Manual de Procedimentos do Correspondente no País

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual de Procedimentos do Correspondente no País"

Transcrição

1 Manual de Prcediments d Crrespndente n País

2 Manual de Prcediments d Crrespndente n País A BV Financeira elabru este manual para rientar e esclarecer seus parceirs cmerciais, de frma simples e bjetiva, sbre prcediments e nrmas inerentes a atividade de Crrespndentes n País. Este material apresenta as principais mudanças crridas, e refrça cnceits já cnhecids nas perações de financiament, arrendament mercantil (leasing) e crédit cnsignad. O Crrespndente n País precisa ter plen cnheciment d dispst na Resluçã para cumprir tdas as nrmas de atuaçã. Atencisamente, BV Financeira S.A. 2

3 Manual de Prcediments d Crrespndente n País 1. Apresentaçã A Financeira e seus Crrespndentes Características ds Prduts distribuíds pels Crrespndentes... 4 Veículs... 4 Financiament CDC... 4 Arrendament Mercantil (Leasing):... 4 Crédit Cnsignad... 4 Cnsignad INSS:... 5 Cnsignad Públic:... 5 Cnsignad SIAPE:... 5 Cnsignad Privad: Legislaçã... 5 Sigil Bancári... 5 Prevençã à lavagem de dinheir... 5 Códig de Defesa d Cnsumidr... 5 Nrmas que dispõem sbre a Atividade de Crrespndente n País 3.954/ Tarifas... 9 Apresentaçã d Cust Efetiv Ttal - CET Cadastrament d Crrespndente... 9 Cntrataçã... 9 Estrutura de api... 9 Cndições de negóci Envi de perações Preenchiment de prpstas Acmpanhament de prpstas Análise de crédit Efetivaçã da Operaçã de Veículs Pagament da peraçã Transferência d veícul Efetivaçã da Operaçã de Cnsignads Pagament da peraçã Serviçs de pós-vendas Pagament de parcelas Transferência de dívida/cessã de direits Trca d veícul/garantia Segunda via da CCB Cédula de Crédit Bancári Renegciaçã/refinanciament em escritóri de cbrança Slicitaçã de 2ª Via de Carnê Infrmações de pós-liquidaçã da peraçã de veículs Dcument d veícul CDC: Arrendament mercantil (leasing): Liberaçã d veícul após quitaçã d cntrat Cntrat de Financiament CDC Cntrat de Arrendament Mercantil (leasing): Canais de cmunicaçã cm cliente Site BV Financeira Central de Relacinament SAC Ouvidria Perguntas frequentes

4 Manual de Prcediments d Crrespndente n País 1. Apresentaçã A BV Financeira fi fundada em julh de 1996 para diversificar a atuaçã d Banc Vtrantim. Iniciu suas atividades n segment de financiament de veículs e a cada an tem cnquistad mais espaç n mercad. Hje, ferece um vast prtfóli de prduts para melhr atender as necessidades de seus clientes. Orgulha-se de ser 100% Brasileira, send ttalmente cmprmetida cm a filsfia d Banc a qual pertence: slidez, ética, respeit, empreendedrism e uniã. Estes valres permeiam a relaçã que a BV Financeira mantém cm seus clientes, parceirs e clabradres e garantem seu desenvlviment sustentável. Os serviçs sã ferecids principalmente na extensa rede cnveniada, que cnta cm milhares de parceirs cmerciais em td País. Cm bjetiv de garantir um atendiment ainda melhr e mais segur a cliente final nesse segment, Cnselh Mnetári Nacinal determinu que a rede cnveniada fsse cntratada para atuar cm prestadra de serviç de Crrespndente n País. 2. A Financeira e seus Crrespndentes A publicaçã da Resluçã nº de 24/02/2011 d Cnselh Mnetári Nacinal determina regras para que as instituições financeiras cntratem prestadres de serviç de Crrespndente n País. Crrespndente n País é a pessa jurídica que atua pr cnta e sb diretrizes da instituiçã financeira cntratante, que assume respnsabilidade pel atendiment prestad a seus clientes e usuáris, prestand s serviçs prevists em cntrat. Os Crrespndentes devem infrmar a públic sua cndiçã de prestadr de serviçs à instituiçã cntratante, cm a descriçã ds prduts e serviçs ferecids, bem cm s telefnes de atendiment e de uvidria da instituiçã, pr mei de painel visível, mantid ns lcais nde seja prestad atendiment as clientes e usuáris, e pr utras frmas, cas necessári, para esclareciment a públic. Ser um Crrespndente da BV Financeira significa ferecer as melhres sluções em financiament e arrendament mercantil (leasing) u crédit cnsignad, garantind a integridade das infrmações cntidas n prcess e a qualidade n atendiment prestad as clientes. Espera-se que Crrespndente tenha cnheciment, bserve e pratique previst nas resluções que tratam de sigil bancári, prevençã à lavagem de dinheir e Códig de Defesa d Cnsumidr, além ds infrmativs da BV Financeira. 3. Características ds Prduts distribuíds pels Crrespndentes Veículs A BV Financeira dispnibiliza duas sluções de crédit para veículs: financiament (CDC) e arrendament mercantil (leasing): Financiament CDC - Crédit Diret a Cnsumidr: linha de crédit destinada a cnsumidr final, pessa física e jurídica, utilizada para financiaments de veículs nvs e usads, leves e de transprte, nacinais e imprtads, send que veícul é alienad a banc em nme d cliente. Nessas perações há incidência de IOF. Arrendament Mercantil (Leasing): peraçã de arrendament mercantil na qual veícul é de prpriedade da instituiçã financeira e cliente figura cm arrendatári até final d cntrat, quand pde exercer direit de pçã de cmpra. O praz mínim de arrendament é de dis ans. Antes diss, cliente nã pderá fazer liquidaçã antecipada. Sbre as perações de arrendament mercantil (leasing) nã há incidência de IOF. Crédit Cnsignad O Crédit cnsignad é um empréstim cm pagament indiret, cujas parcelas sã deduzidas diretamente da flha de pagament u benefíci da pessa física, nã tem carnê u blets bancáris. 4

5 Manual de Prcediments d Crrespndente n País Cnsignad INSS: Uma linha de empréstim exclusiva para apsentads e/u pensinistas d INSS, cmercializada pela BV Financeira. O cliente pde pagar em até 59 meses e descnt das parcelas é feit diretamente d benefíci, que prprcina cmdidade e segurança. Cnsignad Públic: Crédit cm descnt em flha de pagament dispnível para Servidres Federais, Estaduais e Municipais de órgãs cnveniads à BV Financeira. Criad especialmente para levar a Servidr Públic empréstims cm taxas atrativas. O valr é creditad na cnta crrente e as parcelas sã debitadas da flha de pagament, Cnsignad SIAPE: Empréstim exclusiv para servidr Servidr e Pensinista Federal Civil, SIAPE. O pagament pde ser feit em até 60 meses e descnt das parcelas é feit diretamente d benefíci. Cnsignad Privad: A BV Financeira, pr mei de um cnvêni cm empresas privadas, ferece as empregads dessas empresas, Crédit Cnsignad Privad. O valr é creditad na cnta crrente e as parcelas sã debitadas da flha de pagament em até 48 meses. 4. Legislaçã Sigil Bancári N Brasil, sigil bancári está dispst pela Lei Cmplementar 105/2001, devend ser bservad pr tdas as instituições financeiras, extensiva as seus Crrespndentes, devend s mesms resguardarem s dads de seus clientes e suas perações. A eventual quebra desse sigil smente pde ser feita através de autrizaçã judicial. A Crrespndente cabe zelar pelas infrmações e dcuments recebids ds clientes, utilizand essas infrmações smente para fim a que se destina. Prevençã à lavagem de dinheir Em cnsnância cm a cnstante precupaçã d Banc Vtrantim quant à prevençã e cmbate à lavagem de dinheir e a financiament a terrrism, a BV Financeira cnta cm uma equipe para mnitrar as perações de financiaments e arrendaments mercantis e identificar as transações nã usuais u suspeitas, cm a finalidade de prevenir a prática ds crimes prevists na Lei 9613/98 - "Lavagem" u Ocultaçã de Bens, Direits e Valres e regulamentações Crrespndentes. A legislaçã define graves sanções às pessas físicas e jurídicas que praticam s ats ilícits mencinads, bem cm aqueles que, tend cnheciment da prática, nã as cmunicam às autridades cmpetentes. Prtant, Crrespndente deve cmunicar imediatamente a a BV Financeira qualquer atividade suspeita d cliente. Códig de Defesa d Cnsumidr O Códig Brasileir de Defesa d Cnsumidr, Lei nº de 11 de setembr de 1990, é um cnjunt de nrmas que visam à prteçã ds direits d cnsumidr, bem cm disciplinar as relações e as respnsabilidades entre frnecedr (fabricante de prduts u prestadr de serviçs) e cnsumidr final, estabelecend padrões de cnduta, prazs e penalidades. A Lei nº , de 20 de julh de 2010, trnu brigatória a manutençã de um exemplar d Códig de Defesa d Cnsumidr ns estabeleciments cmerciais e de prestaçã de serviçs. É imprtante que Crrespndente, além de pssuir um exemplar em tdas as dependências nde preste serviç de Crrespndente, tenha cnheciment d cnteúd d referid Códig, para que mantenha um bm atendiment, seguind as nrmas nele estabelecidas. Nrmas que dispõem sbre a Atividade de Crrespndente n País 3.954/2011 É imprtante que Crrespndente cnheça na íntegra text das resluções d Cnselh Mnetári Nacinal que regem a atividade de prestaçã de serviçs de Crrespndente n País, em especial a resluçã 3954/2011 e suas alterações. O text está dispnível n site d Banc Central d Brasil. Segue abaix s principais tópics: 5

