PAE PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA. Empresa: OCIDENTAL COMERCIO DE FRIOS LTDA - FILIAL. Equipe Técnica Executora:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PAE PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA. Empresa: OCIDENTAL COMERCIO DE FRIOS LTDA - FILIAL. Equipe Técnica Executora:"

Transcrição

1 PAE PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA Vigência: OUTUBRO/ 2015 à OUTUBRO/2016 Empresa: OCIDENTAL COMERCIO DE FRIOS LTDA - FILIAL Equipe Técnica Executora: REGINALDO BESERRA ALVES Eng de Segurança no Trabalho CREA 5907-D/PB

2 I PROGRAMAS EXIGIDOS PELA LEGISLAÇÃO E PLANOS APLICÁVEIS AO SISTEMA DE GESTÃO a) PLANO DE AÇÃO DE EMERGÊNCIA OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO: Tem o objetivo de estabelecer metodologia pratica e eficaz e definir responsabilidades através de colaboradores treinados capazes de mitigar situações de emergência em sua origem. ABRANGÊNCIAS: 1. Acidentes de Trabalho 2. Contaminação do Meio Ambiente 3. Acidentes com Máquinas e Equipamentos 4. Desabamentos Obs: Se necessário acionar o SAMU 192 / Corpo de Bombeiro Acidentes de Trabalho Responsável CIPA Procedimentos atendimento imediato ao acidentado, aplicação de primeiros socorros, encaminhamento ao 28 de Agosto, João Lúcio ou outro hospital conveniado, registro de ocorrência policial, emissão de CAT, analise da ocorrência, emissão de relatório (organograma em anexo).. ORGANOGRAMA DE ACIDENTES DE TRABALHO ACIDENTE DE TRABALHO VITIMA FATAL NÃO SIM SEM AFASTAMENTO COM AFASTAMENTO REGISTRO POLICIAL ATENDIMENTO MÉDICO ENCAMINHAMENTO AO 28 DE AGOSTO IML CAT CAT DRT ANÁLISE ANÁLISE CAT 2

3 2. Contaminação do Meio Ambiente Responsável Brigadistas Procedimentos Isolamento da área, avaliação da dimensão, se necessário chamar Defesa Civil Bombeiros 193. ORGANOGRAMA DE CONTAMINAÇÃO DO MEIO AMBIENTE 3

4 II SITUAÇÃO DE RISCO AMBIENTAL a) Cenário de Emergência Ambiental: Ocidental Comércio de Frios Ltda Derramamento de óleo Vazamento de tinta COMO AGIR EM UMA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA COMO QUEM REGISTRO Isolar a área Técnicos (CIPA / Brigada) Registro fotográfico Analisar o dimensionamento do vazamento CIPA / Brigada Registro fotográfico e relatório Retirada do material contaminado Equipe de limpeza treinada Registro fotográfico e relatório Armazenamento do material contaminado em local Equipe de limpeza treinada Registro fotográfico e relatório apropriado Liberação da área CIPA / Brigada / Gerencia Registro fotográfico e relatório Emissão de relatório CIPA / Brigada / Gerencia Relatório Observação: Dependo da dimensão do vazamento, a gerencia poderá acionar órgãos externos como: Defesa Civil, Corpo de Bombeiro e Órgãos Ambientais. III TREINAMENTO: A empresa deve dispor de equipe devidamente treinada para agir imediatamente em caso de emergência ambiental de acordo com este procedimento. IV SIMULADO: Periodicamente deve haver simulação de emergência com a equipe treinada PERIODICIDADE DE MEDIÇÕES TIPO DE MEDIÇÃO Ruído do Perímetro (ambiental) Emissão de fumaça por veículos movidos a óleo diesel PERÍODO Anual Anual 4

5 CRONOGRAMA DE MONITOIRAMENTO DE MEDIÇÕES Avaliação 2015 Nov Dez Jan Fev Mar Abr MaI Jun Jul Ago Set Out Nov 2016 Resultados obtidos do laudo do ruído do Perímetro (ambiental) V SITUAÇÃO DE SEGURANÇA a) Acidente do Trabalho: É o que ocorre no exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, a perda ou redução da capacidade para o trabalho, permanente ou temporária. b) O que fazer em caso de acidente: Ocorrido o acidente, a vítima deve comparecer imediatamente ao posto médico por seu próprio meio ou acompanhado, para atendimento especializado; É obrigatório a emissão de CAT para qualquer tipo de acidente do trabalho, com ou sem afastamento, para pessoal e subcontratados, conforme orientação da portaria MPAS nº 5.817/99; O preenchimento da Comunicação de Acidente do Trabalho - CAT, Será conforme Ordem de Serviço INSS Nº. 621, de 05 de maio de 1999, Manual de Orientação para o preenchimento da CAT; Membros da CIPA, Supervisão e a gerencia deverão se reunir fazer o registro da ocorrência e a investigação do acidente; VI INCIDENTE A ocorrência de um incidente deve ser investigada de imediato antes que ocorram mudanças envolvendo as circunstâncias do fato, tais como alterações ambientais, operacionais e/ou pessoais. a) Registros: Os Acidentes com afastamento, Sem Afastamento, Incidentes e Comunicação de Acidente CAT serão registrados nos documentos DE INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE, REGISTROS DE INCIDENTES E CAT. b) Treinamento: Deverá ser realizado treinamentos periódicos para os funcionários, como uma ferramenta importante para implantar uma cultura prevencionista de Segurança e Saúde Ocupacional. Os treinamentos são: Treinamento Admissional, Treinamento Operacional; Treinamentos de Reciclagem; Treinamento para o manuseio de substâncias químicas. 5

6 c) Registros dos Treinamentos: Todos os treinamentos citados serão registrados no documento PROGRAMAÇÃO DE TREINAMENTO em anexo. VII SIMULADO: A equipe de brigadista deverá periodicamente fazer simulação com todos os funcionários para testar o comportamento dos funcionários em caso de emergência. a) Registro do simulado: O simulado será registrado no documento SIMULAÇÃO DE EMERGÊNCIA em anexo. CRONOGRAMA DE SIMULADO DE EMERGÊNCIA Dez 2015 Nov. Dez Jan Fev Març Abr Mai Jun Jul Agos Set Dez Acidentes Com Máquinas E Equipamentos Responsável CIPA / Supervisão Procedimentos Paralisar a atividade, avaliação da dimensão, se necessário acionar Corpo de Bombeiros Consertar ou substituir máquina ou equipamento analise da ocorrência, emissão de relatório.. 6

7 ORGANOGRAMA DE ACIDENTE COM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NECESSIDADE DE AUXILIAR EXTERNO NÃO SIM RETIRADA OU CONSERTO DE MÁQUINA ACIONAR OFIC. ESPECIALIZADA LIBERAÇÃO DA MÁQUINA RETIRADA DA MÁQUINA REINICIO DE ATIVIDADE REINICIO DE ATIVIDADE 7

8 4. Desabamentos Responsável Gerencia / Brigada / CIPA Procedimentos Paralisar todas as atividades, isolar a área, se necessário acionar a Defesa Civil Bombeiros, avaliação da dimensão, elaboração de plano de ação para medidas a serem adotadas, para reparação, demolição, retirada de entulhos e continuidade das atividades. ORGANOGRAMA EM CASO DE DESABAMENTO NECESSIDADE DE AUXILIO EXTERNO NÃO SIM ISOLAMENTO DA ÁREA ACIONAR 193 OU 192 EVACUAÇÃO ISOLAR ÁREA E EVACUAR O LOCAL AVALIAÇÃO E LIBERAÇÃO DA ÁREA NÃO SIM RE LATÓRIO REINÍCIO DAS ATIVIDADES NOVA AVALIAÇÃO E LIBERAÇÃO DA ÁREA REINÍCIO DAS ATIVIDADES REINÍCIO DAS ATIVIDADES 8

