Sobre as Medidas Imediatas (Curto Prazo) de Apoio aos. Estrangeiros Residentes no Japão

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sobre as Medidas Imediatas (Curto Prazo) de Apoio aos. Estrangeiros Residentes no Japão"

Transcrição

1 Sobre as Medidas Imediatas (Curto Prazo) de Apoio aos Estrangeiros Residentes no Japão (Tradução Provisória) 30 de janeiro de 2009 Escritório do Gabinete O mercado financeiro e de capitais global passa por uma crise de proporções que ocorre uma vez a cada século, acompanhada de uma recessão econômica mundial. Isto tem afetado seriamente vários aspectos da vida dos estrangeiros residentes no Japão, inclusive os descendentes nikkeis, como na educação e no emprego, devido à dificuldade de acesso à língua japonesa. Diante de tal situação, o governo japonês criou, em 09 de janeiro de 2009, no Gabinete do Escritório do Gabinete, o Gabinete de Coordenação de Políticas de Auxílio aos Estrangeiros Residentes para adotar prontamente as medidas necessárias em colaboração com os ministérios relevantes, para a promoção de assistência às administrações locais. As medidas imediatas (curto prazo) são assim formuladas. Essas medidas de assistência, conjugadas com outras políticas existentes, serão implantadas prontamente. 1. Medidas para Educação Assegurar que as crianças e alunos com dificuldades em continuar seus estudos nas escolas internacionais para estrangeiros, devido a motivos financeiros tenham um processo tranqüilo de ingresso nas escolas públicas japonesas. E promovida a criação de espaços para essas crianças. (1) Assistência no Ingresso em Escolas Públicas Japonesas (Ministério de Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia) 1

2 Aplicar-se-á suporte adicional às administrações locais no âmbito dos Projetos de Acolhimento de Crianças Japonesas de Regresso do Exterior e Crianças Estrangeiras em Escolas Públicas atualmente em andamento, através de: a) Promoção do ingresso escolar, através da disponibilização de pessoal de aconselhamento nas comissões de educação; b) Criação de cursos de orientação preparatórios para facilitar o ingresso escolar; c) Contratação de assistentes com conhecimento de idiomas estrangeiros (bílingüe ou poliglota). Serão realizados ainda esforços para a divulgação do sistema de subsídios de despesas escolares (custos de materiais escolares, merenda escolar, etc.), oferecidos pelas administrações locais aos pais de crianças estrangeiras em idade escolar ou alunos que sejam considerados como tendo dificuldades econômicas para o ingresso nas escolas. (2) Criação de Espaços para as Crianças (Ministério de Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia) Aplicando-se os moldes dos projetos modelo no âmbito dos Projetos de Promoção de Salas de Aula Pós-Horário Escolar, serão criados espaços onde as crianças possam se reunir para realizar aulas de reforço de língua japonesa, atividades para a familiarização com a vida no Japão, assistência ao aprendizado, etc. Além disso, os Projetos de Ensino de Língua Japonesa para Estrangeiros Residentes no Japão serão aplicados implantando, adicionalmente, cursos de língua japonesa voltados para crianças e seus pais ou responsáveis. (3) Auxílio ao Ingresso das Crianças nas Escolas (Ministério de Assuntos Internos e Comunicações) Os projetos de apoio ao ingresso escolar das administrações locais, tal como os apresentado abaixo, serão auxiliados financeiramente através da alocação de subvenções tributárias locais. 2

3 (Exemplos:) Ensino da língua japonesa, orientação educacional, exames de saúde; Subsídios para a redução das mensalidades escolares; Balcões de consulta, criação de homepages, etc. (4) Outras Assistências (Ministério de Educação, Esportes, Cultura, Ciência e Tecnologia / Ministério de Saúde, Trabalho e Previdência Social) Divulgar junto aos governos locais o Programa de emergência para a geração de empregos, que recomenda Projetos de ensino da língua japonesa e apoio à vida cotidiana e escolar para estrangeiros residentes e/ou seus filhos, e encorajar as Comissões de Educação Provinciais e outras organizações interessadas a adotar esse programa. 2. Medidas para o Emprego Será dado apoio ao emprego e manutenção/criação de empregos para estrangeiros residentes, juntamente com a melhoria dos programas de treinamento e capacitação profissionais voltados para os mesmos. (1) Auxílio na Busca por Emprego (Ministério de Saúde, Trabalho e Bem-Estar) Visando facilitar a busca por emprego dos estrangeiros residentes com dificuldades para a sua recolocação no mercado de trabalho por não dominarem a língua japonesa ou por desconhecer as práticas de emprego no Japão, serão feitos os seguintes esforços para o reforço dos sistemas de aconselhamento e assistência: aumento do número de intérpretes e pessoal de aconselhamento nas agências de auxílio ao emprego Hello Work e criação de balcões de consulta tipo one-stop (posto de atendimento rápido), em parceria com as administrações locais, principalmente nas regiões com grande concentração de nikkeis; e criação de centros de aconselhamento e assistência especializados no atendimento aos estrangeiros residentes em regiões com extrema concentração de nikkeis. (2) Assistência à Geração de Empregos (Gabinete do Primeiro-Ministro/ Ministério de 3

