Prof. Fabiano Geremia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof. Fabiano Geremia"

Transcrição

1 PLANEJAMENTO ESTRÁTEGICO PARA ARRANJOS PRODUTIVOS CURSO INTERMEDIÁRIO PARA FORMULADORES DE POLÍTICAS Prof. Fabiano Geremia

2 Planejamento Estratégico ementa da disciplina Planejamento estratégico e seus impactos sobre as estratégias das empresas; Planejamento e Gestão Estratégica. Visão estratégica do APL; Missão estratégica do APL; Estratégias de inserção competitiva de APLs; Construção de Cenários estratégicos; Análise do Ambiente Interno e do Ambiente Externo; Modelo das cinco Forças competitivas de Porter; Vantagens Competitivas. Estratégias Competitivas.

3 Objetivos específicos de aprendizagem Ao finalizar essa unidade, o aluno deverá ser capaz de: Destacar as principais evoluções do planejamento estratégico e as práticas para a formulação de estratégia para APLs; Destacar a importância das diversas ferramentas do pensamento estratégico, e relacionar com suas aplicações no horizonte empresarial; Apresentar os impactos no planejamento estratégico para o desenvolvimento das firmas inseridas em APLs;

4 Objetivos específicos de aprendizagem Apresentar a metodologia de elaboração do planejamento estratégico para arranjos produtivos locais; Comparar as vantagens e desvantagens da utilização de ferramentas de planejamento estratégico para APLs; Estabelecer conexões entre o desenvolvimento produtivo de APLs com as práticas de planejamento;

5 Planejamento Estratégico - conceito

6 Planejamento Estratégico - conceito O planejamento estratégico pode ser considerado uma Metodologia que estabelece o rumo a ser seguido pela empresa; Considera as principais variáveis os fatores competitivos das firmas.

7 Planejamento Estratégico - conceito As características do planejamento estratégico geralmente estão associadas, a orientação de longo prazo, ao alcance das atividades da organização, a vantagens na organização sobre seus concorrentes, a adaptação estratégica ao ambiente de negócios, a recursos e competências da organização e a valores e expectativas dos atores no interior de determinada organização. (Souza, 2011)

8 Questionamentos para construção do Planejamento estratégico para APLs O que é o planejamento estratégico para APL? Para que serve o planejamento estratégico APL? Planejamento estratégico para APL possibilita a definição de diretrizes e estratégias?

9 Questionamentos para construção do Planejamento estratégico para APLs Como o planejamento estratégico pode beneficiar as pequenas empresas, uma vez que a sua formulação exige colaboradores especializados? Qual a função do planejamento em um ambiente em constante mudança?

10 Planejamento estratégico para APLs a estratégia de desenvolvimento do APL o planejamento deve relacionar a visão, a missão, os objetivos, as estratégias de desenvolvimento e os valores. Esses fatores permitem definir para onde o APL quer chegar em termos de desenvolvimento regional e qual o caminho escolherá para chegar para atingir os objetivos traçados.

11 Planejamento estratégico para APLs A elaboração de planejamento estratégico serve para que todos na organização possam entender e definir os objetivos da firma, assim todos trabalham pela construção de metas comuns.

12 Planejamento estratégico para APLs Quando transportamos esse conceito para APLs as dificuldades são multiplicadas, uma vez que grande parte das organizações se considera concorrentes dificultando o estabelecimento de metas comuns. Cabe ao agente que está elaborando o planejamento estratégico alinhar objetivos a partir das características estudadas em cada APL.

13 Planejamento estratégico para APLs Onde o APL quer chegar? Qual o caminho escolherá para chegar? Planejamento estratégico

14 Planejamento estratégico para APLs O planejamento estratégico é uma ferramenta que possibilita a projeção do futuro de uma organização e/ou um grupo de organizações como é o caso de um arranjo ou sistema produtivo local, em relação ao horizonte de médio e longo prazo.

15 Planejamento estratégico para APLs O planejamento consiste em projetar as ações que devem ser executadas e que maneira devem ser executadas; A responsabilidade para a elaboração do planejamento estratégico para APL recai sobre as instituições de apoio, governamentais e/ou associativas

16 Planejamento Estratégico características A orientação de longo prazo está relacionada ao time de companhia desejada, em nosso caso ao tipo de APL que a comunidade empresarial e local deseja; O alcance das atividades da organização está ligado ao questionamento de que o APL deve incentivar o desenvolvimento de outros segmentos de atividades do setor ou especializar-se em atividades na qual já possuem vantagens competitivas consolidadas;

17 Planejamento Estratégico características A vantagem da organização sobre seus concorrentes relaciona-se com as vantagens da firma estar localizada em determinado APL, tais como disponibilidade de mão de obra qualificada, baixo custo da mão de obra, proximidade com clientes e consumidores, proximidade com universidades e institutos de pesquisa, existência de programas de apoio e promoção;