9 5. ALARME de EMERGÊNCIA: 1. Para a situação de emergência na Ocidental Comércio de Frios Ltda é usado o alarme Geral onde uma sirene soará. 2. A ocorrência poderá ser: a) Um acidentado individual, necessitando de cuidados médicos; b) Um acidentado necessitando de outros tipos de atenção médica (ex: mau súbito, etc.); Nota: Caso tenha mais de uma vítima, o coordenador do serviço medica deverá convocar ajuda externa da Ocidental Comércio de Frios Ltda, através da supervisão / gerencia / Cipa. c) Um incêndio de proporções localizadas, e que dê para combater nos primeiros momentos. Nota: Se o incêndio fugir de controle, necessário convocar ajuda do Corpo de bombeiro, através da Portaria. 3. Alarme geral será ativado pôr um dos Líderes ou Vice-líderes das Brigadas. A ocorrência poderá ser: a) Incêndio ou explosão, dentro da Ocidental Comércio de Frios Ltda, com risco de afetar mais de uma Área interna; b) Vazamento de gás, dentro da Ocidental Comércio de Frios Ltda, com risco de afetar mais de uma Área interna; 4. Significado dos códigos do Alarme geral: a) Um sinal longo - indica que todos os funcionários deverão parar de trabalhar, desligar todos os equipamentos, e se deslocarem para o ponto de encontro interno externo á Ocidental Comércio de Frios Ltda; Nota: os Líderes da cada Brigada Local deverão fazer a orientação de seus grupos em cada ponto de encontro. b) Dois sinais curtos - indicam que todos os funcionários deverão se locomover para o ponto de encontro externo, orientados pêlos Líderes das Brigadas Locais; c) Três sinais curtos - indicam que a situação está sob controle, e todos os funcionários deverão retornar ao local do trabalho. 5 BRIGADA de EMERGÊNCIA: (Este plano diretriz tem como base a norma brasileira NBR-14276). 1. Cada Brigada de Emergência deve consistir de X membros treinados. 2. Para cada Brigada de Emergência, um dos X membros deverá ser designado para ser o Líder, e um outro membro deverá ser o sub líder. Este último assumirá a função de Líder, em caso de ausência do mesmo. 3. Cada Brigada de Emergência deverá definir uma lista de nomes e telefones da Ocidental Comércio de Frios Ltda, para contatos em caso de emergência. 4. Um uniforme diferenciado deverá identificar cada membro das Brigadas de Emergências. 9

10 5. O Líder e o Vice-líder deverão ser também visualmente identificáveis através do logotipo de respectiva Empresa. 6. Mudanças nos membros de brigada, devem ser evitados. 7. O Líder ou o Vice Líder deverá assegurar presença de X membros treinados na Brigada, em tempo integral, no seu respectivo turno. 8. Todos os membros de Brigada de Emergência deverão receber treinamento mínimo, conforme abaixo relacionado: a) Controle e combate à incêndios; b) Emergência com produtos químicos e vazamentos industriais; c) Proteção Respiratória e mascaras autônomas; d) Primeiros socorros e resgates; 9 Os brigadistas devem ter, Kit de equipamentos para a Brigada de Emergência: a) cópia do plano detalhado de emergência; b) extintores de incêndio (CO2, Pó químico e Água); c) kits de primeiros socorros; d) roupa de combate à incêndios (capacete, máscara facial, roupa e bota); e) proteção respiratória; f) máscara autônoma; g) corda de resgate; h) fita para isolamento; i) layout da Ocidental Comércio de Frios Ltda. Nota: Este kit deverá permanecer guardado em local apropriado, bem acessível e com identificação visíveis. 10 PROCEDIMENTO de EVASÃO: 1. O Alarme geral é coordenado pelo Líder da Brigada através dos membros da CIPA ou Portaria. 2. Se uma situação desenvolve-se dentro ou fora da Ocidental Comércio de Frios Ltda, que coloque em risco, os funcionários que trabalham nesta empresa, o Alarme geral de Evasão será acionado: Evasão para Ponto de Encontro Interno: Um sinal longo da sirene indica que todos os funcionários devem parar de trabalhar, se o caso desligar todos os equipamentos, e se locomoverem para o Ponto de Encontro Interno conforme a rota de fuga. Neste local (ponto de encontro interno), os funcionários aguardarão instruções adicionais e/ou alarmes adicionais, através de seus Líderes de Brigada. Evasão para Pontos de Encontros Externos: Se a situação de emergência exige evasão para um ponto mais distante, será acionado o outro alarme conforme a seguir: Dois sinais curtos da sirene indicam que todos os funcionários deverão se locomover para o Ponto de Encontro Externo. 10

11 Sinal de retorno: Três sinais curtos da sirene indicarão que a situação está sob controle, e todos os funcionários deverão retornar ao trabalho. Dependendo da situação, sinal de retorno poderá ser soado quando os funcionários estiverem no Ponto de Encontro Interno ou externo. Nota: Em caso de defeito da sirene ou do sistema de alarme, o alarme alternativo deverá ser via megafone. É necessário que a empresa tenha pessoas treinadas e capacitadas para atuar com eficiencia e rapidez em casos de emergencias que pode ser, princípios de incendio, primeiros socorros, derramamento e contenção de substâncias químicas,na proteção de máquinas, equipamentos e das instalácões prediais. Bibliografia: Normas regulamentadoras NRs do MET da Portaria de 08 de junho de 1978; Instrução Técnica IT n 17 do corpo de bombeiro de São Paulo; Leis ambientais. Reginaldo B. Alves Eng. Segurança no Trabalho CREA: D/PB 11

12 I PROGRAMAS EXIGIDOS PELA LEGISLAÇÃO E PLANOS APLICÁVEIS AO SISTEMA DE GESTÃO a) PLANO DE AÇÃO DE EMERGÊNCIA OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO: Tem o objetivo de estabelecer metodologia pratica e eficaz e definir responsabilidades através de colaboradores treinados capazes de mitigar situações de emergência em sua origem. ABRANGÊNCIAS: 1. Acidentes de Trabalho 2. Contaminação do Meio Ambiente 3. Acidentes com Máquinas e Equipamentos 4. Desabamentos Obs: Se necessário acionar o SAMU 192 / Corpo de Bombeiro Acidentes de Trabalho Responsável CIPA Procedimentos atendimento imediato ao acidentado, aplicação de primeiros socorros, encaminhamento ao 28 de Agosto, João Lúcio ou outro hospital conveniado, registro de ocorrência policial, emissão de CAT, analise da ocorrência, emissão de relatório (organograma em anexo).. ORGANOGRAMA DE ACIDENTES DE TRABALHO ACIDENTE DE TRABALHO VITIMA FATAL NÃO SIM SEM AFASTAMENTO COM AFASTAMENTO REGISTRO POLICIAL ATENDIMENTO MÉDICO ENCAMINHAMENTO AO 28 DE AGOSTO IML CAT CAT DRT ANÁLISE ANÁLISE CAT 2

13 2. Contaminação do Meio Ambiente Responsável Brigadistas Procedimentos Isolamento da área, avaliação da dimensão, se necessário chamar Defesa Civil Bombeiros 193. ORGANOGRAMA DE CONTAMINAÇÃO DO MEIO AMBIENTE 3

14 II SITUAÇÃO DE RISCO AMBIENTAL a) Cenário de Emergência Ambiental: Ocidental Comércio de Frios Ltda Derramamento de óleo Vazamento de tinta COMO AGIR EM UMA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA COMO QUEM REGISTRO Isolar a área Técnicos (CIPA / Brigada) Registro fotográfico Analisar o dimensionamento do vazamento CIPA / Brigada Registro fotográfico e relatório Retirada do material contaminado Equipe de limpeza treinada Registro fotográfico e relatório Armazenamento do material contaminado em local Equipe de limpeza treinada Registro fotográfico e relatório apropriado Liberação da área CIPA / Brigada / Gerencia Registro fotográfico e relatório Emissão de relatório CIPA / Brigada / Gerencia Relatório Observação: Dependo da dimensão do vazamento, a gerencia poderá acionar órgãos externos como: Defesa Civil, Corpo de Bombeiro e Órgãos Ambientais. III TREINAMENTO: A empresa deve dispor de equipe devidamente treinada para agir imediatamente em caso de emergência ambiental de acordo com este procedimento. IV SIMULADO: Periodicamente deve haver simulação de emergência com a equipe treinada PERIODICIDADE DE MEDIÇÕES TIPO DE MEDIÇÃO Ruído do Perímetro (ambiental) Emissão de fumaça por veículos movidos a óleo diesel PERÍODO Anual Anual 4

15 CRONOGRAMA DE MONITOIRAMENTO DE MEDIÇÕES Avaliação 2015 Nov Dez Jan Fev Mar Abr MaI Jun Jul Ago Set Out Nov 2016 Resultados obtidos do laudo do ruído do Perímetro (ambiental) V SITUAÇÃO DE SEGURANÇA a) Acidente do Trabalho: É o que ocorre no exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, a perda ou redução da capacidade para o trabalho, permanente ou temporária. b) O que fazer em caso de acidente: Ocorrido o acidente, a vítima deve comparecer imediatamente ao posto médico por seu próprio meio ou acompanhado, para atendimento especializado; É obrigatório a emissão de CAT para qualquer tipo de acidente do trabalho, com ou sem afastamento, para pessoal e subcontratados, conforme orientação da portaria MPAS nº 5.817/99; O preenchimento da Comunicação de Acidente do Trabalho - CAT, Será conforme Ordem de Serviço INSS Nº. 621, de 05 de maio de 1999, Manual de Orientação para o preenchimento da CAT; Membros da CIPA, Supervisão e a gerencia deverão se reunir fazer o registro da ocorrência e a investigação do acidente; VI INCIDENTE A ocorrência de um incidente deve ser investigada de imediato antes que ocorram mudanças envolvendo as circunstâncias do fato, tais como alterações ambientais, operacionais e/ou pessoais. a) Registros: Os Acidentes com afastamento, Sem Afastamento, Incidentes e Comunicação de Acidente CAT serão registrados nos documentos DE INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE, REGISTROS DE INCIDENTES E CAT. b) Treinamento: Deverá ser realizado treinamentos periódicos para os funcionários, como uma ferramenta importante para implantar uma cultura prevencionista de Segurança e Saúde Ocupacional. Os treinamentos são: Treinamento Admissional, Treinamento Operacional; Treinamentos de Reciclagem; Treinamento para o manuseio de substâncias químicas. 5

