PLANO DE FEIRAS E MISSÕES EMPRESARIAIS 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE FEIRAS E MISSÕES EMPRESARIAIS 2015"

Transcrição

1 2015

2 1. INTRODUÇÃO O acesso a novos mercados e o aumento da base económica de exportação são determinantes para o reforço da competitividade do tecido empresarial dos Açores. Atividades de apoio às empresas através da participação em feiras, desenvolvimento de atividades promocionais e a organização de missões empresariais reforçam a estratégia já implementada da promoção global dos Açores, com ênfase no setor agroalimentar e nos serviços. No plano para o corrente ano prevê-se alargar o âmbito das ações através da participação em eventos específicos do setor da exploração da madeira e do imobiliário, tornado a abrangência destas iniciativas transversais e impactantes nos principais setores exportadores regionais, contribuindo para o aumento da base económica de exportação, a maximização da capacidade produtiva e a utilização de recursos locais, aumentando a competitividade do tecido empresarial dos Açores. A parceria do Governo dos Açores, através da SDEA - Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores, e a CCIA - Câmara de Comércio e Indústria dos Açores tem vindo a apostar na promoção da Região e no apoio à internacionalização das PMEs, em particular, com o objetivo de promover as exportações regionais para os mercados considerados prioritários, selecionados de acordo com os interesses específicos das empresas exportadoras ou com potencial de exportação. Prevê-se, ainda, que as estas ações reforcem a presença e o consumo dos produtos e serviços regionais no mercado interno. O Plano de Capacitação Empresarial 2015 dá ênfase ao setor agroalimentar, identificando e captando novas oportunidades, criando valor e dimensão, reforçando a notoriedade dos Açores e a sua reputação nos mercados externos, permitindo um reposicionamento e a sua diferenciação das suas produções em relação à oferta similar. A abrangência do presente Plano a outros setores estratégicos, nomeadamente a indústria da exploração da madeira (Cryptomeria japonica) e o sector imobiliário, através de iniciativas específicas direcionadas à valorização deste recurso endógeno e à captação de investimento, irá reforçar as estratégias de consolidação/expansão destes sectores económicos. Página 2 de 10

3 2. Objetivos Capacitação das empresas no seu processo de internacionalização; Alargamento da base económica de exportação; Aumento da competitividade e produtividade empresarial; Fomento da cooperação interempresarial; Incremento do conhecimento e estratégias concorrenciais, bem como o acesso a tecnologias que reforcem as suas vantagens competitivas Promoção da presença internacional das empresas açorianas; Consolidação e acesso a novos mercados; Posicionamento/diferenciação das produções regionais; Redução das importações através intensificação do consumo de produtos açorianos; Desenvolvimento e consolidação do mercado regional; 3. Indicadores - Volume de exportações a nível regional, nacional e internacional; - Número de novas empresas exportadoras; - Número de empresas açorianas em novos mercados; - Número de empresas em processo de internacionalização; Página 3 de 10

4 1- PARTICIPAÇÃO EM FEIRAS: Feiras Nacionais AÇÕES A DESENVOLVER: BTL 2015 Lisboa, de 25 de fevereiro a 1 de março: A inclusão da promoção de produtos açorianos neste certame constitui uma oportunidade promocional fundamental para o setor agroalimentar e para o turismo. À semelhança de participações anteriores, a estratégia é a promoção dos produtos através de provas degustativas, apresentação de produtos e visualização de um vídeo promocional. Esta participação será reforçada com a divulgação alargada da nova imagem dos Açores: Marca Açores. SISAB Lisboa, de 2 a 4 de março de 2015: A participação da Região neste evento é considerada prioritária. À semelhança de anos anteriores, a SDEA e a CCIA serão responsáveis pela representação das empresas, numa estratégia integrada dos Açores. Sendo um evento que se diferencia dos restantes, com um target de compradores internacionais, permite um contacto alargado com compradores de diversas regiões do mundo. Está prevista a participação de 24 empresas do setor agroalimentar. A elevada participação contínua das empresas açorianas neste evento, releva a importância que o mesmo tem para a sua atividade. Stand: 141 m² Alimentária/Portugal Agro Lisboa, Novembro 2015: Em termos de participação em feiras, este certame posiciona-se como o mais abrangente para as empresas exportadoras dos Açores, considerando o continente português como o principal recetor de produtos dos Açores. A junção de dois eventos importantes para o mercado nacional e internacional permitirá a consolidação e expansão dos negócios das empresas agroalimentares no seu principal mercado e potencia a expansão para mercados internacionais. Está prevista a participação de 8 a 10 empresas, num stand de 225 m². SIL Salão Imobiliário de Portugal Lisboa, Novembro: Realiza-se desde 1998, o Salão Imobiliário de Portugal tem registado uma evolução permanente ao longo das várias edições, sabendo adaptar-se às necessidades do mercado, alcançando o reconhecimento nacional e internacional e tornando-se no Página 4 de 10

