Superbahia 2015 supera expectativas mais otimistas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Superbahia 2015 supera expectativas mais otimistas"

Transcrição

1 ANO 22 Nº 241 Agosto 2015 Superbahia 2015 supera expectativas mais otimistas ENTREVISTA Secretário Jorge Hereda já analisa a futura privatização da Ebal

2

3 Editorial JOÃO CLÁUDIO NUNES Presidente da Abase S uperbahia agrega valor ao setor supermercadista Muito elogiada por todos, a Superbahia mostra a força do setor supermercadista baiano em promover um evento com destaque nacional. Neste mês de julho tivemos a honra de realizar mais uma Superbahia, o primeiro Congresso de Negócios na área supermercadista nacional a ser realizado em uma arena esportiva, a Arena Fonte Nova, proporcionando um ambiente melhor para a geração de negócios e encontro do setor em nosso estado. A Superbahia tem em sua essência ser um evento para agregar valor aos supermercadistas baianos com novas informações, por intermédio da parceria com o Sebrae, com a participação cada vez maior dos principais fornecedores de equipamentos, de sistemas de gestão e de produtos comercializados nas lojas; os supermercadistas encontram em um só lugar boas oportunidades e soluções para os seus negócios. Neste ano trouxemos para o evento o 2º Fórum para o Fortalecimento do Varejo Supermercadista Baiano, que foi realizado em parceria com a revista Supermercado Moderno. Foi um evento muito interessante e contou com a participação de mais de cem supermercadistas do nosso estado. Foi rico, além dos conhecimentos trazidos por cases de sucesso das empresas: Itaipava, Água de Coco Obrigado, Senac e P&G, pela discussão proporcionada entre a plateia e os apresentadores. A Superbahia contou com a presença do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Jorge Hereda e do Secretário de Turismo, Nelson Pelegrino, do deputado Federal, João Gualberto, do presidente da Fecomércio, Carlos Andrade e parlamentares de âmbito estadual e municipal. Tivemos um acréscimo de cerca de 12% em relação ao número de visitantes do ano passado, atingindo a marca de 12 mil participantes, entre estes, empresários e fornecedores da capital, do interior da Bahia e de outros estados. Desde o ano de 2012, com periodicidade anual, a Superbahia demonstra que se tornou um evento consolidado e o mais importante das regiões Norte e Nordeste do Brasil. Muito elogiada por todos, a Superbahia mostra a força do setor supermercadista baiano em promover um evento com destaque nacional. Como Presidente da Abase posso dizer que a Superbahia foi um sucesso. Estamos felizes com os resultados deste ano da Superbahia 2015, onde tivemos 60 expositores e negócios gerados em torno de R$ 400 milhões. São grandes os desafios, mas trabalhamos e continuaremos trabalhando para colocar a Bahia no seu devido lugar de destaque nacional e tornar a Super- bahia cada vez mais um foro de discussões, negócios e relacionamentos comerciais. 5

4 VIVA ETERNAMENTE *Comendador Mamede Paes Mendonça! NO PLANO CELESTIAL, COM CERTEZA, SEO MAMEDE ESTARÁ TAMBÉM CATIVANDO SEUS PARES E FAZENDO COM QUE PAES MENDONÇA SEJA SINÔNIMO DE SUPERMERCADO. Homenagem da Super Revista Abase ao centenário do comendador Mamede Paes Mendonça, 05 de agosto de 2015! Editor da Super Revista: Benneh Amorin. O título de Comendador foi concedido pelo governo português ao empresário Mamede Paes Mendonça pelos relevantes serviços prestados à Portugal.

5

6 Sumário Superbahia 2015 mostra força do setor supermercadista baiano Top of Heart premia 40 empresas que têm suas marcas no coração do consumidor baiano 2º Fórum para o Fortalecimento do Varejo Supermercadista Baiano reúne mais de 100 supermercadistas Linha direta com o associado Superintendente Mauro Rocha Gerente Administrativo Lilian Malta Coordenadora Executiva Flávia Rêgo Marketing e Cursos: Financeiro: Eventos: Rua Gilberto Amado, 276, Ed. Mamede Paes Mendonça, Jardim Armação - CEP Salvador/BA Fone: Fax: Presidente-Fundador Mamede Paes Mendonça (in memoriam) Presidente Vitalício/Conselheiro Ailton de Melo Messias Presidente João Cláudio Nunes Vice-presidente Administrativo Teobaldo Luís da Costa Vice-presidente Financeiro Manoel Souza Filho Vice-presidente de Abastecimento Deise de Oliveira Brandão Vice-presidente Jurídico Joel Fieldman Júnior Vice-presidente de Comunicação Amanda Vasconcelos Vice-presidente Sindical Marcelo Lima de Jesus Conselho Fiscal Efetivo Manoel Inácio da Fonseca, Josué Teles de Araújo, Maximiano Francisco de Oliveira Filho Suplência Conselho Fiscal Jânio Neves Santos, Gerusa Barbosa A. de Souza, Paulo Jorge Bitencourt de Jesus Diretoria da Assembleia Geral Presidente José Humberto Souza 1º secretário Jéssica Menezes de Araújo 2º secretário Sérgio Farjala Gusmão Presidente do Sindsuper Josué Teles de Araújo Órgão oficial de divulgação da Associação Bahiana de Supermercados Diretor e Editor Executivo: Benneh Amorin MTE/BA Fone: (71) / (71) PRODUÇÃO E EDIÇÃO Fundadores:Jornalistas Benneh Amorin e José Benedito Simões. Diretores: Benneh Amorin, Euclides Paiva Jr. e Janaína Saraiva Amorin Rua Anquises Reis, nº 81, Edifício Tropicália, sala 106 Jardim Armação - Salvador - Bahia - CEP: CONTATOS Fones: / / Jornalista responsável: Benneh Amorin (DRT- BA/840) Edição: Benneh Amorin Textos e reportagens: Benneh Amorin, Marialva Gomes (DRT-BA/1270) Leonardo Ribeiro (DRT-BA/3294) e Alan Dantas (DRT-BA/4908) Revisão: Nice Câncio Comercial: James Nei e Antony Amorim Fotografias: Mário Sérgio, Zaidan Torres, Alan Dantas, Leonardo Ribeiro, Benneh Amorin e uso livre da internet Editoração Eletrônica: Gilfrance Araújo Administrativo/Financeiro: Cleonice Amorim Impressão: Halley Gráfica Tiragem desta edição: 10 mil exemplares. CARTAS - Caro leitor, esse espaço é reservado para você. Utilize-o da melhor maneira possível com suas sugestões, críticas, avaliações e, principalmente, contribuições etc. Sua participação para nós é muito importante e será, portanto, sempre bem-vinda.

7 Abase Online A ABASE PARABENIZA ANIVERSARIANTES DO MÊS DE SETEMBRO! Aniversariantes DE SETEMBRO 2015 ABASE 06 - Margarete Barbosa Salvador/BA SUPERMERCADISTAS 01 - Jolival José de Andrade FORTE SUPERMERCADOS Salvador/BA 01 - Uiara Brito Silva Lima MERCADINHO RAINHA DA PAZ Alagoinhas/BA 02 - Alanna Zoell Borges Lima COMERCIAL COMPRE MAIS Salvador/BA 04 - Edivan Argolo Nery MERCADO LEGAL Salvador/BA 05 - Alicy da Conceição Santiago BOI BOM Salvador/BA 06 - Fernando Rudah Steffler SUPERMERCADO ESPIRITO SANTO L. Eduardo Magalhães/BA 06 - Manuel Esteves Guedes SUPERMERCADO NOVA ECONOMIA Vitória da Conquista/BA 07 - Edevaldo Reis de Araújo ENCONTRO SUPERMERCADO E PANIFICADORA - Candeias/BA 10 - Márcia Silva Barbosa SUPER ECONÔMICO Salvador/BA 16 - Djailson da Silva SUPERMERCADO E PANIF. SILVA Xique-Xique/BA 16 - Robson Roberto Santana SUPERMERCADO ECONÔMICO Porto Seguro/BA 16 - Elísio Medrado MERCADO SÃO ROQUE Salvador/BA 17 - Maria de Fátima REDE BIT Salvador/BA 19 - Gerusa Barbosa PONTO VERDE SUPERMERCADOS Salvador/BA 19 - Azanor Coelho Guedes SUPERMERCADO NOVA ECONOMIA Vitória da Conquista/BA 23 - Aelmo Sampaio de Oliveira PORTAL SUPERMERCADO Salvador/BA 23 - Márcio Freitas SASUPERMERCADO Salvador/ BA 24 - Roberto de Souza Santana ROBERTO DE SOUZA SANTANA DE ANGUERA Anguera/ BA 24 - Marlene Souza de Oliveira Almeida ATACADÃO Salvador/ BA 24 - Antônio Carlos Peixoto Magalhães Jr. DMAS SUPERMERCADOS Salvador/ BA 25 - Valdemir Basilio Nunes dos Santos SUPER ECONÔMICO Catu/BA 25 - Mário Cesar Teles Souza SUPERMERCADO MELHOR PREÇO São Seb. do Passé/BA 26 - Hidelmar Italo de Carvalho DULLAR MERCADO Simões Filho/BA 27 - Damiana Lordelo SUPERMERCADO LORDELO Salvador/BA 28 - Florisvaldo Araújo CASA DE CARNE São Seb. do Passé/BA 30 - José Roberto Brandão Lima SUPERMERCADO TUPY CALDAS Salvador/BA COLABORADORES 04 - Regina Maria Varjão de Carvalho RMVC COM. REP. LTDA Salvador/BA 04 - Talita Cabanelas CABANELAS Salvador/BA 04 - Sérgio Luis de A. Bulcão QUALIKITS Salvador/BA 08 - Alexandre Medeiros Alves FEIJÃO ALIMENTA Camaçari/BA 09 - Antônio Francisco Costa Neto MICO S Salvador/BA 12 - Waldir de Araujo Castro Jr. PEOPLE PRODUÇÕES E EVENTOS Salvador/BA 12- Pedro Passos JOM PASSOS Salvador/BA 13 - Mateus Lopes da Silva MEGAFRIOS REPRESENTAÇÕES Salvador/BA 15 - Gildete Magalhães de Almeida GIBAHIA Salvador/BA 16 - Roberto Garrido ORIGINAL MARCAS Salvador/BA 17 - Alexandre Lima da Fonte BRILUX São Paulo/SP 19 - Paulo Ricardo Sahd Soares RMS Simões Filho/BA 19 - Júlio Lousada Colossi LKM REPRESENTAÇÕES Jequié/BA 19 - Cássio Moura INBAHIA Salvador/BA 19 - Andervan Negri NEGRI PRODUTOS DIVERSOS Salvador/BA 20 - Maria Cristina Couto RH PROMO Salvador/BA 21 - Claudia Ferreira Soares LINK EVENTOS Salvador/BA 23 - Pedro Enrique Chaves Muniz SEDREZ REPRESENTAÇÕES Salvador/BA 24 - Vitor Rohrs Souza NAGÔ Salvador/BA 28 - Adolfino Alves P. Neto PRÓTON SISTEMAS Camaçari/BA NOVOS ASSOCIADOS SUPERMERCADOS FORT COMERCIAL DE ALIMENTOS LAURO DE FREITAS/BA MERCADINHO AGAPE CAMAÇARI/BA MERCADO SANTA BARBARA LAURO DE FREITAS/BA

