Gestão da Qualidade em Logística

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gestão da Qualidade em Logística"

Transcrição

1 Universidade do Sul de Santa Catarina Gestão da Qualidade em Logística Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2012

2 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior a Distância Avenida dos Lagos, 41 Cidade Universitária Pedra Branca Palhoça SC Fone/fax: (48) e Site: Reitor Ailton Nazareno Soares Vice-Reitor Sebastião Salésio Heerdt Chefe de Gabinete da Reitoria Willian Corrêa Máximo Pró-Reitor de Ensino e Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação Mauri Luiz Heerdt Pró-Reitora de Administração Acadêmica Miriam de Fátima Bora Rosa Pró-Reitor de Desenvolvimento e Inovação Institucional Valter Alves Schmitz Neto Diretora do Campus Universitário de Tubarão Milene Pacheco Kindermann Diretor do Campus Universitário da Grande Florianópolis Hércules Nunes de Araújo Secretária-Geral de Ensino Solange Antunes de Souza Diretora do Campus Universitário UnisulVirtual Jucimara Roesler Equipe UnisulVirtual Diretor Adjunto Moacir Heerdt Secretaria Executiva e Cerimonial Jackson Schuelter Wiggers (Coord.) Marcelo Fraiberg Machado Tenille Catarina Assessoria de Assuntos Internacionais Murilo Matos Mendonça Assessoria de Relação com Poder Público e Forças Armadas Adenir Siqueira Viana Walter Félix Cardoso Junior Assessoria DAD - Disciplinas a Distância Patrícia da Silva Meneghel (Coord.) Carlos Alberto Areias Cláudia Berh V. da Silva Conceição Aparecida Kindermann Luiz Fernando Meneghel Renata Souza de A. Subtil Assessoria de Inovação e Qualidade de EAD Denia Falcão de Bittencourt (Coord.) Andrea Ouriques Balbinot Carmen Maria Cipriani Pandini Assessoria de Tecnologia Osmar de Oliveira Braz Júnior (Coord.) Felipe Fernandes Felipe Jacson de Freitas Jefferson Amorin Oliveira Phelipe Luiz Winter da Silva Priscila da Silva Rodrigo Battistotti Pimpão Tamara Bruna Ferreira da Silva Coordenação Cursos Coordenadores de UNA Diva Marília Flemming Marciel Evangelista Catâneo Roberto Iunskovski Auxiliares de Coordenação Ana Denise Goularte de Souza Camile Martinelli Silveira Fabiana Lange Patricio Tânia Regina Goularte Waltemann Coordenadores Graduação Aloísio José Rodrigues Ana Luísa Mülbert Ana Paula R.Pacheco Artur Beck Neto Bernardino José da Silva Charles Odair Cesconetto da Silva Dilsa Mondardo Diva Marília Flemming Horácio Dutra Mello Itamar Pedro Bevilaqua Jairo Afonso Henkes Janaína Baeta Neves Jorge Alexandre Nogared Cardoso José Carlos da Silva Junior José Gabriel da Silva José Humberto Dias de Toledo Joseane Borges de Miranda Luiz G. Buchmann Figueiredo Marciel Evangelista Catâneo Maria Cristina Schweitzer Veit Maria da Graça Poyer Mauro Faccioni Filho Moacir Fogaça Nélio Herzmann Onei Tadeu Dutra Patrícia Fontanella Roberto Iunskovski Rose Clér Estivalete Beche Vice-Coordenadores Graduação Adriana Santos Rammê Bernardino José da Silva Catia Melissa Silveira Rodrigues Horácio Dutra Mello Jardel Mendes Vieira Joel Irineu Lohn José Carlos Noronha de Oliveira José Gabriel da Silva José Humberto Dias de Toledo Luciana Manfroi Rogério Santos da Costa Rosa Beatriz Madruga Pinheiro Sergio Sell Tatiana Lee Marques Valnei Carlos Denardin Sâmia Mônica Fortunato (Adjunta) Coordenadores Pós-Graduação Aloísio José Rodrigues Anelise Leal Vieira Cubas Bernardino José da Silva Carmen Maria Cipriani Pandini Daniela Ernani Monteiro Will Giovani de Paula Karla Leonora Dayse Nunes Letícia Cristina Bizarro Barbosa Luiz Otávio Botelho Lento Roberto Iunskovski Rodrigo Nunes Lunardelli Rogério Santos da Costa Thiago Coelho Soares Vera Rejane Niedersberg Schuhmacher Gerência Administração Acadêmica Angelita Marçal Flores (Gerente) Fernanda Farias Secretaria de Ensino a Distância Samara Josten Flores (Secretária de Ensino) Giane dos Passos (Secretária Acadêmica) Adenir Soares Júnior Alessandro Alves da Silva Andréa Luci Mandira Cristina Mara Schauffert Djeime Sammer Bortolotti Douglas Silveira Evilym Melo Livramento Fabiano Silva Michels Fabricio Botelho Espíndola Felipe Wronski Henrique Gisele Terezinha Cardoso Ferreira Indyanara Ramos Janaina Conceição Jorge Luiz Vilhar Malaquias Juliana Broering Martins Luana Borges da Silva Luana Tarsila Hellmann Luíza Koing Zumblick Maria José Rossetti Marilene de Fátima Capeleto Patricia A. Pereira de Carvalho Paulo Lisboa Cordeiro Paulo Mauricio Silveira Bubalo Rosângela Mara Siegel Simone Torres de Oliveira Vanessa Pereira Santos Metzker Vanilda Liordina Heerdt Gestão Documental Lamuniê Souza (Coord.) Clair Maria Cardoso Daniel Lucas de Medeiros Jaliza Thizon de Bona Guilherme Henrique Koerich Josiane Leal Marília Locks Fernandes Gerência Administrativa e Financeira Renato André Luz (Gerente) Ana Luise Wehrle Anderson Zandré Prudêncio Daniel Contessa Lisboa Naiara Jeremias da Rocha Rafael Bourdot Back Thais Helena Bonetti Valmir Venício Inácio Gerência de Ensino, Pesquisa e Extensão Janaína Baeta Neves (Gerente) Aracelli Araldi Elaboração de Projeto Carolina Hoeller da Silva Boing Vanderlei Brasil Francielle Arruda Rampelotte Reconhecimento de Curso Maria de Fátima Martins Extensão Maria Cristina Veit (Coord.) Pesquisa Daniela E. M. Will (Coord. PUIP, PUIC, PIBIC) Mauro Faccioni Filho (Coord. Nuvem) Pós-Graduação Anelise Leal Vieira Cubas (Coord.) Biblioteca Salete Cecília e Souza (Coord.) Paula Sanhudo da Silva Marília Ignacio de Espíndola Renan Felipe Cascaes Gestão Docente e Discente Enzo de Oliveira Moreira (Coord.) Capacitação e Assessoria ao Docente Alessandra de Oliveira (Assessoria) Adriana Silveira Alexandre Wagner da Rocha Elaine Cristiane Surian (Capacitação) Elizete De Marco Fabiana Pereira Iris de Souza Barros Juliana Cardoso Esmeraldino Maria Lina Moratelli Prado Simone Zigunovas Tutoria e Suporte Anderson da Silveira (Núcleo Comunicação) Claudia N. Nascimento (Núcleo Norte- Nordeste) Maria Eugênia F. Celeghin (Núcleo Pólos) Andreza Talles Cascais Daniela Cassol Peres Débora Cristina Silveira Ednéia Araujo Alberto (Núcleo Sudeste) Francine Cardoso da Silva Janaina Conceição (Núcleo Sul) Joice de Castro Peres Karla F. Wisniewski Desengrini Kelin Buss Liana Ferreira Luiz Antônio Pires Maria Aparecida Teixeira Mayara de Oliveira Bastos Michael Mattar Patrícia de Souza Amorim Poliana Simao Schenon Souza Preto Gerência de Desenho e Desenvolvimento de Materiais Didáticos Márcia Loch (Gerente) Desenho Educacional Cristina Klipp de Oliveira (Coord. Grad./DAD) Roseli A. Rocha Moterle (Coord. Pós/Ext.) Aline Cassol Daga Aline Pimentel Carmelita Schulze Daniela Siqueira de Menezes Delma Cristiane Morari Eliete de Oliveira Costa Eloísa Machado Seemann Flavia Lumi Matuzawa Geovania Japiassu Martins Isabel Zoldan da Veiga Rambo João Marcos de Souza Alves Leandro Romanó Bamberg Lygia Pereira Lis Airê Fogolari Luiz Henrique Milani Queriquelli Marcelo Tavares de Souza Campos Mariana Aparecida dos Santos Marina Melhado Gomes da Silva Marina Cabeda Egger Moellwald Mirian Elizabet Hahmeyer Collares Elpo Pâmella Rocha Flores da Silva Rafael da Cunha Lara Roberta de Fátima Martins Roseli Aparecida Rocha Moterle Sabrina Bleicher Verônica Ribas Cúrcio Acessibilidade Vanessa de Andrade Manoel (Coord.) Letícia Regiane Da Silva Tobal Mariella Gloria Rodrigues Vanesa Montagna Avaliação da aprendizagem Claudia Gabriela Dreher Jaqueline Cardozo Polla Nágila Cristina Hinckel Sabrina Paula Soares Scaranto Thayanny Aparecida B. da Conceição Gerência de Logística Jeferson Cassiano A. da Costa (Gerente) Logísitca de Materiais Carlos Eduardo D. da Silva (Coord.) Abraao do Nascimento Germano Bruna Maciel Fernando Sardão da Silva Fylippy Margino dos Santos Guilherme Lentz Marlon Eliseu Pereira Pablo Varela da Silveira Rubens Amorim Yslann David Melo Cordeiro Avaliações Presenciais Graciele M. Lindenmayr (Coord.) Ana Paula de Andrade Angelica Cristina Gollo Cristilaine Medeiros Daiana Cristina Bortolotti Delano Pinheiro Gomes Edson Martins Rosa Junior Fernando Steimbach Fernando Oliveira Santos Lisdeise Nunes Felipe Marcelo Ramos Marcio Ventura Osni Jose Seidler Junior Thais Bortolotti Gerência de Marketing Eliza B. Dallanhol Locks (Gerente) Relacionamento com o Mercado Alvaro José Souto Relacionamento com Polos Presenciais Alex Fabiano Wehrle (Coord.) Jeferson Pandolfo Karine Augusta Zanoni Marcia Luz de Oliveira Mayara Pereira Rosa Luciana Tomadão Borguetti Assuntos Jurídicos Bruno Lucion Roso Sheila Cristina Martins Marketing Estratégico Rafael Bavaresco Bongiolo Portal e Comunicação Catia Melissa Silveira Rodrigues Andreia Drewes Luiz Felipe Buchmann Figueiredo Rafael Pessi Gerência de Produção Arthur Emmanuel F. Silveira (Gerente) Francini Ferreira Dias Design Visual Pedro Paulo Alves Teixeira (Coord.) Alberto Regis Elias Alex Sandro Xavier Anne Cristyne Pereira Cristiano Neri Gonçalves Ribeiro Daiana Ferreira Cassanego Davi Pieper Diogo Rafael da Silva Edison Rodrigo Valim Fernanda Fernandes Frederico Trilha Jordana Paula Schulka Marcelo Neri da Silva Nelson Rosa Noemia Souza Mesquita Oberdan Porto Leal Piantino Multimídia Sérgio Giron (Coord.) Dandara Lemos Reynaldo Cleber Magri Fernando Gustav Soares Lima Josué Lange Conferência (e-ola) Carla Fabiana Feltrin Raimundo (Coord.) Bruno Augusto Zunino Gabriel Barbosa Produção Industrial Marcelo Bittencourt (Coord.) Gerência Serviço de Atenção Integral ao Acadêmico Maria Isabel Aragon (Gerente) Ana Paula Batista Detóni André Luiz Portes Carolina Dias Damasceno Cleide Inácio Goulart Seeman Denise Fernandes Francielle Fernandes Holdrin Milet Brandão Jenniffer Camargo Jessica da Silva Bruchado Jonatas Collaço de Souza Juliana Cardoso da Silva Juliana Elen Tizian Kamilla Rosa Mariana Souza Marilene Fátima Capeleto Maurício dos Santos Augusto Maycon de Sousa Candido Monique Napoli Ribeiro Priscilla Geovana Pagani Sabrina Mari Kawano Gonçalves Scheila Cristina Martins Taize Muller Tatiane Crestani Trentin

3 Moacir Fogaça Artur Beck Neto Gestão da Qualidade em Logística Livro didático Revisão e atualização de conteúdo Moacir Fogaça Design instrucional Leandro Kingeski Pacheco Mirian Elpo 2ª edição Palhoça UnisulVirtual 2012

4 Copyright UnisulVirtual 2012 Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida por qualquer meio sem a prévia autorização desta instituição. Edição Livro Didático Professor Conteudista Moacir Fogaça Artur Beck Neto Design Instrucional Leandro Kingeski Pacheco Mirian Elpo Projeto Gráfico e Capa Equipe UnisulVirtual Diagramação Edison Valim Fernanda Fernandes Revisão Jaqueline Tartari F68 Fogaça, Moacir Gestão da qualidade em logística : livro didático / Moacir Fogaça, Artur Beck Neto ; revisão e atualização de conteúdo Moacir Fogaça ; design instrucional Leandro Kingeski Pacheco, Mirian Elpo. 2. ed. Palhoça : UnisulVirtual, p. : il.; 28 cm. Inclui bibliografia. 1. Logística empresarial. 2. Gestão da qualidade total. I. Beck Neto, Artur. II. Pacheco, Leandro Kingeski. II. Elpo, Mirian. III. Título. Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca Universitária da Unisul

5 Sumário Apresentação Palavras dos professores Plano de estudo UNIDADE 1 - Introdução à qualidade UNIDADE 2 - Conceitos e Definições UNIDADE 3 - A função estratégica da qualidade UNIDADE 4 - Ferramentas da qualidade: Gerenciamento da Qualidade Total UNIDADE 5 - A qualidade em Logística Para concluir o estudo Referências Sobre os professores conteudistas Respostas e comentários das atividades de autoavaliação Biblioteca Virtual

6

7 Apresentação Este livro didático corresponde à disciplina Gestão da Qualidade em Logística. O material foi elaborado visando a uma aprendizagem autônoma e aborda conteúdos especialmente selecionados e relacionados à sua área de formação. Ao adotar uma linguagem didática e dialógica, objetivamos facilitar seu estudo a distância, proporcionando condições favoráveis às múltiplas interações e a um aprendizado contextualizado e eficaz. Lembre-se que sua caminhada, nesta disciplina, será acompanhada e monitorada constantemente pelo Sistema Tutorial da UnisulVirtual, por isso a distância fica caracterizada somente na modalidade de ensino que você optou para sua formação, pois, na relação de aprendizagem, professores e instituição estarão sempre conectados com você. Então, sempre que sentir necessidade entre em contato; você tem à disposição diversas ferramentas e canais de acesso, tais como: telefone, e o Espaço Unisul Virtual de Aprendizagem, que é o canal mais recomendado, pois tudo o que for enviado e recebido fica registrado para seu maior controle e comodidade. Nossa equipe técnica e pedagógica terá o maior prazer em lhe atender, pois sua aprendizagem é o nosso principal objetivo. Bom estudo e sucesso! Equipe UnisulVirtual. 7

8

9 Palavras dos professores Caro(a) estudante, seja bem-vindo(a) ao estudo da disciplina Gestão da Qualidade em Logística! A qualidade vem sendo discutida e aperfeiçoada por décadas, gerando inúmeras transformações e benefícios às organizações em decorrência disso. A qualidade, juntamente com diversas outras abordagens que objetivam as lideranças de mercado em um ambiente altamente competitivo, resultou em muitas maneiras de organizar e administrar empresas. As fábricas atualmente se caracterizam pelo elevado grau de automação, organizadas em torno da tecnologia e do computador, por meio de softwares especialmente desenvolvidos para elas. Nelas, disseminou-se o uso de ferramentas como CAD, CAM, CIM, MPR II, ERP (Efficient Consumer Response) e EDI (Eletronic Data Interchange) e se passou a valorizar o conhecimento do trabalhador, isto é, o saber passou a valer mais que as mãos. Fazem parte dessa nova realidade: a alta produtividade destituída das atividades que não agregam valor; a busca obstinada de fazer certo desde o início; a eliminação de refugos e retrabalhos; fábricas extremamente limpas e organizadas; colaboradores treinados em funções que vão do projeto à entrega do produto acabado; o uso geral de metodologias de análise e solução de problemas; a gestão dos processos baseada em indicadores de desempenho consolidados; e o compromisso com o meio ambiente. E é neste ambiente que deveremos nos inserir, plenamente capacitados(as) para enfrentar os desafios da competitividade global, tendo como ferramenta imprescindível o controle de qualidade. Esperamos que você tire o máximo proveito dos assuntos aqui tratados. Professores Artur Beck Neto e Moacir Fogaça.

10

11 Plano de estudo O plano de estudos visa a orientá-lo no desenvolvimento da disciplina. Ele possui elementos que o ajudarão a conhecer o contexto da disciplina e a organizar o seu tempo de estudos. O processo de ensino e aprendizagem na UnisulVirtual leva em conta instrumentos que se articulam e se complementam, portanto, a construção de competências se dá sobre a articulação de metodologias e por meio das diversas formas de ação/mediação. São elementos desse processo: o livro didático; o Espaço UnisulVirtual de Aprendizagem (EVA); as atividades de avaliação (a distância, presenciais e de autoavaliação); o Sistema Tutorial. Ementa Fundamentos da qualidade. Evolução do conceito da qualidade. Filosofia da qualidade. Planejamento da qualidade. Implantação da qualidade nos processos de Operação e Logística. Introdução ao controle estatístico de processos. A qualidade como estratégia. Normalização ABNT e séries Iso. Qualidade em serviços. Avaliação de fornecedores.

12 Universidade do Sul de Santa Catarina Objetivos Geral Conceituar qualidade, diagnosticar problemas relacionados ao controle de qualidade e aplicar a análise e solução de problemas. Específicos: Conceituações relativas a controle de qualidade e monitorações de garantias de qualidade. Diagnosticar problemas relacionados a controle de qualidade e aplicação de metodologia de análise e solução de problemas. Identificar a falta de conformidades de produtos ou processos em relação a padrões preestabelecidos e avaliar a capabilidade de um processo. Planejar e avaliar experimentos de otimização de processos. Carga Horária A carga horária total da disciplina é de 60 horas-aula. Conteúdo programático/objetivos Veja, a seguir, as unidades que compõem o livro didático desta disciplina e os seus respectivos objetivos. Estes se referem aos resultados que você deverá alcançar ao final de uma etapa de estudo. Os objetivos de cada unidade definem o conjunto de conhecimentos que você deverá possuir para o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias à sua formação. Unidades de estudo: 4 12

13 Gestão da Qualidade em Logística Unidade 1 Introdução à qualidade Nesta unidade, você vai ver que a função qualidade como atividade desenvolvida pelo homem já o acompanha de longa data. Também vai aprender a identificar os diferentes períodos pelos quais a função de gerência formal da qualidade passou. Unidade 2 Conceitos e definições Nesta unidade, você vai compreender que o termo qualidade pode ter diferentes entendimentos e que seu conceito sofreu um processo evolutivo. Também conhecerá os principais pensadores da qualidade e compreenderá o que são os custos da qualidade. Unidade 3 A função estratégica da qualidade A partir do estudo desta unidade, você terá condições de entender a função estratégica da qualidade e identificar em produtos e serviços as diferentes dimensões da qualidade, podendo estabelecer relações com a estratégia macro da empresa. Unidade 4 Ferramentas da qualidade: gerenciamento da Qualidade Total Após o estudo desta unidade, você estará apto a entender o Gerenciamento da Qualidade Total (TQM), tomando contato com os principais pontos da Qualidade Total e podendo, assim, assimilar os conceitos envolvidos na casa da qualidade (QFD) e sua finalidade. Ainda tomará contato com as principais ferramentas da qualidade e com a forma como são utilizadas na prática. Para finalizar a unidade, você aprenderá a usar a metodologia de análise e solução de problemas, com base no ciclo de Deming. Unidade 5 A qualidade em Logística No final desta unidade você terá estudado os conceitos de qualidade aplicada à Logística e será capaz de perceber a qualidade em serviços logísticos. Entenderá, também, o desempenho, a confiabilidade e o nível de serviço logístico. 13

14 Universidade do Sul de Santa Catarina Agenda de atividades/cronograma Verifique com atenção o EVA, organize-se para acessar periodicamente a sala da disciplina. O sucesso nos seus estudos depende da priorização do tempo para a leitura, da realização de análises e sínteses do conteúdo e da interação com os seus colegas e professor. Não perca os prazos das atividades. Registre no espaço a seguir as datas com base no cronograma da disciplina disponibilizado no EVA. Use o quadro para agendar e programar as atividades relativas ao desenvolvimento da disciplina. Atividades obrigatórias Demais atividades (registro pessoal) 14

15 unidade 1 Introdução à qualidade (Artur Beck Neto) 1 Objetivos de aprendizagem Compreender a função qualidade como uma atividade desenvolvida pelo homem desde a Antiguidade. Identificar o período quando a função qualidade assumiu a função de gerência formal. Identificar a época em que a inspeção assumiu a abordagem preventiva, ou seja, quando iniciou a garantia da qualidade. Conhecer como o controle da qualidade chegou ao controle total da qualidade. Seções de estudo Seção 1 Seção 2 Seção 3 A noção intuitiva da qualidade Controle estatístico de qualidade Consequências da guerra

16 Universidade do Sul de Santa Catarina Para início de estudo Nesta unidade, você vai entender que o conceito de qualidade não é uma novidade da Era Moderna, como muitos poderiam julgar. Controlar a qualidade do que se produz, embora de forma empírica, é muito antigo e acompanha o homem desde épocas muito remotas. Também conhecerá como o controle da qualidade, antes atribuído aos artesãos, passou a ser uma função de gerência formal e como evoluiu para estágios mais aperfeiçoados. Verá que alguns personagens, como Eli Whitney, Taylor, Radford, Shewhart e Juran, entre outros, com seus estudos, promoveram avanços no controle da qualidade, demarcando etapas que se consagraram no movimento pela qualidade. Nessa trajetória da evolução do controle da qualidade, a Segunda Guerra Mundial foi um importante marco, consolidando o controle estatístico de qualidade e o surgimento do Controle da Qualidade Total (TQC), que mais tarde sofreu influências dos métodos japoneses. Seção 1 A noção intuitiva da qualidade Desde épocas muito remotas, os homens se utilizam dos materiais espalhados na natureza como objetos úteis à sua sobrevivência. Os recursos naturais, como lascas de pedras, ossos de animais, escamas de peixes etc. eram transformados em armas para caça ou pesca, construção de abrigos e outras necessidades. Inicialmente, o uso se dava de maneira direta, isto é, sem dar uma nova forma à matéria-prima. Mais tarde, deu-se a transformação da forma original, acrescentando nova geometria, como pontas, cortes etc. Podemos imaginar como um homem poderia fabricar as pontas das flechas a partir de ossos de animais. Auxiliados por lascas de pedras e tendo por base uma rocha, as setas ganhavam 16

17 Gestão da Qualidade em Logística forma, como resultado das quebras calculadas e por desgaste. Também não é difícil concluir que, por detrás daquela atividade, os homens buscavam eficiência naqueles objetos, procurando se aprimorarem continuamente em seu fazer. Figura 1.1 Ponta de seta Fonte: MUSEO DA CIDADE [2011]. Com o passar do tempo, o homem ampliou a diversidade dos objetos produzidos, passando a ter necessidade de buscar novas fontes de matérias-primas, exercitando continuamente a melhoria das habilidades em confeccioná-los. Transformar os materiais ofertados pela natureza em objetos úteis e se aprimorar no processo de transformação perseguindo a perfeição são ações muito antigas e próprias dos humanos. Sílex Neolítico Final/Calcolítico (c a.c.)proveniência: Serra de Monsanto (Povoado de Montes Claros) Dim.: 12 mm X 20 mm X 3 mm Nº Inventário: MC.ARQ. MC Embora os utensílios fossem executados de forma empírica e incorporada ao fazer cotidiano das pessoas, ou seja, sem consciência clara sobre a qualidade, sempre se buscava a realização de utensílios bem executados, perfeitamente adaptados aos fins e que promovesse certa satisfação a quem os fabricou ou deles faria uso. O conceito de qualidade como função de gerência formal Com o passar do tempo, as técnicas de transformação dos materiais foram paulatinamente aperfeiçoadas, revelando indivíduos com grandes habilidades em produzir determinados bens, que se esmeravam mais que outros em produzi-los. Foram os primeiros artesãos da história que, de certa forma, iniciaram uma nova maneira de produção organizada. Assim, artesãos e compradores acertavam as especificações do produto, o prazo de entrega e a avaliação do preço. Unidade 1 17

18 Universidade do Sul de Santa Catarina Até os séculos XVIII e XIX, a função qualidade se fazia de forma intuitiva, sem formalidades ou regras generalizadas. Não significa, contudo, que os produtos não tivessem boa qualidade. Ao contrário, muitos desses produtos, conservados em museus, demonstram sua qualidade. Porém, a qualidade era combinada caso a caso, entre o artesão e o comprador do produto, não seguindo regras definidas. As cadeiras, por exemplo, eram produzidas em pequenas escalas e o artesão necessitava dominar técnicas de marceneiro, ferreiro, pintor etc. A montagem se dava por ajustes das peças umas às outras, manualmente, para, daí então, proceder-se a inspeção final do produto, em conformidade com o que havia sido combinado entre o artesão e o cliente. A organização desse trabalho se dava nas guildas, que eram corporações artesanais ou corporações de ofício. Os artesãos formavam associações de um mesmo ramo, isto é, pessoas que desenvolviam a mesma atividade profissional e que procuravam garantir os interesses de classe se agrupavam em corporações de ofício. Cada cidade tinha sua própria corporação, que tinha como finalidade proteger seus integrantes. Até aqui, a qualidade foi centrada no artesão. A industrialização Um longo caminho foi percorrido pela humanidade desde a produção artesanal voltada para si ou sob encomenda até a industrialização altamente sofisticada dos dias atuais. Durante esse percurso, exigências diversas desafiaram a mente das pessoas, que deram respostas e soluções que se tornaram embriões de procedimentos de uso corrente até a atualidade. A partir do século XVIII, tiveram início as mudanças que transformariam totalmente esse cenário. A produção artesanal começou a ser substituída pela produção industrial. O artesão, com domínio de múltiplas habilidades, paulatinamente foi sendo substituído por especialistas. Voltando ao exemplo da cadeira, agora marceneiros se encarregavam dos trabalhos com as 18

19 Gestão da Qualidade em Logística madeiras, ferreiros com os metais, e assim sucessivamente. Como resultado, o número de cadeiras que um artesão poderia produzir em determinado tempo passou a ser superado em muito nessa nova modalidade de organização do trabalho. Em Investigação sobre a Natureza e as Causas da Riqueza das Nações, de Adam Smith (1776, p. 17), encontramos: [...]: a fabricação de alfinetes. Um trabalhador que não esteja habituado a esta indústria, ou às máquinas nela usadas, dificilmente poderá, dada a sua falta de conhecimentos, fazer um alfinete num dia, e certamente não conseguirá fazer vinte. Mas devido à maneira como atualmente esta atividade está organizada, não só constitui um tipo de produção com características muito específicas como ainda se apresenta dividido num certo número de ramos de atividade, grande parte dos quais se assemelham a indústrias distintas. Um homem transporta o fio metálico, outro endireita-o, um terceiro corta-o, um quarto aguça a extremidade, um quinto prepara a extremidade superior para receber a cabeça; para fazer a cabeça são preciso duas ou três operações distintas; [...], conseguiam, quando se esforçavam, fabricar dez libras de alfinetes por dia. Cada libra corresponde a mais de quatro mil alfinetes de tamanho médio [...], podemos considerar que cada um deles (pessoa) produz quatro mil e oitocentos alfinetes por dia; [...]. O aumento da produção gerava o aumento do consumo, criando uma espiral crescente de bens e consumo. Porém, as limitações da produção se encontravam na força motriz. O uso da força muscular humana ou das rodas d água não era suficiente para dinamizar o processo fabril nascente. Somente após o advento da máquina a vapor, em 1776, na Inglaterra, quando James Watt ( ) vendeu seu primeiro motor a vapor para uma fábrica de artefatos de ferro, desencadeou mudanças irreversíveis no cenário socioeconômico mundial. A substituição da força humana pela força da máquina e a formação dos agrupamentos das primeiras fábricas geraram capital, permitindo o desenvolvimento de economias de escala, tornando atrativo o estabelecimento de unidades fabris. Na nova organização estabelecida, com os trabalhadores então reunidos num mesmo local para produzirem, a qualidade passou a ser assumida por mestres, capatazes, encarregados ou supervisores. Unidade 1 19

20 Universidade do Sul de Santa Catarina Intercambialidade significa garantia de conexão, de perfeita troca de uma peça por outra do mesmo tipo, com os mesmos padrões dimensionais. A produção em massa trouxe consigo novos desafios. Um deles foi a inspeção formal dos produtos, resultado das exigências de intercambialidade de peças. Eli Whitney, conhecido nos Estados Unidos como o inventor da máquina de processar algodão (cotton gin), foi contratado pelo governo norte-americano para produzir 10 mil mosquetões (arma semelhante ao rifle) com peças intercambiáveis, oferecendo óbvias vantagens ao exército. As indústrias foram obrigadas a se ajustarem a uma regularidade de manufatura, construindo máquinas capazes de trabalharem dentro de limites estreitos de tolerâncias dimensionais. Além da padronização de componentes, tiveram início os registros por desenhos, surgindo a função de projeto de produto. Coube a Whitney, portanto, redefinir a natureza das tarefas de manufatura. Essa natureza não seria mais coordenar os esforços de habilidades individuais, mas resolver o problema técnico de organização do processo (CORRÊA, 2008). Figura 1.2 Mosquete Charleville 1763, produzido por Eli Whitney, em 1798, com peças intercambiáveis Fonte: BRITISHMILITARIAFORUMS (2011). Máquina ferramenta é uma máquina utilizada na fabricação de peças por meio da movimentação mecânica de um conjunto de ferramentas. 20 Sob a ótica do controle de qualidade, a intercambialidade teve importante contribuição na criação de sistemas racionais de medidas e na utilização de gabaritos e acessórios para facilitar as operações nas máquinas, obtendo maior exatidão e precisão dos produtos. As peças obtidas com auxílio de gabaritos e acessórios feitos a partir de um modelo padrão do produto a ser fabricado garantiam um alto grau de intercambialidade. Porém, a fabricação auxiliada por gabaritos e acessórios ainda não era suficiente para a montagem final do produto, ou seja, quando as peças eram unidas pela primeira vez. Antes dessa fase de montagem, era necessária uma inspeção exata de medidas. No final do século XIX, beneficiados pela intercambialidade e pelas máquinas ferramentas, os fabricantes passaram a encomendar peças componentes de seus produtos aos fornecedores com quem se relacionavam. Essa prática crescente proporcionou o aparecimento de muitas oficinas de fornecedores, preparando o terreno para o surgimento da indústria automobilística.

21 Gestão da Qualidade em Logística Com a regularidade das tarefas de manufatura, as máquinas que se ajustavam ao trabalho dentro de certos limites de tolerância, a padronização de componentes e os registros por desenhos formaram um alicerce para que, mais tarde, o controle de qualidade científico se estruturasse. Um marco importante na trajetória do desenvolvimento industrial e, portanto, no controle da qualidade, deu-se graças a Frederick Taylor ( ). Analista em uma indústria de aço, suas ideias foram essenciais para a gestão de operações do século XX. As fábricas voltadas a grandes volumes de produção estavam se estabelecendo no final do século XIX e início do século XX e necessitavam de modelos de gestão que as tornassem mais eficientes e governáveis. Taylor, com o que chamava de scientific management (administração científica), tirou os conceitos do campo das ideias e os transformou em princípios aplicáveis às indústrias. Taylor sistematizou técnicas e princípios que, em seu conjunto, contribuíram para um aumento substancial dos níveis de eficiência da indústria americana do início do século XX. Com Taylor, a inspeção assumiu maior grau de importância, sendo atribuída agora a um chefe funcional: o inspetor da qualidade. Figura 1.3 Frederick Taylor Fonte: WIKIPEDIA (2008). Unidade 1 21

22 Universidade do Sul de Santa Catarina No início de século XX, a produção industrial se encontrava em larga escala, impulsionada pelas máquinas ferramentas e pela intercambialidade de peças, comuns nos setores industriais de cigarros, aço, óleo, alumínio etc. Porém, dentre os diversos segmentos industriais, pode-se destacar o de adaptação de motores de combustão interna nas carruagens (horseless vehicles veículos sem cavalo ). Era a base da indústria automobilística, que teve como grandes propulsores Henry Ford, Willian Durant e Alfred Sloan. Na década de 1910, Henry Ford lançou o lendário Modelo T, com a ideia de ser um modelo sem variações ao menor preço de mercado. Logo teve a aceitação dos americanos e foram produzidas mais de 15 milhões de unidades de 1908 a Figura 1.4 Henry Ford e seu Modelo T Fonte: IPMS Porto Alegre (2007). Willian Durant formou a General Motors Company com a ideia de produzir um milhão de carros por ano, numa época em que se produziam apenas 65 mil automóveis no mesmo período. 22

23 Gestão da Qualidade em Logística Figura 1.5 Willian Durant Fonte: GENERAL MOTORS (2011). Durant e Ford tinham sonhos semelhantes produzir muitos veículos, porém com ideias um pouco diferentes. A General Motors apostou, nos anos 1920, por intermédio de Alfred Sloan, então empossado na direção geral, na segmentação das ofertas de seus automóveis, baseado no princípio de que diferentes segmentos de mercado estariam dispostos a pagar diferentes preços por diferentes produtos, enquanto Ford focou em um único produto para os diversos segmentos. Em 1922, G. S. Radford publicou o livro The Control of Quality in Manufaturing, em que a qualidade saiu de papel secundário e, pela primeira vez, assumiu-se como responsabilidade gerencial distinta e como função independente. As abordagens do livro tratavam de temas como: a finalidade da inspeção no sentido de descobrir os erros e atuar sobre os processos para trazê-los à normalidade, assegurando a qualidade dos produtos; a evolução da inspeção, ou seja, das verificações visuais para as verificações dimensionais; os tipos de inspeção voltados a materiais, processos e ferramentas; os métodos de amostragem, embora sem embasamento da estatística; as técnicas de medição; e a organização do Departamento de Inspeção. Unidade 1 23

24 Universidade do Sul de Santa Catarina Muitos conceitos tratados no livro podem ser vistos em programas de qualidade modernos, como a participação dos projetistas desde o início do projeto em atividades associadas à melhoria da qualidade com maior produção e baixos custos. Durante a década de 1920, a situação se manteve inalterada e limitada à inspeção e a atividades restritas, como contagem, classificação pela qualidade e reparos. A solução de problemas ainda não era vista como responsabilidade do Departamento de Inspeção. Porém, de certa forma, os problemas relacionados com a administração das organizações estavam sendo equacionados. Seção 2 Controle estatístico de qualidade A produção em escala continuou crescendo, tornando cada vez mais difícil o controle da qualidade dos produtos. O primeiro passo na direção do controle de qualidade moderno foi dado por Walter A. Shewhart, da Bell Telephone Laboratories, que, em memorando datado de 16 de maio de 1924, propôs seu gráfico de controle para análise de dados resultantes de inspeção, alterando, assim, a visão tradicional da qualidade de inspecionar produtos no final da linha, para uma ênfase em monitorar o processo de produção através do controle estatístico de processo. Shewhart percebeu que era improvável que duas peças fossem obtidas exatamente com as mesmas medidas, ou seja, que haveria uma variabilidade decorrente de vários fatores. A questão se concentrou, então, em determinar as variações aceitáveis das flutuações que indicassem problemas. Em 1931, Shewhart publicou a obra Economic Control of Manufactured Product, com uma definição precisa e mensurável de controle de fabricação, e criou importantes técnicas de acompanhamento e avaliação da produção diária, além de propor diversas maneiras de melhorar a qualidade. (GARVIN, 1992). 24

25 Gestão da Qualidade em Logística Figura 1.6 Walter Andrew Shewhart Fonte: PUCRS [2011]. Com o surgimento da nova técnica de controle de qualidade o Controle Estatístico da Qualidade, a abordagem corretiva da inspeção até então empregada começou a assumir uma abordagem mais preventiva, isto é, de garantia da qualidade. Seção 3 Consequências da guerra O Departamento de Guerra norte-americano, procurando eliminar os gargalos que retardavam a produção de material bélico, ao identificar que estes residiam na inspeção, passou a utilizar os gráficos de controle. Foi criada uma seção de controle da qualidade no Departamento de Guerra, na qual a maioria do pessoal era composta por estatísticos da Bell Laboratories. Nela, foram criadas tabelas de amostragem baseadas no conceito de Níveis Aceitáveis de Qualidade AQL (Acceptable Quality Levels). Nos meses seguintes, os inspetores do Departamento de Material Bélico conseguiram processar volumes muito maiores que os alcançados anteriormente. Em 1945, foi fundada a American Society for Quality Control (ASQC), que promoveu a formação de inúmeros profissionais na área de qualidade. Ao final da década de 1940, o Controle Estatístico da Qualidade estava disseminado nas grandes fábricas ocidentais. Unidade 1 25

26 Universidade do Sul de Santa Catarina Ainda permanecia uma dúvida entre os especialistas da qualidade: qual grau da qualidade é suficiente? Procurando responder a essa indagação, Joseph Juran publicou a primeira edição de seu livro Quality Control Handbook, no qual discutia a economia da qualidade, fator importante para as decisões relacionadas ao grau da qualidade. Com esses princípios, os gerentes podiam decidir quanto investir na melhoria da qualidade. Em 1956, Armand Feigenbaum aprofundou a ideia nascente de que as decisões tomadas no início da cadeia de produção tinham repercussão nos custos da qualidade em toda a trajetória de fabricação do produto e, até mesmo, após. Na visão de que o controle deve iniciar pelo projeto do produto e prosseguir até que ele chegue às mãos do consumidor, a responsabilidade sobre a qualidade passou a ser de todos os departamentos da organização TQC (Total Quality Control). O controle de qualidade passou a assumir uma abordagem preventiva. Quase ao mesmo tempo em que Juran e Feigenbaum sustentavam seus argumentos, surgiu outro grupo, também fundamentado na estatística, com o intuito de garantir desempenhos mais aceitáveis dos produtos ao longo do tempo: a engenharia da confiabilidade. Desenvolvendo métodos de determinação da confiabilidade combinados com a teoria da probabilidade, esse grupo teve como resultado a redução do índice de falhas. No início da década de 1960, surgiu o movimento Zero Defeito, que tinha seu foco mais concentrado nas expectativas de gerenciamento e nas relações humanas. A Martin Company, que estava fabricando os mísseis Pershing, embora fosse uma empresa de qualidade satisfatória, ainda empregava um grande esforço na redução do índice de defeitos. Sua gerência percebeu a importância de voltar seus esforços à falta de atenção dos empregados nos processos de fabricação. Surgiu, assim, o programa Zero Defeito, orientado a dar maior atenção à filosofia, à motivação e à conscientização, diminuindo a ênfase nas técnicas de solução de problemas. 26

27 Gestão da Qualidade em Logística A era da garantia da qualidade, que se caracterizou pela engenharia da confiabilidade, pelo controle total da qualidade e pelos custos da qualidade, teve como último movimento o Zero Defeito. Atividades como projeto, engenharia, planejamento e serviços, assumiram papel de igual importância à estatística e ao controle da produção. Novas habilidades gerenciais com ênfase nas relações humanas tomaram corpo. O movimento pela qualidade no outro lado do mundo Após o término da Segunda Guerra, iniciou-se o esforço de reconstrução do Japão, marcando fortemente o movimento pela qualidade. A ênfase da garantia da qualidade iniciadas no Ocidente, principalmente como exigências impostas às indústrias de fornecimento de material bélico, bem como às usinas atômicas nascentes e ao programa aeroespacial, recebeu novos impulsos no Japão. Um dos marcos importantes no movimento pela qualidade japonês aconteceu em 1946, quando foi criada a JUSE Japanese Union and Engineers como entidade centralizadora de difusão das atividades de controle de qualidade no Japão. A convite da JUSE, Edward Deming visitou o Japão em 1950 e, em 1954, ele e Joseph Juran dois nomes importantes no movimento pela qualidade no Japão -, proferiram palestras à alta administração das empresas japonesas sobre Controle Estatístico da Qualidade e Gerenciamento da Qualidade. Os conceitos de controle de qualidade foram difundidos em massa por programas de rádio e televisão e por textos vendidos em bancas de jornais, que, associados à criação dos Círculos de Controle de Qualidade CCQs, promoveram características próprias ao movimento pela qualidade no Japão. CCQ Um pequeno grupo de trabalhadores, de uma mesma área, formado para desempenhar atividades de controle da qualidade. Este grupo procura continuamente suas habilidades e resolver os problemas relativos à qualidade no seu local de trabalho, através do uso de técnicas de controle da qualidade e da participação de todos os membros. (FUNDAMENTALS OF THE CICLES, 1970 apud ABREU, 1991, p. 119) Unidade 1 27

28 Universidade do Sul de Santa Catarina No simpósio sobre qualidade realizado pela JUSE em 1968, o Controle da Qualidade Total no estilo japonês foi caracterizado pelos seguintes pontos: Participação de todos os departamentos e envolvimento de todos empregados com o Controle da Qualidade Total. Entusiasmo por educação e treinamento em qualidade. Atividades de Círculos de Controle da Qualidade. Auditorias do presidente e participação no Prêmio Deming de Qualidade. Uso de métodos estatísticos, das sete ferramentas da qualidade e outros métodos avançados. Campanhas nacionais de produção da qualidade: mês da qualidade, vários simpósios e seminários. O movimento japonês pela qualidade continuou avançando na década seguinte, assumindo características diferenciadas do conceito ocidental, principalmente por se centrar no cliente. Tornou-se internacionalmente reconhecido e foi tomado como referência mundial, despontando nomes importantes como Kaoru Ishikawa, Yoshio Kondo e Ikuro Kusaba, entre outros. Etapas do movimento da qualidade Garvin identificou as diferentes etapas pelas quais o movimento pela qualidade passou e as sintetizou, conforme quadro a seguir, facilitando muito sua compreensão. 28

29 Gestão da Qualidade em Logística Características Inspeção Controle Estatístico da Qualidade Garantia da Qualidade Controle Total da Qualidade Preocupação básica Verificação Controle Coordenação Impacto estratégico Visão da qualidade Ênfase Métodos Papel dos profissionais da qualidade Quem é o responsável pela qualidade Orientação e abordagem Um problema a ser resolvido Uniformidade do produto Instrumento de medição Inspeção, classificação, contagem e avaliação O Departamento de Inspeção Inspeciona a qualidade Quadro 1.1 Etapas do movimento da qualidade Fonte: GARVIN (1992, p. 44). Um problema a ser resolvido Uniformidade do produto com menos inspeção Instrumentos e técnicas estatísticas Solução de problemas e aplicação de métodos estatísticos Os departamentos de Engenharia e Produção Um problema a ser resolvido, mas que seja enfrentado proativamente Toda a cadeia de produção, desde o projeto até o mercado Programas e sistemas Mensuração da qualidade, planejamento da qualidade e projetos e programas Todos os departamentos, embora a alta gerência só se envolva perifericamente com o projeto, o planejamento e a execução das políticas de qualidade Uma oportunidade de concorrência As necessidades de mercado e do consumidor Planejamento estratégico, estabelecimento de objetivos e mobilização da organização Estabelecimento de objetivos, educação e treinamento, trabalho consultivo com outros departamentos e delineamento de programas Todos na empresa, com a alta gerência exercendo forte liderança Controla a qualidade Constrói a qualidade Gerencia a qualidade Segundo Garvin, a qualidade era vista, em um primeiro momento, fundamentalmente sob a ótica da inspeção. Por meio de instrumentos de medição, tentava-se alcançar a uniformidade do produto. Em uma segunda etapa, passou-se à busca pelo controle estatístico da qualidade, por intermédio de instrumentos e técnicas estatísticas. Na terceira etapa do movimento da qualidade, a preocupação se voltou para sua própria garantia, ou seja, a coordenação do processo produtivo deve ser observada desde o projeto do produto até sua chegada ao mercado consumidor. E, finalmente, a ênfase se voltou para o gerenciamento estratégico da qualidade, com uma preocupação Unidade 1 29

30 Universidade do Sul de Santa Catarina maior com a concorrência de determinado mercado, buscando-se não só satisfazer às necessidades do consumidor, mas também às do próprio mercado. A metodologia que dá sustentação a essa nova mentalidade se baseia no planejamento estratégico, sob a liderança da direção, de modo que todos na empresa passam a ter a oportunidade de também serem agentes da qualidade. Síntese Como você viu, foi uma longa trajetória desde que o homem começou a desenvolver suas habilidades com objetos mais simples até as complexidades administrativas e tecnológicas dos dias atuais. Você viu como a qualidade era controlada pelos artesãos e como ela passou a ser de outras pessoas, segundo uma função de gerência formal. Muitas pessoas contribuíram para a evolução da função qualidade, demarcando etapas como Inspeção, Controle Estatístico da Qualidade e Controle da Qualidade Total. 30

31 Gestão da Qualidade em Logística Atividades de autoavaliação Ao final de cada unidade, você realizará atividades de autoavaliação. O gabarito está disponível no final do livro didático, mas se esforce para resolver as atividades sem a ajuda do gabarito, pois, assim, você estará promovendo (e estimulando) sua aprendizagem. 1) Agora que você estudou a função da qualidade, pode perceber como a noção de qualidade acompanha a produção humana desde os primórdios da história dos homens; demonstre o que você compreendeu, escrevendo pelo menos quatro linhas sobre a noção intuitiva da qualidade. 2) Partindo do contexto histórico do desenvolvimento da definição de qualidade, identifique e analise, escrevendo, em até quatro linhas, sobre o momento em que o controle de qualidade passou de uma atribuição exclusiva do artesão para ser atribuição de outras pessoas. Unidade 1 31

32 Universidade do Sul de Santa Catarina 3) Relembrando o período pós-guerra e aprofundando seus conhecimentos da disciplina, escreva, em até cinco linhas, a importância da Segunda Guerra quanto à evolução do controle da qualidade. 4) Nos estudos desta unidade, você entrou em contato com os principais precursores das concepções de qualidade adotadas na produção. Identifique pelo menos três personagens importantes para o movimento pela qualidade, citando suas principais contribuições. Saiba mais Se você desejar, aprofunde os conteúdos estudados nesta unidade consultando as seguintes referências: CROSBY, P. B. Qualidade é investimento. Rio de Janeiro: JO Editora, MANTOUX, P. A Revolução Industrial no século XVIII. São Paulo: Unesp,

33 unidade 2 Conceitos e Definições (Artur Beck Neto) 2 Objetivos de aprendizagem Compreender que o termo qualidade pode ter diferentes entendimentos. Identificar cinco abordagens para conceituação da qualidade. Compreender que o pensamento sobre a qualidade sofreu evolução. Identificar os principais pensadores da qualidade. Compreender o que são os custos da qualidade. Seções de estudo Seção 1 Seção 2 Seção 3 O conceito de qualidade O legado dos pensadores da qualidade Custos da qualidade

34 Universidade do Sul de Santa Catarina Para início de estudo Nesta unidade, você verá que embora o termo qualidade seja de uso generalizado, pode ter diferentes conceituações, mesmo em um mesmo ambiente organizacional. Mas existem pontos em que os autores concordam e é possível então enunciar referenciais da qualidade. Também poderá observar que o pensamento da qualidade sofreu evolução no decorrer do tempo até os dias atuais. Identificará os principais personagens que fizeram o pensamento da qualidade evoluir, bem como os respectivos conceitos sobre a qualidade. Compreenderá a importância de avaliar os custos da qualidade. Seção 1 O conceito de qualidade O termo qualidade é empregado de forma generalizada nos ambientes empresariais. Porém, observa-se que há divergências quanto ao conceito. Em uma só organização, é possível listar diferentes entendimentos sobre ele. Mas ambiguidades no ambiente industrial podem gerar perdas e, portanto, prejuízos. A busca de referencial na literatura também demonstra como autores de diferentes linhas de pensamento sobre o tema demonstram seus esquemas de análise e terminologias a partir de diferentes concepções de qualidade. Porém, embora concorrentes entre si, convergem em determinados pontos e podem se adaptar a diferentes realidades. Assim, não podemos afirmar que um autor possa ter definido de melhor forma do que outro. Todos podem levar melhorias a processos e produtos. Cada empresa, de acordo com sua realidade, faz suas adoções e/ou adaptações para obter melhores resultados. 34

35 Gestão da Qualidade em Logística Segundo Garvin (1992), pode-se identificar cinco abordagens principais para conceituação da qualidade: a transcendente, a baseada no produto, a baseada no usuário, a baseada na produção e a baseada no valor. Transcendente nessa visão, qualidade é um estado de excelência, uma ótima qualidade universalmente reconhecível, que independe do tempo. Porém, esta visão proporciona pouca orientação prática, dando margem a ambiguidades. Baseada no produto é a qualidade que pode ser mensurável a partir de ingredientes ou atributos de um produto. Se determinado produto é avaliado pela quantidade de ingredientes, por exemplo, quanto maior for a quantidade deles, tanto mais qualidade terá o produto. Porém, a quantidade de ingredientes aumentará também o custo, o que poderá tornar difícil encontrar o ponto de equilíbrio para o produto. Baseada no usuário é a qualidade sob o ponto de vista do consumidor, ou seja, a escolha que o usuário faz dos produtos que atendam melhor a seus desejos ou necessidades. A dificuldade a ser solucionada é identificar as diferentes preferências dos consumidores em relação a determinado produto e transformá-las em atributos do produto. Baseado na produção é a qualidade sob o ponto de vista da organização, isto é, aquilo que é de competência do departamento de engenharia e do departamento de produção. Um produto que não esteja de acordo com as especificações prévias causará menos satisfação ao consumidor que outro feito adequadamente. Baseada no valor é a qualidade em termos de custos e preços, ou seja, um produto que ofereça desempenho ou conformidade a um preço de custo aceitável. Pode ser de difícil execução, pois a combinação excelência com custo adequado é de difícil consecução. Unidade 2 35

Psicologia nas Organizações

Psicologia nas Organizações Universidade do Sul de Santa Catarina Psicologia nas Organizações Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Psicologia nas Organizações Disciplina na modalidade a distância

Leia mais

Cálculo Integral nas Ciências Sociais

Cálculo Integral nas Ciências Sociais Universidade do Sul de Santa Catarina Cálculo Integral nas Ciências Sociais Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2011 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual

Leia mais

Alfabetização e Políticas da Educação de Jovens e Adultos no Brasil

Alfabetização e Políticas da Educação de Jovens e Adultos no Brasil Universidade do Sul de Santa Catarina Alfabetização e Políticas da Educação de Jovens e Adultos no Brasil Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Alfabetização e Políticas

Leia mais

Orçamento Empresarial e Controladoria

Orçamento Empresarial e Controladoria Universidade do Sul de Santa Catarina Orçamento Empresarial e Controladoria Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Orçamento Empresarial e Controladoria Disciplina na

Leia mais

Universidade do Sul de Santa Catarina. Psicologia Social. Disciplina na modalidade a distância

Universidade do Sul de Santa Catarina. Psicologia Social. Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Psicologia Social Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Psicologia Social Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TRIÂNGULO MINEIRO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TRIÂNGULO MINEIRO ANEXO II INSCRIÇÕES HOMOLOGADAS CANDIDATOS AUTODECLARADOS NEGROS EDITAL 74 DE 03/12/2015 TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM ADUCAÇÃO INSCRICAO CAMPUS CARGO NOME 19941 CAMPUS PATROCÍNIO TÉCNICO EM ALEX DE SOUZA

Leia mais

Gestão de Produtos e Marcas

Gestão de Produtos e Marcas Universidade do Sul de Santa Catarina Gestão de Produtos e Marcas Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2011 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação

Leia mais

Sistema e Política Nacional de Inteligência. Geovaldri Maciel Laitartt Régis André Silveira Limana

Sistema e Política Nacional de Inteligência. Geovaldri Maciel Laitartt Régis André Silveira Limana Sistema e Política Nacional de Inteligência Geovaldri Maciel Laitartt Régis André Silveira Limana Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior a Distância Avenida

Leia mais

CURSO: RECUSROS HUMANOS

CURSO: RECUSROS HUMANOS 6 de junho de 2015 CURSO: RECUSROS HUMANOS ELAINE CRISTINA AMORIM ELISABETE ALVES DE LIMA MARIA ANDREZA CASTRO DE MORAIS REGIANE LIBERATO AMORIM RUTE GOMES DE ASSUNÇÃO 8h CURSO: RECURSOS HUMANOS FERNANDA

Leia mais

Gestão Estratégica de Pessoas nas Organizações

Gestão Estratégica de Pessoas nas Organizações Gestão Estratégica de Pessoas nas Organizações Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior a Distância Avenida dos Lagos, 41 Cidade Universitária Pedra Branca

Leia mais

CURSO TURNO NOME DO ALUNO CLASSIFICAÇÃO STATUS ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANA CLÁUDIA ARAUJO DA MOTA 0 Desclassificado ENGENHARIA

CURSO TURNO NOME DO ALUNO CLASSIFICAÇÃO STATUS ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANA CLÁUDIA ARAUJO DA MOTA 0 Desclassificado ENGENHARIA CURSO TURNO NOME DO ALUNO CLASSIFICAÇÃO STATUS ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANA CLÁUDIA ARAUJO DA MOTA 0 Desclassificado ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANDRÊSSA CAIXETA SOUZA 0 Desclassificado

Leia mais

Plano de Negócios: Plano Operacional e Plano de Marketing. Gabriel Walter Gonzalez Bocchetti Ingo Louis Hermann

Plano de Negócios: Plano Operacional e Plano de Marketing. Gabriel Walter Gonzalez Bocchetti Ingo Louis Hermann Plano de Negócios: Plano Operacional e Plano de Marketing Gabriel Walter Gonzalez Bocchetti Ingo Louis Hermann Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior a Distância

Leia mais

Patrimônio Cultural e Natural

Patrimônio Cultural e Natural Universidade do Sul de Santa Catarina Patrimônio Cultural e Natural Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Patrimônio Cultural e Natural Disciplina na modalidade a distância

Leia mais

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS Técnico de Multimédia 10 H 7536 Alberto Filipe Cardoso Pinto 7566 Ana Isabel Lomar Antunes 7567 Andreia Carine Ferreira Quintela 7537 Bruno Manuel Martins Castro 7538 Bruno Miguel Ferreira Bogas 5859 Bruno

Leia mais

Universidade do Sul de Santa Catarina. Banco de Dados I. Disciplina na modalidade a distância

Universidade do Sul de Santa Catarina. Banco de Dados I. Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Banco de Dados I Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Banco de Dados I Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual

Leia mais

Gestão da Qualidade no Serviço Público. Giovanni Cardoso Pacheco Luciano Costa Santos ISBN 9788578171537

Gestão da Qualidade no Serviço Público. Giovanni Cardoso Pacheco Luciano Costa Santos ISBN 9788578171537 Gestão da Qualidade no Serviço Público Giovanni Cardoso Pacheco Luciano Costa Santos ISBN 9788578171537 9 788578 171537 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior

Leia mais

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA Disciplina: FATEC - IPATINGA Gestão de ISSO TQC - Controle da Total Vicente Falconi Campos ISO 9001 ISO 14001 OHSAS 18001 Prof.: Marcelo Gomes Franco Conceitos TQC - Total Quality Control Controle da Total

Leia mais

Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento

Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento Universidade do Sul de Santa Catarina Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2011 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual

Leia mais

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino Corrida da Saúde Classificação geral do corta-mato, realizado no dia 23 de Dezembro de 2007, na Escola E.B. 2,3 de Valbom. Contou com a participação dos alunos do 4º ano e do 2º e 3º ciclos do Agrupamento

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014 5º1 1 ANA CATARINA R FREITAS SIM 2 BEATRIZ SOARES RIBEIRO SIM 3 DIOGO ANTÓNIO A PEREIRA SIM 4 MÁRCIO RAFAEL R SANTOS SIM 5 MARCO ANTÓNIO B OLIVEIRA SIM 6 NÁDIA ARAÚJO GONÇALVES SIM 7 SUNNY KATHARINA G

Leia mais

Direito Empresarial I

Direito Empresarial I Universidade do Sul de Santa Catarina Direito Empresarial I Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Direito Empresarial I Disciplina na modalidade a distância Palhoça

Leia mais

Hospital Sofia Feldman

Hospital Sofia Feldman Hospital Sofia ldman Relatório de Remuneração de Médicos Referente a Mês/Ano: 07/2015 NOME DO TRABALHADOR ROBERTO SALES MARTINS VERCOSA PAULO MAX GARCIA LEITE LUCAS BARBOSA DA SILVA JOAO BATISTA MARINHO

Leia mais

Abordagem Sociopsicológica da Violência e do Crime. Marcos Erico Hoffmann

Abordagem Sociopsicológica da Violência e do Crime. Marcos Erico Hoffmann Abordagem Sociopsicológica da Violência e do Crime Marcos Erico Hoffmann Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior a Distância Avenida dos Lagos, 41 Cidade Universitária

Leia mais

Gestão da qualidade. Conceito e histórico da qualidade. Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento

Gestão da qualidade. Conceito e histórico da qualidade. Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento Gestão da qualidade Conceito e histórico da qualidade Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento Como é vista a qualidade Redução de custos Aumento de produtividade Conceito básico de qualidade Satisfação

Leia mais

APURAÇÃO DE RESULTADO ENTREVISTA. 15 - ÁREA: DIRETORIA DE EXTENSÃO Secretaria e Coordenação de Estágio. Nível Superior

APURAÇÃO DE RESULTADO ENTREVISTA. 15 - ÁREA: DIRETORIA DE EXTENSÃO Secretaria e Coordenação de Estágio. Nível Superior 15 - ÁREA: DIRETORIA DE EXTENSÃO Secretaria e Coordenação de Estágio. Nível Superior 46 Samuel Souza Evangelista 130 104 Jussara Cândida Soares Desclassificada 45 Bruno José Rupino 130 61 Fabiana Grigógio

Leia mais

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre Jorge Costelha Seabra 2 18,2 110402182 Ana Catarina Linhares

Leia mais

Introdução à Filosofia

Introdução à Filosofia Universidade do Sul de Santa Catarina Introdução à Filosofia Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Introdução à Filosofia Disciplina na modalidade a distância Palhoça

Leia mais

Universidade do Sul de Santa Catarina. Auditoria Ambiental. Disciplina na modalidade a distância

Universidade do Sul de Santa Catarina. Auditoria Ambiental. Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Auditoria Ambiental Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2011 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior

Leia mais

Programa de Pós-graduação lato sensu em Educação e Tecnologias

Programa de Pós-graduação lato sensu em Educação e Tecnologias Universidade do Sul de Santa Catarina Curso de especialização na modalidade a distância Programa de Pós-graduação lato sensu em Educação e Tecnologias Manual do Curso Créditos Universidade do Sul de Santa

Leia mais

Universidade do Sul de Santa Catarina. Empreendedorismo. Disciplina na modalidade a distância

Universidade do Sul de Santa Catarina. Empreendedorismo. Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Empreendedorismo Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Empreendedorismo Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual

Leia mais

Sistemas de Informação de Marketing

Sistemas de Informação de Marketing Universidade do Sul de Santa Catarina Sistemas de Informação de Marketing Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Sistemas de Informação de Marketing Disciplina na modalidade

Leia mais

Gestão de Projetos Ambientais

Gestão de Projetos Ambientais Universidade do Sul de Santa Catarina Gestão de Projetos Ambientais Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2011 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação

Leia mais

Gestão de Risco em Tecnologia da Informação. Luiz Otávio Botelho Lento

Gestão de Risco em Tecnologia da Informação. Luiz Otávio Botelho Lento Gestão de Risco em Tecnologia da Informação Luiz Otávio Botelho Lento Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior a Distância Avenida dos Lagos, 41 Cidade Universitária

Leia mais

Universidade do Sul de Santa Catarina Gestão de vendas e atendimento ao cliente

Universidade do Sul de Santa Catarina Gestão de vendas e atendimento ao cliente Universidade do Sul de Santa Catarina Gestão de vendas e atendimento ao cliente Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Gestão de Vendas e Atendimento ao Cliente Disciplina

Leia mais

Belo Horizonte, 28 de setembro 2015.

Belo Horizonte, 28 de setembro 2015. Certifico que, Ademir dos Santos Ferreira, participou da palestra Logística Urbana, ministrada pelo Certifico que, Almir Junio Gomes Mendonça, participou da palestra Logística Urbana, ministrada pelo Engenheiro

Leia mais

Relatório de Diplomas Registrados pela Universidade Federal de Minas Gerais Diplomas Registrados - 38ª Remessa. Assunto: Farmácia

Relatório de Diplomas Registrados pela Universidade Federal de Minas Gerais Diplomas Registrados - 38ª Remessa. Assunto: Farmácia 2640 RD.2013/2 11/09/2013 ACÁCIA TROTA 2013/09.00879 Universidade Federal de Minas Gerais 2666 RD.2013/2 12/09/2013 AILTON BATISTA JUNIOR Ciências Contábeis 2013/09.00916 Universidade Federal de Minas

Leia mais

Amanda Cardoso de Melo

Amanda Cardoso de Melo Aime Pinheiro Pires participou da palestra: Empreendedor De Sucesso, Amanda Cardoso de Melo Amanda Loschiavo Amoiré Santos Ribeiro Ana Carolina Pereira Pires Ana Carolina Pioto Magalhães Ana Cristina Angelo

Leia mais

RESULTADO DA ANÁLISE CURRICULAR LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

RESULTADO DA ANÁLISE CURRICULAR LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA APRENDIZAGEM MOTORA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO RESULTADO DA ANÁLISE CURRICULAR LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA ANA PAULA ZANINI DA SILVA DESCLASSIFICADA ITEM 2.1.1 LUIZ FERNANDO MARIANO MONTEIRO 47 PONTOS

Leia mais

QUALIDADE II. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves 09/08/2012. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

QUALIDADE II. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves 09/08/2012. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves QUALIDADE II Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor

Leia mais

Universidade do Sul de Santa Catarina. Direito Agrário. Disciplina na modalidade a distância

Universidade do Sul de Santa Catarina. Direito Agrário. Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Direito Agrário Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Direito Agrário Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual

Leia mais

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS)

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS) Sala B5 KFS ALEXANDRE DE ALMEIDA SILVA ALEXANDRE HENRIQUE DA ROCHA OLIVEIRA ALEXANDRE MIGUEL DE ALMEIDA PEREIRA ALEXANDRE SILVA FIGUEIREDO ANA CATARINA GOMES MOREIRA ANA CATARINA MARQUES GOMES ANA MARGARIDA

Leia mais

Comunicação Visual para Web

Comunicação Visual para Web Universidade do Sul de Santa Catarina Comunicação Visual para Web Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2011 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação

Leia mais

PROCESSO SELETIVO ESCOLAS DE FORMAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL EFETI CLASSIFICADOS

PROCESSO SELETIVO ESCOLAS DE FORMAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL EFETI CLASSIFICADOS 119 Aderiane de Fátima Dias França 6,00 64 Adriana dos Santos Gabriel da Rosa 6,70 14 Adriana Martins Lima 6,00 84 Adriana Rocha Rodrigues 6,00 82 Alessandra de Souza Silva 6,15 104 Alessandra Maria Pereira

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA CLASSIFICAÇÕES DO SEGUNDO TESTE E DA AVALIAÇÃO CONTINUA Classificações Classificação Final Alex Santos Teixeira 13 13 Alexandre Prata da Cruz 10 11 Aleydita Barreto

Leia mais

Fundamentos da Qualidade

Fundamentos da Qualidade Fundamentos da Qualidade Luiz Carlos Monteiro Gerente da Divisão de Orientação e Incentivo à Qualidade Quando surgiu a qualidade? Quando o Homem sente necessidades e cria expectativas. O que é qualidade?

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE TUTORES DA REDE e-tec BRASIL / IF FLUMINENSE RESULTADO FINAL

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE TUTORES DA REDE e-tec BRASIL / IF FLUMINENSE RESULTADO FINAL PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE TUTORES DA REDE e-tec BRASIL / IF FLUMINENSE EDITAL N 96 DE 20 DE AGOSTO DE 2015. RESULTADO FINAL Os candidatos aprovados serão informados por e-mail quanto à documentação

Leia mais

Informática Aplicada à Matemática Financeira

Informática Aplicada à Matemática Financeira Universidade do Sul de Santa Catarina Informática Aplicada à Matemática Financeira Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2011 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus

Leia mais

Universidade do Sul de Santa Catarina. Marketing Digital. Disciplina na modalidade a distância

Universidade do Sul de Santa Catarina. Marketing Digital. Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Marketing Digital Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2013 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior

Leia mais

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos 3452 - Escola E.B.2,3 do Cávado : A 137 1 Adriana Manuela Gomes Pinheiro 14 S S 20 2 Alexandra Pereira Ferreira 28 3 Ângelo Rafael Araújo Gomes S 28 4 Beatriz da Costa Oliveira S 2 5 Domingos Gonçalo Ferreira

Leia mais

161718 - Agrupamento Escolas Castro Daire 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Castro Daire. Relação de Alunos

161718 - Agrupamento Escolas Castro Daire 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Castro Daire. Relação de Alunos 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º s de Castro Daire Turma : A 1498 1 Ana Catarina Costa Esteves 14920 2 Ana Francisca da Silva Fernandes 16292 3 Beatriz Monteiro Andrade 14409 4 Camila Almeida Oliveira

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSO SELETIVO 2015 PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTO JURÍDICO DOUTORADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSO SELETIVO 2015 PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTO JURÍDICO DOUTORADO BANCA: D-01D LINHA DE PESQUISA: DIREITOS HUMANOS E ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO: FUNDAMENTAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E EFETIVIDADE ÁREA DE ESTUDO: DIREITO POLÍTICO SALA: 501 Carlos Athayde Valadares Viegas Ricardo

Leia mais

Liderança e desenvolvimento de equipes

Liderança e desenvolvimento de equipes Universidade do Sul de Santa Catarina Liderança e desenvolvimento de equipes Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2011 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual

Leia mais

Engenharia e Segurança no trânsito

Engenharia e Segurança no trânsito Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia e Segurança no trânsito Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2012 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual

Leia mais

11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ

11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ 11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ 1 FRANCISCO PEREIRA 36 SENIOR MASC. VITÓRIA S.C. 20.23 2 ANDRE SANTOS 48 SENIOR MASC. C.A.O.VIANENSE 20.27 3 JORGE CUNHA 3 SENIOR MASC. S.C.MARIA DA FONTE 21.14 4 DOMINGOS BARROS

Leia mais

Introdução ao Cooperativismo

Introdução ao Cooperativismo Universidade do Sul de Santa Catarina Introdução ao Cooperativismo Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Introdução ao Cooperativismo Disciplina na modalidade a distância

Leia mais

Programação. Dia 31/05 1º período do curso de Engenharia de Computação

Programação. Dia 31/05 1º período do curso de Engenharia de Computação Programação Dia 31/05 1º período do curso de Engenharia de Computação 1ª PALESTRA DO DIA: 19h As perspectivas mercadológicas na era da Tecnologia da Informação para Utilização de Software nas Empresas

Leia mais

CONCURSO PUBLICO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ACARÁ CPMA-001/2012

CONCURSO PUBLICO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ACARÁ CPMA-001/2012 I N F O R M E Esta lista consta 103 (CENTO E TRÊS ) nomes candidatos aprovados para o cargo TÉCNICO EM RADIOLOGIA MÉDICA no, realizado no dia 15/9/2013, listados por orm scresente rendimento obtido no

Leia mais

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840721 ADRIANA XAVIER DA SILVA FERNANDES 38 Pré-A1 PT1840722 ALEXANDRA FILIPA AZEVEDO SANTOS 52 A1 PT1840723

Leia mais

Bacharelado em Educação Física (Noturno) Alyssa Gabrielle De Nera. Bacharelado em Educação Física (Noturno) Amanda Borges Frando De Souza

Bacharelado em Educação Física (Noturno) Alyssa Gabrielle De Nera. Bacharelado em Educação Física (Noturno) Amanda Borges Frando De Souza CANDIDATOS APROVADOS CURSO NOME Ciências Biomédicas (Diurno) Adriele Cardoso Dos Santos Redes de Computadores (Noturno) Agnaldo Cunha Produção Áudio Visual (Noturno) Alessandro Henrique De Oliveira Produção

Leia mais

Universidade do Sul de Santa Catarina. Poluição Ambiental. Disciplina na modalidade a distância

Universidade do Sul de Santa Catarina. Poluição Ambiental. Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Poluição Ambiental Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2011 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior

Leia mais

PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60

PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60 PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60 Professor Responsável: MARTA REGINA DE JESUS Dias / Hora / Local: 6a. Feira - 09/08 das 9:00 às 12:00h

Leia mais

AMANDA COSTA DE MORAIS

AMANDA COSTA DE MORAIS O Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Administração da UFMG certifica que o(a) aluno(a) AMANDA COSTA DE MORAIS participou da 7ª Discussão Temática Diversidade e inovação: cultura empreendedora

Leia mais

Onde se lê: Lista de candidatos aprovados na triagem JANUÁRIA

Onde se lê: Lista de candidatos aprovados na triagem JANUÁRIA Onde se lê: Lista de candidatos aprovados na triagem JANUÁRIA LOCAL PROVA DATA: 17/12/2014 HORÁRIO: 8:30 LOCAL: SESC - Avenida Aeroporto, 250 - Aeroporto - Januária/MG Cargo: 405/14 Camareiro de Hotel

Leia mais

SEQUÊNCIA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA

SEQUÊNCIA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA RIBEIRO 5 ALEXANDRE FERREIRA DE MENEZES 6 ADALBERTO GOMES DA SILVA

Leia mais

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016 13948 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Gabriela Pedro Fernandes Escola Básica n.º 2 de São Pedro do Sul 13933 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Júlia Capela Pinto Escola Básica n.º 2 de São Pedro do

Leia mais

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016 13008 10 E Técnico de Instalações Elétricas Carlos Jorge Oliveira Rodrigues Escola Secundária de São Pedro do Sul 13791 10 E Técnico de Instalações Elétricas Daniel dos Santos Rodrigues Escola Secundária

Leia mais

RELAÇÃO DOS CANDIDATOS CLASSIFICADOS MATRÍCULAS 2012

RELAÇÃO DOS CANDIDATOS CLASSIFICADOS MATRÍCULAS 2012 ALEXANDRE FERREIRA GOMES ADALTO ISSAMU NAKAO ADRIANA SANTOS DE MELO ADRIELE NATANE DOS SANTOS ALÉXIA BIANCA DE CASTRO ALISSON DE SOUZA KOLECHA ANA PAULA BONANI ANA PAULA CARVALHO DE CAMARGO ANA PAULA DOS

Leia mais

Local de Prova LICEU FRANCO BRASILEIRO, RUA DAS LARANJEIRAS, 13/15,, LARANJEIRAS, RIO DE JANEIRO - RJ / SALA: 18, PRÉDIO: B - ANDAR: TER

Local de Prova LICEU FRANCO BRASILEIRO, RUA DAS LARANJEIRAS, 13/15,, LARANJEIRAS, RIO DE JANEIRO - RJ / SALA: 18, PRÉDIO: B - ANDAR: TER LOCAIS DE PROVA - ENADE 2011 ARQUITETURA E URBANISMO ALINE ROCHA GONCALVES ANA CARLA GONZALEZ DE ARAUJO ANA CAROLINA SOUZA RODRIGUES DA SILVA ANITA LUIZA DE SOUSA SOARES CARLA DA SILVA SOUZA CARLOS JOSE

Leia mais

Climatologia e Meteorologia

Climatologia e Meteorologia Universidade do Sul de Santa Catarina Climatologia e Meteorologia Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Climatologia e Meteorologia Disciplina na modalidade a distância

Leia mais

Universidade do Sul de Santa Catarina. Libras. Disciplina na modalidade a distância

Universidade do Sul de Santa Catarina. Libras. Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Libras Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2011 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior a Distância

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA DO CHS Vivian Heringer Pizzinga APROVADO 1 Luiza do Carmo Louzada APROVADO 2 Thais Klein de Angelis APROVADO 3 Alessandra Teixeira Marques Pinto APROVADO 4 Mercedes Duarte e Silva APROVADO 5 Carlos Emmanuel

Leia mais

TORNEIO ABERTO FMA. 60 Metros Rasos - SUB 14 - FEMININO - FINAL - v.: 0.8

TORNEIO ABERTO FMA. 60 Metros Rasos - SUB 14 - FEMININO - FINAL - v.: 0.8 60 Metros Rasos - SUB 14 - FEMININO - FINAL - v.: 0.8 1 120 Maria Luiza D Silva B 19/01/2003 PREF.MUN.ORATORIOS 8.58 2 130 Adrielli Ricardino Ferreira 16/06/2004 PREF.MUN.PONTE NOVA 9.16 3 119 Luana DE

Leia mais

161342 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 340613 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova Relação de Alunos

161342 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 340613 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova Relação de Alunos 1642 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 3406 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova : A Processo Nome Idade EMR. Rep. LE1 LE2 NEE 440 1 André Daniel Almeida Pimentel 98 2 Daniel Gonçalves Tomé

Leia mais

EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015/2 3ª CHAMADA IFRJ NOME DO CANDIDATO

EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015/2 3ª CHAMADA IFRJ NOME DO CANDIDATO EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015/2 IFRJ Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Rio de Janeiro - IFRJ

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC SECRETARIA GERAL DE CURSOS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC SECRETARIA GERAL DE CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC SECRETARIA GERAL DE CURSOS RESULTADO DAS SOLICITAÇÕES DE RETORNO AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO PARA O 1º PERÍODO LETIVO DE 2016. BASE LEGAL: ARTIGO 103 DO REGIMENTO GERAL

Leia mais

ABRÃO TAVARES DA SILVA JÚNIOR ADRIANA PINHEIRO QUARESMA ADRIANO SANTOS DE MESQUITA ALESSANDRA OLIVEIRA DOS SANTOS ALINE COSTA DA SILVA

ABRÃO TAVARES DA SILVA JÚNIOR ADRIANA PINHEIRO QUARESMA ADRIANO SANTOS DE MESQUITA ALESSANDRA OLIVEIRA DOS SANTOS ALINE COSTA DA SILVA PROCESSO SELETIVO 2016 EDITAL Nº 01/2015 PPGDOC/IEMCI/UFPA RESULTADO DA HOMOLOGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES (Incluindo análise de recursos e novas inscrições recebidas via correios conforme previsto no edital)

Leia mais

Tempo. Class. Tempo. Class. Tempo. Class. jdg. Projeção: SAO SALVADOR / S.C. RECIFE. Prova: 4X HB Hora: 09:15:00 Fase: Final. Projeção: E.C.

Tempo. Class. Tempo. Class. Tempo. Class. jdg. Projeção: SAO SALVADOR / S.C. RECIFE. Prova: 4X HB Hora: 09:15:00 Fase: Final. Projeção: E.C. Data: 6-0-0 Prova: X FC Hora: 09:00:00 SAO SALVADOR / S.C. RECIFE MARILENE SILVA BARBOSA ERIKA SANTINONI MARIA CECILIA ALMEIDA CARDOSO ILKA RIBEIRO GALANTE Prova: X HB Hora: 09::00 ERICO VINICIUS DE JESUS

Leia mais

O Processo De Melhoria Contínua

O Processo De Melhoria Contínua O Processo De Melhoria Contínua Não existe mais dúvida para ninguém que a abertura dos mercados e a consciência da importância da preservação do meio ambiente e a se transformaram em competitividade para

Leia mais

CERTIFICADO DE ATIVIDADE DE EXTENSÃO

CERTIFICADO DE ATIVIDADE DE EXTENSÃO Certificamos para os devidos que ESTEVÃO JÚNIOR participou da atividade de extensão de Simulado da OAB, promovida pelas Faculdades Kennedy de Minas Gerais, no dia 07 de outubro de 2015, com carga horária

Leia mais

Ministério da Educação Programa Universidade para Todos - ProUni Resultado Processo Seletivo - 1º semestre de 2010

Ministério da Educação Programa Universidade para Todos - ProUni Resultado Processo Seletivo - 1º semestre de 2010 Ministério da Educação Programa Universidade para Todos - ProUni Resultado Processo Seletivo - 1º semestre de 2010 Instituição de Ensino Superior: CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL GUAXUPÉ Unidade

Leia mais

2 Seminário de Engenharia Química. Silvia Binda 1

2 Seminário de Engenharia Química. Silvia Binda 1 2 Seminário de Engenharia Química Silvia Binda 1 Inter-relação entre o conceito de qualidade, gestão da qualidade e elementos que a compõem QUALIDADE Gestão da Qualidade Habilidade de um conjunto de características

Leia mais

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa Gestão da qualidade Prof. Conceitos O que é qualidade? Como seu conceito se alterou ao longo do tempo? O que é gestão da qualidade e como foi sua evolução? Quem foram os principais gurus da qualidade e

Leia mais

CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL LISTA PROVISÓRIA DE ALUNOS SELECIONADOS

CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL LISTA PROVISÓRIA DE ALUNOS SELECIONADOS CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL Adriana da Conceição Palhares Lopes Alexandra Rodrigues Barbosa Ana Salomé Lopes Queirós Andreia Dias da Costa Bianca Patricia Gonçalves Ramos Carina Filipa Monteiro Rodrigues

Leia mais

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Nome da Escola : Agrupamento de Escolas de Almancil, Loulé Horário n.º: 27-18 horas 2013-10-09 Grupo de Recrutamento: 420 - Geografia LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Ordenação Graduação

Leia mais

Universidade do Sul de Santa Catarina. Análise de Custos. Disciplina na modalidade a distância

Universidade do Sul de Santa Catarina. Análise de Custos. Disciplina na modalidade a distância Universidade do Sul de Santa Catarina Análise de Custos Disciplina na modalidade a distância Palhoça UnisulVirtual 2011 Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior

Leia mais

Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada)

Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada) Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada) ADMINISTRAÇÃO 1 ARIELA RODRIGUES SILVA 2 CAROLINA DANTAS DOS SANTOS 3 CRISTIANE DA SILVA GUERREIRO 4 GABRYELLA BUENO DO CARMO 5 JESSICA RAMOS DA SILVA 6 JULIA DE

Leia mais

Ministério da Educação e Ciência Resultados da 1ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2012

Ministério da Educação e Ciência Resultados da 1ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2012 14472273 ANA CARLA MELO VALADÃO Colocada em 0911 14595437 ANA ISABEL TERRA SILVA Colocada em 3101 9084 14541457 ANA MARIA DE SOUSA MARTINS Colocada em 7220 8149 14314779 ANDRÉ ALVES HOMEM Colocado em 0130

Leia mais

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa Gestão da qualidade Prof. Conceitos O que é qualidade? Como seu conceito se alterou ao longo do tempo? O que é gestão da qualidade e como foi sua evolução? Quem foram os principais gurus da qualidade e

Leia mais

TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL

TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL OLIVEIRA,Ana Paula de¹ OLIVEIRA,Dirce Benedita de¹ NERY,Miriã Barbosa¹ SILVA, Thiago² Ferreira da² RESUMO O texto fala sobre o controle da qualidade total, como ela iniciou

Leia mais

RESULTADO OFICIAL CONCURSO VESTIBULAR/2012 - FUNEDI/UEMG - 04/12/2011 LISTAGEM DE CANDIDATOS APROVADOS - CONSULTAR A SITUAÇÃO DO CURSO COM CP

RESULTADO OFICIAL CONCURSO VESTIBULAR/2012 - FUNEDI/UEMG - 04/12/2011 LISTAGEM DE CANDIDATOS APROVADOS - CONSULTAR A SITUAÇÃO DO CURSO COM CP CONCURSO VESTIBULAR/0 - FUNEDI/UEMG - 0//0 ADNA RODRIGUES CAETANO 0 ALEF NASCIMENTO REIS ALESSANDRA DE SOUSA OLIVEIRA 0 ALEX DIAS CHAGAS 0 ALEXANDRE SOUZA FERNANDES 0 ANA FLÁVIA DE OLIVEIRA ANA PAULA DA

Leia mais

Programa QUALI-UFU 2015 - Edital nº 03/2014

Programa QUALI-UFU 2015 - Edital nº 03/2014 Programa QUALI-UFU 2015 - Edital nº 03/2014 Retificação da classificação pós-recursos Modalidade: GRADUAÇÃO/TECNOLÓGICO Em resposta aos recursos apresentados à PROREH/ Comissão QUALI-UFU, informamos que

Leia mais

Inscrição Nome Opção de Curso Status. 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado

Inscrição Nome Opção de Curso Status. 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado Processo Seletivo 2016/1 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado 000000004960 VALERIA DIAS MIRANDA EDUCACAO FISICA Aprovado 000000005764 BRUNNO DE PAULA SILVA BARBOSA EDUCACAO FISICA

Leia mais

Professor: Flávio Belli E-mail: flavio.belli@sc.senai.br Joinville 2013

Professor: Flávio Belli E-mail: flavio.belli@sc.senai.br Joinville 2013 Histórico da Qualidade e Produtividade Professor: Flávio Belli E-mail: flavio.belli@sc.senai.br Joinville 2013 Histórico da Qualidade e Produtividade O mundo moderno vem sendo objeto de profundas e aceleradas

Leia mais

Business Intelligence. Flávio Ceci

Business Intelligence. Flávio Ceci Business Intelligence Flávio Ceci Créditos Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual Educação Superior a Distância Avenida dos Lagos, 41 Cidade Universitária Pedra Branca Palhoça SC 88137-900

Leia mais

RESULTADO VESTIBULAR FASF 2014/1

RESULTADO VESTIBULAR FASF 2014/1 RESULTADO VESTIBULAR FASF 2014/1 CURSO 02 Administração ALAN ALVES BUENO 03 Administração 04 Administração 05 Administração 06 Administração 07 Administração 08 Administração 09 Administração 10 Administração

Leia mais

ANEXO I - CLASSIFICAÇÃO PROVISÓRIA - PROVA PRÁTICA

ANEXO I - CLASSIFICAÇÃO PROVISÓRIA - PROVA PRÁTICA Prefeitura Municipal de Capivari Concurso Público - 5/2015 PUBLICONSULT ASSESSORIA E CONSULTORIA PUBLICA LTDA ANEXO I - CLASSIFICAÇÃO PROVISÓRIA - PROVA PRÁTICA 1 - Auxiliar de Padeiro Class Inscrição

Leia mais

Resultado dos Processos Seletivos do Sescoop-RJ 2010

Resultado dos Processos Seletivos do Sescoop-RJ 2010 Resultado dos Processos Seletivos do Sescoop-RJ 2010 1ª Etapa: Análise Curricular INSTRUÇÕES GERAIS PARA TODOS OS CANDIDATOS a) O candidato deverá chegar ao local com uma hora de antecedência do i nício

Leia mais

RESULTADO DO VESTIBULAR AGENDADO Provas: 22 MAIO 2010 (Sábado) CANDIDATOS APROVADOS

RESULTADO DO VESTIBULAR AGENDADO Provas: 22 MAIO 2010 (Sábado) CANDIDATOS APROVADOS RESULTADO DO VESTIBULAR AGENDADO Provas: 22 MAIO 2010 (Sábado) NOME Manoel Ribeiro Samyres de Nardo da Silva Simone Alves Gomes Martins Poliana Pinheiro Poletto OPÇÃO Enfermagem Noturno Biomedicina Noturno

Leia mais

VESTIBULAR 1º SEM 2015

VESTIBULAR 1º SEM 2015 Ampla Concorrência Curso : 012 Engenharia de Computação 1º 1448967 JOAO PAULO TINOCO ALVARENGA 93,0 Convocado 2º 1464090 GABRIEL BARROSO RUBIAO 89,0 Convocado 3º 1441526 ITALO NICOLA PONCE PASINI JUDICE

Leia mais

Escola : Centro Profissionalizante Jornalista Cristiano Donato Curso : Francês Turno : Tarde

Escola : Centro Profissionalizante Jornalista Cristiano Donato Curso : Francês Turno : Tarde Escola : Centro Profissionalizante Jornalista Cristiano Donato Curso : Francês Turno : Colocação : 25 Aluno : Matheus Rodrigues Cavalcante Colocação : 26 Aluno : Ana Paula Santos Lira Colocação : 27 Aluno

Leia mais