18 Planejamento Estratégico características A adaptação estratégica ao ambiente de negócios refere-se ao fato das firmas necessitarem de posicionamento apropriado em seu ambiente de negócios, tal como delimitação da amplitude de produtos ou serviços que atendam claramente às necessidades identificadas pelo mercado. Os recursos e competências da organização se aplica a dinâmica do APL pela capacidade de explorar a capacidade estratégica das organizações no que diz respeito a seus recursos e competência a fim de fornecer vantagens competitivas e/ou novas oportunidades de ganhos técnicos e financeiros;

19 Planejamento Estratégico características Os valores e expectativas dos agentes envolvidos no processo se refere a governança que determinados atores exercem no interior do arranjo, possibilitando a condução política em questões fundamentais para o crescimento e o desenvolvimento das firmas, especialmente destacando as possibilidades e o papel que cada firma pode desempenhar para o bem comum do APL.

20 Estratégia Estratégia é a orientação e o alcance de objetivos de uma organização a longo prazo, que conquista vantagens num ambiente inconstante por meio da configuração de recursos e competências com o intuito de atender às expectativas dos agentes envolvidos Fonte: adaptado de Souza (2011)

21 Estratégia para APL A estratégia em nível de arranjos produtivos locais diz respeito ao modelo de negócio e o alcance que as firmas terão dentro de determinado setor de atividades!

22 Planejamento Estratégico características das decisões estratégicas Orientação de longo prazo para o desenvolvimento do APL, capaz de melhor o desempenho competitivo das firmas Obtenção de vantagens competitivas sobre os demais concorrentes do setro principal de atividade Desenvolvimento de competências e capacitações, que atendam as expectativas de desenvolvimento e geração de emprego e renda local

23 Características do Planejamento Estratégico para APL O planejamento estratégico para APL deve ser construído de maneira conjunta por agentes que represente os interesses locais e que possuam total aceitação política por parte de todos os agentes envolvidos. O planejamento estratégico para APLs define a Missão, a visão ou planejamento estratégico, metas e objetivos, estratégias, modelo de negócio e controle.

24 Quem deve desenvolver o planejamento estratégico O planejamento estratégico geralmente seja realizado pelos níveis mais altos da empresa; O planejamento estratégico para APL deve ser construído de maneira conjunta por agentes que represente os interesses locais e que possuam total aceitação política por parte de todos os agentes envolvidos.

25 Ambiente da construção do planejamento estratégico O planejamento estratégico é construído em ambientes carregados de incerteza que envolve a construção lógica da estratégia, uma vez que é impossível prever o futuro, ou mesmo prever todas as variáveis que envolvem o futuro;

26 Ambiente da construção do planejamento estratégico Assim é necessário considerar a integração entre fatores operacionais e fatores funcionais; Os fatores funcionais podem ser definidos como a adequação de determinados agentes ao papel exercido pelos mesmos no planejamento estratégico do APL;

27 Ambiente da construção do planejamento estratégico As relações e redes fora do APL representam papel relevante em termos estratégia de desenvolvimento, tais como fornecedores, canais de distribuição aos clientes; O processo de mudança técnica e organizacional é um componente de extrema importância na construção de estratégia de desenvolvimento local de APLs.

28 Aspectos do Planejamento estratégico para APLs O planejamento estratégico para APLs define a Missão, a visão ou planejamento estratégico, metas e objetivos, estratégias, modelo de negócio e controle.

29 Planejamento Estratégico - Missão A missão é caracterizada como sendo um propósito geral do APL, idealmente atende a questões relacionadas ao alcance e os limites de desenvolvimento relacionados às firmas existentes.

30 Planejamento Estratégico - Visão A visão ou planejamento estratégico é caracterizado como sendo o estágio futuro do APL, em outras palavras a visão é considerada a estratégia central em que todos os agentes do arranjo deve perseguir.

31 Planejamento Estratégico metas e objetivos As metas e objetivos são palavras alinhada com a missão, mas normalmente está associada a natureza qualitativa e quantitativa respectivamente; A capacidade estratégica compreende os recursos e competências que o APL possui com a finalidade de agregar valores aos produtos e serviços prestados;

32 O modelo de negócio relaciona-se com os fluxos intangíveis e tangíveis existentes no APL, caracterizado pela por informações e produtos respectivamente, normalmente o fluxo de produtos segue uma trajetória linear (fornecedor, produtor e usuário)que o fluxo de informações e comunicação segue trajetórias particulares em cada APL. Planejamento Estratégico modelo de negócios

33 Planejamento estratégico o controle O controle estratégico descreve o processo de acompanhamento e monitoramento da missão, objetivos e metas traçadas pelos executivos responsáveis pela execução do planejamento estratégico do APL.

34 Dinâmica do planejamento estratégico para APLs planejamento estratégico visão de futuro Desenvolvimento local com equidade e sustentabilidade

35 Benefícios do Planejamento Estratégico Identificar as oportunidades que o mercado oferece; Entender os problemas gerenciais; Prever as possíveis mudanças nos cenários futuros; Estabelecer e identificar a governança no âmbito do APL;

36 Benefícios do Planejamento Estratégico Identificar objetivos e metas gerais de longo prazo para o desenvolvimento produtivo e institucional do APL; Concentrar esforços dos agentes produtivos e políticos nas oportunidades que o mercado oferece, tal como planejamento conjunto para internacionalização produtiva do APL;

37 Benefícios do Planejamento Estratégico Corrigir rotas erradas no menor tempo possível; Identificar fluxos de informações entre os agentes; Permitir o esforço conjunto dos agentes do APL; Definir responsabilidade entre os agentes; Exercitar a cultura prospectiva;

38 Benefícios do Planejamento Estratégico Possibilitar o espírito cooperativo entre as firmas do APL; Incentivar o esforço inovativo das firmas, tais como incentivo para mudanças na cultura organizacional, mudanças nos processos e mudanças nos produtos e serviços.

39 Os benefícios do planejamento estratégico Esse processo é a formalização dos objetivos e metas de desenvolvimento das firmas de um determinado setor de atividades localizadas próximas geograficamente que refletem no desenvolvimento regional.

40 Os benefícios do planejamento estratégico O planejamento estratégico constrói cenários com perspectiva ou com hiato temporal de 5 a 10 anos. Normalmente atividades industriais tem ciclo operacional é mais longo, enquanto que atividades relacionadas a serviços têm horizontes temporal menor.

41 Planejamento Estratégico Perguntas básicas Onde e como estamos? Aonde vamos? Quem somos? Como vamos? Souza (2011)

42 Planejamento Estratégico Perguntas básicas A resposta a pergunta quem somos está relacionado à capacidade de seguir as estratégias construídas, em outras palavras temos recursos humanos e financeiros suficientes? O APL tem acesso ou apresenta-se desenvolvido tecnologicamente capaz de buscar os objetivos e metas desejados?

43 Planejamento Estratégico Perguntas básicas Os agentes envolvidos compreendem e estão dispostos a buscarem objetivos e metas comuns? O questionamento onde e como estamos, define-se pelo entendimento de como o APL está articulado ao ambiente político, social, tecnológico e econômico.

44 Desdobramentos dos Questionamentos do Planejamento estratégico para APLs Quem somos? O que representamos para o setor de atividade? Aonde esperamos chegar? O que queremos representar para o setor de atividade em 5 anos? quais as estratégias e ações iremos executar para chegar aos objetivos e metas traçadas?

45 Planejamento Estratégico Perguntas básicas A resposta da pergunta aonde vamos, conduz os elaboradoras do planejamento a entender, qual a posição no mercado do APL quer ter no horizonte temporal traçado; O APL pode seguir as tendências e a evolução do sistema produtivo do segmento de atividade

46 Aonde vamos: Está relacionado à capacidade de visão global por parte dos agentes executores do planejamento, exigindo para isso grande capacidade de síntese, bem como capacidade de abstração para construir cenários possíveis, tanto relacionados ao ambiente interno as firmas, como ao ambiente competitivo externo. Planejamento Estratégico Perguntas básicas

47 Processo de construção do Planejamento estratégico Planejamento estratégico do APL A escolha das estratégias a serem seguidas A execução das estratégias traçadas

48 Planejamento Estratégico Perguntas básicas Como vamos: ocorre somente após conhecidos todas as variáveis relacionados ao ambiente interno e externo, cabendo em última análise definir as formas de como alcança-los, e que as ações que serão executadas;

49 Planejamento Estratégico Perguntas básicas As diretrizes e as políticas de apoio necessárias para atingir os objetivos e metas traçadas para o crescimento e/ou desenvolvimento do APL; As metodologias de acompanhamento e de avaliação.

50 Planejamento estratégico Metodologia Fonte: Reisner (2013)

51 Elaboração do Planejamento Estratégico modelo metodológico O modelo metodológico clássico difundido em grande parte das escolas de administração segue os seguintes etapas ou passos: Estabelecimento da missão do APL; Estabelecimento da visão de futuro do APL;

52 Elaboração do Planejamento Estratégico modelo metodológico Avaliação do ambiente produtivo e institucional externo ao APL; Avaliação do ambiente produtivo e institucional interno ao APL; Estabelecimento de objetivos e metas que direcionem o crescimento e o desenvolvimento do APL;

53 Elaboração do Planejamento Estratégico modelo metodológico Promoção e avaliação das estratégias; Definição de políticas de ação e de alocação dos recursos disponíveis no APL e; Avaliação do desempenho das estratégias aplicadas.

54 Elaboração do Planejamento Estratégico modelo metodológico As diretrizes e as políticas de apoio necessárias para atingir os objetivos e metas traçadas para o crescimento e/ou desenvolvimento do APL; as metodologias de acompanhamento e de avaliação.

55 Elaboração do Planejamento Estratégico modelo metodológico A missão do APL deve ser construída a partir das seguintes perguntas: Que produtos e serviços devem ser produzidos? Quem são os clientes, quais os tipos de produtos os mesmos demandam? Quais as expectativas dos agentes envolvidos?

56 Elaboração do Planejamento Estratégico modelo metodológico Quais os valores e comportamentos considerados pelos agentes? Quais as áreas de atuação? Qual a responsabilidade social das firmas do APL?

57 Elaboração do Planejamento Estratégico modelo metodológico As características da construção da visão de futuro são: Direciona os esforços dos agentes para se prepararem aos objetivos e metas definidas; Concatenam os esforços das firmas do APL; Estimula a introdução de inovações tecnológica;

58 Elaboração do Planejamento Estratégico modelo metodológico Dissemina os objetivos e metas entre os agentes do APL; Caracteriza-se como uma imagem palpável sobre situações futuras desejáveis pelo APL; Apresenta características que desafiem os agentes envolvidos no APL e; A disseminação dos objetivos e metas deve permitir de todos os agentes do APL possam estabelecer ações com a finalidade de atingilos.

59 Análise do macroambiente para a construção do planejamento estratégico para APLs Disponibilidade de mão de obra qualificada Instâncias de governo e ações de política disponibilidade tecnológica ambiente externo - fornecedores, concorrentes e clientes Condições sócio econômicas políticas macroeconômicas e política internacional influências culturais

60 Análise de cenários A análise ambiente não tem como objetivo primordial definir todos os fatores que influenciam o horizonte competitivo do APL, uma vez que impossível conhecer todas as variáveis existente em custos aceitáveis. Assim, as análises do ambiente concentramse em definir aspectos gerais que exercem influências significativas para o crescimento e desenvolvimento do APL.

61 Análise de cenários aspectos importantes O hiato temporal, a velocidade das mudanças, bem como e as especificidades do mercado, da tecnologia e dos produtos, destacando as principais tendências para cada uma das variáveis relacionadas; A identificação dos principais agentes interessados;

62 Análise de cenários aspectos importantes A identificação dos riscos e incertezas de determinado cenário ocorrer, eliminando possibilidades em que probabilidade de ocorrência seja classificada como muito baixa;

63 Análise de cenários aspectos importantes Classificação dos cenários de acordo com a probabilidade de ocorrência; Compatibilidade das tendências de mercado, tecnológica e de produto com os tempos previstos para realização; Identificação de estudos complementares ao longo da execução dos cenários prováveis;

64 Modelo das cinco forças competitivas

65 Modelo das cinco forças competitivas O modelo das cinco forças competitivas desenvolvido por Porter é útil no desenvolvimento do planejamento estratégico para APL, pois considera todo o ambientes externo e sua influência sobre as variáveis chaves da competitividade das firmas.

66 Vantagens na realização do Planejamento Estratégico Crescimento e desenvolvimento da indústria, em outras palavras é necessário destacar a possibilidade de com o crescimento do mercado a demanda será suficiente para todos os atores atuantes no mercado;

67 Vantagens na realização do Planejamento Estratégico Como os custos de produção e armazenamento exercem influência sobre as possibilidades de desenvolvimento produtivo do APL; O tamanho, a quantidade e a forma como os concorrentes atuam no mercado;

68 Vantagens na realização do Planejamento Estratégico O excesso de capacidade produtiva, quanto que a capacidade ociosa existente na indústria analisada; O grau de diferenciação de produto existente no mercado, uma vez que quando o grau de diferenciação é baixo existente intensificação do processo de concorrência no mercado;

69 Vantagens na realização do Planejamento Estratégico Existência de fidelidade dos clientes com alguma marca ou serviços prestados por determinada firma; O grau de complexidade das informações e tecnologias disponíveis; Diversidades de estruturas de mercados dos concorrentes e fornecedores;

70 Vantagens na realização do Planejamento Estratégico Barreiras à entrada e a saída de novos concorrentes tais como custos trabalhistas, ativos específicos, barreiras legais e ambientais, restrições sociais e governamentais.

71 Considerações finais Essa disciplina se propôs a apresentar os principais conceitos e as principais variáveis que precisam ser consideradas na construção do planejamento estratégico para APL, bem como a metodologia básica de construção do plano.

72 Considerações finais Considerando os conceitos e metodologia geral, o planejamento estratégico não pode ser rígido, tendo que apresentar obrigatoriamente uma boa dose de criatividade, com variações entre os pontos críticos em cada APL analisado.

73 Considerações finais A importância da existência do planejamento estratégico nas organizações e nos APL é destacada por diversos autores, tais como Souza (2011) e Alves (2010) afirmando que dada as instabilidades econômicas dos últimos anos a formulação de planos de desenvolvimento mantem-se cada vez mais importantes, para a criação e geração de emprego no interior de arranjos produtivos locais.

74 Referências Obrigatórias da disciplina FONTES FILHO, Joaquim Rubens. Planejamento Estratégico. 3 ª Rio de Janeiro: FGV Consulting 65 p. Disponível em acesso em 10 de outubro de SOUZA, Caio Motta Luiz.: Entre o planejamento estratégico formal e informal: um estudo de caso exploratório sobre a prática de estratégia nas organizações. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 15 n. 5, art. 4. pp , set./out Disponível em acesso em 20 de novembro de 2013.

75 Referências de apoio da disciplina ALVES, José Antônio Ferreira.: Formulação de um plano estratégico em instituições do terceiro setor: o caso de uma ONG de pequeno porte com modelo de gestão baseado na hierarquização de decisões. Dissertação de mestrado. Campo Limpo Paulista/SP Disponível em o/joseantonioferreiraalves/dissertacao.pdf acesso em 15 de outubro de ANDREUZZA, Márcio Giussepp Santezzi Bertotelli. Planejamento Estratégico. SAGRES. Política e Gestão Estratégicas Aplicadas. Disponível em acesso em 01 de novembro de PORTER, M.E. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, REISNER.: Desenvolvimento Estratégicos. Disponível em acesso em 24 de novembro de 2013.

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

Formulação da Visão e da Missão

Formulação da Visão e da Missão Formulação da Visão e da Missão Zilta Marinho zilta@globo.com Os grandes navegadores sempre sabem onde fica o norte. Sabem aonde querem ir e o que fazer para chegar a seu destino. Com as grandes empresas

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com o ambiente.

Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com o ambiente. Mário Sérgio Azevedo Resta CONSULTOR TÉCNICO EM NEGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com

Leia mais

Análise do Ambiente estudo aprofundado

Análise do Ambiente estudo aprofundado Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Análise do Ambiente estudo aprofundado Agenda: ANÁLISE DO AMBIENTE Fundamentos Ambientes

Leia mais

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 INTRODUÇÃO Sobre o Relatório O relatório anual é uma avaliação do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da FDC sobre as práticas

Leia mais

O executivo ou especialista na área de marketing deve identificar três níveis de sistemas:

O executivo ou especialista na área de marketing deve identificar três níveis de sistemas: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EAD MÓDULO IV A EMPRESA COMO SISTEMA Para o estudioso na área de marketing trabalhar melhor o planejamento nas organizações, ele precisa conhecer a empresa na sua totalidade e

Leia mais

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias Sustentabilidade no Grupo Boticário Atuação com a Rede de Franquias Mais de 6.000 colaboradores. Sede (Fábrica e Escritórios) em São José dos Pinhais (PR) Escritórios em Curitiba (PR) e São Paulo (SP).

Leia mais

Módulo 4.1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

Módulo 4.1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Módulo 4.1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EVOLUÇÃO DA COMPETIÇÃO NOS NEGÓCIOS 1. Revolução industrial: Surgimento das primeiras organizações e como consequência, a competição pelo mercado de commodities. 2.

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM Reflexões voltadas para a Gestão MUDANÇAS EDUCAÇÃO NO BRASIL 1996 Lei 9.934 LDB 1772 Reforma Pombalina 1549 Ensino Educação público no dos Brasil Jesuítas Lei

Leia mais

Módulo 3: O Metódo Balance Scorecard (BSC)

Módulo 3: O Metódo Balance Scorecard (BSC) ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gestão da Estratégia com uso do BSC Conteúdo para impressão Módulo 3: O Metódo Balance Scorecard (BSC) Brasília 2014

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas 1) Resumo Executivo Descrição dos negócios e da empresa Qual é a ideia de negócio e como a empresa se chamará? Segmento

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Disciplina: Planejamento e Gestão

Leia mais

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

PARTE III Introdução à Consultoria Empresarial

PARTE III Introdução à Consultoria Empresarial FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

Curso de Capacitação de Gestores de APLs

Curso de Capacitação de Gestores de APLs Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais Curso de Capacitação de Gestores de APLs Porto Alegre, 22-24/abril/2013 1 Objetivo: Capacitar os gestores (técnicos) a promoverem os

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h

Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h Administração Geral / 100h O CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BÁSICO DESTA DISCIPLINA CONTEMPLA... Administração, conceitos e aplicações organizações níveis organizacionais responsabilidades Escola Clássica história

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Seu futuro é o nosso compromisso. O presente documento visa trazer em seu conteúdo o posicionamento do INFRAPREV frente aos desafios propostos e impostos pelo desenvolvimento sustentável. Para formular

Leia mais

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 Análise de Tendências e Inovação Estratégica Levar o aluno a compreender os conceitos e as ferramentas de inteligência preditiva e inovação estratégica. Analisar dentro

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Organograma e Departamentalização

ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Organograma e Departamentalização ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Organograma e Departamentalização DISCIPLINA: Introdução à Administração FONTE: BATEMAN, Thomas S., SNELL, Scott A. Administração - Construindo Vantagem Competitiva. Atlas. São

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO TEMA: ELABORAÇÃO DE PROJETOS COM FOCO NA FAMÍLIA Março/2010 ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABOR-AÇÃO: palavra-latim-elabore preparar, formar,ordenar AÇÃO: atuação, ato PRO-JETOS: palavra-latim-projetus

Leia mais

EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA. www.executivebc.com.br. 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br

EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA. www.executivebc.com.br. 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA www.executivebc.com.br 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br GESTÃO ESTRATÉGICA O presente documento apresenta o modelo de implantação do sistema de gestão estratégica da

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Desenvolvimento Territorial a partir de sistemas produtivos locais como modalidade de Política Industrial no Brasil

Desenvolvimento Territorial a partir de sistemas produtivos locais como modalidade de Política Industrial no Brasil Desenvolvimento Territorial a partir de sistemas produtivos locais como modalidade de Política Industrial no Brasil Renato Caporali Confederação Nacional da Indústria Arranjos Produtivos Locais como modalidade

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

Estratégia Empresarial. Prof. Felipe Kovags

Estratégia Empresarial. Prof. Felipe Kovags Estratégia Empresarial Prof. Felipe Kovags Conteúdo programático Planejamento: definição, origem, espírito, princípios e tipos empresariais Planejamento estratégico por negócio Formulação de estratégia:

Leia mais

6. Planejamento do Negócio

6. Planejamento do Negócio 6. Planejamento do Negócio Conteúdo 1. O que é um Plano de Negócios 2. Elaboração de um Plano de Negócios 3. Sessões Propostas para um Plano de Negócios 4. Idéias para um Plano de Negócios 5. Sites para

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Muito mais que um troféu

Muito mais que um troféu São Paulo, 08 de Julho de 2009. Circular ABISIPA Nº 28/2009 Muito mais que um troféu O Brazilian Beauty Club vai premiar o melhor planejamento estratégico de exportação com a participação em um Simpósio

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS Vanice Ferreira 12 de junho de 2012 GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais DE QUE PROCESSOS ESTAMOS FALANDO? GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais

Leia mais

CONCEITO DE ESTRATEGIA

CONCEITO DE ESTRATEGIA CONCEITO DE ESTRATEGIA O termo estratégia deriva do grego stratos (exército) e agein (conduzir). O strategos era o que conduzia o exercito, isto é, o general, o comandante-chefe, o responsável pela defesa

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Lean Seis Sigma e Benchmarking

Lean Seis Sigma e Benchmarking Lean Seis Sigma e Benchmarking Por David Vicentin e José Goldfreind O Benchmarking elimina o trabalho de adivinhação observando os processos por trás dos indicadores que conduzem às melhores práticas.

Leia mais

Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01

Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01 Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01 ELABORAÇÃO DE PLANOS DE SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA PARA EMPREENDIMENTOS ECONÔMICOS SOLIDÁRIOS ORGANIZADOS EM REDES DE COOPERAÇÃO NOS TERRITÓRIOS DA MATA SUL/PE, MATA

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM União Metropolitana de Educação e Cultura Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM Lauro de Freitas - BAHIA 2013 2 JUSTIFICATIVA A principal justificativa para o desenvolvimento e implementação

Leia mais

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Conceitos de Governança de TI Fatores motivadores das mudanças Evolução da Gestão de TI Ciclo da Governança

Leia mais

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO #11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Níveis de planejamento Conceito geral Planejamento estratégico e o MEG Dicas para elaborar um planejamento estratégico eficaz Sobre a

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos

Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos Fevereiro/2014 AGENDA Gestão de Riscos Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos AGENDA Gestão de Riscos Metodologia de Gestão

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO GESTÃO ESTRATÉGICA NO APL

ESTUDO DIRIGIDO GESTÃO ESTRATÉGICA NO APL Curso de Capacitação de Agentes Gestores em APLs ESTUDO DIRIGIDO GESTÃO ESTRATÉGICA NO APL Prof. Gustavo Martins Porto Alegre, abril 2012 Estudo Dirigido Estratégia Competitiva A partir dos conceitos e

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA CONJUNTA BNDES/FINEP/MS DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO SETOR DE EQUIPAMENTOS MÉDICOS E TECNOLOGIAS PARA A SAÚDE INOVA SAÚDE EQUIPAMENTOS MÉDICOS - 02/2013 Modelo de Plano

Leia mais

Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo

Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo Com a competição por talentos e a cobrança maior por resultados financeiros, as empresas vem procurando criar ou alterar

Leia mais

Administração Judiciária

Administração Judiciária Administração Judiciária Planejamento e Gestão Estratégica Claudio Oliveira Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica Conselho Superior da Justiça do Trabalho Gestão Estratégica Comunicação da Estratégia

Leia mais

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing Plano de Marketing Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing 1 Plano de Marketing É o resultado de um processo de planejamento. Define o quevai ser vendido, por quanto,

Leia mais

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO CONTEÚDO 1 APRESENTAÇÃO 2 PÁGINA 4 3 4 PÁGINA 9 PÁGINA 5 PÁGINA 3 APRESENTAÇÃO 1 O cenário de inovação e incertezas do século 21 posiciona o trabalho

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Artigo Lean Seis Sigma e Benchmarking

Artigo Lean Seis Sigma e Benchmarking Artigo Lean Seis Sigma e Benchmarking David Vicentin e José Goldfreind Benchmarking pode ser definido como o processo de medição e comparação de nossa empresa com as organizações mundiais best-in-class.

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

IV. Visão Geral do Mapa Estratégico da Indústria Capixaba 2008/2015

IV. Visão Geral do Mapa Estratégico da Indústria Capixaba 2008/2015 IV. Visão Geral do Mapa Estratégico da Indústria Capixaba 2008/2015 Quem disse que nada é impossível? Tem gente que faz isso todos os dias!. Alfred E. Newman O Mapa Estratégico da Indústria Capixaba 2008/2015

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO 1 EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO MESTRADO: A) DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DAS LINHAS 1 e 2: Organizações e Estratégia e Empreendedorismo e Mercado

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE TURISMO DE BLUMENAU. Senac Santa Catarina

PLANO MUNICIPAL DE TURISMO DE BLUMENAU. Senac Santa Catarina PLANO MUNICIPAL DE TURISMO DE BLUMENAU Senac Santa Catarina PLANO MUNICIPAL DE TURISMO UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA Órgão Proponente: Prefeitura Municipal Órgão Executor: Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial

Leia mais

Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento

Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento Profa. Marta Valentim Marília 2014 Modelos,

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

MANUAL GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO

MANUAL GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO 1 - INTRODUÇÃO Define-se como risco de mercado a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes da flutuação nos valores de mercado de posições detidas pela Cooperativa, o que inclui os riscos das operações

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Banco Cooperativo Sicredi S.A. Versão: Julho/2015 Página 1 de 1 1 INTRODUÇÃO O Sicredi é um sistema de crédito cooperativo que valoriza a

Leia mais

INTELIGÊNCIA E PROSPECTIVA ESTRATÉGICAS. A moderna administração está repleta de ferramentas, técnicas e métodos de

INTELIGÊNCIA E PROSPECTIVA ESTRATÉGICAS. A moderna administração está repleta de ferramentas, técnicas e métodos de INTELIGÊNCIA E PROSPECTIVA ESTRATÉGICAS Raul Sturari (*) A moderna administração está repleta de ferramentas, técnicas e métodos de apoio à Gestão Estratégica, cujo sucesso condiciona a sobrevivência e

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial Sistema de Gestão Estratégica Brasília - 2010 SUMÁRIO I. APRESENTAÇÃO 3 II. OBJETIVOS DO SGE 4 III. MARCO DO SGE 4 IV. ATORES

Leia mais

Planejamento Estratégico do Setor de Florestas Plantadas -2012

Planejamento Estratégico do Setor de Florestas Plantadas -2012 CONTEXTO O setor de florestas plantadas no Brasil éum dos mais competitivos a nível mundial e vem desempenhando um importante papel no cenário socioeconômico do País, contribuindo com a produção de bens

Leia mais

Gestão Estratégica e o Balanced Scorecard

Gestão Estratégica e o Balanced Scorecard Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região (http://www.trt23.jus.br) Gestão Estratégica e o Balanced Scorecard José Silva Barbosa Assessor de Planejamento e Gestão Setembro/2009 Objetivos Apresentar a

Leia mais

Conteúdo. 1. Origens e Surgimento. Origens e Surgimento

Conteúdo. 1. Origens e Surgimento. Origens e Surgimento 1 2 Planejamento Estratégico: conceitos e evolução; administração e pensamento estratégico Profª Ms Simone Carvalho simonecarvalho@usp.br Profa. Ms. Simone Carvalho Conteúdo 3 1. Origens e Surgimento 4

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Marketing. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h

Curso Superior de Tecnologia em Marketing. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h Administração Geral / 100h O CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BÁSICO DESTA DISCIPLINA CONTEMPLA... Administração, conceitos e aplicações organizações níveis organizacionais responsabilidades Escola Clássica história

Leia mais

Gestão Estratégica de Marketing

Gestão Estratégica de Marketing Gestão Estratégica de Marketing A Evolução do seu Marketing Slide 1 O Marketing como Vantagem Competitiva Atualmente, uma das principais dificuldades das empresas é construir vantagens competitivas sustentáveis;

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado Plano de Direcionamento Conhecimento de Mercado Conhecimento de Mercado É necessário conhecer o mercado para que sejam desenvolvidos produtos que atendam as necessidades e expectativas dos clientes. Segmentação

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 1-CEPE/UNICENTRO, DE 27 DE JANEIRO DE 2014. Aprova o Curso de Especialização em MBA em Gestão Estratégica de Negócios, modalidade regular, a ser ministrado no Campus de Irati, da UNICENTRO.

Leia mais

5. Análise conjunta dos casos

5. Análise conjunta dos casos 5. Análise conjunta dos casos Após analisar como tem ocorrido o processo de institucionalização da responsabilidade social corporativa nas empresas farmacêuticas estudadas concluiu-se que nas quatro empresas

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula Gestão de Pessoas Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Percepção x trabalho em equipe GESTÃO DE PESSOAS A Gestão de Pessoas é responsável

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Estratégia de TI Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio 2011 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

Qualider Consultoria e Treinamento Instrutor: José Roberto

Qualider Consultoria e Treinamento Instrutor: José Roberto BALANCED SCORECARD Qualider Consultoria e Treinamento Instrutor: José Roberto Por que a Implementação da Estratégia torna-se cada vez mais importante? Você conhece a Estratégia de sua Empresa? Muitos líderes

Leia mais

Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça. Oportunidades Iguais. Respeito às Diferenças.

Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça. Oportunidades Iguais. Respeito às Diferenças. 1 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça. Oportunidades Iguais. Respeito às Diferenças. Guia de orientações para a elaboração do Plano

Leia mais

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos Disseminar a cultura empreendedora e inovadora em Santa Maria Ações de disseminação da Cultura Empreendedora Ações de trabalho conjunto entre Universidades e Comunidade Divulgação do trabalho pelo CEI

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

Sumário 1 APRESENTAÇÃO...3 2 LINHAS GERAIS...4. 2.1. Diretrizes Básicas... 4 2.3. Objetivos... 4 2.4. Público-Alvo... 4

Sumário 1 APRESENTAÇÃO...3 2 LINHAS GERAIS...4. 2.1. Diretrizes Básicas... 4 2.3. Objetivos... 4 2.4. Público-Alvo... 4 Planejamento Estratégico do Sindicato Caderno de Orientações para Outubro de 2008 Sumário 1 APRESENTAÇÃO...3 2 LINHAS GERAIS...4 2.1. Diretrizes Básicas... 4 2.3. Objetivos... 4 2.4. Público-Alvo... 4

Leia mais

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) - PCS A Política de Comunicação do Serviço

Leia mais

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação O Valor da TI Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO PLANO DE DISCIPLINA DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

O Planejamento Estratégico pode ser considerado como uma Bússola e Guia de Apoio à decisão das organizações. É uma metodologia para construir o

O Planejamento Estratégico pode ser considerado como uma Bússola e Guia de Apoio à decisão das organizações. É uma metodologia para construir o O Planejamento Estratégico pode ser considerado como uma Bússola e Guia de Apoio à decisão das organizações. É uma metodologia para construir o futuro da empresa. O que pode fazer pela minha empresa? Avaliar

Leia mais

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com Conceito Com base nas definições podemos concluir que: Governança de de TI TI busca o compartilhamento de de decisões de de TI TI com os os demais dirigentes

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher TERMO DE REFERENCIA Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Supervisão Geral No âmbito do Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13 Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018 L RECyT, 8.11.13 Delineamento do Programa - Quadro Fundamentação Geral Programa público, plurianual, voltado para o fortalecimento

Leia mais

Existem três categorias básicas de processos empresariais:

Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais