PREFEITURA DE ITABUNA ESTADO DE BAHIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREFEITURA DE ITABUNA ESTADO DE BAHIA"

Transcrição

1 TABELA REFERÊNCIA DE PREÇOS 1. DIMENSIONAMENTO DE CUSTOS DE OBRAS E INSTALAÇÕES DA GARAGEM Par0a o dimensionamento dos custos de Obras e Instalações de Garagem foram adotados os seguintes parâmetros baseados em áreas mínimas por veículo, de uma frota de 20 ônibus de 12 ou mais metros de comprimento: Obras da Garagem m² R$/m² R$ Pavimentação - Páteos e Circulação (76 m² / veículo) , ,00 Galpões - Oficinas, abastecimento e limpeza (22 m² / veículo) , ,00 Edifícios - Área administrativa (12 m²/ veículo) , ,00 Complementos de Obra item ,80 Instalações Específicas item ,00 Outros Itens da Garagem item ,00 Total ,80 Total/Veículo ,99 Fonte: Indicadores PINI e DER No custo por metro quadrado está embutido o BDI, composto do seguinte modo: Administração 10% Impostos 20% Lucro 15% Total 40% 1

2 2. COMPLEMENTOS DE OBRAS (MATERIAL E MÃO DE OBRA) Para complementos, considerou-se uma verba, que foi estimada com base em 20 veículos de patrimônio, considerando seus respectivos custos com mão de obra e materiais e BDI. Unidade Nº Unidades R$/unidade Total R$ Limpeza Terreno, Canteiro Obras, Tapumes, Ligações Provisórias m , ,00 Preparo Terreno, Nivelamento, Movimentação Terra m , ,00 Muros (assentamento blocos, reboco, pintura) m , ,00 Portarias e Guaritas (obras partes internas / externas) m , ,00 Calçadas m , ,00 Estação Tratamento Agua m , ,00 Rede Hidraulica (galpões/edifícios) m , ,00 Rede Eletrica Áreas Internas / iluminação (galpões/edifícios) m , ,00 Rede Eletrica/ Iluminação Páteo (10% área páteos) m , ,00 Rede Ar Comprimido (área galpões) m , ,00 Drenagem Agua Pluvial (50% área estacionamento) m , ,00 Rede Esgotos (galpões/edifícios) m , ,00 Telefonia e Cabeamento Estruturado (galpões/edifícios) m , ,00 Sistema Proteção de Descargas (SPDA) - 10% área estacionamento m , ,00 Paisagismo / Ajardinagem - 10% área estacionamento m , ,00 Incendio (galpões/edifícios) m , ,00 Limpeza Geral Obra m , ,00 Caixa Agua litros unit , ,00 Portão Metálico unit , ,00 Diversos (% sobre os custos ítens específicos) % 10% , ,00 Total ,00 Custo projetos e gerenciamento engenharia (10%) ,80 Total ,80 Total/Veículo ,99 Fonte: Indicadores Pini 2

3 3. CUSTOS DE ITENS DE INSTALAÇOES ESPECÍFICAS Os itens específicos se referem àqueles necessários para dar o suporte necessário à operação da garagem. Estes custos foram baseados num orçamento de 20 veículos. Unidade Nº Total R$/unidade Unidades R$ Cabine Primária unit. 0, , ,00 Grupo Gerador 80 Kva Cabinado unit. 0, , ,00 Tanque Lubrificantes Usado unit , ,00 Tanque Combustíveis litros unit , ,00 Bomba Abastecimento Diesel unit , ,00 Filtro Combustível unit , ,00 Calibrador e Compressor Ar Comprimido unit , ,00 Caixa Separadora de Agua e Óleo unit , ,00 Cabine Pintura Onibus unit. 0, , ,00 Elevador Hidraulico Onibus unit. 0, , ,00 Maquina Lavar Onibus unit. 0, , ,00 Valetas unit , ,00 Total ,00 Custo projetos e gerenciamento engenharia (10%) ,00 Total ,00 Total/Veículo ,00 3

4 4. CUSTOS DE OUTROS ITENS DA GARAGEM Para dimensionar os custos da Garagem, além dos itens de obras, outros itens são necessários para dar o suporte necessário à operação da garagem. Estes custos foram baseados num orçamento de 20 veículos. Outros Itens da Garagem Unidade R$ Equipamentos e Ferramentas de Manutenção vb ,00 Móveis e Utensílios vb ,00 Veículos de Suporte vb ,00 Equipamentos de Comunicação vb ,00 Equipamentos de Informática vb ,00 Equipamentos de Segurança vb ,00 Outros Bens Patrimoniais Diversos vb ,00 Total Outros Itens Garagem ,00 Total/Veículo ,00 4

5 5. OUTROS INVESTIMENTOS No orçamento de investimentos, além dos custos da garagem, foram considerados outros itens baseados num orçamento para 20 veículos. Outros Investimentos Unidade R$ Estoques (peças,pneus,combustível,outros) - item 7 vb ,00 Despesas Pré-Operacionais - item 8 vb ,00 Capital de Giro - item 9 vb ,00 Validadores / GPS (R$ /veículo) vb ,00 Total Outros Investimentos ,00 Total/Veículo ,00 6. OUTORGA O valor mínimo de outorga é de R$ ,00, sendo: Estação de Transbordo m² R$/m² R$ Pavimentação , ,00 Edificações , ,00 Abrigos , ,00 Total ,00 Fonte: Indicadores PINI e DER Nas instalações do Terminal de Transbordo deverão dispor de iluminação, sanitários distintos para os dois sexos e adaptações para deficientes físicos. A área deverá ser cedida pelo Poder Público. 7. DESPESAS ADMINISTRATIVAS OBRIGATÓRIAS DECORRENTES DA CONCESSÃO O Coeficiente das Despesas Administrativas é composto por duas parcelas, sendo uma decorrente das Atividades Correlatas Obrigatórias da Concessão e outro referente às Despesas Gerais Convencionais. (Estas previstas, originalmente, na Planilha GEIPOT). Para determinar o coeficiente referente às Atividades Obrigatórias da Concessão há a incidência de itens como as Despesas com a Operação e Manutenção do Sistema de Bilhetagem e Monitoramento, Despesas com a Operação e Manutenção do Sistema de Informação ao Usuário, Despesas com a Comercialização de créditos de passagens no varejo, Despesas com a elaboração e veiculação de Publicidade, Amortização de Outorga Mínima, Despesas Pré-Operacionais e Validadores e outros. No quadro abaixo, foram utilizados 20 veículos, como referência para compor estes itens, e que serão utilizados na planilha do Fluxo de Caixa. 5

6 Operação da Bilhetagem e Monitoramento Unidade Quantidade Unitário Benefícios (R$) 39,51% (R$) Supervisor H x mês ,00 987,75 753, ,62 Controlador de Operação H x mês ,00 474,12 753, ,98 Total 9.097,60 Equipamentos e Sistemas Aluguel de Sistemas de Processamento veículo , ,00 Transmissão de Dados veículo , ,00 Serviços de Suporte Informática vb , ,00 Manutenção de Equipamentos de Bilhetagem e de GPS 1% ao mês sobre valor aquisição , ,00 equipamentos Total Equipamentos e Sistemas ,00 Total Mensal ,60 Total Semestral ,60 Total Mensal / Veículo Patrimonial veículo ,88 Total Semestral / Veículo Patrimonial veículo ,28 Operação do Sistema de Informação ao Usuário Unidade Quantidade Unitário Benefícios (R$) 39,51% (R$) Supervisor H x mês ,00 987,75 753, ,62 Atendente H x mês 2 900,00 355,59 753, ,92 Total 8.260,54 Equipamentos e Sistemas Aluguel e Manutenção de Equipamentos e Sistemas de Processamento vb 2 200,00 400,00 Serviços de Suporte Informática vb 1 900,00 900,00 Total Equipamentos e Sistemas 1.300,00 Total Mensal 9.560,54 Total Semestral ,24 Total Mensal / Veículo Patrimonial veículo ,03 Total Semestral / Veículo Patrimonial veículo ,16 Despesas com a Comercialização de Créditos de Passagens no Varejo Unidade Quantidade Unitário Benefícios (R$) 39,51% (R$) Atendente H x mês 1 900,00 355,59 753, ,46 Terceiros vb R$ 350,00/ veiculo 7.000,00 Total Mensal 9.009,46 Total Semestral ,76 Total Mensal / Veículo Patrimonial veículo ,47 Total Semestral / Veículo Patrimonial veículo ,84 6

7 Operação da Bilhetagem e Monitoramento Unidade Quantidade Unitário Benefícios (R$) 41,21% (R$) Supervisor H x mês ,00 824,20 394, ,70 Controlador de Operação H x mês ,00 453,31 394, ,63 Total 7.114,33 Equipamentos e Sistemas Aluguel de Sistemas de Processamento veículo , ,00 Transmissão de Dados veículo 20 70, ,00 Serviços de Suporte Informática vb , ,00 Manutenção de Equipamentos de Bilhetagem e de GPS 1% ao mês sobre valor aquisição , ,00 equipamentos Total Equipamentos e Sistemas 7.000,00 Total Mensal ,33 Total Semestral ,99 Total Mensal / Veículo Patrimonial veículo ,72 Total Semestral / Veículo Patrimonial veículo ,30 Operação do Sistema de Informação ao Usuário Unidade Quantidade Unitário Benefícios (R$) 41,21% (R$) Supervisor H x mês ,00 824,20 394, ,70 Atendente H x mês 2 900,00 370,89 394, ,79 Total 6.549,49 Equipamentos e Sistemas Aluguel e Manutenção de Equipamentos e Sistemas de Processamento vb 2 500, ,00 Serviços de Suporte Informática vb 1 900,00 900,00 Total Equipamentos e Sistemas 1.900,00 Total Mensal 8.449,49 Total Semestral ,95 Total Mensal / Veículo Patrimonial veículo ,47 Total Semestral / Veículo Patrimonial veículo ,85 Despesas com a Comercialização de Créditos de Passagens no Varejo Unidade Quantidade Unitário Benefícios (R$) 41,21% (R$) Atendente H x mês 1 900,00 370,89 394, ,39 Terceiros vb R$ 80,00/ veiculo 1.600,00 Total Mensal 3.265,39 Total Semestral ,36 Total Mensal / Veículo Patrimonial veículo ,27 Total Semestral / Veículo Patrimonial veículo ,62 7

8 Publicidade Quantidade Veículos Unitário R$/mês Custeio da elaboração e veiculação (vb) ,00 R$ Total Mensal 1.400,00 Total Semestral 8.400,00 Total Mensal / Veículo Patrimonial 20 70,00 Total Semestral / Veículo Patrimonial ,00 Amortizações Investimentos Quantidade Unit. Mensal R$ Outorga Mínima , ,00 Despesas Pré-Operacionais , ,00 Validadores / GPS , ,00 Total vb ,00 Num Meses 240 Total Mensal 4.145,83 Total por Veículo Patrimonial ,29 Atividades Correlatas Obrigatórias da Concessão Quantidade Veículos Unitário R$/mês Total Mensal R$ Despesas com a Operação e Manutenção do Sistema de Bilhetagem e Monitoramento , ,33 Despesas com a Operação e Manutenção do Sistema de Informação ao Usuário , ,49 Despesas com a Comercialização de créditos de passagens no varejo , ,39 Despesas com a elaboração e veiculação de Publicidade 20 70, ,00 Amortização de Outorga mínima, Despesas Pré-Operacionais e Validadores , ,83 Total 1.568, ,05 8

9 8. JUSTIFICATIVA PARA DESPESAS PRÉ-OPERACIONAIS Considerando-se todas as exigências e inovações, do contrato, a futura concessionária precisará gastar bastante, antes de iniciar a operação comercial. A estimativa orçamentária é a seguinte, para uma frota de 20 ônibus patrimoniais: 8.1. Custos operacionais correspondentes a 15 dias de operação (pessoal para a realização de curso de treinamento e no caso de operadores devem ser implementados os trajetos pré-operacionais para fixação de itinerários), R$ 289 mil Custos e treinamentos (instrutores, material, instalações, diárias, etc.), para 120 pessoas, estimando-se 1920 horas/aula, R$ 86 mil Despesas com licenciamentos, vistorias, regularizações, alvarás, R$ 40 mil Serviços Antecipados (pessoal superior, interno e externo), R$ 20 mil Aquisição de software e aplicativos, R$ 10 mil Aquisição inicial de material administrativo, R$ 5 mil Outros itens, 10% dos anteriores, R$ 45 mil. Total : R$ 495 mil. 9

10 9. JUSTIFICATIVA PARA CAPITAL DE GIRO A concessionária, ao longo do contrato, precisará manter uma reserva de caixa, para o atendimento de situações não programáveis, nem desejáveis, mas que acabam acontecendo, como: Indenizações por vias administrativas ou judiciais, pagas a empregados, usuários ou terceiros, não cobertas por seguros. Vandalismos em veículos e instalações Dificuldade ou atraso, na venda de ônibus usados. Greves de trabalhadores próprios ou de fornecedores Manifestações publicas prolongadas Atraso na definição de revisões tarifárias, por razões alheias à ação do concedente. Multas aplicadas pelo poder público O capital de giro considerado suficiente para o enfrentamento de tantas situações imprevisíveis é o correspondente a 30 dias de custos operacionais, ou seja, R$ 579 mil reais, para uma frota de 20 veículos patrimoniais. 10. JUSTIFICATIVAS PARA ESTOQUES Para uma frota de 20 ônibus, estimou-se como estoque necessário, um valor de R$ , correspondente a 15 dias de operação, relativamente aos custos com combustíveis, lubrificantes, peças e pneus. 10

FLUXO DE CAIXA PARA DETERMINAÇÃO DA TARIFA

FLUXO DE CAIXA PARA DETERMINAÇÃO DA TARIFA PREFEITURA MUNICIPAL DE CHAPECÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES CÁLCULO TARIFÁRIO SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO FLUXO DE CAIXA PARA DETERMINAÇÃO DA TARIFA

Leia mais

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC PLANO DE OUTORGA ANEXO V CADERNO DE ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES E APARELHAMENTO Abril/2014 Sumário

Leia mais

Estudo Tarifário do Transporte Público Coletivo Urbano Municipal - INTERCAMP. 10.517.242 / mês

Estudo Tarifário do Transporte Público Coletivo Urbano Municipal - INTERCAMP. 10.517.242 / mês Diretoria de Planejamento e Projetos Gerência de Gestão do Transporte Público Departamento de e Indicadores do Transporte Público Estudo Tarifário do Transporte Público Coletivo Urbano Municipal - INTERCAMP

Leia mais

PREFEITURA DE ITABUNA ESTADO DE BAHIA

PREFEITURA DE ITABUNA ESTADO DE BAHIA ORÇAMENTO BÁSICO DO PROJETO (PLANILHA DE REFERÊNCIA) 1. TARIFA DE REFERÊNCIA. 1.1. PASSAGEIROS ECONÔMICOS MENSAIS Observando-se as correspondências da operadora à Prefeitura de Itabuna, constam os seguintes

Leia mais

ANEXO XIII PLANILHAS MODELO PARA ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA ECONÔMICO

ANEXO XIII PLANILHAS MODELO PARA ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA ECONÔMICO ANEXO XIII PLANILHAS MODELO PARA ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA ECONÔMICO ANEXO - PLANILHAS MODELO PARA ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA ECONÔMICO - Página 1 ÍNDICE DOS QUADROS Parte I - Informações do Sistema

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA CONCORRÊNCIA CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO EDITAL DE CONCORRÊNCIA

Leia mais

Anexo VI VALOR INICIAL DO CONTRATO

Anexo VI VALOR INICIAL DO CONTRATO 1 CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE RIO DO SUL SC PLANO DE OUTORGA Anexo VI VALOR INICIAL DO CONTRATO Janeiro/2013 2 ANEXO V Valor Inicial do Contrato

Leia mais

Anexo IV.2 Instruções para Elaboração do Estudo de Viabilidade Econômico-financeira

Anexo IV.2 Instruções para Elaboração do Estudo de Viabilidade Econômico-financeira Anexo IV.2 Instruções para Elaboração do Estudo de Viabilidade Econômico-financeira PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO... 2 1.1Planilha 1 Demonstração

Leia mais

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO.

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO. EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO. Análise Econômico-financeira da Concessão A licitante deverá apresentar uma análise econômico-financeira da concessão,

Leia mais

ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL

ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL 1. A PROPOSTA COMERCIAL será constituída de uma Carta Proposta, que trará o valor da CONTRAPRESTAÇÃO PECUNIÁRIA ofertada, através

Leia mais

ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS Este Anexo tem por objetivo orientar a elaboração do Plano de Negócios, que compõe a proposta comercial da proponente. O documento deve corresponder

Leia mais

ANEXO XII INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA ECONÔMICO

ANEXO XII INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA ECONÔMICO INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA ECONÔMICO 1. APRESENTAÇÃO Neste anexo são apresentadas as instruções para o preenchimento dos quadros para as projeções econômico-financeiras. Os modelos dos

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A.- CERON PROGRAMA LUZ PARA TODOS. Anexo I - Planilha Orçamentária - Composição de Custos -DOC/DOCA

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A.- CERON PROGRAMA LUZ PARA TODOS. Anexo I - Planilha Orçamentária - Composição de Custos -DOC/DOCA CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A.- CERON PROGRAMA LUZ PARA TODOS Anexo I - Planilha Orçamentária - Composição de Custos -DOC/DOCA Objeto: Referência: PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS TÉCNICOS E ADMINISTRATIVOS

Leia mais

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO Conta do ATIVO 1 ATIVO 1. Circulante 1.. Disponível 1.. Realizável 1... Créditos 1... Estoques 1... Combustíveis 1... Lubrificantes 1... Peças, Acessórios, Materiais 1...

Leia mais

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre Anexo VI B Instruções para Elaboração do Estudo de Viabilidade Econômico-Financeira Anexo VI B Instruções para Elaboração do Estudo de Viabilidade Econômico-Financeira

Leia mais

Comparativo da Despesa Liquidada. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto. Materiais Elétricos e de Telefonia

Comparativo da Despesa Liquidada. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto. Materiais Elétricos e de Telefonia Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado de Sergipe CNPJ: 14.817.219/0001-92 Comparativo da Liquidada CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 1.148.289,97 885.632,24 DESPESA CORRENTE 948.289,97 685.632,24 PESSOAL

Leia mais

ANEXO 5.2. MANUAL DE INFRA-ESTRUTURA BÁSICA DE GARAGENS

ANEXO 5.2. MANUAL DE INFRA-ESTRUTURA BÁSICA DE GARAGENS ANEXO 5.2. MANUAL DE INFRA-ESTRUTURA BÁSICA DE GARAGENS ANEXO 5.2. MANUAL DE INFRA-ESTRUTURA BÁSICA DE GARAGENS 2 ÍNDICE 1 - OBJETIVO 5 2 - CAMPO DE APLICAÇÃO 5 3 - DOCUMENTAÇÃO 5 3.1 - Cadastro de Infra-estrutura

Leia mais

CRF/PR. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia do Paraná CNPJ: 76.693.886/0001-68. Página:1/6. Funções.

CRF/PR. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia do Paraná CNPJ: 76.693.886/0001-68. Página:1/6. Funções. Conselho Regional de Farmácia do Paraná CNPJ: 76.693.886/0001-68 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 14.028.00 12.940.689,80 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESAS CORRENTES 13.375.00 1.082.192,20 1.082.192,20

Leia mais

PROJETO BÁSICO PARA CONTRTAÇÃO DE EMPRESA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS PROJ.: BÁSICOS DA AITY (INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM)

PROJETO BÁSICO PARA CONTRTAÇÃO DE EMPRESA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS PROJ.: BÁSICOS DA AITY (INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM) PROJETO BÁSICO PARA CONTRTAÇÃO DE EMPRESA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 1 Projetos arquitetônicos, com programa de necessidades, antiprojeto e todos os detalhamentos necessários para o pleno entendimento

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação por Tempo de Serviço. Programa de Alimentação ao Trabalhador - Pat

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação por Tempo de Serviço. Programa de Alimentação ao Trabalhador - Pat Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Pará CNPJ: 14.974.293/0001-12 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 922.380,03 665.569,81 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESA CORRENTE 541.961,33 188.309,60

Leia mais

CRF/PB. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia da Paraíba CNPJ: 08.338.774/0001-39. Página:1/6

CRF/PB. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia da Paraíba CNPJ: 08.338.774/0001-39. Página:1/6 Conselho Regional de Farmácia da Paraíba CNPJ: 08.338.774/0001-39 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 4.500.00 3.539.976,99 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESAS CORRENTES 3.533.00 955.295,01 955.295,01

Leia mais

Orçamento Plurianual de Investimentos para o Quadriênio de 2014 a 2017

Orçamento Plurianual de Investimentos para o Quadriênio de 2014 a 2017 Orçamento Plurianual de Investimentos para o Quadriênio de a Projeto/Atividade: 2165 - MANUTENÇÃO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS Função Programática: 17.122.0052 MANUTENÇÃO DOS PROCESSOS CONTÍNUOS DE MELHORIA

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

METODOLOGIA DE CÁLCULO DA TARIFA TÉCNICA

METODOLOGIA DE CÁLCULO DA TARIFA TÉCNICA METODOLOGIA DE CÁLCULO DA TARIFA TÉCNICA ÍNDICE 1. QUILOMETRAGEM 2. PASSAGEIROS 3. IPK 4. CUSTOS DEPENDENTES OU VARIÁVEIS 4.1. Combustível 4.2. Lubrificantes 4.3. Rodagem 4.4. Peças e acessórios e serviços

Leia mais

Pessoal, ACE-TCU-2007 Auditoria Governamental - CESPE Resolução da Prova de Contabilidade Geral, Análise e Custos

Pessoal, ACE-TCU-2007 Auditoria Governamental - CESPE Resolução da Prova de Contabilidade Geral, Análise e Custos Pessoal, Hoje, disponibilizo a resolução da prova de Contabilidade Geral, de Análise das Demonstrações Contábeis e de Contabilidade de Custos do Concurso para o TCU realizado no último final de semana.

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64 1.... ATIVO 152.101.493,67 50.040.951,48 153.182.697,98 1.10... ATIVO CIRCULANTE 12.634.079,13 49.780.167,34 14.042.894,83 1.10.10.. DISPONIBILIDADES 10.621.727,62 40.765.261,82 12.080.213,47 1101001 BENS

Leia mais

CRF/PE. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco CNPJ: 09.822.982/0001-71. Página:1/6

CRF/PE. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco CNPJ: 09.822.982/0001-71. Página:1/6 Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco CNPJ: 09.822.982/0001-71 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 6.366.25 1.102.995,57 2.609.238,49 3.757.011,51 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESAS CORRENTES

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: 14.829.126/0001-88 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 1.819.026,06 1.569.128,55 DESPESA CORRENTE 1.082.835,00 832.937,49

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: 14.829.126/0001-88 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 1.819.026,06 102.069,64 491.340,38 1.327.685,68 DESPESA CORRENTE

Leia mais

Plano Municipal de Transporte Coletivo Urbano de Itapoá - SC AUDIÊNCIA PÚBLICA

Plano Municipal de Transporte Coletivo Urbano de Itapoá - SC AUDIÊNCIA PÚBLICA Plano Municipal de Transporte Coletivo - SC AUDIÊNCIA PÚBLICA Maio - 2012 1 - Apresentação A Administração Municipal de Itapoá contratou este estudo técnico com o objetivo de melhorar a qualidade do serviço

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS 1. Entrada de Dados 1.1 Dados de Oferta Sem Ociosidade Ociosidade PMM (Frota Efetiva) 7.691,99 4% 7.999,67 HVM (Frota Efetiva) 380,89 FROTA PATRIMONIAL 759 FROTA OPERACIONAL 738 1.2. Parâmetros 1.2.1 Combustível

Leia mais

Curso de Gestão da Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 11 O sistema de transporte público por ônibus em São Paulo

Curso de Gestão da Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 11 O sistema de transporte público por ônibus em São Paulo Curso de Gestão da Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 11 O sistema de transporte público por ônibus em São Paulo Pauline Niesseron (*) Após as manifestações de junho 2013, surgiu um questionamento

Leia mais

APAE - ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE DIADEMA Demonstrações financeiras de 2013 comparativo 2012 BALANÇO PATRIMONIAL

APAE - ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE DIADEMA Demonstrações financeiras de 2013 comparativo 2012 BALANÇO PATRIMONIAL BALANÇO PATRIMONIAL A T I V O 2013 2012 ATIVO CIRCULANTE 500.580 566.437 DISPONIBILIDADES 477.026 544.078 Caixa e Bancos Recursos Livres - Assistência Social 6.774 23.649 Bancos Recursos Terceiros - Assistência

Leia mais

Arranjo Unidades Físico Típicas de Indústria. Unidades de Produção e Instalações Auxiliares

Arranjo Unidades Físico Típicas de Indústria. Unidades de Produção e Instalações Auxiliares O cina de Manutenção A localização deve obedecer os seguintes princípios: - Proximidade das unidades de maior concentração de equipamentos e das instalações sujeitas a manutenção mais freqüente; - Proximidade

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS

PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO CARTA-CONSULTA ANEXO II AO DECRETO 4744 PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS I A EMPRESA 1.1. Caracterização e Outras Informações Razão social:

Leia mais

Painel: Custo, Qualidade, Remuneração e Tarifa do Transporte Público. Tema: Planilha Tarifária. Agosto/2013

Painel: Custo, Qualidade, Remuneração e Tarifa do Transporte Público. Tema: Planilha Tarifária. Agosto/2013 Painel: Custo, Qualidade, Remuneração e Tarifa do Transporte Público Tema: Planilha Tarifária Agosto/2013 Planilha Tarifária São Paulo Abrangência: Sistema de transporte sobre pneus no município de São

Leia mais

1.3.2 Um ponto de água e esgoto e uma tomada 110V para instalação de purificador

1.3.2 Um ponto de água e esgoto e uma tomada 110V para instalação de purificador Anexo I Chamamento Público 01/2014 1 Espaço A. Destinação Almoxarifado: armazenamento útil mínimo de 1.000m², divididos da seguinte forma: 1.1 Área de armazenagem 87% (mínimo de 870m²) 1.1.1 Sala administrativa

Leia mais

Comparativo de Despesas Abril/2015

Comparativo de Despesas Abril/2015 Click to edit Master text styles Second level Third level Fourth level» Fifth level Comparativo de s Abril/2015 Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil CNPJ: 14.702.767/0001-77 Comparativo da Liquidada

Leia mais

PROPOSTA FINANCEIRA DE SERVIÇOS

PROPOSTA FINANCEIRA DE SERVIÇOS PROPOSTA FINANCEIRA DE SERVIÇOS PFS PERÍMETRO(S): OBJETO: EDITAL: SERVIÇOS PAGOS A PREÇO GLOBAL CUSTOS DIRETOS MÃO-DE-OBRA A - TOTAL DE SALÁRIO DA EQUIPE A1 - TOTAL SALÁRIOS DA EQUIPE COM VÍNCULO (PFS-I)

Leia mais

Balanço do período de 01/01/13 a 31/12/13

Balanço do período de 01/01/13 a 31/12/13 Balanço do período de 01/01/13 a 31/12/13 DESPESAS 1. DESPESAS COM FUNCIONÁRIOS 63,33% 1.1 Salários e Ordenados 93.723,50 1 1.6 Férias Simples 4.691,30 2 1.7 Décimo Terceiro Salário 6.721,90 3 1.11 Indenização

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO. Aracaju - SE BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO A T I V O CIRCULANTE 160.805.445 138.417.

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO. Aracaju - SE BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO A T I V O CIRCULANTE 160.805.445 138.417. BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO A T I V O 2008 2007 CIRCULANTE 160.805.445 138.417.550 DISPONIBILIDADES 19.838.758 6.355.931 Caixa e bancos 2.931.388 3.021.874 Aplicações de liquidez imediata 16.907.370

Leia mais

CFQ. Comparativo da Despesa Paga CONSELHO FEDERAL DE QUÍMICA CNPJ: 33.839.275/0001-72. Página:1/6. Evite imprimir. Colabore com o meio ambiente.

CFQ. Comparativo da Despesa Paga CONSELHO FEDERAL DE QUÍMICA CNPJ: 33.839.275/0001-72. Página:1/6. Evite imprimir. Colabore com o meio ambiente. CONSELHO FEDERAL DE QUÍMICA CNPJ: 33.839.275/0001-72 Comparativo da Paga 6.2.2.1.1 - CRÉDITO DISPONÍVEL - DESPESAS CORRENTES 18.718.78 3.991.255,30 3.991.255,30 14.727.524,70 6.2.2.1.1.31 - PESSOAL E ENCARGOS

Leia mais

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL Introdução Já sabemos que o Patrimônio é objeto da contabilidade, na qual representa o conjunto de bens, diretos e obrigações. Esta definição é muito importante estar claro

Leia mais

Unidade: Instalações prediais de proteção contra incêndio e de gás

Unidade: Instalações prediais de proteção contra incêndio e de gás Unidade: Instalações prediais de proteção contra incêndio e de gás Nesta Unidade da Disciplina tentaremos compreender a questão da problemática envolvida nos tratos dos assuntos atinentes a prevenção e

Leia mais

Aula Nº 9 Depreciação Conceitos e Métodos

Aula Nº 9 Depreciação Conceitos e Métodos Aula Nº 9 Depreciação Conceitos e Métodos Objetivos da aula: Esta aula tem por objetivo apresentar conceitos de Ativo Imobilizado, Depreciação, Amortização e Exaustão e os métodos de depreciação para calcular

Leia mais

Importância dos Fluxos de Caixa na Avaliação Econômica

Importância dos Fluxos de Caixa na Avaliação Econômica Importância dos Fluxos de Caixa na Avaliação Econômica O fluxo de caixa resume as entradas e as saídas efetivas de dinheiro ao longo do horizonte de planejamento do projeto, permitindo conhecer sua rentabilidade

Leia mais

Como dimensionar o investimento em um projeto PARTE II

Como dimensionar o investimento em um projeto PARTE II Como dimensionar o investimento em um projeto PARTE II Como elaborar a programação dos investimentos? Existe um método alternativo para o cálculo do Capital de Giro de uma empresa ou projeto? Como elaborar

Leia mais

GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE

GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE Piano de Contas Anexo 20 -- grandev

Leia mais

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO 1. A Empresa 1.1. Histórico / Aspectos Organizacionais 1.2. Razão Social 1.3. CNPJ 1.4. Inscrição Estadual e/ou Municipal 1.5. Número e data de registro

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Ano Base: 2012 Demonstrativo da Proposta da Despesa

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Ano Base: 2012 Demonstrativo da Proposta da Despesa 0100 - ATIVIDADE DE APOIO ADMINISTRATIVO 20780 - Preservação do Patrimônio Público 0001 - Rio Grande do Norte Assegurar os recursos orçamentários necessários à cobertura de despesas com a conservação do

Leia mais

ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO

ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO 1 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA 1.1. Razão Social: 1.2. Endereços: Fone: - Escritório - Fábrica 1.3.

Leia mais

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2003 e Parecer dos Auditores Independentes Parecer dos Auditores Independentes 29 de janeiro

Leia mais

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS 11 MODELO DE PLANO DE CONTAS Apresentamos a seguir uma sugestão de plano de contas, para as empresas de construção civil, utilizável também por aquelas que trabalham com obras por empreitada MODELO DE

Leia mais

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria;

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; CATEGORIAS E PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; 2.- Os atestados deverão: 2.1.- Ser apresentados rigorosamente de acordo com

Leia mais

DEMANDAS DE BENS E SERVIÇOS PARA O EMPREENDIMENTO DA REFINARIA PREMIUM I

DEMANDAS DE BENS E SERVIÇOS PARA O EMPREENDIMENTO DA REFINARIA PREMIUM I WORKSHOP DE DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES DEMANDAS DE BENS E SERVIÇOS PARA O EMPREENDIMENTO DA REFINARIA PREMIUM I Maurício Lamartine PETROBRAS 1 Sumário O Empreendimento da Refinaria Premium I (Refinaria,

Leia mais

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS

SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS Análise Econômica e Financeira Este relatório, elaborado pela Projeobra Engenharia Ltda., apresenta a análise econômica e financeira da implantação de um Shopping Popular

Leia mais

Manual. Infraestrutura básica para garagem

Manual. Infraestrutura básica para garagem Manual Infraestrutura básica para garagem Outubro/2012 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 4 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 4 3. DOCUMENTAÇÃO... 4 3.1 - CADASTRO DE INFRAESTRUTURA DE GARAGEM... 4 3.2 - ANEXOS AO CADASTRO...

Leia mais

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Postos (Revendedores e de Abastecimento) e Sistemas

Leia mais

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Ao: Pró Reitor de Desenvolvimento Institucional ANTÔNIO A. RAITANI JÚNIOR Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense Assunto:

Leia mais

Elementos Técnicos dos. Mara Souza

Elementos Técnicos dos. Mara Souza Elementos Técnicos dos Estudos de PPP Mara Souza Anexos Técnicos Estrutura Processo Resultado Anexos Técnicos Estrutura (costumeiro) Bens pré-existentes Arrolamento de bens Vida útil dos bens da concessão

Leia mais

CREFITO/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20.

CREFITO/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 6.425.208,00 2.742.999,95 2.742.999,95 3.682.208,05 CRÉDITO

Leia mais

Serviços e Projetos em Engenharia para todos os segmentos.

Serviços e Projetos em Engenharia para todos os segmentos. Apresentação da Empresa Sumário 02 Quem Somos 03 Urbanismo e Infraestrutura 04 Arquitetura e Paisagismo 05 Área de Estruturas 06 Proteção contra Incêndio 07 Área de Hidráulica 08 Instalações Elétricas

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo ANEXO XVI. DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo ANEXO XVI. DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS ANEXO XVI. DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário INTRODUÇÃO... 3 1 CAPEX... 4 2 OPEX... 12 3 CAPITAL DE TERCEIROS... 22 4 DRE... 24 5 FLUXO DE CAIXA LIVRE... 28 6 TIR... 30 Página 1 de

Leia mais

============================================================================================================================

============================================================================================================================ 01/02/2015 a 28/02/2015 Folha:1 1 203 Ativo 27.205.825,51 33.646.052,26 31.176.612,07-29.675.265,70 1.01 204 Circulante 21.524.160,64 32.787.953,60 30.593.987,96-23.718.126,28 1.01.01 205 Caixa e Equivalentes

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA 0-3 SM PODER PÚBLICO

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA 0-3 SM PODER PÚBLICO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA 0-3 SM PODER PÚBLICO 1 PMCMV 0 a 3 SM Poder Público - Construtoras ENTENDA O PROGRAMA O Programa consiste na aquisição de Terreno onde são construídas unidades habitacionais,

Leia mais

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Bases de Apoio a Empresas Transportadoras de Cargas e Resíduos - Licença de Instalação (LI) -

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Bases de Apoio a Empresas Transportadoras de Cargas e Resíduos - Licença de Instalação (LI) - Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Bases de Apoio a Empresas Transportadoras de Cargas e Resíduos

Leia mais

Dados de Porto Alegre. População: 1.409.351 habitantes. Área: 496,682 km2

Dados de Porto Alegre. População: 1.409.351 habitantes. Área: 496,682 km2 AUDIÊNCIA PÚBLICA Dados de Porto Alegre População: 1.409.351 habitantes Área: 496,682 km2 Figura 1. Localização do Município de Porto Alegre e dos demais municípios integrantes da RMPA. Legislação Aplicável:

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXERCÍCIO 2013

PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXERCÍCIO 2013 CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXERCÍCIO 2013 Prestação de Contas do Exercício de 2013 CRM-PR Saldo do exercício de 2012 R$ 5.487.745,60 Arrecadação no exercício de 2013

Leia mais

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100)

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CÍVIL - SINAPI

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CÍVIL - SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CÍVIL - SINAPI 1 UTILIZAÇÃO DA TABELA SINAPI: VISÃO DA ÁREA EMPRESARIAL O QUE VEM OCORRENDO NO MERCADO COM APLICAÇÃO DO SISTEMA SINAPI 2 ÍNDICE

Leia mais

ESCLARECIMENTO DE DÚVIDAS Nº 003/LCIC-2/2014 27/05/2014 CONCORRÊNCIA Nº 004/DALC/SBCT/2014

ESCLARECIMENTO DE DÚVIDAS Nº 003/LCIC-2/2014 27/05/2014 CONCORRÊNCIA Nº 004/DALC/SBCT/2014 ESCLARECIMENTO DE DÚVIDAS Nº 003/LCIC-2/2014 27/05/2014 CONCORRÊNCIA Nº 004/DALC/SBCT/2014 CONCESSÃO DE USO DE ÁREAS DESTINADAS À IMPLANTAÇÃO E EXPLORAÇÃO COMERCIAL DE HOTEL NO AEROPORTO INTERNACIONAL

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO (-) RESULTADO LIQUIDO DO PERIODO R$ (1.530.403,65) (-) RESULTADO OPERACIONAL R$ (2.277.862,58) RECEITA OPERACIONAL R$ 14.478.475,92 RECEITA BRUTA R$ 16.039.707,46 RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO R$ 7.649.244,47

Leia mais

ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO

ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO É a etapa do processo do planejamento estratégico em que se estima (projeta) e determina a melhor relação entre resultados e despesas para atender às necessidades

Leia mais

=CAIXA ******6.053,07D *****200.073,85 *****179.146,19 *****26.980,73D

=CAIXA ******6.053,07D *****200.073,85 *****179.146,19 *****26.980,73D Diário:6 Folha: 12 [7]ATIVO [14]ATIVO CIRCULANTE [21]CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA [28]CAIXA [35]CAIXA 6.053,07D 200.073,85 179.146,19 26.980,73D =CAIXA ******6.053,07D *****200.073,85 *****179.146,19

Leia mais

Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras No ano de 2012 o Londrina Country Club atualizou o plano de contas de sua demonstração de resultado. O objetivo é atualizar a nomenclatura das contas permitindo

Leia mais

Light Serviços de Eletricidade S.A. Demonstrações contábeis regulatórias referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013

Light Serviços de Eletricidade S.A. Demonstrações contábeis regulatórias referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 Light Serviços de Eletricidade S.A. Demonstrações contábeis regulatórias referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 Balanços Patrimoniais Regulatório e Societário Nota Societário Ajustes CPCs

Leia mais

CONTRATOS 2009. Contrato nº Origem Objeto Valor Anual Vigência

CONTRATOS 2009. Contrato nº Origem Objeto Valor Anual Vigência CONTRATOS 2009 Contrato nº Origem Objeto Valor Anual Vigência 01 PROPOSTA 02 INEX nº 018/2008 03 PROPOSTA Contratação de serviços de acesso a um banco de informações sobre ações voltadas ao treinamento

Leia mais

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro Linhas do BNDES

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro Linhas do BNDES Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro Linhas do BNDES 1. A Empresa 1.1. Histórico / Aspectos Organizacionais 1.2. Razão Social 1.3. CNPJ 1.4. Inscrição Estadual e/ou Municipal 1.5. Número e data de

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - PARAIBA Sistema de Contabilidade COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Março - 2012

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - PARAIBA Sistema de Contabilidade COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Março - 2012 COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Março - 2012 Pág. : 1 6.2.1 RECEITAS CORRENTES 2.600.000,00 238.142,92 1.067.781,32 41,07 1.532.218,68 6.2.1.1 CONTRIBUIÇÕES 2.172.925,79 205.317,79

Leia mais

1. Sugestões e Questionamentos apresentados; 2. Administração Indireta; 3. Administração Direta; 4. Composição de custos - Serviços; 5.

1. Sugestões e Questionamentos apresentados; 2. Administração Indireta; 3. Administração Direta; 4. Composição de custos - Serviços; 5. 1. Sugestões e Questionamentos apresentados; 2. Administração Indireta; 3. Administração Direta; 4. Composição de custos - Serviços; 5. Respostas e modificações de projeto. 1.0 QUANTIDADE INSUFICIENTE

Leia mais

SIND-UFLA SIND. TEC. ADM. EDUC. INSTIUIÇÕES FED. DE ENSINO DE LAVRAS BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31/12/2014 A T I V O

SIND-UFLA SIND. TEC. ADM. EDUC. INSTIUIÇÕES FED. DE ENSINO DE LAVRAS BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31/12/2014 A T I V O SIND-UFLA SIND. TEC. ADM. EDUC. INSTIUIÇÕES FED. DE ENSINO DE BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31/12/2014 ATIVO CIRCULANTE A T I V O DISPONIVEL Banco c/ Movimento 10.043,15 10.043,15 OUTROS CRÉDITOS Adiantamentos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA -2

TERMO DE REFERÊNCIA -2 TERMO DE REFERÊNCIA -2 1. O PROJETO Título do Projeto: Reforma e Ampliação das Promotorias de Justiça de Direitos Constitucionais e Patrimônio Público e Promotorias de Justiça de Ações Constitucionais

Leia mais

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova Conteúdo 1 Questões Propostas... 1 2 Comentários e Gabarito... 1 2.1 Questão 41 Depreciação/Amortização/Exaustão/Impairment... 1 2.2 Questão 42 fatos contábeis e regime de competência x caixa... 2 2.3

Leia mais

Jornada de Trabalho: 44 horas semanais. Repouso remunerado por escala de revezamento

Jornada de Trabalho: 44 horas semanais. Repouso remunerado por escala de revezamento O Profissional Postos Combustíveis FRENTISTA Requisito de escolaridade para exercício da função: Mínimo: Ensino fundamental completo; Comum: Ensino médio em curso; Desejável: estudantes universitários.

Leia mais

AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE

AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE Conforme a Lei Estadual nº 1., de de embro de 200, FORMULÁRIO PARA EMPREENDIMENTOS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS 1. IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO EMPREENDIMENTO NOME: IDENTIDADE: ENDEREÇO: ÓRGÃO EXPEDIDOR:

Leia mais

ANEXO IV INFORMAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL

ANEXO IV INFORMAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL ANEXO IV INFORMAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL A orientação padrão para a elaboração da PROPOSTA DE TARIFA REFERENCIAL DE ÁGUA (TRA) e TARIFA REFERENCIAL DE ESGOTO objetiva propiciar a Comissão:

Leia mais

Excelência. Recursos. Faturamento/Financeiro Faturamento Contas a Receber Contas a Pagar Fiscal Contábil

Excelência. Recursos. Faturamento/Financeiro Faturamento Contas a Receber Contas a Pagar Fiscal Contábil Competência Sistemas para Transportadoras e Soluções Você e sua Empresa em perfeita sintonia Excelência Recursos Tms EXPERIÊNCIA O sistema é composto por módulos que controlam e integram os processos operacionais

Leia mais

CENTRAIS DE ABAST. CEARA S/A * Balancete Mensal * COMPETENCIA: ABR/2015 DT.EMIS: 16/06/15 PAG:00001

CENTRAIS DE ABAST. CEARA S/A * Balancete Mensal * COMPETENCIA: ABR/2015 DT.EMIS: 16/06/15 PAG:00001 CENTRAIS DE ABAST. CEARA S/A * Balancete Mensal * COMPETENCIA: ABR/2015 DT.EMIS: 16/06/15 PAG:00001 1 ATIVO 7.631.894,06 11 ATIVO CIRCULANTE 5.477.698,67 1101 DISPONIVEL 951.130,31 1101.03 BANCO CONTA

Leia mais

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES MINHA CASA, MINHA VIDA Ampliação das oportunidades de acesso das famílias

Leia mais

Medida Provisória nº 691/2015

Medida Provisória nº 691/2015 Medida Provisória nº 691/2015 Brasília, Setembro/2015 AUDIÊNCIA PÚBLICA SENADO GESTÃO DE IMÓVEIS DA UNIÃO APERFEIÇOAMENTO DO MARCO LEGAL- MP 691/2015 Alienação de terrenos em áreas urbanas consolidadas

Leia mais

CONHECENDO A UFRRJ: um olhar mais próximo da estrutura física, organizacional, funcional e cultural da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

CONHECENDO A UFRRJ: um olhar mais próximo da estrutura física, organizacional, funcional e cultural da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. CONHECENDO A UFRRJ: um olhar mais próximo da estrutura física, organizacional, funcional e cultural da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. DISTRIBUIÇÃO E MANUTENÇÃO de água, iluminação de ruas,

Leia mais

ANEXO VI INVESTIMENTOS E RESPONSABILIDADES

ANEXO VI INVESTIMENTOS E RESPONSABILIDADES ANEXO VI INVESTIMENTOS E RESPONSABILIDADES 1 / 8 ANEXO VI - INVESTIMENTOS E RESPONSABILIDADES 6.1. Investimento em frota de veículos - disponibilidade de frota para o início da operação 6.2. Frota de veículos

Leia mais

MUNICÍPIO DE IJUÍ PODER EXECUTIVO

MUNICÍPIO DE IJUÍ PODER EXECUTIVO METODOLOGIA PLANILHA DE CUSTOS O presente documento tem por finalidade descrever a metodologia utilizada para o cálculo do preço do quilometro rodado das linhas de transporte escolar para o ano de 2.014,

Leia mais

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO 2 -DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS. OBJETIVO E CONTEÚDO Os objetivos da Análise das Demonstrações Contábeis podem ser variados. Cada grupo de usuários pode ter objetivos específicos para analisar as Demonstrações

Leia mais

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito.

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito. Ecologicamente correto Economicamente viável Socialmente justo Culturalmente aceito. ENERGIA SEGURANÇA ETE FIBRA-ÓTICA DADOS TELEFONIA PAVIMENTAÇÃO VIAS PROJETADAS GÁS ETA SINALIZAÇÃO EQUIP. URBANOS ACESSIBILIDADE

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 024/2014 CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO ANEXO Q8

EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 024/2014 CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO ANEXO Q8 OBS.: CADA ITEM MENCIONADO A SEGUIR REFERE-SE AOS ITENS DA PLANILHA DE PREÇOS UNITÁRIOS (PPU) 1. Sub-item 1.1 e 1.2: Mobilização e Desmobilização. Será medido na conclusão total de cada sub-item, 100%

Leia mais

20 o CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL SISTEMA DE CUSTOS

20 o CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL SISTEMA DE CUSTOS SISTEMA DE CUSTOS Milton Hidehiro Kobo (1) Administrador de Empresas. Assistente da Diretoria Comercial e Financeira do SEMASA. Servidor de carreira da autarquia desde 04/02/74. Marluce Machado da Paz

Leia mais

Resumo dos Instrumentos de Contrato e Termos Aditivos

Resumo dos Instrumentos de Contrato e Termos Aditivos Folha: 1/7 82.837.741/0001-96 PANIFICADORA ROSSI LTDA 02.150.774/0002-05 Número do Processo: 1-20/2012 AQUISIÇÃO DE MERENDA ESCOLAR, COM ENTREGAS FUTURAS E DE FORMA PARCELADA PARA O EXERCICIO DE 2012.

Leia mais

Planilha de Cálculo Tarifário 2014

Planilha de Cálculo Tarifário 2014 CPTRANS - Cia. Petropolitana de Trânsito e Transportes Diretoria Técnico-Operacional I - Custo Variável Planilha de Cálculo Tarifário 2014 1 - Combustível = Preço litro diesel 2,2876 x Coeficiente (litros

Leia mais