CERVEIRA SOCIAL NEWSLETTER n.º 8 Dezembro/2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CERVEIRA SOCIAL NEWSLETTER n.º 8 Dezembro/2012"

Transcrição

1 CERVEIRA SOCIAL NEWSLETTER n.º 8 Dezembro/2012 NESTA EDIÇÃO ATIVIDADES EM REDE PARCEIROS EM AÇÃO EM DESTAQUE N S M - I S AGENDA SERVIÇOS MUNICIPAIS DE INTERVENÇÃO SOCIAL MAIS PERTO DOS CERVEIRENSES Caros Cerveirenses, No passado dia 07 de dezembro foi formalmente inaugurado o espaço destinado aos Serviços Municipais de Intervenção Social que integram, além dos gabinetes de ação social, emprego, educação, saúde e CPCJ, a Loja Social de Vila Nova de Cerveira. Este último espaço tem com o objetivo promover e contribuir para a melhoria das condições de vida dos indivíduos e ou famílias do concelho em situação de vulnerabilidade económica, através da atribuição gratuita de bens com a finalidade de suprir necessidades básicas imediatas. A Loja Social disporá de artigos têxteis e de vestuário, bens alimentares, acessórios e calçado, equipamentos domésticos, eletrodomésticos, brinquedos, material didático, mobiliário, etc., e visa potenciar o envolvimento da sociedade civil, empresas, instituições e de toda a comunidade na recolha de bens, fomentando a articulação das entidades parceiras que integram a Rede Social do concelho de Vila Nova de Cerveira, com o apoio inestimável do Banco Local de Voluntariado. Como é do Vosso conhecimento, ao longo dos últimos anos, a Câmara Municipal procurou incessantemente adequar o alargamento das respostas sociais disponibilizadas à acessibilidade dos cidadãos às mesmas. As novas instalações permitem a integração de todos os serviços, e consequentemente facilitam o atendimento aos utentes. A par da reorganização dos serviços de intervenção social, dá-se início a um novo ciclo de articulação e partilha de trabalho em rede, com a construção do Diagnóstico Social e do Plano de Desenvolvimento Social , em harmonia com o disposto pelo Projeto Redes Sociais, do qual são parceiros todos os concelhos do Minho-Lima. Reitero o apelo à participação de todos, para que, através da articulação se planeie um concelho ainda mais solidário, equitativo e paritário na distribuição dos seus recursos. Como anteriormente referi, assim se constroem pontes para a articulação em rede e se criam espaços de reflexão e de fomento de estratégias direcionadas para o desenvolvimento social local. Contamos, mais uma vez, com a participação de TO- SERVIÇOS MUNICIPAIS DE INTERVENÇÃO SOCIAL DOS na continuidade do trabalho em Rede. Aproveito, para desejar um Santo Natal e um próspero RUA DAS CORTES, N.º 186 Ano 2013 a todos que, direta ou indiretamente, contri VILA V NOVA DE CERVEIRA buem para o desenvolvimento social deste concelho! VOLUNTARIADO MAIS ATIVO Ao longo do ano de 2012, os voluntários do Banco Local de Voluntariado foram participando em várias atividades. No dia 04 de maio os voluntários participaram na semana da saúde nas escolas, nomeadamente na divulgação do voluntariado junto da população jovem. Durante este ano foram, ainda, realizadas duas formações para os voluntários, uma formação geral de voluntariado para os novos inscritos no BLV, que decorreu no dia 07 de julho e no dia 28 de setembro foi realizada, também uma formação para desenvolver competências no âmbito da animação sénior, concretamente na área de trabalhos manuais, tendo participado vários voluntários do BLV, alguns dos quais já desenvolvem atividades nas IPSS s com idosos. Cada formação contou com a participação de 10 voluntários e teve lugar na Biblioteca Municipal. Estas formações têm como objetivo criar mais competências nos voluntários inscritos no BLV proporcionado uma melhor qualidade nas atividades realizadas e também alicerçar o conceito de voluntariado e todas as suas implicações na concretização do direito de cidadania. Na semana de 05 a 08 de Dezembro foram realizadas algumas atividades no âmbito do voluntariado, como a colocação de um posto de informação sobre o BLV no Terreiro, uma campanha de recolha de material escolar e de puericultura, uma entrevista na rádio, a realização de um lanche convívio com os voluntários, bem como, a inauguração de Loja Social (num novo espaço) e que contou com a colaboração de cerca de 10 voluntários para a sua montagem e organização e um almoço de Natal conjuntamente com os idosos das IPSS s e os parceiros da Rede Social. O Município deseja, ainda, agradecer aos voluntários a sua participação e dedicação nas várias atividades promovidas pelo mesmo, nomeadamente as 3 edições da Feira da Almofada Solidária, as 6 atividades de Saúde na Comunidade realizadas ao longo do ano nas diversas freguesias, o cortejo de Carnaval, o Dia Mundial da Criança, entre outras. Banco Local de Voluntariado de Vila Nova de Cerveira Sandra Pontedeira Presidente do Conselho Local de Acção Social

2 ATIVIDADES EM REDE NEWSLETTER n.º 8 PROJECTO PARA OS PROBLEMAS LIGADOS AO ÁLCOOL (PLA) A Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC de Vila Nova de Cerveira), Saúde em Movimento, juntamente com outros parceiros, de entre eles, a e o Centro de Respostas Integradas (CRI) de Viana do Castelo, vão iniciar no decorrer do mês de Outubro, o desenvolvimento de um projeto vocacionado para os Problemas Ligados ao Álcool (PLA). O Plano Nacional para a Redução dos PLA preconiza como objetivo primordial, a redução de forma significativa do consumo nocivo de álcool entre a população e diminuição dos seus efeitos perniciosos em termos sociais e de saúde. Os padrões perigosos de consumo de álcool são, portanto, um determinante de saúde fundamental e uma das principais causas de morte prematura e doenças evitáveis. UCC de Vila Nova de Cerveira - Saúde em Movimento DIA DOS AVÓS INTERGERACIONAL No dia 24 de Julho os avós das IPSS s do concelho de V. N. Cerveira reuniram-se no Parque de Lazer do Castelinho para celebrar o seu papel de pais pela segunda vez. O sol agraciou-nos com a sua presença e embelezou ainda mais este espaço fantástico que possuímos, por isso, para descobrir todos os recantos, os utentes do Centro Paroquial começaram por fazer uma caminhada pelos percursos definidos. Mais tarde, já com o apetite bem desperto, pela atividade física e pelo campeonato de sueca, tiveram direito a um delicioso almoço-convívio. De tarde, foi a vez dos netos visitarem os seus avós presenteando-os com algumas recordações e com belas atuações, onde os meninos e meninas dos Atl s do Concelho mostraram, com o seu empenho e dedicação, o quanto gostam dos seus avós. Mas o dia de São Joaquim e Santa Ana comemora-se mesmo no dia 26 de Julho, por isso, o dia começou para os utentes do Lar e Centro de Dia com uma caça ao tesouro nos jardins circundantes do edifício. Ganharia aquele que encontrasse mais peças. E assim foi vê-los a percorrer todos os espaços à procura de peças que depois viriam a descobrir que formavam um puzzle. Terminada a caça ao tesouro foi momento de descortinar qual o sentido das peças e o que encontrariam quando conseguissem completar o puzzle. Alegria geral quando constataram que eram duas imagens dos avós de Jesus, pois afinal a efeméride deste dia devia-se a Eles. Celebrar o Dia dos Avós é exaltar a experiência de vida e a sabedoria adquirida. Desta forma, comemorar estes dias significa mostrar a todos que a velhice não é um mau destino mas sim uma conquista cheia de história. Centro Paroquial de Reboreda REDE DE INTERVENÇÃO CONCELHIA DE COMBATE À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA No âmbito do protocolo de parceria assinado com o Gabinete de Atendimento à Família, relativamente ao Projeto que tem como objetivos formar os profissionais que diretamente intervém junto das vítimas, no sentido de melhorar o apoio prestado às mesmas e criar uma rede de intervenção mais eficaz e articulada, foram já realizados vários atendimentos e visitas domiciliárias conjuntas com diferentes serviços. Desta forma, realizaram-se 11 atendimentos e visitas domiciliárias conjuntamente com um Técnico do Município que foi nomeado como interlocutor local e conjuntamente com outras entidades de primeira linha, nomeadamente, o Centro de Saúde e a GNR, numa tentativa de concertar esforços para um melhor atendimento às vítimas, foram, ainda, canalizadas três situações para os serviços de atendimento especializados, tanto para a Núcleo de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica do GAF, como para o Recomeçar, do Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora. O projeto pretende, ainda, criar um registo único de situações que será efetuado pelas várias entidades que intervém junto das vítimas de forma a criar um diagnóstico mais fidedigno, pois será feito em conjunto pelas várias entidades sendo para tal divulgada uma base de dados a que todas as entidades de primeira linha terão acesso. Como forma de criar um espaço mais adequado e securizante para as vítimas foi, ainda, criado nos Serviços Municipais de Intervenção Social, um Gabinete de Apoio à Vítima, onde os munícipes se podem dirigir e obter todas as informações necessárias no âmbito da violência doméstica. Página 2

3 EDIÇÕES DA FEIRA DA ALMOFADA SOLIDÁRIA REVELARAM-SE UM SUCESSO Graças à generosa dádiva de um anónimo foi possível, durante o ano de 2012, angariar a quantia superior a No passado dia 1 de Setembro, no Terreiro, decorreu a III e última Feira da Almofada Solidária. Como nas ocasiões anteriores, estiveram à venda almofadas e coxins a preços meramente simbólicos. Uma almofada ou um coxim pode fazer a diferença na decoração ou no conforto de uma casa, mas, no caso deste certame, ajudou, também, na diferenciação positiva de situações de famílias carenciadas. Ao adquirir produtos desta feira contribuiu-se para a aquisição de géneros para o Banco de Alimentos do concelho de Vila Nova de Cerveira. FEIRÃO TRADICIONAL DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA O Lar Maria Luísa e o Jardim de Infância da Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Cerveira, realizou um feirão tradicional no dia 13 de Outubro, entre as 10h00m e as 16h00m, no centro da Vila, espaço próximo dos Correios. Um dos objetivos gerais é a partilha de memórias da nossa cultura mais tradicional, através de uma perspetiva intergeracional, sendo a exposição de produtos agrícolas e artesanais o modo pretendido. Os organizadores pretendem que, seja um encontro enriquecedor para os e participantes locais, bem como para todos os que visitam Vila Nova de Cerveira. Santa Casa da Misericórdia de Vila nova de Cerveira Página 3

4 MUNICÍPIO INTERVÉM EM HABITAÇÕES DEGRADADAS Com o objetivo de possibilitar uma melhoria efetiva das condições habitacionais aos agregados familiares mais desfavorecidos do concelho, a deliberou, ao abrigo do Regulamento Municipal de Promoção à Construção Própria e à Reabilitação Degradada para Estratos Sociais Desfavorecidos, em sua reunião de 25 de Julho de 2012, aprovar a seriação apresentada de candidatos para a concessão do apoio. Assim, no ano de 2012, foi aprovado a concessão de apoio financeiro para a realização de três obras de beneficiação de habitações, no valor total de ,27. Os apoios visam a realização de obras de beneficiação de habitações degradadas e a construção de instalações sanitárias, abrangendo famílias residentes nas freguesias de Sapardos, Nogueira e Gondarém. Para beneficiar deste apoio, os agregados devem preencher os requisitos previstos no Regulamento Municipal e apresentar candidatura na Câmara Municipal para apreciação. ANTES E APÓS A INTERVENÇÃO DE BENEFICIAÇÃO DA HABITAÇÃO PROJECTO GÉNERO: IGUALDADE A IGUALDADE...REDUZIR A DIFERENÇA - ADSL A ADSL Cerveira está a dar o seu contributo para promover uma sociedade plena, livre e igualitária, através do Projeto GÉNERO: Promover a Igualdade Reduzir a Diferença! (G:PIRD), apostando num conjunto de ações que tenham realmente impacto nos públicos-alvo trabalhados. Após algum tempo de trabalho no terreno para avaliar as necessidades latentes na área da igualdade de género no que toca à participação da mulher e do homem no mercado de trabalho, na participação pública e política e ainda nas responsabilidade familiares a ADSL Cerveira está a preparar um conjunto de ações que terão impacto no concelho de Vila Nova de Cerveira e os concelhos vizinhos. Teve início no mês de Outubro a campanha de sensibilização da temática de igualdade de género e divulgação do projeto. Com um conjunto de materiais de divulgação do projeto e do tema da Igualdade de Género espera-se que sejam um suporte informativo que complemente as ações de divulgação junto dos diversos órgãos da comunicação social da região. Em conjunto com o IEFP de Valença, vão dar início 12 Ações de Sensibilização de Igualdade de Género, de 12horas cada uma (4 ações para grupo de mulheres e 8 ações para grupos de Homens), com o período de execução previsto ser entre Outubro de 2012 a Janeiro de 2013 e que visam a sensibilização para certas atitudes e comportamentos que tornem os participantes envolvidos nas ações verdadeiros agentes ativos na promoção da igualdade de género na região. ETAP ATIVA NA REDE SOCIAL Associação de Desenvolvimento social local de Vila nova de Cerveira No âmbito do Plano de Atividades da ETAP Escola Profissional, unidade de formação de Vila Nova de Cerveira, procurou-se desenvolver um conjunto de ações que permitam uma melhor integração no mercado de trabalho por parte dos alunos, a consolidação de conhecimentos científicos e técnicos e a educação para a cidadania e para a aquisição de competências sociais. Neste sentido, a ETAP apoiou e dinamizou a atividades diversificadas, desenvolvidas pelo Município de Vila Nova de Cerveira, a nível da Rede Social, Banco de Voluntariado, Biblioteca Municipal e Bienal de Cerveira tais como a comemoração do Dia do Não Fumador, a Campanha de Recolha de Material Escolar; a participação na encenação teatral Passe- Vite: performance gastronómica pelas Comédias do Minho e a participação na Conferência Debate A importância do desenvolvimento do cluster das indústrias criativas na Região Norte. ETAP-Escola Profissional Vila Nova de Cerveira Página 4

5 AGIR NA EDUCAÇÃO ACÃO SOCIAL ESCOLAR O Decreto-lei n.º 55/2009 de 2 de Março estabelece o regime jurídico aplicável à atribuição e ao fornecimento dos apoios no âmbito da Ação Social Escolar, da responsabilidade do Ministério da Educação e dos Municípios, nas modalidades de apoio alimentar e auxílios económicos. O Despacho A/2012 de 6 de Setembro determina manter as medidas e os montantes atribuídos no ano letivo anterior, constantes no Despacho 12284/2011 de 2 de Novembro. Ainda assim, e para reforçar a ajuda às famílias mais carenciadas, o Município de Vila Nova de Cerveira atribui um montante superior ao definido no despacho, para a aquisição de manuais e materiais escolares, a saber: 1.º Escalão 1.º e 2.º ano atribui 45,00 euros 3.º e 4.º ano atribui 50,00 euros 2.º Escalão 1.º e 2.º ano atribui 22,50 euros 3.º e 4.º ano atribui 25,00 euros ACÃO SOCIAL ESCOLAR - QUADRO COMPARATIVO 1.º CICLO ENSINO BÁSICO ANO LETIVO ESCALÃO 1 ESCALÃO 2 TOTAL ESC. VALOR TOTAL /ANO 2008/ , / , / , / , / ,50 BOLSAS DE ESTUDO ENSINO SUPERIOR O Município de Vila Nova de Cerveira concederá até oito bolsas, nos termos do Regulamento Municipal de Concessão de Bolsas de Estudo para Alunos do Ensino Superior. O Regulamento pode ser consultado no portal municipal, em O júri que analisará as candidaturas já foi constituído, por deliberação do Executivo, onde ficou decidido, por unanimidade, sugerir aos futuros bolseiros a prestação de trabalho de voluntariado por um período de 15 dias, no ano de ANO LETIVO N.DE TOTAL CANDIDATURAS N.º DE BOLSEIROS VALOR TOTAL DAS BOLSAS ATRIBUÍDAS 2008/ , / , / , / ,00 TOTAL ,00 ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR Os alunos do primeiro ciclo do nosso concelho, ao início de cada ano letivo, viviam com grande espectativa as aulas de natação que decorriam uma vez por semana na piscina municipal, no período da manha, sempre com grande esforço logístico do Município, mas com grande satisfação por proporcionar gratuitamente esta excelente atividade desportiva. Infelizmente, este ano letivo, o corpo docente que constitui o Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Cerveira, em reunião do Conselho Pedagógico, de 17 de julho, entendeu que o horário da atividade física e desportiva natação - não era adequado, considerando que esta pratica tinha implicações na aprendizagem, manifestadas pelo cansaço e falta de concentração dos alunos. No Conselho Geral do Agrupamento de Escolas que decorreu no dia 20 de julho, esta decisão foi aprovada novamente, apenas com os votos favoráveis dos docentes. Da parte do Município houve uma abstenção e um voto contra. O Município de Vila Nova de Cerveira respeita a decisão, mas lamenta que a prática da natação tenha sido extinta, até porque para a grande maioria dos alunos, esta era a única possibilidade de que disponham para frequentar a Piscina Municipal. Página 5

6 AGIR NA EDUCAÇÃO COLÉGIO DE CAMPOS DÁ INÍCIO AO NOVO ANO LETIVO O Colégio de Campos foi um dos primeiros estabelecimentos de ensino do Norte do País a iniciar as atividades escolares no presente ano letivo 2012/2013. No dia 10 realizou-se a receção aos alunos e encarregados de educação das turmas do quinto e do sexto anos; no dia 11, das turmas do sétimo, oitavo e nono anos; e no dia 12, das turmas do décimo, décimo primeiro, décimo segundo anos e dos Cursos Profissionais. O dia 13 de setembro foi o primeiro dia de aulas a sério para todos os 311 Alunos que frequentam o Colégio: 236 dos 2º e 3.º ciclos do ensino básico e 75 do ensino secundário/profissional, distribuídos por dezoito turmas cinco do 2.º ciclo, oito do 3.º ciclo, três do ensino secundário e duas do ensino profissional. O Colégio de Campos orgulha-se de apresentar um plano anual de atividades diversificado e enriquecedor, que contribui para complementar as aprendizagens curriculares dos alunos numa perspetiva de desenvolvimento integral do indivíduo. Entre Setembro e Novembro destacaram-se as seguintes atividades: O Dia do Diploma foi celebrado no dia 4 de outubro A Semana da Saúde de 15 a 19 de outubro As eleições para a Associação de Estudantes do Colégio de Campos O Dia do Quadro de Honra do Colégio de Campos Participação de alunos na sessão de apresentação pública do Programa Parlamento dos Jovens Secundário Realização do Corta-Mato Escolar do Colégio de Campos, com a participação de cerca de 140 alunos dos diversos escalões Comemoração da tradição do São Martinho Realização da sessão O Papel dos Deputados na Assembleia da República Seminário Flexibilizar e Diferenciar: Como, Quando, A Quem? Dramatização do conto O Amigo Dedicado Colégio de Campos Colégio de Campos EXPOSIÇÃO DO CONCURSO DE DESIGN DE MARCADORES DE LIVROS DA ESG No passado dia 21 de setembro entregaram-se os prémios do Concurso de Design de Marcadores de Livros, dinamizado pela Biblioteca Delmira Calado (BDC) da Escola Superior Gallaecia. A entrega de prémios foi precedida de uma palestra sobre Boas práticas ambientais e sociais como estratégia de negócio, proferida pelo engenheiro Carlos Maia, fundador da empresa portuguesa Ecoemotion. Esta palestra, que despertou especial interesse nos alunos do curso de Design, teve como objetivo apresentar aos estudantes universitários, um exemplo de sucesso empresarial em Portugal, no qual se revelaram estratégias e dinâmicas, a considerar para a identificação, investimento e potencialização de uma área de mercado. Terminada a palestra, a Prof.ª Mariana Correia, Presidente do Conselho de Direção da ESG, deu início à cerimónia de entrega de prémios. As duas Menções Honrosas foram distinguidas com livros publicados pela ESG. A terceira premiada recebeu um porta-moedas, uma moldura e um bloco de notas personalizado - produtos em cortiça Ecoemotion. O segundo premiado recebeu um voucher de duas noites de estadia em quarto duplo com pequeno-almoço buffet, oferecido pelo Hotel Turismo do Minho. O primeiro premiado do Concurso foi presenteado com uma serigrafia do Pintor Henrique Silva, que a entregou pessoalmente ao vencedor, Miguel Meijido Beiro. Este, para além de receber o 1º prémio do Concurso, viu reproduzido o seu marcador, pela instituição universitária ESG. Procedeu-se de seguida, à inauguração da Exposição Coletiva de Marcadores. Página 6 Escola Superior Gallaecia Escola Superior Gallaecia

7 AGIR NA SAÚDE MUNICÍPIO AGRADECE GENEROSIDADE DA COMUNIDADE NA DÁDIVA DE SANGUE A parceria entre o Município de Vila Nova de Cerveira e o Instituto Português de Sangue soma já cerca de dois anos, período durante o qual uma unidade móvel do IPS, devidamente equipada, se tem deslocado à vila, periodicamente, para realizar as recolhas de sangue. Os Cerveirenses têm entendido o significado deste gesto e têm respondido positivamente. É de assinalar que, no corrente ano já se realizaram 2 colheitas com realce para a colheita realizada, em pleno mês de agosto, onde se atingiu o número mais elevado de dádivas de sempre (47 colheitas). Esta circunstância é ainda mais significativa, quando o próprio IPS reconhece que, no período de Verão, é mais difícil manter os stocks adequados de componentes sanguíneos, tornando-se ainda mais importante reforçá-los. O Centro Regional Sangue do Porto agradece à Câmara de Vila Nova de Cerveira toda a colaboração e empenho dispensados à realização das colheitas de sangue efetuadas na Unidade Móvel durante estes dois anos. O Município reencaminha assim este agradecimento aos grandes responsáveis pelo sucesso destas iniciativas, os Cerveirenses, aproveitando para apelar a quem ainda não é dador para que se inscreva numa próxima visita do IPS. Como vereadora gostaria de agradecer a todos aqueles que, generosamente, têm colaborado com a dádiva de sangue e assim contribuído para salvar vidas. A saúde de todos, bem como a promoção da saúde, têm sido também uma aposta e uma preocupação do Município, em diversas iniciativas levadas a cabo - esta é um exemplo, refere a vereadora da Ação Social, Sandra Pontedeira. Recorde-se que podem dar sangue as pessoas que estejam em bom estado de saúde, tenham hábitos de vida saudáveis, peso igual ou superior a 50kg e idade compreendida entre os 18 e os 65 anos. Para uma primeira dádiva, o limite de idade é aos 60 anos. SAÚDE NA COMUNIDADE AJUDA A PREVENIR E A COMBATER O CANCRO As várias atividades que decorreram durante o ano de 2012 e abrangeram a população de todas as freguesias, contaram com a colaboração da Liga Portuguesa Contra o Cancro, Centro de Saúde, Banco Local de Voluntariado, Juntas de Freguesia entre outras entidades locais, foram constituídas por uma sessão de esclarecimento sobre o cancro, consulta individualizada, almoço saudável, lanche saudável e animação cultural. Nos passados meses de Abril, Julho, Setembro e Novembro, a Saúde na Comunidade desenvolveu-se nas Juntas de Freguesia de Sopo, Lovelhe, Campos, Covas, Sapardos e Vila Nova de Cerveira em parceria com o Município e freguesias limítrofes. Sabe-se que, em todo o mundo, milhões de pessoas são afetadas e vivem com o diagnóstico de cancro. No passado dia 17 de Novembro, para além das atividades desenvolvidas nas anteriores sessões, no âmbito da Comemoração do Dia Mundial do Não Fumador, o Terreiro foi palco de rastreios de DPOC (promovidos pela Clipóvoa) e com o reforço dos esclarecimentos da Liga Portuguesa Contra o Cancro, o qual desenvolveu uma ação mais direcionada para a sensibilização da população para os malefícios do tabaco. Segundo a Liga Portuguesa Contra o Cancro, cada vez se sabe mais sobre as suas causas, sobre a forma como se desenvolve e cresce, ou seja, como progride. Estão, também, a ser estudadas novas formas de o prevenir, detetar e tratar, tendo sempre em atenção a melhoria da qualidade de vida das pessoas com cancro, durante e após o tratamento. Para prevenir e travar a proliferação anormal de células há que ter informação, reconhecer sinais e sintomas, sendo que nem todos os tumores são sinónimo de cancro. CERVEIRA SAUDÁVEL 2012 O programa Cerveira Saudável, foi mais uma iniciativa do Município de promoção e Educação para a saúde que teve inicio no ano de 2012 e se perspetiva continuar em Durante os meses de junho, julho e setembro foi disponibilizado a todos os munícipes, através de realização de parcerias com entidades locais, várias propostas para as manhãs de domingo. De entre as modalidades disponíveis contou-se com passeios de bicicleta, caminhadas, danças de salão, patins, aulas de aeróbica e para finalizar várias atividades no último domingo com o intuito de comemorar o dia do coração. Cerveira Saudável é uma iniciativa que pretendeu proporcionar à população concelhia a prática de exercício físico monitorizado e gratuito, no Parque de Lazer do Castelinho, aos domingos de manhã. A organização é da Câmara Municipal, que contou com o apoio do Citius Fit, Clube Celtas do Minho, Pedal arte, IPVC e Populum. Página 7

8 CORAÇÃO HUMANO PARA CELEBRAR O DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO O Dia Mundial do Coração comemorou-se em Cerveira no passado dia 30 de Setembro, com a formação do coração humano e de várias atividades desportivas e de lazer. O programa teve início no Parque de Lazer do Castelinho logo pelas 09h30. Pelas 12h00, no Largo da Feira, formou-se um coração humano, que contou com a adesão de dezenas de participantes que vestiam t- shirt vermelha. O Município de Vila Nova de Cerveira pretendem sensibilizar a população para a importância da adoção de estilos de vida saudável e de uma vida melhor, por um coração mais saudável. A iniciativa contou com a colaboração do Banco Local de Voluntariado, a empresa JLara e o hipermercado Pingo Doce, entidades a quem o Município aproveita, desde já, para agradecer o seu apoio. WORKSHOP O PAPEL DA CONTABILIDADE NAS IPSS O Centro Paroquial de Reboreda, contando com a ajuda da empresa f3m software, que disponibilizou o orador, Dr. Filipe Cruz, e com a ajuda da Rede Social de Vila Nova de Cerveira, organizou no passado dia 13 do corrente mês um workshop, que teve como tema o papel da contabilidade nas IPSS s e que contou com 31 pessoas inscritas. Na sessão de abertura o padre Jorge Esteves, Presidente da Direcção da IPSS de Reboreda, desejou que a manhã, tempo de duração do workshop, ajudasse «a assimilar a importância que a contabilidade tem para as IPSS s, que atendendo à actual conjectura económica e social têm de reconhecer e valorizar o papel que a contabilidade possui para o seu perdurar sem atropelos no futuro, estando ao serviço sem medo e sem intenção de limitar ou encerrar serviços ou modos de exercer os serviços». Posteriormente, a senhora Vereadora Sandra Pontedeira, representando o senhor Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, referiu o papel importante do Centro Paroquial de Reboreda e destacou-o como «sempre importado e com sentido de colaboração». Seguidamente, o Dr. Paulo Vale, Director do Centro Distrital da Segurança Social de Viana do Castelo, referiu que «o tema está na ordem do dia, porque atendendo à conjectura económica as IPSS s são afectadas no terreno; portanto, os recursos têm de ser aproveitados». E, por isso, «as 117 IPSS s, responsáveis por 29 respostas sociais, têm de ter uma contabilidade equilibrada, para gestão interna e para ajudar ao controle». Seguidamente iniciaram-se os trabalhos, de formação e reflexão, onde o Dr. Filipe disse, de entre diversas coisas, que «a contabilidade é mais do que aquilo que se exige, porque é um apoio às IPSS s, ajudando-as a alcançar os seus objectivos que, embora sem fins lucrativos, têm de criar resultados para alancar serviços». Centro Paroquial de Reboreda Página 8

9 CRECHE DE CAMPOS ADERIU AO DIA DO PIJAMA Mais uma vez a Creche de Campos associou-se a iniciativas de índole solidário foi no dia 20 de Novembro, DIA NACIONAL DO PIJAMA, uma iniciativa que a Associação MUNDOS DE VIDA realiza anualmente com o lema uma criança tem direito a crescer numa família onde crianças ajudam outras crianças. Ou seja, por cada criança que participar No Dia Nacional do Pijama, a Fundação EDP doa 1 à Associação MUNDOS DE VIDA, assim como cada criança recolheu junto das famílias o seu donativo que foi entregue na Casinha dos Pijamas. Todas as crianças e funcionárias da Creche participaram com entusiasmo e divertimento nesta iniciativa assim como a decoração da creche foi a rigor para o dia. Centro Paroquial de Campos AGENDA NEWSLETTER n.º 8 FEIRA SOLIDÁRIA 22 DE DEZEMBRO 2012 Realização da Feira Solidária, no próximo dia 22 de Dezembro, com a exposição de trabalhos realizados pelos idosos das IPSS, Unisénior e produtos da Liga Portuguesa Contra o Cancro. Mais informações: DIREITOS E DEVERES LABORAIS DO 3º SETOR 21 FEVEREIRO 2013 Ação de sensibilização Direitos e Deveres Laborais do 3º setor, dinamizada pelo Centro Paroquial de Campos, no próximo dia 21 de Fevereiro, no auditório da Biblioteca Municipal de Vila Nova de Cerveira. Mais informações: COLHEITA DE SANGUE ABRIL, AGOSTO E DEZEMBRO 2013 A, em parceria com o Instituto Português do Sangue, realiza durante o ano de 2013 mais tês colheitas nos dias: Abril sexta-feira dia 12, Agosto sexta -feira e dia 9 e Dezembro sexta-feira dia 13. Mais informações: Página 9

10 MENSAGEM DE BOAS FESTAS NEWSLETTER n.º 8 A equipa da Rede Social do concelho de Vila Nova de Cerveira deseja a TODOS boas festas, um Santo Natal, e sucesso pessoal e profissional para o ano de 2013

Conselho Local de Ação Social de Vila Nova de Cerveira. Núcleo Executivo

Conselho Local de Ação Social de Vila Nova de Cerveira. Núcleo Executivo Conselho Local de Ação Social de Vila Nova de Cerveira Núcleo Executivo 2 CLAS de Vila Nova de Cerveira Plano de Ação de 2015 Índice Nota Prévia... 6 Sumário... 7 Metodologia... 7 Planificação... 8 EIXO

Leia mais

Plano de Ação de 2012 Plano de Ação de 2010. Conselho Local de Ação Social de Monção. Conselho Local de Ação Social de Monção

Plano de Ação de 2012 Plano de Ação de 2010. Conselho Local de Ação Social de Monção. Conselho Local de Ação Social de Monção Plano de Ação de 2012 Plano de Ação de 2010 Conselho Local de Ação Social de Monção Conselho Local de Ação Social de Monção CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE MONÇÃO Atualmente a Rede Social de Monção conta

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL 2014 Aprovado na reunião do Plenário de 11.06.2014 16 de janeiro Workshop e assinatura de protocolo com CIG Público-alvo: comunidade no geral Local: Edifício Paço dos Concelho

Leia mais

MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA. Loja Social de Paredes de Coura. Regulamento

MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA. Loja Social de Paredes de Coura. Regulamento MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA Loja Social de Paredes de Coura Regulamento Preâmbulo A pobreza e a exclusão social têm fortes efeitos no desenvolvimento da comunidade local e implicam o empobrecimento de

Leia mais

EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação

EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL de ODEMIRA 2014-2015 EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação Promover o conhecimento e o acesso dos empresários aos apoios e incentivos no âmbito do empreendedorismo

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Rede Social de Aljezur Plano de Acção (2009) Equipa de Elaboração do Plano de Acção de 2009 / Parceiros do Núcleo Executivo do CLAS/Aljezur Ana Pinela Centro Distrital

Leia mais

Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco. Plano de Atividades 2015

Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco. Plano de Atividades 2015 Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco Plano de Atividades 2015 INTRODUÇÃO Depois de escalar uma montanha muito alta, descobrimos que há muitas mais montanhas por escalar. (Nelson Mandela) A

Leia mais

Índice. - Introdução. 3. - Cronograma 4-5. - Capítulo 1 Plano de Atividades 2015-2016. 6-38

Índice. - Introdução. 3. - Cronograma 4-5. - Capítulo 1 Plano de Atividades 2015-2016. 6-38 1 2015-2016 Índice - Introdução. 3 - Cronograma 4-5 - Capítulo 1 Plano de Atividades 2015-2016. 6-38 2 Introdução O Município de Paços de Ferreira, assumindo-se como uma Cidade Educadora, respeitando um

Leia mais

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE VOUZELA PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL 2014/2015 Designação da Formação Toxicodependências Programa de Respostas Integradas As Crianças Marcam a Diferença! Natação 1º Ciclo Prolongamento de Horário

Leia mais

Prólogo REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL

Prólogo REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL Prólogo O CLDS SERPE EnReDe, consiste numa estratégia de desenvolvimento social integrado visando a criação de respostas sociais inovadoras e sustentáveis que atendem às

Leia mais

Projecto de Apoio ao

Projecto de Apoio ao Projecto de Apoio ao O Centro Social Paroquial Padre Ricardo Gameiro presta serviços dedicados a crianças e idosos, promovendo igualmente o apoio ao emprego e o auxílio a famílias carenciadas. O Centro

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais:

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: PROGRAMA AÇÃO 2015 O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: - Preservar a identidade da Instituição, de modo especial no que respeita a sua preferencial ação junto das pessoas, famílias e grupos

Leia mais

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂM ARA MUNIC I PAL

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂM ARA MUNIC I PAL PREÂMBULO REGULAMENTO DA LOJA SOCIAL DO CONCELHO DE VALENÇA Com a emergência de novos processos de exclusão social e a persistência de fortes desigualdades sociais, subjacentes à problemática da pobreza

Leia mais

Plano Anual de Atividades CRECHE/JARDIM DE INFÂNCIA/CATL 2013-2014

Plano Anual de Atividades CRECHE/JARDIM DE INFÂNCIA/CATL 2013-2014 Fundação Centro Social de S. Pedro de, FCSR Plano Anual de Atividades CRECHE/JARDIM DE INFÂNCIA/CATL 2013-2014 Atividade Objetivos Recursos Calendarização Local Receção e acolhimento das crianças que vão

Leia mais

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado Social de Lagoa O Banco de Voluntariado LagoaSocial será enquadrado num conjunto de medidas e acções

Leia mais

Regulamento. Sorriso Solidário

Regulamento. Sorriso Solidário Regulamento Sorriso Solidário 0 Introdução A Santa Casa da Misericórdia de Mirandela, tem desenvolvido ao longo dos tempos, diversas iniciativas no sentido de criar condições que favoreçam o bem-estar

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

Voluntariado Afirmação de uma Cidadania Plena

Voluntariado Afirmação de uma Cidadania Plena Voluntariado Afirmação de uma Cidadania Plena Voluntariado versus Solidariedade - Enquadramento Legal do Voluntariado - O Voluntário - Voluntariado um Compromisso de Solidariedade - O BLV de Vila Nova

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO

PROJETO DE INTERVENÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES CANDIDATURA A DIRETOR PROJETO DE INTERVENÇÃO (2013-2017) Pedro Paulo da Costa Cerqueira Amares, maio de 2013 As organizações, tal como os organismos vivos, têm os seus

Leia mais

ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8

ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8 ÍNDICE ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8 CASINHA DA ROUPA 9 OS RATINHOS DE REBOREDA 10 CRIAÇÃO DA COMISSÃO

Leia mais

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida.

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida. 1. APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO A Casa do Povo de Alvalade foi criada em 1943, por grupo informal de pessoas, na tentativa de dar resposta às necessidades das pessoas que a esta se iam associando. Com o

Leia mais

Regulamento. Loja Social de Ourique

Regulamento. Loja Social de Ourique Regulamento Loja Social de Ourique Regulamento Loja Social de Ourique Nota Justificativa O presente Regulamento define as normas de funcionamento da Loja Social e faz parte integrante do projecto Espaço

Leia mais

Rede Social Plano de Ação 2015

Rede Social Plano de Ação 2015 Rede Social Plano de Ação 2015 1 R E D E SOCIAL DO CONCELHO DE VILA DO BISPO Rede Social Rede Social do Concelho de Vila do Bispo PLANO DE AÇÃO 2015 Ficha Técnica Entidade Promotora: Câmara Municipal de

Leia mais

INTRODUÇÃO. Projecto Curricular de Turma SALA DO ATL

INTRODUÇÃO. Projecto Curricular de Turma SALA DO ATL INTRODUÇÃO A Educação não formal distingue-se, nas últimas décadas da Educação formal ou ensino tradicional, uma vez que confere outro tipo de reconhecimento, organização, qualificação e estrutura. A Educação

Leia mais

Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010. Conselho Local de Acção Social de Monção. Conselho Local de Acção Social de Monção

Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010. Conselho Local de Acção Social de Monção. Conselho Local de Acção Social de Monção Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010 Conselho Local de Acção Social de Monção Conselho Local de Acção Social de Monção CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE MONÇÃO Actualmente a Rede Social de Monção

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL CLAS /2015 Área de Intervenção: Equipamentos e Respostas Sociais e Serviços 1 Objetivo Geral Objetivos Específicos Ação População - Alvo

Leia mais

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido.

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2015 ÍNDICE Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. Ações Educação e Formação 2 Ação Social 3 Gestão Participada e Finanças 4 Saúde 5 Desporto 5 Juventude 6 Cultura 6 Turismo

Leia mais

Eventos. Eixo I Emprego, Formação e Qualificação. Acção: Bom Porto

Eventos. Eixo I Emprego, Formação e Qualificação. Acção: Bom Porto Eventos Eixo I Emprego, Formação e Qualificação Acção: Bom Porto - Gabinete de Empregabilidade e Empreendedorismo: Uma das acções do projecto consiste na criação de um Gabinete de atendimento na área da

Leia mais

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora - 135562 Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia. Plano de Ação dos Projetos e Clubes

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora - 135562 Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia. Plano de Ação dos Projetos e Clubes Consciencializar toda a Comunidade Escolar para a Preservação do Meio Envolvente; Sensibilizar a comunidade para a poupança de recursos, promovendo a reutilização e a reciclagem. Valorizar a Educação para

Leia mais

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012 Plano de Acção - Rede Social Plano de Acção Rede Social Conselho Local da Acção Social de Figueira de Castelo Plano de Acção Rede Social Acções a desenvolver Objectivos Resultados esperados Calendarização

Leia mais

NOTÍCIAS À SEXTA 02.10.2015 INFORMAÇÕES DA CNIS

NOTÍCIAS À SEXTA 02.10.2015 INFORMAÇÕES DA CNIS INFORMAÇÕES DA CNIS Fonte: Estudo sobre o Acesso e a qualidade nos cuidados de saúde mental, Entidade Reguladora da Saúde, set.2015 REPRESENTAÇÃO ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Plano de Acção 2014. Rede Social

Plano de Acção 2014. Rede Social Plano de Acção 2014 Rede Social Março/2014 Elaborado por: Núcleo Executivo do Conselho Local de Acção Social de Avis - Agrupamento de - Centro de Emprego e Formação Profissional de Portalegre/Serviço de

Leia mais

F U N C I O N A M E N T O

F U N C I O N A M E N T O Plano de Ação 2015 ENQUADRAMENTO F U N C I O N A M E N T O» Regulamento Interno da CPCJ de S. P. Sul» Lei de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo - Lei nº 147/99 de 1 de Setembro» Lei que altera a Lei

Leia mais

Estiveram presentes 98 técnicas em representação de 66 Instituições.

Estiveram presentes 98 técnicas em representação de 66 Instituições. 1. No dia 4 de Dezembro, a União Distrital de Santarém em parceria com Segurança Social, levou a efeito o ultimo dos 5 encontros realizados em várias zonas do distrito, sobre o tema "Encontros de Partilha",

Leia mais

Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa

Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa Centro Social Paroquial de Lustosa Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa 1. Identificação da Instituição: Centro Social Paroquial de Lustosa, NPC: 502431440, com sede em Alameda

Leia mais

Rede Social no Concelho de Azambuja Plano de Ação 2014 PLANO DE ACÇÃO 2014

Rede Social no Concelho de Azambuja Plano de Ação 2014 PLANO DE ACÇÃO 2014 PLANO DE ACÇÃO 2014 1 EDUCAÇÃO ÁREA ATIVIDADES RESPONSAVEIS PARTICIPANTES/ INTERVENIENTES Calendarização Manter os projetos existentes nos Agrupamentos de Escolas (Fénix, tutorias, Aprender a Estudar,

Leia mais

Plano de Ação 2013. I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Plano de Ação 2013. I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL 0 Plano de Ação I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL OBJETIVO GERAL: Dotar as Instituições do Município de competências na área da qualidade para melhorar a resposta

Leia mais

ATA DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

ATA DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ATA DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Ao décimo primeiro dia do mês de março de dois mil e treze, pelas nove horas e trinta minutos, no edifício da Junta de Freguesia de Viana do Alentejo, reuniu o Conselho

Leia mais

Plano de Atividades 2014-15. Gabinete de Serviço Social

Plano de Atividades 2014-15. Gabinete de Serviço Social Plano de Atividades 2014-15 Gabinete de Serviço Social 1. Voluntariado e Dinamização da Comunidade 1.1. Clube Social 1.2. Projeto Conhecer a Terceira Idade 1.3. Campanha de Natal 1.4. Campanha Papel por

Leia mais

Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira

Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Inscreva-se! Uma mão, um amigo Casa do Povo de Relíquias Através da realização de atividades lúdicas, visitas domiciliárias, apoio na alimentação e acompanhamento

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Página 2 de 29 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Índice Índice de Siglas. 4 Nota Prévia... 5 Exposição e Explicação dos

Leia mais

PROJETO DE REVISÃO DO

PROJETO DE REVISÃO DO PROJETO DE REVISÃO DO REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIOS DE ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR Versão para consulta pública (Aprovada na Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Bragança de 14 de setembro de 2015) Considerando

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL OBJECTIVO DO PDSS ACTIVIDADE/ACÇÃO PARCEIROS ENVOLVIDOS PARCEIRO RESPONSÁVEL INDICADORES DE AVALIAÇÃO EXECUÇÃO TEMPORAL SOLIDARIEDADE SOCIAL Reforçar o apoio alimentar concelhio Melhorar o conhecimento

Leia mais

Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009

Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009 Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009 1 1. ÁREA DE INTERVENÇÃO ACÇÃO SOCIAL Promover a integração social dos grupos socialmente mais vulneráveis * Romper

Leia mais

Regulamento POPs, Projetos Originais Portugueses

Regulamento POPs, Projetos Originais Portugueses Regulamento POPs, Projetos Originais Portugueses 1. Enquadramento e Objetivos A Fundação de Serralves é uma instituição de utilidade pública que tem como missão sensibilizar o público para a Arte Contemporânea

Leia mais

Mais e Melhor no Desenvolvimento Comunitário

Mais e Melhor no Desenvolvimento Comunitário Mais e Melhor no Desenvolvimento Comunitário Responsabilidade Social Como estratégia de Sustentabilidade a Responsabilidade Social das Organizações, tornou-se de vital importância para o Terceiro Sector,

Leia mais

Regulamento Interno PREÂMBULO

Regulamento Interno PREÂMBULO Regulamento Interno PREÂMBULO O Município de Beja enquanto promotor local de políticas de protecção social, desempenha um papel preponderante na elaboração de estratégias de desenvolvimento social e na

Leia mais

1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma sugestão de ação voluntária, uma competência especial ou específica

1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma sugestão de ação voluntária, uma competência especial ou específica Data última atualização: 05 Novembro de 2012 Índice 1 - Entidades parceiras promotoras de voluntariado 2- Projetos específicos de voluntariado 1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma

Leia mais

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã Entidades Promotoras de Voluntariado Câmara Municipal da Casa do Povo da Casa Pia de Lisboa Centro Social e Paroquial da ADAPECIL Associação Juvenil Tá a Mexer GEAL Junta de Freguesia de Ribamar LOURAMBI

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO À FAMÍLIA DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DE S. JOÃO DA MADEIRA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO À FAMÍLIA DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DE S. JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO À FAMÍLIA DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DE S. JOÃO DA MADEIRA Nota justificativa Foram ouvidas as entidades interessadas, nos termos do artigo 117.º do Código do Procedimento

Leia mais

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS)

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) Data: 26-01-2012 Local: Auditório do Edifício Cultural da Câmara Municipal de Peniche Hora de início: 21h15mn Hora do fecho: 23h30mn

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO. Programa Viver Solidário/ Normas Página 1

NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO. Programa Viver Solidário/ Normas Página 1 NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO Programa Viver Solidário/ Normas Página 1 PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO NORMAS DE FUNCIONAMENTO 1.INTRODUÇÃO A prática de actividades de animação regular e sistemática,

Leia mais

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 INDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4 Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 Eixo de Desenvolvimento 2: Empregabilidade de Formação Profissional... 13 Eixo

Leia mais

LINHAS ORIENTADORAS DO PLANEAMENTO E EXECUÇÃO, PELA DIRETORA, DAS ATIVIDADES NO DOMÍNIO DA AÇÃO SOCIAL ESCOLAR PARA

LINHAS ORIENTADORAS DO PLANEAMENTO E EXECUÇÃO, PELA DIRETORA, DAS ATIVIDADES NO DOMÍNIO DA AÇÃO SOCIAL ESCOLAR PARA CONSELHO GERAL LINHAS ORIENTADORAS DO PLANEAMENTO E EXECUÇÃO, PELA DIRETORA, DAS ATIVIDADES NO DOMÍNIO DA AÇÃO SOCIAL ESCOLAR PARA 2015 O regime jurídico dos apoios concedidos pelo Estado no âmbito da

Leia mais

c u r r i c u l u m v i t a e

c u r r i c u l u m v i t a e c u r r i c u l u m v i t a e Informação pessoal Nome Morada Telefone 912079346 Fax Sousa, Cláudia Cristina Assunção Rua Miguel Bombarda, n.º 3, 4ºDto Viseu Correio electrónico floresdelivro@gmail.com

Leia mais

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018 Plano de Ação 2015-2018 Eixo de Intervenção 1 Emprego, Formação e Qualificação a) Estabelecimento da Parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, I.P., com o objetivo de facilitar os processos

Leia mais

CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE"

CICLO DE CONFERÊNCIAS 25 ANOS DE PORTUGAL NA UE Boletim Informativo n.º 19 Abril 2011 CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE" A Câmara Municipal de Lamego no âmbito de atuação do Centro de Informação Europe Direct de Lamego está a promover

Leia mais

CLAS de Melgaço Plano de Desenvolvimento Social 2014-2016 MELGAÇO, JULHO/2013

CLAS de Melgaço Plano de Desenvolvimento Social 2014-2016 MELGAÇO, JULHO/2013 1 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016 MELGAÇO, JULHO/2013 2 ÍNDICE NOTA PRÉVIA Enquadramento e contextualização geográfica e temporal 3 Percurso dos documentos estratégicos 3 Metodologias utilizadas

Leia mais

Ação Social e Inclusão

Ação Social e Inclusão Ação Social e Inclusão Ação Social O campo de actuação da Ação Social compreende, em primeira instância, a promoção do bem estar e qualidade de vida da população e a promoção duma sociedade coesa e inclusiva,

Leia mais

União das Freguesias de Carregado e Cadafais. Loja Social do Carregado. Regulamento Interno. Preâmbulo

União das Freguesias de Carregado e Cadafais. Loja Social do Carregado. Regulamento Interno. Preâmbulo Preâmbulo A, no enquadramento legal do artigo 241º, da Constituição da República Portuguesa, e da Lei 75/2013, de 18 de Setembro, é um espaço dinamizado por um corpo de voluntários, com o apoio e promoção

Leia mais

Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005. Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005

Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005. Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005 Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005 Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005 Senhor Presidente da ALRAA Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente do Governo

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2013/2015

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2013/2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2013/2015 PLANO DE AÇÃO 2013. INDÍCE Pág. 1. Introdução. 2 2. Metodologia. 3 3. Eixos de Intervenção do P.D.S. 2013 a 2015. 5 4. Eixo I Grupos Sociais Desfavorecidos P.D.S.

Leia mais

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor:

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: - Conselho Municipal de Educação de Vila Real - Proposta de Regulamento ---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: A Lei de Bases do Sistema Educativo

Leia mais

Plano de Comunicação e Educação para a Sustentabilidade

Plano de Comunicação e Educação para a Sustentabilidade Plano de Comunicação e Educação para a Sustentabilidade Versão 2.0 de 4 de Junho de 2007 Promotores: Co-financiamento: Introdução A Agenda 21 do Vale do Minho é um processo de envolvimento dos cidadãos

Leia mais

2014/15. Nesta. A quem se dirige? O Projeto Nós. municípios onde. locais; Geografia; Quem

2014/15. Nesta. A quem se dirige? O Projeto Nós. municípios onde. locais; Geografia; Quem Projetoo Nós Propomos! Cidadania, Sustentabilidadee e Inovação na Educação Geográfica 2014/15 Quem o promove? Nesta sua 4ª edição, o Projeto Nós Propomos! Cidadania, SustentabiliS idade e Inovação na Educação

Leia mais

NOTÍCIAS À SEXTA 2013.08.30

NOTÍCIAS À SEXTA 2013.08.30 NOTÍCIAS À SEXTA 2013.08.30 Taxa de desemprego em Portugal baixou para 16,5% em Julho, um sinal positivo sobre o terceiro trimestre. Um relatório do Eurostat indica que a taxa de desemprego nacional diminuiu

Leia mais

unicipal de Vila Pouca d Gabinete Acção Social

unicipal de Vila Pouca d Gabinete Acção Social unicipal de Vila Pouca d Gabinete Acção Social BANCO DE ECURSOS' REGULAMENTO DO BANCO DE RECURSOS DO MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR PREÂMBULO Ao abrigo do quadro legal de atribuições e competências

Leia mais

Setembro: 01 - Início do ano escolar - Início do ano letivo. Outubro:

Setembro: 01 - Início do ano escolar - Início do ano letivo. Outubro: CALENDARIZAÇÃO ATIVIDADES OBJETIVOS RECURSOS HUMANOS Setembro: 01 - Início do ano escolar - Início do ano letivo Preparar o ano letivo Criar uma relação de empatia entre as crianças e os adultos da sala

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE CASTELO DE VIDE

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE CASTELO DE VIDE CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE CASTELO DE VIDE ACTA Nº. 4 Ao dia nove de Setembro do ano dois mil e nove, nesta Vila de Castelo de Vide, reuniu na Biblioteca Municipal pelas 10,00 horas, o Conselho

Leia mais

PRÉMIO FUNDAÇÃO ILÍDIO PINHO

PRÉMIO FUNDAÇÃO ILÍDIO PINHO PRÉMIO «CIÊNCIA NA ESCOLA» REGULAMENTO DO PRÉMIO 11ª Edição 2013/14 Página 1 de 7 REGULAMENTO DO PRÉMIO "CIÊNCIA NA ESCOLA CAPÍTULO 1 Disposições gerais Artigo 1.º 1. A Fundação Ilídio Pinho, o Ministério

Leia mais

Plano Gerontológico de Monchique Apresentação Pública 15 de Outubro de 2011

Plano Gerontológico de Monchique Apresentação Pública 15 de Outubro de 2011 Apresentação Pública 15 de Outubro de 2011 Trajectórias de envelhecimento Após os 65 anos de idade a estimulação cognitiva diminui significativamente. A diminuição da estimulação desencadeia/agrava o declínio

Leia mais

O GRUPO DE EMRC E OS FRUTOS DO PROJETO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL COLÉGIO AMIGO (2013.2014)

O GRUPO DE EMRC E OS FRUTOS DO PROJETO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL COLÉGIO AMIGO (2013.2014) O GRUPO DE EMRC E OS FRUTOS DO PROJETO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL COLÉGIO AMIGO (2013.2014) Recolha de Alimentos: Dia Mundial para a Erradicação da Pobreza (mês de outubro) No ano letivo que se encerra,

Leia mais

NOTÍCIAS À SEXTA 2013.10.18

NOTÍCIAS À SEXTA 2013.10.18 NOTÍCIAS À SEXTA 2013.10.18 REGULAMENTO Nº 390-A/2013 (Extrato) Fundo de Garantia de Compensação do Trabalho F G C T Artigo 8.º Entrega do empregador 1. As entregas a efetuar pelas entidades empregadoras

Leia mais

Grelha de Análise SWOT (Strengths (forças); Weaknesses (fraquezas); Opportunities (oportunidades), Threats (ameaças))... Factores Endógenos

Grelha de Análise SWOT (Strengths (forças); Weaknesses (fraquezas); Opportunities (oportunidades), Threats (ameaças))... Factores Endógenos Problemática Essencial I Envelhecimento Demográfico - Apoio Domiciliário do Centro de Saúde com viatura cedida pela Câmara Municipal. - Iniciativas da Câmara Municipal com o objectivo de proporcionar momentos

Leia mais

NOTÍCIAS À SEXTA 12.09.2014

NOTÍCIAS À SEXTA 12.09.2014 O Conselho de Ministros de 11 de Setembro aprovou na generalidade uma proposta de lei que procede à revisão do regime jurídico do arrendamento urbano. Esta proposta destina-se a ajustar alguns aspetos

Leia mais

Programa da Rede Social CLAS Mesão Frio. Plano de Acção. O Plano de Acção do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de

Programa da Rede Social CLAS Mesão Frio. Plano de Acção. O Plano de Acção do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de O do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de Desenvolvimento Social, onde estão definidos alguns Projectos (com o desejo de uma projecção num futuro próximo), a serem desenvolvidos para se concretizarem

Leia mais

Fundamentação. Artigo 1º Âmbito

Fundamentação. Artigo 1º Âmbito Regulamento Interno Fundamentação As preocupações sociais da Associação Vidas Cruzadas estão bem patentes nos objectivos de intervenção desta Instituição. Face ao actual contexto sócio económico cujas

Leia mais

pelouro da educação, cultura, desporto e juventude CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

pelouro da educação, cultura, desporto e juventude CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ORDEM DE TRABALHOS.6ª reunião CME Leitura e aprovação da ata da reunião anterior; Balanço do 1º período do ano letivo 2011/12; Intervenção do representante do Ministério

Leia mais

Regulamento. Prémio Novos Artistas Fundação EDP 2015

Regulamento. Prémio Novos Artistas Fundação EDP 2015 Regulamento Prémio Novos Artistas Fundação EDP 2015 Considerando que: A. A Fundação EDP é uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos, que tem por fins gerais a promoção, o desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJECTO Gai@prende+ REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJETO GAI@PRENDE+

REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJECTO Gai@prende+ REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJETO GAI@PRENDE+ REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJETO GAI@PRENDE+ 2 PREÂMBULO A educação é um instrumento fundamental para assegurar uma sociedade do conhecimento e um melhor entendimento do mundo, para o garante de uma cidadania

Leia mais

NEWSLETTER#5 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave

NEWSLETTER#5 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave NEWSLETTER#5 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave Sistema de Aprendizagem Com uma vasta experiência nesta modalidade de formação, a Sol do Ave tem vindo a desenvolver

Leia mais

INCLUSÃO SOCIAL & CAPITAL HUMANO: PRINCIPAIS PRIORIDADES ALTO MINHO 2020 13 DE NOVEMBRO DE 2015 VILLA MORAES, PONTE DE LIMA

INCLUSÃO SOCIAL & CAPITAL HUMANO: PRINCIPAIS PRIORIDADES ALTO MINHO 2020 13 DE NOVEMBRO DE 2015 VILLA MORAES, PONTE DE LIMA INCLUSÃO SOCIAL & CAPITAL HUMANO: PRINCIPAIS PRIORIDADES ALTO MINHO 2020 13 DE NOVEMBRO DE 2015 VILLA MORAES, PONTE DE LIMA ÍNDICE 1- DIAGNÓSTICO SÍNTESE: IDEIAS-CHAVE 1.1 - DINÂMICA POPULACIONAL 1.2 EDUCAÇÃO

Leia mais

I EMJ 8 de Junho de 2013 Recomendações finais Participantes nos grupos de trabalho que produziram as recomendações:

I EMJ 8 de Junho de 2013 Recomendações finais Participantes nos grupos de trabalho que produziram as recomendações: Nr Área Recomendação Valido Abstenh o-me C/6 E/7 F/7 Voluntariado Aproveitar espaços sem utilização para fazer jardins, espaços para convívio e locais de desporto para a população. Promover a limpeza dos

Leia mais

Plano Nacional de Leitura

Plano Nacional de Leitura Agrupamento de Escolas das Taipas Plano Nacional de Leitura 1. Estrutura organizacional Coordenador: Carlos Monteiro Grupo de Recrutamento: 300 Departamento: Línguas Composição do grupo de trabalho: docentes

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DE 2014

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DE 2014 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DE 2014 A Associação Dar a Mão é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), de inspiração cristã, cujo objectivo é dar apoio às reclusas e reclusos dentro do Estabelecimento

Leia mais

Plano de Atividades PECPT 2013

Plano de Atividades PECPT 2013 Plano de Atividades PECPT 2013 1. IDENTIDADE, COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO (conjunto de medidas que permitam o reforço da identidade, comunicação e capacidade de divulgação do PECPT) - Generalizar a aplicação

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PLANO DE ACÇÃO 2011

AVALIAÇÃO DO PLANO DE ACÇÃO 2011 AVALIAÇÃO DO PLANO DE ACÇÃO 2011 Eixo de Desenvolvimento I: Emprego/Desemprego Desenvolver medidas com vista à redução do desemprego, ao aumento da estabilidade no emprego e facilitadores do ingresso dos

Leia mais

Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil

Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil APCOI lança 4ª edição do projeto que incentiva os alunos a comer mais fruta no lanche escolar Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil Depois do sucesso das edições anteriores

Leia mais

ESPAÇO SOLIDÁRIO. Normas de Funcionamento. Preâmbulo. A Câmara Municipal de Sesimbra, enquanto agente promotor de políticas de

ESPAÇO SOLIDÁRIO. Normas de Funcionamento. Preâmbulo. A Câmara Municipal de Sesimbra, enquanto agente promotor de políticas de ESPAÇO SOLIDÁRIO Normas de Funcionamento Preâmbulo A Câmara Municipal de Sesimbra, enquanto agente promotor de políticas de protecção social, tem vindo a implementar um conjunto de medidas de apoio às

Leia mais

Concurso Nacional de Leitura 2012/2013. 2.ª fase Distrito de Vila Real

Concurso Nacional de Leitura 2012/2013. 2.ª fase Distrito de Vila Real Concurso Nacional de Leitura 2012/2013 2.ª fase Distrito de Vila Real ( ) A principal orientação que a Drª Maria Carlos Loureiro, Diretora de Serviços do Livro e Vogal do Plano Nacional de Leitura, sublinhou

Leia mais

Concurso Todos Contam

Concurso Todos Contam PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA Concurso Todos Contam Regulamento do Concurso O Concurso Todos Contam é uma iniciativa promovida pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros, entidade composta

Leia mais

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha A Cáritas Diocesana de Viseu no Bairro Social de Paradinha A Cáritas continua com um trabalho de relevante interesse social no Bairro Social de Paradinha. No ano de 2008, a Cáritas continuou a desenvolver

Leia mais

Plano de Ação. Benéfica e Previdente

Plano de Ação. Benéfica e Previdente Plano de Ação 2015 Benéfica e Previdente Mensagem da Administração Objetivos Estratégicos para 2015 Plano de Ação 2015 Desenvolvimento Associativo Apoio ao Associado Lazer Abrigo da Geira Residências de

Leia mais

Escola Sénior do Mundo Rural - 2006

Escola Sénior do Mundo Rural - 2006 Escola Sénior do Mundo Rural - 2006 A Escola Sénior do Mundo Rural (ESMR), insere-se no âmbito da actividade 6 - "Apoio ao Movimento Associativo", do projecto ParticipAR. Tendo como objectivo principal

Leia mais

Rede Social. Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012

Rede Social. Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012 Rede Social Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012 2012 Índice Introdução... 3 1 - Eixo de Intervenção Famílias... 5 2 - Eixo de Intervenção Educação e Cidadania... 8 3- Eixo

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SINES RELATÓRIO DE GESTÃO

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SINES RELATÓRIO DE GESTÃO SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SINES RELATÓRIO DE GESTÃO 2014 1 INTRODUÇÃO Nos dias de hoje, qualquer Instituição ou Entidade tem como dever a apresentação de contas, sendo esta apresentação da responsabilidade

Leia mais

Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira

Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Inscreva-se Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira

Leia mais