6 Manual de Prcediments d Crrespndente n País Razã scial e nme fantasia A razã scial e nme fantasia ds Crrespndentes devem ser adequads de md a nã apresentar terms característics das instituições d Sistema Financeir Nacinal, tais cm banc, banking, financeira, empréstims, crédit, financiaments, entre utrs. Esses terms, eventualmente, pdem levar a entendiment de que Crrespndente que s utiliza em sua razã scial u nme fantasia seja a cncedente d crédit/empréstim u faça parte das instituições d Sistema Financeir Nacinal. A utilizaçã desses terms dependerá de prévia autrizaçã d Banc Central d Brasil, cnfrme dispst n Art. 5 da Resluçã 3.954/2011. Os Crrespndentes cntratads antes da publicaçã da Resluçã 3.954/2011, que pssuam tais terms em suas razões sciais u nmes fantasia, devem prvidenciar as suas alterações. É necessári ficar clar para cliente de que ele está send atendid pr um Crrespndente e nã pr uma instituiçã d Sistema Financeir Nacinal. A regra já está em vigr para as nvas cntratações. Instalações d Crrespndente e us da marca É pribida a utilizaçã de instalações cuja cnfiguraçã arquitetônica, marca e placas indicativas sejam semelhantes às adtadas pela Instituiçã Financeira (Art. 10, Incis II). Divulgaçã a públic sbre a cndiçã de Crrespndente O Crrespndente deve divulgar a públic um infrmativ sbre a sua cndiçã de prestadr de serviçs de Crrespndente n País, juntamente cm s prduts e serviçs ferecids, telefnes d SAC e uvidria de tdas as Instituições Financeiras cm quem trabalha (Art. 10, Incis III). Iss deve ser feit pr mei de painel visível, a ser mantid ns lcais de atendiment. Utilizaçã de padrões definids pela Instituiçã Financeira O Crrespndente deve utilizar exclusivamente s padrões, nrmas peracinais, taxas de jurs, cálcul d Cust Efetiv Ttal (CET) e quaisquer quantias auferidas u devidas pel cliente, própris ds prduts e serviçs de frneciment da instituiçã financeira que cntratu na cndiçã de Crrespndente n País (Art. 10, Incis V). Vedações O Crrespndente e tds s integrantes de sua equipe devem manter cnstante bservaçã sbre as ações que nã pdem ser praticadas pel Crrespndente. Destacam-se as seguintes pribições: Emitir, a seu favr, carnês u títuls relativs às perações realizadas; Cbrar, pr cnta própria e a qualquer títul, valr relacinad cm s prduts e serviçs frnecids pela instituiçã financeira que cntratu na cndiçã de Crrespndente; Realizar adiantament a clientes pr cnta de recurss a serem liberads pela instituiçã financeira que cntratu na cndiçã de Crrespndente; Realizar perações cnsideradas privativas das instituições financeiras u utras perações vedadas pela legislaçã vigente; e Substabelecer a atividade de Crrespndente n País prevista n cntrat, sem que haja a anuência prévia e expressa da Instituiçã Financeira que cntratu. Víncul cntratual cm a equipe que presta atendiment a cliente O Crrespndente deve manter víncul empregatíci u utra espécie de víncul cntratual cm as pessas de sua equipe envlvidas n atendiment a clientes (Art. 10, Incis I). A equipe de atendiment d Crrespndente deve ser cmpsta pr funcináris cm Carteira de Trabalh e Previdência Scial (CTPS) assinada u pr víncul cntratual de utra espécie cm pessas naturais, integrantes da sua equipe, envlvidas n atendiment a clientes e usuáris. 6

7 Manual de Prcediments d Crrespndente n País Apresentaçã de tds s plans dispníveis Ficu estabelecida a brigatriedade de, n atendiment prestad em perações de financiament e de arrendament mercantil (leasing), referentes a bens e serviçs frnecids pel própri Crrespndente, apresentaçã as clientes, durante atendiment, ds plans ferecids pela instituiçã cntratante e pelas demais instituições financeiras para as quais preste serviçs de Crrespndente. Identificaçã da equipe: us d crachá É brigatóri us de crachá pr tds s integrantes da equipe de atendiment d Crrespndente, exibind as clientes e usuáris, de frma visível, a denminaçã d Crrespndente n País, além d nme e númer d CPF d atendente (Art. 11, Incis II). É necessári, prtant, as Crrespndentes que prvidenciem a cnfecçã e distribuiçã ds crachás às suas respectivas equipes. Certificaçã Tds s integrantes da equipe d Crrespndente, envlvids n atendiment as clientes, deverã ser cnsiderads apts pr exame de certificaçã rganizad pr entidade certificadra de recnhecida capacidade técnica (Art. 12). Admite-se uma pessa certificada pr pnt de atendiment, quand Crrespndente é também frnecedr d bem. A certificaçã de que trata a resluçã é da pessa física, que a terá independente d lcal em que trabalha u ds bancs para s quais Crrespndente presta serviçs. É respnsabilidade d Crrespndente manter atualizada, junt a instituiçã financeira, a relaçã de pessas certificadas que atuam na empresa. Identificaçã d respnsável pel atendiment A identificaçã (Nme cmplet e CPF) d atendente e da pessa certificada que efetuar atendiment a cliente deverá ser infrmada, junt à dcumentaçã da peraçã de crédit (Art. 11, Incis III). 7

8 Manual de Prcediments d Crrespndente n País Resum Para facilitar a adequaçã as nvs prcediments dentr ds prazs estabelecids, segue um quadr resumid cm as atividades e seus respectivs prazs para nvas cntratações e para Crrespndentes cntratads até 24/02/2011. Tabela 1 - Crngrama da Resluçã 3.954/11 Obrigações d Crrespndente n País Alteraçã da razã scial e nme fantasia que apresentem terms característics das instituições d Sistema Financeir. Exempls: banc, banking, financeira, empréstims, crédit, financiaments, etc. Vigência a partir de 24/2/2011 Alteraçã de instalações cuja cnfiguraçã arquitetônica, marca e placas indicativas sejam semelhantes às adtadas pela Instituiçã Financeira. 24/2/2011 Divulgaçã a públic sbre a cndiçã de Crrespndente pel quadr afixad n pnt de atendiment. 24/2/2011 Utilizaçã de padrões definids pela instituiçã financeira 24/2/2011 Apresentaçã de tds s Plans dispníveis 24/2/2011 Víncul cntratual d Crrespndente cm a equipe que presta atendiment a cliente. 24/2/2012 Identificaçã da equipe de atendiment pr mei d us de crachá. 24/2/2012 Prvidências para a certificaçã da equipe de atendiment d Crrespndente. 24/2/2014 Identificaçã d respnsável pel atendiment as clientes e da pessa certificada nas prpstas de crédit 24/2/2014 8

