Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 BATERIA R ECARREGÁVEL A LUMÍNIO COM ÂNOD O DE F rnnd Mnul Sus Alvs d Fnsc ( Licncid) Dissrtçã prsntd n Fculd Ciêncis Tcnlgi d Univrsid Nv Lisb pr btnçã d Gru E nrgis Rnvávis Cnvrsã U tilizçã Sustntávl. Mstr Eléct ric m O rintdr : P rfª Dutr G bril Almid C- rintdr: Prfª Dutr Anbl G nçlvs L ISBOA S tmbr d 2010

2 B ATERIA RECARREGÁVEL C OM ÃNODO DE ALUMÍNIO Ag rcimnts O trblh l brtóris d Univrsid p sss Nv xprimntl Dprtmnt Lisb. Em divrss árs, cujs prsntd Químic, cnsquênci, xpriêncis, nst Dissrtçã fi snvlvid ns d Fculd Ciêncis Tcnlgi, d tiv sugstõs prtunid pis, frm cntctr cm fundmntis pr rlizçã d prsnt trblh. A tds ls sj xprssr mu sincr p rfund rcnhcimnt: Dutr E m primir lugr, s M. Gbril M. minh Almid, plvrs minh grcimnt rintdr, vã qum pr grç Prfssr tds indicçõs d pnt vist cintífic, gstã d trblh d utnmi cnfinç cncdids v ltmtri bm cíclic cm, n cim xplicçã tud, ds métds sj lctrquímics xprssr grcr nális su cm s miz, cmprnsã qulids humns cm qu m tnu cmpnhu m mmnts difícis, c rrcçã, nmdmnt, n rspnsbilid, fs finl xigênci st trblh. prtinênci Cm Prfssr, mnstrds n dmir md su cm brdu s ssunts m bt n rvisã cuidds cm qu m cmpnhu nst D issrtçã. Dsj xprssr minh grtidã prfund pl su mpnh dicçã. Brit Sguidmnt qur xprssr mu grcimnts Prfssr Dutr Pdr Crri, n mdmnt, pl su prcis c lbrçã, pl prtunid fcultd n snvlvimnt st i nvstigçã, num ár fscinnt xtrmmnt imprtnt c m sã s btris, p l muit qu prndi p squis l brtril, p rticulrmnt, grç cmprnsã, smpr mnstrds n crrr st p rjct. A m spcil, Prfssr prci d vid à s u g rn xpriênci n p l su mprndrism D utr Jã Crls Lim, qur grcr prcis pi cncdid, su intlgênci rgut d p nsmnt mnstrd ns ssunts l ngmnt btids. Agrç tds s xplicçõs sbr lctrquímic btris bm cm s s ugstõs f cultds qund rlizçã ds trblhs xprimntis, _ i

3 cim miz tud, xprss m nisfstds. mu rcnhcimnt pl su pciênci, dispnibilid A Prfssr D utr Mári Vntim Nvs, pl pssibilid frquntr Mstrd d qul é Crndr, bm cm c nfinç crdilid psitds. pls As c nstnts Prfssr s P dr Prir Dvid Ináci d Dprtmnt Elctrtécnic, s ugstõs fcultds n ár d lctricid pl su dispnibilid mpnh ns pdids slicitds. Às P rfssrs T rs Luís, d L brtóri 407, pl pi smpr msntrd n lbrtrl, cim tud, À qustõs À Céli p l tnçã plvrs migs. Mris C. F. Silvir, d Lbrtóri 407, smpr pcint ns rspsts à s qu l h slicitv lém d su pi p rstd. D utr Ptríci M. pi miz mnstrds. A P. S us V iir, Químic-f ísic Inrgânic, pl su P rfssr Dutr A. Jrg Prl, d Grup Ftquímic, p l ntusism, b spsiçã quçã K pustinskii. jud, su nmdmnt, n cmprnsã picçã d A s D utrs A n Mrt Diniz, Y Ynn Lyt C rls Pinhir, d Lbrtóri 406, pls pis prstds m lbrtóri. A P rfssr Dutr f cultds, pl su pi mnstrd R ui Silv, d Dprmnt Mtriis, pls m nifstçã smpr cnstnt um b dispsiçã. A s T rnsprts Eng. d Cláudi Csimir, Ambint, d Dutr Cntr Jã s ugstõs n quisiçã mtriis, sbrtud, pl Sn, Estuds E ccritéri snhr Frnnd Crrir d Ecbt, pls b tris vículs léctrics. d m Ecnmi A utsil, E ng. infrmçõs d Pul Enrgi, Crir prstds ds d sbr i i

4 À Dutr An Prir, Crndr d B iblitc d c m qu rsrvu um gbint n Biblitc F CT/UNL, pl s u prntidã p r qu puss trblhr n Dissrtçã. À Dutr Mri d Rsári Durt, d S rviç Frmçã Utilizdrs d B iblitc d FCT/ UNL, pl prcis pi mnstrd m c nsguir s rtigs q u lh f ui slicitnd, s quis, utr frm, srim impssívis btr, sbrtud pl miz. lng À d À Engª M strd. snhr M rt Olivir pl miz, jud incntivs smpr mnifstds M ri d ispnibilid, s mpr mnstrds, lng st t rblh. g rn Jsé, d s crtri d Dprtmnt Químic, pl su s impti nmdmnt, ns tlfnms fctuds À s nhr H ln Ináci, d s crtári d Dprtmnt Elctrtécnic, pl su pi cmprnsã mnstrds rlccin ds cm rgânic d Mstrd. Às mnstrd s s nhrs P lminh Mrt, qund n rsluçã lgums qustõs d L brtóri 528, p l pi cnfinç trblh l brtril, nmdmnt, m cnsguir smpr s mtrii s lbrtóri n cssáris à rlizçã ds xpriêncis. Físic, p ciênci. A s nhr Jsé Msquit, d Lbrtóri Prjcts Estágis, Dprtmnt p l mpréstim quipmnts mdiçã. Agrç su cnfinç As D prtmnt snhrs Físic, Fustin q u Ed urd Jbling, d s Srviçs Técnics Oficis, prntmnt f cultrm s instlçõs pi n xcuçã trblhs rlccinds cm s léctrds. s d ispus rm n A s nhr Jsé Luís, vidrir, qu s impticmnt cu pdid pr r lizçã trblhs m vidr. i ii

5 M ári B ATERIA RECARREGÁVEL C OM ÂNODO DE ALUMÍNIO A s clgs d F culd Ciênci Tcnlgi d Dprtmnt químic, Tixir, Sóni Jrg Ricrd Snts xprimntl. À m nifstd minh fmíli, sj xprssr p ls mu d ics viv f cultds rcnhcimnt s primir mmnt m qu cidi invstir s últims n iníci d trblh pl d is incntiv ns nst M strd, m qu m rm pi humn, indispnsávl pr cmpltr mis st tp d minh vid. Si qu nm smpr fi fácil cnfrmrm- s cm prnt u sênci qu frm vtds. À A lic, grç su sim, prntmnt xprss s iníci, m cisã brçr st M strd. Agrç ssnciis sntiu pr ultrpssr s mu fstmnt qu fi mmnts v td. mis su difícis. pciênci Si qu fi incntiv cm q u qu dificuld tmi frm qu A tds um bm- h jm! F rnnd Mnul d Fnsc Lisb, 2010 i v

6 R sum O lumíni pssui um lvd nrgi inizçã, 60 V. Até à dt, psr trm sid snvlvids sfrçs n sntid snvlvr btris rcrrgávis ând lumíni, pns xistm btris ând lumíni, nã rcrrgávis. D pis scrrgds, s ã scrtds um vz qu pssibilid s rcrrgr é i mpdid pl Al- O muit frt. O bjctiv frmçã st óxids lumíni m uit stávis vid à ligçã cvlnt trblh é tstr lctrólits nã quss qu rduzm c nsirvlmnt nrgi livr Gibbs slvtçã d lumíni, prmitind trnr s btris primáris A d pn quntid lumíni m scundáris. nrgi qu s p rmznr num célul lctrquímic d nrgi inizçã d mtl isld d nrgi slvtçã d iã. O ptncil pdrã rduçã d lumíni, trmind m lctrólits quss (- 1,66 V), tm um cntribuiçã d nrgi slvtçã d iã muit mir qu inizçã, s nd, p r iss, n cssári um quntid nrgi nrm xigéni- lumíni vid à nrgi slvtçã st ligçã. n ã pr qubrr ligçã N prsnt trblh frm tstds váris sistms léctrds lctrólits quss. O sistm léctrd/lctrólit cm mlhrs rsultds btids fi lctrólit ttrflurbrt lumíni [Al(BF4) 3 /ctnitril [CH CN], cm (ând cátd) grfit, ficnd mnstrd ] 3 frm inquívc sr léctrds pssívl rcrrgr st sistm. Vrificu-s tmbém qu, pós prcss crrgmnt s tingirm tnsõs n rm 3-4 Vlt. N ntnt, bsrvu- s qu pis d prcss crg, tnsã nã s mntv stávl lng d tmp, bsrvnd- s um fnómn utscrg, c nsmm crg d célul. prvvlmnt vid rcçõs cncrrnts qu Cm snvlvimnts futurs prpõ- s s lvnt/lctrólit/sl lumíni pr frm btr prfiçmnt sistms um tnsã lvd stávl. v

7 Ab strct A luminium hs high iniztin nrgy but 60 V. U ntil nwdys, nd spit ffrts in rr t vlp scndry luminium bttris nly luminium primry nn- rchrgbl - ns xist. Aftr dischrgd thy r discrd, r chrging is strng Al-O cvlnt bnd. Th substntilly prvntd by th frmtin f luminium xi s v ry s inc th stbl pssibility d u f t vry purps f this study is t tst nn- quus lctrlyts tht rduc th luminium luminium bttris in scndry. T h slvtin Gibbs fr nrgy, llwing turning primry munt f nrgy tht cn b strd in n lctrchmicl cll pnds n th iniztin n rgy f th isltd mtl nd nrgy f in slvtin. Th stndrd rductin ptntil f luminium trmind in quus lctrlyts ( V), hs cntributin t th trms f slvtin f ins much lrgr thn th trms f iniztin, s it tks lrg munt f nrgy t brk luminium- xygn bnd du t th s lvtin nrgy In this f this cnnctin. wrk w tstd vrius lctr systms nd nn- quus lctrlyts. Th syst m lctr/lctrlyt with bttr rsults ws th [ Al(BF4) 3 ]/ctnitril [ H unquivclly C 3 C N], with l ctrs ( n nd cth) f luminium ttrflur brt mnstrtd t b pssibl t rchrg t his systm. Aftr g rphit, bing th chrging p rcss, n pprximt 3-4 Vlt v ltg ws rchd. Hwvr, it ws bsrvd tht ftr this chrging prcss, tnsin did nt rmin stbl vr tim, nd slf- dischrg p hnmnn ccurrd, prbbly du t cmpting rctins tht cnsum th cll chrg. A s futur vlpmnts it is prpsd t imprv / lctrlyt/l uminium slt in rr t btin high nd stbl vltg. th systms slvnt v i

8 P lvrs chv A lumíni B tris rcrrgávis E l ctrólits/slvnts nã quss En rgi slvtçã K y Wrds A luminium R chrgbl bttris Nn- quus lctrlyt/slvnts S lvtin nrgy. v ii

9 S ímbls, Acrónims Abrviturs U SABC U nitd Stts Advncd Bttry Cnsrtium U SCAR U nitd Stts Cuncil fr Autmtiv Rsrch m g/kg M iligrms pr quilgrm g /ml G rm p r ml 0 C Grus C lsius V 3 g/cm K V lt G rms pr cntímtr cúbic G rus Klvin p m P icómtr ( quivl 0 k J/ml Q uil Jul pr ml 1-12 m ) H v H f G f E ntlpi Vprizçã E ntlpi Frmçã E nrgi livr Gibbs A l s) ( A lumíni n std sólid A l g) ( A lumíni n std gss 3 ( g) I A l + ã lumíni n std gss 3 Ah/cm Ampr- hr pr c ntímtr cúbic A h/g Ampr- hr pr g rm V E lctrã Vlt G G G inizç ã Enrgi livr Gibbs iniz s ublimçã Enrgi livr s lvtçã nrgi Livr Gibbs v iii ç ã G ibbs Sublimçã E d Slvtçã

10 E A l/al3+ P tncil xidçã pdrã d lumíni n F E 0 Cl N úmr mls C nstnt F rdy ( quivl C ml) P tncil pdrã tóric d célul E c l P tncil d célul R T O xi C nstnt Univrsl ds Gss Prfits ( qui. 8,314 J/ml K) T mprtur O xidçã R d R duçã S /cm S imns pr cntímtr 0 E Cátd 0 E ând A h A W h M H - C g P tncil Pdrã d cátd Ptncil Pdrã Ampr-h r A mpr Wtt-h r M tl hidrt E lctrã C rbn Grfit d ând P C C rbnt prpiln E C C rbnt tiln D MC Crbnt dimt il A h/kg Ampr- hr pr q uilgrm W h/kg Wtt- hr p r quilgrm S OFAL S pcil O prtins Frcs Aluminum Air i x

11 U UV U nmnnd Unrwtr Vhicl M CI M tr cmbustã intrn VEs V ículs léctrics S.H.E. S tndrd hydrgn lctr 2 ma/cm M ilimpr pr cntímtr qudrd T MA T trmtil Clrt Amóni B upycl n-butil-clrt- p iridíni M EICI 1-mtil-3-clrt- tilimidzóli D MPIC 2-dimtil-3-clrt-p rpilimidzóli D MTC 1, 4-dimtil-1,2, 4- c lrt trizóli DMSO2 D i mtilsulfn T MPAC Cl rt trimtifnilmóni 2 A/dm A mpr pr címtr qudrd k Wh/kg Quil Wtt-h r pr quilgrm F RX E spctrmtri Flurscênci Ris X m Ah/g Milimpr-h r pr grm ml M ililitrs G PES G nrl Purps Elctrchmicl Systm V c V ltg Opn Circuit h m Ω H r M inut O hm b mim 1-butil-3- m tilimidzóli x

12 Ín dic Grl Ag rcimnts i R sum v Ab strct v i P lvrs chv / K y Wrds v ii A brviturs v iii Í ndic Grl x i Ín dic Figurs x iii Ín dic Tbls x v CAPÍTULO I - I NTRODUÇÃO TEÓRICA 1 1. A RMAZENAMENTO DE EN ERGIA Cn sirçõs Gris Prprids d Alumíni Btris Dfiniçõs Tip Btris Btris Ni-M H Btris Iõs Líti Btris Ând Alumíni Btris nã Rcrrgávis Alumíni Btris Rcrrgávis Alumíni Dscriçã d Sistm Prpst 27 CAPÍTULO II - P ARTE EXPERIMENTAL MA TERIAIS Eléctrds Rgnts MÉ TODOS Prprçã d lctrólit sl lumín Al(BF4) Mntgm d célul lctrquímic cndiçõs prçã Estuds Crg/Dscrg Anális ds mstrs pr F lurscênci Ris X 36 x i

13 CAPÍTULO III - RESULTADOS E DISCUSSÃ O S ISTEMA DE T ETRAFLUORBORATO DE A LUMÍNIO EM D IETIL É TER DO E TILENO GL ICOL E lctrpsiçã Alumíni F nómn Autscrg d Célul Elctrquímic S ISTEMA DE T ETRAFLUORBORATO DE A LUMÍNIO EM AC ETONITRILO Cmprtmnt d célul n prsnç um rsistênci léctric xtrn 51 CAPÍTULO IV - C ONCLUSÕES 53 CAPÍTULO V - P ERSPECTIVAS FUTURAS 56 B IBLIOGRAFIA 59 A NEXOS 67 A N EXO I. CRONOGRAMA E TABELA DE CUSTOS 68 C rngrm 68 T bl custs. 69 A NEXO I I F ICHAS DE S EGURANÇA DOS R EAGENTES UT ILIZADOS 70 x ii

14 Í ndic Figurs F igur 1 - S istms rmznmnt sgund gstã nrgi 3 q ulid ptênci. F igur 2 - P rcsss ltrquímics um btri Ni-M H. 12 F igur 3 - P rcsss ltrquímics u m btri iã d líti. 14 F igur 4 - P rincípi funcinmnt ds btris lumíni r. 17 F igur 5 - Prcss lctrquímic n célul-c rg 28 F igur 6 - Prcss lctrquímic n célul-d scrg 28 F igur 7.- E léctrds grfit cm ligçõs m cbr r spctivs subs. 35 F igur 8. - C mprtimnt d célul cm s rspctivs léctrds lctrólit. 35 Figur 9 - D pósit n léctrd grfit, pós crg, cm crrgdr b tris. 39 Figur 10 - Espctr F lurscênci Ris X d léctrd grfit usd c m cátd n qul s psitu nditrs lumíni, pós crg. 40 F igur 11 ( ) Curv c rg pr um tmp crrgmnt 22 hrs um tnsã crg 9 V. A crg cumuld fi 709 C ulmb. 41 F igur 11 (b) - Curv d scrg, m qu s btv um tnsã m circuit 41 brt 2,74 V. x iii

15 F igur 13 - Espctr F lurscênci Ris X d léctrd grfit usd cm cátd, n qul s vrificu prsnç lumíni, cm 0,197 cntgns d Al, quivlnt 100% m ps Al, pós prcss crg. 43 F igur 14 - Espctr F lurscênci Ris X d lctrólit usd, n qul s vrificu prsnç lumíni, cm 631 cntgns Al, quivlnt 32% m ps Al. 44 F igur 15 - C urv crg t ípic u m tnsã crg 4 V. pr um tmp crrgmnt 2 hrs 46 F igur 16 - Curv scrg r gistd lng d tmp, c m um tnsã 47 btid 3,1 V, m circuit brt. F igur 17 - E squm léctric d prcss scrg cm rsistênci vriávl. 51 F igur 18 - M ntgm d xpriênci scrg cm rsistênci xtrn v riávl à dirit. 51 F igur 19 C mprtmnt d curv scrg d célul lng d tmp, q und st stá ligd um rsistênci xtrn vriávl. 52 x iv

16 Í ndic Tbls Tbl 1- Crctrístics d A l umíni. 5 Tbl 2- B tris lumíni nã rcrrgávis. 16 Tbl 3- Equçõs químics tnsã prduzid um btri lumíni- r. 17 T bl 4 - C rctrístics ds rgnts. 33 T bl 5 - Smi-r cçõs rcçõs glbis. 34 T bl 6 T mps rduçã 50 % d tnsã btid pós prcss c rg tnsã finl rgistd, cm lctrólit cmpsiçã C4H 10 O.HBF4/ C 6 H 14 O 2 / Al/ N ( C4H 9 ) 4. BF4 léctrds grfit cm ând c átd. 42 Tbl 7 - Tnsã inicil btid pós crrgmnt pós tmp rduçã 50% cm lctrólit cmpsiçã: C 4 H 10 O.HBF4/ CH 3 CN/ Al/ N ( C4H 9 ) 4. BF4 léctrds grfit cm ând cátd. 49 x v

