A VOZ NO TELEJORNALISMO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A VOZ NO TELEJORNALISMO"

Transcrição

1 A VOZ NO TELEJORNALISMO Leny R. Kyrillos 1 Cláudia Cotes 2 RESUMO A Fonoaudiologia atua junto aos profissionais do telejornalismo desde a década de 80. No início tal atuação baseou-se na experiência prática. No decorrer do tempo, o conhecimento na área desenvolveu-se, a partir da troca de experiências e da realização de trabalhos científicos. O objetivo do presente trabalho foi realizar o levantamento das publicações referentes à atuação fonoaudiológica junto ao telejornalismo, e analisá-las quanto ao formato da publicação e os temas abordados, no período 2005 a Método: para o levantamento da referida produção científica, foram selecionados apenas os trabalhos relacionados especificamente ao tema telejornalismo. Recorremos aos Anais de Congressos e aos bancos de dados de instituições com programas de Especialização, Mestrado e Doutorado. Além disso, fizemos o levantamento nas publicações científicas na área. Resultados: os dados obtidos demonstram que grande parte das publicações ocorre no formato de capítulos de livros e anais. Os temas abordados modificaram-se no decorrer do período. Conclusões: o levantamento das publicações sobre Fonoaudiologia e telejornalismo, no período de 2005 a 2007 evidenciou grande queda no número de produções, mas os formatos foram mantidos. Quanto aos temas estudados, houve grande interesse nos aspectos da Expressividade, possibilitando uma atuação mais abrangente. Palavras-chave: Voz, Telejornalismo, Bibliografia como Assunto 1 Fonoaudióloga. Doutora em Distúrbios da Comunicação Humana pela UNIFESP 2 Fonoaudióloga. Doutora em Lingüística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP 1

2 INTRODUÇÃO A atuação fonoaudiológica junto ao profissional de telejornalismo (apresentadores e repórteres) teve seu início formal numa emissora de televisão, que passou a contar com esse profissional a partir da década de 80. Na época, o atendimento ocorria dentro da emissora, e era restrito a um pequeno número de apresentadores e repórteres. No final da década de 80, houve grande mudança no formato dos telejornais, e aquele padrão mais estereotipado de apresentador, com voz impostada e certo distanciamento, foi sendo substituído pela necessidade de um profissional que utilizasse a comunicação de maneira natural, aproximando-se do público e marcando um estilo próprio de atuação. Passou-se a valorizar mais a característica pessoal do profissional, e com isso houve a exigência de que, além de tudo, o apresentador e o repórter fossem bons comunicadores. Assim tornou-se imperativo desenvolver as habilidades pessoais, e atenuar as dificuldades motivando a procura, cada vez mais importante, pelo profissional fonoaudiólogo neste contexto. No início da década de 90, os repórteres que buscavam o atendimento fonoaudiológico nos consultórios ainda apresentavam, em sua maioria, queixas e/ou problemas vocais; muitos, porém, optavam por continuar o atendimento após a solução do problema, com a intenção de melhor se habilitarem para a atuação profissional. De lá para cá, cada vez mais esses profissionais procuram o atendimento fonoaudiológico sem queixas específicas, com o objetivo de desenvolver o melhor padrão de emissão profissional. Paralelo a este movimento, a atuação fonoaudiológica dentro das emissoras de televisão também cresceu. A atuação também ganhou maior abrangência, tratando da comunicação como um todo, adequando-se a postura, a expressão 2

3 facial, uso de gestos, e privilegiando os cuidados com a voz em termos de saúde vocal e expressividade. Por outro lado, a produção científica sempre foi muito escassa nesta área de atuação. No início, tivemos que recorrer ao conhecimento de áreas paralelas, para então iniciarmos o nosso saber científico, baseando-nos principalmente na prática fonoaudiológica junto a esses profissionais. É uma área em franca expansão, tanto do ponto de vista da atuação, cada vez mais requisitada, quanto da produção científica, cada vez mais rica. Muitos fonoaudiólogos passaram a dedicar-se à área, e a produção científica vem crescendo a cada ano. O objetivo do presente trabalho é realizar o levantamento das publicações referentes à atuação fonoaudiológica junto ao telejornalismo, e analisá-las quanto ao formato da publicação e os temas abordados, no período 2005 a

4 MÉTODO Para o levantamento da referida produção científica, foram selecionados apenas os trabalhos relacionados especificamente ao tema telejornalismo. Recorremos aos Anais de Congressos e aos bancos de dados de instituições com programas de Especialização, Mestrado e Doutorado. Além disso, fizemos o levantamento das publicações científicas na área. 4

5 RESULTADOS Discorreremos, agora, sobre o desenvolvimento dos estudos científicos no telejornalismo, por meio das pesquisas realizadas por fonoaudiólogos, no período de 2005 a 2007, conforme pode ser verificado na Tabela 1 e Gráfico 1, apresentada a seguir. Tabela 1 - Distribuição quanto aos formatos da produção científica fonoaudiológica brasileira sobre telejornalismo, de 2005 a 2007 Formatos N.º % Anais de Congressos 5 22 Monografias e Especializações 2 9 Capítulos de Livros Capítulos de Revistas Científicas 1 4 Dissertações de Mestrado 1 4 Tese de Doutorado 2 9 Livros 0 0 Trabalhos de Conclusão de Curso 1 4 Total de Trabalhos

6 Gráfico 1 Apresentação dos formatos da produção científica fonoaudiológica brasileira sobre telejornalismo de 2005 a 2007 Apresentaremos agora, na Tabela 2 e no Gráfico 2, a distribuição dos temas enfocados nos trabalhos científicos, bem como as referências de cada tema enfocado. Tabela 2 - Distribuição quanto aos temas enfocados na produção científica fonoaudiológica brasileira sobre telejornalismo, de 2005 a 2007 Temas N.º % Histórico 1 (1) 4,5 Características da atuação 4 (2-5) 18 do repórter/apresentador Atuação Fonoaudiológica 3 (6-8) 13 Expressividade 12 (9-20) 54 Saúde Vocal 2 (21,22) 9 6

7 Gráfico 2 Apresentação quanto aos temas enfocados na produção científica fonoaudiológica brasileira sobre telejornalismo, de 2005 a

8 DISCUSSÃO A Tabela 1 e o Gráfico 1 apresentam as publicações no período referido de acordo com o formato. Observamos que a maioria dos trabalhos são capítulos de livros, seguidos por anais de congressos científicos. Esta condição dificulta a divulgação dos trabalhos e a aceitação por parte da comunidade científica, já que apenas uma minoria foi publicada em periódicos científicos. Na verdade, esta apresentação vem se mantendo constante no decorrer do tempo. Talvez com a evolução do número de dissertações de mestrado e teses de doutorado no período de 2005 a 2007, tenhamos maior número de publicações em periódicos científicos. A Tabela 2 e o Gráfico 2 apresentam a distribuição das publicações em relação aos temas. As primeiras publicações referiam-se a experiências da prática clínica junto a este grupo; a seguir, passaram a enfocar o ambiente de trabalho e o cotidiano nas emissoras de televisão. O tema inicial discorria a respeito da saúde vocal; gradativamente, entretanto, com o amadurecimento do grupo de fonoaudiólogos, o enfoque passou a ser a expressividade verbal e não-verbal, e a fonoaudiologia passou a estudar mais o corpo, o gesto, a expressão facial e, além disso, os recursos vocais, como a ênfase, a prosódia, a curva melódica, começaram a receber maior atenção da nossa parte. A questão da expressividade passou a ser gradativamente mais considerada, já que os profissionais passaram a ser mais exigidos a partir desse período, e o mercado de trabalho ampliou-se. Além da clareza e da credibilidade, os profissionais foram cada vez mais estimulados a serem naturais no vídeo, expressivos. Isto motivou os fonoaudiólogos a aprofundarem seus conhecimentos sobre a área. 8

9 Assim, foi organizado, em 2005, o livro Expressividade, em que vários colegas descreveram suas experiências com diferentes profissionais da voz. Quatro capítulos abordaram a expressividade no telejornalismo (9-12). Um aspecto importante a ser comentado foi a migração de pós-graduandos fonoaudiólogos para áreas correlatas, como a Lingüística, a Semiótica e a Comunicação Social, a partir de Este fato diversificou e aumentou a abrangência dos estudos sobre Expressividade. Há muito espaço ainda para crescer, e isso ocorrerá a partir da nossa mobilização no sentido de mostrar a importância e a necessidade do nosso trabalho e os resultados que podem ser obtidos. Trata-se de uma área em que a prática profissional e a necessidade clínica nos levaram a desenvolver a ciência, e hoje esse respaldo científico valida e comprova a nossa atuação crescente junto a esse grupo profissional. 9

10 CONCLUSÃO O levantamento das publicações sobre fonoaudiologia e telejornalismo, no período de 2005 a 2007 evidenciou grande queda no número de produções, mas os formatos foram mantidos. Quanto aos temas estudados, houve grande interesse nos aspectos da Expressividade, possibilitando uma atuação mais abrangente. 10

11 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. Priston JA. A evolução histórica dos diversos sotaques do português brasileiro e o trabalho de prosódia na televisão. In: Pinho OS. Temas em Voz Profissional. Rio de Janeiro: Revinter, Pontes ACT, Rodrigues DN, Faria VM. Estudo do padrão comunicativo dos repórteres da TV Assembléia da cidade de Fortaleza. Anais do 15º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia, 7º Congresso Internacional de Fonoaudiologia. 16 a 20 de outubro de Gramado / RS. 3. Sóstenes GP. Estilo de narração de telejornalistas esportivos. In: Kyrillos L, Feijó D, Gama ACC (org). Fonoaudiologia e telejornalismo. Baseado no IV Encontro Nacional de Fonoaudiologia da CGJ. Rio de Janeiro: Revinter, 2005.p Panico ACB. Julgamento do comportamento vocal de jornalistas em diferentes estilos de notícias e seus correlatos acústicos. [tese de doutorado em Psicobiologia]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo; Jesus LC, Barros MB. Caracterização Vocal dos Profissionais de Telejornalismo da TV Difusora de São Luís. Faculdade Santa Terezinha CEST, Azevedo JBM. Análise dos efeitos de uma intervenção fonoaudiológica realizada junto a telejornalistas. [dissertação em Fonoaudiologia]. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; Panico, A.C.B. Avaliação Vocal do Profissional do Telejornalismo. Anais do XIII Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia. 28 a 30 de setembro de Centro Universitário Barão de Mauá. 8. Brandalise JD, Gonçalves MIR. Análises perceptivo-auditiva e acústica computadorizada pré e pós técnica de sobrearticulação em repórteres de televisão. Anais do XIII Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia. 28 a 30 de setembro de Instituição: UTP. 11

12 9. Coelho MA. O custo somático da expressividade considerações sobre o stress no telejornalismo ao vivo. In: Kyrillos LCR. Expressividade: da teoria à prática. Rio de Janeiro: Revinter, Panico ACB. Expressividade na fala construída. In: Kyrillos LR (org.). Expressividade: da Teoria à Prática. Rio de Janeiro: Revinter, p Rector M, Cotes C. O uso da expressividade corporal e articulatória. In: Kyrillos, L (org.). Expressividade: da teoria à prática. Rio de Janeiro: Revinter, p Stier MA, Neto BC. Expressividade falar com naturalidade e técnica no jornalismo de televisão. In: Kyrillos LCR. Expressividade: da teoria à prática. Rio de Janeiro: Revinter, Coelho MABF. Influências da situação ao vivo sobre a narração de repórteres e apresentadores. In: Gama ACC, Kyrillos LCR, Feijó D (org.). In: Fonoaudiologia e Telejornalismo: Relatos do IV Encontro de Fonoaudiologia da Central Globo de Jornalismo. Rio de Janeiro: Revinter, Lombardo P. A expressividade do telejornalista: comparação em situação de apresentação e off. [monografia de especialização em Voz]. São Paulo: COGEAE. PUC/SP, Constantini AC, Mourão LF. Estudo da ocorrência dos tipos de pausas no discurso jornalístico. Anais do 15º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia. 7º Congresso Internacional de Fonoaudiologia. 16 a 20 de outubro de Gramado / RS. 16. Cotes C. O uso das pausas nos diferentes estilos de TV. Revista CEFAC. 2007:9(2). 17. Cotes C. A expressividade no telejornalismo brasileiro. In: Cortez AC, Kyrillos L, Feijó D. Fonoaudiologia e Telejornalismo. Rio de Janeiro: Revinter; p Lopes LW, Madeiro F, Aguiar MAM. Prosódia e intencionalidade no relato da notícia. 15º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia, 7º Congresso Internacional de Fonoaudiologia, 16 a 20 de outubro de Gramado/RS. 12

13 19. Panico ACB, Fukusima SS. Análise acústica e percepção do telespectador de diferentes estilos de emissão em tele-reportagem. In: Gama ACC, Kyrillos L; Feijó D (org.). Fonoaudiologia e Telejornalismo - Relatos do IV Encontro Nacional de Fonoaudiologia da Central Globo de Telejornalismo. Rio de Janeiro, p Vieira VP. O efeito da orientação fonoaudiológica na expressividade em estagiários do curso de jornalismo de emissora de televisão. [monografia de especialização em Voz]. São Paulo: Centro de Estudos da Voz, Chun RYS, Servilha EAM, Santos LMA, Sanches MH. Promoção da Saúde: o conhecimento do aluno de jornalismo sobre sua voz. Distúrbios da Comunicação. 2007;19(1): Stier MA, Feijó D. Aquecimento vocal para telejornalista. In: Gama ACC, Kyrillos LCR, Feijó D. Fonoaudiologia e Telejornalismo. Relatos do IV Encontro Nacional de Fonoaudiologia da Central Globo de Jornalismo. Revinter; p

A VOZ NO TELEJORNALISMO LISTA DE REFERÊNCIAS ANTERIORES AO ANO DE 2005. Revisada e Ampliada

A VOZ NO TELEJORNALISMO LISTA DE REFERÊNCIAS ANTERIORES AO ANO DE 2005. Revisada e Ampliada A VOZ NO TELEJORNALISMO LISTA DE REFERÊNCIAS ANTERIORES AO ANO DE 2005 Revisada e Ampliada Leny R. Kyrillos 1 ALENCAR, F. O Desenvolvimento da Comunicação do Perfil do Telejornalismo nos 50 anos da Televisão

Leia mais

A VOZ NO TELEJORNALISMO

A VOZ NO TELEJORNALISMO A VOZ NO TELEJORNALISMO Leny Rodrigues Kyrillos (1) RESUMO O presente trabalho é a compilação e a organização dos trabalhos científicos publicados nos formatos de artigos, capítulos de livro, trabalhos

Leia mais

DOCENTES DO CURSO DE JORNALISMO: CONHECIMENTO SOBRE SAÚDE VOCAL

DOCENTES DO CURSO DE JORNALISMO: CONHECIMENTO SOBRE SAÚDE VOCAL DOCENTES DO CURSO DE JORNALISMO: CONHECIMENTO SOBRE SAÚDE VOCAL Rayné Moreira Melo Santos (CESMAC) raynefono@yahoo.com.br Rozana Machado Bandeira de Melo (CESMAC) rmbmelo@ig.com.br Zelita Caldeira Ferreira

Leia mais

DIVERSAS ÁREAS DA VOZ FALADA

DIVERSAS ÁREAS DA VOZ FALADA DIVERSAS ÁREAS DA VOZ FALADA LISTA DE REFERÊNCIAS ANTERIORES AO ANO DE 2005 Revisada e Ampliada Izabel Cristina Viola 1 ADVOGADOS Araújo ANB, Macedo CL, Mesquita KS. O discurso do advogado de defesa: quando

Leia mais

4 Metodologia. 4.1. Primeira parte

4 Metodologia. 4.1. Primeira parte 4 Metodologia [...] a metodologia inclui as concepções teóricas de abordagem, o conjunto de técnicas que possibilitam a apreensão da realidade e também o potencial criativo do pesquisador. (Minayo, 1993,

Leia mais

Ana Carolina de Assis Moura Ghirardi

Ana Carolina de Assis Moura Ghirardi Ana Carolina de Assis Moura Ghirardi Fonoaudióloga graduada pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Especialização em voz pela Coordenadoria Geral de Especialização, Aperfeiçoamento e Extensão

Leia mais

Pré Iniciação Científica em Ciências Humanas

Pré Iniciação Científica em Ciências Humanas Pré Iniciação Científica em Ciências Humanas Sala 14 Ciências Humanas e da Natureza EM Integral E.E. Prof. Antônio Alves Cruz Professor Apresentador: Prof. Messias Bortolini Romero Realização: Justificativa

Leia mais

Palavras-chave: voz profissional, expressividade, voz, religioso.

Palavras-chave: voz profissional, expressividade, voz, religioso. A Voz do Religioso Izabel Cristina Viola 1 Maria Laura Wey Märtz 2 RESUMO Este capítulo tem por objetivo apresentar as pesquisas produzidas na Fonoaudiologia, entre 2008-2012, que versam sobre o uso da

Leia mais

Curso Intensivo. Marketing Pessoal

Curso Intensivo. Marketing Pessoal Curso Intensivo Marketing Pessoal O EaDPLUS é um dos melhores portais de cursos à distância do Brasil e conta com um ambiente virtual de aprendizagem que visa a capacitação profissional objetivando proporcionar

Leia mais

Sebastiana Benedita Coelho de Moraes COUTEIRO; Marília ALVARES. Escola de Música e Artes Cênicas da UFG sabahmoraes@gmail.com

Sebastiana Benedita Coelho de Moraes COUTEIRO; Marília ALVARES. Escola de Música e Artes Cênicas da UFG sabahmoraes@gmail.com O ENSINO DO CANTO POPULAR BRASILEIRO Abordagem Didática: técnica vocal Sebastiana Benedita Coelho de Moraes COUTEIRO; Marília ALVARES. Escola de Música e Artes Cênicas da UFG sabahmoraes@gmail.com INTRODUÇÃO

Leia mais

Panorama da Pesquisa Científica em Telejornalismo: os congressos como espaço de difusão e consolidação do campo 1

Panorama da Pesquisa Científica em Telejornalismo: os congressos como espaço de difusão e consolidação do campo 1 Panorama da Pesquisa Científica em Telejornalismo: os congressos como espaço de difusão e consolidação do campo 1 Edna de Mello SILVA 2 Universidade Federal do Tocantins, Palmas, TO Resumo A proposta do

Leia mais

PROPOSTA DE NÍVEIS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PARA O EXERCÍCIO DA ARQUEOLOGIA

PROPOSTA DE NÍVEIS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PARA O EXERCÍCIO DA ARQUEOLOGIA PROPOSTA DE NÍVEIS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PARA O EXERCÍCIO DA ARQUEOLOGIA Luís Cláudio Symanski (CEPA - Universidade Federal do Paraná) Christiane Lopes Machado (Rheambiente) Roberto Stanchi (Instituto

Leia mais

O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a

O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a seguir. COLÉGIO NOTRE DAME FONOAUDIOLOGIA PREVENTIVA

Leia mais

Contribuição da metodologia de pesquisa na Educação Tutorial: A formação dos petianos do PET Pedagogia da UFOP

Contribuição da metodologia de pesquisa na Educação Tutorial: A formação dos petianos do PET Pedagogia da UFOP Contribuição da metodologia de pesquisa na Educação Tutorial: A formação dos petianos do PET Pedagogia da UFOP ALVES, Crislaine 1; CARVALHO, Daiane 1; CRUZ, Júlia 1, FÉLIX, Michelle 1; FERREIRA, Juliane

Leia mais

CANAIS 14 UHF 22 da NET

CANAIS 14 UHF 22 da NET www.facebook.com/tvredepaulista www.twitter.com/tvredepaulista www.youtube.com/tvredepaulista www.projectocom.com.br tvredepaulista Fundação Cultural Anhanguera R. Dr. Leonardo Cavalcanti, 56 Centro Jundiaí/SP

Leia mais

PROFESSOR ESPECIALIZADO NA ÁREA DA DEFICIÊNCIA VISUAL: OS SENTIDOS DA VOZ

PROFESSOR ESPECIALIZADO NA ÁREA DA DEFICIÊNCIA VISUAL: OS SENTIDOS DA VOZ PROFESSOR ESPECIALIZADO NA ÁREA DA DEFICIÊNCIA VISUAL: OS SENTIDOS DA VOZ Denise Cintra Villas Boas Léslie Piccolotto Ferreira Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo- PUC/SP Área: Voz

Leia mais

Corpo e Fala EMPRESAS

Corpo e Fala EMPRESAS Corpo e Fala EMPRESAS A Corpo e Fala Empresas é o braço de serviços voltado para o desenvolvimento das pessoas dentro das organizações. Embasado nos pilares institucionais do negócio, ele está estruturado

Leia mais

Palavras chave: voz, prevenção, criança

Palavras chave: voz, prevenção, criança AÇÕES DE PREVENÇÃO DE DISFONIA INFANTIL EM CENÁRIOS EDUCACIONAIS: ANÁLISE DA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTOS SOBRE VOZ A PARTIR DE DESENHOS DE ALUNOS DE EDUCAÇÃO INFANTIL. Palavras chave: voz, prevenção, criança

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS Curso: 42501 Jornalismo Disciplina: Jornalismo Audiovisual Núcleo Temático: Formação profissional Aplicação processual Prática laboratorial Código

Leia mais

COMUNICAÇÃO EM PÚBLICO

COMUNICAÇÃO EM PÚBLICO COMUNICAÇÃO EM PÚBLICO Anna Alice Figueirêdo de Almeida (1) Leonardo Wanderley Lopes (2) Priscila Oliveira Costa Silva (3) Renata Serrano de Andrade Pinheiro (4) RESUMO Introdução: A oratória trata-se

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. A INCLUSÃO DA CRIANÇA COM SINDROME DE DOWN E SEU PROCESSO

Leia mais

FONOAUDIOLOGIA E EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO A PROFESSORES. Ana Claudia Tenor. Secretaria Municipal de Educação de Botucatu

FONOAUDIOLOGIA E EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO A PROFESSORES. Ana Claudia Tenor. Secretaria Municipal de Educação de Botucatu II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores FONOAUDIOLOGIA E EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO A PROFESSORES Ana Claudia Tenor

Leia mais

Título: QUALIDADE VOCAL NAS ESCOLAS DE SALVADOR. Autor: Profª. Ana Paula Corona, Profº Penildon Silva Filho

Título: QUALIDADE VOCAL NAS ESCOLAS DE SALVADOR. Autor: Profª. Ana Paula Corona, Profº Penildon Silva Filho Título: QUALIDADE VOCAL NAS ESCOLAS DE SALVADOR Autor: Profª. Ana Paula Corona, Profº Penildon Silva Filho Instituição: Universidade Federal da Bahia Área temática: Saúde OBJETIVO: O projeto QUALIDADE

Leia mais

SENADO FEDERAL SECRETARIA DE PESQUISA E OPINIÃO PÚBLICA. As ONGs na Mídia. O perfil do Terceiro Setor na Imprensa. Estudo elaborado pela SEPOP/SECS

SENADO FEDERAL SECRETARIA DE PESQUISA E OPINIÃO PÚBLICA. As ONGs na Mídia. O perfil do Terceiro Setor na Imprensa. Estudo elaborado pela SEPOP/SECS As ONGs na Mídia O perfil do Terceiro Setor na Imprensa Estudo elaborado pela SEPOP/SECS Brasília, novembro de 2006 1 Apresentação Uma marca forte, com alta credibilidade, boa visibilidade, nítido perfil

Leia mais

VEM AÍ A FEIRA COM OPORTUNIDADE PARA OS JOVENS NAS CARREIRAS DO AGRONEGÓCIO

VEM AÍ A FEIRA COM OPORTUNIDADE PARA OS JOVENS NAS CARREIRAS DO AGRONEGÓCIO PROPOSTA COMERCIAL VEM AÍ A FEIRA COM OPORTUNIDADE PARA OS JOVENS NAS CARREIRAS DO AGRONEGÓCIO A INSPER,SRB e Canal Rural trazem a oportunidade para as organizações do setor conectarem-se com profissionais

Leia mais

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO MESTRADO SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO Justificativa A equipe do mestrado em Direito do UniCEUB articula-se com a graduação, notadamente, no âmbito dos cursos de

Leia mais

Cartaz Desenvolvido para a Campanha Leuceminas: Você Faz A Diferença Na Cura Do Câncer. 1

Cartaz Desenvolvido para a Campanha Leuceminas: Você Faz A Diferença Na Cura Do Câncer. 1 Cartaz Desenvolvido para a Campanha Leuceminas: Você Faz A Diferença Na Cura Do Câncer. 1 Marleyde Alves dos SANTOS 2 Daniel Cardoso Pinto COELHO 3 Cláudia CONDÉ 4 Raísa moysés GENTA 5 Bruno César de SOUZA

Leia mais

REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor. Brasília, outubro de 2004

REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor. Brasília, outubro de 2004 REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor Brasília, outubro de 2004 FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS FENAJ http://www.fenaj.org.br FÓRUM NACIONAL DOS PROFESSORES DE JORNALISMO - FNPJ

Leia mais

Voz: Atuação do Fonoaudiólogo e do Preparador Vocal

Voz: Atuação do Fonoaudiólogo e do Preparador Vocal Voz: Atuação do Fonoaudiólogo e do Preparador Vocal Apresentação: Millena Vieira (Fonoaudióloga) Joel Pinheiro (Preparador Vocal) Bárbara Camilo (3ºano) Daniele Istile (2º ano) Orientação: Profª Drª Kelly

Leia mais

A EXPERIÊNCIA NO TRATAMENTO PSICOLÓGICO COM PESSOAS SURDAS: UM ESTUDO DE CASO

A EXPERIÊNCIA NO TRATAMENTO PSICOLÓGICO COM PESSOAS SURDAS: UM ESTUDO DE CASO A EXPERIÊNCIA NO TRATAMENTO PSICOLÓGICO COM PESSOAS SURDAS: UM ESTUDO DE CASO Adriana Cattalini, Silvia Aparecida Fornazari. Centro Universitario Católico Salesiano Auxilium UNISALESIANO /Lins,SP. acattalini@bol.com.br,

Leia mais

Relatório e Proposta de Programa para Grupos Corporativos: Atividade Física na Promoção da Saúde e Qualidade de Vida

Relatório e Proposta de Programa para Grupos Corporativos: Atividade Física na Promoção da Saúde e Qualidade de Vida 27 Relatório e Proposta de Programa para Grupos Corporativos: Atividade Física na Promoção da Saúde e Qualidade de Vida Simone Simões de Almeida Sganzerla Graduada em Educação Física Especialista em Gestão

Leia mais

SAÚDE VOCAL: LEVANTAMENTO DAS LEIS BRASILEIRAS 1

SAÚDE VOCAL: LEVANTAMENTO DAS LEIS BRASILEIRAS 1 SAÚDE VOCAL: LEVANTAMENTO DAS LEIS BRASILEIRAS 1 Léslie Piccolotto Ferreira Emilse Aparecida Merlin Servilha 3 Maria Lúcia Vaz Masson 4 Micheline Baldini de Figueiredo Maciel Reinaldi 5 RESUMO Objetivo:

Leia mais

EDUCAÇÃO ESTATÍSTICA PESQUISA E PRÁTICA

EDUCAÇÃO ESTATÍSTICA PESQUISA E PRÁTICA A EDUCAÇÃO ESTATÍSTICA PESQUISA E PRÁTICA Prof.ª Ms. Keli Cristina Conti keli.conti@gmail.com Doutoranda em Educação pela Unicamp Licenciada em Matemática e Pedagoga Participante dos Grupos Prapem (Prática

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ. Gracielle F. de Souza

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ. Gracielle F. de Souza UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Gracielle F. de Souza INVESTIGAÇÃO SOBRE CONHECIMENTOS DE SAÚDE VOCAL EM ESTUDANTES DE JORNALISMO CURITIBA 2009 Gracielle Fernanda de Souza INVESTIGAÇÃO SOBRE CONHECIMENTOS

Leia mais

ORATÓRIA ATUAL: desmistificando a idéia de arte

ORATÓRIA ATUAL: desmistificando a idéia de arte ORATÓRIA ATUAL: desmistificando a idéia de arte Autora: ADRIJANE ALVES DE AMORIM Introdução Estabelecer objetivamente a medida de um bom orador não é tarefa fácil. Para muitos, falar bem guarda a ideia

Leia mais

QUEIXAS E SINTOMAS VOCAIS PRÉ FONOTERAPIA EM GRUPO

QUEIXAS E SINTOMAS VOCAIS PRÉ FONOTERAPIA EM GRUPO QUEIXAS E SINTOMAS VOCAIS PRÉ FONOTERAPIA EM GRUPO [ALMEIDA, Anna Alice Figueirêdo de; SILVA, Priscila Oliveira Costa; FERNANDES, Luana Ramos; SOUTO, Moama Araújo; LIMA-SILVA, Maria Fabiana Bonfim] Centro

Leia mais

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO Rebeca Vieira de Queiroz Almeida Faculdade Saberes Introdução O presente texto é um relato da experiência do desenvolvimento do projeto

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS HÁBITOS DE HIGIENE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM ESCOLAS DE REALENGO

LEVANTAMENTO DOS HÁBITOS DE HIGIENE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM ESCOLAS DE REALENGO Revista Eletrônica Novo Enfoque, ano 2013, v. 17, n. 17, p. 178 183 LEVANTAMENTO DOS HÁBITOS DE HIGIENE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM ESCOLAS DE REALENGO FERREIRA, Luana Jesus da Silva

Leia mais

PRIMEIRO SEMESTRE. Fundamentos Teóricometodológicos SUB-TOTAL 360 TOTAL 360

PRIMEIRO SEMESTRE. Fundamentos Teóricometodológicos SUB-TOTAL 360 TOTAL 360 PRIMEIRO SEMESTRE Teórica Fundamentos da Comunicação e do Jornalismo Comunicação em Língua Portuguesa I Teoria da Comunicação Sociologia da Comunicação Introdução à Economia Fundamentos Epistemológicos

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA O que é o Projeto de Intervenção Pedagógica? O significado de projeto encontrado comumente nos dicionários da Língua Portuguesa está associado a plano de realizar,

Leia mais

A VOZ DO ATOR DE TEATRO

A VOZ DO ATOR DE TEATRO A VOZ DO ATOR DE TEATRO LISTA DE REFERÊNCIAS ANTERIORES AO ANO DE 2005 Revisada e Ampliada Lucia Helena Da Cunha Gayotto 1 Raquel Costa Di Clemente 2 Ariane Moulin Pedra 3 Aoki AA, Camargo PP, Carvalho

Leia mais

DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância

DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância 128-TC-B5 Maio/2005 Marcio Vieira de Souza, Dr. Universidade do Vale do Itajai-UNIVALI-SC e-mail: mvsouza@univali.br Fernando Spanhol,

Leia mais

A COMUNICAÇÃO ENTRE O ORIENTADOR DE MONOGRAFIAS E O ORIENTANDO DE PÓS-GRADUAÇÃO NOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM

A COMUNICAÇÃO ENTRE O ORIENTADOR DE MONOGRAFIAS E O ORIENTANDO DE PÓS-GRADUAÇÃO NOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM A COMUNICAÇÃO ENTRE O ORIENTADOR DE MONOGRAFIAS E O ORIENTANDO DE PÓS-GRADUAÇÃO NOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM Resumo ANDRADE, VALTER ZOTTO DE FAEL valterzotto@uol.com.br Eixo temático: Comunicação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL IV SEAD - SEMINÁRIO DE ESTUDOS EM ANÁLISE DO DISCURSO 1969-2009: Memória e história na/da Análise do Discurso Porto Alegre, de 10 a 13 de novembro de 2009 DO ACONTECIMENTO

Leia mais

A expressão da atitude de CERTEZA em indivíduos com perda auditiva bilateral: análise prosódica.

A expressão da atitude de CERTEZA em indivíduos com perda auditiva bilateral: análise prosódica. A expressão da atitude de CERTEZA em indivíduos com perda auditiva bilateral: análise prosódica. Autores: Carla Aparecida de Vasconcelos Bruna Ferreira de Oliveira Sirley Alves Carvalho César Reis A partir

Leia mais

CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO-CONSEPE

CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO-CONSEPE CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO-CONSEPE RESOLUÇÃO Nº 14/2008, DE 25 DE JULHO DE 2008 Regulamenta o planejamento, acompanhamento e registro das Atividades Complementares, necessárias à integralização

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM COMUNICAÇÃO NO PROCESSO GERENCIAL

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM COMUNICAÇÃO NO PROCESSO GERENCIAL UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM COMUNICAÇÃO NO PROCESSO GERENCIAL Prof. Cassimiro Nogueira Junior RESOLUÇÃO CNE/CES Nº 3, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2001 Institui Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Nome da Instituição: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Responsável pelo preenchimento das informações: HELIANE

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO 2: TERAPIA OCUPACIONAL EM CONTEXTOS HOSPITALARES. - Retrospectiva - II Seminário Nacional de Pesquisa em Terapia Ocupacional / 2012

GRUPO DE TRABALHO 2: TERAPIA OCUPACIONAL EM CONTEXTOS HOSPITALARES. - Retrospectiva - II Seminário Nacional de Pesquisa em Terapia Ocupacional / 2012 GRUPO DE TRABALHO 2: TERAPIA OCUPACIONAL EM CONTEXTOS HOSPITALARES Autores: Profa Dra. Marysia Mara Rodrigues do Prado De Carlo Profa Dra. Sandra Maria Galheigo - Retrospectiva - II Seminário Nacional

Leia mais

Sumário. Apresentação...7

Sumário. Apresentação...7 Sumário Apresentação................................7 1. CONCEITOS BÁSICOS.........................11 Delimitação de funções..................... 12 2. ORIGENS E DESENVOLVIMENTO...................21 3.

Leia mais

PROJETO DE LEI, Nº 2007 (Do Sr. EDUARDO GOMES)

PROJETO DE LEI, Nº 2007 (Do Sr. EDUARDO GOMES) PROJETO DE LEI, Nº 2007 (Do Sr. EDUARDO GOMES) Regulamenta o exercício da atividade, define a atribuições do Perito Judicial e do Assistente Técnico e dá outras providências. O congresso nacional decreta:

Leia mais

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA E POLÍTICAS PÚBLICAS SOCIAIS

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA E POLÍTICAS PÚBLICAS SOCIAIS EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA E POLÍTICAS PÚBLICAS SOCIAIS Flávio Pereira DINIZ (FCS UFG / diniz.fp@gmail.com) 1 Dijaci David de OLIVEIRA (FCS UFG / dijaci@gmail.com) 2 Palavras-chave: extensão universitária;

Leia mais

Elaboração de projetos científicos. Daniela Afonso daniela.afonso@unifenas.br

Elaboração de projetos científicos. Daniela Afonso daniela.afonso@unifenas.br Elaboração de projetos científicos Daniela Afonso daniela.afonso@unifenas.br ELABORAÇÃO DE PROJETOS CIENTÍFICOS APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA Profª: Daniela Almeida Freitas Afonso, PhD Bióloga PUC-Minas Pós-Graduação

Leia mais

Relatório Assessoria de Imprensa *** BOOK 2012

Relatório Assessoria de Imprensa *** BOOK 2012 Relatório Assessoria de Imprensa *** BOOK 2012 Índice Atividades: Pág. 03 Resultados 2012: Pág. 04 Imprensa Mídia/Origem Meses: Pág. 06 Imprensa Segmentos de imprensa: Pág. 07 Imprensa Qualidade dos espaços

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Curso de Jornalismo CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Área 1 Jornalismo Especializado (1 vaga) Graduação Exigida: Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo Titulação mínima exigida:

Leia mais

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Estrutura de um projeto de pesquisa: 1. TEMA E TÍTULO DO PROJETO 2. DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA 3. INTRODUÇÃO 4. RELEVÂNCIA E JUSTIFICATIVA 5. OBJETIVOS

Leia mais

Centro de Terapia Ocupacional do Rio de Janeiro

Centro de Terapia Ocupacional do Rio de Janeiro O Centro de Terapia Ocupacional do Rio de Janeiro como Centro de Referência na Área da Comunicação Alternativa Rio de Janeiro Occupational Therapy Center as a Reference Center for Alternative Communication

Leia mais

Você deseja ter habilidade para dar entrevistas a jornalistas?

Você deseja ter habilidade para dar entrevistas a jornalistas? Você deseja ter habilidade para dar entrevistas a jornalistas? Aprimore sua capacidade de dar entrevistas para a imprensa Garanta a imagem pessoal/profissional positiva e a boa reputação O Treinamento

Leia mais

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Apresentação 1.Identificação do órgão:tribunal do Trabalho da Paraíba/ Assessoria de Comunicação Social 2.E-mail para contato:rdaguiar@trt13.jus.br, rosa.jp@terra.com.br

Leia mais

ANA JÚLIA LENZ fonoaudióloga

ANA JÚLIA LENZ fonoaudióloga ANA JÚLIA LENZ fonoaudióloga R u a : L u c a s d e O l i v e i r a, 4 9 s a l a 601 C e n t r o N H R S - C E P : 9 3 5 1 0-110 B r a s i l e i r a, S o l t e i r a, s e m f i l h o s N a s c. : 2 5 /

Leia mais

CONHECIMENTO DE PROFESSORES ACERCA DO DESENVOLVIMENTO DE FALA E AÇÕES

CONHECIMENTO DE PROFESSORES ACERCA DO DESENVOLVIMENTO DE FALA E AÇÕES CONHECIMENTO DE PROFESSORES ACERCA DO DESENVOLVIMENTO DE FALA E AÇÕES DE PROMOÇÃO DA SAÚDE Palavras-chaves: capacitação, fala, promoção da saúde Introdução As instituições de educação infantil constituem

Leia mais

Regulamento PRÊMIO ACAERT DE RÁDIO E TELEVISÃO 2013

Regulamento PRÊMIO ACAERT DE RÁDIO E TELEVISÃO 2013 Regulamento PRÊMIO ACAERT DE RÁDIO E TELEVISÃO 2013 Conceito O Prêmio ACAERT de Rádio e Televisão é uma realização da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão. O objetivo da premiação é

Leia mais

MONOGRAFIA : COMO FAZER

MONOGRAFIA : COMO FAZER Alguns sites que tratam sobre monografias http://www.admbrasil.com.br/abnt.htm http://planeta.terra.com.br/servicos/monografiaabnt/ http://www.sinescontabil.com.br/trabs_profissionais/fazendo_uma_monografia.htm

Leia mais

CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO E LETRAS VOLUME I Nº 01

CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO E LETRAS VOLUME I Nº 01 CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO E LETRAS VOLUME I Nº 01 C122 Cadernos de Pós-Graduação em Comunicação e Letras.-v. 1,n. 1, 2001-. São Paulo : Editora Mackenzie, 2001-. v.: il.; 28 cm.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL RELATO DE EXPERIENCIA DE PROJETO COLABORATIVO VIA INTERNET ENTRE ESCOLAS MUNICIPAIS

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio - ETIM FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2012

Ensino Técnico Integrado ao Médio - ETIM FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico Integrado ao Médio - ETIM FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2012 ETEC Código: Município: Eixo Tecnológico: Habilitação Profissional: Qualificação: C.H. Semanal: Professor:

Leia mais

AMBIENTE INTERATIVO DE APRENDIZAGEM: O PAPEL FUNDAMENTAL DA TELEDUCAÇÃO NA APRENDIZAGEM E PREVENÇÃO DOS DISTÚRBIOS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL

AMBIENTE INTERATIVO DE APRENDIZAGEM: O PAPEL FUNDAMENTAL DA TELEDUCAÇÃO NA APRENDIZAGEM E PREVENÇÃO DOS DISTÚRBIOS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL AMBIENTE INTERATIVO DE APRENDIZAGEM: O PAPEL FUNDAMENTAL DA TELEDUCAÇÃO NA APRENDIZAGEM E PREVENÇÃO DOS DISTÚRBIOS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL Wanderléia Blasca, Andressa S. C.da Silva, Ana C. Spinardi,Thaís

Leia mais

Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão

Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão Cláudio Messias 1 Resumo Investigamos, por meio de pesquisa quantitativa e qualitativa, referenciais que dão sustentação à expansão da prática

Leia mais

ESTILO E IDENTIDADE. Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO

ESTILO E IDENTIDADE. Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO ESTILO E IDENTIDADE Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO Introdução Por milhares de anos, foi possível concordar que a mais importante linguagem do homem

Leia mais

Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento?

Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento? ANA LÚCIA ALVES Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento? Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação do Cefor como parte das exigências do curso de Especialização

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL ATENDIMENTO AO PÚBLICO MEDIA TRAINING COMUNICAÇÃO EFETIVA PARA LÍDERES

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL ATENDIMENTO AO PÚBLICO MEDIA TRAINING COMUNICAÇÃO EFETIVA PARA LÍDERES COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL ATENDIMENTO AO PÚBLICO MEDIA TRAINING COMUNICAÇÃO EFETIVA PARA LÍDERES COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL A COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL é ferramenta indispensável para o sucesso das organizações.

Leia mais

UNIFIEO INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

UNIFIEO INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 UNIFIEO INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES OSASCO 2011 Versão 12/2011 2 Normalização de Atividades Acadêmico-Científico-Culturais (Atividades Complementares) As orientações que se

Leia mais

Programa Anexo 1. Resumo

Programa Anexo 1. Resumo Programa Anexo 1 Bruno LIMA 2 Carolina RIBEIRO 3 Lara MARQUES 4 Elga MÓL 5 Elisa FRANÇA 6 Ana AMORIM 7 Michelle BASTOS 8 Soraya VIEIRA 9 Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, MG Resumo Este trabalho

Leia mais

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Escolha do tema 2. Formulação do problema 3. Justificativa 4. Determinação dos objetivos 5. Referencial teórico 6. Referências 1 Escolha do Tema 1. Escolha do Tema Nesta

Leia mais

MERCADO DE TRABALHO. Carlos Marcelo da Silva Figueredo

MERCADO DE TRABALHO. Carlos Marcelo da Silva Figueredo MERCADO DE TRABALHO 1 Carlos Marcelo da Silva Figueredo MERCADO DE TRABALHO Vale a pena abrir o próprio consultório? Vale a pena aceitar convênios de planos odontológicos? Vale a pena investir imediatamente

Leia mais

CONCURSO UNIVERSITÁRIO DE ENSAIOS AMAZÔNIA AZUL: O MAR QUE NOS PERTENCE

CONCURSO UNIVERSITÁRIO DE ENSAIOS AMAZÔNIA AZUL: O MAR QUE NOS PERTENCE CONCURSO UNIVERSITÁRIO DE ENSAIOS AMAZÔNIA AZUL: O MAR QUE NOS PERTENCE REGULAMENTO DO CONCURSO 1 DO OBJETIVO Com o objetivo de promover uma reflexão mais aprofundada sobre a importância do mar para o

Leia mais

INTERAÇÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA NO CANTEIRO DE OBRAS

INTERAÇÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA NO CANTEIRO DE OBRAS 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( X ) TECNOLOGIA INTERAÇÃO

Leia mais

Núcleo 2.8 - Terapia Comportamental

Núcleo 2.8 - Terapia Comportamental Núcleo 2.8 - Terapia Comportamental DEPARTAMENTOS ENVOLVIDOS: Métodos e Técnicas COORDENADOR: Paola Espósito de Moraes Almeida PROFESSORES: Alice Maria de Carvalho Dellitti, Denigés Maurel Regis Neto,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC de Nova Odessa Código: 234 Município: Nova Odessa Eixo Tecnológico: Segurança no Trabalho Habilitação Profissional: Técnico em Segurança do Trabalho Qualificação:

Leia mais

A VOZ DO ATOR DE TEATRO

A VOZ DO ATOR DE TEATRO A VOZ DO ATOR DE TEATRO Lucia Helena Da Cunha Gayotto 1 Thaisa Palma Pereira da Silva 2 RESUMO A pluralidade de usos da voz de atores abrange diversas dimensões no teatro, que vão desde o estudo e domínio

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A VISÃO DE ALGUMAS BOLSISTAS DO PIBID SOBRE SUA ATUAÇÃO EM CONTEXTOS EDUCACIONAIS INCLUSIVOS

Leia mais

Pronac Nº 1111032 Você em Cenna é um concurso cultural que irá eleger atores e atrizes amadores de todo o país, que enviarão vídeos de suas performances para votação popular e de júri especializado. Os

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio. Etec. Etec: Professor Massuyuki Kawano

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio. Etec. Etec: Professor Massuyuki Kawano Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec Etec: Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Área de conhecimento: Ciências Humanas e Suas Tecnologias Componente Curricular:

Leia mais

PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SAINT PASTOUS. Comissão Própria de Avaliação

PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SAINT PASTOUS. Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SAINT PASTOUS Comissão Própria de Avaliação Porto Alegre, março de 2005. 1 Diretora Vera Lucia Dias Duarte Coordenador do Curso Dr. Dakir Lourenço Duarte

Leia mais

Educação a Distância: a oportunidade vai ao seu encontro

Educação a Distância: a oportunidade vai ao seu encontro DICAS PARA ESTUDAR A DISTÂNCIA Educação a Distância: a oportunidade vai ao seu encontro Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção.

Leia mais

Renata Jacques Batista A ÊNFASE NA LOCUÇÃO DO REPÓRTER DE TELEJORNAL

Renata Jacques Batista A ÊNFASE NA LOCUÇÃO DO REPÓRTER DE TELEJORNAL Renata Jacques Batista A ÊNFASE NA LOCUÇÃO DO REPÓRTER DE TELEJORNAL Belo Horizonte Faculdade de Letras - UFMG 2007 1 Renata Jacques Batista A ÊNFASE NA LOCUÇÃO DO REPÓRTER DE TELEJORNAL Dissertação apresentada

Leia mais

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior INTRODUÇÃO O que é pesquisa? Pesquisar significa, de forma bem simples, procurar respostas para indagações propostas. INTRODUÇÃO Minayo (1993, p. 23), vendo por

Leia mais

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Jaqueline Oliveira Silva Ribeiro SESI-SP josr2@bol.com.br Dimas Cássio Simão SESI-SP

Leia mais

A TEORIA E A PRÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: O LIMITE DO POSSÍVEL

A TEORIA E A PRÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: O LIMITE DO POSSÍVEL V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 A TEORIA E A PRÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: O LIMITE DO POSSÍVEL Celeida Belchior Cintra Pinto 1 ; Maria Eleusa Montenegro

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS. Reformulação do currículo do Curso de Formação de Professores para Educação Especial.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS. Reformulação do currículo do Curso de Formação de Professores para Educação Especial. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS Reformulação do currículo do Curso de Formação de Professores para Educação Especial. ZILMA GOMES PARENTE DE BARROS I - RELATÓRIO O Magnífico Reitor da Pontifícia

Leia mais

TÍTULO AUTORES: INSTITUIÇÃO ÁREA TEMÁTICA:

TÍTULO AUTORES: INSTITUIÇÃO ÁREA TEMÁTICA: TÍTULO: PROJETO CONVERSANDO SOBRE SAÚDE COM A MULHER DA COMUNIDADE DE IBIRAQUERA AUTORES: Profa. Grácia Maria Salles Maciel Koerich - graciakoerich@uol.com.br; Ac. Patrícia Maria Marcon - patricimm@bol.com.br;

Leia mais

O IDOSO EM CONTEXTO INSTITUCIONAL DE CURTA E LONGA PERMANÊNCIA

O IDOSO EM CONTEXTO INSTITUCIONAL DE CURTA E LONGA PERMANÊNCIA O IDOSO EM CONTEXTO INSTITUCIONAL DE CURTA E LONGA PERMANÊNCIA Aline Arruda da Fonseca Maria do Socorro Lemos de Oliveira Maria Isabel Alves Batista Oliveira Samara Melo Silva Thiago dos Santos Aguiar

Leia mais

Fabyanne Nabofarzan Rodrigues

Fabyanne Nabofarzan Rodrigues Fabyanne Nabofarzan Rodrigues A relação entre o Poder Legislativo e a imprensa O papel da assessoria de imprensa na relação entre o Legislativo e a imprensa Projeto de pesquisa apresentado ao Programa

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA Ementário Relações Interpessoais e Ética Profissional Concepções sobre o Processo Inter-relacional no Trabalho; Competência Interpessoal; Qualidade de Vida no

Leia mais

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 1 Programa Institucional de Bolsa a Iniciação a Docência do Curso de Educação Física Licenciatura da Universidade Federal de Santa

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 7 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA NO DIAGNÓSTICO

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA. 1. Curso: COMUNICAÇÃO SOCIAL Código: 12

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA. 1. Curso: COMUNICAÇÃO SOCIAL Código: 12 Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA 1. Curso: COMUNICAÇÃO SOCIAL Código: 12 3.Modalidade(s): Bacharelado x Licenciatura Profissional Tecnólogo

Leia mais

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE RESUMO Leandro Pedro de Oliveira José Rubens de Lima Jardilino (orientador) Este trabalho

Leia mais

Ficha de Identificação. Nome: Sónia Joaquim Empresa: Universidade de Aveiro Cargo/Função: Produtora Programa: 3810-UA. Questões. 1.

Ficha de Identificação. Nome: Sónia Joaquim Empresa: Universidade de Aveiro Cargo/Função: Produtora Programa: 3810-UA. Questões. 1. Ficha de Identificação Nome: Sónia Joaquim Empresa: Universidade de Aveiro Cargo/Função: Produtora Programa: 3810-UA Questões 1. O Programa Com a reestruturação da televisão pública portuguesa em 2003,

Leia mais