5 ponto obrigatório para investidores, empresários, técnicos, organismos públicos e público potencial comprador. Para os Açores constituirá uma oportunidade de promoção do setor imobiliário no mercado português e dos visitantes estrangeiros. Prevê-se a presença de pelo menos 6 empresas do setor do imobiliário. Feiras Internacionais: Os objetivos das participações são os de disponibilizar às empresas oportunidades diferenciadas de promoção dos produtos regionais em segmentos de mercado que contribuam para um reposicionamento comercial dos mesmos. Além destes, com a promoção global dos Açores o impacto destas participações será transversal a todos os setores económicos regionais. Espanha: Salón Gourmet Madrid de 13 a 16 de Abril: O Salón de Gourmets é o maior evento europeu dedicado em exclusividade aos produtos delicatessen. É a mais importante mostra anual de alimentação e bebidas de topo. A participação neste evento poderá abrir um leque de novas oportunidades às empresas açorianas, tanto ao nível de novos negócios como do contacto com o melhor se produz no segmento gourmet. Pela agressividade da organização espanhola, este evento deverá permitir o desenvolvimento de novos contactos e o acesso a novos mercados. Na edição de 2015, Portugal será o país convidado sendo a Portugal Foods a entidade responsável por esta iniciativa. A opção da participação dos Açores poderá ser incluída na representação nacional ou num espaço próprio próximo. Área do stand 72m² Nº de empresas participantes: 6 Xantar Salão Internacional de Gastronomia e Turismo Ourense, Galiza de 4 a 8 de março Os Açores têm vindo a participar nos últimos anos neste evento, através das Câmaras do Comércio e da Loja Açores. Trata-se duma oportunidade promocional relevante, num mercado de proximidade, propõe-se a participação dos Açores num stand que permita a divulgação e a venda direta de produtos regionais, com um investimento reduzido esta participação aposta na continuidade de investimentos anteriores e numa estratégia promocional na Galiza e Norte de Portugal. Área do stand 18 m² Empresas com participação direta: 2 Página 5 de 10

6 Empresas com produtos expostos e para provas: 6 a 8 Alemanha (Enfoque Indústria da madeira): LIGNA 2015 de 11 a 15 de Maio Hannover: Esta feira do setor das madeiras realiza-se em Hanôver, Alemanha e concentra as principais áreas da produção e transformação de madeiras o que permitirá às empresas deste setor de promover e contactar com as tecnologias disponíveis para o setor. A LIGNA é considerada o maior ponto de encontro da atividade florestal e da indústria da madeira. Este certame recebe cerca de visitantes dos quais 36% são oriundos de 90 países, produzindo-se mais de 2 milhões de contactos. Em termos de expositores são mais de 1500 de 46 países, ocupando uma área de m². A presença dos Açores deverá ser num espaço próprio, em stand modular da organização. Em termos de presença de empresas prevê-se a presença de pelo menos 4 empresas e 2 representantes dos departamentos regionais ligados a este setor. Área do stand: de 36 a 48m² França (Enfoque Imobiliário): MIPIM2015 de 10 a 13 de Março Cannes MIPIM World Property Market é o mais importante evento do setor imobiliário mundial, reúne os representantes mais influentes de todos os segmentos do mercado imobiliário internacional - escritórios, edifícios residenciais, venda a retalho, serviços de saúde, eventos desportivos, logística e industrial - proporcionando um acesso inigualável ao maior número de projetos de desenvolvimento e fontes de capital em todo o mundo. A edição do corrente ano, a 26.ª, conta com a presença de 93 países. A participação regional neste evento permitirá a divulgação de oportunidades de investimento no setor do Imobiliário Açoriano e o contacto dos responsáveis de projetos de atração de investimento com potenciais investidores ao mesmo tempo explorar o posicionamento/estratégias de outras áreas geográficas que oferecem condições similares e concorrentes à oferta regional. Prevê-se a participação de 5/6 empresas. Área do stand: 42m² Número de empresas com participação direta: 4 a 6 Página 6 de 10

7 2- MISSÕES EMPRESARIAIS: Missão Empresarial: Cabo Verde, Angola e os restantes países africanos de expressão portuguesa segundo dados estatísticos, estão a tornar-se um mercado importante para as produções regionais. Para este mercado será importante permitir às empresas de maior dimensão o contacto com a realidade destes países. Não estando disponível o plano das entidades nacionais que habitualmente organizam ações promocionais e missões empresariais a estes países, propõe-se que o plano de 2015 contemple a possibilidade da participação das empresas regionais em iniciativas organizadas pela AICEP, AIP ou AEP. Para efeitos de planeamento e orçamentação foi considerada a participação de 4 a 6 empresas numa comitiva nacional, no entanto esta atividade deverá ser ajustada à oferta de iniciativas organizadas pelos organismos nacionais mencionados ou por outras associações que tenham experiência e capacidade na organização destas atividades. Buyers Exchange Azores (Missão Inversa): As missões inversas, com base na experiência, poderão oferecer novas oportunidades de negócios para a Região. A estratégia para a missão inversa é apostar em novos mercados ou desenvolver os existentes, pelo que deverão ser consideradas as seguintes regiões: Europa, Canadá. Devido às limitações de transportes a prioridade será dada a compradores oriundos de países/regiões com ligações aéreas diretas aos Açores. A realizar preferencialmente em separado durante o ano, aponta-se o segundo semestre para a receção dos representantes das empresas compradoras convidadas. O faseamento permite às empresas regionais uma melhor preparação para os pretendidos contactos comerciais. O target serão empresas compradoras que pretendam alargar o seu portfólio de produtos Açorianos e empresas ainda não importadoras mas que já tenham efetuado contactos prévios. Página 7 de 10

8 3 - AÇÕES PROMOCIONAIS: Estados Unidos: Este tipo de ação permitirá às empresas regionais marcar presença em ações promocionais de grande impacto, tanto junto dos residentes como junto das comunidades de emigrantes portugueses mais significativas. Estas iniciativas só poderão ser desenvolvidas em parceria com as empresas regionais e os seus parceiros nos mercados alvo. Preparar e desenvolver ações promocionais no mercado da América do Norte, em cooperação com os importadores e distribuidores. Estados Unidos 1 ação promocional nos estabelecimentos e supermercados com venda de produtos regionais. Esta ação promocional deverá ocorrer nos locais de venda e campanhas publicitárias através dos meios de divulgação dos retalhistas e dos meios de comunicação de língua portuguesa. O target será a comunidade luso-americana devendo-se ainda atingir outros segmentos de mercado não tradicionais OUTRAS AÇÕES: Mercado regional: À semelhança do ano passado, cada Câmara do Comércio, associada da CCIA, será responsável pela organização de um evento na sua área de influência, sendo a organização, formato e logística adaptada às necessidades promocionais de cada associada. O enfoque destas ações deverá ser de continuidade das ações promocionais desenvolvidas nos principais centros urbanos, através de ações específicas ao nível da promoção, tanto através da realização de feiras como de atividades desenvolvidas em parceria com empresas retalhistas. Incentivar a produção e o consumo de bens locais através do desenvolvimento de ações que impactem de modo positivo no mercado e, sobretudo, incentivem o aumento das produções locais e a exportação. Página 8 de 10

9 Ilha de São Miguel: AçorExpo Ponta Delgada A realizar em julho em simultâneo com a festas do Espírito Santo, que se realizam em Ponta Delgada. Além de ocorrer durante as festas, a participação das empresas regionais na época alta do turismo deverá contribuir para um aumento da presença dos produtores regionais, incentivando o consumo tanto por residentes como da população flutuante. A estratégia é a criação de um evento que impacte a nível regional e permita o desenvolvimento de atividades paralelas e complementares que ultrapassem as fronteiras do espaço de realização, através do envolvimento de outros setores, em especial a restauração e hotelaria. Prevê-se ainda a realização de ações temáticas e workshops sobre produtos dos Açores. A Feira será divida por áreas produtivas: serviços, produtos da terra, produtos transformados do setor agroalimentar, área do mar, artesanato, construção civil e outra indústria. Deverão ainda ser criadas áreas de promoção da gastronomia local. Ilha Terceira: Produtos e Serviços Terceira Da responsabilidade da associada de Angra do Heroísmo serão desenvolvidas duas atividades distintas, uma mostra de produtos e serviços, a realizar em Outubro, e a participação na Feira de Gastronomia do Atlântico, a realizar em Agosto, nas Festas da Praia da Vitória. Ilha do Faial: Produtos e Serviços do Faial Será realizada na cidade da Horta e da responsabilidade da Câmara do Comércio da área durante a época alta e inserida em eventos que já têm projeção regional. Página 9 de 10

10 Calendarização Evento/Atividade 1ºT ºT ºT ºT 2015 SISAB BOLSA DE TURISMO Portugal Agro/Alimentária Salón Gourmet - Madrid SIL Buyers Exchange (Missão Inversa) Ações promocionais mercado internacional LIGNA Xantar MIPIM Missão Empresarial AçorExpo ExpoTerceira/Festival Gastronómico Produtos e serviços Faial Realização dos eventos Evento/Atividade BOLSA DE TURISMO DE LISBOA SISAB XANTAR MIPIM SALON GOURMET - MADRID LIGNA Ações promocionais mercado internacional AÇOREXPO PRODUTOS E SERVIÇOS FAIAL EXPO TERCEIRA / FESTIVAL GASTRONÓMICO SIL PORTUGAL AGRO / ALIMENTÁRIA MISSÃO EMPRESARIAL AZORES BUYERS EXCHANGE Data De 25 de fevereiro a 1 de março De 2 a 4 de março De 4 a 8 de março De 10 a 13 de março De 13 a 16 de abril De 11 a 15 de maio Maio/junho De 10 a 12 de julho Agosto Agosto / Outubro Novembro Novembro 2º Semestre 2º Semestre Página 10 de 10

Ações de capacitação empresarial

Ações de capacitação empresarial AÇÕES COLETIVAS - ATIVIDADES DE APOIO À EXPORTAÇÃO Acores Export -2016 Introdução Este documento é desenvolvido com base na informação recolhida junto das principais empresas exportadoras que contribuíram

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

Dinâmicas de exportação e de internacionalização

Dinâmicas de exportação e de internacionalização Dinâmicas de exportação e de internacionalização das PME Contribuição da DPIF/ Como fazemos? 1. Posicionamento e actuação da DPIF A DPIF tem como Missão: Facilitar o acesso a financiamento pelas PME e

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO LUSOFONIA ECONÓMICA PLATAFORMAS CPLP ENTRE: A ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA (AIP-CCI), com sede na Praça das Indústrias em Lisboa, 1300-307 Lisboa,

Leia mais

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas 7 de Novembro de 2014 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora Enquadramento Evolução Recente Comércio

Leia mais

A COMPETITIVIDADE E O CRESCIMENTO DA ECONOMIA AÇORIANA - OPORTUNIDADES NO QUADRO DO HORIZONTE 2020

A COMPETITIVIDADE E O CRESCIMENTO DA ECONOMIA AÇORIANA - OPORTUNIDADES NO QUADRO DO HORIZONTE 2020 A COMPETITIVIDADE E O CRESCIMENTO DA ECONOMIA AÇORIANA - OPORTUNIDADES NO QUADRO DO HORIZONTE 2020 Quais os Instrumentos regionais para apoiar as empresas dos Açores? Competir + Apoios contratação de RH

Leia mais

O PROJETO PROMOINVEST Município de Vendas Novas

O PROJETO PROMOINVEST Município de Vendas Novas O PROJETO PROMOINVEST Município de Vendas Novas Alentejo no horizonte 2020 desafios e oportunidades Auditório Municipal de Vendas Novas, 02 de julho de 2013 página 2 I. Rede Corredor Azul A Rede Urbana

Leia mais

DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011

DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011 FESTA DO VINHO PRODUTOS REGIONAIS & TURISMO DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011 Índice Parcerias 3 Breve Caracterização 4 Edição 2011 5 Edição 2010 7 Edição 2009 9 Edição 2008 10 Edição

Leia mais

Oportunidades a explorar

Oportunidades a explorar Oportunidades a explorar 1. Candidatura ao reconhecimento da Dieta Mediterrânica de PORTUGAL (liderada por Tavira) 2. Notoriedade do ALGARVE nos principais mercados turísticos europeus [Reino Unido, Alemanha,

Leia mais

Internacionalização. Países lusófonos - Survey. Janeiro de 2015

Internacionalização. Países lusófonos - Survey. Janeiro de 2015 Internacionalização Países lusófonos - Survey Janeiro de 2015 1 Índice 1. Iniciativa Lusofonia Económica 2. Survey Caracterização das empresas participantes 3. Empresas não exportadoras 4. Empresas exportadoras

Leia mais

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 Vítor Escária CIRIUS ISEG, Universidade de Lisboa e Augusto Mateus & Associados Barreiro, 30/06/2014 Tópicos Enquadramento A Estratégia de Crescimento

Leia mais

A AICEP e os Apoios à Internacionalização

A AICEP e os Apoios à Internacionalização A AICEP e os Apoios à Internacionalização Guimarães, 12 de junho de 2015 Índice 1. Enquadramento / Desafios 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP 4. O Processo de Internacionalização

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Calçado português reforça aposta no mercado alemão

Calçado português reforça aposta no mercado alemão Calçado português reforça aposta no mercado alemão O mercado alemão é uma prioridade estratégica para a indústria portuguesa de calçado. Por esse motivo, a presença nacional na GDS, o grande evento do

Leia mais

Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades

Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades Piedade Valente Comissão Diretiva do COMPETE Sintra, 9 de outubro de 2014 Agenda da Competitividade (2007-2013): instrumentos de apoio eficiência

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

INDICE INTRODUÇÃO OBJETIVOS RESULTADOS DESTINATÁRIOS CONDIÇÕES DE ACESSO BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS PARTICIPANTES CLUSTER AGROALIMENTAR

INDICE INTRODUÇÃO OBJETIVOS RESULTADOS DESTINATÁRIOS CONDIÇÕES DE ACESSO BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS PARTICIPANTES CLUSTER AGROALIMENTAR INDICE INTRODUÇÃO OBJETIVOS RESULTADOS DESTINATÁRIOS CONDIÇÕES DE ACESSO BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS PARTICIPANTES CLUSTER AGROALIMENTAR PLANO DE AÇÃO DO CLUSTER CONTATOS PARCEIROS 1 INTRODUÇÃO O desafio

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 1 INOVAÇÃO Ação 1.1 GRUPOS OPERACIONAIS Enquadramento Regulamentar Artigos do Regulamento (UE) n.º 1305/2013, do Conselho e do Parlamento

Leia mais

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015 Desafios da Internacionalização O papel da AICEP APAT 10 de Outubro, 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA COMPETITIVIDADE

Leia mais

PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议

PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议 II GALA PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议 PRAÇA DO COMÉRCIO LISBOA 2015 年 10 月 29 日, 里 斯 本 商 业 广 场, Pátio

Leia mais

Consultoria Estratégica

Consultoria Estratégica Quem somos e o que fazemos A Select Advisor é uma empresa de Consultoria Estratégica Ajudamos à criação de valor, desde a intenção de investimento e angariação de parcerias até ao apoio de candidaturas

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR +

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + Ponta Delgada, 28 de Abril de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov.

19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov. 19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov. Stop-over Ilha de Santiago Cidade da Praia 16-17 de Nov. Proj. Conjunto Internacionalização PT2020

Leia mais

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 João Cotrim de Figueiredo 10 Out 2014 Turismo: crescimento e resiliência No século do Turismo? Mais de 1.100 milhões de turistas em 2014 OMT prevê crescimento médio anual

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.

SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio. SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.2015 19 JUNHO DE 2015 Página 1 de 9 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO

Leia mais

Feira Internacional de Frutas e Derivados, Tecnologia de Processamento e Logística 08 10 de Setembro de 2009 - ( 3ª. a 5ª.) Expo Center Norte

Feira Internacional de Frutas e Derivados, Tecnologia de Processamento e Logística 08 10 de Setembro de 2009 - ( 3ª. a 5ª.) Expo Center Norte Feira Internacional de Frutas e Derivados, Tecnologia de Processamento e Logística 08 10 de Setembro de 2009 - ( 3ª. a 5ª.) Expo Center Norte Pavilhão Amarelo São Paulo BEM VINDO A FRUIT & LOG 2009! ABRINDO

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO 21-4-2015 UNIÃO EUROPEIA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Fundos Europeus Estruturais e de Investimento Índice A. Madeira 14-20 Instrumentos de Apoio ao tecido empresarial.

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

Plano de Promoção e Internacionalização para 2014

Plano de Promoção e Internacionalização para 2014 Plano de Promoção e Internacionalização para 214 O Plano de Promoção e Internacionalização (PPI) do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P. (IVDP, IP) para 214 assenta numa lógica de continuidade

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL À TUNÍSIA

MISSÃO EMPRESARIAL À TUNÍSIA MISSÃO EMPRESARIAL À TUNÍSIA 03 A 06 DE NOVEMBRO DE 2008 RELATÓRIO FINAL MISSÃO EMPRESARIAL À TUNÍSIA 03 A 06 DE NOVEMBRO DE 2008 1. Introdução À semelhança de iniciativas anteriores, a Nersant organizou

Leia mais

ATRATIVIDADE EMPRESARIAL E PROJETOS DE ESTIMULO À ECONOMIA DA EUROREGIÃO

ATRATIVIDADE EMPRESARIAL E PROJETOS DE ESTIMULO À ECONOMIA DA EUROREGIÃO ATRATIVIDADE EMPRESARIAL E PROJETOS DE ESTIMULO À ECONOMIA DA EUROREGIÃO O PROJETO PROMOINVEST E A REDE Professor Augusto Medina Sociedade Portuguesa de Inovação FÓRUM DE DISCUSSÃO: A EUROACE e a ligação

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Porto, 28 de Janeiro de 2014 Índice 1. Enquadramento 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP Enquadramento Enquadramento

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020 COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA 2014-2020 18-11-2015 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL, IP-RAM MISSÃO Promover o desenvolvimento, a competitividade e a modernização das empresas

Leia mais

MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO

MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO 4 de Agosto de 2011 MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO Apresentar um novo modelo de organização de serviços e organismos do Estado vocacionados para: - Promoção e captação de investimento estrangeiro; - Internacionalização

Leia mais

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal aposta no Sistema Educativo Formação e Criação de Novas Infra-Estruturas UMA OPORTUNIDADE PARA O SEU SECTOR CO-FINANCIADO 75% 1ª PARTICIPAÇÃO PORTUGUESA DA FILEIRA DA EDUCAÇÃO AIP - Feiras, Congressos

Leia mais

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas À semelhança do que acontece nas sociedades contemporâneas mais avançadas, a sociedade portuguesa defronta-se hoje com novos e mais intensos

Leia mais

POLÍTICAS PARA A EXPORTAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR

POLÍTICAS PARA A EXPORTAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR POLÍTICAS PARA A EXPORTAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR Contributos para uma Visão Estratégica Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares A Indústria Portuguesa Agroalimentar

Leia mais

TURISMO RESIDENCIAL na estratégia de Turismo para Portugal

TURISMO RESIDENCIAL na estratégia de Turismo para Portugal TURISMO RESIDENCIAL na estratégia de Turismo para Portugal Agenda 1. O Turismo Residencial - efeito multiplicador na economia 2. Motivações para o produto 3. Fatores competitivos de Portugal como destino

Leia mais

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa?

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa? Porque é que o Turismo é essencial para a Economia Portuguesa? 14 milhões de hóspedes Vindos do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Brasil, EUA Num leque de países que alarga ano após ano. 9,2 % do

Leia mais

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt Portugal 2020 Inovação da Agricultura, Agroindústria e Floresta Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt FEDER 2020 - Prioridades Concentração de investimentos do FEDER Eficiência energética e energias renováveis

Leia mais

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira.

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 1 PROJETO SETORIAL INTEGRADO BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 2 Introdução O Ministério da Cultura, sugeriu a Fundação

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

Manual da Marca Priolo

Manual da Marca Priolo 2015 Manual da Marca Priolo Carta Europeia de Turismo Sustentável Terras do Priolo ÍNDICE RESUMO 01 1. NOTA INTRODUTÓRIA 02 1.1 Justificação da necessidade de criação da Marca Priolo 02 2. PROCEDIMENTO

Leia mais

A Agência é responsável pela captação de negócios, orientação aos investidores, gestão de incentivos estaduais e apoio ao comércio exterior.

A Agência é responsável pela captação de negócios, orientação aos investidores, gestão de incentivos estaduais e apoio ao comércio exterior. A Agência é responsável pela captação de negócios, orientação aos investidores, gestão de incentivos estaduais e apoio ao comércio exterior. Ainda articula ações específicas na estruturação de cadeia produtivas

Leia mais

Plano Estratégico de Iniciativas à Empregabilidade Jovem e de Apoio às PME Exponor, 15 de Junho de 2012

Plano Estratégico de Iniciativas à Empregabilidade Jovem e de Apoio às PME Exponor, 15 de Junho de 2012 Plano Estratégico de Iniciativas à Empregabilidade Jovem e de Apoio às PME Exponor, 15 de Junho de 2012 Contexto: O Impulso Jovem, Plano Estratégico de Iniciativas de Promoção da Empregabilidade Jovem

Leia mais

PÓLO DAS TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO

PÓLO DAS TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO PÓLO DAS TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO 1 CONTEXTO APOSTAS DA INDÚSTRIA TRANSFORMADORA Novos produtos (materiais, design, etc.) Integração de produto + serviço (extended products) Customização Resposta rápida

Leia mais

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA 2 PROGRAMA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA A Portugal Ventures, Caixa Capital e Mota-Engil Industria e Inovação celebraram um acordo para a concretização de um Programa, designado

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

Consulta - Serviços de consultoria para elaboração de Diagnósticos e Guião para qualificação de fornecedores no âmbito do PORTUGAL SOU EU

Consulta - Serviços de consultoria para elaboração de Diagnósticos e Guião para qualificação de fornecedores no âmbito do PORTUGAL SOU EU Consulta - Serviços de consultoria para elaboração de Diagnósticos e Guião para qualificação de fornecedores no âmbito do PORTUGAL SOU EU Abril 2014 Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Enquadramento... 2 3.

Leia mais

XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO

XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO Desenvolvimento Rural, Agricultura, Florestas e Sustentabilidade 17 de outubro de 2014 / GPP Eduardo

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO MADEIRA 14-20

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO MADEIRA 14-20 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL DA 2014-2020 (MADEIRA 14-20) EIXO PRIORITÁRIO 3 Reforçar a Competitividade das Empresas PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI) 3.b Desenvolvimento

Leia mais

Comunidade Intermunicipal da Beira Interior Sul

Comunidade Intermunicipal da Beira Interior Sul Comunidade Intermunicipal da Beira Interior Sul 1. Identificação do Recurso Endógeno e do Território Alvo PROVERE Beira Baixa: Terras de Excelência : Conjugar a valorização do território, dos produtos

Leia mais

ALIMENTAÇÃO & BEBIDAS. AEP - Associação Empresarial de Portugal. Direcção de Serviços às Empresas - Internacionalização e Promoção Externa

ALIMENTAÇÃO & BEBIDAS. AEP - Associação Empresarial de Portugal. Direcção de Serviços às Empresas - Internacionalização e Promoção Externa ALIMENTAÇÃO & BEBIDAS AEP - Associação Empresarial de Portugal Direcção de Serviços às Empresas - Internacionalização e Promoção Externa FEIRA GULFOOD & HOTEL EQUIPMENT DUBAI E.A.U 21 A 24 DE FEVEREIRO

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Acordo de Parceria Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

2014-2015 PROGRAMA DE ACTIVIDADES

2014-2015 PROGRAMA DE ACTIVIDADES 2014-2015 PROGRAMA DE ACTIVIDADES Índice OBJETIVOS... 3 I Crescimento da CCILJ... 3 II Fortalecimento da Marca... 3 III Comunicação... 3 ACTIVIDADES A DESENVOLVER... 4 I Crescimento da CCILJ... 4 1. Angariação

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA 1. ENQUADRAMENTO Nos últimos 3 anos e meio a Câmara Municipal de Lisboa vem desenvolvendo uma estratégia para a valorização económica da cidade e captação de investimento (http://www.cm-lisboa.pt/investir)

Leia mais

XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011. Diogo Gaspar Ferreira

XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011. Diogo Gaspar Ferreira XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011 Diogo Gaspar Ferreira 1. PONTOS FRACOS E FORTES DO TURISMO RESIDENCIAL PORTUGUÊS 2. PLANO ESTRATÉGICO A

Leia mais

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo www.pwc.pt Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo 16 Cláudia Coelho Diretora Sustainable Business Solutions da Turismo é um setor estratégico para a economia e sociedade nacional o que se reflete

Leia mais

Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais

Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais 24 de maio de 2012 Auditório ISEGI - UNL Patrocínio Principal Apoios Patrocinadores Globais APDSI A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas Lisboa,

Leia mais

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 A aposta no apoio à internacionalização tem sido um dos propósitos da AIDA que, ao longo dos anos, tem vindo a realizar diversas acções direccionadas para

Leia mais

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa Diagnóstico do Sistema de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 FCT - A articulação das estratégias regionais e nacional - Estratégia de Especialização Inteligente para a Região

Leia mais

OCPLP Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa. Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015

OCPLP Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa. Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015 Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015 1 Índice: I Enquadramento II Eixos de Intervenção Estratégica III Proposta de Orçamento IV Candidaturas a Programas de Apoio 2 I Enquadramento Estratégico

Leia mais

28-06-2011. Onde? Como? O quê? Fórum Exportações AÇORES. - Caracterização e Potencial das Exportações Regionais - 1. Internacionalização

28-06-2011. Onde? Como? O quê? Fórum Exportações AÇORES. - Caracterização e Potencial das Exportações Regionais - 1. Internacionalização Fórum Exportações AÇORES Caracterização e Potencial das Exportações Regionais Gualter Couto, PhD Ponta Delgada, 27 de Junho de 2011 1. Internacionalização Internacionalização: Processo Estrutura Organizacional

Leia mais

IAPMEI EEN. KMS Knowledge Management Solution

IAPMEI EEN. KMS Knowledge Management Solution IAPMEI EEN KMS Knowledge Management Solution Praia, 1 e 2 de Dezembro de 2011 IAPMEI Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação http://www.iapmei.pt/ Principal instrumento das políticas

Leia mais

I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Page 1. Incentivos ao EMPREENDEDORISMO

I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Page 1. Incentivos ao EMPREENDEDORISMO I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Page 1 Incentivos ao EMPREENDEDORISMO Abril 2015 I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Pag. 2 ÍNDICE 1. Enquadramento... 3 2. Criação

Leia mais

AVISO. Admissão de Pessoal. (m/f)

AVISO. Admissão de Pessoal. (m/f) AVISO Admissão de Pessoal (m/f) A AJITER Associação Juvenil da Ilha Terceira pretende admitir jovens recém-licenciados à procura do primeiro emprego, para estágio no seu serviço, ao abrigo do Programa

Leia mais

FIL 2015. promova o seu negócio! 22A25DEOUT LUANDA ANGOLA. projectar o futuro, construindo o presente

FIL 2015. promova o seu negócio! 22A25DEOUT LUANDA ANGOLA. projectar o futuro, construindo o presente 22A25DEOUT Feira Internacional de Equipamentos e Materiais para a Construção Civil, Obras Públicas, Urbanismo e Arquitectura projectar o futuro, construindo o presente FIL 2015 LUANDA ANGOLA promova o

Leia mais

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável 2ª CONFERÊNCIA PASSIVHAUS PORTUGAL 2014 29 de Novembro de 2014 Aveiro - Centro Cultural e de Congressos Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

Como participar em Feiras Internacionais. 19 de Junho de 2012

Como participar em Feiras Internacionais. 19 de Junho de 2012 Como participar em Feiras Internacionais 19 de Junho de 2012 Como participar em Feiras Internacionais A - Tipologias de Feiras B -Vantagens de Participar numa Feira C - Principais fases envolvidas nas

Leia mais

Índice PORTUGAL - BREVE CARATERIZAÇÃO A CIP ATIVIDADE ASSOCIADOS ORGANIZAÇÃO E CONTACTOS

Índice PORTUGAL - BREVE CARATERIZAÇÃO A CIP ATIVIDADE ASSOCIADOS ORGANIZAÇÃO E CONTACTOS Índice PORTUGAL - BREVE CARATERIZAÇÃO A CIP ATIVIDADE ASSOCIADOS ORGANIZAÇÃO E CONTACTOS Portugal Breve caraterização Portugal Caraterização geral Inserido na União Europeia desde 1986, Portugal é o país

Leia mais

ESTRUTURA, METAS E ORÇAMENTO DO PROGRAMA DOCUMENTO SÍNTESE

ESTRUTURA, METAS E ORÇAMENTO DO PROGRAMA DOCUMENTO SÍNTESE ESTRUTURA, METAS E ORÇAMENTO DO PROGRAMA DOCUMENTO SÍNTESE Versão do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização adotada em dezembro de 2014. 1. Estrutura do Programa e Indicadores de Resultado

Leia mais

BANCO BPI, S.A. Sociedade Aberta COMUNICADO

BANCO BPI, S.A. Sociedade Aberta COMUNICADO BANCO BPI, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua Tenente Valadim, 284, Porto Matriculada na Conservatória do Registo Comercial do Porto sob o número único de matrícula e identificação fiscal 501 214 534 Capital

Leia mais

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização 1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização Faro, 7 de Maio de 2009 Índice Posicionamento AICEP AICEP - Produtos e Serviços Apoios à Internacionalização Posicionamento AICEP Posicionamento

Leia mais

Candidatura ao FIAEA Regulamento

Candidatura ao FIAEA Regulamento Candidatura ao FIAEA Regulamento ARTIGO 1 Objectivos 1.1 A Candidatura ao FIAEA é um processo sistemático e ágil para a avaliação de projetos de investimento de capital de risco no âmbito da Agenda Açoriana

Leia mais

Lusoflora 2015. Crédito Agrícola. Santarém, 27 de Fevereiro

Lusoflora 2015. Crédito Agrícola. Santarém, 27 de Fevereiro Lusoflora 2015 Crédito Agrícola Santarém, 27 de Fevereiro Agenda 1. Quem somos 2. Proposta Valor 3. Soluções Crédito Agrícola para EMPRESAS/ ENI 4. CA Seguros 2 Quem somos O Grupo Crédito Agrícola é um

Leia mais

Começar Global e Internacionalização

Começar Global e Internacionalização Começar Global e Internacionalização Artur Alves Pereira Assessor do Conselho de Administração, AICEP Portugal Global Fevereiro 06, 2014 1 A aicep Portugal Global Missão. A aicep Portugal Global é uma

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA 2 PROGRAMA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA A Mota-Engil Indústria e Inovação e a Caixa Capital celebraram um acordo para a concretização de um Programa, designado Internacionalizar

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS APRESENTAÇÃO A YOUNIC é especializada na assessoria a empresas com vista ao crescimento e expansão dos seus negócios num panorama internacional. Com uma atuação versátil,

Leia mais

Plano de Atividades 2015

Plano de Atividades 2015 Plano de Atividades 2015 Plano de Atividades 2015 Grupo Anti Contrafação (GAC) Os últimos estudos lançados pelo Observatório Europeu das Infrações aos Direitos de Propriedade Intelectual apontam para a

Leia mais

Rede CIN CIN MS. Centro Internacional de Negócios FIEMS

Rede CIN CIN MS. Centro Internacional de Negócios FIEMS Rede CIN CIN MS Centro Internacional de Negócios FIEMS O que é a REDE CIN? Coordenada pela Confederação Nacional da Indústria - CNI, e criada com o apoio da Agência Nacional de Promoção de Exportações

Leia mais

PRATICAS DE INCORPORAÇÃO NACIONAL. Hermano Rodrigues Diretor adjunto Sectores e Empresas

PRATICAS DE INCORPORAÇÃO NACIONAL. Hermano Rodrigues Diretor adjunto Sectores e Empresas PRATICAS DE INCORPORAÇÃO NACIONAL Hermano Rodrigues Diretor adjunto Sectores e Empresas ÍNDICE 1. Estudo(s) 2. Objetivos do(s) estudo(s) 3. Empresas, produtos e vantagens 4. Estudos para divulgação: exemplos

Leia mais

LOGÍSTICA EM PORTUGAL

LOGÍSTICA EM PORTUGAL LOGÍSTICA EM PORTUGAL 1 LOGÍSTICA EM PORTUGAL SUMÁRIO EXECUTIVO LOGÍSTICA EM PORTUGAL 2 LOGÍSTICA EM PORTUGAL INTRODUÇÃO CONTEXTO ATUAL 4 OBJETIVO 5 PRESSUPOSTOS ORIENTADORES 6 LOGÍSTICA EM PORTUGAL CONTEXTO

Leia mais

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis,

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis, VIII Legislatura II Sessão Plenária Horta, 26 de Janeiro de 2005 Grupo Parlamentar do Partido Socialista Deputada Ana Isabel Moniz Assunto: Bolsa de Turismo de Lisboa Senhor Presidente da Assembleia, Senhoras

Leia mais

Consulta - Serviços de Consultoria para elaboração de Guião para potenciar a adesão a emarketplaces de empresas PORTUGAL SOU EU

Consulta - Serviços de Consultoria para elaboração de Guião para potenciar a adesão a emarketplaces de empresas PORTUGAL SOU EU Consulta - Serviços de Consultoria para elaboração de Guião para potenciar a adesão a emarketplaces de empresas PORTUGAL SOU EU Dezembro 2014 Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Enquadramento... 2 3. Objetivos

Leia mais

Regulamento. Preâmbulo

Regulamento. Preâmbulo Regulamento Preâmbulo As Empresas e os Empreendedores são a espinha dorsal de qualquer economia, em termos de inovação, de criação de emprego, de distribuição de riqueza e de coesão económica e social

Leia mais

Agenda. O Diagnóstico Os Desafios A Estratégia Os Produtos a Promover Os Mercados A Promoção A Oferta

Agenda. O Diagnóstico Os Desafios A Estratégia Os Produtos a Promover Os Mercados A Promoção A Oferta Agenda O Diagnóstico Os Desafios A Estratégia Os Produtos a Promover Os Mercados A Promoção A Oferta O Diagnóstico Turismo marítimo e costeiro Náutica de Recreio 60 Turismo Maritimo e Costeiro 123 Nautica

Leia mais

Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas. Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina

Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas. Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina www.brasileitalia.com.br O Projeto Tem como principais objetivos: Atrair empresas e investimentos

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para realização de um plano de sustentabilidade financeira para o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, no âmbito da

Leia mais

Novos rumos para os produtos ibéricos.

Novos rumos para os produtos ibéricos. Novos rumos para os produtos ibéricos. 28 a 30 de Novembro Centro de Convenções -Ceará-Brasil A sua grande oportunidade de exportar para a região que mais cresce no Brasil. A IBERIA EXPO 2012 é uma iniciativa

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na

Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na competitividade e acesso a mercados, através da articulação

Leia mais

República dominicana A DOMINICANA É A REPÚBLICA DAS CORES, UM PAÍS DE INESGOTÁVEIS ATRAÇÕES!

República dominicana A DOMINICANA É A REPÚBLICA DAS CORES, UM PAÍS DE INESGOTÁVEIS ATRAÇÕES! INVESTIR NA REPÚBLICA DOMINICANA MISSÃO EMPRESARIAL SETEMBRO 2014 República dominicana A DOMINICANA É A REPÚBLICA DAS CORES, UM PAÍS DE INESGOTÁVEIS ATRAÇÕES! A República Dominicana é conhecida pelas praias,

Leia mais

Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015

Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015 REDE INTERMUNICIPAL DE PARCERIAS DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E ÀS EMPRESAS, COM IMPACTO NO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL DA REGIÃO DO ALGARVE Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015 1 1 CONTEÚDOS

Leia mais

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia:

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia: GRUPO FERREIRA A GFH, é um Grupo sólido e inovador, detendo um curriculum de projectos de qualidade reconhecida, com um portfólio de negócios diversificado, e que aposta no processo de internacionalização,

Leia mais

Apresentação da empresa

Apresentação da empresa Apresentação da empresa A nossa Missão Ajudar as empresas a enfrentar os desafios do presente e do futuro e a encontrar ou retomar os caminhos do sucesso Sabemos que cada problema tem solução e que cada

Leia mais

A AICEP e os Apoios à Internacionalização. Porto, 27 de maio de 2014

A AICEP e os Apoios à Internacionalização. Porto, 27 de maio de 2014 A AICEP e os Apoios à Internacionalização Porto, 27 de maio de 2014 Índice 1. A aicep Portugal Global 2. Produtos e serviços AICEP 3. O Processo de Internacionalização A aicep Portugal Global A aicep Portugal

Leia mais