Serviço de carga aérea ou terrestre, pensado para envios de mercadoria que pelo seu peso ou volume, superam as medidas standard aceites para os

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Serviço de carga aérea ou terrestre, pensado para envios de mercadoria que pelo seu peso ou volume, superam as medidas standard aceites para os"

Transcrição

1 Serviço de carga aérea ou terrestre, pensado para envios de mercadoria que pelo seu peso ou volume, superam as medidas standard aceites para os Serviços Express ou Ecopaq. 1

2 Serviço de Carga Aérea ou Terrestre - Serviço especial de cargas aéreas ou terrestres - Envios de grande peso ou volume - Os seus envios desde Portugal para qualquer parte do mundo - Recolha no seu domicílio - Preços económicos - Possibilidade de despacho da mercadoria no destino - Assessoramento pessoal adequado às suas necessidades - Como realizar a sua carga? 2

3 COMO REALIZAR A SUA CARGA AÉREA OU TERRESTRE? Deve entrar em contato com a Loja MRW mais próxima da sua residência. Serão solicitados os dados necessários (nº de volumes, peso, medidas, etc.), para a realização de uma proposta, oferecendo-lhe o melhor preço e dando-lhe todas as facilidades possíveis. Que Loja me corresponde? - Aceda à secção As nossas Lojas, na nossa página web poderá localizar a sua Loja mais próxima, mediante o seu código postal. - Também poderá contatar com o Serviço de Atenção ao Cliente MRW através do telefone sendo posteriormente encaminhado para a Loja correspondente. CONDIÇÕES DO SERVIÇO DE CARGA AÉREA E TERRESTRE As Condições Gerais da MRW encontram-se no verso do justificante de recolha internacional MRW. Cumprindo a normativa de segurança da OACI (Organização Aviação Civil Internacional), é imprescindível que no Justificante de Recolha Internacional conste a identidade e direção completa do expedidor, que deverá assinar o apartado que menciona Assinatura legível do Cliente, aceitando assim as condições gerais de contratação estipuladas no verso do mesmo. Todos os envios necessitam do expedidor uma declaração correta e detalhada do conteúdo e mencionar o mesmo no justificante de recolha internacional e na documentação adicional necessária para cada caso particular. MEDIDAS E PESOS Carga Aérea: As dimensões máximas aceites para este serviço variam em função do tipo de avião utilizado para o frete da mercadoria (vôos europeus ou intercontinentais). No caso de envios que têm pouco peso e muito volume, realiza-se o cálculo da fórmula estipulada pela IATA (Organismo que regula as normas internacionais de transporte aéreo) que indicamos em seguida: Comprimento x Largura x Altura (cm) / que é igual a 1 metro cúbico = 200 Kg 3

4 Carga Terrestre: Depende do tipo de veículo que se utilize para o transporte de mercadorias, a relação peso/volume é de: 1m3 = 333 kg 1 metro lineal = kg 1 europalete = 750 kg As dimensões são sempre calculadas multiplicando Comprimento x Largura x Altura. EMBALAGEM O acondicionamento dos envios deve ser suficientemente seguro para proteger o seu conteúdo durante o transporte. Toda a embalagem deverá ser de um material resistente, especialmente no seu interior, sobretudo para mercadorias frágeis. Uma embalagem adequada, poderá amortecer possíveis choques, vibrações, etc., que o transporte implica. É da responsabilidade do Cliente o correto acondicionamento do envio. Se utiliza embalagens de madeira, deve ter em conta a Norma Internacional de Medidas Fitosanitárias NIMF Nº 15, que exige para determinados países a fumigação ou tratamento das ditas embalagens. PRAZO DE ENTREGA Não existe prazo de entrega estipulado. APARTADOS DE CORREIOS A MRW não realiza entregas em apartados de correios. DESPACHOS DE ALFÂNDEGA Carga Aérea: A responsabilidade finaliza uma vez que a carga chegue ao aeroporto de destino, nas condições e prazos acordados. O despacho da mercadoria e o resto das formalidades alfandegárias no aeroporto de destino, são responsabilidade absoluta do importador. Carga Terrestre: Para países que não pertencem à União Europeia com serviço porta a porta, inclui-se 4

5 o despacho formal de alfândega. Os envios podem estar sujeitos ao pagamento de taxas e impostos que tenham origem na alfândega de destino, os quais são a cargo do destinatário. SEGURO A MRW dispõe de um seguro adicional para as cargas. É da responsabilidade do Cliente efetuar um seguro adicional, se assim o desejar, em função do valor declarado e do tipo de mercadoria que se transporte. OBJECTOS PROIBIDOS Cumprindo com as normas da IATA (International Air Transport Association), a normativa de segurança da OACI (Organização Aviação Civil internacional) e do Plano Nacional de Segurança para a Aviação Civil (PNSAC), e o Contrato de Transporte Internacional de Mercadorias Rodoviárias (C.M.R.), está proibido transportar via aérea e terrestre as seguintes mercadorias/objetos: - Animais vivos ou mortos - Antiguidades - Armas ou peças destas - Drogas, estupefacientes, fármacos ou substâncias psicotrópicas - Explosivos - Joias - Lingotes de ouro e similares - Materiais combustíveis - Materiais obscenos ou pornográficos - Materiais radioativos - Mercadorias perigosas - Mercadorias perecedouras - Metais ou pedras preciosas - Negociável: - Ações - Vales do Tesouro - Cheques ao portador - Lotaria - Dinheiro ou moedas - Letras de câmbio - Obrigações - Selos de Correios - Obras de Arte - Perfumes (para o envio de perfume ou água de colónia, contatar com o Serviço de Atenção ao Cliente ). 5

6 - Pilhas ou baterias colocadas nos aparelhos a enviar (rádios, brinquedos, jogos, telemóveis, etc...) - Plantas - Restos Humanos - Tabaco Importante: Pilhas ou baterias deverão seguir fora dos aparelhos que se enviam (rádios, jogos, telemóveis, etc.). Em geral, qualquer outra mercadoria classificada como perigosa, tanto pelas leis nacionais como internacionais e que possa representar um perigo para as pessoas ou outras mercadorias a transportar, devido às suas carateristicas ou embalamento ou qualquer outro artigo sujeito a restrição pelas normas vigentes nos países de origem, trânsito ou destino. JUSTIFICANTE DE RECOLHA INTERNACIONAL No justificante de recolha Internacional MRW deverão figurar os dados completos do remetente e destinatário, com as suas direções, telefones e pessoa de contato. De igual forma, deve especificar-se o conteúdo real do envio, o número de volumes e o peso, assim como o valor do mesmo para efeitos alfandegários, se este for uma encomenda. A insuficiência ou incorreção de dados no justificante de recolha internacional poderá dar lugar a atrasos na entrega dos envios. A. Nome do remetente, direção, código postal, telefone, pessoa de contato e Nif. B. Nome da companhia ou pessoa de contato no destinatário, direção, código postal, telefone, pessoa de contato e Nif. 6

7 C. Nome do remetente e assinatura. D. Nota sobre a Claúsula 4 das Condições Gerais. E. Número de volumes. F. Peso bruto. G. Dimensões de cada volume. H. Peso volumétrico (se tiver). I. Descrição completa da mercadoria. J. Valor da mercadoria (escrever o mesmo que consta na fatura). K. Selecionar o serviço correspondente. L. A preencher pela MRW. No verso do justificante, poderá encontrar as Condições Gerais de Contratação do Serviço, mencionadas de seguida: Pelo presente documento, que tem caráter de título NÃO NEGOCIÁVEL, a Franquia MRW, cuja denominação e demais elementos constam da frente do mesmo (doravante designada por TRANSPORTADOR) e o EXPEDIDOR acordam celebrar um CONTRATO que se rege pelas seguintes cláusulas: 1. AS PARTES O EXPEDIDOR é a pessoa ou entidade que, submetendo-se às presentes condições, entrega ao TRANSPORTADOR um envio para transporte, e reconhece ser proprietário do mesmo, ou caso não o seja, reconhece que atua como representante ou agente autorizado do proprietário ou de quem tenha direitos sobre o envio, e, em qualquer caso, aceita os termos e condições do presente contrato em nome próprio. O TRANSPORTADOR é a Franquia MRW cuja denominação social consta na frente do presente Justificante de Recolha Internacional a qual, sujeitando-se às presentes condições, aceita o envio para lhe dar seguimento até ao seu destino, podendo subcontratar a execução da totalidade ou de qualquer parte do presente contrato e, em consequência, podendo recorrer, para tal, às suas filiais, agentes ou colaboradores que, por sua vez, podem também subcontratar outras entidades ou pessoas para a prossecução do fim deste contrato. 7