17 B ATERIA RECARREGÁVEL C OM ÃNODO DE ALUMÍNIO C pítul I I NTRODUÇÃO TEÓR ICA _ 1

18 1. Armznmnt Enrgi 1. 1 Cnsirçõs G ris s r fnts Actulmnt, qulqur frm nrgi bsd m cmbustívis fóssis, vrá prgrssivmnt bndnd, qu trn i mprtiv incntivr invstigçã m nrgi ltrntivs, mis limps 2 rnvávis, q u prmvm Dsnvlvimnt Sustntd. Pr st mtiv, cumulçã nrgi léctric trnu- -s um ssunt d mir imprtânci rsrv nrgi pr d D um ctulid, n m did m qu prmit um s tisfzr prcur c urt, médi l ng prz. fct, s tcnlgis rmznmnt sã clssificds crd cm tip nrgi tmp finir d r spst ncssári pr su prçã. É pr iss, cnvnint d ispnibilid rmznmnt m trms d tmp qu cpcid nrgi nminl p cbrir crg à ptênci nminl. Nst sntid, cpcid rmznmnt nrgi p sr clssificd m trms ds n cssids nsid ( médi lng prz) u m trms xigêncis nsid ptênci ( curt muit curt prz). C m xmpls ncssids nrgi médi lng prz sã r mznmnt nrgi s lr u ólic; r mznmnt nrgi pr prduzir hidrgéni prtir fnts rnvávis p tênci, cm s ã b mbgm águ às xigêncis nrgi d u s s sistms s istms rmznmnt grn r cmprimid. N qu rspit c urt muit curt prz, s xmpls pm sr p r c mpnsçã d qud tnsã; p r s uprssã d prturbçõs (sistms pi b ckup ); p r mnutnçã sistms tlcmunicçõs cmputdrs f uncinmnt, p r sgurnç bss dds lctrónics; sr v tmbém pr m lisr défic d nrgi rnvávl ligd prvitmnt nrgis d vnt slr; diminuir s ncssids iniciis grdrs pi quipmnts qu funcinm cmbustívis fóssis; s rv c m rgnrçã mtrs léctrics p r v ículs léctrics [ 1,2]. ctgris plicçã N F igur 1 sã prsntds s tcnlgis rmznmnt, rprsntds m sgund qulid ptênci gstã nrgi. m E sts inclum btris

19 ácid-c humb (já há muit xistnts), btris vnçds ( x. níqul-h idrt mtálic iõs líti), vlnts inérci ( F lywhls) bix lt nrgi, ultr- cnnsdrs, sistms rmznmnt nrgi S uprcnducting M gntic Enrgy Strg), gtérmic E nrgy Strg). mgnétic sistms pr supr cndutrs ( SMES - térmics, bmbgm, nrgi rmznmnt nrgi m r cmprimid ( CAES - ( Cmprssd Air F igur 1 - S i stms rmznmnt sgund g stã nrgi qulid ptênci. A dptd [1] N prsnt dissrtçã, s luçã rmznmnt nrgi qu intrss nlisr, s ã s btris. E sts s ã cumulçã nrgi n sntid um ds frms mis intrssnts d dispnibilizr snvlvimnt d mbilid utmóvl m is sustntávl, limp isnt missõs 3 limp f zr ficintm nt ( 90% ), s brtud, s frm rcrrgávis pis, srm rutilizds, trnm- s mis vntjss d pnt vist cnómic mbintl. D fct, i ntrncinl, tm- s nrgétic mis ssistid cmptívl cm u m um mudnç snvlvimnt n s prdigm futur últims ns, ssnt n um sustntd. nívl ml Tm-s v rificd p rlifrçã snvlvimnt fnts nrgis rnvávis bm cm,

20 d mnóxid crbn (CO), qu fctm qulid d r crbn (CO2), um ds gss d fit stuf crrlccinds i snt cm s dióxid ltrçõs c limátics. Slint-s qu mbilid utmóvl pr pulsã léctric prsnt um r ndimnt nrgétic g lbl n rm ds 80 %, crc três vzs suprir r ndimnt d mlhr tcnlgi cmbustã (25 30 %), fct st qu s rflct n d istânci cnsguint, prfiçmnt prcrrid pr unid nrgi cnsumid u m ds mir s tcnlgis d nvs btris rcrrgávis. Cm sfis nfrntds ssnt n n rduçã CO 2 [3-5]. Pr d snvlvimnt rmznmnt nrgi léctric, n mdmnt, fit, bsrv- s i ntrncinis pr ár d nrgi vã nss sntid. qu Entr s d irctivs plítics sts, stcm-s s crds snvlvids ntr Dprtmnt Enrgi ds Estds Unids d Améric, U nitd Stts Advncd Bttry Cnsrtium ( USABC) Unitd Stts Cuncil fr A utmtiv Rsrch ( USCAR), s Lbrtóris Argnn s indústris btris cm J hnsn Cntrls A 123 Systms [6-12 ]. prduçã A invstigçã snvlvimnt b sd ssncilmnt m trn d líti m triis m nvs btris rcrrgávis d s sus vrints, n s tm- s mprgm cm titâni vnádi m nvs c mbinçõs fsftds [ 13-15], bm cm n snvlvimnt nvs grçõs btris líti- r [ 16-18]. C ntud, líti é um m tl rr scss, ncntrnd-s m quntids significtivs smnt m dis lcis r mts d Trr (Ans Tibt), m qu s cssitms sã f rágis n é pribid xplrçã. Pr utr ld, p rduçã nul st mtl crsc ritm crc 25%, nmdmnt pr s tc), prvnd- s tingir suficint plicçõs su pic lctrónics prduçã prtátis (tlmóvis cmputdrs, pr vlt 2015, snd pns pr frncr crc 10% ds ncssids glbis d in dústri utmóvl [ 19]. Pr cnsguint, xist ltrntivs. u m ncssid p rsnt invstigr n vs mtriis btris O bjctiv st trblh, cnsist pis, m snvlvr um nv grçã rcrrgávis, bsds m mtriis 4 mns xplrds ptncil cumulçã nrgétic. Nst sntid prtn- s usr ând, ms cm lumíni já qu st mtl é cpz grr gr ns qu ntids nrgi léctric. lvd cm

21 1.2 Prprids d Alumíni O lumíni ( Al) prsnt c rctrístics muit trctivs pr cnstruçã b tris pis, é um ds spécis químics mis bundnts ( 3º ) n crst trrstr; su c ust é r ltivmnt bix; tm u m lt cpcid rmznmnt nrgi pr u nid ps é mbintlmnt um ds mtriis mis sustntávis. E st mtl númr tómic 13, é sgund lmnt d príd I II A ( Grup 13), blc p d Tbl Priódic. A T bl 1 prsnt s principis prprids f ísics químics d Al, ntr utrs. Tbl 1-C rctrístics d A l umíni A bundânci n crust Trrstr ( mg/kg) ( 8, 23% ) Estrutur Cristl in C ubic fc cntrd M ss Ató mic ( g/ ml) 26, 98 P tncil Pdrã 298,15 (25 0 C) ( V) - 1, 66 E lctrõs Vlênci 3 D nsid (g/cm 3 ) 2, 7 P nt Fusã ( K) 933,47 (660, 32 C) P nt Ebuliçã ( K) 2792 K (2519 C) R i Atómic ( pm) 143 R i Iónic ( pm) 53 (6) E nrgis Inizçã ( G i ) (k J /ml) G 1 G 2 G 3 Entlpi (clr) Vprizçã ( H v ) ( kj/ml) Entlpi Frmçã H f ) ( kj/ml) Enrgi livr Gibbs G f ) ( kj/ml) A dptd d [ 8, ]. A l s) A l l) 1 577, , , 8 ( 0 ( 10,56 A l g) A l + ( 326, 4 3 ( g ) 5483,17 A l s) A l l) ( 0 ( 7, 2 A l g) A l + ( 285, 7 3 ( g ) - E lctrngtivid (Puling) 1,61 E lctrpsitivid (Puling) 2,39 1 O númr ntr prêntsis é númr crnçã d iã l 5 A 3 +.

22 D pnt 3 vist B ATERIA RECARREGÁVEL C OM ÂNODO DE ALUMÍNIO d c pcid nrgétic 8,1 Ah/cm, m cmprçã cm 2,06 Ah/cm ( mgnési). Q unt à c pcid grvimétric, é A h/g (líti), 2,20 Ah/g (mgnési) 0,82 Ah/g (zinc) [8]. v lênci iõs lctrã L ivr G ibbs Su blimçã) ; 6 3, p ssui um c pcid vlumétric d (líti), 5,85 Ah/cm 3 (zinc) 3,83 Ah/cm 2,98 Ah/g, m cmprçã cm 3,86 A lvd nsid nrgétic v- s fct prsntr três lctrõs pr um ri iónic r ltivmnt mnvlnts, cm é cs d L i + p qun. d N +, D fct, qund cmprd cm nrgi ncssári pr rtirr um d átm isld n fs gss é, t ipicmnt, 5 V, nqunt qu num iã bivlnt (xmpls d Pb, Cd , Ni 2 ) s ã ncssáris crc 25 V dicinis xtrir sgund lctrã. N cs um iã trivlnt, cm lumíni (Al n cssáris lumíni m is c. 35 V, p r i nizr trcir 3+ ), 3 pr sã lctrã. E st fct f z cm qu tnh um nrgi inizçã b stnt lvd, d crc d 60 V. Est prximdmnt lctrã s 12 vzs suprir d líti qu, cm rfrid, pssui vlênc i ( qul crrspn um nrgi inizçã 5 V). céluls lctrquímics nrgi d d q u s C ntud líti, st b sds ând líti. D st v lr pns é 1 md, n ând lumíni, p rã rmznr muit mis, mbr nrgi inizçã d lumíni sj mis fvrávl d qu últim m tl pssui um p tncil pdrã rduçã [ i E 0 3, 05V m is fvrávl qu d lumíni [ l 3+ 3 l Est A q + L ( q) A s s ituçã r sult d lvd nrgi slvtçã d lumíni m L i (s),, E 0 1, 66V. lctrólits quss, pis nrgi rmznd num célul ând lumíni nã só pn d p tncil s lvtçã d iã. A r duçã nrgi inizçã d mtl isld, ms pn, fundmntlmnt, d nrgi rlçã ntr nrgi inizçã d mtl n ã é linr slvtçã ms nts, s m d iã Al 3+ sl A l g) i sld ( ptncil pdrã lgébric ntr nrgi inizçã d mtl pis inizd. I st signific p rcss, stã nvlvids t rês f rms nrgi d istints, nmdmnt: i) q u, m td nrgi sublimçã ncssári pr rtirr átm d r cristlin mtálic sscid, prtnt, à pssgm Al s Al g signd pr G s ublimçã (E nrgi