8 Entrevistando Super Revista - Quais as diretrizes que o Sr. está implementando na sua gestão à frente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia? Jorge Hereda - Mesmo com a crise, a Bahia ainda lidera a geração de empregos do Nordeste e está entre os principais estados do país na atração de novos empreendimentos. Hoje, temos um potencial de investimentos, baseado em projetos que estão sendo implantados, cartas-compromisso e entendimentos em negociação, da ordem de mais de R$ 70 bilhões. Somente em projetos de energia eólica são mais de 16 bilhões. Nosso maior desafio, e principal diretriz, é materializar esses investimentos, além de obter novos, ao longo desses próximos anos. Entrevistando 14 Secretário Jorge Hereda fala sobre a privatização da Ebal O secretário do Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia, Jorge Hereda, anuncia, nesta entrevista à Super Revista, uma futura privatização da Empresa Baiana de Abastecimento (Ebal). Ele também fala sobre investimentos do governo do estado em novos empreendimentos, na ordem de R$ 70 bilhões, que beneficiarão diferentes áreas da economia. Para ele, as mudanças efetuadas na pasta que assume, pelo governador Rui Costa, amplia as possibilidades de trabalho ao afirmar que desenvolvimento é um conjunto e não apenas ações segmentadas de indústria, comércio ou de serviço. Hereda ainda fala da consonância do pensamento dele com o do chefe do executivo baiano. O secretário analisa a autonomia das autarquias ligadas à secretaria, o potencial de crescimento da Bahia e a dinâmica da economia, em especial o setor de comércio e serviços, que muito tem contribuído com o crescimento econômico do estado. Ele afirma que este setor representa 60% do PIB baiano e 65% dos postos de trabalho. Enfim, Jorge Hereda mostra-se otimista com as perspectivas do momento, embora lembre da crise que o país enfrenta. Por Benneh Amorin - Fotos: Ascom/SDE e Carla Ornelas SR - O governador Rui Costa fez alguma recomendação especial? JH - Quando o governador nos convidou, disse que a mudança de Indústria e Comércio para Desenvolvimento Econômico não era apenas semântica, mas de conteúdo. O governador pensa em desenvolvimento de forma articulada e transversal. E eu, também. Desenvolvimento é um conjunto e não apenas ações segmentadas de indústria, comércio ou de serviços. Desenvolvimento implica pensar em educação, formação de mão-deobra, articulação com a agricultura, produção de alimentos, e a própria segurança alimentar. Tem que se pensar também na logística, na infraestrutura, na forma de financiar as empresas, na relação com a Fazenda, com a Desenbahia e com os bancos públicos. SR - Na estrutura da SDE tem órgãos como a Juceb, Ibametro, Sudic, CIS (Subaé), CBPM e a Ebal. Quais as recomendações para atuação de cada uma dessas instituições? JH - São autarquias ligadas à secretaria, mas com autonomia. Cada uma com a sua função específica, mas todas atreladas à mesma política de desenvolvimento. A Junta Comercial tem um papel muito importante no cenário econômico, porque ali é o Uma empresa internacional de consultoria está fazendo a modelagem da passagem da Ebal do âmbito público para a iniciativa privada. nascedouro das empresas. O Ibametro tem uma atuação direta na fiscalização das empresas e dos serviços, enquanto a Sudic e o CIS estão envolvidos na política de atração de investimentos, principalmente nas questões de localização e infraestrutura. SR - No caso específico da Ebal, que faz parte do setor supermercadista, o governador aventou a possibilidade de se desfazer dela. O que existe de concreto sobre essa questão? JH - Uma empresa internacional de consultoria está fazendo a modelagem da passagem da Ebal do âmbito público para a iniciativa privada. É uma bem montada estrutura de comércio, que presta diretamente um serviço à sociedade, mas que será melhor gerenciada por quem é do ramo, pelo empresariado do setor supermercadista. SR - Com relação à Juceb, que é um órgão vital na prestação de serviços ao empresariado, quais as ações que estão sendo implementadas para acelerar a abertura de novas empresas e modernizar o seu atendimento? JH - Visitei a Juceb no final do mês de julho e constatei in loco a implementação de programas e ações que vão proporcionar a melhoria dos serviços prestados pela instituição. Dentre eles, os projetos Juceb On Line, Juceb Qualidade e Rede Sim. É uma instituição vital para que qualquer política de desenvolvimento dê certo. Ela possui o maior banco de dados empresariais da Bahia, sendo responsável pela abertura de cerca de 40 mil empresas/ano. Hoje, possui 41 pontos de atendimento distribuídos pela Bahia, sendo que 34 deles no interior. SR - O Ibametro tem uma ligação estreita com o setor supermercadista, no que concerne à fiscalização e ao cumprimento das normas legais de 15

9 Entrevistando 16 peso e medida. O que tem sido feito para orientar os estabelecimentos comerciais para que não incorram em delitos que venham prejudicar os consumidores? JH - O Ibametro tem a função de assegurar o cumprimento da política de metrologia brasileira, atuando em conformidade com o Inmetro na garantia da qualidade de produtos e serviços. E graças à atuação do Ibametro/Inmetro temos hoje um padrão internacional de garantia e qualidade para o consumidor. Nosso objetivo é intensificar ações junto ao comércio e, principalmente, junto à comunidade, voltadas à informação e educação para o consumo. SR - Entre as atribuições da SDE está a de atrair novas empresas para se instalarem na Bahia, proporcionando, consequentemente, o seu desenvolvimento e a geração de emprego e renda e arrecadação de tributos. O que a Bahia tem feito neste quesito? JH - Nos últimos anos, a Bahia deu um grande salto em seu desenvolvimento. O estado diversificou ainda mais o seu perfil econômico, oferecendo oportunidades de negócios em todos os setores da atividade econômica. Do petróleo ao agronegócio, passando por mineração, têxtil, calçados, bebidas, alimentos, turismo, construção. Somente este ano, com todo esse clima negativista de crise, a Bahia já contabiliza R$ 7,65 bilhões em investimentos, com a geração de novos empregos. Existe, sim, a crise, mas temos boas notícias também para dar. SR - Polo de Camaçari, pela sua infraestrutura já consolidada, tem sido um local bastante atrativo para grandes projetos, como, por exemplo, o da Basf, Kimberly, energia eólica etc. Existem no momento outras empresas que estão chegando. JH - O Polo Industrial de Camaçari é o maior do Hemisfério Sul. Era somente petroquímico. Hoje, não. Fabrica fraldas, paredes de gesso, automóveis, pneus, perfumes, além de grandes centros de distribuição e de logística. O complexo acrílico O estado diversificou ainda mais o seu perfil econômico, oferecendo oportunidades de negócios em todos os setores da atividade econômica. da Basf é o maior investimento da companhia alemã na América do Sul, da ordem de R$ 540 milhões, igual a uma planta gêmea que a companhia instalou em Nanjing, na China. Ou seja, a Basf enxerga o Brasil com o mesmo potencial de mercado da China. É um investimento fantástico, que vai atrair outras indústrias que utilizam como matéria-prima o ácido acrílico. A Kimberly-Clark, como você citou, já está aqui, e outras, ainda na fase de projeto, estão em vias de implantação. SR - O modelo de atração de investimentos é muito focado em desoneração de impostos, o que o governo da Bahia está fazendo para se afastar deste modelo e o que oferece de atrativo para atrair novos empreendimentos? JH - A Bahia realmente conta com um pacote de incentivos fiscais, contudo, cada vez mais apostamos nos nossos grandes diferenciais: excelente localização geográfica, meio do caminho entre o Sul/Sudeste e o Norte/Nordeste; ambiente seguro para os negócios; excelente qualidade de vida; agilidade nos processos de licenciamento. Contamos ainda com um parque industrial consolidado e nos preocupamos cada vez mais em garantir uma infraestrutura logística para os novos negócios. Por exemplo, o Governo do Estado está investindo R$ 8 bilhões em um projeto extraordinário de mobilidade urbana, que inclui metrô, VLT, vias transversais e vias urbanas. A grande diferença da Bahia é que aqui as regras são claras e respeitamos os compromissos assumidos. Aqui é pode, pode; não pode, não pode. SR - Existe, de fato, um movimento rumo ao interior? Mas para atrair grandes empreendimentos é necessário ter mão-de-obra capacitada disponível. Como o Estado está encarando esse desafio? JH - A qualificação está diretamente ligada ao setor produtivo. Não adianta formar uma mão-deobra especializada se não tivermos aonde empregá-la. Por isso a política de desenvolvimento tem que ser transversal: a economia avança por causa de vários fatores. A Bahia, principalmente a partir dos governos Lula e Dilma, reforçou a sua rede de escolas profissionais, com 26 IFBAs, 11 unidades do Senai e uma

10 Entrevistando unidade do Cimatec, que é hoje o nosso principal suporte na área de capacitação profissional, sem contar que ganhamos mais cinco universidades federais, além da UFBA. Bom, temos a estrutura, agora precisamos ajustar a formação técnica e profissional com a demanda das regiões e das empresas. SR - Quais as políticas da SDE para o segmento do comércio e serviços na Bahia, especificamente na área de supermercados? JH - É tremenda a relevância do setor de comércio e serviços para a economia baiana, representando mais de 60% de participação no PIB estadual e mais de 65% da geração de empregos formais. E as políticas de fomento a esse segmento econômico, ao meu ver, são tímidas em comparação à sua pujança. Nós, como agentes públicos, temos que atender melhor às demandas do setor em questões tributárias, de capacitação empresarial e de mãode-obra, tecnologia e inovação, acesso ao crédito e desburocratização, em parcerias com o Senac e com o Sebrae. Já contamos com uma câmara setorial voltada para a cadeia de Supermercados, Atacadistas e Indústria de Alimentos, onde são formuladas estratégias e proposição de políticas públicas para o setor, mas precisamos avançar muito mais. SR - Aliás, como o Sr. vê este segmento na Bahia? JH - Os números do setor de supermercados por si só já refletem a sua importância para a Já contamos com uma câmara setorial voltada para a cadeia de supermercados, atacadistas e indústria de alimentos. economia baiana. São mais de 38 mil trabalhadores, e faturou cerca de R$ 20 bilhões em Apesar do cenário difícil, as vendas cresceram 2,24% no ano passado, número que deve se repetir este ano. Já passamos por dificuldades maiores no passado, com inflação galopante e prateleiras vazias por causa do desabastecimento. A economia é muito dinâmica e essa perspectiva positiva de crescimento do setor supermercadista em 2015 indica que teremos um fim de ano muito mais promissor do que o início. Ademais, a desconcentração dos investimentos da região metropolitana para o interior do Estado, impulsionada principalmente pelos projetos de energia e mineração, vem criando um ambiente favorável para o desenvolvimento do segmento de mercados e supermercados. Prova disto é que o interior apresentou um aumento do número de estabelecimentos do setor maior do que a RMS (14% contra 9%, no período entre 2009 e 2013), sem falar nos grandes centros de distribuição que estão se implantando no estado, a exemplo da Le Biscuit, O Boticário, Gbarbosa, Americanas, Tupã Construções, Magazine Luiza, Peixoto Atacado e Cervejaria Petrópolis. 18 Jorge Fontes Hereda Jorge Fontes Hereda, formado em Arquitetura pela Universidade Federal da Bahia, é mestre em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo(USP). Entre março de 2011 e fevereiro de 2015 foi presidente da Caixa Econômica Federal. Antes de ser efetivado presidente, ocupou durante seis anos a vice-presidência do banco estatal. Foi secretário de Habitação do Ministério das Cidades e acumulou experiências atuando em diversas secretarias no estado de São Paulo.

11 Abase é Notícia Durval Lélis, É o Tchan do Brasil e Adelmário Coelho são os artistas contratados para alegrar o 39º Encontro Baiano A alegria e animação do 39º Encontro Baiano de Supermercados ficarão por conta dos renomados artistas baianos Durval Lélis, o Durvalino, É o Tchan do Brasil, composto por Compadre Washington e Beto Jamaica, e para completar, o forró de Adelmário Coelho. Mauro Rocha, superintendente da Abase, chama a atenção dos supermercadistas e fornecedores interessados em participar do encontro que reservem já suas participações, pois correm o risco de ficarem de fora, se deixarem para a última hora. Ele toma como exemplo a procura do ano passado, que extrapolou todas as expectativas. O 39º Encontro Baiano acontece mais uma vez no Iberostar Resort Praia do Forte, entre os dias 12 a 15 de novembro. Promovido anualmente pela Abase e pelo Sindsuper, o encontro é tradicional no calendário dos eventos dos supermercados brasileiros, por aliar, de forma peculiar, negócios, descontração, integração e, principalmente, networking. O superintendente da Abase faz questão de ressaltar que a programação não se resume somente aos shwos, almoços, jantares, cafés da manhã; atividades esportivas, corrida, futebol, eventos infantis e recreativas na Piscina do Messias. Temos a parte de qualificação e conhecimento, complementa Mauro Rocha. Dentro da programação de qualificação e de conhecimento já está confirmada a palestra de Clayton Conservani sobre Superação, que traz experiências de suas vivências no programa Planeta Extremo, apresentado na Rede Globo. O Resort Iberostar, onde é realizado o evento é uma atração a parte, pois dispõe de toda infraestrutura necessária para proporcionar conforto, tranquilidade e bem-estar aos convencionais, piscinas, restaurantes, bares, salões de convenções etc..

12 22 Lançamento Os sócios da Rhoncus - Cerveja Artesanal, Ricardo Motta, Guilherme Paupério e Leonardo Miranda, apostam no poder de comunicação do Compadre Washington para demonstrar que a Inocente se identifica com alegria, espontaneidade e a irreverência do povo baiano. Cerveja artesanal Inocente chega com malícia para conquistar mercado baiano O primeiro rótulo próprio da baiana Rhoncus Cerveja Artesanal já está no mercado nacional. A Cerveja Inocente - A Pilsen Artesanal -, é a marca para quem diz que não sabe de nada e tem como ícone o artista baiano Compadre Washington, escolhido por sua baianidade de alcance nacional. O primeiro pub da Bahia, especializado em cervejas artesanais, se uniu com a Hoffen, uma das cervejarias mais premiadas do Brasil, para a produção do novo produto, elaborado dentro das normas internacionais de fabricação e com todos os diferenciais do segmento. Fabricada em Votorantin (SP), nos modernos equipamentos da Hoffen, que garantem alta qualidade para a fabricação de cerveja e chope, a Cerveja Inocente traz alta qualidade em fabricação. Mas seu DNA é baiano, o nome, toda a irreverência e a personalidade de Compadre Washington agrega a baianidade à nossa marca, esclarece o sócio-proprietário Leonardo Miranda. Entre as características técnicas está a cor amarelo dourado, com boa formação de espuma. No aroma, notas de malte se Por Marialva Gomes - Fotos: Divulgação equilibram com o floral do lúpulo. A empresa detentora da marca aposta nas redes sociais para a divulgação da novidade. Leonardo afirma que este é o meio mais comum no momento. Entretanto, a Rhoncus será pioneira na divulgação em veículo impresso, através da Super Revista. O intuito dessa estratégia é trazer para o mundo das artesanais aqueles consumidores que ainda não tiveram contato com as mais diversas opções existentes e convidá-los à experiência com esse conceito de produto. O valor para o consumidor final tem variado entre R$ 20 e 24, a depender da cidade, cerca de 10% abaixo do praticado no mercado. A Pilsen tem aromas e sabores mais próximos daqueles com os quais o consumidor de cervejas não artesanais está acostumado e a ideia é mostrar que a cerveja artesanal também possui sabor leve, refrescante e pode ser harmonizado com todo tipo de prato, declara. Uma característica da cerveja artesanal é ter adicionado à fórmula sabores específicos como açaí, chocolate e manjericão, por exemplo. Inocente, com 4,1% de teor alcoólico, já é comercializada em bares, restaurantes e casas especializadas de Salvador Em Salvador a Cerveja Inocente está disponível em diversos restaurantes, conveniências e casas especializadas. O rótulo também será vendido no Rhoncus Pub& Beer Store, localizada no boêmio bairro do Rio Vermelho, que hoje é referência em cervejas artesanais no estado. Mas a novidade já está disponível em onze estados, além da Bahia: Sergipe, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraná, Espírito Santo e Pará. Esse mercado vem crescendo muito no Brasil. A Bahia também acompanha esse avanço e se mostra como uma região com alto potencial de crescimento. Precisávamos de um rótulo identificado com a alegria, espontaneidade e irreverência do povo baiano. Com a iniciativa, queremos contribuir para o desenvolvimento do mercado e entrada de novos apreciadores, disse um dos sócios da Rhoncus Cerveja Artesanal, Guilherme Pauperio, empresa idealizada em parceria com os empresários Leonardo Miranda e Ricardo Motta. Os sócios adiantam que, ainda em 2015, serão lançados outros rótulos com receita própria. O produto agradou em cheio o paladar mais apurado do consumidor de cervejas especiais e oferece um atrativo a mais para convidar o consumidor que não conhece o mundo das artesanais a essa experiência de sabor. A inocente é pura malandragem com abundância de sabor e qualidade. É para quem não sabe de nada na hora de se fazer de inocente, brinca o personagem, que estampa o rótulo, Compadre Washington. A artesanal difere da industrial pela fórmula composta apenas pelo malte, a levedura, sem aditivos químicos nem mistura de cereais não maltados, como o arroz e o milho, garante Leonardo. Estilo Pilsen e com 4,1% de teor alcoólico, a cerveja deve ser servida em temperatura de 0 a 4. O IBU, abreviação de International Bitter Units, que se trata de uma medida para averiguar quão amarga é uma cerveja, é nove o que indica um suave amargor. É mais ou menos leve, de gosto comum a todos os paladares. No processo de criação decidimos por uma cerveja inocente, que não fosse um impedimento a afastar o cliente no primeiro gole, esclarece. Mercado O Rhoncus Cerveja Artesanal está no mercado soteropolitano como distribuidor há vários anos e dispõe de 300 rótulos nacionais e importados de cerveja artesanal, o que deu aos sócios o know-how para atuar no mercado com marca própria. Considerado novo, o mercado de cervejas artesanais no Brasil vem crescendo e um hobby dos adeptos é experimentar novos sabores. Nos últimos dez anos, a produção dessa especialidade cresceu 64%, com quase 13,5 bilhões de litros/ano. Isso tem despertado o interesse de empreendedores e os especialistas avaliam que no país esse mercado tem grande potencial a ser explorado e são grandes as oportunidades para quem quer empreender e montar um negócio. As pequenas cervejarias regionais e as microcervejarias brasileiras representam 1,4% do mercado e são responsáveis por 17,5% dos empregos gerados no setor. Existem cerca de 250 empresas entre as pequenas cervejarias regionais e as microcervejarias do Brasil. Segundo dados do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, da Associação Brasileira de Bebidas e do Grupo Pão de Açúcar, as cervejas artesanais correspondem a 0,15% do mercado brasileiro de cervejas, mas a estimativa é que representem 2% da indústria, nos próximos 10 anos. Na rede Pão de Açúcar, o consumo de cervejas especiais cresce 80% ao ano. Os investidores apostam no poder de comunicabilidade de Compadre Washington para viabilizar o produto lançamento 23

13 vitrine dos bons negócios Fraldas (71) vivo/(71) tim (71) (71) Tel: (75) /

14 Dicas Técnicas Escrituração Digital Fiscal substitui livros de registros contábeis e integra sistemas Por Leonardo Ribeiro (Texto e Fotos) 26 A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse dos fiscos das unidades federadas e da Secretaria da Receita Federal do Brasil, bem como de registros de apuração de impostos referentes às operações e prestações praticadas pelo contribuinte. Este arquivo deverá ser assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped. Promovido pela Visão Treinamento, o curso de Escrituração Fiscal reuniu profissionais da área no mês de maio na sede da Associação Bahiana de Supermercados. O curso foi lecionado pelo experiente profissional Henrique Granjeon, auditor fiscal da Receita Federal. Desde 2009 a EFD se tornou obrigatória para contribuintes do tipo Normal do ICMS. De acordo com Henrique Granjeon, a EFD trata do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) - e/ou o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), e substitui os seguintes livros fiscais: Registro de Entradas; Registro de Saídas; Registro de Apuração ICMS; Registro de Apuração do IPI; Registro de Inventário; Controle de Crédito de ICMS do Ativo Permanente (CIAP). A Escrituração Fiscal Digital (EFD) é um arquivo digital que se constitui em um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse dos fiscos das Unidades Federadas (UF) e da Receita Federal do Brasil (RFB), bem como de registros de apuração de impostos referentes às operações e prestações praticadas pelo contribuinte. Em resumo, a Escrituração Fiscal Digital visa a substituição da escrituração de livros, documentos e informações fiscais, do papel para o meio digital, após ser validada, assinada e transmitida via internet. A qualquer tempo o contribuinte pode aderir voluntariamente à EFD, exceto os optantes pelo Simples Nacional. Para consultar a data de início da obrigatoriedade da EFD, o contribuinte poderá acessar o portal do Sistema Público de Escrituração Digital. Palestrantes Henrique Granjeon é auditor e consultor fiscal, e Abel Costa, diretor da Use Soft

15 Dicas Técnicas Granjeon disse que os arquivos da EFD têm periodicidade mensal e devem apresentar informações relativas a um mês civil ou fração O contribuinte tem que ficar atento aos prazos de entrega Conforme Henrique, os arquivos da EFD têm periodicidade mensal e devem apresentar informações relativas a um mês civil ou fração, ainda que as apurações dos impostos (ICMS e IPI) sejam efetuadas em períodos inferiores a um mês, segundo a legislação de cada imposto. Os contribuintes do Estado da Bahia devem apresentar à EFD até o dia 25 do mês subsequente ao fato gerador. O contribuinte tem que seguir algumas etapas antes de enviar o arquivo: 1ª: Credenciamento; 2ª: Geração do arquivo da EFD (a geração do arquivo digital é de responsabilidade do estabelecimento obrigado); 3ª: Validação da EFD; 4ª: Assinatura digital da EFD; 5ª: Transmissão do arquivo da EFD ao ambiente nacional do SPED; 6ª: Recepção do arquivo da EFD pelo ambiente nacional do SPED; 7ª: Validação pelo ambiente nacional; Resultado desta validação: I falha ou recusa na recepção, hipótese em que a causa será informada; II regular recepção do arquivo, hipótese em que será emitido recibo de entrega, com número de identificação. De modo geral, o contribuinte gera em seu ambiente empresarial um arquivo eletrônico contendo as informações da escrituração fiscal no layout estabelecido pelo Ato Cotepe/ ICMS nº 9, de 18/04/08 (e suas respectivas alterações), importa e valida o conteúdo deste arquivo por meio do Programa Validador e Assinador (PVA) e o assina digitalmente, de maneira a garantir a integridade dos dados e a autoria do emissor. Este arquivo eletrônico é transmitido pela Internet para o ambiente SPED, que é o repositório nacional de todas as EFD. Sendo a transmissão realizada com sucesso, o SPED devolve um protocolo de recebimento. Caso o contribuinte queira retificar a EFD, Henrique explica que nesse caso deverá ser feita solicitação formalmente à Inspetoria respectiva, descrevendo o motivo e o que precisa retificar. O contribuinte poderá retificar a EFD: a) até o vencimento, quantas vezes forem necessárias; b) após o vencimento, desde que autorizado pela autoridade fazendária da sua jurisdição. Programa Validador e Assinador da EFD (PVA) O PVA é um programa gratuito que deve ser utilizado pelo contribuinte para criar, importar, abrir, verificar pendências, gerar arquivo para entrega, assinar e transmitir sua escrituração fiscal. Além destas funcionalidades, pode ser utilizado ainda para consulta de situação do contribuinte no SPED, visualização e impressão do recibo de transmissão, visualização e impressão de relatórios e exportação de arquivos. 28

16 Dicas Técnicas 30 Tire suas dúvidas sobre a Escrituração Fiscal Digital 1. O Que é Sped Fiscal? Quais obrigações ela substitui? A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, constituído por um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse dos fiscos das unidades federadas e da Secretaria da Receita Federal do Brasil, bem como de registros de apuração de impostos referentes às operações e prestações praticadas pelo contribuinte. Este arquivo deverá ser assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped. 2. Quais os livros ela substitui? A EFD substitui a escrituração e impressão dos seguintes livros: a) Registro de Entradas; b) Registro de Saídas; c) Registro de Inventário; d) Registro de Apuração do IPI; e) Registro de Apuração do ICMS. A ideia é que os livros deixarão de existir. Mas não se trata de uma simples substituição do livro em papel por um livro eletrônico, pois o sistema é muito mais completo (e complexo) e vai exigir uma série de informações do contribuinte, além daquelas que já constavam dos livros. Em relação aos Regimes Especiais, cada UF se encarregará de adequá-lo ao cenário do Sped Fiscal. É importante destacar que, para o Sped NFe, o tratamento já foi definido. Ou seja, os regimes são casados e o contribuinte deve solicitá-lo novamente, mas, no modelo eletrônico. 3. A entrega do Sped Fiscal substituirá também o Sintegra e as GIAs das UFs que aderiam? Caso não substitua, há alguma previsão para substituir? O objetivo do fisco é identificar a possibilidade desta substituição no projeto piloto, através do cruzamento dos arquivos do Sped Fiscal com o Sintegra e as GIAs. Caso não seja aprovado, estas obrigações permanecerão paralelas até que possam ser substituídas. 4. Qual o procedimento para que a empresa comece a utilizar o Sped Fiscal? Para que a empresa possa atender ao Sped Fiscal, deve tratar os seguintes aspectos: Entendimento da legislação; Conscientização do cenário atual e analise de gaps; Implantação do sistema de geração do Sped Fiscal; Classificação fiscal de produtos; Validação dos cadastros PJ/ PF; Validação da carga tributária atual; Adequação dos sistemas e procedimentos; Capacitação das equipes; e Auditoria e cruzamento de dados. 5. Existe um arquivo Sped + EFD + ECD? O Sped - Sistema Público de Escrituração Digital abrange, entre outros, os subprojetos EFD - Escrituração Fiscal Digital e ECD - Escrituração Contábil Digital. Cada um deles deve ser apresentado em arquivo separado. 6. O contribuinte pode entregar um arquivo, contendo informações de todas as suas filiais espalhadas pelos estados brasileiros? Como estamos tratando de ICMS e IPI, a EFD está fundamentada no conceito de estabelecimento, não de empresa. Assim, o contribuinte deverá manter EFD distinta para cada estabelecimento, exceto em situações previstas na Legislação Estadual e Federal. 7. Como lançar vários documentos do mesmo tipo? O arquivo é hierárquico. Sendo assim, devem ser prestadas todas as informações do primeiro documento, antes de iniciar o próximo documento. Como exemplo, para vários documentos fiscais modelo 1, devem ser apresentados o C100 e seus filhos, para só depois lançar o próximo C Quantos arquivos devem ser enviados? Um arquivo para cada mês civil de apuração dos impostos (ICMS e IPI). 9. A pessoa jurídica que possui estabelecimentos filiais, obrigados a EFD deverá adquirir certificado digital (e-c- NPJ) para todos os CNPJ a fim de assinar os arquivos digitais? Alternativamente, os arquivos digitais de todos os seus estabelecimentos poderão ser assinados com o certificado digital da pessoa física (e-cpf) responsável perante o CNPJ. O certificado digital (e-c- NPJ) de um determinado estabelecimento poderá assinar o arquivo da matriz e de suas filiais, bem como o e-cpf do representante legal da matriz cadastrado na RFB poderá assinar os arquivos das filiais. 10. Como obter um certificado digital? O certificado digital pode ser obtido através de qualquer entidade certificadora, como a RFB.

17

18 Dicas do Rogério 34 Não pense em crise e sim em oportunidades! A crise está aí, bem instalada. Crise institucional, política, econômica e para alguns, financeira. O país está sem um comando claro. Mesmo assim sigo a minha ladainha dizendo que no aspecto pessoal, a crise pode ou não ser real. A minha pregação não tem nada a ver com o esoterismo, posição política ou um otimismo bobo e sem noção. Meu entendimento também não é alienação, mas constatação de que temos ainda muitas oportunidades não aproveitadas. A Abras divulgou no final de julho que as vendas em supermercados no Brasil caíram mais de 4% no mês de junho, comparando com o mês anterior e já descontada a inflação. Isso é informação com base em pesquisa e o instituto que fez essa pesquisa é uma empresa realmente séria. Ora, se a pesquisa aponta uma descida nas vendas de comida, por que mesmo assim eu continuo acreditando que a crise aí instalada não é para todos? Vou começar me explicando da seguinte forma. Entre as minhas atividades profissionais estão os trabalhos de consultoria pela minha empresa Agillys Consultores & Associados. A área em que mais atuamos é justamente a área de varejo de alimentos e entre os nossos clientes, neste mês, comparando com o mês de junho passado, devemos fechar com crescimento próximo aos 12% em média. Como acontece isso? Porque simplesmente essas empresas estão aproveitando o momento e buscando alternativas internas de melhoria. Até pouco tempo atrás não precisávamos vender e nem ter gestão, pois o cliente insistia em entrar nas lojas e comprar, mesmo que fosse mal atendido. Voltava porque era perto, porque não tinha outra opção, porque estava acostumado. Agora não, esse mesmo cliente precisa valorizar mais o seu dinheirinho suado e busca as melhores alternativas. Agora nós precisamos fazer um esforço para vender. Um dos quesitos nesse momento de maior dificuldade procurado pelos clientes é preço, e como podemos ter preço baixo se sou menor que o meu concorrente do lado? Sendo melhor, mais produtivo, mais cuidadoso com as perdas. Há muito desperdício nas operações de supermercados. Muitos erros são cometidos e são esses erros que muitas vezes encarecem o produto. Em média, no Brasil, os supermercados tem uma perda de 2,5% sobre as vendas brutas, mas as lojas que não têm controle nenhum sobre esse indicador podem considerar o dobro desse número, ou seja, 5% de desperdício. Se uma loja vende R$ 500 mil por mês, perde R$ 25 mil por mês. Boa parte disso poderia estar sendo utilizada para baixar preços e vender mais. Outro ponto é a produtividade. Contratar no Brasil é muito caro. Um colaborador custa mais de duas vezes o seu salário para o empregador. Ganha pouco e custa muito. Então precisamos ter os melhores. Se temos um desemprego crescente, é hora de saber selecionar e montar uma seleção de craques com garra, com perfil, com determinação em fazer o melhor. Até outro dia, mendigávamos por mão-de-obra que agora sobra. Os caras não queriam nada com nada e quando saiam não se preocupavam porque tinham a garantia do seguro desemprego. Colaborador é quem colabora e que funciona. No rico país, mesmo com toda essa roubalheira e falta de planejamento governamental, ainda é um país rico em oportunidades, porque simplesmente trabalhamos muito mal. Passa-se muito tempo no celular, muito tempo à frente da televisão, muito tempo discutindo futebol, muito tempo procurando culpados. Nos vangloriamos de ser alegres e criativos. Então, mãos à obra. Para finalizar vou dar uma dica de bom investimento para esse momento: abrir uma fábrica de lenços para secar a choradeira geral. No coletivo não estamos bem, mas podemos fazer a diferença mudando hábitos em sua vida pessoal e/ou profissional. Rogério Machado, diretor da Agillys Consultores & Associados, consultor, palestrante, professor de pósgraduação na FGV, Unijorge e HSM Management em Estratégia e Marketing, autor de artigos para revistas e jornais especializados, escritor do livro Planejando o seu Negócio para Obter Melhores Resultados.

19 Superbahia 2015 Foto desta página: Marcel Calatrone Pandini. 36 Superbahia sucesso de público e de negócios! Sucesso de público e de negócios. Essa é a avaliação do presidente da Abase, João da Abase, João Cláudio Nunes. Ao todo, cerca de 60 expositores mostraram produtos novos Cláudio Nunes, ao fazer um balanço da 6ª Feira e Convenção Baiana de Supermercados, e já consagrados, muitos deles em embalagens mais atrativas, que o cliente poderá conferir, Atacados, Padarias, Restaurantes e Distribuidores Superbahia Foram registradas a brevemente, nas gôndolas dos supermercados. A Superbahia contou também com palestras, circulação de 12 mil convencionais nas dependências da Superbahia, realizada na Arena cursos e debates, que aconteceram em dois espaços na própria arena. Já o II Fórum do Itaipava Fonte Nova, entre os dias 20 e 22 do mês passado. Com relação aos negócios o Varejo Baiano, organizado pela Revista Supermercado Moderno, foi realizado na manhã de saldo foi bastante positivo, chegando à casa dos R$ 400 milhões, de acordo com o presidente terça-feira, no Hotel Pestana, no Rio Vermelho. 37

20 João Cláudio Nunes, presidente da Abase, deu as boas-vindas aos convencionais da 6ª Feira e Convenção Baiana de Supermercados Autoridades estaduais e municipais, empresários da indústria e do comércio e representantes comerciais participaram da abertura 38 Cobertura da Superbahia Coordenação Benneh Amorin - Redação: Benneh Amorin, Leonardo Ribeiro e Alan Dantas. Fotos: Mário Sérgio e Benneh Amorin. Comercial: James Nei e Leonardo Ribeiro. Edição Benneh Amorin e Marialva Gomes. Mais de 12 mil visitantes faz da Superbahia sucesso de público e negócios Considerada um sucesso, com rendimento na ordem de R$ 400 milhões em negócios, a 6ª Superbahia - Feira e Convenção Baiana de Supermercados, Atacados, Padaria, Restaurantes e Distribuidores 2015, atraiu visitantes de toda a Bahia e de estados como Pernambuco, Sergipe e Piauí. Na abertura do evento, o presidente da Associação Bahiana de Supermercados, João Cláudio Nunes, ressaltou o valor do evento, avaliado como o maior no setor do Norte e Nordeste. Para ele, a convenção é muito importante, pois as principais indústrias e fornecedores do setor apresentam seus produtos e serviços, realizando grandes negócios com as redes e pequenos supermercadistas do estado. Entre os dias 20 e 22 de julho, empresários e executivos do varejo nacional, além de convidados, se reuniram na Arena Itaipava Fonte Nova, somando um público total de 12 mil participantes. Ainda na Fonte Nova, os convencionais assistiram a cursos e palestras e participaram de oficinas técnicas. Em paralelo, aconteceu o Fórum de Fortalecimento do Varejo Supermercadista Baiano, no Hotel Pestana. O objetivo foi qualificar empresas e profissionais do setor. Presente na abertura da Superbahia, o presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Fernando Yamada, destacou a Feira como forte aliada dos empresários, considerando-a motivo de orgulho para o setor e para o Brasil. Isso, porque estamos vivendo um momento econômico não muito favorável no país, aqui (na Superbahia) temos as oportunidades de relacionamentos de qualidade, num ambiente para bons negócios e muito conhecimento, analisou Yamada. Parceria - Desde a primeira Superbahia, as promotoras contam com a coparticipação do Sebrae-Bahia, que este ano promoveu vários cursos e palestras para os empresários, além de montar um show room para a exposição do portfólio de várias indústrias da Bahia. Este setor é grande gerador de emprego e de recursos para o estado. A Superbahia se constitui como um grande espaço para negócios, considerou o superintendente do Sebrae-Bahia, Adhvan Furtado. A cada ano, a Superbahia demonstra o quanto o setor de varejo contribui para a geração de emprego e renda no estado, como observa o presidente do Fecomércio, Carlos Andrade. A Superbahia se constitui como um espaço para negócios, uma oportunidade para dinamização deste setor, aproximando fornecedores e pequenos negócios, ressaltou. A Superbahia é uma realização da Associação Bahiana de Supermercados (Abase), em conjunto com o Sindicato dos Supermercados (Sindsuper), teve como co-realizador o Sebrae-Ba e a Nestlé sendo o patrocinador oficial. Secretário Hereda está otimista em relação à economia brasileira até o fim do ano Ao representar o governador Rui Costa, na abertura da Superbahia - Feira e Convenção Baiana de Supermercados, Atacados e Distribuidores -, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jorge Hereda, ressaltou a dinâmica na economia e a perspectiva positiva do setor em 2015, apesar dos desafios enfrentados até o momento. Ele se baseou em dados oficiais referentes aos dois últimos anos, que apontam o crescimento das vendas em supermercados. Conforme as pesquisas, houve aumento nas comercializações na ordem de 2,24% no ano passado em comparação com as de Com relação ao cenário econômico nacional, ele entende que o Brasil já superou situações O secretário de Desenvolvimento, Jorge Hereda, representou o governador Rui Costa, superintendente do Sebrae-Bahia e o presidente da Fecomércio, Carlos Andrade muito mais difíceis. Se a gente puxar um pouquinho pela memória vai se lembrar das crises dos anos 1980 e 1990, com hiperinflação, taxas de juros estratosféricas, desemprego e sem reservas cambiais. Hoje, as nossas bases econômicas são muito mais sólidas, disse Hereda na sua fala aos empresários. A despeito do cenário atual, o secretário avaliou que a perspectiva é a de que no final deste ano a economia brasileira apresentará um desempenho ainda melhor. Co-realizadora do evento, o Sebrae-Bahia esteve presente mais uma vez com o apoio técnico e o superintendente Adhvan Furtado, destacou a importância da feira, que vem se posicionando como uma das maiores do Norte e Nordeste no setor de alimentos de varejo. Este setor é grande gerador de emprego e de recursos para o estado. A Superbahia se constitui como um grande espaço para negócios. Enquanto o presidente do Fecomércio-Ba, destacou o setor como grande gerador de emprego e renda para o estado. A Superbahia se constitui como um grande espaço para negócios, uma oportunidade para dinamização deste setor, aproximando fornecedores e pequenos negócios, ressalta Andrade. 39

Cartilha da Escrituração Fiscal Digital - EFD

Cartilha da Escrituração Fiscal Digital - EFD Retificação da EFD O contribuinte poderá retificar a EFD: Até o dia 15 do mês subseqüente ao período informado, independente de autorização da SEFA/PA. Encerrado o prazo sem a retificação da EFD, o contribuinte

Leia mais

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Informações Gerais 1. O que é a Escrituração Fiscal Digital - EFD? A Escrituração Fiscal Digital EFD, também chamada de SPED Fiscal,

Leia mais

Cenário Atual, Desafios e Perspectivas do Sistema Público de Escrituração Digital SPED. Newton Oller de Mello Newton.oller@gmail.

Cenário Atual, Desafios e Perspectivas do Sistema Público de Escrituração Digital SPED. Newton Oller de Mello Newton.oller@gmail. Cenário Atual, Desafios e Perspectivas do Sistema Público de Escrituração Digital SPED Newton Oller de Mello Newton.oller@gmail.com Agenda 1. Visão Geral e Situação Atual dos Projetos integrantes do SPED

Leia mais

EFD Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal)

EFD Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal) EFD Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal) SPED Sistema Público de Escrituração Digital Instituído pelo Decreto nº 6022, de 22/01/2007, o projeto é composto dos seguintes subprojetos: EFD Escrituração

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO VEÍCULO: NATAL NOTÍCIAS DATA: 02.12.15 01 Dez 2015 Presidente Marcelo Queiroz participa da 17ª Convenção do Comércio e Serviços

Leia mais

NF-e e seu impacto prático

NF-e e seu impacto prático NF-e e seu impacto prático Apresentação e Conceito SPED Instituído pelo Decreto n º 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o projeto do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) faz parte do Programa de

Leia mais

COMITÊ GESTOR DA EFD

COMITÊ GESTOR DA EFD Cartilha da Escrituração Fiscal Digital - EFD COMITÊ GESTOR DA EFD Apresentação A Secretaria de Estado da Fazenda tem a satisfação de disponibilizar aos seus contribuintes, aos profissionais da Contabilidade

Leia mais

SPED-Fiscal ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Perguntas mais freqüentes

SPED-Fiscal ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Perguntas mais freqüentes SPED Versão 1.0.1 A. Conceito, uso e obrigatoriedade do SPED Fiscal: 1. O que é o SPED fiscal? Resp: A sigla SPED significa Sistema Público de Escrituração Digital. O SPED Fiscal ou Escrituração Fiscal

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital

Sistema Público de Escrituração Digital O SPED O Sistema Público de Escrituração Digital tem por objetivo promover a integração entre os órgãos reguladores e de fiscalização da União, FISCOS Estaduais e futuramente Municipais. Isso mediante

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital (EFD) Regras Gerais. 1. Introdução. 2. Definição

Escrituração Fiscal Digital (EFD) Regras Gerais. 1. Introdução. 2. Definição SUMÁRIO 1. Introdução 2. Definição 3. Contribuintes Obrigados à EFD 3.1. Contribuintes optantes pelo SIMPLES Nacional ou Microempreendedor Individual (MEI) 4. Livros Fiscais 5. Contribuintes Obrigados

Leia mais

EFD PIS COFINS Teoria e Prática

EFD PIS COFINS Teoria e Prática EFD PIS COFINS Teoria e Prática É uma solução tecnológica que oficializa os arquivos digitais das escriturações fiscal e contábil dos sistemas empresariais dentro de um formato digital específico e padronizado.

Leia mais

Projeto SPED de A a Z

Projeto SPED de A a Z Consultoria e Treinamentos Apresentam: Projeto SPED de A a Z SPED Decreto nº 6.022 22/01/07 Instituir o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) Promover a integração dos fiscos; Racionalizar e uniformizar

Leia mais

06/04/2011. Convênio ICMS nº 143, de 15 de dezembro de 2006 - Institui a Escrituração Fiscal Digital EFD. Ato Cotepe ICMS 09/2008

06/04/2011. Convênio ICMS nº 143, de 15 de dezembro de 2006 - Institui a Escrituração Fiscal Digital EFD. Ato Cotepe ICMS 09/2008 Curso Fortaleza-Ce EFD Pis/Cofins e ICMS/IPI Teoria e Prática Palestrante: Edison Garcia Junior Auditório do CRC-CECE 06 de abril de 2011 IN 1052/2010 EFD Pis/Cofins Estabelece regras de obrigatoriedade,

Leia mais

SPED NOTA FISCAL ELETRÔNICA. Maio/ 2009

SPED NOTA FISCAL ELETRÔNICA. Maio/ 2009 SPED NOTA FISCAL ELETRÔNICA Maio/ 2009 NFe - Objetivo Alteração da sistemática atual de emissão da nota fiscal em papel, por nota fiscal de existência apenas eletrônica. NFs Modelos 1 e 1A NFe - Conceito

Leia mais

20/10/2015 Por Jair Sampaio Pelo segundo ano consecutivo, Senac RN é uma das 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil

20/10/2015 Por Jair Sampaio Pelo segundo ano consecutivo, Senac RN é uma das 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil VEÍCULO: BLOG DO JAIR SAMPAIO DATA: 20.10.15 20/10/2015 Por Jair Sampaio Pelo segundo ano consecutivo, Senac RN é uma das 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil Instituição vinculada ao Sistema

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL Revisão: 1.1 29/09/2009

MANUAL DO SPED FISCAL Revisão: 1.1 29/09/2009 MANUAL DO SPED FISCAL Revisão: 1.1 29/09/2009 Vector Informática SPED Fiscal - EFD - PVA Este arquivo contém definições e funcionamento do SPED Fiscal, PVA, EFD, Certificado digital e outras informações

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Tópicos Avançados II 5º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 5: Certificado Digital e Nota

Leia mais

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos Luiz Campos 1 Livro de Apuração do IPI - CFOP CFOP DESCRIÇÃO 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL,

Leia mais

Plano de Negócio. Microcervejaria Rugbeer. Centro Universitário de Belo Horizonte - UNI-BH Curso de Processos Gerenciais Segundo Semestre/2009

Plano de Negócio. Microcervejaria Rugbeer. Centro Universitário de Belo Horizonte - UNI-BH Curso de Processos Gerenciais Segundo Semestre/2009 Plano de Negócio Microcervejaria Rugbeer Centro Universitário de Belo Horizonte - UNI-BH Curso de Processos Gerenciais Segundo Semestre/2009 Idealizadores André Sampaio Fábio Nogueira Gleidson Silva João

Leia mais

SPED - EFD - Escrituração Fiscal Digital

SPED - EFD - Escrituração Fiscal Digital Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

EFD Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal)

EFD Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal) EFD Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal) SPED Sistema Público de Escrituração Digital Instituído pelo Decreto nº 6022, de 22/01/2007, o projeto é composto: EFD Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal).

Leia mais

Confira também a legislação estadual do seu domicílio nos portais das Secretarias Estaduais de Fazenda.

Confira também a legislação estadual do seu domicílio nos portais das Secretarias Estaduais de Fazenda. Legislação pertinente ao SPED FISCAL em ordem anticronológica: Ato COTEPE/ICMS 17, de 15 de junho de 2011 - Altera o Ato COTEPE/ICMS 09/08, que dispõe sobre as especificações técnicas para a geração de

Leia mais

Sped altera realidade fiscal e contábil das empresas

Sped altera realidade fiscal e contábil das empresas Sped altera realidade fiscal e contábil das empresas O governo brasileiro, por meio da Receita Federal do Brasil (RFB), está implantando mais um avanço na informatização da relação entre o fisco e os contribuintes.

Leia mais

LIVRO ÚNICO DO REGULAMENTO DO IMPOSTO ÚLTIMA ALTERAÇÃO DECRETO 26.278 DE 17 DE JULHO DE 2009.

LIVRO ÚNICO DO REGULAMENTO DO IMPOSTO ÚLTIMA ALTERAÇÃO DECRETO 26.278 DE 17 DE JULHO DE 2009. LIVRO ÚNICO DO REGULAMENTO DO IMPOSTO ÚLTIMA ALTERAÇÃO DECRETO 26.278 DE 17 DE JULHO DE 2009. ÍNDICE SISTEMÁTICO DO REGULAMENTO DO ICMS DECRETO Nº 21.400, DE 10/12/2002 - QUE APROVOU O NOVO REGULAMENTO

Leia mais

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL O que você irá ver O que é o SPED; SPED Fiscal; Abrangência do projeto; O PAC e o SPED; Benefícios para as Empresas; Benefícios para a Fisco; SPED Contábil; Nota

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL PALESTRA SPED FISCAL REGRAS GERAIS

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL PALESTRA SPED FISCAL REGRAS GERAIS Le f is c L e g i s l a c a o F i s c a l CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - ICMS/IPI

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - ICMS/IPI ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - ICMS/IPI Legislação Nacional: - Convênio ICMS 143/06 - Ajuste SINIEF 2/09 - Ato COTEPE/ICMS 09/08 - IN RFB 1.009/10 - Protocolos ICMS 77/08 e 3/11 L i l ã Etd d Sã P l Legislação

Leia mais

Sede Sebrae Nacional

Sede Sebrae Nacional Sede Sebrae Nacional Somos o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa, uma entidade privada sem fins lucrativos, e a nossa missão é promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Elas formam um dos polos mais dinâmicos da economia brasileira, e são o principal sustentáculo do emprego e da distribuição de renda no país.

Elas formam um dos polos mais dinâmicos da economia brasileira, e são o principal sustentáculo do emprego e da distribuição de renda no país. Fonte: http://www.portaldaindustria.org.br 25/02/2015 PRONUNCIAMENTO DO PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO NACIONAL (CDN) DO SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE), NA SOLENIDADE

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

Plano de Trabalho 3 Pilares

Plano de Trabalho 3 Pilares Vote na Chapa 2 VOTAÇÃO Dia 10/09 segunda-feira No Auditório do Edifício Redenção Entre 19h e 20h30 Na Avenida Tancredo Neves, nº 2421 - Térreo Prédio ao lado do prédio da ABRH-BA Você merece o melhor!

Leia mais

Certificado Digital Usos e Aplicações

Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital: Onde usar? O certificado digital é um documento eletrônico que proporciona agilidade em muitas das atividades realizadas atualmente por seu titular.

Leia mais

REVISÃO PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A OBRIGATORIEDADE DE NF-E PARA AS COMPRAS E AQUISIÇÕES NO ÂMBITO DO ESTADO DE SANTA CATARINA*

REVISÃO PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A OBRIGATORIEDADE DE NF-E PARA AS COMPRAS E AQUISIÇÕES NO ÂMBITO DO ESTADO DE SANTA CATARINA* INFORMAÇÃO GENOC/DCOG N. 038/2011 Florianópolis, 08 de junho de 2011. REVISÃO PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A OBRIGATORIEDADE DE NF-E PARA AS COMPRAS E AQUISIÇÕES NO ÂMBITO DO ESTADO DE SANTA CATARINA* Trata-se

Leia mais

Impactos da Nota Fiscal Eletrônica no Setor de Varejo. Eduardo Barbosa de Souza Diretor de P&D&I Oriontec Automação Comercial ebsouza@oriontec.com.

Impactos da Nota Fiscal Eletrônica no Setor de Varejo. Eduardo Barbosa de Souza Diretor de P&D&I Oriontec Automação Comercial ebsouza@oriontec.com. Impactos da Nota Fiscal Eletrônica no Setor de Varejo Eduardo Barbosa de Souza Diretor de P&D&I Oriontec Automação Comercial ebsouza@oriontec.com.br Agenda Visão Geral da NF-e Breve Histórico Conceito

Leia mais

Funcionalidades da Escrituração Fiscal Digital EFD Revisão dos Fundamentos da EFD Caso Prático EFD. Luiz Campos

Funcionalidades da Escrituração Fiscal Digital EFD Revisão dos Fundamentos da EFD Caso Prático EFD. Luiz Campos Funcionalidades da Escrituração Fiscal Digital EFD Revisão dos Fundamentos da EFD Caso Prático EFD Luiz Campos 1 QUEM ESTÁ OBRIGADO À APRESENTAÇÃO DA EFD A cláusula terceira do Ajuste SINIEF 2, de 3 de

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica Volume 4

Nota Fiscal Eletrônica Volume 4 Brasil Nota Fiscal Eletrônica Volume 4 Nota Fiscal Eletrônica A Nota Fiscal Eletrônica já é uma realidade e uma tecnologia conhecida. Mas o projeto é contínuo, sempre com novidades. Uma delas é a maximização

Leia mais

Por dentro do fisco on-line A Escrituração Fiscal Digital

Por dentro do fisco on-line A Escrituração Fiscal Digital Por dentro do fisco on-line A Escrituração Fiscal Digital Wílson Bento Júnior Supervisor de Fiscalização da Auditoria Informatizada da Secretária da Fazenda SP Escrituração Fiscal Digital - EFD Wilson

Leia mais

Informativo www.unicred.com.br

Informativo www.unicred.com.br Informativo www.unicred.com.br ano 5 nº 40 2011 Editorial Unicred do Brasil Definido o tema da IX Convenção Nacional Unicred A Comissão Organizadora da Convenção Nacional Unicred, que se realizará na cidade

Leia mais

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica sumário >> Introdução... 3 >> Nota fiscal eletrônica: o começo de tudo... 6 >> Nota fiscal de consumidor eletrônica (NFC-e)... 10 >> Quais as vantagens

Leia mais

APRESENTAÇÃO: SUPERBAHIA

APRESENTAÇÃO: SUPERBAHIA APRESENTAÇÃO: A sexta edição da SUPERBAHIA - Feira e Convenção Baiana de Supermercados, Atacados e Distribuidores, será realizada no período de 20 a 22 de julho de 2015, na Arena Fonte Nova. Esse evento

Leia mais

PORTFÓLIO INSTITUCIONAL GRUPO ASSETS - 2013 2014. Apresentação

PORTFÓLIO INSTITUCIONAL GRUPO ASSETS - 2013 2014. Apresentação 2013 2014 PORTFÓLIO INSTITUCIONAL GRUPO ASSETS - 2013 2014 Apresentação Assets Contadores e Consultores Associados, fundada ano 2000, é uma empresa jovem e totalmente dinâmica, que busca sempre o melhor

Leia mais

www.audicgroup.com.br DR SPED

www.audicgroup.com.br DR SPED www.audicgroup.com.br DR SPED a EMPRESA A Audic Group no Brasil tem o compromisso com os seus clientes de buscar a satisfação por eles desejada, para tanto dedica-se na identificação dos problemas, na

Leia mais

A Nota Fiscal Eletrônica proporciona benefícios a todos os envolvidos em uma transação comercial.

A Nota Fiscal Eletrônica proporciona benefícios a todos os envolvidos em uma transação comercial. O QUE É A NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-E? Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar,

Leia mais

Geraldo Scheibler. Equipe da NF-e no RS nfe@sefaz.rs.gov.br

Geraldo Scheibler. Equipe da NF-e no RS nfe@sefaz.rs.gov.br Geraldo Scheibler Equipe da NF-e no RS nfe@sefaz.rs.gov.br Escrituração Contábil Digital Escrituração Fiscal Digital Nota Fiscal Eletrônica Sistema Público de Escrituração Digital - SPED SPED Subprojetos

Leia mais

Mídia Kit 2015. Publicidade. Tabela com vigência a partir de janeiro de 2015 Versão I em 26/11/2014

Mídia Kit 2015. Publicidade. Tabela com vigência a partir de janeiro de 2015 Versão I em 26/11/2014 Mídia Kit 2015 Publicidade Tabela com vigência a partir de janeiro de 2015 Versão I em 26/11/2014 Multiplataforma A Prazeres da Mesa é hoje a mais dinâmica produtora de conteúdo de gastronomia em várias

Leia mais

Assine PEGN e receba até 4 meses grátis!

Assine PEGN e receba até 4 meses grátis! Page 1 of 5 Home Notćias Esportes Entretenimento V deos Todososites RSS Mobile Favoritos Twitter Assine PEGN e receba até 4 meses grátis! Abril de 2010 Ampliar capa HOME Agenda Calendário Fiscal Colunistas

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento

Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento Sumário XXI EDIÇÃO DO CONGRESSO FENABRAVE TERMINA COM PREVISÃO OTIMISTA PARA

Leia mais

DECRETO Nº 29.041, DE 26 DE OUTUBRO DE 2007

DECRETO Nº 29.041, DE 26 DE OUTUBRO DE 2007 DECRETO Nº 29.041, DE 26 DE OUTUBRO DE 2007 * Publicado no DOE em 31/10/2007. Acresce dispositivos ao Decreto nº 24.569, de 31 de julho de 1997, que regulamenta e consolida a legislação do Imposto sobre

Leia mais

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2014

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2014 EI, VOCÊ AÍ! Regularize a situação da sua empresa com as dicas do Sebrae-SP e aproveite todos os benefícios da formalização. Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual

Leia mais

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES Maio de 2012 O QUE É A EFD-Contribuições trata de arquivo digital instituído no Sistema Publico de Escrituração Digital SPED, a ser utilizado pelas pessoas jurídicas de direito

Leia mais

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD Luiz Antonio Baptista da Costa Leite Auditor Fiscal da Fazenda Estadual Coordenação dos Estudos Econômico-Fiscais - COEFI Coordenador dos projetos NF-e, CT-e, EFD

Leia mais

Projeto SPED no Sistema USIMINAS. Emanuel da Silva Franco Jr Coordenador do Projeto SPED/NF-e

Projeto SPED no Sistema USIMINAS. Emanuel da Silva Franco Jr Coordenador do Projeto SPED/NF-e Projeto SPED no Sistema USIMINAS Emanuel da Silva Franco Jr Coordenador do Projeto SPED/NF-e Agenda O Sistema USIMINAS Premissas do Projeto SPED Um pouco de Tecnologia O Projeto na USIMINAS Fatores Críticos

Leia mais

BLOCO K ENTENDA A NOVA OBRIGAÇÃO DO SPED FISCAL

BLOCO K ENTENDA A NOVA OBRIGAÇÃO DO SPED FISCAL BLOCO K ENTENDA A NOVA OBRIGAÇÃO DO SPED FISCAL Sumário: 01 02 03 04 05 O que é o Bloco K? Por onde começar? A quem se aplica? A quem não se aplica? Quais os impactos na organização? 06 07 08 09 10 Quais

Leia mais

TÍTULO 10 SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SPED E ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD

TÍTULO 10 SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SPED E ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD (*) 1) SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SPED 1.1) FINALIDADE: instituído pelo Decreto nº 6.022, de janeiro de 2007, o projeto do Sistema Público de Escrituração Digital SPED faz parte do programa

Leia mais

SIAGRI SISTEMAS Esclarecimentos SPED Contábil

SIAGRI SISTEMAS Esclarecimentos SPED Contábil SIAGRI SISTEMAS Esclarecimentos SPED Contábil O que é SPED? Sistema Público de Escrituração Digital É um projeto de âmbito NACIONAL sendo gerenciado pela RECEITA FEDERAL, tem como objetivo a uniformização

Leia mais

Cliente: Sindicerv Veículo: www.parana-online.com.br Data: 19-10-2010 Imagem Corporativa Monopólio no setor de bebidas é alvo de críticas Helio Miguel Pequenas perdem espaço. A enorme concentração no setor

Leia mais

VEÍCULO: PORTAL UOL SEÇÃO: ECONOMIA DATA: 17.02.2011

VEÍCULO: PORTAL UOL SEÇÃO: ECONOMIA DATA: 17.02.2011 VEÍCULO: PORTAL UOL SEÇÃO: ECONOMIA VEÍCULO: REVISTA ALGO MAIS SEÇÃO: ECONOMIA DATA: 16.02.2011 Algomais - PE 16/02/2011-17:43 Mercado de executivos em alta Com várias empresas chegando para se instalar

Leia mais

SINTEGRA + DPI + LIVROS FISCAIS EM PAPEL + OUTROS

SINTEGRA + DPI + LIVROS FISCAIS EM PAPEL + OUTROS SINTEGRA + DPI + LIVROS FISCAIS EM PAPEL + OUTROS Coordenação do SPED FISCAL Página 1 de 38 ÍNDICE Apresentação...4 Agradecimentos...6 O que é Escrituração Fiscal Digital (EFD)?...7 Quem está obrigado

Leia mais

Maranhão > Novembro/2015

Maranhão > Novembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Maranhão >

Leia mais

Projetos da Receita Federal

Projetos da Receita Federal Escrituração Fiscal Digital - EFD Projetos da Receita Federal A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras

Leia mais

Novas obrigações digitais: Penalidades e o fim da DACON Palestra

Novas obrigações digitais: Penalidades e o fim da DACON Palestra Novas obrigações digitais: Penalidades e o fim da DACON Palestra Quem sou eu... Pai, marido, corinthiano, louco por barcos, empreendedor, especialista em Arquivos Digitas e SPED Trabalho com arquivos digitais

Leia mais

de frente Na linha Automação e expansão ABAD ENTREVISTA

de frente Na linha Automação e expansão ABAD ENTREVISTA Na linha Como a automação contribuiu para o desenvolvimento das empresas de distribuição e atacadistas? A automação foi fundamental para o crescimento e fortalecimento do setor. Sem o uso intensivo da

Leia mais

RESUMO ESPANDIDO QUALITATIVO NOTA FISCAL ELETRÔNICA: MUDANÇAS E REPERCUSSÕES PARA EMPRESAS E ÓRGÃOS FISCALIZADORES

RESUMO ESPANDIDO QUALITATIVO NOTA FISCAL ELETRÔNICA: MUDANÇAS E REPERCUSSÕES PARA EMPRESAS E ÓRGÃOS FISCALIZADORES RESUMO ESPANDIDO QUALITATIVO NOTA FISCAL ELETRÔNICA: MUDANÇAS E REPERCUSSÕES PARA EMPRESAS E ÓRGÃOS FISCALIZADORES Anilton ROCHA SILVA, Carina VIAL DE CANUTO, Carolina CLIVIAN PEREIRA XAVIER, Débora LORAINE

Leia mais

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED?

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? SPED PIS/COFINS Teoria e Prática O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? E v e l i n e B a r r o s o Maracanaú - CE Março/2 0 1 2 1 2 Conceito O SPED é instrumento que unifica as atividades

Leia mais

LSoft SGC Gestão Empresarial

LSoft SGC Gestão Empresarial LSoft SGC Gestão Empresarial O LSoft SGC é um sistema de gestão dinâmico, eficiente e flexível idealizado para atender diversos segmentos de indústrias, comércios e serviços. O objetivo principal é tornar

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal SPED Contábil e Fiscal Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal SPED. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 CIRCULAR 37/12 Novo Hamburgo, 02 de julho de 2012. OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 DIA 04 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2015

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2015 EI, VOCÊ AÍ! Regularize a situação da sua empresa com as dicas do Sebrae-SP e aproveite todos os benefícios da formalização. Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual

Leia mais

Bebidas e Afins Express

Bebidas e Afins Express Bebidas e Afins Express BOLETIM SEMANAL DE NOTÍCIAS SOBRE A INDÚSTRIA DE BEBIDAS Ano 1 Número 11 31 de outubro de 2011 www.bebidaseafins.com.br EXPEDIENTE Publicação semanal da SWTH Comunicação Editores:

Leia mais

ELETRÔNICA FELLIPE M. GUERRA

ELETRÔNICA FELLIPE M. GUERRA 3ª GERAÇÃO - NOTA FISCAL ELETRÔNICA FELLIPE M. GUERRA ROTEIRO BREVE REVISÃO SOBRE NF-e - Conceito, características e modelo operacional. - Processamento da NF-e(autorização/denegação/rejeição). - Cancelamento

Leia mais

Do Sintegra ao SPEDFiscal

Do Sintegra ao SPEDFiscal Escrituração Fiscal Digital Clovis Antonio de Souza Claudio Augusto P. de Toledo Arquivos Texto Contribuinte Fisco Registros Fiscais Informações Econômico Fiscais Arquivo Eletrônico Ponte entre o Contribuinte

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

PROJETO SPED SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL (SPED CONTÁBIL, SPED FISCAL E NOTA FISCAL ELETRÔNICA) por Eduardo Purcena

PROJETO SPED SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL (SPED CONTÁBIL, SPED FISCAL E NOTA FISCAL ELETRÔNICA) por Eduardo Purcena PROJETO SPED SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL (SPED CONTÁBIL, SPED FISCAL E NOTA FISCAL ELETRÔNICA) por Eduardo Purcena O que é SPED? Sistema Público de Escrituração Digital É um projeto de âmbito

Leia mais

EDIÇÃO COMEMORATIVA POST SHOW. A maior feira da indústria de alimentos e bebidas tem UM nome. www.fispaltecnologia.com.br

EDIÇÃO COMEMORATIVA POST SHOW. A maior feira da indústria de alimentos e bebidas tem UM nome. www.fispaltecnologia.com.br EDIÇÃO COMEMORATIVA POST SHOW 2014 A maior feira da indústria de alimentos e bebidas tem UM nome www.fispaltecnologia.com.br Fispal Tecnologia, a 30ª edição! Se tem uma edição da Fispal Tecnologia que

Leia mais

A FEIRA VERÃO. Brasileiro 26-29 JUNHO. 48ª Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios. Domingo a Quarta ANHEMBI SP

A FEIRA VERÃO. Brasileiro 26-29 JUNHO. 48ª Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios. Domingo a Quarta ANHEMBI SP A FEIRA VERÃO do Brasileiro 48ª Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios 26-29 JUNHO Domingo a Quarta ANHEMBI SP Todo setor se encontra na Feira que é REFERÊNCIA nacional e internacional da

Leia mais

in light eletro house supri shop linea domus outdoor living & garden

in light eletro house supri shop linea domus outdoor living & garden utility house in domus eletro house in light linea domus supri shop outdoor living & garden FEIRA PROFISSIONAL Reunir em um mesmo local e momento investidores e mercado-alvo, formando um ambiente de negócios

Leia mais

Manual. Transmitindo arquivo da Nota Fiscal Gaúcha. www.atualy.com.br

Manual. Transmitindo arquivo da Nota Fiscal Gaúcha. www.atualy.com.br Manual Transmitindo arquivo da Nota Fiscal Gaúcha www.atualy.com.br ESCLARECENDO DÚVIDAS SOBRE A NOTA FISCAL GAÚCHA 1- O que é a Nota Fiscal Gaúcha? Nota Fiscal Gaúcha é um programa que, por meio da distribuição

Leia mais

O EVENTO. O Evento. Decor Prime Show. Mídia Espontânea. Conferência Feicon Batimat Nordeste. Apoios e Parcerias. Expositores. Visitantes.

O EVENTO. O Evento. Decor Prime Show. Mídia Espontânea. Conferência Feicon Batimat Nordeste. Apoios e Parcerias. Expositores. Visitantes. O EVENTO O Evento Decor Prime Show Mídia Espontânea Conferência Feicon Batimat Nordeste Apoios e Parcerias Expositores Visitantes Depoimentos O EVENTO Primeira edição da Feicon Batimat Nordeste é sucesso

Leia mais

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação.

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação. 1 A Feira do Empreendedor é um evento de sucesso promovido pelo SEBRAE-SP, com o objetivo de oferecer informação, conhecimento e oportunidade para empresários e futuros empreendedores. A Feira do Empreendedor

Leia mais

3ª Pesquisa. 3ª Pesquisa. IOB SPED NF-e. Mais informações sobre SPED e NF-e, acesse www.iobsolucoes.com.br www.iobsolucoes.com.

3ª Pesquisa. 3ª Pesquisa. IOB SPED NF-e. Mais informações sobre SPED e NF-e, acesse www.iobsolucoes.com.br www.iobsolucoes.com. 3ª Pesquisa /iobprimeo 1 A PESQUISA Estamos acompanhando o projeto SPED desde seu início, e sabemos que a crença de várias empresas quanto à adequação a esse sistema era de que poderia não perdurar. Entretanto,

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011

ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011 ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011 ORIENTAÇÃO AOS AGENTES PÚBLICOS COM RELAÇÃO ÀS DISPOSIÇÕES PREVISTAS PELA PORTARIA CAT 162/08 A RESPEITO DA OBRIGATORIEDADE DE EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. ÍNDICE

Leia mais

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO 1.1. O Prêmio Sebrae de Jornalismo (PSJ) é um concurso jornalístico instituído pelo Sebrae Nacional Serviço Brasileiro

Leia mais

EI, você aí! Passo a passo para as declarações de renda do Empreendedor Individual

EI, você aí! Passo a passo para as declarações de renda do Empreendedor Individual EI, você aí! Passo a passo para as declarações de renda do Empreendedor Individual SEBRAE-SP Conselho Deliberativo Presidente: Alencar Burti (ACSP) ACSP Associação Comercial de São Paulo ANPEI Associação

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: TUDO SOBRE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DO CONSUMIDOR

GUIA ATS INFORMÁTICA: TUDO SOBRE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DO CONSUMIDOR GUIA ATS INFORMÁTICA: TUDO SOBRE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DO CONSUMIDOR SUMÁRIO Introdução... 3 Requisitos para implementação da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica... 12 Vantagens da Nota Fiscal de Consumidor

Leia mais

O MARKETING COLETIVO COMO FORÇA COMPETITIVA

O MARKETING COLETIVO COMO FORÇA COMPETITIVA VAREJO Julho - 2012 O MARKETING COLETIVO COMO FORÇA COMPETITIVA Fonte imagem: Disponível em:< http://4.bp.blogspot.com/_caqa6tpillu/tjevn_ah_ei/ AAAAAAAAAAM/3dTp5VPhJ9E/s1600/69589_Papel-de-Parede-Todos-juntos_1280x800.

Leia mais

Aeconômica que nosso país

Aeconômica que nosso país 2 Informativo Sescon - Ano V - n 9 - Setembro 2015 A palavra do Presidente Caro leitor, instabilidade política e Aeconômica que nosso país atravessa neste ano, tem c a u s a d o p r e o c u p a ç õ e s,

Leia mais

Fiec entra na Justiça contra norma fiscal sobre importados

Fiec entra na Justiça contra norma fiscal sobre importados Fonte: Dr. Richard Dotoli (sócio do setor tributário na SCA Rio de Janeiro) MEDIDA DO CONFAZ Fiec entra na Justiça contra norma fiscal sobre importados 01.05.2013 A ação requer que indústrias importadoras

Leia mais

6ª FNINM. Feira de Negócios da Indústria Nacional de Motopeças. Club Homs - São Paulo

6ª FNINM. Feira de Negócios da Indústria Nacional de Motopeças. Club Homs - São Paulo 6ª FNINM Feira de Negócios da Indústria Nacional de Motopeças Club Homs - São Paulo FNINM Feira de Negócios Indústria Nacional de Motopeças QUEM SOMOS / COMO SURGIU / PÚBLICO O objetivo da feira é valorizar

Leia mais

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 13/2014

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 13/2014 INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 13/2014 (01 de Agosto de 2014) 01. RECEITA ESTADUAL ALERTA SOBRE RISCO DE PENALIDADE RELACIONADA A EFD. Órgão: Secretaria da Fazenda do Estado do Espírito Santo -

Leia mais

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ANEXO 18 REVOGADO OS ARTIGOS 1º, 2º, 3º, 4º, 5º, 6º, 7º, 8º e 8º-A pela RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA 10/11 de 14.12.11. Alteração: Resolução Administrativa nº 03/2015 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Acrescentado

Leia mais

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal?

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? Nas operações de vendas a contribuinte, a Nota Fiscal, modelos 1 e 1-A ou a Nota Fiscal

Leia mais

Sistema de Livros Fiscais Imediata

Sistema de Livros Fiscais Imediata 1 Sistema de Livros Fiscais Imediata 2 Descritivo das Rotinas Operacionais do Sistema de Livros Fiscais para geração EFD PIS/Cofins SPED Contribuições Após a instalação do Sistema de Livros Fiscais, basta

Leia mais

APOSTILA PARA O CURSO WFISCAL

APOSTILA PARA O CURSO WFISCAL TREINAMENTO Visão Estar posicionada entre as maiores e melhores provedoras de solução de gestão empresarial do Brasil Missão Desenvolvimento e fornecimento de soluções e serviços através de softwares para

Leia mais

SPED- SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL A MÁQUINA DE RAIO X DO FISCO

SPED- SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL A MÁQUINA DE RAIO X DO FISCO SPED- SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL A MÁQUINA DE RAIO X DO FISCO O QUE VOCÊ IRÁ VER O que é o SPED; Nota Fiscal Eletrônica; O PAC e o SPED; DANFE; Benefícios - Empresas, FISCO e Sociedade; Prazos

Leia mais

Pensou Outlet, pensou General Shopping Brasil.

Pensou Outlet, pensou General Shopping Brasil. Pensou Outlet, pensou General Shopping Brasil. O Outlet Premium avança pelo território nacional abrindo grandes oportunidades de negócios para você. Pensou Outlet, pensou General Shopping Brasil. Outlet

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO CIÊNCIAS CONTÁBEIS 7º SEMESTRE LAUZINHO VELOSO DE OLIVEIRA RA: 1038954329

ESTÁGIO SUPERVISIONADO CIÊNCIAS CONTÁBEIS 7º SEMESTRE LAUZINHO VELOSO DE OLIVEIRA RA: 1038954329 ESTÁGIO SUPERVISIONADO CIÊNCIAS CONTÁBEIS 7º SEMESTRE LAUZINHO VELOSO DE OLIVEIRA RA: 1038954329 Estágio II Ciências contábeis 2013 Itapecerica da Serra Maio 2013 Nome do Aluno: LAUZINHO VELOSO DE OLIVEIRA

Leia mais

VEÍCULO: BLOG DO CARLOS COSTA DATA: 21.07.15. Marcelo Queiroz prestigia Feira de Negócios do Seridó e Feirinha de SantAna em Currais Novos

VEÍCULO: BLOG DO CARLOS COSTA DATA: 21.07.15. Marcelo Queiroz prestigia Feira de Negócios do Seridó e Feirinha de SantAna em Currais Novos VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 22.07.15 EDITORIA: CULTURA VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 22.07.15 EDITORIA: CAPA E VIVER VEÍCULO: BLOG DO CARLOS COSTA DATA: 21.07.15 EDITORIA: ECONOMIA terça-feira, 21 de

Leia mais