Lêda Chaves Napoleão do Rego

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lêda Chaves Napoleão do Rego"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DE MARÍLIA Reconhecimento do Curso de Farmácia, modalidade em Farmacêutico Bioquímico, ministrado pelo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, da referida Univer sidade. Lêda Chaves Napoleão do Rego A Associação de Ensino de Marília-entidade mantenedo ra da Universidade de Marília - UNIMAR encaminha a este Conselho pedido de reconhecimento do curso de Farmácia,modalidade em Farmacêutico Bioquímico, ministrado pelo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, da referida Universidade, instalada em Marí lia/sp. 0 Curso foi criado pela Portaria GR nº 005/88, que ho mologou decisão do Conselho Universitário da UNIMAR, com 100 va gas anuais. que: Em documento anexo aos autos, a Instituição informa "- implantação em 01/08/88-1º Ciclo Profissional tendo a 1ª turma concluído no 1º semestre de ª turma - 2º semestre de ª turma Concluintes da modalidade Farmacêutico Bioquímico - 1º semestre de 1992." Informa, ainda, a Instituição que a implantação da modalidade: Farmacêutico Industrial está prevista para o 1º semestre de MOD 5 - CFE

2 Pela portaria nº 136/91 - SENESU/MEC, foi designada Co missão Verificadora constituída pelos professores Levy Gomes Ferreira e Nuno Alvares Pereira da Universidade Federal do Rio de Ja neiro, para verificar as condições para o reconhecimento do curso e apresentar relatório. Com base nos dados contidos no processo e no relatório da Comissão Verificadora e documentação complementar anexada aos autos ela boramos o presente parecer. 1. Dados sobre a Universidade A Universidade de Marília mantida pela Associação de Ensino de Marília com sede e foro em Marília-SP, é entidade jurí dica de direito privado, sem fins lucrativos, com autonomia didá tico-científica, administrativa, financeira e disciplinar, reconhecida pelo Parecer do CFE nº 301/88 e homologado pela Portaria Ministerial nº 261, de 25/05/ Dados sobre o Curso 2.1. Condições Materiais Sobre este item a Comissão Verificadora informa: - A instituição nos seus dois campos, o número I em Marí lia e o número II em Tupã, possui instalações próprias para atender ao ensino, a extensão, a comunidade, ao de senvolvimento técnico-científico com vistas a melhoria da produção econômica da região Biblioteca Com relação ã biblioteca a Comissão comenta: - A biblioteca possui instalações ótimas e com bom atendimento para consulta. O acervo em livros atende melhor aos cursos existen_ tes ha' mais tempo da UNIMAR. Para o curso de Farmá cia e suas modalidades os títulos existentes são os mais importantes mas com poucas opções. Muitas disciplinas do curso de Farmácia existe em

3 outros cursos da área das Ciências Biológicas e da Saúde, e, portanto, estas disciplinas são bem ser_ vidas de títulos apropriados. 0 acervo de periódicos ainda é pequeno, pois a pes quisa não apresenta um bom desenvolvimento na área da Farmácia propriamente dita. Existe um projeto de assinaturas de periódicos para atender melhor ao ensino e à pesquisa. 0 Serviço (as instalações, o horário de funcionamento), como foi dito acima, é muito bom. - A biblioteca central da Universidade de Marília pos_ suia em 1990, títulos abrangendo exempla_ res, estando a direção empenhada na aquisição de mais de títulos. O número de títulos é maior para os cursos já funcio nando há mais tempo. - Somente foi notado a presença de periódicos multidis_ ciplinares (Bioquímica, Toxicologia, Botânica, Tecnolo gia de Alimentos, Bromatologia, Análises Clínicas,etc) que poderão ser úteis aos alunos de Farmácia. Os periódicos específicos de Farmácia, embora encomendados ', ainda não se encontram na biblioteca, Consta na documentação complementar anexada aos autos, que o acervo específico do curso é formado por: 1. Área Básica (Sociologia e Antropologia) Títulos: Volumes: Ciclo Pré-Profissionalizante (Mineralogia, Química Orgânica/Química Inorgânica e Química Industrial Títulos: 517 Volumes: 655 Ciência Biológicas (Botânica e Zoologia) Títulos: Volumes: Ciclo Profissionalizante (Medicina: Farmácia, Patologia, Ciências Farmacêuticas) Títulos: Volumes: Total de Títulos: Total de Volumes: 6.399

4 Informa ainda, a Instituição que o número de periódicos é de 202 títulos, mais 11 assinaturas de periódicos especializados em Farmácia Laboratórios A Comissão Verificadora informa o que segue sobre os laboratórios: " As disciplinas do Curso de Farmácia que usam laboratórios multidisciplinares como a Parasitologia, a Microbiologia, a Bio química, a Botânica, as Análises Clínicas, estão muito bem instaladas em número e qualidade. Os equipamentos são praticamen_ te novos e se apresentam muito bem conservados. A Univer_ sidade possui um dispositivo con tratual que permite manter o equipamento com um ser viço de manutenção eficiente. - Laboratórios específicos do Curso Laboratório de Farmacognosia e Farmácia Homeopática Laboratório de Farmacodinâmica Laboratório de Botânica Laboratório de Bromatologia Laboratório de Tecnologia Farmacêutica e de ticos Cosmé Laboratório de Hematologia e Parasitologia Clínica Com relação ao laboratório de Análises Clínicas,cuja planta baixa consta dos anexos do Processo de Reco nhecimento, encontra-se em fase de instalação no Blo co V do "campus" com área de 300 m. Nesse rio serão realizados além dos trabalhos laborato acadêmicos programados pelo Curso, exames laboratoriais de dife rentes materiais, atendendo desse modo às des da comunidade em geral. necessida_

5 A Instituição informa que: As atividades práticas, de estágio e de atendimento à comunida de do Curso de Farmácia e Bioquímica são desenvolvidas no laboratório de Análises Clínicas que ocupa a área total de 350m² e está dotado de toda infra-estrutura, aparelhos e equipamentos para a execução de exames laboratoriais nas áreas de: - Bioquímica - Microbiologia - Imunologia - Sorologia - Hematologia - Parasitologia - Urinálise - Toxicologia Os laboratórios que até então funcionavam isoladamente foram acoplados resultando num complexo laboratorial capaz de atender a comu nidade através de convênios firmados com a Prefeitura Municipal de Marí_ lia, nas Unidades Básicas de Saúde - U.B.S. e Secretaria Estadual de Saúde, por intermédio do Escritório Regional de Saúde - ERSA. 0 Laboratório de Análises Clínicas pode ser assim descrito: - numa área de l00m² acham-se instaladas a recepção, salas de coleta de material para os homens e mulheres e sala de supervisão, sala esta de reunião para docentes e alunos discutirem casos ao final de ca_ da dia de atividades. Em ambiente contíguo, numa área de 250m² localizam-se os boxes devidamente equipados para a realização de diferentes modalidades de exames. Ainda nessa área, acham-se instalados o almoxarifado, sala ' de esterilização e sala do coordenador geral de estágio. Em todo esse conglomerado os equipamentos em funcionamento ' são os seguintes: - 2 banho-maria - 37º FANEM/espectrofotômetro de fluxo contí_ nuo - 2 banho-maria - 56º FANEM/ 3 centrífugas FANEM - 2 agitadores orbital FANEM B - 10 microscópios binoculares Micronal - 2 balanças para tarar tubos - Record - 200gr. - 2 estufas bacteriológicas - 2 cronômetros digitais - 1 fotômetro de chamas

6 - 2 cadeiras para coleta de sangue com braçadeira - l'agitador orbital - I fluorímetro - I autoclave vertical - 2 geladeiras/freesercom capacidade para mesas - escrivaninha -03 cadeiras almofadadas -J0 cadeiras anatômicas de plástico e tubulares -20 banquetas - pias - balcão, com a extensão de 100m. Sala de Coleta de Material Feminino 04 cadeiras com suporte de braço 02 mesas pequenas de fórmica 04 cadeiras laqueadas 02 suportes de parede para sorologia 04 carrinhos hospitalares para transporte de material 01 mesa ginecológica 01 mesa urológica 02 armários de aço, de parede Sala de Recepção 02 escrivaninhas 02 cadeiras almofadadas 03 arquivos de aço com fichário 02 arquivos de mesa 02 máquinas de escrever 15 cadeiras anatômicas de plástico e tubulares para pacientes Sala dos Docentes - 06 cadeiras giroflex - 02 estantes de aço com divisões fechadas Sala de Esterilização - 01 autoclave - 01 destilador - 01 deionizador - 01 estufa bacteriológica

