associação Brasileira do Atacado Farmacêutico, divulgou que em 2009 que as distribuidoras de medicamento comercializaram cerca de 13 bilhões de reais até o mês de outubro. Aproximadamente 1 bilhão de reais foram das vendas de genéricos para as farmácias e drogarias. A ABAFARMA pretende em 2010 manter um nível de estudo elevado sobre os faturamentos das distribuidoras, objetivando avaliar, como estas estão conduzindo as negociações juntos as redes de farmácias e drogarias, buscando identificar melhores estratégias de comercialização para a obtenção de um desempenho ainda maior para este ano. LOCALIZAÇÃO A escolha do local e do espaço físico necessário para instalar seu negócio é uma decisão muito importante para o sucesso do empreendimento. Ele deve oferecer infraestrutura adequada e condições que propiciem o seu desenvolvimento. Não há necessidade de um local com muito movimento (normalmente, mais caros). O ideal é que esteja acessível ao seu público-alvo, o que, inclusive, diminuirá os custos com transporte. Assim a localização deve ser estratégica, visando o suprimento e distribuição, conforme a localização dos fornecedores e de seus clientes, lembrando que os custos logísticos devem ser minuciosamente controlados para que a margem de lucro não seja prejudicada, afinal, estamos lidando com uma empresa onde o negócio principal é a distribuição. Antes de abrir uma distribuidora de medicamentos, o empreendedor deverá

2 Página 2 de 14 informar-se junto à prefeitura do município e à Secretaria de Vigilância Sanitária sobre as exigências para o funcionamento. O imóvel, por exemplo, deve ser arejado, com piso frio e lavável. Além disso, as atividades econômicas da maioria das cidades são regulamentadas pelo Plano Diretor Urbano (PDU). É essa Lei que determina o tipo de atividade que pode funcionar em determinado endereço. A consulta de local junto à Prefeitura é o primeiro passo para avaliar a implantação de sua distribuidora. Na Prefeitura de Vitória o PDU é fornecido a partir de consulta no site. ESTRUTURA A estrutura básica deve contar com uma área mínima de 150M², que será distribuída entre o escritório, estoque e loja. As instalações, além das áreas comercial e administrativa, poderá dispor de salas para cursos e treinamentos. Esses treinamentos poderão ocorrer com os clientes, isso pode ser considerada uma estratégia de estreitamento de contato com o cliente (as farmácias, medidos...) As posições e distribuição dos displays para apresentação dos produtos, balcões de atendimento, depósitos, entre outros é importante para a integração das atividades a serem executadas. Para alcançar satisfatoriamente a produção desejada, você deverá considerar o layout interno (ambiente, decoração, facilidade de movimentação, luminosidade, entre outros) e o externo (vitrinas, fachada, letreiros, entrada e saída, estacionamento, entre outros) da sua empresa. EQUIPAMENTOS Os equipamentos implementados dependerão substancialmente a estrutura que vai ser montada. Um projeto básico certamente contará com: Balcões Prateleiras e/ou rack Móveis Veículo - paleteira pequena Linha telefônica, fax e computador INVESTIMENTOS O investimento varia muito de acordo com o porte do empreendimento e do quantitativo de que dispõe o investidor. Considerando uma distribuidora de pequeno porte, montada numa área de 150 m2, será necessário um investimento de R$ 150 mil aproximadamente. O investimento abrange as instalações, equipamentos, estoque de produtos, despesas de abertura da empresa e reserva de segurança. Grande parte desse recurso destina-se à formação estoque e do capital de giro, visando garantir as primeiras compras à vista. Investindo em AUTOMAÇÃO Uma tendência cada vez mais presente nas empresas que buscam o sucesso é automatizar as diversas atividades desenvolvidas. A automação melhora o dinamismo dos serviços oferecidos, reduzindo filas, tempo de espera, agilizando a emissão de notas fiscais, entre outros. Existem muitas opções que possibilitam essa facilidade: caixas eletrônicas isoladas ou integradas, impressoras para preenchimento automático de cheques, impressoras de notas fiscais nos caixas, código de barras nos produtos, banco de dados sobre cada produto ou serviço e cadastro de clientes. Investigue de que forma a adoção de um equipamento dessa natureza pode ser capaz de incrementar seus lucros. PESSOAL

3 Página 3 de 14 A mão de obra básica deve ser constituída de (a): Equipe Administrativa. Será a responsável pela administração geral do empreendimento. Equipe de compras. Será a responsável pelas compras dos medicamentos e terá de lidar com os laboratórios. Equipe de RH. Será a responsável por capacitar os funcionários. Telemarketing. A equipe de telemarketing é um dos pontos-chave da empresa, praticamente todas as distribuidoras de medicamentos possuem uma forte equipe neste setor, e ele é responsável por uma grande porcentagem das vendas. Equipe de vendas. O setor de vendas cuidará do combate corpo a corpo, ou seja, será a equipe que sairá a campo, visitando os clientes a procura de pedidos. Equipe de distribuição. É o setor básico destas empresas, já que a entrega de medicamentos, de preferência, deve ser feita com grande rapidez. É válido lembrar que o número de funcionários irá variar de acordo com a estrutura do empreendimento. Na hora de selecionar as pessoas que irão trabalhar na sua empresa, você deve levar em consideração as habilidades específicas exigidas para cada tipo de atividade que desenvolverão. A equipe de vendas, por exemplo, deverá ser formada por profissionais altamente qualificados. Em vista disso, torna-se necessário investir em constantes treinamentos junto aos seus fornecedores. Mas existem características que são comuns aos profissionais de todas as áreas: pessoas felizes com a vida, criativas, ágeis, prestativas e que tenham iniciativa. Essas características podem ser desenvolvidas através de treinamentos periódicos, lembrando que não só os funcionários e gerentes devem ser treinados, mas também, o dono do empreendimento deve sempre se atualizar para se manter competitivo no mercado. PROCESSOS PRODUTIVOS Ao investir numa distribuidora de medicamentos, o empreendedor deverá possuir conhecimento do setor e noções básicas sobre gestão de estoques, tendo em vista a quantidade de itens comercializados nesse tipo de comércio. A seguir, apresentamos alguns dos principais itens, além desses, há outros grupos de substâncias, a saber: - Antibióticos - Antiinflamatórios - Cardiovasculares - Analgésicos - Trato Gastrintestinal Anti-helmínticos Antifúngicos Bronco-dilatadores Anticonvulsivantes Antidepressivos Antiulcerosos Antimicóticos Diuréticos Antiparasitários Antiviróticos Controlados por computadores e com reposição diária, os estoques devem contar com itens variados. A fim de conhecer novos produtos e de antecipar-se às