4 Saúde, Trabalho e Previdência Social) Com o intuito de criar oportunidades de emprego aos trabalhadores, inclusive estrangeiros residentes, que tenham perdido seus postos de trabalho, o Programa de Emergência de Geração de Empregos foi criado dentro do 2 o. orçamento suplementar para o ano fiscal de Realizando a alocação de fundos considerando os estrangeiros residentes, o programa visa auxiliar na execução de vários empreendimentos das administrações locais através do Subsídio extraordinário para revitalização local e apoio ao sustento. Outrossim, serão aumentadas em grande número as vagas para treinamentos voltados aos trabalhadores sem emprego, inclusive os estrangeiros residentes, e serão ampliados os cursos profissionalizantes em áreas com potencial de absorção de trabalhadores, tais como cuidados de enfermagem aos idosos. (3) Melhoria dos Programas de Treinamento para Estrangeiros Residentes de Longo Termo (Ministério de Saúde, Trabalho e Previdência Social) O Treinamento Preparatório para o Trabalho, programa do orçamento para o ano fiscal de 2009, visa elevar a capacidade profissional dos estrangeiros residentes, inclusive no que se refere ao domínio do idioma japonês. Além disso, com a ampliação das zonas de implementação de treinamento de capacitação profissional, serão promovidos cursos profissionalizantes levando-se em consideração o nível dos estrangeiros residentes, inclusive o nível do domínio do idioma japonês. (4) Ajuda Financeira às Medidas de Emergência Adotadas pelas Administrações Locais (Ministério de Assuntos Internos e Comunicações) As medidas de emergência temporárias de emprego voltadas aos estrangeiros residentes adotadas pelas administrações locais com base no pacote de estímulo económico, Medidas de Emergência para a Proteção Social, serão subsidiadas através de alocação de subvenções tributárias locais. 4

5 (5) Outras Assistências (Ministério de Saúde, Trabalho e Previdência Social) Serão aplicadas como medidas de promoção emprego, os programas de apoio à recolocação de trabalhadores no mercado de trabalho, vários projetos de manutenção do emprego, e medidas de apoio à estabilidade habitacional, incluídos no 1 o. e 2 o. orçamentos suplementares do ano fiscal de 2008 e no orçamento do ano fiscal Medidas para Habitação Serão feitos esforços para assegurar a estabilidade habitacional aos estrangeiros residentes que tenham perdido o emprego, bem como os seus familiares. (1) Aproveitamento do Sistema Público de Aluguel de Moradias (Ministério de Terras, Infraestruturas, Transporte e Turismo) a) Promoção de esforços para a admissão de estrangeiros com visto de permanência regularizados em moradias públicas com direitos iguais aos dos japoneses. b) A fim de garantir a estabilidade habitacional dos trabalhadores que perderam o emprego e se encontram desalojados, serão utilizadas as habitações públicas operadas pelas administrações locais disponíveis, promovendo a facilitação do processo de admissão para candidatos normalmente sem qualificação, tais como jovens solteiros, etc. (2) Apoio no processo de aceitação para o aluguel de moradias privadas (Ministério de Terras, Infraestruturas, Transporte e Turismo) a) Serão feitos esforços na difusão e promoção do Projeto de Apoio ao Arrendamento Confiável - Anshin Chintai, com sistema de cadastro de imóveis para a moradia de aluguel do setor privado que aceitem estrangeiros. b) A garantia de pagamento dos aluguéis atrasados de moradias de aluguel que aceitem famílias estrangeiras residentes será feita por fundos criados pelo Governo Nacional. c) Serão feitos esforços na difusão e promoção dos Procedimentos para Facilitar a Aceitação de Estrangeiros Residentes em Moradias de Aluguel Privadas e tradução de 5

6 formulário padronizado de contratos de aluguel para as línguas estrangeiras. d) Os esforços independentes das administrações locais, tal como o aproveitamento de moradias de aluguel privadas para garantir a estabilidade habitacional de trabalhadores sem emprego serão auxiliadas com a aplicação das Subvenções Habitacionais Regionais. (3) Ajuda Financeira às Medidas de Emergência Adotadas pelas Administrações Locais (Ministério de Assuntos Internos e Comunicações) Com base no pacote de estímulo económico, Medidas de Emergência para a Proteção Social, adotadas pelas administrações locais, as medidas de emergência temporárias de garantia de habitação para trabalhadores estrangeiros residentes serão auxiliadas através da alocação de subvenções tributárias locais. 4. Assistência para Repatriação Voluntária Serão feitos esforços para a repatriação tranqüila e voluntária. (1) Solicitação ao Governo do País de Origem (Ministério de Negócios Estrangeiros) O Ministério de Negócios Estrangeiros solicitará aos Governos dos países de origem dos estrangeiros residentes para que prestem assistência no regresso dos mesmos ao seus países de origem. (2) Solicitação ao Setor Industrial (Ministério de Economia, Comércio e Indústria) O Ministério da Economia, Comércio e Indústria realizará troca de opiniões com o setor da indústria e solicitará assistência para o regresso tranquilo dos estrangeiros residentes aos seus países de origem. (3) Solicitação às Companhias Aéreas (Ministério de Terras, Infra-estruturas, Transporte e Turismo) 6