8 2. O ENVIO Para efeitos do presente contrato, entende-se por envio o objeto ou objetos suscetíveis de transporte, remetidos sob o mesmo Justificante de Recolha, que não sejam inaceitáveis ou proibidos nos termos da presente cláusula, entregues pelo EXPEDIDOR ao TRANSPORTADOR para transporte e entrega no endereço indicado como lugar de destino na frente do presente documento. 2.1 GARANTIAS GERAIS Relativamente ao envio, e para lá do disposto no 1º parágrafo da anterior cláusula 1., o EXPEDIDOR declara e garante que a) preencheu corretamente o Justificante de Recolha e, em consequência, a descrição e detalhes do envio são completos e verdadeiros; b) embalou e preparou o envio de acordo com a respetiva natureza e especificidades, permitindo o seu transporte e manipulação seguros; c) o valor declarado, sendo efetuada declaração, é o correto; d) respeitou todas as normas aplicáveis nos países de origem, trânsito e destino do envio e, por tal, não resulta ilegal para o TRANSPORTADOR proceder ao envio; e) o envio não é um objeto declarado inaceitável ou proibido nos termos do ponto 2.3 da presente cláusula. 2.2 MEDIDAS DE SEGURANÇA NO TRANSPORTE DE ENVIOS POR VIA AÉREA O EXPEDIDOR, no que respeita às normas de segurança no transporte de envios por via aérea: a) declara e garante que no envio não se encontram objetos proibidos incluídos na versão vigente da norma 4.1. do Anexo 17 da OACI (Organização de Aviação Civil Internacional Convenção sobre Aviação Civil Internacional, celebrada em Chicago, em 7 de Dezembro de 1944) e no Programa Nacional de Segurança da Aviação Civil elaborado ao abrigo do Regulamento (CE) Nº 300/2008 (explosivos, munições, líquidos inflamáveis, produtos corrosivos e objetos para neutralizar ou paralisar, ou outros dispositivos, substâncias ou artigos perigosos que possam ser utilizados para a prática de atos de interferência ilícita e cujo transporte ou detenção não estejam autorizados); e b) aceita que o envio possa ser retido, submetido a controlos e o seu conteúdo examinado por razões de segurança, o que pode incluir a inspeção mediante raios-x, câmaras de simulação, controlos manuais ou outras medidas técnicas ou biosensoriais. 2.3 OBJETOS INACEITÁVEIS OU PROIBIDOS Dinheiro, joias, antiguidades, obras de arte, selos, metais preciosos, lingotes e similares, pedras preciosas, diamantes e carbonos industriais, títulos ao portador, cheques de viagens, materiais obscenos ou pornográficos, armas de fogo, explosivos, materiais radioativos, plantas, produtos perecíveis, animais vivos ou mortos, fármacos, drogas, estupefacientes ou substâncias psicotrópicas, produtos submetidos a um regime de reserva, mercadorias perigosas, materiais combustíveis e, em geral, quaisquer outros objetos sujeitos a restrições pelas normas vigentes 8

9 nos países de origem, trânsito ou destino do envio. Em particular, são objetos proibidos os identificados como tais nas normas da IATA (International Air Transport Association) e no diploma mencionado no número anterior. Caso o EXPEDIDOR entregue ao TRANSPORTADOR um envio inaceitável ou proibido, aquele ficará obrigado a indemnizar o TRANSPORTADOR pelos danos, despesas e sanções em que este possa incorrer. 3. PRESTAÇÃO DO SERVIÇO Com o propósito de assegurar uma correta e segura prestação dos seus serviços e, em caso de mora, de garantir o pagamento da prestação devida, o TRANSPORTADOR tem direito a: A) Inspecionar o envio, em qualquer momento, o que inclui a abertura e exame do seu conteúdo, salvo se, pela natureza ou tipo do envio, tal seja proibido pela lei aplicável. Para tal, o EXPEDIDOR deverá acondicionar o envio de forma que seja possível a sua abertura e fecho em segurança. B) Não aceitar nenhum envio que não corresponda exactamente ao que é garantido pelo EXPEDIDOR na cláusula 2. anterior e, especialmente, os bens ou objectos declarados como inaceitáveis ou proibidos e os que tenham sido subavaliados para efeitos alfandegários. C) Transportar o envio por qualquer rota, itinerário, procedimento ou meio de transporte que o TRANSPORTADOR considere o mais apropriado para executar o transporte e/ou realizar a entrega do envio. D) Não efetuar a entrega do envio quando a prestação do serviço deva ser cobrada no destino (serviço a portes devidos) até que tenham sido pagas ao TRANSPORTADOR todas as importâncias devidas pelo transporte, direitos aduaneiros, armazenagem, impostos e qualquer outro encargo ou ónus resultante da expedição do envio nos termos do presente contrato. O EXPEDIDOR será responsável pelo pagamento de todas as despesas resultantes da recusa de pagamento no destino, incluindo os gastos de devolução do envio. 4. LIMITES DE RESPONSABILIDADE Caso o envio sofra qualquer dano ou perda imputável ao TRANSPORTADOR, suas filiais, agentes ou colaboradores, a responsabilidade do TRANSPORTADOR será regulada, consoante o caso, pelas disposições e dentro dos limites de responsabilidade seguintes: A) Tratando-se de TRANSPORTE AÉREO INTERNACIONAL: se o transporte do envio implicar, como destino final, ou como escala, um país distinto do país de 9

10 partida, será regulado pela Convenção de Montreal de 28 de Maio de 1999 ou pela Convenção de Varsóvia de 12 de Dezembro de 1929 (modificada em Haia em 1955 e pelo Protocolo nº 4 de Montreal de 1975), as quais, na maior parte dos casos, limitam a responsabilidade do TRANSPORTADOR em caso de destruição, perda, avaria ou atraso a 17 direitos de saque especiais por quilograma (aproximadamente 21 euros, sujeito às variações cambiais). B) Tratando-se de TRANSPORTE INTERNACIONAL POR ESTRADA: se o envio for transportado por estrada de ou até um país que faça parte da Convenção Relativa ao Contrato de Transporte Internacional de Mercadorias por Estrada (CMR) de 19 de Maio de 1956 (modificada pelo Protocolo de Genebra de 1978), o transporte será regulado por esta Convenção, a qual, na maior parte dos casos, limita a responsabilidade do TRANSPORTADOR por dano ou perda do envio a um máximo de 8,33 direitos de saque especiais por quilograma (aproximadamente, 10 euros, sujeito às variações cambiais). C) Se não for aplicável nenhuma das Convenções referidas, a responsabilidade do TRANSPORTADOR terá como limite máximo o valor que, no momento em que se produza o dano ou perda, esteja fixada no Regime Jurídico do Contrato de Transporte Rodoviário Nacional de Mercadorias. O EXPEDIDOR poderá fazer uma declaração especial de valor do envio, indicando um valor superior aos referidos limites máximos de responsabilidade, sempre que pague o valor do seguro adicional correspondente, caso em que a responsabilidade, do TRANSPORTADOR se limitará ao pagamento do valor declarado, a menos que se demonstre que o valor declarado é superior ao valor real. O VALOR DECLARADO PARA EFEITOS ALFANDEGÁRIOS NÃO IMPLICA, EM NENHUM CASO, QUE SE TENHA EFETUADO A REFERIDA DECLARAÇÃO ESPECIAL DE VALOR. Quando o valor real do envio, no momento e lugar da entrega ao TRANSPORTADOR, for inferior ao valor resultante da aplicação dos limites de responsabilidade das alíneas anteriores, consoante o caso, a indemnização ajustar-se- -á ao valor real, o qual não incluiu a utilidade comercial ou o valor especial que o envio tenha para o EXPEDIDOR ou para terceiro. Não obstante, o EXPEDIDOR poderá optar, segundo o seu critério, entre receber a indemnização ou realizar um novo envio com as mesmas caraterísticas, no que respeita à sua natureza, dimensões e peso, sem quaisquer encargos. Salvo em caso de dolo ou de culpa grave, o TRANSPORTADOR não será responsável por quaisquer danos ou prejuízos indiretos, considerando-se como tais qualquer dano emergente de índole indireta ou o lucro cessante que possa sofrer o EXPEDIDOR, o destinatário ou terceiro. O conceito de dano ou prejuízo indireto inclui, a título exemplificativo e não taxativo, a perda de receitas, danos à imagem, benefícios, interesses, clientes, contratos, oportunidades de negócio e mercados. 10