4 Página 4 de 14 necessidades da profissão, aconselha-se manter ligação com pólos científicos e acadêmicos do setor. O conhecimento técnico também é obtido através de contatos com fornecedores. É também importante buscar os últimos lançamentos e tendências do mercado internacional. Ao dispor de um estoque diversificado a preços competitivos, a distribuidora aprimora-se e passa a garantir maior agilidade nas negociações. Segundo empresários do ramo, é possível iniciar as atividades vendendo itens básicos e ir aumentando o leque conforme a procura. Pode-se chegar a mais de 400 fornecedores de medicamentos e perfumarias, com diversificação aproximada de 15 mil itens estocados. Além de oferecer o melhor preço, atendimento, estacionamento próprio e variedade de produtos nacionais e importados, é preciso criar facilidades para os clientes. Avançam nessa área quem entrar no mundo da Internet, e estabelecer novas formas de relacionamento com o cliente através da criação de sua loja virtual. Alguns dos medicamentos necessitam de condições especiais: óleos, supositórios, antitóxicos, vacinas e extratos glandulares devem ser guardados em lugar fresco ou às vezes em geladeiras. Mas basicamente o galpão deve ser bem arejado para que a temperatura não oscile muito conforme as condições climáticas. Caso se comercialize medicamentos controlados, como é o caso dos psicotrópicos, estes devem ficar em uma área fechada e guardada sob chave, destinada apenas para a armazenagem destes. COMEÇANDO Uma vez colocado em funcionamento o novo negócio, estabelece-se um novo desafio: a sua gestão competitiva, capaz de oferecer ao mercado os melhores produtos e serviços e assegurar o retorno do capital investido. Gerenciar o negócio significa colocar à prova o talento, o conhecimento e a experiência do empreendedor. Administrar é o processo de organizar o que foi planejado, assegurando a liderança e o controle na execução do trabalho de todos que fazem parte direta ou indiretamente da empresa. É usar os recursos administrativos disponíveis com vistas a alcançar os objetivos estabelecidos. E é aqui que entra a importância da busca contínua de informações. Estas podem ser adquiridas através da leitura, vídeos técnicos e administrativos, em feiras, palestras, treinamentos, e outros eventos. O próprio SEBRAE oferece muitos cursos de aperfeiçoamento: Administração Básica para Pequenas Empresas, Técnicas para Negociações, Lucratividade Crescer, Sobreviver ou Morrer, Análise e Planejamento Financeiro, Controles Financeiros, Desenvolvimento das Habilidades Gerenciais, Gestão de Pessoas, entre outros. Nessa atividade é muito importante estabelecer estratégias de vendas, muitas distribuidoras oferecem vantagens aos médicos para indicação dos medicamentos. Nas farmácias o ponto principal é o prazo de entrega, atualmente as farmácias mantêm estoques muito pequenos, dessa forma, é a distribuidora que deve suprir essa nova forma de atuação das drogarias. CLIENTES Para ganhar projeção no mercado você deve lançar um olhar crítico sobre seu futuro negócio, analisá-lo do ponto de vista do consumidor e a partir daí definir a clientela que pretende conquistar. Você pode começar identificando segmentos específicos e levantar informações como renda, idade, classe social, nível de instrução, etc., para traçar o perfil dos futuros consumidores do produto que sua empresa venderá.

5 Página 5 de 14 Será também a capacidade de investimento que determinará o tamanho do empreendimento e, conseqüentemente, o seu público-alvo. Veja a seguir: - Pequeno Porte. É aquela distribuidora de medicamentos que terá basicamente como público-alvo as farmácias, drogarias e postos de saúde da região em que estiver instalada. Médio e Grande Porte. No caso de uma distribuidora de médio a grande porte sua área de atuação pode estender-se a hospitais e grandes centros médicos. É fundamental que se tenha ideia do público que pretende atingir, ou seja, o número de farmácias, drogarias, consultórios, dentre outros da cidade ou região em que pretende atuar. Apesar de arriscado, a empresa pode direcionar suas vendas a órgãos públicos. Para evitar inadimplência, comum nesse tipo de transação, empresários experientes no ramo fornecem ao Estado e Município, desde que os recursos sejam provenientes do Governo Federal. DIVULGAÇÃO Outro fator importante é o marketing, já que ele é feito por este tipo de empresa utilizando basicamente peças de exposição nos estabelecimentos dos clientes (o vendedor costuma levar pôsteres, calendários e outros tipos de peças promocionais às farmácias e drogarias, divulgando assim o nome da empresa). O ditado popular diz que a propaganda é a alma do negócio, mas a gente pode continuar dizendo que os "músculos" também são importantes. Assim, entendemos que dotar os clientes internos (funcionários, os "músculos" do negócio) de informações sobre os produtos oferecidos é a chave para vendê-los ao cliente externo. Voltando à "alma do negócio", concluímos que para atingir o consumidor e garantir as vendas, você deve planejar o seu marketing. E como fazer isso? A primeira sugestão é fazer uma análise da sua realidade: identifique quais são os custos de seus serviços, adapte-os e busque a otimização de sua alocação. Mantenha seus consumidores motivados, partindo para uma revisão da sua estrutura de comercialização, avaliando paralelamente, se essa estrutura atinge seu mercadoalvo com sucesso. Lembre-se que o marketing deve ser contínuo e sistêmico. Considere ainda, que num plano de marketing é importante o conhecimento de elementos como preço, produto (serviço), ponto (localização) e promoção. Avaliar as preferências e necessidades de seus clientes em relação às funções, finanças, facilidade, "feeling" (sensibilidade) e futuro. DIVERSIFICAÇÃO Para alcançar o sucesso neste mercado é importante oferecer diferenciais, além de procurar novas formas de apresentar os produtos, tornando-os mais atrativos que os do concorrente. Atento às novas tendências, o empresário deve apostar nas vendas on-line. Uma ideia é organizar palestras e cursos sobre temas ligados à saúde e dispor de um veículo para realização de entregas. E para atender as necessidades de seus clientes de forma mais abrangente, uma sugestão é distribuir também os chamados correlatos. São substâncias, produtos, aparelhos ou acessórios cujo uso ou aplicação está ligado à defesa e proteção da saúde individual ou coletiva, à higiene pessoal ou de ambientes, ou com fins diagnósticos e analíticos. Alguns exemplos desses produtos são as ataduras, algodão, esparadrapo, compressas, nebulizadores, entre muitos outros. LEMBRETES

6 Página 6 de 14 Numa economia que tende à estabilização, saber definir o preço certo dos seus produtos é uma das ferramentas mais importantes da sua empresa. Harmonizar o desejo do consumidor e a expectativa de ganho do proprietário é o grande desafio. Enquanto o consumidor sempre deseja pagar menos e ter mercadorias de qualidade, o sonho do empresário é obter o melhor retorno, com o menor custo. Uma sugestão é buscar inspiração para essa "arte" em cursos que orientem o empreendedor a equacionar essa questão, como por exemplo, aqueles que ensinam a formação de preços. O relacionamento da distribuidora deve estar em foco junto ao cliente de forma intensiva sempre. A relação entre a distribuidora e os laboratórios/fornecedores irão impactar no atendimento as farmácias, médicos e outros clientes. O empreendedor deve ser capaz de enxergar todo esse processo de maneira sistêmica. NOTÍCIAS 2009: Distribuidoras de medicamentos faturam R$ 13 bi 08/01/2010 Cerca de R$ 1 bilhão representa o repasse de genéricos a farmácias e drogarias Um balanço feito pela Associação Brasileira do Atacado Farmacêutico (Abafarma) aponta que os seus associados faturaram cerca de R$ 13 bilhões até outubro de Deste total, cerca de R$ 1 bilhão representa o repasse de genéricos a farmácias e drogarias. Em 2010, a prioridade da entidade será a recomposição da margem operacional do atacado, onerada em torno de 38% do PIB. Para cumprir a meta, a associação encomendou à Fundação Instituto de Pesquisas (Fipe) um estudo sobre o real valor do Imposto sobre Valor Agregado (IVA) na atividade farmacêutica....a abafarma informou que os medicamentos genéricos são os principais responsáveis pelo faturamento As distribuidoras de farmácias e drogarias faturaram mais de R$ 6 bilhões no primeiro semestre de Com números semelhantes ao mesmo período de 2008, a Associação Brasileira do Atacado Farmacêutico (Abafarma) informou que os genéricos foram os grandes responsáveis pelo faturamento, com R$ 454 milhões - ao todo foram vendidos 431 milhões de medicamentos. A entidade reúne distribuidoras de medicamentos e Higiene, Perfumaria e Cosméticos (HPC), que compõem receita mensal média de R$ 16,7 milhões e são responsáveis por 80% do PIB do setor, atendendo a 55 mil farmácias, hospitais e clínicas de todo o país. Biênio 2010/2011 A Abafarma já reelegeu os Conselhos Diretivo e Fiscal para o biênio 2010/2011. Luiz Fernando Buainain, presidente da Distribuidora Brasil e da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (MS), permanece na presidência da entidade. Os demais integrantes da diretoria da associação, são: 1 vice-presidente: Paulo Panarello Netto, da Panpharma; 2 vice-presidente: Genésio Antônio Mendes, da GAM (SC), Antônio Iachel Marques, da Servimed (SP), Milton Julião Marcondes, da Droga Center (SP), Antonio Barea, da ANB Farma (PR), Jorge Batista Filho, do Grupo Jorge Batista (PI). Já o Conselho Fiscal será composto por Ivaninho de Souza Viana, da Lunar (ES), Paulo Lazera, da Imifarma (PA), Hayatá Takeda, da SB Log (AM).

7 Página 7 de 14 Fonte: ABAFARMA - cod=64254 CURSOS E TREINAMENTOS O SEBRAE/ES disponibiliza para o empresário uma carteira com mais de 30 títulos de cursos e palestras abordando os mais variados temas e objetivos. A Educação Empresarial do SEBRAE é um instrumento para que os obstáculos encontrados sejam superados com maior facilidade ampliando, conseqüentemente, o horizonte de conhecimentos necessários nessa função. Cursos: Técnicas de Vendas; Marketing: Uma Estratégia de Vendas; Gerência de Equipes de Vendas; Gerência de Rotinas e Procedimentos em Vendas; Atendimento ao Cliente; Como Vender mais e Melhor; Iniciando um Pequeno Grande Negócio; Empretec; Administração Básica para Pequenas Empresas; entre outros. Palestras Gerenciais : Atendimento a Clientes; Comece Certo Planejamento e Análise; Determinação do Capital de Giro; Gerenciando o Fluxo de Caixa com Eficiência; Promoção de vendas; Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda; A Empresa e os Novos Tempos; Qualidade no relacionamento ao cliente; Como Conquistar e Manter Clientes. A programação anual pode ser consultada no site: no link Cursos e Palestras. SEBRAE/ES Av. Jerônimo Monteiro, 935, Ed. Sebrae Centro, Vitória/ES CEP: Canal de Relacionamento: Curso de Interações Medicamentosas EVENTOS O empreendedor deve estar sempre em contato com as entidades e associações para obter informações sobre os eventos que ocorrerão dentro da sua área (tipo, data, local de realização). Os eventos como feiras, roda de negócios, congressos, etc., são muito importantes para o empresário ficar por dentro das tendências de mercado, conhecer novos produtos e tecnologias, realizar parcerias e fazer bons negócios. CONGRESSO BRASILEIRO DE COSMETOLOGIA CONGRESSO MUNDIAL DE FARMÁCIA E CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS Home page: V CONGRESSO BRASILEIRO DE FARMACÊUTICOS EM ONCOLOGIA XXXVII CONGRESSO BRASILEIRO DE ANÁLISES CLÍNICAS X CONGRESSO BRASILEIRO DE CITOLOGIA CLÍNICA

8 Página 8 de 14 XX CONGRESSO PAN-AMERICANO DE FARMÁCIA XIV CONGRESSO DA FEDERAÇÃO FARMACÊUTICA SUL-AMERICANA VII CONFERÊNCIA PAN-AMERICANA DE EDUCAÇÃO FARMACÊUTICA ou pelo site XVI CONGRESSO PAULISTA DE FARMACÊUTICOS VIII SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE FARMACÊUTICOS EXPOFAR 2010 ou no site III SIMPÓSIO IBEROLATINOAMERICANO DE FARMÁCIA HOSPITALAR LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA Cabe sugerir consulta à CARTILHA DO FORNECEDOR CAPIXABA, que se encontra disponível na Biblioteca do SEBRAE/ES ou pelo site: Recomenda-se fazer uma consulta ao PROCON para adequar seus produtos às especificações da Lei nº /1990 (Código de Defesa do Consumidor) Alterada pela Lei nº 8.656/1993, Lei nº 8.703/1993, Lei nº 8.884/1994, Lei nº 9.008/1995, Lei nº 9.298/1996, Lei nº 9.870/1999, Lei nº /2008, Lei nº /2008, Lei nº /2009 e Lei nº /2009. Algumas leis que o futuro empreendedor deve ter o conhecimento: Nível Federal: -LEI Nº 6.360/76. Dispõe sobre a vigilância sanitária a que ficam sujeitos os medicamentos, as drogas, os insumos farmacêuticos e correlatos, e outros produtos, e dá outras providências Alterada pela Lei nº 6.480/1977, Lei nº 9.782/1999, Lei nº 9.787/1999, Lei nº /2003, Lei nº /2003 e Medida Provisória nº / LEI Nº 9.787/99. Altera a Lei nº 6.360, de 23 de setembro de 1976, que dispõe sobre a vigilância sanitária, estabelece o medicamento genérico, dispõe sobre a utilização de nomes genéricos em produtos farmacêuticos e dá outras providências Regulamentada pelo Decreto nº 3.181/1999 e Alterada pela Medida Provisória nº / LEI Nº 9.120/95 - Altera dispositivos da Lei nº 3.820, de 11 de novembro de 1960, que dispõe sobre a criação do Conselho Federal e dos Conselhos Regionais de Farmácia, e da outras providências. - Lei nº 9.782/1999 Regulamentada pelo Decreto nº 3.029/1999, Alterada pela Lei nº 9.986/2000, Lei nº /2004, Lei nº /2009, Lei nº /2009 e

9 Página 9 de 14 Medida Provisória nº / Portaria 802 de 08/10/98 Determina as normas de boas práticas de armazenagem do Ministério da Saúde. Nível Estadual: -LEI 2.590/71, regulamentada pelo Decreto nº N/79, onde dispõe sobre a atividade e discrimina algumas providências - Revogada pela Lei nº 6.066/1999 (D.O 31/12/1999). REGISTRO ESPECIAL Para registrar sua empresa você precisa de um contador. Profissional legalmente habilitado para elaborar os atos constitutivos da empresa, auxiliá-lo na escolha da forma jurídica mais adequada para o seu projeto e preencher os formulários exigidos pelos órgãos públicos de inscrição de pessoas jurídicas. Além disso, ele é conhecedor da legislação tributária à qual está subordinada a nossa produção e comercialização. Mas, na hora de escolher tal prestador de serviço, deve-se dar preferência a profissionais qualificados, que tenha boa reputação no mercado e melhor que seja indicado por alguém que já tenha estabelecido com ele uma relação de trabalho. Para legalizar a empresa é necessário procurar os órgãos responsáveis para as devidas inscrições: - Registro na Junta Comercial; - Registro na Secretaria da Receita Federal; - Registro na Secretaria de Estado da Fazenda; - Registro na Prefeitura do Município; - Registro no INSS; - Registro no Sindicato Patronal (empresa ficará obrigada a recolher por ocasião da constituição e até o dia 31 de janeiro de cada ano, a Contribuição Sindical Patronal); - Registro na Prefeitura para obter o alvará de funcionamento; - Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema Conectividade Social - INSS ; - Você deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar a sua distribuidora de medicamentos para fazer a consulta de local e efetuar a inscrição municipal para obter o alvará de funcionamento. -Autorização da ANVISA. Ato privativo do órgão competente do Ministério da Saúde, incumbido da vigilância sanitária dos produtos de que trata o Decreto n.º /77, contendo permissão para que as empresas exerçam as atividades sob regime de vigilância sanitária, instituído pela Lei n.º 6.360/76. Obtenção da Autorização de Funcionamento Para o Funcionamento das Empresas que pretendem exercer atividades de extrair, produzir, fabricar, transformar, sintetizar, embalar, reembalar, importar, exportar, armazenar, expedir, distribuir, constantes da Lei n.º 6360/76, Decreto n.º /77 e Lei n.º 9.782/99, Decreto n.º 3.029/99, correlacionadas à Medicamentos, Drogas e Insumos Farmacêuticos é necessário a Autorização do órgão de Vigilância Sanitária competente do Ministério da Saúde - Agência Nacional de Vigilância Sanitária/ Diretoria Adjunta de Medicamentos e Produtos. Requisitos para Obtenção da Autorização de Funcionamento: Indicação da atividade industrial respectiva; Apresentação do ato constitutivo, do que constem expressamente as atividades a

10 Página 10 de 14 serem exercidas e o representante legal da mesma; Indicação dos endereços da sede dos estabelecimentos destinados a industrialização, dos depósitos, dos distribuidores e dos representantes; Natureza e espécie dos produtos; Comprovação da capacidade técnica e operacional; Indicação do responsável ou responsáveis técnicos, de suas respectivas categorias profissionais e dos números das inscrições nas respectivas autarquias profissionais a que se filiem. A Autorização habilitará a Empresa a funcionar em todo o território nacional e necessitará ser renovada quando ocorrer Alteração ou Mudança de Atividade compreendida no âmbito do Decreto n.º /77 ou mudança do Sócio, Diretor ou Gerente que tenha a seu cargo a representação legal da empresa; As empresas somente poderão iniciar suas atividades após a publicação da Autorização de Funcionamento em Diário Oficial da União. AUTORIZAÇÃO ESPECIAL Licença concedida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão competente do Ministério da Saúde, às empresas, instituições e órgãos, para o exercício de atividades de extração, produção, transformação, fabricação, fracionamento, manipulação, embalagem, distribuição, transporte, reembalagem, importação e exportação das substâncias constantes das listas das Portarias SVS/MS nºs 344/98 e 344/99 (Aprova o Regulamento Técnico sobre substancias e medicamentos sujeitos a controle especial), e suas atualizações, bem como medicamentos que as contenham. Requisitos para obtenção da Autorização Especial Empresas e instituições que pretendem exercer atividades correlacionadas à substâncias constantes das listas da Portaria SVS/MS n.º 344/98, e suas atualizações, bem como medicamentos que as contenham. Que detenham a Autorização de Funcionamento junto à ANVS/MS, quando for o caso. Empresas que devem solicitar Autorização Especial: Indústrias Farmacêuticas, Veterinárias e Farmoquímicas; Farmácias Públicas, Privadas, inclusive veterinária; Importadoras/Distribuidoras que comercializam substâncias e/ou medicamentos controlados; Empresas que desenvolvem atividades de plantio, cultivo e colheita de plantas das quais possam ser extraídas substâncias objeto do Regulamento Técnico (Portaria n.º 344/98 e Portaria n.º 6/99); Estabelecimentos de Ensino e Pesquisa. As empresas somente poderão iniciar suas atividades após a publicação da Autorização Especial em Diário Oficial da União. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária enviará Certificado de Autorização Especial ao estabelecimento requerente. Cada estabelecimento que desenvolver atividades com produtos sob controle especial deve possuir a Autorização Especial. As Autoridades Sanitárias Estaduais, Municipais ou do Distrito Federal, têm um prazo máximo de 60 (sessenta) dias para análise da documentação e Inspeção para verificação e comprovação da capacidade técnica, legal e/ou operacional. Decorridos os prazos e atendidas todas as exigências e formalidades legais, os documentos do processo devem ser

11 Página 11 de 14 encaminhados pelas Autoridades Sanitárias locais à Agência Nacional de Vigilância Sanitária/MS. O Relatório Técnico elaborado pela Autoridade local após Inspeção é o documento que subsidiará o Ministério da Saúde para concessão ou não das atividades requeridas O Relatório Técnico deve ser fundamentado e conclusivo no que se refere a capacidade técnica, operacional e ao cumprimento das Boas Práticas de Fabricação, Manipulação, Distribuição e Transporte. LINKS DE INTERESSANTES Sagra Distribuidora: Cervosul Distribuidora de Medicamentos: FEBRAFARMA: Bibliomed: Distribuidora Santa Cruz : ENTIDADES Central Fácil Central de Atendimento Empresarial É um sistema de atendimento que prevê a simplificação, racionalização e padronização dos processos de abertura de empresas, através de redução da burocracia. Avenida Nossa Senhora da Penha, 1433 Santa Luzia Vitória ES CEP Fone: Horário de funcionamento: Segunda a sexta: 12 as 17:30 h. PROCON VITÓRIA Casa do Cidadão João Luiz Barone Av. Maruípe, nº Itararé Vitória/ES CEP: Tel.: (0xx27) JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Av. Nossa Senhora da Penha, 1433 Praia do Canto -Vitória/ES CEP: Tel.: (027) Site do Estado do Rio de Janeiro. PREFEITURA DE VITÓRIA SEMUS - Sec. Municipal de Saúde Vigilância Sanitária do Município de Vitória. Av. Mal. Mascarenhas de Moraes, 1185 Forte São João Vitória/ES CEP: Tel.: (0xx27) / / SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DO ESPÍRITO SANTO

12 Página 12 de 14 Rua Duque de Caxias, no. 105 Centro Vitória/ES CEP: Tels.: (027) FAX: (027) INPI/ES - INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL Rua Abiail do Amaral Carneiro 191 ed. Arábica sala 314 Enseada do Suá Vitória/ES CEP: Tel.: Horário de funcionamento: de 10 às 16h MINISTÉRIO DA SAÚDE AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SEPN 515, Bloco B - Edifício Ômega Brasília/DF CEP: Tel.: (61) ABIMO - Associação dos Fabricantes de Produtos Médicos e Odontológicos Avenida Paulista, Andar - Sala 806 CEP: São Paulo Edifício Fiesp - Federação das Indústrias do Estado de São Paulo Tel.: (11) Fax: (11) r. 21 e 30 CRF/ES - Conselho Regional de Farmácia do Estado do Espírito Santo Av. Joubert de Barros, Bento Ferreira. Vitória/ES. CEP: Tel: (27) / Fax: (27) Sindicato dos Farmacêuticos do Espírito Santo Pça Getúlio Vargas, nº 35, Edf. Jusmar, Sala 411 Centro Vitória/ES. CEP: Tel.: (27) / ABRAFARMA - Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias R. Frei Caneca, 371, Bela Vista - São Paulo/SP. CEP: Tel.: (11) ABCFARMA - Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico Rua Santa Isabel, 160-5º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP. CEP: Tel.: (11) ALANAC - Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Nacionais Rua Sansão Alves dos Santos, n andar Brooklin Paulista - São Paulo/SP. CEP Tel./Fax: (11)

13 Página 13 de 14 FORNECEDORES E FABRICANTES O SEBRAE/ES se isenta de responsabilidades quanto à forma da atuação das empresas no mercado. Medicamentos Laboratório Neo Química Distrito Agroindustrial de Anápolis Daia/GO. Tele-atendimento Comercial: Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. Rod. Pres.Dutra, Km 222,2 Porto da Igreja. Guarulhos/SP. CEP: Tel.: PABX: (11) Fax: (11) Eurofarma Laboratório Ltda Rua Barão do Triunfo, Campo Belo São Paulo/SP. CEP: Tel. (11) Knoll do Brasil Estrada dos Bandeirantes, Jacarepaguá - Rio de Janeiro/RJ. CEP: Tel.: Bayer do Brasil S.A. R.Domingos Jorge, 1100 Vila Socorro - São Paulo/SP. CEP: Tel.: (11) Bionatus Laboratório Botânico Ltda Rua Centenário, São José do Rio Preto/SP. CEP: Tel.: (11) Bristol-Myers Squibb Brasil S/A R.Carlos Gomes, Santo Amaro - São Paulo - (SP) CEP: Tel.: (11)

14 Página 14 de / REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ABAFARMA. 2009: Distribuidoras de medicamentos faturam R$ 13 bi. Acesso em em Consulta TIPS nº SB 4653 /SC de 27/08/99. Dayanne Mikevis e José Eduardo Rondon. ANVISA ENDURECE REGRA PARA FITOTERÁPICOS. FOLHA DE SÃO PAULO, 19/03/2004. Dayanne Mikevis. REDE PÚBLICA ADERE AO USO DE FITOTERAPIA FOLHA DE SÃO PAULO, 22/03/2004. Sites: CRF / MG Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais Em uma distribuidora, a assistência farmacêutica, como numa farmácia, é indispensável. FEBRAFAR. Varejo farmacêutico no brasil. Acesso em em A Oportunidade de Negócios é um material meramente informativo acerca dos empreendimentos existentes no segmento correspondente ao seu título. Os dados apresentados são extraídos de publicações técnicas e, em linhas gerais, não têm a pretensão de ser um guia para a implementação dos respectivos negócios. É destinada apenas à apresentação de um panorama da atividade ao futuro empresário, que poderá enriquecer suas idéias com as informações apresentadas, mas carecerá de um estudo mais detalhado e específico para a implementação do seu empreendimento. ÁREA RESPONSÁVEL E DATA DE ATUALIZAÇÃO : UAD Unidade de Atendimento e Desenvolvimento - SEBRAE/ES Data de atualização: Fevereiro de 2010.

IDÉIAS DE NEGÓCIO ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE

IDÉIAS DE NEGÓCIO ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE (Fonte: SEBRAE/MS SEBRAE/SC) APRESENTAÇÃO DE NEGÓCIOS Contabilidade é um trabalho minucioso que atua nas áreas fiscal, tributária e trabalhista; exigindo muita análise e tempo. Por isso, a maioria das

Leia mais

Página 1 de 11 CRECHE

Página 1 de 11 CRECHE Página 1 de 11 CRECHE FICHA TÉCNICA Setor da Economia : terciário Ramo de Atividade : serviço Tipo de Negócio : Educação Infantil Produtos Ofertados/Produzidos : Serviços de Educação Infantil para crianças

Leia mais

ESCRITÓRIO DE COBRANÇA

ESCRITÓRIO DE COBRANÇA Página 1 de 8 ESCRITÓRIO DE COBRANÇA FICHA TÉCNICA Setor da Economia : terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: cobranças de débitos em aberto Produtos Ofertados/Produzidos : serviço de cobrança

Leia mais

FINANCEIRA FICHA TÉCNICA

FINANCEIRA FICHA TÉCNICA FINANCEIRA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: agência de financiamentos Produtos Ofertados/Produzidos: operações de câmbio e empréstimos Investimento

Leia mais

FÁBRICA DE VASSOURAS

FÁBRICA DE VASSOURAS FÁBRICA DE VASSOURAS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: secundário Ramo de Atividade: indústria Tipo de Negócio: fabricação de vassouras Produtos Ofertados/Produzidos: vassouras e rodos Investimento inicial:

Leia mais

REPRESENTAÇÃO COMERCIAL

REPRESENTAÇÃO COMERCIAL Página 1 de 10 REPRESENTAÇÃO COMERCIAL FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: representação comercial Produtos Ofertados/Produzidos: intermediação de negócios

Leia mais

CLÍNICA VETERINÁRIA FICHA TÉCNICA

CLÍNICA VETERINÁRIA FICHA TÉCNICA 1 CLÍNICA VETERINÁRIA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço e comércio Tipo de Negócio: clinica veterinária Produtos Ofertados/Produzidos: serviços de saúde de animais Investimento

Leia mais

LOJA DE FRIOS E LATICÍNIOS

LOJA DE FRIOS E LATICÍNIOS LOJA DE FRIOS E LATICÍNIOS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio Tipo de Negócio: loja de frios e laticínios Investimento inicial: 30mil reais Área: 40m² APRESENTAÇÃO A

Leia mais

Regulamento Técnico das substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial - Portaria 6 de 29/1/ 1999

Regulamento Técnico das substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial - Portaria 6 de 29/1/ 1999 Regulamento Técnico das substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial - Portaria 6 de 29/1/ 1999 Ementa: Aprova a Instrução Normativa da Portaria SVS/MS n.º 344 de 12 de maio de 1998 que instituiu

Leia mais

AGÊNCIA VIRTUAL DE EMPREGOS

AGÊNCIA VIRTUAL DE EMPREGOS Página 1 de 10 AGÊNCIA VIRTUAL DE EMPREGOS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviços Tipo de Negócio: agência de emprego Produtos Ofertados/Produzidos: serviço de agenciamento

Leia mais

Agência de Propaganda

Agência de Propaganda Agência de Propaganda RIO DE JANEIRO, 2010 APRESENTAÇÃO O SEBRAE/RJ Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado do Rio de Janeiro apóia o desenvolvimento da atividade empresarial de pequeno

Leia mais

2. Conforme exigido no Anexo II, item 1.4 do edital os produtos devem atender às Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e emprego.

2. Conforme exigido no Anexo II, item 1.4 do edital os produtos devem atender às Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e emprego. Ilmo. Sr. Dr. Pregoeiro SESI/BA Pregão Eletrônico 20/2012 Objeto: Razões de Recurso IMUNOSUL DISTRIBUIDORA DE VACINAS E PRODUTOS MÉDICOS HOSPITALARES LTDA, já qualificada, em face do Pregão Presencial

Leia mais

CONSULTÓRIO MÉDICO. Diante dessa realidade vê-se a população buscando cada vez mais os serviços privados de assistência à saúde.

CONSULTÓRIO MÉDICO. Diante dessa realidade vê-se a população buscando cada vez mais os serviços privados de assistência à saúde. 1 de 11 CONSULTÓRIO MÉDICO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: consultório médico Produtos Ofertados/Produzidos: consultas médicas Investimento inicial:

Leia mais

ESCRITÓRIO DE CONSULTORIA

ESCRITÓRIO DE CONSULTORIA Página 1 de 11 ESCRITÓRIO DE CONSULTORIA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: escritórioconsultoria empresarial Produtos Ofertados/Produzidos: consultoria

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO 1 ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: escola de ensino fundamental e médio Produtos Ofertados/Produzidos: formação

Leia mais

COMO REALIZAR O CADASTRO DE UMA EMPRESA NA ANVISA A OPERAÇÃO É PRIMEIRO PASSO PARA SOLICITAR AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO PARA A FARMÁCIA

COMO REALIZAR O CADASTRO DE UMA EMPRESA NA ANVISA A OPERAÇÃO É PRIMEIRO PASSO PARA SOLICITAR AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO PARA A FARMÁCIA COMO REALIZAR O CADASTRO DE UMA EMPRESA NA ANVISA A OPERAÇÃO É PRIMEIRO PASSO PARA SOLICITAR AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO PARA A FARMÁCIA Após efetuar o cadastro da empresa no CRF RJ e na Vigilância Sanitária,

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

LOJA DE TINTA FICHA TÉCNICA APRESENTAÇÃO MERCADO

LOJA DE TINTA FICHA TÉCNICA APRESENTAÇÃO MERCADO LOJA DE TINTA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio Tipo de Negócio: loja de tinta Produtos Ofertados/Produzidos: tintas empregadas na construção civil Investimento inicial:

Leia mais

CORRETORA DE SEGUROS

CORRETORA DE SEGUROS 1 de 13 CORRETORA DE SEGUROS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: corretora de seguros Produtos Ofertados/Produzidos: seguros de automóveis, de vida, de

Leia mais

SERVIÇOS DE ENTREGA RÁPIDA

SERVIÇOS DE ENTREGA RÁPIDA SERVIÇOS DE ENTREGA RÁPIDA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: prestação de serviços Tipo de Negócio: empresa de serviço de entrega rápida Produtos Ofertados/Produzidos: serviço

Leia mais

Página 1 de 11 OFICINA MECÂNICA

Página 1 de 11 OFICINA MECÂNICA Página 1 de 11 OFICINA MECÂNICA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: oficina mecânica Produtos Ofertados/Produzidos: serviços mecânicos automotivos Investimento

Leia mais

Os documentos obrigatórios que devem estar presentes numa licitação para aquisição de correlatos

Os documentos obrigatórios que devem estar presentes numa licitação para aquisição de correlatos Os documentos obrigatórios que devem estar presentes numa licitação para aquisição de correlatos Aldem Johnston Barbosa Araújo Advogado da UEN de Direito Administrativo do Escritório Lima & Falcão e assessor

Leia mais

FÁBRICA DE FRALDAS DESCARTÁVEIS

FÁBRICA DE FRALDAS DESCARTÁVEIS 1 FÁBRICA DE FRALDAS DESCARTÁVEIS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: secundário Ramo de Atividade: indústria Tipo de Negócio: fábrica de fraldas descartáveis Produtos Ofertados/Produzidos: fraldas descartáveis

Leia mais

Sede Sebrae Nacional

Sede Sebrae Nacional Sede Sebrae Nacional Somos o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa, uma entidade privada sem fins lucrativos, e a nossa missão é promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários.

Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários. Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários. Nº PROCESSO REQUERIMENTO RAZÃO SOCIAL IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO NOME DE FANTASIA NÚMERO DO CNPJ NÚMERO ÚLTIMO

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA-RDC Nº 16, DE 1 DE ABRIL DE 2014

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA-RDC Nº 16, DE 1 DE ABRIL DE 2014 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA-RDC Nº 16, DE 1 DE ABRIL DE 2014

Leia mais

EMPRESA ADMINISTRADORA DE CONDOMÍNIO

EMPRESA ADMINISTRADORA DE CONDOMÍNIO Página 1 de 9 EMPRESA ADMINISTRADORA DE CONDOMÍNIO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade : serviço Tipo de Negócio: administração de condomínio Produtos Ofertados/Produzidos: serviço

Leia mais

SERVIÇOS DE ENTREGA RÁPIDA

SERVIÇOS DE ENTREGA RÁPIDA Página 1 de 12 SERVIÇOS DE ENTREGA RÁPIDA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: prestação de serviços Tipo de Negócio: empresa de serviço de entrega rápida Produtos Ofertados/Produzidos:

Leia mais

1 de 24 24/11/2008 14:28

1 de 24 24/11/2008 14:28 1 de 24 24/11/2008 14:28 Portaria n.º 6 de 29 de janeiro de 1999 Aprova a Instrução Normativa da Portaria SVS/MS n.º 344 de 12 de maio de 1998 que instituiu o Regulamento Técnico das substâncias e medicamentos

Leia mais

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA EMISSÃO DO ALVARÁ SANITÁRIO. Área de Medicamentos e Produtos de Interesse à Saúde (AMPIS)

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA EMISSÃO DO ALVARÁ SANITÁRIO. Área de Medicamentos e Produtos de Interesse à Saúde (AMPIS) 1 DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA EMISSÃO DO ALVARÁ SANITÁRIO Área de Medicamentos e Produtos de Interesse à Saúde (AMPIS) DROGARIAS (CONFORME LEI FEDERAL 5991/73, RESOLUÇÃO RDC ANVISA 44/09 E OUTRAS PERTINENTES)

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

Atualizada.: 25/07/2013 4 MÉDIA COMPLEXIDADE ANEXO 1 G- DISTRIBUIDORAS

Atualizada.: 25/07/2013 4 MÉDIA COMPLEXIDADE ANEXO 1 G- DISTRIBUIDORAS 4 MÉDIA COMPLEXIDADE ANEXO 1 G- DISTRIBUIDORAS Drogarias; Ervanária, posto de medicamento, dispensário de medicamentos; Distribuidora com fracionamento de cosmético, perfume, produtos de higiene; Distribuidora

Leia mais

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO COMO ABRIR SEU NEGÓCIO 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Reflexão Qual o principal motivo para buscar a formalização de seu negócio? É importante lembrarmos que: Para desenvolver suas

Leia mais

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS.

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. Resumo efetuado a partir do Manual Como Elaborar um plano de negócios SEBRAE/ 2013 Profa. Célia Regina Beiro da Silveira ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PARA O 1º CONCURSO

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda Estado do Rio de Janeiro

Câmara Municipal de Volta Redonda Estado do Rio de Janeiro Lei Municipal Nº 3.704 1 CAPÍTULO V DO LICENCIAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS Artigo 68 - Nenhum estabelecimento sediado no município e que se enquadram no presente Código Sanitário poderá funcionar sem prévia

Leia mais

LOJA DE LIVROS E ARTIGOS RELIGIOSOS

LOJA DE LIVROS E ARTIGOS RELIGIOSOS LOJA DE LIVROS E ARTIGOS RELIGIOSOS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: Terciário. Ramo de Atividade: Livros e Artigos Religiosos. Tipo de Negócio: Comércio de Livros e Artigos Religiosos. APRESENTAÇÃO Diante

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo INTRODUÇÃO É um instrumento que visa estruturar as principais concepções e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido, proporcionando uma

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce...

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce... Sumário Bleez Agência Digital... 3 Quem sou eu... 4 Introdução... 5 Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7 Quem está comprando no ecommerce... 10 Por que os brasileiros estão comprando mais... 12 O

Leia mais

www.uvaeverde.com.br

www.uvaeverde.com.br O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua rede de franquias Você Sabia? Há trinta anos os Estados Unidos adotaram um modelo inovador na gestão de redes de franquia

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

A CRESCER RH dispõe de vagas em diversas áreas Interessando enviar currículo para. Endereço: Avenida Getulio Dorneles Vargas; 540 N 2ª andar - Centro.

A CRESCER RH dispõe de vagas em diversas áreas Interessando enviar currículo para. Endereço: Avenida Getulio Dorneles Vargas; 540 N 2ª andar - Centro. A CRESCER RH dispõe de vagas em diversas áreas Interessando enviar currículo para crescerh@crescerh.com.br e/ou realizar cadastro no site Endereço: Avenida Getulio Dorneles Vargas; 540 N 2ª andar - Centro.

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

Manual de Preenchimento do Balanço de Substâncias Psicoativas e Outras Sujeitas a Controle Especial - BSPO

Manual de Preenchimento do Balanço de Substâncias Psicoativas e Outras Sujeitas a Controle Especial - BSPO Agência Nacional de Vigilância Sanitária Manual de Preenchimento do Balanço de Substâncias Psicoativas e Outras Sujeitas a Controle Especial - BSPO Gerência-Geral de Medicamentos Unidade de Medicamentos

Leia mais

MANIPULAÇÃO FARMACÊUTICA E ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO FARMACÊUTICA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU EM FARMACOLOGIA APLICADA À ATENÇÃO FARMACÊUTICA

MANIPULAÇÃO FARMACÊUTICA E ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO FARMACÊUTICA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU EM FARMACOLOGIA APLICADA À ATENÇÃO FARMACÊUTICA ATENÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO Realização: Universidade Federal de Alfenas (Unifal) Local: Alfenas (MG) Pelo e-mail lumarques@unifal-mg.edu.br ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU EM FARMACOLOGIA APLICADA À ATENÇÃO

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO

LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO Página 1 de 11 LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio e serviço Tipo de Negócio: comércio de material elétrico Produtos Ofertados/Produzidos: materiais

Leia mais

CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP)

CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP) CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP) Edição 2013 01) O que é Microempreendedor Individual - MEI? Considera-se Microempreendedor Individual - MEI o empresário individual

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA PROFISSIONALIZANTE

ESCOLA TÉCNICA PROFISSIONALIZANTE Página 1 de 16 ESCOLA TÉCNICA PROFISSIONALIZANTE FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: escola de ensino técnico Produtos Ofertados/Produzidos : formação

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

in light eletro house supri shop linea domus outdoor living & garden

in light eletro house supri shop linea domus outdoor living & garden utility house in domus eletro house in light linea domus supri shop outdoor living & garden FEIRA PROFISSIONAL Reunir em um mesmo local e momento investidores e mercado-alvo, formando um ambiente de negócios

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO

LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio e serviço Tipo de Negócio: comércio de material elétrico Produtos Ofertados/Produzidos: materiais elétricos

Leia mais

Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil.

Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil. Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil. Indústria É assim que e Comércio a gente segue Exterior em frente. Introdução Atualmente, muitos

Leia mais

Software para distribuidoras de medicamentos SIMPLICIDADE E EFICIÊNCIA NA GESTÃO DAS DISTRIBUIDORAS DE MEDICAMENTOS.

Software para distribuidoras de medicamentos SIMPLICIDADE E EFICIÊNCIA NA GESTÃO DAS DISTRIBUIDORAS DE MEDICAMENTOS. Software para distribuidoras de medicamentos SIMPLICIDADE E EFICIÊNCIA NA GESTÃO DAS DISTRIBUIDORAS DE MEDICAMENTOS. Sobre o MedOne GESTÃO SIMPLIFICADA, EFICIÊNCIA GARANTIDA. Gestão simplificada, segurança

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

Política de Atendimento de Lubrificantes. Índice. Item Tópico Página. 1. Introdução e Propósito 2. 2. Nossa Missão 2. 3.

Política de Atendimento de Lubrificantes. Índice. Item Tópico Página. 1. Introdução e Propósito 2. 2. Nossa Missão 2. 3. Política de Atendimento de Lubrificantes Índice Item Tópico Página 1. Introdução e Propósito 2 2. Nossa Missão 2. CALL Center 2 e. Disponibilidade de Produtos.1 Pedidos Mínimos.2 Tipos e Características

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

DISTRIBUIDORA DE DOCES

DISTRIBUIDORA DE DOCES Página 1 de 9 DISTRIBUIDORA DE DOCES FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio Tipo de Negócio: distribuidora de doces Produtos Ofertados/Produzidos: doces I nvestimento inicial:

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. A Fundação Universidade do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

Consultoria, Assessoria e Desenvolvimento em Gestão de Projetos

Consultoria, Assessoria e Desenvolvimento em Gestão de Projetos OUTSOURCI NG Oferece tercerização de processos de negócios e alocação de recursos especializados nas áreas de tecnologia da informação, desenvolvimento e gerenciamento de projetos. Consultoria, Assessoria

Leia mais

GUIA DO EMPRESÁRIO CARTAZES DOCUMENTOS ALVARAS

GUIA DO EMPRESÁRIO CARTAZES DOCUMENTOS ALVARAS GUIA DO EMPRESÁRIO CARTAZES DOCUMENTOS ALVARAS CARTAZES/DOCUMENTOS/ALVARAS Você encontrara neste guia as principais exigências com relação a fixação de cartazes para o seu estabelecimento comercial. Na

Leia mais

Agenda do Farmacêutico

Agenda do Farmacêutico ATENÇÃO FARMACÊUTICA ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO FARMACÊUTICA Realização: Universidade Federal de Alfenas (Unifal) Local: Alfenas (MG) pelo e-mail lumarques@unifal-mg.edu.br PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ATENÇÃO

Leia mais

Guia do Requerente. Orientações de preenchimento

Guia do Requerente. Orientações de preenchimento Guia do Requerente Orientações de preenchimento Bem-vindo (a) ao nosso novo sistema on-line de atendimento Empresa Legal. Este documento é o Guia do Requerente. Ele o (a) ajudará em seu contato com o ambiente

Leia mais

Dito isso, vamos ao que interessa para se abrir um escritório contábil:

Dito isso, vamos ao que interessa para se abrir um escritório contábil: Introdução Como faço para abrir o meu escritório? Administrativamente falando, um escritório de contabilidade é um negócio como outro qualquer. Logo, abrir um escritório contábil vai requerer de você,

Leia mais

2ª Etapa 2009 a 2011. EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham!

2ª Etapa 2009 a 2011. EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham! 2ª Etapa 2009 a 2011 EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham! Benefícios para o Setor de Agenciamento de Viagens Com a Lei Complementar 128/08 - que alterou o Estatuto

Leia mais

Finanças. Contas a Pagar e a Receber

Finanças. Contas a Pagar e a Receber 2 Dicas de Finanças Finanças Você pode achar que falar de finanças é coisa para grandes empresas. Talvez este assunto nem tenha sido tratado com a devida importância mesmo em sua informalidade. Contudo,

Leia mais

Instruções para o preenchimento do Formulário 3

Instruções para o preenchimento do Formulário 3 Instruções para o preenchimento do Formulário 3 O Formulário 3 tem como finalidade a requisição para Inscrição ou Reativação de um estabelecimento no CRF-SP. A imagem foi dividida de acordo com o esquema

Leia mais

c) estabelecer procedimentos para o atendimento da legislação vigente, resolve:

c) estabelecer procedimentos para o atendimento da legislação vigente, resolve: PORTARIA Nº 6, DE 29 DE JANEIRO DE 1999 A prova a Instrução Normativa da Portaria SVS/MS nº 344 de 12 de maio de 1998 que instituiu o Regulamento Técnico das substâncias e medicamentos sujeitos a controle

Leia mais

FARMÁCIAS E DROGARIAS

FARMÁCIAS E DROGARIAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE FARMÁCIAS E DROGARIAS Nome Fantasia: Razão Social: Endereço: Responsável Técnico: CRF: Telefone: CNPJ: Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana - Av. João Durval

Leia mais

Realização: Rx Editora e Publicidade Ltda. Local: Goiânia (GO) Data: 12 de agosto de 2006. Local: Curitiba (PR) Data: 16 de setembro de 2006

Realização: Rx Editora e Publicidade Ltda. Local: Goiânia (GO) Data: 12 de agosto de 2006. Local: Curitiba (PR) Data: 16 de setembro de 2006 CONGRESSO DA FIP 66º CONGRESSO DA FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DE FARMÁCIA (FIP) Realização: FIP/CFF Local: Salvador - Bahia (BA) Data: 25 a 31 de agosto de 2006 Informações: Pelos telefones +31(0)70-302-1982/1981,

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

8. Regularização do Negócio

8. Regularização do Negócio 8. Regularização do Negócio Conteúdo 1. Forma Jurídica das Empresas 2. Consulta Comercial 3. Busca de Nome Comercial 4. Arquivamento do contrato social/requerimento de Empresário 5. Solicitação do CNPJ

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

Art. 5º Comunicar que esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

Art. 5º Comunicar que esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário. PORTARIA Nº 6, DE 29 DE JANEIRO DE 1999 A prova a Instrução Normativa da Portaria SVS/MS nº 344 de 12 de maio de 1998 que instituiu o Regulamento Técnico das substâncias e medicamentos sujeitos a controle

Leia mais

SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA

SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: prestadora de serviços de instalação elétrica Produtos Ofertados/Produzidos: serviços

Leia mais

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição.

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. TURMA 3 Master in Business Administration Especialização Lato-Sensu GESTÃO ESTRATÉGICA DA PRODUÇÃO E QUALIDADE GESTÃO FARMACEUTICA EMPRESARIAL

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios Universidade Estácio de Sá Gestão e Negócios A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970, como

Leia mais

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos 5 Plano Financeiro Investimento total Nessa etapa, você irá determinar o total de recursos a ser investido para que a empresa comece a funcionar. O investimento total é formado pelos: investimentos fixos;

Leia mais

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto 1 Sumário Executivo (O que é o plano de negócios) 2 Agradecimentos 3 Dedicatória 4 Sumário ( tópicos e suas respectivas páginas) 5 Administrativo - Introdução (O que foi feito no módulo administrativo)

Leia mais

Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica

Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica 2014 Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica Autorização de Importação Específica destinada a órgãos de repressão a entorpecentes, entidades importadoras de controle de dopagem, laboratórios

Leia mais

Manual de Regularização 2013

Manual de Regularização 2013 Manual de Regularização 2013 1. Apresentação Empresas Juniores são organizações sem fins lucrativos, formadas e geridas por alunos de graduação. Desenvolvem estudos e projetos sob a orientação de professores

Leia mais

Opção. sites. A tua melhor opção!

Opção. sites. A tua melhor opção! Opção A tua melhor opção! Queremos te apresentar um negócio que vai te conduzir ao sucesso!!! O MUNDO... MUDOU! Todos sabemos que a internet tem ocupado um lugar relevante na vida das pessoas, e conseqüentemente,

Leia mais

Sem que haja um sistema informatizado (ERP), com o cadastro de todos os dados vai ser impraticável o cumprimento das novas obrigações.

Sem que haja um sistema informatizado (ERP), com o cadastro de todos os dados vai ser impraticável o cumprimento das novas obrigações. Diadema (SP), 17 de outubro de 2011. CIRCULAR Nº. 12/2011 Referente: SPED Caro(s) Diretor(es), Gerente(s) e Supervisor(es), Saudações! Como é de seu conhecimento os órgãos da administração federal e estadual

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio.

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Plano de negócios estruturado ajuda na hora de conseguir financiamento. Veja dicas de especialistas e saiba itens que precisam constar

Leia mais

de frente Na linha Automação e expansão ABAD ENTREVISTA

de frente Na linha Automação e expansão ABAD ENTREVISTA Na linha Como a automação contribuiu para o desenvolvimento das empresas de distribuição e atacadistas? A automação foi fundamental para o crescimento e fortalecimento do setor. Sem o uso intensivo da

Leia mais

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA -feira EM 2014, A ECONOFARMA RETORNA COM UM NOVO OLHAR SOBRE O VAREJO FARMACÊUTICO CENÁRIO ATUAL O varejo nacional projeta otimismo de crescimento para os

Leia mais

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional A união faz a força O dito popular encaixa-se como uma luva quando o assunto é associativismo o assunto em pauta no meio sindical. As principais confederações patronais do País estão investindo nessa bandeira

Leia mais

A ESCOLHA DO SOFTWARE PARA INFORMATIZAÇÃO DA SUA EMPRESA

A ESCOLHA DO SOFTWARE PARA INFORMATIZAÇÃO DA SUA EMPRESA A ESCOLHA DO SOFTWARE PARA INFORMATIZAÇÃO DA SUA EMPRESA Necessidade de informatizar a empresa Uma senhora muito simpática, Dona Maria das Coxinhas, feliz proprietária de um comércio de salgadinhos, está,

Leia mais

Fatores de pressão da mudança do papel da logística com enfoque na DrogaFuji

Fatores de pressão da mudança do papel da logística com enfoque na DrogaFuji Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação - FACE ADM Departamento de Administração Administração de Recursos Materiais Fatores

Leia mais

vencido Desafio Tradição, superação e vontade Atuação concisa e certeira, capacitação e união foram aspectos importantes de uma história

vencido Desafio Tradição, superação e vontade Atuação concisa e certeira, capacitação e união foram aspectos importantes de uma história Desafio Atuação concisa e certeira, capacitação e união foram aspectos importantes de uma história de recuperação, tradição e sucesso no varejo de material de construção mineiro. O único caminho a seguir,

Leia mais

Sistemas de Informações Transacionais SIT Sistemas de Informações Gerenciais SIG. Ana Clara Araújo Gomes da Silva araujo.anaclara@gmail.

Sistemas de Informações Transacionais SIT Sistemas de Informações Gerenciais SIG. Ana Clara Araújo Gomes da Silva araujo.anaclara@gmail. Sistemas de Informações Transacionais SIT Sistemas de Informações Gerenciais SIG Ana Clara Araújo Gomes da Silva araujo.anaclara@gmail.com Papéis fundamentais dos SI Os SI desempenham 3 papéis vitais em

Leia mais

www.icert.com.br / www.gestortotal.com.br

www.icert.com.br / www.gestortotal.com.br Empreendedorismo Pequeno empreendedor: Saiba como começar sua empresa 1. Como financiar um negócio 2. O MEI Microempreendedor Individual 3. Benefícios em formalizar sua empresa 4. Local para se formalizar

Leia mais