7 Quando necessário, serão feitas solicitações às companhias aéreas para assegurar vôos de regresso. 5. Fornecimento de Informações Dentro e Fora do País Serão fornecidas informações necessárias dentro e fora do país. (1) Criação de Portal (Gabinete do Escritório do Gabinete/ Ministérios Pertinentes) Será construído um portal de fácil acesso aos usuários, permitindo ao estrangeiro residente obter informações necessárias de forma integrada. Esse Portal, que dará suporte ao fornecimento de informações das administrações locais e organizações relevantes, fornecerá informações relacionadas com a vida diária no Japão, tais como educação, emprego, previdência social e habitação assim como procedimentos administrativos relacionados com a imigração e vistos de permanência. (2) Fornecimento de Informações Diversas em Vários Idiomas (Ministérios Pertinentes) Será promovido o fornecimento de informações necessárias em vários idiomas para os estrangeiros residentes. (3) Melhoria das Consultas de Aconselhamento (Ministério da Justiça / Ministério de Saúde, Trabalho e Previdência Social) O número do pessoal de aconselhamento nos Centros de Informações Gerais da Imigração dos Serviços de Imigração do Japão será aumentado. Serão estabelecidos balcões de consulta tipo one-stop (posto de atendimento rápido) em parceria com as administrações locais das regiões com alta concentração de estrangeiros residentes, a fim de aconselhar e fornecer informações referentes aos procedimentos de imigração (entrada e permanência no país) e vida no Japão. Os sistemas de aconselhamento e assistência serão reforçados principalmente nas regiões 7

8 com grande número de residentes estrangeiros nikkeis, aumentando o número de intérpretes e pessoal de aconselhamento nas Agências de Auxílio de Emprego (Hello Work) e estabelecendo balcões de consulta one-stop (posto de atendimento rápido) em parceria com as administrações locais (já mencionado acima). (4) Divulgação no Exterior (Ministério de Negócios Estrangeiros / Demais Ministérios Pertinentes) Serão feitos mais esforços para a divulgação de informações atualizadas relacionadas com a situação econômica e mercado de trabalho no Japão, através das embaixadas e consulados do Japão no exterior, homepages, etc. 8

Promoção das Medidas de Apoio aos Estrangeiros Residentes no Japão (Tradução Provisória)

Promoção das Medidas de Apoio aos Estrangeiros Residentes no Japão (Tradução Provisória) Promoção das Medidas de Apoio aos Estrangeiros Residentes no Japão (Tradução Provisória) 16 de Abril de 2009 Conselho para Promoção das Medidas aos Estrangeiros Residentes O Governo do Japão anunciou "As

Leia mais

Política Básica de Medidas para Estrangeiros Residentes de Descendência Japonesa (Tradução Provisória) 31 de agosto de 2010

Política Básica de Medidas para Estrangeiros Residentes de Descendência Japonesa (Tradução Provisória) 31 de agosto de 2010 Política Básica de Medidas para Estrangeiros Residentes de Descendência Japonesa (Tradução Provisória) 31 de agosto de 2010 Conselho para Promoção de Medidas para Estrangeiros Residentes de Descendência

Leia mais

Síntese do Plano de Promoção de Convivência Multicultural da Província de Shiga (Edição revisada) <Proposta>

Síntese do Plano de Promoção de Convivência Multicultural da Província de Shiga (Edição revisada) <Proposta> ポルトガル 語 Síntese do Plano de Promoção de Convivência Multicultural da Província de Shiga (Edição revisada) Da revisão do plano 1.Contexto e objetivos Tendo como base o ápice do ano de 2008, quando

Leia mais

Cidade de Nagoya. Plano de Promoção de Coexistência Multicultural. da Cidade de Nagoya. Construção de 3 vínculos. Linguagem Vida Comunidade

Cidade de Nagoya. Plano de Promoção de Coexistência Multicultural. da Cidade de Nagoya. Construção de 3 vínculos. Linguagem Vida Comunidade Plano de Promoção de Coexistência Multicultural da Cidade de Nagoya Linguagem Vida Comunidade ~guia voltado para a construção de 3 vínculos~ Construção de 3 vínculos -Vínculo com a linguagem

Leia mais

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2014

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2014 Programa 2123 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Esporte 00M1 - Benefícios Assistenciais decorrentes do Auxílio-Funeral e Natalidade Tipo: Operações Especiais Número de Ações 11 Despesas

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

Ideias Criativas em Práticas Inovadoras

Ideias Criativas em Práticas Inovadoras Ideias Criativas em Práticas Inovadoras O Concurso Inovação na Gestão Pública Federal é promovido anualmente, desde 1996, pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap), em parceria com o Ministério

Leia mais

Implantação do Sistema de Divulgação de Melhores Práticas de Gestão na Administração Pública

Implantação do Sistema de Divulgação de Melhores Práticas de Gestão na Administração Pública Ministério do Planejamento, Orçamento e Programa 0792 GESTÃO PÚBLICA EMPREENDEDORA Objetivo Promover a transformação da gestão pública para ampliar os resultados para o cidadão e reduzir custos. Indicador(es)

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

1 Sistema Gráfico. Conteúdo do Plano de Implementação de Multiculturalismo da Cidade de Kakegawa. 4 Grandes Temas Medidas Básicas Especificação

1 Sistema Gráfico. Conteúdo do Plano de Implementação de Multiculturalismo da Cidade de Kakegawa. 4 Grandes Temas Medidas Básicas Especificação Capitulo 2 Conteúdo do Plano de Implementação de Multiculturalismo da Cidade de Kakegawa 1 Sistema Gráfico Princínpios Básicos 4 Grandes Temas Medidas Básicas Especificação da medida Ⅰ Apoio a comunicação

Leia mais

Esfera: 10 Função: 05 - Defesa Nacional Subfunção: 128 - Formação de Recursos Humanos UO: 52201 - Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC

Esfera: 10 Função: 05 - Defesa Nacional Subfunção: 128 - Formação de Recursos Humanos UO: 52201 - Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC Programa 0630 Desenvolvimento da Aviação Civil Numero de Ações 14 Ações Orçamentárias 0B09 Apoio a Aeroclubes e Escolas de Aviação Civil Produto: Entidade apoiada Esfera: 10 Função: 05 - Defesa Nacional

Leia mais

2004 - Assistência Médica e Odontológica aos Servidores Civis, Empregados, Militares e seus Dependentes

2004 - Assistência Médica e Odontológica aos Servidores Civis, Empregados, Militares e seus Dependentes Programa 2123 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Esporte Número de Ações 10 Tipo: Operações Especiais 09HB - Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) CAPÍTULO I - DO NEPEC E SEUS OBJETIVOS Artigo 1º - O presente Regulamento disciplina as atribuições,

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano SNHIS / FNHIS - Lei nº 11.124/05 REQUISITOS PARA ADESÃO DOS MUNICÍPIOS AO

Leia mais

CARGOS E FUNÇÕES APEAM

CARGOS E FUNÇÕES APEAM CARGOS E FUNÇÕES APEAM 1. PRESIDÊNCIA A Presidência possui por finalidades a representação oficial e legal da associação, coordenação e integração da Diretoria Executiva, e o acompanhamento, avaliação,

Leia mais

Modelo de Parceria. GSAN Sistema Integrado de Gestão de Serviços de Saneamento

Modelo de Parceria. GSAN Sistema Integrado de Gestão de Serviços de Saneamento Modelo de Parceria GSAN Sistema Integrado de Gestão de Serviços de Saneamento Modelo Proposto Fábrica Código Fonte (correção / Evolução) Documentação, casos de uso e testes Treinamento / Capacitação ao

Leia mais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais Programa 0641 Inteligência Federal Objetivo Desenvolver Atividades de inteligência e de Segurança da Informação no interesse do Estado e da Sociedade Indicador(es) úmero de Ações 14 Taxa de Relatórios

Leia mais

O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social

O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social II Fórum de Informação em Saúde IV Encontro da Rede BiblioSUS O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social Maria de Fátima Ramos Brandão Outubro/2007 1 Apresentação O Projeto Casa Brasil Modelos

Leia mais

Registered Charity with the HMRC No. XT26396 A member of the National Resource Centre for Supplementary Schools (NRC787) Carta

Registered Charity with the HMRC No. XT26396 A member of the National Resource Centre for Supplementary Schools (NRC787) Carta Associação Brasileira de Iniciativas Educacionais no Reino Unido Registered Charity with the HMRC No. XT26396 A member of the National Resource Centre for Supplementary Schools (NRC787) Carta Redigida

Leia mais

Plano de Ação de Medidas para Residentes Estrangeiros de Descendência Japonesa (Tradução Provisória)

Plano de Ação de Medidas para Residentes Estrangeiros de Descendência Japonesa (Tradução Provisória) Plano de Ação de Medidas para Residentes Estrangeiros de Descendência Japonesa (Tradução Provisória) 31 de março de 2011 Conselho para Promoção de Medidas para Estrangeiros Residentes de Descendência Japonesa

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações

Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações Página 144 VIII/11. Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações A Conferência das Partes, Informando-se sobre o relatório do Secretário Executivo sobre as atividades do

Leia mais

Diretriz Básica para a Promoção da Convivência Multicultural na Cidade de Sanda

Diretriz Básica para a Promoção da Convivência Multicultural na Cidade de Sanda Edição em Português Diretriz Básica para a Promoção da Convivência Multicultural na Cidade de Sanda Junho de 2009 Cidade de Sanda Rumo à Construção de uma Cidade de Convivência Multicultural Formulação

Leia mais

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO FUNDO COMUM PARA OS PRODUTOS BÁSICOS (FCPB) BUSCA CANDIDATURAS A APOIO PARA ATIVIDADES DE DESENVOLVIMENTO DOS PRODUTOS BÁSICOS Processo de

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO Ações de Inclusão Social e de Combate à Pobreza Modelo Próprio de Desenvolvimento Infra-estrutura para o Desenvolvimento Descentralizado Transparência na Gestão

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TEIXEIRA DE FREITAS ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE TEIXEIRA DE FREITAS ESTADO DA BAHIA _ LEI Nº 429/07 Cria a Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Teixeira de Freitas, Estado da Bahia. Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas. Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina

Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas. Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina www.brasileitalia.com.br O Projeto Tem como principais objetivos: Atrair empresas e investimentos

Leia mais

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo PERFIL PROFISSIONAL Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo É o profissional que atua em agências de viagens, em meios de hospedagem, em empresas de transportes e de eventos; promove

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Junho, 2006 Anglo American Brasil 1. Responsabilidade Social na Anglo American Brasil e objetivos deste Manual Já em 1917, o Sr. Ernest Oppenheimer, fundador

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA DOCENTES CURSOS DE GRADUAÇÃO E GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA NÚCLEO BELO HORIZONTE

PROCESSO SELETIVO PARA DOCENTES CURSOS DE GRADUAÇÃO E GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA NÚCLEO BELO HORIZONTE PROCESSO SELETIVO PARA DOCENTES CURSOS DE GRADUAÇÃO E GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA NÚCLEO BELO HORIZONTE O Núcleo BELO HORIZONTE divulga processo seletivo para Professor para o(s) curso(s) de graduação e/ou graduação

Leia mais

00P6 - Subvenção Econômica para o Desenvolvimento da Aviação Regional (MP nº 652, de 2014)

00P6 - Subvenção Econômica para o Desenvolvimento da Aviação Regional (MP nº 652, de 2014) Programa 2017 - Aviação Civil Número de Ações 26 Tipo: Operações Especiais 00P6 - Subvenção Econômica para o Desenvolvimento da Aviação Regional (MP nº 652, de 2014) Esfera: 10 - Orçamento Fiscal Função:

Leia mais

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais Secretaria Nacional de Programas Urbanos CONCEITOS Área Urbana Central Bairro ou um conjunto de bairros consolidados com significativo acervo edificado

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife.

Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife. Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife. Data: dia 29 de abril de 2009 Local: sede da ONG Etapas no Recife PROGRAMA REABILITAÇÃO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional CONSULTOR SÊNIOR Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

1 Disseminar a cultura de empreender e inovar, fortalecendo as ações do Comitê de Empreendedorismo e Inovação (CEI)

1 Disseminar a cultura de empreender e inovar, fortalecendo as ações do Comitê de Empreendedorismo e Inovação (CEI) Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos Visão: "Que em 2020 Santa Maria e região sejam referência pela capacidade de empreender,

Leia mais

Plano Plurianual 2012-2015

Plano Plurianual 2012-2015 12. Paraná Inovador PROGRAMA: 12 Órgão Responsável: Contextualização: Paraná Inovador Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI As ações em Ciência, Tecnologia e Inovação visam

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Secretaria Nacional de Assistência Social

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Secretaria Nacional de Assistência Social Instrução Operacional Conjunta Senarc/SNAS/MDS Nº 07 de 22 de novembro de 2010. Assunto: Orientações aos municípios e ao Distrito Federal para a inclusão de pessoas em situação de rua no Cadastro Único

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município Estrutura Administrativa e Principais 01. Câmara Municipal - Lei Orgânica do Município de Teresina, de 05 de abril de 1991. - Votar o Orçamento Anual e o Plano Plurianual, bem como autorizar abertura de

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO

INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO Euro Oliveira de Araújo, graduado em Licenciatura em Química pela Universidade Estadual da Bahia.

Leia mais

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2014

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2014 Programa 2114 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Previdência Social Número de Ações 27 00M1 - Benefícios Assistenciais decorrentes do Auxílio-Funeral e Natalidade Tipo: Operações Especiais

Leia mais

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I RESOLUÇÃO N. 001/2007 ANEXO NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I 1. Conceituação As normas relativas à concessão de Bolsas de Formação, de Pesquisa

Leia mais

Planejamento Urbano Governança Fundiária

Planejamento Urbano Governança Fundiária Planejamento Urbano Governança Fundiária Instrumentos de Gestão, Conflitos Possibilidades de Inclusão Socioespacial Alexandre Pedrozo agosto. 2014 mobiliza Curitiba...... de antes de ontem...... de ontem......

Leia mais

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna A estratégia do PGQP frente aos novos desafios 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna PROCESSO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MACROFLUXO ENTRADAS PARA O PROCESSO - Análise de cenários e conteúdos

Leia mais

P R O G R A M A T R A I N E E 2 0 1 6

P R O G R A M A T R A I N E E 2 0 1 6 P R O G R A M A T R A I N E E 2 0 1 6 9ª Edição Introdução É com grande satisfação que o Grupo Protege inicia a 9ª edição do Programa Trainee, visando contratar, desenvolver e reter jovens com potencial

Leia mais

ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES

ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES Em atendimento à Decisão Normativa TCU no. 96 de 04/03/2009, especificamente quanto ao conteúdo expresso em seu Anexo II, letra A, item 16, cabe registrar as seguintes atividades:

Leia mais

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos Visão: "Que em 2020 Santa Maria e região sejam referência pela capacidade de empreender,

Leia mais

Assistência a Projetos Comunitários e de Segurança Humana

Assistência a Projetos Comunitários e de Segurança Humana Assistência a Projetos Comunitários e de Segurança Humana I INTRODUÇÃO O Governo do Japão oferece um programa de assistência econômica para projetos de desenvolvimento concebidos para atender às diversas

Leia mais

2.1. As inscrições deverão ser realizadas através do preenchimento do formulário de inscrição previsto no seguinte link:

2.1. As inscrições deverão ser realizadas através do preenchimento do formulário de inscrição previsto no seguinte link: A FACULDADE ESTÁCIO DE CURITIBA ESTÁCIO CURITIBA CAMPUS CURITIBA divulga processo seletivo para formação de cadastro de reserva para o cargo de Professor para o(s) curso(s) de graduação e/ou graduação

Leia mais

ANÁLISE DAS PROPOSTAS APRESENTADAS NO PLANO DE GESTÃO E AVANÇOS REALIZADOS

ANÁLISE DAS PROPOSTAS APRESENTADAS NO PLANO DE GESTÃO E AVANÇOS REALIZADOS RELATÓRIO DE GESTÃO DA DIRETORIA DA FANUT REFERENTE AO PERÍODO DE 2011-2012: Estruturando a Faculdade de Nutrição como Unidade Acadêmica no âmbito da UNIFAL-MG DIRETORIA: Profa. Cristina Garcia Lopes Diretora

Leia mais

RELATÓRIO DA 5ª CONFERÊNCIA ETAPA MUNICIPAL APARECIDA DE GOIÂNIA-GO 24 E 25 DE MAIO DE 2013

RELATÓRIO DA 5ª CONFERÊNCIA ETAPA MUNICIPAL APARECIDA DE GOIÂNIA-GO 24 E 25 DE MAIO DE 2013 RELATÓRIO DA 5ª CONFERÊNCIA ETAPA MUNICIPAL 1. Dados Iniciais Estado: Goiás Município: Aparecida de Goiânia APARECIDA DE GOIÂNIA-GO 24 E 25 DE MAIO DE 2013 2. Dados da pessoa responsável pelo preenchimento

Leia mais

Plano de Negócio EON. Escola Digital

Plano de Negócio EON. Escola Digital Plano de Negócio EON Escola Digital Resumo Executivo A EON é uma startup de educação que tem como principal objetivo capacitar profissionais do mundo digital, levando conhecimento específico, relevante

Leia mais

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos Disseminar a cultura empreendedora e inovadora em Santa Maria Ações de disseminação da Cultura Empreendedora Ações de trabalho conjunto entre Universidades e Comunidade Divulgação do trabalho pelo CEI

Leia mais

Perfil do Curso. O Mercado de Trabalho

Perfil do Curso. O Mercado de Trabalho Perfil do Curso É o gerenciamento dos recursos humanos, materiais e financeiros de uma organização. O administrador é o profissional responsável pelo planejamento das estratégias e pelo gerenciamento do

Leia mais

Formação em Parcerias Público Privadas. Desenvolvimento de uma carteira de projetos

Formação em Parcerias Público Privadas. Desenvolvimento de uma carteira de projetos Formação em Parcerias Público Privadas Desenvolvimento de uma carteira de projetos Novembro de 2013 1. Contexto Atual 2. Análise das Demandas do Setor Público 3. Como Estruturar um Procedimento 4. Como

Leia mais

5 passos para a implementação do Manejo da Infecção pelo HIV na Atenção Básica

5 passos para a implementação do Manejo da Infecção pelo HIV na Atenção Básica 5 passos para a implementação do Manejo da Infecção pelo HIV na Atenção Básica Guia para gestores MINISTÉRIO DA SAÚDE Introdução As diretrizes aqui apresentadas apontam para uma reorganização do modelo

Leia mais

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade DECLARAÇÃO DOS MINISTROS DA AGRICULTURA, SÃO JOSÉ 2011 1. Nós, os Ministros e os Secretários de Agricultura

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC)

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) Professor: Pedro Antônio Bertone Ataíde 23 a 27 de março

Leia mais

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios A importância da economia paulista transcende as fronteiras brasileiras. O Estado é uma das regiões mais desenvolvidas de toda a América

Leia mais

Seu futuro. está no Canadá!

Seu futuro. está no Canadá! Seu futuro está no Canadá! CRONOGRAMA DO PROCESSO DE IMIGRAÇÃO CANADÁ Análise de perfil do candidato; Encaminhamento para aulas específicas de francês e/ou inglês Classes Preparação para entrevista consular

Leia mais

Anexo I ACORDO DE ESTÁGIO PROGRAMA INOV CONTACTO ESTÁGIOS INTERNACIONAIS DE JOVENS QUADROS

Anexo I ACORDO DE ESTÁGIO PROGRAMA INOV CONTACTO ESTÁGIOS INTERNACIONAIS DE JOVENS QUADROS Anexo I ACORDO DE ESTÁGIO PROGRAMA INOV CONTACTO ESTÁGIOS INTERNACIONAIS DE JOVENS QUADROS Entre: Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E.P.E., Pessoa Coletiva de Direito Público

Leia mais

GLOBAL ASSIST SERVICES

GLOBAL ASSIST SERVICES GLOBAL ASSIST SERVICES GLOBAL ASSIST SERVICES Imprevistos podem acontecer quando você está viajando. Um passaporte pode ser extraviado. Você pode ficar doente de repente. Um advogado precisa ser chamado

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

Delegação do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio e a outras Organizações Econômicas em Genebra EDITAL

Delegação do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio e a outras Organizações Econômicas em Genebra EDITAL Delegação do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio e a outras Organizações Econômicas em Genebra Avenue Louis-Casaï 71 Case Postale 120 1216 Cointrin Genebra - Suíça EDITAL Programa de Formação

Leia mais

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 28 de setembro a 2 de outubro de 2009 CD49.R10 (Port.) ORIGINAL:

Leia mais

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Dezembro/2010 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Missão: Prover soluções efetivas de tecnologia

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado ODAIR CUNHA PT/MG

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado ODAIR CUNHA PT/MG PROGRAMAS ABERTOS MINISTÉRIO DA PESCA Código do Programa 5800020130061 Administração Pública Estadual ou do Distrito Federal Programa 20.122.2113.2000.0001.0001 - Adminstração da Unidade - Nacional A atividade

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 03 de Abril de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: GEOGRAFIA PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO:

Leia mais

3. Mundo do Trabalho: Facilitador: Eng. Agrícola Carlos Aurélio Dilli Gonçalves Coordenador: Eng. Civil Mec. Alberto Stochero

3. Mundo do Trabalho: Facilitador: Eng. Agrícola Carlos Aurélio Dilli Gonçalves Coordenador: Eng. Civil Mec. Alberto Stochero 3. Mundo do Trabalho: Facilitador: Eng. Agrícola Carlos Aurélio Dilli Gonçalves Coordenador: Eng. Civil Mec. Alberto Stochero Legislação Profissional O Decreto Federal nº 23.569, de 11 de dezembro

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) Estrutura, competências e objetivos

Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) Estrutura, competências e objetivos Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) Estrutura, competências e objetivos Maria João Alves Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional 24 de novembro de 2014 I SIMPÓSIO

Leia mais

PLANO DE PROMOÇÃO DA CONVIVÊNCIA MULTICULTURAL DA CIDADE DE TOYOHASHI ASPECTOS GERAIS

PLANO DE PROMOÇÃO DA CONVIVÊNCIA MULTICULTURAL DA CIDADE DE TOYOHASHI ASPECTOS GERAIS PLANO DE PROMOÇÃO DA CONVIVÊNCIA MULTICULTURAL DA CIDADE DE TOYOHASHI ASPECTOS GERAIS PREFEITURA DE TOYOHASHI Obs.: Os termos residentes estrangeiros e moradores estrangeiros utilizados nesse Plano de

Leia mais

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional Programa 2115 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Saúde 0110 - Contribuição à Previdência Privada Tipo: Operações Especiais Número de Ações 51 Pagamento da participação da patrocinadora

Leia mais

QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO Faculdade de Letras Universidade do Porto

QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO Faculdade de Letras Universidade do Porto QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO Faculdade de Letras Universidade do Porto Arquivos e serviços de informação: a certificação da qualidade no Brasil Maria Odila Fonseca Universidade Federal

Leia mais

2.1. As inscrições deverão ser realizadas através do preenchimento do formulário de inscrição previsto no seguinte link:

2.1. As inscrições deverão ser realizadas através do preenchimento do formulário de inscrição previsto no seguinte link: A FACULDADE ESTÁCIO DE SÃO LUIS ESTÁCIO SÃO LUIS divulgam processo seletivo para formação de cadastro de reserva para o cargo de Professor para o(s) curso(s) de graduação e/ou graduação tecnológica. Dúvidas

Leia mais

Disciplina: Administração de Departamento de TI. Professor: Aldo Rocha. Aula III - 25/08/2011

Disciplina: Administração de Departamento de TI. Professor: Aldo Rocha. Aula III - 25/08/2011 Disciplina: Administração de Departamento de TI Professor: Aldo Rocha Aula III - 25/08/2011 ITIL 1.A Central de Serviços; 1.1 Necessidade da Central de Serviços; 1.2 Dilema do Suporte; 1.3 Evolução do

Leia mais

2101 Programa de Gestão e Manutenção da Presidência da República

2101 Programa de Gestão e Manutenção da Presidência da República 2101 Programa de Gestão e Manutenção da Presidência da República Objetivo específico: Prover as unidades da Presidência dos meios administrativos para a implementação e gestão de seus programas temáticos.

Leia mais

Promovendo Vínculos no Brasil TNC-PME

Promovendo Vínculos no Brasil TNC-PME Promovendo Vínculos no Brasil TNC-PME Objetivos de Desenvolvimento Promover o desenvolvimento econômico e social aprimorando a capacidade produtiva local e a competitividade do setor doméstico através

Leia mais

Guia Multilíngüe de Informações Cotidianas

Guia Multilíngüe de Informações Cotidianas Para poder permanecer em território japonês é necessário ter o visto de permanência. Existem 27 tipos de vistos e, cada qual tem prazos e tipos de atividades permitidas diferenciadas. 1 Tipos de visto

Leia mais

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS 1. INTRODUÇÃO As Faculdades mantidas pelo Instituto Educacional de Assis IEDA (Escola de Educação Física de Assis, Faculdade de Administração de Assis,

Leia mais

PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3

PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3 PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3 Gerência de Níveis de Serviço Manter e aprimorar a qualidade dos serviços de TI Revisar continuamente os custos e os resultados dos serviços para garantir a sua adequação Processo

Leia mais

Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional

Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional 1024036 - PROFIFORMA, GABINETE DE CONSULTADORIA E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, LDA Missão É missão do CQEP Profiforma: -

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Banco Cooperativo Sicredi S.A. Versão: Julho/2015 Página 1 de 1 1 INTRODUÇÃO O Sicredi é um sistema de crédito cooperativo que valoriza a

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO / BACHARELADO

ADMINISTRAÇÃO / BACHARELADO ADMINISTRAÇÃO / BACHARELADO Dos cursos mais procurados pelos estudantes, o de Administração é um dos mais novos. Enquanto Medicina e Direito formam profissionais desde o século 19, foi apenas em 1946 que

Leia mais

SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO NO BRASIL: REALIDADE E PERPECTIVAS

SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO NO BRASIL: REALIDADE E PERPECTIVAS SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO NO BRASIL: REALIDADE E PERPECTIVAS ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO NO BRASIL SEGUNDO DADOS DA RAIS 2011 ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO NO BRASIL SEGUNDO DADOS DA RAIS 2011 Em

Leia mais

Em resumo, trata-se de seis (6) modalidades de serviços de 24 horas:

Em resumo, trata-se de seis (6) modalidades de serviços de 24 horas: MORADIA ASSISTIDA OBJETIVO GERAL: Garantir o acolhimento institucional de pessoas em situação de rua abordadas pelo projeto Centro Legal, servindo de referência como moradia para os em tratamento de saúde

Leia mais

Desafios da Implementação dos Novos. Basileia nos PALOP s. Cidade da Praia, 2014

Desafios da Implementação dos Novos. Basileia nos PALOP s. Cidade da Praia, 2014 Desafios da Implementação dos Novos Acordos de Convergência de Capitais de Basileia nos PALOP s A experiência i do Banco de Moçambique Cidade da Praia, 2014 Estrutura da Apresentação 1. Contexto to do

Leia mais

America Acessivel: Informação e Comunicação para TODOS 12 14 de novembro de 2014 São Paulo, Brasil

America Acessivel: Informação e Comunicação para TODOS 12 14 de novembro de 2014 São Paulo, Brasil America Acessivel: Informação e Comunicação para TODOS 12 14 de novembro de 2014 São Paulo, Brasil Pautas para a promoção da acessibilidade das TIC para pessoas com Deficiência na região das Americas Preâmbulo

Leia mais

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Elaborada pela Diretoria de Extensão e pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa

Leia mais

Segundo Workshop Internacional sobre Transferências Condicionais de Renda - TCR. São Paulo Brasil 26 a 29 de abril de 2004

Segundo Workshop Internacional sobre Transferências Condicionais de Renda - TCR. São Paulo Brasil 26 a 29 de abril de 2004 Segundo Workshop Internacional sobre Transferências Condicionais de Renda - TCR São Paulo Brasil 26 a 29 de abril de 2004 Redução da pobreza 1990-2000 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0 38,6 32,6 27,5 25,7 23,8

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB. Presidente da FUNETEC-PB João Batista de Oliveira Silva. Superintendente Executivo Valdeci Ramos dos Santos

ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB. Presidente da FUNETEC-PB João Batista de Oliveira Silva. Superintendente Executivo Valdeci Ramos dos Santos ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB Presidente da FUNETEC-PB João Batista de Oliveira Silva Superintendente Executivo Valdeci Ramos dos Santos Diretora Escolar e Gerente de Ensino Helena Mercedes Monteiro Supervisora

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede

Leia mais

14.Assistência ふく. 1-1 Auxílio infantil Veja [Nascimento Criação 4-4 Auxílio Infantil ] P199

14.Assistência ふく. 1-1 Auxílio infantil Veja [Nascimento Criação 4-4 Auxílio Infantil ] P199 14.Assistência ふく し 福 祉 1.Assistência infantil Estão previstos os seguintes auxílios à criação infantil. Há também regiões que oferecem um sistema de pagamento peculiar. Detalhes podem ser obtidos no guichê

Leia mais

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico SIBRATEC Instituído por meio do Decreto 6.259, de 20 de novembro de 2007 e complementado pela Resolução do Comitê Gestor SIBRATEC nº 001, de 17 de março de 2008, para atender as demandas específicas de

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT Quadro de Servidores SITUAÇÃO 2008 2009 Abril 2010 CARGOS EFETIVOS (*) 429 752 860 Analista Administrativo 16 40 41 Especialista em Regulação 98 156 169

Leia mais