Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama _ NIPC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama _ NIPC 507 930 452"

Transcrição

1

2 Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama _ NIPC Z.I.L. II, Lote 122-A _ Sines _ Portugal T _ F _

3 NOTA INTRODUTÓRIA 4 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL _ A ASSOCIAÇÃO _ NATUREZA E OBJECTO _ ASSOCIADOS _ ÓRGÃOS SOCIAIS (A 31 DE DEZEMBRO DE 2014) _ ENQUADRAMENTO ESTRATÉGICO _ALAVANCAS _ COMPETÊNCIAS E RECURSOS _ COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO _ PESSOAS E ORGANIZAÇÃO _ SISTEMAS _ DA ACÇÃO AOS RESULTADOS: MAPA RESUMO _ PROJECTOS _ ANÁLISE DA SITUAÇÃO ECONÓMICA E FINANCEIRA _ INDICADORES ECONÓMICO-FINANCEIROS _ RENDIMENTOS E GANHOS _ GASTOS E PERDAS _ EVOLUÇÃO ESPERADA DA ACTIVIDADE _ EVENTOS SUBSEQUENTES _ MENÇÕES OBRIGATÓRIAS _ PROPOSTA DE APLICAÇÃO DE RESULTADOS _ DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS _ ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE ANEXO 1 - DADOS ESTATÍSTICOS DA FORMAÇÃO ANEXO 2 - RELAÇÃO DE ESPAÇOS: OCUPAÇÃO

4 INTRODUTÓRIA O Sines Tecnopolo nasceu para responder a um conjunto de necessidades próprias das empresas da Plataforma Industrial Logística e Portuária de Sines, com o indispensável enquadramento e apoio da autarquia de Sines e numa ligação estreita com as instituições de ensino superior. A sua actividade tem sido pautada, desde a primeira hora, por uma lógica de aproveitamento das sinergias entre todas estas instituições. Os resultados alcançados em 2014 não foram totalmente satisfatórios e muitas das dificuldades que a organização atravessou tiveram como principal causa os problemas inerentes ao encerramento do anterior quadro comunitário e ao facto de os primeiros concursos no âmbito do Portugal 2020 só terem ocorrido no último mês do ano. Apesar disso, a actividade desenvolvida pelo Sines Tecnopolo durante o ano de 2014 ficou marcada pelo encerramento de vários projectos com taxas de execução plenas, com o estabelecimento de novas parcerias e com a realização de eventos e projectos que reforçaram a imagem e credibilidade desta instituição. Mas 2014 ficou igualmente marcado por um conjunto de acontecimentos que poderão ser decisivos na preparação do caminho a seguir. A alteração dos estatutos, com novas regras, mais aperfeiçoadas e mais abrangentes, e a eleição dos novos órgãos sociais são dois exemplos desse caminho. Um caminho que se pretende em consonância com os seus associados, com um maior envolvimento por parte destes, num esforço contínuo que se pretende materializado em acções concretas e que conduza a uma natural assunção de melhores resultados. Uma palavra final a todos os colaboradores pelo mérito do trabalho desenvolvido. Apesar de todas as dificuldades, o futuro tem de ser encarado com determinação e espírito aberto, para que em cada dia possamos fortalecer ainda mais esta instituição. O Presidente do Conselho de Administração Nuno Mascarenhas

5 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL O presente relatório é elaborado no âmbito da apresentação de informação financeira anual, preparada com referência a 31 de Dezembro de 2014, nos termos do disposto na alínea b) do artigo 19º dos Estatutos da Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama, publicados em Diário da República, 2ª Série N.º 137 de 18 de Julho de 2007 e com alteração dos Estatutos de quatorze de Maio de 2014, publicada no site https://publicacoes.mj.pt. 5 _ RELATÓRIO E CONTAS 2014

6 A ASSOCIAÇÃO 02.1 _ NATUREZA E OBJECTO 02.2 _ ASSOCIADOS A Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama, constituída a 19 de Dezembro de 2006, é uma Associação privada sem fins lucrativos, com sede na Zona Industrial Ligeira II, lote 122 A, freguesia e concelho de Sines. Adotou a denominação Sines Tecnopolo, marca registada junto do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, formato Simples e direto de comunicar o seu posicionamento estratégico: um parque de ciência e tecnologia. Iniciou a sua atividade a 1 de Agosto de 2007, com o nº de pessoa coletiva e tem como objeto social: - A promoção do empreendedorismo de base tecnológica e a oferta de serviços complementares relevantes para a atividade económica regional, acolhendo nas suas instalações ideias, projetos e empresas que apresentem uma forte ligação com áreas de investigação e desenvolvimento tecnológico determinantes para a diversificação e fortalecimento do tecido empresarial da região; - A promoção e incorporação de tecnologia e conhecimento produzido em instituições de investigação e ensino superior e a respetiva transferência para o sector produtivo; - A constituição, promoção, desenvolvimento e gestão de um centro de incubação de empresas de base tecnológica; - A prestação de serviços especializados, consultoria, formação, marketing, aluguer e rentabilização de espaços de apoio às empresas. ENTIDADE TIPO DE ASSOCIADO DATA Município de Sines Associado Promotor Associado Fundador Instituto Politécnico de Beja (IPB) Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) Universidade do Algarve (UALG) Universidade de Évora (UE) Associação Empresarial de Sines Leadership Business Consulting, S.A. Escola Tecnológica do Litoral Alentejano (ETLA) Associado Promotor Associado Promotor Associado Promotor Associado Promotor Associado Fundador Associado Fundador Associado Fundador Associado Fundador Associado Ordinário 2008 Associado Ordinário 2008 Associado Ordinário 2012 CENFIM Associado Ordinário 2012 GALP Energia Associado Ordinário 2013 APS Administração dos Portos de Sines e do Algarve S.A. Associado Ordinário 2014 GreenWorld Associado Ordinário 2014 Setrova - Construção e Manutenção Lda Soprofor - Soc. Promotora de Formação Lda Associado Ordinário 2014 Associado Ordinário 2014 A ASSOCIAÇÃO _ 6

7 02.3 _ÓRGÃOS SOCIAIS (A 31 DE DEZEMBRO DE 2014) MESA DA ASSEMBLEIA GERAL CONSELHO FISCAL PRESIDENTE Isidro Féria Instituto Politécnico de Beja PRESIDENTE António Ruano Universidade do Algarve VICE - PRESIDENTE Vasco Cardoso GreenWorld RELATOR Pedro Pires Soprofor Soc. Promotora de Formação Lda SECRETÁRIO João Custódio Associação Empresarial de Sines SECRETÁRIO Manuel Grilo CENFIM ADMINISTRAÇÃO PRESIDENTE Nuno Mascarenhas Câmara Municipal de Sines VICE-PRESIDENTE Fernando Valente Instituto Politécnico de Setúbal VOGAL Martinho Correia GALP Energia VOGAL Eduardo Bandeira APS Administração dos Portos de Sines e do Algarve SA VOGAL Jorge Araújo Universidade do Évora VOGAL Jorge do Carmo ETLA Escola Tecnológica do Litoral Alentejano VOGAL Carlos Palhares SETROVA Construção e Manutenção Lda 7 _ RELATÓRIO E CONTAS 2014