7 FARMÁCIA INDUSTRIAL - Na Farmácia Industrial da Universidade de Marília estão sendo realizadas análises de alimentos para controle de qualidade, atendendo solicitações de indústrias alimentícias de Marília e região como também, produzindo alimentos industrializados, cosméticos e demais produtos qui mico - farmacêuticos. Encontram-se em construção mais quatro laboratórios, que a partir do 2º semestre estarão desenvolvendo pesquisas nas áreas de cosmeto logia e tecnologia farmacêutica. Desse modo estarão sendo aliviadas as dependências do atual laboratório que até então são utilizadas para atividades múltiplas. Nessas novas Instalações, a Farmácia Industrial deverá atingir o regime semi -industrial, portanto em condições de atender não só as ne cessidades da própria instituição como a toda população local e regional, em se tratando de produtos químico-farmacêuticos. Atualmente, a produção da Farmácia Industrial na área de cosmé ticos é a seguinte: - cremes hidratantes - pós - shampoo - loções Na área de alimentos:- - extrato de frutas - sucos - compotas Na área farmacêutica: - xaropes - pomadas - emulsões - soluções

8 2.4. Funcionamento e Estrutura Curricular O curso de Farmácia é ministrado pelo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da UNIR e começou a funcionar no 2º semestre de 1988 com a habilitação Farmacêutico. A habilitação em Farmacêutico Bioquímico foi implantada em agosto de 1991 e a habilitação em Farmacêutico Industrial não teve início em 1992, estando previsto para o 1º semestre de Os quadros a seguir apresentam os dados referentes aos vestibulares realizados e a evolução do alunado. - CURSO DE ANO FARMÁCIA: VAGAS CANDIDATOS RELAÇÃO C/V 2,99 1,35 1,77 1,55 EVOLUÇÃO DO ALUNADO 2º semestre º semestre º semestre º semestre º semestre º semestre MATRÍCULAS Pela grade curricular apresentada o curso tem uma carga horária de h/a Farmácia; h/a para Farma_ cêutico Industrial; e h/a para Farmacêutico Bioquímico. Nesses totais estão incluídas as horas referentes a EPB e EF. O currículo do curso constitui o Quadro I deste parecer.

9 Sobre o funcionamento do curso a Comissão sim se expressa: as - Total de alunos matriculados por turno: O número de va gas oferecidas no exame vestibular é de 100 novas matrículas. A primeira turma foi no 2º semes tre de No segundo semestre de 1990 foram matricu lados 271 alunos. Total de Concluintes: A primeira turma de Concluintes somou 49 alunos no 1º período de De vem concluir o Ciclo Profissional-Farmacêutico, num to tal de 72 (setenta e dois) alunos, que em grande número continuarão na Universidade de Marília para fazerem a opção Farmacêutico Industrial ou Farmacêutico co. Bioquími Número maior e menor de alunos consideradas as turmas formadas para a aplicação das disciplinas curriculares: As turmas para as aulas teóricas são cons tituídas de 50 a 100 alunos. Para as aulas praticas as disciplinas são ministradas em grupos de 20 ou 25 alunos. OBS.: O início do Curso de Farmacia na modalidade Bioquímica Analises Clínicas foi em agosto de O Curso de Farmácia na modalidade Farmacêutico Indus_ trial não teve início no ano de 1991, estando previs_ to para Regime de matrícula: - A matrícula dos alunos é realizada em períodos letivos atendendo a carga horaria semanal, baseada no sistema de créditos. Cada crédito corresponde a 18 (dezoito) ha ras-aula. A carga horaria no Ciclo Básico mais o Pré-Profissional corresponde a 103 créditos que totalizam 1854 horas; o curso no Ciclo Profissional é integralizado em 6 semes_ tres letivos com horas-aula e 166 créditos.

10 Para o Farmacêutico Industria] a carga horaria propos_ ta é de horas-aula e 220 créditos. Para a modalidade Farmacêutico Bioquímico, com as dís_ ciplinas acrescentadas atingem a carga horaria proposta de horas-aula e 225 créditos. Tamanho das turmas formadas: - Os alunos matriculados após o vestibular (100) são divididos em turmas de alunos de acordo com o ti po de aula e capacidade dos laboratórios para as aulas práticas. As aulas teóricas são ministradas em salas de aula convencionais com capacidade para 100 alunos, mas.divididas em duas turmas de 50 alunos cada. - Carga horária total exigida para integralização do curri culo pleno: - CursO de Farmácia horas-aula e 166 créditos. Curso de Farmácia: Modalidade Industrial horasaula e 220 créditos. Curso de Farmácia: Modalidades Bioquímico - ras-aula e 225 créditos. - Integralização da carga horária em anos: ho - A carga horária média por período é de crédi tos correspondentes a cerca de horas/aula. - Valor cobrado pela 1ª e 2ª semestral idades: - 1º semestre: Cr$ ,00 (Janeiro a Junho/91) 2º semestre: Cr$ ,00 (Julho a Outubro/91). - Registros escolares: - Os registros escolares estão centralizados no Departamento de Microfilmagem, sendo possível, a qualquer momento, levantar o histórico escolar do aluno matriculado ou com a matrícula suspensa. a) Índice de freqüência às aulas: - Todos os alunos possuem uma ficha de controle da freqüência possibilitando a pronta verificação do seu aproveitamento nas disciplinas que estão sen do ministradas. Esse controle é realizado no Depar_ tamento de Microfilmagem.

11 b) Nível de participação nos órgáos colegiados da ins tituição: - 0 Corpo Discente tem representação nos Órgãos Cole giados da Universidade (Conselho Universitário,Con selho de Ensino, Pesquisa e Extensão e Conselho De partamental), com direito a voz e voto e, também, nas comissões por eles constituidas. 0 Corpo Discente se organiza em associações estu dantis: Diretório Acadêmico (com representantes dos Centros) e Diretório Central de Estudantes, com ampla liberdade para funcionamento. No corrente ano de 1991, a Universidade de Marília conta com mais de alunos, que freqüentaram as suas dependências nos três turnos diários nos cursos instalados nos 6 (seis) Centros: - Campus I - Marília - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes; Centro de Ciências Sociais Aplicadas; Centro de Ciências Agrárias; Centro de Ci_ ências Exatas e Tecnológicas e Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (onde se localiza o Curso de Farmácia); - Campus II - Tupã - Centro de Ciências e Educação. Sobre o Estágio Supervisionado consta dos autos: // Conforme Resolução CFE nº 04/69 de 11/04/69 que estabelece o currículo mínimo e duração do Curso de Farmácia e de suas Modalidades : Farmacêutico Industrial e Bioquímico, a UNIMAR propôs para o 1ºciclo profissional que conduz à formação do Farmacêutico no 6º semestre do curso, 160 horas de estagio Supervisionado em Farmácia Pública e Hospitalar. Esses estágios estão em desenvolvimento desde o Inicio do semestre letivo, nas Farmácias Públicas de dispensação e manipulação e nos Postos de Assistência a Saúde CP.A.S. D de Marília. As atividades de Estágio são supervisionadas por três professores especialistas do curso, com registro no CRF, que organizam, acompanham e avaliam o desempenho dos alunos. Antes da mudança de atividade» os alunos recebem aulas de orientação e solução de possíveis problemas que possa ocorrer. Essas aulas são ministradas na Universidade. Semanalmente, cada aluno cumpre 20 horas de Estágio e quinzenalmente são feitos rodízios para troca de Farmácia e P. A. S. ( Posto de Atendimento de Saúde).