11 O TRANSPORTADOR também não será responsável nos seguintes casos: A) Força maior, caso fortuito ou qualquer ação ou omissão que esteja fora do seu controle (como greves, conflitos laborais, distúrbios civis, atos bélicos, atos terroristas e demais circunstâncias análogas) e, especialmente, pelas ações ou omissões imputáveis às autoridades aduaneiras, aeroportuárias ou outros funcionários ou empregados públicos, na saída, entrada ou trânsito do envio. B) Incumprimento pelo EXPEDIDOR das presentes condições gerais, em particular da cláusula 2. anterior. Em concreto, o TRANSPORTADOR não se responsabilizará dos danos ou perdas sofridas pelo envio em consequência da deficiente embalagem do mesmo, cuja realização compete ao EXPEDIDOR, nos termos do disposto na alínea b) da cláusula 2.1 do presente contrato. C) Dano ou perda resultante da natureza ou vício próprio do envio e das alterações magnéticas, elétricas ou semelhantes em qualquer tipo de gravação, salvo se o mesmo resultar de dolo ou de culpa grave. Quando o dano ou perda do envio for imputável às filiais, agentes ou outros colaboradores do TRANSPORTADOR, este assumirá a responsabilidade nos termos estipulados no presente contrato, sem prejuízo do seu direito de regresso contra a filial, agente ou colaborador que for responsável efetivo pelo dano ou perda. Em conformidade, o dito responsável efetivo estará obrigado para com o EXPEDIDOR da mesma forma e com os mesmos limites de responsabilidade estabelecidos neste contrato. 5. RECLAMAÇÕES Todas as reclamações devem ser apresentadas, por escrito, pelo EXPEDIDOR ao TRANSPORTADOR, nos 7 (sete) dias seguintes à entrega do envio no seu destino, no caso de perda parcial, avaria ou atraso, ou, no caso de perda total, nos 30 (trinta) dias seguintes à aceitação, pelo TRANSPORTADOR, do envio para ser expedido. Todavia, se a Convenção Internacional ou a Lei nacional aplicáveis estabelecerem um prazo mais curto, é este último o prazo aplicável. Não se aceitará nenhuma reclamação realizada fora do referido prazo ou quando o EXPEDIDOR não tenha cumprido previamente as obrigações que o presente contrato lhe impõe. 6. ENTREGA DO ENVIO NO DESTINO OU RECOLHA PELO DESTINATÁRIO Salvo se as normas ou as autoridades do país de destino exigirem o desalfandegamento pelo próprio destinatário do envio ou por agente por ele designado expressamente, a entrega do envio realiza-se no endereço indicado 11

12 como lugar de destino na face do presente documento. Considera-se entregue o envio quando aceite por pessoa no endereço indicado, seja ou não o destinatário que consta da face do presente documento. Sempre que o EXPEDIDOR o solicite, o TRANSPORTADOR facultar-lhe-á a informação relativa à entrega no endereço indicado como lugar de destino, mediante comunicação do nome do recetor do envio e da data e hora da entrega. 7. IMPOSSIBILIDADE DE ENTREGA DO ENVIO AO DESTINATÁRIO Quando seja recusado o envio no destino ou por qualquer outra causa não imputável ao TRANSPORTADOR, suas filiais, agentes ou colaboradores, não possa realizar-se a entrega do envio, o TRANSPORTADOR, logo que lhe seja possível, comunicará ao EXPEDIDOR as circunstâncias que impedem a entrega. Neste caso, o EXPEDIDOR deverá informar, por escrito, no prazo máximo de quinze dias a contar da receção da referida comunicação, se pretende recuperar o envio ou que o envio seja remetido para outro lugar de destino. Decorrido o prazo sem que o EXPEDIDOR haja exercido aquela faculdade, o envio será tratado de acordo com a norma legal aplicável em função da natureza e do tipo de envio. Em qualquer caso, fica a cargo do EXPEDIDOR o pagamento da tarifa correspondente, bem como o reembolso de quaisquer despesas ou custos ocasionados. 8. DESALFANDEGAMENTO, FORMALIDADES ADUANEIRAS E DE SEGURANÇA A aceitação do envio pelo TRANSPORTADOR implica a sua designação pelo EXPEDIDOR como representante plenamente autorizado para promover o desalfandegamento do envio, quando seja necessário, assim como para designar um Despachante ou outro representante autorizado para esse fim. O EXPEDIDOR está obrigado a facultar toda a documentação e informação necessária ao cumprimento das formalidades alfandegárias, para-alfandegárias e de segurança previamente à receção do envio. O TRANSPORTADOR não está obrigado a examinar ou comprovar se a referida documentação e informação é exata ou suficiente. O EXPEDIDOR compromete-se a indemnizar o TRANSPORTADOR por qualquer sanção, despesa ou custo em que possa incorrer no cumprimento das formalidades alfandegárias, para-alfandegárias e de segurança, por qualquer causa que seja imputável àquele. 9. ENCARGOS E DESPESAS SUPLEMENTARES O TRANSPORTADOR não está obrigado a adiantar o pagamento de qualquer encargo ou despesa devidos pelo EXPEDIDOR em consequência da execução do presente contrato, tais como direitos aduaneiros, armazenamento, impostos ou qualquer outro encargo ou ónus. Não obstante, o TRANSPORTADOR poderá, 12

13 voluntariamente, adiantar o pagamento de tais encargos ou despesas, que nesse caso deverão ser reembolsados ao TRANSPORTADOR pelo EXPEDIDOR, sem qualquer demora, logo que lhe seja comunicado o respetivo desembolso. 10. LEI APLICÁVEL E JURISDIÇÃO O presente contrato rege-se pela Lei portuguesa. Para resolução de qualquer litígio emergente do presente contrato, as Partes, com renúncia expressa a qualquer outro procedimento de resolução de litígios, submetem-se aos Tribunais Judiciais Portugueses que sejam competentes para julgar a ação de acordo com o disposto na Lei vigente aplicável. 11. PROTEÇÃO DE DADOS PESSOAIS Em aplicação da Lei n.º 67/98, de 26 de Outubro (Lei de Proteção de Dados Pessoais), artigo 10.º, informa-se, e o EXPEDIDOR autoriza expressamente, a recolha e o tratamento dos dados pessoais que constam do presente documento, que serão guardados numa base de dados da responsabilidade do TRANSPORTADOR, com a finalidade da prestação de serviços ao abrigo da marca MRW e/ou da realização de ações comerciais. Informa-se ainda, e o EXPEDIDOR autoriza, que os seus dados podem ser cedidos, para os indicados fins, de forma total ou parcial, a empresas do grupo empresarial MRW ou relacionadas com a dita marca, cujas atividades estejam relacionadas com o transporte postal ou de mercadorias. Em qualquer momento o EXPEDIDOR poderá revogar o consentimento dado, bem como exercer os seus direitos de acesso, retificação, apagamento ou bloqueio dos dados, nos termos previstos na lei em vigor, dirigindo-se por escrito a: MRW, Urbanização da Terra Comprida, Lote 1, Vialonga, Portugal. 13

Uma opção mais económica para envios (de um só volume) até 25 quilos com destino à Europa, América, Ásia e Oceânia e com novos tarifários de 1kg e