9 Manual de Prcediments d Crrespndente n País Tarifas A Resluçã Nº 3.919/11 estabelece s serviçs prestads pelas instituições financeiras passíveis de cbrança de tarifas. Na riginaçã de perações de crédit na BV Financeira, pdem ser cbradas as seguintes tarifas: Tarifa de cnfecçã de cadastr: Realizaçã de pesquisa em serviçs de prteçã a crédit, base de dads, infrmações cadastrais, tratament de dads e infrmações necessárias a iníci de relacinament de perações de crédit e arrendament mercantil. Tarifa de avaliaçã d bem: Cbrada a cada peraçã, quand bem dad em garantia é usad. Essa resluçã estabelece também a brigatriedade de divulgaçã das tarifas aplicadas ns serviçs prestads pel Crrespndente em lcal visível a públic. Apresentaçã d Cust Efetiv Ttal - CET CET é a sigla adtada para Cust Efetiv Ttal. Pr mei dele, cliente cnfere tds s custs envlvids na peraçã de crédit u de arrendament mercantil. O CET fi criad para prprcinar mair transparência e segurança na cntrataçã de perações de crédit, permitind cliente cmparar preç da peraçã entre as diferentes instituições financeiras. Em 06/12/2007, fi divulgada pel Cnselh Mnetári Nacinal, a Resluçã nº 3.517, que briga as instituições financeiras e as sciedades de arrendament mercantil a infrmar Cust Efetiv Ttal da peraçã, previamente à cntrataçã de perações de crédit e de arrendament mercantil financeir, express na frma de taxa percentual anual. De acrd cm a Resluçã d Cnselh Mnetári Nacinal, CET é cmpst pr: Jurs; Tributs; Tarifas cbradas na peraçã; Eventuais segurs cntratads na peraçã; e Demais custs u encargs envlvids na peraçã; 5. Cadastrament d Crrespndente Cntrataçã O primeir pass para trnar-se um Crrespndente da BV Financeira é entrar em cntat cm a equipe cmercial u acessar site e preencher frmulári Fale Cnsc, para que um agente da equipe cmercial cntate interessad. Para ser Crrespndente, é necessári atender alguns requisits, que serã infrmads n cntat cm representante da BV Financeira. O interessad que se enquadrar ns requisits deverá assinar Cntrat de Prestaçã de Serviçs de Crrespndente n País, nde estã previstas detalhadamente as respnsabilidades da Instituiçã Financeira e d Crrespndente. Td Crrespndente cntratad será incluíd na relaçã de Crrespndentes da Instituiçã, dispnível para cnsulta n site da BV Financeira (cnsulta pública) e n sistema UNICAD, que cnslida infrmações sbre entidades de interesse d Banc Central d Brasil, cm bjetiv de integrar as diversas bases de infrmações cadastrais existentes n BACEN em um sistema únic, cmplet, abrangente e segur. Estrutura de api A BV Financeira dispnibiliza uma estrutura de api para dar suprte às perações d Crrespndente. O Gerente de Relacinament da área cmercial é principal agente desta estrutura, e estará dispnível n telefne infrmad a Crrespndente. Ele é apt a esclarecer dúvidas sbre s 9

10 Manual de Prcediments d Crrespndente n País prcesss e a passar infrmações sbre s prduts e serviçs ferecids pela BV Financeira, além de acmpanhar a prduçã d Crrespndente. Cndições de negóci A equipe BV Financeira apresentará as cndições cmerciais diretamente para Crrespndente, e dispnibilizará tabelas cm as cndições acrdadas, além de prestar td suprte em cas de dúvidas. 6. Envi de perações Através de uma platafrma Web, n site s Crrespndentes pderã simular e enviar as prpstas, além de gerenciar históric e valres de financiaments cntratads pr seus clientes. Preenchiment de prpstas O iníci da peraçã de é preenchiment ds dads d prpnente, em seguida serã slicitadas infrmações sbre referências e dads da negciaçã. Após preenchiment ds dads, site irá dispnibilizar para impressã a CCB Cédula de Crédit Bancári, nde cnsta CET (Cust Efetiv Ttal) que deve ser assinada pel prpnente. A prpsta seguirá para análise de Crédit. Após aprvaçã, uma via deve ser entregue para cliente. O site é intuitiv e de fácil navegaçã, e cas Crrespndente necessite suprte, Gerente de Relacinament da BV Financeira estará à dispsiçã. Imprtante: 1. Tds s camps prevists devem ser adequadamente preenchids; 2. O cliente pderá a qualquer temp acessar n site da BV Financeira, as cláusulas da CCB. Acmpanhament de prpstas Após cncluir envi da prpsta, Crrespndente deverá aguardar parecer da área de crédit n própri site. 7. Análise de crédit A análise de crédit é nrteada pela Plítica de Crédit e pr Nrmas Crprativas da Organizaçã, send s prcediments de análise realizads de acrd cm as melhres práticas de qualidade, agilidade e segurança. A cncessã de crédit está fundamentada na análise criterisa das infrmações cntidas na prpsta. Prtant, cabe a Crrespndente sempre bter d cliente as infrmações atualizadas, necessárias para a decisã d crédit. A lng d prcess de análise de crédit, s Crrespndentes pdem acessar site e cnsultar status da prpsta. 8. Efetivaçã da Operaçã de Veículs A dcumentaçã slicitada pde variar de acrd cm diverss fatres, cm prfissã d cliente, valr financiad, cadastr anterir, entre utrs. O Crrespndente deve slicitar a cliente a dcumentaçã indicada e prvidenciar cópias para que sejam entregues a BV Financeira; Pagament da peraçã O Crrespndente deve cntatar Gerente de Relacinament da BV Financeira para que ele slicite pagament das perações e reclha a dcumentaçã necessária, de acrd cm parecer da 10

11 Manual de Prcediments d Crrespndente n País área de crédit. O valr é creditad diretamente na cnta d Crrespndente, infrmada n Cntrat de Prestaçã de Serviçs de Crrespndente n País. Transferência d veícul O Crrespndente deve rientar cliente quant à transferência d veícul n mment da cmpra. De acrd cm Art. 123 da lei 9.503, é brigatória ainda a expediçã de nv Certificad de Registr de Veícul (CRV) ns cass de transferência de prpriedade, quand prprietári mudar municípi de dmicíli u de residência, além de alteraçã de quaisquer características d veícul u mudança de categria. Para a transferência de prpriedade, praz para adtar as prvidências necessárias é de 30 (trinta) dias, e ns demais cass as prvidências devem ser imediatas. O nã cumpriment ds prazs e hipóteses de transferência de prpriedade, descrits n Art. 123, é cnsiderad infraçã grave pel DETRAN e impssibilita a instituiçã financeira de efetuar a baixa d gravame após a liquidaçã d cntrat. Esta transferência pde ser feita diretamente ns psts d DETRAN u através da cntrataçã pel cliente, de um despachante. 9. Efetivaçã da Operaçã de Cnsignads A dcumentaçã slicitada pde variar de acrd cm prdut (Cnsignad: INSS, PRIVADO, PÚBLICO), cm Cnvêni e de acrd cm a mdalidade (Cntrat Nv, Refin, Cmpra de Dívidas), etc. O Crrespndente deve slicitar a cliente assinaturas ns frmuláris necessáris para cada tip de peraçã, slicitar utrs dcuments de identificaçã necessáris, prvidenciand cópias ds mesms e envi a Prestadra de Serviçs nde sã recebids, frmalizads, e arquivads. Pagament da peraçã O Crrespndente deverá incluir as prpstas de empréstims ds clientes n sistema Intranet: PTA - Cnsignad, anexand antecipadamente as imagens ds dcuments necessáris. A partir de entã as prpstas serã submetidas às analises de crédit. As prpstas aprvadas serã direcinadas para s analistas de pagaments. 10. Serviçs de pós-vendas O cliente tem à dispsiçã site para realizar diverss serviçs n pósvendas, cm muit mais praticidade e agilidade. Para acessar s serviçs d site cliente deve digitar númer d cntrat e CPF. Cas tenha alguma dúvida, ele pderá também cntatar a Central de Relacinament. Pagament de parcelas Veículs: Após efetivaçã da peraçã, cliente que ptu pr realizar pagaments via carnê deverá recebê-l em seu endereç em temp hábil para efetuar pagament. Cas tenha se cadastrad n sistema DDA, cliente pderá nã receber carnê, e caberá a ele tmar ciência ds pagaments a serem efetuads de frma eletrônica, através de seu banc de relacinament. Cnsignad: As parcelas sã deduzidas diretamente da flha de pagament u benefíci da pessa física, nã tem carnê u blets bancáris. Transferência de dívida/cessã de direits Nas perações de veículs, é pssível transferir a dívida para terceirs. A transferência de dívida cnsiste em uma cessã de direits e brigações, ist é, um prcess em que haverá a substituiçã d financiad/arrendatári (cedente) para um nv devedr (cessinári) que assumirá tdas as brigações d cntrat, send que nã pderá haver alteraçã ns dads financeirs d cntrat u cnter pendências dcumentais. 11

12 Manual de Prcediments d Crrespndente n País Para efetuar a transferência da dívida, atual financiad/arrendatári d bem deverá estar cm as parcelas em dia, e cessinári (cmpradr) deverá ter um cadastr cm renda cmpatível, pis será realizada análise de crédit. Para bter instruções sbre iníci d prcess de transferência de dívida, cliente deve entrar em cntat cm a Central de Relacinament. Após a análise d crédit, departament respnsável entrará em cntat para infrmar a psiçã d crédit. Trca d veícul/garantia A trca de garantia pssibilita a cliente alterar a garantia d financiament u arrendament mercantil (leasing) antes d términ d cntrat, sem alterar s dads financeirs d cntrat. Prtant, cas veícul a ser alienad seja de valr superir a que será substituíd, a diferença deverá ser paga diretamente a seu vendedr. Para a trca/substituiçã da garantia, é necessári bservar que: A substituiçã está sujeita a análise de crédit; Para veículs seminvs e/u usads, será necessári realizar vistria d bem e será cbrada a tarifa de avaliaçã d bem. Para bter instruções sbre iníci d prcess de trca/substituiçã de garantia, cliente deve cntatar a Central de Relacinament. Segunda via da CCB Cédula de Crédit Bancári A via d cliente deve ser entregue pel Crrespndente, cas nã receba u necessite de uma segunda via, cliente pderá slicitar através da Central de Relacinament. Para pessa física, a cópia d cntrat pderá ser slicitada pel financiad/arrendatári, para pessa jurídica, deverá ser slicitada apenas pel representante da empresa. Renegciaçã/refinanciament em escritóri de cbrança Cas cliente pssua dívida que esteja send administrada pr um escritóri de cbrança, deverá entrar em cntat cm a Central de Relacinament para bter prcediment para quitaçã. Antecipaçã de parcelas Para slicitar cálcul de antecipaçã de parcelas é necessári cntatar a Central de Relacinament. Slicitaçã de 2ª Via de Carnê O carnê é encaminhad a endereç de crrespndência infrmad na prpsta, pr crrei. Cas cliente nã receba nesse praz, deve slicitar a 2ª via de carnê. O nã recebiment d carnê nã implica na prrrgaçã d venciment da parcela. 11. Infrmações de pós-liquidaçã da peraçã de veículs Dcument d veícul O CRV (Certificad de Registr d Veícul), mais cnhecid cm DUT (Dcument Únic de Transferência), é dcument que certifica a prpriedade d veícul e cmprva que mesm está cadastrad junt a DETRAN. É cm este dcument preenchid, assinad e cm firma recnhecida que se realiza a transferência da prpriedade d veícul. CDC: O dcument será emitid em nme d cliente, mas estará alienad a Banc até final d cntrat. Após términ d cntrat cliente pderá dirigir-se a DETRAN e emitir um nv 12

13 Manual de Prcediments d Crrespndente n País dcument sem alienaçã a Banc, u ainda, realizar a transferência d veícul para utra pessa. Arrendament mercantil (leasing): O CRV ficará em nme d Banc arrendad a cliente; qual ficará de psse d dcument riginal, devend guardá-l e cnservá-l até final d cntrat na cndiçã de fiel depsitári, cnfrme descrit em seu cntrat de Arrendament Mercantil. O CRLV (Certificad de Registr e Licenciament d Veícul) é dcument de prte brigatóri para a cnduçã d veícul n dia a dia e se destina a cmprvar que veícul está cm licenciament regular. Liberaçã d veícul após quitaçã d cntrat A liberaçã d veícul (baixa d gravame), pela instituiçã financeira crre autmaticamente, em até 5 dias úteis da quitaçã d cntrat, mas smente é realizada se nã existirem débits pendentes (IPVA, multas, licenciaments, etc.), divergências quant as dads cadastrads d veícul e, ainda, que CRV/DUT tenha sid emitid cm a atualizaçã ds dads de aquisiçã d bem. Após a liberaçã, prcediment para regularizar a dcumentaçã varia de acrd cm tip de peraçã: Cntrat de Financiament CDC: Após a baixa d gravame, cliente deverá cmparecer a DETRAN de sua regiã para emitir um nv dcument (CRV - Certificad de Registr d Veícul) sem alienaçã u cntratar serviçs de um despachante. Cntrat de Arrendament Mercantil (leasing): Para viabilizar a transferência de prpriedade d bem, é necessári envi d CRV/DUT riginal, em branc e sem assinatura e preenchiment d dcument de pçã de cmpra. Para mais infrmações, cliente deve acessar site: na pçã serviçs / liberaçã de CRV/DUT, u entrar em cntat cm a Central de Relacinament. O Instrument Opçã de Cmpra é específic para a peraçã de arrendament mercantil (leasing) e pssibilita a cliente slicitar, a final d cntrat, a transferência definitiva da prpriedade d veícul para seu nme u para um terceir, uma vez que s dcuments CRLV/CRV/DUT estã em nme da instituiçã financeira e cliente é arrendatári. 12. Canais de cmunicaçã cm cliente A BV Financeira pssui s canais de atendiment abaix relacinads para atendiment as clientes: Site BV Financeira N site cliente pderá, de frma rápida e prática, efetuar diversas cnsultas e slicitações de serviçs. Central de Relacinament A Central de Relacinament BV Financeira está à dispsiçã d cliente das 7h às 22h, de segunda à sexta-feira, excet feriads nacinais n telefne para capitais e regiões metrplitanas u para as demais lcalidades. Nela, cliente pderá tirar dúvidas e slicitar serviçs de pós-vendas. SAC O SAC - Serviç de Api a Cliente - é um canal exclusiv para cancelaments, reclamações e infrmações sbre nsss prduts e serviçs. O SAC atende 24 hras pr dia, 7 dias pr semana, através d númer , u para deficiente auditiv u de fala Ouvidria A uvidria tem cm missã representar interesse ds clientes, sempre que desejarem rever a sluçã dada pels canais de atendiment a cliente. Para facilitar a resluçã d prblema, a entrar em cntat cm a Ouvidria é necessári infrmar númer d prtcl frnecid pel SAC - Serviç de Api a Cliente. A Ouvidria atende das 8h às 18h, de segunda a sexta feira, excet feriads, através d númer u (deficientes auditivs e de fala). 13

