Danos do percevejo bronzeado no Brasil. Eng. Ftal Luís Renato Junqueira Coord. Técnico Programa Cooperativo de Proteção Florestal

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Danos do percevejo bronzeado no Brasil. Eng. Ftal Luís Renato Junqueira Coord. Técnico Programa Cooperativo de Proteção Florestal"

Transcrição

1 Danos do percevejo bronzeado no Brasil Eng. Ftal Luís Renato Junqueira Coord. Técnico Programa Cooperativo de Proteção Florestal

2 Breve histórico - PROTEF Primeiro programa nacional relacionado com pragas florestais (PCMIF) 1988 Incorporação da área de doenças florestais 1999 Incorporação da área de incêndios florestais (PROTEF) 2000 Atualmente conta com 20 empresas brasileiras, 2 empresas uruguaias

3 The big five

4 The Big Five australianos 1mm Blue gum chalcid (Leptocybe invasa) Image: Dr Zvi Mendel Red gum lerp psyllid (Glycaspis brimblecombei) Image: Dr Carlos Wilcken Bronze Bug (Thaumastocoris peregrinus) Image: Dr Ann Noack Eucalyptus gall wasp (Ophelimus maskelli) Image: Dr Zvi Mendel Eucalyptus snout beetle (Gonipterus spp. complex)

5 cumulative detections 80 Detecções de agentes invasores australianos no mundo 70 Acordo geral de tarifas e comércio ª GM 2ª GM Moder. Transp. Aéreo Transp. Marít. Containers 40 NIFM OMC Fonte: adaptado Simon Lawson

6 Percevejo bronzeado do eucalipto Praga exótica Espécie: Thaumastocoris peregrinus (Hemiptera: Thaumastocoridae) Origem: Austrália Detecção no Brasil: Detectado em maio de 2008

7 A B C D E Figura: a,c ninfas, b adulto, d posturas em semente de eucalipto, e adultos e posturas. Imagens: Carlos Wilcken

8 Distribuição mundial Fonte: BiCEP

9 Ataque de pragas ao eucalipto no Brasil Área 2011 aprox. 2 milhões ha Área 2012 aprox. 800 mil ha

10 Porcentagem de área atacada por estado Outros Espírito Santo Bahia Piauí Paraná Maranhão Mato Grosso do Sul São Paulo Minas Gerais 0,0 5,0 10,0 15,0 20,0 25,0 30,0 35,0 40,0 45,0 Porcentagem

11

12 Técnicas de Manejo Controle Químico Controle biológico Feromônios Manipulação Genética de pragas Variedades Resistentes Manipulações do Ambiente Manejo Integrado de Pragas (MIP) Manejo Integrado Mortalidade natural Níveis de Controle Amostragem Taxonomia Alicerce das decisões de manejo Adaptado de Gallo et.al., 2002

13 Injúria e Dano Fonte: Ronald Zanetti Notas de aula.

14 Sintomas Prateamento (semelhante a dano de tripes) Clorose Bronzeamento de folhas Secamento de folhas Desfolha Evolução do dano Aparentemente há preferência por folhas maduras (terço inferior e médio da copa)

15

16 Diferenças no sintoma entre materiais

17 Tomada de decisão Efetuada pela análise econômica da cultura e da relação custo-benefício do controle de pragas. Nível de dano econômico (NDE) (custo de controle x 100) NDE = f (D%, NP, P) D% = Valor da produção NP: Nível populacional da praga que causa prejuízo à produção P: prejuízo causado à produção (%)

18 Nível de Dano Fonte: Ronald Zanetti Notas de aula.

19 Nº de Indivíduos Flutuação Populacional do P. bronzeado região de Mogi Guaçu (macho e fêmea) Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun PE NC

20

21 Dano: Clone com baixa infestação x clone clorótico (1270). Pompéu, MG. Agosto / 2009.

22 Dano: Desfolhamento em clone urograndis. Gov. Valadares, MG. outubro / 2009.

23

24 Dano: Desfolhamento em clone urograndis. Gov. Valadares, MG. outubro / 2009.

25 Dano: Desfolhamento em clone urograndis. Gov. Valadares, MG. outubro / 2009.

26 Experimentos NDE Descrição: Condução em parcelas gêmeas Parcelas com e sem tratamento químico Avaliação da infestação Avaliação volumétrica Objetivo: Determinar o nível de dano econômico (NDE) Dificuldades: Ausência do inseto Frequência da infestação

27 Teste 1 Plantio 1 ano Plantio 2 anos

28 Parcela tratada

29 Parcela não não tratada

30

31 Massa de folhas (g) 250 Massa de folhas coletadas sob a copa de árvores de eucalipto atacadas pelo percevejo-bronzeado - PLANTIO DE 2 ANOS - Bom Despacho, MG % TRATADA TESTEMUNHA 150% 0

32 Teste 2 Severidade do dano C1 C2 C3 Fonte - adaptado: Marlon Michel Moreira

33 Teste 3 Fonte: Alex Medeiros

34 Resultados operacionais Fonte: Alex Medeiros

35 FUTURO... Novos agentes exóticos Restrições impostas pelo FSC Tempo p/ novas moléculas no mercado Produtividade florestal brasileira Organização política do setor Tempo p/ registro de produtos Tempo p/ ajuste do CB