Uma opção mais económica para envios (de um só volume) até 25 quilos com destino à Europa, América, Ásia e Oceânia e com novos tarifários de 1kg e Uma opção mais económica para envios (de um só volume) até 25 quilos com destino à Europa, América, Ásia e Oceânia e com novos tarifários de 1kg e 2kg. 1 SERVIÇO ECOBOX25 - Envios de documentos e encomendas

Leia mais

DHL EXPRESS TERMOS E CONDIÇÕES DE TRANSPORTE («Termos e Condições») AVISO IMPORTANTE

DHL EXPRESS TERMOS E CONDIÇÕES DE TRANSPORTE («Termos e Condições») AVISO IMPORTANTE DHL EXPRESS TERMOS E CONDIÇÕES DE TRANSPORTE («Termos e Condições») AVISO IMPORTANTE Ao contratar os serviços da DHL, o Remetente aceita, em seu nome e em nome de todos os interessados no Envio, a aplicação

Leia mais

Condições Gerais de Prestação de Serviços

Condições Gerais de Prestação de Serviços Índice Art.º 1 - Objectivo e definições...2 Art.º 2 Pedidos de Orçamento para os serviços de Transporte...2 Art.º 3 - Seguros...3 Art.º 4 - Execução das prestações...3 Art.º 5 Itinerário de Transporte...3

Leia mais

momento em que a DHL aceitar transportá-la, a menos que de outro modo acordado por escrito entre você

momento em que a DHL aceitar transportá-la, a menos que de outro modo acordado por escrito entre você TERMOS E CONDIÇÕES DE TRANSPORTE ( Termos e Condições ) NOTA IMPORTANTE Ao solicitar os serviços courier da DHL, você, como Remetente, concorda, em seu próprio nome e em nome das pessoas que você representa,

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE TRANSPORTE DA XBS LOG, LDA.

TERMOS E CONDIÇÕES DE TRANSPORTE DA XBS LOG, LDA. TERMOS E CONDIÇÕES DE TRANSPORTE DA XBS LOG, LDA. 1. Noções Para efeitos dos presentes termos e condições que regulam o Contrato de Transporte celebrado entre a XBS e o Cliente, os termos abaixo indicados

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELAS EMPRESAS TRANSITÁRIAS

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELAS EMPRESAS TRANSITÁRIAS CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELAS EMPRESAS TRANSITÁRIAS A actividade transitária só pode ser exercida por empresas legalmente constituídas, com o objecto social adequado e que obtenham junto

Leia mais

Serviço aéreo urgente para a entrega de documentos e encomendas em qualquer parte do mundo, com ótimos tempos de trânsito.

Serviço aéreo urgente para a entrega de documentos e encomendas em qualquer parte do mundo, com ótimos tempos de trânsito. Serviço aéreo urgente para a entrega de documentos e encomendas em qualquer parte do mundo, com ótimos tempos de trânsito. Supercity: A opção mais económica do Serviço Express, para documentos até 250

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA DA NEFAB (tradução para Português)

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA DA NEFAB (tradução para Português) CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA DA NEFAB (tradução para Português) Válidas desde 10-10-2005 Em caso de discrepância entre a versão inglesa e a tradução portuguesa das condições gerais de venda, ou em caso de

Leia mais

Decreto-Lei n.º 239/2003, de 4 de Outubro, estabelece o regime jurídico do contrato de transporte rodoviário nacional de mercadorias;

Decreto-Lei n.º 239/2003, de 4 de Outubro, estabelece o regime jurídico do contrato de transporte rodoviário nacional de mercadorias; Decreto-Lei n.º 239/2003, de 4 de Outubro, estabelece o regime jurídico do contrato de transporte rodoviário nacional de mercadorias; O Código Comercial de 1888, de Veiga Beirão, fonte exclusiva de todo

Leia mais

TERMOS e CONDIÇÕES de TRANSPORTE e ARMAZENAMENTO

TERMOS e CONDIÇÕES de TRANSPORTE e ARMAZENAMENTO Pack and Go Portugal Page 1 of 6 TERMOS e CONDIÇÕES de TRANSPORTE e ARMAZENAMENTO 1. DEFINIÇÕES a. Calamar Rapido: Calamar Rápido - Mudanças e Transportes Limitada, inclui ainda quaisquer sociedades ou

Leia mais

Decreto-Lei nº 239/2003 de 4 de Outubro (Regime jurídico do contrato de transporte rodoviário nacional de mercadorias)

Decreto-Lei nº 239/2003 de 4 de Outubro (Regime jurídico do contrato de transporte rodoviário nacional de mercadorias) Decreto-Lei nº 239/2003 de 4 de Outubro (Regime jurídico do contrato de transporte rodoviário nacional de mercadorias) O Código Comercial de 1888, de Veiga Beirão, fonte exclusiva de todo o direito comercial

Leia mais

I OBJECTO II GARANTIAS DE ENTREGA

I OBJECTO II GARANTIAS DE ENTREGA TRANSPORTA TRANSPORTES PORTA A PORTA, S.A. CONDIÇÕES GERAIS I OBJECTO As presentes condições gerais têm como objecto a prestação de serviços de recolha e transporte de remessas do expedidor até aos destinatários

Leia mais

POLÍTICA DE BAGAGEM NA CABINE

POLÍTICA DE BAGAGEM NA CABINE HORÁRIOS DO CHECK-IN Os balcões de check-in da Emirates em todo o mundo abrem no mínimo três horas antes do embarque. Os passageiros da Primeira Classe e da Classe Executiva devem se dirigir aos balcões

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2013. RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2013. Dispõe sobre as condições gerais de transporte aplicáveis ao transporte aéreo doméstico e internacional de bagagem. A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL ANAC, no

Leia mais

TERMO E CONDIÇÕES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO SEDEX 10

TERMO E CONDIÇÕES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO SEDEX 10 1. SERVIÇO SEDEX 10 é o serviço de remessa expressa de documentos e mercadorias com entrega garantida até às 10 horas do dia útil seguinte ao da postagem. 1.1. O serviço SEDEX 10 possui os seguintes serviços

Leia mais

REGRAS PADRÃO DA FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DE TRANSITÁRIOS (FIATA) PARA SERVIÇOS DE AGENTE TRANSITÁRIO PARTE I -DISPOSIÇÕES GERAIS

REGRAS PADRÃO DA FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DE TRANSITÁRIOS (FIATA) PARA SERVIÇOS DE AGENTE TRANSITÁRIO PARTE I -DISPOSIÇÕES GERAIS REGRAS PADRÃO DA FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DE TRANSITÁRIOS (FIATA) PARA SERVIÇOS DE AGENTE TRANSITÁRIO PARTE I -DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Aplicabilidade 1.1. As regras presentes entram em vigor quando incorporadas

Leia mais

ACORDO SOBRE TRANSPORTE MULTIMODAL NO ÂMBITO DO MERCOSUL

ACORDO SOBRE TRANSPORTE MULTIMODAL NO ÂMBITO DO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. 15/94 ACORDO SOBRE TRANSPORTE MULTIMODAL NO ÂMBITO DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: o Tratado de Assunção, as Decisões 4/91 e 1/92 do Conselho do Mercado Comum e a Recomendação conjunta 1/94

Leia mais

TERMO E CONDIÇÕES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO SEDEX

TERMO E CONDIÇÕES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO SEDEX 1. SERVIÇO SEDEX é o serviço de remessa expressa de documentos e mercadorias. 1.1. O serviço SEDEX possui os seguintes serviços adicionais: a. Aviso de Recebimento AR: serviço que possibilita a devolução

Leia mais

5. TIPOS DE SERVIÇO PRESTADOS TARIFÁRIO E FATURAÇÃO

5. TIPOS DE SERVIÇO PRESTADOS TARIFÁRIO E FATURAÇÃO s oc i alde230. 000. 000, 00Eur os,s í t i onai nt er net 4.4. O CLIENTE compromete-se igualmente a observar todas as disposições legais aplicáveis, nomeadamente, a não praticar ou a fomentar a prática

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS TERMO E CONDIÇÕES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PAC

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS TERMO E CONDIÇÕES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PAC 1. SERVIÇO PAC é o serviço de encomenda da linha econômica para o envio exclusivo de mercadoria. 2. ABRANGÊNCIA O serviço de Encomenda PAC possui cobertura nacional. 3. POSTAGEM 3.1. A postagem poderá

Leia mais

Conheça os seus direitos em caso de: Recusa de embarque Cancelamento de voo Atrasos prolongados Colocação em classe inferior Viagens organizadas

Conheça os seus direitos em caso de: Recusa de embarque Cancelamento de voo Atrasos prolongados Colocação em classe inferior Viagens organizadas OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO AS NOVAS REGRAS Dia 17 de Fevereiro entra em vigor o Regulamento (CE) n.º 261/2004, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de Fevereiro de 2004, que

Leia mais

Correios é o parceiro de 9 em cada 10 sites de e-commerce no Brasil.

