Acordo de Lisboa, Sistema de Haia e a Lei 9279/96 Lei da Propriedade Industrial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Acordo de Lisboa, Sistema de Haia e a Lei 9279/96 Lei da Propriedade Industrial"

Transcrição

1 Acordo de Lisboa, Sistema de Haia e a Lei 9279/96 Lei da Propriedade Industrial Brasília, 11 de agosto de 2009 Maria Alice Camargo Calliari Coordenadora Geral de Outros Registros Diretoria de Contratos de Tecnologia e Outros RegIstros Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI)

2 Acordo de Lisboa... Princípios: Estabelece um registro internacional para denominações de origem e procedimento para seu registro; Definição de denominação de origem (Art. 2(1)): the geographical denomination of a country, region or locality which serves to designate a product originating therein, the quality/characteristics of which are due exclusively or essentially to the geographical environment, including natural and human factors.

3 Lei 9279/96 Lei da Propriedade Industrial (LPI)... Art Considera-se denominação de origem o nome geográfico de país, cidade, região ou localidade de seu território, que designe produto ou serviço cujas qualidades ou características se devam exclusiva ou essencialmente ao meio geográfico, incluídos fatores naturais e humanos.

4 Lei 9279/96 Lei da Propriedade Industrial (LPI)... Art Constitui indicação geográfica a indicação de procedência ou a denominação de origem.

5 Lei 9279/96 Lei da Propriedade Industrial (LPI)... Art Considera-se indicação de procedência o nome geográfico de país, cidade, região ou localidade de seu território, que se tenha tornado conhecido como centro de extração, produção ou fabricação de determinado produto ou de prestação de determinado serviço.

6 Acordo de Lisboa e a Lei 9279/96... O Acordo de Lisboa provê proteção para qualquer tipo de produto, como produtos agrícolas, alimentares, manufaturados, artesanato asssim como produtos naturais; A Lei 9279/96 também prevê que todos esses tipos de produtos podem ser protegidos, assim como também os serviços.

7 Acordo de Lisboa e a Lei 9279/96... O Acordo de Lisboa proibe qualquer tipo de usurpação ou imitação, ainda que a verdaderia origem do produto seja indicada (tipo, estilo); (Art.3º); A Lei 9279/96 não considera crime contra inicação geográfica a utilização de termos retificativos como tipo, estilo, desde que ressalvada a verdadeira procedência do produto (Art. 193).

8 Acordo de Lisboa e a Lei 9279/96... O Acordo de Lisboa estabelece que, se a denominação de origem se tornou genérica ou de uso comum pode ser motivo para a recusa da proteção de denominação estrangeira no território de um dos membros do Acordo (Art. 6); A Lei 9279/96 também prevê que quando o nome geográfico se houver tornado de uso comum, designando produto ou serviço, não será considerado indicação geográfica (Art. 180).

9 Acordo de Lisboa denominações de origem registradas, 813 em vigor; Europa, com 95% dos registros, França com 66,3%; 85% correspodem a apenas 04 categorias de produtos: vinhos, bebidas espirituosas, queijos e tabaco/cigarros; Vinhos e bebidas espirituosas correspodem a 70% do total dos registros em vigor.

10 PEDIDOS DE INDICAÇÃO GEOGRÁFICA Total de pedidos por ano e espécie. TOTAL 5 4,5 4 3,5 3 2,5 Denominação de Origem Indicação de Procedencia 2 1,5 1 0, ANO

11 TOTAL DE PROCESSOS DE IG NO INPI 35% RESIDENTES NÃO-RESIDENTES 65%

12 INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS CONCEDIDAS DENOM INAÇÃO DE ORIGEM INDICAÇÃO DE PRO - CEDÊNCIA RESIDENTE NÃO RESIDENTE

13 IG s brasileiras Concedidas pelo INPI Vale do Submédio S. Francisco Região do Cerrado Mineiro Paraty Vale dos Sinos Pampa Gaúcho da Campanha Meridional Vale dos Vinhedos

14 Indicações Geográficas no Brasil... Denominação de Origem 01 pedido de registro de indicação geográfica de nacionais em exame e nenhum registro concedido; Denominação de Origem 04 registros de indicação geográfica de não residentes concedidos.

15 O Tratamento das IGs Estrangeiras... IG Região dos Vinhos Verdes (nome geográfico) para o produto vinhos; espécie DO;nominativa; Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes; Portugal; Concedida em 10/08/99.

16 O Tratamento das IGs Estrangeiras... IG Cognac (nome geográfico) para o produto destilado vínico ou aguardente de vinho; espécie DO; nominativa; Bureau National Interprofessionel du Cognac; França Concedida em 11/04/00.

17 O Tratamento das IGs Estrangeiras... IG San Daniele (nome geográfico) para o produto coxas de suíno frescas, presunto defumado e cru; espécie DO; nominativa; Consorzio del Prosciutto di San Daniele,Itália. Publicado, em análise.

18 O Tratamento das IGs Estrangeiras... IG Franciacorta (nome geográfico) para o produto vinhos, vinhos espumantes e bebidas à base de álcool; espécie DO; nominativa; Consorzio per la Tutela del Franciacorta, Itália. Concedido em 21/10/03.

19 Sistema de Haia Princípios: Estabelece um sistema de registro internacional para desenhos industriais e procedimento para seu registro; A proteção para desenhos industriais nas partes contratantes é realizada por meio de um único pedido de registro, a ser apresentado junto à Secretaria Intenacional da OMPI.

20 Lei 9279/96 Lei da Propriedade Industrial (LPI) Art Considera-se desenho industrial a forma plástica ornamental de um objeto ou o conjunto ornamental de linhas e cores que possa ser aplicado a um produto, proporcionando resultado visual novo e original na sua configuração externa e que possa servir de tipo de fabricação industrial.

21 Lei 9279/96 Lei da Propriedade Industrial (LPI) Art. 106 Depositado o pedido de registro de desenho industrial e observado o disposto nos arts. 100 (contrário a moral e bons costumes, forma comum ou vulgar ou determinada por aspectos funcionais), 101 (formalidades de registro) e 104 (único objeto com até 20 variações), será automaticamente publicado e simultaneamente concedido o registro, expedindo-se o respectivo certificado.

22 Sistema de Haia e a Lei 9279/96... O Sistema de Haia prevê que o pedido internacional pode conter até 100 desenhos diferentes, sendo que todos devem pertencer à mesma classe int l da Classificação Int l de Desenhos Industriais (Classificação de Locarno). A Lei 9279/96 prevê que o pedido de desenho industrial contenha até 20 variações do objeto, desde se destinem ao mesmo propósito e guardem entre si a mesma carcaterística distintiva preponderante (Art. 104).

23 Sistema de Haia e a Lei 9279/96... O Sistema de Haia prevê que o solicitante pode requerer o aditamento da publicação dos seus desenhos por um, período de até 12 meses (de acordo com o Ato de 1960) ou 30 meses (de acordo com o Ato de 1999). A Lei 9279/96 prevê que a requerimento do depositante, por ocasião do depósito, poderá ser mantido em sigilo o pedido, pelo prazo de 180 dias contados da data do depósito (Art. 106).

24 Sistema de Haia e a Lei 9279/96... O Sistema de Haia prevê que o exame de mérito realizado pela Administração de cada parte contratante designada constitui possibilidade de notificação de recusa de proteção. A Lei 9279/96 prevê que o titular do desenho industrial poderá requerer o exame de mérito do objeto do registro, a qualquer tempo de vigência, quanto aos aspectos da novidade e de originalidade (Art. 111).

25 Sistema de Haia e a Lei 9279/96... O Sistema de Haia prevê que os registros internacionais tenham um prazo inicial de vigência de 05 anos com relação a cada uma das partes contratantes designadas até o período máximo de proteção previsto pela lei de cada uma dessas partes contratantes. A Lei 9279/96 prevê que o registro vigorará pelo prazo de 10 anos contados da data de depósito, prorrogável por 03 períodos sucessivos de 05 anos cada (Art. 108).

26 Depósitos de Desenhos industriais Depósitos de DI de acordo com a Prioridade e Nacionalidade Estrangeiros Nacionais Total Depósitos de DI Es trange iros 31% Nacionais 69%

27 Depósitos de Desenhos industriais... Depósitos com Reivindicação de Prioridade Com Prioridade Sem Prioridade Total Com Prioridade 26% Sem Prioridade 74%

28 Depósitos de Desenhos industriais... Total de Prioridades Reivindicadas por origem Nacionais Estrangeiros Total Nacionais 1% Estrangeiros 99%

Indicações Geográficas, Indicações de Procedência e Denominações de Origem

Indicações Geográficas, Indicações de Procedência e Denominações de Origem Indicações Geográficas, Indicações de Procedência e Denominações de Origem Maria Alice Camargo Calliari Coordenadora Geral de Outros Registros Diretoria de Contratos de Tecnologia e Outros Registros -

Leia mais

As Indicações Geográficas: o Marco Legal Nacional

As Indicações Geográficas: o Marco Legal Nacional As Indicações Geográficas: o Marco Legal Nacional 2º Curso Aspectos da Coleta de Nomes Geográficos Maria Alice Camargo Calliari Coordenadora Geral de Outros Registros Diretoria de Contratos de Tecnologia

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL DESENHO INDUSTRIAL. Profa. Dra. Suzana Leitão Russo

PROPRIEDADE INTELECTUAL DESENHO INDUSTRIAL. Profa. Dra. Suzana Leitão Russo PROPRIEDADE INTELECTUAL DESENHO INDUSTRIAL Profa. Dra. Suzana Leitão Russo DESENHO OU MODELO INDUSTRIAL Concepção funcional-estética de um produto, possível de reprodução em série, industrialmente. Vigência:10

Leia mais

Oportunidades de Proteção de ativos envolvendo Biodiversidade através de Indicações Geográficas - IGs

Oportunidades de Proteção de ativos envolvendo Biodiversidade através de Indicações Geográficas - IGs Oportunidades de Proteção de ativos envolvendo Biodiversidade através de Indicações Geográficas - IGs Lucia Regina Fernandes Diretoria de Contratos, Indicações Geográficas e Registros INPI Junho 2011 Para

Leia mais

O Registro de IG no Brasil

O Registro de IG no Brasil O Registro de IG no Brasil Lucia Regina Fernandes Diretoria de Contratos, Indicações Geográficas e Registros INPI Setembro 2014 Proteção em nível Brasil Lei 9.279 de 14/05/1996 Regula os direitos e obrigações

Leia mais

Indicação Geográfica

Indicação Geográfica Indicação Geográfica Lucia Regina Fernandes Instituto Nacional da Propriedade Industrial Coordenação Geral de Outros Registros Indicações Geográficas Presidência Vice-Presidência Ouvidoria Procuradoria

Leia mais

O Acordo de Haia Relativo ao Registro. Internacional de Desenhos Industriais: Principais características e vantagens

O Acordo de Haia Relativo ao Registro. Internacional de Desenhos Industriais: Principais características e vantagens O Acordo de Haia Relativo ao Registro Internacional de Desenhos Industriais: Principais características e vantagens Publicação OMPI N 911(P) ISBN 92-805-1317-X 2 Índice Página Introdução 4 Quem pode usufruir

Leia mais

Marco Legal Nacional Relacionado às Indicações Geográficas

Marco Legal Nacional Relacionado às Indicações Geográficas Marco Legal Nacional Relacionado às Indicações Geográficas Maria Alice Camargo Calliari Coordenadora Geral de Outros Registros Diretoria de Contratos de Tecnologia e Outros Registros - INPI Conceito De

Leia mais

IT - Nominativa Coxas de suínos frescas, presunto defumado crú BR MG Nominativa Café. IT - Mista Vinhos, vinhos espumantes e

IT - Nominativa Coxas de suínos frescas, presunto defumado crú BR MG Nominativa Café. IT - Mista Vinhos, vinhos espumantes e Atualizado em Indicação Nº Geográfica Espécie Depósito Requerente País UF Apresentação IG970001 Parma DO 22/8/1997 Consorzio del Prosciutto di Parma IG970002 Região dos Vinhos Verdes DO 19/9/1997 Comissão

Leia mais

Figurativa: aquela constituída por desenho, figura ou qualquer forma estilizada de letra e número, isoladamente.

Figurativa: aquela constituída por desenho, figura ou qualquer forma estilizada de letra e número, isoladamente. MARCA O que é marca? É um sinal visualmente perceptível, usado para identificar e distinguir certos bens e serviços produzidos ou procedentes de uma específica pessoa ou empresa. As marcas podem ser: Nominativa:

Leia mais

PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV. 1. História e conceito do Direito Industrial:

PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV. 1. História e conceito do Direito Industrial: PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV 1. História e conceito do Direito Industrial: - Como referência ao direito industrial encontramos o uso da expressão marca e patente. Este ramo do direito teve início na Inglaterra

Leia mais

VIOLAÇÕES DE PATENTES E DESENHOS INDUSTRIAIS NO BRASIL E O SISTEMA INTERNACIONAL DE PATENTES

VIOLAÇÕES DE PATENTES E DESENHOS INDUSTRIAIS NO BRASIL E O SISTEMA INTERNACIONAL DE PATENTES VIOLAÇÕES DE PATENTES E DESENHOS INDUSTRIAIS NO BRASIL E O SISTEMA INTERNACIONAL DE PATENTES MILTON LEÃO BARCELLOS & CIA. LTDA. PROPRIEDADE INTELECTUAL DESDE 1957 Milton Lucídio Leão Barcellos Advogado

Leia mais

Para citação: Indicações Geográficas para o Brasil: problemas e perspectivas

Para citação: Indicações Geográficas para o Brasil: problemas e perspectivas 1 Para citação: BRUCH, K. L.. Indicações geográficas para o Brasil: problemas e perspectivas. In: PIMENTEL, Luiz Otávio; BOFF, Salete Oro; DEL'OLMO, Florisbal de Souza. (Org.). Propriedade intelectual:

Leia mais

Indicações Geográficas: Ferramenta para o Desenvolvimento Sustentável

Indicações Geográficas: Ferramenta para o Desenvolvimento Sustentável Indicações Geográficas: Ferramenta para o Desenvolvimento Sustentável Maria Alice Camargo Calliari Coordenadora Geral de Indicações Geográficas Diretoria de Contratos de Contratos, Indicações Geográficas

Leia mais

MARCAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, DA INDÚSTRIA E DO COMÉRCIO EXTERIOR INPI - INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL

MARCAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, DA INDÚSTRIA E DO COMÉRCIO EXTERIOR INPI - INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, DA INDÚSTRIA E DO COMÉRCIO EXTERIOR INPI - INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL www.inpi.gov.br CURSO DE MARCAS Eduardo Gazal Diretoria de Marcas MARCAS DIRETORIA

Leia mais

Propriedade Industrial

Propriedade Industrial Propriedade Industrial Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996 Constituição Federal, Artigo 5º, XXIX Instituto Nacional da Propriedade Industrial Instituto Nacional da Propriedade Industrial - Autarquia Federal,

Leia mais

Direito Empresarial II. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2

Direito Empresarial II. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Direito Empresarial II Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Aula 05 Proteção Conferida Pela Patente: Impedir que terceiros explorem (art. 42). Sem fins comerciais possível exploração

Leia mais

PROTOCOLO DE HARMONIZAÇÃO DE NORMAS EM MATERIA DE DESENHOS INDUSTRIAIS

PROTOCOLO DE HARMONIZAÇÃO DE NORMAS EM MATERIA DE DESENHOS INDUSTRIAIS MERCOSUL/CMC/DEC N 16/98 PROTOCOLO DE HARMONIZAÇÃO DE NORMAS EM MATERIA DE DESENHOS INDUSTRIAIS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção e o Protocolo de Ouro Preto e a Decisão Nº 8/95 do Conselho do Mercado

Leia mais

REDAÇÃO DE PATENTES. Parte I - Revisão de Conceitos

REDAÇÃO DE PATENTES. Parte I - Revisão de Conceitos REDAÇÃO DE PATENTES Parte I - Revisão de Conceitos Maria Fernanda Paresqui Corrêa 1 Juliana Manasfi Figueiredo 2 Pesquisadoras em Propriedade Industrial 1 DIALP - Divisão de Alimentos, Plantas e Correlatos

Leia mais

Prioridades do Registro

Prioridades do Registro Turma e Ano: Flex B (2014) Matéria / Aula: Propriedade industrial / Aula 03 Professor: Marcelo Tavares Conteúdo: Marcas (cont.), Desenho Industrial (início). continuação de Marcas Quanto a forma de apresentação:

Leia mais

A PROPRIEDADE INDUSTRIAL COMO FATOR ESSENCIAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA

A PROPRIEDADE INDUSTRIAL COMO FATOR ESSENCIAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA A PROPRIEDADE INDUSTRIAL COMO FATOR ESSENCIAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA Prof. Pedro Pinto INTRODUÇÃO Quando se fala em direito de propriedade imediatamente somos levados à idéia de domínio perante

Leia mais

Núcleo de Inovação Tecnológica Campus Muzambinho

Núcleo de Inovação Tecnológica Campus Muzambinho Núcleo de Inovação Tecnológica Campus Muzambinho Líder: Gustavo Rabelo Botrel Miranda Vice-líder: Paulo Sérgio de Souza 1º Tesoureiro: Gustavo José da Silva 2º Tesoureiro: Hugo Baldan Júnior 1º Secretário:

Leia mais

SUMÁRIO. Introdução... 13

SUMÁRIO. Introdução... 13 STJ00094835 SUMÁRIO Introdução... 13 Capítulo 1 Propriedade intelectual e industrial... 17 1. O conteúdo do direito de propriedade... 17 2. Conceito de propriedade... 20 3. A propriedade e a atual legislação

Leia mais

Inovação tecnológica e empreendedorismo:

Inovação tecnológica e empreendedorismo: Inovação tecnológica e empreendedorismo: Ciência, desenvolvimento tecnológico, proteção industrial e geração de novos negócios Prof. Dr. Cleber Gustavo Dias 22/09/2015 Programação da oficina 1. Relações

Leia mais

COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES

COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES Dr Rockfeller Maciel Peçanha Conselheiro e Diretor do CREA-RJ Esta apresentação é de responsabilidade do autor não refletindo necessariamente

Leia mais

Patentes Conceitos Básicos

Patentes Conceitos Básicos Patentes Conceitos Básicos O que é patente O que é patenteável O que não é patenteável Como é um documento de patente Como definir o escopo de proteção Como é o processo de patenteamento 2014 www.axonal.com.br

Leia mais

Juliana Santilli, Promotora de Justiça, MPDFT e Doutora (Direito Socioambiental)- PUC-PR

Juliana Santilli, Promotora de Justiça, MPDFT e Doutora (Direito Socioambiental)- PUC-PR Juliana Santilli, Promotora de Justiça, MPDFT e Doutora (Direito Socioambiental)- PUC-PR 1 Igs identificam e agregam valor a produtos associados a determinados territórios, concebidos em suas dimensões

Leia mais

DIRETORIA DE CONTRATOS INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS E REGISTROS - DICIG Coordenação Geral de Indicações Geográficas e Registros - CGIR

DIRETORIA DE CONTRATOS INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS E REGISTROS - DICIG Coordenação Geral de Indicações Geográficas e Registros - CGIR DIRETORIA DE CONTRATOS INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS E REGISTROS - DICIG Coordenação Geral de Indicações Geográficas e Registros - CGIR Coordenação de Fomento e Registro de Indicação Geográfica - COIND Luiz Claudio

Leia mais

INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS. Coordenação de Fomento e Registro de Indicações Geográficas DICIG / CGIR / COIND

INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS. Coordenação de Fomento e Registro de Indicações Geográficas DICIG / CGIR / COIND INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS Coordenação de Fomento e Registro de Indicações Geográficas DICIG / CGIR / COIND Conceito usual Indicação utilizada em produtos que apresentam uma origem geográfica específica e

Leia mais

Inovação da Ideia ao Mercado

Inovação da Ideia ao Mercado Inovação da Ideia ao Mercado Como proteger minha Inovação 26.05.2015 AHK-SP Henrique Steuer I. de Mello henrique@dannemann.com.br dannemann.com.br 2013 2013 Dannemann Dannemann Siemsen. Siemsen. Todos

Leia mais

MARCA A marca é um elemento de fantasia, ou seja, um sinal distintivo que possa ser percebido visualmente, figura, nome ou a combinação dos dois, que tem como finalidade identificar produtos ou serviços,

Leia mais

COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES

COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES 1- A FAPEMIG apoia, tecnicamente e financeiramente, os inventores independentes na proteção e manutenção de invenções,

Leia mais

Registro de Marcas e Patentes

Registro de Marcas e Patentes Registro de Marcas e Patentes Propriedade Intelectual Propriedade Industrial (marcas, patentes e desenhos industriais) + Direito de Autor Sistema de Propriedade Intelectual - Direito autoral e patentes:

Leia mais

GUIA PRÁTICO REGISTRO DE MARCA

GUIA PRÁTICO REGISTRO DE MARCA GUIA PRÁTICO REGISTRO DE MARCA 1. DEFINIÇÃO DE MARCA Marca é um sinal que individualiza os produtos ou serviços de uma determinada empresa e os distingue dos produtos ou serviços de seus concorrentes.

Leia mais

INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS. Coordenação de Fomento e Registro de Indicações Geográficas DICIG / CGIR / COIND

INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS. Coordenação de Fomento e Registro de Indicações Geográficas DICIG / CGIR / COIND INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS Coordenação de Fomento e Registro de Indicações Geográficas DICIG / CGIR / COIND Luiz Claudio de Oliveira Dupim Pesquisador em Propriedade Industrial INPI - 2012 Instituto Nacional

Leia mais

Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Art. 1o. - Esta lei regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial.

Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Art. 1o. - Esta lei regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Lei de patentes INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial LEI No. 9.279 DE 14 DE MAIO DE 1996 Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1o.

Leia mais

Proteção da Propriedade Intelectual. Prof. Dilson A. Bisognin, PhD. Depto. de Fitotecnia UFSM Sec. da Agricultura, Pecuária e Agronegócio

Proteção da Propriedade Intelectual. Prof. Dilson A. Bisognin, PhD. Depto. de Fitotecnia UFSM Sec. da Agricultura, Pecuária e Agronegócio Proteção da Propriedade Intelectual Prof. Dilson A. Bisognin, PhD. Depto. de Fitotecnia UFSM Sec. da Agricultura, Pecuária e Agronegócio Propriedade Intelectual Expressão genérica que corresponde ao direito

Leia mais

Importância da Inovação

Importância da Inovação Importância da Inovação A importância do conhecimento e da inovação na concretização de novas possibilidades de desenvolvimento social e econômico acelerou-se a partir dos anos 50 do século passado. Tem

Leia mais

INDICAÇÃO GEOGRÁFICA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS: ASPECTOS LEGAIS, IMPORTÂNCIA HISTÓRICA E ATUAL

INDICAÇÃO GEOGRÁFICA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS: ASPECTOS LEGAIS, IMPORTÂNCIA HISTÓRICA E ATUAL INDICAÇÃO GEOGRÁFICA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS: ASPECTOS LEGAIS, IMPORTÂNCIA HISTÓRICA E ATUAL Kelly Lissandra Bruch Liliana Locatelli Michele Copetti Klenize Chagas Fávero Professores Claire Cerdan Aparecido

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PATENTES: ETAPAS DO PROCESSAMENTO

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PATENTES: ETAPAS DO PROCESSAMENTO I N PI INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PATENTES: ETAPAS DO PROCESSAMENTO 111 Processamento Administrativo do Pedido de Patente Apresentação do Pedido Apresentação do Pedido Art. 19 Relatório

Leia mais

PARECER TÉCNICO DE MARCA

PARECER TÉCNICO DE MARCA PARECER TÉCNICO DE MARCA INTRODUÇÃO O presente trabalho tem por objetivo debater tecnicamente a registrabilidade e a possibilidade de convivência entre as marcas MICROLINS x MICROMIX no mercado, bem como,

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL MARCA SINAIS DISTINTIVOS. Classificação - espécies. MARCA Classificação - espécies. MARCA Classificação - espécies 23/05/2016

PROPRIEDADE INTELECTUAL MARCA SINAIS DISTINTIVOS. Classificação - espécies. MARCA Classificação - espécies. MARCA Classificação - espécies 23/05/2016 PROPRIEDADE INDUSTRIAL PROPRIEDADE INTELECTUAL PROPRIEDADE INTELECTUAL Armindo de Castro Júnior E-mail: armindocastro@uol.com.br Facebook: Armindo Castro Homepage: www.armindo.com.br Celular/WhatsApp:

Leia mais

Brauliro Gonçalves Leal

Brauliro Gonçalves Leal Brauliro Gonçalves Leal Colegiado de Engenharia da Computação Coordenador do NIT www.univasf.edu.br/~brauliro.leal Alana Maria Souza Siqueira Bacharel em Administração Bolsista do NIT nit@univasf.edu.br

Leia mais

Desenvolvimento de Produtos, Inovação e a. Prof. Dr. João Irineu de Resende Miranda Agência de Inovação e Propriedade Intelectual AGIPI/UEPG

Desenvolvimento de Produtos, Inovação e a. Prof. Dr. João Irineu de Resende Miranda Agência de Inovação e Propriedade Intelectual AGIPI/UEPG Desenvolvimento de Produtos, Inovação e a Pós-Graduação Prof. Dr. João Irineu de Resende Miranda Agência de Inovação e Propriedade Intelectual AGIPI/UEPG Propriedade Intelectual - Conceito A Propriedade

Leia mais

O Passo a Passo para a Valorização do Produto com o Uso da Indicação Geográfica na Agropecuária

O Passo a Passo para a Valorização do Produto com o Uso da Indicação Geográfica na Agropecuária Superintendência Federal de Agricultura no RS Divisão de Política, Produção e Desenvolvimento Agropecuário O Passo a Passo para a Valorização do Produto com o Uso da Indicação Geográfica na Agropecuária

Leia mais

INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial

INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial Apresentado por 1. Direitos de Propriedade Industrial - Modalidades João Amaral Examinador de Marcas Marcas Como consegui-las? Estrutura da Apresentação

Leia mais

Registros de Programas de Computador

Registros de Programas de Computador Curso de Capacitação de Gestores de Tecnologia em Propriedade Intelectual Registros de Programas de Computador Maria Alice Camargo Calliari Coordenadora Geral de Outros Registros Diretoria de Transferência

Leia mais

Módulo 6: Desenho Industrial

Módulo 6: Desenho Industrial Nota: O estudo deste módulo requer cerca de 03 horas. Módulo 6: Desenho Industrial Objetivos Ao final deste módulo, você será capaz de: 1. Explicar, em cerca de 50 palavras, o que é desenho industrial;

Leia mais

ANEXO. TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais)

ANEXO. TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais) ANEXO TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais) Código 200 201 Descrição do serviço Pedido nacional de invenção; Pedido nacional de modelo de utilidade; Pedido nacional

Leia mais

Conceitos de Propriedade Intelectual. Coordenadoria de Propriedade Intelectual Secretaria de Negócios

Conceitos de Propriedade Intelectual. Coordenadoria de Propriedade Intelectual Secretaria de Negócios Conceitos de Propriedade Intelectual Coordenadoria de Propriedade Intelectual Secretaria de Negócios Sumário Conceitos básicos de proteção intelectual O portfólio de proteção intelectual da Embrapa O portfólio

Leia mais

III CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL NÍVEL BÁSICO 1º SEMESTRE DE 2010 PARANÁ EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL APOIO

III CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL NÍVEL BÁSICO 1º SEMESTRE DE 2010 PARANÁ EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL APOIO III CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL NÍVEL BÁSICO 1º SEMESTRE DE 2010 PARANÁ APOIO 1 III CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL NÍVEL BÁSICO - 1º SEMESTRE

Leia mais

II - Por que é importante a Lei de Propriedade Industrial?

II - Por que é importante a Lei de Propriedade Industrial? I - O que é Propriedade Industrial? Conjunto de princípios que forma um sistema que determina como se tornar um proprietário de patentes, desenhos industriais e das marcas utilizadas na indústria, no comércio

Leia mais

Curso Geral Módulo EaD DL 101P BR

Curso Geral Módulo EaD DL 101P BR Curso Geral Módulo EaD DL 101P BR OBJETIVO: Apresentar uma visão atualizada dos mecanismos de proteção das criações intelectuais, enfocando o arcabouço legal brasileiro e as atribuições do INPI. CARGA

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL INTELLECTUAL PROPERTY. 06.mai.08 MARCAS

PROPRIEDADE INTELECTUAL INTELLECTUAL PROPERTY. 06.mai.08 MARCAS PROPRIEDADE INTELECTUAL INTELLECTUAL PROPERTY 06.mai.08 MARCAS 1 1. Consolidação Patrimonial IMPORTÂNCIA DA MARCA RANK BRAND VAL USD MILLIONS VAR COUNTRY 2005 2004 2005 2004 OWNERSHIP 01 01 67.525 67.394

Leia mais

: ANTONIO ROMAO DA SILVA FILHO : CHRISTIAN DA SILVA BORTOLOTTO E OUTROS : TRIGÉSIMA SÉTIMA VARA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (200751018083503)

: ANTONIO ROMAO DA SILVA FILHO : CHRISTIAN DA SILVA BORTOLOTTO E OUTROS : TRIGÉSIMA SÉTIMA VARA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (200751018083503) RELATOR AGRAVANTE ADVOGADO AGRAVADO PROCURADOR AGRAVADO ADVOGADO ORIGEM : DESEMBARGADORA FEDERAL LILIANE RORIZ : DE PAULA CONEXOES LTDA E OUTRO : ISMENIA BORGES DE BARROS E OUTROS : INSTITUTO NACIONAL

Leia mais

Preenchimento do Formulário 2.01

Preenchimento do Formulário 2.01 Preenchimento do Formulário 2.01 O primeiro passo para o preenchimento formulário de Depósito de Pedido de Registro de Desenho Industrial é o download do formulário correto. A certeza de que o usuário

Leia mais

Brasília, agosto de 2005.

Brasília, agosto de 2005. Brasília, agosto de 2005. A Proteção Legal das Jóias As jóias podem ser protegidas, legalmente, por duas naturezas jurídicas: 1. Registro de Desenho Industrial O desenho industrial protege a forma nova

Leia mais

PRESIDÊNCIA 06 / 03 / 2014 RESOLUÇÃO Nº 126 / 14

PRESIDÊNCIA 06 / 03 / 2014 RESOLUÇÃO Nº 126 / 14 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 06 / 03 / 2014 RESOLUÇÃO Nº 126 / 14 Assunto: Dispõe sobre

Leia mais

PROPRIEDADE INDUSTRIAL MARCAS E PATENTES

PROPRIEDADE INDUSTRIAL MARCAS E PATENTES PROPRIEDADE INDUSTRIAL MARCAS E PATENTES A marca quando registrada no INPI, Instituto Nacional da Propriedade Industrial,dá a obrigatoriedade de uso exclusivo ao seu titular, criando assim característica

Leia mais

PATENTES E SUAS ETAPAS. Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas.

PATENTES E SUAS ETAPAS. Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas. PATENTES E SUAS ETAPAS Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas. A busca de anterioridade não é obrigatória, mas é altamente

Leia mais

Propriedade Industrial. Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira

Propriedade Industrial. Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira Propriedade Industrial Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira 1 PROPRIEDADE INTELECTUAL Propriedade intelectual é gênero, do qual são espécies: o O

Leia mais

Conteúdo: - Propriedade Industrial; Conceito; Classificação; Indicação Geográfica; Concorrência Desleal.

Conteúdo: - Propriedade Industrial; Conceito; Classificação; Indicação Geográfica; Concorrência Desleal. Turma e Ano: Flex B (2014) Matéria / Aula: Propriedade industrial / Aula 01 Professor: Marcelo Tavares Conteúdo: - Propriedade Industrial; Conceito; Classificação; Indicação Geográfica; Concorrência Desleal.

Leia mais

Curso Básico INPI Santa Catarina Florianópolis 15/05/2009. Patrícia de Oliveira Areas

Curso Básico INPI Santa Catarina Florianópolis 15/05/2009. Patrícia de Oliveira Areas Curso Básico INPI Santa Catarina Florianópolis 15/05/2009 Desenho Industrial Patrícia de Oliveira Areas Pesquisadora Grupo de Pesquisa de Propriedade Intelectual, Transferência de Tecnologia e Inovação

Leia mais

Indicação Geográfica

Indicação Geográfica Indicação Geográfica Lucia Regina Fernandes Instituto Nacional da Propriedade Industrial Coordenação Geral de Outros Registros Indicações Geográficas Para que serve a Indicação Um dos interesses da Indicação

Leia mais

ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade

ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade A A protecção das invenções ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade 1 A protecção das invenções Sumário rio: 1. Modalidades de protecção 2. O que

Leia mais

Aulas de 08 a 18/03/13

Aulas de 08 a 18/03/13 Aulas de 08 a 18/03/13 6. Nome Empresarial 6.1. Alteração do nome empresarial O nome empresarial pode ser alterado a qualquer momento, respeitados os requisitos citados acima. Assim, o nome empresarial

Leia mais

XXIX CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL

XXIX CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL XXIX CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL NÍVEL BÁSICO - 1º SEMESTRE DE 2014 RIO DE JANEIRO Objetivo Apresentar conceitos e o procedimento administrativo inerente à Propriedade Industrial.

Leia mais

Sumário. Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996

Sumário. Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996 Sumário Proposta da coleção Leis especiais para concursos... 13 Apresentação da 2ª edição... 15 Apresentação... 17 Abreviaturas utilizadas nas referências e nos comentários... 19 Lei nº 9.279, de 14 de

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL:

PROPRIEDADE INTELECTUAL: PROPRIEDADE INTELECTUAL: LEGISLAÇÃO - 2 Profa. Dra. Suzana Leitão Russo Prof. Gabriel Francisco Silva Profa. Dra. Ana Eleonora Almeida Paixão Art. 1º Esta Lei regula direitos e obrigações relativos à propriedade

Leia mais

PATENTES - CURSO BÁSICO

PATENTES - CURSO BÁSICO PATENTES - CURSO BÁSICO Maria Fernanda Paresqui Corrêa 1 Juliana Manasfi Figueiredo 2 Pesquisadoras em Propriedade Industrial 1 DIALP - Divisão de Alimentos, Plantas e Correlatos 2 DIMOL - Divisão de Biologia

Leia mais

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos,

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos, O Acordo de Madrid relativo ao Registro Internacional de Marcas e o Protocolo referente a este Acordo: Objetivos, Principais Características, Vantagens Publicação OMPI N 418 (P) ISBN 92-805-1313-7 2 Índice

Leia mais

Propriedade Industrial. (Lei 9.279/96) Direitos Autorais (Lei 9.610/98)

Propriedade Industrial. (Lei 9.279/96) Direitos Autorais (Lei 9.610/98) Propriedade Industrial Patentes (Lei 9.279/96) Invenção Modelo de Utilidade Desenho Industrial Marcas Direitos Autorais (Lei 9.610/98) Software (Lei n 9.609/98) Patentes Invenção/Modelo de Utilidade Proteção

Leia mais

Guia para o requerimento do Serviço Especial. Opinião Preliminar sobre a Patenteabilidade

Guia para o requerimento do Serviço Especial. Opinião Preliminar sobre a Patenteabilidade INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO DIRETORIA DE PATENTES Guia para o requerimento do Serviço Especial Opinião Preliminar sobre a Patenteabilidade

Leia mais

DENOMINAÇÕES GEOGRÁFICAS. Nova Tendência de Mercado

DENOMINAÇÕES GEOGRÁFICAS. Nova Tendência de Mercado DENOMINAÇÕES GEOGRÁFICAS Nova Tendência de Mercado Ensei Uejo Neto Belo Horizonte, 31 de agosto de 2006 INDICAÇÃO GEOGRÁFICA INDICAÇÃO GEOGRÁFICA Refere-se a um produto ou serviço particularmente vinculado

Leia mais

Logotipo X Marca X Logomarca IDENTIDADE VISUAL. Parte I LOGOTIPO MARCA LOGOMARCA. galleti.net

Logotipo X Marca X Logomarca IDENTIDADE VISUAL. Parte I LOGOTIPO MARCA LOGOMARCA. galleti.net IDENTIDADE VISUAL Parte I LOGOTIPO MARCA LOGOMARCA galleti.net 1. LOGOTIPO É composto por partes distintas: o símbolo e a tipografia, que juntos formam o logotipo em si. Mas, também pode ser uma representação

Leia mais

O USO DA INDICAÇÃO GEOGRÁFICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL: O CASO DA CARNE DO PAMPA GAÚCHO

O USO DA INDICAÇÃO GEOGRÁFICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL: O CASO DA CARNE DO PAMPA GAÚCHO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 O USO DA INDICAÇÃO GEOGRÁFICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL: O CASO DA CARNE DO PAMPA GAÚCHO Andréia Moreira da Fonseca Boechat 1, Yony Brugnolo Alves

Leia mais

COMO ESCREVER UMA PATENTE

COMO ESCREVER UMA PATENTE Universidade Federal do Piauí Centro de Ciências da Saúde Laboratório de Pesquisa em Neuroquímica Experimental COMO ESCREVER UMA PATENTE Palestrante: Profª Maria Leonildes B. G. C. B. Marques Universidade

Leia mais

Valorização do Produto Agropecuário com o Uso da Indicação Geográfica

Valorização do Produto Agropecuário com o Uso da Indicação Geográfica Superintendência Federal de Agricultura no RS Divisão de Política, Produção e Desenvolvimento Agropecuário Valorização do Produto Agropecuário com o Uso da Indicação Geográfica PROGRAMA FEDERACITE EXPOINTER

Leia mais

AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 2008.72.01.003023-7/SC AUTOR : REAL PLASTIC LTDA/ ADVOGADO : ROBSON BELLI CAVALLI : ANDRESA AMORIM

AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 2008.72.01.003023-7/SC AUTOR : REAL PLASTIC LTDA/ ADVOGADO : ROBSON BELLI CAVALLI : ANDRESA AMORIM AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 2008.72.01.003023-7/SC AUTOR : REAL PLASTIC LTDA/ ADVOGADO : ROBSON BELLI CAVALLI : ANDRESA AMORIM RÉU : FORZA IND/ DE PLASTICOS LTDA/ ADVOGADO : SANDRO

Leia mais

18. Convenção sobre o Reconhecimento dos Divórcios e das Separações de Pessoas

18. Convenção sobre o Reconhecimento dos Divórcios e das Separações de Pessoas 18. Convenção sobre o Reconhecimento dos Divórcios e das Separações de Pessoas Os Estados signatários da presente Convenção, Desejando facilitar o reconhecimento de divórcios e separações de pessoas obtidos

Leia mais

(HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST RIA. COM. B R/CNI/CONT AT O/)

(HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST RIA. COM. B R/CNI/CONT AT O/) MAPA DO PORTAL (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST RIA. COM. B R/CNI/MAPADOSIT E /) SITES DO SISTEMA INDÚSTRIA (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST RIA. COM. B R/CANAIS/) CONT AT O (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST

Leia mais

Planilha1 PLANILHA DE ACOMPANHAMENTO DOS PEDIDOS/REGISTROS DE INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS

Planilha1 PLANILHA DE ACOMPANHAMENTO DOS PEDIDOS/REGISTROS DE INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS 1 2 3 4 5 Planilha1 PLANILHA DE ACOMPANHAMENTO DOS PEDIDOS/REGISTROS DE INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS Nº Indicação Geográfica Espécie Depósito Requerente País/UF Produto/serviço Situação IG970001 Parma DO 22/08/1997

Leia mais

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial.

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. TÍTULO V DOS CRIMES CONTRA A PROPRIEDADE INDUSTRIAL CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA AS PATENTES- Excludentes

Leia mais

GOVERNO FEDERAL APOIO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO MDIC INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL

GOVERNO FEDERAL APOIO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO MDIC INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO MDIC INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR GOVERNO FEDERAL Trabalhando em todo o Brasil INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL APOIO Apresentação a atecnologia é o mais importante

Leia mais

Patentes na Indústria Farmacêutica

Patentes na Indústria Farmacêutica Patentes na Indústria Farmacêutica 1. PATENTES 2. O MERCADO FARMACÊUTICO 3. COMPETIVIDADE DO SETOR 4. A IMPORTÂNCIA DAS PATENTES NO MERCADO FARMACÊUTICO PATENTES PATENTES Definiçã ção o ( LEI 9.279 DE

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Porto Alegre Brasil University of New South Wales Sydney Austrália Universidade do Povo Macau - China

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Porto Alegre Brasil University of New South Wales Sydney Austrália Universidade do Povo Macau - China 22. CONVENÇÃO SOBRE A LEI APLICÁVEL A RESPONSABILIDADE SOBRE O FATO DO PRODUTO (celebrada em 2 de outubro de 1973) Os Estados signatários da presente Convenção, Desejando estabelecer previsões comuns sobre

Leia mais

Ministério da Indústria

Ministério da Indústria Ministério da Indústria Lei nº 3/92 de 28 de Fevereiro A instituição de um regime jurídico e administrativo de defesa da propriedade industrial assume se nos dias de hoje como uma das premissas necessárias

Leia mais

CARGA HORÁRIA: 40 horas QUADRO DE HORÁRIOS. Segunda 05/04. Terça 06/04. Quarta 07/04. Quinta 08/04. Sexta 09/04. Horário.

CARGA HORÁRIA: 40 horas QUADRO DE HORÁRIOS. Segunda 05/04. Terça 06/04. Quarta 07/04. Quinta 08/04. Sexta 09/04. Horário. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 05 a 09 de abril de 2010 Centro de Treinamento do INPI- Praça Mauá, 07/ 10 o andar, RJ Informações: cursos@inpi.gov.br

Leia mais

PCT TRATADO DE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE PATENTES. Gisela Ap. S. Nogueira. Divisão Internacional do PCT - DIPCT CGPCT - DIRPA

PCT TRATADO DE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE PATENTES. Gisela Ap. S. Nogueira. Divisão Internacional do PCT - DIPCT CGPCT - DIRPA PCT TRATADO DE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE PATENTES Gisela Ap. S. Nogueira Divisão Internacional do PCT - DIPCT CGPCT - DIRPA Curso Intermediário de Patentes julho/2011 SETI/TEPCAR- PR 1 PCT Tratado de Cooperação

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM DEFESA SANITÁRIA ANIMAL "BUSCA DE PATENTES COMO ESTRATÉGIA PARA A ATUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO"

MESTRADO PROFISSIONAL EM DEFESA SANITÁRIA ANIMAL BUSCA DE PATENTES COMO ESTRATÉGIA PARA A ATUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO MESTRADO PROFISSIONAL EM DEFESA SANITÁRIA ANIMAL "BUSCA DE PATENTES COMO ESTRATÉGIA PARA A ATUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO" ATUAÇÕES NIT-UEMA Divulgação Programadas e por Demanda O

Leia mais

Comissão Vitivinícola Regional Alentejana

Comissão Vitivinícola Regional Alentejana Comissão Vitivinícola Regional Alentejana Regulamento Interno da Rotulagem da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana 21 de Janeiro de 2013 (Revisto a 2 de Maio de 2013) O presente Regulamento estabelece

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI Abril / 2011 Propriedade Intelectual É o conjunto de direitos que incidem sobre

Leia mais

MARINHA DO BRASIL SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIAE INOVAÇÃO DA MARINHA NORMAS PARA PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NA MB

MARINHA DO BRASIL SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIAE INOVAÇÃO DA MARINHA NORMAS PARA PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NA MB Anexo(5), da Port nº 26/2011, da SecCTM MARINHA DO BRASIL SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIAE INOVAÇÃO DA MARINHA NORMAS PARA PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NA MB 1 PROPÓSITO Estabelecer orientações

Leia mais

Desafios atuais na Propriedade Industrial: Marcas, Patentes e Desenhos industriais

Desafios atuais na Propriedade Industrial: Marcas, Patentes e Desenhos industriais Desafios atuais na Propriedade Industrial: Marcas, Patentes e Desenhos industriais LEÃO PROPRIEDADE INTELECTUAL DESDE 1957 Prof. Ms. Milton Lucídio Leão Barcellos Advogado e Agente da Propriedade Industrial

Leia mais

AE R SEB 26 A Lavoura NO 694/2013 A Lavoura NO

AE R SEB 26 A Lavoura NO 694/2013 A Lavoura NO 26 A Lavoura N O 694/2013 ESPECIAL: INDICAÇÃO ESPECIAL: INDICAÇÃO GEOGRÁFICA PRODUTOS de VALOR Diferencial que valoriza as produções locais, as Indicações Geográficas (IGs), que se subdividem entre Indicação

Leia mais

www.uniestudos.com.br Direito Empresarial

www.uniestudos.com.br Direito Empresarial www.uniestudos.com.br Direito Empresarial Helder Goes Professor de Direito Empresarial do Universo de Estudos Advogado e Consultor Jurídico Graduado em Direito pela Universidade Tiradentes Especialista

Leia mais

Propriedade Intelectual e Exportação

Propriedade Intelectual e Exportação Propriedade Intelectual e Exportação Rita Pinheiro Machado Coordenadora Geral ACADEMIA/ INPI Rio de Janeiro, 12 de abril de 2016 Sumário O que é e como se divide a Propriedade Intelectual? Desde quando

Leia mais

DIRETRIZ DE EXAME DE PATENTES DE MODELO DE UTILIDADE

DIRETRIZ DE EXAME DE PATENTES DE MODELO DE UTILIDADE DIRETRIZ DE EXAME DE PATENTES DE MODELO DE UTILIDADE DIRPA- DIRETORIA DE PATENTES MAIO 2012 DIRPA/CGPAT II 1/10 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...1 2 DIFERENÇAS ENTRE PATENTE DE MODELO DE UTILIDADE E PATENTE DE INVENÇÃO...1

Leia mais

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil Propriedade intelectual É o conjunto de direitos que incidem sobre as criações do intelecto humano. Sistema criado para garantir a propriedade ou exclusividade

Leia mais

HISTÓRIA. Alvará, de 28 de abril de 1.809 - Isenta de direitos as matérias primas do uso das fábricas e concede outros favores aos fabricantes e

HISTÓRIA. Alvará, de 28 de abril de 1.809 - Isenta de direitos as matérias primas do uso das fábricas e concede outros favores aos fabricantes e Page 1 of 9 SUMÁRIO INTRODUÇÃO HISTÓRIA HISTÓRICO DAS LEIS DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL NO BRASIL PROPRIEDADE INTELECTUAL QUE É PATENTE? QUEM PODE REQUERER UMA PATENTE REQUISITOS BÁSICOS PARA PROTEÇÃO INDUSTRIAL

Leia mais