14 Manual de Prcediments d Crrespndente n País 13. Perguntas frequentes A BV Financeira dispnibiliza em seu site diversas infrmações imprtantes para clientes e Crrespndentes. Os interessads pdem bter mais infrmações sbre s fluxs, prcesss e nrmas especialmente na seçã Perguntas Frequentes, 14

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física)

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física) Lista de Dcuments Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de aliments Dcuments para estabeleciments cmerciais (pessa física) 1) Ficha de Inscriçã Cadastral, preenchida na própria VISA; 2) Cópia

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO

INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO 01. Instruções para recadastrament Pessa Física IN CVM 301/2001 e 463/2008 1. Pr favr preencha tds s camps ds frmuláris, aqueles que nã frem preenchids, pr gentileza, bliterá-ls u invalidá-ls; 2. Imprima

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014

SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014 SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014 ESTRATÉGIA DESEGMENTAÇÃO ESTRATÉGIA DE SEGMENTAÇÃO Estrutura segmentada vltada a estratégia

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO DODF Nº 158 DE 05 DE AGOSTO DE 2014 ALTERADA POR MEIO DA PORTARIA Nº 112, DE 13 DE AGOSTO DE 2014, PUBLICADA NO

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

Ficha Cadastro Pessoa Física

Ficha Cadastro Pessoa Física Ficha Cadastr Pessa Física Grau de sigil #00 Em se tratand de mais de um titular, preencher uma ficha para cada um. Cas necessári, utilize utra ficha para cmpletar s dads. Dads da Cnta na CAIXA Cód. agência

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO POLÍTICA SOBRE PRESENTESE ENTRETENIMENTO Oferecer u receber presentes cmerciais e entreteniment é frequentemente uma frma aprpriada

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico Legenda da Guia de Tratament Odntlógic Term Registr NS Nº da n prestadr Num. d Camp na Númer da principal 3 Data da autrizaçã Senha senha 1 2 4 5 6 Nme d camp na Registr NS Númer da n prestadr Númer da

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

SERVIÇOS DISPONÍVEIS ATRAVÉS DO BANRISUL OFFICE BANKING

SERVIÇOS DISPONÍVEIS ATRAVÉS DO BANRISUL OFFICE BANKING SERVIÇOS DISPONÍVEIS ATRAVÉS DO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS: Cnta Crrente: sald d dia, extrat mês atual, extrat de cheques, extrat d mês anterir e extrat n períd. Empréstims/Crédits Cnta Investiment:

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas:

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas: 2. Cndições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Síntese ds terms e cndições gerais da Linha de Crédit PME Cresciment ( presente dcument identifica as principais características da Linha de Crédit PME

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

Ficha Cadastro Pessoa Física

Ficha Cadastro Pessoa Física Ficha Cadastr Pessa Física Grau de sigil #00 Em se tratand de mais de um titular, preencher uma ficha para cada um. Cas necessári, utilize utra ficha para cmpletar s dads. ads da Cnta na CAIXA Cód. agência

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia).

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia). DOCUMENTAÇÃO PARA O PROUNI Cmprvaçã de dcuments Ensin Médi; Ficha de Inscriçã, Identificaçã d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de Endereç d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de renda d Candidat

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA Fund Lcal n Cncelh de Paredes de Cura PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO Entre: O Municípi de Paredes de Cura, pessa clectiva nº 506

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

Política de Privacidade Qrush Cards

Política de Privacidade Qrush Cards Plítica de Privacidade Qrush Cards Última atualizaçã em 21/09/2013 A Qrush Tecnlgia e Serviçs Ltda repeita a privacidade de seus clientes e usuáris e desenvlveu esta Plítica de Privacidade para demnstrar

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR?

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Criad em 27.01.2014 Revisad em 19.02.2015 1. COMO SE CADASTRAR JUNTO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Para se cadastrar junt a Cadastr Unificad de Frnecedres d Estad CADFOR/SEGPLAN-GO, a entidade

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS Manual d Usuári Elabrad pela W3 Autmaçã e Sistemas Infrmaçã de Prpriedade d Grup Jmóveis Este dcument, cm tdas as infrmações nele cntidas, é cnfidencial e de prpriedade d Grup Jmóveis,

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2º semestre / 2012 O Prgrama de Educaçã Cntinuada da trna públic, para cnheciment

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD Parecer Cnsultria Tributária Segments Escrituraçã Cntábil Digital ECD 23/12/2013 Parecer Cnsultria Tributária Segments Títul d dcument Sumári Sumári... 2 1. Questã... 3 2. Nrmas Apresentadas Pel Cliente...

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

FIES - Documentação comprobatória

FIES - Documentação comprobatória FIES - Dcumentaçã cmprbatória OBS: Devem ser apresentads riginais e cópias ds dcuments relacinads. COMPROVANTES DE RESIDÊNCIA DO ESTUDANTE: O estudante deverá cmparecer à CPSA e psterirmente a agente financeir

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 A Diretria d SEBRAE/RS trna públic presente edital e cnvida Artesãs representads pr Assciações e/u Cperativas de Artesanat d Ri Grande d Sul a inscreverem-se

Leia mais

Informações Importantes 2015

Informações Importantes 2015 Infrmações Imprtantes 2015 CURSOS EXTRACURRICULARES N intuit de prprcinar uma frmaçã cmpleta para alun, Clégi Vértice ferece curss extracurriculares, que acntecem lg após as aulas regulares, tant n períd

Leia mais

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação Guia Sphinx: Instalaçã, Repsiçã e Renvaçã V 5.1.0.8 Instalaçã Antes de instalar Sphinx Se vcê pssuir uma versã anterir d Sphinx (versões 1.x, 2.x, 3.x, 4.x, 5.0, 5.1.0.X) u entã a versã de Demnstraçã d

Leia mais

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos Guia Prátic d Estági Seu Estági em 5 Passs O que é Estági? A atividade de estági é um fatr significativ na frmaçã d prfissinal, pr prprcinar a interaçã d alun cm a realidade da prfissã e a cmplementaçã

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL Códig: MAP-DILOG-002 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Gerência de Instalações Aprvad pr: Diretria de Lgística 1 OBJETIVO Estabelecer cicl d prcess para a manutençã predial crretiva e preventiva,

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014 EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA Seleçã de Blsistas para Prgrama de Blsa Sciecnômica para períd de 2014 O Reitr d Centr Universitári Tled Unitled, ns terms d Regulament aprvad pel CONSEPE, cm vistas à seleçã

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2015 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 2.1. Organgrama... 4 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3.

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013. Item 01. Requisitos básicos com justificação

PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013. Item 01. Requisitos básicos com justificação PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013 Item 01. Requisits básics cm justificaçã a. Serviç a ser licitad:. Escrituraçã mensal d livr diári; Escrituraçã mensal d livr

Leia mais

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows SDK (Sftware Develpment Kit) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licença cnstituem um acrd entre a Micrsft Crpratin (u, dependend d lcal n qual vcê esteja dmiciliad, uma de suas afiliadas)

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o Plano de Benefícios JMalucelli.

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o Plano de Benefícios JMalucelli. ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI... 8 PARTICIPANTES... 8 Participante Ativ... 8 Participante Assistid...

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Suprte técnic O serviç de suprte técnic tem pr bjetiv frnecer atendiment as usuáris de prduts e serviçs de infrmática da Defensria Pública. Este serviç é prvid

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário CRC-MG Central de Registr Civil de Minas Gerais Certidã Online - Serventia Manual d usuári Prefáci Data: 30/01/2015 Versã dcument: 1.0 1. COMO ACESSAR O MÓDULO DA CERTIDÃO ONLINE... 04 2. OPÇÕES DE PEDIDOS

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Núcle de Intercâmbi e Cperaçã Institucinal EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Seleçã de acadêmics para Intercâmbi n primeir semestre de 2015 d Prgrama de Blsas Iber-Americanas Santander Universidades 2014 A Universidade

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

Plano Promocional de Fornecimento de Infra-estrutura de Acesso a Serviços Internet de Banda Estreita Dial Provider 1

Plano Promocional de Fornecimento de Infra-estrutura de Acesso a Serviços Internet de Banda Estreita Dial Provider 1 Sã Paul, 26 de dezembr de 2005 Plan Prmcinal de Frneciment de Infra-estrutura de Acess a Serviçs Internet de Banda Estreita Dial Prvider 1 Telecmunicações de Sã Paul S.A - TELESP. ( Telesp ), tend em vista

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS Questã n 1 Cnheciments Específics O text dissertativ deve cmtemplar e desenvlver s aspects apresentads abaix. O papel d PPA é de instrument de planejament de médi/lng praz que visa à cntinuidade ds bjetivs

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estud de Cas Camila Gmes da Silva 1, Vilma da Silva Sant 2, Paul César Ribeir Quintairs 3, Edsn Aparecida de Araúj Querid Oliveira 4 1 Pós-graduada em

Leia mais

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5 Agenda: Event Sage AEBB Legislaçã inventári permanente (reduçã ds limites) Cnfigurações inventári permanente (ligaçã à CTB) O inventári a 31 de dezembr (imprtância d cntrl stcks, sage inventáris cntagem

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l Fund de Desenvlviment das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i R e g i n a l p a r a B r a s i l e C n e S u l Fnd de Desarrll de las Nacines Unidas para la Mujer O f i c i n a R e g i n a l p

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOS DOS CONVÊNIOS...

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOGRAFIAS/IMAGENS

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ Ref.: 0084/24 (Favr referir-se a este númer em tdas as crrespndências) Esta empresa está cnvidada a apresentar prpsta à UNESCO de Elabraçã de Prgrama Editrial para Institut

Leia mais

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager!

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager! WEB MANAGER Cnhecend Web Manager! O Web Manager é uma pdersa ferramenta para gestã de Sites, prtais, intranets, extranets e htsites. Cm ela é pssível gerenciar ttalmente seus ambientes web. Integrad ttalmente

Leia mais

MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST

MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST A MANUAL DO PRODUTO SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DE PASSAGEIROS E/OU TRIPULANTE (APP) INVEST O presente Manual d Prdut cntém: SEGURO APP INVEST 1. VANTAGENS

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM Sluçã de Gestã Eletrônica de Dcuments Acadêmics OBJETIVOS DA SOLUÇÃO BENEFÍCIOS GERAIS A Sluçã ECMDOC de Gestã de Dcuments Acadêmics, tem cm principais

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais