Projetos Seis Sigma em áreas Transacionais e Empresas Prestadoras de Serviços

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projetos Seis Sigma em áreas Transacionais e Empresas Prestadoras de Serviços"

Transcrição

1 Projetos Seis Sigma em áreas Transacionais e Empresas Prestadoras de Serviços Alberto Pezeiro F. (19) M. (11) Agosto de 2007

2 Objetivo : Apresentar aos participantes quais são as particularidades envovidas no desenvolvimento de projetos fora da área industrial e como superar as dificuldades decorrentes de desenvolver projetos de melhoria em áreas transacionais, assim como desenvolver projetos em empresa prestadoras de serviços 2 Agosto de 2007

3 Área Industrial x Área Transacional Área Industrial tem histórico de dados maior Na área industrial o processo é enxergável Empregados da área industrial possuem mind-set de melhoria de processo Ganhos financeiros em área industrial costumam ser maiores e mais fáceis de serem calculados Maioria dos profissionais no mercado têm histórico de melhoria de processos em área industrial Estratégia para a Área Industrial tem que ser modificada para aplicar à Transacional 3 Agosto de 2007

4 Nas áreas transacionais conta muito mais do que a habilidade técnica a habilidade de Gestão de Mudanças : SOLUÇÃO TÉCNICA Q x A = E QUALIDADE x ACEITAÇÃO = EFICIÊNCIA Esta é a habilidade mais importante para a condução de Projetos na Área Comercial SOLUÇÃO CULTURAL: EQUIPE / ORGANIZAÇÃO Impacto na Receita Referência: Jack Definitivo Jack Welch BB s / Facilitadores precisam de habilidade em Gestão da Mudança 4 Agosto de 2007

5 Projetos em Vendas / Marketing EVA (Economic Value Added) MARGEM OPERACIONAL (EBTIDA) RECEITA CUSTO DE FABRICAÇÃO INTRODUÇÃO DE NOVOS PRODUTOS PREÇO VOLUME Mão DE OBRA MATERIA PRIMA MARGEM OPERACIONAL DEPOIS DO IMPOSTO EVA (VALOR ECONÔMICO AGREGADO) IMPOSTOS PESQUISA E DESENVOLVIMENTO CUSTOS COM VENDAS, ADMINISTRATIVAS E GERAIS MARGEM OPERACIONAL (EBTIDA) IMPOSTOS FRETE MÃO DE OBRA CUSTOS DE VENDAS E MANUFATURA CUSTOS GERAIS E ADMINISTRATIVOS CAIXA CONTAS A RECEBER INVENTARIO TOTAL DE ATIVOS EQUIPAMENTOS CAPITAL DO INVESTIDOR CAPITAL DE INVESTIMENTO CAIXA OUTROS ATIVOS CONTAS A PAGAR CUSTO DO CAPITAL DE INVESTIMENTO PASSIVOS CORRENTES DÍVIDAS CORRENTES OUTROS PASSIVOS CORRENTES 5 Agosto de 2007

6 Projetos em Vendas / Marketing Redução do Ciclo de Tempo para a Prospecção Comercial ( transformar um deal em uma Venda ) Recuperação de clientes perdidos Kanban com clientes e grandes contratos ( forecast ) Crescimento em clientes pequenos ( Small Business ) Web Sales Precificação e Gestão da Margem Introdução de novos Produtos Redução de Impostos BB da área Comercial precisa enxergar os processos da empresa na horizontal 6 Agosto de 2007

7 Projetos em Vendas / Marketing INTRODUÇÃO DE NOVOS PRODUTOS Preço PREMIUM Comoditizando Commodity Custo Anos NPI - Retardar a erosão e introduzir produtos premium 7 Agosto de 2007

8 Projetos em Vendas / Marketing 1 o e 2 o Quartis Baixo Preço Alto Volume (Geradores de Caixa) Precificação 3 o e 4 o Quartis Alto Preço Baixo Volume (Geradores de Margem) Preço Médio Como Determinar o Nível de Serviço para Maximizar a Margem mas Garantir a Venda? Como se Comportam os Clientes? O quê Vendemos? Como Vendemos? SEGMENTAÇÃO: NÍVEL DE SERVIÇO DE ACORDO COM O QUE O CLIENTE VALORIZA NA HORA DA COMPRA 8 Agosto de 2007

9 Projetos em Vendas / Marketing Segmentação de Mercado Alto Foco no Produto Melhor Pacote Preço Pago pelo cliente Q4 Q3 Q2 Q1 Baixo Reconheço o valor agregado do produto e acho que vale à pena pagar por isso. Não me importa o preço. Oportunidade Estou buscando velocidade e pouca complexidade. Baixo Custo para Há muitos que oferecem o mesmo produto. Escolho aquele que me trouxer outras vantagens (serviço, descontos progressivos etc.) Foco no Preço Minha decisão será baseada em preço. Nenhum serviço adicional é interessante para mim. Alto servir para servir Definir a estratégia comercial de acordo com o que o cliente está disposto a pagar 9 Agosto de 2007

10 Projetos em Vendas / Marketing Segmentação de Mercado Preço Pago pelo cliente Alto Q4 Q3 Q2 Q1 Baixo Foco no Produto -Atuar como um consultor dentro do cliente - Fornecer Treinamento Oportunidade - Usar Customer Service para a Venda - FOB - Prazos de pagamento menores Baixo Custo para Melhor Pacote -Área de Engenharia / Desenvolvimento trabalhando com o cliente - CIF - Melhores condições de Crédito Foco no Preço -Buscar altos volumes - Gerente de Conta gerencia Alto servir para servir Maioria dos projetos irá se concentrar nessa faixa Definir a estratégia comercial de acordo com o que o cliente está disposto a pagar 10 Agosto de 2007

