NEWSLETTER VERSÃO COMPLETA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NEWSLETTER VERSÃO COMPLETA"

Transcrição

1 NEWSLETTER VERSÃO COMPLETA FEVEREIRO'12 DESTAQUE MENSAL Empresas recebem novo apoio para dar emprego, mas devem garantir formação profissional: Pessoas singulares ou coletivas de direito privado, com ou sem fins lucrativos, podem receber apoios enquanto empregadores, se contratarem desempregados, desde que cumpram os requisitos do novo programa Estímulo 2012, com um limite de contratação de 20 trabalhadores. Um empregador recebe metade do salário que paga ao novo trabalhador, mas poderá receber mais em certos casos. O Estímulo 2012 pode ser cumulado com a isenção ou redução do pagamento de contribuições para o regime de segurança social, mas não com outros apoios diretos ao emprego aplicáveis ao mesmo posto de trabalho. Inclui financiamento comunitário e vai ser executado pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). O objetivo é apoiar a contratação e a formação profissional de desempregados inscritos há pelo menos seis meses consecutivos em centros de emprego. NOTÍCIAS APOIO FINANCEIRO Um empregador apoiado pelo Estímulo 2012 que celebre contrato de trabalho tem direito a um apoio financeiro correspondente a 50% da retribuição mensal do trabalhador. Poderá receber 60% da retribuição se celebrar contrato de trabalho sem termo ou se assinar contrato de trabalho com desempregado que seja beneficiário do rendimento social de inserção, tenha até 25 anos, seja pessoa com deficiência ou incapacidade ou, ainda, seja uma trabalhadora mulher e com nível habilitacional inferior ao 3.º ciclo do ensino básico, ou esteja inscrito no centro de emprego há 12 meses consecutivos, no mínimo. O apoio nunca pode ultrapassar o montante de um indexante dos apoios sociais (IAS) euros - por mês, durante o período máximo de seis meses. Para receber o apoio é necessário que a entidade empregadora celebre contrato de trabalho a tempo completo, com um desempregado inscrito há pelo menos seis meses consecutivos no centro de emprego, e exista criação líquida de emprego. O contrato de trabalho pode ser celebrado a termo resolutivo certo, por prazo igual ou superior a seis meses, nomeadamente em casos de contratação de trabalhador à procura de primeiro emprego ou em situação de desemprego de longa duração ou noutra prevista em legislação especial de política de emprego. Em caso de projetos de interesse estratégico, este novo regime aplica-se aos empregadores que apresentem investimento considerado de interesse estratégico para a economia nacional ou para determinada região, e que como tal seja reconhecido, a título excecional, por despacho do membro do Governo responsável pela área da economia. Nestes casos, há especificidades a cumprir: O contrato de trabalho deve ter duração igual ou superior a 18 meses; Não há limite ao número de trabalhadores a contratar e apoiar por via do Estímulo 2012; O apoio não pode ultrapassar um IAS por mês, durante o período máximo de nove meses. PORTARIA N.º 45/2012, DE 13 DE FEVEREIRO

2 NOTÍCIAS DE ANGOLA APOIO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DAS PME Uma linha de crédito bonificado para o apoio aos empresários nacionais, avaliada em 1,6 biliões de dólares norte americanos (USD), e um fundo de garantia para empréstimos no valor de 1,2 biliões de dólares vão ser lançados ainda este ano, de forma a incentivar as iniciativas do empresariado angolano. Também este ano, será revitalizado o Instituto Nacional de apoio às Pequenas e Média Empresas INAPEM e será criado um sistema de incubação de empresas. Será dada prioridade à agricultura, pecuária, pescas, indústria transformadora e serviços de apoio ao sector produtivo. Na agricultura, grande importância se dada a produção de milho, arroz, trigo e massambala, de cultura de feijão, mandioca e batata rena, enquanto na pecuária prevê-se a intensificação da criação de aves, gado caprino, suíno e bovino de corte e leite. No sector das pescas, a intenção é aumentar a captura de peixe, mariscos e crustáceos, enquanto na indústria transformadora, a prioridade recai para o fabrico de varão de aço, tubos pretos e galvanizados, chapas de zinco e fibrocimento, gesso, e nos serviços de apoio ao sector produtivo, a atenção será dada às áreas de mecânica industrial e automóvel, electricidade industrial e auto, transportes rodoviários de mercadoria, entrepostos logísticos de conservação e congelação. Consta ainda do programa a construção de naves industriais, avícolas e pecuárias, projectos que terão o suporte do fundo de riscos de capitais, acesso ao crédito, com processo burocrático simplificado. COMÉRCIO SISTEMA DE INFORMAÇÃO INTEGRADO DO MINISTÉRIO DO COMÉRCIO (SIMINCO) DISPONÍVEL EM BREVE O Ministério do Comércio anunciou que em breve estará disponível o novo sistema de licenciamento. Este sistema vai desmaterializar todo o processo de obtenção de licenças para o comércio interno e externo do país. O sistema, SIMINCO, integrará os seguintes processos: Licenciamento externo - Inserção pelo despachante do pedido de licença e respetivos anexos; sistema de conta corrente para o pagamentos das taxas de serviço; análise dos pedidos de licença em qualquer das delegações regionais do MINCO, por ordem de chegada; possibilidade de despacho automático caso todas as regras tenham sido cumpridas. Licenciamento interno - Pedido de alvará comercial sem necessidade de se deslocar ao Ministério; sistema de conta corrente; agendamento das necessárias vistorias; e despacho final simplificado. Os despachantes devem enviar os seus dados para o MINCO, por correio eletrónico tal como os seus clientes. Depois receberão um manual de utilizador e uma palavra-chave para aceder ao sistema. ESTADO SISTEMA DE INFORMAÇÃO INTEGRADO DO MINISTÉRIO DO COMÉRCIO (SIMINCO) DISPONÍVEL EM BREVE DECRETO PRESIDENCIAL N.º 298/11 DE 5 DE DEZEMBRO LEI N.º30/11, DE 13 DE SETEMBRO Como se considera que as micro, pequenas e médias empresas desempenham um papel importante na economia, o Estado angolano aprovou em Setembro legislação sobre Micro, Pequenas e Médias Empresas; Estas regras conferem ao Departamento Ministerial responsável uma série de tarefas para materializar os benefícios previstos para aquelas empresas. Assim, foi decidido revitalizar o Instituto Nacional de Apoio às Pequenas e Médias Empresas, (INAPEM) tomando extensiva a sua actuação às micro empresas, por um lado, e de modo que possa cumprir com eficiência e eficácia a missão que lhe foi atribuída nos termos da lei, por outro lado, o que pressupõe a alteração do seu estatuto orgânico. Assim, este Instituto implementa as políticas e estratégias no domínio da capacitação e financiamento das micro, pequenas e médias empresas. O INAPEM tem os seguintes Departamentos: Departamento de Formação e Capacitação Empresarial; Departamento de Consultoria e Assistência Técnica; Departamento de Estudos e Planeamento; Departamento de Mercados e Capital;

3 Departamento de Administração e Serviços Gerais. IMÓVEIS ACTUALIZAÇÃO DOS VALORES BASE DOS PRÉDIOS URBANOS Aprova a actualização dos valores base dos prédios urbanos, constantes das tabelas de avaliação e reavaliação de prédios urbanos aprovadas em Os novos valores-base são os seguintes: Província Valor base (UCF) Luanda 1100 Benguela 618 Huambo 618 DESPACHO N.º 1069/11, DE 29 DE DEZEMBRO DECRETO PRESIDENCIAL N.º 81/11, DE 25 DE ABRIL Huila 618 Cabinda 618 VEÍCULOS TAXA DE CIRCULAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DE TRÂNSITO PARA 2011 DESPACHO N.º15/12 DE 5 DE JANEIRO Foi prorrogado o prazo de cobrança da Taxa de Circulação e Fiscalização de Trânsito de 2011, que expirou a 31 de Dezembro de Assim, este prazo foi prorrogado até 28 de Fevereiro. Este adiamento ocorreu porque se constatou que há ainda um considerável número de utentes de veículos e motociclos com taxas de Circulação por pagar, tornando-se por este facto, necessário a dilatação do prazo fixado para o cumprimento desta obrigação fiscal; NOTÍCIAS DO BRASIL VINHOS PODEM SER COMERCIALIZADOS SEM O SELO DE CONTROLE DA RECEITA FEDERAL As empresas filiadas na Associação Brasileira dos Exportadores e Importadores de Alimentos e Bebidas (Abba), podem comercializar vinhos nacionais e importados dentro do território brasileiro, sem o selo de controle da Receita Federal. O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Ari Pargendler, negou pedido de suspensão de segurança impetrado pela Fazenda Nacional, contra decisão do Tribunal Regional Federal da 1ªRegião (TRF1). Assim, a suspensão da exigência do selo foi mantida por aquele considerar que não há grave perigo de lesão ao interesse público nem provas de grave lesão à ordem e à economia públicas pela não utilização de selos de controles em vinhos. De acordo com regras de 2010, o selo passou a ser obrigatório para os vinhos. A Abba requereu mandado de segurança preventivo coletivo contra a exigência. O juízo federal de primeiro grau deu razão a esta associação para suspender a obrigatoriedade do selo. Essa decisão foi suspensa pelo presidente do TRF. Posteriormente veio a sentença no mandado de segurança, confirmando a primeira liminar que declarou o selo ilegal, o que motivou novo recurso da União. Por fim, a Corte Especial do TRF1 manteve a sentença que concedeu segurança à Abba. No pedido de suspensão de segurança dirigido ao STJ, a União alegou que a decisão provoca grave lesão à ordem por interferir na fiscalização e controle do comércio de vinhos em todo país. Para a Fazenda, a manutenção da decisão acarreta a inutilidade do mecanismo de controle por meio da selagem, uma vez que a ausência do selo não significa que a empresa não cumpra com suas obrigações - pois pode apenas ter sido beneficiada pelo mandado de segurança - provocando insegurança no mercado de consumo. De acordo com a Fazenda, a decisão provoca grave efeito multiplicador, pois, ao suspender o uso do selo aos associados da Abba, incentiva as demais associações a apresentarem demandas idênticas, inviabilizando assim, a fiscalização. No julgamento do pedido, Pargendler lembrou que o reconhecimento da grave lesão a interesse público não pode ser subjetivo. Ou a alegação está confortada por ser um dado notório da realidade ou deve ter como suporte alguma prova pré-constituída, ponderou o ministro. Para ele, não é o que ocorre no caso, uma vez que o pedido não evidencia sequer algum estudo feito pela Fazenda demonstrando que a falta de exigência do selo gere grande evasão de tributos na importação de vinhos.

4 IN-RFB Nº 1.026/2010, COM AS ALTERAÇÕES DA IN-RBF Nº 1.065/2010 NOTÍCIAS DE MOÇAMBIQUE OBRAS PÚBLICAS ALTERADA CLÁUSULA ANTI-CORRUPÇÃO DECRETO N.º 45/2011 DE 21 DE SETEMBRO DECRETO N.º15/2010, DE 24 DE MAIO, ARTIGO 45.º A cláusula anti-corrupção prevista no Regulamento de Contratação de Empreitada de Obras Públicas, Fornecimento de Bens e Prestação de Serviços ao Estado, foi alterada. Assim, esta cláusula passa a dispor que as partes se comprometem a não oferecer, directa ou indirectamente, vantagens a terceiros, e nem solicitar, prometer ou aceitar, para benefício próprio ou de outrem, ofertas com o propósito de obter julgamento favorável sobre os serviços a prestar. Se esta cláusula não constar do contrato, este é nulo e não produz nenhum efeito jurídico. FINANCEIRO LICENCIAMENTO SIMPLIFICADO ALTERADO O Banco de Moçambique e o Ministério das Finanças estão a trabalhar na criação de um fundo de garantia de depósitos. Este fundo pretende reforçar a confiança dos clientes e depositantes do sistema bancário. O Fundo de Garantia de Depósitos tem como principal missão garantir o reembolso do valor global dos saldos em dinheiro de cada depositante, de acordo com condições previamente determinadas. Este fundo pode também intervir a título preventivo, colaborando, com carácter transitório, em acções destinadas a restabelecer as condições de solvabilidade e de liquidez de instituições de crédito participantes. ACTIVIDADES ECONÓMICAS LICENCIAMENTO SIMPLIFICADO ALTERADO O governo moçambicano aprovou alterações às regras que regem o licenciamento simplificado de actividades económicas no país, em vigor desde De acordo com estas alterações, 60% dos valores resultantes das taxas de licenciamento simplificado das Actividades Económicas será destinado ao Orçamento do Estado (OE), enquanto os restantes 40% revertem para a entidade licenciadora. Até agora, todo o valor das taxas revertia para o sector de actividade que emite as licenças. Por outro lado, as áreas de actividade passam de sete para nove. Assim, são incluídas as áreas de cultura e pesca, que se vão juntar a agricultura, comércio e serviços, construção, desporto, indústria, transportes e comunicações e turismo. Foi também introduzido um novo regime de procedimentos no licenciamento que permite que os documentos possam ser enviados por via electrónica ( ). As taxas, que actualmente variam segundo a área de actividade, passam a ser uma só, de 50% do salário mínimo da função pública. O licenciamento simplificado das Actividades Económicas é feito nos Balcões de Atendimento Únicos (BAUs) onde os mesmos existam, administrações distritais e conselhos municipais. AGRICULTURA E PECUÁRIA

5 PRORROGADA VIGÊNCIA DA TAXAREDUZIDA ATÉ 2015 O Governo de Moçambique decidiu prorrogar, até 31 de Dezembro de 2015, o período de validade da taxa reduzida de 10% do Imposto sobre Rendimento de Pessoas Colectivas (IRPC) para actividade agrícola e pecuária. Esta prorrogação ocorreu na sequência da revisão do Código do Imposto sobre Rendimento de Pessoas Colectivas, que já foi promulgado e se encontra em processo de publicação. Com a prorrogação da validade desta taxa, pretende-se incentivar a produção agrícola e pecuária de forma a reduzir a situação de fome que existe em grande parte das zonas rurais moçambicanas. Pretende-se também contribuir para a implementação plena do Programa Nacional de Produção de Cereais que prevê para 2012 atingir-se um total de 3.1 milhões de toneladas, dos quais mil toneladas de milho e 309 mil toneladas de arroz. NOTÍCIAS DE PORTUGAL ARRANCA A 1ª FASE DO PROGRAMA REVITALIZAR GOVERNO ANUNCIA AS 10 PRIMEIRAS MEDIDAS QUE DÃO NOVO ENQUADRAMENTO LEGAL À REVITALIZAÇÃO DE EMPRESAS VIÁVEIS Foi anunciado um conjunto de instrumentos legais e financeiros, integrados no novo Programa Revitalizar, que irá ajudar a implementar a nova estratégia para criar um ambiente mais favorável à revitalização de empresas viáveis, e evitar a sua progressiva degradação financeira. As 10 primeiras medidas, algumas já em aplicação, outras em fase de implementação deverão permitir evitar a insolvência e a liquidação como a única alternativa possível a empresas em situação difícil. Assim, a Ministra da Justiça apresentou medidas fiscais, medidas legislativas e financeiras. As três medidas de cariz fiscal, atualmente em implementação, são as seguintes: Possibilidade de deduzir via IRC os prejuízos fiscais gerados durante exercícios de menor atividade económica ao longo de um período mais alargado (5 anos em vez de 4 anos); Prorrogar a vigência do regime fiscal (IRC) do benefício à criação líquida de emprego para jovens e para desempregados de longa duração Simplificar e agilizar o mecanismo de restituição do IVA nas exportações através da criação do Certificado Comprovativo de Exportação. Relativamente às outras oito medidas, foi anunciada: A harmonização de regras de regularização de dívidas de empresas para com as entidades do Estado, de que já é exemplo o alargamento do regime prestacional do pagamento de dívidas fiscais até ao máximo de 150 prestações, sem necessidade de apresentação prévia de garantia nem de substituição da administração da empresa; A criação de Fundos de Revitalização e Expansão Empresarial de base regional e orientados para PME; A reestruturação do setor público de capital de risco; A intervenção operacional direta em situações de crise empresarial tentando-se mobilizar, sempre que possível, os instrumentos públicos e privados disponíveis no mercado; A revisão do Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas (CIRE), que passou a prever o novo Processo Especial de Revitalização (PER); A aprovação do Sistema de Recuperação de Empresas por Via Extrajudicial (SIREVE) que permitirá às empresas regularizarem os compromissos assumidos para com os seus credores, assegurando a estabilização da sua situação financeira; A revisão do enquadramento legal dos Administradores de Insolvência. RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE MINISTROS N.º11/2012, DE 3 DE FEVEREIRO CESSAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO VÃO MUDAR AS REGRAS APLICÁVEIS AOS DESPEDIMENTOS Esperam-se para breve alterações ao regime de cessação do contrato de trabalho por motivos objetivos, por via da proposta de lei que aguarda aprovação no Parlamento, relativa ao Código do Trabalho. Esta proposta modifica o regime legal dos despedimentos por motivos objetivos, bem como nas compensações devidas em caso de cessação de contrato de trabalho e as regras de fiscalização envolvendo a Autoridade para as Condições de Trabalho. Outras medidas respeitam à flexibilização do tempo de trabalho, ao despedimento por motivos objetivos e aos instrumentos de regulamentação coletiva. CESSAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO POR MOTIVOS OBJETIVOS Esta proposta modifica o regime legal dos despedimentos por motivos objetivos, bem como nas compensações devidas em caso de cessação de contrato de trabalho. No que concerne ao despedimento por extinção do posto de trabalho, é transferido para o empregador a responsabilidade pela definição de um critério para a determinação do trabalhador atingido pela extinção do posto de trabalho, sempre que haja uma pluralidade de postos de trabalho com conteúdo funcional idêntico, impondo-lhe, contudo, a obrigação de adotar um critério relevante e não discriminatório, sob pena de ilicitude do despedimento. É eliminada a obrigação de colocar o trabalhador em posto compatível com a sua categoria profissional. Ao trabalhador deverá ainda ser proporcionada formação profissional adequada, dispondo, na sequência da mesma, de um período não inferior a trinta dias com vista à modificação da sua prestação. O trabalhador terá direito a denunciar o seu contrato de trabalho e de receber a respetiva compensação, desde que recebe a comunicação do empregador. No domínio das compensações por cessação do contrato de trabalho, é proposto um regime imperativo (que se sobrepõe aos estabelecido instrumentos de regulamentação coletiva de trabalho anteriores que contenham valores superiores) em que, para efeitos de cálculo da compensação devida, o período de tempo decorrido até 31 de outubro de 2012 reger-se-á pelas disposições do Código do Trabalho, na redação publicada em fevereiro de 2009, sendo os novos valores apenas aplicáveis a partir desse momento: Caso o montante da compensação a que o trabalhador tem direito até 31 de outubro de 2012 exceda 12 retribuições base e diuturnidades, ou 240 retribuições mínimas mensais garantidas, o trabalhador terá direito a esse montante, não sendo considerado para efeito do cálculo do valor total da compensação o período posterior a 1 de novembro de 2012; Se o valor apurado até 31 de outubro de 2012 não exceda aquele limite de 12 retribuições base e diuturnidades, ou 240 retribuições mínimas mensais garantidas, ao mesmo acrescerá o montante que resultar da aplicação dos critérios estabelecidos a partir de 1 de novembro de 2012, não podendo, contudo, o total da compensação exceder o referido limite de 12 retribuições base e diuturnidades, ou 240 retribuições mínimas mensais garantidas. FISCALIZAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO

6 Relativamente ao despedimento por inadaptação é previsto que seja permitido mesmo nas situações laborais em que não tenham sido introduzidas modificações no posto de trabalho, desde que exista uma modificação substancial da prestação do trabalhador, da qual resulte, nomeadamente, uma redução continuada da produtividade ou da qualidade, avarias repetidas nos meios afetos ao posto de trabalho ou riscos para a segurança e saúde do trabalhador, de outros trabalhadores ou de terceiros. O despedimento poderá ainda ter lugar na inadaptação por incumprimento de objetivos previamente acordados em caso de inexistência de modificações no posto de trabalho, mantendo-se a atual restrição para os cargos de complexidade técnica ou de direção. Neste âmbito, a proposta prevê que os empregadores deixam de estar obrigados a enviar para a Autoridade para as Condições de Trabalho o regulamento de empresa, o mapa de horário de trabalho, e o acordo de isenção de horário. Por outro lado, o conteúdo das comunicações antes do início da atividade da empresa ou em caso de alteração é aligeirado e passa a estar previsto o deferimento tácito do requerimento de redução ou exclusão do intervalo de descanso. É imposto um procedimento segundo o qual, o empregador terá sempre de informar o trabalhador da apreciação da atividade antes prestada, com uma descrição circunstanciada dos factos, demonstrativa da referida modificação substancial da sua prestação, podendo este pronunciar-se sobre este facto nos cinco dias úteis posteriores à receção desta comunicação. PROPOSTA DE LEI N.º46/XII, DE 9 DE FEVEREIRO DE 2012, QUE PROCEDE À TERCEIRA REVISÃO DO CÓDIGO DO TRABALHO CÓDIGO DO TRABALHO AGENDA FISCAL ANGOLANA IMPOSTO INDUSTRIAL Grupo A e Grupo C - até dia 28, pagamento provisório relativo à 2ª Prestação. Tributação das empreitadas (Lei n.º7/97, de 10-10) - pagamento do imposto retido relativo ao mês anterior IMPOSTO S/ OS RENDIMENTOS DO TRABALHO Conta de Outrem - até dia 28 apresentação do DLI, e pagamento do Imposto retido na fonte, no mês anterior IMPOSTO DE CONSUMO Até dia 28, apresentação da Declaração Modelo D, e pagamento do Imposto relativo ao volume de operações do mês anterior. IMPOSTO DE SELO Até dia 28, apresentação do DLI e pagamento do imposto relativo às vendas do mês anterior. LEGISLAÇÃO ANGOLANA DR Nº 5 (Caderno Principal) de Despacho nº 20 Prorroga por um período de 3 anos o mandato de Fernando Beatriz e Jean- Dubien Ngoma nos respectivos cargos. Despacho nº 19 Nomeia Maria da Conceição Godinho de Carvalho e Justino Afonso, para as respectivas funções. Despacho nº 18 Exonera Maria da Conceição Godinho de Carvalho, do cargo de Chefe da 1.ª Repartição Fiscal de Luanda. Decreto Presidencial nº 2 Aprova o Plano de Desenvolvimento da Província da Huíla, anexo ao presente Diploma e que dele é parte integrante. Despacho Presidencial nº 120 com capacidade de 40 MW, no Bairro do Benfica, na Cidade de Luanda. Despacho Presidencial nº 119 Aprova o projecto para o fornecimento e montagem de uma central térmica com capacidade de 40 MW, na Cidade do Lubango, Zona Industrial. Despacho Presidencial nº 118 com capacidade de 30 MW, na Cidade do Dundo. Despacho Presidencial nº 117 Aprova o projecto de reparação e conclusão da barragem do Calueque, incluindo uma central de bombagem e condutas para o abastecimento de água para irrigação do lado angolano. Despacho Presidencial nº 116

7 DR Nº 4 (Caderno Principal) de Decreto executivo nº 15 Cria na Universidade Técnica de Angola cursos que conferem o Grau de Licenciatura e aprova os respectivos planos de estudo. Decreto executivo nº 14 Cria no Instituto Superior de Ciências Sociais e Relações Internacionais, o curso que confere o Grau de Licenciatura em Psicologia Clínica e aprova o respectivo plano de estudo. Decreto executivo nº 13 Institui o Cartório Privativo do Gabinete de Gestão do Pólo de Desenvolvimento Turístico do Futungo de Belas e do Mussulo. Despacho Presidencial nº 1 Aprova o projecto de "Alteamento da Barragem e Construção do Novo Vertedouro Lateral do Aproveitamento Hidroeléctrico de Cambambe". DR Nº 3 (Caderno Principal) de Despacho nº 17 Nomeia definitivamente Diogo Francisco Adão, Espírito Santos Miguel Laurentino da Silva, Elsa Fernanda Tchiangala, Francisco Quissanga, Odete Cláudia Chinate e Maria Florinda da Costa Fernandes para as respectivas categorias. Despacho nº 16 Cria a Comissão de Avaliação de desempenho deste Ministério. Despacho nº 15 Prorroga o período de cobrança da Taxa de Circulação e Fiscalização de Trânsito para o ano de Despacho nº 14 Exonera Bernardo Pataca e Armindo Sá Major dos respectivos cargos. Despacho nº 13 Reenquadra Esperança Francisco da Silva com a categoria de Aspirante neste Ministério. Despacho nº 12 Promove José Cabalo Tanga à categoria de Assessor Principal. Decreto executivo nº 12 Cria na Região Aduaneira de Luanda, a Delegação Aduaneira junto da Zona Económica Especial Luanda - Bengo. Decreto executivo nº 11 Aprova o Regulamento Interno do Gabinete Técnico para o Sector Empresarial Público. Decreto executivo nº 10 Aprova o Regulamento Interno do Gabinete Técnico de Apoio às Parcerias Público Privadas. Aprova o Projecto para o reforço provisório da alimentação eléctrica da Cidade de Benguela. Despacho Presidencial nº 115 Aprova o projecto para o fornecimento e montagem de uma central térmica com capacidade de 10 MW, no Xitoto, na Cidade do Namibe. Despacho Presidencial nº 114 com capacidade de 10 MW, na Cidade do Menongue. Despacho Presidencial nº 113 com capacidade de 20 MW, no Cavaco, na Província de Benguela. Despacho Presidencial nº 112 Aprova o Projecto para fornecimento e montagem de uma central térmica com capacidade de 15 MW do Benfica, na Cidade do Huambo. Despacho Presidencial nº 111 com capacidade de 10 MW, na Cidade de Ondjiva. Despacho Presidencial nº 110 com capacidade de 40 MW, anexa à Subestação existente na Cidade do Lubango. Despacho Presidencial nº 109 Aprova o Projecto e empreitada para instalação de 2 (duas) turbinas, na Central Térmica da Quileva. Despacho Presidencial nº 108 Aprova o Projecto de Construção da linha de transporte de energia eléctrica de 220KV Cacuaco-Boavista, ampliação da subestação de Cacuaco e subestação da Boavista. Decreto Presidencial nº 320 Aprova as regras anuais de execução do Orçamento Geral do Estado. Decreto Presidencial nº 319 Autoriza a importação de um contingente de pescado carapau em condições de isenção de direitos aduaneiros. Decreto Presidencial nº 318 Estabelece tolerância de ponto em todo o território nacional no dia 2 de Janeiro de Decreto Presidencial nº 317 Aprova medidas de gestão das pescarias marinhas, da pesca continental e da aquicultura para o ano 2012, constantes do anexo ao presente Decreto Presidencial do qual são parte integrante. Decreto Presidencial nº 316 Nomeia o Conselho de Administração da ENDIAMA-E.P. DR Nº 251 (Caderno Principal) de Decreto executivo nº 9 Aprova o Regulamento Interno do Gabinete de Intercâmbio Nacional. Decreto executivo nº 8 Aprova o Regulamento Interno do Gabinete Jurídico. Decreto executivo nº 7 Aprova o Regulamento Interno da Secretaria Geral. Decreto executivo nº 6 Aprova o Regulamento interno do Gabinete do Ministro. DR Nº 2 (Caderno Principal) de Despacho nº 11 Da por finda a comissão de serviço de Isabel Francisco Barros. Decreto executivo nº 5 Cria o Hospital Municipal de Camabatela na Província do Kwanza-Norte. Decreto executivo nº 4 Aprova o regulamento interno do Conselho Consultivo do Ministério da Saúde, anexo ao presente decreto executivo, do qual é parte integrante. Decreto executivo nº 3 Aprova o regulamento interno do Conselho Directivo do Ministério da Saúde, anexo ao presente Decreto Executivo e que dele faz parte integrante. Decreto Presidencial nº 1 Aprova a Implementação de Medidas sobre a Subvenção aos Preços dos Combustíveis Derivados do Petróleo Bruto. Revoga o Protocolo celebrado entre o Governo de Angola e a Fina Petróleos de Angola, SARL, em 24 de Janeiro de 1985 e todas as disposições legais que contrariem o disposto no presente Decreto Presidencial. DR Nº 1 (Caderno Principal) de Despacho nº 10

8 Levanta a proibição de entrada no País de aves vivas, material genético, produtos e sub-produtos de origem animal da espécie de aves provenientes da República da África do Sul, imposta nos termos do Despacho n.º 134/11, de 6 de Maio de Despacho nº 9 Levanta a proibição de entrada no País de animais vivos, material genético, produtos e sub-produtos de origens animal das espécies biunguladas a partir da República da África do Sul, imposto nos termos do Despacho n.º 133/11, de 6 de Maio. Despacho nº 8 Nomeia Maria da Conceição Teixeira, Rosa Maria da Paixão Almeida Lopes, Ana Bela Marques, Eridson dos Santos Canjongo Saquenha, José Domingos Justino Sebastião, Francisco João Bento Júnior, Ermelinda da Conceição Caliengue, Santos Felix Pedro, Elsa Hermínia Alba Dóris dos Anjos Gaspar, António Fragoso dos Santos, Lúcia Domingos Zua Sabi, Paulina Lúcia Essuvi, Manuel Daniel Capanga e Mariana João Policarpo Miguel, para os respectivos cargos. Despacho nº 7 Dá por finda a comissão ordinária de serviço que Pedro Sachova, Capitão Cabonde e João Lopes Cabral, vinham exercendo neste Ministério. Despacho nº 6 Transfere Armindo Adão Jorge do Instituto de Investigação Veterinária da Província do Huambo, para o Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística deste Ministério. Despacho nº 5 Demite António Correia Tembo da categoria de Técnico Médio de 3.ªClasse. Despacho nº 4 Cede Dina Maria Rodrigues Francisco do Rosário Neto, para a Sociedade de Desenvolvimento dos Perímetros Irrigados, S.A.. Despacho nº 3 Indigita Maria António Nelumba, para assinar em nome deste Ministério, o contrato de empreitada para a conclusão da construção dos Centros de Apoio a Pesca Artesanal, com a ENTEK -Construção Civil e Obras Públicas Lda. Despacho nº 2 Constitui a Comissão de Avaliação do Concurso Público visando dotar o Ministério da Economia de um modelo operacional que permita o desempenho com eficiência e eficácia, das tarefas que lhe são atribuídas pelo Decreto Presidencial n.º273/11, de 27 de Outubro. Despacho conjunto nº 1 Constitui os Grupos Técnicos para procederem ao apuramento e à validação das dívidas de pensões a que são beneficiários os antigos combatentes. Decreto executivo nº 2 Cria no Instituto Superior de Ciências da Educação de Luanda, o curso de Pós-Graduação Académica que confere o Grau de Mestre e aprova os planos de estudo do curso criado. Decreto executivo nº 1 Aprova o Calendário Académico referente ao ano de DR Nº 250 (Caderno Principal) de Lei nº37 Lei do Orçamento Geral do Estado para o Exercício Económico de DR Nº 252 (Caderno Principal) de Despacho Presidencial nº 130 Aprova o Projecto de concessão e construção dos novos sistemas de abastecimento de água de Caxito e Porto Kipiri. Despacho Presidencial nº 129 Aprova o Projecto de implantação dos sistemas de compensação de potência reactiva e controlo de tensão no sistema de transmissão de energia eléctrica 400 KV Capanda-Viana e 220 KV Lucala-Maquela do Zombo. Despacho Presidencial nº 128 Aprova o Projecto para a reabilitação das turbinas e gás GT1, GT2 e GT3 da central térmica do Cazenga. Despacho Presidencial nº 127 Aprova o Projecto de construção da LT 220 KV SE da Camama -SE do Morro Bento e construção da Subestação 220 KV do Morro Bento e ampliação da SE da Camama. Despacho Presidencial nº 126 Aprova o Projecto de fiscalização do alteamento da barragem e construção do novo vertedouro lateral do AH de Cambambe. Despacho nº 1073 Transfere Natacha Josefina de Carvalho Cardoso da Costa, da Delegação Provincial de Finanças do Kwanza-Sul para a Direcção Nacional de Impostos, deste Ministério. Despacho nº 1072 Transfere Dalva Maurícia Calombo Ringote, da Unidade de Gestão da Dívida Pública para a Direcção do Orçamento dos Órgãos de Soberania e da Administração Central, deste Ministério. Despacho nº 1071 Transfere Luciano Pedro Ferreira da Repartição Fiscal do Andulo para a Repartição Fiscal de Caxito. Despacho nº 1070 Rescinde o Contrato Administrativo de Provimento, celebrado entre o Ministério das Finanças e João Francisco António. Despacho nº 1069 Aprova a actualização dos valores base, dos prédios urbanos, constantes das tabelas de avaliação aprovadas pelo Decreto Presidencial n.º81/11, de 25 de Abril. Despacho nº 1068 Nomeia Pedro Adriano da Silva, para exercer o cargo de oficial de campo do General Eduardo de Almeida Peneira Martins. Despacho nº 1067 Nomeia Abel Veiga Félix, para o cargo de Chefe da Repartição Administrativa da Direcção Nacional de Telecomunicações e Tecnologias de Informação. Despacho nº 1066 Nomeia Cláudio Eidner Loureiro Clementino, para exercer o cargo de Adjunto Técnico da Direcção Nacional de Telecomunicações e Tecnologias de Informação. Despacho nº 1065 Nomeia Manuel Domingos da Gama, para exercer o cargo de Chefe do Gabinete Jurídico da Aerovia/ E.P. Despacho nº 1064 Exonera Miguel Inácio Zambeze, do cargo de Adido de Defesa Adjunto na Chancelaria de Defesa, junto da Embaixada da República de Angola na República da Zâmbia. Despacho nº 1063 Nomeia Manuel João Malua, Luís Culaia, Fonseca João dos Santos, Jorge José Francisco e Delmiro de Jesus Peixoto Gonçalves, para os respectivos cargos. Despacho nº 1062 Nomeia José Moreno Pereira da Gama, para exercer o cargo de Assistente no Gabinete do Presidente da República. Decreto executivo nº 198 Autoriza a prorrogação da Fase inicial do Período de Pesquisa do contrato de partilha de produção do Bloco 17/06, por um período de 2 (dois) anos, a partir de 2 de Dezembro de Despacho Presidencial nº 107 Aprova a contratação do financiamento referente ao Contrato Comercial para Construção do Edifício do Museu da Ciência e Tecnologia. Decreto Presidencial nº 315 Nomeia o Conselho de Administração da Sonangol. Decreto Presidencial nº 314 Estabelece o período de 5 de Janeiro à 15 de Abril de 2012, para o Registo e Actualização do Registo Eleitoral em todo o Território Nacional. Decreto Legislativo Presidencial nº 4 Prorroga o prazo para importação e descarga do pescado carapau previsto no artigo 1.ºdo Decreto Legislativo Presidencial n.º1/11, de 4 de Março. Resolução nº 35 Aprova o reajustamento do vencimento-base do Presidente e dos Deputados da Assembleia Nacional. Lei nº39 De alteração à Lei n.º 17/10, 29 de Julho - Lei da Organização e Funcionamentos dos Órgãos da Administração Local do Estado. Lei nº38 Cria os Parques Nacionais de Luengue-Lulana, de Maviuga e Mayombe - Revoga toda a legislação que contraria a presente lei. Nota Por ter havido lapso de redacção Foi publicado no Diário da República, I Série n.º 163, de 25 de Agosto do corrente ano o Despacho n.º 580/11. Assim, onde se lê Despacho n.º 580/11 deve se ler Decreto Executivo n.º 127-A/11. (*) (*) Nota da Angolegal: Este diploma não contém texto integral. DR Nº 249 (Caderno Principal) de Despacho Presidencial nº 125 Aprova o Projecto para fornecimento e montagem de 2 (duas) centrais eléctricas termodiesel ( ) MW, tipo PPS, com grupos Hyundai. Despacho Presidencial nº 124 com capacidade de 40 MW, no Rocha Pinto, em Luanda. Despacho Presidencial nº 123 Aprova o Projecto para fornecimento e montagem de uma central térmica com capacidade de 120 MW, nos Caminhos de Ferro de Luanda. Despacho Presidencial nº 122

9 Aprova o projecto para a reabilitação da GTG da Central Térmica do Biópio. Despacho Presidencial nº 121 com capacidade de 10 MW, na Zona do Aeroporto, na Cidade do Namibe. Despacho nº 1061 Subdelega competência ao Director do Instituto Angolano de Cinema e Audiovisual do Ministério da Cultura, Alfredo Pedro Ramalhoso, para assinar o protocolo de Parecer e Cooperação entre o Festival Internacional de Cinema de Luanda - FIC Luanda e o Festival de Cinema do Estado de Pernambuco - CINE PE. Despacho nº 1060 Nomeia Rufino Filipe Belo Artur para a categoria de Professor do 2.º Ciclo do Ensino Secundário. Despacho nº 1059 Nomeia Mariano Hungulo, e Pedro Mário Papagaio da Silva para os respectivos cargos. Despacho nº 1058 Concede Licença Registada a Esperança Miguel da Costa. Despacho nº 1057 Concede licença ilimitada a Olga Filipina Atanásio Miranda, e Virgínia Maria Alves Benchimol. Despacho nº 1056 Sanciona Ivo Damião da Cunha, com pena de demissão. Despacho nº 1055 Sanciona Domingos António Chiri, Ricardo Kinkani André Sebastião, António Viola André, Manuel Mike Siquila Congol, e Fernando Luís Teixeira, com pena de multa. Despacho nº 1054 Desvincula Manuel Domingos João, Teresa José Camilo Boy Magalhães, Miguel André Pinto, Constantino Zangui Gombe e Adriano Domingos Pedro, para efeitos de reforma. Despacho nº 1053 Exonera Francisco António de Figueiredo Júnior, e Mariano Hungulo os respectivos cargos. Despacho nº 1052 Nomeia António Fernandes Tomé Júnior, Branca Florença Bernardo, Elsa da Conceição dos Reis Borges, Luís Domingos, Miguel Simão Lopes e Vilula Juliana, para os respectivos cargos. Despacho nº 1051 Desvincula Tatiana Isadora Faria Serrão, a seu pedido, do quadro de pessoal deste Ministério. Despacho nº 1050 Exonera Tatiana Isadora Faria Serrão do cargo de Consultora Jurídica do Gabinete da Ministra do Comércio AVM Advogados Todos os direitos reservados

15-02-12 - Vão mudar regras aplicáveis aos despedimentos

15-02-12 - Vão mudar regras aplicáveis aos despedimentos 15-02-12 - Vão mudar regras aplicáveis aos despedimentos Esperam-se para breve alterações ao regime de cessação do contrato de trabalho por motivos objetivos, por via da proposta de lei que aguarda aprovação

Leia mais

Apresentação 8 de Fevereiro de 2012

Apresentação 8 de Fevereiro de 2012 Apresentação 8 de Fevereiro de 2012 Programa REVITALIZAR Apresentação Pública Lisboa, Ministério da Economia e do Emprego 8 Fevereiro 2012 O Programa REVITALIZAR é uma iniciativa do Governo que tem por

Leia mais

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO IRS DL 238/2006 E LEI 53-A/2006

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO IRS DL 238/2006 E LEI 53-A/2006 FISCAL E FINANÇAS LOCAIS NEWSLETTER RVR 2 Maio de 2007 ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO IRS DL 238/2006 E LEI 53-A/2006 Sandra Cristina Pinto spinto@rvr.pt O Decreto Lei nº 238/2006 e a Lei nº 53-A/2006, publicados

Leia mais

Benefícios Fiscais. Incentivos em regime contratual

Benefícios Fiscais. Incentivos em regime contratual Benefícios Fiscais O Estatuto dos Benefícios Fiscais consagra um conjunto de medidas de isenção e redução da carga fiscal para diversos tipos de projectos e investimentos. Os incentivos e benefícios fiscais

Leia mais

APOIOS AO EMPREGO. Açores. Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada

APOIOS AO EMPREGO. Açores. Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada APOIOS AO EMPREGO Açores Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada Índice EMPREGO INTEGRA... 2 PROGRAMA DE INCENTIVO À INSERÇÃO DO ESTAGIAR L E T... 4 ESTAGIAR... 6 PROGRAMA DE ESTÁGIOS DE RECONVERSÃO

Leia mais

Aspetos legislativos, no domínio sócio-laboral

Aspetos legislativos, no domínio sócio-laboral Aspetos legislativos, no domínio sócio-laboral Lei n.º 53/2011, de 14 de outubro, que procede à segunda alteração ao Código do Trabalho, aprovado em anexo à Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro, estabelecendo

Leia mais

COMUNICADO DE IMPRENSA

COMUNICADO DE IMPRENSA COMUNICADO DE IMPRENSA O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, presidiu hoje, no Palácio Presidencial da Cidade Alta, à reunião do Sector Produtivo, que tinha na sua agenda o relatório das

Leia mais

DESTAQUES LEGISLATIVOS JUNHO 2014

DESTAQUES LEGISLATIVOS JUNHO 2014 ANGOLA DESTAQUES LEGISLATIVOS ECONOMIA DECRETO EXECUTIVO CONJUNTO N.º 157/14 MINISTÉRIOS DA ECONOMIA E DAS FINANÇAS Sumário: Aprova o Regulamento com os Procedimentos de Implementação e Monitorização dos

Leia mais

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO Agosto de 2012 Leis n. os 23/2012, de 25 de junho e 47/2012, de 29 de agosto TRABALHO DE MENORES Requisitos de admissão de menor a prestar trabalho no tocante

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

Rua Amílcar Cabral, LUANDA ANGOLA Tlm.: +244 931 169 381/380 geral@sme.ao www.sme.ao. Página 1/15

Rua Amílcar Cabral, LUANDA ANGOLA Tlm.: +244 931 169 381/380 geral@sme.ao www.sme.ao. Página 1/15 Decreto-Lei n.º 17/09 de 26 de Junho Regras e procedimentos a observar no recrutamento, integração, formação e desenvolvimento dos trabalhadores no sector petrolífero Página 1/15 Considerando que a formação

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME: ANGOLA

INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME: ANGOLA INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME: ANGOLA 12 de Junho de 2013 Índice REGIME DO INVESTIMENTO ESTRANGEIRO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA ESTRANGEIRA OU DE GESTÃO REGIME CAMBIAL SISTEMA FISCAL Regime

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ECONOMIA. Portaria n.º 1502/2002 de 14 de Dezembro

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ECONOMIA. Portaria n.º 1502/2002 de 14 de Dezembro MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ECONOMIA Portaria n.º 1502/2002 de 14 de Dezembro A Resolução do Conselho de Ministros n.º 103/2002, de 17 de Junho, publicada em 26 de Julho, que aprovou o PPCE - Programa

Leia mais

SIALM SISTEMA DE INCENTIVOS DE APOIO LOCAL A MICROEMPRESAS 1 SIALM SISTEMA DE INCENTIVOS DE APOIO LOCAL A MICROEMPRESAS

SIALM SISTEMA DE INCENTIVOS DE APOIO LOCAL A MICROEMPRESAS 1 SIALM SISTEMA DE INCENTIVOS DE APOIO LOCAL A MICROEMPRESAS 1 SIALM 2 OBJETIVO COMPLEMENTARIDADE O SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas foi criado pela Portaria n.º 68, de 15 de fevereiro, e enquadra-se no Programa Valorizar, estabelecido

Leia mais

Incentivos à contratação 2013

Incentivos à contratação 2013 Incentivos à contratação 2013 Conheça os principais apoios à contratação em vigor em 2013 Os incentivos de que as empresas podem usufruir quando contratam novos trabalhadores podem consistir em apoios

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 125/2014 de 4 de Agosto de 2014

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 125/2014 de 4 de Agosto de 2014 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 125/2014 de 4 de Agosto de 2014 Através da Resolução do Conselho de Governo n.º 97/2013, de 3 de outubro, foi criada a Linha de Apoio à Reabilitação

Leia mais

A Portaria 151/2014, de 30 de Julho, que cria o PROGRAMA INVESTE JOVEM Entrada em vigor: 29 de Setembro de 2014;

A Portaria 151/2014, de 30 de Julho, que cria o PROGRAMA INVESTE JOVEM Entrada em vigor: 29 de Setembro de 2014; 7 de Agosto 2014 Direito do Trabalho Em 24 e 30 de Julho de 2014 foram publicadas quatro Portarias com o objectivo de combater o desemprego, e sobretudo o desemprego jovem, a saber: A Portaria 149-A/2014,

Leia mais

LEI N.º /03. de de. Nestes termos, ao abrigo da alínea f) do artigo 90º da Lei Constitucional, a Assembleia Nacional aprova a seguinte:

LEI N.º /03. de de. Nestes termos, ao abrigo da alínea f) do artigo 90º da Lei Constitucional, a Assembleia Nacional aprova a seguinte: LEI N.º /03 de de A existência de uma Lei Geral Tributária é hoje corrente em muitos Estados, representando um instrumento de racionalização, de estruturação e de estabilidade dos sistemas tributários.

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 27/2012 de 7 de Março de 2012

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 27/2012 de 7 de Março de 2012 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 27/2012 de 7 de Março de 2012 Considerando a persistente instabilidade dos mercados financeiros nacionais e internacionais e as dificuldades

Leia mais

É criado um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior que se rege pelo disposto no presente diploma.

É criado um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior que se rege pelo disposto no presente diploma. Decreto-Lei N.º 512/99 De 24 de Novembro Cria um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior A Lei n.º 113/97, de 16 de Setembro - Lei de Bases do Financiamento do Ensino Superior Público

Leia mais

DESTAQUES LEGISLATIVOS OUTUBRO 2014

DESTAQUES LEGISLATIVOS OUTUBRO 2014 ANGOLA DESTAQUES LEGISLATIVOS BANCÁRIO E FINANCEIRO DESPACHO PRESIDENCIAL N.º 189/14 PRESIDENTE DA REPÚBLICA Sumário: Autoriza a celebração dos Acordos de Financiamento entre a TAAG Linhas Aéreas de Angola,

Leia mais

Alterações ao Código do Trabalho A partir de 1 de Agosto de 2012

Alterações ao Código do Trabalho A partir de 1 de Agosto de 2012 Alterações ao Código do Trabalho A partir de 1 de Agosto de 2012 A Lei nº 23/2012, de 25 de Junho procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro. Principais

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 96/2013 de 3 de Outubro de 2013

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 96/2013 de 3 de Outubro de 2013 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 96/2013 de 3 de Outubro de 2013 Considerando a necessidade do Governo dos Açores continuar a potenciar a competitividade e crescimento sustentado

Leia mais

I.Estágios/Passaporte Emprego Portaria n.º 225-A/2012, de 31 de julho.

I.Estágios/Passaporte Emprego Portaria n.º 225-A/2012, de 31 de julho. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 51-A/2012, de 14 de junho, veio criar o Plano Estratégico de Iniciativas de Promoção de Empregabilidade Jovem e Apoio às PME s («Impulso Jovem»), que assenta em

Leia mais

C I R C U L AR. Seca 2012 - Linha de Crédito de Apoio à Alimentação Animal. Continente INDICE

C I R C U L AR. Seca 2012 - Linha de Crédito de Apoio à Alimentação Animal. Continente INDICE CONSELHO DIRECTIVO C I R C U L AR CLASSIFICAÇÃO- DATA DE EMISSÃO: 09-04-2012 ENTRADA EM VIGOR: 10-04-2012 Âmbito: Continente INDICE 1. ÂMBITO E ENQUADRAMENTO LEGISLATIVO 2. INTERVENIENTES 3. BENEFICIÁRIOS

Leia mais

Faro, 2 de agosto de 2012

Faro, 2 de agosto de 2012 Faro, 2 de agosto de 2012 Estímulo 2012 A medida ativa de emprego Estímulo 2012, aprovada pela Portaria nº 45/2012, tem por objetivo: Apoiar a contratação de desempregados; Promovendo e aumentando a sua

Leia mais

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Trabalhadores Independentes

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Trabalhadores Independentes de Segurança Social Trabalhadores Independentes Ficha Técnica Autor: (DGSS) - Divisão dos Instrumentos Informativos - Direção de Serviços da Definição de Regimes Editor: DGSS Conceção Gráfica: DGSS / Direção

Leia mais

Alterações ao Código do Trabalho

Alterações ao Código do Trabalho São três as alterações: Lei nº 53/2011, de 14 de Outubro Primeira alteração, revogada (parcialmente) pela terceira alteração. Lei 3/2012, de 10 de Janeiro Segunda alteração, revogada (parcialmente) pela

Leia mais

Guia de Medidas de Apoio à Contratação

Guia de Medidas de Apoio à Contratação Guia de Medidas de Apoio à Contratação Incentivos financeiros e parafiscais de apoio à contratação Conteúdo do Guia Enquadramento Estágios Emprego Apoio à Contratação Via Reembolso da TSU Apoio à Contratação

Leia mais

Newsletter. Uma Rede de Vantagens. Ano 2 Número 3-2012

Newsletter. Uma Rede de Vantagens. Ano 2 Número 3-2012 Newsletter Ano 2 Número 3-2012 Uma Rede de Vantagens Vantagens globais para empresas únicas. É este o mote do Rede Gescar, um cartão de descontos pensado para as empresas e trabalhadores do concelho de

Leia mais

IV GOVERNO CONSTITUCIONAL PROPOSTA DE LEI N.º /2010 FUNDO FINANCEIRO IMOBILIÁRIO

IV GOVERNO CONSTITUCIONAL PROPOSTA DE LEI N.º /2010 FUNDO FINANCEIRO IMOBILIÁRIO IV GOVERNO CONSTITUCIONAL PROPOSTA DE LEI N.º /2010 DE DE FUNDO FINANCEIRO IMOBILIÁRIO A presente Lei cria o Fundo Financeiro Imobiliário e estabelece o respectivo regime jurídico. Os princípios de planeamento,

Leia mais

MODIFICAÇÕES MAIS RELEVANTES INTRODUZIDAS PELA NOVA LEI DO INVESTIMENTO PRIVADO

MODIFICAÇÕES MAIS RELEVANTES INTRODUZIDAS PELA NOVA LEI DO INVESTIMENTO PRIVADO MODIFICAÇÕES MAIS RELEVANTES INTRODUZIDAS PELA NOVA LEI DO INVESTIMENTO PRIVADO Sofia Vale Agosto de 2015 Foi publicada recentemente a nova Lei do Investimento Privado 1 (doravante A Nova LIP ), que contém

Leia mais

INICIATIVA PARA O INVESTIMENTO E EMPREGO

INICIATIVA PARA O INVESTIMENTO E EMPREGO FISCAL N.º 1/2009 JAN/FEV 2009 INICIATIVA PARA O INVESTIMENTO E EMPREGO Nuno Sampayo Ribeiro No Conselho de Ministros de 13 de Dezembro de 2008 foi aprovado um reforço do investimento público. O qual será

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 145 30 de julho de 2014 4027. Portaria n.º 151/2014

Diário da República, 1.ª série N.º 145 30 de julho de 2014 4027. Portaria n.º 151/2014 Diário da República, 1.ª série N.º 145 30 de julho de 2014 4027 Portaria n.º 151/2014 de 30 de julho O Governo tem vindo a desenvolver uma estratégia nacional de combate ao desemprego jovem assente numa

Leia mais

www.pwc.pt/tax FCT e FGCT Aspetos contabilísticos Carla Massa Aspetos fiscais Rodrigo Rabeca

www.pwc.pt/tax FCT e FGCT Aspetos contabilísticos Carla Massa Aspetos fiscais Rodrigo Rabeca www.pwc.pt/tax Aspetos contabilísticos Carla Massa Aspetos fiscais Rodrigo Rabeca Enquadramento da Lei nº. 70/2013 no âmbito da IAS 19 / NCRF 28 Remunerações no âmbito da IAS 19 / NCRF 28 Benefícios aos

Leia mais

Decreto-Lei n.º 27/2001, de 3 de Fevereiro, Regula o novo regime das contas poupançahabitação

Decreto-Lei n.º 27/2001, de 3 de Fevereiro, Regula o novo regime das contas poupançahabitação 1/7 Decreto-Lei n.º 27/2001, de 3 de Fevereiro, Regula o novo regime das contas poupançahabitação JusNet 259/2001 Link para o texto original no Jornal Oficial (DR N.º 29, Série I-A, 3 Fevereiro 2001; Data

Leia mais

( DR N.º 172, Série I 4 Setembro 2009 4 Setembro 2009 )

( DR N.º 172, Série I 4 Setembro 2009 4 Setembro 2009 ) LEGISLAÇÃO Portaria n.º 985/2009, de 4 de Setembro, Aprova a criação do Programa de Apoio ao Empreendimento e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE), a promover e executar pelo Instituto do Emprego e Formação

Leia mais

Estímulo Emprego. Promotores

Estímulo Emprego. Promotores Estímulo Emprego Apoio financeiro aos empregadores que celebrem contratos de trabalho a termo certo por prazo igual ou superior a 6 meses ou contratos de trabalho sem termo, a tempo completo ou a tempo

Leia mais

PSZ CONSULTING Dez 2014

PSZ CONSULTING Dez 2014 Incentivos Fiscais PSZ CONSULTING Dez 2014 Índice Índice... 1 1 Introdução... 3 2 RFAI... 3 2.1 O Que é?... 3 2.2 Beneficiários... 3 2.3 Condições de Acesso... 4 2.4 Despesas Elegíveis... 4 2.5 Taxas de

Leia mais

Acordo Especial de Cooperação no Domínio do Sector Eléctrico entre a República Popular de Moçambique e a República Portuguesa.

Acordo Especial de Cooperação no Domínio do Sector Eléctrico entre a República Popular de Moçambique e a República Portuguesa. Decreto n.º 87/79 de 20 de Agosto Acordo Especial de Cooperação no Domínio do Sector Eléctrico entre a República Portuguesa e a República Popular de Moçambique O Governo decreta, nos termos da alínea c)

Leia mais

Decreto-Lei n.º 261/91 de 25 de Julho

Decreto-Lei n.º 261/91 de 25 de Julho Decreto-Lei n.º 261/91 de 25 de Julho A partir de certa idade, a prestação de trabalho gera, progressivamente, maior tensão e cansaço físico, sobretudo quando o trabalhador revele dificuldade de adaptação

Leia mais

NELAG Núcleo de Empresários da Lagoa NEWSLETTER n.º5 25.Outubro.2013

NELAG Núcleo de Empresários da Lagoa NEWSLETTER n.º5 25.Outubro.2013 Boletim Informativo: - Calendário Fiscal Novembro e Dezembro - Novo Regime de Bens - Manual Regime Circulação de Bens em circulação para venda e consulta - Controlo Integrado de Roedores novas imposições

Leia mais

Volta de Apoio ao Emprego 2014

Volta de Apoio ao Emprego 2014 Volta de Apoio ao Emprego 2014 Apoios ao Empreendedorismo 1. Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) 2. Programa Investe Jovem 3.O Ninho de Empresas de Loulé 2014-10-23

Leia mais

TATIANA SERRÃO ASSOCIADA FBL ADVOGADOS ANGOLA

TATIANA SERRÃO ASSOCIADA FBL ADVOGADOS ANGOLA TATIANA SERRÃO ASSOCIADA FBL ADVOGADOS ANGOLA 3 a 5 de Julho de 2012 Hotel EPIC Sana Luanda Angola MÓDULO I - ENQUADRAMENTO LEGAL, ÚLTIMOS DESENVOLVIMENTOS E TENDÊNCIAS FUTURAS: REFORMA FISCAL Índice 1.

Leia mais

NEWSLETTER I FISCAL. NEWSLETTER FISCAL I Março, 2014. I Legislação Nacional 2. II Instruções Administrativas 3. III Jurisprudência Europeia 5

NEWSLETTER I FISCAL. NEWSLETTER FISCAL I Março, 2014. I Legislação Nacional 2. II Instruções Administrativas 3. III Jurisprudência Europeia 5 NEWSLETTER I FISCAL NEWSLETTER FISCAL I Março, 2014 I Legislação Nacional 2 II Instruções Administrativas 3 III Jurisprudência Europeia 5 IV Jurisprudência Nacional 7 V Outras informações 8 NEWSLETTER

Leia mais

Lei sobre os Incentivos Fiscais e Aduaneiros ao Investimento Privado. LEI No.17/03 de 25 de JULHO

Lei sobre os Incentivos Fiscais e Aduaneiros ao Investimento Privado. LEI No.17/03 de 25 de JULHO Lei sobre os Incentivos Fiscais e Aduaneiros ao Investimento Privado LEI No.17/03 de 25 de JULHO Artigo 1.º Âmbito da aplicação A presente lei regula os procedimentos, os tipos e modalidades de concessão

Leia mais

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL 3954-(2) Diário da República, 1.ª série N.º 141 24 de julho de 2014 MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL Portaria n.º 149-A/2014 de 24 de julho O Governo considera prioritário a continuação

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego. Leiria 19.09.2014

Medidas Ativas de Emprego. Leiria 19.09.2014 Medidas Ativas de Emprego Leiria 19.09.2014 Formação em TÉCNICAS DE PROCURA DE EMPREGO Formação VIDA ATIVA GARANTIA JOVEM MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO: Apoios à contratação Estágios Emprego Emprego Jovem

Leia mais

Empreendedorismo: Experiências de Angola

Empreendedorismo: Experiências de Angola Empreendedorismo: Experiências de Angola Globalização Resulta Redução do emprego formal Esbarra Visão Empreendedora Exige Necessidade de mudança Mecanismos de Incentivo ao Empreendedorismo Programas do

Leia mais

Apoios às s Empresas do Sector do Turismo. Portugal

Apoios às s Empresas do Sector do Turismo. Portugal Apoios às s Empresas do Sector do Turismo ÍNDICE 2 Linha de apoio à qualificação da oferta Linha de apoio à tesouraria Carência de capital Linhas PME CRESCIMENTO 2013 MECANISMOS DE APOIO AO SECTOR DO TURISMO

Leia mais

Legislação MINISTÉRIO DAS FINANÇAS - GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO DOS ASSUNTOS FISCAIS. Despacho normativo n.º 17/2014, de 26 de dezembro

Legislação MINISTÉRIO DAS FINANÇAS - GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO DOS ASSUNTOS FISCAIS. Despacho normativo n.º 17/2014, de 26 de dezembro Legislação Diploma Despacho normativo n.º 17/2014, de 26 de dezembro Estado: vigente Resumo: Despacho Normativo que altera o Despacho Normativo nº 18-A/2010, de 1 de julho. Publicação: Diário da República

Leia mais

Decreto-Lei n.º 168/2007, de 3 de Maio, Aprova a orgânica do Instituto Português da Juventude, I. P (JusNet 1078/2007)

Decreto-Lei n.º 168/2007, de 3 de Maio, Aprova a orgânica do Instituto Português da Juventude, I. P (JusNet 1078/2007) LEGISLAÇÃO Decreto-Lei n.º 168/2007, de 3 de Maio, Aprova a orgânica do Instituto Português da Juventude, I. P (JusNet 1078/2007) ( DR N.º 85, Série I 3 Maio 2007 3 Maio 2007 ) Emissor: Presidência do

Leia mais

Albufeira, 24 de Maio de 2012

Albufeira, 24 de Maio de 2012 Albufeira, 24 de Maio de 2012 Estímulo 2012 A medida ativa de emprego Estímulo 2012, aprovada pela Portaria nº 45/2012, tem por objetivo: Apoiar a contratação de desempregados; Promovendo e aumentando

Leia mais

Contratação. Contrato de trabalho

Contratação. Contrato de trabalho Contratação Contrato de trabalho O contrato de trabalho pode ser escrito ou verbal. Contudo, os seguintes contratos têm de ser reduzidos a escrito: Contrato de trabalho com trabalhador estrangeiro (exceto

Leia mais

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas PME Investe VI Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas Objectivos Esta Linha de Crédito visa facilitar o acesso ao crédito por parte das micro e pequenas empresas de todos os sectores de actividade,

Leia mais

Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto *

Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto * Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto * Nos termos da Resolução do Conselho de Ministros n.º 103/2002, de 26 de Julho, que aprovou o Programa para a Produtividade e o Crescimento da Economia, foi delineado

Leia mais

CONSELHO DE MINISTROS. DECRETO Nº 76/05 De 12 DE OUTUBRO

CONSELHO DE MINISTROS. DECRETO Nº 76/05 De 12 DE OUTUBRO REPÚBLICA DE ANGOLA CONSELHO DE MINISTROS DECRETO Nº 76/05 De 12 DE OUTUBRO Considerando que a velhice é uma das modalidades fundamentais da protecção social obrigatória, conforme vem referido no artigo

Leia mais

PROPOSTA CONJUNTA IEFP- CASES PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO

PROPOSTA CONJUNTA IEFP- CASES PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO PROPOSTA CONJUNTA IEFP- CASES PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO CONSIDERANDO: A Portaria n^ 985/2009, de 4 de Setembro, criou o Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE),

Leia mais

www.juristep.com Lei n.º 7/2008, de 27 de Agosto

www.juristep.com Lei n.º 7/2008, de 27 de Agosto Lei n.º 7/2008, de 27 de Agosto CÓDIGO DE INVESTIMENTOS Este texto tem carácter meramente informativo e não dispensa a consulta dos diplomas originais, conforme publicados no Diário da República. Quando

Leia mais

Projeto de Alteração ao Regulamento do Programa de Apoio ao Investimento Nota Justificativa

Projeto de Alteração ao Regulamento do Programa de Apoio ao Investimento Nota Justificativa Projeto de Alteração ao Regulamento do Programa de Apoio ao Investimento Nota Justificativa O Regulamento do Programa de Apoio ao Investimento entrou em vigor a 15/01/2015, após aprovação pela Câmara Municipal

Leia mais

Lei n.º 85/98 de 18 de Dezembro. Estatuto Fiscal Cooperativo (EFC)

Lei n.º 85/98 de 18 de Dezembro. Estatuto Fiscal Cooperativo (EFC) Lei n.º 85/98 de 18 de Dezembro Estatuto Fiscal Cooperativo (EFC) A Assembleia da República decreta, nos termos dos artigos 161.º, alínea c), 166.º, n.º 3, e 112.º, n.º 5, da Constituição, para valer como

Leia mais

Decreto-Lei n.º 142/99 de 30 de Abril

Decreto-Lei n.º 142/99 de 30 de Abril Decreto-Lei n.º 142/99 de 30 de Abril A Lei n.º 100/97, de 13 de Setembro, estabelece a criação de um fundo, dotado de autonomia financeira e administrativa, no âmbito dos acidentes de trabalho. O presente

Leia mais

O Partido Socialista votou na generalidade, e votará, na votação final global, contra a proposta de Orçamento de Estado para 2015

O Partido Socialista votou na generalidade, e votará, na votação final global, contra a proposta de Orçamento de Estado para 2015 O Partido Socialista votou na generalidade, e votará, na votação final global, contra a proposta de Orçamento de Estado para 2015 Esta é uma proposta de Orçamento de fim de ciclo político e sem rumo, à

Leia mais

Linha de Crédito PME Investe III

Linha de Crédito PME Investe III Linha de Crédito PME Investe III Condições e Procedimentos I - CONDIÇÕES GERAIS DA LINHA DE CRÉDITO 1. Beneficiários: empresas localizadas nas regiões do Continente, salvo quanto à Linha Específica para

Leia mais

QUADRO RESUMO INCENTIVOS Á CRIAÇÃO DE POSTOS DE TRABALHO

QUADRO RESUMO INCENTIVOS Á CRIAÇÃO DE POSTOS DE TRABALHO Medida Contratação via Reembolso TSU Portaria nº 204-A/2013 de 18 de Junho Estágio Emprego Portaria nº 204-B/2013 de 18 de Junho Jovens idades 18-30 anos Adultos idade = ou > 45 anos Adultos idades 31

Leia mais

A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA

A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA CONFERÊNCIA PROFISSIONAL A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO ANGOLANA 2015 QUEM GANHA E QUEM PERDE? Actualize-se, através de um dos Melhores Especialistas, acerca do Novo

Leia mais

JORNAL OFICIAL. 2.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 14 de outubro de 2015. Série. Número 158

JORNAL OFICIAL. 2.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 14 de outubro de 2015. Série. Número 158 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 14 de outubro de 2015 Série 2.º Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS Portaria n.º 191/2015 Regulamenta o Programa

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIALM / 2013

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIALM / 2013 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIALM / 2013 SISTEMA DE INCENTIVOS DE APOIO LOCAL A MICROEMPRESAS (SIALM) Nos termos do Regulamento do Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas

Leia mais

652 Diário da República, 1.ª série N.º 21 30 de Janeiro de 2009

652 Diário da República, 1.ª série N.º 21 30 de Janeiro de 2009 652 Diário da República, 1.ª série N.º 21 30 de Janeiro de 2009 Profissional, I. P., ou de outras entidades com competências para o efeito. Artigo 18.º Frequência de segundo estágio Os desempregados que

Leia mais

Linha de Crédito Açores Investe Condições e Procedimentos

Linha de Crédito Açores Investe Condições e Procedimentos Linha de Crédito Açores Investe Condições e Procedimentos 1. Beneficiários: 1.1 Empresas com sede na Região Autónoma dos Açores, que desenvolvam actividade enquadrada na lista de CAE s abaixo mencionadas,

Leia mais

NEWSLETTER FISCAL Setembro 2012. Alterações Fiscais Relevantes

NEWSLETTER FISCAL Setembro 2012. Alterações Fiscais Relevantes NEWSLETTER FISCAL Setembro 2012 Alterações Fiscais Relevantes 1. Introdução O passado mês de Agosto foram publicados vários diplomas legais com impacto na vida das empresas e das organizações em geral.

Leia mais

Benefícios Fiscais. Benefícios Fiscais Contratuais ao Investimento Produtivo

Benefícios Fiscais. Benefícios Fiscais Contratuais ao Investimento Produtivo Benefícios Fiscais Benefícios Fiscais Contratuais ao Investimento Produtivo PORTAL DOS INCENTIVOS Dez 2014 Índice Índice... 1 1 O Que é?... 2 2 Condições de Acesso dos Beneficiários... 2 3 Condições de

Leia mais

CONDIÇÕES FAVORÁVEIS À PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO PRIVADO NA AGRICULTURA. Lisboa, 20-21 de Janeiro de 20111

CONDIÇÕES FAVORÁVEIS À PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO PRIVADO NA AGRICULTURA. Lisboa, 20-21 de Janeiro de 20111 CONDIÇÕES FAVORÁVEIS À PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO PRIVADO NA AGRICULTURA Lisboa, 20-21 de Janeiro de 20111 Por: António Prata, Director do Departamento de Informação e Relações Internacionais Objectivos

Leia mais

Legislação MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

Legislação MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Diploma Decreto-Lei n.º 34/2005 17/02 Estado: Vigente Legislação Resumo: Transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 2003/49/CE, do Conselho, de 3 de Junho, relativa a um regime fiscal comum

Leia mais

NEWSLETTER N.º 4 PORTUGAL FEVEREIRO 2015

NEWSLETTER N.º 4 PORTUGAL FEVEREIRO 2015 NEWSLETTER N.º 4 PORTUGAL FEVEREIRO 2015 FISCALIDADE VERDE Foi aprovado no passado dia 31 de Dezembro, a Lei n.º 82-D/2014 que promove reforma da tributação ambiental, regulamentando assim a Fiscalidade

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Diário da República, 1.ª série N.º 172 4 de Setembro de 2009 5991. Artigo 16.º. Artigo 20.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Diário da República, 1.ª série N.º 172 4 de Setembro de 2009 5991. Artigo 16.º. Artigo 20. Diário da República, 1.ª série N.º 172 4 de Setembro de 2009 5991 Artigo 16.º Taxa de exploração 1 A taxa de exploração é devida pelo exercício de quaisquer actividades relativamente às quais não haja

Leia mais

LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL)

LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL) LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL) Com as alterações introduzidas pelas seguintes leis: Lei n.º 80/98, de 24 de Novembro; Lei n.º 128/99, de 20 de Agosto; Lei n.º 12/2003,

Leia mais

Maputo, a sua capital, é o seu porto de mercadorias por excelência e principal centro de comércio.

Maputo, a sua capital, é o seu porto de mercadorias por excelência e principal centro de comércio. Missão Empresarial Moçambique 28 agosto 3 setembro 2014 Moçambique: porta de entrada na África Austral Moçambique é hoje um mercado em expansão com mais de 24 milhões de consumidores, que tem vindo a registar

Leia mais

DECRETO PRESIDENCIAL TAXAS

DECRETO PRESIDENCIAL TAXAS DECRETO PRESIDENCIAL TAXAS (ANTE- PROJECTO) Considerando que no âmbito do Programa de Modernização das Finanças Públicas foi aprovada o código dos Valores Amovíbil PROJRELATÓRIO DE FUNDAMENTAÇÃO I. INTRODUÇÃO

Leia mais

DESTAQUES LEGISLATIVOS DEZEMBRO 2013

DESTAQUES LEGISLATIVOS DEZEMBRO 2013 ANGOLA JANEIRO 2014 VISÃO GLOBAL, EXPERIÊNCIA LOCAL DESTAQUES LEGISLATIVOS DEZEMBRO 2013 AMBIENTE DESPACHO N.º 2746/13, MINISTÉRIO DO AMBIENTE DIÁRIO DA REPÚBLICA Iª SÉRIE N.º 235, DE 6 DE DEZEMBRO DE

Leia mais

Actualização dos limites das deduções à colecta fixados em valor variável entre 2.4% e 3.2%

Actualização dos limites das deduções à colecta fixados em valor variável entre 2.4% e 3.2% IRS Escalões de IRS Actualizados os escalões de IRS em 2.5%. Em regra, contribuintes de todos os escalões sofrerão reduções pouco significativas do IRS a pagar sobre os seus rendimentos. Excepção para

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 162/XII/1.ª COMBATE O FALSO TRABALHO TEMPORÁRIO E PROTEGE OS TRABALHADORES TEMPORÁRIOS

PROJETO DE LEI N.º 162/XII/1.ª COMBATE O FALSO TRABALHO TEMPORÁRIO E PROTEGE OS TRABALHADORES TEMPORÁRIOS Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 162/XII/1.ª COMBATE O FALSO TRABALHO TEMPORÁRIO E PROTEGE OS TRABALHADORES TEMPORÁRIOS (TERCEIRA ALTERAÇÃO À LEI N.º /2009, DE 12 DE FEVEREIRO) Exposição de motivos

Leia mais

Novo Código Contributivo da Segurança Social

Novo Código Contributivo da Segurança Social Novo Código Contributivo da Segurança Social O Código Contributivo para a Segurança Social, aprovado através da Lei n.º 110/2009, de 16 de Setembro tem a sua entrada em vigor agendada para 1 de Janeiro

Leia mais

Sistematização das medidas previstas no Programa de Apoio Económico e Financeiro a Portugal até ao final de 2011

Sistematização das medidas previstas no Programa de Apoio Económico e Financeiro a Portugal até ao final de 2011 Sistematização das medidas previstas no Programa de Apoio Económico e Financeiro a Portugal até ao final de 2011 Do texto divulgado pelo Ministério das Finanças, "Sistematização das medidas do Programa

Leia mais

NOVO CODIGO DE INVESTIMENTO

NOVO CODIGO DE INVESTIMENTO NOVO CODIGO DE INVESTIMENTO Lei nº 13/VIII/2012 De 11 de Julho Por mandato do povo, a Assembleia Nacional decreta, nos termos da alínea b) do artigo 175º da Constituição, o seguinte: CAPÍTULO I Considerações

Leia mais

Informação n.º 2/2014 06/novembro/2014

Informação n.º 2/2014 06/novembro/2014 Informação n.º 2/2014 06/novembro/2014 REGIMES DE BENEFÍCIOS AO INVESTIMENTO E À CAPITALIZAÇÃO No dia 31 de outubro foi publicado o Decreto-Lei n.º 162/2014, que tem como objetivo promover a revisão global

Leia mais

QUADRO ANEXO. Delimitação da Reserva Ecológica Nacional do concelho de Palmela. Proposta de inclusão

QUADRO ANEXO. Delimitação da Reserva Ecológica Nacional do concelho de Palmela. Proposta de inclusão Diário da República, 1.ª série N.º 41 28 de Fevereiro de 2011 1217 Considerando o disposto no n.º 2 do artigo 41.º do Decreto -Lei n.º 166/2008, de 22 de Agosto, e no exercício das competências delegadas

Leia mais

NOTA INFORMATIVA: PORTARIAS 84, 85 E 86/2015 DE 20 DE MARÇO PORTARIA N.º 84/2015, DE 20 DE MARÇO

NOTA INFORMATIVA: PORTARIAS 84, 85 E 86/2015 DE 20 DE MARÇO PORTARIA N.º 84/2015, DE 20 DE MARÇO 9 de Abril 2015 Direito do Trabalho PORTARIA N.º 84/2015, DE 20 DE MARÇO Esta Portaria, publicada em 20 de Março passado, vem criar e regulamentar a Medida de Promoção de Igualdade de Género no Mercado

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO. Acção de Formação Fiscalidade

DOCUMENTAÇÃO. Acção de Formação Fiscalidade DOCUMENTAÇÃO Acção de Formação Fiscalidade Painel Fiscalidade ENQUADRAMENTO FISCAL IRS IVA EBF IRC INCIDÊNCIA BASE DO IMPOSTO RENDIMENTOS ISENTOS DETERMINAÇÃO DA MATÉRIA COLECTÁVEL DETERMINAÇÃO DO RENDIMENTO

Leia mais

Direito Público AS RECENTES ALTERAÇÕES À LEI-QUADRO DOS INSTITUTOS PÚBLICOS E AO ESTATUTO DO GESTOR PÚBLICO FEVEREIRO 2012 01

Direito Público AS RECENTES ALTERAÇÕES À LEI-QUADRO DOS INSTITUTOS PÚBLICOS E AO ESTATUTO DO GESTOR PÚBLICO FEVEREIRO 2012 01 Briefing FEVEREIRO 2012 01 AS RECENTES ALTERAÇÕES À LEI-QUADRO DOS INSTITUTOS PÚBLICOS E AO ESTATUTO DO GESTOR PÚBLICO Direito Público Durante o mês de Janeiro de 2012 foram aprovados dois diplomas que

Leia mais

30 Novembro 2012. Especial Tax News Flash - OE 2013 Medidas que fazem diferença

30 Novembro 2012. Especial Tax News Flash - OE 2013 Medidas que fazem diferença 30 Novembro 2012 Especial Tax News Flash - OE 2013 Medidas que fazem diferença Índice Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) 4 Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) 5 Imposto do selo

Leia mais

Mercados. informação de negócios. Angola Oportunidades e Dificuldades do Mercado

Mercados. informação de negócios. Angola Oportunidades e Dificuldades do Mercado Mercados informação de negócios Angola Oportunidades e Dificuldades do Mercado Dezembro 2011 Índice 1. Oportunidades 03 1.1 Pontos Fortes 03 1.2 Áreas de Oportunidade 03 2. Dificuldades 04 2.1 Pontos Fracos

Leia mais

I Jornadas Financeiras Capital de Risco. Fundos de Investimento no Espaço Lusófono

I Jornadas Financeiras Capital de Risco. Fundos de Investimento no Espaço Lusófono I Jornadas Financeiras Capital de Risco Local: Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Data: 07 de Maio de 2015 Fundos de Investimento no Espaço Lusófono António Raposo Subtil (Coordenador RSA-LP)

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO. Diferença entre Contrato de Trabalho e Contrato de Prestação de Serviços

CONTRATO DE TRABALHO. Diferença entre Contrato de Trabalho e Contrato de Prestação de Serviços CONTRATO DE TRABALHO O QUE DIZ A LEI OBSERVAÇÕES Diferença entre Contrato de Trabalho e Contrato de Prestação de Serviços Contrato de trabalho é aquele pelo qual uma pessoa se obriga, mediante retribuição,

Leia mais

REGIME DE CONTABILIDADE DE CAIXA EM SEDE DE IMPOSTO SOBRE O VALOR ACRESCENTADO (REGIME DE IVA DE CAIXA)

REGIME DE CONTABILIDADE DE CAIXA EM SEDE DE IMPOSTO SOBRE O VALOR ACRESCENTADO (REGIME DE IVA DE CAIXA) REGIME DE CONTABILIDADE DE CAIXA EM SEDE DE IMPOSTO SOBRE O VALOR ACRESCENTADO (REGIME DE IVA DE CAIXA) APROVADO PELO DECRETO-LEI N.º 71/2013, DE 30 DE MAIO ALTERADO PELOS SEGUINTES DIPLOMAS: - LEI N.º

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA CONSELHO DE MINISTROS. Decreto n.º 40/08. de 2 de Julho

REPÚBLICA DE ANGOLA CONSELHO DE MINISTROS. Decreto n.º 40/08. de 2 de Julho REPÚBLICA DE ANGOLA CONSELHO DE MINISTROS Decreto n.º 40/08 de 2 de Julho Considerando que o desenvolvimento da Protecção Social Obrigatória deve corresponder, em certa medida, ao contexto económico e

Leia mais

de Ofertas de Emprego REGULAMENTO ESPECÍFICO

de Ofertas de Emprego REGULAMENTO ESPECÍFICO Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego REGULAMENTO ESPECÍFICO Incentivo à aceitação de Ofertas de Emprego Regulamento Específico Página 1 de 20 Incentivo à aceitação de Ofertas de Emprego Regulamento

Leia mais