w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA"

Transcrição

1 sumário executivo w w w. v o c e s a. c o m. b r w w w. e x a m e. c o m. b r melhores empresas para você trabalhar São Pau lo, setembro de Pre za do(a) Sr(a)., SEFAZ BAHIA Em pri mei ro lu gar, gos ta ría mos de agra de cer sua par ti ci pa ção na edi ção 2010 do GUIA VOCÊ S/A EXA ME As Me lho res Em pre sas pa ra Vo cê Tra ba lhar. O do cu men to que vo cê tem em mãos é o Su má rio Exe cu ti vo, ofe re ci do gra tui ta men te pe la VOCÊ S/A e pe la Fun da ção Ins ti tu to de Adminis tra ção (FIA) a to das as em pre sas que atin gi ram o mí ni mo de 90% da amos tra mí ni ma es ta be le ci da em nossa metodologia. Além das vi si tas dos jor na lis tas a todas as 225 em pre sas pré-classi fi ca das no ano, o Su má rio Exe cu ti vo é ou tro gran de di fe ren cial da nos sa pes qui sa. Com o Su má rio Exe cu ti vo é pos sí vel com pa rar a per for man ce de sua em pre sa com a mé dia das 150 me lho res. Além dis so, vo cê con se gue ver co mo foi o de sem pe nho de sua em pre sa em re la ção à mé dia das or ga ni za ções que se si tuam na mes ma fai xa de ta ma nho, tem po de ope ra ção, lo cais de tra ba lho, sa lá rio mé dio, ra mo de ati vi da de e re gião de atua ção. Com es sa aná li se, se rá mais fá cil iden ti fi car o que vai bem no am bien te or ga ni za cio nal de sua em pre sa e que as pec tos pre ci sam ser tra ba lha dos. Nos so de se jo é que es se do cu men to se tor ne um ins tru men to de apoio pa ra es sa ta re fa tão de li ca da, que é ge rir pessoas. No mais, te nha cer te za de que fa zer par te da pes qui sa que dá ori gem ao Guia das Me lho res Em pre sas pa ra Você Tra ba lhar é per ten cer a um gru po se le tís si mo o das or ga ni za ções que co lo cam es se as sun to co mo par te de sua es tra té gia e o con si de ram al go que tem im pac to não só nos ne gó cios, mas na so cie da de tam bém. Juliana De Mari VOCÊ S/A Prof. Dr. Joel Souza Dutra FIA Prof. Dr. André Luiz Fischer FIA

2 (1) Empresa Razão social CNPJ Tipo de instituição Origem do capital Ramo de atividade Estado Tempo de operação N O de empregados N O de executivos N O de homens N O de mulheres Locais de trabalho Profissionais de RH Salário médio SEFAZ BAHIA Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia / Empresa pública Nacional Serviços Públicos BA empresa (2) ,43 Média das 150 melhores (2) ,50 Média da sua faixa de tamanho (2) ,26 Índice geral Empresa (pontuação de 0 a 100) Idade dos empregados (150 melhores em %) Abaixo de 20 anos De 20 a 25 anos De 26 a 30 anos De 31 a 35 anos Iqat (3) iqgp (4) IFT (5) 61,48 81,60 63,55 77,61 73,90 68,37 62,57 73,85 67,73 62,15 73,12 64,72 61,12 67,74 75,63 49,83 72,47 46,17 57,25 72,47 64,26 60,92 De 36 a 45 anos De 46 a 55 anos Acima de 55 anos Índice de Qualidade do Ambiente de Trabalho (IQAT) por categoria EMPRESA (pontuação de 0 a 100) 66,18 61,15 53,74 66,53 61,48 88,50 80,52 78,77 81,50 81,60 81,34 72,44 70,32 74,86 73,90 82,47 72,69 69,75 73,97 73,85 80,58 71,77 69,20 74,22 73,12 77,04 60,14 68,17 67,74 78,84 70,37 68,89 75,44 72,47 80,27 71,79 67,21 73,44 72,47 Índice de Qualidade do Ambiente de Trabalho (IQAT) por categoria HOMENS (pontuação de 0 a 100) 64,77 61,28 53,25 64,81 60,82 88,56 80,86 79,04 81,93 81,90 81,41 72,82 70,63 75,14 74,19 82,50 73,11 70,69 74,86 74,43 80,79 72,35 69,64 74,53 73,55 77,37 68,78 60,87 68,27 68,28 79,21 71,33 69,97 75,75 73,23 80,76 72,63 68,14 74,32 73,29 Índice de Qualidade do Ambiente de Trabalho (IQAT) por categoria MULHERES (pontuação de 0 a 100) 69,14 61,27 54,98 69,74 62,98 88,05 79,55 77,37 80,49 80,61 80,86 71,25 68,76 74,06 72,82 81,52 71,44 67,70 73,10 72,56 80,20 70,82 67,90 73,84 72,31 77,08 66,87 58,59 68,68 67,05 78,80 69,68 67,48 74,70 71,73 79,28 70,02 64,96 71,92 70,78 (1) Dados declarados pela empresa no ato da inscrição. (2) Números absolutos. (3) Índice de Qualidade do Ambiente de Trabalho. (4) Índice de Qualidade na Gestão de Pessoas. (5) Índice de Felicidade no Trabalho = 70% IQAT; 20% IQGP; 10% visita do jornalista. As empresas que não foram visitadas receberam pontuação zero na visita.

3 Índice de Qualidade do Ambiente de Trabalho (IQAT) por categorias e fatores de pesquisa (pont. de 0 a 100) empresa 150 melhores tamanho tempo de locais de operação trabalho ramo de região de atividade atuação salário médio Identidade 66,18 88,50 81,34 82,47 80,58 77,04 78,84 80,27 Eu recomendaria a parentes e amigos esta empresa como um excelente lugar para se trabalhar 71,75 86,46 77,29 79,07 76,53 76,90 74,96 78,58 Tenho confiança na empresa em que trabalho 72,50 89,04 83,17 84,77 82,84 76,70 81,71 80,80 Esta empresa contribui positivamente com a comunidade do entorno e com o meio ambiente 45,68 90,82 84,21 84,77 82,80 81,58 79,56 80,74 Tenho orgulho de dizer a parentes e amigos que trabalho nesta empresa 80,95 91,88 86,09 87,66 86,04 85,93 84,55 86,71 Considero que esta empresa atende de forma equilibrada as necessidades de fornecedores, funcionários e acionistas 55,23 86,20 77,53 77,95 76,02 66,38 73,67 75,24 Esta empresa entrega aos seus clientes aquilo que promete com alta qualidade 64,89 92,01 84,27 85,93 82,63 74,27 80,65 85,44 Sinto-me participando das decisões que afetam a mim e ao meu trabalho 41,41 77,08 66,67 67,73 65,42 58,10 64,91 66,06 As pessoas que trabalham nesta empresa sabem o que devem fazer para torná-la cada vez melhor 60,15 85,40 77,12 77,60 76,59 71,21 74,29 71,87 Conheço e concordo com os objetivos da empresa em que trabalho 72,61 90,64 83,99 84,70 83,60 81,92 81,38 84,98 Os produtos e serviços de minha empresa são muito importantes para nossa sociedade 92,89 95,29 92,67 94,11 92,89 96,60 92,59 91,92 Satisfação e Motivação 61,15 80,52 72,44 72,69 71,77 70,37 71,79 Recebo todas as informações de que preciso para fazer bem o meu trabalho 53,98 79,81 72,67 70,95 71,53 63,10 70,36 66,82 Considero que o tempo que dedico ao meu trabalho é equilibrado entre as necessidades da empresa e as minhas necessidades pessoais e familiares 79,10 74,91 68,04 68,74 70,96 66,47 65,41 O ambiente de trabalho da empresa facilita o relacionamento entre os empregados 58,66 85,23 77,64 77,92 76,47 72,00 76,66 77,42 Gosto do trabalho que realizo hoje nesta empresa 79,35 88,34 84,06 84,73 84,11 82,38 84,92 83,12 Nesta empresa as pessoas estão sempre dispostas a ajudar umas às outras 51,74 72,14 61,28 61,96 60,01 55,85 58,96 64,38 Eu sinto que meu trabalho é importante para que esta empresa seja bem-sucedida 82,12 92,44 89,04 89,56 89,12 86,85 89,56 86,38 Considero que trabalhar nesta empresa vem tornando a minha vida melhor 74,00 86,69 79,86 81,05 79,99 81,70 80,53 78,67 Considero que esta empresa se preocupa com a qualidade de vida de seus empregados 45,86 82,79 70,85 72,26 70,97 70,05 70,21 71,54 Considero que meu trabalho é reconhecido e valorizado pela empresa 54,34 75,89 66,31 65,41 65,26 57,82 65,67 65,29 Tenho todo o equipamento e o material necessários para realizar bem o meu trabalho 47,25 85,24 77,91 79,64 69,13 75,61 77,79 Nesta empresa a gente pode confiar nos colegas de trabalho 51,65 69,27 58,65 58,11 58,03 56,55 55,91 65,73 Sou recompensado, de maneira justa, pela qualidade do trabalho que apresento 58,23 71,50 61,46 59,84 60,15 54,60 58,04 60,79 As pessoas de qualquer idade, raça, cor e opção sexual são tratadas com a mesma justiça e respeito nesta empresa 79,90 94,04 90,78 90,58 89,88 83,25 89,34 90,15 Trabalhar nesta empresa dá segurança e tranquilidade para mim e para minha família A quantia que recebo como participação nos lucros da empresa é justa 83,75 50,35 86,47 65,06 79,92 53,32 81,42 52,86 79,43 52,83 81,47 44,77 77,38 45,32 79,39 52,87 Tenho a quem recorrer se eu me sentir injustiçado 50,80 74,74 65,44 65,44 64,54 55,21 65,59 62,87 Os processos, procedimentos e rotinas de trabalho desta empresa são organizados e eficientes 54,02 79,60 70,74 71,77 70,22 59,24 67,64 63,25 Sou sempre bem atendido quando preciso de um colega de trabalho 73,25 84,36 77,57 77,75 76,70 76,43 75,19 80,06 A empresa atende adequadamente às minhas necessidades nas áreas de saúde e outros benefícios 39,64 89,30 83,16 81,94 81,73 79,89 70,44 85,19 Quando preciso de outra área da empresa, sou bem atendido 60,94 83,37 74,29 76,07 73,80 71,63 73,85 75,57 Considero justo o salário pago por esta empresa aos seus funcionários 52,97 66,48 53,82 55,94 52,51 50,78 49,26 58,34 Sinto que minha equipe trabalha como um verdadeiro time 62,44 81,73 73,48 72,32 72,47 70,89 72,68 74,55 As instalações e o espaço onde realizo meu trabalho são seguros, confortáveis e limpos 51,91 87,15 79,08 80,25 78,58 73,37 74,83 84,70 A sensação mais frequente que sinto ao deixar o trabalho é de realização profissional pelos desafios superados 66,67 83,34 77,18 76,36 72,65 75,55 71,46 As informações sobre esta empresa são transmitidas aos empregados com clareza, rapidez e agilidade 51,28 82,35 73,41 73,10 72,45 61,28 69,49 67,48 O volume de trabalho permite que eu termine sempre minhas tarefas no horário normal 71,17 69,66 62,41 60,79 62,16 62,86 65,18 54,65

4 Índice de Qualidade do Ambiente de Trabalho (IQAT) por categorias e fatores de pesquisa (pont. de 0 a 100) empresa 150 melhores tamanho tempo de locais de operação trabalho ramo de região de atividade atuação salário médio Aprendizado e Desenvolvimento 53,74 78,77 70,32 69,75 69,20 60,14 68,89 67,21 Sou estimulado a contribuir para melhorar a forma como é feito o meu trabalho 55,80 83,60 74,71 75,33 73,35 65,23 73,48 73,19 Sei o que devo fazer para crescer profissionalmente nesta empresa 70,26 81,12 76,47 74,62 75,67 67,25 75,93 67,68 Esta empresa me estimula a conhecer o trabalho realizado por meus colegas 40,20 75,55 65,70 65,81 64,30 52,79 62,53 60,81 Acredito que trabalhando nesta empresa terei oportunidade de fazer carreira e crescer 50,39 78,90 72,10 69,48 70,10 57,45 66,50 66,92 Esta empresa ouve e coloca em prática as sugestões de seus funcionários 36,93 75,68 61,64 63,10 60,40 49,79 58,63 60,95 O trabalho que realizo me permite sempre aprender coisas novas 72,29 86,61 81,28 81,85 80,65 78,53 82,51 81,14 Periodicamente recebo de meu chefe avaliações sinceras sobre meu desempenho 56,40 74,18 67,22 64,66 65,98 53,92 61,70 64,60 Considero justos os critérios de promoção e carreira adotados nesta empresa 42,24 64,15 54,44 52,06 53,45 36,92 53,47 48,77 Meus colegas estão sempre dispostos a compartilhar comigo o que sabem 64,82 83,05 76,75 76,76 75,64 71,27 74,28 76,97 Os métodos para realizar o trabalho nesta organização são frequentemente colocados em discurssão 46,15 80,95 71,39 69,82 70,45 60,38 70,69 66,39 Sinto-me estimulado a buscar novos conhecimentos fora da empresa 56,28 78,25 68,97 68,50 68,24 62,58 70,63 68,73 Meu(minha) chefe ajuda a decidir o que devo fazer para aprender mais 49,74 67,72 66,52 66,87 55,27 68,79 65,31 As pessoas que trabalham na empresa estão sempre procurando inovar aquilo que fazem 48,45 81,20 70,68 71,54 69,14 63,83 68,47 69,49 Todos têm oportunidade de participar de atividades de treinamento nesta empresa 62,82 82,76 74,98 76,00 74,10 66,26 76,09 69,32 Liderança 66,53 81,50 74,86 73,97 74,22 68,17 75,44 73,44 Minha equipe de trabalho considera o seu chefe um líder de respeito e credibilidade 64,75 78,23 71,21 68,91 70,53 64,72 73,60 70,10 Meu chefe sempre deixa claro o que espera do meu trabalho 66,25 82,67 77,73 76,80 76,92 67,08 78,49 72,20 Minha equipe de trabalho tem um bom relacionamento com meu chefe 74,62 83,63 77,33 75,96 76,61 73,47 80,18 77,18 Sinto-me livre para contribuir com críticas e sugestões ao meu chefe 66,50 78,90 71,12 72,05 70,61 68,30 72,45 73,12 Sempre que preciso, posso contar com meu chefe para assuntos pessoais e profissionais 67,01 81,52 75,62 73,79 75,04 71,13 74,54 74,64 As solicitações e as orientações de minha chefia facilitam a realização do meu trabalho 68,25 82,15 75,56 75,33 75,27 70,26 77,23 72,18 Tenho confiança naquilo que meu chefe diz 81,74 75,48 74,28 74,97 70,04 75,37 74,55 Nesta empresa os chefes agem de acordo com o que dizem 52,82 75,36 65,43 64,74 65,12 54,99 65,04 64,16 Meu chefe é coerente, usa o mesmo peso e a mesma medida nas suas decisões 63,42 75,39 68,11 66,03 67,42 60,64 68,74 66,83 Sinto-me apoiado por meu chefe quando decido assumir novos desafios 61,48 81,62 74,36 74,75 73,59 67,42 74,48 74,45 Meu chefe conhece profundamente sua área de atuação 74,49 86,79 82,59 81,08 82,31 76,09 81,97 80,77 Os chefes sabem demonstrar como podemos contribuir para os objetivos da empresa 58,72 84,59 77,10 77,08 76,13 65,08 75,03 72,95 Meu chefe ouve e respeita a opinião da sua equipe 68,80 81,84 74,88 73,03 73,82 68,23 75,83 74,85 Sou sempre bem atendido quando peço orientações ao meu chefe 75,76 86,52 81,37 81,54 80,48 76,82 82,57 79,96

5 Por dentro do Sumário Executivo ENTENDA OS ÍNDICES Os índices mencionados no Sumário Executivo são exatamente os mesmos utilizados na pesquisa que dá origem ao Guia. Veja abaixo o que eles avaliam. Índice de Qualidade do Ambiente de Trabalho (IQAT) Relacionado à percepção dos empregados sobre a relação que eles têm com a empresa, com o trabalho em si, com o chefe e com os colegas. O IQAT é obtido por meio da análise do questionário respondido pelos empregados. São 64 perguntas que avaliam quatro indicadores: Identidade Mede a relação dos empregados com a estratégia e o negócio da empresa e o quanto a organização corresponde a seus valores pessoais. Satisfação e motivação Esse indicador inclui itens como salário, bônus, o trabalho em si, o ambiente físico e as perspectivas de crescimento que a empresa oferece. Aprendizado e desenvolvimento Indicador que inclui fatores como aprendizado e desenvolvimento no trabalho, educação corporativa e oportunidades de promoção. Liderança Indicador relacionado à percepção dos empregados sobre os chefes em relação à habilidade de comunicação, a quanto eles estimulam o time a se desenvolver profissionalmente, se são confiáveis, justos e coerentes em seu discurso e atitudes. Índice de Qualidade na Gestão de Pessoas (IQGP) Obtido por meio da avaliação das políticas e práticas de RH declaradas pela organização, verificando a consistência, a modernidade, a abrangência e a sustentabilidade dessas ações. Estas são as sete categorias avaliadas: estratégia e gestão A estratégia dá consistência aos negócios e abrange a organização e sua relação com o ambiente. A empresa precisa encontrar meios de comunicar sua estratégia de maneira eficaz para que os funcionários assumam um papel ativo no cumprimento das metas. Essa categoria corresponde a 20% do IQGP. Liderança Categoria que também representa 20% do IQGP e avalia os mecanismos adotados pela empresa para orientar seus líderes e formar novos gestores. Políticas e Práticas Categoria com quatro subcategorias, cada uma valendo 10% do IQGP: Remuneração Pagar salários acima da média do mercado significa que a empresa consegue manter um ambiente competitivo, em que os funcionários têm um desempenho superior. Já os benefícios, que também são avaliados nessa categoria, se referem a quanto a organização se preocupa com o bem-estar de seus colaboradores. Carreira Mede o estímulo e o suporte que a empresa oferece para viabilizar o crescimento profissional do time. Saúde Essa subcategoria não verifica apenas a qualidade do plano de saúde, mas todas as ações da empresa para manter a integridade das pessoas. Desenvolvimento Avaliação das ações de educação corporativa, as responsáveis pela sustentação do desenvolvimento profissional dos colaboradores. cidadania empresarial Categoria que vale 20% do IQGP e que analisa a interação da empresa com as pessoas com as quais se relaciona e com o ambiente. Índice de Felicidade no Trabalho (IFT) Tecnicamente, esse é o índice geral das melhores empresas para trabalhar e tem a seguinte composição: 70% equivalem à percepção dos empregados sobre a organização em que trabalham (IQAT); 20% se referem às políticas e às práticas de RH (IQGP); e 10% se devem à visita do jornalista à empresa. ENTENDA AS FAIXAS O Sumário Executivo vai permitir que você compare a performance de sua empresa não só com a das 150 melhores, mas também com a de outras que estão na mesma faixa de tamanho, de tempo de operação, de número de locais de trabalho, de ramo de atividade, de região de atuação e de salário médio. O primeiro passo é verificar em que faixa sua empresa se encontra. E isso você pode fazer rapidamente, lendo abaixo como as faixas são divididas. A partir daí, toda vez que você ler o enunciado ou, por exemplo, saberá que nesse caso o desempenho de sua empresa está sendo comparado com o de outras do mesmo porte e que atuam no mesmo mercado. Veja agora quais são as faixas (1) : TAMANHO (número de empregados) Até 250 De 251 a 500 De 501 a De a Mais de TEMPO DE OPERAÇÃO Até 12 anos De 13 a 24 anos De 25 a 36 anos De 37 a 60 anos Mais de 60 anos NÚMERO DE LOCAIS DE TRABALHO Até 2 De 3 a 5 De 6 a 10 De 11 a 20 Mais de 20 REGIÃO DE ATUAÇÃO Norte Centro-Oeste + Nordeste Minas Gerais + Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo (capital) São Paulo (interior) Paraná + Santa Catarina Rio Grande do Sul SALÁRIO MÉDIO Até reais De 1 000,01 a reais De 1 500,01 a reais De 2 000,01 a reais Mais de reais RAMO DE ATIVIDADE Alimentos, Bebidas e Fumo Automotivo Bancário Comércio Varejista Construção Cooperativas Eletroeletrônico Farmácia, Higiene e Limpeza Indústrias Diversas Material de Construção Mecânica Metalurgia e Siderurgia Papel e Celulose Plástico e Borracha Química e Petroquímica Serviços de Saúde Serviços de Transporte Serviços Diversos Serviços Financeiros Serviços Públicos Tecnologia e Computação Telecomunicações (1) Só há comparação do desempenho de uma empresa com o de outras da mesma faixa se houver pelo menos 20 representantes naquela faixa.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

POLÍTICA DE USO DO BANCO DADOS. Pesquisa As Melhores Empresas para Você Trabalhar Dados edição 2012. 1. A pesquisa

POLÍTICA DE USO DO BANCO DADOS. Pesquisa As Melhores Empresas para Você Trabalhar Dados edição 2012. 1. A pesquisa POLÍTICA DE USO DO BANCO DADOS Pesquisa As Melhores Empresas para Você Trabalhar Dados edição 2012 1. A pesquisa Parceria FIA e Você S/A A Fundação Instituto de Administração (FIA), por meio do Programa

Leia mais

Por que ouvir a sua voz é tão importante?

Por que ouvir a sua voz é tão importante? RESULTADOS Por que ouvir a sua voz é tão importante? Visão Tokio Marine Ser escolhida pelos Corretores e Assessorias como a melhor Seguradora pela transparência, simplicidade e excelência em oferecer soluções,

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Recursos Humanos Coordenação de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Introdução No dia 04 de Agosto de 2011, durante a reunião de Planejamento, todos os

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS João Pedro Cordeiro Resumo O presente artigo versa sobre as práticas de gestão de recursos humanos pelas empresas, e mais especificamente

Leia mais

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus da fuvest 009 ª fase - Matemática 08.0.009 MATEMÁTIA Q.0 Na figura ao lado, a reta r tem equação y x no plano cartesiano Oxy. Além dis so, os pontos 0,,, estão na reta r, sendo 0 = (0,). Os pontos A 0,

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES

URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES LEITURAS URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES [Carlos José Lopes Balsas (1999), Gabinete de Estudos e Prospectiva Económica, Ministério da Economia, ISBN: 972-8170-55-6]

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA Filipe Carreira da Silva Resumo Este artigo tem por objectivo discutir a noção de esfera pública proposta por Jürgen Habermas. Para tanto,

Leia mais

Ainda há Tempo, Volta

Ainda há Tempo, Volta Ainda há empo, Volta Letra e Música: Diogo Marques oprano ontralto Intro Envolvente (q = 60) enor aixo Piano Ó Œ. R.. F m7 2 A b 2 E b.. 2 Ó Œ É 2 Ó Œ F m7 2.. 2 2 A b 2 2 Ainda há empo, Volta Estrofe

Leia mais

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média KEITH CAMERON SMITH As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média Prefácio Por que es cre vi es te livro? Três mo ti vos me le va ram a es cre ver es te li vro. O pri - meiro foi a

Leia mais

Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book

Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book O Caderno de Evidências (Book) acompanhará o questionário da empresa na pesquisa. É importante lembrar que o envio desse material,

Leia mais

A Gonçalves no México I N F O R M A

A Gonçalves no México I N F O R M A I N F O R M A Novembro de 2007 Depois de atuar por quase três anos no México com um escritório comercial, a Gonçalves investe em uma unidade industrial no país, que entrará em operação no início de 2008.

Leia mais

O Sacrifício da Cruz

O Sacrifício da Cruz O Sacrifício da ruz 6 ø 4 4 Intenso q = 61 9. r. r m b sus4 6 Ó. m Œ. r J 1.u ø. r o - lho pa - ra_o céu, bus - M7.. can - do com - preen-der o sa - cri - fí - cio do Sal - va - dor em meu lu - gar ø ø

Leia mais

Av. Tor res de Oli vei ra, 255 Ja gua ré - São Pau lo - SP (11) Rua Pa dre Car va lho, 730 (11) Pi nhei ros - São Pau lo - SP

Av. Tor res de Oli vei ra, 255 Ja gua ré - São Pau lo - SP (11) Rua Pa dre Car va lho, 730 (11) Pi nhei ros - São Pau lo - SP Serigrafados Bisotados Temperados Laminados Av. Tor res de Oli vei ra, 255 Ja gua ré - São Pau lo - SP (11) 2827-2100 Rua Pa dre Car va lho, 348 Pi nhei ros - São Pau lo - SP (11) 2142-8588 Rua Pa dre

Leia mais

Conceito de FELICIDADE ORGANIZACIONAL

Conceito de FELICIDADE ORGANIZACIONAL PROJETO DE INOVAÇÃO Construindo uma metodologia para medir a felicidade interna na organização e o incremento da produtividade, através da ferramenta dos diálogos reflexivos. Rose Betania Gomes Trigueiro

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro João Ferrão Resumo As visões recentes sobre o mundo rural revelam grande permeabilidade à ideia de património

Leia mais

Quero um Novo Lar پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 0 پ0 0 پ0 3پ0 0 پ0 3 پ0 0

Quero um Novo Lar پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 0 پ0 0 پ0 3پ0 0 پ0 3 پ0 0 1 3 پ0 7 _ پ0 7 _ پ0 7 _ & 4 7 A. ز E 7 1 j j پ0گ7? 4 n #_ n _ L? Mi - nha ca -sa e -ra ve - ha nپ0ٹ0o po - di - a su - por - tar پ0ˆ7. _ eu me 4 پ0 7 پ0 8 & E 7 G 6 /A A _.. nnn_ n پ0ˆ7_ j j j j G j پ0گ7

Leia mais

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA Rosário Mauritti Resumo Este artigo começa por analisar a influência das origens sociais nas trajectórias de

Leia mais

Pesquisa IBOPE Ambiental. Setembro de 2011

Pesquisa IBOPE Ambiental. Setembro de 2011 Pesquisa IBOPE Ambiental Setembro de 2011 Com quem falamos? Metodologia & Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas telefônicas. Objetivo geral Identificar

Leia mais

nelson de oliveira ódio sustenido

nelson de oliveira ódio sustenido ódio sustenido sai da chu va, josé! Ah, José, que é que vo cê faz aí parado? Sai da chu va, José! Larga es sa tai nha e cor re pra varanda. Ah, José, a vi da não é só ga nhar ou per der. Você sa be dis

Leia mais

Boa Pro va! INSTRUÇÕES

Boa Pro va! INSTRUÇÕES INSTRUÇÕES Escreva um texto argumentativo. Seu texto deve apresentar introdução, desenvolvimento e conclusão. Cer ti fi que-se de ha ver es co lhi do um dos te mas pro pos tos e dê um tí tu lo a seu tex

Leia mais

CONSTRUINDO UM EXCELENTE AMBIENTE DE TRABALHO:

CONSTRUINDO UM EXCELENTE AMBIENTE DE TRABALHO: CONSTRUINDO UM EXCELENTE AMBIENTE DE TRABALHO: OS RH S MAIS ADMIRADOS Ruy Shiozawa CEO Great Place to Work 18.Mar.2014 Download da Apresentação www.gptw.com.br publicações e eventos palestras 2 Great Place

Leia mais

O RESTAURANTE NO FIM DO UNIVERSO

O RESTAURANTE NO FIM DO UNIVERSO O RESTAURANTE NO FIM DO UNIVERSO DOUGLAS ADAMS O RESTAURANTE NO FIM DO UNIVERSO Volume Dois da Série O MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS A Jane e James, agradecimentos profundos; a Geoffrey Perkins, por realizar

Leia mais

botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22

botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22 botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22 sumário Introdução... 17 Gua ra ná Porrada... 25 Muletas... 39 Exó ti cas gan gues... 47 Um mons tro e um pinguim... 55 Si ga o cão... 61 Dia de campeão...

Leia mais

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Informativo mensal da unidade Contagem da PUC Minas nº 78 Agosto de 2008 Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Com três li nhas de pro du tos bá si ca, es cri tó rio e es por ti va, a

Leia mais

IMPLICAÇÕES DEMOCRÁTICAS DAS ASSOCIAÇÕES VOLUNTÁRIAS O caso português numa perspectiva comparativa europeia

IMPLICAÇÕES DEMOCRÁTICAS DAS ASSOCIAÇÕES VOLUNTÁRIAS O caso português numa perspectiva comparativa europeia IMPLICAÇÕES DEMOCRÁTICAS DAS ASSOCIAÇÕES VOLUNTÁRIAS O caso português numa perspectiva comparativa europeia José Manuel Leite Viegas Introdução Na úl ti ma dé ca da do sé cu lo pas sa do as sis tiu-se

Leia mais

UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA

UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA Pedro Diniz de Sousa Resumo Parte-se de uma definição do conceito de dramatização e da identificação das funções que o discurso dramático pode desempenhar

Leia mais

Ho je em dia, to do mun do tem ou gos ta ria de ter um ne gó cio pró prio. A

Ho je em dia, to do mun do tem ou gos ta ria de ter um ne gó cio pró prio. A Os negócios do Zé do Picolé Capítulo 1 Ho je em dia, to do mun do tem ou gos ta ria de ter um ne gó cio pró prio. A fi na li da de deste ca pí tu lo é mos trar a vo cê como se cal cu la o pre ço de ven

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2012 DGC/SPRH/DVRH

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2012 DGC/SPRH/DVRH Pesquisa de Clima Organizacional PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2012 DGC/SPRH/DVRH Pesquisa de Clima Organizacional Objetivo da Pesquisa de Clima Organizacional: Conhecer de forma sistematizada o clima

Leia mais

O PODER DAS REDES OU AS REDES DO PODER Análise estratégica numa organização com intranet

O PODER DAS REDES OU AS REDES DO PODER Análise estratégica numa organização com intranet O PODER DAS REDES OU AS REDES DO PODER Análise estratégica numa organização com intranet Sandra Pereira Introdução O po der é um pro ble ma cen tral nas or ga ni za ções en quan to es pa ços de con fli

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO Política de SEGURANÇA Política de SEGURANÇA A visão do Grupo Volvo é tornar-se líder

Leia mais

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Seção: Entrevista Pág.: www.catho.com.br SABIN: A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA MULHERES Viviane Macedo Uma empresa feita sob medida para mulheres. Assim

Leia mais

UNICAMP 2012 (2ª Fase)

UNICAMP 2012 (2ª Fase) 1. Re so lu ção (se rá con si de ra do ape nas o que es ti ver den tro des te es pa ço). a)...in te res se do pú bli co (L1): Tra ta-se de um subs tan ti vo pos to que de ter mi na do pe lo ar ti go o,

Leia mais

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13 O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 To dos so mos igua is, ape nas te - mos di fi cul da des di fe ren tes. Le o nar do

Leia mais

Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC

Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC Pesquisas de Clima Organizacional fornecem subsídios para a melhoria das condições de trabalho e a satisfação dos colaboradores e, com isso, tornando esta

Leia mais

RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL

RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL programação do evento 4ª edição RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL 10 de abril de 2014 Staybridge Suites São Paulo PATROCÍNIO GOLD PATROCÍNIO SILVER EXPO BRAND APOIO REALIZAÇÃO Os desafios do futuro na

Leia mais

Correção da Unicamp ª fase - Matemática feita pelo Intergraus

Correção da Unicamp ª fase - Matemática feita pelo Intergraus da Unicamp 010 ª fase - Matemática 13.01.010 UNIAMP 010 - MATEMÁTIA 1. Uma confeitaria produz dois tipos de bo los de fes ta. ada quilograma do bolo do tipo A consome 0, kg de açúcar e 0, kg de farinha.

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

In for má ti ca, ar qui vos, me mó ria, in ter net.

In for má ti ca, ar qui vos, me mó ria, in ter net. UMA MEMÓRIA PARA A TECNOLOGIA Fa us to Co lom bo Re su mo O tema da me mó ria, quan do as so ci a do ao das no vas tec no lo gi as, pro duz in te res san tes cor re la ções na me di da em que a in for

Leia mais

A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa. Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09

A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa. Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09 A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09 AGENDA 1. Posicionando a Remuneração e Reconhecimento 2. Tendências e impactos na Gestão 3. Melhores Práticas:

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010 da Unicamp 010 ª fase - Física 1.01.010 UNICAMP 010 - FÍSICA Esta prova aborda fenômenos físicos em situações do cotidiano, em experimentos científicos e em avanços tecnológicos da humanidade. Em algumas

Leia mais

LIDERANÇA RESPONSÁVEL. R A menor distância entre a Organização e o Talento

LIDERANÇA RESPONSÁVEL. R A menor distância entre a Organização e o Talento R 1 O QUE DIFRENCIA UMA EXCELENTE EMPRESA DE UMA SIMPLESMENTE BOA? Mais que oferecer um ótimo salário e benefícios peculiares, um excelente lugar para trabalhar é aquele onde os funcionários confiam nas

Leia mais

Pessoas e negócios em evolução.

Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria desde 2001 Nossos Serviços: Pesquisa de Clima Cargos e Salários Avaliação de Desempenho Recrutamento Especializado Mapeamento

Leia mais

FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto

FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto Primórdios Afir mar que a so ci o lo gia por tu gue sa só co me çou ver da de i ra men te

Leia mais

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS questionários de avaliação da satisfação creche CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS 2ª edição (revista) UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Governo da República Portuguesa SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010 UNICAMP 2010 - GEOGRAFIA 13. Ob serve o gráfico abaixo e responda às questões: a) Indi que a(s) re gião(ões) do glo bo com ta xa de es pe ran ça de vi da ao nas cer in fe ri or à mé dia mun di al, nos

Leia mais

ARTISTAS EM REDE OU ARTISTAS SEM REDE? Reflexões sobre o teatro em Portugal. Vera Borges. Para uma investigação sobre o teatro

ARTISTAS EM REDE OU ARTISTAS SEM REDE? Reflexões sobre o teatro em Portugal. Vera Borges. Para uma investigação sobre o teatro ARTISTAS EM REDE OU ARTISTAS SEM REDE? Reflexões sobre o teatro em Portugal Vera Borges Resumo Neste artigo apresentam-se algumas pistas de análise para o estudo das trajectórias individuais da carreira

Leia mais

PNV 292. Atos das mulheres. Tea Frigerio. São Leopoldo/RS

PNV 292. Atos das mulheres. Tea Frigerio. São Leopoldo/RS PNV 292 Atos das mulheres Tea Frigerio São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970 São Leopoldo/RS Fone: (51) 3568-2560 Fax:

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

RELATÓRIO PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL

RELATÓRIO PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 16ª REGIÃO SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E ESTATÍSTICA RELATÓRIO PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2011 1 - INTRODUÇÃO O Tribunal Regional do Trabalho

Leia mais

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 Comentário da Redação Nes te ano, a pro va de Re da ção da Uni camp foi ex ce len te. Em pri me i ro lu gar, pelo res pe i to ao for ma to tra di ci o nal

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários. 9ª edição

Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários. 9ª edição Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários 9ª edição Av Paulista, 6 Conj 77 Bela Vista CEP -9 São Paulo SP Fone/Fax: 89-5/6 897 ibco@ibcoorgbr - wwwibcoorgbr Agosto de 8 Índice

Leia mais

Art. 243. Vender, fornecer ain da que gratuita -

Art. 243. Vender, fornecer ain da que gratuita - Agosto de 2003 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Qu in ta-fe i ra 7 22447 LEGISLAÇÃO CITADA ANEXADA PELA SECRETARIA-GERAL DA MESA LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990 Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

MODELO. (Fonte arial ou times new Roman o tamanho da fonte estará entre parênteses) Nome do Aluno (14) N. RA: (14) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO (16)

MODELO. (Fonte arial ou times new Roman o tamanho da fonte estará entre parênteses) Nome do Aluno (14) N. RA: (14) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO (16) MODELO (Fonte arial ou times new Roman o tamanho da fonte estará entre parênteses) Nome do Aluno (14) N. RA: (14) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO (16) RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO (16) SÃO PAULO (12) 2014

Leia mais

A SEGMENTAÇÃO DO ESPAÇO DE INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA PORTUGUESA

A SEGMENTAÇÃO DO ESPAÇO DE INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA PORTUGUESA A SEGMENTAÇÃO DO ESPAÇO DE INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA PORTUGUESA Luísa Oliveira e Helena Carvalho Resumo A inovação tecnológica como força motriz de um novo padrão de competitividade coloca, como questão central,

Leia mais

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Avaliação desenvolvida por Mónica Galiano e Kenn Allen, publicado originalmente no livro The Big Tent: Corporate Volunteering in the Global Age. Texto

Leia mais

"Dorme enquanto eu velo"

Dorme enquanto eu velo poesia: Fernando Pessoa q = 60 6 "Dorme enquanto eu velo" para voz e piano legato Dor Patrícia Lopes J - me en. quan - to eu ve - lo Dei - xa me -. - so nhar 11. Na - da'em mim é ri - so - nho. 1. Que

Leia mais

Guia VOCÊ S/A As Melhores Empresas para Você Trabalhar

Guia VOCÊ S/A As Melhores Empresas para Você Trabalhar Guia VOCÊ S/A As Melhores Empresas para Você Trabalhar VEM AÍ A 16ª EDIÇÃO DA MAIOR PESQUISA DO MUNDO SOBRE CLIMA ORGANIZACIONAL Fonte de leitura e consulta para presidentes de empresas, líderes de RH

Leia mais

Como atrair e reter talentos

Como atrair e reter talentos Como atrair e reter talentos na Panificação PORQUE A DISCUSSÃO DE TALENTOS É IMPORTANTE PARA ORGANIZAÇÕES COMPETITIVAS? Em toda a história do mundo empresarial, nunca houve tanta preocupação e cuidados

Leia mais

O papel da remuneração no engajamento profissional

O papel da remuneração no engajamento profissional O papel da remuneração no engajamento profissional 15 de Maio de 2014 Agenda 1. Sobre o Hay Group 2. Contexto de mercado 3. Estudo global: O papel da remuneração no engajamento 4. Estudo Brasil: Melhores

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

mas, en quan to ob jec tos ma te riais da lin gua gem, foi de ta lha da men te ana li za da; o fac to de as pa la vras al fa e be ta pos suí rem le

mas, en quan to ob jec tos ma te riais da lin gua gem, foi de ta lha da men te ana li za da; o fac to de as pa la vras al fa e be ta pos suí rem le A Subjectivação da Linguagem Para comunicarem entre si, os homens edificaram, pouco a pouco, no decurso dos séculos, uma massa de sonoridades que constituem a linguagem. Michel Sages As for mas es cri

Leia mais

REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL José Nuno Lacerda Fonseca Resumo Analisando vários indícios da existência de efeitos anti-sociais da actividade dos meios de comunicação social, reflecte-se

Leia mais

Uma empresa especializada em empresas.

Uma empresa especializada em empresas. Sua equipe tem colaborado para que a empresa seja uma das mais competitivas i no mercado? Para avaliar quanto a sua equipe atual está dimensionada, preparada e motivada para os desafios do mercado, você

Leia mais

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 24.10.10

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 24.10.10 VESTIBULAR FGV 2011 OUTUBRO/2010 RESOLUÇÃO DAS 10 QUESTÕES DE MATEMÁTICA APLICADA QUESTÃO 1 O gráfico no plano cartesiano expressa a alta dos preços médios de televisores de tela plana e alta definição,

Leia mais

Proposta de Valor aos Empregados (EVP) como direcionador estratégico de Recursos Humanos

Proposta de Valor aos Empregados (EVP) como direcionador estratégico de Recursos Humanos RH 2020: Valor e Inovação Proposta de Valor aos Empregados (EVP) como direcionador estratégico de Recursos Humanos Glaucy Bocci 7 de maio de 2015, São Paulo Agenda Contexto O valor estratégico da EVP Pesquisa

Leia mais

ALCANÇANDO MELHORES RESULTADOS ATRAVÉS DA GESTÃO DE PESSOAS

ALCANÇANDO MELHORES RESULTADOS ATRAVÉS DA GESTÃO DE PESSOAS ALCANÇANDO MELHORES RESULTADOS ATRAVÉS DA GESTÃO DE PESSOAS Download da Apresentação www.gptw.com.br publicações e eventos palestras Great Place to Work - livros e vídeos 3 4 4 Great Place to Work - Missão

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

Fa la de Ben to Ser ras, co bra dor de bi lhe tes, nas ci do e mo ra dor em Amo rins:

Fa la de Ben to Ser ras, co bra dor de bi lhe tes, nas ci do e mo ra dor em Amo rins: Fa la de Ben to Ser ras, co bra dor de bi lhe tes, nas ci do e mo ra dor em Amo rins: «Diz que quer con tar tu do dos prin cí pios? Dos prin cí pios a gen te nun ca sa be. Quan do é o ca so de se lhe pôr

Leia mais

O guia do profissional de Recursos Humanos. Como melhorar o desenvolvimento da equipe

O guia do profissional de Recursos Humanos. Como melhorar o desenvolvimento da equipe O guia do profissional de Recursos Humanos Como melhorar o desenvolvimento da equipe 1 Introdução 03 Conhecendo as dores do seu time 05 Investir nos colaboradores! 08 Estabelecendo metas 11 A meditação

Leia mais

CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL

CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL Miguel Correia Pinto e Manuel Mira Godinho Resumo Com os avanços nos domínios da biotecnologia registados nas décadas mais recentes, os conhecimentos

Leia mais

O SEGREDO DAS MELHORES EMPRESAS PARA TRABALHAR - 2014. I ZANZINI E ruy shiozawa 02.SET.2014

O SEGREDO DAS MELHORES EMPRESAS PARA TRABALHAR - 2014. I ZANZINI E ruy shiozawa 02.SET.2014 O SEGREDO DAS MELHORES EMPRESAS PARA TRABALHAR - 2014 I ZANZINI E ruy shiozawa 02.SET.2014 BAIXE NOSSO APP E FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES WWW.GPT conclusão melhore s líderes melhore s líderes melhor

Leia mais

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa?

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Elton Moraes O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Sobre o Hay Group O Hay Group é uma consultoria mundial em gestão: Trabalhamos com líderes para transformar estratégias em realidade.

Leia mais

COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT

COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT RECENSÃO COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT [Lígia Noronha, Nelson Lourenço, João Paulo Lobo-Ferreira, Anna Lleopart, Enrico Feoli, Kalidas Sawkar, e A. G. Chachadi (2003),

Leia mais

Artes. Avaliação Mensal

Artes. Avaliação Mensal Tema: Arte e sociedade Artes Avaliação Mensal Analisar a relação entre a arte e a sociedade. Refletir sobre tal relação. Etapas: 1. Escolha um dos artistas apresentados no livro Arte e sociedade no Bra

Leia mais

Estratégias de Liderança Corporativa

Estratégias de Liderança Corporativa Estratégias de Liderança Corporativa Sábio é aquele que reconhece que tem muito a aprender Liderança e as Habilidades para Desenvolver Equipes de Sucesso 2 Liderar é uma arte... Reflexões... Lições...

Leia mais

DA INSOLÊNCIA À OBEDIÊNCIA Alterações nas atitudes dos despossuídos (1900-1945)

DA INSOLÊNCIA À OBEDIÊNCIA Alterações nas atitudes dos despossuídos (1900-1945) ENSA I O DA INSOLÊNCIA À OBEDIÊNCIA Alterações nas atitudes dos despossuídos (1900-1945) Eduardo Cintra Torres Aquela onda de insolência A che ga da do ca pi ta lis mo aos cam pos e o cres ci men to do

Leia mais

Você é comprometido?

Você é comprometido? Você é comprometido? Não, isso não é uma cantada. O que o seu chefe quer saber é se você veste a camisa da organização. Você adora seu trabalho e desempenha suas funções com eficiência, mas não aposta

Leia mais

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 CONTEÚDO 1. Como estamos até agora? 2. O que vem por aí... 3. Prioridades do RH para 2015 4. Nossa visão de 2015 01 COMO ESTAMOS ATÉ AGORA? PERFIL DOS PARTICIPANTES

Leia mais

18 de junho 2013 Espaço Araguari São Paulo - SP

18 de junho 2013 Espaço Araguari São Paulo - SP 18 de junho 2013 Espaço Araguari São Paulo - SP PORQUE DIÁLOGOS ENTRE GERAÇÕES? Nesta 5 a. Edição do Café com Estratégia, o tema escolhido foi Diálogos entre Gerações. Diálogos porque não há um conflito

Leia mais

ÉTICA, LIBERDADE DE INFORMAÇÃO, DIREITO À PRIVACIDADE E REPARAÇÃO CIVIL PELOS ILÍCITOS DE IMPRENSA 1

ÉTICA, LIBERDADE DE INFORMAÇÃO, DIREITO À PRIVACIDADE E REPARAÇÃO CIVIL PELOS ILÍCITOS DE IMPRENSA 1 ÉTICA, LIBERDADE DE INFORMAÇÃO, DIREITO À PRIVACIDADE E REPARAÇÃO CIVIL PELOS ILÍCITOS DE IMPRENSA 1 Eládio Torret Rocha Ju iz de Direito do TJSC SUMÁRIO: 1. Intro du ção; 2. A im pren sa e a li mi ta

Leia mais

Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos

Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos Pesqui Odontol Bras 2003;17(Supl 1):33-41 Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos Conselho Nacional de Saúde - Resolução 196/96 Pes qui sa Qu a li fi ca ção do pesquisador

Leia mais

IMIGRAÇÃO E IMIGRANTES EM PORTUGAL Parâmetros de regulação e cenários de exclusão

IMIGRAÇÃO E IMIGRANTES EM PORTUGAL Parâmetros de regulação e cenários de exclusão REGISTO IMIGRAÇÃO E IMIGRANTES EM PORTUGAL Parâmetros de regulação e cenários de exclusão Fernando Luís Machado Introdução As ques tões so ci a is, cul tu ra is e po lí ti cas que a imi gra ção la bo

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil 10Minutos Futuro do trabalho Pesquisa sobre impactos e desafios das mudanças no mundo do trabalho para as organizações no B O futuro do trabalho Destaques Escassez de profissionais, novos valores e expectativas

Leia mais

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL Por quê o lado humano dos negócios está emergindo como uma indispensável vantagem competitiva? Era Industrial Taylor e Fayol Era do Conhecimento Tecnologia

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL. PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. NOME DA EMPRESA

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL. PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. NOME DA EMPRESA PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL NOME DA EMPRESA A pesquisa foi desenvolvida e aplicada pela PERSPECTIVA Consultores Associados. Coordenador Interno: Ricardo Lezana

Leia mais

PROTAGONISTAS E CONTEXTOS DA PRODUÇÃO TECNOLÓGICA EM PORTUGAL O caso da invenção independente

PROTAGONISTAS E CONTEXTOS DA PRODUÇÃO TECNOLÓGICA EM PORTUGAL O caso da invenção independente PROTAGONISTAS E CONTEXTOS DA PRODUÇÃO TECNOLÓGICA EM PORTUGAL O caso da invenção independente Cristina Palma Conceição Resumo Tendo como pano de fundo algumas das questões suscitadas pelo debate teórico

Leia mais

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson Saúde e produtividade: o valor de uma força de trabalho saudável para o sucesso nos negócios Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo,

Leia mais

Como é o RH nas Empresas?

Como é o RH nas Empresas? Como é o RH nas Empresas? Informações gerais da pesquisa Objetivo: entender a percepção dos profissionais de RH sobre clima organizacional Pesquisa realizada entre 24/06 e 12/07 Parceria entre Hay Group

Leia mais