Hérica Ghislânia Guimarães Pires Cabral, UEPB. RESUMO:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Hérica Ghislânia Guimarães Pires Cabral, UEPB. hericag@yahoo.com.br RESUMO:"

Transcrição

1 A UTILIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FERRAMENTA PARA A COMPETITIVIDADE E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL: ESTUDO DE CASO EM UMA INDÚSTRIA DE PEQUENO PORTE NO CARIRI PARAIBANO. Hérica Ghislânia Guimarães Pires Cabral, UEPB. RESUMO: Este artigo tem o intuito de demonstrar a correta utilização da informação contábil para tomada de decisão que repercute na lucratividade de uma pequena empresa industrial do ramo alimentício. Para o estudo foi necessário realizar uma revisão bibliográfica sobre a caracterização da PE, evolução da contabilidade, tomada de decisão, informação contábil e contabilidade gerencial como ferramenta estratégica. A pesquisa consiste em um estudo de caso desenvolvido em uma pequena indústria do ramo alimentício situada no interior da Paraíba, na região do cariri, que neste estudo será denominada de ZP, tendo por objetivo verificar a correta utilização das informações contábeis pelo empresário. A pesquisa constata que as informações contábeis não são utilizadas, constando apenas para fins fiscais e legais, o que justifica a falta de planejamento e os sucessivos erros no processo de gestão. Destaca-se que o empresário acompanha a gestão da sua indústria servindo-se de controles simples e manuais, elaborados por ele, sem participação ou colaboração de funcionários capacitados. Dessa maneira, conclui-se que as informações contábeis são essenciais para o processo de tomada de decisões na indústria em estudo, sendo um instrumento de gestão imprescindível, que, em cenários econômicos em permanente mudança, se torna ainda mais relevante já que os gestores precisam valer-se de todas as ferramentas possíveis para manter os resultados da empresa em níveis satisfatórios de competitividade e assim garantir seu desenvolvimento e consequentemente o desenvolvimento da economia local. PALAVRAS CHAVE: Informação Contábil, Indústria de Pequeno Porte, Desenvolvimento.

2 INTRODUÇÃO: O desenvolvimento de uma região está diretamente relacionado a sua economia, que possibilita um crescimento social, político e cultural. A economia com o passar dos anos, sofre um progresso gradativo, seguindo etapas impostas pelo tempo, que refletem o grau de crescimento comercial, direcionando ao conhecimento de novas técnicas de mercado. Os trabalhos dos pequenos empresários paraibanos, apresentaram e apresentam, técnicas comerciais informais e intuitivas, e técnicas operacionais rudimentares e manuais, sem utilização de máquinas, profissionais capacitados e sem formalidades legais. Qualquer que seja a trajetória escolhida pela Pequena Empresa/PE não será tarefa fácil sobreviver. O gestor necessitará conhecer o processo administrativo, colher as informações contábeis disponíveis, e analisar esses dados, para ter condições de enfrentar os problemas conjunturais de natureza macro (econômico, político e social), fatores externos à empresa, e as dificuldades referentes à discutível habilidade gerencial. Vários questionamentos podem surgir, particularmente relacionadas à forma como os pequenos empresários conseguem se manter no mercado, apesar das dificuldades que são próprias desse setor. Podemos dizer que as dificuldades econômicas financeiras das pequenas empresas decorrem muito mais da incapacidade administrativa de seus empresários do que propriamente de outras variáveis fartamente apontadas pelos donos da empresa. Nessa linha de raciocínio, e buscando viabilizar um conjunto de questões que podem sinalizar para um melhor aperfeiçoamento do negócio, podem ser questionadas quais as ferramentas contábeis usadas pelos gestores das pequenas empresas para gerenciar seus negócios, bem como quais os critérios que utilizam no momento de tomarem decisões administrativas, e a quais informações contábeis têm acesso? De acordo com Marion (1985 p.22), Os empreendedores estão despreparados, pois estruturam sua empresa, ou por estarem descontentes com seus empregos, ou por serem atingidos pelo vírus do empreendimento próprio. O despreparo dos pequenos empresários interfere nas principais tomadas de decisão, em um momento em que as dificuldades exigem esquemas quase perfeitos na condução de qualquer negócio. Uma decisão mal tomada ocasiona problemas financeiros e econômicos, podendo levar a empresa a um estado de insolvência.

3 Destaque-se que não basta apenas produzir ou vender o bem; antes de qualquer coisa é imprescindível administrar, em alta velocidade, os onerosos e escassos recursos financeiros, administrar tanto contas a pagar e a receber, como os estoques, além de controlar os custos, formular preços de venda, e produzir informações para o processo de tomada de decisões. OBJETIVO: O presente artigo tem por objetivo geral analisar de forma financeira e administrativa uma empresa industrial de pequeno porte, no sentido de investigar como se dá a utilização das informações contábeis. A administração, quando se desenvolve associada a um sistema de informação, pode possibilitar a fluidez de ações gerenciais. Nesse processo, a contabilidade torna-se uma ferramenta útil, seja como fonte de informações ou método de controle. Desta forma, a pequena empresa pode manter-se no mercado, desenvolvendo-se e tornando-se competitiva, garantindo assim a sua sustentabilidade e consequentemento o desenvolvimento local. METODOLOGIA: Para atender ao objetivo proposto, a metodologia utilizada é caracterizada por uma pesquisa exploratória, descritiva e explicativa, pois pretende explorar a definição de Contabilidade Gerencial, coletar dados precisos sobre a utilização da mesma na empresa estudada e responder as causas que levaram tal empresa a perder nicho de mercado. De acordo com Beuren (2003, p.80), a caracterização da pesquisa exploratória: [...] ocorre quando há pouco conhecimento sobre a temática a ser abordada. Por meio do estudo exploratório, busca-se conhecer com maior profundidade o assunto, de modo a torná-lo mais claro ou construir questões importantes para a condução da pesquisa. No ponto de vista de Gil (1999) apud Beuren (2003, p.81): [...] a pesquisa descritiva tem como principal objetivo descrever características de determinada população ou fenômeno ou o estabelecimento de relações entre as variáveis. Uma de suas características mais significativas está na utilização de técnicas padronizadas de coletas de dados.

4 Na visão de Andrade (2002, p.20): a pesquisa explicativa é um tipo de pesquisa mais complexa, pois, além de registrar, analisar, classificar e interpretar os fenômenos estudados, procura identificar seus fatores determinantes. A pesquisa explicativa tem por objetivo aprofundar o conhecimento da realidade, procurando a razão, o porquê das coisas e por esse motivo está mais sujeita a erros. Quanto aos meios, o tratamento de dados será feito a partir de estudo de caso aplicado na Empresa ZP utilizando abordagem qualitativa e quantitativa. Segundo Roesch (2005, p. 130) a pesquisa quantitativa é recomendada para ser utilizada para avaliar o resultado de algum sistema ou projeto, para um bom delineamento da pesquisa garantindo uma boa interpretação dos resultados. A pesquisa qualitativa atende a necessidade de aprofundamento, os seus métodos de análise e coleta dos dados são apropriados para uma fase exploratória da pesquisa. O presente estudo usará técnicas qualitativas (entrevistas semi-estruturadas) de coleta de dados. Para Mattar (1996, 16), a entrevista versa no contato pessoal entre entrevistador e entrevistado, para aquisição dos dados. De acordo com Triviños (1992, p. 28), a entrevista deve ser semi-estruturada, valorizando o investigador e oferecendo todas as possibilidades para que o entrevistado alcance liberdade e espontaneidade necessária para o fornecimento das informações. Para a realização da pesquisa o tempo estimado foi o período de quatro meses que foi dividido entre estudo de bibliografia, conhecimento da empresa ZP, aplicação de questionários e entrevistas e preparação do trabalho escrito que atenderá aos objetivos propostos. Além disso, lançou-se mão da pesquisa bibliográfica, sendo consideradas fontes biográficas: livros de leitura corrente ou de referência, revistas científicas, jornais, páginas de web / sites, dissertações e teses. Segundo Gil (2002, p. 50), explica que a pesquisa bibliográfica é desenvolvida mediante matéria já elaborada, principalmente livros e artigos científicos. RESULTADOS: Caracterização da Empresa A empresa em estudo tem atividade industrial, atuando no ramo alimentício, localizada no interior da Paraíba, com dez anos de atividade e faturamento anual de

5 aproximadamente R$ ,00. Conta atualmente com 20 funcionários e dois sócios, que atuam como diretores. Sua estrutura organizacional é composta, basicamente, dos setores de Produção, Comercialização e Administração. Produz gêneros alimentícios destinados à merenda escolar, tais como cural de milho verde, proteína de sopa temperada, soja temperada, achocolatado, risoto de carne e frango e sopas de diversos sabores. Tem como clientes as escolas públicas estaduais e municipais do estado da Paraíba. Não apresenta nenhuma ferramenta de gerenciamento por setores, ou seja, a indústria apura seus resultados globalmente, não tendo conhecimento da participação de cada setor nos resultados. Tem sua contabilidade terceirizada para um escritório contábil, que lhe presta serviços de contabilidade financeira. Apresenta como dados contábeis os seguintes: Faturamento: R$ ,00 Compras totais: R$ ,00 Tributos diversos: R$ 7.500,00 Despesas: ,00 Salários e encargos: R$ ,00 Água: R$ 2.200,00 Luz: R$ 4.300,00 Telefone: R$ 1.800,00 Gás: R$ 8.300,00 Veículos: R$ 7.500,00 Embalagens: R$ ,00 Outras despesas: R$ 6.750,00 Fonte: Dados da Pesquisa Com relação aos dados contábeis apresentados, pode-se ressaltar alguns pontos: No valor total do faturamento a empresa não apresenta separação das vendas de acordo com o tipo de produto, ou seja, não tem ciência do faturamento individualizado. Também não apresenta separação dos custos por tipo de produto, bem como não faz a distinção do total das compras, entre matéria-prima e material de consumo ou expediente. Da mesma forma não estão separados os gastos com pessoal

6 empregado na produção e na distribuição, bem como as demais despesas da empresa. Não há separação das retiradas dos sócios, como também o valor utilizado para entrega de mercadorias. Portanto a empresa não tem conhecimento do resultado de cada setor, e de acordo com o que foi apresentado, após a retirada dos sócios, a empresa não tem lucro nem apresenta aumento do capital social. Conclui-se que não há dados suficientes para chegar ao lucro ou prejuízo liquido do exercício, o que gera informações incompletas com relação a situação econômica e financeira da empresa, dificultando assim o processo de tomada de decisão. Resultados Alcançados Através de observação, questionários e conversas informais, os principais dados obtidos resumem-se no quadro a seguir: Quadro 01: Resultados da Empresa Estudada ÍTEM RESULTADO 1. Quanto ao tempo de atuação no mercado: A empresa está atuando no mercado desde o ano de Quanto a trajetória da empresa: Verifica-se que a empresa mudou três vezes de sócios, permanecendo até hoje o idealizador da mesma. A empresa já passou e ainda passa por sérios problemas financeiros, muitas dívidas são contraídas, mesmo vendendo bem e tendo lucratividade. Observou-se que existem períodos que a empresa consegue sanar dívidas e acumulam capital, mas sempre ocorrem investimento errados, que levam novamente a empresa à uma situação de desequilíbrio financeiro. 3. Quanto aos registros contábeis Quanto aos registros contábeis, são realizados por contador terceirizado, e os proprietários não tem acesso à estas informações, desenvolvendo a contabilidade exclusivamente para fins legais e fiscais. Observou-se que nos dez anos de vida da empresa já mudou-se quatro vezes de contador, pois os gestores se recusam a aceitarem a importância do trabalho contábil para o desenvolvimento da empresa. 4.Quanto ao faturamento Verificou-se que os proprietários não sabem ao certo o valor exato do faturamento, apresentando sempre valores aproximados. O sócio majoritário detém um pouco mais de informação, não repassando a mesma. Nota-se que não existe um valor exato para retiradas dos sócios e os mesmos

7 se utilizam de recursos financeiros da empresa para investimentos de ordem pessoais. 5.Quanto às ferramentas de contabilidade gerencial: Apuração do balanço e análise Verificou-se que os empresários desconhece estas técnicas e não tem acesso nem interesse por tais informações. Orçamento empresarial Verificou-se que não há conhecimento desta ferramenta. Cálculo do custo do produto/serviço Com relação a essa ferramenta gerencial, verificou-se que o empresário conhece, mas utiliza de forma irregular. Análise da Margem de contribuição: O empresário não conhece a margem de contribuição nem utiliza a ferramenta. Fluxo de Caixa Quanto a essa ferramenta verificou-se que a mesma é conhecida e utilizada de forma rudimentar. Análise custo/volume/lucro Esta ferramenta não é conhecida nem utilizada. Ponto de equilíbrio Esta ferramenta é conhecida parcialmente, mas não é utilizada. Alavancagem operacional e/ou financeira Esta ferramenta não é conhecida nem utilizada. 6.Quanto ao Processo de entrega: 7.Nicho de Mercado: 8. Quanto aos produtos fabricados: Verificou-se que as entregas são realizadas nas datas estipuladas pelo cliente, há a preocupação dos gestores em cumprir dia e horário. Verificou-se que a empresa perde gradativamente o nicho de mercado, há conflitos entre o sócio majoritário e vários clientes, o que dificulta o processo de vendas e a manutenção do cliente. Observa-se que os produtos são de qualidade e bem procurados pelos clientes, na sua grande maioria são distribuidores de merenda para escolas públicas. Os produtos além de saborosos,

8 responsabilidades: 9. Quanto a divisão de tarefas e são nutritivos, com preços acessíveis e rendem bastante, o que gera economia para a clientela. Verificou-se que o sócio majoritário é centralizador e se nega a delegar funções e responsabilidades. O mesmo atua em todas as áreas, sem aceitar sugestões. É controlador e apresenta dificuldade em relacionar-se com o sócio minoritário, com funcionários e fornecedores. Não há definição clara de áreas e setores, tudo muda a todo instante, o que gera insatisfação de funcionários. 10. Quanto à missão, objetivos e valores da empresa: Não há um consenso com relação a tais pontos, os objetivos são difusos e individuais. Fonte: Elaboração Própria Por meio de comprovação constatou-se que, em 1999, a empresa conseguiu atender a 70% das escolas públicas municipais e estaduais, no ano de 2002 chegou a atender 80% das escolas, sendo líder absoluto no seu ramo. Em 2005, a empresa começou a perder clientes chegando a atender 60% das escolas públicas e em 2008, esse percentual caiu para 40%. Observa-se que a empresa nasceu, houve um investimento do empresário aplicado na mesma onde gerou um crescimento ocasionando a maturidade da empresa, com a falta de planejamento, controle e informações gerenciais houve uma queda nas vendas. Em decorrência da perda de mercado, forma geradas dívidas e consequentemente a falta de capacidade em honrar compromissos, ocasionando a insolvência, o que poderá levar à empresa ao estado de falência, caso não haja medidas de investimento, planejamento e recuperação. CONCLUSÃO Com a presente pesquisa pode-se concluir que a informação gerada pela Contabilidade é de grande importância para as Pequenas Empresas, em especial, para a Industria pesquisada, pois com a implementação desta a empresa poderia possuir mais

9 recursos de gestão para continuar no mercado. Fica evidente que a habilidade do gestor em utilizar-se da Contabilidade Gerencial como ferramenta de gestão e suporte ao planejamento, poderia contribuir fortemente para o sucesso da empresa, visto que observou-se que a empresa vem perdendo clientes gradativamente, chegando a um estágio crítico, mesmo oferecendo um produto de qualidade, perde nicho de mercado, investe-se de forma errada, os sócios fazem retiradas excessivas, há compras desnecessárias, há desperdício de embalagens e matéria prima, como também grande volume de estoque. Sendo assim, verificou-se que a empresa em estudo não se preocupa com controles internos de suas atividades, com planejamento nem com registros contábeis que possam vir a auxiliar a sua gestão. Na empresa, objeto deste estudo, foi possível constatar a necessidade de reestruturação e reorganização dos processos que tangem ao gerenciamento dos custos envolvidos na produção, bem como, de avaliar o desempenho da empresa como um todo e de cada uma de suas áreas, tendo sido sugerido, para tanto, a implantação da contabilidade como ferramenta informativa e de planejamento. A implantação da contabilidade é indicada na empresa estudada, tendo em vista o seu potencial de geração das informações necessárias ao processo de gestão da empresa e ainda, por servir como instrumento de controle empresarial ao permitir o acompanhamento e a avaliação dos resultados obtidos, possibilitando, assim, um direcionamento de esforços para sanar os possíveis problemas detectados na empresa, visando melhorar o desempenho geral da organização. Constatou-se que os gestores tomam suas decisões de olhos vendados, pois não têm a mínima noção de como está a situação da empresa e de como são valiosas as informações contábeis. Navegam no mercado de forma desordenada, sem planejamento, controle e informação, atuam de forma amadora, perdendo a possibilidade de se tornar uma empresa forte e sustentável, pois é verificado que mediante a qualidade dos produtos industrializados, a empresa teria grandes chances de crescer e desenvolver-se, mas com a falta de uma gestão equilibrada e com a não utilização das informações contábeis, a empresa está condenada a um fracasso, que caminha à passos largos em direção a mesma. Para tanto fica como sugestão para a empresa em estudo e para as demais a aplicação de um método ou técnica de contabilidade gerencial que apóie o processo de controle e de tomada de decisão, baseado na utilização das informações e compartilhamento das mesmas para o processo de tomada de decisões.

10 Inicialmente é necessário fazer um levantamento detalhado de todas as operações da empresa, bem como, os custos controláveis em cada área. Assim, pode-se criar as seguintes Áreas: Área da Produção Área da Comercialização Área da Administração Área da Direção O sistema deve permitir que sejam gerados relatórios para cada uma das áreas e relatórios gerais que incluam todas as áreas. Os relatórios também devem ser gerados em uma linguagem e formato compreensível para o gestor da área, evitando-se termos excessivamente técnicos e buscando-se uma formatação que coloque em evidência as informações relevantes para o gestor de cada área. Se faz necessário o esclarecimento, o treinamento, a motivação e o acompanhamento do processo de implementação e manutenção do sistema de contabilidade a todos os integrantes da empresa, pois não se deve esquecer que a empresa é constituída por pessoas e são elas que, em última instância, realizam as operações e que mantêm a empresa em atividade, para tanto, o trabalho deve ser compartilhado por todos. Outra necessidade da empresa que também deve ser contemplada na estruturação de informações contábeis é a de apurar os resultados obtidos com os seus produtos. Isto pode ser feito através da abertura de contas, ou marcadores, que identifiquem as receitas e custos por tipo de produto possibilitando, assim, a formatação de relatórios que apresentem a informação desejada. Há, também, a necessidade de acompanhamento e análise constante dos resultados de cada área em relação às metas pré-estabelecidas, buscando-se sempre elucidar o porquê das possíveis divergências e empregando esforços para corrigir os problemas detectados, desta forma, a contabilidade pode atingir seus objetivos e contribuir com o processo de gestão da empresa. A Contabilidade Gerencial pode gerar informações que contribuam com o processo de tomada de decisões, para tanto, essas informações devem ser geradas em tempo oportuno para serem úteis à administração.

11 Na sugestão de aplicação da contabilidade gerencial, fica evidenciado a utilidade da mesma como ferramenta de geração de informações para a tomada de decisão, e ainda, como instrumento de controle empresarial, pois com a utilização de técnicas contábeis pode-se identificar possíveis problemas nas áreas ou setores, possibilitando a proposição de melhorias e assim gerar o crescimento e a sustentabilidade da empresa, contribuindo assim para o desenvolvimento local. REFERÊNCIAS ALBUQUERQUE, A.F. Gestão estratégica das informações internas na pequena empresa: estudo comparativo de casos em empresas do setor de serviços (hoteleiro) da região de Brotas-SP Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Escola de Engenharia ANTHONY, Robert N. Contabilidade Gerencial: introdução à contabilidade. São Paulo: Atlas, ATKINSON, Anthony A. at al. Contabilidade Gerencial. São Paulo: Atlas, CAMPIGLIA, Américo O., CAMPIGLIA, Oswaldo R.P. Controle de Gestão: controladoria financeira das empresas. São Paulo: Atlas, COUTINHO; Luciano; FERRAZ, João Carlos (Coord.). Estudo da competitividade da indústria brasileira. 3. ed. São Paulo: Campinas: Papirus, DRUCKER, P. F.. Prática da Administração da Empresa. São Paulo: Pioneira, DRUCKER, Peter Ferdinand. O melhor de Peter Drucker: a administração. São Paulo, Nobel FRANCO, Hilário. 50 Anos de Contabilidade. São Paulo: Atlas, 1993, 702p. GIL, A.C. Como elaborar Projetos de pesquisa. 3 ed. São Paulo, Atlas, HENDRIKSEN, Eldon S. e BREDA, Michael F. Van. Teoria da Contabilidade. Ed. Atlas. São Paulo, p. HORGREN, C. T.; FOSTER, G.; DATTAR, S. M. Contabilidade de Custos. 9 a. ed. São Paulo: LTC, HORNGREN, C. T.; DATAR, S. M.; FOSTER, G. Contabilidade de custos: uma abordagem gerencial. 2vol. 11. ed. São Paulo: Prentice Hall

12 IBGE, Coordenação de Serviços e Comércio. As Micro e pequenas empresas comerciais e de serviços no Brasil: Rio de Janeiro: IBGE, IUDÍCIBUS, Sérgio de. Contabilidade Gerencial. 4. ed. São Paulo: Atlas, JOHNSON, H. T.; KAPLAN, R. S. (1993) - Contabilidade Gerencial - a restauração da relevância dacontabilidade nas empresas. Rio de Janeiro: Campus, 239p. LEONE, N.M.C.P.G. As especificidades das pequenas e médias empresas. Revista de Administração. São Paulo, v. 34, n. 2, p , abr/jun., LI, David H. Contabilidade Gerencial. São Paulo: Atlas, LONGENECKER, Justin G. ; MOORE, Carlos W. PETTY, J. William. Administração de pequenas empresas: ênfase na gerência empresarial. São Paulo: Makron Books, NAKAMURA, M. M.; ESCRIVÃO FILHO, E. (1998). Estratégia empresarial e as pequenas e médias empresas: um estudo de caso. In: XVIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Anais, Niterói, Rio de Janeiro/RJ. OLIVEIRA, D.P.R. Sistemas de informações gerenciais: estratégias, táticas, operacionais. 5. ed. São Paulo: Atlas, OLIVEIRA, D. P. R. Planejamento estratégico: conceitos, metodologias e práticas. São Paulo: Atlas, SANTOS, Ariovaldo et al. Retorno de investimento: abordagem matemática e contábil do lucro empresarial. São Paulo: Atlas, WELSH, Glen A. Orçamento Empresarial. São Paulo: Atlas, VERGARA, Sylvia Constant. Planejamento e Relatórios de Pesquisa em Administração. São Paulo: Atlas, ZDANOWICZ, José E. Fluxo de Caixa: uma decisão de planejamento e controle financeiros. 2. ed. Porto Alegre: DC Luzato, 1986.

CONTABILIDADE E GESTÃO DE CONTROLE DE ESTOQUE NA EMPRESA

CONTABILIDADE E GESTÃO DE CONTROLE DE ESTOQUE NA EMPRESA MARCIO REIS - R.A MICHELE CRISTINE RODRIGUES DE OLIVEIRA R.A 1039074 RENATA COSTA DA SILVA SIMIÃO R.A 1039444 Ciências Contábeis CONTABILIDADE E GESTÃO DE CONTROLE DE ESTOQUE NA EMPRESA Orientador: Prof.

Leia mais

A CONTABILIDADE E SUA IMPORTÂNCIA PARA UM GRUPO DE EMPRESAS COMERCIAIS 1

A CONTABILIDADE E SUA IMPORTÂNCIA PARA UM GRUPO DE EMPRESAS COMERCIAIS 1 A CONTABILIDADE E SUA IMPORTÂNCIA PARA UM GRUPO DE EMPRESAS COMERCIAIS 1 SILVA, Cleusa Pereira da 2 ; FELICE, Luciana Maria Vizzotto 4 ; LORENZETT, Daniel Benitti 3 ; VIERO, Claudinei 4 1 Trabalho de Pesquisa

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA 553 A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA Irene Caires da Silva 1, Tamires Fernanda Costa de Jesus, Tiago Pinheiro 1 Docente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. 2 Discente

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

OBRIGATORIEDADE DA EVIDENCIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

OBRIGATORIEDADE DA EVIDENCIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS OBRIGATORIEDADE DA EVIDENCIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Marivane Orsolin 1 ; Marlene Fiorentin 2 ; Odir Luiz Fank Palavras-chave: Lei nº 11.638/2007. Balanço patrimonial. Demonstração do resultado

Leia mais

Discente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. Docente do Curso de Ciências Contábeis da UNOESTE. E mail: irene@unoeste.br

Discente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. Docente do Curso de Ciências Contábeis da UNOESTE. E mail: irene@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 425 FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA NA MICRO E PEQUENA EMPRESA Cassia de Matos Ramos 1, Dayane Cristina da Silva 1, Nathana

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM MÓDULOS ESCOLA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO - UENF

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM MÓDULOS ESCOLA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO - UENF CURSO DE CAPACITAÇÃO EM MÓDULOS ESCOLA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO - UENF Módulo I: A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO DE NEGÓCIOS Breve contextualização

Leia mais

CONTABILIDADE GERENCIAL: SUA APLICAÇÃO E UTILIDADE NA PEQUENA EMPRESA

CONTABILIDADE GERENCIAL: SUA APLICAÇÃO E UTILIDADE NA PEQUENA EMPRESA CONTABILIDADE GERENCIAL: SUA APLICAÇÃO E UTILIDADE NA PEQUENA EMPRESA Marco Antonio Henrique 1, Marlene Ferreira Santiago 2, Monica Franchi Carniello 3, Fábio Ricci 4 1,2,3,4 Universidade de Taubaté/ Pró-reitoria

Leia mais

ANÁLISE DE INDICADORES ECONÔMICO-FINANCEIROS PARA FINS DE TOMADA DE DECISÕES: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA NATURA COSMÉTICOS S/A

ANÁLISE DE INDICADORES ECONÔMICO-FINANCEIROS PARA FINS DE TOMADA DE DECISÕES: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA NATURA COSMÉTICOS S/A ANÁLISE DE INDICADORES ECONÔMICO-FINANCEIROS PARA FINS DE TOMADA DE DECISÕES: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA NATURA COSMÉTICOS S/A José Jonas Alves Correia 4, Jucilene da Silva Ferreira¹, Cícera Edna da

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES.

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 417 CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Alice da Silva

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS 1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Ciências Econômicas e Gerencias Curso de Ciências Contábeis Controladoria em Agronegócios ANÁLISE COMPARATIVA DO CUSTEIO POR ABSORÇÃO E DO

Leia mais

USO DA CONTABILIDADE DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE DOURADOS-MS

USO DA CONTABILIDADE DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE DOURADOS-MS VIII CIAEC 046 USO DA CONTABILIDADE DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE DOURADOS-MS Luciana Crispim de Souza Universidade Federal da Grande Dourados (Brasil) Antonio Carlos Vaz Lopes Universidade

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS ANA BEATRIZ DALRI BRIOSO¹, DAYANE GRAZIELE FANELLI¹, GRAZIELA BALDASSO¹, LAURIANE CARDOSO DA SILVA¹, JULIANO VARANDAS GROPPO². 1 Alunos do 8º semestre

Leia mais

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade?

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade? Nas atividades empresariais, a área financeira assume, a cada dia, funções mais amplas de coordenação entre o operacional e as expectativas dos acionistas na busca de resultados com os menores riscos.

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

O Uso do Sistema de Informação Contábil como Ferramenta para a Tomada de Decisão nas Empresas da Região de Contagem - Minas Gerais.

O Uso do Sistema de Informação Contábil como Ferramenta para a Tomada de Decisão nas Empresas da Região de Contagem - Minas Gerais. O Uso do Sistema de Informação Contábil como Ferramenta para a Tomada de Decisão nas Empresas da Região de Contagem - Minas Gerais. Elaine Raquel Fernandes carlosadm@bol.com.br SENAC Flávia Cristina Pereira

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Unidade II FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Objetivos Ampliar a visão sobre os conceitos de Gestão Financeira; Conhecer modelos de estrutura financeira e seus resultados; Conhecer

Leia mais

O custeio ABC e sua utilização para estudar o preço de venda de produtos em uma empresa alimentícia e outra de bem durável na cidade de Uberlândia

O custeio ABC e sua utilização para estudar o preço de venda de produtos em uma empresa alimentícia e outra de bem durável na cidade de Uberlândia O custeio ABC e sua utilização para estudar o preço de venda de produtos em uma empresa alimentícia e outra de bem durável na cidade de Uberlândia Elaine Gomes Assis (UNIMINAS) elainega@uniminas.br Luciane

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO

GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 109 GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO Claudinei Higino da Silva,

Leia mais

Utilização do preço de transferência na avaliação do desempenho das divisões e dos gestores

Utilização do preço de transferência na avaliação do desempenho das divisões e dos gestores Utilização do preço de transferência na avaliação do desempenho das divisões e dos gestores Emanuel R. Junqueira (FAESA-ES) ejunqueira@faesa.br Gilberto Aurino Silva Neto (FAESA-ES) professorgilberto@terra.com.br

Leia mais

Plano de Negócios PLANEJAMENTO DO PROJETO FINAL. Sumário

Plano de Negócios PLANEJAMENTO DO PROJETO FINAL. Sumário Plano de Negócios Plano de Negócios Sumário Introdução... 3 Plano de Negócios... 3 Etapas do Plano de Negócio... 3 Fase 1... 3 Fase 2... 8 Orientação para entrega da Atividade de Avaliação... 12 Referências

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

ESTUDO DA UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA TOMADA DE DECISÃO 1

ESTUDO DA UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA TOMADA DE DECISÃO 1 ESTUDO DA UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA TOMADA DE DECISÃO 1 OLIVEIRA, Liziane A. de 2 ; SILVEIRA, Graciela P. 3 ; BERTAGNOLLI, Daniele Dias de O. 4 ; BASSO, Renata L. 2. 1 Trabalho Final de

Leia mais

AUTOR(ES): ARIANE BUENO DOS SANTOS, ANA PAULA CILOTTI, CLARISSA REIS SILVA

AUTOR(ES): ARIANE BUENO DOS SANTOS, ANA PAULA CILOTTI, CLARISSA REIS SILVA TÍTULO: MODELOS DE QUALIDADE DA INFORMAÇÃO CONTÁBIL. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA AUTOR(ES): ARIANE BUENO DOS SANTOS, ANA PAULA

Leia mais

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL Cristiane de Oliveira 1 Letícia Santos Lima 2 Resumo O objetivo desse estudo consiste em apresentar uma base conceitual em que se fundamenta a Controladoria.

Leia mais

Estudo de Caso sobre o Planejamento Financeiro de uma Empresa Têxtil do Agreste Pernambucano

Estudo de Caso sobre o Planejamento Financeiro de uma Empresa Têxtil do Agreste Pernambucano Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências Sociais Aplicadas Departamento de Ciências Administrativas Mestrado Profissional em Administração Relatório Executivo Estudo de Caso sobre o Planejamento

Leia mais

CONTROLES DE GESTÃO FINANCEIRA UTILIZADOS NAS EMPRESAS DE MAFRA SC RELACIONANDO-OS COM SEU CICLO DE VIDA

CONTROLES DE GESTÃO FINANCEIRA UTILIZADOS NAS EMPRESAS DE MAFRA SC RELACIONANDO-OS COM SEU CICLO DE VIDA CONTROLES DE GESTÃO FINANCEIRA UTILIZADOS NAS EMPRESAS DE MAFRA SC RELACIONANDO-OS COM SEU CICLO DE VIDA RESUMO Como objetivo geral, a presente pesquisa analisou a utilização dos controles de gestão financeira

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 2. Finanças 2.1 Orçamento anual integrado Objetivo: Melhorar

Leia mais

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA Laércio Dahmer 1 Vandersézar Casturino2 Resumo O atual mercado competitivo tem evidenciado as dificuldades financeiras da microempresa.

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA: UM INSTRUMENTO AO PROCESSO DECISÓRIO

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA: UM INSTRUMENTO AO PROCESSO DECISÓRIO DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA: UM INSTRUMENTO AO PROCESSO DECISÓRIO Priscila Rubbo 1 Paulo Roberto Pegoraro 2 Resumo: O demonstrativo do fluxo de caixa tem como finalidade a projeção das entradas e saídas

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br Prof. Elias Garcia Bacharel em Ciências Contábeis 1988 Especialização em Contabilidade

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PRESIDENTE PRUDENTE SP

A UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 392 A UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Débora Regina

Leia mais

INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A

INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A AUTOR ANTONIA TASSILA FARIAS DE ARAÚJO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ RESUMO O presente

Leia mais

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE 546 A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE Irene Caires da Silva 1, Ana Carlina Toni Pereira 2, Carlile Serafim Pestana 2, Fernando Henrique Grigoletto dos Santos 2, Henrique

Leia mais

Engenharia de Produção Custos Industriais Fundamentação Conceitual de Custos Luizete Aparecida Fabbris

Engenharia de Produção Custos Industriais Fundamentação Conceitual de Custos Luizete Aparecida Fabbris Tema Fundamentação Conceitual de Custos Projeto Curso Disciplina Tema Professor Pós-graduação Engenharia de Produção Custos Industriais Fundamentação Conceitual de Custos Luizete Aparecida Fabbris Introdução

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Turno/Horário Noturno PROFESSOR: Salomão Soares AULAS Apostila nº.

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Turno/Horário Noturno PROFESSOR: Salomão Soares AULAS Apostila nº. Disciplina Contabilidade e Sistemas de Custos CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS TURMA 5º CCN Turno/Horário Noturno PROFESSOR: Salomão Soares AULAS Apostila nº. 01 Introdução

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DAS FERRAMENTAS ADMINISTRATIVAS CONTEMPORÂNEAS NA GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES HOSPITALARES

A UTILIZAÇÃO DAS FERRAMENTAS ADMINISTRATIVAS CONTEMPORÂNEAS NA GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES HOSPITALARES A UTILIZAÇÃO DAS FERRAMENTAS ADMINISTRATIVAS CONTEMPORÂNEAS NA GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES HOSPITALARES André F. Soares Correia, FSM, andre.s.correia@hotmail.com¹ Virginia Tomaz Machado, FSM, vtmachado@hotmail.com²

Leia mais

ANÁLISE CUSTO - VOLUME - LUCRO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS.

ANÁLISE CUSTO - VOLUME - LUCRO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. ANÁLISE CUSTO - VOLUME - LUCRO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Thaisa Rodrigues Marcondes 1, Maria Auxiliadora Antunes 2 ¹ Universidade do Vale do Paraíba/Faculdade de Ciências

Leia mais

Uso de Equipamentos de Informática e Telecomunicações

Uso de Equipamentos de Informática e Telecomunicações O SETOR SERVIÇOS DO ESTADO DO ACRE Estrutura Características Setoriais e Regionais A Paer pesquisou as unidades locais, com mais de 20 pessoas ocupadas, do setor serviços do, constatando a presença de

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira I Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2011 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

Rejane de Souza Pinheiro Wendell Simão da Rocha

Rejane de Souza Pinheiro Wendell Simão da Rocha Planejamento Tributário de Micro e Pequenas Empresas: um estudo exploratório sobre a oferta desses serviços para empresários da Região Administrativa de Taguatinga - DF Rejane de Souza Pinheiro Wendell

Leia mais

Análise do Perfil da Gestão Financeira Realizada Pelas Micro e Pequenas Empresas da Cidade de Itajubá

Análise do Perfil da Gestão Financeira Realizada Pelas Micro e Pequenas Empresas da Cidade de Itajubá Análise do Perfil da Gestão Financeira Realizada Pelas Micro e Pequenas Empresas da Cidade de Itajubá Adriano_fernandes_vianna@ymail.com cca@facesm.br Facesm João Paulo Guerreiro Gonçalves cca@facesm.br

Leia mais

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios Vanessa da Silva Sidônio vanessa_sidonio@hotmail.com Professor Heber Lavor Moreira heber@peritocontador.com.br Trabalho da Disciplina Administração

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1

ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1 ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1 Jéssica Schreiber Boniati 2, Eusélia Pavéglio Vieira 3. 1 Trabalho de conclusão de curso apresentado ao curso

Leia mais

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional O tamanho que a micro ou pequena empresa assumirá, dentro, é claro, dos limites legais de faturamento estipulados pela legislação para um ME ou EPP, dependerá do

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Controle Contábil e Financeiro, Desenvolvimento Empresarial, Associação Paraibana da Beleza.

PALAVRAS-CHAVE: Controle Contábil e Financeiro, Desenvolvimento Empresarial, Associação Paraibana da Beleza. 7CCSADFCOUT1 CONTROLE FINANCEIRO: UMA FERRAMENTA PARA O DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL DOS SALÕES DA ASSOCIAÇÃO PARAIBANA DA BELEZA Jannielly Krystianne Laurentino dos Santos (1) ; Luzivalda Guedes Damascena

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CUSTEIO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISE DE SOLOS DO OESTE DE MINAS GERAIS

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CUSTEIO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISE DE SOLOS DO OESTE DE MINAS GERAIS IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CUSTEIO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISE DE SOLOS DO OESTE DE MINAS GERAIS RESUMO Giselle ALVES; Érik DOMINIK * CEFET Bambuí; CEFET Bambuí O objetivo deste estudo é a análise da

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

BENEFÍCIOS COM A SMALL

BENEFÍCIOS COM A SMALL BENEFÍCIOS COM A SMALL 2012. Small Consultoria Avenida Engenheiro Caetano Álvares, 530 Casa Verde, São Paulo S.P. Tel. 11 2869.9699 / 11 2638.5372 Todos os direitos reservados. A IDEIA Dentre os exemplos

Leia mais

PLANEJAMENTO, CONTROLE E ANÁLISE DO RESULTADO ECONÔMICO- FINANCEIRO NAS ORGANIZAÇÕES

PLANEJAMENTO, CONTROLE E ANÁLISE DO RESULTADO ECONÔMICO- FINANCEIRO NAS ORGANIZAÇÕES PLANEJAMENTO, CONTROLE E ANÁLISE DO RESULTADO ECONÔMICO- FINANCEIRO NAS ORGANIZAÇÕES Fábio Roney de Paula Guimarães Janaina Ferreira dos Anjos Junio César Vilaça Luciana de Jesus Silva Mauricio Ferraz

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios deverá conter: 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 3. O Mercado 4. Capacidade Empresarial 5. Estratégia de Negócio 6. Plano de marketing

Leia mais

Balanço Patrimonial e DRE

Balanço Patrimonial e DRE Balanço Patrimonial e DRE Administração financeira e orçamentária Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com 2 Demonstrações Financeiras (Contábeis) Dados Dados Coletados Coletados

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

APLICABILIDADE DA CONTABILIDADE GERENCIAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO PARA TOMADA DE DECISÕES NAS INDÚSTRIAS ASSOCIADAS À ACIP DE PINHALZINHO/SC

APLICABILIDADE DA CONTABILIDADE GERENCIAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO PARA TOMADA DE DECISÕES NAS INDÚSTRIAS ASSOCIADAS À ACIP DE PINHALZINHO/SC VIII CIAEC 043 APLICABILIDADE DA CONTABILIDADE GERENCIAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO PARA TOMADA DE DECISÕES NAS INDÚSTRIAS ASSOCIADAS À ACIP DE PINHALZINHO/SC Alex Fabiano Bertollo Santana Centro Universitário

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO 1 A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA Daniel de Souza Ferreira 1 RESUMO Ferreira, Daniel de Souza. A Impostância do Feedback

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA - FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE - FABET JAQUELINE VANESSA MORCHE

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA - FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE - FABET JAQUELINE VANESSA MORCHE 0 FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA - FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE - FABET JAQUELINE VANESSA MORCHE IMPORTANCIA DA CONTABILIDADE NA GESTÃO EMPRESARIAL Concórdia -

Leia mais

Determinação do Capital de Giro

Determinação do Capital de Giro Determinação do Capital de Giro Foco da Palestra Orientar e esclarecer os conceitos básicos para determinação e gerenciamento do Capital de Giro da empresa. Classificar e analisar as fontes e aplicações

Leia mais

TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL

TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

Terminologias Introdutórias de Custo: Uma Pesquisa Exploratória Na Universidade Federal de Pernambuco Nos Cursos de Ciências Contábeis e Administração

Terminologias Introdutórias de Custo: Uma Pesquisa Exploratória Na Universidade Federal de Pernambuco Nos Cursos de Ciências Contábeis e Administração Terminologias Introdutórias de Custo: Uma Pesquisa Exploratória Na Universidade Federal de Pernambuco Nos Cursos de Ciências Contábeis e Administração Christianne Calado Vieira de Melo Lopes Julie Nathalie

Leia mais

29/10/2014. Métodos de Custeio TEORIA DA DECISÃO MODELOS DE DECISÃO TEORIA DA MENSURAÇÃO MODELOS DE MENSURAÇÃO. Formas de Custeio

29/10/2014. Métodos de Custeio TEORIA DA DECISÃO MODELOS DE DECISÃO TEORIA DA MENSURAÇÃO MODELOS DE MENSURAÇÃO. Formas de Custeio Gestão de Custos TEORIA DA DECISÃO MODELOS DE DECISÃO Métodos de Custeio TEORIA DA MENSURAÇÃO MODELOS DE MENSURAÇÃO Formas de Custeio TEORIA DA INFORMAÇÃO MODELOS DE INFORMAÇÃO Sistemas de acumulação A

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO PROJETO DE PESQUISA-ETENSÃO MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Resumo Demonstrações contábeis são informações e dados que as empresas oferecem ao fim de cada exercício, com a finalidade de mostrar aos acionistas, ao governo e todos os interessados,

Leia mais

P ortal da Classe Contábil w w w.classecontabil.com.br. Artigo

P ortal da Classe Contábil w w w.classecontabil.com.br. Artigo P ortal da Classe Contábil w w w.classecontabil.com.br Artigo 31/10 A utilização da contabilidade de custos na formação do preço de venda INTRODUÇÃ O Atualmente a Contabilidade de Custos é vista sob dois

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA NA VENDA DE COMBUSTÍVEIS: UM ESTUDO DE CASO

ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA NA VENDA DE COMBUSTÍVEIS: UM ESTUDO DE CASO 1 ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA NA VENDA DE COMBUSTÍVEIS: UM ESTUDO DE CASO BUENO, Tatiane de Jesus 1 MENGUE, Márcia Maria Alves Menuge 2 GHILARDI, Wanderlei José 3 RESUMO No presente trabalho o principal

Leia mais

IMAPCTOS DA CRISE ECONÔMICA NAS EMPRESAS DE GUARAPUAVA

IMAPCTOS DA CRISE ECONÔMICA NAS EMPRESAS DE GUARAPUAVA IMAPCTOS DA CRISE ECONÔMICA NAS EMPRESAS DE GUARAPUAVA Uilson Jose Nepchji eliziane.uilson@gmail.com Pedro Anotonio Laurentino Valdemir Monteiro Sandra Mara Matuik Mattos Professora do Curso Ciências Econômicas/

Leia mais

*Aderbal Nicolas Müller **Everson Luiz Breda Carlin. ,1752'8d 2

*Aderbal Nicolas Müller **Everson Luiz Breda Carlin. ,1752'8d 2 $6(;,*Ç1&,$6'20(5&$'2($*(67 2'((035(6$6)$0,/,$5(6 *Aderbal Nicolas Müller **Everson Luiz Breda Carlin,1752'8d 2 A experiência dos autores com empresas familiares surgiu em processos de avaliação de empresas

Leia mais

4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S

4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S como organizar as finanças da sua empresa 4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S AUTHOR NAME ROBSON DIAS Sobre o Autor Robson Dias é Bacharel em Administração de Empresas e Possui MBA em Gestão Estratégica

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

LUCRO RELACIONADO AO CONCEITO DE PRESERVAÇAO DA RIQUEZA1

LUCRO RELACIONADO AO CONCEITO DE PRESERVAÇAO DA RIQUEZA1 LUCRO RELACIONADO AO CONCEITO DE PRESERVAÇAO DA RIQUEZA1 Joseellen Maciel Sousa2 Introdução O ambiente mundial esta passando por um profundo processo de transformação decorrente do alto grau de competitividade

Leia mais

Escolha os melhores caminhos para sua empresa

Escolha os melhores caminhos para sua empresa Escolha os melhores caminhos para sua empresa O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio

Leia mais

A CONTABILIDADE COMO FERRAMENTA GERENCIAL NA GESTÃO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

A CONTABILIDADE COMO FERRAMENTA GERENCIAL NA GESTÃO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS A CONTABILIDADE COMO FERRAMENTA GERENCIAL NA GESTÃO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS José Claudio de Santana Junior RESUMO Durante muito tempo, a contabilidade foi vista apenas como um sistema de informações

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2 1 ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1 Moisés Araújo Guarda 2 Sara Alexssandra Gusmão França 3 RESUMO Este artigo versa

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA ANÁLISE FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NAS EMPRESAS INTEGRAÇÃO DOS CONCEITOS CONTÁBEIS COM OS CONCEITOS FINANCEIROS FLUXO DE OPERAÇÕES E DE FUNDOS VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA Possibilita um diagnóstico

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

RESUMOS COM RESULTADOS... 986 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 988

RESUMOS COM RESULTADOS... 986 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 988 985 RESUMOS COM RESULTADOS... 986 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 988 RESUMOS COM RESULTADOS 986 ANÁLISE DOS PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS, NA ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO PÚBLICO... 987 987 Ensino (ENAENS) ANÁLISE

Leia mais

A FORMAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ADMINISTRADORES DA GRANDE FLORIANÓPOLIS DIRIGIDA A PRÁTICA DA GESTÃO PARTICIPATIVA

A FORMAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ADMINISTRADORES DA GRANDE FLORIANÓPOLIS DIRIGIDA A PRÁTICA DA GESTÃO PARTICIPATIVA ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& A FORMAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ADMINISTRADORES DA

Leia mais

Quais estratégias de crédito e cobranças são necessárias para controlar e reduzir a inadimplência dos clientes, na Agroveterinária Santa Fé?

Quais estratégias de crédito e cobranças são necessárias para controlar e reduzir a inadimplência dos clientes, na Agroveterinária Santa Fé? 1 INTRODUÇÃO As empresas, inevitavelmente, podem passar por períodos repletos de riscos e oportunidades. Com a complexidade da economia, expansão e competitividade dos negócios, tem-se uma maior necessidade

Leia mais

Faculdades Integradas Teresa D Ávila

Faculdades Integradas Teresa D Ávila Faculdades Integradas Teresa D Ávila CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecido pela Portaria Ministerial nº. 4.571 de 28/12/05 e publicado no DOU em 29/12/05. Componente Curricular: Gerencial Carga-horária: 80

Leia mais

Resumo Aula-tema 07: Gestão de Custos

Resumo Aula-tema 07: Gestão de Custos Resumo Aula-tema 07: Gestão de Custos Vimos até então que a gestão contábil e a gestão financeira são de extrema importância para decisões gerenciais, pois possibilitam ao pequeno gestor compreender as

Leia mais

"Gestão Contábil para micro e. pequenas empresas: tomada

Gestão Contábil para micro e. pequenas empresas: tomada "Gestão Contábil para micro e pequenas empresas: tomada de decisão Julio Cesar. Pergunta: - O que é importante na tomada de decisão. O que devemos saber para decidir algo?? Algumas INFORMAÇÕES acerca do

Leia mais

UTILIZANDO O BALANCED SCORECARD PARA GERENCIAR PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS. JOSÉILTON SILVEIRA DA ROCHA MS.c 1 PAULO MAURICIO SELIG Dr.

UTILIZANDO O BALANCED SCORECARD PARA GERENCIAR PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS. JOSÉILTON SILVEIRA DA ROCHA MS.c 1 PAULO MAURICIO SELIG Dr. UTILIZANDO O BALANCED SCORECARD PARA GERENCIAR PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS. JOSÉILTON SILVEIRA DA ROCHA MS.c 1 PAULO MAURICIO SELIG Dr. 1 UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA JSROCHA@EPS.UFSC.BR UFSC UNIVERSIDADE

Leia mais

CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas

CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas Geovana Alves de Lima Fedato 1 Claiton Pazzini Goulart 2 Lyss Paula de Oliveira

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

Q u al i f i c a ç ã o f o r m al d o s r e s p o n s á v e i s P ó s g r a d u a d o s

Q u al i f i c a ç ã o f o r m al d o s r e s p o n s á v e i s P ó s g r a d u a d o s Justificativa do trabalho As Empresas, com fim lucrativo ou não, enfrentam dificuldades para determinar o preço de seus produtos ou serviços, visto que o preço sofre grande influência do mercado, levando

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 ÍNDICE Introdução...3 A Necessidade do Gerenciamento e Controle das Informações...3 Benefícios de um Sistema de Gestão da Albi Informática...4 A Ferramenta...5

Leia mais