12 O Plano de atividades em desenvolvimento foi organizado pelo Departamento de Ciências Farmacêuticas e homologado pelo Conselho Departamental do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, que congrega o Curso de Farmácia. Na sua elaboração, levou-se em consideração a legislação pertinente a profissão, seu código de ética, o perfil profissional pretendido, Estatuto e Regimento da UNIMAR, normas para convênios e Seguro de Assistência ao Estagiário. Os convênios firmados entre a UNIMAR e as Instituições são de interesse bilaterais: de um lado as instituições necessitando de mão-de-obra especializada, de outro a Universidade necessitando de tempo e espaço para a pratica profissional exigida na formação de farmacêuticos de alto nível. A prestação de serviços à comunidade está implícita também nos Convênios firmados, pois a população atendida ganha em profissional qualificado, em condições de dispensar e manipular, com ética e conhecimento profundos, os produtos farmacêuticos. Na seção ANEXOS, apresentamos o termo de Convênio, Plano de Atividades de Estágio - Regulamento, registro das horas de Estágio e Atestado expedido pelo Departamento de Estágios ca Universidade. Essa documentação será utilizada também para : Farmácia Industrial. No 2- Semestre do corrente ano, os alunos diplomados em. Farmácia, optarão por uma das Modalidades oferecidas pela Instituição Farmacêutico Industrial e Farmacêutico Bioquimico. cada uma delas com a duração prevista para mais de 1 ano letivo, ou seja, mais de 1062 horas-aula. Para a modalidade Farmacêutico Industrial, convênios com várias indústrias de Marilia, foram firmados.* São Indústrias de Alimentos, Cosméticos e Farmácias de Manipulação exclusivamente Homeopáticas e Alopáticas, conforme documento anexado aos autos do processo. Para a modalidade Farmacêutico Bioquimico, os Estágios Supervisionados serão realizados na própria Universidade de Marilia, ' num complexo laboratorial - o Laboratório de Análises Clinicas da UNIMAR, que terá suas portas abertas para toda a comunidade local e regional. Aí serão realizados os mais diferentes exames com a utilização de técnicas inovadoras e equipamentos modernos e sofisticados 2.5. Atividades-Fim Sobre este item comenta a Comissão: Alem dos cursos ministrados na Instituição, um compromisso importante de cessão de suas instalações comunidade local. há à

13 O complexo esportivo (quadra coberta, piscina, estádio de futebol,etc) é utilizado constantemente, pela comunidade para a pratica de esporte; Os anfiteatros para receber conferencistas e pa lestrantes convidados, o Hospital Universitário prestando sua assistência a animais de pequeno e grande porte; a Fa culdade de Odontologia oferecendo extenso atendimento em suas diferentes clínicas e o Departamento de Fisioterapia com suas inúmeras modalidades de exercício oferecendo a reabilitação a deficientes físicos. As atividades fim são muito importantes para a região pois auxiliam o seu desenvolvimento industrial,além do importante papel social. Os estágios curriculares são realizados em tituições locais graças aos convênios realizados ins Corpo Docente Consta da documentação complementar que "quando da vinda da Comissão Verificadora à instituição para análise e aprecia ção do funcionamento do Curso de Farmácia - Farmacêutico - Industrial e Bioquímico da Universidade de Marília - UNIMAR, em setembro de 1991 foi apresentado o corpo docente atuante. Daquela época até o momento a instituição procedeu novas contratações tendo em vista a ocorrência de desligamento e implantação da Modalidade - Farmácia Industrial. Com as novas contratações, o corpo docente atual é for mado por 42 professores, sendo 05 com Doutorado, 10 com Mestrado, 12 cursando o Mestrado e 15 com Especialização. Destes 14 já possuem Parecer de aprovação do C.F.E. Quadro II A relação do corpo docente aprovado pode ser vista deste Parecer. no

14 3. Outras Informações A Comissão Verificadora presta, ainda, as seguin tes informações sobre o processo: - Organização e Gerência: - No processo de Reconhecimento do Curso de Farmácia, nas modalidades Farmacêutico Industrial e Farmacêutico Bioquímico são fornecidas todas as informações referentes à Entidade Mantenedora -Associação de Ensino de Marília A.E.M., bem como as condições jurídicas e informações so bre os seus dirigentes, sócios mantenedores e a Institui_ ção propriamente dita, isto é, a Universidade de Marília -UNIMAR-, com seus dirigentes, devidamente identi_ ficados. As reuniões dos Colegiados obedecem o que está estabe_ lecido e inserido no Estatuto e Regimento Geral da Entidade. - Plano anual de aplicação dos recursos financeiros: - O estatuto Social da Associação de Ensino de Marília com a redação aprovada pela Assembléia Geral Ordinária de 07 de janeiro de 1988, estabelece as normas para a aplicação dos recursos financeiros, assim como os pla_ nos para expansão da UNIMAR. A Portaria nº 261, de 25 de abril de 1988 do Ministério da educação, concede o reconhecimento da Universidade de Marília mantida pela Associação de Ensino de Marília;, aprovando na mesma ocasião seu Estatuto e Regimento Geral. - Histórico e prospectiva: - A instituição mantém um programa de desenvolvimento que vem sendo o atual Curso de Farmácia um exemplo de seu desenvolvimento. Estão sendo estudados novos projetos, como a criação dos Cursos de Engenharia, Medicina e a construção do Hospital Universitário.

15

16 - Da mantenedora responsável pelo estabelecimento de ensino analisado no ítem anterior: - os dados contábeis fornecidos atestam que a Associação de Ensino de Marília possui condições econômicas que asseguram à Universidade de Marília êxito nos empreendimentos programados. 4 - Apreciação Final da Comissão Verificadora A Comissão Verificadora conclui seu relatório nestes termos: Pelo que nos foi possível verificar, julgamos que a Universidade de Marília oferece condições econômicas e materiais além de instalações para o atendimento qualificado do Ensino de Farmácia nas modalidades Farmacêutico Industrial e Farmacêutico Bioquímico. II - VOTO DO RELATOR A Relatora é de Parecer favorável ao reconhecimento do Curso de Farmácia, na modalidade Farmacêutico Bioquímico, mínistra_ do pelo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, da Universidade de Marília-UNIMAR/SP- III - CONCLUSÃO DA CÂMARA A Câmara de Ensino Superior acompanha o Voto do Relator Sala

17 QUADRO I ORGANIZAÇÃO CURRICULAR CURSO I - FARMÁCIA Ciclo Básico Sociologia Antropologi a Biologia I Química e Bioquímica Estatística I Anatomia I Pré-profis Ciclo sional Biologia II Bioquímica I e II Histoiogia I Fisiologia I Microbiologia Imunologia I e II e e II Fisica Quimica Aplicada Inorgânica Metodologia Cientifica Parasitologia I e II Fisico-Quimica Quim. Analítica I II

18 QUADRO I (Cont.) CURSO : - FARMÁCIA Farmacobotânica Ciclo-Proflssional Patologia I e II Farmacognosia I Farmacotécnica Farmacodinâmica e II I/ II I/II Química Farmacêutica Economia e Admin. de Empresas Farmacêuticas Higiene Social Deontologia e Legislação Farmacêutica Estágio Supervisionado ( Farmácia ' Pública e Hospitalar

19 QUADRO I (Cont.) CURSO - FARMÁCIA - Modalidade Farmacêutico Bioquímico Acrescente-se As materias do Ciclo Profissionalizante Toxícologia I e II Bioquímica I e II Clínica Microbiologia e Imonologia Clinica I e II Hematologia I e II Citologia I e II Patologia Clínica Clinica Clínica Parasitologí a Clínica I e II Estágio Supervisionado em Analises Clínicas Estágio Supervisionado em Análises Toxicológica

20 QUADRO I (Cont.) CURSO - FARMÁCIA - Modalidade Farmacêutico Industrial Acrescente-se as matérias do Ciclo Profissiorializante Toxitologia I e II Bromatologia Tecnologia Alimentos I dos e II Enzimologia e Tecnologia das Fermentações I e II Fisica Industrial Tecnologia Farmacêutica e de Cosméticos I e II Controle e Qualidade dos Produtos Farmacêuticos e Cosméticos Homeopá Farmácia tica Estágio Supervisionado em Indústria Alimenticia

21 Quadro II - Corpo Docente Aprovado 01. Wilton Carlos Lima da Silva Disc: EPB I e II, Metodologia Científica. Bacharel em Ciências Sociais - UNICAMP Mestrando em Sociologia. - UNICAMP - com prazo previsto para Professor Universitário desde 1989 Parecer CFE n» 300/91 para EPB de término 02. Marco Antônio Manechini Disc: Química Inorgânica/Química Analítica. :- Licenciatura e Bacharelado em Química - Universidade Fede ral de São Carlos Mestre em Química - Universidade Federai de São Carlos Doutoramento com término previsto para Universidade Federal de São Carlos 03. Simone Aparecida Antoniazi Disc: Controle de Qualidade/Tecnologia Farmacêutica e de Cosméticos/Farmacognosia. Farmacêutica Industrial - Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP Mestrado com término previsto para agosto de área de Concentração: Bioquímica - Ribeirão Preto - USP. 04. Neide Bassalobre Valera Disc: Histologia. I

22 :- Licenciada em Ciências - UNESP-Marí1ia Habilitação em Biologia - Avaré em Especialização em Biologia - Avaré Especialização em Ciências Biológicas - UNIMAR Prof». Universitária desde Parecer CFE 300/91 na disciplina histologia. 05. Haydée Maria Moreira Disc: Histologia /Biologia :- Licenciada em Ciências Biológicas - Faculdades Integradas de Guarulhos - S.P Especialização em Histologia - Universidade Estadual de Londrina - P.R Mestrado com término previsto para novembro de área de Concentração: Ciências Biológicas - Zoologia - UNESP de Botucatu - S.P. - Profa. Universitária desde Parecer C.F.E. nº 300/91 para Ecologia 06. César Augusto Bochi Disc: Bioquímica/Est. Sup. Farmácia Pública e Hospitalar/Farmacodinâmica :- Graduação em Farmácia pela Universidade Estadual de Marin gá - PR Especialização em Bioquímica - UNIMAR Curso de Extensão em Farmacologia Clínica - UE de Maringá Curso de Extensão em Farmácia Industrial pela UE de Marin gá - PR Parecer do C.F.E. nº 549/91 na disciplina (Bioquimica) 07. Leonor Mirna Vernaschi Disc: Parasitologia :- Bel. em Ciências Biológicas - Modalidade Medica «Especialização em Bioquímica - UNIMAR Especialização em Análises Clínicas pela USC - Bauru - Especialização em Farmácia Hospitalar

23 08. Eládio Pessoa de Andrade Disc: Anatomia/Patologia - Doutor em Anatomia pela Escola Paulista de Medicina - SP. - Livre Docente pela USP Parecer do CFE. na disciplina nº 582/87, nº 3240/ Eni Megumi Hashimoto Disc: Citologia Clínica/Tecnologia Farmacêutica e de Cosméticos. - Graduação em Farmácia pela Universidade Estadual de Londri na - PR., Habilitação em"bioquimica" a 23 de dezembro de Mestrado em Ciência de Alimentos - Universidade Estadual de Londrina - UEL - PR. 1989, tendo já cumprido todos os créditos teóricos exigidos e estando atualmente realizando os créditospráticos referentes a Tese de Mestrado intitula da "Influência do Tratamento Térmico e da Utilização de Culturas Lacticas Filantes no Iogurte de Leite de Cabra, sob a orientação do Professor Dr.Lúcio Alberto Forti Antunes. 10 :- Antônio Francisco Godinho Disciplinas:- Toxicologia Farmacodinâmica _ - Bel. Ciências Biológicas pela UNESP - Botucatu - Mestrado em Farmacologia - USP. - Ribeirão Preto - Doutorado em Farmacologia pela USP - Ribeirão Preto - Professor de Farmacologia na U.E. Rio de Janeiro - Orientação em Pós-Graduação - disciplinas:- Endocrinologia e Farmacologia - PUC - Rio de Janeiro - Orientador de tese de mestrado do chumbo com zinco e cobre Demonstrações da existência de uma enzima Tripsino-Simile em mastócidos isolados da cavidade peritoneal de ratos. Efeitos da Vasopressina e Oxitocena sobre o metabolismo ha pático de drogas. 11. Malvina Boni Disc: Farmacoténica/Estágío

24 - graduação em Farmácia e Bioquimica pela U E. de Maringa-PR. Especialização em Metodologia e Didática do Ensino Superior pela UNOEST Especialização em Bioquímica pela UNIMAR Mestranda na área de Farmácia e Bioquímica - UNESP - Botucatu - Parecer do CFE. na disciplina - nº 300/91 (quimica Bioquimica) 12. Progresso José da Silva Disc: Patologia/Anatomia. - Licenciatura em Ciências Biológicas - UNESP - Botucatu - Mestrado e Doutorado em Morfologia - USP. Ribeirão Preto - Prof. de Anatomia Humana UNESP. - Botucatu desde Prof. do Curso de Pós-Graduação da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP. 13. Aleksandrsn Spers Disc: Bromatologia Graduação em Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo, concluído em 1964 Curso de Pós-Graduação em Nutrição Animal e Pastagens, de 1966 a 1967, na Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - USP. "Magister Scientiae" na área de Nutrição Animal e Pasta. - gens pela Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP -, no dia 09 de novembro de 1972, defendendo a tese : "Avaliação dos efeitos de níveis de proteína e de energia no desempenho de suínos em crescimento e terminação". Doutor em Medicina Veterinária e Zootecnia - da Universi - dade de São Paulo, no dia 26 de março de tese - "Avaliação dos efeitos de níveis de proteína e de energia no desempenho quantitativo, qualitativo e econômico das carcaças de suinos".

25 14. Maria Ligia Queiroz Pinto Disc: Bromatologia/Tecnologia dos Alimentos/Enzimologia - Graduação em Engenharia dos Alimentos - Universidade Federal Viçosa - MG Curso de Aperfeiçoamento - Aditivos Alimentares - Microbiologia de Alimentos - Fermentação - Melhoramento Genético Leveduras para uso Enologico. - Mestrado em Ciências de alimentos - Universidade Estadual de Londrina - PR Experiência Docente - Professora de Ensino Superior desde Onivaldo Gigliotti Disc: Economia e Administração de Empresas. - Bel. em Administração de Empresas - Faculdade de Administra ção da Fundação Eurípides Soares da Rocha Bel. em Ciências Econômicas - Faculdades Integradas de Marí_ lia Curso de Aperfeiçoamento em Estudos Econômicos - Boston University - U.S.A. - Especialização - Marketing - Fundação Eurípides Soares da Rocha José Celso Rocha - Experiência Docente - Professor do Ensino Superior - Parecer do C.F.E, na disciplina n 1709/77 Disc: Física Industrial/Física Aplicada - Licenciado em Física - UNESP - Rio Claro Mestrado em Ciências - ITA - São José dos Campos Professor da UNESP - Guaratingueta Doutorando na área de Física - Universidade Federal de São Carlos. 17. Agnaldo Bruno Chies Disc. : Farmacognosia. :- Farmacêutico e Bioquímico - Universidade do Sagrado Coração Cursos Extracurriculares - Atualização em Imunohistoquímica

Matriz Curricular Bacharelado em Farmácia

Matriz Curricular Bacharelado em Farmácia Matriz Curricular Bacharelado em Farmácia Semestre 1 01 Introdução às Ciências Farmacêuticas 30 30-2 - 02 Anatomia 75 30 45 5-03 Biologia Celular e Molecular 60 30 30 4-04 Química Geral e Inorgânica 75

Leia mais

a) ÁREA DE CONHECIMENTO BÁSICO: História do Pensamento Econômico/História Econômica.

a) ÁREA DE CONHECIMENTO BÁSICO: História do Pensamento Econômico/História Econômica. Campus Governador Valadares Concurso 106: Departamento de Economia Proc. nº 23071.009825/2013-25 Vaga(s): 01(uma) Classe A: Professor Assistente A a) ÁREA DE CONHECIMENTO BÁSICO: Econometria. DAS PROVAS:

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 30-30 02

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 30-30 02 MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 1º SEMESTRE 1. Anatomia Humana 30 30 60 04-2. Bioestatística Geral 30-30 02-3. Bioética 30-30 02-4. Biofísica 60-60 04-5. Citologia, Histologia e Embriologia

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA-FORMAÇÃO FARMACÊUTICO GENERALISTA

CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA-FORMAÇÃO FARMACÊUTICO GENERALISTA CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA-FORMAÇÃO FARMACÊUTICO GENERALISTA Coordenaçăo: Profª. MS. Érika Guimarães Costa E-mail: farmacia@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 217 O Curso forma o profissional

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

Curso. Administração. Arquitetura. Ciências Biológicas

Curso. Administração. Arquitetura. Ciências Biológicas FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA /FCSES EDITAL Nº002/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 2º SEMESTRE DE 2014 1 A Secretária Geral da Faculdade Católica

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BAURUENSE DE ENSINO SUPERIOR E CULTURA

ASSOCIAÇÃO BAURUENSE DE ENSINO SUPERIOR E CULTURA ASSOCIAÇÃO BAURUENSE DE ENSINO SUPERIOR E CULTURA Autorização do curso de Ciências - habilitação em Ma temática - Licenciatura Plena para funcionar na Faculdade de Ci ências, novo estabelecimento de ensino

Leia mais

FFARM Faculdade de Farmácia

FFARM Faculdade de Farmácia FFARM Faculdade de Farmácia Secretaria: Prédio12 - Bloco A Fone: 3320-3512 E-mail: farmácia@pucrs.br www.pucrs.br/farmacia Departamentos: Análises Clínicas e Toxicológicas n.º 351 Desenvolvimento e Produção

Leia mais

Edital n 37/2011 Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. Anexo I Cargos e Vagas

Edital n 37/2011 Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. Anexo I Cargos e Vagas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO Edital n 37/2011 Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor

Leia mais

Missão. - Estimular a capacidade de análise dos problemas que se apresentam no campo da Saúde Pública e Privada;

Missão. - Estimular a capacidade de análise dos problemas que se apresentam no campo da Saúde Pública e Privada; CURSO: Farmácia Missão O curso tem como missão formar profissionais farmacêuticos capazes de exercer atividades referentes aos fármacos e aos medicamentos, às análises clínicas e toxicológicas, ao controle,

Leia mais

ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR

ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR EDITAL 162/2013 Curso Sem. Disciplina Perfil do Docente Administração 1º Teoria Geral da Administração Administração 1º Empreendedorismo Administração 1º Sociologia das Organizações

Leia mais

1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA

1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA 1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA 1 2. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA Para melhor entendimento desta proposta de reestruturação curricular apresentamos

Leia mais

Disciplina. Matemática - 1

Disciplina. Matemática - 1 FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA /FCSES EDITAL Nº00/204 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O º SEMESTRE DE 204 A Secretária Geral da Faculdade Católica

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO ALTO VALE DO RIO PEIXE - CAÇADOR. Reconhecimento da Habilitação Supervisão Escolar do Curso de Pedagogia.

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO ALTO VALE DO RIO PEIXE - CAÇADOR. Reconhecimento da Habilitação Supervisão Escolar do Curso de Pedagogia. FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO ALTO VALE DO RIO PEIXE - CAÇADOR Reconhecimento da Habilitação Supervisão Escolar do Curso de Pedagogia. EURIDES BRITO DA SILVA O Diretor de Ensino da Fundação Educacional do Al

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA /FCSES EDITAL Nº002/2013 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 1º SEMESTRE DE 2013 A Secretária Geral da Faculdade Católica

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 19/04-CEPE

RESOLUÇÃO Nº 19/04-CEPE RESOLUÇÃO Nº 19/04-CEPE Fixa o Currículo Pleno do Curso de Farmácia, do Setor de Ciências da Saúde. O, órgão normativo, consultivo e deliberativo da Administração Superior, no uso de suas atribuições conferidas

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 12/2012 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 1) Área de Conhecimento:

Leia mais

Reconhecimento do curso de Matemática Aplicada à Informática, ministrado pela Faculdade de Informática de São Paulo

Reconhecimento do curso de Matemática Aplicada à Informática, ministrado pela Faculdade de Informática de São Paulo SOCIEDADE CIVIL ATENEU BRASIL Reconhecimento do curso de Matemática Aplicada à Informática, ministrado pela Faculdade de Informática de São Paulo ARNALDO NISTEIER I - RELATÓRIO O Diretor-Presidente da

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS. Duração do Curso: semestral mínimo de 09 e máximo de 18 em horas-aula: 4.320. Vagas oferecidas: 50 semestrais - matutino)

INFORMAÇÕES GERAIS. Duração do Curso: semestral mínimo de 09 e máximo de 18 em horas-aula: 4.320. Vagas oferecidas: 50 semestrais - matutino) INFORMAÇÕES GERAIS Habilitação: Farmacêutico, podendo exercer todas as competências inerentes ao profissional farmacêutico, incluindo atuação em Farmácia Comunitária, manipulação de fórmulas magistrais,

Leia mais

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1 Portaria Credenciamento IES: Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01. Portaria Autorização Administração : Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01 Portaria Reconhecimento Administração : Portaria 3.519 D.O.U.14/10/05. Portaria

Leia mais

FACULDADE REGIONAL DE MEDICINA DE SÃO JOSE DO RIO PRETO

FACULDADE REGIONAL DE MEDICINA DE SÃO JOSE DO RIO PRETO FACULDADE REGIONAL DE MEDICINA DE SÃO JOSE DO RIO PRETO SP Aprovação do Projeto do Curso de Enfermagem e Obstetrí cia com as habilitações: Geral em Enfermagem; Enfermagem Médico Cirúrgica; Enfermagem Obstetricia;

Leia mais

UNIDADES DE ENSINO DE NITERÓI CLASSE A: ADJUNTO A - REGIME: 40H DE 1 - Escola de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura Área de

UNIDADES DE ENSINO DE NITERÓI CLASSE A: ADJUNTO A - REGIME: 40H DE 1 - Escola de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura Área de UNIDADES DE ENSINO DE NITERÓI CLASSE A: ADJUNTO A - REGIME: 40H DE 1 - Escola de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura Área de Conhecimento: PROJETO DE HABITAÇÃO SOCIAL (uma vaga). Provas

Leia mais

DISCIPLINAS CHP CHS CHST CHSP

DISCIPLINAS CHP CHS CHST CHSP MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA (Bacharelado) Aplicada aos Ingressantes a partir de 2011/1 Turnos Integral Matutino/Vespertino e Integral Vespertino/Noturno 1 o Período BIOLOGIA CELULAR

Leia mais

Matriz Curricular. 1º Período Nome da disciplina

Matriz Curricular. 1º Período Nome da disciplina Matriz Curricular A grade curricular proposta para o Curso de Farmácia abrange três modalidades de disciplinas: disciplinas básicas, que serão comuns aos cursos de Bioquímica, Enfermagem e Medicina, disciplinas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 08/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Enfermagem, modalidade bacharelado,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO Edital Nº 7/205 ANEXO II QUADRO DE VAGAS CAMPUS SIGLA ÁREA PERFIL TOTAL ARRAIAL DO CABO CAC Geografia Licenciatura em Geografia. Análise Instrumental Química Industrial ou Engenharia Química ou Farmácia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO Edital Nº 7/205 ANEXO II QUADRO DE VAGAS (RETIFICADO) CAMPUS SIGLA ÁREA PERFIL TOTAL ARRAIAL DO CABO DUQUE DE CAXIAS CAC Geografia Análise Instrumental Biologia Geral/ Bioquímica / Processos Bioquímicos

Leia mais

Autorização (Execução do Projeto) do curso de Fisioterapia da Faculdade de Fisioterapia de Guarulhos. CESu

Autorização (Execução do Projeto) do curso de Fisioterapia da Faculdade de Fisioterapia de Guarulhos. CESu ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL PRESIDENTE KENNEDY Autorização (Execução do Projeto) do curso de Fisioterapia da Faculdade de Fisioterapia de Guarulhos. SR. CONS. Yugo Okida CESu 1 - RELATÓRIO A Associação Educacional

Leia mais

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2015/1 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2015/1 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO Administração da Enfermagem na Atenção Primária a Saúde Enfermagem Administração de Produção Administração Administração de Produção II Administração Administração de Sistemas de Informação Administração/

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA GERAL/FCSES EDITAL Nº009/2010 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 2º SEMESTRE DE 2010 A Secretária Geral da Faculdade

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 13/2013 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 135-Área de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO ANEXO I - RELAÇÃO DAS VAGAS E REQUISITOS ESPECÍFICOS POR ÁREA DE

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL 1.1. Perfil Comum: Farmacêutico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva.

Leia mais

Autorização (Projeto) do curso de Tecnologia em Processamento de Dados. Jucundino da Silva Furtado

Autorização (Projeto) do curso de Tecnologia em Processamento de Dados. Jucundino da Silva Furtado INSTITUTO RADIAL DE ENSINO E PESQUISA - IREP Autorização (Projeto) do curso de Tecnologia em Processamento de Dados. Jucundino da Silva Furtado 1 - RELATÓRIO O pedido do Instituto Radial de Ensino e Pesquisa,

Leia mais

Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de

Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de boticários na Universidade de Coimbra. 1772: Reforma da

Leia mais

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2015/2 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2015/2 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO Administração de Adm. em Serviços de Enfermagem Hospitalar Enfermagem Administração Mercadológica I / Marketing / Administração Mercadológica II Algoritmos e Técnicas de Programação Análise Ambiental Biomedicina

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 02/2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO Aprova a estrutura curricular do Curso de Nutrição, na modalidade bacharelado,

Leia mais

PROCESSO N.º 686/04 PROTOCOLO N.º 8.198.443-3/04 PARECER N.º 510/05 APROVADO EM 31/08/05

PROCESSO N.º 686/04 PROTOCOLO N.º 8.198.443-3/04 PARECER N.º 510/05 APROVADO EM 31/08/05 PROTOCOLO N.º 8.198.443-3/04 PARECER N.º 510/05 APROVADO EM 31/08/05 CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR INTERESSADA: FACULDADE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA E FISIOTERAPIA DE JACAREZINHO - FAEFIJA MUNICÍPIO: JACAREZINHO

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS

Universidade Estadual de Maringá PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS EDITAL N O 001/2011-PRH 2 - DAS ÁREAS DE CONHECIMENTO, N O DE VAGAS, REGIME E LOCAL DE TRABALHO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS (01) Bioquímica Graduação em Química ou

Leia mais

FLUXOGRAMA DO CURSO DE BACHARELADO EM MEDICINA VETERINÁRIA 2011.2

FLUXOGRAMA DO CURSO DE BACHARELADO EM MEDICINA VETERINÁRIA 2011.2 FLUXOGRAMA DO CURSO DE BACHARELADO EM MEDICINA VETERINÁRIA 2011.2 1 SEMESTRE DISCIPLINA TEORICA PRÁTICA C/H CR 1. Ecologia e Manejo Ambiental 60-60 04 2. Informática Básica 30-30 02 3. Sociologia Rural

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 272/2014

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 272/2014 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 272/2014 Dispõe sobre o Currículo do Curso de Enfermagem, regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº ENF- 065/2012, aprovou e eu promulgo

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO Este documento regulamenta os estágios obrigatórios e não obrigatórios do Curso de Bacharelado em Biomedicina visando à formação integral do

Leia mais

Autorização (Exame do Projeto) para funcionamento do curso de Letras, habilitação em Português/Inglês. CESu, 2 Grupo

Autorização (Exame do Projeto) para funcionamento do curso de Letras, habilitação em Português/Inglês. CESu, 2 Grupo ASSOCIAÇÃO DE ENSINO DE VERSALHES Autorização (Exame do Projeto) para funcionamento do curso de Letras, habilitação em Português/Inglês. Arnaldo Niskier CESu, 2 Grupo 1 - RELATÓRIO A Associação de Ensino

Leia mais

NORMAS PARA A SEGUNDA ETAPA DO PROCESSO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA 2º/SEMESTRE/2015 MAIO/2015

NORMAS PARA A SEGUNDA ETAPA DO PROCESSO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA 2º/SEMESTRE/2015 MAIO/2015 Av. Pádua Dias, 11 Caixa Postal 9 CEP: 1318-900 Piracicaba, SP Brasil NORMAS PARA A SEGUNDA ETAPA DO PROCESSO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA 2º/SEMESTRE/2015 I. DISPOSIÇÕES GERAIS MAIO/2015 a) A abertura do

Leia mais

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA INTERESSADOMANTENEDOR UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA UF AM ASSUNTO Autorização de curso de docência do ensino superior em nível de especialização para professores de ensino superior no Centro de Ensino Superior

Leia mais

Dados a serem fornecidos para inclusão de novas bibliotecas

Dados a serem fornecidos para inclusão de novas bibliotecas Dados a serem fornecidos para inclusão de novas bibliotecas Para exemplos, consulte Serviços>Guia> em: http://www.apcisrj.org Nome da instituição/sigla Nome da biblioteca Endereço completo, com CEP Telefone,

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/6/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/6/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/6/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: UF Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROJETO PRÓ-SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROJETO PRÓ-SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROJETO PRÓ-SAÚDE Florianópolis, 09 de novembro de 2007. Da: Coordenadoria do Curso de Graduação em

Leia mais

Onde os Biomédicos atuam?

Onde os Biomédicos atuam? Onde os Biomédicos atuam? Os profissionais Biomédicos estão distribuídos por todas as esferas científicas públicas e privadas das universidades, faculdades, centros universitários, institutos de pesquisas,

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 02/2012 Aprova a estrutura curricular contida no Projeto

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv.

Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv. 88 Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 89 Bacharelado e Licenciatura

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 179/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 179/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 179/2012 Altera o Currículo do Curso de Medicina, para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº MED- 035/2012, aprovou e eu promulgo

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 08/2009 Aprova a estrutura curricular do Curso de do Centro de Educação e Saúde

Leia mais

PESQUISA: Linha de Pesquisa Ecofisiologia Vegetal atuante na produção de pesquisa na área de botânica.

PESQUISA: Linha de Pesquisa Ecofisiologia Vegetal atuante na produção de pesquisa na área de botânica. SELEÇÃO PROFESSORES PARA O MÓDULO II CURSO LICENCIATURA EM CIÊNICAS BIOLÓGICAS PARFOR COMPONENTE CURRICULAR: BIO 120 BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR Lia D Afonseca Pedreira de Miranda Vinculo efetivo (1997

Leia mais

TOTAL DE VAGAS FURB 957

TOTAL DE VAGAS FURB 957 ANEXO I QUADRO DE CURSOS E VAGAS Universidade Regional de Blumenau - FURB FURB Campus Blumenau ADMINISTRAÇÃO Noturno 60 ARQUITETURA E URBANISMO Matutino 30 BIOMEDICINA Noturno 25 CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Leia mais

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR - SESu COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS EM ENSINO EM MEDICINA VETERINÁRIA VERIFICAÇÃO

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste CURSO DE FARMÁCIA 1 Biossegurança FAR1201 2 40 Cálculo Aplicado FAR1202 3 60 Química Geral Teórica FAR1203 3 60 Química Geral Experimental FAR1204 3 60 Anatomia FAR1205 5 100 Biologia Celular FAR1206 3

Leia mais

PROCESSO Nº 1863/12 PROTOCOLO Nº 11.579.438-8 PARECER CEE/CES Nº 74/12 APROVADO EM 03/12/12

PROCESSO Nº 1863/12 PROTOCOLO Nº 11.579.438-8 PARECER CEE/CES Nº 74/12 APROVADO EM 03/12/12 PROTOCOLO Nº 11.579.438-8 PARECER CEE/CES Nº 74/12 APROVADO EM 03/12/12 CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR INTERESSADA: FACULDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DE APUCARANA - FECEA MUNICÍPIO: APUCARANA ASSUNTO:

Leia mais

Matriz Curricular do curso de FARMÁCIA da Faculdade Santa Rita - FaSaR

Matriz Curricular do curso de FARMÁCIA da Faculdade Santa Rita - FaSaR 1º Período SEMANAL Introdução às Ciências Farmacêuticas 02-02 40 Anatomia Humana I 02 02 04 80 Citologia e Histologia 02 02 04 80 Química Geral e Inorgânica 02 02 04 80 Física Aplicada à Farmácia 02-02

Leia mais

Ecologia Vegetal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Biológicas. 01 ADJ DE Graduação em Engenharia. Ecologia Animal 01 ADJ DE Graduação em Ciências

Ecologia Vegetal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Biológicas. 01 ADJ DE Graduação em Engenharia. Ecologia Animal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Resumo: 12 vagas para Professor Adjunto e 05 vagas para Professor Assistente Ecologia Vegetal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Doutorado em Ecologia, Biologia Vegetal

Leia mais

ANEXO I DEMOSTRATIVO DE VAGAS POR CARGO, ÁREA DE ATUAÇÃO, PERFIL, ESCOLARIDADE EXIGIDA E LOCALIZAÇÃO. N O. DE VAGAS POR PERFIL PERFIL

ANEXO I DEMOSTRATIVO DE VAGAS POR CARGO, ÁREA DE ATUAÇÃO, PERFIL, ESCOLARIDADE EXIGIDA E LOCALIZAÇÃO. N O. DE VAGAS POR PERFIL PERFIL ANEXO I DEMOSTRATIVO DE CARGO, ÁREA DE ATUAÇÃO,, ESCOLARIDADE EXIGIDA E LOCALIZAÇÃO. CARGO: TECNOLOGISTA JUNIOR Cód. ÁREA DE ATUAÇÃO N O DE ÁREA 32 Arquitetura 12 Conservação e restauração de conjuntos

Leia mais

Licenciatura e Bacharelado. Licenciatura e Bacharelado. Bacharelado Noturno 8 80 II 70 x 1

Licenciatura e Bacharelado. Licenciatura e Bacharelado. Bacharelado Noturno 8 80 II 70 x 1 ANEXO I RELAÇÃO DE CURSOS DA UNISA - TURNOS, DURAÇÃO, VAGAS, LOCAIS DE FUNCIONAMENTO E NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA OFERECIDOS NO PROCESSO SELETIVO, TURMAS DE JANEIRO 2-2011. CURSOS DE GRADUAÇÃO CURSOS HABILITAÇÕES

Leia mais

LISTA DOS CURSOS DE MESTRADO AVALIADOS PELA CAPES NO PARANÁ Cursos novos que ainda não possuem nota não constam na lista

LISTA DOS CURSOS DE MESTRADO AVALIADOS PELA CAPES NO PARANÁ Cursos novos que ainda não possuem nota não constam na lista LISTA DOS CURSOS DE MESTRADO AVALIADOS PELA CAPES NO PARANÁ Cursos novos que ainda não possuem nota não constam na lista INSTITUIÇÃO CURSO NOTA DA CAPES CENTRO UNIVERSITÁRIO CAMPOS DE ANDRADE (UNIANDRADE)

Leia mais

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : MEDICINA VETERINÁRIA. CRÉDITOS Obrigatórios: 249 Optativos: 12.

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : MEDICINA VETERINÁRIA. CRÉDITOS Obrigatórios: 249 Optativos: 12. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Pró-reitoria de Graduação - DAARG DRA - Divisão de Registros Acadêmicos Sistema de Controle Acadêmico Grade Curricular 30/01/2014-13:10:25 Curso : MEDICINA

Leia mais

EDITAL n. 252/2014. 9h30 às 11h30 13h30 às 20h 09/12/2014 UNESC - CENTAC (Central de Atendimento ao Acadêmico)

EDITAL n. 252/2014. 9h30 às 11h30 13h30 às 20h 09/12/2014 UNESC - CENTAC (Central de Atendimento ao Acadêmico) EDITAL n. 252/2014 Dispõe sobre matrícula para os candidatos aprovados no Concurso Vestibular ACAFE Verão/2015, 1º semestre, para os cursos da UNESC a seguir relacionados: Administração Bacharelado (matutino

Leia mais

PARECER CEE/PE Nº 93/2006-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 15/08/2006 I RELATÓRIO:

PARECER CEE/PE Nº 93/2006-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 15/08/2006 I RELATÓRIO: INTERESSADA: UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PERNAMBUCO - FOP ASSUNTO: RENOVAÇÃO DE RECONHECIMENTO DO CURSO DE ODONTOLOGIA RELATORA: CONSELHEIRA NELLY MEDEIROS DE CARVALHO PROCESSO

Leia mais

Reconhecimento do curso de Educação Física - habilitações em licenciatura e Técnica de Desportos. João Paulo do Valle Mendes

Reconhecimento do curso de Educação Física - habilitações em licenciatura e Técnica de Desportos. João Paulo do Valle Mendes FUNDAÇÃO EDUCACIONAL REGIONAL DO RIO GRANDE DO NORTE Reconhecimento do curso de Educação Física - habilitações em licenciatura e Técnica de Desportos. João Paulo do Valle Mendes 1 RELATÓRIO O Diretor da

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA ALGUNS INDICADORES¹ 2.314 IES 245 públicas (10,6%) e 2.069

Leia mais

FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE OLINDA. Reconhecimento dos cursos de Pedagogia, Ciências, Le trás, Geografia e História. Zilma Gomes Parente de Barros

FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE OLINDA. Reconhecimento dos cursos de Pedagogia, Ciências, Le trás, Geografia e História. Zilma Gomes Parente de Barros FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE OLINDA Reconhecimento dos cursos de Pedagogia, Ciências, Le trás, Geografia e História Zilma Gomes Parente de Barros O Presidente da Fundação de Ensino Superior de Olinda

Leia mais

Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas

Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas UNIVERSIDAD DE COIMBRA (PORTUGAL) PROGRAMA DE FARMACIA Mestrado Integrado em Ciências s Ciências s voltar ao curso Plano de Estudos: Nome da Biologia Celular 1 01550003 Física Aplicada 1 01550014 Histologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº02/2014 PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR EFETIVO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº02/2014 PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR EFETIVO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº02/2014 PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I RELAÇÃO DAS VAGAS DO PROCESSO SELETIVO POR ÁREA DE CONHECIMENTO, REQUISITOS ESPECÍFICOS

Leia mais

A EXO 2 - LISTA DE VAGAS - DOCE TES

A EXO 2 - LISTA DE VAGAS - DOCE TES A EXO 2 - LISTA DE VAGAS - DOCE TES Campus Graduação na área de Artes Ministrar aulas em disciplinas relacionadas à área de Artes em geral. Desenvolver projetos e atividades extra-curriculares nas Artes

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA Coordenaçăo: Profª. MS. Mara Rosana dos Santos E-mail: nutricao@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 211 Ser Nutricionista É atuar em todas

Leia mais

PARECER CEE/PE Nº 181/2011-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 12/12/2011 I RELATÓRIO:

PARECER CEE/PE Nº 181/2011-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 12/12/2011 I RELATÓRIO: INTERESSADA: AUTARQUIA BELEMITA DE CULTURA, DESPORTOS E EDUCAÇÃO - ABCDE /CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO SÃO FRANCISCO-CESVASF ASSUNTO: RECONHECIMENTO DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Leia mais

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO Administração de Produção I Administração de Produção II Administração de Recursos Humanos I Administração de Recursos Materiais Administração Financeira e Orçamentária I Administração

Leia mais

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO Administração de Produção Administração Financeira Administração Mercadológica II Análise das Demonstrações Financeiras Auditoria Comércio Exterior e Economia Internacional

Leia mais

ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO

ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO Este documento tem a finalidade de estabelecer um referencial para o exercício da função de supervisão dos Cursos das Instituições do Ensino Superior, do Sistema Estadual

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO Universidade Federal do Paraná Reconhecimento da Habilitação em Magistério para Educação Pré-Escolar do curso de Pedagogia. Lêda Maria Chaves 0 Reitor

Leia mais

Autorização(projeto) para funcionamento do curso de Serviço Social

Autorização(projeto) para funcionamento do curso de Serviço Social INTERESSADO/MANTENEDORA Sociedade Presbiteriana de Educação e Pesquisa ASSUNTO: Autorização(projeto) para funcionamento do curso de Serviço Social RELATOR: SR. CONS. Virgínio Cândido Tosta de Souza 1-RELATÓRIO

Leia mais

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO Administração de Produção I Administração de Recursos Humanos I Administração de Recursos Materiais Administração de Sistemas de Informação Administração Financeira e Orçamentária

Leia mais

C.H DISCIPLINAS T P CRÉDITO

C.H DISCIPLINAS T P CRÉDITO Resolução UNICASTELO GR/ nº. 070 / 09 O Reitor e Presidente do Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão CONSEPE e do Conselho Universitário CONSUN, Gilberto Luiz Moraes Selber, no uso das atribuições legais,

Leia mais

Sociedade Brasileira de Instrução.

Sociedade Brasileira de Instrução. Sociedade Brasileira de Instrução. Autorização para funcionamento do curso de Ciências Contábeis, a ser ministrado pela Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio de Janeiro, unidade das Faculdades

Leia mais

CARREIRAS. Área de humanidades. CARREIRA 105 Arquitetura - FAU. CARREIRA 100 Administração - Ribeirão Preto. CARREIRA 110 Arquitetura - São Carlos

CARREIRAS. Área de humanidades. CARREIRA 105 Arquitetura - FAU. CARREIRA 100 Administração - Ribeirão Preto. CARREIRA 110 Arquitetura - São Carlos Área de humanidades CARREIRAS NOTA: A DURAÇÃO DOS CURSOS DA USP É COMPUTADA EM SEMESTRES. NA DURAÇÃO DOS CURSOS QUE ENVOLVEM ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO ESTÃO INCLUÍDAS TODAS AS ATIVIDADES NECESSÁ-

Leia mais

CURSO DE BIOMEDICINA TURMA 380116

CURSO DE BIOMEDICINA TURMA 380116 CURSO DE BIOMEDICINA TURMA 380116 MATEMÁTICA APLICADA 25/05 14h00 às 15h40 ANATOMIA HUMANA 26/05 14h00 às 15h40 QUÍMICA GERAL & FÍSICO-QUÍMICA 27/05 14h00 às 15h40 Até dia 10/06 BIOMEDICINA, ÉTICA &LEGISLAÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 95/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

ANEXO I DAS ÁREAS, DA QUANTIDADE DE VAGAS, DOS PERFIS PARA INVESTIDURA NO CARGO, DO REGIME DE TRABALHO E DAS LOCALIDADES DAS VAGAS

ANEXO I DAS ÁREAS, DA QUANTIDADE DE VAGAS, DOS PERFIS PARA INVESTIDURA NO CARGO, DO REGIME DE TRABALHO E DAS LOCALIDADES DAS VAGAS ANEXO I DAS ÁREAS, DA QUANTIDADE DE VAGAS, DOS PERFIS PARA INVESTIDURA NO CARGO, DO REGIME DE TRABALHO E DAS LOCALIDADES DAS VAGAS CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CRUZEIRO DO SUL CENTRO DE EDUCAÇÃO E LETRAS CEL

Leia mais

PROCESSO N.º 1007/10 PROTOCOLO N.º 10.465.202.-6 PARECER CEE/CEB N.º 196/11 APROVADO EM 07/04/11

PROCESSO N.º 1007/10 PROTOCOLO N.º 10.465.202.-6 PARECER CEE/CEB N.º 196/11 APROVADO EM 07/04/11 PROTOCOLO N.º 10.465.202.-6 PARECER CEE/CEB N.º 196/11 APROVADO EM 07/04/11 CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA INTERESSADO: COLÉGIO ESTADUAL UNIDADE PÓLO - ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E PROFISSIONAL MUNICÍPIO: MARINGÁ

Leia mais

Autorização /Execução do Projeto) de curso de Ciências Contábeis a funcionar na Faculdade de Ciências Econômicas e Contábeis Cândido Rondon.

Autorização /Execução do Projeto) de curso de Ciências Contábeis a funcionar na Faculdade de Ciências Econômicas e Contábeis Cândido Rondon. ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL CÂNDIDO RONDON Autorização /Execução do Projeto) de curso de Ciências Contábeis a funcionar na Faculdade de Ciências Econômicas e Contábeis Cândido Rondon. João Paulo do Valle Mendes

Leia mais

Reitoria EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA MONITORIA DE ENSINO

Reitoria EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA MONITORIA DE ENSINO 1 EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA MONITORIA DE ENSINO EDITAL Nº 26/2015 Estarão abertas as inscrições para o preenchimento de vagas de Monitoria de Ensino, no período de 03 a 14.08.2015, na secretaria

Leia mais

INTERESSADA/MANTENEDORA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA

INTERESSADA/MANTENEDORA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA INTERESSADA/MANTENEDORA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA UF SP ASSUNTO Autorização do Curso de Pós-Graduação/lato Sensu em nível de Especialização em Metodologia e Didática do Ensino Superior, fora de sede,

Leia mais

Reconhecimento do curso de Serviço Social, ministrado pela. Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Botucatu.

Reconhecimento do curso de Serviço Social, ministrado pela. Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Botucatu. ASSOCIAÇÃO DE ENSINO DE BOTUCATU - UNIFAC Reconhecimento do curso de Serviço Social, ministrado pela Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Botucatu. YUGO OKIDA 1 - RELATÓRIO Trata o presente parecer

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES SUPERVISIONADOS Capítulo I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º.Os estágios que compõem a estrutura curricular do curso do curso de graduação em Farmácia da Faculdade de Ciências

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL GR Nº 737/2015 DE OFERTA DE CURSOS E VAGAS - HISTÓRICO ESCOLAR

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL GR Nº 737/2015 DE OFERTA DE CURSOS E VAGAS - HISTÓRICO ESCOLAR EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL GR Nº 737/ DE OFERTA DE S E - HISTÓRICO ESCOLAR Edital complementar referente ao Edital de Oferta GR Nº 737/ - Histórico Escolar em Cursos de Graduação Presenciais da Unisul

Leia mais

CAPÍTULO I DO ÓRGÃO E SUA FINALIDADES

CAPÍTULO I DO ÓRGÃO E SUA FINALIDADES REGIMENTO INTERNO DO HOSPITAL VETERINÁRIO [adaptação à Resolução 11/98 do Conselho Universitário, de 3 de dezembro de 1998] (Aprovado em reunião da Congregação em 15-04-99 e reformulado em 27-10-2000 atendendo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DA BAHIA UFOB ANEXO I QUADRO GERAL DE VAGAS POR CAMPUS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DA BAHIA UFOB ANEXO I QUADRO GERAL DE VAGAS POR CAMPUS UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DA BAHIA UFOB ANEXO I QUADRO GERAL DE VAGAS POR CAMPUS CAMPUS BARRA Área do Conhecimento: Entomologia Agrícola Titulação: Graduação em Agronomia e doutorado em Entomologia

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 117 Bacharelado ATUAÇÃO O Bacharelado em Ciências Biológicas tem como objetivo principal formar e capacitar

Leia mais

FUNDAÇÃO PAULISTA DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO

FUNDAÇÃO PAULISTA DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO PAULISTA DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO Reconhecimento do Curso Superior de Tecnologia em Processamento de Dados, oferecido pela Faculdade de Informática de Lins-SP. Pe. Antonio Geraldo Amaral Rosa

Leia mais

Apresentação!!!!!! A Biblioteca Central da Universidade Paranaense é responsável pela Biblioteca do Campus Tiradentes, Biblioteca do Hospital

Apresentação!!!!!! A Biblioteca Central da Universidade Paranaense é responsável pela Biblioteca do Campus Tiradentes, Biblioteca do Hospital Apresentação!!!!!! A Biblioteca Central da Universidade Paranaense é responsável pela Biblioteca do Campus Tiradentes, Biblioteca do Hospital Veterinário e também dos multicampi nas cidades de Guaíra,

Leia mais

INTERESSADO/MANTENEDORA. Aprovação do Curso de Especialização em Metodologia do Ensino da Lingua Portuguesa, fora da sede. CÂMARA OU COMISSÃO CESu

INTERESSADO/MANTENEDORA. Aprovação do Curso de Especialização em Metodologia do Ensino da Lingua Portuguesa, fora da sede. CÂMARA OU COMISSÃO CESu INTERESSADO/MANTENEDORA MISSÃO SALESIANA DE MATO GROSSO DO SUL ASSUNTO Aprovação do Curso de Especialização em Metodologia do Ensino da Lingua Portuguesa, fora da sede. UF MS RELATOR: SR. CONS. Yugo Okida

Leia mais

REGIMENTO INTERNO HOSPITAL VETERINÁRIO UNIMAR

REGIMENTO INTERNO HOSPITAL VETERINÁRIO UNIMAR REGIMENTO INTERNO HOSPITAL VETERINÁRIO UNIMAR O Coordenador do Curso de Medicina Veterinária da Universidade de Marília UNIMAR, no uso de suas atribuições legais, expede o presente regimento, regulamentando

Leia mais