Correios é o parceiro de 9 em cada 10 sites de e-commerce no Brasil. Correios é o parceiro de 9 em cada 10 sites de e-commerce no Brasil. Sabe por quê? Porque os Correios têm as melhores soluções de ponta a ponta para todas as etapas do e-commerce. Porque têm a melhor cobertura

Leia mais

TERMINAIS FERROVIÁRIOS DE MERCADORIAS DE LEIXÕES E DA BOBADELA REGULAMENTO DE ACESSO E TARIFA DE UNIDADES DE TRANSPORTE INTERMODAL (UTI)

TERMINAIS FERROVIÁRIOS DE MERCADORIAS DE LEIXÕES E DA BOBADELA REGULAMENTO DE ACESSO E TARIFA DE UNIDADES DE TRANSPORTE INTERMODAL (UTI) TERMINAIS FERROVIÁRIOS DE MERCADORIAS DE LEIXÕES E DA BOBADELA REGULAMENTO DE ACESSO E TARIFA DE UNIDADES DE TRANSPORTE INTERMODAL (UTI) Artigo 1.º Objeto Pelo presente estabelece-se as condições que regem

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELAS EMPRESAS TRANSITÁRIAS. 1 TEU transitário. Artigo 1º Definições. Artigo 2º Âmbito

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELAS EMPRESAS TRANSITÁRIAS. 1 TEU transitário. Artigo 1º Definições. Artigo 2º Âmbito Artigo 1º Definições Artigo 2º Âmbito Artigo 3º Aplicabilidade Artigo 4º Apresentação dos preços Artigo 5º Alteração dos preços Artigo 6º Revisão de preços e condições Artigo 7º Validade das propostas

Leia mais

Condições Gerais de Venda da. Rodamientos Feyc SA, Sucursal em Portugal

Condições Gerais de Venda da. Rodamientos Feyc SA, Sucursal em Portugal Condições Gerais de Venda da Rodamientos Feyc SA, Sucursal em Portugal Siglas: RF Rodamientos Feyc SA, Sucursal em Portugal CGV Condições Gerais de Veda 1. Âmbito 1.As presentes condições gerais estabelecem

Leia mais

Dispõe sobre o transporte rodoviário de cargas por conta de terceiros e mediante remuneração e revoga a Lei nº 6.813, de 10 de julho de 1980.

Dispõe sobre o transporte rodoviário de cargas por conta de terceiros e mediante remuneração e revoga a Lei nº 6.813, de 10 de julho de 1980. LEI Nº 11.442, de 05/01/2007 Dispõe sobre o transporte rodoviário de cargas por conta de terceiros e mediante remuneração e revoga a Lei nº 6.813, de 10 de julho de 1980. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço

Leia mais

PT Comunicações, S.A. SEDE: Rua Andrade Corvo,, 6 Lisboa N.º de Pessoa Coletiva 504615947.Matricula 09406 CRCL Capital Social de Eur.: 1.150.000.

PT Comunicações, S.A. SEDE: Rua Andrade Corvo,, 6 Lisboa N.º de Pessoa Coletiva 504615947.Matricula 09406 CRCL Capital Social de Eur.: 1.150.000. CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO VoIP da PT COMUNICAÇÕES S.A., inscrita na CRCL sob o número único de matricula e pessoa coletiva 504 615 947 com sede na Rua Andrade Corvo, n.º 6, Lisboa, com o

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À "INTERNET" Minuta

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET Minuta I CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À "INTERNET" Minuta O PRESENTE CONTRATO FOI APROVADO PELO INSTITUTO DAS COMUNICAÇÕES DE PORTUGAL, NOS TERMOS E PARA OS EFEITOS DO ARTIGO 9/2 DO DECRETO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos ADVERTÊNCIA Informamos que os textos das normas constantes deste material são digitados ou digitalizados, não sendo, portanto, textos oficiais. São reproduções digitais de textos publicados na internet

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos ADVERTÊNCIA Informamos que os textos das normas constantes deste material são digitados ou digitalizados, não sendo, portanto, textos oficiais. São reproduções digitais de textos publicados na internet

Leia mais

LEI N. 11.442, DE 05 DE JANEIRO DE 2007

LEI N. 11.442, DE 05 DE JANEIRO DE 2007 LEI N. 11.442, DE 05 DE JANEIRO DE 2007 Dispõe sobre o transporte rodoviário de cargas por conta de terceiros e mediante remuneração e revoga a Lei n. 6.813, de 10 de julho de 1980 Alterações: Lei n. 12249,

Leia mais

Procedimento n.º 09/2015/DGF-A. Caderno de Encargos para Aquisição de Serviços de Patrocínio Judiciário e Assessoria Jurídica na Modalidade de Avença

Procedimento n.º 09/2015/DGF-A. Caderno de Encargos para Aquisição de Serviços de Patrocínio Judiciário e Assessoria Jurídica na Modalidade de Avença Procedimento n.º 09/2015/DGF-A Caderno de Encargos para Aquisição de Serviços de Patrocínio Judiciário e Assessoria Jurídica na Modalidade de Avença Índice Cláusulas Jurídicas... 4 Capitulo I - Disposições

Leia mais

Condições de Gerais de Utilização

Condições de Gerais de Utilização Condições de Gerais de Utilização O presente contrato estabelece condições de relacionamento comercial acordadas entre Marinartes - Artes Decorativas Online, doravante designado por Marinartes e por pessoas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.442, DE 5 DE JANEIRO DE 2007. Mensagem de veto Dispõe sobre o transporte rodoviário de cargas por conta de terceiros e mediante

Leia mais

REGRAS PADRÃO FIATA PARA SERVIÇOS DE AGENTE TRANSITÁRIO

REGRAS PADRÃO FIATA PARA SERVIÇOS DE AGENTE TRANSITÁRIO REGRAS PADRÃO FIATA PARA SERVIÇOS DE AGENTE TRANSITÁRIO PARTE I - DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Pertinência 1.1. As presentes regras passam a vigorar quando incluídas em contrato, o que se dá por escrito, verbalmente

Leia mais

GUIA PARA EXPEDIDORES CONHECIDOS 1

GUIA PARA EXPEDIDORES CONHECIDOS 1 GUIA PARA EXPEDIDORES CONHECIDOS 1 O presente guia permitirá às empresas avaliar as medidas de segurança tomadas em cumprimento dos critérios aplicáveis aos expedidores conhecidos, conforme previsto no

Leia mais

Termo e condições de prestação de serviço Correios Encomenda Pré-Paga via Internet

Termo e condições de prestação de serviço Correios Encomenda Pré-Paga via Internet Termo e condições de prestação de serviço Correios Encomenda Pré-Paga via Internet Leia atentamente antes da aceitação e utilização do serviço. 1. SERVIÇO Correios Encomenda Pré-paga via Internet é o serviço

Leia mais

PARTE 1 REGULAMENTAÇÃO

PARTE 1 REGULAMENTAÇÃO Página: 1 de 7 SECÇÃO 2 SEGURO 2.1 CONDIÇÕES GERAIS DE SEGURO Clausulas Gerais I. Conteúdo do Seguro A carga entregue para transporte pode ser segurada através da SATA ou seu Agente Autorizado, a pedido

Leia mais

6546 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 230 4 de Outubro de 2003 MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS

6546 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 230 4 de Outubro de 2003 MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS 6546 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 230 4 de Outubro de 2003 MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Aviso n. o 206/2003 Por ordem superior se torna público que, em 25 de Julho e em 19 de Setembro de

Leia mais

Solução Poupança Zurich Condições Gerais

Solução Poupança Zurich Condições Gerais Solução Poupança Zurich Condições Gerais Cláusula Preliminar Entre a Zurich - Companhia de Seguros Vida, S.A., entidade legalmente autorizada a exercer a atividade seguradora no Ramo Vida, doravante designada

Leia mais

CONDIÇÕES DE VENDA. 1. Prazo de entrega O prazo de entrega é o referido na confirmação da encomenda, salvo acordo em contrário.