16 c) Registros dos Treinamentos: Todos os treinamentos citados serão registrados no documento PROGRAMAÇÃO DE TREINAMENTO em anexo. VII SIMULADO: A equipe de brigadista deverá periodicamente fazer simulação com todos os funcionários para testar o comportamento dos funcionários em caso de emergência. a) Registro do simulado: O simulado será registrado no documento SIMULAÇÃO DE EMERGÊNCIA em anexo. CRONOGRAMA DE SIMULADO DE EMERGÊNCIA Dez 2015 Nov. Dez Jan Fev Març Abr Mai Jun Jul Agos Set Dez Acidentes Com Máquinas E Equipamentos Responsável CIPA / Supervisão Procedimentos Paralisar a atividade, avaliação da dimensão, se necessário acionar Corpo de Bombeiros Consertar ou substituir máquina ou equipamento analise da ocorrência, emissão de relatório.. 6

17 ORGANOGRAMA DE ACIDENTE COM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NECESSIDADE DE AUXILIAR EXTERNO NÃO SIM RETIRADA OU CONSERTO DE MÁQUINA ACIONAR OFIC. ESPECIALIZADA LIBERAÇÃO DA MÁQUINA RETIRADA DA MÁQUINA REINICIO DE ATIVIDADE REINICIO DE ATIVIDADE 7

18 4. Desabamentos Responsável Gerencia / Brigada / CIPA Procedimentos Paralisar todas as atividades, isolar a área, se necessário acionar a Defesa Civil Bombeiros, avaliação da dimensão, elaboração de plano de ação para medidas a serem adotadas, para reparação, demolição, retirada de entulhos e continuidade das atividades. ORGANOGRAMA EM CASO DE DESABAMENTO NECESSIDADE DE AUXILIO EXTERNO NÃO SIM ISOLAMENTO DA ÁREA ACIONAR 193 OU 192 EVACUAÇÃO ISOLAR ÁREA E EVACUAR O LOCAL AVALIAÇÃO E LIBERAÇÃO DA ÁREA NÃO SIM RE LATÓRIO REINÍCIO DAS ATIVIDADES NOVA AVALIAÇÃO E LIBERAÇÃO DA ÁREA REINÍCIO DAS ATIVIDADES REINÍCIO DAS ATIVIDADES 8

19 5. ALARME de EMERGÊNCIA: 1. Para a situação de emergência na Ocidental Comércio de Frios Ltda é usado o alarme Geral onde uma sirene soará. 2. A ocorrência poderá ser: a) Um acidentado individual, necessitando de cuidados médicos; b) Um acidentado necessitando de outros tipos de atenção médica (ex: mau súbito, etc.); Nota: Caso tenha mais de uma vítima, o coordenador do serviço medica deverá convocar ajuda externa da Ocidental Comércio de Frios Ltda, através da supervisão / gerencia / Cipa. c) Um incêndio de proporções localizadas, e que dê para combater nos primeiros momentos. Nota: Se o incêndio fugir de controle, necessário convocar ajuda do Corpo de bombeiro, através da Portaria. 3. Alarme geral será ativado pôr um dos Líderes ou Vice-líderes das Brigadas. A ocorrência poderá ser: a) Incêndio ou explosão, dentro da Ocidental Comércio de Frios Ltda, com risco de afetar mais de uma Área interna; b) Vazamento de gás, dentro da Ocidental Comércio de Frios Ltda, com risco de afetar mais de uma Área interna; 4. Significado dos códigos do Alarme geral: a) Um sinal longo - indica que todos os funcionários deverão parar de trabalhar, desligar todos os equipamentos, e se deslocarem para o ponto de encontro interno externo á Ocidental Comércio de Frios Ltda; Nota: os Líderes da cada Brigada Local deverão fazer a orientação de seus grupos em cada ponto de encontro. b) Dois sinais curtos - indicam que todos os funcionários deverão se locomover para o ponto de encontro externo, orientados pêlos Líderes das Brigadas Locais; c) Três sinais curtos - indicam que a situação está sob controle, e todos os funcionários deverão retornar ao local do trabalho. 5 BRIGADA de EMERGÊNCIA: (Este plano diretriz tem como base a norma brasileira NBR-14276). 1. Cada Brigada de Emergência deve consistir de X membros treinados. 2. Para cada Brigada de Emergência, um dos X membros deverá ser designado para ser o Líder, e um outro membro deverá ser o sub líder. Este último assumirá a função de Líder, em caso de ausência do mesmo. 3. Cada Brigada de Emergência deverá definir uma lista de nomes e telefones da Ocidental Comércio de Frios Ltda, para contatos em caso de emergência. 4. Um uniforme diferenciado deverá identificar cada membro das Brigadas de Emergências. 9

20 5. O Líder e o Vice-líder deverão ser também visualmente identificáveis através do logotipo de respectiva Empresa. 6. Mudanças nos membros de brigada, devem ser evitados. 7. O Líder ou o Vice Líder deverá assegurar presença de X membros treinados na Brigada, em tempo integral, no seu respectivo turno. 8. Todos os membros de Brigada de Emergência deverão receber treinamento mínimo, conforme abaixo relacionado: a) Controle e combate à incêndios; b) Emergência com produtos químicos e vazamentos industriais; c) Proteção Respiratória e mascaras autônomas; d) Primeiros socorros e resgates; 9 Os brigadistas devem ter, Kit de equipamentos para a Brigada de Emergência: a) cópia do plano detalhado de emergência; b) extintores de incêndio (CO2, Pó químico e Água); c) kits de primeiros socorros; d) roupa de combate à incêndios (capacete, máscara facial, roupa e bota); e) proteção respiratória; f) máscara autônoma; g) corda de resgate; h) fita para isolamento; i) layout da Ocidental Comércio de Frios Ltda. Nota: Este kit deverá permanecer guardado em local apropriado, bem acessível e com identificação visíveis. 10 PROCEDIMENTO de EVASÃO: 1. O Alarme geral é coordenado pelo Líder da Brigada através dos membros da CIPA ou Portaria. 2. Se uma situação desenvolve-se dentro ou fora da Ocidental Comércio de Frios Ltda, que coloque em risco, os funcionários que trabalham nesta empresa, o Alarme geral de Evasão será acionado: Evasão para Ponto de Encontro Interno: Um sinal longo da sirene indica que todos os funcionários devem parar de trabalhar, se o caso desligar todos os equipamentos, e se locomoverem para o Ponto de Encontro Interno conforme a rota de fuga. Neste local (ponto de encontro interno), os funcionários aguardarão instruções adicionais e/ou alarmes adicionais, através de seus Líderes de Brigada. Evasão para Pontos de Encontros Externos: Se a situação de emergência exige evasão para um ponto mais distante, será acionado o outro alarme conforme a seguir: Dois sinais curtos da sirene indicam que todos os funcionários deverão se locomover para o Ponto de Encontro Externo. 10

21 Sinal de retorno: Três sinais curtos da sirene indicarão que a situação está sob controle, e todos os funcionários deverão retornar ao trabalho. Dependendo da situação, sinal de retorno poderá ser soado quando os funcionários estiverem no Ponto de Encontro Interno ou externo. Nota: Em caso de defeito da sirene ou do sistema de alarme, o alarme alternativo deverá ser via megafone. É necessário que a empresa tenha pessoas treinadas e capacitadas para atuar com eficiencia e rapidez em casos de emergencias que pode ser, princípios de incendio, primeiros socorros, derramamento e contenção de substâncias químicas,na proteção de máquinas, equipamentos e das instalácões prediais. Bibliografia: Normas regulamentadoras NRs do MET da Portaria de 08 de junho de 1978; Instrução Técnica IT n 17 do corpo de bombeiro de São Paulo; Leis ambientais. Reginaldo B. Alves Eng. Segurança no Trabalho CREA: D/PB 11

22 PLANO DE EMERGÊNCIA OCIDENTAL COMÉRCIO DE FRIOS LTDA Elaborado por: Reginaldo B. Alves Eng. Seg. do Trabalho

23 I PROGRAMAS EXIGIDOS PELA LEGISLAÇÃO E PLANOS APLICÁVEIS AO SISTEMA DE GESTÃO a) PLANO DE AÇÃO DE EMERGÊNCIA OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO: Tem o objetivo de estabelecer metodologia pratica e eficaz e definir responsabilidades através de colaboradores treinados capazes de mitigar situações de emergência em sua origem. ABRANGÊNCIAS: 1. Acidentes de Trabalho 2. Contaminação do Meio Ambiente 3. Acidentes com Máquinas e Equipamentos 4. Desabamentos Obs: Se necessário acionar o SAMU 192 / Corpo de Bombeiro Acidentes de Trabalho Responsável CIPA Procedimentos atendimento imediato ao acidentado, aplicação de primeiros socorros, encaminhamento ao 28 de Agosto, João Lúcio ou outro hospital conveniado, registro de ocorrência policial, emissão de CAT, analise da ocorrência, emissão de relatório (organograma em anexo).. ORGANOGRAMA DE ACIDENTES DE TRABALHO ACIDENTE DE TRABALHO VITIMA FATAL NÃO SIM SEM AFASTAMENTO COM AFASTAMENTO REGISTRO POLICIAL ATENDIMENTO MÉDICO ENCAMINHAMENTO AO 28 DE AGOSTO IML CAT CAT DRT ANÁLISE ANÁLISE CAT 2

24 2. Contaminação do Meio Ambiente Responsável Brigadistas Procedimentos Isolamento da área, avaliação da dimensão, se necessário chamar Defesa Civil Bombeiros 193. ORGANOGRAMA DE CONTAMINAÇÃO DO MEIO AMBIENTE 3

25 II SITUAÇÃO DE RISCO AMBIENTAL a) Cenário de Emergência Ambiental: Ocidental Comércio de Frios Ltda Derramamento de óleo Vazamento de tinta COMO AGIR EM UMA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA COMO QUEM REGISTRO Isolar a área Técnicos (CIPA / Brigada) Registro fotográfico Analisar o dimensionamento do vazamento CIPA / Brigada Registro fotográfico e relatório Retirada do material contaminado Equipe de limpeza treinada Registro fotográfico e relatório Armazenamento do material contaminado em local Equipe de limpeza treinada Registro fotográfico e relatório apropriado Liberação da área CIPA / Brigada / Gerencia Registro fotográfico e relatório Emissão de relatório CIPA / Brigada / Gerencia Relatório Observação: Dependo da dimensão do vazamento, a gerencia poderá acionar órgãos externos como: Defesa Civil, Corpo de Bombeiro e Órgãos Ambientais. III TREINAMENTO: A empresa deve dispor de equipe devidamente treinada para agir imediatamente em caso de emergência ambiental de acordo com este procedimento. IV SIMULADO: Periodicamente deve haver simulação de emergência com a equipe treinada PERIODICIDADE DE MEDIÇÕES TIPO DE MEDIÇÃO Ruído do Perímetro (ambiental) Emissão de fumaça por veículos movidos a óleo diesel PERÍODO Anual Anual 4

26 CRONOGRAMA DE MONITOIRAMENTO DE MEDIÇÕES Avaliação 2015 Nov Dez Jan Fev Mar Abr MaI Jun Jul Ago Set Out Nov 2016 Resultados obtidos do laudo do ruído do Perímetro (ambiental) V SITUAÇÃO DE SEGURANÇA a) Acidente do Trabalho: É o que ocorre no exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, a perda ou redução da capacidade para o trabalho, permanente ou temporária. b) O que fazer em caso de acidente: Ocorrido o acidente, a vítima deve comparecer imediatamente ao posto médico por seu próprio meio ou acompanhado, para atendimento especializado; É obrigatório a emissão de CAT para qualquer tipo de acidente do trabalho, com ou sem afastamento, para pessoal e subcontratados, conforme orientação da portaria MPAS nº 5.817/99; O preenchimento da Comunicação de Acidente do Trabalho - CAT, Será conforme Ordem de Serviço INSS Nº. 621, de 05 de maio de 1999, Manual de Orientação para o preenchimento da CAT; Membros da CIPA, Supervisão e a gerencia deverão se reunir fazer o registro da ocorrência e a investigação do acidente; VI INCIDENTE A ocorrência de um incidente deve ser investigada de imediato antes que ocorram mudanças envolvendo as circunstâncias do fato, tais como alterações ambientais, operacionais e/ou pessoais. a) Registros: Os Acidentes com afastamento, Sem Afastamento, Incidentes e Comunicação de Acidente CAT serão registrados nos documentos DE INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE, REGISTROS DE INCIDENTES E CAT. b) Treinamento: Deverá ser realizado treinamentos periódicos para os funcionários, como uma ferramenta importante para implantar uma cultura prevencionista de Segurança e Saúde Ocupacional. Os treinamentos são: Treinamento Admissional, Treinamento Operacional; Treinamentos de Reciclagem; Treinamento para o manuseio de substâncias químicas. 5

27 c) Registros dos Treinamentos: Todos os treinamentos citados serão registrados no documento PROGRAMAÇÃO DE TREINAMENTO em anexo. VII SIMULADO: A equipe de brigadista deverá periodicamente fazer simulação com todos os funcionários para testar o comportamento dos funcionários em caso de emergência. a) Registro do simulado: O simulado será registrado no documento SIMULAÇÃO DE EMERGÊNCIA em anexo. CRONOGRAMA DE SIMULADO DE EMERGÊNCIA Dez 2015 Nov. Dez Jan Fev Març Abr Mai Jun Jul Agos Set Dez Acidentes Com Máquinas E Equipamentos Responsável CIPA / Supervisão Procedimentos Paralisar a atividade, avaliação da dimensão, se necessário acionar Corpo de Bombeiros Consertar ou substituir máquina ou equipamento analise da ocorrência, emissão de relatório.. 6

28 ORGANOGRAMA DE ACIDENTE COM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NECESSIDADE DE AUXILIAR EXTERNO NÃO SIM RETIRADA OU CONSERTO DE MÁQUINA ACIONAR OFIC. ESPECIALIZADA LIBERAÇÃO DA MÁQUINA RETIRADA DA MÁQUINA REINICIO DE ATIVIDADE REINICIO DE ATIVIDADE 7

29 4. Desabamentos Responsável Gerencia / Brigada / CIPA Procedimentos Paralisar todas as atividades, isolar a área, se necessário acionar a Defesa Civil Bombeiros, avaliação da dimensão, elaboração de plano de ação para medidas a serem adotadas, para reparação, demolição, retirada de entulhos e continuidade das atividades. ORGANOGRAMA EM CASO DE DESABAMENTO NECESSIDADE DE AUXILIO EXTERNO NÃO SIM ISOLAMENTO DA ÁREA ACIONAR 193 OU 192 EVACUAÇÃO ISOLAR ÁREA E EVACUAR O LOCAL AVALIAÇÃO E LIBERAÇÃO DA ÁREA NÃO SIM RE LATÓRIO REINÍCIO DAS ATIVIDADES NOVA AVALIAÇÃO E LIBERAÇÃO DA ÁREA REINÍCIO DAS ATIVIDADES REINÍCIO DAS ATIVIDADES 8

30 5. ALARME de EMERGÊNCIA: 1. Para a situação de emergência na Ocidental Comércio de Frios Ltda é usado o alarme Geral onde uma sirene soará. 2. A ocorrência poderá ser: a) Um acidentado individual, necessitando de cuidados médicos; b) Um acidentado necessitando de outros tipos de atenção médica (ex: mau súbito, etc.); Nota: Caso tenha mais de uma vítima, o coordenador do serviço medica deverá convocar ajuda externa da Ocidental Comércio de Frios Ltda, através da supervisão / gerencia / Cipa. c) Um incêndio de proporções localizadas, e que dê para combater nos primeiros momentos. Nota: Se o incêndio fugir de controle, necessário convocar ajuda do Corpo de bombeiro, através da Portaria. 3. Alarme geral será ativado pôr um dos Líderes ou Vice-líderes das Brigadas. A ocorrência poderá ser: a) Incêndio ou explosão, dentro da Ocidental Comércio de Frios Ltda, com risco de afetar mais de uma Área interna; b) Vazamento de gás, dentro da Ocidental Comércio de Frios Ltda, com risco de afetar mais de uma Área interna; 4. Significado dos códigos do Alarme geral: a) Um sinal longo - indica que todos os funcionários deverão parar de trabalhar, desligar todos os equipamentos, e se deslocarem para o ponto de encontro interno externo á Ocidental Comércio de Frios Ltda; Nota: os Líderes da cada Brigada Local deverão fazer a orientação de seus grupos em cada ponto de encontro. b) Dois sinais curtos - indicam que todos os funcionários deverão se locomover para o ponto de encontro externo, orientados pêlos Líderes das Brigadas Locais; c) Três sinais curtos - indicam que a situação está sob controle, e todos os funcionários deverão retornar ao local do trabalho. 5 BRIGADA de EMERGÊNCIA: (Este plano diretriz tem como base a norma brasileira NBR-14276). 1. Cada Brigada de Emergência deve consistir de X membros treinados. 2. Para cada Brigada de Emergência, um dos X membros deverá ser designado para ser o Líder, e um outro membro deverá ser o sub líder. Este último assumirá a função de Líder, em caso de ausência do mesmo. 3. Cada Brigada de Emergência deverá definir uma lista de nomes e telefones da Ocidental Comércio de Frios Ltda, para contatos em caso de emergência. 4. Um uniforme diferenciado deverá identificar cada membro das Brigadas de Emergências. 9

31 5. O Líder e o Vice-líder deverão ser também visualmente identificáveis através do logotipo de respectiva Empresa. 6. Mudanças nos membros de brigada, devem ser evitados. 7. O Líder ou o Vice Líder deverá assegurar presença de X membros treinados na Brigada, em tempo integral, no seu respectivo turno. 8. Todos os membros de Brigada de Emergência deverão receber treinamento mínimo, conforme abaixo relacionado: a) Controle e combate à incêndios; b) Emergência com produtos químicos e vazamentos industriais; c) Proteção Respiratória e mascaras autônomas; d) Primeiros socorros e resgates; 9 Os brigadistas devem ter, Kit de equipamentos para a Brigada de Emergência: a) cópia do plano detalhado de emergência; b) extintores de incêndio (CO2, Pó químico e Água); c) kits de primeiros socorros; d) roupa de combate à incêndios (capacete, máscara facial, roupa e bota); e) proteção respiratória; f) máscara autônoma; g) corda de resgate; h) fita para isolamento; i) layout da Ocidental Comércio de Frios Ltda. Nota: Este kit deverá permanecer guardado em local apropriado, bem acessível e com identificação visíveis. 10 PROCEDIMENTO de EVASÃO: 1. O Alarme geral é coordenado pelo Líder da Brigada através dos membros da CIPA ou Portaria. 2. Se uma situação desenvolve-se dentro ou fora da Ocidental Comércio de Frios Ltda, que coloque em risco, os funcionários que trabalham nesta empresa, o Alarme geral de Evasão será acionado: Evasão para Ponto de Encontro Interno: Um sinal longo da sirene indica que todos os funcionários devem parar de trabalhar, se o caso desligar todos os equipamentos, e se locomoverem para o Ponto de Encontro Interno conforme a rota de fuga. Neste local (ponto de encontro interno), os funcionários aguardarão instruções adicionais e/ou alarmes adicionais, através de seus Líderes de Brigada. Evasão para Pontos de Encontros Externos: Se a situação de emergência exige evasão para um ponto mais distante, será acionado o outro alarme conforme a seguir: Dois sinais curtos da sirene indicam que todos os funcionários deverão se locomover para o Ponto de Encontro Externo. 10

32 Sinal de retorno: Três sinais curtos da sirene indicarão que a situação está sob controle, e todos os funcionários deverão retornar ao trabalho. Dependendo da situação, sinal de retorno poderá ser soado quando os funcionários estiverem no Ponto de Encontro Interno ou externo. Nota: Em caso de defeito da sirene ou do sistema de alarme, o alarme alternativo deverá ser via megafone. É necessário que a empresa tenha pessoas treinadas e capacitadas para atuar com eficiencia e rapidez em casos de emergencias que pode ser, princípios de incendio, primeiros socorros, derramamento e contenção de substâncias químicas,na proteção de máquinas, equipamentos e das instalácões prediais. Bibliografia: Normas regulamentadoras NRs do MET da Portaria de 08 de junho de 1978; Instrução Técnica IT n 17 do corpo de bombeiro de São Paulo; Leis ambientais. Reginaldo B. Alves Eng. Segurança no Trabalho CREA: D/PB 11

CM DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS LTDA

CM DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS LTDA PLANO DE EMERGÊNCIA CM DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS LTDA Edição: 25/10/11 Elaborado: Reginaldo B. Alves Rev.:10/12 / / Visto: I PROGRAMAS EXIGIDOS PELA LEGISLAÇÃO E PLANOS APLICÁVEIS AO SISTEMA DE GESTÃO

Leia mais

AÇÕES A SEREM SEGUIDAS APÓS A ATIVAÇÃO DO PEL

AÇÕES A SEREM SEGUIDAS APÓS A ATIVAÇÃO DO PEL Usina Termelétrica Gov. LEONEL BRIZOLA/TERMORIO Informe de recursos internos LIMITES DA ÁREA INDUSTRIAL COMPOSIÇÃO DA UTE GLB Planta Outras instalações Rota de fuga ATIVAÇÃO DO PEL Qualquer empregado ou

Leia mais

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO BRIGADA DE INCÊNDIO Brigada de Incêndio: É um grupo organizado de pessoas voluntárias ou não, treinadas e capacitadas para atuarem dentro de uma área previamente estabelecida na prevenção, abandono e combate

Leia mais

1 OBJETIVO DA POLÍTICA... 1 2 DESCRIÇÃO DA POLÍTICA... 1

1 OBJETIVO DA POLÍTICA... 1 2 DESCRIÇÃO DA POLÍTICA... 1 Política de Resposta a Emergência Ambiental Versão 1 Data 09/2014 SUMÁRIO 1 OBJETIVO DA POLÍTICA... 1 2 DESCRIÇÃO DA POLÍTICA... 1 2.1 O QUE É UM DERRAMAMENTO?... 1 2.2 QUE TIPOS DE DERRAMAMENTOS EXISTEM?...

Leia mais

Procedimento Operacional Nome do procedimento: Plano de Abandono SINER / Carapicuíba Data da Revisão 05/06/13

Procedimento Operacional Nome do procedimento: Plano de Abandono SINER / Carapicuíba Data da Revisão 05/06/13 1/ 8 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Saída de alguns integrantes da Brigada 02 Alteração do item 4.5 composição da brigada e 4.7 Plano de abandono Demais envolvidos

Leia mais

PLANO DE RESPOSTAS PARA EMERGÊNCIAS DUKE ENERGY GERAÇÃO PARANAPANEMA

PLANO DE RESPOSTAS PARA EMERGÊNCIAS DUKE ENERGY GERAÇÃO PARANAPANEMA PLANO DE RESPOSTAS PARA EMERGÊNCIAS DUKE ENERGY GERAÇÃO PARANAPANEMA LIANE DILDA GERENTE DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO HISTÓRICO Privatização - 28.07.1999 (DEI-EUA) EUA) Geração e Comercialização de

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO Cria e regulamenta a Brigada de Incêndio e Emergência do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE

Leia mais

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir.

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir. 2.6.16 - Este programa contém as principais ações que têm sido tomadas para prevenir os danos à saúde e integridade física dos trabalhadores e da população da região, os prejuízos materiais e possíveis

Leia mais

PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC TEMAS: PREA PREO

PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC TEMAS: PREA PREO PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC TEMAS: PREA PREO Agosto/2014 Você conhece a Política Ambiental Sirtec? Disponível nos murais e no site da empresa Brigada de Emergência O que é a Brigada de Emergência? A

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA PR.11 Revisão: 00 Página 1 de 4 1. OBJETIVO Estabelecer e manter planos

Leia mais

TERMINAL MULTIMODAL DE RONDONÓPOLIS

TERMINAL MULTIMODAL DE RONDONÓPOLIS 1/17 TERMINAL MULTIMODAL DE RONDONÓPOLIS Figura 1: vista do local onde o Terminal será instalado. PLANO DE ATENDIMENTO À EMERGÊNCIAS - PAE Novembro de 2011 2/17 ÍNDICE 1. FINALIDADE:... 3/17 2. CAMPO DE

Leia mais

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE EMERGÊNCIA CONTRA INCÊNDIO de acordo com o projeto de norma nº 24:203.002-004 da ABNT ( setembro 2000 ) 1 Objetivo 1.1 Estabelecer

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ )

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Anti Ruído Tradicional Aplicação: Reparação e emborrachamento de veículos. Fornecedor: Nome: Mastiflex Indústria e Comércio Ltda Endereço : Rua

Leia mais

O PAE, parte integrante do PGR, contempla também a prevenção do risco de acidentes com produtos perigosos e de combate a incêndio.

O PAE, parte integrante do PGR, contempla também a prevenção do risco de acidentes com produtos perigosos e de combate a incêndio. OBJETIVO O PGR - Programa de Gerenciamento de Risco e PAE - Plano de Ação de Emergências são parte integrante do PBA Plano Básico Ambiental da Estrada-Parque Visconde de Mauá, que compreende a identificação,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE 1. OBJETIVO: Este Termo de Referência têm como objetivo estabelecer diretrizes para elaboração do Plano de Emergência para Transporte de Produtos Perigosos. O plano deverá garantir de imediato, no ato

Leia mais

NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo

NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 Projeto N o Data de entrada: 3RFollowGoGreener-001-10-2010 Data de saída: Título do Projeto: Programa 3RFollowGoGreener - Sistema Follow é composto por Modelos de Documentos

Leia mais

2.2 A Administração do Condomínio dá ênfase às medidas preventivas, assim entendidas as seguintes:

2.2 A Administração do Condomínio dá ênfase às medidas preventivas, assim entendidas as seguintes: Fl. 01 de 06 1 Objetivo A presente Regulamentação Especial visa normalizar os procedimentos para o pessoal incumbido de prevenir ou combater um princípio de incêndio e de atuar em situações de emergência,

Leia mais

REGIONAL RIO DE JANEIRO PLANO

REGIONAL RIO DE JANEIRO PLANO REGIONAL RIO DE JANEIRO PLANO DE EMERGÊNCIA FILIAL DUQUE DE CAXIAS ANO BASE 2009 1. INTRODUÇÃO Todas as instalações que operem com derivados de petróleo devem possuir um PLANO DE EMERGÊNCIA para controle

Leia mais

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante NOME DO PRODUTO: Solução Titulante 1/12 FISPQ NRº. 28 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome Comercial do Produto: Solução Titulante Nome Químico: Solução Ácida a 0,1 N Nome da Empresa: Hidroazul

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Título: Tipo do Documento: SubTipo: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Plano de Controle a Emergências

Leia mais

ACIDENTES DE TRABALHO

ACIDENTES DE TRABALHO ACIDENTES DE TRABALHO CONCEITOS Acidente de trabalho é uma ocorrência imprevista e indesejável, instantânea ou não, relacionada com o exercício do trabalho, que provoca lesão pessoal ou de que decorre

Leia mais

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes?

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Publicado em 13 de outubro de 2011 Por: Tônia Amanda Paz dos Santos (a autora permite cópia, desde que citada a fonte e/ou indicado

Leia mais

Aspectos e Impactos Ambientais

Aspectos e Impactos Ambientais PÁGINA: 1/18 1 OBJETIVO Estabelecer e garantir uma sistemática para identificar, avaliar e gerenciar os aspectos e impactos ambientais das atividades, produtos ou serviços, da empresa x que possam ser

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO

NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO ANEXO XI AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO 1. OBJETIVOS Esta Norma Técnica estabelece princípios gerais para: a) o levantamento de riscos

Leia mais

Comando do Corpo de Bombeiros. Mód 5 Plano de Emergência Contra Incêndio e Brigada de Incêndio. Maj. QOBM Fernando

Comando do Corpo de Bombeiros. Mód 5 Plano de Emergência Contra Incêndio e Brigada de Incêndio. Maj. QOBM Fernando Comando do Corpo de Bombeiros Mód 5 Plano de Emergência Contra Incêndio e Brigada de Incêndio Maj. QOBM Fernando Plano de Emergência Requisitos para Elaboração e Aspectos a serem Observados; Implementação

Leia mais

PABE PLANO DE ACIONAMENTO E ATUAÇÃO DA BRIGADA DE EMERGÊNCIA Quattor UN QB e PE / DCX

PABE PLANO DE ACIONAMENTO E ATUAÇÃO DA BRIGADA DE EMERGÊNCIA Quattor UN QB e PE / DCX PABE PLANO DE ACIONAMENTO E ATUAÇÃO DA BRIGADA DE Quattor UN QB e PE / DCX REVISÃO MODIFICAÇÃO DATA 0 Emissão Inicial 30.03.2006 1 Revisão conforme solicitação do Subcomitê 04.12.2007 de Análise de Risco.

Leia mais

Comunicação investigação e análise de quase acidentes e acidentes do trabalho

Comunicação investigação e análise de quase acidentes e acidentes do trabalho 1. OBJETIVO Padronizar e estabelecer requisitos mínimos para a comunicação, investigação e análise de quase acidentes e acidentes do trabalho. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO Nas dependências e em atividades externas

Leia mais

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Gerenciamento de Obras Prof. Dr. Ivan Xavier Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Fases do Gerenciamento: 3. Operação e controle da obra. 3. Operação e controle da obra: Reunião de partida da obra;

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 QUESTÃO 26 Sobre os Limites de Tolerância para exposição ao calor, em regime de trabalho intermitente, com períodos de descanso no próprio local de prestação de serviço, de

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

NPT 032 PRODUTOS PERIGOSOS EM EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO

NPT 032 PRODUTOS PERIGOSOS EM EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO Outubro 2011 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 032 Produtos perigosos em edificações e áreas de risco CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 01 Norma de Procedimento Técnico 6 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

SEMINÁRIO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL

SEMINÁRIO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL MINÉRIO DE FERRO BRASIL SEMINÁRIO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL Da prevenção à resposta às emergências e outros eventos críticos Mineração e pessoas que fazem a diferença. 1 Gerenciamento de risco Anglo American

Leia mais

Segurança com Pr P odutos o Q u Q ími m cos

Segurança com Pr P odutos o Q u Q ími m cos Segurança com Produtos Químicos Assuntos a serem Abordados 1. Conceitos e Definições; 2. Pré Avaliação do Produto Químico (Compra); 3. Armazenamento de Produto Químico; 4. Resíduo / Licença Ambiental;

Leia mais

Produto: Denvercril RA701 Nº FISPQ: 079 Revisão: 00. Denver Indústria e Comércio Ltda. denver.resinas@denverresinas.com.br

Produto: Denvercril RA701 Nº FISPQ: 079 Revisão: 00. Denver Indústria e Comércio Ltda. denver.resinas@denverresinas.com.br 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto: Nome da Empresa: Endereço: Denvercril RA701. Denver Indústria e Comércio Ltda. Rua Geny Gusmão dos Santos, 48 Rio Abaixo Suzano-SP. Telefone da

Leia mais

SEG. E MEDICINA DO TRABALHO MAN03 SMT Rev00 01/03/13. MANUAL Plano de emergência AREAS DE APLICAÇÃO Expodireto Cotrijal Feira

SEG. E MEDICINA DO TRABALHO MAN03 SMT Rev00 01/03/13. MANUAL Plano de emergência AREAS DE APLICAÇÃO Expodireto Cotrijal Feira MANUAL Plano de emergência AREAS DE APLICAÇÃO Expodireto Cotrijal Feira SEG. E MEDICINA DO TRABALHO MAN03 SMT Rev00 01/03/13 Objetivo: Fornecer um conjunto de diretrizes e informações visando a adoção

Leia mais

1.1 Segurança do trabalho

1.1 Segurança do trabalho 1.1 Segurança do trabalho A Segurança do Trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas adotadas, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

Acidentes : Conhecer para não repetir. Soterramento por Grãos

Acidentes : Conhecer para não repetir. Soterramento por Grãos Soterramento por Grãos 1 Ao tomar conhecimento da notícia sobre a morte do trabalhador que foi soterrado em silo de grãos no porto graneleiro da capital, Porto Velho, o Ministério Público do Trabalho (MPT),

Leia mais

INCÊNDIO Ambiente SEFAZ (Ed. Vale do Rio Doce) PGI 002 Incêndio

INCÊNDIO Ambiente SEFAZ (Ed. Vale do Rio Doce) PGI 002 Incêndio GESTÃO DA CONTINUADE DOS NEGÓCIOS E DE PGI 002 Incêndio INCÊNDIO Ambiente SEFAZ (Ed. Vale do Rio Doce) PGI 002 Incêndio As informações existentes neste documento e em seus anexos são para uso exclusivo

Leia mais

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3.

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3. Procedimento de Gestão OGX Denominação: Tratamento de não conformidades, ações corretivas e preventivas PG.SMS.015 SUMÁRIO Este procedimento define a sistemática utilizada na identificação, registro e

Leia mais

Andreia Vasconcelos Raposo da Silva. PRODUTOS PERIGOSOS

Andreia Vasconcelos Raposo da Silva. PRODUTOS PERIGOSOS Andreia Vasconcelos Raposo da Silva. PRODUTOS PERIGOSOS SÃO LUÍS MA 2014 ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ENSINO Andreia Vasconcelos

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos. SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos. SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa Nome do produto: DENVER CAMADA SEPARADORA Nome da empresa: Denver Impermeabilizantes Indústria e Comércio Ltda. Endereço: Rua Ver. João Batista Fitipaldi,

Leia mais

INDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

INDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS Nº PE 4604.52-6270-948-SMS-011 CLIENTE: PROGRAMA: ÁREA: PETROBRAS MODERNIZAÇÃO DO PONTO DE ENTREGA DE ARAÇAS FOLHA 1/12 TÍTULO: ENGENHARIA/IENE /IETEG/CMIPE PLANO DE EMERGÊNCIAS MEDICAS E PRIMEIROS SOCORROS

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ PRODUTO: BATERIA MOURA 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Nome da Empresa: Endereço: Bateria Moura Acumuladores Moura

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TIN 3104

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TIN 3104 Código: FSP-261 Revisão: 1 Página: 1/5 1 Informação do produto e da empresa Nome do produto: LAB TIN 3104 Nome da empresa: Lab Analítica e Ambiental Ltda. Endereço: Rodovia Geraldo Scavone, 2300 Condomínio

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE 1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Estas exigências definem os deveres e as responsabilidades da CONTRATADA e estabelecem as orientações, requisitos

Leia mais

PAE PROGRAMA DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA

PAE PROGRAMA DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA PAE PROGRAMA DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA Quattor UN QB e PE / DCX REVISÃO MODIFICAÇÃO DATA 0 Emissão Inicial 31.03.2006 1 Revisão conforme solicitação do Subcomitê de Análise de Risco a acréscimo do hiperlink

Leia mais

D-2608-2010. Dräger Sua parceira no segmento de Bombeiros. proficiência no

D-2608-2010. Dräger Sua parceira no segmento de Bombeiros. proficiência no D-2608-2010 Dräger Sua parceira no segmento de Bombeiros proficiência no corpo de bombeiros Se eu me sinto seguro com meu equipamento, posso combater os incêndios com mais eficácia. Confiança em ambientes

Leia mais

Programa de Segurança e Saúde do Trabalho "Segurança o Tempo Todo"

Programa de Segurança e Saúde do Trabalho Segurança o Tempo Todo Página: 1/14 1. OBJETIVO Descrever as principais rotinas gerenciais de segurança e saúde do trabalho à serem desenvolvidas pela equipe da ENDICON, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais,

Leia mais

Conheça nossos Serviços

Conheça nossos Serviços BEM VINDO! Oferecemos completa Assessoria e Consultoria nos aspectos legais, técnicos e normativos relacionados à quaisquer serviços de SEGURANÇA, SAÚDE E MEDICINA DO TRABALHO. Conheça nossos Serviços

Leia mais

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 2 1 - CONCEITOS PERIGOS, RISCOS E MEDIDAS DE CONTROLE 2 CONCEITO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 2 1 - CONCEITOS PERIGOS, RISCOS E MEDIDAS DE CONTROLE 2 CONCEITO DE SEGURANÇA DO TRABALHO MÓDULO 2 1 - CONCEITOS PERIGOS, RISCOS E MEDIDAS DE CONTROLE 2 CONCEITO DE SEGURANÇA DO TRABALHO 3 ACIDENTE DO TRABALHO 4 SITUAÇÕES ANORMAIS NO INTERIOR DA UO 1 - Conceito de Perigo, Risco É a fonte ou

Leia mais

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 5

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 5 MÓDULO 5 1 PREVENÇÃO A INCÊNDIO 2 QUÍMICA DO FOGO 3 CLASSES DE INCÊNDIO 4 EXTINTORES PORTÁTEIS 5 PLANO DE EMERGÊNCIA PREVENÇÃO A INCÊNDIO Na PETROBRAS DISTRIBUIDORA S.A., só será permitido fumar em locais

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL JANEIRO 2013 RESUMO EXECUTIVO A ACCENT é uma empresa especializada em soluções tradução e localização de software, publicações técnicas, conteúdo de sites e material institucional e educativo. ESTRUTURA

Leia mais

Uma forma de estimular a correta aplicação dos procedimentos. Além disso, poder contar com o auxílio de pessoas treinadas e

Uma forma de estimular a correta aplicação dos procedimentos. Além disso, poder contar com o auxílio de pessoas treinadas e 01 Uma forma de estimular a correta aplicação dos procedimentos de segurança em situações de emergência é disseminar as informações que podem ajudar a salvar vidas. Além disso, poder contar com o auxílio

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 067 / 2011

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 067 / 2011 PARECER COREN-SP GAB Nº 067 / 2011 1. Do fato Solicitado parecer sobre atuação do profissional Enfermeiro no treinamento ministrado aos componentes de brigadas de incêndio, atendendo a Instrução Técnica

Leia mais

PROGRAMA PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Rota de Fuga e Análise de Riscos. Maj. QOBM Fernando Raimundo Schunig

PROGRAMA PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Rota de Fuga e Análise de Riscos. Maj. QOBM Fernando Raimundo Schunig PROGRAMA PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA Rota de Fuga e Análise de Riscos Maj. QOBM Fernando Raimundo Schunig 2010 É um mapa que representa, através de símbolos apropriados, o trajeto a ser seguido pelo indivíduo

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL PARA PG 017/02 PREPARAÇÃO E ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA Página 2 de 5

PROCEDIMENTO GERENCIAL PARA PG 017/02 PREPARAÇÃO E ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA Página 2 de 5 Página 2 de 5 1 OBJETIVO Este procedimento tem por objetivo o estabelecimento das diretrizes para elaboração de procedimentos técnicos e administrativos a serem adotados em situações emergenciais, tais

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Procedimento Operacional N do procedimento: PO 037

Procedimento Operacional N do procedimento: PO 037 1/ 11 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Revisão anual conforme Norma Regulamentadora 33 Alteração nos envolvidos para análise e aprovação. Demais envolvidos na análise

Leia mais

Anexo contratual: Health and Safety (HAS)

Anexo contratual: Health and Safety (HAS) Com a premissa fundamental de perpetuar a visão preventiva e o controle eficaz dos riscos operacionais, este anexo contratual determina os princípios legais e gerenciais para a manutenção da integridade

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO NAFTALINA

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO NAFTALINA 1 de 5 I. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA E DO PRODUTO BÚFALO INDÚSTRIA E COM. DE PROD. QUÍMICOS LTDA. Av. Hélio Ossamu Daikuara, Nº 3071 Vista Alegre Embu das Artes - SP Homepage: www.produtosbufalo.com.br E-mail:

Leia mais

Definição - Plano de Emergência

Definição - Plano de Emergência 1 Definição - Plano de Emergência É um conjunto de procedimentos que visa minimizar as consequências de um evento indesejado. 2 1 O que temos no Brasil -Leis Federais Decreto nº 2.648, de 1º de julho de

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 FISPQ NRº. 005 1/7 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Bicarbonato de Sódio Nome Comercial : Estabilizador de ph Sinônimo: Bicarbonato Ácido de Sódio N CAS: 144-55-8 Nome da Empresa:

Leia mais

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL Roteiro para montagem de um Plano Preventivo de Defesa Civil Apresentamos o presente roteiro com conteúdo mínimo de um Plano Preventivo de Defesa Civil ou Plano de

Leia mais

Plano de Atendimento e Remoção de Acidentados em Linhas de Transmissão PARA LT. Sylvio Ribeiro de Castro Lessa 12/08/2013

Plano de Atendimento e Remoção de Acidentados em Linhas de Transmissão PARA LT. Sylvio Ribeiro de Castro Lessa 12/08/2013 Plano de Atendimento e Remoção de Acidentados em Linhas de Transmissão PARA LT Sylvio Ribeiro de Castro Lessa 12/08/2013 Fase: Diagnóstico Eloisa Barroso de Mattos Nutricionista Raquel Leão Firmino Reis

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos. SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos. SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa Nome do produto: COLA PVA EXTRA FORMICA Nome da empresa: Formiline Indústria de Laminados Ltda. Endereço: Estrada Portão do Honda, 120 Rio Abaixo

Leia mais

NORMA APROVAÇÃO DEX 396ª 22/06/2009 CODEBA REVISÃ DATA

NORMA APROVAÇÃO DEX 396ª 22/06/2009 CODEBA REVISÃ DATA CÓDIGO PAG T.01.10 1/13 NORMA APROVAÇÃO DATA DEX 396ª 22/06/2009 CODEBA REVISÃ DATA TÍTULO: PREPARAÇÃO E ATENDIMENTO ÀS EMERGÊNCIAS NO PORTO DE SALVADOR PALAVRAS-CHAVE EMERGÊNCIA, BRIGADA DE EMERGÊNCIA,

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FIS 00001 1/6 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Empresa: Endereço: Água sanitária Super Cândida Indústrias Anhembi S/A Matriz: Rua André Rovai, 481 Centro Osasco SP Telefone: Matriz:

Leia mais

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n. ANEXO I da NR-20 1 e 2.... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.º 9: a) o inventário e características dos inflamáveis

Leia mais

Além da definição dos procedimentos emergenciais, o presente plano possui uma estrutura específica de forma a:

Além da definição dos procedimentos emergenciais, o presente plano possui uma estrutura específica de forma a: 1. INTRODUÇÃO O presente trabalho tem por objetivo apresentar o Plano de Ação de Emergência PAE da empresa SANTA RITA S.A. Terminais Portuários, localizada em Santos, estado de São Paulo. O plano foi desenvolvido

Leia mais

O plano citado foi estruturado em ações que obtiveram os resultados positivos, a partir dos seguintes critérios:

O plano citado foi estruturado em ações que obtiveram os resultados positivos, a partir dos seguintes critérios: 2.6.17 - O Plano de Ação de Emergência PAE, também denominado Plano de Emergência Local PEL, está sendo realizado seguindo os preceitos do Projeto Básico Ambiental - PBA e as diretrizes contratuais. Este

Leia mais

ATO CONVOCATÓRIO 052/2013 MAR Museu de Arte do Rio

ATO CONVOCATÓRIO 052/2013 MAR Museu de Arte do Rio 1. INTRODUÇÃO Considerando que o Museu de Arte do Rio MAR será uma das âncoras do plano de revitalização da região portuária da cidade do Rio de Janeiro RJ e será instalado na Praça Mauá, em dois prédios

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL. Gestão de Anomalia

PROCEDIMENTO GERAL. Gestão de Anomalia PÁG. 1/12 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para gestão de anomalias na BAHIAGÁS, determinando os critérios para seu registro, comunicação, investigação e a metodologia para definição e implantação

Leia mais

Etapas do Manual de Operações de Segurança

Etapas do Manual de Operações de Segurança OPERAÇÕES www.proteccaocivil.pt DE SEGURANÇA CARACTERIZAÇÃO DO ESPAÇO IDENTIFICAÇÃO DE RISCOS ETAPAS LEVANTAMENTO DE MEIOS E RECURSOS ESTRUTURA INTERNA DE SEGURANÇA PLANO DE EVACUAÇÃO PLANO DE INTERVENÇÃO

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do produto: CJI URETANO AR ENDURECEDOR Nome da empresa: Endereço: Rua Hermínio Poltroniere,

Leia mais

Comércio de Produtos Químicos

Comércio de Produtos Químicos Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos FISPQ 1.) Identificação do Produto Nome do Produto: Pombo Código do Produto: Pr 295307 2.) Composição e Informação sobre os Ingredientes Substância:

Leia mais

Glossário de Termos Mais Usados

Glossário de Termos Mais Usados Anexo 11 Glossário de Termos Mais Usados Tabela 10: Glossário de Termos Termos Abrigo no próprio local Acampamento Alcance do Controle Área de preparação Ativo Centro de Comando da EMT Centro de Informações

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

TELEFONE PARA EMERGÊNCIAS: 0800-7077022 (SUATRANS)

TELEFONE PARA EMERGÊNCIAS: 0800-7077022 (SUATRANS) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Código do Produto: 3076 Data da FISPQ: 01/11/2005 Comercializado por: BRENNTAG QUÍMICA BRASIL LTDA Guarulhos - SP Rua Hum, 1.333 Bonsucesso Guarulhos CEP

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA. Para Mobilização e Desmobilização do. Edifício Sede da Coelba

PLANO DE EMERGÊNCIA. Para Mobilização e Desmobilização do. Edifício Sede da Coelba PLANO DE EMERGÊNCIA Para Mobilização e Desmobilização do Edifício Sede da Coelba Autores Osmar Átila Santos Paulo Américo Fortuna Carlos Andrade Giron Jilson Silva dos Santos Companhia de Eletricidade

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

BRIGADAS DE EMERGÊNCIA

BRIGADAS DE EMERGÊNCIA NICOBELO&ART FINAL Nicobelo@hotmail.com BRIGADAS DE EMERGÊNCIA GRUPO INCÊNDIO DE SOROCABA 1 OBJETIVO É estabelecer Programa de Prevenção e levar a cabo medidas que se implementem para evitar ou mitigar

Leia mais

NPT 031 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PARA HELIPONTO E HELIPORTO

NPT 031 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PARA HELIPONTO E HELIPORTO Janeiro 2012 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 031 Segurança Contra Incêndio para Heliponto e Heliporto CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 02 Norma de Procedimento Técnico 5 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

Plano de Atendimento a Emergência e Sinistro - PAES. 1. Dados da Empresa:

Plano de Atendimento a Emergência e Sinistro - PAES. 1. Dados da Empresa: Plano de Atendimento a Emergência e Sinistro - PAES 1. Dados da Empresa: Unidade: Têxtil Localização: Urbana Endereço: Rua São Pedro, 2647, Brusque (SC) Vizinhança e arredores: Baixa concentração de residências

Leia mais

PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 141 (Julho/Agosto de 2002) KÉRAMICA N.º 256 (Novembro/Dezembro de 2002)

PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 141 (Julho/Agosto de 2002) KÉRAMICA N.º 256 (Novembro/Dezembro de 2002) TÍTULO: Planos de Emergência na Indústria AUTORIA: Factor Segurança, Lda PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 141 (Julho/Agosto de 2002) KÉRAMICA N.º 256 (Novembro/Dezembro de 2002) 1. INTRODUÇÃO O Plano de Emergência

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 32/2015

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 32/2015 Instrução Técnica nº 26/2011 - Sistema fixo de gases para combate a incêndio 645 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO

Leia mais

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES 1 O QUE É ESPAÇO CONFINADO? CARACTERÍSTICAS VOLUME CAPAZ DE PERMITIR A ENTRADA DE EMPREGADOS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES PARA ENTRADA E SAIDA DE PESSOAL NÃO E PROJETADO PARA OCUPAÇÃO CONTÍNUA POSSUI, EM GERAL,

Leia mais

Desenvolvimento de uma emergência de incêndio

Desenvolvimento de uma emergência de incêndio Desenvolvimento de uma emergência de incêndio Desenvolvimento de uma emergência de incêndio INTRODUÇÃO Ambos a experiência e o bom senso nos dizem que as ações tomadas durante uma emergência são mais eficazes

Leia mais

Proteção contra Incêndio

Proteção contra Incêndio CONCURSO PETROBRAS ENGENHEIRO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR ENGENHEIRO(A) JÚNIOR - ÁREA: SEGURANÇA PROFISSIONAL JÚNIOR - ENG. SEGURANÇA DO TRABALHO Proteção contra Incêndio Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO E SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS MATERIAL SAFETY DATA SHEET (MSDS) Rescol 65

FICHA DE INFORMAÇÃO E SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS MATERIAL SAFETY DATA SHEET (MSDS) Rescol 65 Pag. 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial: Outros Nomes: Óleo de Pinho 65% Branco; Alfa Terpineol. Nome Químico: Alfa Terpineol Peso Molecular P. M. C 10 H 18 O (componente principal)

Leia mais

FISPQ 1. IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA/ PREPARAÇÃO DA EMPRESA/EMPREENDIMENTO

FISPQ 1. IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA/ PREPARAÇÃO DA EMPRESA/EMPREENDIMENTO FISPQ 1. IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA/ PREPARAÇÃO DA EMPRESA/EMPREENDIMENTO Material Irradiador contendo Fonte Radioativa Selada de Irídio-192 Material Fonte Radioativa Selada de Irídio-192 Sinônimo Embalado

Leia mais

PLANO DE ENSINO CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA- ANO LETIVO: 2003 - SÉRIE: 3º DISCIPLINA: ANUAL - HORAS/AULA SEMANAIS: 2 HORAS - C. HORÁRIA: 68 H.

PLANO DE ENSINO CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA- ANO LETIVO: 2003 - SÉRIE: 3º DISCIPLINA: ANUAL - HORAS/AULA SEMANAIS: 2 HORAS - C. HORÁRIA: 68 H. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ESTRUTURAS E CONSTRUÇÃO CIVIL DIVISÃO DE APOIO

Leia mais

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos em acordo com a NBR 14725-4:2009

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos em acordo com a NBR 14725-4:2009 Nome do Produto: CYDEX Página 1 de 5 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto: CYDEX Nome da empresa: FARMABASE SAÚDE ANIMAL LTDA. Av. Emílio Marconato, 1000 Galpão A3 Chácara Primavera.

Leia mais

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC. TEMA: PREA Plano de Resposta a Emergências Ambientais

PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC. TEMA: PREA Plano de Resposta a Emergências Ambientais PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC TEMA: PREA Plano de Resposta a Emergências Ambientais Agosto/2015 Fazer obras e serviços para transmissão, distribuição e uso de energia. Contribuir para o bem estar e o desenvolviment

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES 02/03/29 Página 1 de 23 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 02/03/29 Emissão Inicial ELABORAÇÃO: (ÁREA) FUNÇÃO/INICIAIS: R STMA / RMGC APROVAÇÃO: (ÁREA) FUNÇÃO/INICIAIS: R SSTMA / SFL ANÁLISE

Leia mais