23 i i) nrgi inizçã B ATERIA RECARREGÁVEL C OM ÂNODO DE ALUMÍNIO d lumíni cm átm isld, signd pr G iniz ç ã, qu é sm ds três nrgis inizçã ( G 1 + G 2 + G 3 ) sscids à pssgm d Al g Al 3+ g ; iii) nrgi slvtçã d iã lumíni n nv lctrólit, sscid à pssgm Al 3+ g l 3+, d signd pr Gs lvtçã (E nrgi L ivr G ibbs d Slvtçã) A sl A ssim, s m lgébric d s 3 prcls p sr scrit p l quçã sguint: G iniz ã ç + G Su blimçã - G S lvtçã = -nfe A l/al3+ (I) m qu E Al/Al3+ é ptncil xidçã pdrã d lumíni, m V lt. Imprt ssim qu, m td sistm, trm slvtçã sj mnr p ssívl, prqu mir srá ptncil pdrã rduçã ( m vlr bslut), u sj, mir s rá qunt P rtnt, st cnsirvlmnt i d nrgi qu s cnsguirá rmznr n p rjct vis tstr nrgi livr lctrólits (nã u m c élul lumíni. quss) G ibbs d slvtçã ( Gs lvtçã) f rm trnr s btris n ã rcrrgávis lumíni m r crrgávis. d qu rduzm lumíni, pr 7

24 1.3 B tris D finiçõs Um btri prmit cumulr nrgi, cnsrvá-l rstituí- l mis tr, trvés rcçõs lctrquímics nrgi químic ds d xidçã-r duçã. Esss rcçõs prmitm cnvrtr gnts ctivs (grlmnt mtis) ssim, um fnt utónm lctricid. m nrgi léctric. Rprsnt É c nstituid pr um cnjunt céluls lctrquímics ( unids básics), cd u m, c nsist m pl mns três (às vzs qutr) cmpnnts: 1. Um ând - trminl ngtiv n s dá rduçã. Frnc lctrõs pr circuit léctric xtrn é xidd durnt rcçã lctrquímic scrg. Em grl é u m mt l u um lig. Altrntivmnt, nódic i õs mtálics; p utilizr-s hidrgéni. O prcss é signd pr xidçã d m tl, gnt rduçã pr frmr/prduzir 2. U m cátd - trminl psitiv, é léctrd xidnt. Acit lctrõs prtir d c ircuit xtrn é rduzid durnt rcçã lctrquímic scrg. Grlmnt é cnstituíd pr um óxid mtálic, pnd sr usd igulmnt xigéni. prcss ctódic é signd pr rduçã d gnt xidnt (óxid) pr ixr m tl; O 3. O lctrólit (cndutr iónic) prvinci mi n qul s fctu trnsfrênci crg sb frm iõs n intrir d célul, ntr ând cátd. O lctrólit é t ipicmnt um slvnt cnstituíd pr 8 c mpsts químics disslvids prmvm cndutivid iónic. Dv sr nã-c ndutr lctrõs pr vitr utscrg d célul. Rfir-s qu qu s iõs mtálics sã átms crg psitiv ( c tiõs), prtnt, sm lctrõs incrprds. Os niõs (iõs ngtivs), tmbém nã pssum lctrõs durnt scrg mvm-s, trvés d lctrólit, pr c átd. O lctrólit v prsntr um b cndutivid iónic (> C ) pr minimizr rsistênci intrn; v sr prcinl -3 S /cm num ntr - mpl j nl d tnsã (0 5 V), v s r t rmicmnt stávl ( té 70 0 C ), pr fim, v s r cmptívl cm s utrs cmpnnts d célul.

25 4. O sprdr u mmbrn qu isl lctricmnt s léctrds psitiv n gtiv ( fculttiv). O su smpnh pn, ssim, ds prcsss físics químics intr- r lccinds, crg scrg, ntr s léctrds s lctrólits [ 6]. O prcss scrg é smpr u m prcss spntân c rrgd, m qu há um xcss lctrõ s n ând, n gtivmnt um défic d s msms n cátd, ficnd dá- s pós btri f icnd r sultnd num difrnç ptncil, E c l, ntr s póls d c élul [ 25]. p sitiv A d ifrnç p tncil, m V lt, é ngtiv um t nsã tóric lctrizd lctricmnt psitiv, btid ntr s trminis c élul. É signd t mbém pr frç lctrmtriz trmind pls vlrs ptênciis d léctrd E Cát d E Â d sgund sguint quçã: n é E c l E Cátd E Ân d ( I I) A tnsã rl srá smpr mnr qu tnsã tóric vid à plrizçã q uds d rsistênci intrn c rg, d cinétic d léct rd, d tmprtur ntrir vrá sr: 3 2 ( η ) à s ( IR) ( qud O hmic) d c élul q u pnm d crrnt d std crg. P l qu quçã E c l E Cátd E Ând IR η ( I II) 2 Plrizçã: é ltrçã d ptncil um léctrd prtir d su ptncil quilíbri sb plicçã um crrnt. Está rlcind cm fnómns irrvrsívis ns léctrds (plrizçã d léctrd) u n fs lctrlitic (plrizçã cncntrçã). A plrizçã pn d tmnh, frm cmpsiçã ds léctrds, d sluçã lctrlític, d tmprtur, d quntid crrnt d std físic ds spécis nvlvids n rcçã d célul. Nrmlmnt prc vid um rápid u p rlngd scrg d célul. 3 Rsistênci Intrn: é rsistênci flux crrnt cntinu n intrir um célul, qu cus um qud n tnsã circuit fchd, prprcinl à crrnt frncid pl célul. D rfrir qu r sistênci intrn um célul crrgd é bix, ms crsc cm scrrgmnt qucimnt d msm. Assim, cm id d célul, tnsã tn diminuir prgrssivmnt nqunt qu r sistênci intrn tn umntr. 9

26 imprtnts B ATERIA RECARREGÁVEL C OM ÂNODO DE ALUMÍNIO Q unt à c rctrizç ã um btri, é ncssári tnr lguns prâmtrs pr nmdmnt [26, 27] : ( m Ampr) cmprnr q ur s u funcinmnt, q ur su rndimnt, - Cpcid, m Ah ( u Culmb) xprim intnsid máxim crrnt qu tricmnt um P r xmpl, um btri d c élul cpz 100 é d frncr durnt um hr. Ah cm um tx c pcid 100 Am pr d urnt 1 hr. A msm btri c m 0,5C, frnc 50 Am pr d urnt 2 h rs; scrg u 4 1C tm u m tx scrg - Enrgi Es pcific, m Wh ttl nrgi qu btri p frncr pr u nid mss, pr um trmind tx scrg; - Dnsid En rgétic, m Wh - ttl nrgi qu btri p frncr pr u nid vlum pr um trmind tx scrg; - Cicl Vi d númr vzs qu btri p str scrrgd crrgd durnt su vid útil. D rfrir qu qund um btri nã cnsguir prsntr um crg suprir 80 % d crg nminl, cnsir- s qu su cicl v id stá trmind. E ntr s principis rquisits qu s btris vm pssuir, slintm-s [6,8]: ci cl vid q u s prtn l ng, d bix mnutnçã d bix c ust smpnh ( intrss céluls cm lvds tnsã d nsid nrgétic). As btris vm ind sr prcinlmnt sgurs d bix txicid. 4 Tx scrg u, m Inglês, C-r t, signific igulmnt cpcid m Ampr qu um célul p frncr pr hr. É tx crrnt crg u scrg um célul é numricmnt um f rcçã u um múltipl d cpcid um célul xprss m Ah. 10

27 1.3.2.Tip Btris A s b tris divim-s m us d c tgris: s primáris ( nã rcrrgávis) s s cundáris ( u rcrrgávis). rcçã A s btris p rimáris sã quls qu prduzm lctricid lctrquímic i rrvrsívl, qu implic à cust um s u inutilizçã pós pr çã. As b tris primáris sã d tip lclin, crbn-zinc, líti, zinc-r, lumíni- r ntr utrs. limntçã p A s btris scundáris ( rcrrgávis) p m sr rcrrgds pr um fnt sr xtrn nt s prduzirm l ctricid, u sj, um btri scundári crrg d scrrgd váris vzs. C nsnt cmpsiçã químic, p ms ncntrr difrnts tips d sts btris: chumb- á cid ( rprsntm crc d 60 % ds utilizds btri vndids m td vid s sus impcts mbintis) níqul- hidrt mtálic ( Ni-M H ) s iã líti (Li- i ã). útlims, Cm xmpl, prsntm- s m uit utilizds d mund), níqul-c ádmi ( cd vz mns, s ctulmnt mis difundids, s sguid s princípis funcinmnt sts m pquns quipmnts lctrónics prtátis, cm sjm s tlmóvis s cmputdrs, ms tmbém m utrs plicçõs léctrics cm s jm s vículs híbrids léctrics Btris Ni-M H ó xid A btri Ni-MH é cmpst pr dis léct rds : u m N iooh ( hidróxid n íqul) utr cmpst pr um l ig mtálic qu rmzn hidrgén i (M). A mbs stã imrss n um lc rólit KOH/ H O (hidróxid ptássi disslvid m á gu) [ 25-30]. t 2 11

28 A F i gur 2 mstr s prcsss ltrquímics q u crrm num btri Ni- M H. ( ) B tri Crrgd ( b) Btri Dscrrgr ( c) B tri Dscrrgd ( d) Btri Rcrrgr Figur 2 - Prcsss ltrquímics um btri Ni-M H. A dptd d [ 31] Qund btri stá crrgd, (fig. 2), léctrd psitiv níqul ncntr- s n frm β- NiOOH, nqunt léctrd ngtiv lig mtálic stá n frm M H ( hidrt mtálic). N prcss scrg, (fig.2b), léctrd lig mtálic pr iõs H + léctrd níqul rcb iõs H +. Assim, qund btri stá d scrrgd, ( fig.2c), léctrd psitiv níqul ncntr- s 12 s b f rm β- i(oh), nqunt N 2 léctrd ngtiv lig mtálic prsnt-s sm prsnç hidrgé ni (M). N prcss n vmnt H + rcrg, (fig.2d), n, trnsfrmnd-s prcsss p r u v i d D sj, léctrd níqul f rm β- N iooh,, prllmnt, léc nvmnt m pr i õs H + trnsfrmnd- s trd lig mtálic rcb ( MH). Prtnt, m mbs s léctrds i õs prd d i õs H +, b m cm, prcss g nh d sts iõs, prcss-s intrclçã i ónic n strutur cristlin ds mtriis. slintr qu st tip btri prsnt um lvd gru ut- scrg, btri scrrg-s spntnmnt. Ist s ignific qu s s i õs H + s intrclm d léctrd MH migrm pr léctrd níqul sm ncssid curt- c ircuitr s sus pó ls. Pr últim, st tip btri prsnt u m ptncil célul 1,2 V.

29 Btris I õs Lí ti B ATERIA RECARREGÁVEL C OM ÂNODO DE ALUMÍNIO Tl cm btri Ni- MH, prsnt fnómn +. i ntrclçã ión btri i õs líti é um dispsitiv qu ic, cm difrnç d qu i ã i ntrclnt é líti (Li ) E st fnómn é scrit pl difusã ds iõs líti (Li ) trvés d cristlin sintrcl + r tnt d cátd cm d ând, cm difrnç qu qund intrcl n um, n utr, vic-vrs. A intrclçã um iã Li + num léctrd rqur, brigtrimnt, pr mntr nutrl id, intrclçã um lctrã. O léctrd q u rcb iã intrclnt, cnsquntmnt, um lctrã, é rduzid, nqunt qu léc trd qu c iã intrclnt, cnsqunt mnt, um lctrã, é xidd. riginlmnt m vimnt iõs Dvid mvimnt iónic, r intrclr, r sintrclr, st btri rcbu sã nm r cking c hir (prllism um cir nimd rttiv u blnç, m qu durnt prcss crg scrg, s trnsprtds ntr ând cátd, stnd nls intrclds d sintrclds). É st mvimnt iónic qu pssibilit um btri iã líti frncr nrgi c mputdr) [ 32-34]. Est léc t ric pr um d trmind quipmnt (pr xmpl, btri é signd pr iã líti prqu gnt rspnsávl pl xidçã ( d dr léctrõs) p l rduçã ( q u rcb s léctrõs) ds léct rds, é i ã líti. P cmpr-s p r: 1- cát d: Ligs litids cm LiCO2 LiMn2O 4 ; 2- ân d: C rbn/ g rfit; um 3- Elct rólit: Sis líti cm pr xmpl LiClO4, disslvids m slvnts rgânics. Os principis léctrds psitivs (cátds) studds s ã s cmpsts óxids mtis trnsiçã litids, cm s à bs mngnês (LiMn2O 4, cblt (LiCO ) ) 2 níqul (LiNiO2. O léctrd ngtiv (ând) mis usd é crbn grfit ( C ). O lc trólit é crbnt ) g um mistur slvnts rgânics prótics cm sã s xmpls d prpiln ( P C), crbnt tiln ( E C) crbnt dimitil ( D MC) sis 13

30 líti cm prclrt líti ( LiClO4 ), hxflurfsft lití ( LiPF6, ) triflt líti (LiSO3CF 3 ) [ 25-30]. A Fig ur 3, prsnt princípi funcinmnt st t ip btris. ( ) Btri C rrgd ( b) Btri Dsc rrgr ( c) Btri Dscrrgd ( d) Btri Rcrrgr Figur 3 - P rcsss ltrquímics u m btri i ã d líti. A dptd d [31] Qund b tri prcntgm iõs stá C rrgd, ( f ig. 3), líti frm rtirds signific léctrd psitiv, qu um ficnd trmind cát d sb frm Li0, 5CO2 ând n frm LiC6. N prcss nmidd pr D scrg, ( fig. 3b), s iõs Li + d sintrclm spntnmnt d ând grfit intrclnd n cát d um léctrã s gu msm dirc çã, ms pl circuit xtrn. Nst situçã stá utilizr-s btri pr frncr nrgi léctric, pr xmpl, d trmind prlh ( f ig. 3c ), u sj, cátd léctric. Sguidmnt, d ficint d s msms. A rcçã sguint lctrólit cnsqunt btri p rnchid cm iõs líti intrclçã é sintrclçã ds íõ s i d iã Li + p r um ncntr- s scrrg d, nqunt qu ând stá d L + lctrólit d cátd pr pr ând. Cncmitntmnt, um léctrã v ixr cátd migrr pr ând, vi circuit xtrn. Est prcss nmidd Crg, ( fig. 3d ), n ã é spntân, é ncssári u tilizçã um fnt nrgi léctric xtrn pr su rlizçã. 14

31 O ptncil célul ntr s léct rds ( pnnd d cmpsiçã d cátd) é d prximdmnt 3,00 V, pnd ir té s 4,20 V qund btri ting su crg m áxim ( ist é, qund cát d stá pbr d iõs L i + ân d ric m i õs L i + ). E sts btris, pssum um cpcid rmznmnt nrgi r ltivmnt limitd, cndicinnd su utnmi, cm tl, su plicçã m qu ipmnts mirs xigêncis nrgétics, cm é cs d utmóvl. u D rlçr qu st tip btri é snsívl à tmprtur sb qul é crrgd scrrgd. Dpnnd d vlr d msm, ltrólit à bs slvnts rgânics p trirr- s prr s crctrístics sjávis [25] B tris Ând Alumíni btris A té à dt, psr trm sid snvlvids sfrçs n sntid snvlvr r crrgávis d lumíni, snvlvrm tl cm cncrtizrm s btris n ã s bsrvrá c m lctrólits quss, tl cm s cnsttrá n scçã m qu lumíni n s cçã , pns s rcrrgávis, ist é, btris lumíni A s b tris bs lumíni pm sr, fundmntlmnt, dis tips: i ) s btris lumíni primáris ( u nã rcrrgávis), cm lctrólits quss pssibilid muit stávis, s vid rcrrgr à ligçã stá cvlnt i mpdid pl frmçã óxids Al-O muit frt qu prtgm m tl, q ur vid à frmçã cmpsts cm ligçõs muit stávis cm águ ( ligçõs d tip Al- O H) ; i i) s btris lumíni cm lctrólits nã quss, m qu há pssibilid h vr lctrpsiçã d lumíni n cátd, pr cnsguint, pssibilid r crrgr. s 15

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês Apns 5% ds Brsilirs sb flr Inglês D crd cm um lvntmnt fit pl British Cncil pns 5% d ppulçã sb fl r Dvs lbrr stms épcs pré-vnts sprtivs s lhs d mund td cmçm s vltr cd vz mis pr Brsil pr iss nã bst dminr

Leia mais

Alteração da seqüência de execução de instruções

Alteração da seqüência de execução de instruções Iníci Busc d próxim Excut Prd Cicl busc Cicl xcuçã Prgrm Sqüênci instruçõs m mmóri Trdutr : Cmpilr X Intrprtr / Linkditr Cnvrt prgrm-fnt m prgrm bjt (lingugm máqui) Prgrm cmpil = mis rápi Prgrm Intrprt

Leia mais

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis Sã Pul cpt mir prt s fluxs rs, cm mstr zn influênci ptncil, rginl, lcl s rprts Ri Jnir, vis-vis principis rprts vizinhs - Sã Pul, Mins Gris Espírit Snt 148 Sã ftrs strtgics ligs rprts n snvlvimnt rginl

Leia mais

Armazenamento de Sementes de Milho em Recipientes Reutilizáveis

Armazenamento de Sementes de Milho em Recipientes Reutilizáveis Arznnt d Snt d Milh Rcipint Rutilizávi Miz Sd Strg In Rubl Cntinr SANAZÁRIO, Ann Chritin 1. kinzri@yh.c.br; COELHO, Fábi Cunh 1. fclh@unf.br; VIEIRA, Hnriqu Durt 1. hnriqu@unf.br; RUBIM, RqulL Filh 1.

Leia mais

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas Aprsntçã Instlçõs ds A l A Nrmlmnt A Além sc Filipins. ds sgur mis lugr Cbu trnnd td, tmp sgurnç ficiis prsnç cm cnt rgiã diss, pdris. tips váris Strbucks Dnld's, Mc cm 24hrs ljs tmbém váris prt pr Tms

Leia mais

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos 2º/3º cicl s O Ã Ç T N E M I d pguns u m mu um p z pdms f ps O qu sudávl? blnç d i c n c id p Sá d p d n cm p, ic mbém é g á s n v ic. Dsc ís f m f civ b id v m u i d lóics. c s impânc s g õs sb ç n s

Leia mais

Associação de Resistores e Resistência Equivalente

Associação de Resistores e Resistência Equivalente Associção d sistors sistêci Equivlt. Itrodução A ális projto d circuitos rqurm m muitos csos dtrmição d rsistêci quivlt prtir d dois trmiis quisqur do circuito. Além disso, pod-s um séri d csos práticos

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Cálculo I

Lista de Exercícios 4 Cálculo I Lista d Ercícis 4 Cálcul I Ercíci 5 página : Dtrmin as assínttas vrticais hrizntais (s istirm) intrprt s rsultads ncntrads rlacinand-s cm cmprtamnt da funçã: + a) f ( ) = Ants d cmçar a calcular s its

Leia mais

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas Imgns problms mbintis no sul Snt Ctrin, corrnts s tivis minrção crvão, su lvgm su uso m usin trmlétric + fotos ilustrçõs técnics outrs usins Fotos fits por Oswl Svá ntr 1992 2001, durnt visits fits juntmnt

Leia mais

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas Cm s trnar flunt m Inglês m tdas as áras Tds s dias rcbms muits -mails pssas rm sabr pm fazr aprnr a falar ingls bm A fórmula xist sim funcina! Qur prvar iss dand minha própria xpriência cm aprndizad da

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte Vi vijr pr? Situ-s com nosss dics roportos trns mtrôs Chgd m Avião: Aroporto Hthrow: Situdo crc 20 km ost um dos mis movim ntdos d Europ possui cinco trminis Dpois pssr pls formlids imigrção pgr su bggm

Leia mais

Mapeamento Costeiro com Apoio de Imagens de Satélites THEOS

Mapeamento Costeiro com Apoio de Imagens de Satélites THEOS Mpmnt Cstr cm Ap d Imgns d Stélts THEOS 1 Glbrt Pssnh Rbr, glbrt.pssnh@gml.cm Artur Wllcx ds Snts, rturwllcx@gml.cm Ubrtn d Suz Ds Junr, ubrtn.ds.junr@gml.cm Agrdcmnts: Rbr Brn, Gfísc/UFF UNIFESP Ls Unvrsdd

Leia mais

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM Fns Chs C. 9 Mlgm nrsrs: ml h PWM J. A. Pml 9. MOEAGEM E CONERSORES: MOEO A CHAE PWM As lgs báss nrsrs CCCC ssum um h nrl ur nãnrl sss lmns lnrs nrns n m. A njun ss us hs r nm h PWM [9.]. O bj ns íul é

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO. Prof. Dr. Roberto Valdés Puentes

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO. Prof. Dr. Roberto Valdés Puentes ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO Prf. Dr. Rbr Vdés Pus PPGED/FACED/UFU rbrpus@fcd.ufu.br MOMENTOS DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete,

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete, Cpítul 3 N ã p! Abu! On já viu? Et qu é n! Cê minh mã? Qun mnin chgm p jg nqul ming, qu ncntm? Um gup mnin. D cmit, têni, clçã muit ipiçã. E g? Afinl, qum tinh ti qul ii mluc? D qun vcê gtm futl? pguntu

Leia mais

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES Luiz Frncisco d Cruz Drtmnto d Mtmátic Uns/Buru CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES O lno, tmbém chmdo d R, ond R RR {(,)/, R}, ou sj, o roduto crtsino d R or R, é o conjunto d todos os rs ordndos (,), R El

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

Notas Técnicas. CBPF-NT-005/13 agosto 2013. Módulo Microcontrolado de Interface padrão SDI-12 para aplicações em monitoramento ambiental

Notas Técnicas. CBPF-NT-005/13 agosto 2013. Módulo Microcontrolado de Interface padrão SDI-12 para aplicações em monitoramento ambiental ISSN 11-921 Nts Tcnics CBPF-NT-5/13 gst 213 Módul Micrcntrld Intrfc pdrã plicçõs m mnitrmnt mbintl Brun Rnt, Gnild N. Snts, Pdr Russn, Alxndr Bnvnt Grld Crnicchir Ciênci, Tcnlgi Invçã dx.di.rg/1.7437/nt2236-764/213.2.2

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14 Eu só qu u xdó Músic n scl: xcíci 14 Eu só qu u xdó Ptitus Mi, hni lt Aut: Dinguinhs stáci Rgiã: Pnbuc : 1973 Fix: 14 Anj: Edsn Jsé Alvs Músics: Edsn Jsé Alvs vilã Pvt clints, sx t Jsé Alvs Sbinh Zzinh

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

NEW HOLLAND VM, VL. VL6080 e VL6090

NEW HOLLAND VM, VL. VL6080 e VL6090 NEW HOLLND VM, VL Máquins Mls VM4090, Vindimr VL6040, lt VL6050, Cpcid VL6060, Plivlnt VL6080 VL6090 VL6070, 2 I3 VM, VL xclênci Nw Hllnd m td tcnlgi tip Brud: vinhs dur Há Nw mis Hllnd 30 têm ns mrc qu

Leia mais

providências. parágrafos da Resolução nº 38, de 16 de julho de 2009, do

providências. parágrafos da Resolução nº 38, de 16 de julho de 2009, do LEI Nº 181/2010 Dispõ sbr Municipl quçã 051/2006 d Li 14, gst 2006, qu trt sbr Cnslh Municipl Alimntçã Esclr CMAE, s dispsiçõs d Li Frl junh 2009 MEC/FNDE/DAE-CD julh 11.947, 38, 2009, 16 Rsluçã dá 16

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03 COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 16 DE DEZEMBRO DE 2005 1.Dt,

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

NESS-A TOUCH SCREEN 7" C/ MODEM

NESS-A TOUCH SCREEN 7 C/ MODEM 6 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS OMPRSSOR LTRNTIVO // LTRÇÃO LYOUT-IM MUTI PR SOPOST OTÃO MRÊNI LLN9 0 07/0/ LTRÇÃO O MOM O LYOUT LOUV 7 0 06// INLUSÃO O ORINTTIVO O LÇO OMUNIÇÃO IO V. 00 8/0/ INIIL TOS R.

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

Definição e Criação de Molduras

Definição e Criação de Molduras TQS - Mldur Escrit pr Eng. Cmil Ferreir Seg, 20 Mi 2013 09:47 - Ness mensg rei lg dic crir nv mldur pltg n TQS. Ain nesse mesm text, lbrrei ts sbre recurs interessnte p uxiliá-ls criçã crimbs (u sels)

Leia mais

Questão 1. Questão 2. alternativa E. alternativa C

Questão 1. Questão 2. alternativa E. alternativa C Quesã Pedr iru mens de um cenen de fs d fes em cmemrçã seu niversári e quer clcá-ls ds num álbum de 0 págins. Em cd págin desse álbum cbem, n máxim, 0 fs. Inicilmene, Pedr enu clcr 6 fs em cd págin. A

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UZIEL, Ann Pul. Rio Homossxulid Jniro: Grmond, ção. 2007. Fbino Gontijo Doutor m Antropologi m pl Scincs Écol s Socils Huts Frnç. Étus Profssor Adjunto Bolsist Antropologi Produtivid d m Univrsid Psquis

Leia mais

PROFESSORA ======================= & ˆ«======================= & «G Emˆ_ «ˆ«j ˆ«

PROFESSORA ======================= & ˆ«======================= & «G Emˆ_ «ˆ«j ˆ« PROSSOR L M: Trz d átim R. rvh & # m _ Ó Œ bm cm c ri nh n si & # Ó Œ du c tm _ bém. Ns s n, qu ri ri n t, d, ju v cê tm d ns & # 2 4 _ V cê é u m grn d mi g pr fs s r qu ri d qu ns qur tn t ms tr ns s

Leia mais

Missa Ave Maris Stella

Missa Ave Maris Stella Missa Av Maris Stlla Para coro a calla a quatro vozs SATB Notas sobr a comosição A rsnt comosição constituis a artir d um ordinário da missa m latim ara coro a quatro vozs a calla, sm divisi Sorano, Alto,

Leia mais

UTL Faculdade de Motricidade Humana. Mestrado em Reabilitação Psicomotora. Estágio CERCI Lisboa

UTL Faculdade de Motricidade Humana. Mestrado em Reabilitação Psicomotora. Estágio CERCI Lisboa UTL Fculd Motricid Humn Mstrdo m Rbilitção Psicomotor Estágio CERCI Lisbo Sssão Activid no Mio Aquático 16/11/2011 Clint: C.M., L.V., A.E., F.C. S.C. domínio Nom Dscrição Obj. Esp. Mtriis Estrtégis Critério

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS

CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS 1 1 1 H 1, 00 2 3 4 2 Li 6, 94 Be 9, 01 11 12 3 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 4 K 39, 10 Ca 40, 08 37 38 5 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 6 Cs 132, 91 Ba 137, 33 87 88 7 Fr Ra 223, 02 226, 03 CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA

Leia mais

Sessão Técnica. Veículos aéreos não tripulados (VANT) para produção de Informação Geográfica. Ordem dos Engenheiros Região Centro

Sessão Técnica. Veículos aéreos não tripulados (VANT) para produção de Informação Geográfica. Ordem dos Engenheiros Região Centro Ordm d Engnhir Rgiã Cntr Sã Técnic Vícul ér nã tripuld (VANT) pr prduçã d Infrmçã Ggráfic jmrnt@infic.pt Sinfic SA 2013-01-28 Ordm d trblh P r p r ç ã E x c u ç ã A n á l i D f i 10H15: intrduçã (Viã br

Leia mais

Instituto de Pesquisa Económico Aplicada (IPEA)

Instituto de Pesquisa Económico Aplicada (IPEA) Emprgs n Brsil ririds lítics Escritri d Bnc Mundil n Brsil Rgiã d Améric Ltin Crib Institut squis Ecnómic Aplicd (IEA) Vic rsint LCR: Dirtr LCC5C: Dirtr LCSHD: Ecnmist rincipl: Lír d Equip: Dvid Frrnti

Leia mais

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 06-06-10

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 2010 JUNHO/2010 RESOLUÇÃO DAS 10 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA TARDE - MÓDULO DISCURSIVO São curiosos os números. Às vezes é mis útil rredondá-los do que trblhr com seu vlor

Leia mais

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia brlim sã l brlim santg rcif curi sul punta dl st rma sul nrnha r rcif rcif garpabacapa nrnha mntvidéu r barilch punta dl st mació sã paul mació sul capadóc r mnt SUPER sã l ngóci gramad turism FÉRIAS crprat

Leia mais

Uma publicação que é referência no setor

Uma publicação que é referência no setor ublic qu é rfrêci Vlt r rfiii ii frcêuc, viári, c, bitclgi, litíci, quíic fi, quit hitlr, i vi qu cl cti é u xigêci, rvit Cl Cti fc luçõ tclógic r rli brilir. C iibui irigi, ublic g rtt ghri ut, r Quli,

Leia mais

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM...

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM... C CORÇÃO NOIV - 1. O SNHOR É OM INTR: /C# C7+ /C# O SNHOR É OM C7+ SU MOR UR PR SMPR L É OM... Letra e Música: avi Silva C CORÇÃO NOIV - 2. SNTO É O TU NOM M TO TRR S OUVIRÁ UM NOVO SOM UM CNÇÃO MOR PRCORRRÁ

Leia mais

Trailblazer 302 Diesel

Trailblazer 302 Diesel OM-217 454C-BR Junh 2006/Nvmbr 2006 Prcsss Sldgm Eltr Rvsti (SMAW) Sldgm MIG (GMAW) Sldgm c/ Arm Tubulr (FCAW) Sldgm TIG c/cc (GTAW) Dscriçã Grr pr Sldgm rc mvi pr mtr Disl Trilblzr 302 Disl MANUAL DO

Leia mais

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe A H,0 Li 7,0 Na 2,0 9 K 9,0 7 Rb 85,5 55 Cs,0 87 Fr (22) 2 2A Be 9,0 2 Mg 2,0 20 Ca 0,0 8 Sr 88,0 56 Ba 7,0 88 Ra (226) Elementos de Transição B B 5B 6B 7B 8B B 2B 5 6 7 A A 5A 6A 7A 78,5 8,0 8,0 86,0

Leia mais

Turismo Fotografia Mergulho Técnico Naufrágios Cavernas Equipamentos Meio Ambiente Novidades PUBLICIDADE 2014

Turismo Fotografia Mergulho Técnico Naufrágios Cavernas Equipamentos Meio Ambiente Novidades PUBLICIDADE 2014 Turi Ftgrfi Mrgulh Técnic Nufrági Cvrn Equipnt Mi Abint Nvidd PUBLICIDADE 2014 2014 Objtiv ditrii d rvit: A rvit t bjtiv d trr públic rvilh d fund d r, nfcnd pct cini frind iprtânci d cnrvçã bintl. Vi

Leia mais

Código PE-ACSH-2. Título:

Código PE-ACSH-2. Título: CISI Ctro Itrção Srvços Iformtc rão Excução Atv Itr o CISI Cóo Emto por: Grêc o Stor 1. Objtvo cmpo plcção Est ocumto tm como fl fr o prão brtur chmos suport o CISI. A brtur chmos é rlz o sstm hlpsk, qu

Leia mais

Quem são? Um refugiado é toda pessoa que devido a temores de ser perseguida por motivos de raça,

Quem são? Um refugiado é toda pessoa que devido a temores de ser perseguida por motivos de raça, g u f R d Qum ã? Um fugd é td p qu dvd tm d pgud p mtv d ç, lgã, ncnldd, p ptnc dtmnd gup cl p u pnõ plítc, ncnt f d pí d u ncnldd nã p u nã qu c à ptçã d tl pí. Ou qu, ccnd d ncnldd tnd f d pí nd tv u

Leia mais

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL 3 4 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM SOPOR 30.400.83.7 XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM MUTIR 30.400.84. IRM INTRLIÇÃO UTOMÇÃO XX -SL 3 0// INTIIÇÃO OS SNSORS UMI PRSSÃO /03/4

Leia mais

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt FÍSICO-QUÍMICA 9. ANO Manual Tabla Priódica (frta a alun) Fichas (frta a alun) Apis Áudi (fichirs mp para dwnlad) Cadrn d Atividads (inclui Fichas d Labratóri) Cadrn d Labratóri Matriais Manipulávis Dssir

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MICHELE SANTOS DA SILVA ORIENTADOR: ------------------

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MICHELE SANTOS DA SILVA ORIENTADOR: ------------------ UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MICHELE SANTOS DA SILVA ORIENTADOR: ------------------ EDUCADOR E RÁDIO: APONTAMENTOS DESSA RELAÇÃO EM UMA

Leia mais

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir:

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir: 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar, escrever

Leia mais

Análises de sistemas no domínio da frequência

Análises de sistemas no domínio da frequência prmno d Engnhri Químic d Prólo UFF iciplin: TEQ0- COTROLE E PROCESSOS náli d im no domínio d frquênci Prof inok Boorg Rpo d Frquênci Cliqu pr dir o ilo do xo mr COCEITO: Coni d um méodo gráfico-nlíico

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

MATRIZES. Matriz é uma tabela de números formada por m linhas e n colunas. Dizemos que essa matriz tem ordem m x n (lê-se: m por n), com m, n N*

MATRIZES. Matriz é uma tabela de números formada por m linhas e n colunas. Dizemos que essa matriz tem ordem m x n (lê-se: m por n), com m, n N* MTRIZES DEFINIÇÃO: Mtriz é um tl d númros formd por m linhs n coluns. Dizmos qu ss mtriz tm ordm m n (lê-s: m por n), com m, n N* Grlmnt dispomos os lmntos d um mtriz ntr prêntss ou ntr colchts. m m m

Leia mais

RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO E DESPACHOS DE PROCESSOS

RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO E DESPACHOS DE PROCESSOS Dlibrçõs ANÚNCIOS ANÚNCIOS, AVISOS, EDITAIS E NOTICIÁRIO Anúncis brtur prcdimnt N.s 0/04/DCEP 03/04/DCEP 0/04/DCEP, pág. 094 ASSEMBLEIA RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO E DESPACHOS DE PROCESSOS Nt: Julh

Leia mais

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores)

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes C, diamante C, grafite Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes TEV: rede 3D de ligações covalentes C, diamante (sp

Leia mais

COLEÇÃO LEGISLAÇÃO Atualizações Online

COLEÇÃO LEGISLAÇÃO Atualizações Online COLEÇÃO LEGISLAÇÃO Atulizçõs Onlin rquê s tulizçõs s livrs d COLEÇÃO LEGISLAÇÃO? N pnrm lgisltiv ncinl é frnt publicçã nvs diplms lgis, rgulrmnt, ltrm utrs diplms, s quis stã muits vzs incluís ns cmpilçõs

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira S 1- Litt, Lit Rflxã 3- t D q vz? Jé Rid Mi Cpítl 1 P gt Td é di pfit p l: U liv lgl, d lid. E t d di fz d! P Hê: U di vô lá íti, vid hitói d tp q l id gt. P Hit: Ah, di d ihd, it l, it ág, it hi! P L:

Leia mais

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1 Proposta d Rsolução do Exam Nacional d ísica Química A 11.º ano, 011, 1.ª fas, vrsão 1 Socidad Portugusa d ísica, Divisão d Educação, 8 d Junho d 011, http://d.spf.pt/moodl/ 1. Movimnto rctilíno uniform

Leia mais

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA 1 2 3 4 5 6 7 1 1 1, 00 2 3 4 Li Be 6, 94 9, 01 11 12 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 K Ca 39, 10 40, 08 37 38 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 Cs Ba 132, 91 137, 33 87 88 Fr Ra 223,

Leia mais

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA S VI VOLTRÁ PR RINR 1. US, TU ÉS MU US #m US, TU ÉS MU US SNHOR TRR ÉUS MR U T LOUVRI #m SM TI NÃO POSSO VIVR M HGO TI OM LGRI MOR NST NOV NÇÃO #m #m OH...OH...OH LVNTO MINH VOZ #m LVNTO MINHS MÃOS #m

Leia mais

Gabarito - Química - Grupo A

Gabarito - Química - Grupo A 1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor A estrutura dos compostos orgânicos começou a ser desvendada nos meados do séc. XIX, com os estudos de ouper e Kekulé, referentes ao comportamento químico do

Leia mais

VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA) 1.0 INTRODUÇÃO

VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA) 1.0 INTRODUÇÃO GGH/008 6 de Outubr de 00 Cmpins - Sã Pul - Brsil GRUPO I GRUPO DE ESTUDO DE GERAÇÃO HIDRÁULICA - GGH VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA)

Leia mais

Uniforme Exponencial Normal Gama Weibull Lognormal. t (Student) χ 2 (Qui-quadrado) F (Snedekor)

Uniforme Exponencial Normal Gama Weibull Lognormal. t (Student) χ 2 (Qui-quadrado) F (Snedekor) Prof. Lorí Vili, Dr. vili@pucrs.br vili@m.ufrgs.br hp://www.pucrs.br/fm/vili/ hp://www.m.ufrgs.br/~vili/ Uniform Exponncil Norml Gm Wibull Lognorml (Sudn) χ (Qui-qudrdo) F (Sndkor) Um VAC X é uniform no

Leia mais

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24.

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24. R 3 R R D S VL L Ó S L U D K LÃ W -S / 3 SH FW -S Ã P UL F S SP / / : 8:3 3// 8/ 3/ : 6: SPCL - PRU C VCÊ UC VU.in 7 R Ú 8 9 - R$,,9 R$ CP.in S D PP R S G GS S - R$, 9 R D : : U Q R VG D R SÃ PU L FS H

Leia mais

CURSO DE INTRODUÇÃO AO

CURSO DE INTRODUÇÃO AO 201 O Ç 1 & 4 1 PO PESENTÇÃO DO CUSO DE INDUÇÃO O LINHEN ESPIITUL LIEN P ENTE EOÇÕES & ELÇÕES EQUILIBDS ELIZÇÃO PESSOL - 1 d INDUÇÃO PO d COCHING ESTEL ESTEL é um pr c ss d ut c nh cim nt, strtégi rintçã,

Leia mais

7 Exumação de grampos

7 Exumação de grampos 7 Exumção d grmpos Form rlizds qutro xumçõs d grmpos: dus n Fgunds Vrl m um solo rsidul jovm (FV-02 FV-03) dus no Musu 1 ( ), m um roch ltrd. O procsso d xumção consist num tividd lnt cuiddos. Primiro,

Leia mais

Mackenzie Voluntario. Caro apoiador, Redes sociais: 8668 de 30/11/1981), que atua em solo brasileiro há 141 anos.

Mackenzie Voluntario. Caro apoiador, Redes sociais: 8668 de 30/11/1981), que atua em solo brasileiro há 141 anos. C, O Mkz Vlá é m j sl Mkz, sm fs lvs (D º 8668 3/11/1981), q m sl bsl há 141 s. Iml m 24, m m l fl ssblz, mblz g s s ss gs, gss, lbs, fsss, ls, gs ls, fs, s, mgs fmls m mvm xmçã s ms q bgm s ss m, lém

Leia mais

CAPA. Marketing Direto - Set/10 - nº 101 - Ano IX

CAPA. Marketing Direto - Set/10 - nº 101 - Ano IX CP 10 Mrkting n linh Dirt O mrcd tlfni stá m prcss trnsfrmçã. O bm crscimnt pssu, ufri d prtbilid tmbém. O rsultd é sgmnt qu gr brig mntr ptncilizr sus clints. Pr tnt, invst m rlcinmnt n mpliçã srviçs

Leia mais

Escola Básica e Secundária Dr. Ângelo Augusto da Silva

Escola Básica e Secundária Dr. Ângelo Augusto da Silva Escla Básica Scdária Dr. Âgl Agst da Silva Tst d MATEMÁTIA A º A Draçã: 9 mits Març/ 3 Nm Nº T: lassificaçã O Prf. (Lís Abr) ª PARTE Para cada ma das sgits qstõs d sclha múltipla, slci a rspsta crrta d

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte Curso grátis Inglês pr vigm Vi vijr pr? Situ-s com nosss dics roportos trns mtrôs Chgd m Avião: Aroporto Hthrow: Situdo crc 20 km ost um dos mis movim ntdos d Europ possui cinco trminis Dpois pssr pls

Leia mais

Propagação de sinais senoidais em um cabo coaxial

Propagação de sinais senoidais em um cabo coaxial Disipina: Ondas Prpaaçã Prf.: Dr. Airtn Rams Univrsidad d Estad d Santa Catarina Cntr d Ciênias Tnóias CCT Dpartamnt d Ennharia Eétria Labratóri d Etrmantism E-3 Prpaaçã d sinais snidais m um ab axia O

Leia mais

O AQUEDUTO DAS ÁGUAS LIVRES

O AQUEDUTO DAS ÁGUAS LIVRES MUSEU O AQUEDUTO DAS ÁGUAS LIVRES Um strd d águ O Aqudut ds Águs Livrs fi cnstruíd n séc. XVIII, cm funçã d frncr águ à cidd d Lisb, qu, n épc, sfri d um grv prblm d flt d águ. Até ntã, xistim pns dis

Leia mais

Questão 13. Questão 14. alternativa C

Questão 13. Questão 14. alternativa C Questã 13 O suc de laranja cncentrad da marca M cntém 20 mg de vitamina C pr 50 ml de suc cncentrad. Para ser cnsumid, deve ser diluíd cm água até que seu vlume seja 4 vezes mair que inicial. Pr utr lad,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA

Leia mais

ERROS ESTACIONÁRIOS. Controle em malha aberta. Controle em malha fechada. Diagrama completo. Análise de Erro Estacionário CONSTANTES DE ERRO

ERROS ESTACIONÁRIOS. Controle em malha aberta. Controle em malha fechada. Diagrama completo. Análise de Erro Estacionário CONSTANTES DE ERRO ERROS ESTACIONÁRIOS Control Mlh Abrt Fhd Constnts d rro Tios d sistms Erros unitários Exmlo Control m mlh brt Ação bási, sm rlimntção A ntrd do ontroldor é um sinl d rrêni A síd do ontroldor é o sinl d

Leia mais

Borboletas da vida. Direção de Vagner de Almeida. Rio de Janeiro: Abia, 2004, 38 min.

Borboletas da vida. Direção de Vagner de Almeida. Rio de Janeiro: Abia, 2004, 38 min. Borbolts d vid. Dirção Vgnr Almid. Rio Jniro: Abi, 2004, 38 min. BASTA um di. Dirção Vgnr Almid. Rio Jniro: Abi, 2006, 55min. Brnic Bnto Univrsid Doutor m Brclon. Sociologi Autor pl Univrsid s livr A Rinvnção

Leia mais

II L ATA N. 19/XIV. Conselheiro Fernando da Costa Soares.

II L ATA N. 19/XIV. Conselheiro Fernando da Costa Soares. jf II L Comissão Ncionl Eliçõs ATA N. 19/XIV Tv lugr no di vint qutro jniro dois mil doz, sssão númro znov d Comissão Ncionl Eliçõs, n sl runiõs sit n Av. D. Crlos 1, n. 128 7. ndr, m Lisbo, sob prsidênci

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Física e Química A Versão Teste Intermédio Física e Química A Versão Duração do Teste: 90 minutos 30.05.01 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/004, de 6 de março Na folha de

Leia mais

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS DE SAÚDE

FACULDADE DE CIÊNCIAS DE SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DE SAÚDE Birr d Mrrr, Ru 4250, km 2,3 Nmpul Mçmbiqu RELATÓRIO FINAL DO ESTUDO: AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL EM CRIANÇAS DOS 6 AOS 24 MESES DE IDADE NOS DISTRITOS DE GURUÉ (ZAMBÉZIA)

Leia mais

Estimativas dos impactos das mudanças climáticas nos zoneamentos da cultura da banana e da maçã no Estado de Santa Catarina

Estimativas dos impactos das mudanças climáticas nos zoneamentos da cultura da banana e da maçã no Estado de Santa Catarina Estimtivs s impcts s munçs climátics s znmnts cultur bnn mçã Est Snt Ctrin Cristin Pnlf1, Luiz Alb Hmms2, Cláudi Cmrg3, Angl Mns Mssignm4, Emnul Sl Prir Pint5 Mriln Lim6 qustã mátics t s munçs si discuti

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO SNC NA ALTERAÇÃO DA ESTRUTURA DO BALANÇO DAS ENTIDADES QUE ADOTAM AS NORMAS DO IASB: O CASO PORTUGÊS

A INFLUÊNCIA DO SNC NA ALTERAÇÃO DA ESTRUTURA DO BALANÇO DAS ENTIDADES QUE ADOTAM AS NORMAS DO IASB: O CASO PORTUGÊS 35 A INFLUÊNCIA DO NC NA ALTERAÇÃO DA ETRUTURA DO BALANÇO DA ENTIDADE QUE ADOTAM A NORMA DO IAB: O CAO ORTUÊ Fábi d Albuqurqu Assistnt Cnvidd ICAL Institut uprir d Cntbilidd Administrçã d Lisb Jquín Txir

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

Projeto de extensão Judô Escolar certifica alunos da Escola de Ensino Básico Professor Mota Pires

Projeto de extensão Judô Escolar certifica alunos da Escola de Ensino Básico Professor Mota Pires Projto xtnsão Judô Escolr crtific lunos d Escol Ensino Básico Profssor Mot Pirs No di 7 julho 2015 form crtificdos os lunos d Escol Ensino Básico Profssor Mot Pirs, Arrnguá, qu prticiprm do curso Judô

Leia mais

MATRIZES. Em uma matriz M de m linhas e n colunas podemos representar seus elementos da seguinte maneira:

MATRIZES. Em uma matriz M de m linhas e n colunas podemos representar seus elementos da seguinte maneira: MATRIZES Definiçã Chm-se mtriz d tip m x n (m IN* e n IN*) td tel M frmd pr númers reis distriuíds em m linhs e n cluns. Em um mtriz M de m linhs e n cluns pdems representr seus elements d seguinte mneir:

Leia mais

EFEITO DA ÉPOCA DO ANO, TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DOAR NO DESEMPENHO DE SUÍNOS EM CRESCIMENTO E TERMINAÇÃO'

EFEITO DA ÉPOCA DO ANO, TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DOAR NO DESEMPENHO DE SUÍNOS EM CRESCIMENTO E TERMINAÇÃO' FIT DA ÉPCA D A, TMPRATURA UMIDAD RLATIVA DAR DSMPH D SUÍS M CRSCIMT TRMIAÇÃ' CARLS RBRT V.M. PACHC ALFRD RIBIR D FRITAS LIASTADU FIALH 2 RSUM - Fi nlisd fit d ép d n n dsmpnh d suíns mhs nã strds, ds

Leia mais

a posição de defensor dos interesses

a posição de defensor dos interesses BLETIM Mvimnt Cprtiv v firmmnt psiçã fnsr ds intrsss firmr d cnsidr. CPERTIVIST REDCÇÃ E DMINISTRÇÃ: R u d Cruzir. 1 - Tlf. 68 26 49 - Lisb 3 CRDEND NTÓNI PR SÉRGI PRPÓSIT DE UM NIVERSRI di 19 Dzmbr já

Leia mais

Abordagens Administrativas. Abordagens Administrativas INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO AULA 4. Abordagem Sistêmica ORGANIZAÇÃO COMO UM SISTEMA FECHADO

Abordagens Administrativas. Abordagens Administrativas INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO AULA 4. Abordagem Sistêmica ORGANIZAÇÃO COMO UM SISTEMA FECHADO Abrgns Administrtivs ORGANIZAÇÃO COMO UM SISTEMA FECHADO INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO AULA 4 2009 Administrçã Cintífic Tylr (TAREFAS) Estu s rtis prdutivs slçã trblhr Incntiv slril cndiçõs mbintis trblh

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000313/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/03/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR011016/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.003892/2013-28

Leia mais

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 CRIADOR TELEFONE GAIOLA ANEL SEXO NOMENCLATURA VALOR OBS ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 1 IB-105-40-13 FM CN OP AM MF IN 100,00 BANCO: 2 BB-3992-44-11

Leia mais

APLICAÇÃO DE MODELOS DE PREVISÃO DE DEMANDA EM UMA FARMÁCIA HOSPITALAR

APLICAÇÃO DE MODELOS DE PREVISÃO DE DEMANDA EM UMA FARMÁCIA HOSPITALAR APLICAÇÃO DE ODELOS DE PREVISÃO DE DEANDA E UA FARÁCIA HOSPITALAR rin Wil Afns Univrsidd Fdrl d Juiz d Fr Rrt lhirs rir Filh Univrsidd Fdrl d Juiz d Fr ri Luci d Olivir Nvs Univrsidd Fdrl d Ri d Jnir RESUO

Leia mais

d) Proposta fundamentada da aplicação do resultado líquido do exercício; e) Os factos relevantes ocorridos após o termo do exercício.

d) Proposta fundamentada da aplicação do resultado líquido do exercício; e) Os factos relevantes ocorridos após o termo do exercício. 1. INTRODUÇÂO Cmpt à Câmr Municipl lbrr prvr dcumnt d prtçã d cnt d utrqui ubmtê-l à prciçã vtçã d Ambli Municipl n ã rdinári d mê d bril d n guint àqul qu ti dcumnt dizm rpit, dvnd r rmtid t órgã dlibrtiv

Leia mais

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES - - EC - LB - CIRCÚIO INEGRDORE E DIFERENCIDORE Prof: MIMO RGENO CONIDERÇÕE EÓRIC INICII: Imaginmos um circuito composto por uma séri R-C, alimntado por uma tnsão do tipo:. H(t), ainda considrmos qu no

Leia mais