Reposição criativa. Turismo terapêutico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Reposição criativa. Turismo terapêutico"

Transcrição

1 Impresso Fechado Pode ser aberto pela ECT Ano XVII - Nº 57 - Março, Abril e Maio / Rua Piauí, 220, 5º andar - Santa Efigênia - BH/MG CEP: COM FOCO NO FUTURO Governo Federal lança Plano Mais Pecuária e projeta crescimento para o setor leiteiro nos próximos dez anos págs. 08 a 10 Reposição criativa Pesquisa da UFV se dedica à produção de bebidas isotônicas com utilização do soro do leite pág. 11 Turismo terapêutico Conheça as estâncias naturais do Circuito das Águas e suas alternativas de ecoturismo pág. 12 1

2 Expediente Editorial ANO XVII / Número 57 / Março, Abril e Maio de 2014 SILEMG / Endereço: Rua Piauí, 220 / 5º andar / Santa Efigênia CEP: / BH/MG / Tel: (31) / Periodicidade: Bimestral Impressão: Gráfica Del Rey / Tiragem: Leandro Bifano DIRETORIA EXECUTIVA Guilherme Olinto Abreu Lima Resende - Coaperiodoce Presidente Paulo Bartholdy Gribel - Laticínios São Vicente de Minas Ltda Vice-presidente João Lúcio Barreto Carneiro - Laticínios Porto Alegre Ltda Diretor Administrativo Guilherme Silva Costa Abrantes - Laticínios Dona Formosa Ltda Diretor Financeiro Alessandro José Rios de Carvalho - Laticínios Verde Campo Ltda Diretor Tecnológico Mais Pecuária: será? DIRETORIA ADJUNTA Antônio Fernandes de Carvalho - Laticínios Union Ltda Armindo José Soares Neto - Coop. Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais/Itambé Bernardo Bahia - Laticínios MB Ltda Carlos da Silveira Dumont - Coop. dos Produtores Rurais do Serro Ltda Carlos Eduardo Abu Kamel - Coop. dos Produtores Rurais de Itambacuri Ltda Carlos Henrique Pereira - Forno de Minas Alimentos S/A Carlos Roberto Soares - Dairy Partners Americas Manufacturing/DPA Nestlé Cícero de Alencar Hegg - Laticínios Tirolez Ltda Claudinei Ribeiro Chaves - Laticínios Bom Gosto Ltda Estevão Andrade - Laticínios PJ Ltda Giovanni Diniz Teixeira - Coop. Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais/Itambé Guglielmo Agostini da Matta - Godiva Alimentos Ltda Humberto Esteves Marques - Barbosa & Marques S/A Ivan Teixeira Cotta Filho - Cottalac Indústria e Comércio Ltda Jaime Antônio de Souza - Laticínios Bela Vista Ltda João Bosco Ferreira - Coop. Central Mineira de Laticínios Ltda/Cemil José Antônio Bernardes - Embaré Indústrias Alimentícias S/A José Márcio Fernandes Silveira - Cristaulat José Samuel de Souza - Coop. Agropecuária de Raul Soares Ltda Juarez Quintão Hosken - Laticínios Marília S/A Léo Luiz Cerchi Scalon & Cerchi Ltda Lúcia Alvarenga - Laticínios Lulitati Ltda Marcelino Cristino de Rezende - Nogueira e Rezende Indústria de Laticínios Ltda Marcos Alexandre Macedo Narciso - Laticínios Vida Comércio e Indústria Ltda Marcos Sílvio Gonçalves - Indústria de Laticínios Bandeirantes Ltda Maurício Chucre de Castro Silva- Puroleite Industrial Ltda Olavo Imbelloni Hosken - Laticínios Marília S/A Ricardo Cotta Ferreira - Coop. Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais/Itambé Rodrigo de Oliveira Pires - Brasil Foods S/A Valéria Cristina Athouguia Dias - Indústrias Flórida Ltda Vicente Roberto de Carvalho - Vicente Roberto de Carvalho e Cia. Ltda Welson Souto Oliveira - Coop. de Laticínios Vale do Mucuri Ltda Wellington Silveira de Oliveira Braga - Laticínios Bela Vista Ltda Wilson Teixeira de Andrade Leite - Laticínios Vitória Ltda CONSELHO FISCAL EFETIVO José Nilton Gomes Barbosa - Coop. dos Produtores de Leite de Leopoldina de Resp. Ltda Luiz Fernando Esteves Martins - Barbosa & Marques S/A Roberto de Souza Baeta - Cayuaba Agroindustrial Ltda CONSELHO FISCAL SUPLENTE Ana Paula Reis Lopes - Laticínios Nutrileite Ind. e Com. Ltda Elias Silveira Godinho - Laticínio Sevilha Ltda Ramiz Ribeiro Junqueira - Laticínios Curral de Minas Ltda DELEGADOS JUNTO AO CONSELHO DE REPRESENTANTES/FIEMG - EFETIVOS Guilherme Olinto Abreu Lima Resende - Coaperiodoce Francisco Rezende Alvarenga - Alvarenga & Cia. Ltda DELEGADOS JUNTO AO CONSELHO DE REPRESENTANTES/FIEMG - SUPLENTES Luiz Fernando Esteves Martins - Barbosa & Marques S/A Valéria Cristina Athouguia Dias - Indústrias Flórida Ltda Jornalista responsável: Flávia Rios (06013 JP) Projeto Editorial: Rede Comunicação de Resultado Edição: Jeane Mesquita e Licia Linhares Redação: Juliana Soares, Mariana Menezes, Rodrigo Zavagli, Tiago Penna e Vanessa Soares Projeto Gráfico, Diagramação e Ilustrações: Obah Design 2 Temos assistido ao longo dos últimos anos esforços para a melhoria da qualidade e produtividade leiteira, exercidos pela indústria e pelos governos, em suas esferas estadual e federal. Entretanto, nada é comparável aos objetivos do Mais Pecuária, o plano mais ousado e mais completo já visto no mercado da pecuária leiteira, lançado no início deste ano pelo Governo Federal, e cuja sua real implementação espero ver iniciada já em Um dos grandes focos dessa nova atuação está voltado para a exportação de leite. Quando abordamos esse tema, tratamos implicitamente de qualidade, produtividade e custos de produção competitivos, o que traz inúmeras vantagens para a indústria. O conjunto de ações previstas pelo Mais Pecuária, caso se efetivem, favorecerão a cadeia produtiva do leite, de modo a inserir, definitivamente, o Brasil entre os players mundiais. É importante ressaltar que o aumento da produção ao volume pretendido deve ser trabalhado em paralelo com estímulo ao consumo interno, por meio de ações de marketing que informem sobre a importância do consumo regular de laticínios. É fato: produção e consumo têm que andar de mãos dadas, caso contrário, todo o esforço para a melhoria de qualidade, produção e produtividade será desperdiçado. Durante os últimos anos, também temos visto, infelizmente, um verdadeiro descompromisso do Governo Federal com o Serviço de Inspeção Federal. A cada ano, mais e mais fiscais federais agropecuários se aposentam sem que aconteça a reposição necessária de pessoal. Sem uma inspeção eficiente, não vislumbro horizonte claro para o crescimento do setor. Essa questão esbarra diretamente na dificuldade de implantação do novo Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (RIISPOA). Não é possível pensarmos em uma indústria moderna sem a contrapartida de legislação que permita desenvolvimento de produtos. A burocracia que hoje impera desestimula a cadeia do leite. Temos todas as qualidades e facilidades para incorporarmos o que está no papel. Com dedicação e trabalho firme poderemos encarar o futuro do leite no país como um negócio promissor. Nele, estarão contemplados os produtores e as indústrias que, independentemente das políticas públicas, assimilarem os eixos estruturantes mencionados, somados a um modelo de gestão que assegure resultados consistentes. Quanto à implementação do Plano Mais Pecuária, fica a nossa dúvida: será? Boa leitura! Guilherme Olinto Presidente do Silemg

3 giro no MERCADO Ativos à venda A Lácteos Brasil (LBR) e a BRF, duas das maiores empresas do segmento lácteo nacional, colocaram ativos à venda, o que deve refletir em importantes mudanças no mercado. O objetivo da BRF, que inclui as marcas Sadia, Perdigão, Batavo, Elegê e Qualy Sadia, presente em mais de 120 países, é expandir ainda mais a sua atuação. O caminho mais estratégico é a internacionalização, ou seja, fazer novas aquisições e parcerias com empresas do ramo no exterior e, assim, aumentar as vendas. Além da parte láctea, a maior parte da expansão será destinada para os produtos de cadeia agropecuária, como aves, suínos e bovinos. Já para a LBR, colocar os seus ativos à venda significa redirecionar o negócio no mercado, bem como suas marcas Parmalat, Poços de Caldas, Boa Nata, LeitBom, Bom Gosto, DaMatta, Ibituruna, São Gabriel e Líder. Em fevereiro de 2013, a empresa entrou com um pedido de recuperação judicial, com uma dívida de R$ 1 bilhão. Desde então, vem adotando medidas de redução de custos e despesas. Uma delas foi a diminuição do número de fábricas de 31 para 12. Este movimento abre caminhos para um possível investimento da francesa Lactalis, a principal do setor mundial. No ano passado, o seu faturamento foi estimado em 15,7 milhões. Novo hábito entre os brasileiros Após voltar a ser comercializada no Brasil, a Oreo, marca de biscoito recheado mais vendida no mundo, lançou uma campanha publicitária para instigar no brasileiro o hábito de comer biscoito com leite. Essa prática, muito presente entre os consumidores norte-americanos, não é vivenciada no Brasil. Intitulada Pai e Filho, a propaganda mostra a forma mundialmente conhecida de consumir o produto: abrir, provar e curtir o biscoito degustando um copo de leite. Esta é a segunda ação de marketing da Oreo no país. Em fevereiro deste ano foi lançada a campanha Is This Love, que alcançou quase 5 milhões de visualizações no YouTube. O filme comemora a chegada do produto no Brasil. De acordo com a Associação Nacional das Indústrias de Biscoitos (Anib), o setor movimenta R$ 7 bilhões por ano no país. Marca de biscoitos Oreo lança campanha publicitária em rede nacional 3

4 Giro nos Associados Pioneirismo no mercado O Laticínios Verde Campo, há 14 anos no mercado, se tornou a primeira empresa do setor brasileiro a fabricar alimentos com leite certificado pelo Programa Alimentos Seguros para a Cadeia Produtiva do Leite (PAS-Leite). A iniciativa avalia o controle sanitário de brucelose e tuberculose e as análises enviadas para as pesquisas de resíduos de inibidores e antibióticos no leite. Para conquistar a certificação, o laticínio realizou treinamentos e consultorias com suas equipes sobre a importância da organização e higienização dos processos de produção e verificou o nível de higiene da ordenha, a qualidade do armazenamento e a segurança do leite. O leite certificado está sendo usado na produção de iogurte e produtos Lacfree. O certificado do PAS-Leite traz para o consumidor a segurança e a garantia que o leite utilizado é confiável e que está livre de contaminantes químicos e fraudes. O produtor Agnaldo Gonçalves Pereira recebe certificado das mãos do diretor comercial do Laticínio Verde Campo, Álvaro Gazolla Fábio Antonialli Entenda mais O Programa PAS-Leite visa à adoção de boas práticas que resulta em um produto com qualidade superior e maior valor agregado. São 112 itens de adequações para a empresa. A iniciativa conta com o apoio do Sebrae Minas, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Serviços Nacionais de Aprendizagem Rural (Senar) e Industrial (Senai) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, por meio da Embrapa Gado de Leite. Mais opções. Mais soluções. A missão da SPX é oferecer soluções inovadoras para ajudar o mundo a atender à crescente demanda por alimentos de maior qualidade sem perder o sabor. Com foco na inovação e no desenvolvimento, trabalhamos com componentes de alta qualidade e sistemas de engenharia personalizados a fim de oferecer soluções completas para todo e qualquer processo. Escolha uma companhia líder de mercado com marcas que você conhece e confia. BomBAS VálVulAS TroCAdorES de CAlor HomogEnEizAdorES SiSTEmAS de EVAPorAção E SECAgEm EquiPAmEnToS de ProCESSo 4 Rua João Daprat, 231 São Bernardo do Campo, SP, Tel.: (11) ,

5 PONTO DE VISTA Metodologia inovadora Sistema Intensivo a Pasto com Suplementação é alternativa para a criação de um pasto de alta qualidade Arquivo pessoal * Por Dr. Wagner Beskow Equilibrar alta produtividade por vaca e por hectare com baixo custo por litro de leite produzido, obtendo alto resultado econômico líquido e bem-estar animal, é a proposta do Sistema Intensivo a Pasto com Suplementação (SIPS). Resultado de 21 anos de pesquisa, a metodologia promove todos esses benefícios e gera satisfação aos envolvidos. A metodologia é apresentada a empresas, cooperativas, sindicatos e interessados por meio de palestras e cursos. O público-alvo é formado por produtores, técnicos de diversos níveis, alunos e professores de áreas relacionadas, e também por aqueles profissionais que desejam entrar na atividade. Com o curso de capacitação sobre o SIPS, os participantes se surpreendem como é possível tornar algo complexo, como é o nosso setor, em uma solução simples de se operar. O SIPS funciona como um conjunto de procedimentos, potencializando a ingestão do alimento mais completa e barata que conseguimos produzir: o pasto de alta qualidade. Porém, devido ao limite que a alimentação impõe, de 17 litros produzidos por vaca ao dia, é preciso fornecer ao animal um concentrado ( ração ) balanceado. Somado a isso, o Sistema Intensivo conta com alternativas de minimização das oscilações sazonais de oferta de pasto, começando por ajustes no manejo e podendo, também, utilizar irrigação, silagem de milho e de cana-de-açúcar ou uma combinação entre os dois. O estudo propõe, ainda, uma lógica totalmente diferente de fornecimento de ração, baseada em pastagem, e não em confinamento com base em silagem. Além disso, há um sistema próprio de criação de bezerras, preparando-as para serem pastejadoras de alta produção por cabeça. Sobretudo, a capacitação prepara os participantes para tomar o controle do próprio negócio. As diversas experiências com o SIPS têm conseguido resultados excelentes, como o aumento em até 700% da renda líquida do produtor. A produção por vaca chega a dobrar, a produção de leite por hectare ao ano cresce três vezes e os custos são reduzidos em até 25%. Muito mais leite com menos custo por litro: isso é ganhar duas vezes. O SIPS também obtém retornos significativos em saltos de produção em qualquer propriedade do país. Mas, para isso, é necessário visar ao resultado econômico líquido e aceitar que são os próprios empresários, produtores e técnicos o freio do avanço que desejam. O SIPS põe abaixo a briga ideológica do confinamento versus pasto, mostrando que ambas as escolas têm muito a nos ensinar, e o caminho mais inteligente é manter a mente aberta, com os pés no chão. *Pesquisador e consultor da Transpondo (www.transpondo.com.br) 5

6 ENTREVISTA Maior competitividade e mais qualidade Para o deputado federal Antônio Andrade, esses serão os resultados com a implantação do plano Pecuária para a indústria laticinista nos próximos anos Deputado federal Antônio Andrade avalia os benefícios do programa Mais Pecuária para o setor nacional Valter Campanato O Governo Federal lançou, em 17 de fevereiro deste ano, por meio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Mais Pecuária. Criado com o objetivo de fomentar de forma sustentável a pecuária bovina de leite e de corte em um período de dez anos, o plano vai se estruturar em dois programas, o Mais Leite e o Mais Carne (confira na pág. 8). Dentre as ações previstas para o Mais Leite, estão o estímulo ao aumento do uso de inseminação artificial no país e de reprodutores nacionais melhorados no comércio de sêmen. A meta é de que 50% das doses de sêmens comercializadas venham de touros nacionais e 25% do rebanho seja inseminado. O Mais Leite também visa elevar o consumo de leite e derivados, além de expandir as exportações. Estima-se que o consumo de leite pelo brasileiro aumente em mais de 20% e que 210 litros sejam consumidos por habitante ao ano. Outro crescimento esperado é a exportação de pelo menos 1,5 bilhão de litros de leite/ano. Para isso, a meta é capacitar 650 mil produtores e trabalhadores rurais até 2023, além de 10 mil técnicos que atuam no campo. Segundo o Mapa, a iniciativa privada é vista como parceira no plano, por meio da aplicação de créditos tributários do PIS/Cofins em projetos de fomento direcionados ao fornecedor do leite. Porém, a renegociação com a indústria ainda não foi concretizada. Para falar sobre o plano Mais Pecuária e as perspectivas do mercado laticinista para os próximos anos, o Silemg Notícias convidou o deputado federal e ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Antônio Andrade. Confira o bate-papo a seguir. Como o senhor avalia o atual cenário da pecuária leiteira no país? A pecuária de leite no Brasil vem passando por grandes transformações. Todos os sistemas de produção de leite evoluíram mui- 6

7 À semelhança do que ocorre com a pecuária de corte, cremos que com as ações propostas no plano, tenhamos um setor leiteiro ainda mais competitivo, capaz de alimentar nossa população com produtos de qualidade e exportar os excedentes to, especialmente, no aspecto tecnológico. No passado, importávamos tecnologias, que nem sempre funcionavam em nosso país. Com a Embrapa e as universidades nós adaptamos, desenvolvemos e criamos tecnologias. O atual cenário é que possuímos uma pecuária leiteira capaz de ser competitiva mundialmente. O Governo Federal lançou, em fevereiro, o plano Mais Pecuária. Quais ações previstas e benefícios gerados o senhor destacaria? Nosso entendimento é que, para o setor laticinista, haverá uma grande melhoria na qualidade do leite produzido no país. Destacaria o eixo de Incorporação de Tecnologia, que visa promover ações que levem as tecnologias geradas pela nossa pesquisa para o produtor rural. Diante das ações propostas pelo Governo, como senhor vislumbra o setor leiteiro nos próximos 10 anos? À semelhança do que ocorre com a pecuária de corte, cremos que com as ações propostas no plano tenhamos um setor leiteiro ainda mais competitivo, capaz de alimentar nossa população com produtos de qualidade e exportar os excedentes, ajudando no superávit de nossa balança comercial e fortalecendo a economia do país. Qual é o caminho para a indústria mineira continuar como líder do setor e ampliar seu crescimento? A indústria mineira, pela tradição histórica e competência demonstrada, para crescer e consolidar a liderança, deve permanecer fiel aos seus princípios, isto é, trabalhar intensamente, de maneira leal a seus fornecedores de leite e consumidores, com foco na qualidade e excelência dos produtos, que distinguem Minas Gerais de todo o país. O Regulamento de Inspeção Industrial de Produtos de Origem Animal (RIISPOA) vem passando por uma revisão desde o ano passado. Qual a importância desse documento e de sua atualização para a indústria de laticínios no país? A modernização do RIISPOA sempre foi uma prioridade na minha gestão à frente do Mapa. É necessário modernizar este regulamento, pois, hoje, os tempos são outros, especialmente quando comparado à década de 1950, ocasião de sua publicação. A indústria precisa de um regulamento compatível com as inovações tecnológicas que transformaram os processos produtivos. Em que ponto está a revisão do documento? Qual é a previsão para que novo RIISPOA seja sancionado pelo Governo e aplicado na prática? Antes de minha saída do Mapa, finalizamos a revisão do documento e o submetemos à Casa Civil da Presidência da República para sua publicação. Nossa expectativa é que a aplicação seja imediata, tão logo seja publicado. 7

8 capa Fotos: Shutterstock Maior competitividade e eficiência Plano Mais Pecuária do Governo Federal pretende aumentar a produção, produtividade, consumo interno e exportação de leite no país 8

9 Para o Governo Federal, a produção de leite e de carne é vista como prioritária e tem potencial para ampliar significativamente o alcance de sua produção nacional. Atualmente, cerca de 115 mil produtores, 8,5% dos estabelecimentos, são responsáveis por mais de 53% do leite produzido no país, ou seja, a grande maioria, 91,5%, produz 46,9% do total necessário. A fim de melhorar a produtividade e competitividade da pecuária bovina de leite e de corte, o Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou, em fevereiro de 2014, o Plano Mais Pecuária, com a contribuição da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), de câmaras setoriais, de parlamentares e do setor produtivo. O programa projeta aumentar a produção nacional para 46,8 bilhões de litros de leite por ano e a produtividade em 40%, passando de 1,4 mil litro de leite por vaca ao ano para 2 mil litros e crescendo em dez vezes o total de leite a ser exportado, alcançando a marca anual de 1,5 bilhão de litros. Atualmente, são exportados quase 150 milhões de litros por ano. A execução do Plano Mais Pecuária será realizada por meio dos programas Mais Leite e Mais Carne, e cada um deles contará com projetos e ações desenvolvidos dentro de quatro eixos estruturantes: Melhoramento genético; Ampliação de mercado; Incorporação de tecnologias; e Segurança e qualidade dos produtos. O primeiro âmbito pretende disponibilizar até mil touros reprodutores por ano e permitir que a oferta de sêmen de gado leiteiro nacional seja de pelo menos 50%. O segundo busca expandir o consumo interno do leite em 23%, além de ampliar as exportações de derivados do produto. Já o terceiro eixo investirá na capacitação e assistência técnica em manejo alimentar, saúde e nutrição de 10 mil técnicos e 650 mil trabalhadores e no desenvolvimento de pesquisas e projetos para soluções tecnológicas. Por fim, o quarto eixo pretende inspecionar com rigor todo o leite captado pela indústria, para diminuir a incidência de zoonoses e combater a clandestinidade no abate. De acordo com João Cruz Reis Filho, chefe da Assessoria de Gestão Estratégica do Mais, a expectativa é que o Plano Mais Pecuária transforme o setor e promova o crescimento e a competitividade do mercado: Esperamos que esse programa tenha um efeito catalisador na pecuária nacional, seja ela de leite, seja de corte. Nosso objetivo é elevar a competitividade da pecuária por meio das ações coordenadas pelos seus quatro eixos, explica. A busca por esses resultados também é compartilhada por Guilherme Olinto, presidente do Silemg: Esta é a iniciativa mais ousada e mais completa que vimos nos últimos anos para a pecuária leiteira. Assistimos esforços para a melhoria da qualidade e produtividade do leite exercidos pela indústria e pelos governos, entretanto, nada comparável aos objetivos do Plano Mais Pecuária, acrescenta. As metas e sua total implementação são de curto, médio e longo prazo, e estão previstas para serem efetuadas nos próximos dez anos. O sistema de gestão do programa será realizado pelo Ministério da Agricultura, por meio de um comitê gestor e um comitê executivo. O futuro da produção leiteira Em outubro de 2013, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) divulgou um documento intitulado Outlook Fiesp 2023: projeções para o agronegócio brasileiro. A partir de diversas pesquisas sobre informações nacionais e internacionais e da análise do setor primário da cadeia produtiva do leite, foram estabelecidos possíveis cenários da perspectiva do agronegócio brasileiro para 2023, explicitados no documento. O Mais Leite e Mais Carne serão desenvolvidos dentro dos eixos Melhoramento genético; Ampliação de mercado; Incorporação de tecnologias; e Segurança e qualidade dos produtos

10 De acordo com o diagnóstico, o Brasil é hoje o sexto maior produtor de leite do mundo, com 5% de participação ou 32,9 milhões de toneladas ao ano, no entanto, sua presença nas exportações ainda ocorre de forma tímida, e as importações do país, convertidas em equivalente leite fluido, representam apenas 3,5% do consumo doméstico. Analisando de forma conservadora, o cenário de lácteos considera a hipótese de que o Brasil manterá sua presença atual no comércio mundial, importando somente produtos específicos, como queijos e leite em pó, mas, não em quantidades crescentes. Porém, de acordo com o estudo, há uma pequena possibilidade de o país se tornar relevante no mercado internacional na próxima década. Guilherme Olinto concorda e diz que, caso o Plano Mais Pecuária seja efetivado em sua totalidade, será possível colocar o Brasil entre as potências mundiais de exportação. No entanto, ele alerta: A produção brasileira de leite crescerá 3,2% ao ano, partindo de 32,9 bilhões de litros em 2012 para 46,7 bilhões de litros em O conjunto de ações previstas no plano, caso se efetive, favorecerá a cadeia produtiva do leite, de modo a inserir de forma definitiva o Brasil entre os players mundiais. Mas, o crescimento da produção tem que vir acompanhado do crescimento de consumo; caso contrário, todo o esforço para melhoria de qualidade, produção e produtividade irão por água abaixo. Segundo João Cruz, as ações do Plano Mais Pecuária contribuirão para que os produtos sejam qualificados e ganhem mais espaço no comércio internacional. O eixo Ampliação de Mercado, por exemplo, terá como foco a expansão do consumo interno e a inserção internacional. As atividades complementares das secretarias de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo, por meio do fomento, e de Defesa Agropecuária, por meio da inspeção, garantirão os atributos de qualidade do nossos produtos para os próximos anos, vislumbra. Boas perspectivas O estudo da Fiesp estima que a produção brasileira de leite crescerá 3,2% ao ano, partindo de 32,9 bilhões de litros em 2012 para 46,7 bilhões de litros em Após a elaboração do Plano Mais Pecuária e das metas estabelecidas pelo Mais Leite, as expectativas do setor são de que esses números aumentem consideravelmente. Porém, será necessário aprimoramento do serviço oferecido pelo Governo e a desburocratização na indústria láctea para que o programa se desenvolva em sua plenitude. Temos que transpor algumas barreiras igualmente difíceis. A primeira é a fonte financeira de custeio do plano. A segunda é o investimento em pessoal a ser contratado pelo Mapa. Sem serviço eficiente de inspeção não enxergo horizonte claro para crescimento do setor, detalha Guilherme Olinto. Outra questão que dificulta o crescimento da cadeia é a longa espera pela implantação do novo Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal. Não é possível pensarmos uma indústria moderna sem a contrapartida de legislação que permita desenvolvimento de novos produtos e sem a burocracia que hoje impera e desestimula a cadeia do leite, finaliza. 10

11 RADAR ACADÊMICO Inovação no mercado Pesquisa da UFV permite utilizar o soro do leite na produção de bebidas isotônicas Professora Edimar Fontes coordena estudo para produção de isotônico à base de soro de leite Assessoria de Comunicação Social/UFV Tecnologia: Isotônico elaborado à base de soro do leite produzido pela indústria de laticínios Pesquisador responsável: Edimar Aparecida Filomeno Fontes, professora do Departamento de Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal de Viçosa Um grupo de pesquisadores do departamento de Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal de Viçosa (UFV), tem se dedicado a um projeto de produção de bebidas isotônicas com o uso do soro do leite. O início da pesquisa aconteceu em 2008, ano em que a professora e pesquisadora de Tecnologia de Alimentos, Edimar Fontes, passou a integrar o corpo docente da instituição e coordenar o estudo da produção dos isotônicos. Na ocasião, outros profissionais da área, como os seus atuais parceiros, Paulo César Stringheta e Antônio Fernandes Carvalho, já se dedicavam às pesquisas com sistemas de membranas, inovação tecnológica utilizada por laticínios com diferentes finalidades, como a esterilização de leite. Um dos principais experimentos do grupo tem como objetivo o isolamento da proteína do soro, componente aplicado em diversos setores da indústria alimentícia, a exemplo da produção de suplementos. Além da proteína, o soro é composto por lactose, minerais e vitaminas hidrossolúveis. Quando a proteína é retida, o restante, que ao passar pelas membranas de ultrafiltração recebe o nome de permeado, apresenta uma composição natural muito semelhante às bebidas isotônicas produzidas no mercado. E ainda tem a vantagem de não conter aditivos químicos, como conservantes e corantes artificiais. Ao longo da cadeia produtiva das indústrias de laticínios, quantidades consideráveis de componentes do leite são reaproveitadas para ou- tros fins, entre eles, o soro. Na fabricação de queijos, por exemplo, aproximadamente 75% da produção são compostas pelo soro de leite. Nesse sentido, a possibilidade da fabricação da bebida isotônica representa o aproveitamento de 100% do principal ingrediente desse tipo de indústria. Outra vantagem é que, como muitos laticínios já possuem a tecnologia de membranas e a operação não apresenta altos graus de complexidade, a necessidade seria apenas de treinamento dos operadores. No momento, estamos em processo de registro de patente. Estudos que visam avaliar a possível aceitação do produto no mercado, a adaptação à legislação e a viabilidade da produção e distribuição ficariam a cargo de possíveis parceiros da iniciativa privada que possam se interessar pelos nossos resultados, explica Edimar. Algumas vantagens competitivas já foram identificadas. Além de permitir a utilização de 100% do leite, este novo processo oferece, naturalmente, nutrientes ricos não presentes nos isotônicos do mercado, como as vitaminas do complexo B e os sais minerais fósforo, cálcio e magnésio. Bebidas isotônicas O suor provocado pela prática de esportes e atividades físicas tem como consequência a perda de líquidos e sais minerais, que são importantes para o equilíbrio do organismo. Desenvolvidos com a finalidade de repor líquidos e eletrólitos perdidos no suor, os isotônicos são bebidas à base d água, sais minerais (essencialmente sódio e potássio) e carboidratos. Recebem esse nome por possuírem a fórmula próxima ao do plasma, facilitando a absorção orgânica. 11

12 CONTANDO trilhas de HISTÓRIAS minas Fotos: Escadas Produções As cachoeiras de Baependi são conhecidas por suas características termais e terapêuticas O paraíso do Circuito das Águas Natureza, lazer, tranquilidade e instâncias terapêuticas em um só lugar A região Sul de Minas Gerais é conhecida por sua tranquilidade e belezas naturais, com paisagens formadas por vales, montanhas, serras e cachoeiras. O clima frio e aconchegante das montanhas é um convite para os amantes de esportes ao ar livre, como o ecoturismo. É também em meio a Serra da Mantiqueira que o turista encontra o Circuito das Águas, com suas instâncias hidrominerais com propriedades medicinais e terapêuticas. São diversas fontes e balneários para banhos, massagens e momentos de harmonia e equilíbrio para o corpo e a mente. Além de diversos parques naturais com espécies de fauna e flora preservadas. O Circuito das Águas integra dez municípios: São Lourenço e Caxambu, que são as cidades-polo, Cambuquira, Lambari, Baependi, Campanha, Heliodora, Conceição do Rio Verde, Carmo de Minas e Soledade de Minas. Quem viaja para momentos de descanso e relaxamento nas águas termais encontra uma rica paisagem histórica nas cidades, com casarões e museus, e uma gastronomia diversa, com doces, iogurtes e queijos caseiros, feitos pelos diversos laticínios localizados na região. Um deles é o Laticínio Fazenda Areado, na cidade de Heliodora. Fundada por Mendes Ferreira, em 1996, a indústria é responsável pela produção do iogurte Top Milk, vendido para comércios locais e de cidades do estado de São Paulo. Só fabricamos para o segmento de iogurtes e o nosso diferencial é o uso apenas de leite integral em sua preparação, uma característica difícil de encontrar no mercado na atualidade, revela o empresário. Segundo ele, esse diferencial competitivo chama muito a atenção dos visitantes que vão à cidade para conhecer as instâncias hidrominerais. Temos muitos compradores que são turistas. Eles chegam

13 em Heliodora, conhecem o nosso produto e, na maioria das vezes, vêm pessoalmente até a fazenda para comprar. O Laticínios Fazenda Areado produz, em média, 140 toneladas de iogurte por mês, nos sabores morango, pêssego, coco e banana, maçã e cereais. Matéria-prima diferenciada Divulgação Na cidade vizinha Soledade de Minas está o Laticínio Leite Alvorada, especializado na produção de queijos finos Val di Fiemme. Desde 1993, o seu proprietário Vicente Marin Munhoz vem inovando no mercado, com a fabricação de produtos com matéria-prima especiais, como é o caso do leite de ovelhas. Buscamos sempre o diferencial. Por isso, implantamos um novo pasto em nossa fazenda e começamos a criar ovelhas e, agora, estamos produzindo queijos a base do leite delas, revela Vicente. A fábrica produz por dia, em média, Kg de queijos com leite de vacas de 11 tipos diferentes e 100 Kg com leite de ovelhas de seis tipos. O empresário explica que essa diversidade atrai os olhares dos turistas que visitam a cidade. Eles ficam curiosos quando encontram tantas variedades de queijos. Para anteder melhor o consumidor, montamos uma loja na estação de trem da cidade e oferecemos uma degustação dos queijos, detalha o empresário. Os produtos podem ser encontrados ainda em algumas cidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, Brasília e em alguns comércios de Belo Horizonte. O Lacticínio Leite Alvorada é especializado na produção de queijos finos Val di Fiemme Parque das Águas em Caxambu atrai turistas de diversas partes do país Águas termais Conheça mais sobre as cidades que integram o Circuito das Águas: São Lourenço: a grande atração é o Parque das Águas, com seis fontes minerais e terapêuticas. Caxambu: o Parque das Águas, com 12 fontes de águas minerais, tem a maior concentração de águas carbogasosa do mundo, que são ricas em sais minerais. Baependi: destaca-se pelos passeios de ecoturismo, como trilhas nas montanhas, trekking, rapel, montanhismo e alpinismo. Cambuquira: encontramos o Pico do Piripau, uma rampa natural a 1250 metros de altitude, ideal para a prática do voo livre. Campanha: é a mais antiga cidade do Sul de Minas, com diversas cachoeiras e fontes termais. Carmo de Minas: conserva a tranquilidade das cidades do interior de Minas. Possui diversas fontes, cachoeiras e montanhas, como o Pico Agudo, que proporciona uma vista panorâmica da cidade e das montanhas em volta. Conceição do Rio Verde: o Parque das Águas de Contendas oferece fontes hidrominerais gasosa, ferruginosa, alcalina e magnesiana, ideias para ajudar nos problemas respiratórios de alergias, pressão arterial, sequelas reumáticas, sistema nervoso como estresse, dores musculares e para a pele. Heliodora: cidade serrana com montanhas, cachoeiras, fontes e grutas. Para os praticantes de alpinismo, há montanhas como Pão de Açúcar, Pedrão e Pedra do Ovo. Lambari: possui seis fontes de águas terapêuticas no Parque das Águas, além de piscinas e duchas de águas minerais. As águas medicinais são usadas para beber e como remédios medicinais. Soledade de Minas: destaca-se pelos trabalhos artesanais de palha a taboa e argila e produção de mel e doces caseiros, que podem ser encontrados na Feira de Artesanato.

14 CONTANDO SAÚDE COM HISTÓRIAS SABOR Um aliado muito saudável O consumo de iogurte com baixo teor de gordura ajuda na prevenção do diabetes tipo 2 Hábitos saudáveis Para controlar e prevenir o diabetes tipo 2, fique atento às seguintes orientações, dadas pela nutricionista Roberta Rodrigues: Beba 2 litros de água por dia. Se alimente a cada 3 horas. Evite doces, chocolates, refrigerantes, entre outros alimentos que contêm açúcar em sua composição. Não consuma frutas em conservas ou enlatadas, pois elas são preparadas com caldas contendo açúcar. No lugar do sal, tempere a comida com ervas (cebola, salsinha, coentro). Evite o consumo de produtos ricos em calorias, gorduras e sal como batata frita, salgadinhos, sanduíches e enlatados. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a diabetes tipo 2 está entre as doenças que mais preocupam os órgãos de saúde pública, devido ao número cada vez maior de pessoas que a desenvolvem. Estima-se que 371 milhões indivíduos no mundo têm diabetes tipo 2, dos quais 13,4 milhões são brasileiros, o que leva o Brasil a ocupar a 4ª posição na lista dos países que apresentam a doença, atrás da China, Índia e Estados Unidos, respectivamente. O diabetes tipo 2 está ligado ao aumento dos níveis de açúcar no sangue uma condição conhecida como hiperglicemia. Isso ocorre porque o organismo não utiliza de forma correta a insulina (hormônio produzido pelo pâncreas, que permite a entrada de glicose nas células para ser transformada em energia), impedindo que as células do corpo absorvam a glicose de modo adequado. O endocrinologista Wilson Miranda explica que a doença está ligada à genética, mas, também, ao estilo de vida do paciente. É importante ter controle e uma alimentação saudável e praticar exer- Shutterstock 14

15 cícios físicos. Das pessoas que são portadoras de diabetes, cerca de 90% apresentam o diabetes tipo 2. Ela ocorre, geralmente, em pessoas obesas com mais de 40 anos de idade, embora na atualidade é diagnosticada com maior frequência em jovens, em virtude de maus hábitos alimentares, sedentarismo e estresse da vida urbana, acrescenta. Para evitar o aumento desta estatística, é preciso se conscientizar em relação às formas de prevenção. A simples adoção de iogurtes com baixo teor de gordura (inferiores a 3,9%) na dieta é uma delas. Os resultados de uma pesquisa feita pela Universidade de Cambridge, na Grã-Bretanha (Inglaterra), apontam que esse produto é um grande aliado para diminuir os riscos. Os resultados foram publicados em março deste ano, na revista especializada Diabetologia da Associação Europeia para o Estudo de Diabetes (EASD). O estudo comparou os hábitos alimentares de pessoas com e sem a doença e descobriu que a prevalência do diabetes é significamente menor entre aquelas que consomem o iogurte com baixo teor de gordura, ao menos quatro vezes por semana. Quatro copos de 125 gramas do alimento semanal reduz até 28% o risco de diabetes. Em uma análise complementar, os pesquisadores descobriram que substituir lanches (bolos, biscoitos e salgados) pelo iogurte resulta em um risco 47% inferior para a diabetes tipo 2. Também foi apontado que outros laticínios com baixo teor de gordura, como o queijo cottage, contribuem para a prevenção em até 24%. Como se prevenir A nutricionista Roberta Rodrigues conta que o mercado oferece uma variedade de iogurtes com baixo teor de gorduras. Podemos encontrar nas prateleiras várias marcas com os produtos desnatados, light e zero. O iogurte é um alimento rico em nutrientes essenciais à saúde, como cálcio, vitamina A, Complexo B e sais minerais, por isso, é um alimento que pode ser consumido sempre. Ela também orienta que o paciente diabético ou com risco de desenvolver a doença deve ser estimulado a consumir alimentos ricos em fibras, que podem ser servidos com iogurtes. Elas são importantes para ajudar a manter os níveis de glicose normais, pois diminuem o tempo de esvaziamento do estômago, dificultando a absorção de glicose. Pode-se, então, acrescentar algumas fontes de fibras, como aveia, cereais integrais, linhaça e frutas ao iogurte, fazendo uma perfeita combinação, finaliza. Qual a diferença? Diabetes 1 Diabetes 2 É uma doença autoimune, em que o organismo produz pouca ou nenhuma insulina. É necessário que o paciente tome doses diárias de insulina para manter o controle da glicose. Menos de 10% dos diabéticos têm a doença. A maior incidência é por fatores hereditários e acomete mais os indivíduos na fase adulta. O nível de insulina no organismo é normal, mas os tecidos se tornam resistentes a sua ação, o que impede a absorção da glicose, gerando o aumento da taxa de açúcar na corrente sanguínea. 15

16 16

Cadeia Produtiva do Leite. Médio Integrado em Agroindústria

Cadeia Produtiva do Leite. Médio Integrado em Agroindústria Médio Integrado em Agroindústria A importância da cadeia do leite A cadeia do leite e de seus derivados desempenha papel relevante no suprimento de alimentos e na geração de emprego e renda, se igualando

Leia mais

E OS SEUS BENEFÍCIOS

E OS SEUS BENEFÍCIOS E OS SEUS BENEFÍCIOS A principal função do leite é nutrir (alimentar). Além disso, cumpre as funções de proteger o estômago das toxinas e inflamações e contribui para a saúde metabólica, regulando os processos

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS:

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS: JUSTIFICATIVA Para termos um corpo e uma mente saudável, devemos ter uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, carnes, cereais, vitaminas e proteínas. Sendo a escola um espaço para a promoção

Leia mais

Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinocultura de Leite

Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinocultura de Leite Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinocultura de Leite Introdução a Pecuária Leiteira Valdirene Zabot Zootecnista valdirene@unochapeco.edu.br

Leia mais

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR Alimentação Boa Pra Você Todo ser vivo precisa se alimentar para obter energia e nutrientes para se desenvolver. No caso do ser humano, os alimentos trazem

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem!

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Convivendo bem com a doença renal Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Nutrição e dieta para diabéticos: Introdução Mesmo sendo um paciente diabético em diálise, a sua dieta ainda

Leia mais

OPORTUNIDADES PARA A PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL

OPORTUNIDADES PARA A PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL OPORTUNIDADES PARA A PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL 1. Produção de Leite Rodrigo Sant`Anna Alvim 1 O Brasil conta com um setor leiteiro que vem crescendo substancialmente nos últimos anos. Grande importador

Leia mais

A PRODUCAO LEITEIRA NOS

A PRODUCAO LEITEIRA NOS A PRODUCAO LEITEIRA NOS ESTADOS UNIDOS Estatisticas A produção leiteira durante Janeiro de 2012 superou os 7 bilhões de kg, 3.7% acima de Janeiro de 2011. A produção por vaca foi em media 842 kg em Janeiro,

Leia mais

Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba. Sebastião Teixeira Gomes

Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba. Sebastião Teixeira Gomes Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba Sebastião Teixeira Gomes Viçosa Novembro 1996 1 Índice Especificação Página 1. Introdução... 2 2. Notas Metodológicas... 2 3. Recursos Disponíveis... 3 4. Raça

Leia mais

Dados do Censo Agropecuário Confirmam Concentração da Atividade Leiteira no Brasil

Dados do Censo Agropecuário Confirmam Concentração da Atividade Leiteira no Brasil Dados do Censo Agropecuário Confirmam Concentração da Atividade Leiteira no Brasil Ézio José Gomes Os dados do último Censo Agropecuário do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, de 2006

Leia mais

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Leite relatório de inteligência JANEIRO 2014 O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Na busca da eficiência nos processos produtivos na atividade leiteira este

Leia mais

Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar

Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar A Rede Asbran e Filiadas lança nesta sexta-feira, dia 31, mais uma ação da campanha nacional pela redução no consumo do sal e do açúcar,

Leia mais

Frutas em Calda, Geléias e Doces

Frutas em Calda, Geléias e Doces Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Agroindústria de Alimentos Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Iniciando um

Leia mais

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano. Oficina CN/EM 2012 Alimentos e nutrientes (web aula) Caro Monitor, Ao final da oficina, o aluno terá desenvolvido as habilidade: H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo

Leia mais

Ovinocultura de Leite. Uma alternativa de renda às famílias rurais.

Ovinocultura de Leite. Uma alternativa de renda às famílias rurais. Ovinocultura de Leite Uma alternativa de renda às famílias rurais. Área de abragência Oeste, Meio Oeste, Alto Uruguai e Extremo Oeste Catarinense. 53% dos estabelecimentos rurais e 67% da área total rural.

Leia mais

Pesquisa de diagnóstico brasil central de agronegócios - MS

Pesquisa de diagnóstico brasil central de agronegócios - MS oportunidades de negócio para a Agricultura Familiar Pesquisa de diagnóstico brasil central de agronegócios - MS CAMPO GRANDE - AGOSTO/2014 SEBRAE/MS Conselho Deliberativo Associação das Microempresas

Leia mais

PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA E CONSUMO INTERNO BRASILEIRO

PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA E CONSUMO INTERNO BRASILEIRO PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA E CONSUMO INTERNO BRASILEIRO WESP-GUTERRES, Caroline 1 ; TEIXEIRA, José Domingos Lemos 1 ; ARALDI,Daniele Furian 2 Palavras-Chave: Brasil. Consumo de carne. Bovinocultura. Introdução

Leia mais

Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares

Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares HÁBITOS ALIMENTARES Hoje, em virtude da vida agitada, trabalho, estudo, família e outras inúmeras responsabilidades, todos ficam vulneráveis às doenças causadas

Leia mais

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos Valor Energético É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na rotulagem

Leia mais

A CADEIA PRODUTIVA DO LEITE

A CADEIA PRODUTIVA DO LEITE 25 Roberto H. Jank Jr. 1 A CADEIA PRODUTIVA DO LEITE SÍNTESE RETROSPECTIVA O Brasil é o sexto maior produtor mundial de leite e deverá ser o terceiro nos próximos 5 anos, mantidas as nossas atuais taxas

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade: Curso: NUTRIÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE Disciplina: INTRODUÇÃO A NUTRIÇÃO Carga horária: Teórica 40 Prática 40 Semestre: 1 Turno:

Leia mais

Leite. A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades. relatório de inteligência. Abril 2014

Leite. A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades. relatório de inteligência. Abril 2014 Leite relatório de inteligência Abril 2014 A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades A rotina em uma propriedade leiteira exige acompanhamento e atenção em todos os

Leia mais

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física A Importância dos Alimentos Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a

Leia mais

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL A promoção da alimentação saudável é uma diretriz da Política Nacional de Alimentação e Nutrição e uma das prioridades para a segurança alimentar e nutricional

Leia mais

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e outros sintomas Nutricionista Camila Costa Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício InCor/FMUSP Será que o que você come influencia

Leia mais

QUALIDADE VERDANA 2014

QUALIDADE VERDANA 2014 ano 2 MAIO 2014 EDIÇão 02 www.verdanaagropecuaria.com.br camapuã/ms INFORMATIVO Mais valor para você Editorial QUALIDADE VERDANA 2014 1 1 A QUALIDADE QUE FEZ A DIFERENÇA em 2013 ENCONTRO 2013 Vinte e seis

Leia mais

Palestras Scot Consultoria

Palestras Scot Consultoria Palestras Scot Consultoria índice palestras scot consultoria As melhores e mais fiéis informações de mercado vão até você temas 3 pecuária de corte e seus derivados temas 5 pecuária de leite e derivados

Leia mais

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE.

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. 1. DOENÇA CELIACA É uma doença que causa inflamações nas camadas da parede do intestino delgado,

Leia mais

Cartilha de Prevenção. ANS - nº31763-2. Diabetes. Fevereiro/2015

Cartilha de Prevenção. ANS - nº31763-2. Diabetes. Fevereiro/2015 Cartilha de Prevenção 1 ANS - nº31763-2 Diabetes Fevereiro/2015 Apresentação Uma das missões da Amafresp é prezar pela qualidade de vida de seus filiados e pela prevenção através da informação, pois esta

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS 0,5% Exportação 46% Leite 41% Leite Condensado e Creme de Leite 55% Venezuela 11% Argélia Leite Fluido 34

Leia mais

O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR DE IOGURTE NA CIDADE DE ITABUNA NO ESTADO DA BAHIA

O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR DE IOGURTE NA CIDADE DE ITABUNA NO ESTADO DA BAHIA O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR DE IOGURTE NA CIDADE DE ITABUNA NO ESTADO DA BAHIA Antônio Carlos de Araújo Lúcia Maria Ramos Silva Ahmad Saeed Khan RESUMO: Estudou-se o comportamento do consumidor de iogurte

Leia mais

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Setor de Vigilância Sanitária Distrito Sanitário Oeste Núcleo de Vigilância Sanitária A ROTULAGEM DE ALIMENTOS

Leia mais

especial iate LIAMARA MENDES

especial iate LIAMARA MENDES 54 Maio / Junho de 2013 especial use os alimentos a seu favor iate por LIAMARA MENDES Uma dieta equilibrada aliada a exercícios físicos pode ser considerada a fórmula ideal para a conquista do corpo perfeito.

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

BEM NUTRIDO: UM NOVO CONCEITO DE ALIMENTAÇÃO PARA O CENÁRIO BRASILEIRO ATUAL

BEM NUTRIDO: UM NOVO CONCEITO DE ALIMENTAÇÃO PARA O CENÁRIO BRASILEIRO ATUAL BEM NUTRIDO: UM NOVO CONCEITO DE ALIMENTAÇÃO PARA O CENÁRIO BRASILEIRO ATUAL Autora: Luísa Arantes Vilela Coautora: Juliana de Oliveira Abrahão O excesso de peso e a obesidade aumentam continuamente ao

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS PAIS

A IMPORTÂNCIA DOS PAIS 1 A IMPORTÂNCIA DOS PAIS NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ELABORADO POR LUCILEIDE RODRIGUES DOS SANTOS Gerente de Supervisão e Avaliação DAE SEED/SE 2 EQUIPE DAE SEED/SE Edneia Elisabete Cardoso Diretora DAE - SEED/SE

Leia mais

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADO FEDERAL CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Cuidados com a alimentação apresentação Uma boa saúde é, em grande parte, resultado de uma boa alimentação. Há muita verdade no dito

Leia mais

Programa de extensão universitária mais leite

Programa de extensão universitária mais leite Programa de extensão universitária mais leite Renato SOARES OLIVEIRA¹; Samuel PIASSI TELES²; Rafael BASTOS TEIXEIRA³; Cassia MARIA SILVA NORONHA 4 ; Alan Dhan COSTA LIMA 5 ; Arnaldo Júnior VALERIANO RESENDE

Leia mais

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini As maiores médias de consumo diário per capita ocorreram para Feijão (182,9 g/ dia), arroz (160,3 g/ dia), carne bovina

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2014 Etec Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales - SP EE: Eixo Tecnológico: Recursos Naturais Habilitação

Leia mais

Café da manhã. na medida para você

Café da manhã. na medida para você Café da manhã na medida para você Seja qual for a sua rotina, agitada ou calma, a regra primordial é não fugir da primeira refeição do dia, que lhe trará muitas vitaminas e nutrientes, além de ajudar a

Leia mais

Enfrentando os Desafios Para Criar Competitividade Sustentável

Enfrentando os Desafios Para Criar Competitividade Sustentável SIMPÓSIO REGIONAL DE BOVINOCULTURA DE LEITE Guarapuava,07/10/2015 Enfrentando os Desafios Para Criar Competitividade Sustentável Ronei Volpi Coordenador Geral da Aliança Láctea Sul Brasileira Competitividade

Leia mais

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO (segunda parte) A ESCOLHA Responda à seguinte pergunta: Você gosta de carro? Se você gosta, vamos em frente. Escolha o carro de seus sonhos: Mercedes,

Leia mais

Coração Saudável! melhor dele?

Coração Saudável! melhor dele? As doenças cardiovasculares (DCV s) - incluem as doenças coronarianas e o acidente vascular cerebral (AVC) também conhecido como derrame afetam pessoas de todas as idades, até mesmo mulheres e crianças.

Leia mais

Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física

Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física LAHOR CLÍNICA MÉDICA Tatiana Oliveira Nutricionista - CRN 7508 Rua Mário Amaral, 267 - Paraíso - SP Tel/Fax: (11) 3884-7127 Tel: (11) 3051-5554 Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física

Leia mais

Gastronomia. Lethiais)

Gastronomia. Lethiais) Nutrição Ciência que trata da alimentação e dos alimentos sob todos os seus aspectos: utilização e transformação dos alimentos, a assimilação dos alimentos no organismo através do qual são garantidas a

Leia mais

Discente: Marcelo Caetano de Oliveira Orientador: José Darlan Ramos

Discente: Marcelo Caetano de Oliveira Orientador: José Darlan Ramos Serra da Mantiqueira: Turismo e Fruticultura Discente: Marcelo Caetano de Oliveira Orientador: José Darlan Ramos Objetivo Apresentar uma síntese sobre a Serra da Mantiqueira, desafios e potencialidades

Leia mais

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Objetivos: - Desenvolver uma visão biopsicossocial integrada ao ambiente de trabalho, considerando

Leia mais

*Silvia Benedetti Edna Regina Amante Luis Fernando Wentz Brum Luis Carlos de Oliveira Jr. São Paulo 2009

*Silvia Benedetti Edna Regina Amante Luis Fernando Wentz Brum Luis Carlos de Oliveira Jr. São Paulo 2009 Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Alimentos REAPROVEITAMENTO DE ÁGUA DE PROCESSO E RESÍDUOS DE INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS *Silvia Benedetti Edna Regina Amante

Leia mais

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável!

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Menu Semanal e Lista de Compras Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Lista de Compras Lista de Compras Frutas Abacate Banana Maçã Tomate Frutas secas Damasco Banana Abacaxi Ameixa

Leia mais

SABOR. NUMEROSem. Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos do Ministério da Saúde.

SABOR. NUMEROSem. Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos do Ministério da Saúde. SABOR Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos do Ministério da Saúde. Conteúdo produzido pela equipe de Comunicação e Marketing do Portal Unimed e aprovado pelo coordenador técnico-científico:

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? TIPOS

O QUE É COLESTEROL? TIPOS O QUE É COLESTEROL? O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal (carne, leite integral, ovos etc.). Em nosso

Leia mais

Como nosso corpo está organizado

Como nosso corpo está organizado Como nosso corpo está organizado Iodo Faz parte dos hormônios da tireoide, que controlam a produção de energia e o crescimentodocorpo.aleiobrigaaadiçãodeiodoaosaldecozinha. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO

Leia mais

DPA GUIA TÉCNICO PNCEBT. Programa Nacional de Controle e Erradicação de Brucelose e Tuberculose. Eficiência e qualidade na produção leiteira

DPA GUIA TÉCNICO PNCEBT. Programa Nacional de Controle e Erradicação de Brucelose e Tuberculose. Eficiência e qualidade na produção leiteira DPA PNCEBT Programa Nacional de Controle e Erradicação de Brucelose e Tuberculose Ano 1 Número 1 Janeiro/Fevereiro 2014 GUIA TÉCNICO Eficiência e qualidade na produção leiteira Nesta Edição Importância

Leia mais

O Preço do Leite Volta a Subir Sinalizando Boas Perspectivas para 2010

O Preço do Leite Volta a Subir Sinalizando Boas Perspectivas para 2010 O Preço do Leite Volta a Subir Sinalizando Boas Perspectivas para 2010 Ézio José Gomes O preço do litro de leite pago ao produtor vem se recuperando rapidamente nesse início de ano, obtendo uma alta de

Leia mais

Sede Sebrae Nacional

Sede Sebrae Nacional Sede Sebrae Nacional Somos o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa, uma entidade privada sem fins lucrativos, e a nossa missão é promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO E EXTENSÃO RURAL AGRAER ARRANJO PRODUTIVO LOCAL - APL LEITE

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO E EXTENSÃO RURAL AGRAER ARRANJO PRODUTIVO LOCAL - APL LEITE GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO E EXTENSÃO RURAL AGRAER ARRANJO PRODUTIVO LOCAL - APL LEITE MICRORREGIÃO DE GLÓRIA DE DOURADOS - MS (PRIMEIRA VERSÃO) Glória de

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal

Leia mais

MERCADO LÁCTEO. O Papel da Indústria na Conquista de Mercados Alexandre Guerra Presidente. 2015: Um ano de margens ajustadas

MERCADO LÁCTEO. O Papel da Indústria na Conquista de Mercados Alexandre Guerra Presidente. 2015: Um ano de margens ajustadas MERCADO LÁCTEO O Papel da Indústria na Conquista de Mercados Alexandre Guerra Presidente 2015: Um ano de margens ajustadas -1,18 PIB 2015 Previsão de 2,8% em janeiro de 2014 8,26% Previsão Inflação 2015

Leia mais

Uma das maiores agroindústrias de produção de alimentos do país, especialmente

Uma das maiores agroindústrias de produção de alimentos do país, especialmente Batávia mantém estratégia de inovação com 60 lançamentos Uma das maiores agroindústrias de produção de alimentos do país, especialmente em refrigerados lácteos, a Batávia S.A Indústria de Alimentos possui

Leia mais

ASPECTOS SOCIAIS DA PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL. Elmer Ferreira Luiz de Almeida. Introdução

ASPECTOS SOCIAIS DA PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL. Elmer Ferreira Luiz de Almeida. Introdução Capítulo 9 - Aspectos sociais da produção de leite no Brasil ASPECTOS SOCIAIS DA PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL Elmer Ferreira Luiz de Almeida Introdução O agronegócio Leite no Brasil tem passado por mudanças

Leia mais

Becel Lança bebida láctea

Becel Lança bebida láctea empresas & negócios Becel Lança bebida láctea Becel anuncia seu principal lançamento para o primeiro semestre de 2012 bebida láctea com polpa de frutas, que chega nos sabores Ameixa, Pêssego e Morango.

Leia mais

DE CRIADOR PARA CRIADOR

DE CRIADOR PARA CRIADOR DE CRIADOR PARA CRIADOR No clima para a máxima produção com qualidade. Altitude e temperatura perfeitas. O resultado são rebanhos com máxima produção de sêmen com qualidade, para você vender sempre mais.

Leia mais

Manual de Rotulagem de Alimentos

Manual de Rotulagem de Alimentos Manual de Rotulagem de Alimentos Agosto 2013 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para

Leia mais

Profa. Joyce Silva Moraes

Profa. Joyce Silva Moraes Alimentação e Saúde Profa. Joyce Silva Moraes saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estarestar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar

Leia mais

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar.

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. Nota Técnica nº 01/2014 COSAN/CGPAE/DIRAE/FNDE Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. A Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional COSAN do Programa Nacional

Leia mais

7. Atividades realizadas pelo projeto no contexto da cooperação com o Funbio. 7.1. Palestras e oficina

7. Atividades realizadas pelo projeto no contexto da cooperação com o Funbio. 7.1. Palestras e oficina 7. Atividades realizadas pelo projeto no contexto da cooperação com o Funbio As atividades do projeto abaixo indicadas são financiadas exclusivamente pelo TFCA/Funbio, sendo que aquelas referentes ao planejamento

Leia mais

A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo

A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo A alimentação adequada e nutricionalmente equilibrada é um dos fatores importantes e essenciais para a otimização do desempenho, sendo

Leia mais

ALIMENTAÇÃO Preventiva. Volume I

ALIMENTAÇÃO Preventiva. Volume I ALIMENTAÇÃO Preventiva Volume I By porque evoluir é preciso Que o teu alimento seja seu medicamento Hipócrates Pai da medicina moderna Não coma, nutra-se! Existem muitas informações importantes disponíveis,

Leia mais

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO Agropecuária É o termo utilizado para designar as atividades da agricultura e da pecuária A agropecuária é uma das atividades mais antigas econômicas

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ata de reunião Dados da Reunião Lista de Participantes Desenvolvimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ata de reunião Dados da Reunião Lista de Participantes Desenvolvimento Dados da Reunião Câmara: Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina Título: Reunião Ordinária N. 37 Local: Auditório Maior, Sobreloja do Ed. Sede do MAPA, Brasília/DF Data da reunião: 09/12/2013

Leia mais

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade I: BRASILEIRA 0 Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA O Guia Alimentar é um instrumento que define as diretrizes alimentares a serem utilizadas

Leia mais

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 8 APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE

Leia mais

PROBOVI PROGRAMA DE NUTRIÇÃO PARA BOVINOS

PROBOVI PROGRAMA DE NUTRIÇÃO PARA BOVINOS 1 PROBOVI PROGRAMA DE NUTRIÇÃO PARA BOVINOS www.kerabrasil.com.br Fone:(54)2521-3124 Fax:(54)2521-3100 2 INTRODUÇÃO PROGRAMA KERA PARA BOVINOS DE LEITE E CORTE Com o acelerado melhoramento genético dos

Leia mais

Boletim de Serviços Financeiros

Boletim de Serviços Financeiros PRODUTOS DE INFORMAÇ ÃO E INTELIGÊNCIA D E MERCADOS Boletim de Serviços Financeiros BOLETIM DO SERVIÇO B RASILEIRO DE APOIO À S MICRO E PEQUENAS E MPRESAS WWW.SEBRAE.COM.BR 0800 570 0800 PERÍODO: JULHO/2014

Leia mais

Courobusiness em Alagoas

Courobusiness em Alagoas Courobusiness em Alagoas Descrição Atração e instalação de empreendimentos de curtumes para o desenvolvimento e consolidação da cadeia produtiva do couro no Estado de Alagoas. Entidades responsáveis Célula

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Assessoria de Gestão Estratégica. Plano Mais Pecuária

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Assessoria de Gestão Estratégica. Plano Mais Pecuária Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Assessoria de Gestão Estratégica Plano Mais Pecuária Brasília 2014 2014 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Todos os direitos reservados.

Leia mais

Iogurte Agregação de valor na cadeia produtiva

Iogurte Agregação de valor na cadeia produtiva Leite BOLETIM DE TENDÊNCIAS MAIO 2014 Iogurte Agregação de valor na cadeia produtiva O alimento iogurte é um derivado do leite, sua produção é o resultado da ação fermentativa de alguns microorganismos,

Leia mais

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes!

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664 * Alimentos Diet: Alimento dietético

Leia mais

MANEIRA PRÁTICA DE REALIZAR CONTROLE REPRODUTIVO EM GADO LEITEIRO EM PROPRIEDADES COM ECONOMIA FAMILIAR

MANEIRA PRÁTICA DE REALIZAR CONTROLE REPRODUTIVO EM GADO LEITEIRO EM PROPRIEDADES COM ECONOMIA FAMILIAR 1 BOLETIM TÉCNICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETERINÁRIA MANEIRA PRÁTICA DE REALIZAR CONTROLE REPRODUTIVO EM GADO LEITEIRO EM PROPRIEDADES COM ECONOMIA FAMILIAR Boletim Técnico

Leia mais

PECUÁRIA SUSTENTÁVEL

PECUÁRIA SUSTENTÁVEL PECUÁRIA SUSTENTÁVEL 64 anos Professor e Administrador de empresas. 42 anos atuando no Grupo Pão Açúcar MARCIO MILAN Diretor de relações governamentais GPA Vice Presidente de relações políticas e institucionais

Leia mais

Julho, um mês festivo

Julho, um mês festivo Nutricionista Atividade física e alimentação Alimentação e exercícios físicos equilibrados são imbatíveis quando o assunto é saúde, manutenção ou redução do peso e ganho de massa muscular. Para qualquer

Leia mais

Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços

Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços Para fazer uma descrição adequada dos preços e serviços em seu plano de negócio, diga quais são os serviços da sua empresa, porque ela é capaz de fornecê-los,

Leia mais

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação.

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação. 1 A Feira do Empreendedor é um evento de sucesso promovido pelo SEBRAE-SP, com o objetivo de oferecer informação, conhecimento e oportunidade para empresários e futuros empreendedores. A Feira do Empreendedor

Leia mais

7 alimentos que sabotam a dieta sem você perceber. Até mesmo as comidas consideradas "magras" pedem consumo moderado

7 alimentos que sabotam a dieta sem você perceber. Até mesmo as comidas consideradas magras pedem consumo moderado 7 alimentos que sabotam a dieta sem você perceber Até mesmo as comidas consideradas "magras" pedem consumo moderado Por Roberta Vilela - publicado em 26/11/2010 Mudança dos hábitos alimentares A mudança

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA SE ADQUIRIR HÁBITOS SAUDÁVEIS

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA SE ADQUIRIR HÁBITOS SAUDÁVEIS ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA SE ADQUIRIR HÁBITOS SAUDÁVEIS Sumário Introdução... 3 1 - A importância da Água... 4 2 - Organizando a sua alimentação diária... 6 3 A eliminação... 7 4 Sugestões de óleos... 8

Leia mais

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES Orientações básicas de nutrição para o autocuidado em DM Maria Palmira C. Romero Nutricionista Marisa Sacramento

Leia mais

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Projeto Novos Talentos Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Oficina: Comer bem, para viver melhor! Cristiane da Cunha Alves Tatiane Garcez Bianca Maria de Lima Danielle Costa INTRODUÇÃO/JUSTIFICATIVA

Leia mais

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Parceria entre Alta Genetics, Pfizer e Sérgio Nadal promete acelerar os rebanhos comerciais do país. A carne

Leia mais

Calendário Anual de Atividades da APPBCL Planejamento 2014

Calendário Anual de Atividades da APPBCL Planejamento 2014 Calendário Anual de Atividades da APPBCL Planejamento 2014 Calendário de Atividades 2014 Atividades SET OUT NOV DEZ Reunião Comunidades 20 Eventos Agronegócio na Sede 30 Balde Cheio Itinerante Cursos online

Leia mais

Light ou diet? O consumo de produtos diet e light cresceu em grande escala no mercado mundial. É visível

Light ou diet? O consumo de produtos diet e light cresceu em grande escala no mercado mundial. É visível Light ou diet? O consumo de produtos diet e light cresceu em grande escala no mercado mundial. É visível nas prateleiras dos supermercados o quanto de espaço eles ganharam. É comum encontrarmos, hoje,

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 5.413-A, DE 2013 (Do Sr. Jorginho Mello)

PROJETO DE LEI N.º 5.413-A, DE 2013 (Do Sr. Jorginho Mello) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 5.413-A, DE 2013 (Do Sr. Jorginho Mello) Dispõe sobre a concessão do Selo Estabelecimento Sustentável; tendo parecer da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento

Leia mais

EVOLUÇÃO RECENTE E PERSPECTIVA DA PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL 1

EVOLUÇÃO RECENTE E PERSPECTIVA DA PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL 1 EVOLUÇÃO RECENTE E PERSPECTIVA DA PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL 1 1 Introdução Sebastião Teixeira Gomes 2 De todas as cadeias produtivas do setor agropecuário, a que mais se transformou, nos últimos anos,

Leia mais

10-13 junho 2015. Bienal do Ibirapuera São Paulo - SP. 11ª Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia. quarta a sábado 11h -19h

10-13 junho 2015. Bienal do Ibirapuera São Paulo - SP. 11ª Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia. quarta a sábado 11h -19h 11ª Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia 10-13 junho 2015 quarta a sábado 11h -19h Bienal do Ibirapuera São Paulo - SP Shutterstock Conecte-se a milhares de compradores que buscam novos

Leia mais

para controle da mastite e melhora da qualidade do leite

para controle da mastite e melhora da qualidade do leite Björn Qvarfordt Técnico habilitado realizando manutenção preventiva no equipamento de ordenha Medidas práticas para controle da mastite e melhora da qualidade do leite Por: Renata Travaglini Gonçalves

Leia mais

Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte?

Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte? Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte? Animais necessitam de oferta abundante de água limpa para: 1. fermentação ruminal e metabolismo; 2. fluxo de alimentos através do trato

Leia mais

PRODUTOS DOS CAPRINOS: LEITE. Profa. Dra. Alda Lúcia Gomes Monteiro

PRODUTOS DOS CAPRINOS: LEITE. Profa. Dra. Alda Lúcia Gomes Monteiro PRODUTOS DOS CAPRINOS: LEITE Profa. Dra. Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 INTRODUÇÃO PRODUÇÃO DE CAPRINOS LEITE e derivados CARNE e derivados Pele (couro) Pêlos Outros RAÇAS LEITEIRAS Alpina (França e outros

Leia mais

PRODUÇÃO E PERPECTIVAS DA CADEIA DO LEITE NA AGRICULTURA FAMILIAR. Eng. Agr. Breno Kirchof

PRODUÇÃO E PERPECTIVAS DA CADEIA DO LEITE NA AGRICULTURA FAMILIAR. Eng. Agr. Breno Kirchof PRODUÇÃO E PERPECTIVAS DA CADEIA DO LEITE NA AGRICULTURA FAMILIAR Eng. Agr. Breno Kirchof SITUAÇÃO MUNDIAL PRODUÇÃO MUNDIAL LEITE VACA - 599,6 bilhões de litros leite/ano CRESCIMENTO PRODUÇÃO - 1% a 2%

Leia mais

2 Planilha para Cálculo do Custo de Produção de Leite na Agricultura Familiar

2 Planilha para Cálculo do Custo de Produção de Leite na Agricultura Familiar ISSN 1516-41XX Planilha para Cálculo do Custo de Produção de Leite na Agricultura Familiar 32 Introdução Economistas rurais, administradores e zootecnistas elaboram diversas planilhas de custo de produção

Leia mais