8 ENQUADRAMENTO ESTRATÉGICO Criação de Valor Empreendedores, PME s e Economia Social resultados clientes e ecomotores Ecomotores Pessoas Administração do Conquistar o reconhecimento das pessoas, dos empreendedores, das PME s e das entidades da economia social, como parceiro de qualidade, na dinamização da sua sustentabilidade e competitividade Alinhar às ações colaborativas e de partilha de conhecimento do Ecossistema Sines, nomeadamente, com a estratégia e a atividade empreendedora e empresarial Alinhar às ações colaborativas e de partilha de conhecimento do Ecossistema Sines, nomeadamente, com a estratégia e a atividade dos seus ecomotores Alinhar às ações colaborativas e de partilha de conhecimento do Ecossistema Sines com as Estratégias da Administração M necess e ec como ajus din Missão O Sines Tecnopolo é o catalisador do Ecossistema Sines, assumindo a missão de núcleo da ação colaborativa e de partilha de conhecimento e de dinamizador e acelerador da dinâmica empresarial e empreendedora. Constitui-se como um espaço de atratividade para o talento, a criatividade, os empreendedores e as empresas, alavancando oportunidades de emprego e de negócio, num contexto de desenvolvimento sustentável Ser reconhecido pelos ecomotores como o catalisador do Ecossistema Sines, enquanto núcleo da ação colaborativa e de partilha de conhecimento, dinamizador e acelerador da dinâmica empresarial e empreendedora Ser reconhecido como referência regional e nacional no domínio do empreendedorismo Ser reconhecido como referência regional e nacional nos domínios da Energia e do Mar Catalisar a sua competitividade através de serviços, ações e ferramentas de acordo com as suas necessidades Dinamizar e gerir as infraestruturas e espaços específicos, ajustando-os às necessidades dos Empreendedores, PME s e economia social Criar condições de atratividade para empresas e empreendedores Capacitar as empresas e os seus recursos de acordo com as suas necessidades Capacitar as empresas fornecedoras de serviços, nomeadamente, através da disponibilização de serviços, ações e ferramentas ajustadas às suas necessidades Construir, dinamizar e gerir projetos colaborativos com objetivos partilhados, alinhando-os com as necessidades comuns e complementares dos ecomotores Criar condições de atratividade para empresas e empreendedores Difundir e promover os valores da iniciativa e do empreendedorismo Capacitar as pessoas, nomeadamente através da prestação de serviços, ações e ferramentas ajustadas às suas necessidades Construir, dinamizar e gerir projetos colaborativos com objetivos partilhados com a Administração Capacitar as empresas fornecedoras de serviços, nomeadamente, através da disponibilização de serviços, ações e ferramentas ajustadas às suas necessidades Catalisar o seu contributo para a melhoria da competitividade através de serviços, ações e ferramentas de acordo com as suas necessidades Perse na serv e Desenv os cana servi Comu os p e a Si Gerir de forma proativa os pontos críticos da sua atividade enquanto núcleo do Ecossistema Sines Sustentabilidade Princípios fundadores da ação Relações próximas e de confiança com respostas eficientes e eficazes Soluções adaptadas às necessidades específicas de cada cliente e ecomotores Serviços de excelência (ágeis, de qualidade e flexíveis) Inovação sust conc encer uma ENQUADRAMENTO ESTRATÉGICO _ 8

9 alavancas processos competências e recursos ão e ento es da Gestão dos serviços Monitorizar as necessidades dos clientes e ecomotores, bem como a sua satisfação, ajustando de forma dinâmica a oferta Melhoria da Competitividade - Conceber e desenvolver projetos educativos e formativos que contribuam para a competitividade das pessoas e para o aumento da sua empregabilidade - Prestar serviços que melhorem a competitividade das PME s e catalisem e atraiam empreendedores - Conceptualizar e disponibilizar serviços partilhados, que proporcionem ao tecido empresarial valor acrescentado - Promover a partilha e transferência de conhecimento entre as grandes unidades de conhecimento empresarial, as Unidades do Sistema Científico e Tecnológico, e as Pequenas e Médias Empresas Colaboração e Cooperação - Potenciar a relação com agentes económicos, sociais e institucionais para gerarem a colaboração e o financiamento - Gerir projetos colaborativos com diferentes tipologias e dimensões organizacionais ar m os ão Perseguir a excelência na prestação de serviços aos clientes e ecomotores Empreendedorismo - Prestar serviços que apoiem e proporcionem condições a quem quer empreender e catalisem e atraiam empreendedores - Promover a criação de empresas, a cultura da iniciativa e do empreendedorismo e do talento que lhe está associado Pessoas e Organização sas iços, avés de as às s Desenvolver e diversificar os canais de prestação de serviços aos clientes e ecomotores Projetos Colaborativos Da oportunidade à viabilização - Promover a criação de uma cultura Colaborativa - Captar e desenvolver de forma proactiva potenciais oportunidades de desenvolvimento dos projetos colaborativos - Catalisar e desenvolver o processo de viabilização dos projetos colaborativos - Alinhar a organização com a nova estratégia - Fomentar uma cultura orientada para a melhoria contínua - Desenvolver as capacidades internas alinhadas com os novos objetivos - Implementar mecanismos de monitorização, que interliguem a avaliação com a remuneração ibuto a avés e rdo ades Comunicar eficazmente os produtos/serviços e as atividades do Sines Tecnopolo Assegurar a sustentabilidade, da conceptualização ao encerramento, de cada uma das atividades e projetos Projetos Colaborativos Da execução aos resultados - Executar e monitorizar os projetos colaborativos viabilizados de acordo com o contratualizado - Melhorar continuamente o projeto, tendo como foco os resultados e a sua sustentabilidade - Gerir o conhecimento gerado no âmbito do projecto Gestão de Parcerias - Prospetivar e estabelecer as parcerias necessárias e ajustadas às necessidades dos seus clientes e ecomotores - Monitorizar e gerir as relações com os parceiros Sistemas - Potenciar o uso da tecnologia como alavanca do desenvolvimento das atividades - Melhorar continuamente as ferramentas internas de gestão, em diferentes áreas, nomeadamente na gestão do conhecimento 9 _ RELATÓRIO E CONTAS 2014

10 ALAVANCAS No cumprimento da sua missão, o Sines Tecnopolo, no ano de 2014, iniciou e desenvolveu um conjunto de projectos, com vista à materialização dos processos identificados no âmbito da sua estratégia, contando para o efeito com um conjunto de competências e recursos tangíveis e intangíveis _ COMPETÊNCIAS E RECURSOS _ COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO LIGAÇÕES INSTITUCIONAIS AIQPR Associação das Indústrias da Petroquímica, Química e Refinação A AIPQR pretende criar um pólo de competitividade e Tecnologia das Indústrias da Refinação, Petroquímica e química Industrial, de âmbito internacional. O Sines Tecnopolo é um dos membros fundadores desta associação EBN European Business & Innovation Centre Network O Sines Tecnopolo foi acreditado pela comunidade europeia através da EBN com a classificação BIC European Business Innovation Centre. Este selo é atribuído às diversas entidades que reconhecidamente, cooperam no sentido de incentivar a criação de empresas e auxiliam no crescimento das já existentes BICS Associação dos Centros de Empresa e Inovação Portugueses A Associação dos Centros de Empresas e Inovação Portugueses serve de plataforma de actuação para potenciar sinergias entre os BIC s portugueses. O objectivo é fortalecer e consolidar o papel dos BIC s, no panorama nacional e internacional, como ferramentas de desenvolvimento regional e nacional UTEN University Technology Enterprise Network A rede UTEN é uma rede profissional de gabinetes de Transferência de Tecnologia centralizada na exportação e comercialização da ciência e tecnologia desenvolvida em Portugal. Esta rede acolhe universidades, institutos politécnicos, parques tecnológicos e incubadoras IASP International Association of Science Parks Desde Janeiro de 2010 que o Sines Tecnopolo é membro de direito pleno da IASP. Esta é uma organização não governamental consultiva do Conselho Económico e Social das Nações Unidas e membro fundador da World Alliance for Innovation (WAINOVA). É a representante principal dos parques de ciência e tecnologia a nível mundial ALAVANCAS _ 10