CONDIÇÕES DE VENDA. 1. Prazo de entrega O prazo de entrega é o referido na confirmação da encomenda, salvo acordo em contrário. CONDIÇÕES DE VENDA A venda de produtos da Portucel Soporcel Fine Paper S.A. ( vendedor ) é regulada pelas condições abaixo descritas, em conformidade com as práticas em vigor na indústria e comércio de

Leia mais

MILINHA VITOR P. GOMES, UNIPESSOAL, LDA

MILINHA VITOR P. GOMES, UNIPESSOAL, LDA CONDIÇÕES GERAIS E PARTICULARES DE VENDA ON-LINE As presentes CONDIÇÕES GERAIS E PARTICULARES DE VENDA ON-LINE são acordadas livremente e de boa-fé entre Vitor Pereira Gomes, Unipessoal, Lda. com sede

Leia mais

Prove Viseu Dão Lafões 2014

Prove Viseu Dão Lafões 2014 Prove Viseu Dão Lafões 2014 FICHA DE INSCRIÇÃO ORGANIZAÇÃO APOIO INSTITUCIONAL CO-FINANCIAMENTO 1/3 Prove Viseu Dão Lafões 2014 1. CALENDÁRIO HORÁRIO DO EVENTO 4 julho / 18:00 24:00 5 julho / 12:00 24:00

Leia mais

4) O CLIENTE deverá a fornecer seus dados pessoais de forma completa e real, devendo atualizá-los sempre que necessário e/ou solicitado;

4) O CLIENTE deverá a fornecer seus dados pessoais de forma completa e real, devendo atualizá-los sempre que necessário e/ou solicitado; TERMOS E CONDIÇÕES Estes Termos e Usos (doravante denominados "Termos e Condições") regulamenta a prestação de serviço por parte da TUDO DA GRINGA (doravante denominada EMPRESA ) oferece ao seu CLIENTE.

Leia mais

VENDAS Á DISTÂNCIA. Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico. Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância

VENDAS Á DISTÂNCIA. Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico. Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância VENDAS Á DISTÂNCIA Enquadramento Legal Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância No que respeita à forma da contratação electrónica, estipula

Leia mais

AIR LIQUIDE SOLDADURA, LDA. CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA

AIR LIQUIDE SOLDADURA, LDA. CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA AIR LIQUIDE SOLDADURA, LDA. CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA Junho de 2015 Primeira.- Definições. Produtos significa todos os equipamentos, instalações, consumíveis, processos, sistemas, soluções e serviços relacionados

Leia mais

Convenção Postal Universal

Convenção Postal Universal Convenção Postal Universal Os abaixo assinados, Plenipotenciários dos Governos dos Países membros da União, face ao disposto no parágrafo 3 do artigo 22.º da Constituição da União Postal Universal, concluída

Leia mais

Anexo VI Termos e Condições Gerais (Ordem de Compra)

Anexo VI Termos e Condições Gerais (Ordem de Compra) Anexo VI Termos e Condições Gerais (Ordem de Compra) 1. ACEITAÇÃO DA ORDEM DE COMPRA Esta Ordem de Compra somente será aceita pelo PNUD mediante a assinatura por ambas as partes e fornecimento de acordo

Leia mais

EMS BUSINESS EMS MARÍTIMO EMS TODAY 2 EMS TODAY EMS URBANO EMS CARGA EMS IMPORT EXPRESS

EMS BUSINESS EMS MARÍTIMO EMS TODAY 2 EMS TODAY EMS URBANO EMS CARGA EMS IMPORT EXPRESS 2013 EMS BUSINESS EMS MARÍTIMO EMS TODAY 2 EMS TODAY EMS URBANO EMS CARGA EMS IMPORT EXPRESS NACIONAL SAMEDAY SERVICE D+0 PRODUTOSERVIÇOS 1.1 EMS TODAY Respondendo a necessidades urgentes no mesmo dia,

Leia mais

Termos e Condições Gerais para Fornecedores (TCG,

Termos e Condições Gerais para Fornecedores (TCG, Termos e Condições Gerais para Fornecedores (TCG, 1. Escopo Estes TCG são aplicáveis à relação jurídica entre a SIG Combibloc Grupo AG ou qualquer de suas afiliadas (doravante SIG) e o Fornecedor. Estes

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIAIS RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANOS CAUSADOS AS MERCADORIAS TRANSPORTADAS NO EXERCICIO DA ACTIVIDADE DE TRANSPORTADOR DE MERCADORIAS.

CONDIÇÕES ESPECIAIS RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANOS CAUSADOS AS MERCADORIAS TRANSPORTADAS NO EXERCICIO DA ACTIVIDADE DE TRANSPORTADOR DE MERCADORIAS. CONDIÇÕES ESPECIAIS RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANOS CAUSADOS AS MERCADORIAS TRANSPORTADAS NO EXERCICIO DA ACTIVIDADE DE TRANSPORTADOR DE MERCADORIAS. COBERTURA ARTIGO 1º 1.1. O Objecto desta cobertura

Leia mais

Contrato de Aquisição de Programas de Viagens.

Contrato de Aquisição de Programas de Viagens. O passageiro Sr.(a) está adquirindo neste momento o pacote turístico da OK OPERADORA DE TURISMO, denominado, com saída prevista para / /, através da agência, de acordo com roteiro anexo que fica fazendo

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL DO TRANSPORTADOR FERROVIÁRIO CARGA COBERTURA RESTRITA

CONDIÇÕES GERAIS PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL DO TRANSPORTADOR FERROVIÁRIO CARGA COBERTURA RESTRITA CONDIÇÕES GERAIS PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL DO TRANSPORTADOR FERROVIÁRIO CARGA COBERTURA RESTRITA Cláusula 1 a. - OBJETO DO SEGURO E RISCOS COBERTOS 1.1O presente seguro garante ao Segurado,

Leia mais

Termos e Condições Gerais de Compra

Termos e Condições Gerais de Compra Termos e Condições Gerais de Compra As encomendas e os contratos efectuados por qualquer das empresas do Grupo Linde em Portugal - Linde Sogás e Linde Saude (de ora em diante designadas qualquer delas

Leia mais

Termos e Condições Gerais de Vendas

Termos e Condições Gerais de Vendas Termos e Condições Gerais de Vendas 1º Escopo da aplicação (1) As condições a seguir são aplicáveis a todos os fornecimentos e serviços (por exemplo, instalações, projetos) da BrasALPLA. Estas condições

Leia mais

Condições gerais de compra da BASF e das suas filiais com sede em Espanha e Portugal.

Condições gerais de compra da BASF e das suas filiais com sede em Espanha e Portugal. em Espanha e Portugal. 1. Disposições gerais 1.1 As presentes gerais condições de compra constituem uma parte integral de todos os (futuros) contratos relativos à entrega de mercadorias ou à prestação

Leia mais

TERMO E CONDIÇÕES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO SEDEX

TERMO E CONDIÇÕES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO SEDEX 1. SERVIÇO SEDEX é o serviço de remessa expressa de documentos e mercadorias. 1.1. O serviço SEDEX possui os seguintes serviços adicionais: a. Aviso de Recebimento AR: serviço que possibilita a devolução

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA ARRENDAMENTO COMERCIAL DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO/BEBIDAS DO PARQUE MANUEL DE CASTRO, EM CUBA CADERNO DE ENCARGOS

CONCURSO PÚBLICO PARA ARRENDAMENTO COMERCIAL DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO/BEBIDAS DO PARQUE MANUEL DE CASTRO, EM CUBA CADERNO DE ENCARGOS CONCURSO PÚBLICO PARA ARRENDAMENTO COMERCIAL DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO/BEBIDAS DO PARQUE MANUEL DE CASTRO, EM CUBA CADERNO DE ENCARGOS CLÁUSULAS GERAIS Artº. 1º Âmbito de aplicação As cláusulas

Leia mais

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Contrato de Prestação de Serviço por Avença, de uma Dietista, com duração de 12 meses = SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO

Leia mais

Regime de Responsabilidade Civil dos Transportadores e Operadores Aéreos Regulamentos Administrativos No 11/2004 e No 19/2011

Regime de Responsabilidade Civil dos Transportadores e Operadores Aéreos Regulamentos Administrativos No 11/2004 e No 19/2011 Regime de Responsabilidade Civil dos Transportadores e Operadores Aéreos Regulamentos Administrativos No 11/2004 e No 19/2011 Perguntas e Respostas 1. A que se referem as expressões transportador aéreo

Leia mais

SENADO FEDERAL. Art. 1º A Lei nº 11.442, de 5 de janeiro de 2007, passa a vigorar acrescida do seguinte art. 3º-A:

SENADO FEDERAL. Art. 1º A Lei nº 11.442, de 5 de janeiro de 2007, passa a vigorar acrescida do seguinte art. 3º-A: SENADO FEDERAL Altera a Lei nº 11.442, de 5 de janeiro de 2007, que dispõe sobre o transporte rodoviário de cargas por conta de terceiros e mediante remuneração e revoga a Lei nº 6.813, de 10 de julho

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE Governo Decreto lei n.º 18/2003 de 08 de Outubro. Contrato de Transporte Rodoviário

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE Governo Decreto lei n.º 18/2003 de 08 de Outubro. Contrato de Transporte Rodoviário REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE Governo Decreto lei n.º 18/2003 de 08 de Outubro Contrato de Transporte Rodoviário O I Governo de Timor Leste estabeleceu, com a aprovação do Programa Legislativo do

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS INTRODUÇÃO

CONDIÇÕES GERAIS INTRODUÇÃO CONDIÇÕES GERAIS INTRODUÇÃO As presentes condições gerais fazem parte integrante do programa / catálogo / documento informativo em que se inserem, constituindo, na ausência de documento autónomo, o contrato

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA O presente conjunto de Condições Gerais de Venda da GLUAL HIDRÁULICA se aplica a todas as entregas e a todos os serviços. ARTIGO 1. INFORMAÇÕES GERAIS ARTIGO 2. - OFERTAS E PEDIDOS ARTIGO 3. ESTUDOS, PLANTAS

Leia mais

NATIONAL INSTRUMENTS TERMOS E CONDIÇÕES DE VENDA

NATIONAL INSTRUMENTS TERMOS E CONDIÇÕES DE VENDA NATIONAL INSTRUMENTS TERMOS E CONDIÇÕES DE VENDA Os termos e condições previstos no presente ( Contrato ) aplicam-se à sua ( Cliente ) compra de hardware da NI ( Hardware ), licenças de uso de software

Leia mais

CONCURSO PARA ATRIBUIÇÃO DE ARRENDAMENTO COMERCIAL DE LOJAS NO MERCADO MUNICIPAL DA NAZARÉ CADERNO DE ENCARGOS. Artigo 1.º Âmbito de Aplicação

CONCURSO PARA ATRIBUIÇÃO DE ARRENDAMENTO COMERCIAL DE LOJAS NO MERCADO MUNICIPAL DA NAZARÉ CADERNO DE ENCARGOS. Artigo 1.º Âmbito de Aplicação CONCURSO PARA ATRIBUIÇÃO DE ARRENDAMENTO COMERCIAL DE LOJAS NO MERCADO MUNICIPAL DA NAZARÉ CADERNO DE ENCARGOS Artigo 1.º Âmbito de Aplicação As cláusulas gerais deste caderno de encargos aplicam-se aos

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Assim, o conselho diretivo do IMT, I.P., em reunião ordinária, realizada em 22 de fevereiro de 2013, delibera o seguinte:

DELIBERAÇÃO. Assim, o conselho diretivo do IMT, I.P., em reunião ordinária, realizada em 22 de fevereiro de 2013, delibera o seguinte: DELIBERAÇÃO CONTRATO DE GESTÃO DE CENTRO DE INSPEÇÃO DE VEÍCULOS A Lei n.º 11/2011, de 26 de abril, que estabelece o regime jurídico de acesso e permanência na atividade de inspeção técnica a veículos

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA I. Aplicabilidade Estas Condições Gerais serão aplicáveis a todas as vendas efetuadas pela Nefab e suas afiliadas (VENDEDOR) aos seus clientes (COMPRADOR). Desvios destas Condições

Leia mais

ARTIGO 1 DEFINIÇÃO DE CADA EXPRESSÃO UTILIZADA NESTAS CONDIÇÕES

ARTIGO 1 DEFINIÇÃO DE CADA EXPRESSÃO UTILIZADA NESTAS CONDIÇÕES CONDIÇÕES GERAIS DO TRANSPORTE 1. ARTIGO 1: DEFINIÇÃO DE CADA EXPRESSÃO UTILIZADA NESTAS CONDIÇÕES 2. ARTIGO 2: APLICABILIDADE 3. ARTIGO 3: BILHETES 4. ARTIGO 4: ESCALAS 5. ARTIGO 5: TARIFAS, IMPOSTOS,

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES APLICÁVEIS A NOTAS DE ENCOMENDA DA AMO

TERMOS E CONDIÇÕES APLICÁVEIS A NOTAS DE ENCOMENDA DA AMO TERMOS E CONDIÇÕES APLICÁVEIS A NOTAS DE ENCOMENDA DA AMO 1. Definições. AMO significa a ABBOTT MEDICAL OPTICS SPAIN, S.L. SUCURSAL EM PORTUGAL (uma sucursal matriculada em Portugal, sob o número 980262364

Leia mais

Procedimento n.º 08/2015/DGF-A. Caderno de Encargos para Aquisição de Serviços de Consultoria Contabilística e Financeira

Procedimento n.º 08/2015/DGF-A. Caderno de Encargos para Aquisição de Serviços de Consultoria Contabilística e Financeira Procedimento n.º 08/2015/DGF-A Caderno de Encargos para Aquisição de Serviços de Consultoria Contabilística e Financeira Índice Cláusulas Jurídicas... 4 Capítulo I - Disposições Gerais... 4 Cláusula 1.ª

Leia mais

Consulta Prévia ao Mercado 03/2012

Consulta Prévia ao Mercado 03/2012 Consulta Prévia ao Mercado 03/2012 CADERNO DE ENCARGOS Aquisição de Kits de Formação Projecto 074015/2012/23 Formações Modulares Certificadas Página 1 de 13 CADERNO DE ENCARGOS PARTE I CLÁUSULAS JURÍDICAS

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL DO TRANSPORTADOR RODOVIÁRIO EM VIAGEM INTERNACIONAL DANOS À CARGA TRANSPORTADA

CONDIÇÕES GERAIS PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL DO TRANSPORTADOR RODOVIÁRIO EM VIAGEM INTERNACIONAL DANOS À CARGA TRANSPORTADA CONDIÇÕES GERAIS PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL DO TRANSPORTADOR RODOVIÁRIO EM VIAGEM INTERNACIONAL DANOS À CARGA TRANSPORTADA Cláusula 1 - Objeto do Seguro e Risco Coberto 1.1 - O presente contrato

Leia mais

1. Titularidade do domínio www.estrelacoop.pt

1. Titularidade do domínio www.estrelacoop.pt 1. Titularidade do domínio www.estrelacoop.pt O site www. www.estrelacoop.pt encontra-se registado ao abrigo do Regulamento do registo de domínios/subdomínios de. PT", e é propriedade Estrelacoop Cooperativa

Leia mais

ALTERAÇÕES AO REGIME APLICÁVEL À PROTECÇÃO DOS DIREITOS DOS CONSUMIDORES EM MATÉRIA DE CONTRATOS CELEBRADOS À DISTÂNCIA

ALTERAÇÕES AO REGIME APLICÁVEL À PROTECÇÃO DOS DIREITOS DOS CONSUMIDORES EM MATÉRIA DE CONTRATOS CELEBRADOS À DISTÂNCIA NEWSLETTER 01.04.2014 TMT ALTERAÇÕES AO REGIME APLICÁVEL À PROTECÇÃO DOS DIREITOS DOS CONSUMIDORES EM MATÉRIA DE CONTRATOS CELEBRADOS À DISTÂNCIA Decreto-Lei n.º 24/2014, de 14 de Fevereiro, (Transpõe

Leia mais

ERMOS & CONDIÇÕES Ao aceder a este site

ERMOS & CONDIÇÕES Ao aceder a este site TERMOS & CONDIÇÕES Ao aceder a este site, ou a qualquer conteúdo do mesmo, o utilizador toma conhecimento e estabelece um acordo com a SDEA Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores, EPER

Leia mais

Regulamento do Passatempo Go to Festival Village 16

Regulamento do Passatempo Go to Festival Village 16 Regulamento do Passatempo Go to Festival Village 16 Cláusula Primeira A Canon Portugal S.A., com sede no Lagoas Park, Edifício 15, Piso 0 e 1, 2740-262 Porto Salvo, Oeiras, registada na Conservatória do

Leia mais

Contrato de Viagens. Nome Completo do Viajante (s) Carteira de Identidade CPF

Contrato de Viagens. Nome Completo do Viajante (s) Carteira de Identidade CPF Contrato de Viagens Nome Completo do Viajante (s) Carteira de Identidade CPF ENDEREÇO (...),Nº(...) BAIRRO(...),CIDADE (...),TELEFONE: ( )... CEP (...),UF(...) OBSERVAÇÃO:...... 1. CONDIÇOES GERAIS A formulou

Leia mais

Artigo 3º. Condições para o exercício de serviços admitidos no Aeroporto

Artigo 3º. Condições para o exercício de serviços admitidos no Aeroporto ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO do exercício de serviços de rent-a-car por empresas sem instalações no domínio público aeroportuário e com reserva devidamente comprovada (Aeroporto de Lisboa) Considerando que:

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA E FORNECIMENTO Schaeffler Iberia, s.l.u. (Divisão Industrial & Automotive)

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA E FORNECIMENTO Schaeffler Iberia, s.l.u. (Divisão Industrial & Automotive) CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA E FORNECIMENTO Schaeffler Iberia, s.l.u. (Divisão Industrial & Automotive) Todos os nossos fornecimentos e serviços para empresas, pessoas coletivas de direito público, bem como

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições 1997R2027 PT 30.05.2002 001.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B M1 REGULAMENTO (CE) N. o 2027/97 DO CONSELHO de 9 de Outubro de 1997 relativo à

Leia mais

Condições Gerais de Compra da Kautex Textron Portugal Produtos Plásticos, Sociedade Unipessoal, Lda.

Condições Gerais de Compra da Kautex Textron Portugal Produtos Plásticos, Sociedade Unipessoal, Lda. Condições Gerais de Compra da Kautex Textron Portugal Produtos Plásticos, Sociedade Unipessoal, Lda. Versão: Abril 2012 Português 1. Âmbito/Encomendas 1.1 Os presentes termos e condições de compra aplicam-se

Leia mais

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Contrato de Prestação de Serviço por Tarefa, de um Eletricista, com duração de 12 meses SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO A COMBINAÇÃO PERFEITA

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO A COMBINAÇÃO PERFEITA REGULAMENTO DA PROMOÇÃO A COMBINAÇÃO PERFEITA 1. Promoção 1.1. A Promoção A Combinação Perfeita, adiante Promoção, é uma iniciativa da Johnson & Johnson, Lda., empresa com sede na Estrada Consiglieri Pedroso,

Leia mais

IVA- Novas regras de faturação Alterações introduzidas pelo Dec-Lei n 197/2012, de 24.8 Esclarecimentos

IVA- Novas regras de faturação Alterações introduzidas pelo Dec-Lei n 197/2012, de 24.8 Esclarecimentos IVA- Novas regras de faturação Alterações introduzidas pelo Dec-Lei n 197/2012, de 24.8 Esclarecimentos 0 Decreto-Lei nº 197/2012, de 24 de agosto, introduz alterações às regras de faturação em matéria

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA Objeto e Âmbito de Aplicação As presentes Condições Gerais de Venda aplicam-se a quaisquer transações de natureza comercial realizadas diretamente com a ENACO. A compra de qualquer

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA DE HARTING Iberia, S.A.

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA DE HARTING Iberia, S.A. 1. Âmbito de aplicação. CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA DE. 1.1. As presentes condições gerais aplicar-se-ão a todas as vendas de produtos realizadas por. (doravante HARTING ) que obedeçam a encomendas, entendendo-se

Leia mais

Termos e condições para a prestação de serviços pela Caris MPI, Inc. ( Caris )

Termos e condições para a prestação de serviços pela Caris MPI, Inc. ( Caris ) Termos e condições para a prestação de serviços pela Caris MPI, Inc. ( Caris ) Os termos e condições ( Termos e Condições") descritas neste contrato aplicam-se ao fornecimento pela Caris de serviços de

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE COMPRA

CONDIÇÕES GERAIS DE COMPRA CONDIÇÕES GERAIS DE COMPRA I. Aplicabilidade Estas Condições Gerais serão aplicáveis a todas as compras efetuadas pela Nefab e suas afiliadas (COMPRADOR) junto aos seus fornecedores (VENDEDOR). Desvios

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS SCUBA TRIP

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS SCUBA TRIP CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS SCUBA TRIP Passageiros: 1 2 3 4 5 6 Dados do Pacote Comprado: Destino com saída em / / e retorno em / /, através da Agência de Viagens, de acordo com a reserva previamente

Leia mais

Responsabilidade Ambiental EnviroPro

Responsabilidade Ambiental EnviroPro Responsabilidade Ambiental EnviroPro Informações Pré- Contratuais Segurador AIG Europe Limited Sucursal em Portugal, entidade legalmente autorizada a exercer a atividade Seguradora e que, mediante o pagamento

Leia mais

Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores. Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos

Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores. Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos 2012 1. Qual a finalidade deste sistema de apoio? Este sistema de apoio tem

Leia mais

Contrato de Transporte de Pessoas e de Coisas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Contrato de Transporte de Pessoas e de Coisas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Contrato de Transporte de Pessoas e de Coisas Contrato de Transporte Contrato de transporte é aquele em que uma pessoa ou empresa se obriga a transportar pessoa ou coisa, de um local para outro, mediante

Leia mais

Termos e Condições Gerais para a loja online da Olympus

Termos e Condições Gerais para a loja online da Olympus Termos e Condições Gerais para a loja online da Olympus 1. Âmbito 2. Celebração do contrato 3. O direito à devolução por parte do consumidor 4. Preços 5. Entrega 6. Vencimento, pagamento e mora 7. Compensação

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS PARA O TRANSPORTE DE CARGA

CONDIÇÕES GERAIS PARA O TRANSPORTE DE CARGA CONDIÇÕES GERAIS PARA O TRANSPORTE DE CARGA Para fins das definições, por favor, consulte as regras IATA TACT. Artigo 1 - Definições Agente: Uma pessoa ou organização autorizada a atuar para ou em nome

Leia mais

Termos e Condições Gerais de Compra do Grupo Linde

Termos e Condições Gerais de Compra do Grupo Linde Termos e Condições Gerais de Compra do Grupo Linde 1. APLICABILIDADE, ENCOMENDAS, PRINCIPAIS DEFINIÇÕES 1.1 Estas Condições Gerais de Compra ("Condições") aplicam-se à compra pela LINDE de (i) quaisquer

Leia mais

A AGÊNCIA: - Não utilizará a página web para outra finalidade que não seja a venda do PRODUTO BEDSONLINE

A AGÊNCIA: - Não utilizará a página web para outra finalidade que não seja a venda do PRODUTO BEDSONLINE CLÁUSUL AS DE LEG ALIDADE E PRIVACIDADE ORGANIZAÇÃO TÉCNICA A presente página web pertence a BEDS ON LINE, S.L.U. (doravante referida como BEDSONLINE ), com sede em Complejo Mirall Balear. Camí de Son

Leia mais