LEITE E DERIVADOS AGOSTO / 2014 /2014/2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEITE E DERIVADOS AGOSTO / 2014 /2014/2009"

Transcrição

1 LEITE E DERIVADOS AGOSTO / 2014 /2014/ Mercado nacional 1.1 Preços pagos ao produtor Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em agosto, ponderados pela produção, dos sete estados pesquisados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (CEPEA/ESALQ/USP), para o leite entregue em julho, situou-se em R$ 1,0978/l (US$ 0,4840/l), apresentando leve redução de - 0,1% na comparação com o mês anterior e altas de + 2,5% na comparação com a média dos últimos doze meses, e de + 1,1% na comparação com o mesmo mês do ano anterior (Tabela 1). O preço nominal médio nacional, líquido de frete e CESSR, situou-se em R$ 1,0119/l. Conforme as informações do CEPEA, para os sete estados da pesquisa, houve, em julho, alta de + 3,8% no índice de captação (ICAP) relativamente ao mês anterior e de + 12,8% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Com exceção de Goiás (- 0,62%), os demais estados apresentaram aumento da produção: Bahia (+ 10,07%), Rio Grande do Sul (+ 9,87%), Santa Catarina (+ 7,66%), São Paulo (+ 2,5%), Minas Gerais (+ 2,4%), e Paraná (+ 0,06%). Em valores corrigidos pelo IGP-M de agosto/2014, o preço pago ao produtor em agosto situou-se em + 0,1% superior ao do mês anterior e em - 3,6% inferior ao mesmo mês do ano anterior. O IGP-M evoluiu + 4,9% entre agosto/2013 e agosto/2014 (Gráfico 1). 1 Inclui o valor do frete (variável) e da Contribuição Especial da Seguridade Social Rural (CESSR), antiga Contribuição Previdenciária sobre a Comercialização Rural/FUNRURAL (2,3%). 1

2 1.2 Derivados lácteos: produção, consumo e exportações líquidas Relativamente aos principais derivados lácteos, as projeções da Organization for Economic Cooperation and Development e Food and Agriculture Organization (OECD/FAO), na publicação Agricultural Outlook , de 2014, estimam um crescimento da produção brasileira, entre o período e 2023, de + 11,6% para a manteiga, evoluindo de 81,0 mil t para 90,4 mil t ; de + 22,8% para o queijo, cuja produção deve aumentar de 700,3 mil t para 859,7 mil t em 2023; de + 24,6% para o leite em pó desnatado, evoluindo de 139,7 mil t no período para 174,1 mil t no final do período; e de + 22,4% para o leite em pó integral, que deve evoluir de 531,7 mil t para 650,9 mil t em 2023 (Gráficos 2 a 5). Para os quatro derivados lácteos mais importantes, o país permanecerá, nos próximos dez anos, um importador líquido, complementando o abastecimento interno, mas em menor escala do que na média do período Na comparação do período e 2023, o país diminuirá suas exportações líquidas de manteiga de - 2,1 mil t para - 1,92 mil t (ou - 10,0%); deve diminuir as suas exportações líquidas de queijo de - 29,0 mil t para - 9,46 mil t (ou - 67,5%); as exportações líquidas de leite em pó desnatado se reduzirão levemente de - 24,0 mil t para - 23,81 mil t (ou - 0,8%); e as exportações líquidas de leite em pó integral devem se reduzir de - 66,5 mil t para - 54,28 mil t (ou - 18,4%). Ainda conforme o relatório da OECD/FAO, Agricultural Outlook , o consumo nacional por habitante de manteiga deverá permanecer constante, entre a média do período e 2023, em torno de 0,42 kg/per capita/ano; o de queijo deverá aumentar + 10,0%, de 3,67 kg/per capita/ano para 4,04 kg/per capita/ano; o de leite em pó desnatado deverá aumentar + 7,1%, de 0,61 kg/per capita/ano para 0,65 kg/per capita/ano em 2023; e o de leite em pó integral deverá evoluir de 3,01 kg/per capita/ano na média do período para 3,28 kg/per capita/ano em 2023, ou + 9,0% (Gráfico 6). 2

3 A comparação do consumo per capita anual dos quatro principais derivados lácteos no Brasil e nos países da OECD mostra os seguintes quantitativos, para a média do período , respectivamente: manteiga (0,42 kg/per capita e 2,76 kg/per capita, ou 15,2% do consumo dos países da OECD); queijo (3,67 kg/per capita e 12,06 kg/per capita, ou 30,5 % do consumo dos países da OECD); leite em pó desnatado (0,61 kg/per capita e 1,33 kg/per capita, ou 45,6% do consumo dos países da OECD); e leite em pó integral (3,01 kg/per capita e 0,61 kg/per capita, ou 493,4% do consumo dos países da OECD). 3

4 1.3 Preços dos derivados no atacado e varejo em São Paulo Conforme as informações do Instituto de Economia Agrícola (IEA), os preços nominais em agosto, no atacado, na cidade de São Paulo, apresentaram, relativamente ao mês anterior, o seguinte comportamento: leite em pó integral (- 6,0%); leite longa vida (+ 4,3%); leite tipo C (+ 4,8%); queijo mussarela (+ 1,4%); queijo prato (- 3,3%); e manteiga sem sal (- 5,5%) (Tabela 2 e Gráfico 7). 4

5 No varejo, em agosto, relativamente ao mês anterior, os preços apresentaram o seguinte comportamento: leite em pó integral (+ 1,5%); leite longa vida (+ 0,7%); leite tipo C (+ 3,2%); leite condensado (+ 3,2%); queijo mussarela (- 2,6%); queijo tipo prato (- 0,6%); e manteiga (- 1,5%) (Tabela 3 e Gráfico 8). 1.4 Balança comercial de lácteos Nos primeiros oito meses de 2014, a balança comercial de lácteos (NCMs a ) apresentou déficit de US$ 64,1 milhões, tendo sido de US$ 304,9 milhões no mesmo período do ano 5

6 anterior, com exportações de US$ 220,0 milhões (56,5 mil t 2 ) e importações de US$ 284,1 milhões (68,1 mil t) (Tabela 4). As exportações apresentaram aumento de + 262,0% e as importações recuaram - 22,3%, ambas em valor, na comparação com o mesmo período do ano anterior. No mês de agosto, as exportações aumentaram + 351,0% e as importações recuaram - 41,9%, ambas em valor, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Nesses oito primeiros meses de 2014, foram importadas 17,5 mil t de leite em pó integral - NCM (US$ 84,1 milhões e US$ 4.795,9/t), representando 29,6 % do valor total importado, enquanto no mesmo período do ano anterior foram importadas 37,0 mil t (US$ 145,5 milhões e US$ 3.930,9/t), representando 39,8% do valor total importado, uma redução de - 52,6% em quantidade e de - 42,2% em valor. As origens das importações de leite em pó integral, entre janeiro e agosto, foram: Argentina (65,4% do valor total, a um preço médio de US$ 4.808,8/t); Uruguai (19,8% do valor total importado, a um preço médio de US$ 4.883,7/t); e Chile (14,8% do valor total importado, a um preço médio de US$ 4.630,3/t). 2 Não trata-se de quantidade em equivalente leite. É o peso líquido do produto exportado/importado. 6

7 O segundo produto mais importado entre janeiro e agosto foi o leite em pó desnatado (NCM ), representando 17,8% do valor total importado ou US$ 50,4 milhões e 10,5 mil t; seguido pelo soro de leite (NCM ) representando 11,1% do valor total importado no período, ou US$ 31,4 milhões e 17,7 mil t. Seguem-se outros vinte derivados lácteos complementando o valor total importado. Em agosto, o produto mais importado foi o leite em pó integral (NCM ), representando 25,4% do valor importado no mês ou US$ 9,5 milhões e 2,0 mil t (US$ 4.596,5/t); seguido pelo leite em pó desnatado (NCM ), no valor de US$ 7,3 milhões e 1,5 mil t (US$ 4.715,0/t), representando 19,4% do valor total importado no mês; e pelo soro de leite em pó (NCM ), representando 13,3% do valor mensal importado ou US$ 5,0 milhões e 2,7 mil t (US$ 1.810,1/t). No que se refere às exportações, nos primeiros oito meses do ano foram exportadas 26,2 mil t de leite em pó integral (NCM ), em um valor total de US$ 137,2 milhões (US$ 5.238,1/t), representando 62,4 % do valor total exportado, enquanto no mesmo período do ano anterior foram exportadas apenas 114,4 t dessa commodity, representando 1,3% do valor total exportado. O segundo produto mais exportado entre janeiro e agosto foi o leite condensado (NCM ), representando 19,6% do valor total exportado ou US$ 43,1 milhões e 18,9 mil t (US$ 2.275,9/t); seguido por Outros cremes de leite (NCM ), representando 6,1% do valor total exportado, ou US$ 13,5 milhões e 5,0 mil t. Seguem-se outros vinte e quatro derivados lácteos complementando o valor total exportado no período. Em agosto, o produto mais exportado foi o leite em pó integral (NCM ), representando 61,3% do valor total exportado, no valor de US$ 16,4 milhões e 2,8 mil t (US$ 5.733,2/t); seguido pelo leite condensado (NCM ), representando 17,9% do valor mensal total exportado, ou US$ 4,8 milhões e 2,1 mil t (US$ 2.242,6/t). Em terceiro lugar, encontram-se as exportações de Outros cremes de leite (NCM ), representando 7,9% do valor total importado, ou US$ 2,1 milhões e 776,4 t (US$ 2.729,8/t). 2. Mercado internacional 2.1 Produção de commodities lácteas A produção mundial das principais commodities lácteas, conforme a Organization for Economic Cooperation and Development e Food and Agriculture Organization (OECD/FAO), na publicação Agricultural Outlook , de 2014, está dividida, na média do período , proporcionalmente entre países desenvolvidos e em desenvolvimento, da seguinte forma: manteiga (45,3% nos países desenvolvidos e 54,7% nos países em desenvolvimento); queijo (80,3% nos países desenvolvidos e 19,7% nos países em desenvolvimento); leite em pó desnatado (87,2% nos países desenvolvidos e 12,8% nos países em desenvolvimento); e leite em pó integral (45,3% nos países desenvolvidos e 54,7% nos países em desenvolvimento). Nos próximos dez anos, entre e 2023, o aumento da produção mundial dos principais derivados lácteos, nos países desenvolvidos e em desenvolvimento, será a seguinte: a produção de manteiga aumentará + 9,7% nos países desenvolvidos (de 4,4 milhões de t para 4,9 milhões de t) e + 42,5% nos países em desenvolvimento (de 5,4 milhões de t para 7,7 milhões de t); a produção de queijo aumentará + 17,6% nos países desenvolvidos (de 17,0 milhões de t para 20,0 milhões de t) e + 25,0% nos países em desenvolvimento (de 4,1 milhões de t para 5,2 milhões de t); a produção de leite em pó desnatado aumentará + 24,8% nos países desenvolvidos (de 3,2 milhões de t para 4,0 milhões de t) e + 12,5% nos países em desenvolvimento (de 480,3 mil para 540,1 mil t); e a produção de leite em pó 7

8 integral aumentará + 21,1% nos países desenvolvidos (de 2,1 milhões de t para 2,5 milhões de t) e + 33,7% nos países em desenvolvimento (de 2,5 milhões de t para 3,4 milhões de t) (Gráficos 9 a 12). 2.2 Preços internacionais das commodities lácteas Os preços internacionais das commodities lácteas na Oceania (média das cotações mínima e máxima) divulgados pelo International Dairy Market News Report, do United States Department of Agriculture / Agricultural Marketing Service - (USDA/AMS), durante o mês de agosto, apresentaram as seguintes modificações relativamente ao mês anterior: leite em pó integral (- 14,8%); leite em pó desnatado (- 13,2%); manteiga (- 10,2%); e queijo cheddar (- 8,7%) (Tabela 5 e Gráfico 13). 8

9 Na Nova Zelândia, os preços pagos ao produtor recuaram - 24,1% entre maio (US$ 53,74/100 kg) e julho (US$ 54,65/100 kg), refletindo a redução dos preços das commodities lácteas naquela região e no mercado mundial. Os principais compradores estão cautelosos devido às características atuais do mercado, de preços em queda para todas as commodities. O clima está favorável nas ilhas Norte e Sul. Na Austrália, os custos das rações estão relativamente estáveis. Em algumas áreas o clima está seco e poderá prejudicar as pastagens em áreas sem irrigação. Na Europa Ocidental, os preços das commodities (média das cotações mínima e máxima) apresentaram o seguinte comportamento em agosto na comparação com o mês anterior: leite em pó integral (- 15,3%); leite em pó desnatado (- 18,4%); manteiga (- 11,2%); e soro em pó (- 8,7%) (Tabela 5 e Gráfico 14). Nessa região, a produção está em declínio devido à entressafra. As condições climáticas estão favoráveis e os preços ao produtor são bons. Os compradores estão cautelosos devido à redução expressiva dos preços das commodities e negociam bastante antes de realizar os contratos. O embargo russo por um ano, a partir de 7/8/2014, às importações de lácteos, entre outros produtos, exerce pressão baixista sobre os preços nessa região e também no mercado mundial como um todo. Em 2013, a Rússia representou 33,0% das exportações européias de queijo; 25,0% das de manteiga; e 27,0% das de AMF (Anhydrous Milk Fat). Houve um abrandamento do embargo às exportações de produtos sem lactose, com pouca oferta no mercado russo. Após a divulgação do embargo, a Comissão de Agricultura européia aprovou medidas urgentes para amparar o setor por intermédio do programa PSA (Private Storage Aid) destinado à manteiga, leite em pó desnatado e certos queijos. Adicionalmente, o prazo do programa de intervenção de compras governamentais foi estendido até o final de dezembro. 9

10 Maria Helena Fagundes Tel.: 55 (61)

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009 LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009 1. Mercado nacional: preços pagos ao produtor e produção histórica e estimada no Mercosul Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em julho, ponderados

Leia mais

O que esperar do mercado de leite no Brasil e no mundo

O que esperar do mercado de leite no Brasil e no mundo O que esperar Desenvolver do do mercado de de leite no no e fortalecer Brasil e o e no agronegócio no mundo O que esperar do mercado de leite no Rafael Ribeiro de Lima Filho zootecnista Scot Consultoria

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS 0,5% Exportação 46% Leite 41% Leite Condensado e Creme de Leite 55% Venezuela 11% Argélia Leite Fluido 34

Leia mais

PRODUÇÃO E PERPECTIVAS DA CADEIA DO LEITE NA AGRICULTURA FAMILIAR. Eng. Agr. Breno Kirchof

PRODUÇÃO E PERPECTIVAS DA CADEIA DO LEITE NA AGRICULTURA FAMILIAR. Eng. Agr. Breno Kirchof PRODUÇÃO E PERPECTIVAS DA CADEIA DO LEITE NA AGRICULTURA FAMILIAR Eng. Agr. Breno Kirchof SITUAÇÃO MUNDIAL PRODUÇÃO MUNDIAL LEITE VACA - 599,6 bilhões de litros leite/ano CRESCIMENTO PRODUÇÃO - 1% a 2%

Leia mais

O melhoramento animal e a qualidade do leite no Brasil

O melhoramento animal e a qualidade do leite no Brasil O melhoramento animal e a qualidade do leite no Brasil Rodrigo Sant Anna Alvim 1 e Marcelo Costa Martins 2 1 Engenheiro Agrônomo, Presidente da Comissão Nacional de Pecuária da CNA 2 Engenheiro Agrônomo,

Leia mais

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento Duarte Vilela chgeral@cnpgl.embrapa.br Audiência Pública - 18/05/2010 Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento

Leia mais

Dados do Censo Agropecuário Confirmam Concentração da Atividade Leiteira no Brasil

Dados do Censo Agropecuário Confirmam Concentração da Atividade Leiteira no Brasil Dados do Censo Agropecuário Confirmam Concentração da Atividade Leiteira no Brasil Ézio José Gomes Os dados do último Censo Agropecuário do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, de 2006

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA A conjuntura econômica do último mês foi marcada por aceleração dos principais índices de inflação em todo Brasil. Em janeiro, o IPCA avançou 1,24% em nível de Brasil, esta foi a maior

Leia mais

Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil

Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil Revista Ovinos, Ano 4, N 12, Porto Alegre, Março de 2008. Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil João Garibaldi Almeida Viana 1 Os ovinos foram uma das primeiras espécies de animais domesticadas

Leia mais

Mercado Mundial de Carne Ovina e Caprina

Mercado Mundial de Carne Ovina e Caprina Mercado Mundial de Carne Ovina e Caprina Brasília, julho de 2007 Matheus A. Zanella 1 Superintendência Técnica da CNA Este artigo apresenta um panorama dos principais indicadores do mercado mundial de

Leia mais

OPORTUNIDADES PARA A PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL

OPORTUNIDADES PARA A PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL OPORTUNIDADES PARA A PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL 1. Produção de Leite Rodrigo Sant`Anna Alvim 1 O Brasil conta com um setor leiteiro que vem crescendo substancialmente nos últimos anos. Grande importador

Leia mais

Mercado do Boi Gordo

Mercado do Boi Gordo Mercado do Boi Gordo Perspectivas para os próximos anos SIC Esteio - RS Agosto 2006 Fabiano R. Tito Rosa Scot Consultoria Índice 1. Brasil: país pecuário 2. Comportamento dos preços internos 3. Perspectivas

Leia mais

PREÇO CAI, MAS AINDA É SUPERIOR AOS VALORES DE JANEIRO/13

PREÇO CAI, MAS AINDA É SUPERIOR AOS VALORES DE JANEIRO/13 Uma publicação do CEPEA - ESALQ/USP Ano 20 nº 226 Fevereiro 2014 Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada - ESALQ/USP Receba este Boletim também por e-mail. Instruções na última página! PREÇO CAI,

Leia mais

O Preço do Leite Volta a Subir Sinalizando Boas Perspectivas para 2010

O Preço do Leite Volta a Subir Sinalizando Boas Perspectivas para 2010 O Preço do Leite Volta a Subir Sinalizando Boas Perspectivas para 2010 Ézio José Gomes O preço do litro de leite pago ao produtor vem se recuperando rapidamente nesse início de ano, obtendo uma alta de

Leia mais

Atual cenário da produção de leite mundial e nacional. Valter Bertini Galan

Atual cenário da produção de leite mundial e nacional. Valter Bertini Galan Atual cenário da produção de leite mundial e nacional Valter Bertini Galan Meu histórico Engenheiro Agrônomo (ESALQ/USP) Mestre em Administração (FEA/USP) Produtor de leite & pequeno laticinista Cepea:

Leia mais

Paulo do Carmo Martins Economista (UFJF) Mestre em Economia Aplicada (UFV) Doutor em Economia Aplicada (USP) Pesquisador Embrapa Gado de Leite

Paulo do Carmo Martins Economista (UFJF) Mestre em Economia Aplicada (UFV) Doutor em Economia Aplicada (USP) Pesquisador Embrapa Gado de Leite Tendências para o Setor Lácteo do Brasil e da América Latina Paulo do Carmo Martins Economista (UFJF) Mestre em Economia Aplicada (UFV) Doutor em Economia Aplicada (USP) Pesquisador Embrapa Gado de Leite

Leia mais

MERCADO LÁCTEO. O Papel da Indústria na Conquista de Mercados Alexandre Guerra Presidente. 2015: Um ano de margens ajustadas

MERCADO LÁCTEO. O Papel da Indústria na Conquista de Mercados Alexandre Guerra Presidente. 2015: Um ano de margens ajustadas MERCADO LÁCTEO O Papel da Indústria na Conquista de Mercados Alexandre Guerra Presidente 2015: Um ano de margens ajustadas -1,18 PIB 2015 Previsão de 2,8% em janeiro de 2014 8,26% Previsão Inflação 2015

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS. Novembro de 2013

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS. Novembro de 2013 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Novembro de 2013 Milho: Neste mês o mercado de milho registrou comportamento diferenciado. Em algumas localidades ocorreram quedas nos preços, caso do Paraná, e sustentação em outras,

Leia mais

América Latina como Novo Pólo de Produção de Leite

América Latina como Novo Pólo de Produção de Leite Workshop Regional sobre Cooperativismo Lácteo América Latina como Novo Pólo de Produção de Leite Vicente Nogueira Netto Fepale OCB/CBCL Cotrial Curitiba, 08 de julho de 2008 Agenda Mudanças recentes no

Leia mais

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo.

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo. Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada CEPEA/ESALQ/USP 25 de maio de 2011 Volume 1, Edição 22 Açúcar: Informativo Quinzenal Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo DATA Valor

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL UNIJUÍ CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS

UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL UNIJUÍ CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 1 UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL UNIJUÍ CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS EVOLUÇÃO DOS PREÇOS DO LEITE E DERIVADOS NO MERCADO BRASILEIRO E MUNDIAL ANA CLÁUDIA BIELESKI BERLEZI

Leia mais

Maçã: Balanço mundial (em mil toneladas métricas)

Maçã: Balanço mundial (em mil toneladas métricas) Informativo da Política Agrícola Secretaria de Política Agrícola Secretaria de Política Agrícola Informativo N o 54 Maçã Ano 6 Vol. 54, março de 213 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO PANORAMA RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO SEMANA DE 10 A 14 DE AGOSTO de 2009 Semana de nova estabilidade no preço do Boi Gordo no mercado físico do Rio Grande do Sul, fechando a semana em R$ 5,28/kg

Leia mais

O MERCADO DE TRIGO. O balanço mundial de trigo, ao longo das safras analisadas, é visualizado na

O MERCADO DE TRIGO. O balanço mundial de trigo, ao longo das safras analisadas, é visualizado na O MERCADO DE TRIGO 1. INTRODUÇÃO O Brasil é o maior importador mundial de trigo e a sua dependência se torna acentuada à medida que os estoques públicos e privados se reduzem. A safra 2007/08 apresenta-se

Leia mais

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015 TRIGO Período de 02 a 06//205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço Atual PR 60 kg 29,56 35,87 36,75 36,96 Semana Atual

Leia mais

Alho. Desempenho da produção vegetal. Produção e mercado mundial PARTE I

Alho. Desempenho da produção vegetal. Produção e mercado mundial PARTE I - Concentração da produção por microrregião geográfica - Santa Catarina - Safra 2009 (Total = 11.553 t) Desempenho da produção vegetal Alho PARTE I Marco Antônio Lucini Engº Agrº Epagri/Curitibanos marcolucini@epagri.sc.gov.br

Leia mais

Uma publicação do DCECO UFSJ Ano III Nº 33 Janeiro de 2011. Problemas ambientais versus educação ambiental

Uma publicação do DCECO UFSJ Ano III Nº 33 Janeiro de 2011. Problemas ambientais versus educação ambiental Uma publicação do DCECO UFSJ Ano III Nº 33 Janeiro de 2011 Problemas ambientais versus educação ambiental Por: Jisleny da Cruz e Heloísa Carneiro* A cadeia produtiva do leite, em abrangência nacional,

Leia mais

Valores em US$FOB/litro (leite UHT) e US$FOB/kg (leite em pó) LEITE UHT INTEGRAL LEITE UHT DESNATADO

Valores em US$FOB/litro (leite UHT) e US$FOB/kg (leite em pó) LEITE UHT INTEGRAL LEITE UHT DESNATADO CIRCULAR Nº 17/99. A SECRETÁRIA DE COMÉRCIO EXTERIOR, DO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR, nos termos do Acordo sobre a Implementação do Artigo VI do Acordo Geral sobre Tarifas

Leia mais

Grupo de pesquisa: 1) Comercialização, Mercados e Preços Agrícolas FORMA DE APRESENTAÇÃO ORAL COM DEBATEDOR

Grupo de pesquisa: 1) Comercialização, Mercados e Preços Agrícolas FORMA DE APRESENTAÇÃO ORAL COM DEBATEDOR Leandro Augusto Ponchio CPF: 283.568.088-80 Pesquisador do CEPEA/ESALQ/USP Rua Pádua Dias, 11 Caixa postal 132 CEP: 13.400-970 Piracicaba-SP. e-mail: laponchi@esalq.usp.br Alexandre Lopes Gomes CPF: 030.071.446-71

Leia mais

Figura 1 Principais índices de inflação, em variação % jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14

Figura 1 Principais índices de inflação, em variação % jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 Conjuntura Econômica A conjuntura econômica do último mês e da primeira quinzena de agosto foi marcada por redução do IPCA no Mato Grosso do Sul e estabilidade no Brasil. Além disso, acertou-se a expansão

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015

Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015 Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015 Ano 6, n. 47 - Outubro/2015 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 - Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7400 Fax: (32) 3311-7424 www.embrapa.br

Leia mais

BRF- Brasil Foods Conferência Santander Janeiro 2011

BRF- Brasil Foods Conferência Santander Janeiro 2011 BRF- Brasil Foods Conferência Santander Janeiro 2011 Os resultados do terceiro trimestre de 2010 consolidam as Empresas BRF - Brasil Foods S.A. e Sadia S.A. (subsidiária integral). Os resultados da Sadia

Leia mais

Boletim Novembro 2014

Boletim Novembro 2014 Boletim Novembro 2014 No mês de novembro de 2014 o custo da cesta básica na cidade de Ilhéus reduziu 0,48%, caindo de R$239,58 em outubro para R$238,42 em novembro (Tabela 1). A queda de 7,85% no preço

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA SEMANA DE 21 A 25 DE SETEMBRO de 2009 Semana de preço estável no mercado de Boi Gordo no Rio Grande do Sul, com o preço encerrando a semana a R$ 4,61/kg carcaça.

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas CAFÉ CAFÉ Bolsas BM&F ICE FUTURES Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação Fechamento Máxima Mínimo Variação set/13 144,45 150,00 143,95-4,05 120,60 124,25 119,35-2,85 dez/13 148,50

Leia mais

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 Mercado Internacional Em 2007, a produção anual de milho atingiu quase 720 milhões de tonelada (Tabela 1), quando os Estados Unidos,

Leia mais

DEMANDA AJUDA PRODUTOR A ENFRENTAR ALTA DE INSUMOS

DEMANDA AJUDA PRODUTOR A ENFRENTAR ALTA DE INSUMOS DEMANDA AJUDA PRODUTOR A ENFRENTAR ALTA DE INSUMOS Os preços recebidos pelos produtores de leite em março (referente à produção de fevereiro) seguiram em alta, de acordo com levantamentos do Centro de

Leia mais

Ano V - Edição 34 Agosto 2014

Ano V - Edição 34 Agosto 2014 da pecuária de leite Ano V - Edição 34 Agosto 2014 PODER DE COMPRA AUMENTA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2014 Por Pedro de Lima, equipe Gado de Leite Cepea O poder de compra do pecuarista de leite esteve maior,

Leia mais

Conjuntura do Leite Demanda de Importações

Conjuntura do Leite Demanda de Importações ARQ_86.DOC Conjuntura do Leite Demanda de Importações Março/95 ÍNDICE Págin a 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O LEITE E AS POLÍTICAS PÚBLICAS... 3 3. COMPETITIVIDADE INTERNACIONAL DOS DERIVADOS DO LEITE... 5 4.

Leia mais

Síntese. Políticas Agrícolas nos Países da OCDE

Síntese. Políticas Agrícolas nos Países da OCDE Síntese Políticas Agrícolas nos Países da OCDE Monitoramento e Avaliação 2002 Overview Agricultural Policies in OECD Countries - Monitoring and Evaluation 2002 As Sínteses constituem-se em excertos de

Leia mais

DESEMPENHO RECENTE DA PRODUÇÃO DE LEITE NO ESTADO DE SÃO PAULO

DESEMPENHO RECENTE DA PRODUÇÃO DE LEITE NO ESTADO DE SÃO PAULO DESEMPENHO RECENTE DA PRODUÇÃO DE LEITE NO ESTADO DE SÃO PAULO Denyse Chabaribery - INTRODUÇÃO O mercado de leite no Brasil é um dos assuntos pertencentes à agropecuária e ao abastecimento alimentar que

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2014 CEPEA - AÇÚCAR & ETANOL I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Relações de preços mercados interno e internacional

Leia mais

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO A soja é a commodity mais importante do Brasil, pelo valor da produção obtida de grão, óleo e farelo, significativa parcela na receita cambial, área plantada, consumo de

Leia mais

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Outubro de 2012. MUNDO O milho é o cereal mais produzido no mundo. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção média do

Leia mais

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas CAFÉ CAFÉ Bolsas BM&F ICE FUTURES Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação SET13 136,80 136,50 135,80-1,80 SET 113,50 115,70 113,25-1,45

Leia mais

Mudanças no Cálculo do Preço Referência do Conseleite-PR: uma notícia positiva para a implantação da IN 62

Mudanças no Cálculo do Preço Referência do Conseleite-PR: uma notícia positiva para a implantação da IN 62 Análises e Indicadores do Agronegócio ISSN 1980-0711 Mudanças no Cálculo do Preço Referência do Conseleite-PR: uma notícia positiva para a implantação da IN 62 O Conseleite foi criado originalmente em

Leia mais

Boletim de Serviços Financeiros

Boletim de Serviços Financeiros PRODUTOS DE INFORMAÇ ÃO E INTELIGÊNCIA D E MERCADOS Boletim de Serviços Financeiros BOLETIM DO SERVIÇO B RASILEIRO DE APOIO À S MICRO E PEQUENAS E MPRESAS WWW.SEBRAE.COM.BR 0800 570 0800 PERÍODO: JULHO/2014

Leia mais

Preços de alimentos básicos continuam em alta

Preços de alimentos básicos continuam em alta 1 São Paulo, 2 de junho de 2008. NOTA À IMPRENSA Preços de alimentos básicos continuam em alta Apenas duas, das 16 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Produção mundial deve recuar em 2007/08 Segundo o relatório de oferta e demanda divulgado pelo Usda em setembro

Leia mais

Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades

Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades 1 São Paulo, 06 de novembro de 2014. NOTA À IMPRENSA Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades Em outubro, houve aumento dos preços do conjunto de bens alimentícios essenciais em 12 das 18 cidades onde

Leia mais

ANGUS: Fábio Schuler Medeiros. Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus

ANGUS: Fábio Schuler Medeiros. Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus ANGUS: Rentabilidade e mercado Fábio Schuler Medeiros Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus Nossos Questionamentos... Como está a

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL Em 2011: Registrou incremento de 5,2% Em 2011, o setor cresceu 5,2%, movimentou R$ 40 bilhões em insumos e produziu 64,5 milhões de toneladas de ração e 2,35milhões de suplementos

Leia mais

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios João Ricardo Albanez Superintendente de Política e Economia Agrícola, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO DE PESQUISA Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA Período: Janeiro a Dezembro de 2014 Vitória, dezembro de 2014 Cesta Básica

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: JULHO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais

Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais 1 São Paulo, 06 de julho de 2009. NOTA À IMPRENSA Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais Em junho, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, realizada pelo DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

Análise de Mercado do Sistema OCB

Análise de Mercado do Sistema OCB Análise de Mercado do Sistema OCB SUMÁRIO EXECUTIVO Mercado de Trigo nº 019 - Abril/2008 Equipe da Gerência de Mercados - GEMERC: Autor: Marcos Antonio Matos - Técnico de Mercado Coordenação: Evandro Scheid

Leia mais

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Por Prof. Dr. Sergio De Zen e Graziela Correr; Equipe Pecuária de Corte Se, de um lado, a forte alta do dólar frente ao Real tem contribuído para elevar

Leia mais

Milho Período: 11 a 15/05/2015

Milho Período: 11 a 15/05/2015 Milho Período: 11 a 15/05/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,0203 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: MARÇO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Agronegócio. Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ. Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze. 41 3379 8719 brandalizze@uol.com.

Agronegócio. Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ. Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze. 41 3379 8719 brandalizze@uol.com. Agronegócio Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze 41 3379 8719 brandalizze@uol.com.br GRÃOS Produção (milhões de T. USDA - Fevereiro de 2014; Projeções

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO DE PESQUISA Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA Período: Janeiro a Dezembro de 2015 Vitória, dezembro de 2015 Cesta Básica

Leia mais

Cacau Amêndoa Período: Janeiro de 2015

Cacau Amêndoa Período: Janeiro de 2015 Cacau Amêndoa Período: Janeiro de 2015 Tabela I PREÇO PAGO AO PRODUTOR - Cacau Amêndoa (em US$/ton.) Períodos Anteriores Janeiro/15 % Locais Unid. 12 meses 1 mês [a] [b] [c] c/a c/b Ilhéus - Bahia R$/Kg

Leia mais

AGRONEGÓCIO DO LEITE: CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS KILMER COELHO CAMPOS (1) ; CARLOS ALBERTO PIACENTI (2).

AGRONEGÓCIO DO LEITE: CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS KILMER COELHO CAMPOS (1) ; CARLOS ALBERTO PIACENTI (2). AGRONEGÓCIO DO LEITE: CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS KILMER COELHO CAMPOS (1) ; CARLOS ALBERTO PIACENTI (2). 1.UFV, VIÇOSA, MG, BRASIL; 2.UNIOESTE, TOLEDO, PR, BRASIL. kilmercc@bol.com.br POSTER ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

O que se vai por aí. Factores de produção Sempre a subir! No espaço de um ano verificou-se uma subida de 13% no preço dos combustíveis!

O que se vai por aí. Factores de produção Sempre a subir! No espaço de um ano verificou-se uma subida de 13% no preço dos combustíveis! O que se vai por aí Nesta edição, ao contrário do que é usual, em vez das habituais entrevistas individuais aos produtores, decidimos dar a voz a todos de uma só vez. Fomos dar uma espreitadela ao que

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2011/12

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2011/12 ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2011/12 MANDIOCULTURA Economista Methodio Groxko Outubro de 2011 ASPECTOS

Leia mais

Panorama Atual e Plano de Desenvolvimento para a Caprinovinocultura

Panorama Atual e Plano de Desenvolvimento para a Caprinovinocultura Panorama Atual e Plano de Desenvolvimento para a Caprinovinocultura Francisco Edilson Maia Presidente da Comissão Nacional de Caprinos e Ovinos CNA Presidente da Câmara Setorial e Temática de Ovinos e

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 Milho: Os preços no mercado brasileiro ficaram estáveis e até mesmo um pouco mais baixos em algumas praças. A incerteza dos produtores quanto à produtividade do milho

Leia mais

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009.

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Para os produtores de sorgo o ano de 2008 pode ser considerado como bom. As condições climatológicas foram favoráveis durante todo o ciclo

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

Seminário O Impacto das Mudanças Climáticas no Agronegócio Brasileiro

Seminário O Impacto das Mudanças Climáticas no Agronegócio Brasileiro Seminário O Impacto das Mudanças Climáticas no Agronegócio Brasileiro Monitorando riscos e oportunidades: Como as grandes empresas estão se preparando para as mudanças climáticas André Nassar 8 de maio

Leia mais

Por que o Agronegócio é o Negócio do Brasil?

Por que o Agronegócio é o Negócio do Brasil? Por que o Agronegócio é o Negócio do Brasil? Prof. Samuel Ribeiro Giordano, Dr.Sc. Coordenador de Projetos do Pensa Programa de Agronegócios da Universidade de São Paulo-Brasil srgiorda@usp.br www.fia.com.br/pensa

Leia mais

Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês

Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês 1 São Paulo, 04 de agosto de 2010. NOTA À IMPRENSA Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês Desde maio, na maioria das capitais onde é realizada mensalmente a Pesquisa Nacional

Leia mais

Conjuntura Macroeconômica e Setorial

Conjuntura Macroeconômica e Setorial Conjuntura Macroeconômica e Setorial O ano de 2012 foi um ano desafiador para a indústria mundial de carnes. Apesar de uma crescente demanda por alimentos impulsionada pela contínua expansão da renda em

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quinta-feira, 12 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 140,25 0,00 0,00 4,40 SET13 116,45 116,00 114,00

Leia mais

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014 Associação Brasileira de Supermercados Nº43 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014 Com crescimento em julho, setor acumula 1,48% no ano Em julho, as vendas

Leia mais

Agronegócio Internacional

Agronegócio Internacional Boletim do Agronegócio Internacional Agronegócio Internacional Recordistas de vendas no valor total exportado pelo Brasil jan-jul 2014/2013 Edição 03 - Agosto de 2014 O agronegócio representou 44% das

Leia mais

O COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO DE SEMENTES FORRAGEIRAS

O COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO DE SEMENTES FORRAGEIRAS O COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO DE SEMENTES FORRAGEIRAS Tomás Lérisson da Silva Augusto Hauber Gameiro 1. INTRODUÇÃO A semente forrageira tem amparo legal conforme a Lei n o 10.711, de 05 de agosto de 2003

Leia mais

GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA.

GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA. EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA. GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS Consultores Legislativos da Área X Agricultura e Política Rural MARÇO/2009

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO:

PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO: PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO: REFLEXÕES, OPORTUNIDADES E DESAFIOS Marcelo Fernandes Guimarães Coordenador Geral de Estudos e Informações Agropecuárias Secretaria de Política Agrícola Principais Perspectivas

Leia mais

O MERCADO DE CAFÉ 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE CAFÉ 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE CAFÉ 1. INTRODUÇÃO O presente boletim tem o objetivo de apresentar a situação atual do mercado, por meio dos dados disponibilizados pelo USDA, CONAB e MAPA. Apresenta-se, posteriormente, a

Leia mais

Milho Período: 19 a 23/10/2015

Milho Período: 19 a 23/10/2015 Milho Período: 19 a 23/10/2015 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços médios semanais apresentados nas praças de

Leia mais

3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA

3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA BOLSA DE CHICAGO 3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA Chuvas diminuíram nesta semana, mas ainda acumularam grandes volumes em pontos já muitos úmidos do Meio-Oeste 3 EUA Lavouras De Soja Ruins

Leia mais

Cadeia Produtiva do Leite. Médio Integrado em Agroindústria

Cadeia Produtiva do Leite. Médio Integrado em Agroindústria Médio Integrado em Agroindústria A importância da cadeia do leite A cadeia do leite e de seus derivados desempenha papel relevante no suprimento de alimentos e na geração de emprego e renda, se igualando

Leia mais

Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul

Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul Diretoria de Planejamento Superintendência de Planejamento Comportamento de Preços Pagos aos Produtores de Leite, Frangos e Suínos da Região Sul NT 20-02 JUNHO / 20 1 1) Tendo em vista a Resolução BACEN

Leia mais

Carlos Eduardo Rocha Paulista Grupo JBS S/A. Desafio da Industria Brasileira

Carlos Eduardo Rocha Paulista Grupo JBS S/A. Desafio da Industria Brasileira Carlos Eduardo Rocha Paulista Grupo JBS S/A Desafio da Industria Brasileira Carlos Eduardo Rocha Paulista Zootecnista FAZU Msc. Melhoramento Genético UNESP MBA em Marketing FEA USP AUSMEAT Curso de Formação

Leia mais

Uma Análise das Barreiras Tarifárias no Comércio Internacional de Lácteos

Uma Análise das Barreiras Tarifárias no Comércio Internacional de Lácteos 32 ISSN 0104 1517-1981 -9046 Dezembro, Outubro 2000 2011 Uma Análise das Barreiras Tarifárias no Comércio Internacional de Lácteos ISSN 0104-9046 Dezembro, 2011 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

EMBRAPA GADO DE LEITE NÚCLEO DO CONHECIMENTO DO AGRONEGÓCIO DO LEITE RELAÇÕES DO PREÇO DO LEITE EM PÓ INTEGRAL NO MERCADO INTERNACIONAL

EMBRAPA GADO DE LEITE NÚCLEO DO CONHECIMENTO DO AGRONEGÓCIO DO LEITE RELAÇÕES DO PREÇO DO LEITE EM PÓ INTEGRAL NO MERCADO INTERNACIONAL EMBRAPA GADO DE LEITE NÚCLEO DO CONHECIMENTO DO AGRONEGÓCIO DO LEITE RELAÇÕES DO PREÇO DO LEITE EM PÓ INTEGRAL NO MERCADO INTERNACIONAL Kennya Beatriz Siqueira, Marcos Franca de Almeida, Lorildo Aldo Stock,

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE -0,69% EM JULHO/2011

FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE -0,69% EM JULHO/2011 FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE -0,69% EM JULHO/2011 No mês de ho de 2011, o valor da cesta básica do paulistano teve queda de 0,69%, revela pesquisa diária da Fundação Procon-SP,

Leia mais

A Cadeia Produtiva do Leite no Contexto Nacional e Internacional

A Cadeia Produtiva do Leite no Contexto Nacional e Internacional SEBRAE-RO / SEAGRI / CONDALRON DIAGNÓSTICO DA CADEIA PRODUTIVA DO LEITE DE RONDÔNIA A Cadeia Produtiva do Leite no Contexto Nacional e Internacional Lorildo STOCK Porto Velho - RO 18.08.2015 Crise internacional,

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quarta-feira, 18 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 133,50 0,00 0,00-4,85 SET13 111,05 114,75 111,10-3,75

Leia mais

O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO E O SETOR DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 E OS CENÁRIOS DE LONGO PRAZO Carlos Cogo Agosto/2012 LA NIÑA PROVOCA FORTES QUEBRAS EM SAFRAS DE GRÃOS O

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010 Depenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010 As exportações em junho apresentaram redução de 8,57% sobre maio após expansão por quatro meses consecutivos. Desta forma, supera a marca de US$ 1 bilhão

Leia mais

1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio. 1.2. Sondagem do comércio

1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio. 1.2. Sondagem do comércio Nº 45- Maio/2015 1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio O volume de vendas do comércio varejista restrito do estado do Rio de Janeiro registrou, em fevereiro de 2015, alta de 0,8% em relação ao mesmo

Leia mais

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de Desempenho da Agroindústria No fechamento do primeiro semestre de 2005, a agroindústria registrou crescimento de 0,3%, taxa bastante inferior à assinalada pela média da indústria brasileira (5,0%) no mesmo

Leia mais