11 _ PESSOAS E ORGANIZAÇÃO DIRECÇÃO EXECUTIVA Mónica Morais de Brito João Paulo Saraiva Consultor da Direcção Andreia Rosa Assistente de Direcção UNIDADE DE GESTÃO DE RECURSOS SINESTEC ACADEMIA SINESTEC INOVAÇÃO E CONHECIMENTO SINESTEC INCUBAÇÃO E EMPREENDEDORISMO Joel Gomes Jorge Colaço Filipe Cruz António Santos Fátima Santos Paula Nobre Sandra Baptista Joana Vidigal Ana Marta Lourenço Marta Oliveira Daniela Sequeira Andreia Rosa Diogo Trindade Susana Coelho 11 _ RELATÓRIO E CONTAS 2014

12 _ SISTEMAS DATA CENTER/BASTIDOR CAVE SERVIDORES VIRTUAIS SERVIDORES VIRTUAIS PARTILHA DE FICHEIROS EM REDE SERVIDOR FORMAÇÃO SERVIDOR FORMAÇÃO W7 ACTIVE DIRECTORY SERVIDOR XP TERMINAL SERVER TERMINAL SERVER W7 SQL SERVER (PHC) CENTRAL TELEFÓNICA ROUTER PT SERVIDOR REAL STHV1 WINDOWS SERVER 2012 STFS1 WINDOWS SERVER 2012 STFM1 WINDOWS SERVER 2012 OFFICE 2013 STFSM(W7) WINDOWS 7 OFFICE 2013 STDC1 WINDOWS SERVER 2012 SERVIDOR REAL STHV2 WINDOWS SERVER 2012 STCAMWXP WINDOWS XP STTS1 WINDOWS SERVER 2012 OFFICE 2013 PHC 2013 STTS2(W7) AMBIENTE DE TRABALHO REMOTO OFFICE 2013 PHC 2013 STTSQL1 SOFTWARE SQL SERVER 2008 SISTEMA BACKUP SQL PHC 2013 BACKUP QNAP/NAS Vlans FIREWALL POE SWITCH1 CAVE SWITCH2 CAVE SISTEMA VÍDEO-VIGILÂNCIA EDIFÍCIO ANTIGO EDIFÍCIO PRINCIPAL Vlans SWITCH 1 ED. PRINCIPAL Vlans Vlans POE SWITCH ED. ANTIGO SWITCH 2 ED. PRINCIPAL Vlans POE SWITCH 3 ED. PRINCIPAL ALAVANCAS _ 12

13 DA ACÇÃO AOS RESULTADOS: MAPA RESUMO RESULTADOS ALAVANCAS CRIAÇÃO DE VALOR PROCESSOS Conquistar o reconhecimento das pessoas, dos empreendedores, das PME s e das entidades da economia social, como parceiro de qualidade, na dinamização da sua sustentabilidade e competitividade Ser reconhecido pelos ecomotores como o catalisador do Ecossistema Sines, enquanto núcleo da acção colaborativa e de partilha de conhecimento, dinamizador e acelerador da dinâmica empresarial e empreendedora - Projecto M - Sines - Turismo Industrial Sustentável - Check-In - Dia E (inclui PME Digital) - Café com Negócios - Criatividade Concurso de Ideias - TECH SINES 3º Fórum Empresarial para a Inovação e Competitividade - Programa Fomento de Absorção de Tecnologia (FAT) - RCI Rede de Cooperação para a Internacionalização - Projecto Educativo e Formativo: _ Formações Modulares Certificadas _ Curso de Aprendizagem Técnico de Eletrotecnia _ Programa de Formação Standard 2014 _ Programa de Formação à Medida 2014 _ Programa Vida Activa _ Formação Pós-Graduada - Programa de Transferência de Tecnologia - Café com Negócios - Criatividade Concurso de Ideias - TECH SINES 2º Fórum Empresarial para a Inovação e Competitividade - Programa Fomento de Absorção de Tecnologia (FAT) - RCI Rede de Cooperação para a Internacionalização - Dia E (inclui PME Digital) Ser reconhecido como referência regional e nacional nos domínios da Energia e do Mar - Programa Fundo de Eficiência Energética (FEE) Ser reconhecido como referência regional e nacional no domínio do empreendedorismo - Projecto M - Criatividade Concurso de Ideias RESULTADOS ALAVANCAS CRIAÇÃO DE VALOR PROCESSOS - GESTÃO DOS SERVIÇOS Gerir de forma proactiva os pontos críticos da sua actividade enquanto núcleo do Ecossistema Sines - Certificações - Diagnóstico de necessidades de projectos colaborativos - Revisão do modelo de cedência de espaços para incubação - Captação de novos Associados - Consolidação e Estabelecimento de Parcerias - Reconfiguração do Sistema de Gestão da Qualidade - Aprovação e entrada em vigor dos novos Estatutos da Associação - Produção Regular de Informação de Gestão 13 _ RELATÓRIO E CONTAS 2014

14 PROJECTOS 2014 PROJECTO FORMAÇÕES MODULARES CERTIFICADAS PROJECTO: /2012/23 COMPETÊNCIAS E RECURSOS DESCRIÇÃO COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS O projeto é destinado à população empregada de diferentes entidades, sectores de atividade, localidades e contextos sociais da região do Alentejo Litoral, visando fundamentalmente a aquisição e renovação de conhecimentos. A Formação Modelar Certificada tem como base as unidades de formação de curta duração (UFCD), de 25 ou 50horas, constantes no CNQ e destina-se a aperfeiçoar os conhecimentos e competências dos candidatos, com vista ao completamento e à construção progressiva de uma qualificação profissional. Programa Operacional do Potencial Humano (POPH) - SinesTec Academia - Unidade de Gestão de Recursos - SIIFSE - SIGO - PHC - Website - Facebook RESULTADOS - Planeamento e realização de 925 horas de formação, repartidas por 19 ações de 25 horas e 9 ações de 50 horas. - Certificação de 507 formandos; - Participação de 15 formadores - Execução de volume de formação correspondente a 33% do Projecto ANEXO 1 - DADOS ESTATÍSTICOS DA FORMAÇÃO 2014 PROJECTOS _ 14

15 COMPETÊNCIAS E RECURSOS PROJECTO DESCRIÇÃO COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS CURSO DE APRENDIZAGEM TÉCNICO DE ELETROTECNIA Os cursos de Aprendizagem são cursos de formação profissional inicial, em alternância dirigidos a jovens privilegiando a sua inserção no mercado de trabalho e permitindo o prosseguimento dos estudos. Assumem-se como uma modalidade de cumprimento da escolaridade obrigatória. Destinam-se a jovens com idade inferior a 25 anos e com habilitações iguais ao 3º ciclo do ensino básico ou superior, sem conclusão do ensino secundário. Instituto de Emprego e formação Profissional (IEFP) - SinesTec Academia - Unidade de Gestão de Recursos - SIIFSE - SIGO - PHC - Website - Facebook RESULTADOS - Realização de 895 horas de formação, correspondente a um Volume de Formação de _ RELATÓRIO E CONTAS 2014

