IFRS CONFERENCE. 22 e 23 de Junho de 2015 São Paulo, SP. Realização:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IFRS CONFERENCE. 22 e 23 de Junho de 2015 São Paulo, SP. www.informagroup.com.br/ifrs. Realização:"

Transcrição

1 IFRS CONFERENCE 22 e 23 de Junho de 2015 São Paulo, SP Realização:

2 SEGUNDA-FEIRA: 22 DE JUNHO DE :30 Recepção e Credenciamento dos Participantes 08:50 Abertura da Conferência pelo Presidente de Mesa: Edmir Lopes de Carvalho, Vice-Presidente de Contabilidade ANEFAC - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EXECUTIVOS DE FINANÇAS, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE Mestre em Controladoria e graduado em Ciências Contábeis pela FEA-USP. Vice-Presidente (Contabilidade) daanefac e sócio da CROWE HORWATH BRASIL. Na área acadêmica é professor da FIPECAFI, FIA e FGV.Certificado em Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS) pelo ACCA e associado ao IMA - Institute of Management Accountants (USA). Sócio da CROWE HORWATH BRASIL. Vice Presidente de Contabilidade da ANEFAC. Professor convidado da FIPECAFI / FIA / FGV. PAINEL DE ABERTURA: Lei /2014 Sob o Ponto de Vista do IFRS 09:00 O Painel de Abertura traz os Atuais Desafios Frente a Lei /2014 que Regulariza os Impactos Fiscais em Decorrência das Normas Brasileiras e Internacionais de Contabilidade (IFRS E CPCs). Conheça os novos direcionamentos fiscais sobre os ajustes. 09:00 - ADOÇÃO INICIAL DA LEI N /2014 E A ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL ECF (e-lalur) A conversão da MP 627 em lei no ano passado trouxe significativas mudanças e ainda gera polêmica e dúvidas para o empresariado. Discuta as principais mudanças e como diminuir os impactos para a sua empresa. Entenda como funciono o controle através de contas de balanço para o envio de informação por meio da ECF e reduza os impactos Pagamento de dividendo e de juros sobre o capital próprio (JPC) Edison Carlos Fernandes, Sócio e Professor FERNANDES, FIGUEIREDO ADVOGADOS Sócio do Fernandes, Figueiredo Advogados, professor da FGV Direito SP e colunista do Valor Econômico (blog Fio da Meada). 09:40 - ÁGIO: Alterações Contábeis no Tratamento do Ágio Após a Lei /2014 Discuta sobre os Impactos das Significativas Alterações para as Empresas. Conheça as

3 Principais Alterações no Registro Contábil do Ágio e Entenda Como o Tratamento do Ágio Afeta o Cálculo do IRPJ e da CSLL Dante Lenotti Zanotti, Associado LOBO & DE RIZZO ADVOGADOS Formado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo e pós-graduado em direito tributário pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (GVLAW). Advogado em São Paulo. 10:20 Coffee Break e Networking 10:50 - TRIBUTAÇÃO EM BASES UNIVERSAIS: Discuta como a Lei /2014 alterou as regras de Tributação dos Lucros do Exterior Principais aspectos da nova regra de tributação dos lucros no exterior - Controladas X Coligadas - Obrigação de registro do resultado contábil das controladas em subcontas - Sistemática de consolidação dos resultados auferidos no exterior - Novos conceitos: renda ativa própria e regime de subtributação - Deduções do imposto pago no exterior - Possibilidade de diferimento do pagamento do imposto Visão geral das diferenças nas práticas entre as norma antiga e as novas Entenda por meio de abordagem prática como a necessidade de subcontas de investimento no exterior pode afetar a parametrização de sistemas Priscila Vergueiro, Gerente Senior PWC Gerente Sênior da área tributária internacional da PricewaterhouseCoopers, com 15 anos de experiência na área de consultoria tributária. Administração de empresas pela Universidade Mackenzie, São Paulo Brasil. Master Science Taxation pela Fordham University, Nova York - USA. 11:20 - PIS, COFINS E A CONTABILIDADE DE RECEITAS: Compreenda Como o Novo Conceito para Fins Tributários de Receita Bruta pode Impactar a Apuração dessas Contribuições Receita bruta X lucro real e lucro presumido: Alterações no conceito de receita bruta e impactos do cálculo do PIS, COFINS, IRPJ e CSLL Melyssa de A. Vecchete, Tax Manager - South America GRUPO VESUVIUS PLC. Advogada Tributarista e Gerente Tributária para o Brasil e América Latina do Grupo Vesuvius Plc. (Foseco, Vesuvius e Ecil), formada em Direito, Pós Graduada em Direito Tributário pela Unisal/SP, e Direito Societário pelo Insper/SP, atuando desde 1997 na área de Comércio Exterior e Tributária em Grandes Companhias. Vanessa Rahal Canado, Sócia da Área Tributária e Professora CSMV ADVOGADOS / FGV DIREITO SP

4 Advogada. Doutora e mestra em Direito Tributário pela PUC/SP. Professora da graduação e da pós-graduação na FGV Direito SP. Autora do livro COFINS Aspectos Teóricos e Práticos, publicado pela Editora Saraiva em :50 - SPED: Atualizações do SPED Fiscal com a Inclusão do Livro de Controle e Produção do Estoque que Entrará em Vigor em Janeiro de 2016 e Impactos Operacionais, Tecnológicos e Financeiros SPED e Bloco K (Controle de Estoque) SPED na Folha e SPED no Estoque: Receita Federal X Controle X Impactos operacionais e financeiros SPED X Investimentos tecnológicos SPED não entregue: Entenda as consequências, compliance e contingências Márcia dos Santos Gomes, Sócia Responsável pela área de Tributos Indiretos FERNANDES, FIGUEIREDO ADVOGADOS Graduada em direito pela Faculdades Metropolitanas Unidas FMU, em Especializada em Direito Tributário EPD Escola Paulista de Direito /SP. Técnica em Contabilidade IPE- Instituto Paralelo de Ensino, Experiência internacional, em Implantação de ERP SAP e Oracle na configuração de impostos. 12:20 - SUBCONTAS DO AJUSTE A VALOR JUSTO (AVJ): Entenda as Novas Regras de Controle e Seus Impactos na Apuração do Lucro Real nas Empresas no Contexto Atual IN RFB 1515 e as regras de controle Ativo, Passivo, Resultado e Patrimônio Líquido Entenda os possíveis impactos do Ajuste a Valor Justo (AVJ) nos dividendos, JCP e subcapitalização Saiba como acontece a exceção da não criação das subcontas Entenda quais os passos que devem ser adotados para fazer a análise dos indicadores e cálculo contábil Quais são as classificações contábeis que tenham como base a mensuração ao Valor Justo Como o SPED entende a Escrituração Contábil Fiscal das subcontas Cláudio Yano, Consultor Tributário PWC Mais de 26 anos de experiência em consultoria tributária para empresas multinationais e grandes corporações nacionais, de diferentes setores econômicos. Acompanhou os estudos e discussões com a Receita Federal do Brasil sobre a extinção do Regime Tributário de Transição e a preparação da Medida Provisória 627/2013, que foi convertida na Lei /2014. Desde 1999, atua como Vice-Presidente da Comissão Jurídica da Câmara Japonesa em São Paulo e auxiliado na coordenação de seus eventos. Graduado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas/SP e em Direito pela Universidade de São Paulo. Edmir Lopes de Carvalho, Vice-Presidente de Contabilidade ANEFAC - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EXECUTIVOS DE FINANÇAS, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE Mestre em Controladoria e graduado em Ciências Contábeis pela FEA-USP. Vice-Presidente (Contabilidade) daanefac e sócio da CROWE HORWATH BRASIL. Na área acadêmica é professor da FIPECAFI, FIA e FGV.Certificado em Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS) pelo ACCA e associado ao IMA - Institute of Management Accountants (USA). Sócio da CROWE HORWATH BRASIL. Vice Presidente de Contabilidade da ANEFAC. Professor convidado da FIPECAFI / FIA / FGV.

5 Haverá intervalo para Coffee Break e Networking 13:00 Almoço e Networking Sessão de Discussão 14:40 MENSURAÇÃO DO VALOR JUSTO: IFRS 13 E CPC 46 Esclareça as Dúvidas sobre o Reconhecimento e a Mensuração do Valor Justo dos Ativos e Passivos e Saiba Como a Situação Econômico-Financeira da Empresa pode ser Afetada Positiva ou Negativamente. Encontre as Melhores Alternativas para Minimizar os Impactos Fabiana Palazzo, Supervisora Executiva de Contabilidade Local e Internacional VOLKSWAGEN SERVIÇOS FINANCEIROS Contadora graduada pela USP com passagem pela University of Southampton - UK, certificada com Diploma IFRS pelo ACCA UK e MBA Executivo em Finanças pelo Insper. Há 12 anos atua em instituições do mercado financeiro, incluindo experiência profissional de 2 anos em Londres. 15:10 IMPAIRMENT TEST: Avalie o Modelo de Reconhecimento de Perdas na Recuperação de Ativos e Saiba como Funciona a Aplicação do Teste de Recuperabilidade dos Ativos Financeiros e Não Financeiros na Teoria e na Prática Discussão dos principais assuntos abordados no IAS 36 e o CPC 01 (R1), que tratam sobre a Redução ao Valor Recuperável de Ativos - Entenda como avaliar ativos dentro do contexto de unidade geradora de caixa, identificar riscos e reduzir as perdas - Saiba como fazer a identificação de trigger events - Impairment Test: Exemplo de cálculo Francisco Felix, Controller GENERAL MILLS Contador público americano e brasileiro, possui certificação IFRS pela Association of Chartered Certified Accountants ACCA, experiência de 6 anos em empresa de auditoria Big Four e mais de 12 anos de experiência na área de Controladoria de empresas multinacionais americanas. 16:00 Coffee Break e Networking 16:30 NOTAS EXPLICATIVAS: OCPC 07 e a Prática nas Demonstrações Contábeis de 2014 e para 2015 Discuta sobre o Trabalho que a IASB está Desenvolvendo sobre Notas Explicativas e Entende a Elaboração e Evidenciação na Divulgação das Informações Próprias das Demonstrações

6 Márcio Rost, Auditor Independente KPMG Gerente Senior do Departamento de Práticas Profissionais da KPMG no Brasil, onde trabalha a mais de 10 anos. Dois anos de experiência no International Standards Group da KPMG ( ), localizado no Reino Unido, atuando no desenvolvimento de publicações e treinamentos internacionais em IFRS e comunicação da rede global junto ao IASB e IFRIC. Especializado em combinações de negócios, consolidação e normas relacionadas. 17:00 CPC 06: Operações de Arrecadamento Mercantil e Financeiro (Leasing) Discuta sobre os Principais Conceitos, Políticas Contábeis e Divulgações Apropriadas em Relação ao Arrecadamento Mercantil. Conheça as Possíveis Alterações Propostas pelo IASB na Forma de Contabilização do Leasing e Avalie como as Empresas Deverão se Preparar Discuta sobre o novo tratamento fiscal das operações de Leasing Debate sobre as dificuldades práticas na aplicação do CPC 06 Leasing financeiro x operacional e o novo pronunciamento em discussão pelo IASB Outras situações de aplicação do CPC 06 Priscila A. Nasser, Certified Public Accountant WALMART - Finance Director - Technical Accounting and Internal 10 anos de experiência em Auditoria Externa pela Ernst & Young, incluindo 2 anos nos Estados Unidos. 5 anos de experiência em Auditoria Interna e Controladoria de grandes empresas americanas, incluindo Owens Illinois e Walmart. Palestrante em cursos de educação continuada no Ibracon. Rodrigo Lira, Brazil Controller MARSH & MCLENNAN COMPANIES Rodrigo possui mais de 10 anos e experiência nas áreas financeiras em grandes empresas, atuando em posições gerenciais na PepsiCo e PricewaterhouseCoopers, Brasil e Europa. Rodrigo é formado em Contabilidade pela PUC-SP, contador pelo CRC-SP e certificado em IFRS pelo ACCA. 17:40 IMPOSTO DE RENDA DIFERIDO: IAS 12 e CPC 32 - Saiba os novos critérios de reconhecimento e realização que foram alterados em função da adoção do CPC 32/IAS 12 e conheça os procedimentos práticos que foram alterados em função da extinção do RTT em 2015 Aplicação prática do imposto de renda diferido sobre as principais subcontas exigidas pela IN 15151/2014 e IN 1520/2014 Procedimentos práticos no tratamento do imposto de renda diferido para os optantes e não optantes da Lei /2014 e considerações sobre a escrituração FCONT Principais impactos da Lei /2013 na taxa efetiva de imposto de renda Ana Abreu, Sócia gerente EDUK BRASIL Sócia gerente da Eduk Brasil, empresa atuante em treinamento e consultoria na área tributária e contábil. Bacharel em Ciências Contábeis pela UNIB, Pós-Graduada em Direito Tributário pelo IBET/USP e também em Finanças e Controladoria pela FGV e MBA em Gestão Tributária pelo INPG. Certificada em IFRS emitido pelo ACCA (março de 2009). Atuando profissionalmente há mais de 20 anos na área de controladoria, fiscal e planejamento tributário de grandes multinacionais. Coordenação e implantação das novas normas contábeis, Lei 11638/07, Lei

7 11941/09 e os novos CPCs, visando a convergência contábil para as normas internacionais IFRS. Coordenação e implantação de SPED Arquivos Magnéticos, Contábil e Nota fiscal Eletrônica. Palestrante e professora em vários cursos de especialização na área contábil e tributária. 18:30 Encerramento do 1º Dia de Conferência TERÇA-FEIRA: 23 DE JUNHO DE :30 Recepção e Credenciamento dos Participantes 08:50 Abertura do Segundo Dia de Conferência pelo Presidente de Mesa Marcelo Trajano Midoux, Gerente de Controladoria ODEBRECHT 09:00 IFRS 9: A NOVA NORMA DE INSTRUMENTOS FINANCEIROS Grandes mudanças e impactos estão sendo identificados com a vigência da nova norma, dia 1º de janeiro de A IFRS 9 muda a forma de calcular provisão para perda com operação de crédito causando grandes impactos tanto para bancos quanto para empresas que dependem de participação societária. Comparativo das mudanças da atual e da nova norma Ajuste no valor de determinados instrumentos financeiros: impactos na conta do patrimônio Hedge Accounting: Questões de controle e políticas - CPC 39, 40 e 48 - Entenda como funciona o hedge na exportação - Hedge, Câmbio e Commodities: Entenda como contabilizar as operações, como deve ser valorizado e como contabilizar no momento inicial e subsequente - Operações e risco de câmbio: Como reconhecer contratos de cobertura com ativo que faz seguro a taxa de variação de câmbio para ficar neutro - Balanço e perdas: Como as empresas brasileiras podem aplicar o hedge com a oscilação do dólar Carlos André Hermesindo da Silva, Diretor de Finanças BANCO ORIGINAL Vinte anos de experiência no mercado financeiro sendo dezessete anos no Itaú Unibanco e dois anos como Auditor em empresa de Auditoria Independente (Boucinhas & Campos). Prêmio Excelência Profissional em Convergência Contábil IFRS FECONTESP. Formação: Executive Program Wharton Business School The CFO: Becoming a Strategic Partner (nov/2011), MBA Executivo em Finanças - INSPER (IBMEC-SP) (Jun/2006), Especialização em Contabilidade e Finanças Universidade de São Paulo (Dez/20007), Graduação Ciências

8 Contábeis Fundação Escola do Comercio Alvares Penteado (Dez/1998), Certificação em IFRS ICAEW -Institute of Chartered Accountants in England and Wales. Kieran McManus, Sócio PWC Sócio da PwC no Brasil desde 2001 (Assurance CMAAS). Ingressou no escritório de São Paulo em Trabalhou em Capital Markets no escritório de Nova York, em É autor do livro Implementação das Normas Internacionais de Contabilidade e da Lei nº no Brasil. Especialista em IFRS e USGAAP (responsável por muitas conversões para o IFRS e USGAAP).Bacharel em Engenharia Elétrica e Eletrônica, pela Queens University Belfast. Ciências Contábeis pela Universidade de São Paulo. Pós-graduado em Ciências Contábeis, pela Universidade de Ulster. Diplomado em IFRS (DipIFRS), pela Association of Chartered Certified Accountants (ACCA). Contador no Brasil - Conselho Regional de Contabilidade (CRC). Inscrito no Cadastro Nacional de Auditores Independentes (CNAI geral, BACEN e SUSEP). Chartered Accountant no Canadá (Canadian Institute of Chartered Accountants). Fellow Chartered Accountant na Inglaterra e País de Gales (Institute of Chartered Accountants in England and Wales). Certified Public Accountant (CPA BV) nos Estados Unidos (American Institute of Certified Public Accountants - AICPA) com especialização em Business Valuation. Membro do Chartered Institute of Public Finance & Accountancy (CIPFA). Eduardo Flores, Professor FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESQUISA CONTÁBIL, ATUARIAIS E FINANCEIRAS - FIPECAFI Doutorando em Contabilidade e Controladoria pela FEA/USP. Mestre e Bacharel em Contabilidade pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado FECAP. Graduando em Ciências Atuariais pela FEA/USP. Membro do Laboratório de Contabilidade Internacional FEA/USP. Consultor em Contabilidade e Finanças. 10:10 Coffee Break e Networking 10:30 COMPLIANCE E IFRS: Entenda por meio de Abordagem Prática a Efitividade do Compliance e Como Atender Todos os CPCs atrelados ao IFRS para não Gerar Multa e Ferir o Compliance da sua Empresa. Entenda ainda a Polêmica Questão da Auditoria e Lavagem de Dinheiro e Saiba Quais são as Tendências em Relação ao Controle e Fiscalização Marta Cristina Pelucio Grecco, Sócia e Diretora Executiva PRAESUM CONTABILIDADE INTERNACIONAL / ANEFAC Professora e Pesquisadora do Mestrado Profissional em Controladoria do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis do Mackenzie. Doutora em Administração de Empresas (Finanças Estratégicas) pelo Mackenzie com estágio doutoral na Universidad de Salamanca (Espanha). Mestre em Controladoria e graduada em ciências contábeis pela FEA-USP. Certificada em IFRS pelo ACCA em Participou do curso: International Management Program pela EUROMED em Marseille França em Diretora Executiva da ANEFAC na Diretoria de Normas Internacionais de Contabilidade. Professora e pesquisadora dos cursos de Mestrado Profissional em Controladoria e da graduação em Ciências Contábeis no Mackenzie desde Professora nas seguintes instituições: FIPECAFI-USP, FGV, FUNDACE-USP RP e CRC-SP. Sócia da Praesum Contabilidade Internacional desde fevereiro de 1995, atuando em assessoria contábil de empresas multinacionais como Rhodia, Monsanto, Microsoft, Rolls-Royce e APC. 11:00 RECEITA X CVM: Entenda Quais são os Tipos de Medidas para Alinhar com a Contabilidade Rudah Giasson Luccas, Especialista em Normas Internacionais GOL LINHAS AÉRES INTELIGENTES

9 Mestre em Ciências pela FEA/USP. Professor na FECAP, FIPECAFI e FGV. Atua como especialista em contabilidade no setor aéreo e no setor de programa de fidelização de clientes. Membro dos grupos de trabalho de normas internacionais do CPC (GT-IASB, GT-RFB, GT-Controle Comum, GLENIF) e participante ativo em trabalhos conjunto à Abrasca. Autor de artigos científicos, apresentados em periódicos e anais de congressos nacionais e internacionais, bem como capítulos de livros. 11:30 ENTIDADES SOB CONTROLE COMUM: Discussão do IASB e do CPC Entenda Como Funciona as Transações entre entidades Sob Controle Comum Rudah Giasson Luccas, Especialista em Normas Internacionais GOL LINHAS AÉRES INTELIGENTES 12:00 Encerramento da Conferência e Almoço WORKSHOP PÓS-CONFERÊNCIA IFRS 15: Reconhecimento de Receita 13:40 Recepção do workshop 14:00 Aprovada em 2014, com Implementação Prevista para 2017 e com Data para Entrar em Vigor em 2018, a IFRS 15 traz Grandes Impactos para o Universo do Empresariado. Discuta comparativamente as principais diferenças entre a norma em vigor e a nova norma Discussão dos desafios, impactos e soluções para os setores mais afetados pela IFRS 15: Telecomunicação, Construção Civil, Indústria Química e Farmacêutica, Elétrico, Instituições Financeiras, Agronegócio e Papel e Celulose. Formas de reconhecimento de receita: - Quais são as contabilizações que devem ser reconhecidas - Quais os requisitos para o reconhecimento - Orientações necessárias para reconhecer diferentes componentes de receita Share-Based Payment (Planos Baseados em Ações) - Compare como será a transição da norma atual para a nova - Funcionários que recebem ações fora do Brasil: Como empresa deve reconhecer, empresa deve reconhecer encargos do que tem fora do Brasil? - Entenda quais são os riscos trabalhistas Como funciona a contabilização quando: - Plano é implementado pela empresa no Brasil - Plano implementado e pago por empresa do exterior para funcionário da subsidiária do Brasil

10 Cash Flow Hedge: Entenda como funciona a norma específica para fluxo de caixa e discuta a como é feita a elaboração Ayres Fernandes da Silva Moura, Sócio ERSNT & YOUNG Possui mais de 18 anos de experiência na EY e é sócio do departamento de FAAS (Financial Accounting Advisory Service). Trabalhou cinco anos no escritório da EY de Londres e possui amplos conhecimento em IFRS e US GAAP adquiridos em projetos de auditoria de várrias empresas brasileiras, europeias e empresas registradas na SEC. Participou de diversos projetos de conversão para IFRS e USGAAP e está envolvido em serviços de assessoria contábil em assuntos complexos. Graduado em Contabilidade e Administração de Empresas com cursos de especialização na Inglaterra. Certificado em International Financial Reporting emitido pelo ACCA (Association of Chartered Certified Accountants) e MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC. Eric Aversari Martins, Professor FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESQUISA CONTÁBIL, ATUARIAIS E FINANCEIRAS - FIPECAFI Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade de São Paulo (2001), mestrado em Estética e História da Arte pela Universidade de São Paulo (2006) e Doutorado em Controladoria e Contabilidade no Departamento de Contabilidade e Atuaria da Faculdade de Economia, Administração e Ciências Contábeis da USP. Na área contábil tem experiência na área de Contabilidade Societária, tendo trabalhado em projetos de consultoria e, especialmente, em realização de pareceres técnicos contábeis. Atualmente, sua principal área de atuação é contabilidade societária e teoria da contabilidade. Tatiana Renó, Gerente de Contabilidade EMBRAER Gerente da contabilidade corporativa do grupo Embraer, especialista de IFRS pela ACCA global, coordena a equipe de contabilidade nas atividades relacionadas às Políticas contábeis, consultas técnicas contábeis e demonstrações financeiras consolidadas. Contadora de formação, pós-graduada em controladoria, foi professora na Universidade do Vale do Paraíba e atua na área contábil desde Haverá intervalo para Coffee Break e Networking 17:00 Encerramento do Workshop

Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT. Claudio Yano 20 de maio de 2014

Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT. Claudio Yano 20 de maio de 2014 Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT Claudio Yano 20 de maio de 2014 DIPJ 2014 Prazo de entrega Programa Gerador aprovado pela IN RFB 1.463/14; Prazo para entrega:

Leia mais

Convergência aos Padrões Internacionais de Contabilidade

Convergência aos Padrões Internacionais de Contabilidade Convergência aos Padrões Internacionais de Contabilidade Com o objetivo de convergir aos padrões internacionais, a contabilidade brasileira foi alterada a partir de 01/01/2008 pelas Leis 11.638/2007 e

Leia mais

Fiscal - ECF. Me. Fábio Luiz de Carvalho. Varginha-MG, 31.julho.2015

Fiscal - ECF. Me. Fábio Luiz de Carvalho. Varginha-MG, 31.julho.2015 Escrituração Contábil Fiscal - ECF Me. Fábio Luiz de Carvalho Varginha-MG, 31.julho.2015 Causa & Efeito A Lei n. 11.638/07 combinada com os Pronunciamentos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis

Leia mais

Ana Cláudia Akie Utumi, CFP, TEP autumi@tozzinifreire.com.br. Medida Provisória nº 627 Juros sobre capital próprio e ágio 7/4/2014

Ana Cláudia Akie Utumi, CFP, TEP autumi@tozzinifreire.com.br. Medida Provisória nº 627 Juros sobre capital próprio e ágio 7/4/2014 Medida Provisória nº 627 Juros sobre capital próprio e ágio Ana Cláudia Akie Utumi autumi@tozzinifreire. com.br Diretora da ABDF Ana Cláudia Akie Utumi, CFP, TEP autumi@tozzinifreire.com.br Membro do Comitê

Leia mais

CURSO DE PÓS-MBA. Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB

CURSO DE PÓS-MBA. Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA CURSO DE PÓS-MBA Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB Coordenação Acadêmica:

Leia mais

IFRS A nova realidade de fazer Contabilidade no Brasil

IFRS A nova realidade de fazer Contabilidade no Brasil Ano X - Nº 77 - Julho/Agosto de 2014 IFRS A nova realidade de fazer Contabilidade no Brasil Profissionais da Contabilidade deverão assinar prestações de contas das eleições Ampliação do Simples Nacional

Leia mais

CURSO DE PÓS-MBA. Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB

CURSO DE PÓS-MBA. Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB CURSO DE PÓS-MBA Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB Código no SIGA: PMBACBIC09/00 Coordenação Acadêmica

Leia mais

LEI Nº 12.973/2014 E IN RFB Nº 1.515/2014 ASPECTOS CONTÁBEIS E TRIBUTÁRIOS Teoria e Prática

LEI Nº 12.973/2014 E IN RFB Nº 1.515/2014 ASPECTOS CONTÁBEIS E TRIBUTÁRIOS Teoria e Prática TREINAMENTO EMPRESARIAL LEI Nº 12.973/2014 E IN RFB Nº 1.515/2014 ASPECTOS CONTÁBEIS E TRIBUTÁRIOS Teoria e Prática Com o Professor e Consultor Joubert da Silva Jerônimo Leite Treinamento empresarial exclusivo

Leia mais

HARMONIZAÇÃO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS

HARMONIZAÇÃO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS HARMONIZAÇÃO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS Professor 1 JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR Mestre em Controladoria e Contabilidade Estratégica e Bacharel em Ciências Contábeis. Professor de cursos de MBA da Fundação Getulio

Leia mais

O Comitê de Pronunciamentos - CPC. Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de Contabilidade - FBC

O Comitê de Pronunciamentos - CPC. Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de Contabilidade - FBC O Comitê de Pronunciamentos - CPC Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de - FBC Objetivo: O estudo, o preparo e a emissão de Pronunciamentos Técnicos sobre procedimentos de e a divulgação de informações

Leia mais

Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas

Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas Conhecimento essencial em Gestão de Controladoria Depois de sucessivas crises econômicas, os investidores pressionam cada vez mais pela

Leia mais

Impacto fiscal. Depois de quase dois anos de longos debates entre empresas,

Impacto fiscal. Depois de quase dois anos de longos debates entre empresas, KPMG Business Magazine 30 TRIBUTOS Jupiterimages Stock photo/w101 Moeda funcional O artigo 58 da MP estabelece que as empresas que usam alguma moeda estrangeira para fins contábeis e demonstrações financeiras

Leia mais

11ª Conferência Anual Questões Controversas em Planejamento Tributário

11ª Conferência Anual Questões Controversas em Planejamento Tributário 11ª Conferência Anual Questões Controversas em Planejamento Tributário Avalie os Riscos Associados e Saiba Como Implementar um Planejamento Baseado nos Princípios da Governança Tributária e Propósito Econômico

Leia mais

POR QUE FAZER O CURSO?

POR QUE FAZER O CURSO? POR QUE FAZER O CURSO? Os sistemas digitais tornaram-se onipresentes, há cerca de um bilhão de computadores conectados à internet, e essenciais às atividades humanas. A Contabilidade e o Tributário estão

Leia mais

Principais Aspectos da Regulação da Lei 12.973/14

Principais Aspectos da Regulação da Lei 12.973/14 Principais Aspectos da Regulação da Lei 12.973/14 pela IN 1.515/14 Julio Chamarelli Sócio de Consultoria Tributária da KPMG jcepeda@kpmg.com.br Sergio André Rocha Professor Adjunto de Direito Financeiro

Leia mais

LEI N 12.973/14 (IRPJ/CSLL/PIS-PASEP E COFINS)

LEI N 12.973/14 (IRPJ/CSLL/PIS-PASEP E COFINS) LEI N 12.973/14 (IRPJ/CSLL/PIS-PASEP E COFINS) Miguel Silva RTD REGIME TRIBUTÁRIO DEFINITIVO (Vigência e Opção pela Antecipação de seus Efeitos) 1 Para efeito de determinação do IRPJ, CSLL, PIS-PASEP e

Leia mais

MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS

MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS Visando a redução de riscos nos investimentos internacionais, além de ter mais facilidade de comunicação internacional no mundo dos negócios, com o uso de

Leia mais

INEPAR S.A. INDÚSTRIA E CONSTRUÇÕES LAUDO DE AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL

INEPAR S.A. INDÚSTRIA E CONSTRUÇÕES LAUDO DE AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL INEPAR S.A. INDÚSTRIA E CONSTRUÇÕES LAUDO DE AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL Data base 30/06/2011 Resumo Joinville (SC), 05 de setembro de 2011. Aos Diretores e Acionistas INEPAR S.A. INDÚSTRIA

Leia mais

FECHAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DE 2014 ASPECTOS CONTÁBEIS E FISCO- TRIBUTÁRIOS

FECHAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DE 2014 ASPECTOS CONTÁBEIS E FISCO- TRIBUTÁRIOS Soluções de auditoria e consultoria que garantem o sucesso do seu negócio. TREINAMENTO CORPORATIVO FECHAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DE 2014 ASPECTOS CONTÁBEIS E FISCO- TRIBUTÁRIOS 11 e 12 de dezembro

Leia mais

O IMPACTO DA LEI 11.638/07 NO MUNDO CONTÁBIL. Débora Cristina Dala Rosa¹, José César de Faria²

O IMPACTO DA LEI 11.638/07 NO MUNDO CONTÁBIL. Débora Cristina Dala Rosa¹, José César de Faria² O IMPACTO DA LEI 11.638/07 NO MUNDO CONTÁBIL Débora Cristina Dala Rosa¹, José César de Faria² ¹Universidade do Vale do Paraíba/Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação, Avenida Shishima Hifumi,

Leia mais

www.pwc.com Lei 12.973/2014 Junho, 2014 São Paulo Maio de 2014

www.pwc.com Lei 12.973/2014 Junho, 2014 São Paulo Maio de 2014 www.pwc.com Lei 12.973/2014 Junho, 2014 São Paulo Maio de 2014 Contexto Atual Contexto atual Fiscal X societário 1 2 3 4 Institui o balanço fiscal Tributa dividendos distribuídos em excesso em relação

Leia mais

E-LALUR e a extinção do Regime Tributário de Transição (RTT)

E-LALUR e a extinção do Regime Tributário de Transição (RTT) E-LALUR e a extinção do Regime Tributário de Transição (RTT) Setembro de 2012 Celso Pompeu Alcantara 1 Regime Tributário de Transição (RTT) Durante 2011/2012, ouvimos discussões sobre 4 diferentes cenários:

Leia mais

Controladas e Coligadas: O procedimento de consolidação do resultado no exterior: cotejo da decisão do STF com as disposições da lei nº 12.

Controladas e Coligadas: O procedimento de consolidação do resultado no exterior: cotejo da decisão do STF com as disposições da lei nº 12. Controladas e Coligadas: O procedimento de consolidação do resultado no exterior: cotejo da decisão do STF com as disposições da lei nº 12.973/14 Ana Cláudia Akie Utumi autumi@tozzinifreire.com.br Ana

Leia mais

Instituto Hernandez de Desenvolvimento Profissional

Instituto Hernandez de Desenvolvimento Profissional AS IFRS COMO FATOR IMPULSIONADOR DA ECONOMIA E DA PROFISSÃO CONTÁBIL NO BRASIL JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR José Hernandez Perez Junior 1 PALESTRANTE JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR PhD Doctor of Philosophy

Leia mais

Ano XI - nº 171- Edição de 09 de novembro de 2010

Ano XI - nº 171- Edição de 09 de novembro de 2010 Ano XI - nº 171- Edição de 09 de novembro de 2010 IBRI realiza Workshop IR Magazine Awards As Melhores Práticas de RI no próximo dia 18 O IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores), a Revista

Leia mais

A Contabilidade e o Profissional Contábil nas Pequenas e Médias Empresas

A Contabilidade e o Profissional Contábil nas Pequenas e Médias Empresas A Contabilidade e o Profissional Contábil nas Pequenas e Médias Empresas Irineu De Mula Março/2011 Primeira Fase do Processo de Convergência (Lei 11.638 e 11.941/08) Direito Positivo Brasileiro Alteram

Leia mais

CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS

CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS APLICAÇÃO N 3 As novas práticas contábeis instituídas a partir da Lei 11.638/2007 complementadas pela Lei 11.941/2009 e normatização formulada através da edição dos pronunciamentos

Leia mais

SPED Contábil e SPED ECF

SPED Contábil e SPED ECF SPED Contábil e SPED ECF Impactos nas Rotinas Empresárias Prof. Marcos Lima Marcos Lima Contador (graduado pela UECE) Especialista em Auditoria (UNIFOR) Diretor de Relacionamentos da Fortes Contabilidade

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING Belo Horizonte 2012 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL

Leia mais

MBA em IFRS (Normas Internacionais de Contabilidade)

MBA em IFRS (Normas Internacionais de Contabilidade) MBA em IFRS (Normas Internacionais de Contabilidade) Apresentação FIPECAFI A Faculdade FIPECAFI é mantida pela Fundação Instituto de Pesquisa Contábeis, Atuariais e Financeiras, criada em 1974. Seus projetos

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adoção Inicial a Lei nº 12.973/2014 contabilização mantida em subcontas

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adoção Inicial a Lei nº 12.973/2014 contabilização mantida em subcontas Adoção Inicial a Lei nº 12.973/2014 contabilização mantida em subcontas 24/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 DOU de 17.9.2013 Dispõe sobre o Regime Tributário de Transição (RTT) instituído pelo art. 15 da Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009. O SECRETÁRIO

Leia mais

RELATÓRIO COMPLETO DE CURSOS/EVENTOS

RELATÓRIO COMPLETO DE CURSOS/EVENTOS Capacitadora: 00002 - ORPLAN AUDITORES INDEPENDENTES 01351 EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL E CONSOLIDAÇÃO DE DEMONSTRAÇÕES - CPC 18 - INVESTIMENTO EM COLIGADA - CPC 36 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CONSOLIDADAS Curso

Leia mais

Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC Origem

Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC Origem 1 * Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC Origem Em função das Necessidades de: - convergência internacional das normas contábeis (redução de custo de elaboração de relatórios contábeis, redução de riscos

Leia mais

ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA

ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA Sócio da Deloitte e autor de livros da Editora Atlas 1 EVOLUÇÃO Instrução CVM n 457/07 Demonstrações financeiras consolidadas a partir

Leia mais

13/05/2015. Lei n 12.973/2014 e seus impactos na ECF

13/05/2015. Lei n 12.973/2014 e seus impactos na ECF Lei n 12.973/2014 e seus impactos na ECF PROFESSOR: FELLIPE GUERRA PALESTRANTE: FELLIPE GUERRA Contador, Consultor Empresarial e Especialista em SPED. Coordenador da Comissão Técnica SPED do CRC/CE. Professor

Leia mais

DESAFIOS. Mudanças no Cenário da Contabilidade. Reflexos no Brasil: área privada e pública. Desafios da Educação Contábil

DESAFIOS. Mudanças no Cenário da Contabilidade. Reflexos no Brasil: área privada e pública. Desafios da Educação Contábil EDUCAÇÃO CONTINUADA Desafios para o Profissional de Contabilidade Prof. Dr. Aridelmo Teixeira / Prof. Dr Valcemiro Nossa DESAFIOS Mudanças no Cenário da Contabilidade Reflexos no Brasil: área privada e

Leia mais

XXVII Seminario do CILEA Aplicación de las NIIF para las pymes en América Latina e Caribe y sua incidencia em el desarrollo económico

XXVII Seminario do CILEA Aplicación de las NIIF para las pymes en América Latina e Caribe y sua incidencia em el desarrollo económico XXVII Seminario do CILEA Aplicación de las NIIF para las pymes en América Latina e Caribe y sua incidencia em el desarrollo económico 2 Breve histórico 3 Ambiente regulatório brasileiro: Marcos legal e

Leia mais

A LEI 12973 E OS NOVOS AJUSTES NA APURAÇÃO DO LUCRO REAL 16/08/2015 17:57 BLUMENAU/SC

A LEI 12973 E OS NOVOS AJUSTES NA APURAÇÃO DO LUCRO REAL 16/08/2015 17:57 BLUMENAU/SC CURRÍCULO DO PALESTRANTE Me. Marcos B. Rebello Mestre em Contabilidade/UFSC, Pós Graduado em Finanças, Auditoria e Controladoria/FGV, Graduado em Ciências Contábeis. Atua como consultor na adequação às

Leia mais

Decretos Federais nº 8.426/2015 e 8.451/2015

Decretos Federais nº 8.426/2015 e 8.451/2015 www.pwc.com Decretos Federais nº 8.426/2015 e 8.451/2015 PIS e COFINS sobre receitas financeiras Maio, 2015 Avaliação de Investimento & Incorporação, fusão, cisão Breve histórico da tributação pelo PIS

Leia mais

Painel 4 - Lucros no Exterior Tributação em Bases Universais Desafios e Oportunidades (Foco na IN- 1520)

Painel 4 - Lucros no Exterior Tributação em Bases Universais Desafios e Oportunidades (Foco na IN- 1520) Painel 4 - Lucros no Exterior Tributação em Bases Universais Desafios e Oportunidades (Foco na IN- 1520) Fevereiro de 2015 Controladas - Registro em Subcontas (IN-1520) Vinculadas à conta de investimentos

Leia mais

ABDE Associação Brasileira de Desenvolvimento

ABDE Associação Brasileira de Desenvolvimento TAX ABDE Associação Brasileira de Desenvolvimento Ativo diferido de imposto de renda da pessoa jurídica e de contribuição social sobre o lucro líquido aspectos fiscais e contábeis Outubro de 2014 1. Noções

Leia mais

Agência Nacional de Transportes Terrestres ANTT Relatório de orientação técnica para o encerramento do exercício de 2012

Agência Nacional de Transportes Terrestres ANTT Relatório de orientação técnica para o encerramento do exercício de 2012 Agência Nacional de Transportes Terrestres ANTT Relatório de orientação técnica para o encerramento do exercício de 2012 Prefácio Com a convergência das normas brasileiras de contabilidade para as normas

Leia mais

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52 CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA Evolução das Normas de Contabilidade aplicadas no EUA Critérios Contábeis brasileiros e americanos (USGAAP) Objetivos da conversão de demonstrações contábeis

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

Alterações na legislação tributária brasileira Lei 12.973 Maio de 2014

Alterações na legislação tributária brasileira Lei 12.973 Maio de 2014 Alterações na legislação tributária brasileira Lei 12.973 Maio de 2014 Agenda 1 Agenda 2 Histórico 3 Lei 12.973/14 Regras transitórias 4 Lei 12.973/14 Alguns temas selecionados 1 2. Histórico 2. Histórico

Leia mais

Analista Fiscal. ICMS, IPI, ISS, PIS/Pasep e Cofins. (O único curso da região ministrado por especialistas em cada área abordada) Fernanda Silva

Analista Fiscal. ICMS, IPI, ISS, PIS/Pasep e Cofins. (O único curso da região ministrado por especialistas em cada área abordada) Fernanda Silva Analista Fiscal ICMS, IPI, ISS, PIS/Pasep e Cofins (O único curso da região ministrado por especialistas em cada área abordada) Orientadores Fernanda Silva Advogada; consultora da CPA; Pós-Graduada em

Leia mais

Lei n. 11.638/2007. Nova Lei das n. Sociedades 11.638/2007 Anônimas. Contabilidade Empresarial. Nova Lei das Sociedades Anônimas

Lei n. 11.638/2007. Nova Lei das n. Sociedades 11.638/2007 Anônimas. Contabilidade Empresarial. Nova Lei das Sociedades Anônimas Lei n. 11.638/2007 Nova Lei das n. Sociedades 11.638/2007 Anônimas Prof. Dr. José Carlos Marion Nova Lei das Sociedades Anônimas Seminários Cursos Debates Fóruns de Discussão Contabilistas - 400.000 Escritórios

Leia mais

TABELA DE PONTUAÇÃO 2012

TABELA DE PONTUAÇÃO 2012 Encantado Cruz Alta Soledade Gravataí Caxias do Sul Ijui Cerro Largo Curso de Auditoria voltado à validação da escrituração contábil fundamentado nas novas NBCs e nos dispositivos das legislações comercial

Leia mais

TRIBUTOS EM OBRAS. 24 e 25 de Fevereiro de 2010 Pergamon Hotel São Paulo / SP 24 DE FEVEREIRO CONFERÊNCIA CONFERÊNCIA

TRIBUTOS EM OBRAS. 24 e 25 de Fevereiro de 2010 Pergamon Hotel São Paulo / SP 24 DE FEVEREIRO CONFERÊNCIA CONFERÊNCIA Conferência Evite a Bitributação e Planeje a Redução Legal da Carga Tributária Através do Tratamento Adequado dos TRIBUTOS EM OBRAS Considere as Responsabilidades Tributárias dos Envolvidos em uma Obra

Leia mais

III CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO ATUAL IBDT/AJUFE/FDUSP-DEF LEI 12.973/14. O que foi alterado na apuração do IRPJ?

III CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO ATUAL IBDT/AJUFE/FDUSP-DEF LEI 12.973/14. O que foi alterado na apuração do IRPJ? III CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO ATUAL IBDT/AJUFE/FDUSP-DEF LEI 12.973/14 O que foi alterado na apuração do IRPJ? Alberto Pinto DL 1598/77 LEI 12.973/14 Alterações Art 6º - Lucro real é o

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.515/2014

Instrução Normativa RFB nº 1.515/2014 1 Instrução Normativa RFB nº 1.515/2014 Alterações na Legislação do IRPJ, CSLL, PIS, COFINS e Extinção do RTT Junho/2015 2 1. Introdução à IN RFB nº 1.515/2014 Dispõe sobre a determinação e o pagamento

Leia mais

MBA CONTROLADORIA E GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS

MBA CONTROLADORIA E GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS MBA CONTROLADORIA E GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS Apresentação: MBA desenvolvido por uma das mais reconhecidas e respeitadas Universidades do país - PUC-SP, com tradição na área Contábil Financeira, em

Leia mais

IFRS no Brasil - Seguradoras. Implicações para a Indústria

IFRS no Brasil - Seguradoras. Implicações para a Indústria IFRS no Brasil - Seguradoras Implicações para a Indústria PricewaterhouseCoopers Processo de diagnóstico contábil e treinamento sobre IFRS 4 As regras contábeis de avaliação e divulgação de contratos de

Leia mais

Uma crônica de uma profissional da área Contábil/Tributária por Terezinha Massambani - Consultora Tributária do Cenofisco

Uma crônica de uma profissional da área Contábil/Tributária por Terezinha Massambani - Consultora Tributária do Cenofisco Medida Provisória 627 e o fim do RTT: R-Evolução? Uma crônica de uma profissional da área Contábil/Tributária por Terezinha Massambani - Consultora Tributária do Cenofisco Atualmente, nós, profissionais

Leia mais

Contabilidade para não Contadores. (Atualizado com as normas internacionais de contabilidade)

Contabilidade para não Contadores. (Atualizado com as normas internacionais de contabilidade) Contabilidade para não Contadores (Atualizado com as normas internacionais de contabilidade) Orientadoras Andréa Giungi Contadora; MBA em Controladoria Estratégica pela Fecap Fundação Escola de Comércio

Leia mais

COMUNICADO AO MERCADO

COMUNICADO AO MERCADO . COMUNICADO AO MERCADO Convergência às Normas Internacionais de Contabilidade IFRS Apresentamos as principais alterações em nossas demonstrações contábeis decorrentes da adoção do padrão contábil internacional

Leia mais

16ª Edição Tributação em Energia

16ª Edição Tributação em Energia Descontos especiais para grupos 16ª Edição Tributação em Energia 23 e 24 de Junho São Paulo www.informagroup.com.br O único evento voltado para Tributação de Empresas de Energia Elétrica, que apresenta

Leia mais

Após quatro anos da adoção do Regime Tributário de Tributação

Após quatro anos da adoção do Regime Tributário de Tributação REVISTA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE 45 Consolidação da convergência das normas contábeis brasileiras: uma análise sobre o fim do Regime Tributário de Transição Após quatro anos da adoção do Regime Tributário

Leia mais

Extinçã. ção o do RTT

Extinçã. ção o do RTT Extinçã ção o do RTT Origem do Regime de Transição Em 2007, a Lei 6.404/1976 (Lei das S/A) foi objeto de alterações visando harmonizar a LEI SOCIETÁRIAbrasileira aos novos critérios contábeis, após a convergência

Leia mais

ADOÇÃO DO IFRS PELO GRUPO GERDAU GERALDO TOFFANELLO DIRETOR CORPORATIVO CONTÁBIL

ADOÇÃO DO IFRS PELO GRUPO GERDAU GERALDO TOFFANELLO DIRETOR CORPORATIVO CONTÁBIL ADOÇÃO DO IFRS PELO GRUPO GERDAU GERALDO TOFFANELLO DIRETOR CORPORATIVO CONTÁBIL Outubro/2009 Agenda Adoção do IFRS pelo Grupo Gerdau GRUPO GERDAU EXPERIÊNCIA IFRS / CPC BENEFÍCIOS PARA O GRUPO GERDAU

Leia mais

www.audicgroup.com.br DR SPED

www.audicgroup.com.br DR SPED www.audicgroup.com.br DR SPED a EMPRESA A Audic Group no Brasil tem o compromisso com os seus clientes de buscar a satisfação por eles desejada, para tanto dedica-se na identificação dos problemas, na

Leia mais

A DISCIPLINA CONTABILIDADE INTERNACIONAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS. Prof. Dr. Jorge Katsumi Niyama Março - 2009

A DISCIPLINA CONTABILIDADE INTERNACIONAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS. Prof. Dr. Jorge Katsumi Niyama Março - 2009 A DISCIPLINA CONTABILIDADE INTERNACIONAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS: UMA ANÁLISE DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E BIBLIOGRAFIA Prof. Dr. Jorge Katsumi Niyama Março - 2009 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Leia mais

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Yuny Incorporadora S.A. Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 e 2012

Leia mais

12º Semana de Contabilidade do Banco Central do Brasil

12º Semana de Contabilidade do Banco Central do Brasil 12º Semana de Contabilidade do Banco Central do Brasil O processo de Convergência Visão dos Preparadores das Demonstrações Contábeis Maio 2007 Agenda Cronologia Dificuldades na transição do Local para

Leia mais

Tributos sobre o Lucro Seção 29

Tributos sobre o Lucro Seção 29 Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

POSIÇÃO ATUAL DOS PRONUNCIAMENTOS, INTERPRETAÇÕES E ORIENTAÇÕES TÉCNICAS DO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS

POSIÇÃO ATUAL DOS PRONUNCIAMENTOS, INTERPRETAÇÕES E ORIENTAÇÕES TÉCNICAS DO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS POSIÇÃO ATUAL DOS PRONUNCIAMENTOS, INTERPRETAÇÕES E ORIENTAÇÕES TÉCNICAS DO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC 00 CPC 01 CPC 02 CPC 03 CPC 04 CPC 05 CPC 06 CPC 07 CPC 08 EMITIDOS Pronunciamento Técnico

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

PALESTRANTES: SESSÃO PRINCIPAL MANHÃ

PALESTRANTES: SESSÃO PRINCIPAL MANHÃ PALESTRANTES: SESSÃO PRINCIPAL MANHÃ Brian Peccarelli Presidente de Tax & Accouting é responsável pelo negócio global da Thomson Reuters. Com mais de 25 anos de experiência de trabalho em software fiscal

Leia mais

Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo

Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo 2 de Dezembro de 2013 1 Evolução Histórica Introdução no Brasil de regras contábeis compatíveis com os padrões internacionais de contabilidade IFRS Essência

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ ORIGEM e COMPOSIÇÃO O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) foi idealizado a partir da união de esforços e comunhão de objetivos das seguintes entidades: -ABRASCA: Presidente - ANTONIO DUARTE CARVALHO

Leia mais

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL SPED ECF. PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Sergipe, 24 de Agosto de 2015.

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL SPED ECF. PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Sergipe, 24 de Agosto de 2015. ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL SPED ECF PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Sergipe, 24 de Agosto de 2015. PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Contador, Consultor Empresarial e Especialista em SPED. Coordenador da Comissão

Leia mais

O Impacto da Lei 11.638/07 no encerramento das Demonstrações Contábeis de 2008

O Impacto da Lei 11.638/07 no encerramento das Demonstrações Contábeis de 2008 O Impacto da Lei 11.638/07 no encerramento das Demonstrações Contábeis de 2008 Pronunciamento CPC 013 Adoção Inicial da Lei nº 11.638/07 e da Medida Provisória no 449/08 Antônio Carlos Palácios Vice-Presidente

Leia mais

Clipping Legis. Publicação de legislação e jurisprudência fiscal. Nº 182 Conteúdo - Atos publicados em Maio de 2015 Divulgação em Junho/2015

Clipping Legis. Publicação de legislação e jurisprudência fiscal. Nº 182 Conteúdo - Atos publicados em Maio de 2015 Divulgação em Junho/2015 www.pwc.com.br Clipping Legis CSLL - Instituições financeiras - Majoração de alíquota - MP nº 675/2015 Receitas financeiras - Alíquota zero de PIS/ COFINS para as variações monetárias e hedge - Alteração

Leia mais

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro MBA Controller Ao cursar o MBA CONTROLLER FIPECAFI/ANEFAC, o aluno convive com pessoas de diferentes perfis entre os mais diversos segmentos de mercado e com a experiência profissional exigida para que

Leia mais

Quem somos SP I RJ I BH. www.tgec.com.br. www.tgecauditores.com.br. Tel: +55 11 3138.5100

Quem somos SP I RJ I BH. www.tgec.com.br. www.tgecauditores.com.br. Tel: +55 11 3138.5100 Soluções TG&C 2015 Quem somos A TG&C Trevisan Gestão & Consultoria carrega em seu DNA uma história de inovação e empreendedorismo. Em pouco tempo, a TG&C se tornou uma referência no mercado brasileiro,

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Orientadoras. Objetivo CURSO. Andréa Giungi

Orientadoras. Objetivo CURSO. Andréa Giungi CURSO Siscoserv (Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio) Atualizado com a 9ª versão dos Manuais Informatizados Orientadoras

Leia mais

Desafios do IFRS para empresas brasileiras

Desafios do IFRS para empresas brasileiras Desafios do IFRS para empresas brasileiras Estamos em consonância com o mundo? 3º Encontro de Contabilidade e Auditoria 16 de setembro de 2013 Ramon D. Jubels 3º Encontro de Contabilidade e Auditoria 1

Leia mais

LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS

LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS Visão geral dos impactos das novas evidenciações e diferenças de práticas contábeis advindas da IN 1.515. Subcontas. ECF e suas implicações.

Leia mais

A NOVA LEI CONTÁBIL DO BRASIL

A NOVA LEI CONTÁBIL DO BRASIL A NOVA LEI CONTÁBIL DO BRASIL SR AUDITORES E CONSULTORES S/S LTDA João Alfredo de Souza Ramos-CRC-ES 2289 srauditores@terra.com.br / 27-4009-4666 1 OBJETIVOS: - Alinhar a contabilidade às Normas Internacionais

Leia mais

BICICLETAS MONARK S.A. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) A T I V O

BICICLETAS MONARK S.A. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) A T I V O BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 A T I V O CIRCULANTE 2013 2012 2013 2012 Caixa e equivalentes de caixa (Nota 6) 108.366 121.409 154.076 169.588 Investimentos temporários (Nota 7)

Leia mais

FIPECAFI completa 35 anos de pioneirismo na construção da história Contábil, Atuarial e Financeira do Brasil

FIPECAFI completa 35 anos de pioneirismo na construção da história Contábil, Atuarial e Financeira do Brasil FIPECAFI completa 35 anos de pioneirismo na construção da história Contábil, Atuarial e Financeira do Brasil A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) foi fundada

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 949, DE 16 DE JUNHO DE 2009 (DOU DE 17.06.09)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 949, DE 16 DE JUNHO DE 2009 (DOU DE 17.06.09) INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 949, DE 16 DE JUNHO DE 2009 (DOU DE 17.06.09) Regulamenta o Regime Tributário de Transição (RTT), institui o Controle Fiscal Contábil de Transição (FCONT) e dá outras providências.

Leia mais

Demonstrações Financeiras Magazine Luiza S.A.

Demonstrações Financeiras Magazine Luiza S.A. Demonstrações Financeiras Magazine Luiza S.A. e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras...

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) A T I V O

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) A T I V O BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) A T I V O CIRCULANTE 2014 2013 2014 2013 Caixa e equivalentes de caixa (Nota 6) 110.829

Leia mais

IFRS INTERNATIONAL FINANCIAL REPORTING STANDARD IFRS NORMAS INTERNACIONAIS DE RELATÓRIOS FINANCEIROS

IFRS INTERNATIONAL FINANCIAL REPORTING STANDARD IFRS NORMAS INTERNACIONAIS DE RELATÓRIOS FINANCEIROS PARTE 1 - IFRS NORMATIVOS E SEUS EFEITOS NO PROCESSO DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS PARTE 2 MENSURAÇÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS IFRS GRUPO APLICABILIDADE IFRS FULL ENTIDADES

Leia mais

Adoção Inicial dos arts. 1º a 70 da Lei 12.973/2014. Lei 12.973/14 e IN RFB 1.515/14

Adoção Inicial dos arts. 1º a 70 da Lei 12.973/2014. Lei 12.973/14 e IN RFB 1.515/14 Adoção Inicial dos arts. 1º a 70 da Lei 12.973/2014 Adoção Inicial dos arts. 1º a 70 da Lei 12.973/2014 Lei 12.973/14 e IN RFB 1.515/14 Lei nº 12.973/2014 arts. 64 a 70 Adoção Inicial => procedimentos

Leia mais

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF)

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) Grant Thornton - Brasil Junho de 2015 Agenda Considerações Iniciais; Obrigatoriedade de Transmissão; Penalidades (Multas); Informações a serem Transmitidas; Recuperação

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL

LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL A Lei n 12.973/14, conversão da Medida Provisória n 627/13, traz importantes alterações à legislação tributária

Leia mais

BRITCHAM RIO AGIO NA AQUISICAO DE INVESTIMENTOS LEI 11638

BRITCHAM RIO AGIO NA AQUISICAO DE INVESTIMENTOS LEI 11638 BRITCHAM RIO 2009 AGIO NA AQUISICAO DE INVESTIMENTOS LEI 11638 JUSTIFICATIVAS DO TEMA Permanente movimento de concentração Aumento da Relevância dos Intangíveis Convergência/Harmonização/Unificação de

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 610, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009

DELIBERAÇÃO CVM Nº 610, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009 Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 43 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, que trata da adoção inicial dos pronunciamentos técnicos CPC 15 a 40. A PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

BREVÍSSIMA HISTÓRIA DA CONTABILIDADE INTERNACIONAL

BREVÍSSIMA HISTÓRIA DA CONTABILIDADE INTERNACIONAL 1. Introdução CONTABILIDADE INTERNACIONAL BREVÍSSIMA HISTÓRIA DA CONTABILIDADE INTERNACIONAL Até recentemente (cerca de 50 anos atrás, o que é relativamente diminuto em termos da história econômica mundial),

Leia mais

Consultoria Atuarial. Previdência Saúde IFRS. ASSISTANTS Consultoria Atuarial Ltda. assistants.com.br

Consultoria Atuarial. Previdência Saúde IFRS. ASSISTANTS Consultoria Atuarial Ltda. assistants.com.br Consultoria Atuarial Previdência Saúde IFRS 1. Sobre a empresa A ASSISTANTS é uma empresa boutique de prestação de serviços de consultoria atuarial, com concentração nas áreas de previdência complementar,

Leia mais

Mudanças de natureza contábil e alguns ajustes relativos à tributação

Mudanças de natureza contábil e alguns ajustes relativos à tributação A Nova Lei das S/A Lei nº 11.638/07 Introdução Mudanças de natureza contábil e alguns ajustes relativos à tributação Dependência de normatização: CVM, BACEN, SUSEP, CFC e outros LEI nº 11.638 versus Medida

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Comparativo leiaute DIPJ 2014 x ECF

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Comparativo leiaute DIPJ 2014 x ECF Comparativo leiaute DIPJ 2014 x ECF 05/05/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Time da Eficiência Comercial... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Comparativo

Leia mais

Unidade: As principais normas contábeis brasileiras (BRGAAP), americanas (USGAAP) e européias (IFRSGAAP) Revisor Textual: Profa. Esp.

Unidade: As principais normas contábeis brasileiras (BRGAAP), americanas (USGAAP) e européias (IFRSGAAP) Revisor Textual: Profa. Esp. Unidade: As principais normas contábeis brasileiras (BRGAAP), americanas (USGAAP) e européias (IFRSGAAP) Revisor Textual: Profa. Esp.Márcia Ota As NORMAS Internacionais de (International Accounting Standard

Leia mais