ANEXO I - DAS PROVAS PARA O TESTE DE APTIDÃO FÍSICA BOMBEIRO MILITAR 1. DA PROVA DE FLEXÃO DE COTOVELO DINÂMICO EM BARRA FIXA MASCULINO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO I - DAS PROVAS PARA O TESTE DE APTIDÃO FÍSICA BOMBEIRO MILITAR 1. DA PROVA DE FLEXÃO DE COTOVELO DINÂMICO EM BARRA FIXA MASCULINO"

Transcrição

1 ANEXO I - DAS PROVAS PARA O TESTE DE APTIDÃO FÍSICA BOMBEIRO MILITAR 1. DA PROVA DE FLEXÃO DE COTOVELO DINÂMICO EM BARRA FIXA MASCULINO 1.1. Posição inicial: a) pegada na barra com as mãos em pronação (dorso das mãos voltado para a face do avaliado); b) membros superiores e inferiores estendidos; c) corpo na posição vertical, sem contato algum com o solo Execução: a) flexionar os cotovelos, até posicionar o queixo sobre a barra horizontal, sem tocá-la com o mesmo; b) voltar à posição inicial pela extensão completa dos cotovelos Observações: a) não é permitido utilizar movimentos acessórios como extensão da coluna cervical, dos quadris, pernas, ou balançar o corpo para executar cada flexão; b) não deverá haver o contato das pernas ou do corpo com quaisquer objetos ou auxílios; c) não será permitido que o avaliado solte uma das mãos após a tomada da empunhadura e execução do exercício; d) encerra-se a execução do exercício assim que o candidato largar a barra com os cotovelos estendidos; e) para a contagem, serão válidas as trações corretamente executadas, a partir do momento em que a barra for segurada com as duas mãos; f) As trações serão computadas da seguinte maneira: o executante com o corpo na vertical (posição um ) flexionará os cotovelos, posicionando o queixo sobre a barra sem tocá-la, considerando este movimento como posição dois. Em seguida retorna para posição um com os braços totalmente estendidos. Neste caso ao retornar posição um será computado uma repetição correta; g) serão computadas as trações executadas em que o queixo ultrapasse a altura da barra sem que, para isso, tenha ocorrido qualquer tipo de auxílio. Foto 1: Posição Inicial e final ( um ) Foto 2: Posição dois Foto 3: Visão Lateral

2 2. DA PROVA DE FLEXÃO DE COTOVELO ESTÁTICO EM BARRA FIXA FEMININO 2.1. Posição inicial: a) a avaliada se dirigirá à barra através de um apoio (banco, escada baixa ou outro material disponível); b) posicionar-se na barra com os cotovelos flexionados, com a pegada na barra com as mãos em pronação (dorso das mãos voltado para a face da avaliada); c) o queixo acima da barra, sem tocá-la com essa parte do corpo; d) membros inferiores estendidos; e) corpo na posição vertical, sem contato algum com o solo Execução: a) após a avaliada perceber que está em posição segura, com o queixo sobre a barra, sem tocá-la, e cotovelos flexionados, avisará ao avaliador para retirar o apoio, com o corpo suspenso, momento em que será acionado o cronômetro; a avaliada permanecerá na posição final até o avaliador lhe informar que ela superou a tempo mínimo necessário; b) a avaliada permanecerá na posição final até suportar o máximo de tempo possível, sendo que o cronômetro será travado no momento em que a avaliada tocar o queixo na barra ou quando a avaliada colocar a cabeça para trás para não tocar na barra. c) o registro do tempo equivalente à sua idade será transformado em pontos, de acordo com a tabela específica. Preferencialmente serão utilizados dois cronômetros (cronometragem manual) para registrar o tempo, sendo considerado para cômputo oficial, o menor tempo. Foto 4: Posição Inicial Foto 5: Posição Final Foto 6: Visão Lateral

3 3. DA PROVA DE FORÇA ABDOMINAL ABDOMINAL TIPO REMADOR (MASCULINO E FEMININO) 3.1. Posição inicial a) O (a) avaliado (a) deverá estar deitado (a) em decúbito dorsal com os membros inferiores estendidos paralelamente e os membros superiores estendidos paralelamente acima da cabeça, posição inicial Execução: a) Flexionar simultaneamente o quadril e joelhos de modo que a planta dos pés se apoiem totalmente no chão, ao mesmo tempo em que se lançam os membros superiores à frente até o cotovelo alinhar-se com os joelhos (posição um ); b) Retornar à posição inicial (posição dois ) Observações a) A contagem dar-se-á a cada movimento de execução e retorno à posição inicial; b) Para maior conforto do avaliado (a), a prova deve ser aplicado sobre uma área confortável; c) Não se computará o exercício quando o avaliado levar ambos os cotovelos para frente ao iniciar o abdominal, ou utilizar-se de qualquer tipo de auxílio para a subida do tronco; d) Deve-se atentar para o correto alinhamento dos cotovelos com os joelhos; e) Realizar, nessas condições, o maior número possível de repetições no tempo máximo de (sessenta segundos e zero centésimos); f) Será utilizado um cronômetro (cronometragem manual) para registrar o tempo. Foto 7: Posição Inicial e final (posição um ) Foto 8: Posição dois - Visão Lateral

4 Foto 9: Posição Inicial e final - Visão Frontal Foto 10: Posição dois Visão Frontal 4. DA PROVA DE VELOCIDADE 50 METROS (MASCULINO E FEMININO) 4.1. Posição inicial: a) O (a) avaliado (a) se postará em pé, com um afastamento ântero-posterior das pernas; b) Pé da frente, alinhado com a marca de partida Execução: a) O teste será iniciado quando o avaliador comandar: Atenção! Preparado! Já ou Atenção! Preparado! Apito! ; após este sinal o executante percorrerá os 50 (cinquenta) metros no menor tempo possível Observações: a) Para a largada o avaliador de saída simultaneamente, além das orientações, utilizará um apito, com um silvo forte, bem como descerrará uma bandeirola que servirá de referência para cronometragem; b) O cronômetro deverá ser acionado exatamente no momento do sinal de partida; c) Deverá ser explicado ao avaliado (a) para correr o mais rápido que possa, não diminuindo o ritmo propositadamente ao aproximar-se da linha de chegada; d) Não será permitido o uso de sapatilhas; e) A prova deverá ser em percurso retilíneo; f) O piso da pista poderá ser sintético, natural (de carvão; saibro ou material equivalente), de cimento ou asfalto; g) Apenas uma saída em falso será admitida por avaliado (a). Se a largada for queimada pela segunda vez o (a) avaliado (a) será considerado (a) inapto (a); h) O tempo de execução da prova será transformado em pontuação, conforme tabela específica; i) A cronometragem será manual, havendo dois cronometristas, sendo validado o menor tempo e, arredondando-se ainda a casa centesimal para a casa decimal inferior.

5 Foto 11: Posição Inicial Foto 12: Largada 5. DA PROVA DE FLEXÃO E EXTENSÃO DE COTOVELO APOIO DE FRENTE SOBRE O SOLO (MASCULINO) 5.1. Posição inicial: a) O avaliado se posicionará em pé; b) Apoiará as mãos (espalmadas) no chão e estende o corpo assumindo a posição de apoio de forma a estabelecer quatro apoios (os dois braços estendidos e pernas unidas, em que a ponta de cada pé toque o solo) posição um ; c) Manter os braços estendidos na abertura do prolongamento do ombro Execução: a) Ao ser dado o sinal de começar, o avaliado flexionará os cotovelos, levando seu corpo para baixo até que seu tórax aproxime-se do chão, sem tocá-lo posição dois ; b) Manter sempre as costas retas quando retornar à posição de extensão dos cotovelos; c) Será computado o número máximo de flexões realizadas corretamente; d) Será permitido descansar com os cotovelos estendidos; e) Não haverá tempo limite para execução dos movimentos. Foto 13: Posição Inicial e final (posição um ) - Visão Lateral Foto 14: Posição dois - Visão Lateral

6 Foto 15: 16: Posição Inicial dois e - final Visão - Visão Frontal Frontal 6. DA PROVA DE FLEXÃO E EXTENSÃO DE COTOVELO APOIO DE FRENTE SOBRE O SOLO ( FEMININO) 6.1. Posição inicial: a) A avaliada se posiciona em pé; b) Apoiará as mãos no chão (espalmadas), bem como os joelhos e a ponta de cada pé, em que o corpo assume a posição de forma a estabelecer seis apoios posição um ; c) Manter os braços estendidos na abertura do prolongamento do ombro Execução: a) ao ser dado o sinal de começar, a avaliada flexionará seus cotovelos, levando seu corpo para baixo até que seu tórax aproxime-se do chão, sem tocá-lo posição dois ; b) manter sempre as costas retas quando retornar à posição de extensão; c) permite-se proteção para os joelhos; d) será computado o número máximo de flexões realizadas corretamente; e) será permitido descansar com os cotovelos estendidos; f) não haverá tempo limite para execução dos movimentos. Foto 17: Posição Inicial e final (posição um ) - Visão Lateral Foto 18: Posição dois - Visão Lateral

7 Foto 19: Posição Inicial e final - Visão Frontal Foto 20: Posição dois - Visão Frontal 7. DA PROVA DE RESISTÊNCIA AERÓBIA DE METROS (MASCULINO E FEMININO) 7.1. Posição inicial: a) O (a) avaliado (a) se postará em pé, junto à linha de partida Execução: a) Ao sinal, o (a) avaliado (a) percorrerá a distância estabelecida no menor tempo possível, o qual será transformado em pontos, de acordo com a tabela específica. Foto 21: Largada prova 2400m 8. DA PROVA DE NATAÇÃO 50 METROS (MASCULINO E FEMININO) 8.1. Posição inicial: a) O (a) avaliado (a) se posicionará dentro da piscina, de 25 ou 50 metros, junto à borda; 8.2. Execução: a) o teste será iniciado quando o avaliador comandar Atenção! Preparado! Já ou Atenção! Preparado! Apito! b) será acionado concomitantemente o cronômetro ao comando; c) não será permitido que o (a) avaliado (a) toque os pés no fundo da piscina ou de alguma forma se segure na borda da mesma;

8 d) a virada do (a) avaliado (a) para retornar na piscina de 25 metros, para completar o percurso, poderá ser a olímpica ou a virada com o toque na borda da mesma; e) ao finalizar, o cronômetro é travado e registrado o tempo, o qual será transformado em pontos, de acordo com a tabela específica. Foto 22: Posição Inicial - Largada Foto23: Percurso Foto 25: Retorno (piscina de 25m) Foto 24: Virada (piscina de 25m) 9. ASPECTOS GERAIS PARA APLICAÇÃO DO TAF-Bom e TAF-Alt 9.1. Antes da aplicação das provas, apesar de termos a ideia de já saber que o (a) Bombeiro Militar possui conhecimento da execução dos mesmos, é salutar fornecer informações sobre a execução do movimento, bem como os critérios de avaliação Outro fator é que o (a) avaliado (a), antes de ser submetido ao TAF, forneça o atestado, expedido por médico militar ou credenciado, que está apto para ser submetido ao TAF; portanto, o (a) Bombeiro Militar somente poderá ser submetido ao TAF portando, em mãos, o referido atestado Antes do TAF, o (a) avaliado (a) deverá entregar ao avaliador o respectivo atestado de apto para realizar as provas, caso contrário, não será admitido se sujeitar ao TAF; o (a) avaliado (a)

9 também deverá se apresentar uniformizado para o evento, isto é, vir trajado com calção, camiseta, tênis e meia, de acordo com o que preconiza o Regulamento de Uniforme do CBMSC As provas tem como escopo avaliar a aptidão física do (a) Bombeiro Militar e terá a seguinte sequência de ordem e exigências: 1ª Etapa: a) PROVA DE FLEXÃO DE COTOVELO DINÂMICO NA BARRA FIXA PARA HOMENS: compulsória até os 40 (quarenta) de idade, inclusive, e acima desta idade, ou seja, a partir dos 41 (quarenta e um) completos o Bombeiro Militar poderá optar pela barra ou apoio de frente sobre o solo (sendo feita esta opção e após realizar a prova, a Bombeiro Militar não poderá voltar atrás, independente do resultado); b) PROVA DE FLEXÃO DE COTOVELO ESTÁTICO NA BARRA FIXA PARA MULHERES: compulsória até os 40 (quarenta) de idade,(inclusive, e acima desta idade, ou seja, a partir dos 41 (quarenta e um) de idade completos a Bombeiro Militar poderá optar pelo apoio de frente sobre o solo com seis apoios (sendo feita esta opção e após realizar a prova, a Bombeiro Militar não poderá voltar atrás, independente do resultado); 2ª Etapa a) PROVA DE FORÇA ABDOMINAL - Abdominal remador para ambos os sexos e idade (independente de idade). 3ª Etapa a) PROVA DE VELOCIDADE 50 METROS: compulsória para ambos os sexos até os 40 (quarenta) de idade, inclusive, e acima desta idade, ou seja, a partir dos 41 (quarenta e um) completos o (a) Bombeiro Militar poderá optar em não realizar a prova (sendo feita esta opção e após realizar a prova, a Bombeiro Militar não poderá voltar atrás, independente do resultado). 4ª Etapa a) PROVA DE RESISTÊNCIA AERÓBIA DE METROS: para ambos os sexos (independente de idade). 5ª Etapa a) PROVA DE NATAÇÃO 50 METROS: compulsória para ambos os sexos até os 40 (quarenta) de idade, inclusive, e acima desta idade, ou seja, a partir dos 41 (quarenta e um) completos o (a) Bombeiro Militar poderá optar em não realizar a prova (sendo feita esta opção e após realizar a prova, a Bombeiro Militar não poderá voltar atrás, independente do resultado) As etapas preferencialmente deverão ser realizadas em um único dia, mas admite-se que os as provas poderão ser fragmentados e aplicados em até três dias consecutivos, sendo no primeiro dia as etapas 1 e 2, no segundo dia as etapas 3 e 4 e no terceiro dia a etapa DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO POR RESULTADOS O Índice Mínimo de Aptidão por Prova, o qual recebe a sigla de IMAP, representa o resultado em pontos de cada prova realizada. Este IMAP deverá ser vinculado ao Índice Mínimo de Aptidão Geral, que recebe a sigla de IMAG, representando a média aritmética dos pontos obtidos nas provas, ou seja, soma-se o IMAP de cada prova e dividi-se pelo número de provas que realizou para saber o IMAG.

10 10.2. O Quadro 2, a seguir, representa o padrão necessário para que o Bombeiro Militar tenha como êxito os mínimos de IMAP e IMAG para ser considerado apto no Teste de Aptidão Física Os critérios de desempate para concorrentes Bombeiros Militares, que disputam vagas para cursos dentro e fora da corporação serão considerados de acordo com a ordem a seguir: a) corrida de resistência aeróbia de metros; b) natação de 50 metros; c) flexão de cotovelo na barra fixa; d) corrida de 50 metros; e) abdominal remador Se houver empate, adota-se o maior número de segundos lugares nessa sequência, e assim sucessivamente Caso tenham provas específicas, será adotada a mesma sistemática Persistindo o empate, será decidido por sorteio. Quadro 2 Índices Mínimos de IMAP e IMAG Critérios Técnicos Candidatos que concorrem a Cursos ou estágios fora e dentro da Corporação Teste de Aptidão Física Bombeiro Militar Para avaliações periódicas e promoções No Curso, ou seja, frequentando o Curso de Estado Maior CCEM/CAO No Curso, ou seja, frequentando o Curso de Altos Estudos Estratégicos CAEE/CSBM No Curso, ou seja, frequentando o Curso de Aperfeiçoamento de Praças CAS No Curso, ou seja, frequentando o Curso de Formação de Oficiais No Curso, ou seja, frequentando o Curso de Formação de Soldados No Curso, ou seja, frequentando o Curso de Formação de Sargentos No Curso, ou seja, frequentando o Curso de Formação de Cabos Adaptado de Morelli (1989). IMAP Pontos IMAG O (a) Bombeiro Militar que não obtiver o IMAP poderá repetir, no máximo, duas provas em que foi reprovado; exceto para candidatos que concorrem a vagas nos cursos ou estágios fora e dentro da Corporação; deverá ser observado um período de no máximo 15 (quinze) dias para a repetição da prova; este período será contado a partir da realização da última prova Não será admitido repetir provas, da bateria de provas do TAF, para aqueles Bombeiros Militares que concorrem a vagas nos cursos ou estágios fora e dentro da Corporação A pontuação total obtida será traduzida por uma nota; cada teste possui o mesmo peso; assim, aplica-se a regra de três simples para a obtenção da nota final; exemplo: um Bombeiro Militar de 24, ao ser submetido ao TAF atingiu todos os IMAP e IMAG conquistando a somatória geral de 450 pontos; neste caso, 500 pontos correspondem à nota 10 (dez), como ele obteve 450 pontos, multiplica-se este valor por 10 (dez) e divide-se por 500. Assim, este Bombeiro obteve a nota 9 (nove) Este conceito numérico corresponderá a um conceito sintético, conforme a média final obtida, o qual é expresso no quadro (conceito do teste de aptidão física), conforme abaixo:

11 Quadro 3 Conceitos sintéticos do teste de aptidão física Conceito Sintético Conceito Numérico E Excelente Nota máxima 10 (Dez) MB Muito bom Nota de 8,5 (Oito vírgula cinco) a 9,9 (Nove vírgula nove) B Bom Nota 7,0 (Sete) a 8,4 (Oito vírgula quatro) R Regular Nota de 6,9 (Seis vírgula nove) a 5 (Cinco) I Insuficiente Quando o avaliado não obtiver o IMAP e o IMAG na média dos pontos obtidos. Adaptado de Morelli (1989). 11. DA AVALIAÇÃO PARA OS CURSOS DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS E CABOS Os bombeiros militares candidatos as vagas dos Cursos de formação de Sargentos e Cabos deverão realizar o TAF, sendo que este terá caráter eliminatório; A bateria de testes para estes cursos terá os seguintes testes: flexão de cotovelo dinâmico em barra fixa ou apoio de frente sobre o solo; força abdominal abdominal tipo remador; natação 50 metros e corrida de metros; 113. Os critérios de avaliação são os que correspondem ao Quadro 2, observando-se a faixa etária e sexo. 12. DAS PROVAS PARA O TESTE DE APTIDÃO FÍSICA ALTERNATIVO DA PROVA DE FLEXÃO E EXTENSÃO DE COTOVELO APOIO DE FRENTE SOBRE O SOLO MASCULINO VER ÍTEN DA PROVA DE FLEXÃO E EXTENSÃO DE COTOVELO APOIO DE FRENTE SOBRE O SOLO FEMININO VER ÍTEN PROVA DE FLEXÃO ABDOMINAL ABDOMINAL SUPRA (MASCULINO e FEMININO) a. Posição inicial: 1) O avaliado (a) deverá estar deitado (a) em decúbito dorsal, quadril e joelhos flexionados apoiando as pernas sobre o solo, formando um ângulo aproximado de 90º. Os antebraços são cruzados sobre a face anterior do tórax, com as mãos sobre os ombros, segurando-os e onde devem permanecer durante toda execução dos movimentos. b. Execução: 1) O avaliado (a) por contração da musculatura abdominal, deverá flexionar o tronco, elevando até que a parte da região dorsal perca contato com o solo e até que ocorra o contato simultâneo dos cotovelos com os joelhos ou quadríceps (Posição 2). 2) Retornar à posição inicial (decúbito dorsal) até que toque o solo com as escápulas (Posição Final 3). c. Observações: 1) A contagem dar-se-á a cada movimento de execução e retorno a posição inicial; 2) Realizar, nestas condições, o maior número possível de repetições no tempo de 60

12 (sessenta) segundos. 3) O repouso é permitido, na posição (1) devendo o avaliado ser informado a respeito. 4) Será utilizado um cronômetro (cronometragem manual) para registrar o tempo. Foto 26: Posição Inicial e final (posição um ) Foto 27: Posição dois Visão Lateral Foto 28: Posição Inicial e final (posição um ) Foto 28: Posição dois visão Frontal DA PROVA DE CAMINHADA DA MILHA METROS (MASCULINO E FEMININO) a. Posição inicial: 1) O (a) avaliado (a) se postará em pé, junto a linha de partida. b. Execução: Ao sinal, o (a)avaliado (a) percorrerá a distância estabelecida no menor temo possível, o qual será transformado em pontos, de acordo com a tabela específica. Condições de Execução: A Prova de Caminhada da Milha será realizada conforme protocolo Rockport Fitness Walking Test (American College Of Sports Medicine), com o objetivo de mensurar a capacidade aeróbica dentro dos seus componentes cardiovasculares e respiratórios, ou seja, a do avaliado.

13 Na Prova de Caminhada da Milha sera atribuído conceito Apto ou Inapto, sendo computados 100 (cem) pontos para composição do IMAP e IMAG, para o BM apto e 0 (zero) pontos para o BM inapto, bem como para o cálculo da pontuação final da avaliação física ou para fins de nota em curso. Imediatamente, na chegada, o avaliador marcará a frequência cardíaca do avaliado, por pressão na artéria radial por 15 segundos, multiplicando por 4, sendo correspondente a marcação ou contagem, por minuto, da frequência cardíaca ou a utilização do oxímetro. O cálculo do VO² Max será feito de acordo com a fórmula contida neste Anexo e o índice definido de acordo com a tabela contida no mesmo. Contagem de Tempo: O tempo da Prova de Caminhada de Milha será feita através de cronômetro, o qual será acionada na largada simultaneamente ao comando de execução da prova, sendo travado na chegada exatamente no momento em que qualquer parte do corpo do executante tocar a linha ou seu prolongamento vertical; Índice mínimo: O avaliado que percorrer a distância de uma milha abaixo do índice estabelecido na tabela contida neste anexo, será considerado Inapto. Foto 29 Largada prova de Caminhada m DA PROVA DE NATAÇÃO 50 METROS (MASCULINO e FEMININO) VER ÍTEN 8

14 CRITÉRIOS DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO FÍSICA MASCULINO Quadro 4 Prova de resistência aeróbia de metros em minutos e segundos masculino Categoria Capacidade Aeróbia PROVA DE RESISTÊNCIA AERÓBIA DE METROS EM MINUTOS:SEGUNDOS MASCULINO PONTOS Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de 50 I M. Fraca II Fraca III Média IV Boa V Excelente Adaptado de Cooper (1982) apud Marins & Giannichi (2003). Quadro 5 Prova de força abdominal em número de repetições em 60 segundos masculino PROVA DE FORÇA ABDOMINAL EM NÚMERO DE REPETIÇÕES EM 60 SEGUNDOS MASCULINO PONTOS Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de

15 Adaptado de Boldori (2002) com teste de campo (2008). Quadro 6 Prova de velocidade 50 metros masculino em segundos PROVA DE VELOCIDADE 50 METROS MASCULINO EM SEGUNDOS PONTOS Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de ,9 9, Adaptado de Boldori (2002). Quadro 7 Prova de natação 50 metros masculino PROVA DE NATAÇÃO 50 METROS MASCULINO NADO LIVRE PONTOS Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de

16 Teste de campo (2008) do CEBM/CBMSC. Quadro 8 Prova de flexão de cotovelo dinâmico na barra fixa barra em número de repetições masculino PROVA DE FLEXÃO DE COTOVELO DINÂMICO NA BARRA FIXA BARRA EM NÚMERO DE REPETIÇÕES MASCULINO PONTOS Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de Adaptado de Boldori (2002).

17 Obs: será considerada a pontuação maior. Quadro 9 Prova de flexão e extensão de cotovelo de frente sobre o solo apoio de frente sobre o solo em número de repetições e sem tempo para execução masculino PROVA DE FLEXÃO E EXTENSÃO DE COTOVELO DE FRENTE SOBRE O SOLO APOIO DE FRENTE SOBRE O SOLO EM NÚMERO DE REPETIÇÕES E SEM TEMPO PARA EXECUÇÃO MASCULINO PONTOS Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de Adaptado de Pollock & Wilmore (1993). CRITÉRIOS DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO FÍSICA FEMININO Quadro 10 Prova de resistência aeróbia de metros em minutos e segundos feminino PROVA DE RESISTÊNCIA AERÓBIA DE METROS - FEMININO Categoria Capacidade PONTOS Aeróbia Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de 50 I M. Fraca II Fraca

18 III Média IV Boa V Excelente Adaptado de Cooper 1982 apud Marins & Giannichi (2003). Quadro 11 Prova de força abdominal em número de repetições em 60 segundos feminino PONTOS PROVA DE FORÇA ABDOMINAL EM NÚMERO DE REPETIÇÕES EM 60 SEGUNDOS FEMININO Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de Adaptado de Morelli (1989). Quadro 12 Prova de velocidade 50 metros em segundos feminino

19 PROVA DE VELOCIDADE 50 METROS FEMININO PONTOS Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de , ' Adaptado de Boldori (2002) com acréscimo de 1 (um) segundo, conforme padrão de desempenho mínimo para ingresso Quadro 13 Prova de natação 50 metros em minutos e segundos feminino PROVA DE NATAÇÃO 50 METROS FEMININO NADO LIVRE PONTOS Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de Teste de campo (2008) do CEBM/CBMSC.

20 Quadro 14 Prova de flexão de cotovelo estático na barra fixa em segundos feminino PONTOS PROVA DE FLEXÃO DE COTOVELO ESTÁTICO NA BARRA FIXA EM SEGUNDOS FEMININO Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de ' Teste de campo (2008) do CEBM/CBMSC. Quadro 15 Prova de flexão e extensão de cotovelo de frente sobre o solo apoio de frente sobre o solo feminino PROVA DE FLEXÃO E EXTENSÃO DE COTOVELO DE FRENTE SOBRE O SOLO APOIO DE FRENTE SOBRE O SOLO FEMININO PONTOS Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de

21 Adaptado de Pollock & Wilmore (1993).

22 Flexão de Braço (apoio) Natação Abdominal Até 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 Acima de 50 TABELA DO TESTE DE APTIDÃO FÍSICA ALTERNATIVO PROVAS TAF-Alt MASC FEM MASC FEM MASC FEM '55 2'11 1' '50 1'52 2'08 2' '47 1'49 2'05 2' '44 1'46 2'02 2' '41 1'43 1'59 2' '38 1'40 1'56 1' '35 1'37 1'53 1' '32 1'34 1'50 1' '29 1'31 1'47 1' '26 1'28 1'44 1' '23 1'25 1'41 1' '20 1'22 1'38 1' '17 1'19 1'35 1' '14 1'16 1'32 1' ' '29 1' '08 1'10 1'26 1' '05 1'07 1' 23 1' '02 1'04 1'20 1' '01 1'17 1' '14 1' '11 1' '08 1' '05 1' '02-1' '

23 Prova de Caminhada da Milha (1.609m) Até 25 VALORES PARA VO²máx De 26 a 35 De 36 a 45 De 46 a 55 Acima de 55 MASC FEM Referência: Adaptado de Pollock, Nota: somente conceito Apto (100 pontos) e Inapto (0 pontos) para a Prova de Caminhada de Milha. Fórmula para cálculo do VO²máx: VO²máx (ml.kg-1.min-1) = 132,853 (0,0769 x peso corporal) (0,3877 x idade) + (6,315 x gênero) (3,2649 x tempo) (0,1565 x FC) Legenda: Peso corporal: lb (libras 1 lb = 0,454 kg) Gênero: 0 mulheres; 1 homens Tempo: minutos FC: medida ao final da caminhada Referência: Rockport Fitness Walking Test (Pollock, American College of Sports Medicine).

CAPÍTULO IV. Das Formas de Aplicação do TAF-3

CAPÍTULO IV. Das Formas de Aplicação do TAF-3 DEI - CSMFD - CENTRO DE SAÚDE MENTAL, FÍSICA E DESPORTOS - CEL PM OEZER DE CARVALHO - DIRETRIZ DE CONDICIONAMENTO FÍSICO DA POLÍ- CIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ( D-5 ) PUBLICAÇÃO Artigo 3º -

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

CONCURSO PÚBLICO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL CENTRO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO

Leia mais

1. NO CARGO DE SOLDADO BOMBEIRO MILITAR NAS QUALIFICAÇÕES DO QUADRO DE BOMBEIRO MILITAR PARTICULAR (QBMP) DE COMBATENTE, GUARDA-VIDAS E MOTORISTA.

1. NO CARGO DE SOLDADO BOMBEIRO MILITAR NAS QUALIFICAÇÕES DO QUADRO DE BOMBEIRO MILITAR PARTICULAR (QBMP) DE COMBATENTE, GUARDA-VIDAS E MOTORISTA. ANEXO II TESTE DE APTIDÃO FÍSICA O Teste de Aptidão Física tem o objetivo de selecionar os candidatos cuja aptidão física seja compatível com o exercício da atividade de Bombeiro Militar e será realizado

Leia mais

TESTES DE APTIDÃO FÍSICA A SEREM REALIZADOS PELO SESI

TESTES DE APTIDÃO FÍSICA A SEREM REALIZADOS PELO SESI TESTES DE APTIDÃO FÍSICA A SEREM REALIZADOS PELO SESI 1 DOS TESTES 1.1 Os Testes de Aptidão Física, de caráter eliminatório, serão aplicados no dia e horários indicados no telegrama de convocação, individualmente

Leia mais

ANEXO VII PROCEDIMENTOS DA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA 1. TESTE DE BARRA FIXA

ANEXO VII PROCEDIMENTOS DA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA 1. TESTE DE BARRA FIXA ANEXO VII 1. TESTE DE BARRA FIXA PROCEDIMENTOS DA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA 1.1 Teste dinâmico de barra fixa (somente para candidatos do sexo masculino) 1.1.1 A metodologia para a preparação e a execução

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MUNICIPAL SEMSA / BONFIM Nº 001/2015 COMISSÃO DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PARA PROVA DE CAPACITAÇÃO FÍSICA

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MUNICIPAL SEMSA / BONFIM Nº 001/2015 COMISSÃO DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PARA PROVA DE CAPACITAÇÃO FÍSICA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MUNICIPAL SEMSA / BONFIM Nº 001/2015 COMISSÃO DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PARA PROVA DE CAPACITAÇÃO FÍSICA 1. Participarão desta etapa os candidatos aprovados/classificados

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA A PROVA DE APTIDÃO FÍSICA PARA O CARGO DE AGENTE DE DEFESA CIVIL

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA A PROVA DE APTIDÃO FÍSICA PARA O CARGO DE AGENTE DE DEFESA CIVIL ANEXO III DO EDITAL N o 075/2011 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA A PROVA DE APTIDÃO FÍSICA PARA O CARGO DE AGENTE DE DEFESA CIVIL 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 - Os testes de aptidão física, de caráter

Leia mais

PROJETO DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTES TESTE DE APTIDÃO FÍSICA GARI

PROJETO DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTES TESTE DE APTIDÃO FÍSICA GARI PROJETO DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTES TESTE DE APTIDÃO FÍSICA GARI PARANAGUÁ 2011 TESTE DE APTIDÃO FÍSICA PARA SELEÇÃO DE GARI O candidato do sexo masculino que não alcançar a pontuação mínima de 50

Leia mais

LOCAL: CAMPO DE FUTEBOL DA COHAB

LOCAL: CAMPO DE FUTEBOL DA COHAB EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 PARA PROVIMENTO DE 86 (OITENTA E SEIS) VAGAS, PARA CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR, NÍVEL MÉDIO COMPLETO, MÉDIO/TÉCNICO COMPLETO, NÍVEL FUNDAMENTAL E FUNDAMENTAL INCOMPLETO

Leia mais

ANEXO A PORTARIA Nº 09/DFNSP/SENASP/MJ PROTOCOLO GERAL DE TESTE DE APTIDÃO FÍSICA

ANEXO A PORTARIA Nº 09/DFNSP/SENASP/MJ PROTOCOLO GERAL DE TESTE DE APTIDÃO FÍSICA ANEXO A PORTARIA Nº 09/DFNSP/SENASP/MJ PROTOCOLO GERAL DE TESTE DE APTIDÃO FÍSICA CAPÍTULO I Art. 1º - O presente trabalho visa avaliar os militares em condições normais de saúde, já mobilizados ou que

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2009-DGP/DPF, DE 23 DE JULHO DE 2009 Regulamenta a aplicação do exame de aptidão física

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO TOCANTINS QUARTEL DO COMANDO GERAL EDITAL DE RECONVOCAÇÃO PARA EXAME DE CAPACIDADE FÍSICA

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO TOCANTINS QUARTEL DO COMANDO GERAL EDITAL DE RECONVOCAÇÃO PARA EXAME DE CAPACIDADE FÍSICA EDITAL DE RECONVOCAÇÃO PARA EXAME DE CAPACIDADE FÍSICA O Coronel QOPM Jaizon Veras Barbosa, Presidente da Comissão do Concurso Público, em face de autorização concedida pelo Chefe do Poder Executivo Estadual

Leia mais

DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 4 DE JANEIRO DE 2002 Regulamenta a aplicação da prova de capacidade física no

DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 4 DE JANEIRO DE 2002 Regulamenta a aplicação da prova de capacidade física no DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 4 DE JANEIRO DE 2002 Regulamenta a aplicação da prova de capacidade física no processo seletivo para o cargo de Policial Rodoviário

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA MINISTÉRIO DA DEFESA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA RECOMENDAÇÕES SOBRE O TESTE DE AVALIAÇÃO DO CONDICIONAMENTO FÍSICO (TACF) AO(À) FUTURO(A) ESTAGIÁRIO(A) DO EAOT/EIAC - 2013 PREPARE-SE

Leia mais

EDITAL Nº 036/2013 CFSD-BM CONVOCAÇÃO PARA O TAAF

EDITAL Nº 036/2013 CFSD-BM CONVOCAÇÃO PARA O TAAF GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO- RESERVA PARA O CARGO DE SOLDADO BOMBEIRO MILITAR COMBATENTE EDITAL Nº

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA P O L Í C I A C I V I L DELEGACIA GERAL DA POLÍCIA CIVIL GABINETE

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA P O L Í C I A C I V I L DELEGACIA GERAL DA POLÍCIA CIVIL GABINETE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA P O L Í C I A C I V I L DELEGACIA GERAL DA POLÍCIA CIVIL GABINETE EDITAL Nº 002 / 16-PC/MS (PROCESSO DE SELEÇÃO PARA INSTRUÇÃO DE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3322, DE 24 DE SETEMBRO DE 1996.

RESOLUÇÃO Nº 3322, DE 24 DE SETEMBRO DE 1996. RESOLUÇÃO Nº 3322, DE 24 DE SETEMBRO DE 1996. Dispõe sobre o Teste de Avaliação Física (TAF) a ser aplicado aos candidatos a cursos da Polícia Militar e aos candidatos a Exame de Aptidão Profissional (EAP)

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA DEPARTAMENTO DA FORÇA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA DEPARTAMENTO DA FORÇA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA DEPARTAMENTO DA FORÇA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA PORTARIA Nº 005/2015/GAB/DFNSP/SENASP/MJ. Aprova a Diretriz do Teste de Aptidão Física

Leia mais

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores que contribui efetivamente para uma melhor qualidade de vida do indivíduo.

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE EXERCÍCIOS

PADRONIZAÇÃO DE EXERCÍCIOS LOMBAR EXTENSÃO DE TRONCO- Em decúbito ventral apoiado no banco romano ou no solo, pernas estendidas, mãos atrás da cabeça ou com os braços entrelaçados na frente do peito. Realizar uma flexão de tronco

Leia mais

EDITAL Nº 04/2015/DAE/PJC/MT

EDITAL Nº 04/2015/DAE/PJC/MT ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA JUDICIÁRIA CIVIL DIRETORIA DE ATIVIDADES ESPECIAIS EDITAL Nº 04/2015/DAE/PJC/MT Disciplina as inscrições e o processo de seleção

Leia mais

PREFEITURA DE IPIRÁ - ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COMUNICADO Prova de Aptidão Física - TAF

PREFEITURA DE IPIRÁ - ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COMUNICADO Prova de Aptidão Física - TAF PREFEITURA DE IPIRÁ - ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COMUNICADO Prova de Aptidão Física - TAF O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE IPIRÁ, Estado da Bahia, no uso de suas atribuições legais, mediante

Leia mais

Senior Fitness Test SFT

Senior Fitness Test SFT 1. Levantar e sentar na caira Senior Fitness Test SFT Objetivo: avaliar a força e resistência dos membros inferiores. Instrumentos: cronômetro, caira com encosto e sem braços, com altura assento aproximadamente

Leia mais

PORTARIA Nº 032-EME, DE 31 DE MARÇO DE 2008.

PORTARIA Nº 032-EME, DE 31 DE MARÇO DE 2008. PORTARIA Nº 032-EME, DE 31 DE MARÇO DE 2008. Aprova a Diretriz para o Treinamento Físico Militar do Exército e sua Avaliação. O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO, no uso da atribuição que lhe confere o

Leia mais

Onde lê: EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÃO

Onde lê: EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÃO Coordenadoria de Serviços de Saúde Grupo de Atenção às Urgências e Emergências - GRAU Concurso Público para classe de Enfermeiro (para atuar junto ao serviço Pré Hospitalar Móvel). I.E nº002/2013 Edital

Leia mais

Prefeitura Municipal de Tapiramutá publica:

Prefeitura Municipal de Tapiramutá publica: Prefeitura Municipal de Tapiramutá 1 Segunda-feira Ano VI Nº 1329 Prefeitura Municipal de Tapiramutá publica: Concurso Público Edital: Nº 01/2014. Gestor - Luciano Nery Marques / Secretário - Governo /

Leia mais

'DLPSODQWDomRGD*$6HGR3ULPHLUR3URJUDPDGH5HFLFODJHP$QXDO

'DLPSODQWDomRGD*$6HGR3ULPHLUR3URJUDPDGH5HFLFODJHP$QXDO 'DLPSODQWDomRGD*$6HGR3ULPHLUR3URJUDPDGH5HFLFODJHP$QXDO A implantação da Gratificação de Atividade de Segurança GAS para os servidores ocupantes do cargo de Técnico Judiciário Área Administrativa Especialidade

Leia mais

PROVAS DE ROBUSTEZ FÍSICA, PSÍQUICA E ENTREVISTA PROFISSIONAL DE SELECÇÃO

PROVAS DE ROBUSTEZ FÍSICA, PSÍQUICA E ENTREVISTA PROFISSIONAL DE SELECÇÃO PROVAS DE ROBUSTEZ FÍSICA, PSÍQUICA E ENTREVISTA PROFISSIONAL DE SELECÇÃO INTRODUÇÃO O presente concurso de selecção de candidaturas para elementos a incluir na Força Especial de Bombeiros, rege-se pelas

Leia mais

C. Guia de Treino ------------------------------------------------

C. Guia de Treino ------------------------------------------------ C. Guia de Treino ------------------------------------------------ A FORÇA / RESISTÊNCIA ( FUNÇÃO MOVIMENTO OSCILAÇÃO ) A01 Joelhos inclinados Com os pés afastados na plataforma, segure a barra de apoio

Leia mais

Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf

Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf ELÁSTICO OU BORRACHA Sugestão: 1 kit com 3 elásticos ou borrachas (com tensões diferentes: intensidade fraca, média e forte) Preço: de

Leia mais

P-1 BOLETIM INTERNO N.º 070. Mossoró/RN, em 16 de Abril de 2015. (Quinta-feira)

P-1 BOLETIM INTERNO N.º 070. Mossoró/RN, em 16 de Abril de 2015. (Quinta-feira) RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL 12º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR 01 P-1 BOLETIM INTERNO N.º 070 Mossoró/RN, em 16

Leia mais

COLÉGIO MATER DEI MANUAL DE TESTES DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA

COLÉGIO MATER DEI MANUAL DE TESTES DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA CLÉG ATER DE AUAL DE TESTES DE AVALAÇÃ EDUCAÇÃ FÍSCA 2015 1 SUÁR 1-EDDAS DE CRESCET CRPRAL...03 assa corporal (Peso)...03 Estatura (Altura)...03 Índice de assa Corporal (C)...04 2-TESTES DE APTDÃ FÍSCA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DE RECURSOS HUMANOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DE RECURSOS HUMANOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DE RECURSOS HUMANOS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2009 CGRH/DPRF, DE 11 DE AGOSTO DE 2009 Regulamenta

Leia mais

ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF

ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF PROVA DE FLEXÃO DE BRAÇO NA BARRA FIXA BARRA (SOMENTE PARA O SEXO MASCULINO) Os procedimentos a serem adotados pelo

Leia mais

VELOCIDADE, AGILIDADE, EQUILÍBRIO e COORDENAÇÃO VELOCIDADE

VELOCIDADE, AGILIDADE, EQUILÍBRIO e COORDENAÇÃO VELOCIDADE 1 VELOCIDADE, AGILIDADE, EQUILÍBRIO e COORDENAÇÃO VELOCIDADE - É a capacidade do indivíduo de realizar movimentos sucessivos e rápidos, de um mesmo padrão, no menor tempo possível. Força; Fatores que influenciam

Leia mais

AVALIAÇÃO DE TÍTULOS PARA OS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR. Valor Máximo para o conjunto Doutorado 1 0,2 0,2 Mestrado 1 0,2 0,2.

AVALIAÇÃO DE TÍTULOS PARA OS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR. Valor Máximo para o conjunto Doutorado 1 0,2 0,2 Mestrado 1 0,2 0,2. ESTADO DO MARANHÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE CENTRO NOVO DO MARANHÃO A v. J u s c e l i n o K u b i t s c h e c k s / n. º C e n t r o - C E P : 6 5. 2 9 9-0 0 0. C N P J ( M F ) : 0 1. 6 1 2. 3 2 3 / 0

Leia mais

Teste de Flexibilidade

Teste de Flexibilidade Teste de Flexibilidade Introdução O teste de Fleximetria foi aprimorado pelo ICP à partir do teste do Flexômetro de LEIGHTON deve ser aplicado com a intenção de se coletar informações sobre o funcinamento

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA (SAEB) CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS VAGOS DE PERITO CRIMINALÍSTICO, DE PERITO MÉDICO-LEGAL, DE PERITO ODONTO-LEGAL

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA EDITAL DE SELEÇÃO Nº 001/2015, DE 30 DE JUNHO DE 2015.

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA EDITAL DE SELEÇÃO Nº 001/2015, DE 30 DE JUNHO DE 2015. PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA EDITAL DE SELEÇÃO Nº 001/2015, DE 30 DE JUNHO DE 2015. O MUNICÍPIO DE CAUCAIA, por intermédio da Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Tecnologia

Leia mais

TESTES FÍSICOS E MOTORES DAS VARIÁVEIS NEUROMUSCULARES

TESTES FÍSICOS E MOTORES DAS VARIÁVEIS NEUROMUSCULARES TESTES FÍSICOS E MOTORES DAS VARIÁVEIS NEUROMUSCULARES As variáveis neuromusculares são aquelas em que a performance física depende dos componentes neurais e musculares. Dessa forma, os resultados expressarão

Leia mais

PORTARIA Nº 001/BM-8/2011

PORTARIA Nº 001/BM-8/2011 ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO INSTITUCIONAL COORDENADORIA DE LEGISLAÇÃO E DOUTRINA / BM -8 PORTARIA Nº 001/BM-8/2011

Leia mais

Bateria de Medidas e Testes. Centros de Formação de Jogadores Federação Portuguesa de Voleibol

Bateria de Medidas e Testes. Centros de Formação de Jogadores Federação Portuguesa de Voleibol Bateria de Medidas e Testes Centros de Formação de Jogadores Federação Portuguesa de Voleibol 2004 Nota Introdutória A bateria de medidas e testes a ser aplicada nos centros de formação resulta de um conjunto

Leia mais

PROVAS DE ROBUSTEZ FÍSICA

PROVAS DE ROBUSTEZ FÍSICA PAS D USZ SA Anexo 3 1. concurso de seleção dos elementos a recrutar para a orça special de ombeiros, rege-se pelas provas de avaliação da condição física, de realização obrigatória, a seguir indicadas:

Leia mais

1. História do Voleibol. 2. Caracterização do Voleibol. 2. Regras do Voleibol. Documento de Apoio de Voleibol VOLEIBOL

1. História do Voleibol. 2. Caracterização do Voleibol. 2. Regras do Voleibol. Documento de Apoio de Voleibol VOLEIBOL VOLEIBOL 1. História do Voleibol O Voleibol foi criado em 1885, em Massachussets, por William G. Morgan, responsável pela Educação Física no Colégio de Holyoke, no Estado de Massachussets, nos Estados

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO TOCANTINS QUARTEL COMANDO GERAL COMISSÃO DE SELEÇÃO DE MOBILIZAÇÃO

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO TOCANTINS QUARTEL COMANDO GERAL COMISSÃO DE SELEÇÃO DE MOBILIZAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO TOCANTINS QUARTEL COMANDO GERAL COMISSÃO DE SELEÇÃO DE MOBILIZAÇÃO EDITAL Nº. 001/2013/CSM/FNSP/PMTO Estabelece normas para a seleção de Policiais Militares para comporem o

Leia mais

SECRETARIA DE SEGURANÇA, DEFESA E CIDADANIA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE RONDÔNIA COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS

SECRETARIA DE SEGURANÇA, DEFESA E CIDADANIA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE RONDÔNIA COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS SECRETARIA DE SEGURANÇA, DEFESA E CIDADANIA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE RONDÔNIA COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS EDITAL Nº 008/DEPTO DE ENSINO/CRH/PMRO-2015 SELEÇÃO DE POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES

Leia mais

Capitães, Tenentes e Praças NP Nº 093/15-DE EDITAL Nº 010/2015-DE. PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS/2015 PMAL (970 h/a).

Capitães, Tenentes e Praças NP Nº 093/15-DE EDITAL Nº 010/2015-DE. PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS/2015 PMAL (970 h/a). NP Nº 093/15-DE EDITAL Nº 010/2015-DE PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS/2015 PMAL (970 h/a). O Diretor de Ensino da PMAL, no uso de suas atribuições, e tendo a proposta de curso encaminhada

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO - 2015

INFORMAÇÃO - PROVA EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO - 2015 INFORMAÇÃO - PROVA EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO - 2015 O presente documento visa divulgar as características da prova final do 2º ciclo do ensino básico da disciplina

Leia mais

FITNESSGRAM. O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde.

FITNESSGRAM. O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde. Professora de Educação Física HelenaMiranda FITNESSGRAM O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde. Todos os elementos incluídos no Fitnessgram foram

Leia mais

Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999)

Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999) Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999) 1. Levantar e Sentar na Cadeira Avaliar a força e resistência dos membros inferiores (número de execuções em

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002-ABIN/GSIPR, DE 6 DE AGOSTO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002-ABIN/GSIPR, DE 6 DE AGOSTO DE 2008. AGÊNCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002-ABIN/GSIPR, DE 6 DE AGOSTO DE 2008. Regulamenta a aplicação da prova de capacidade física nos concursos públicos para ingresso em cargos integrantes

Leia mais

POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO PARANÁ CONSELHO DA POLÍCIA CIVIL. EDITAL N 045/2014 (Sub Judice)

POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO PARANÁ CONSELHO DA POLÍCIA CIVIL. EDITAL N 045/2014 (Sub Judice) POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO PARANÁ CONSELHO DA POLÍCIA CIVIL EDITAL N 045/2014 (Sub Judice) O Presidente do Conselho da Polícia Civil do Estado do Paraná, no uso de suas atribuições legais, em conformidade

Leia mais

Academia Seja dentro ou fora da Academia, nosso Clube oferece espaços para manter a saúde em dia e o corpo em forma

Academia Seja dentro ou fora da Academia, nosso Clube oferece espaços para manter a saúde em dia e o corpo em forma Projeto Verão O Iate é sua Academia Seja dentro ou fora da Academia, nosso Clube oferece espaços para manter a saúde em dia e o corpo em forma por rachel rosa fotos: felipe barreira Com a chegada do final

Leia mais

EDITAL DRH Nº 26/2012 PROCESSO SELETIVO EXTERNO PARA AUXILIAR I / AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS I / CONSERVAÇÃO DE EDIFÍCIOS E LOGRADOUROS

EDITAL DRH Nº 26/2012 PROCESSO SELETIVO EXTERNO PARA AUXILIAR I / AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS I / CONSERVAÇÃO DE EDIFÍCIOS E LOGRADOUROS - Prodin DIVISÃO DE RECURSOS HUMANOS - DRH EDITAL DRH Nº 26/2012 PROCESSO SELETIVO EXTERNO PARA AUXILIAR I / AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS I / CONSERVAÇÃO DE EDIFÍCIOS E LOGRADOUROS A PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE

Leia mais

EDITAL Nr. 019 CFOBM 2. DAS INSTRUÇÕES GERAIS:

EDITAL Nr. 019 CFOBM 2. DAS INSTRUÇÕES GERAIS: GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL CENTRO DE RECURSOS HUMANOS EDITAL Nr. 019

Leia mais

Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet

Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet MENSURAÇÃO DAS CAPACIDADES ENERGÉTICAS Existe um nível mínimo de energia necessária para manter as funções vitais do organismo no estado

Leia mais

Federação Paulista de Ginástica

Federação Paulista de Ginástica TROFÉU SÃO PAULO 2014 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA REGULAMENTO GERAL OBJETIVOS: Difundir a modalidade Ginástica Artística, incentivando sua prática em diversas faixas etárias e níveis de habilidade - visando

Leia mais

Modalidade Alternativa: Badminton

Modalidade Alternativa: Badminton Escola Básica e Secundária Rodrigues de Freitas Modalidade Alternativa: Badminton Ações técnico-táticas Regulamento Professora: Andreia Veiga Canedo Professora Estagiária: Joana Filipa Pinto Correia Ano

Leia mais

1.2 Clientela 150 (cento e cinquenta) cabos policiais militares, da ativa, desta Corporação. 1.3 Carga horária

1.2 Clientela 150 (cento e cinquenta) cabos policiais militares, da ativa, desta Corporação. 1.3 Carga horária BOL PM Nº 0030 de 14 DE FEVEREIRO DE 2011 1 SECRETARIA DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL COMANDO GERAL DA POLÍCIA MILITAR CENTRO DE EDUCAÇÃO EDITAL Nº 0003/2011-CEPM O DIRETOR DO CENTRO DE EDUCAÇÃO DA POLÍCIA

Leia mais

O PROJETO. A ESTAÇÃO SAÚDE foi desenvolvida com objetivo de proporcionar aos

O PROJETO. A ESTAÇÃO SAÚDE foi desenvolvida com objetivo de proporcionar aos O PROJETO A ESTAÇÃO SAÚDE foi desenvolvida com objetivo de proporcionar aos usuários diferentes exercícios que possibilitam trabalhar grupos musculares diversos, membros superiores, inferiores, abdominais

Leia mais

E Nas extremidades da rede existem duas antenas que delimitam o espaço aéreo de jogo.

E Nas extremidades da rede existem duas antenas que delimitam o espaço aéreo de jogo. V O L E I B O L A quadra de jogo A quadra de voleibol mede 18 x 9 metros e é demarcada por linhas de 5 centímetros de espessura. Possui uma linha central que divide a quadra em duas áreas com 9 x 9 metros.

Leia mais

Art. 02 Este Regulamento Geral é o conjunto das disposições que regem as modalidades que integram a COPA SENAI 2010.

Art. 02 Este Regulamento Geral é o conjunto das disposições que regem as modalidades que integram a COPA SENAI 2010. COPA SENAI 2010 REGULAMENTO GERAL SESI SENAI - SP 2010 REGULAMENTO GERAL FASE INTERCLASSES I DOS OBJETIVOS Art. 01 A COPA SENAI 2010, tem por finalidade o bem estar e a integração do aluno perante a sociedade

Leia mais

CURSO DE TRIPULANTE OPERACIONAL EDITAL N.º 001/2013 CIOPAER 02 de Julho de 2013

CURSO DE TRIPULANTE OPERACIONAL EDITAL N.º 001/2013 CIOPAER 02 de Julho de 2013 CURSO DE TRIPULANTE OPERACIONAL EDITAL N.º 001/2013 02 de Julho de 2013 O Presidente da Comissão para seleção de policiais militares para comporem o cadastro reserva para o Curso de Tripulante Operacional,

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA. Subcomando-Geral - n.º 166-05 de setembro de 2006 S E P A R A T A B G O

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA. Subcomando-Geral - n.º 166-05 de setembro de 2006 S E P A R A T A B G O POLÍCIA MILITAR DA BAHIA Subcomando-Geral - n.º 166-05 de setembro de 2006 S E P A R A T A B G O a. MANUAL DE AVALIAÇÃO FÍSICA DA PMBA APRESENTAÇÃO O presente trabalho foi fruto de pesquisa monográfica

Leia mais

Um breve estudo sobre o Nado Borboleta.

Um breve estudo sobre o Nado Borboleta. Um breve estudo sobre o Nado Borboleta. Fábio Rodrigues de Souza Frederico Engel de Oliveira Minkos Guilherme Estevam Dantas João Marcello Paes Zanco Paulo Sérgio Santos de Souza 1 Bárbara Pereira de Souza

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014 INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014 ENSINO BÁSICO 6º ANO DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA CÓDIGO 28 MODALIDADE PROVA ESCRITA E PROVA PRÁTICA INTRODUÇÃO: O presente documento

Leia mais

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Dr. Leandro Gomes Pistori Fisioterapeuta CREFITO-3 / 47741-F Fone: (16) 3371-4121 Dr. Paulo Fernando C. Rossi Fisioterapeuta CREFITO-3 / 65294 F Fone: (16) 3307-6555

Leia mais

Atletismo O LANÇAMENTO DO DARDO

Atletismo O LANÇAMENTO DO DARDO Atletismo O LANÇAMENTO DO DARDO A história do lançamento do dardo, pode ter sua origem na pré-história. Empregado, inicialmente na caça e, posteriormente na guerra, como arma de combate. É uma das provas

Leia mais

Seqüência completa de automassagem

Seqüência completa de automassagem Seqüência completa de automassagem Os exercícios descritos a seguir foram inspirados no livro Curso de Massagem Oriental, de Armando S. B. Austregésilo e podem ser feitos em casa, de manhã ou à tardinha.

Leia mais

REGULAMENTO DE ATLETISMO

REGULAMENTO DE ATLETISMO CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - A Competição de Atletismo, modalidade individual dos JOGOS ESCOLARES TV SERGIPE- 2014, será realizada de acordo com as Normas das OLIMPÌADAS ESCOLARES

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CORDEIRÓPOLIS SP CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS Nº 02/2012

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CORDEIRÓPOLIS SP CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS Nº 02/2012 ANEXO II TAF TESTE DE APTIDÃO FÍSICA E EXERCÍCIOS ESPECÍFICOS MASCULINO E FEMININO 1 - DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS 1.1 O TAF Teste de aptidão Física é um instrumento usado para medir e avaliar as condições

Leia mais

Por que devemos avaliar a força muscular?

Por que devemos avaliar a força muscular? Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com Docência Docência Personal Trainer Por que devemos avaliar a força muscular? Desequilíbrio Muscular;

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS

EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS ICA 54-2 APLICAÇÃO DO TESTE DE AVALIAÇÃO DO CONDICIONAMENTO FÍSICO PARA EXAMES DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO DO COMANDO DA AERONÁUTICA

Leia mais

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906 Exercícios com Elástico Os Exercícios com elástico irão trabalhar Resistência Muscular Localizada (RML). Em cada exercício, procure fazer a execução de maneira lenta e com a postura correta. Evitar o SOLAVANCO

Leia mais

Programa de Formação Esportiva Escolar COMPETIÇÕES DE ATLETISMO. Fase escolar

Programa de Formação Esportiva Escolar COMPETIÇÕES DE ATLETISMO. Fase escolar Programa de Formação Esportiva Escolar COMPETIÇÕES DE ATLETISMO Fase escolar Introdução O Programa de Formação Esportiva Escolar tem como premissas a democratização do acesso ao esporte, o incentivo da

Leia mais

https://intranet.marinha.pt/ordens/oa1/2007/anxh_oa121_07.html

https://intranet.marinha.pt/ordens/oa1/2007/anxh_oa121_07.html Page 1 of 15 OA1 21/17-05-07 PAA 8 (B) - XI PAA 13 (A) - VI ANEXO H CLASSIFICAÇÃO E SELECÇÃO DOS CANDIDATOS AO REGIME DE CONTRATO (RC): - AVALIAÇÃO DA DESTREZA FÍSICA E DA CAPACIDADE PSICOLÓGICA DOS CANDIDATOS:

Leia mais

Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA

Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA Uma cadeira e uma garrafa de água O que podem fazer por si Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA A prática de uma actividade física regular permite a todos os indivíduos desenvolverem uma

Leia mais

AULAS TÉCNICAS DE CRAWL Musculatura Utilizada. Posição do Corpo e de Seus Segmentos. Posição do Corpo Erros Causas Correções

AULAS TÉCNICAS DE CRAWL Musculatura Utilizada. Posição do Corpo e de Seus Segmentos. Posição do Corpo Erros Causas Correções SUMÁRIO AULAS TÉCNICAS DE CRAWL... 3 Respiração Lateral... 6 Entrada de Mão... 8 Recuperação da Braçada de Crawl... 11 Puxada... 13 Deslize... 15 Posição do Pé para Execução da Pernada de Crawl... 17 Aceleração...

Leia mais

APOSTILA DE VOLEIBOL

APOSTILA DE VOLEIBOL APOSTILA DE VOLEIBOL O voleibol é praticado em uma quadra retangular dividida ao meio por uma rede que impede o contato corporal entre os adversários. A disputa é entre duas equipes compostas por seis

Leia mais

www.ndu.net.br Sede Social Rua Luís Góis, 2.187 Mirandópolis São Paulo SP Cep: 04043-400 Fone: (11) 7708-7429

www.ndu.net.br Sede Social Rua Luís Góis, 2.187 Mirandópolis São Paulo SP Cep: 04043-400 Fone: (11) 7708-7429 Organização, compromisso e qualidade em prol do esporte universitário paulista www.ndu.net.br Sede Social Rua Luís Góis, 2.187 Mirandópolis São Paulo SP Cep: 04043-400 Fone: (11) 7708-7429 REGULAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA TV SERGIPE 2014

REGULAMENTO TÉCNICO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA TV SERGIPE 2014 REGULAMENTO TÉCNICO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA TV SERGIPE 2014 NÍVEL I MASCULINO E FEMININO Nº Elementos Descrição Valor 1. Postura de Posição estendida com braços elevados apresentação 2. Rolamento p/ frente

Leia mais

GUIA DE EXERCÍCIOS LIFE ZONE TOTAL FIT

GUIA DE EXERCÍCIOS LIFE ZONE TOTAL FIT GUIA DE EXERCÍCIOS LIFE ZONE TOTAL FIT Nesse guia você encontrará 50 exercícios diferentes para fazer utilizando a sua Estação de Musculação Life Zone Total Fit. Com esses exercícios, você trabalhará diversas

Leia mais

Unidade didática de Ginástica

Unidade didática de Ginástica Livro do Professor 5 Unidade didática de Ginástica Objetivos gerais da Ginástica Compor e realizar as destrezas elementares de solo, aparelhos e minitrampolim, em esquemas individuais e/ou de grupo, aplicando

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO CONVOCAÇÃO PARA PROVA DE APTIDÃO FÍSICA DO EDITAL N.º 001/2014 SAPeJUS, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2014 DETERMINACAO JUDICIAL

EDITAL DE CONVOCAÇÃO CONVOCAÇÃO PARA PROVA DE APTIDÃO FÍSICA DO EDITAL N.º 001/2014 SAPeJUS, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2014 DETERMINACAO JUDICIAL GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO (SEGPLAN) CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA

Leia mais

Projeto Mini Craque. Juventude Vidigalense

Projeto Mini Craque. Juventude Vidigalense Projeto Mini Craque Telefone: 244 833 799 Telemóveis: 912 727 166 ou 961 701 645 E-mail: geral@juventudevidigalense.org Prof. Nataniel Lopes: 913 091 989 E-mail: nataniel-lopes@juventudevidigalense.org

Leia mais

1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 01, DE 25 DE SETEMBRO DE 2015

1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 01, DE 25 DE SETEMBRO DE 2015 1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 01, DE 25 DE SETEMBRO DE 2015 A PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA, no uso de suas atribuições, torna pública a seguinte retificação ao Edital supracitado, cujas alterações estão

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS

EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS ICA 54-2 APLICAÇÃO DO TESTE DE AVALIAÇÃO DO CONDICIONAMENTO FÍSICO PARA EXAMES DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO DO COMANDO DA AERONÁUTICA

Leia mais

June 2015 Monstar Games Events

June 2015 Monstar Games Events June 2015 Monstar Games Events SEXTA-FEIRA (05/06) - SCALE Individual Evento # 1 4th Gear 4x for time: 80 Single-Unders 30 Kettlebell Swings (20/16 kg) 20 Squats Plates (20/10 kg) Time Cap: 12 Minutos

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado da Administração e da Previdência Departamento de Recursos Humanos EDITAL N 036/2015

ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado da Administração e da Previdência Departamento de Recursos Humanos EDITAL N 036/2015 EDITAL N 036/2015 A DIRETORA DO DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA - SEAP, no uso de suas atribuições, bem como nos termos do Decreto n o 7.116, de 28 de janeiro

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE CICLISMO JERNS 2014

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE CICLISMO JERNS 2014 GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO, DA EDUCAÇÃO E DA CULTURA COORDENADORIA DE DESPORTOS DESPORTO ESCOLAR CODESP REGULAMENTO ESPECÍFICO DE CICLISMO JERNS 2014 Art.1º- As competições

Leia mais

Relaxar a musculatura dos braços. Entrelace os dedos de ambas as mãos com suas palmas para cima e levante os braços por 10 segundos.

Relaxar a musculatura dos braços. Entrelace os dedos de ambas as mãos com suas palmas para cima e levante os braços por 10 segundos. por Christian Haensell A flexibilidade do corpo e das juntas é controlada por vários fatores: estrutura óssea, massa muscular, tendões, ligamentos, e patologias (deformações, artroses, artrites, acidentes,

Leia mais

O Dimensionamento do Centro de Produção

O Dimensionamento do Centro de Produção O Dimensionamento do Centro de Produção (posto de trabalho) ANTROPOMETRIA estudo e sistematização das medidas físicas do corpo humano. ANTROPOMETRIA ESTÁTICA - refere-se a medidas gerais de segmentos corporais,

Leia mais

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA!

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! SUA MOCHILA NÃO PODE PESAR MAIS QUE 10% DO SEU PESO CORPORAL. A influência de carregar a mochila com o material escolar nas costas, associado

Leia mais

CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO. pindiceconicidade.exe 19/08/2014

CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO. pindiceconicidade.exe 19/08/2014 CAPACIDADE AERÓBICA pindiceconicidade.exe CAPACIDADE DO ORGANISMO EM SE ADAPTAR A ESFORÇOS FÍSICOS MODERADOS, ENVOLVENDO A PARTICIPAÇÃO DOS GRANDES GRUPOS MUSCULARES, POR PERÍODOS DE TEMPO RELATIVAMENTE

Leia mais

Por Personal Trainer Rui Barros

Por Personal Trainer Rui Barros Por Personal Trainer Rui Barros 1ª Parte do ( 3ª Semana) Treino cardiovascular, que visa a queima de gorduras em excesso em todas as regiões do corpo. Esta semana como estamos em plena época de praia vamos

Leia mais

PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA QUEDISTA

PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA QUEDISTA PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA QUEDISTA Título: PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA-QUEDISTA Categoria/Assunto: ASSUNTO PROFISSIONAL DE INTERESSE MILITAR Autor: CAPITÃO DE

Leia mais

Por que devemos avaliar a força muscular?

Por que devemos avaliar a força muscular? Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com Docência Docência Personal Trainer Por que devemos avaliar a força muscular? Desequilíbrio Muscular;

Leia mais

Conselhos Úteis Para a Realização das Provas Físicas

Conselhos Úteis Para a Realização das Provas Físicas Conselhos Úteis Para a Realização das Provas Físicas A escolha destas provas teve, por finalidade, garantir que os alunos e futuros oficiais respondam satisfatoriamente a uma profissão que também é exigente

Leia mais

MEDIDAS DA FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR

MEDIDAS DA FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR MEDIDAS DA FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR Revisando conceitos... Músculo-esquelética Força Resistência Flexibilidade Motora Agilidade Equilíbrio Potência Velocidade Revisando conceitos... Isométricas (estática)

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO E CULTURA. Anexo a que se refere o item 23 do Bol G PM 4, de 8 de janeiro de 2015

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO E CULTURA. Anexo a que se refere o item 23 do Bol G PM 4, de 8 de janeiro de 2015 POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO E CULTURA Anexo a que se refere o item 23 do Bol G PM 4, de 8 de janeiro de 2015 ANEXO A DA PORTARIA DEC-56/12/14 - CCE/15 - CONCURSO INTERNO

Leia mais