16 COMPETÊNCIAS E RECURSOS PROJECTO DESCRIÇÃO COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS RESULTADOS FORMAÇÃO STANDARD O Projecto Formação Standard 2014, foi concebido de acordo com o diagnóstico de necessidades formativas das empresas e da população do Alentejo Litoral. Este Projecto engloba algumas das áreas de formação acreditada pela Direcção Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT). - Reconhecimento do IEFP - Reconhecimento do ACT - Codhitrab - For-Mar - Acrescer - SinesTec Academia - Unidade de Gestão de Recursos - PHC - Website - Facebook - Formação Pedagógica Inicial de Formadores: - Desenvolvimento de 180 horas de formação, repartidas 2 acções; - Certificação de 16 formandos; - Colaboração de 3 formadores; - Segurança e Higiene do Trabalho: - Diversificação da oferta formativa; - Desenvolvimento de 200 horas de formação; - 35 acções; - Participação de 469 formandos; - Marinheiro de 2ª classe de Tráfego Local: - Realização de 1 sessões de esclarecimento com a participação de 90 pessoas; horas de formação - 1 acção - Certificação de 18 formandos; - Colaboração de 6 formadores; - Animador de Colónias de Férias: - Desenvolvimento de 30 horas de formação; - Certificação de 9 formandos; - Colaboração de 3 formadores; PROJECTOS _ 16

17 PROJECTO DESCRIÇÃO FORMAÇÃO À MEDIDA A Formação à Medida é uma intervenção formativa direcionada para as empresas, são soluções formativas que correspondem às necessidades das pessoas e das organizações oferecendo respostas distintas, pensadas caso a caso, em função dos perfis de partida, que permitem uma aprendizagem mais eficaz em sintonia com as características e exigências do posto de trabalho. COMPETÊNCIAS E RECURSOS COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS - SinesTec Academia - Unidade de Gestão de Recursos - Moodle - SIGO - PHC - Website - Facebook RESULTADOS - Realização de 56 propostas de formação; - Adjudicação de 28 propostas de formação; - Realização de 218 horas de formação, repartidas por 43 acções; - Colaboração de 3 formadores; - Participação de 11 empresas; - Certificação de 300 formandos; - Diversificação da oferta formativa. 17 _ RELATÓRIO E CONTAS 2014

18 COMPETÊNCIAS E RECURSOS PROJECTO DESCRIÇÃO COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS FORMAÇÃO PÓS-GRADUADA A pós-graduação em Segurança e Higiene do Trabalho - B-Learning é um curso homologado pela ACT (Autoridade para as Condições de Trabalho), que confere a qualidade de Técnico Superior de Higiene e Segurança do Trabalho, aos alunos que concluam o curso com aproveitamento, de acordo com o Decreto-Lei nº 110/2000, de 30 de Junho. Este curso tem uma carga horária de 540 Horas, das quais 120 horas são é contexto real de trabalho. - Reconhecimento do IEFP - Reconhecimento do ACT - Codhitrab - For-Mar - Acrescer - SinesTec Academia - Unidade de Gestão de Recursos - Moodle - SIGO - PHC - Website - Facebook RESULTADOS - Divulgação e Planeamento; - Aprovação de 14 candidatos; - Desenvolvimento de 108 horas de formação; - Participação de 4 formadores. PROJECTOS _ 18

19 COMPETÊNCIAS E RECURSOS PROJECTO DESCRIÇÃO COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS VIDA ACTIVA O projecto vida activa é uma medida que pretende consolidar, integrar e aperfeiçoar um conjunto de intervenções orientadas para a activação dos desempregados, favorecendo a aprendizagem ao longo da vida, o reforço da empregabilidade e a procura activa de emprego. - Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) - SinesTec Academia - Unidade de Gestão de Recursos - SGFOR - SIGO - PHC - Website - Facebook RESULTADOS - Elaboração de 3 percursos de 300 horas da modalidade Vida Ativa: - Técnico Instalador de Sistemas de Bioenergia; - Técnico Comercial; - Técnico de Vendas. - Certificação de 55 formandos; - Participação de 9 formadores - Execução de 9698 volume de formação. 19 _ RELATÓRIO E CONTAS 2014

20 COMPETÊNCIAS E RECURSOS PROJECTO DESCRIÇÃO COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS GESTÃO DAS PARCERIAS ESTRATÉGICAS Avaliação constante de associação existente a redes internacionais. Análise de novas parcerias. - IASP - ENB - BICS - CCDR-A - SinesTec Inovação e Conhecimento - Unidade de Gestão de Recursos Relações Pessoais e Institucionais RESULTADOS Parcerias estratégicas: - Participação em eventos dos parceiros (Reunião Anual ANCES em Toledo, Espanha 100pax) PROJECTOS _ 20

21 COMPETÊNCIAS E RECURSOS PROJECTO DESCRIÇÃO COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS GESTÃO TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA Adaptar o definido na nova estratégia, inverter o paradigma e identificar nas empresas problemas que posteriormente sejam apresentados às entidades do SCT para resolução. - STCN - Associados (Univ. e Politécnicos) - PME s Ecossistema - SinesTec Inovação e Conhecimento - Unidade de Gestão de Recursos - SGFOR - SIGO - PHC - Website - Facebook RESULTADOS Processos de Transferência Tecnológica: 4 projectos de Transf. Tecnológica em curso: - 1 com Vale de Inovação - 3 em análise 21 _ RELATÓRIO E CONTAS 2014

22 COMPETÊNCIAS E RECURSOS PROJECTO DESCRIÇÃO COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS FOMENTO DE ABSORÇÃO DE TECNOLOGIA Programa inserido na rede Corredor Azul, visa contribuir para o desenvolvimento e aumento da competitividade das PME s e para a sua capacidade de beneficiar das oportunidades geradas pelo investimento neste território. Consiste num diagnóstico junto de 60 empresas, onde serão identificadas necessidades e avaliadas as capacidades de absorção da Tecnologia através da análise de competências e potencial das empresas participantes. Seguir-se-á a elaboração de um plano de acção, com a identificação de medidas correctivas, de potenciais soluções para a resolução de problemas e com sugestões para o desenvolvimento e melhoria contínua. - Câmara Municipal de Sines - Soprofor, Sociedade Promotora de formação, Lda. - Município de Santiago do Cacém; - Município de Odemira - SinesTec Inovação e Conhecimento - Unidade de Gestão de Recursos - Formulário Online (ferramenta Google docs) - PHC CRM (registo de visitas e agendamento de reuniões) - Site - divulgação - Facebook divulgação RESULTADOS Diagnóstico transversal à actividade de 60 PME s; Aumento da competitividade, através da aplicação e acompanhamento do Plano de Acção entregue às PMEs Obtenção de dados para análises futuras e atração de projectos em linha com as necessidades identificadas. Projecto com execução até Março 2015 PROJECTOS _ 22

23 COMPETÊNCIAS E RECURSOS PROJECTO DESCRIÇÃO COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS RCI REDE DE COOPERAÇÃO PARA A INTERNACIONALIZAÇÃO Programa desenvolvido pela Associação Empresarial de Sines e executado pelo Sines Tecnopolo, consiste na elaboração de um diagnóstico e avaliação das condições de cada PME aderente, para a aceleração empresarial, com vista à sua internacionalização propondo acções de melhoria, disponibilizando produtos e serviços que respondam às necessidades das PME; bem como executando estratégias/acções colectivas que permitam alinhar e alavancar as iniciativas de internacionalização das PME. Municípios abrangidos: Sines, Santiago do Cacém, Grândola, Alcácer do Sal, Odemira, Ferreira do Alentejo e Aljustrel. - Associação Empresarial de Sines - Soprofor, Sociedade Promotora de Formação, Lda - Município de Sines - Município de Santiago do Cacém; - Município de Grândola - Município de Alcácer do Sal - Município de Odemira - Município de Ferreira do Alentejo - Município de Aljustrel - Associações empresariais e outras entidades dos municípios envolvidos - SinesTec Inovação e Conhecimento - Unidade de Gestão de Recursos - SGFOR - SIGO - PHC - Website - Facebook RESULTADOS Capacitação de 60 PMEs para a aceleração empresarial com vista à sus internacionalização; Obtenção de dados para análises futuras e atração de projectos em linha com as necessidades identificadas. 23 _ RELATÓRIO E CONTAS 2014

24 COMPETÊNCIAS E RECURSOS PROJECTO DESCRIÇÃO COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS CRIATIVIDADE - CONCURSO DE IDEIAS - 2ª EDIÇÃO Este concurso, que foi lançado em todo o território nacional, com o apoio da Associação Acredita Portugal, procurou premiar as melhores ideias em três diferentes categorias: A - Mar e Energias B - Criar Futuros - PKF - IEFP - CRA - PPL - AICEP - APS - Associação Acredita Portugal - Plexus - Crédito Agrícola - Direcção Regional Economia - Alentejo - Câmara Municipal de Sines - Energy Exelerator - SinesTec Incubação e Empreendedorismo - Unidade de Gestão de Recursos - PHC - CRM - Website Criatividade - Website Sines Tecnopolo - Facebook RESULTADOS 42 Candidaturas PROJECTOS _ 24

25 COMPETÊNCIAS E RECURSOS PROJECTO DESCRIÇÃO COLABORAÇÃO E COOPERAÇÃO PESSOAS E ORGANIZAÇÃO SISTEMAS TECH SINES - 3º FÓRUM EMPRESARIAL PARA A INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE A 3ª edição do TECH SINES, realizou-se no Centro de Artes de Sines, no dia 27 de Novembro de 2014, sob tema Conhecer e Agir para Internacionalizar - Câmara Municipal de Sines - AICEP Global Parques - AICEP Portugal Global - Câmara de Comércio e Indústria Portugal Angola - Câmara de Comércio e Indústria Luso Chinesa - Câmara de Comércio e Indústria Luso-Brasileira - Câmara de Comércio e Indústria Luso-Peruana - Agência DNA Cascais - Instituto Pedro Nunes - Tagusvalley - NET Porto, Novas Empresas e Tecnologias - AgroArea - Urbanguru - Fundiarte - António Ângelo Cristovam - Consultoria - SinesTec Incubação e Empreendedorismo - Unidade de Gestão de Recursos - PHC - CRM - Website ST - Facebook RESULTADOS 70 participantes 25 _ RELATÓRIO E CONTAS 2014

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva centro tecnológico da cerâmica e do vidro coimbra portugal Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva Victor Francisco CTCV Responsável Unidade Gestão

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

Localização. Visão. Missão. Entidades promotoras

Localização. Visão. Missão. Entidades promotoras ESCOLA TECNOLÓGICA DO LITORAL ALENTEJANO ETLA Localização A Escola Tecnológica do Litoral Alentejano fica situada no Complexo Petroquímico da empresa Repsol na ZILS. Perto da realidade industrial, a sua

Leia mais

Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas

Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Sistema de Incentivos às Empresas O que é? é um dos instrumentos fundamentais das políticas públicas de dinamização económica, designadamente em matéria da promoção da

Leia mais

Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial

Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial COMPETIR + O Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial tem por objetivo promover o desenvolvimento sustentável da economia regional,

Leia mais

Vale Projecto - Simplificado

Vale Projecto - Simplificado IDIT Instituto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica Vale Projecto - Simplificado VALES Empreendedorismo e Inovação Associados Parceiros / Protocolos IDIT Enquadramento Vale Projecto - Simplificado

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO 3.1.1 PROGRAMA DE FORMAÇÃO-ACÇÃO PARA PME REGULAMENTO DE CANDIDATURA PARA ENTIDADES

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

Leia mais

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA O objetivo específico deste concurso consiste em conceder apoios financeiros a projetos

Leia mais

Inovação Empresarial e Empreendedorismo

Inovação Empresarial e Empreendedorismo Inovação Empresarial e Empreendedorismo Portugal 2020 Programa Operacional INFEIRA GABINETE DE CONSULTADORIA, LDA. RUA DO MURADO, 535, 4536-902, MOZELOS 227 419 350 INFEIRA.PT 0 Tipologia de Projetos Na

Leia mais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 07/SI/2010 1 Índice Condições de Elegibilidade do Promotor... 3 Condições

Leia mais

Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas: ABERTURA DE CONCURSOS

Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas: ABERTURA DE CONCURSOS Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas: ABERTURA DE CONCURSOS O SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas é a principal bandeira do Programa VALORIZAR. Com esta medida as

Leia mais

Programa FINICIA Financiamento de Start up inovadoras. Universidade de Évora, 13 de Dezembro de 2007

Programa FINICIA Financiamento de Start up inovadoras. Universidade de Évora, 13 de Dezembro de 2007 Programa FINICIA Financiamento de Start up inovadoras Universidade de Évora, 13 de Dezembro de 2007 O parceiro das PME 2 Missão Visão Produtos e Serviços Facilitar e assistir as PME nas suas estratégias

Leia mais

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013 SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas CCDRC, 14 fevereiro 2013 PROGRAMA VALORIZAR RCM n.º 7/2013, de 9/01 Valorização do território do interior e de baixa densidade demográfica e

Leia mais

Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO

Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO Hugo Barros UALG Universidade do Algarve Albufeira, 12 de Março 2015 INOVAÇÃO PAPEL CRUCIAL NO CRESCIMENTO ECONÓMICO DOS

Leia mais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 04/SI/2012 Índice Condições de Elegibilidade do Promotor... 3 Condições

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

Projeto de Alteração ao Regulamento do Programa de Apoio ao Investimento Nota Justificativa

Projeto de Alteração ao Regulamento do Programa de Apoio ao Investimento Nota Justificativa Projeto de Alteração ao Regulamento do Programa de Apoio ao Investimento Nota Justificativa O Regulamento do Programa de Apoio ao Investimento entrou em vigor a 15/01/2015, após aprovação pela Câmara Municipal

Leia mais

Benefícios Fiscais. Incentivos em regime contratual

Benefícios Fiscais. Incentivos em regime contratual Benefícios Fiscais O Estatuto dos Benefícios Fiscais consagra um conjunto de medidas de isenção e redução da carga fiscal para diversos tipos de projectos e investimentos. Os incentivos e benefícios fiscais

Leia mais

A Concepção da Ideia

A Concepção da Ideia A Concepção da Ideia Inov@emprego - Fórum do emprego, formação e empreendedorismo do litoral alentejano Tiago Santos Sines, 7 de Novembro de 2008 Sines Tecnopolo O Sines Tecnopolo é uma associação de direito

Leia mais

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 A aposta no apoio à internacionalização tem sido um dos propósitos da AIDA que, ao longo dos anos, tem vindo a realizar diversas acções direccionadas para

Leia mais

Associação dos Cozinheiros Profissionais de Portugal RELATÓRIO DE GESTÃO. Aida Machado

Associação dos Cozinheiros Profissionais de Portugal RELATÓRIO DE GESTÃO. Aida Machado Associação dos Cozinheiros Profissionais de Portugal RELATÓRIO DE GESTÃO Aida Machado 1. Caracterização da Associação A ACPP, Associação dos Cozinheiros Profissionais de Portugal, com sede na Rua Sant

Leia mais

Eixo I Projectos de Forte Conteúdo de Inovação Eixo II Negócio Emergentes de Pequena Escala Eixo III Iniciativas Empresarias de Interesse Regional

Eixo I Projectos de Forte Conteúdo de Inovação Eixo II Negócio Emergentes de Pequena Escala Eixo III Iniciativas Empresarias de Interesse Regional Programa FINICIA 02.02.2006 retirado de www.iapmei.pt Caracterização dos eixos de intervenção Eixo I Projectos de Forte Conteúdo de Inovação Eixo II Negócio Emergentes de Pequena Escala Eixo III Iniciativas

Leia mais

Sistemas de Incentivos

Sistemas de Incentivos Sistemas de Incentivos Apoios para PME na colaboração com entidades do SCT Lurdes Pinho (Secretária Técnica Sistemas de Incentivos ON.2) 1 Enquadramento 2 Estrutura ON.2 Eixo Prioritário FEDER % PO I -

Leia mais

AGENDA. Portugal 2020 Enquadramento Geral. Sistema de Incentivos às Empresas. Concursos

AGENDA. Portugal 2020 Enquadramento Geral. Sistema de Incentivos às Empresas. Concursos Luís Coito Turismo de Portugal, I.P. Guimarães, 10 de abril de 2015 AGENDA 1 Portugal 2020 Enquadramento Geral 2 Sistema de Incentivos às Empresas 3 Concursos 1 2020 Enquadramento Geral PORTUGAL 2020 ESTRATÉGIA

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN]

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Frederico Mendes & Associados é uma

Leia mais

COMPETIR CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2010 - PLANO FORMATIVO. www.competiracores.com. Formação e Serviços, S.A. Design www.craveirodesign.

COMPETIR CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2010 - PLANO FORMATIVO. www.competiracores.com. Formação e Serviços, S.A. Design www.craveirodesign. Design www.craveirodesign.com COMPETIR Formação e Serviços, S.A. www.competiracores.com CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2010 - PLANO FORMATIVO Quem Somos A Competir-Açores está integrada no Grupo COMPETIR e estamos

Leia mais

Portugal Brasil Moçambique Polónia

Portugal Brasil Moçambique Polónia www.promover.pt www.greatteam.pt Portugal Brasil Moçambique Polónia QUEM SOMOS - Prestamos serviços técnicos de consultoria de gestão e formação nos diversos setores da economia. - Presentes em Lisboa,

Leia mais

Investir no Atlântico

Investir no Atlântico Investir no Atlântico Domínio Competitividade e Internacionalização Região Competitiva, Resiliente, Empreendedora e Sustentável com base na valorização do Conhecimento UALG 17 novembro de 2015 Sistemas

Leia mais

Global Incentives Solutions*

Global Incentives Solutions* Incentives Solutions Global Incentives Solutions* Informação sobre incentivos ao investimento Número 6, Outubro de 2007 *connectedthinking What s hot Assinatura dos Programas Operacionais (PO) No passado

Leia mais

QREN Inovação Empreendedorismo Qualificado. Projectos Individuais N.º 06/SI/2011

QREN Inovação Empreendedorismo Qualificado. Projectos Individuais N.º 06/SI/2011 1 QREN Inovação Empreendedorismo Qualificado Projectos Individuais N.º 06/SI/2011 2 Índice 1. Objectivos e Prioridades 2. Condições de Acesso a. Promotor b. Projecto c. Aviso de Abertura 3. Modalidades

Leia mais

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO Como fazemos 1. Através do Serviço de Assistência Empresarial (SAE), constituído por visitas técnicas personalizadas às

Leia mais

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas PME Investe VI Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas Objectivos Esta Linha de Crédito visa facilitar o acesso ao crédito por parte das micro e pequenas empresas de todos os sectores de actividade,

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS Revisão 1 : 02/09/2015 PO PO Preparação e Reforço das Capacidades, Formação e Ligação em rede dos Gal (DLBC) Desenvolvimento Local de Base Comunitária 2ª fase Seleção das Estratégias de Desenvolvimento

Leia mais

PRAIE PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO EMPRESARIAL NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO ANEXO 1 - NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO

PRAIE PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO EMPRESARIAL NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO ANEXO 1 - NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO EMPRESARIAL NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO ANEXO 1 - NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO 1) O Programa de Apoio ao Investimento Empresarial, adiante designado

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

Banca, Seguros e Mercados Financeiros

Banca, Seguros e Mercados Financeiros Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama Sines Tecnopolo Pós-Graduação Banca, Seguros e Mercados Financeiros Edital 2ª Edição 2011 1 Enquadramento A Escola Superior

Leia mais

Inovação empresarial e empreendedorismo. Qualificação e internacionalização das PME. Investigação e desenvolvimento tecnológico

Inovação empresarial e empreendedorismo. Qualificação e internacionalização das PME. Investigação e desenvolvimento tecnológico Mostra das empresas + Iniciativa Domínio Competitividade e Internacionalização Região Competitiva, Resiliente, Empreendedora e Sustentável com base na valorização do Conhecimento Loulé 8 Maio de 2015 Sistemas

Leia mais

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução:

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução: EDIÇÃO 2011/2012 Introdução: O Programa Formação PME é um programa financiado pelo POPH (Programa Operacional Potencial Humano) tendo a AEP - Associação Empresarial de Portugal, como Organismo Intermédio,

Leia mais

Qualificação e Internacionalização das PME

Qualificação e Internacionalização das PME Qualificação e Internacionalização das PME Portugal 2020 Programa Operacional INFEIRA GABINETE DE CONSULTADORIA, LDA. RUA DO MURADO, 535, 4536-902, MOZELOS 227 419 350 INFEIRA.PT 0 Tipologia de Projetos

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha Turismo de Habitação e Turismo em Espaço Rural Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha Específica PME Investe III do Sector do Turismo, visa

Leia mais

Linha Específica para o Sector do Turismo

Linha Específica para o Sector do Turismo Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte das

Leia mais

Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015

Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015 REDE INTERMUNICIPAL DE PARCERIAS DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E ÀS EMPRESAS, COM IMPACTO NO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL DA REGIÃO DO ALGARVE Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015 1 1 CONTEÚDOS

Leia mais

V I D A A T I V A. Emprego Qualificado. Desempregados. APOIO ÀS Start-Up`s

V I D A A T I V A. Emprego Qualificado. Desempregados. APOIO ÀS Start-Up`s V I D A A T I V A Formar e I n t e g r a r Emprego Qualificado Desempregados APOIO ÀS Start-Up`s APOIO AO EMPREENDEDORISMO Apresentar os elementos centrais da intervenção do IEFP no apoio ao Empreendedorismo:

Leia mais

Adenda aos Critérios de Selecção

Adenda aos Critérios de Selecção Adenda aos Critérios de Selecção... Critérios de Selecção SI Qualificação PME EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE

Leia mais

FINICIA APOIO AO FINANCIAMENTO. Mar./2009. rita.seabra@iapmei.pt ana.rosas@iapmei.pt leitao.gomes@iapmei.pt www.finicia.pt

FINICIA APOIO AO FINANCIAMENTO. Mar./2009. rita.seabra@iapmei.pt ana.rosas@iapmei.pt leitao.gomes@iapmei.pt www.finicia.pt FINICIA APOIO AO FINANCIAMENTO na fase START-UP rita.seabra@iapmei.pt ana.rosas@iapmei.pt leitao.gomes@iapmei.pt www.finicia.pt Mar./2009 FINICIA Apresentação composta por duas partes: 1. Instrumentos

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR +

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + Ponta Delgada, 28 de Abril de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional

Leia mais

CENTRO SÓCIO - CULTURAL E DESPORTIVO SANDE S. CLEMENTE Rua N. Senhora da Saúde nº 91 -S. Clemente de Sande

CENTRO SÓCIO - CULTURAL E DESPORTIVO SANDE S. CLEMENTE Rua N. Senhora da Saúde nº 91 -S. Clemente de Sande CENTRO SÓCIO - CULTURAL E DESPORTIVO SANDE S. CLEMENTE Rua N. Senhora da Saúde nº 91 -S. Clemente de Sande NIPC :501971327 NISS :20007555241 NOTAS PERÍODOS 31-12-2014 31-12- ACTIVO Activo não corrente

Leia mais

NET Novas Empresas e Tecnologias, S.A. Business and Innovation Centre. Breve Apresentação

NET Novas Empresas e Tecnologias, S.A. Business and Innovation Centre. Breve Apresentação NET Novas Empresas e Tecnologias, S.A. Business and Innovation Centre Breve Apresentação A NET - Novas Empresas e Tecnologias, S.A., é a sociedade gestora do BIC - Business and Innovation Centre do Porto,

Leia mais

Contributo do CENTRO 2020 para a COMPETITIVIDADE e INTERNACIONALIZAÇÃO das PME. Ana Abrunhosa - Presidente CCDRC

Contributo do CENTRO 2020 para a COMPETITIVIDADE e INTERNACIONALIZAÇÃO das PME. Ana Abrunhosa - Presidente CCDRC Contributo do CENTRO 2020 para a COMPETITIVIDADE e INTERNACIONALIZAÇÃO das PME Ana Abrunhosa - Presidente CCDRC O PO Regional Centro 2014-2020 por EIXOS 9,79% 2,48% Eixo 9 Reforçar a rede urbana Eixo 8

Leia mais

QREN Inovação Inovação Produtiva. Projectos Individuais N.º 05/SI/2011

QREN Inovação Inovação Produtiva. Projectos Individuais N.º 05/SI/2011 1 QREN Inovação Inovação Produtiva Projectos Individuais N.º 05/SI/2011 2 Índice 1. Objectivos e Prioridades 2. Condições de Acesso a. Promotor b. Projecto c. Aviso de Abertura 3. Modalidades de Projectos

Leia mais

Programa Operacional de Potencial Humano EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

Programa Operacional de Potencial Humano EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL Programa Operacional de Potencial Humano EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO 3.1.1 PROGRAMA DE FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME REGULAMENTO DE CANDIDATURA PARA ENTIDADES

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Gestão de Projectos info@ipn-incubadora.pt +351 239 700 300 BEST SCIENCE BASED INCUBATOR AWARD Incentivos às Empresas Objectivos: - Promoção do up-grade das empresas de PME; - Apoiar

Leia mais

ASSISTIR AS PME NAS ESTRATÉGIAS DE CRESCIMENTO

ASSISTIR AS PME NAS ESTRATÉGIAS DE CRESCIMENTO ASSISTIR AS PME NAS ESTRATÉGIAS DE CRESCIMENTO O papel da Assistência Empresarial do IAPMEI António Cebola Sines, 11 de Dezembro de 2009 MISSÃO DO IAPMEI Promover a inovação e executar políticas de estímulo

Leia mais

ÍNDICE: Novembro de 2009

ÍNDICE: Novembro de 2009 ÍNDICE: 1. Início Ano Lectivo 2. Portugal Tecnológico 3. Gripe A Plano Contingência 4. Espaço de Leitura 5. Sonangol 6. Novos Órgãos Sociais da ETLA 7. Medalha de Mérito Concelho de Santiago do Cacém 8.

Leia mais

Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA

Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA Entidade: Centro de Emprego de Loulé Tema: Apoios à de Empresas e Criação do Próprio Emprego IEFP,I.P. 1. O Plano de Negócios 2. Apoios à Criação do Próprio Emprego ou

Leia mais

Tipologia de Intervenção 6.4

Tipologia de Intervenção 6.4 Documento Enquadrador Tipologia de Intervenção 6.4 Qualidade dos Serviços e Organizações Acções de consultoria inseridas no processo que visa conferir uma certificação de qualidade às organizações que

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À

SISTEMA DE INCENTIVOS À SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISOS PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS INOVAÇÃO PRODUTIVA EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Elisabete Félix Turismo de Portugal, I.P. - Direcção de Investimento PRIORIDADE

Leia mais

Domínio Competitividade e Internacionalização. Sistemas de incentivos às empresas

Domínio Competitividade e Internacionalização. Sistemas de incentivos às empresas Sistemas de incentivos às empresas ACIBTM/In.Cubo 6 de julho 2015 P. O. financiadores Domínio Competitividade e OBJETIVO: Criação de riqueza e de emprego através da melhoria da competitividade das empresas

Leia mais

PROGRAMA IMPULSO JOVEM

PROGRAMA IMPULSO JOVEM PROGRAMA IMPULSO JOVEM (O PROGRAMA IMPULSO JOVEM APRESENTA UM CONJUNTO DE MEDIDAS DE INCENTIVO À CRIAÇÃO DE EMPREGO JOVEM, UM DOS PRINCIPAIS DESAFIOS COM QUE PORTUGAL SE CONFRONTA ATUALMENTE.) 1. PASSAPORTE

Leia mais

Concurso de Ideias e Planos de Negócio «Start-Up Universitário!»

Concurso de Ideias e Planos de Negócio «Start-Up Universitário!» Concurso de Ideias e Planos de Negócio «Start-Up Universitário!» REGULAMENTO Preâmbulo A capacitação da força laboral com formação avançada e a criação de um sector privado forte, adequando-os aos desafios

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Inovação Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 02/SI/2012 1 Índice Tipologias de Investimento... 3 Condições de Elegibilidade

Leia mais

UM CONJUNTO INTEGRADO DE SOLUÇÕES PARA APOIAR AS PME

UM CONJUNTO INTEGRADO DE SOLUÇÕES PARA APOIAR AS PME UM CONJUNTO INTEGRADO DE SOLUÇÕES PARA APOIAR AS PME Ana Rosas Ana.rosas@iapmei.pt FINANCIAMENTO Ciclo de Vida das Empresas FINICIA FINCRESCE FINTRANS FINANCIAMENTO FINICIA Projectos de Forte Conteúdo

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Universidade de Évora, 10 de março de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral

Leia mais

Apoios às empresas no Norte 2020. Eunice Silva Valença 30.06.2015

Apoios às empresas no Norte 2020. Eunice Silva Valença 30.06.2015 Apoios às empresas no Norte 2020 Eunice Silva Valença 30.06.2015 SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INOVAÇÃO EMPRESARIAL EMPREENDEDORISMO QUALIFICAÇÃO DE PME INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME I&D Produção de

Leia mais

Mecanismo de Apoio e Incentivo à Inovação e I&DT

Mecanismo de Apoio e Incentivo à Inovação e I&DT Mecanismo de Apoio e Incentivo à Inovação e I&DT Victor Francisco Responsável Unidade Gestão e Promoção da Inovação [victor.francisco@ctcv.pt] Seminário Gestão da Inovação - ACIB 25 de Março 2010 1 Sumário

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha de Apoio à Tesouraria Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que: Tenham um volume de facturação anual inferior a 150 milhões de euros Desenvolvam

Leia mais

SIALM SISTEMA DE INCENTIVOS DE APOIO LOCAL A MICROEMPRESAS 1 SIALM SISTEMA DE INCENTIVOS DE APOIO LOCAL A MICROEMPRESAS

SIALM SISTEMA DE INCENTIVOS DE APOIO LOCAL A MICROEMPRESAS 1 SIALM SISTEMA DE INCENTIVOS DE APOIO LOCAL A MICROEMPRESAS 1 SIALM 2 OBJETIVO COMPLEMENTARIDADE O SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas foi criado pela Portaria n.º 68, de 15 de fevereiro, e enquadra-se no Programa Valorizar, estabelecido

Leia mais

Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira

Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira REGULAMENTO INTERNO INTRODUÇÃO A rede social é uma plataforma de articulação de diferentes parceiros públicos e privados que tem por objectivos combater

Leia mais

Plano de Atividades e Orçamento. Exercício de 2014

Plano de Atividades e Orçamento. Exercício de 2014 Plano de Atividades e Orçamento Exercício de 2014 Plano de Atividades e Orçamento para o exercício de 2014 Preâmbulo O Plano de Atividades do ano de 2014 foi elaborado de acordo com as expetativas dos

Leia mais

Plano Estratégico de Iniciativas à Empregabilidade Jovem e de Apoio às PME Exponor, 15 de Junho de 2012

Plano Estratégico de Iniciativas à Empregabilidade Jovem e de Apoio às PME Exponor, 15 de Junho de 2012 Plano Estratégico de Iniciativas à Empregabilidade Jovem e de Apoio às PME Exponor, 15 de Junho de 2012 Contexto: O Impulso Jovem, Plano Estratégico de Iniciativas de Promoção da Empregabilidade Jovem

Leia mais

Manual de Procedimentos das Entidades Beneficiárias

Manual de Procedimentos das Entidades Beneficiárias Manual de Procedimentos das Entidades Beneficiárias ÍNDICE Introdução...2 Capítulo I Programa Formação Ação para PME...3 I.1 Objetivos...3 I.2 Metodologia de Intervenção...4 I.3 Equipas de Intervenção...11

Leia mais

III Encontro Nacional de BIC s

III Encontro Nacional de BIC s de BIC s de BIC s Decorreu a 18 de Maio, em Abrantes, num hotel com uma vista magnífica para a Barragem de Castelo de Bode o 3º Encontro de BIC s (Business Innovation Centers Portugueses). Neste encontro

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

Amarante, 06 de Março de 2012 Centro de Desenvolvimento Empresarial do Norte

Amarante, 06 de Março de 2012 Centro de Desenvolvimento Empresarial do Norte Incentivos às empresas Amarante, 06 de Março de 2012 Centro de Desenvolvimento Empresarial do Norte Os Incentivos na estratégia do IAPMEI para as PME Facilitar e assistir as PME nas suas estratégias de

Leia mais

ALVES RIBEIRO - INVESTIMENTOS FINANCEIROS, SGPS, S.A. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INDIVIDUAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 (Montantes em Euros, excepto quando expressamente indicado) 1. NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS

PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE ALBUFEIRA 2014 PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS Uma consultadoria eficaz e rentável vocacionada para fornecer às empresas serviços integrais de formação e recrutamento.

Leia mais

NOTAS ANEXAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 2 REFERENCIAL CONTABILÍSTICO DE PREPARAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

NOTAS ANEXAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 2 REFERENCIAL CONTABILÍSTICO DE PREPARAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ASSOCIAÇÃO POPULAR DE PAÇO DE ARCOS Rua Carlos Bonvalot, Nº 4 Paço de Arcos Contribuinte nº 501 238 840 NOTAS ANEXAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 1 IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE:

Leia mais

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI 2ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI Patrocinador Principal Patrocinadores Globais APDSI PME Apoios ao crescimento APDSI

Leia mais

PRIME (PROGRAMA DE INCENTIVO ÀS MICRO-EMPRESAS) NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO. Artigo 1.º (Objectivo e Filosofia)

PRIME (PROGRAMA DE INCENTIVO ÀS MICRO-EMPRESAS) NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO. Artigo 1.º (Objectivo e Filosofia) PRIME (PROGRAMA DE INCENTIVO ÀS MICRO-EMPRESAS) NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO 1) O Programa de Incentivo às Micro-empresas, adiante designado por PRIME, é gerido pela Câmara Municipal de Vidigueira

Leia mais

O PROJETO PROMOINVEST Município de Vendas Novas

O PROJETO PROMOINVEST Município de Vendas Novas O PROJETO PROMOINVEST Município de Vendas Novas Alentejo no horizonte 2020 desafios e oportunidades Auditório Municipal de Vendas Novas, 02 de julho de 2013 página 2 I. Rede Corredor Azul A Rede Urbana

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Acordo de Parceria Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Inovação Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 04/SI/2010 1 Índice Tipologias de Investimento... 3 Condições de Elegibilidade

Leia mais

Cursos de Formação Financiados

Cursos de Formação Financiados Cursos de Financiados Modular - Nível III Pós-Laboral Porto Área 213 - Audiovisuais e Produção dos Média Bem-Vindo/a à FLAG! A FLAG é uma empresa prestadora de serviços de formação profissional, especializada

Leia mais

Plano de Marketing Operacional

Plano de Marketing Operacional Plano de Marketing Operacional CONTEÚDO 1. Oportunidade do projecto APCMC +Inovação... iii 2. Plano de comunicação... viii 3. Controlo e revisão... xvi ii 1. Oportunidade do projecto APCMC +Inovação A

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO Considerando que os Municípios dispõem de atribuições no domínio da promoção do desenvolvimento, de acordo com o disposto na alínea n) do n.º 1 do

Leia mais

ADL - Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano

ADL - Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano SISTEMAS DE INCENTIVO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL Sistema de Incentivos à Inovação MODCOM Modernização do Comércio Linha de Crédito - PME INVEST III ADL - Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano

Leia mais

Instrumentos de Gestão Previsional

Instrumentos de Gestão Previsional Instrumentos de Gestão Previsional Ano 2012 Relatório 1.Introdução Dando cumprimento ao artigo 40º da Lei 53-F/2006 de 29 de Dezembro, a Empresa Municipal, TEGEC Trancoso Eventos, EEM, vem apresentar os

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha Turismo de Habitação e Turismo em Espaço Rural Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que: Comprovem ser Micro e Pequenas Empresas através da certificação

Leia mais

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006 SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006 Jaime Andrez Presidente do CD do IAPMEI 10 de Maio de 2006 Minhas Senhoras e meus Senhores, 1. Em nome do Senhor Secretário de Estado Adjunto, da Indústria

Leia mais

inserralves INDÚSTRIAS CRIATIVAS Programa do Concurso para Selecção de Ideias e Projectos

inserralves INDÚSTRIAS CRIATIVAS Programa do Concurso para Selecção de Ideias e Projectos inserralves INDÚSTRIAS CRIATIVAS Programa do Concurso para Selecção de Ideias e Projectos ÍNDICE 1. Enquadramento e Objectivos 2. Definição 3. Atribuições da Fundação de Serralves 4. Destinatários 5. Candidaturas

Leia mais

O Fórum Económico de Marvila

O Fórum Económico de Marvila Agenda O Fórum Económico de Marvila A iniciativa Cidadania e voluntariado: um desafio para Marvila A Sair da Casca O voluntariado empresarial e as políticas de envolvimento com a comunidade Tipos de voluntariado

Leia mais

INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL

INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL 2012 ÍNDICE 1. NOTA INTRODUTÓRIA... 3 2. PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 2012-2014... 6 3. PLANO DE GESTÃO PREVISIONAL 2012... 7 3.1. PLANO DE TESOURARIA... 8 3.2.

Leia mais

GAI GABINETE APOIO AO INVESTIDOR PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1

GAI GABINETE APOIO AO INVESTIDOR PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 OBJECTO Facilitar o acesso ao crédito por parte das PME, nomeadamente através da bonificação de taxas de juro e da minimização

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais