NORMAS APLICÁVEIS A PROJETO DE EDIFICAÇÃO MULTIRESIDENCIAL 2ª Versão 22/11/2005 (Por tipo de planta)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NORMAS APLICÁVEIS A PROJETO DE EDIFICAÇÃO MULTIRESIDENCIAL 2ª Versão 22/11/2005 (Por tipo de planta)"

Transcrição

1 1/7 COORDENADORIA DE CONTROLE URBANO DEPARTAMENTO DE LICENCIAMENTO DIVISÃO DE LICENCIAMENTO MULTIRESIDENCIAL NORMAS APLICÁVEIS A PROJETO DE EDIFICAÇÃO MULTIRESIDENCIAL 2ª Versão 22/11/2005 (Por tipo de planta) As normas abaixo não eximem o projeto de obedecer às exigências e restrições do licenciamento. I. PLANTA DE SITUAÇÃO E DE LOCALIZAÇÃO I.1 -Taxa de Ocupação Máxima - Da Ponte da Coroa do Meio até a Av. Rotary, entre o Oceano e a maré do apicum (Anexo III Lei 604/78): 50%. - Demais zonas (art. 4º - Lei 19/66/ art. 1º inciso I Lei 466/76): 70% até o segundo pavimento e 50% a partir do 3º pavimento. - Se a taxa de ocupação não ultrapassar a 30% (trinta por cento) da área do lote, o proprietário terá redução de 50% (cinqüenta por cento), sobre o valor da taxa de alvará de construção (Art. 170 PDDU). I.2 - Taxa de Permeabilidade Mínima (Art. 169 Lei Complementar 042/00 - PDDU) - ZAP-1: isenta - Demais Macrozonas: 5%. I.3 - Coeficiente de Aproveitamento - Único ( 1ºart. 83 PDDU): 3 - Para o coeficiente de aproveitamento acima do único caberá outorga onerosa de acordo com o coeficiente máximo (Anexo IV PDDU) da zona (art.84 a 90 PDDU): ZONA OU ÁREA DE DIRETRIZ ESPECIAL COEFICIENTES MÁXIMOS DE APROVEITAMENTO ZAP1 6,00 ZAP 2 5,00 ZAP 3 5,50 ZAP 4 4,50 ZAP 5 4,00 ZAB 1 4,00 E 3,50 ZAB 2 3,00 ZAR 3,50 3,00 ADEN - 1 3,00 ADEN S - 2 3,00 AEIS 1,00 AIU - 2 6,00 AIU 3 a 4 1,00

2 2/7 I. 4 Gabarito/Número máximo de pavimentos Localização/Zona Da Ponte da Coroa do Meio até a Av. Rotary, entre o Oceano e a maré do apicum (Anexo III Lei 604/78): ZR4, ZC1,ZE. Demais localidades ( 1º art. 1 Lei 466/76): ZR, ZC, ZI, ZE. Número de pavimentos previsto 04 pavimentos 12 pavimentos Admite-se em todas as zonas, mais dois pisos de garagens, um vazado sobre pilotis (áreas de lazer e comuns sob a projeção da lâmina) e uma cobertura ( 1º art. 1 e art. 3º Lei 466/76, Decreto 154/99 e Resolução 038/97). Se for utilizado o pavimento térreo para lazer e áreas comuns do Condomínio, poderão ser usados todos os demais como pavimentos tipos, desde que o projeto contemple o número de vagas exigidas por Lei ( 4 art. 1 Lei Complementar 062/2003) fora da projeção do prédio e no térreo, não podendo ultrapassar o número de pavimentos previsto. I.5 - Recuo mínimo frontal Somente serão permitidos nos recuos mínimos frontais, guarita,casa de gás, de telefone, marquise e depósito de lixo desde que o somatório das áreas não ultrapasse a 20% da(s) área(s) do(s) referido(s) recuo(s ) até o limite máximo de 50m² de construção com pé direitor 3,00m. Admitem-se ainda acessos para veículos, rampas ou escadas desde que descobertos ( 4º art. 168 Lei Complementar 042/2000), bem como balanço de no máximo 1,00 metro no pavimento superior, sobre o recuo (art.6º Lei 19/66). Os pisos de garagens poderão ser construídos até os limites do terreno obedecendo aos recuos obrigatórios, exceto nos estacionamentos cobertos com coberturas removíveis (não sujeitas a demolição para a sua retirada), os quais poderão ocupar o recuo (inciso II art. 1º Decreto 154/99). O disposto para recuos mínimos frontais aplica-se também às construções nos lotes (frações de terreno privativo) dos condomínios horizontais voltados para vias condominiais, bem como nos confrontantes com as vias públicas. I.5.1- Da Ponte da Coroa do Meio até a Av. Rotary, entre o Oceano e a maré do apicum (Anexo III Lei 604/78): Rua/Avenida: 5,00 metros I.5.2- Demais localidades (Art. 5º - Lei 19/66 e Art. 1º Lei 466/76): Rua: 3,00 metros. Avenida: 5,00 metros. I Recuo para Acréscimo e Reforma (Art. 6º e7º - Lei 19/66): Reforma de construção existente além de um terço (1/3) do comprimento da antiga construção: recuo mínimo frontal. Acréscimo com aumento de um pavimento: recuo normal. Permitido balanço máximo de um metro sobre o recuo. II. PLANTA BAIXA II. 1. Afastamentos com relação às divisas laterais do terreno Casa de lixo (Portaria 01/95): 1,50m.

3 3/7 Reservatório, Caixa d água, Piscina (Inciso XIII. 9 da Lei 13/66): 1,00m. Edificação até 16 pavimentos (Reprodução da Tabela da Lei 466/76) Nºde Pavimentos *n Aberto (Área de permanência prolongada) *(n-2) Serviço (Área de permanência transitória) *(n-2) Vedado 1 1,50 1,50 0 (Inciso III 7º art.1º- Lei Complementar 062/03) 2 1,50 1,50 0 (Inciso III 7º art.1º- Lei Complementar 062/03) 3 1,80 1,70 1,00 4 2,10 1,90 1,00 5 2,40 2,10 1,20 6 2,70 2,30 1,40 7 3,00 2,50 1,60 8 3,30 2,70 1,80 9 3,60 2,90 2, ,90 3,10 2, ,20 3,30 2, ,50 3,50 2, ,80 3,70 2, ,10 3,90 3, ,40 4,10 3, ,70 4,30 3,40 Obs: Área de permanência prolongada sala de estar, sala de jantar, quarto, gabinete, sala de costura, sala de TV, playground. Área de permanência transitória sanitário, copa, cozinha, depósito e similares. II. 2. Acesso ao Condomínio/ Circulação interna e Vagas para estacionamento de veículos. Nota: No caso de implicar em abertura de vias (ruas) internas, as dimensões mínimas das mesmas serão oferecidas pela SMTT. II Acesso e Circulação interna (Inciso V e VI art.1º Decreto 154/99) Largura mínima, Sentido único 2,80m. Largura mínima, Sentido duplo - 4,00m. Área interna de manobra 5,00m.

4 4/7 II Vagas: Número Mínimo de Vagas para as unidades (incisos III e IV art.1º Decreto 154/99) Número Mínimo de Vagas p/ portadores de necessidades especiais (inciso V art.1º Lei 1687/91) Número Mínimo de Vagas para visitantes (Ata do CONDURB de 23/09/03) Unidade com área construída até 180m², adotar uma vaga para cada unidade Unidade com área construída maior que 180m², adotar duas vagas p/ cada unidade. As vagas serão distribuídas de acordo com as seguintes dimensões: - 80 % - 2,30m x 4,50m. - 20% - 2,50m x 4,80m A cada 50 vagas adotar 01 vaga com as seguintes dimensões: 4.00m x 4.80m 20% do total de vagas exigidas, exceto para grupo de casas, até 12 unidades, na ZAB-1que é isento. Será permitida vinculação de garagem até um raio de 300m (trezentos metros). II Vagas para empreendimentos do PAR/ou programas similares - anexo X do PDDU conforme Lei Complementar 053/2002. Classificação da via Edificações Número mínimo de vagas Dimensões mínimas Expressa Arterial Principal Coletora Local 1 vaga por unidade As vagas serão distribuídas de acordo com as seguintes dimensões: - 80 % - 2,30m x 4,50m. - 20% - 2,50m x 4,80m. Unidade 40,0m 2 1 vaga para cada 3 unidades 40,0m 2 < unidade 60 m 2 2 vagas para cada 3 unidades Unidade 60m 2 1 vaga por unidade A cada 50 vagas adotar 01 vaga p/ portadores de necessidades especiais com as seguintes dimensões: 4.00m x 4.80m inciso V art.1º Lei 1687/91. II. 3. Circulação/corredores (e VII Lei 13/66 e NBR 9050 da ABNT) Declividade máxima de rampa de acesso de veículos à garagem 25% ( Artigo VI.15 Lei 13/66). Corredores (artigos VII.1,VII.2 Lei 13/66): Internos da unidade Circulação para quatro unidades Circulação para mais de quatro unidades Largura mínima 0,80m 1,20m 1,50m Quando o comprimento de um corredor for superior a 10,00m deverá ter ventilação e iluminação direta

5 5/7 Escadas artigo VI Lei 13/66: Largura mínima Edifício de 2 pavimentos Até 4 pavimentos Acima de 4 pavimentos 1,00m 1,10m 1,20m Corrimão Em ambos os lados com altura de 0,90m do piso, sem interrupção nos patamares. Obedecer a Fórmula de Blondel no dimensionamento dos degraus: L+ 2H= 0,64 Altura (H) *máxima do degrau 0,18m Largura (L) mínima do degrau 0,27m II. 4.Acesso e circulação em áreas comuns adequadas aos portadores de necessidades especiais Todas as edificações deverão ter rampas nos acessos e em todas as áreas com pisos em níveis diferentes (Lei 1334/87). Rampas (inciso IV art. 8º Lei 1687/91 NBR 9050 da ABNT): Largura mínima 1,20m Corrimão e guarda corpo Em ambos os lados e em duas alturas: 0,70 e 0,90m do piso, sem interrupção no patamar. Ressalto no piso 0,05m de altura Declividade: Comprimento: 12,5% 2,0m 10,0% 6,0m 8,33% 9,0m 6,67% 12,0m Além desses comprimentos são exigidos patamares. II. 6 Dimensionamento/áreas de Compartimentos - Portaria 01/82 alterada pelo Parecer Técnico de 07/03 do CONDURB, Incisos I e II 7º art1º Lei Complementar 062/2003, Artigos IX. 2, IX.3, IX.4, IX.5, IX.10, IX.12,I X.13, IX.16, IX.17, IX.19 Lei 13/66, Parecer Técnico de 07/03 do CONDURB. Unidade até 80,00m²: Compartimentos Área (m²) Diâmetro (m) Sala 10,00 2,5 Quarto 1º 9,0 2,2 Quarto 2º e 3º 8,0 2,0 Quarto de empregada 6,0 2,0 Cozinha 4,0 1,5 Sanitário social e suíte 2,4 1,2 Sanitário serviço 2,0 1,0

6 6/7 Unidade maior que 80,00m²: Compartimentos Área a (m²) Diâmetro (m) Sala 12,00 2,5 Quartos 1º e 2º 10,00 2,5 Quartos 3º em diante 9,00 2,5 Quarto de empregada 6,00 2,0 Cozinha 4,50 1,5. Sanitário social e suíte 0,80m²/ peça 1,2 Sanitário de serviço 2,00 1,0 Unidade do PAR Programa de Arrendamento Familiar/CEF ou programas sociais oficiais: Compartimentos Área (m²) Diâmetro (m) Sala 9,0 2,0 Quarto 1º 2º 8,0 2,0 Quarto 3º 6,0 2,0 Cozinha 4,0 1,5 Sanitário 2,0 1,0 Só serão admitidos gabinete e sala de costura, com menos de 9,00m², quando a casa já tiver três quartos. Só será admitido depósito com menos de 6,00m² se houver quarto de empregada. Nenhum depósito ou quarto de empregada poderá ter comunicação direta com a parte social da casa. Os sanitários não poderão ter comunicação direta com cozinhas, copas, despensas e salas. As despensas só poderão comunicar-se diretamente com a cozinha e/ou copa. Toda unidade que dispuser de um deposito de qualquer natureza nas dependências de serviço, deverá ter obrigatoriamente pelo menos um quarto de empregada. II. 9. Elevadores Será exigido elevador em todos os edifícios com mais de quatro pavimentos (art. VI. 9 Lei 13/66). Número de pavimentos Quantidade mínima De quatro a dez 01 Acima de dez 02

7 7/7 II. 10- Ventilação/iluminação mínima de todos os compartimentos (Artigos IV 1.2, V.5.1 à V.5.3, V.11 - Lei 13/66). Compartimentos Que abrem diretamente Que abrem para varandas, Que abrem para varandas, para o exterior. terraços ou marquises com terraços ou marquises com *largura<2,00m. *largura entre 2,00 e 3,50m Utilização prolongada 1/6 da área do piso 1/5 da área do piso 1/4 da área do piso Utilização transitória 1/8 da área do piso 1/6 da área do piso 1/5 da área do piso Depósito 1/10 da área do piso 1/8 da área do piso 1/7 da área do piso Obs: Se a largura for maior que 3,50m, qualquer abertura não terá efeito de iluminação. Para efeito de iluminação, será computada na largura de varanda/terraço, a projeção da cobertura e/ou do pavimento, imediatamente superior, maior que um metro. As portas que abrirem para varandas/terraços/áreas descobertas são aceitas como área de iluminação/ ventilação. Em edificação até 2(dois) pavimentos, aceita-se poço fechado para iluminação /ventilação de qualquer tipo de compartimento, com área mínima que contenha um círculo de 1,50m de diâmetro, sendo admitido um metro para sanitários, desde que a iluminação seja zenital. Aceita-se -se dômus para iluminação/ventilação de sanitários. Permite-se a iluminação e ventilação de um compartimento sanitário através de outro contíguo, desde que os vãos de cada um sejam 1/6 das suas áreas de piso. Garagens - 1/3 (um terço) da área da porta respectiva. As portas não poderão ter largura inferior a 0,60m. III. PLANTAS DE FACHADAS E DE CORTES Altura máxima de muro/ grade frontal - 2,00m (dois metros), sendo que em áreas de serviço poderá ter 2,20m. Na esquina deverá ser chanfrado ou totalmente vazado (Inciso X.16 Lei 13/66). Alambrados: Nas quadras de esporte altura de 6,00m nos fundos das travas, e 3,00m nas laterais (ABNT - item A e inciso II, art. 6º da Portaria 01/95); admitindo altura inferior desde que coberta com tela. Pé-direito mínimo de 2,00m para as garagens de estacionamento de veículos (art.x.15 Lei 13/66). Alturas de compartimentos das unidades ( Parecer Técnico 07/03 do CONDURB e Resolução 12/97): Compartimentos Pé direito (m) Sala, Quartos, Quarto de empregada, Cozinha. 2,5 Sanitário social, suíte e de serviço. 2,2

DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE LICENCIMENTO UNIRESIDENCIAL

DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE LICENCIMENTO UNIRESIDENCIAL DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE LICENCIMENTO UNIRESIDENCIAL EXIGÊNCIAS PARA PROTOCOLO DE PEDIDO DE APROVAÇÃO/ALVARÁ RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA PEDIDO DE APROVAÇÃO/ALVARÁ: ANUÊNCIA PRÉVIA ALVARÁ PARA CONSTRUÇÃO

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Heber Xavier Ferreira Coordenador do COPLAN/ALTO VALE

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Heber Xavier Ferreira Coordenador do COPLAN/ALTO VALE RESOLUÇÃO COPLAN Nº 001/2012 O Coordenador do COPLAN/ALTO VALE, no exercício de suas atribuições e, atendendo a deliberação ocorrida na reunião ordinária do dia 07/12/2011, resolve: Art. 1º Fica aprovado,

Leia mais

Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul

Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul LEI Nº 4.944 DE 27 DE OUTUBRO DE 2010 DISPÕE SOBRE O ZONEAMENTO ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO CAETANO DO SUL. JOSÉ AURICCHIO JÚNIOR, Prefeito Municipal de São Caetano do Sul, no uso das atribuições que

Leia mais

Prefeitura Municipal de Lagoa Santa

Prefeitura Municipal de Lagoa Santa CEP 33400-000 - ESTADO DE MINAS GERAIS LEI Nº 3.318, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 Dispõe sobre a implantação do Programa "Minha Casa, Minha Vida" - para famílias com renda entre 3 (três)e 6 (seis) salários

Leia mais

TABELA I CASAS POPULARES OU DE INTERESSE SOCIAL UNIFAMILIAR

TABELA I CASAS POPULARES OU DE INTERESSE SOCIAL UNIFAMILIAR -fl.44- TABELA I CASAS POPULARES OU DE INTERESSE SOCIAL UNIFAMILIAR PÉ DIREITO REVESTIMENTO PAREDES 01 SALA DE ESTAR 2.00 8.00 1/8 1/16 2.50 3 x P.D. - - 02 DORMITÓRIO ÚNICO 2.00 8.00 1/8 1/16 2.50 3 x

Leia mais

RESIDENCIAL CENTRAL PARK RIO VERDE

RESIDENCIAL CENTRAL PARK RIO VERDE MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO 01 - SITUAÇÃO O empreendimento, situar-seá Avenida I (Direita), Quadra 12, Lotes 04, 05 e 06, Parque dos Buritis e Rua Onze, Quadra 01, Lote 14, Parque Solar do Agreste, Gleba

Leia mais

LAUDE DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL URBANO PARA VENDA EM HASTA PÚBLICA

LAUDE DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL URBANO PARA VENDA EM HASTA PÚBLICA 0 Helcio Kronberg Avaliador e Leiloeiro Público Oficial R. Emiliano Perneta, 736 Centro - Curitiba/PR Fone/Fax 41 3233-1077 LAUDE DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL URBANO PARA VENDA EM HASTA PÚBLICA Processo 0033193-67.2011.8.16.0179-1ª

Leia mais

ÍNDICE 1. ZONEAMENTO, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO 2 1.1 CORREDOR DE USO ESPECIAL - Z8CR 3 1.2 OUTORGA ONEROSA DO DIREITO DE CONSTRUIR 3

ÍNDICE 1. ZONEAMENTO, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO 2 1.1 CORREDOR DE USO ESPECIAL - Z8CR 3 1.2 OUTORGA ONEROSA DO DIREITO DE CONSTRUIR 3 ÍNDICE 1. ZONEAMENTO, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO 2 1.1 CORREDOR DE USO ESPECIAL - Z8CR 3 1.2 OUTORGA ONEROSA DO DIREITO DE CONSTRUIR 3 1.3 ÁREA AJARDINADA - redução da taxa de ocupação 3 1.4 LARGURA DA RUA

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo de Área

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1 AUTORIZAÇÕES E CADASTRAMENTO Para entrada de profissionais e execução de serviços como LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO e SONDAGEM, será necessária a autorização por

Leia mais

Capítulo 6 - COMPARTIMENTOS DAS EDIFICAÇÕES

Capítulo 6 - COMPARTIMENTOS DAS EDIFICAÇÕES Capítulo 6 - COMPARTIMENTOS DAS EDIFICAÇÕES 6.1 Disposições gerais Art. 154 - Os compartimentos e ambientes deverão ser posicionados na edificação de forma a garantir conforto ambiental e a salubridade,

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS LEI COMPLEMENTAR Nº 292, DE 3 DE FEVEREIRO DE 2014. Dispõe sobre a criação da Zona Especial de Interesse Social ZEIS Palmas Sul, estabelece normas para a implantação de Empreendimento Habitacional de Interesse

Leia mais

DECRETO N.º 212/2007

DECRETO N.º 212/2007 DECRETO N.º 212/2007 Aprova o Regulamento de Edificações do Município de Curitiba e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE CURITIBA, no uso de suas atribuições legais, com base no disposto no

Leia mais

Viamprom Construções Ltda. (Sociedade de Propósito Específico SPE). Tetto Empreendimentos Imobiliário e Paulo Baeta Empreendimentos.

Viamprom Construções Ltda. (Sociedade de Propósito Específico SPE). Tetto Empreendimentos Imobiliário e Paulo Baeta Empreendimentos. 1) Incorporação: Viamprom Construções Ltda. (Sociedade de Propósito Específico SPE). 2) Autoria dos Projetos: Crosara Arquitetura e Consultoria Ltda. CREA nº 7950/RF-DF 3) Planejamento e Vendas: Tetto

Leia mais

Resolução Normativa RESOLVE CAPÍTULO I

Resolução Normativa RESOLVE CAPÍTULO I Resolução Normativa SÚMULA: Dispõe sobre os parâmetros de ocupação do solo para a Zona Especial de Controle de Gabarito no Município de Guarapuava. O CONCIDADE, no uso das atribuições que lhe são conferidas

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Este informativo foi elaborado visando a padronização para a Apresentação de Projetos junto ao da Associação, para que a análise e a aprovação de projetos transcorram de forma mais rápida e eficiente.

Leia mais

MINUTA DA FUTURA CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL TOP LIFE CLUB & RESIDENCE

MINUTA DA FUTURA CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL TOP LIFE CLUB & RESIDENCE MINUTA DA FUTURA CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL TOP LIFE CLUB & RESIDENCE Pelo presente instrumento particular, em cumprimento à determinação contida no artigo 9º da Lei 4.591, de 16.12.1964, MRV

Leia mais

LEI 1620 DE 23.10.1997 Define disposições relativas à aprovação de edificações residenciais unifamiliares

LEI 1620 DE 23.10.1997 Define disposições relativas à aprovação de edificações residenciais unifamiliares LEI 1620 DE 23.10.1997 Define disposições relativas à aprovação de edificações residenciais unifamiliares Lei 1620/1997 - Secretaria de Urbanismo e Controle Urbano - www.urbanismo.niteroi.rj.gov.br 0 Lei

Leia mais

ANEXO I TABELA DO NÚMERO DE VAGAS DESTINADAS A ESTACIONAMENTO, NOS DIVERSOS TIPOS DE EDIFICAÇÕES

ANEXO I TABELA DO NÚMERO DE VAGAS DESTINADAS A ESTACIONAMENTO, NOS DIVERSOS TIPOS DE EDIFICAÇÕES ANEXO I TABELA DO NÚMERO DE VAGAS DESTINADAS A ESTACIONAMENTO, NOS DIVERSOS TIPOS DE EDIFICAÇÕES TIPOS DE EDIFICAÇÕES COLETIVAS MULTIFAMILIARES COMERCIAIS E DE SERVIÇOS CENTROS COMERCIAIS, SHOPPING CENTERS

Leia mais

ATELIÊ DE PROJETO 2 PROGRAMA DE NECESSIDADES E INFORMAÇÕES SOBRE O TERRENO

ATELIÊ DE PROJETO 2 PROGRAMA DE NECESSIDADES E INFORMAÇÕES SOBRE O TERRENO PROGRAMA DE NECESSIDADES E INFORMAÇÕES SOBRE O TERRENO Prof: Andréa Dall Olio ANÁLISE DO ARQUITETO EXIGÊNCIAS DO USUÁRIO PROGRAMA DE NECESSIDADES Etapa destinada à determinação das exigências de caráter

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS 1 1. AUTORIZAÇÕES E CADASTRAMENTO: Para entrada de profissionais e execução de serviços como LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO e SONDAGEM, será necessária a autorização

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA ANEXO II DO DECRETO N 80/2011 DE 02/05/2011 PARTE 01: OBRA NOVA OU AMPLIAÇÃO 1. Planta de situação

Leia mais

DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE LICENCIAMENTO UNIRESIDENCIAL CERTIDÃO DE EXISTÊNCIA/REGULARIZAÇÃO DE EDIFICAÇÃO UNIRESIDENCIAL EXECUTADA SEM LICENÇA

DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE LICENCIAMENTO UNIRESIDENCIAL CERTIDÃO DE EXISTÊNCIA/REGULARIZAÇÃO DE EDIFICAÇÃO UNIRESIDENCIAL EXECUTADA SEM LICENÇA DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE LICENCIAMENTO UNIRESIDENCIAL CERTIDÃO DE EXISTÊNCIA/REGULARIZAÇÃO DE EDIFICAÇÃO UNIRESIDENCIAL EXECUTADA SEM LICENÇA CERTIDÃO DE CONCESSÃO DE RECUO ESPECIAL AUTORIZAÇÃO PARA

Leia mais

REGULARIZAÇÃO POSTO DE ABASTECIMENTO E SERVIÇOS DE VEÍCULOS

REGULARIZAÇÃO POSTO DE ABASTECIMENTO E SERVIÇOS DE VEÍCULOS POSTO DE ABASTECIMENTO E SERVIÇOS DE VEÍCULOS I- Requerimento (modelo fornecido pela EMURB), assinado pelo proprietário ou procurador legalmente constituído. II- Número da inscrição cadastral do imóvel

Leia mais

ANEXO 5 - TABELA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS TABELA DE CONTROLE URBANÍSTICO

ANEXO 5 - TABELA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS TABELA DE CONTROLE URBANÍSTICO ANEXO 5.1 - ZONA COMERCIAL 1 ZC1 mínimo básico máximo (1) ocupação permeabilidade frente fundo Residencial Unifamiliar qualquer via, as atividades classificadas em G2 nas vias coletoras e superiores e

Leia mais

Lei Municipal N.º 1414

Lei Municipal N.º 1414 Subseção II Dos Estacionamentos e Guarda de Veículos Art. 41 - Os locais para estacionamento ou guarda de veículos podem ser cobertos ou descobertos, podendo se destinar em ambos os casos à utilização

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 019, DE 09 DE AGOSTO DE 2006. ESTABELECE NORMAS SOBRE EDIFICAÇÕES NO CONDOMÍNIO BOSQUES DE ATLÂNTIDA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

LEI COMPLEMENTAR Nº 019, DE 09 DE AGOSTO DE 2006. ESTABELECE NORMAS SOBRE EDIFICAÇÕES NO CONDOMÍNIO BOSQUES DE ATLÂNTIDA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. ESTABELECE NORMAS SOBRE EDIFICAÇÕES NO CONDOMÍNIO BOSQUES DE ATLÂNTIDA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. CELSO BASSANI BARBOSA, Prefeito Municipal de Xangri-Lá, FAÇO SABER que a Câmara Municipal de Vereadores

Leia mais

DIVISÃO DE LICENCIAMENTO MULTIRESIDENCIAL DLM CONDOMINIO VERTICAL

DIVISÃO DE LICENCIAMENTO MULTIRESIDENCIAL DLM CONDOMINIO VERTICAL DIVISÃO DE LICENCIAMENTO MULTIRESIDENCIAL DLM CONDOMINIO VERTICAL DOCUMENTOS PARA PROTOCOLO DE PEDIDO: ANUÊNCIA PREVIA CONSTRUÇÃO INICIAL - REFORMA/ ACRESCIMO SUBSTITUIÇÃO DE PROJETO REGULARIZAÇÃO RESTRIÇÕES/

Leia mais

ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA PROPRIETÁRIOS E ARQUITETOS

ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA PROPRIETÁRIOS E ARQUITETOS 1. ROTEIRO PARA APROVAÇÃO E LIBERAÇÃO DE PROJETOS E OBRAS: PROJETOS A. Aprovação do Projetos pelo Depto. Técnico da Associação B. Aprovação do Projeto e Solicitação de Alvará de Construção na Prefeitura

Leia mais

Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo. 0,5-0,5 0,5 3 pavim. Altura máxima de 13m. 8,5m 15% - - 15% Das Disposições Gerais (IPHAN)

Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo. 0,5-0,5 0,5 3 pavim. Altura máxima de 13m. 8,5m 15% - - 15% Das Disposições Gerais (IPHAN) Logradouro: Rua Francisco Manoel, 10 1ª Categoria Terreno: 1400m² Observações: PMP: SIP3 INEPAC: Conjunto XI / 3 IPHAN: 1ª categoria, tipo V Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo Taxa de ocupação 30% - 30% 30%

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 755, DE 28 DE JANEIRO DE 2008. (Autoria do Projeto: Poder Executivo)

LEI COMPLEMENTAR Nº 755, DE 28 DE JANEIRO DE 2008. (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Publicado no DODF Nº 20, terça-feira, 29 de janeiro de 2008, pág. 2 a 4. LEI COMPLEMENTAR Nº 755, DE 28 DE JANEIRO DE 2008. (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Define critérios para ocupação de área

Leia mais

PROGRAMA DE NECESSIDADES

PROGRAMA DE NECESSIDADES PROF.ª Msc. ELOANE CANTUÁRIA PROGRAMA DE NECESSIDADES Metodologia do projeto arquitetônico e urbanístico P R O G R A M A D E N E C E S S I D A D E S Espaço arquitetônico definido de acordo com o conjunto

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1.º Esta lei complementar estabelece as exigências quanto a:

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1.º Esta lei complementar estabelece as exigências quanto a: Atualizada até LC 610/2007. LEI COMPLEMENTAR N.º 528 DE 18 DE ABRIL DE 2005 ESTABELECE A OBRIGATORIEDADE DE VAGAS PARA ESTACIONAMENTO PARA EDIFICAÇÕES EM GERAL E A ADOÇÃO DE MEDIDAS MITIGADORAS ÀS ATIVIDADES

Leia mais

IMÓVEIS DE TERCEIROS

IMÓVEIS DE TERCEIROS BALNEÁRIO CAMBORIÚ EDIFÍCIO TEAHUPPO Endereço: Rua 2300, n.520 Apto 201 2 vagas de garagem (gaveta) Área privativa: 89,50m2 / Área total: 131,1279m2 + vagas 12,50m2 cada Matrículas: 91.299 / 91.317 / 91.318

Leia mais

Santo André, 26 de agosto de 2014. À Prefeitura Municipal de Santo André Conselho Municipal de Política Urbana. Ref.

Santo André, 26 de agosto de 2014. À Prefeitura Municipal de Santo André Conselho Municipal de Política Urbana. Ref. Santo André, 26 de agosto de 2014 À Prefeitura Municipal de Santo André Conselho Municipal de Política Urbana Ref.: Revisão da LUOPS O SINDUSCON-SP Sindicato da Industria da Construção Civil do Estado

Leia mais

Condomínio Residencial Rural

Condomínio Residencial Rural Condomínio Residencial Rural CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL Página 1 ÍNDICE. 1.0 PROJETOS...03 1.1 Aprovação/ Reaprovação/ Substituição...03 1.1.1 Considerações Gerais...03 1.1.2 Documentos

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS 2007 PMA

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS 2007 PMA PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS 2007 PMA IMÓVEIS - EDIFICAÇÕES E LOTEAMENTOS A Prefeitura Municipal de Aracaju fiscaliza e licencia obras de edificação e de parcelamento do solo através

Leia mais

Diário Oficial Eletrônico

Diário Oficial Eletrônico LEI N 1314/2014 Estabelece normas para edificação em parcelamento do solo para fins urbanos no Município de Capim Branco, dispõe sobre a regularização e autorização de construção em condomínio fechado

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS DA PREFEITURA

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS DA PREFEITURA PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS DA PREFEITURA IMÓVEIS - EDIFICAÇÕES E LOTEAMENTOS A Prefeitura Municipal de Aracaju fiscaliza e licencia obras de edificação e de parcelamento do solo

Leia mais

ILMO. SR. OFICIAL MAIOR DO 18º CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS DA CAPITAL.

ILMO. SR. OFICIAL MAIOR DO 18º CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS DA CAPITAL. ILMO. SR. OFICIAL MAIOR DO 18º CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS DA CAPITAL. CONSTRUTORA PASSARELLI LTDA., com sede e foro na Capital do Estado de São Paulo, à Rua Augusta, nº 257, inscrita no CGC/MF sob

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE NITERÓI DECRETA E EU SANCIONO E PROMULGO A SEGUINTE LEI: TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

A CÂMARA MUNICIPAL DE NITERÓI DECRETA E EU SANCIONO E PROMULGO A SEGUINTE LEI: TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Lei nº 1.470/95 Publicada no D.O. de 12/12/1995 COM AS ALTERAÇÕES FEITAS PELAS LEIS 1563/96 E 1594/97 Dispõe sobre as condições para uso e ocupação do solo e conceitua parâmetros cujo detalhamento se dá

Leia mais

MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO

MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO EDIFÍCIO F17 RUA FIDALGA Nº 787 I - Localização do Terreno Rua Fidalga, onde existiam os prédios n s 775, 779, 783, 787 e 793, demolidos conforme Alvarás de Execuções de Demolições

Leia mais

CÓDIGO DE EDIFICAÇÕES DO MUNICIPIO DE APARECIDA DE GOIÂNIA.

CÓDIGO DE EDIFICAÇÕES DO MUNICIPIO DE APARECIDA DE GOIÂNIA. CÓDIGO DE EDIFICAÇÕES DO MUNICIPIO DE APARECIDA DE GOIÂNIA. Contém as alterações introduzidas pelas Leis Municipais nºs: a).95 de 6.08.999 b).33 de 8..00 LEI MUNICIPAL Nº..787, DE 0 DE JULHO DE 998. Institui

Leia mais

M E M O R I A L D E I N C O R P O R A Ç Ã O

M E M O R I A L D E I N C O R P O R A Ç Ã O M E M O R I A L D E I N C O R P O R A Ç Ã O CONDOMÍNIO EDIFÍCIO IBIS IBIRAPUERA Avenida Santo Amaro, n.º 1.411 24º. Subdistrito Indianópolis 14ª. Circunscrição Imobiliária da Capital S.P I -LOCALIZAÇÃO

Leia mais

O PREFEITO DE SÃO LUÍS, Capital do Estado do Maranhão.

O PREFEITO DE SÃO LUÍS, Capital do Estado do Maranhão. Lei 4.052, de 13 de março de 2002 Define condições para a instalação de pólos geradores de tráfego, estabelecendo-lhes exigências; critérios para quantidade de vagas de carga e descarga, embarque e desembarque,

Leia mais

Planilha de Controle e Registro Comentada Instruções

Planilha de Controle e Registro Comentada Instruções PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE BRAS E VIAÇÃO SUPERVISÃO DE EDIFICAÇÕES E CONTROLE Planilha de Controle e Registro Comentada Instruções A Planilha de Controle e Registro é

Leia mais

PROGRAMA AÇÕES FISCAIS PARA ACESSIBILIDADE ESCLARECIMENTOS BÁSICOS PARA O PREENCHIMENTO DO RVH RELATIVOS À ACESSIBLIDADE

PROGRAMA AÇÕES FISCAIS PARA ACESSIBILIDADE ESCLARECIMENTOS BÁSICOS PARA O PREENCHIMENTO DO RVH RELATIVOS À ACESSIBLIDADE GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL AGÊNCIA DE FISCALIZAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL Superintendência de Planejamento, Normas e Procedimentos PROGRAMA AÇÕES FISCAIS PARA ACESSIBILIDADE PROJETO : ACESSIBILIDADE EM PASSEIOS

Leia mais

ECV 5644 Instalações II

ECV 5644 Instalações II SISTEMA DE GÁS CENTRALIZADO Fonte: ETFSC Este Sistema também é conhecido como SISTEMA DE GÁS COMBUSTIVEL CENTRALIZADO, é constituído basicamente das seguintes instalações: 1. Central de Gás (Central de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Tipologia Construtiva. Prefeitura Municipal de Uruguaiana (RS), Maio de 2015.

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Tipologia Construtiva. Prefeitura Municipal de Uruguaiana (RS), Maio de 2015. PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Tipologia Construtiva Prefeitura Municipal de Uruguaiana (RS), Maio de 2015. TIPOLOGIA CONSTRUTIVA 1 SUB HABITAÇÃO 1.1- Sub-habitação Compostos

Leia mais

LEI Nº 2.493/2006, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006. TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI Nº 2.493/2006, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006. TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI Nº 2.493/2006, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006. Dispõe sobre o CÓDIGO DE EDIFICAÇÕES e dá outras providências. MEIO, RS, Lei: DANILO JOSÉ BRUXEL, PREFEITO MUNICIPAL DE ARROIO DO FAÇO SABER que a Câmara Municipal

Leia mais

3. Construção e Incorporação: Construtora Granito Ltda. 4. Projeto Arquitetônico: C&A de Arquitetura Oswaldo Souza Arquitetos

3. Construção e Incorporação: Construtora Granito Ltda. 4. Projeto Arquitetônico: C&A de Arquitetura Oswaldo Souza Arquitetos EDIFÍCIO SOLARIS MEMORIAL DESCRITIVO INFORMAÇÔES GERAIS DO EMPREENDIMENTO 1. Características: Residencial 2. Endereço: Rua Batista de Oliveira c/ Rua Andrade Furtado 3. Construção e Incorporação: Construtora

Leia mais

LEI Nº 5628/99 O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, Faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 5628/99 O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, Faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 5628/99 Altera disposições da Lei nº 3.377, de 23 de julho de 1984, referentes à implantação de postos de revenda de Gás Liquefeito de Petróleo GLP e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E AMBIENTAL CONDURB, REALIZADA EM 23 DE SETEMBRO DE 2003.

ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E AMBIENTAL CONDURB, REALIZADA EM 23 DE SETEMBRO DE 2003. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 Aos vinte e três dias de setembro de dois mil e três, foi realizada reunião extraordinária do Conselho Municipal de Desenvolvimento

Leia mais

EQUIPE PROJETOS CONSTRUÇÕES LTDA

EQUIPE PROJETOS CONSTRUÇÕES LTDA CONSTRUÇÃO E INCORPORAÇÃO EQUIPE PROJETOS CONSTRUÇÕES LTDA INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O EMPREENDIMENTO Nome: Endereço: Porto Oceânico Rua "C", Lote 13, Quadra 28, Lot. Cidade Balneária de Itaipu, Itaipu,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Campinas. Lei de Uso e Ocupação do Solo

Prefeitura Municipal de Campinas. Lei de Uso e Ocupação do Solo Prefeitura Municipal de Campinas Lei de Uso e Ocupação do Solo 1988 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS Lei de Uso e Ocupação do Solo compilação 4º. edição de atualização 2011 concluída em Março/2011 sob

Leia mais

End. Rua Gonçalves Dias, 1075 MEMORIAL DO EMPREENDIMENTO

End. Rua Gonçalves Dias, 1075 MEMORIAL DO EMPREENDIMENTO End. Rua Gonçalves Dias, 1075 MEMORIAL DO EMPREENDIMENTO INFORMAÇÕES GERAIS Endereço do Empreendimento Rua Gonçalves Dias, N 1075 Menino Deus - Porto Alegre RS Composição do Apartamento Tipo 03 Dormitórios

Leia mais

C. Manual Técnico. Projeto de Arquitetura VI. Universidade Presbiteriana Mackenzie Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Arquitetura e Urbanismo

C. Manual Técnico. Projeto de Arquitetura VI. Universidade Presbiteriana Mackenzie Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Arquitetura e Urbanismo Universidade Presbiteriana Mackenzie Faculdade de Projeto de Arquitetura VI 1 º Semestre 2006 Matutino / Vespertino - Estrutura do texto e seleção das imagens Arq. Augusto França Arq. Cristine Gallinaro

Leia mais

PLANTA BAIXA AULA 09. O que é um Projeto Arquitetônico?

PLANTA BAIXA AULA 09. O que é um Projeto Arquitetônico? PLANTA BAIXA AULA 09 Projetos de Arquitetura: Conceitos e Representações 1 O que é um Projeto Arquitetônico? conjunto de passos normativos, voltados para o planejamento formal de um edifício qualquer,

Leia mais

Câmara Municipal de Pinheiral

Câmara Municipal de Pinheiral LEI COMPLEMENTAR Nº 001, de 16 de outubro de 1997. Dispõe sobre as construções no Município de Pinheiral, Estado do Rio de Janeiro, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO; Faço saber que a Câmara

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA SANTA CEP 33400-000 - ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA SANTA CEP 33400-000 - ESTADO DE MINAS GERAIS PORTARIA Nº. 24, DE 14 DE SETEMBRO DE 2011. Regulamenta o artigo 18 da Lei nº 2.863/2008 Código de Obras e dá providências para avaliação e aprovação de Projetos de Edificações. O Secretário Municipal

Leia mais

CÓDIGO DE EDIFICAÇÕES

CÓDIGO DE EDIFICAÇÕES Cód. Edific. 1 CÓDIGO DE EDIFICAÇÕES ÍNDICE CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES 03 CAPÍTULO II DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 06 CAPÍTULO III DAS NORMAS ADMINISTRATIVAS 06 SEÇÃO I DA RESPONSABILIDADE TÉCNICA 06 SEÇÃO

Leia mais

Os idealizadores. Realização:

Os idealizadores. Realização: Os idealizadores Realização: Possui 50 anos de experiência na área de incorporação, especialmente em produtos de alto padrão. Atua também, com sucesso, nas áreas de saneamento, obras públicas e privadas,

Leia mais

CÓDIGO DE OBRAS DO MUNICÍPIO DE MACAÍBA

CÓDIGO DE OBRAS DO MUNICÍPIO DE MACAÍBA LEI Nº 149/83 DE 03 DE OUTUBRO DE 1983. Dispõe sobre as construções no Município de Macaíba Estado do Rio Grande do Norte e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Macaíba, faço saber que a Câmara

Leia mais

IMÓVEIS DE TERCEIROS

IMÓVEIS DE TERCEIROS BALNEÁRIO CAMBORIÚ ÁREA PARA ALUGUEL OU VENDA Endereço: Av. Marginal Oeste esq. Rua Peroba, BR101 Km132 Terreno B. Camboriú e região Executamos obras no terreno de acordo com projeto Em região de grande

Leia mais

Dados do Produto. Ar Condicionado: ponto dreno + carga elétrica (sala e dormitório)

Dados do Produto. Ar Condicionado: ponto dreno + carga elétrica (sala e dormitório) FICHA TÉCNICA Projeto Arquitetônico: Gkalili Arquitetura Design de Fachada: Triptyque Arquitetura Projeto Paisagístico: EKF Arquitetura paisagística Projeto Decoração: Triptyque Arquitetura Dados do Produto

Leia mais

LEI nº 569/06, de 04 de dezembro de 2006. EMENTA: Dispõe sobre o Código de Obras do Município de Piripiri.

LEI nº 569/06, de 04 de dezembro de 2006. EMENTA: Dispõe sobre o Código de Obras do Município de Piripiri. LEI nº 569/06, de 04 de dezembro de 2006. EMENTA: Dispõe sobre o Código de Obras do Município de Piripiri. O PREFEITO MUNICIPAL DE PIRIPIRI, Estado do Piauí, no uso das atribuições que lhe são conferidas

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº. 07/87 De 09 de junho de 1987. CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO CERRITO, ESTADO DE SANTA CATARINA.

LEI MUNICIPAL Nº. 07/87 De 09 de junho de 1987. CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO CERRITO, ESTADO DE SANTA CATARINA. MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO CERRITO - SC Rua: Anacleto da Silva Ortiz, 127 Centro Cx Postal 05 - CEP 88570-000 Fone/Fax: (49) 3242 1111 www.cerrito.sc.gov.br e-mail: cerrito@cerrito.sc.gov.br - CNPJ: 82.777.327/0001-39

Leia mais

MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO TORRE PARNASO

MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO TORRE PARNASO AO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS DO 2º OFÍCIO. BELÉM PA. LUXEMBURGO INCORPORADORA LTDA, empresa com sede em Belém, Estado do Pará, na Rua João Balbi nº 167, sala 107, bairro Nazaré, inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE. Secretaria Municipal de Serviços Urbanos Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO DE

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE. Secretaria Municipal de Serviços Urbanos Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO DE PREFEITURA DE BELO HORIZONTE Secretaria Municipal de Serviços Urbanos Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO DE PASSEIOS PREFEITURA DE BELO HORIZONTE Secretaria Municipal

Leia mais

ALPHAVILLE GRACIOSA RESIDENCIAL CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

ALPHAVILLE GRACIOSA RESIDENCIAL CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL Página 1 de 31 ALPHAVILLE GRACIOSA RESIDENCIAL CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL RATIFICADO PELA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 30 DE MAIO DE 2007 Página 2 de 31 1.0 PROJETOS...

Leia mais

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar:

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar: Institui Projeto Simplificado e dispõe sobre a forma de apresentação de projetos de construção de edificações residenciais unifamiliares, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE GUARATINGUETÁ

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES Este regulamento sem prejuízo das Restrições Convencionais, tem como objetivo normatizar o direito de utilização e aproveitamento dos lotes, sendo que tais limitações são supletivas

Leia mais

ÍNDICE CAPÍTULO I...4 DAS DISPOSOÇÕES GERAIS...4 CAPÍTULO II...4 DO PROJETO...4

ÍNDICE CAPÍTULO I...4 DAS DISPOSOÇÕES GERAIS...4 CAPÍTULO II...4 DO PROJETO...4 ÍNDICE CAPÍTULO I...4 DAS DISPOSOÇÕES GERAIS...4 CAPÍTULO II...4 DO PROJETO...4 CAPÍTULO III...6 DA APROVAÇÃO DO PROJETO E DO ALVARÁ DA CONSTRUÇÃO...6 CAPÍTULO IV...6 DA EXECUÇÃO DA OBRA...6 CAPÍTULO V...7

Leia mais

Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 3 Exigências Estruturais e Arquitetônicas

Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 3 Exigências Estruturais e Arquitetônicas Comando do Corpo de Bombeiros Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 3 Exigências Estruturais e Arquitetônicas Cap. QOBM Amarildo Exigências Estruturais e Arquitetônicas SUMÁRIO Exigências Estruturais

Leia mais

Material exclusivo para treinamento de corretores. Proibida a divulgação. As informações aqui constantes poderão ser alteradas a exclusivo critério

Material exclusivo para treinamento de corretores. Proibida a divulgação. As informações aqui constantes poderão ser alteradas a exclusivo critério principais acessos foto aérea ficha técnica fachada implantação N 5 5 12 11 13 LEGENDA 17 1 ACESSO VEÍCULOS 16 2 ACESSO PEDESTRES 3 ESTAR SALÃO DE FESTAS 4 SALÃO DE FESTAS 5 HALL SOCIAL 15 6 ACADEMIA 14

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: Oficina Temática de Habitação Verticalizada CÓDIGO: PRJ 061 CLASSIFICAÇÃO: Optativa PRÉ-REQUISITO: não tem CARGA HORÁRIA: TÉORICA

Leia mais

CASA CIRURGIÕES Local Botucatu Ano 2011-2014 Escritório FGMF Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral

CASA CIRURGIÕES Local Botucatu Ano 2011-2014 Escritório FGMF Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral CASA CIRURGIÕES Local Botucatu Ano 2011-2014 Escritório FGMF Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral Implantação e partido formal A casa Cirurgiões é uma residência unifamiliar de uso regular projetada

Leia mais

SEMINÁRIO HIS SUSTENTÁVEL. Projeto da Habitação de Interesse Social Sustentável. Desenho Universal

SEMINÁRIO HIS SUSTENTÁVEL. Projeto da Habitação de Interesse Social Sustentável. Desenho Universal SEMINÁRIO HIS SUSTENTÁVEL Projeto da Habitação de Interesse Social Sustentável Desenho Universal Agosto/2010 CONTEXTO Protocolo de intenções firmado entre a Secretaria de Estado da Habitação, a Secretaria

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PARCELAMENTO DO SOLO LOTEAMENTOS E DESMEMBRAMENTOS 04 vias do processo contendo na capa o número

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 177, DE 09 DE JANEIRO DE 2008 A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI COMPLEMENTAR:

LEI COMPLEMENTAR Nº 177, DE 09 DE JANEIRO DE 2008 A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI COMPLEMENTAR: Secretaria Municipal da Casa Civil LEI COMPLEMENTAR Nº 177, DE 09 DE JANEIRO DE 2008 Redações Anteriores Dispõe sobre o Código de Obras e Edificações do Município de Goiânia e dá outras providências. A

Leia mais

Art. 6º - As edificações residenciais, segundo o tipo de utilização de suas unidades, poderão ser privativas ou coletivas.

Art. 6º - As edificações residenciais, segundo o tipo de utilização de suas unidades, poderão ser privativas ou coletivas. Código de Obras - REGULAMENTO DE CONSTRUÇÕES E EDIFICAÇÕES CAPÍTULO I CONCEITOS GERAIS Art. 1º - Para efeito de aplicação das normas deste Regulamento, uma edificação é caracterizada pela existência do

Leia mais

ACESSIBILIDADE. Bairro CEP Município: UF. I.Largura da faixa pavimentada da calçada - NÃO FOI ENCONTRADA LARGURA MENOR DE 120 CM

ACESSIBILIDADE. Bairro CEP Município: UF. I.Largura da faixa pavimentada da calçada - NÃO FOI ENCONTRADA LARGURA MENOR DE 120 CM Fls: 1 / 9 Dados do Empreendimento Órgão/Empresa: Data: Endereço: NR Complemento Bairro CEP Município: UF Tipo de Utilização: Público Privado Representante Legal: Responsável pelas Informações: [nome/função/matrícula]

Leia mais

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Estabelece normas para facilitar o acesso dos portadores de deficiência física aos edifícios de uso público, de acordo com o estabelecido no art. 227 da Constituição

Leia mais

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 )

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 ) REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 ) Este regulamento sem prejuízo das Restrições Convencionais, tem como objetivo

Leia mais

Fachada Pinto de Aguiar

Fachada Pinto de Aguiar Fachada Pinto de Aguiar Fachada Frontal FICHA TÉCNICA Construção: São Conrado Empreendimentos Ltda. Projeto Arquitetônico: HB&A ARQUITETOS. Início das Obras: Ago/2008. Previsão de Término das Obras: Dezembro/2010.

Leia mais

LOCALIZAÇÃO. mapa ilustrativo sem escala.

LOCALIZAÇÃO. mapa ilustrativo sem escala. LOCALIZAÇÃO mapa ilustrativo sem escala. Informações Gerais Incorporação Mikatys Vendas Remax CIA e Ello Imóveis Projeto de arquitetura Flávio Regis Número de casas 320 Número de garagens para visitantes

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO NOVO MUNDO EMPRESARIAL - RESERVA DO PAIVA

MEMORIAL DESCRITIVO NOVO MUNDO EMPRESARIAL - RESERVA DO PAIVA MEMORIAL DESCRITIVO NOVO MUNDO EMPRESARIAL - RESERVA DO PAIVA O empreendimento imobiliário NOVO MUNDO EMPRESARIAL, a ser implantado na Reserva do Paiva, à Avenida A, Quadra F-1, Lote 4A2, Praia do Paiva,

Leia mais

Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho

Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho NOÇÕES DE ESTRUTURAS ESCADAS E RAMPAS Definição de Escada Série de degraus para subiredescer Dicionário Aurélio Construção formada por uma série de degraus, destinadas a ligar locais com diferenças de

Leia mais

Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991

Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991 Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991 Regulamenta o Art. 16 da Lei Orgânica, que diz respeito à garantia de acesso adequado aos portadores de deficiência física ou mental aos bens e serviços coletivos,

Leia mais

Comando do Corpo de Bombeiros. Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 6 Central e Armazenamento de GLP Asp. Of. BM Ericka Ramos

Comando do Corpo de Bombeiros. Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 6 Central e Armazenamento de GLP Asp. Of. BM Ericka Ramos Comando do Corpo de Bombeiros Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 6 Central e Armazenamento de GLP Asp. Of. BM Ericka Ramos Central e Armazenamento de GLP Introdução Central de GLP Conceitos e Aplicações

Leia mais

ÍNDICE 1- DOCUMENTAÇÃO... 3 1.1- EMPREENDIMENTO DE IMPACTO... 5 1.4- APRESENTAÇÃO DO PROJETO... 7 1.5- PLANTA DE SITUAÇÃO... 8

ÍNDICE 1- DOCUMENTAÇÃO... 3 1.1- EMPREENDIMENTO DE IMPACTO... 5 1.4- APRESENTAÇÃO DO PROJETO... 7 1.5- PLANTA DE SITUAÇÃO... 8 ÍNDICE 1- DOCUMENTAÇÃO... 3 1.1- EMPREENDIMENTO DE IMPACTO... 5 1.2- INTERFACES... 6 1.3- PORTARIA 511/54... 7 1.4- APRESENTAÇÃO DO PROJETO... 7 1.5- PLANTA DE SITUAÇÃO... 8 1.6- MEMÓRIA DE CÁLCULO DE

Leia mais

PURP 62 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO SETOR DE HABITAÇÕES COLETIVAS SUDOESTE - QUADRAS MISTAS QMSW E CENTRO COMERCIAL - CCSW

PURP 62 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO SETOR DE HABITAÇÕES COLETIVAS SUDOESTE - QUADRAS MISTAS QMSW E CENTRO COMERCIAL - CCSW Folha 1 / 19 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO Folha 2 / 19 DISPOSITIVOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO VALOR PATRIMONIAL PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO A ATRIBUTOS

Leia mais

LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP

LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP CARTILHA DE CONSTRUÇÃO Seguem especificações para as construções nos lotes do Loteamento Villaggio Di Firenze: A) Conforme

Leia mais

INFORMAÇÕES DO EMPREENDIMENTO

INFORMAÇÕES DO EMPREENDIMENTO DESCRIÇÃO DO EMPREENDIMENTO Dados Gerais do Empreendimento: - Localização: Rua Pastor Willian Richard Schisler Filho, Itacorubi, Florianópolis/SC; - Projeto aprovado nº 56.227 em 16/04/2008, e alvará de

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008

LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008 LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008 Acrescenta dispositivos à Lei nº 1041, 11 de julho de 1979, que regula o loteamento de terrenos urbanos no Município de Dourados, e dá outras providências

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura via física e via digital; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e

Leia mais

Memorial Descritivo de Acabamentos

Memorial Descritivo de Acabamentos Memorial Descritivo de Acabamentos Nome do Empreendimento: CRISRETELI RESIDENCE Endereço: AVENIDA COPACABANA ESQUINA COM A RUA OURO PRETO, S/N PRAIA DO MORRO GUARAPARI / ES Incorporação: AS FILHOS CONSTRUÇÕES

Leia mais

Seja Livre. Liberte-se.

Seja Livre. Liberte-se. Seja Livre. Liberte-se. Viva do jeito que você sempre sonhou. 2 Quartos Varanda Gourmet Coberturas Lineares Lazer Completo Play Kids Fitness Piscina com deck Espaço Gourmet Sauna Repouso Uma localização

Leia mais

Aula 5 : Circulação Vertical Escadas, Rampas e Elevadores

Aula 5 : Circulação Vertical Escadas, Rampas e Elevadores Aula 5 : Circulação Vertical Escadas, Rampas e Elevadores Escadas Escada é o elemento de composição arquitetônica cuja função é proporcionar a possibilidade de circulação vertical entre dois ou mais pisos

Leia mais