11 Projetos em Vendas / Marketing PROJETOS EM PROCESSOS DE CLIENTES IDENTIFICAR PESSOAS-CHAVE NO CLIENTE ANALISAR FORÇAS A FAVOR E CONTRA ELABORAR ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO POSICIONAR OPORTUNIDADE DE PROJETO Foco no problema do cliente Ganhos Financeiros gerados pelo incremento da receita BB Comercial precisa atuar mais operacionalmente Envolver a área de Gestão do cliente Mostre primeiro os resultados para o cliente. Depois apresente a metodologia 11 Agosto de 2007

12 EVA (Economic Value Added) RECEITA INTRODUÇÃO DE NOVOS PRODUTOS PREÇO VOLUME MARGEM OPERACIONAL (EBTIDA) CUSTO DE FABRICAÇÃO Mão DE OBRA MATERIA PRIMA MARGEM OPERACIONAL DEPOIS DO IMPOSTO EVA (VALOR ECONÔMICO AGREGADO) IMPOSTOS PESQUISA E DESENVOLVIMENTO CUSTOS COM VENDAS, ADMINISTRATIVAS E GERAIS MARGEM OPERACIONAL (EBTIDA) IMPOSTOS FRETE MÃO DE OBRA CUSTOS DE VENDAS E MANUFATURA CUSTOS GERAIS E ADMINISTRATIVOS CAIXA CONTAS A RECEBER INVENTARIO TOTAL DE ATIVOS EQUIPAMENTOS CAPITAL DO INVESTIDOR CAPITAL DE INVESTIMENTO CAIXA OUTROS ATIVOS CONTAS A PAGAR CUSTO DO CAPITAL DE INVESTIMENTO PASSIVOS CORRENTES DÍVIDAS CORRENTES OUTROS PASSIVOS CORRENTES 12 Agosto de 2007

13 Projetos em Supply Chain / Fornecedores Redução de Gastos com Frete / Transporte Redução de Inventário WIP Redução de Inventário de Produto Final Acabado / WIP Redução de Lead Time de entrega Redução de gastos com armazenagem Melhoria no atendimento da Produção Matéria Prima Projetos de redução de custo em parceria com fornecedor Redução de gastos com Contratos de Terceiros Redução de gastos M.R.O ( Maintenance, Repair & Operations ) Redução de perdas por manuseio inadequado Redução de fraudes / roubo / gastos com seguro Redução de gastos com importação / exportação Carga consolidada Redução de gastos com frota / manutenção Resultados Financeiros Expressivos Ajuda BB ter conhecimento específico da área 13 Agosto de 2007

14 Projetos em Supply Chain / Fornecedores PROJETO ACURACIDADE DE INVENTÁRIO Acuracidade de Inventário depende muito da disciplina dos empregados 14 Agosto de 2007

15 Projeto: Redução de Inventário de Itens de Manutenção Caso de Negócio: M.R.O - Empresa precisa reduzir drasticamente quantidade de ativos para melhorar o Fluxo de caixa. Process Capability of C5 20,0 16, ,8MM Meta ,8MM Valores em R$ MM 17,8 15,8 Process Data LS L * Target * USL 15,8 Sample Mean 17,5333 Sample N 3 StDev (Within) 0, StDev (O v erall) 0, USL Within Overall Potential (Within) Capability Z.Bench -6,52 Z.LSL * Z.U S L -6,52 C pk -2,17 CCpk -2,17 O verall Capability Z.Bench -5,03 Z.LSL * Z.U S L -5,03 Ppk -1,68 Cpm * Perfomance Muito acima do valor alvo. Sigma do processo negativo 12,0 8,0 O bserved Performance 16,0 16,4 16,8 17,2 17,6 18,0 Exp. Within Performance Exp. Overall Performance 4,0 PPM < LSL * PPM > USL ,00 PPM < LSL * PPM > USL ,00 PPM < LSL * PPM > USL ,75 0, Valor de estoque de manutenção PPM Total ,00 PPM Total ,00 PPM Total ,75 Ação Status Responsável Avaliação de itens SIC por especialidade Manutenção Avaliação de itens Manual e Estratégico por especialidade Avaliação de itens para alienação por especialidade Busca por novas tecnologias Avaliação do ponto de reposição em função do lead time Controlar as compras de itens manuais Interface com a planta de MD Manutenção Manutenção Manutenção Manutenção Manutenção Manutenção MRO é uma grande fonte de redução de custos / projetos de melhoria 15 Agosto de 2007

16 PROJETO REDUÇÃO DO LEAD TIME DA PLANTA ( GUARDA CHUVA ) Programação de produção (longo prazo) Programação de produção (curto prazo) Etapa 1 Previsão de vendas Início do Ciclo Manufatura Etapa 2 Transporte material até os clientes Etapa 6 Final do Ciclo Faturamento de material Etapa 5 Estoque de material acabado Etapa 4 Distribuição de material pelos centros logísticos Etapa 3 DEFININDO CLARAMENTE O ESCOPO DO PROJETO 16 Agosto de 2007

17 PROJETO REDUÇÃO DO LEAD TIME DA PLANTA ( GUARDA CHUVA ) Situação atual Volume semelhante de entregas, melhor performance Benchmark Empresa com volume superior de entregas, melhor performance no ciclo de tempo BENCHMARKING APRENDENDO COM OS MELHORES 17 Agosto de 2007

18 PROJETO REDUÇÃO DO LEAD TIME DA PLANTA ( GUARDA CHUVA ) Atuais Esperado Etapa Média Desvio Padrão Variância Média Desvio Padrão Variância Tempo Total: Dados normais pode-se trabalhar com desvios padrões <cuidado: nunca some os desvios padrões! Deve-se elevar ao quadrado (= variância) para somente assim fazer a soma e chegar ao desvio padrão do processo total> FOCANDO NAS ETAPAS DE PIOR DESEMPENHO 18 Agosto de 2007

19 PROJETO REDUÇÃO DO LEAD TIME DA PLANTA ( GUARDA CHUVA ) Estoque Manufatura Distribuição Probabilidade de acontecimento dos eventos Levantando as principais informações estatísticas sticas das etapas do processo 19 Agosto de 2007

20 Projetos em Finança / RH / IT EVA (Economic Value Added) MARGEM OPERACIONAL (EBTIDA) RECEITA CUSTO DE FABRICAÇÃO INTRODUÇÃO DE NOVOS PRODUTOS PREÇO VOLUME Mão DE OBRA MATERIA PRIMA MARGEM OPERACIONAL DEPOIS DO IMPOSTO EVA (VALOR ECONÔMICO AGREGADO) IMPOSTOS PESQUISA E DESENVOLVIMENTO CUSTOS COM VENDAS, ADMINISTRATIVAS E GERAIS MARGEM OPERACIONAL (EBTIDA) IMPOSTOS FRETE MÃO DE OBRA CUSTOS DE VENDAS E MANUFATURA CUSTOS GERAIS E ADMINISTRATIVOS CAIXA CONTAS A RECEBER INVENTARIO TOTAL DE ATIVOS EQUIPAMENTOS CAPITAL DO INVESTIDOR CAPITAL DE INVESTIMENTO CAIXA OUTROS ATIVOS CONTAS A PAGAR CUSTO DO CAPITAL DE INVESTIMENTO PASSIVOS CORRENTES DÍVIDAS CORRENTES OUTROS PASSIVOS CORRENTES 20 Agosto de 2007

21 Projetos em Finança / RH / IT Reduzir ciclo de tempo para entrega dos relatórios contábeis Reduzir a inadimplência Reduzir ciclo de tempo para análise de crédito Atender requisitos da SOX Prevenção de perdas cambiais Reduzir gastos com empréstimos Redução de gastos com Programa de Trainees Melhoria no nível dos Treinamentos Aumentar a taxa de posições de executivo ocupada pelo pessoal da empresa Home office Redução de gastos com Saúde Processo de Priorização de Projetos de IT Redução do ciclo de tempo para implementação de projetos Redução de gastos com infra estrutura / telefonia / informática Projetos de atendimento a cliente / SAC / Call center Aumento das vendas pela Web ( guarda chuva ) Implementação no novo ERP ( guarda chuva ) BB 100% focado nessas áreas com habilidade de entender o foco de cada área 21 Agosto de 2007

22 Projetos em Empresas Prestadoras de Serviços Aumenta o uso de ferramentas estatísticas para dados discretos Aumenta a importância de uso de ferramentas básicas como Mapeamento de Processo / Análise de Risco / Planos de Controle Projetos tendem a ser mais enxutos Treinamentos precisam ser revisados para se adequarem ao dia a dia de uma empresa Prestadora de Serviços Custos com mão de obra / benefícios tendem a ser um dos principais gastos assunto sensível em uma organização Costuma ter um histórico / mind-set de melhoria contínua menor do que empresas industriais Grande parte da literatura / treinamentos disponíveis com exemplos voltados para a área industrial. Cria uma sensação que a aplicação em Prestadores de Serviços é pouco adequada Na prestação de serviços há mais pontos de contato com o cliente 22 Agosto de 2007

23 Área Industrial x Área Transacional ( considerações finais ) Adaptar o treinamento para atender particularidades das áreas transacionais Ter facilitadores / Black Belts / Green Belts específicos para essas áreas Áreas transacionais costumam ter muito espaço para melhoria. Em muitos casos apenas empregando-se ferramentas muito simples já se obtém muito resultado significativo Projetos em clientes são um mundo à parte. Mostre os resultados primeiro. Depois apresente a metodologia empregada Projetos em fornecedores precisam ser uma relação ganha ganha. Benefícios financeiros devem ser compartilhados Em áreas transacionais os Black Belts precisam ser mais contundentes na sua atuação ( pegar na mão / fazer junto ) Ao decidir por um BB não tire um recurso da área, mas anabolize um recurso da área e cuide para que ele foque nas Métricas / Metas de médio e longo prazo O que define um Projeto não é a metodologia, mas sim as Metas da Organização 23 Agosto de 2007

24 Você não tem que pedir o apoio da Alta Administração Resolva os problemas da empresa que este apoio será automático 24 Agosto de 2007

25 MUITO OBRIGADO!!!! Alberto Pezeiro F. (19) M. (11) Agosto de 2007

Projetos Seis Sigma em Processos de Clientes. Alberto Pezeiro pezeiro@setadg.com.br F. (19) 3707-1535 M. (11) 9939-4079 www.setadg.com.

Projetos Seis Sigma em Processos de Clientes. Alberto Pezeiro pezeiro@setadg.com.br F. (19) 3707-1535 M. (11) 9939-4079 www.setadg.com. Projetos Seis Sigma em Processos de Clientes Alberto Pezeiro pezeiro@setadg.com.br F. (19) 3707-1535 M. (11) 9939-4079 www.setadg.com.br 1 Objetivo : Demonstrar como os projetos Six Sigma em clientes pode

Leia mais

Gestão de Carreira Perfil do profissional de Excelência Operacional. ALBERTO PEZEIRO Sócio-Fundador e CEO pezeiro@setadg.com.

Gestão de Carreira Perfil do profissional de Excelência Operacional. ALBERTO PEZEIRO Sócio-Fundador e CEO pezeiro@setadg.com. Gestão de Carreira Perfil do profissional de Excelência Operacional ALBERTO PEZEIRO Sócio-Fundador e CEO pezeiro@setadg.com.br 11 98110-0026 1 Profissional de Excelência Operacional Requisitos obrigatórios

Leia mais

Entidade Organizadora Ricardo Mansur São Paulo, Junho de 2007

Entidade Organizadora Ricardo Mansur São Paulo, Junho de 2007 Entidade Organizadora Ricardo Mansur São Paulo, Junho de 2007 Uma abordagem integrada entre Six Sigma e PMBOK Ricardo Mansur O Ricardo Mansur é formado nas principais e mais importantes universidades brasileiras

Leia mais

Seta Desenvolvimento Gerencial. www.setadg.com.br

Seta Desenvolvimento Gerencial. www.setadg.com.br Seta Desenvolvimento Gerencial www.setadg.com.br 1 Evidenciando os ganhos dos projetos no Balanço da Empresa Rio de Janeiro 25 de Abril de 2013 Alberto Pezeiro Sócio-Fundador & CEO pezeiro@setadg.com.br

Leia mais

Otimização de. Processos I

Otimização de. Processos I Seis Sigma Otimização de Gestão de Negócios Processos I Alberto Pezeiro Sócio Diretor Seta Desenvolvimento Gerencial pezeiro@setadg.com.br (11) 8110-0026 www.setadg.com.br 1 Introdução Otimização de A

Leia mais

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting Soluções personalizadas para acelerar o crescimento do seu negócio Estratégia Operacional Projeto e Otimização de Redes Processos de Integração Eficácia

Leia mais

Otimização. Processos I

Otimização. Processos I Saiba Como o Six Sigma Convive com Outras Metodologias de Gestão e Como Otimização Alinhadas Podem Promover de a Otimização de Processos e Resultados Expressivos Processos I Alberto Pezeiro pezeiro@setadg.com.br

Leia mais

CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3.

CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3. CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3. PROBLEMA: É UM OBSTÁCULO QUE ESTÁ ENTRE O LOCAL ONDE SE ESTÁ E O LOCAL EM QUE SE GOSTARIA DE ESTAR. ALÉM DISSO, UM PROBLEMA

Leia mais

CONGRESSO LEAN SIX SIGMA 2010

CONGRESSO LEAN SIX SIGMA 2010 CONGRESSO LEAN SIX SIGMA 2010 Retorno sobre o investimento de iniciativas de Melhoria Contínua como o Lean Six Sigma Alberto Pezeiro pezeiro@setadg.com.br TEL.+55.19.3707-1535 CEL.+55.11.8111-0026 www.setadg.com.br

Leia mais

Lean Six Sigma na área de RH. Alberto Pezeiro Seta Desenvolvimento Gerencial pezeiro@setadg.com.br F.+55.11.8110-0026 www.setadg.com.

Lean Six Sigma na área de RH. Alberto Pezeiro Seta Desenvolvimento Gerencial pezeiro@setadg.com.br F.+55.11.8110-0026 www.setadg.com. Lean Six Sigma na área de RH Alberto Pezeiro Seta Desenvolvimento Gerencial pezeiro@setadg.com.br F.+55.11.8110-0026 www.setadg.com.br Gestão da Qualidade com foco nos indicadores da Qualidade... ANOS

Leia mais

Copyright 2014-15 OSIsoft, LLC. 1

Copyright 2014-15 OSIsoft, LLC. 1 1 Gestão e Análise das Variáveis de Processo Presented by Denis Nobre Kinross Guilherme Ferreira TSA Lorena Gomes Kinross Igor Marques Kinross Amauri Andrade - Kinross Agenda Parceria Kinross/TSA Implantação

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

CONGRESSO LEAN SIX SIGMA MAIO 2009

CONGRESSO LEAN SIX SIGMA MAIO 2009 CONGRESSO LEAN SIX SIGMA MAIO 2009 A GESTÃO DO NEGÓCIO ATRAVÉS DA METODOLOGIA E A BUSCA PELA EXCELÊNCIA OPERACIONAL 1 ALBERTO PEZEIRO SÓCIO - DIRETOR pezeiro@setadg.com.br TEL.+55.19.3707-1535 CEL.+55.11.8111-0026

Leia mais

Lean Six Sigma Uma estratégia de sucesso para enfrentar crises, falta de competitividade e aumentar a lucratividade das empresas e organizações.

Lean Six Sigma Uma estratégia de sucesso para enfrentar crises, falta de competitividade e aumentar a lucratividade das empresas e organizações. Lean Six Sigma Uma estratégia de sucesso para enfrentar crises, falta de competitividade e aumentar a lucratividade das empresas e organizações. O atual cenário econômico no Brasil não é dos melhores e

Leia mais

Gestão de Talentos na área de Excelência Operacional

Gestão de Talentos na área de Excelência Operacional Gestão de Talentos na área de Excelência Operacional Como as grandes empresas estão usando os programas de Excelência Operacional para desenvolver os futuros Líderes Alberto Pezeiro Sócio-Fundador & CEO

Leia mais

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir. 1. A administração de recursos humanos, historicamente conhecida como administração de pessoal, lida com sistemas formais para administrar pessoas dentro da organização. A administração de recursos humanos

Leia mais

RH Gestão Transformadora

RH Gestão Transformadora RH Gestão Transformadora Como construir o relacionamento para garantir resultados : desenvolvendo as competências necessárias para criar parcerias, influenciar e atuar como parceiro de Negócios 1 Aonde

Leia mais

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi e Sistema Integrado Objetivos do Tema Apresentar: Uma visão da logística e seu desenvolvimento com o marketing. A participação da logística como elemento agregador

Leia mais

Serviço ao Cliente Prof. Fernando A. S. Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins

Serviço ao Cliente Prof. Fernando A. S. Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins Serviço ao Cliente Prof. Fernando A. S. Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins 1 Sumário Conceitos Segmentação de Mercado Rentabilidade de Clientes e Serviço ao Cliente Recuperação de Serviço

Leia mais

Modelos de Gestão Ferramentas de Gestão

Modelos de Gestão Ferramentas de Gestão Modelos de Gestão Ferramentas de Gestão Um pouco sobre qualidade na administração Onde estamos? Onde chegar? Quando chegar? Qual direção tomar? 2 2 2 É uma metodologia estruturada para fornecimento de

Leia mais

Liderança e Produtividade. ALBERTO PEZEIRO Sócio-Fundador e CEO pezeiro@setadg.com.br 11 98110-0026

Liderança e Produtividade. ALBERTO PEZEIRO Sócio-Fundador e CEO pezeiro@setadg.com.br 11 98110-0026 Liderança e Produtividade ALBERTO PEZEIRO Sócio-Fundador e CEO pezeiro@setadg.com.br 11 98110-0026 1 Definindo o perfil de Liderança que devemos ter na Organização para garantir o aumento da Produtividade

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho OBJETIVO: Ao final do Curso, o aluno será capaz de: Conhecer

Leia mais

David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma

David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma Carta do Leitor Por: David Vicentin (dvicentin@setecnet.com.br) Gerente de Lean Six Sigma Engenheiro de produção pela Escola Politécnica da USP e especialista em PNL pela SBPNL. Gerente da área de Lean

Leia mais

CS&OP-P Certified S&OP Professional

CS&OP-P Certified S&OP Professional A achain é uma empresa especializada nas áreas de Supply Chain, Value Chain e Demand Chain Management, com atuação nas modalidades de serviços de treinamento e apoio administrativo. Missão achain: Proporcionar

Leia mais

Por que Lean & Six Sigma?

Por que Lean & Six Sigma? CONTEÚDO DA PALESTRA O O que é LEAN? O O que é Six Sigma? Por que? LEAN LEAN ORIGEM DO LEAN A metodologia Lean já existe há algum tempo: A Ford foi pioneira no início do século XX 33 horas para concluir

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING RENAN ROLIM WALENCZUK Canoas, Agosto de 2014 SUMÁRIO 1 INTODUÇÃO...03 2 ERP (ENTERPRISE

Leia mais

Desdobramento da estratégia em indicadores de gestão. Palestrante: Paulo Ivan de Mello Gerente de Processos e Qualidade Serasa Experian

Desdobramento da estratégia em indicadores de gestão. Palestrante: Paulo Ivan de Mello Gerente de Processos e Qualidade Serasa Experian Desdobramento da estratégia em indicadores de gestão Palestrante: Paulo Ivan de Mello Gerente de Processos e Qualidade Serasa Experian A Experian No mundo líder de mercado Londres Nottingham Grupo de origem

Leia mais

O que significa esta sigla?

O que significa esta sigla? CRM Para refletir... Só há duas fontes de vantagem competitiva. A capacidade de aprender mais sobre nossos clientes, mais rápido que o nosso concorrente e a capacidade de transformar este conhecimento

Leia mais

Gestão por Processos 2013- IQPC

Gestão por Processos 2013- IQPC Gestão por Processos 2013- IQPC PEX WEEK BRAZIL 2013 Integração das Metodologias no Sistema de Gestão vinculadas à Cultura e à estratégia de Negócios da empresa Alberto Pezeiro Seta Desenvolvimento Gerencial

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 2. Finanças 2.1 Orçamento anual integrado Objetivo: Melhorar

Leia mais

Lean Seis Sigma Gerenciamento de Risco. ALBERTO PEZEIRO Sócio-Fundador e CEO pezeiro@setadg.com.br 11 98110-0026

Lean Seis Sigma Gerenciamento de Risco. ALBERTO PEZEIRO Sócio-Fundador e CEO pezeiro@setadg.com.br 11 98110-0026 Lean Seis Sigma Gerenciamento de Risco ALBERTO PEZEIRO Sócio-Fundador e CEO pezeiro@setadg.com.br 11 98110-0026 1 TIPOS DE RISCOS AO QUAL UM NEGÓCIO ESTÁ SUJEITO : RISCO OPERACIONAL RISCO FINANCEIRO RISCO

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Unidade II FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Objetivos Ampliar a visão sobre os conceitos de Gestão Financeira; Conhecer modelos de estrutura financeira e seus resultados; Conhecer

Leia mais

O poder da ANOVA e da igualdade de variância

O poder da ANOVA e da igualdade de variância O poder da ANOVA e da igualdade de variância Por Marcelo Rivas Fernandes A ANOVA e o Teste de Iguldade de Variância são tão imprescindíveis para a estatística inferencial, quanto a média e o desvio padrão

Leia mais

Necessidade do cliente Análise. Logística. Reposição de materiais. Armazenamento. Recebimento

Necessidade do cliente Análise. Logística. Reposição de materiais. Armazenamento. Recebimento Capítulo 1 Gestão Materiais Apresentação do Tópico: A Importância da Administração A organização da área Análise de necessidades de clientes Reposição de materiais Recebimento de materiais Armazenamento

Leia mais

Global Productivity Solutions Treinamento e Consultoria em Seis Sigma. Seis Sigma em Serviços: desafios e adequações necessárias

Global Productivity Solutions Treinamento e Consultoria em Seis Sigma. Seis Sigma em Serviços: desafios e adequações necessárias Global Productivity Solutions Treinamento e Consultoria em Seis Sigma Seis Sigma em Serviços: desafios e adequações necessárias A importância do Seis Sigma e da Qualidade em serviços As empresas de serviços

Leia mais

A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores da Alegria

A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores da Alegria Agentes Financiadores Notícias e atualidades sobre Agentes Financiadores nacionais e internacionais página inicial A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores

Leia mais

PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 3 O QUE É PLANEJAMENTO DE VENDAS E OPERAÇÕES?

PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 3 O QUE É PLANEJAMENTO DE VENDAS E OPERAÇÕES? PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 3 O QUE É PLANEJAMENTO DE VENDAS E OPERAÇÕES? Índice 1. O que é planejamento de...3 1.1. Resultados do planejamento de vendas e operações (PVO)...

Leia mais

Oracle Applications and Technologies

Oracle Applications and Technologies Apresenta Oracle Applications and Technologies Pacotes de Treinamentos Personalizados 1 Índice Introdução... 3 Modalidade dos Treinamentos... 5 Tipos de Treinamentos... 7 Conteúdo e Abordagem dos Treinamentos...

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Aula 2º bim. GEBD dia16/10

Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Compras e Manufatura (produção) O ciclo de compras liga uma organização a seus fornecedores. O ciclo de manufatura envolve a logística de apoio à produção. O ciclo de atendimento

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

Administração e Finanças

Administração e Finanças Estrutura do Plano de Negócio Profa. Fernanda Pereira Caetano Trabalho pesado é geralmente a acumulação de tarefas pequenas que não foram feitas a tempo. (Henry Cooke) Não existe uma estrutura rígida e

Leia mais

Lean Six Sigma e sua interação com a área de TI

Lean Six Sigma e sua interação com a área de TI Lean Six Sigma e sua interação com a área de TI Alberto Pezeiro Seta Desenvolvimento Gerencial pezeiro@setadg.com.br F.+55.11.8110-0026 www.setadg.com.br Primeiro vamos entender : 1-) Quando um processo

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística Sistemas de Informação Sistemas de informação ERP - CRM O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para

Leia mais

Capacidade Sigma. Copyright Alberto W. Ramos 1

Capacidade Sigma. Copyright Alberto W. Ramos 1 Capacidade Sigma Copyright Alberto W. Ramos 1 Em projetos 6 Sigma, a capacidade de um processo é medida de uma forma ligeiramente diferente da estudada antes. Ao invés de Cp, Cpk, Pp, Ppk ou Cpm, mede-se

Leia mais

Supply Chain Management Gerenciamento da cadeia de suprimentos. Prof. Paulo Medeiros

Supply Chain Management Gerenciamento da cadeia de suprimentos. Prof. Paulo Medeiros Supply Chain Management Gerenciamento da cadeia de suprimentos. Prof. Paulo Medeiros Supply Chain Management O período entre 1980 e 2000 foi marcado por grandes transformações nos conceitos gerenciais,

Leia mais

Unidade II RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS

Unidade II RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Unidade II 2 TENDÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS 2.1 Gestão de compras 1 A gestão de compras assume papel estratégico na Era da competição global, devido ao volume de recursos envolvidos no processo,

Leia mais

O marketing entre as organizações

O marketing entre as organizações O marketing entre as organizações Alex Carneiro Preparado especialmente para a Coppead/UFRJ Definições Marketing Industrial Marketing Empresarial Gestão de Mercado Business to Business Marketing B2B Business

Leia mais

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1 1.0 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1 1.2 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Qual o objetivo das empresas para a administração financeira? Maximizar valor de mercado da empresa; Aumentar a riqueza dos acionistas.

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 ÍNDICE Introdução...3 A Necessidade do Gerenciamento e Controle das Informações...3 Benefícios de um Sistema de Gestão da Albi Informática...4 A Ferramenta...5

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Prof. Fabini Hoelz Bargas Alvarez O que são finanças? Finanças é a arte e a ciência de gestão do dinheiro; Imprescindível, pois todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam dinheiro; A teoria

Leia mais

Valter Venturelli Controller Zen. www.otm.com.br

Valter Venturelli Controller Zen. www.otm.com.br Valter Venturelli Controller Zen Local: Brusque Santa Catarina Brasil Infraestrutura: 32.000 m² 1.100 empregados (jan.2012) Produção: 20,1 milhões de produtos e componentes (2011) Transformar metais em

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Evolução dos SI s CRM OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO OPERACIONAL TÁTICO ESTRATÉGICO SIT SIG SAE SAD ES EIS

Leia mais

A Gestão dos Riscos de Crédito no apoio à internacionalização das empresas. 3 de Abril de 2013 São Paulo

A Gestão dos Riscos de Crédito no apoio à internacionalização das empresas. 3 de Abril de 2013 São Paulo A Gestão dos Riscos de Crédito no apoio à internacionalização das empresas 3 de Abril de 2013 São Paulo CESCE Presença Internacional A Gestão dos Riscos de Crédito no apoio à internacionalização das empresas

Leia mais

Controle da Cadeia de Suprimentos/Logística. Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT

Controle da Cadeia de Suprimentos/Logística. Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT Controle da Cadeia de Suprimentos/Logística Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT Mensuração Auditoria Indicadores de desempenho Relatórios Padrões/ Objetivos Metas de desempenho Correção Ajuste fino Grande

Leia mais

Full Time Soluções em Serviços Financeiros Full Time

Full Time Soluções em Serviços Financeiros Full Time A Full Time Soluções em Serviços Financeiros nasceu da iniciativa de seus sócios em preencherem uma lacuna no segmento de prestação de serviços, atuando de forma eficiente e criativa. A Full Time conta

Leia mais

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 Universo TOTVS Fundada em 1983 6ª maior empresa de software (ERP) do mundo Líder em Software no Brasil e

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

PERFIL DO PALESTRANTE

PERFIL DO PALESTRANTE Agenda PERFIL DO PALESTRANTE João Batista Gonçalves jbatista@en-sof.com.br Formação Acadêmica Bacharel em Administração Pós Graduado em Sistemas Mestre em Finanças Experiência Profissional 35 Anos em Tecnologia

Leia mais

Pós-Graduação Lato Sensu em ENGENHARIA DE MARKETING

Pós-Graduação Lato Sensu em ENGENHARIA DE MARKETING Pós-Graduação Lato Sensu em ENGENHARIA DE MARKETING Inscrições Abertas: Início das aulas: 28/03/2016 Término das aulas: 10/12/2016 Dias e horários das aulas: Segunda-Feira 18h30 às 22h30 Semanal Quarta-Feira

Leia mais

Aspectos Comportamentais no desenvolvimento organizacional

Aspectos Comportamentais no desenvolvimento organizacional Aspectos Comportamentais no desenvolvimento organizacional O que os Gestores e as Empresas tem se perguntado e talvez não encontrem boas respostas? Gestão centralizadora, delargadora ou melhor funcionário

Leia mais

OS IMPACTOS DA FILOSOFIA JIT SOBRE A GESTÃO DO GIRO FINANCIADO POR CAPITAL DE TERCEIROS

OS IMPACTOS DA FILOSOFIA JIT SOBRE A GESTÃO DO GIRO FINANCIADO POR CAPITAL DE TERCEIROS http://www.administradores.com.br/artigos/ OS IMPACTOS DA FILOSOFIA JIT SOBRE A GESTÃO DO GIRO FINANCIADO POR CAPITAL DE TERCEIROS DIEGO FELIPE BORGES DE AMORIM Servidor Público (FGTAS), Bacharel em Administração

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL LINKS PATROCINADOS

PROPOSTA COMERCIAL LINKS PATROCINADOS PROPOSTA COMERCIAL LINKS PATROCINADOS O que você vai encontrar nesta proposta: Problemas comuns em empresas que usam Google Adwords A solução está mais perto do que imagina Por que a Dynamo é a empresa

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL ERP

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL ERP SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL ERP José Manuel de Sacadura Rocha jsacadura@ultrarapida.com.br O que é um ERP? Um sistema integrado de gestão Integra vários módulos de SW especialistas É suportado

Leia mais

Aspectos Comportamentais no desenvolvimento organizacional

Aspectos Comportamentais no desenvolvimento organizacional Aspectos Comportamentais no desenvolvimento organizacional O que os Gestores e as Empresas tem se perguntado e talvez não encontrem boas respostas? Gestão centralizadora, delargadora ou melhor funcionário

Leia mais

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade As empresas têm passado por grandes transformações, com isso, o RH também precisa inovar para suportar os negócios

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

SOFTWARE DE GESTÃO PARA BENS DURÁVEIS MANUFATURA LEVE, SUSTENTÁVEL E AUTOMATIZADA

SOFTWARE DE GESTÃO PARA BENS DURÁVEIS MANUFATURA LEVE, SUSTENTÁVEL E AUTOMATIZADA SOFTWARE DE GESTÃO PARA BENS DURÁVEIS MANUFATURA LEVE, SUSTENTÁVEL E AUTOMATIZADA HOJE FALAREMOS SOBRE 1. INTRODUÇÃO 2. COMO FUNCIONA: MACROPROCESSO E DETALHAMENTOS 3. OFERTAS PADRÃO TOTVS 4. FATOS 1.

Leia mais

Return on Marketing Investment (ROMI) Como definir estrategicamente as métricas de marketing e alcançar bons resultados

Return on Marketing Investment (ROMI) Como definir estrategicamente as métricas de marketing e alcançar bons resultados Return on Marketing Investment (ROMI) Como definir estrategicamente as métricas de marketing e alcançar bons resultados DESAFIO: MENSURAÇÃO DOS RESULTADOS DE INVESTIMENTO EM MARKETING. UM DOS GRANDES FATORES

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 3. Gestão empresarial 3.1 Gestão empresarial Objetivo: prover

Leia mais

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING MANUFATURA ENXUTA DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING A ORIGEM DA PALAVRA LEAN O termo LEAN foi cunhado originalmente no livro A Máquina que Mudou o Mundo de Womack, Jones e Roos, publicado nos EUA em 1990.

Leia mais

Workshop Academias SAP

Workshop Academias SAP Workshop Academias SAP Fontoura Education Desde 1994 formando profissionais de TI, com treinamentos desenvolvidos pelos principais fabricantes. Mercado SAP Como está a demanda neste mercado? A meta de

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Profa. Lérida Malagueta

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Profa. Lérida Malagueta Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE PRODUÇÃO E OPERAÇÕES Profa. Lérida Malagueta Planejamento e controle da produção O PCP é o setor responsável por: Definir quanto e quando comprar Como fabricar ou montar cada

Leia mais

3 Indicadores de Resultados da gestão comercial. Série Indicadores Essenciais Volume 3

3 Indicadores de Resultados da gestão comercial. Série Indicadores Essenciais Volume 3 3 Indicadores de Resultados da gestão comercial Série Indicadores Essenciais Volume 3 Gestão Comercial de Alta Performance Clique abaixo e saiba como podemos colaborar com o desenvolvimento de sua equipe.

Leia mais

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos Terceirização de Processos Empresariais da Capgemini Um componente da área de Serviços Públicos da Capgemini As concessionárias de serviços

Leia mais

Sumário AS LIÇÕES DA HISTÓRIA 13. O que é a Ciência da Fábrica? 1 PARTE I. 1 A Indústria Norte-Americana 15

Sumário AS LIÇÕES DA HISTÓRIA 13. O que é a Ciência da Fábrica? 1 PARTE I. 1 A Indústria Norte-Americana 15 O que é a Ciência da Fábrica? 1 0.1 Uma resposta simples (A resposta curta) 1 0.2 Uma resposta mais elaborada (A resposta longa) 1 0.2.1 Foco: a gestão da produção 1 0.2.2 O escopo: as operações 3 0.2.3

Leia mais

DPS1036 SISTEMAS DA QUALIDADE I METODOLOGIA SEIS SIGMA E MÉTODO DMAIC

DPS1036 SISTEMAS DA QUALIDADE I METODOLOGIA SEIS SIGMA E MÉTODO DMAIC DPS1036 SISTEMAS DA QUALIDADE I METODOLOGIA SEIS SIGMA E MÉTODO DMAIC Aula 18 Introdução 2 As técnicas e ferramentas utilizadas no Seis Sigma permitem: Entender o problema; estudar suas causas; analisar

Leia mais

Excelência operacional

Excelência operacional Excelência operacional o pilar para obter um crescimento lucrativo na Colômbia POR: DAVID MONROY E ROBERTO PALACIOS, SINTEC Siga-nos: @Perspectiva Sintec @Sintec_ @PerspectivaSintec Introdução Toda empresa

Leia mais

Simplificando a TECNOLOGIA

Simplificando a TECNOLOGIA 3 Simplificando a TECNOLOGIA SEGURANÇA DESENVOLVIMENTO BANCO DE DADOS S O L U Ç Õ ES E M T E C N O L O G I A MISSÃO VISÃO Contribuir com o sucesso dos Clientes através da Ser a melhor provedora de Soluções

Leia mais

A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS

A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS Entendendo o cenário atual As organizações continuam com os mesmos objetivos básicos: Prosperar em seus mercados de atuação

Leia mais

Lançamento do Produto

Lançamento do Produto Lançamento do Produto Gestão de Desenvolvimento de Produtos Uma referência para melhoria do processo Material Fornecido por: Fernando Antonio Forcellini - UFSC Lançamento do produto (Capítulo 10) Henrique

Leia mais

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br POR QUE ESCREVEMOS ESTE E-BOOK? Nosso objetivo com este e-book é mostrar como a Gestão de Processos

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013

Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013 Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013 www.brazilpanels.com.br www.abcomm.com.br www.ecommerceschool.com.br Apoio: INTRODUÇÃO A Logística foi escolhida para ser o tema do primeiro estudo

Leia mais

PROJETO INTERNACIONAL

PROJETO INTERNACIONAL PROJETO INTERNACIONAL EM 10 PASSOS Ubirajara Marques Direitos: Todos os direitos reservados para Center Group International Duração: 1 hora Apresentação: Linguagem simples, para micros e médios empresários

Leia mais

Para ser competitivo é fundamental reduzir continuamente o lead time de todos os processos da organização.

Para ser competitivo é fundamental reduzir continuamente o lead time de todos os processos da organização. Cap. II PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO No atual contexto da economia globalizada, a velha estratégia da produção em massa, derivada da economia de escala, já não é mais válida. Hoje as empresas devem possuir

Leia mais

Transformação Organizacional: como transformar as operações (parte 2)

Transformação Organizacional: como transformar as operações (parte 2) RIO DE JANEIRO SÃO PAULO BRASÍLIA BELO HORIZONTE Transformação Organizacional: como transformar as operações (parte 2) Transformando as Operações Novos modelos de negócio Novos produtos, serviços e experiências

Leia mais

Fundada em Setembro de 2010, a Peniel é uma empresa especializada em Consultoria e Gestão Empresarial e Executiva, Coaching e Palestras.

Fundada em Setembro de 2010, a Peniel é uma empresa especializada em Consultoria e Gestão Empresarial e Executiva, Coaching e Palestras. Fundada em Setembro de 2010, a Peniel é uma empresa especializada em Consultoria e Gestão Empresarial e Executiva, Coaching e Palestras. Nossos serviços se aplicam à quaisquer atividades, voltados para

Leia mais

CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO

CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO 1 Fundamentos sobre Capital de Giro O objetivo da Administração Financeira de Curto

Leia mais

As possibilidades de melhoria dos resultados financeiros através da aplicação da gestão por processos

As possibilidades de melhoria dos resultados financeiros através da aplicação da gestão por processos As possibilidades de melhoria dos resultados financeiros através da aplicação da gestão por processos Marcelo Anderson Baptista Gerente de Recebíveis DASA DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S/A As possibilidades

Leia mais

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010)

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) 1) Fale a respeito de sua formação profissional e atuação. Sou engenheiro de produção pela Escola

Leia mais

GPME Prof. Marcelo Cruz

GPME Prof. Marcelo Cruz GPME Prof. Marcelo Cruz Política de Crédito e Empréstimos Objetivos Compreender os tópicos básicos da administração financeira. Compreender a relação da contabilidade com as decisões financeiras. Compreender

Leia mais

estratégias operações

estratégias operações MERCADO FERRAMENTA NECESSIDADE O que é LOGÍSTICA? estratégias Fator de Diferenciação Competitiva Fator de Tomada de Decisão operações Busca pela Excelência na Gestão O que buscamos? EXCELÊNCIA LOGÍSTICA

Leia mais

Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas de ERP Enterprise Resource Planning Pacote de ferramentas que integram toda a empresa, a grande vantagem é que os dados

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

Quem precisa de metas afinal? Por que ter metas?

Quem precisa de metas afinal? Por que ter metas? Metas e Objetivos Muito se confunde a respeito destes dois conceitos quando se faz um planejamento estratégico do negócio. A diferença entre Meta e Objetivo, no entanto, é bastante clara como será apresentada

Leia mais