36 Sintomas de Ophelimus maskelli Imagens: Zvi Mendel

37

38 Obrigado!

SITUAÇÃO ATUAL DO PROJETO COOPERATIVO DE MANEJO DE PRAGAS EXÓTICAS DO EUCALIPTO

SITUAÇÃO ATUAL DO PROJETO COOPERATIVO DE MANEJO DE PRAGAS EXÓTICAS DO EUCALIPTO unesp 15a. Reunião Técnica PROTEF Abr/2010 SITUAÇÃO ATUAL DO PROJETO COOPERATIVO DE MANEJO DE PRAGAS EXÓTICAS DO EUCALIPTO Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu Percevejo bronzeado do eucalipto Praga

Leia mais

SITUAÇÃO ATUAL DAS PRAGAS EXÓTICAS DO EUCALIPTO

SITUAÇÃO ATUAL DAS PRAGAS EXÓTICAS DO EUCALIPTO unesp 16a. Reunião Técnica PROTEF Nov/2010 SITUAÇÃO ATUAL DAS PRAGAS EXÓTICAS DO EUCALIPTO Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu Percevejo bronzeado do eucalipto 2008 Detecção no Brasil (SP e RS) 2009

Leia mais

unesp DIA DE CAMPO SOBRE PERCEVEJO BRONZEADO DO EUCALIPTO Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu

unesp DIA DE CAMPO SOBRE PERCEVEJO BRONZEADO DO EUCALIPTO Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu unesp DIA DE CAMPO SOBRE PERCEVEJO BRONZEADO DO EUCALIPTO Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu 1. INTRODUÇÃO O percevejo bronzeado tem avançado com rapidez em SP e RS. Desde outubro de 2008 foi encontrado

Leia mais

Manejo do Percevejo Bronzeado nas Áreas da Plantar

Manejo do Percevejo Bronzeado nas Áreas da Plantar ISimpósio Sobre Pragas da Cultura do Eucalipto Diretoria Técnica Departamento de Pesquisa & Desenvolvimento Florestal Proteção Florestal Manejo do Percevejo Bronzeado nas Áreas da Plantar Maio 2014 ISimpósio

Leia mais

Workshop FAPESP: Desafios da Pesquisa em Controle Biológico na Agricultura do Estado de São Paulo Controle Biológico em Florestas Plantadas

Workshop FAPESP: Desafios da Pesquisa em Controle Biológico na Agricultura do Estado de São Paulo Controle Biológico em Florestas Plantadas Workshop FAPESP: Desafios da Pesquisa em Controle Biológico na Agricultura do Estado de São Paulo Controle Biológico em Florestas Plantadas Carlos F. Wilcken - FCA/UNESP Botucatu Luiz Alexandre N. de Sá

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA MANEJO DO PERCEVEJO BRONZEADO DO EUCALIPTO

PERSPECTIVAS PARA MANEJO DO PERCEVEJO BRONZEADO DO EUCALIPTO unesp 14a. Reunião Técnica PROTEF Nov/2009 PERSPECTIVAS PARA MANEJO DO PERCEVEJO BRONZEADO DO EUCALIPTO Carlos F. Wilcken; Everton P. Soliman; Alexandre C. V. Lima; Mário H.F.A. Dal Pogetto; Thaise K.R.

Leia mais

MANEJO DE PRAGAS EXÓTICAS EM FLORESTAS

MANEJO DE PRAGAS EXÓTICAS EM FLORESTAS MANEJO DE PRAGAS EXÓTICAS EM FLORESTAS DE EUCALIPTO RESUMO As pragas exóticas do eucalipto o psilídeo-de-concha Glycaspis brimblecombei (Hemiptera: Psyllidae), o percevejo bronzeado Thaumastocoris peregrinus

Leia mais

16ª. REUNIÃO TÉCNICA PROTEF MANEJO DE PRAGAS E DOENÇAS FLORESTAIS REGIÃO SUBTROPICAL

16ª. REUNIÃO TÉCNICA PROTEF MANEJO DE PRAGAS E DOENÇAS FLORESTAIS REGIÃO SUBTROPICAL 16ª. REUNIÃO TÉCNICA PROTEF MANEJO DE PRAGAS E DOENÇAS FLORESTAIS REGIÃO SUBTROPICAL DINÂMICA POPULACIONAL DO PSILÍDEO-DE-CONCHA E DE SEU PARASITÓIDE EM FLORESTA DE Eucalyptuscamaldulensis Prof. Dr. PEDRO

Leia mais

Priorização de Registro de Produtos Fitossanitários para Florestas Plantadas

Priorização de Registro de Produtos Fitossanitários para Florestas Plantadas Priorização de Registro de Produtos Fitossanitários para Florestas Plantadas Prof. Dr. Edson Luiz Furtado - FCA/UNESP - Campus de Botucatu Prof. Dr. Carlos F. Wilcken - FCA/UNESP - Campus de Botucatu Coordenadores

Leia mais

10/06/2015. Setor de árvores plantadas no Brasil. Registro histórico de pragas exóticas em plantios de eucalipto

10/06/2015. Setor de árvores plantadas no Brasil. Registro histórico de pragas exóticas em plantios de eucalipto PRAGAS EXÓTICAS EM EUCALIPTO NO BRASIL Leonardo Rodrigues Barbosa Embrapa Florestas Setor de árvores plantadas no Brasil 7,6 milhões de hectares plantados (Eucalipto, pinus, etc.) 72% com Eucalyptus 57%

Leia mais

Ações para o monitoramento e controle de Thaumastocoris peregrinus no Brasil

Ações para o monitoramento e controle de Thaumastocoris peregrinus no Brasil Ações para o monitoramento e controle de Thaumastocoris peregrinus no Brasil Leonardo R. Barbosa Laboratório de Entomologia Florestal Embrapa Florestas SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE PRAGAS QUERENTERNARIAS

Leia mais

Principais problemas sanitários, atuais e emergentes, do eucaliptal em Portugal

Principais problemas sanitários, atuais e emergentes, do eucaliptal em Portugal Principais problemas sanitários, atuais e emergentes, do eucaliptal em Portugal Luís Filipe Bonifácio, E.M. Sousa, M.H. Machado & M.H. Bragança Instituto Nacional Investigação Agrária e Veterinária Quinta

Leia mais

Controlo biológico clássico do gorgulho-do-eucalipto: situação atual e perspetivas futuras

Controlo biológico clássico do gorgulho-do-eucalipto: situação atual e perspetivas futuras Controlo biológico clássico do gorgulho-do-eucalipto: situação atual e perspetivas futuras Carlos Valente, RAIZ Catarina Gonçalves, RAIZ Catarina Afonso, RAIZ Ana Reis, Altri Florestal Manuela Branco,

Leia mais

Ocorrência de grilos em plantios de eucalipto no Paraná

Ocorrência de grilos em plantios de eucalipto no Paraná Ocorrência de grilos em plantios de eucalipto no Paraná Leonardo R. Barbosa leonardo@cnpf.embrapa.br 10 Novembro 2010 16ª Reunião Técnica do PROTEF - Manejo de Pragas e Doenças Florestais - Região Subtropical

Leia mais

MANEJO DE PRAGAS EXÓTICAS EM FlORESTAS DE EUCALlPTO

MANEJO DE PRAGAS EXÓTICAS EM FlORESTAS DE EUCALlPTO MANEJO DE PRAGAS EXÓTICAS EM FlORESTAS DE EUCALlPTO Carlos F. Wilcken' Leonardo Rodrigues Barbosa' Luiz Alexandre N. de Sá' Everton P. Soliman' Alexandre Coutinho V. Lima' Mario Henrique F.A. Dai Pogetto'

Leia mais

13a. Reunião Técnica PROTEF UESB Abr/2009

13a. Reunião Técnica PROTEF UESB Abr/2009 unesp 13a. Reunião Técnica PROTEF UESB Abr/2009 SITUAÇÃO ATUAL DAS NOVAS PRAGAS EXÓTICAS DO EUCALIPTO NO BRASIL Carlos F. Wilcken, Pedro J. Ferreira Filho, Mário H.F.A. Dal Pogetto; Thaise K. Ribeiro Dias;

Leia mais

AMOSTRAGEM DE PRAGAS EM SOJA. Beatriz S. Corrêa Ferreira Entomologia

AMOSTRAGEM DE PRAGAS EM SOJA. Beatriz S. Corrêa Ferreira Entomologia AMOSTRAGEM DE PRAGAS EM SOJA Beatriz S. Corrêa Ferreira Entomologia INSETICIDAS CONTROLE BIOLÓGICO FEROMÔNIOS MANIPULAÇÃO GENÉTICA DE PRAGAS VARIEDADES RESISTENTES A INSETOS (plantas modificadas geneticamente)

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO FLORESTAL - PROTEF / IPEF -

PROGRAMA DE PROTEÇÃO FLORESTAL - PROTEF / IPEF - PROGRAMA DE PROTEÇÃO FLORESTAL - PROTEF / IPEF - ALERTA PROTEF VESPA-DA-GALHA DO EUCALIPTO (Leptocybe invasa) (HYMENOPTERA: EULOPHIDAE): NOVA PRAGA DE FLORESTAS DE EUCALIPTO NO BRASIL Prof. Dr. Carlos

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA REGIÃO SUL

MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA REGIÃO SUL 03/09/2018 MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA REGIÃO SUL Engº. Agrº. Me. Elderson Ruthes Aviso Este documento está protegido por direitos autorais e pode conter informações confidenciais e/ou privilegiadas.

Leia mais

Edital 064/2008 CNPq. Coordenador - Ronald Zanetti Bonetti Filho - UFLA

Edital 064/2008 CNPq. Coordenador - Ronald Zanetti Bonetti Filho - UFLA Edital 064/2008 CNPq Coordenador - Ronald Zanetti Bonetti Filho - UFLA Ronald Zanetti Bonetti Filho - UFLA Proteção Florestal, Entomologia florestal e Bioindicadores. Dalva Luiz de Queiroz Embrapa Florestas

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

A fitossanidade dos povoamentos de eucalipto

A fitossanidade dos povoamentos de eucalipto A fitossanidade dos povoamentos de eucalipto Enquadramento Político e Institucional José Manuel Rodrigues Workshop A importância da silvicultura na sanidade dos povoamentos de eucalipto Auditório da CAP,

Leia mais

CRESCIMENTO DE CLONES DE

CRESCIMENTO DE CLONES DE CRESCIMENTO DE CLONES DE Eucalyptus EM FUNÇÃO DA DOSE E FONTE DE BORO UTILIZADA Parceria RR Agroflorestal e VM Claudemir Buona 1 ; Ronaldo Luiz Vaz de A. Silveira 1 ; Hélder Bolognani 2 e Maurício Manoel

Leia mais

CAROLINA A. SERAFIM¹; LUIZ A. N. SÁ²; MARIA C. P. Y. PESSOA³; CARLOS F. WILCKEN 4 N 11402

CAROLINA A. SERAFIM¹; LUIZ A. N. SÁ²; MARIA C. P. Y. PESSOA³; CARLOS F. WILCKEN 4 N 11402 MONITORAMENTO EM TRÊS HORTOS FLORESTAIS DE EUCALIPTO NO ESTADO DE SÃO PAULO DA PRAGA EXÓTICA PERCEVEJO BRONZEADO Thaumastocoris Peregrinus (HEMIPTERA: THAUMASTOCORIDAE) CAROLINA A. SERAFIM¹; LUIZ A. N.

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 618.931,34 410.212,09 455.952,50 656.360,91 374.803,98 492.235,91 540.100,50

Leia mais

BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 618.931,34 410.212,09 455.952,50 656.360,91 374.803,98 492.235,91 540.100,50

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

Engenheiro-agrônomo, Doutor, Agrometereologista do Instituto Agronômico do Paraná, 4

Engenheiro-agrônomo, Doutor, Agrometereologista do Instituto Agronômico do Paraná, 4 Comunicado Técnico Dezembro, 337 ISSN 1980-3982 Colombo, PR 2014 Monitoramento e distribuição de ocorrência de Thaumastocoris peregrinus no Estado do Paraná Leonardo Rodrigues Barbosa 1 Marcos Silveira

Leia mais

Resistência de Insetos a Inseticidas

Resistência de Insetos a Inseticidas Resistência de Insetos a Inseticidas Celso Omoto Universidade de São Paulo / ESALQ celso.omoto@usp.br ROTEIRO Magnitude do problema de resistência de pragas a inseticidas e tecnologias Bt Principais estratégias

Leia mais

DELEGACIA REGIONAL TRIBUTÁRIA DE

DELEGACIA REGIONAL TRIBUTÁRIA DE Fatores válidos para recolhimento em 01/08/2016 JANEIRO 3,3714 3,2396 3,0166 2,8566 2,6932 2,5122 2,3076 2,1551 1,9790 1,8411 1,7203 1,5947 FEVEREIRO 3,3614 3,2158 3,0021 2,8464 2,6807 2,4939 2,2968 2,1429

Leia mais

PLANO DE CONTROLO. Gorgulho-doeucalipto. Gonipterus platensis. Seminário Penela, 22 abril. José Manuel Rodrigues. Dina Ribeiro

PLANO DE CONTROLO. Gorgulho-doeucalipto. Gonipterus platensis. Seminário Penela, 22 abril. José Manuel Rodrigues. Dina Ribeiro PLANO DE CONTROLO Gorgulho-doeucalipto Gonipterus platensis José Manuel Rodrigues Dina Ribeiro Seminário Penela, 22 abril Enquadramento 1 2 3 O Problema Definição Bases Intervenção Implementação Plano

Leia mais

GERAÇÕES DE Thaumastocoris peregrinus Carpinteiro e Dellapé 2006, PERCEVEJO BRONZEADO DO EUCALIPTO, NO ESTADO DO PARANÁ

GERAÇÕES DE Thaumastocoris peregrinus Carpinteiro e Dellapé 2006, PERCEVEJO BRONZEADO DO EUCALIPTO, NO ESTADO DO PARANÁ GERAÇÕES DE Thaumastocoris peregrinus Carpinteiro e Dellapé 2006, PERCEVEJO BRONZEADO DO EUCALIPTO, NO ESTADO DO PARANÁ MARCOS SILVEIRA WREGE 1, LEONARDO RODRIGUES BARBOSA 2, FRANCIELE SANTOS 3 1 Pesquisador,

Leia mais

MONITORAMENTO E CONTROLE DO BICUDO DA CANA-DE-AÇÚCAR, Sphenophorus levis.

MONITORAMENTO E CONTROLE DO BICUDO DA CANA-DE-AÇÚCAR, Sphenophorus levis. MONITORAMENTO E CONTROLE DO BICUDO DA CANA-DE-AÇÚCAR, Sphenophorus levis. Eng.Agrº. Luiz Carlos de Almeida Eng.Agrº. Luís Gustavo de Almeida almeida.entomologia@hotmail.com Especialista em Tecnologia Agroindustrial

Leia mais

- Valor - Fob ( Us$/Mil ) - Preço Médio ( Us$/Ton ) OUTROS

- Valor - Fob ( Us$/Mil ) - Preço Médio ( Us$/Ton ) OUTROS BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ TOTAL ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 618.931,34 618.931,34 Valor Fob ( Us$/Mil ) 115.218,56 115.218,56 Preço

Leia mais

INTRODUÇÃO DE Glycaspis brimblecombei E Leptocybe invasa EM EUCALIPTO NO BRASIL

INTRODUÇÃO DE Glycaspis brimblecombei E Leptocybe invasa EM EUCALIPTO NO BRASIL unesp Seminário Internacional sobre Pragas Quarentenárias Florestais INTRODUÇÃO DE Glycaspis brimblecombei E Leptocybe invasa EM EUCALIPTO NO BRASIL Prof. Dr. Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu 1.

Leia mais

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-46/12

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-46/12 JANEIRO 2,7899 2,6581 2,4351 2,2751 2,1117 1,9307 1,7261 1,5736 1,3975 1,2596 1,1388 1,0132 FEVEREIRO 2,7799 2,6343 2,4206 2,2649 2,0992 1,9124 1,7153 1,5614 1,3860 1,2496 1,1288 1,0032 MARÇO 2,7699 2,6010

Leia mais

GDOC INTERESSADO CPF/CNPJ PLACA

GDOC INTERESSADO CPF/CNPJ PLACA Fatores válidos para recolhimento em 01/02/2017 JANEIRO 3,4634 3,3316 3,1086 2,9486 2,7852 2,6042 2,3996 2,2471 2,0710 1,9331 1,8123 1,6867 FEVEREIRO 3,4534 3,3078 3,0941 2,9384 2,7727 2,5859 2,3888 2,2349

Leia mais

PRINCIPAIS DOENÇAS E PRAGAS EM PLANTIOS DE EUCALIPTO NO BRASIL

PRINCIPAIS DOENÇAS E PRAGAS EM PLANTIOS DE EUCALIPTO NO BRASIL PRINCIPAIS DOENÇAS E PRAGAS EM PLANTIOS DE EUCALIPTO NO BRASIL Prof. Dr. Edson Luiz Furtado - FCA/UNESP - Campus de Botucatu Prof. Dr. Carlos F. Wilcken - FCA/UNESP - Campus de Botucatu Coordenadores do

Leia mais

Sá, L. A. N. de 1 ; Pessoa, M. C. P. Y. 1 ; Wilcken, C. F. 2 ; Medeiros, A. G. de B. 3 ; Teixeira, J. T. 4

Sá, L. A. N. de 1 ; Pessoa, M. C. P. Y. 1 ; Wilcken, C. F. 2 ; Medeiros, A. G. de B. 3 ; Teixeira, J. T. 4 MONITORAMENTO DA PRAGA EXÓTICA PSILÍDEO-DE-CONCHA Glycaspis brimblecombei E DE SEU PARASITÓIDE EXÓTICO Psyllaephagus bliteus NO CONTROLE BIOLÓGICO DESTA PRAGA EM FLORESTAS DE EUCALIPTO NOS ESTADOS DE SP

Leia mais

O Inseto de corpo achatado e mede 3 mm de comprimento.

O Inseto de corpo achatado e mede 3 mm de comprimento. Percevejo Bronzeado Espécie: Thaumastocoris peregrinus O Inseto de corpo achatado e mede 3 mm de comprimento. Ciclo de vida aproximadamente 35 dias (ovo adulto) Potencial reprodutivo: 60 0v0s/fêmea Alta

Leia mais

Pragas e doenças dos eucaliptos. Carlos Valente Torres Vedras, 19 dezembro 2016

Pragas e doenças dos eucaliptos. Carlos Valente Torres Vedras, 19 dezembro 2016 Pragas e doenças dos eucaliptos Carlos Valente Torres Vedras, 19 dezembro 2016 O eucaliptoemportugal Existem no mundo mais de 700 espécies de Eucalyptus, na sua maioria com origem na Austrália; Em Portugal,

Leia mais

Cigarrinha das raízes Mahanarva fimbriolata Monitoramento e manejo

Cigarrinha das raízes Mahanarva fimbriolata Monitoramento e manejo Cigarrinha das raízes Mahanarva fimbriolata Monitoramento e manejo Rafael Divino Alves da Silva Entomologia/Biotecnologia/Melhoramento Genético Entomotestes materiais Bt / Manejo de pragas CTC Email: rafael.silva@ctc.com.br

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE FARINHA DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 31.148,98 30.567,04 30.668,99 27.234,05 26.012,97 145.632,03 Valor

Leia mais

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,8 21-Jul-00 Real 0,6493 Sem frete - PIS/COFINS

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE FARINHA DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 31.148,98 30.567,04 30.668,99 27.234,05 26.012,97 21.396,66 26.979,63

Leia mais

O Comércio de Serviços do Brasil

O Comércio de Serviços do Brasil Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços IV Seminário Estadual de Negócios Internacionais do Paraná O Comércio de Serviços do Brasil Curitiba, 17 de

Leia mais

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12 JANEIRO 2,8451 2,7133 2,4903 2,3303 2,1669 1,9859 1,7813 1,6288 1,4527 1,3148 1,1940 1,0684 FEVEREIRO 2,8351 2,6895 2,4758 2,3201 2,1544 1,9676 1,7705 1,6166 1,4412 1,3048 1,1840 1,0584 MARÇO 2,8251 2,6562

Leia mais

Manejo da Mosca-branca na Soja. Eliane D. Quintela Embrapa Arroz e Feijão

Manejo da Mosca-branca na Soja. Eliane D. Quintela Embrapa Arroz e Feijão Manejo da Mosca-branca na Soja Eliane D. Quintela Embrapa Arroz e Feijão Mosca-branca Bemisia tabaci 1. Quantos biótipos ou espécies? 2. Porque se tornou uma praga tão importante? 3. Quais ações de manejo

Leia mais

O contributo da Investigação para o controlo do gorgulho-do-eucalipto

O contributo da Investigação para o controlo do gorgulho-do-eucalipto O contributo da Investigação para o controlo do gorgulho-do-eucalipto Carlos Valente Penela, 22 abril 2014 Colaboração de: Ana Reis Luís Bonifácio O eucalipto em Portugal Existem no mundo mais de 700 espécies

Leia mais

Controle Biológico do Psilídeo-de-Concha: Resultados

Controle Biológico do Psilídeo-de-Concha: Resultados Controle Biológico do Psilídeo-de-Concha: Resultados - 2007 Carlos F. Wilcken, Eduardo B. do Couto, Pedro J. Ferreira Filho, Daniela C. Firmino FCA/UNESP - Botucatu Luiz Alexandre N. de Sá EMBRAPA Meio

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JANEIRO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3

Leia mais

Eng. Agr. Victor Silveira

Eng. Agr. Victor Silveira Eng. Agr. Victor Silveira Desenvolvimento 1 Técnico de Mercado Cigarrinha das raízes Com Inseticida Mahanarva fimbriolata Perdas de 15% a 80% TCH Perdas de 30% na POL Sem Inseticida Foto: severo ataque

Leia mais

MONITORAMENTO DO PERCEVEJO BRONZEADO (Thaumastocoris peregrinus) EM HORTOS DE Eucalyptus spp DE TRÊS REGIONAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS

MONITORAMENTO DO PERCEVEJO BRONZEADO (Thaumastocoris peregrinus) EM HORTOS DE Eucalyptus spp DE TRÊS REGIONAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS MONITORAMENTO DO PERCEVEJO BRONZEADO (Thaumastocoris peregrinus) EM HORTOS DE Eucalyptus spp DE TRÊS REGIONAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS SHARLA B. VIDAL 1 ; DEBORA F. LAZARIN 2 ; MARIA C.P.Y PESSOA 3 ;

Leia mais

MIP - Unidades de Referência (UR) e Resultados do Monitoramento da Safra Soja 2015/16

MIP - Unidades de Referência (UR) e Resultados do Monitoramento da Safra Soja 2015/16 MIP - Unidades de Referência (UR) e Resultados do Monitoramento da Safra Soja 2015/16 Eng. Agr. Ms. Fernando Teixeira de Oliveira InsJtuto Emater Andirá-PR 43 3538-4504 E-mail: fernandoliveira@emater.pr.gov.b

Leia mais

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari Mercado de Trabalho Empregos formais Estado de São Paulo Município: Capivari SÍNTESE Estado de São Paulo População estimada em 2014 44.035.304 População 2010 41.262.199 Área (km²) 248.222,36 Densidade

Leia mais

Coord. Grupo de Estudos em Manejo Integrado de Pragas - GEMIP

Coord. Grupo de Estudos em Manejo Integrado de Pragas - GEMIP Coord. Grupo de Estudos em Manejo Integrado de Pragas - GEMIP Estrutura da Apresentação 1. Considerações sobre o MIP 1.1. Histórico 1.2. Conceitos 1.3. Principais métodos de controle 2. Aplicação 2.1.

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES FEVEREIRO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS CÂMPUS DE BOTUCATU

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS CÂMPUS DE BOTUCATU UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS CÂMPUS DE BOTUCATU AMOSTRAGEM E DINÂMICA POPULACIONAL DO PERCEVEJO BRONZEADO Thaumastocoris peregrinus (HEMIPTERA:

Leia mais

Manejo de formigas cortadeiras

Manejo de formigas cortadeiras Manejo de formigas cortadeiras MANEJO DE FORMIGAS CORTADEIRAS Maria Fernanda Simões fernanda@dinagro.com.br História Dinagro Fundada em 1968 Maior produtora mundial de sulfluramida Trading na China Prêmio

Leia mais

O CICLO DA AGRICULTURA PARA A VIDA

O CICLO DA AGRICULTURA PARA A VIDA O CICLO DA AGRICULTURA PARA A VIDA DR. ANTONIO CESAR S. DOS SANTOS Profissão: Gerente de Projetos Inseticidas, Tratamento de Sementes e Biotecnologia Formação Acadêmica Engenheiro Agrônomo UNESP Jaboticabal

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO FLORESTAL - PROTEF / IPEF -

PROGRAMA DE PROTEÇÃO FLORESTAL - PROTEF / IPEF - PROGRAMA DE PROTEÇÃO FLORESTAL - PROTEF / IPEF - ALERTA PROTEF PERCEVEJO BRONZEADO DO EUCALIPTO (Thaumastocoris peregrinus) (HEMIPTERA: THAUMASTOCORIDAE): AMEAÇA ÀS FLORESTAS DE EUCALIPTO BRASILEIRAS Prof.

Leia mais

Criação massal do percevejo bronzeado, Thaumastocoris peregrinus

Criação massal do percevejo bronzeado, Thaumastocoris peregrinus Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Florestas Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Criação massal do percevejo bronzeado, Thaumastocoris peregrinus Carpintero & Dellapé,

Leia mais

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016 Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado do Paraná Safra 2016/2017 Mar/16 0,6048 0,6048 0,6048 66,04 73,77 Abr 0,6232 0,6232 0,5927 64,72 72,29 Mai 0,5585 0,5878 0,5868

Leia mais

MANEJO DE PRAGAS. Leila L. Dinardo-Miranda

MANEJO DE PRAGAS. Leila L. Dinardo-Miranda MANEJO DE PRAGAS Leila L. Dinardo-Miranda Manejo integrado de pragas Kogan (1998) Sistema de decisão para uso de táticas de controle, isoladas ou associadas harmoniosamente, numa estratégia de manejo baseada

Leia mais

MONITORAMENTO DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA CENIBRA

MONITORAMENTO DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA CENIBRA Pesquisa e Desenvolvimento Florestal () 15ª Reunião Técnica do PROTEF Campinas 22/04/2010 MONITORAMENTO DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA CENIBRA Produção de Celulose R.01 - SL.2 Produto : Celulose Branqueada

Leia mais

ARTRÓPODES-PRAGA ASSOCIADOS À CULTURA DA MANDIOCA EM PRESIDENTE TANCREDO NEVES, BA

ARTRÓPODES-PRAGA ASSOCIADOS À CULTURA DA MANDIOCA EM PRESIDENTE TANCREDO NEVES, BA ARTRÓPODES-PRAGA ASSOCIADOS À CULTURA DA MANDIOCA EM PRESIDENTE TANCREDO NEVES, BA Alba Rejane Nunes Farias¹; Pedro Luiz Pires de Mattos² ; José Raimundo Ferreira Filho³ ¹Pesquisadora da Embrapa Mandioca

Leia mais

EFEITO DE SUBDOSES DE GLYPHOSATE NA INFESTAÇÃO DO PSILÍDEO-DE- CONCHA

EFEITO DE SUBDOSES DE GLYPHOSATE NA INFESTAÇÃO DO PSILÍDEO-DE- CONCHA EFEITO DE SUBDOSES DE GLYPHOSATE NA INFESTAÇÃO DO PSILÍDEO-DE- CONCHA Glycaspis brimblecombei MOORE (HEMIPTERA:PSYLLIDAE) EM DIFERENTES GENÓTIPOS DE EUCALIPTO OLIVEIRA, Carolina Pirajá de Docente- Faculdade

Leia mais

Dra. Graziela Baptista Vidaurre Universidade Federal do Espírito Santo

Dra. Graziela Baptista Vidaurre Universidade Federal do Espírito Santo Dra. Graziela Baptista Vidaurre Universidade Federal do Espírito Santo Temas abordados Introdução Danos em produtividade Apresentação Considerações gerais qualidade da madeira, praga Diâmetro Altura Volume

Leia mais

Clipping de notícias. Recife, 20 de fevereiro de 2017.

Clipping de notícias. Recife, 20 de fevereiro de 2017. Clipping de notícias Recife, 20 de fevereiro de 2017. Recife, 18 de fevereiro de 2017. Recife,18 de fevereiro 2017. Recife, 19 de fevereiro de 2017. Recife,18 de fevereiro de 2017. 19/02/2017 Prazo para

Leia mais

IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES SETEMBRO 2017 SUMÁRIO PÁG. 1 CAPÍTULO 41 COMPLETO 3 2 ORIGENS 4 3 ORIGENS POR TIPO DE COURO 5 4 ESTADOS 6 5 POR CLASSIFICAÇÃO DAS NCMs 7 1 IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Leia mais

Nota Científica Distribuição da vespa da galha do eucalipto

Nota Científica Distribuição da vespa da galha do eucalipto Pesquisa Florestal Brasileira Brazilian Journal of Forestry Research http://pfb.cnpf.embrapa.br/pfb/ Nota Científica Distribuição da vespa da galha do eucalipto Barbara Oliveira Puretz 1, Michele Potrich

Leia mais

GPP 11 de Maio de SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Publicação CULTIVAR n.º 7 Cadernos de Análise e Prospetiva O Risco na Atividade Económica

GPP 11 de Maio de SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Publicação CULTIVAR n.º 7 Cadernos de Análise e Prospetiva O Risco na Atividade Económica GPP 11 de Maio de 2017 SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Publicação CULTIVAR n.º 7 Cadernos de Análise e Prospetiva O Risco na Atividade Económica 1 GPP Estratégias de gestão de risco de incêndio florestal: da gestão

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS EM POVOAMENTOS FLORESTAIS

MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS EM POVOAMENTOS FLORESTAIS unesp MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS EM POVOAMENTOS FLORESTAIS Prof. Dr. Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu 1. INTRODUÇÃO As plantações florestais brasileiras ocupam área de 5,7 milhões de ha, representando

Leia mais

GESTÃO AVANÇADA DO CONTROLE DE PRAGAS EM GRANDES LAVOURAS DE CANA-DE-AÇÚCAR

GESTÃO AVANÇADA DO CONTROLE DE PRAGAS EM GRANDES LAVOURAS DE CANA-DE-AÇÚCAR INSECTSHOW - IDEA GESTÃO AVANÇADA DO CONTROLE DE PRAGAS EM GRANDES LAVOURAS DE CANA-DE-AÇÚCAR Enrico De Beni Arrigoni ENRICO ARRIGONI SOLUÇÕES EM MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS LTDA. (019) 97128-6262 14 DE

Leia mais

Sirex noctilio F. em Pinus spp.: : Biologia, Ecologia e Danos

Sirex noctilio F. em Pinus spp.: : Biologia, Ecologia e Danos Sirex noctilio F. em Pinus spp.: : Biologia, Ecologia e Danos Edson Tadeu Iede Susete R.C. Penteado Wilson Reis Filho Riscos de introdução de pragas florestais no Brasil Mercado globalizado Aumento do

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Agosto de 2016 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das vendas,

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas do Eucalipto

Manejo Integrado de Pragas do Eucalipto Manejo Integrado de Pragas do Eucalipto Sanidade Florestal e a busca pela sustentabilidade da produção. Pesq. Everton P. Soliman Sanidade Florestal - Tecnologia Edival VIII Simpósio Sobre Técncias de Plantio

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Dezembro de 2016 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Novembro de 2016 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Dezembro de 2015 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO 2017 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS MARÇO 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Abril de 2016 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das vendas,

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Jan-Nov Brasil. 19/12/2014 Subseção DIEESE - Força Sindical

INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Jan-Nov Brasil. 19/12/2014 Subseção DIEESE - Força Sindical INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Jan-Nov 2014 - Brasil 19/12/2014 Subseção DIEESE - Força Sindical Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério

Leia mais

MONITORAMENTO E AMOSTRAGEM DE LAGARTAS DESFOLHADORAS

MONITORAMENTO E AMOSTRAGEM DE LAGARTAS DESFOLHADORAS unesp 15a. Reunião Técnica PROTEF Abr/2010 MONITORAMENTO E AMOSTRAGEM DE LAGARTAS DESFOLHADORAS Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu O que é manejo integrado de pragas (MIP)? A filosofia e metodologia

Leia mais

ICMS nas Operações Interestaduais com Bens e Mercadorias Importadas. Ministério da Fazenda Secretaria Executiva 26 de Abril de 2010

ICMS nas Operações Interestaduais com Bens e Mercadorias Importadas. Ministério da Fazenda Secretaria Executiva 26 de Abril de 2010 ICMS nas Operações Interestaduais com Bens e Mercadorias Importadas Ministério da Fazenda Secretaria Executiva 26 de Abril de 2010 ICMS e a Reforma Tributária Fatiada O Governo Federal encaminhará a reforma

Leia mais

USO DE TECNOLOGIAS NO MONITORAMENTO DE FORMIGAS CORTADEIRAS

USO DE TECNOLOGIAS NO MONITORAMENTO DE FORMIGAS CORTADEIRAS 5 º WORKSHOP DE FORMIGAS CORTADEIRAS USO DE TECNOLOGIAS NO MONITORAMENTO DE FORMIGAS CORTADEIRAS Alberto Jorge Laranjeiro Eng. Florestal, Dr. Equilíbrio Proteção Florestal TECNOLOGIAS DE MONITORAMENTO

Leia mais

REUNIÃO DE FORNECEDORES. UNIDADE Ipê 2012

REUNIÃO DE FORNECEDORES. UNIDADE Ipê 2012 REUNIÃO DE FORNECEDORES UNIDADE Ipê 2012 VARIEDADES DE CANA DE AÇÚCAR Fatores de Produtividade MANEJO AGRÍCOLA VARIEDADE PRODUTIVIDADE SOLO (Amb. Prod.) CLIMA TIPO DE PLANTIO TIPO DE COLHEITA MATURAÇÃO

Leia mais

Manejo integrado de Stenoma catenifer Walsingham (Lepidoptera: Elachistidae) Thaís Carolina Silva Cirino (1) ; Aloísio Costa Sampaio (2)

Manejo integrado de Stenoma catenifer Walsingham (Lepidoptera: Elachistidae) Thaís Carolina Silva Cirino (1) ; Aloísio Costa Sampaio (2) Manejo integrado de Stenoma catenifer Walsingham (Lepidoptera: Elachistidae) Thaís Carolina Silva Cirino (1) ; Aloísio Costa Sampaio (2) (1) Bióloga, Mestre em Horticultura pela FCA-Unesp/Botucatu e doutoranda

Leia mais

Alturas mensais de precipitação (mm)

Alturas mensais de precipitação (mm) Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos AGUASPARANÁ - Instituto das Águas do Paraná Sistema de Informações Hidrológicas - SIH Alturas mensais de precipitação (mm) Estação: Município: Tipo: Altitude:

Leia mais

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO Arroz em casca AGOSTO 2018 ARROZ EM CASCA: Quadro de Suprimento Mil toneladas Posição: agosto/2018

Leia mais

LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE Bemisia sp. NA CULTURA DE MANDIOCA NO MUNICÍPIO DE CASSILÂNDIA-MS

LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE Bemisia sp. NA CULTURA DE MANDIOCA NO MUNICÍPIO DE CASSILÂNDIA-MS LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE Bemisia sp. NA CULTURA DE MANDIOCA NO MUNICÍPIO DE CASSILÂNDIA-MS Gilmar Cordeiro Calado Filho 1 ;Luciana Cláudia Toscano 2 ; Rangel Fernandes Rodrigues da Silva 1 ;Wilson

Leia mais

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO Arroz em casca JUNHO 2018 ARROZ EM CASCA: Quadro de Suprimento Mil toneladas Posição: junho/2018 MUNDO

Leia mais

Núcleo 1 Chapadão do Sul

Núcleo 1 Chapadão do Sul Ano II 15 de abril de 2013. Relatório semanal de 08 a 15 de abril de 2013. Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes Semana com períodos diurno nublado e com precipitações na maior parte

Leia mais

A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE. 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010

A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE. 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010 A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010 CONTEÚDO 1. PERFIL DO SETOR BRASILEIRO DE C&P 2. OVERVIEW DO SETOR BRASILEIRO DE C&P 3.

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MAIO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais