Sumário SEÇÃO 1 DADOS GERAIS DESCRIÇÃO DAS PLACAS DO TRANSMISSOR...6 SEÇÃO 2 ESPECIFICAÇÕES DO EQUIPAMENTO...10

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sumário SEÇÃO 1 DADOS GERAIS... 3 1.5.4 DESCRIÇÃO DAS PLACAS DO TRANSMISSOR...6 SEÇÃO 2 ESPECIFICAÇÕES DO EQUIPAMENTO...10"

Transcrição

1 Sumário SEÇÃO DADOS GERAIS INTRODUÇÃO APRESENTAÇÃO LICENCIAMENTO ASSISTÊNCIA TÉCNICA DESCRIÇÃO GERAL DO EQUIPAMENTO INTRODUÇÃO PROPÓSITO DESTE EQUIPAMENTO DESCRIÇÃO FÍSICA DESCRIÇÃO DAS PLACAS DO TRANSMISSOR...6 SEÇÃO 2 ESPECIFICAÇÕES DO EQUIPAMENTO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEDIDAS DE ÁUDIO DIAGRAMA DE BLOCOS DO TRANSMISSOR DIAGRAMA DE CONEXÕES DO TRANSMISSOR INSTALAÇÃO INSPEÇÃO INICIAL E DESEMBALAGEM DO TRANSMISSOR PLANEJAMENTO DA INSTALAÇÃO DISPONIBILIDADE DE ENERGIA ELÉTRICA LINHA DE TRANSMISSÃO DE RF CONDIÇOES AMBIENTAIS ATERRAMENTO SISTEMA IRRADIANTE SINAL DE ÁUDIO PARA O TRANSMISSOR INSTALAÇÃO DE FATO DO TRANSMISSOR: ATIVAÇÃO... 5 SEÇÃO 3 DETALHAMENTO DO EQUIPAMENTO TELAS TELA PRINCIPAL TELA LEITURAS E CONFIGURAÇÔES AJUSTE DE POTÊNCIA DE OPERAÇÂO ALARMES... 9

2 3..5 AJUSTES RELÓGIO EXCITADOR MÓDULO DE POTÊNCIA TEMPERATURA VSWR DETALHAMENTO DOS ALARMES E FALHAS...3 SEÇÃO 4 MANUTENÇÃO TE2537R Placa Principal de Controle do Transmissor TE87R Excitador R Oscilador VCO R Modulador Digital TE77R Módulo de Potência: TE87R Proteção do módulo de potência: TE97R Relé e sangria do módulo TE37 Placa Sensor de Temperatura R Placa Controle do Módulo de Potência TE247R Placa mãe do módulo de potência TE277R Placa dos led's do painel frontal do módulo de potência TE37R Fonte base de alta tensão TE37R Refletômetro TE298R Proteção de Rede do Transmissor TE257 Fonte do Excitador TE628R Fonte de alta tensão, -25 Vdc TE228R Acoplamento do Módulo...85 SEÇÃO 5 CHECK LIST SEÇÃO 6 SUPORTE TÉCNICO...89 SEÇÃO 7- CERTIFICADO DE GARANTIA...9 2

3 SEÇÃO DADOS GERAIS. INTRODUÇÃO Parabéns pela compra do o transmissor de de AM modelo MW5, equipamento desenvolvido dentro dos padrões de qualidade ISO9 que proporcionam qualidade, garantia e confiabilidade. Investimento inteligente, resultado surpreendente!.2 APRESENTAÇÃO O transmissor de AM modelo MW5 opera com até 5W de potência, na faixa de Radiodifusão sonora, em AM compreendida entre 535KHZ a 75KHZ e é mais um equipamento produzido dentro dos padrões de qualidade TELETRONIX, o que significa um produto com garantia e confiabilidade, foi desenvolvido com a mais moderna tecnologia de transmissão em AM. Robusto e de alto desempenho, proporcionando a sua emissora uma grande confiabilidade, eficiência e qualidade de transmissão. O equipamento é constituído por diversos estágios, sendo que cada um fica responsável por efetuar transformações no sinal de entrada para adequá-lo as condições de saída, em conformidade com as normas técnicas exigidas. Por se tratar de um equipamento homologado, o mesmo oferece qualidade e conformidade técnica, proporcionando assim as seguintes vantagens: Confiabilidade: possui circuitos de auto proteção contra eventuais falhas. Facilidade de operação e manutenção: no painel frontal temos informações visuais de alarmes e fácil acesso às principais leituras do equipamento, bem como todas as configurações possíveis. Estabilidade: através do controle automático de potência efetuado pelo microcontrolador, obtemos uma ótima estabilidade de potência e com a utilização da alta tecnologia de PLL tem-se uma excelente estabilidade de frequência. Performance: circuitos em estado sólido com componentes de última geração. Tecnologia digital de controle: o MW5 tem seu funcionamento monitorado por circuitos microcontrolados..3 LICENCIAMENTO O uso deste equipamento só é permitido através de licença junto ao Ministério das Comunicações. Caso não seja providenciada tal licença, o usuário deste estará sujeito às penalidades previstas na Legislação em vigor (Decreto n. 86 de 25/4/978, Cap. III, artigos 3, 4, 5)..4 ASSISTÊNCIA TÉCNICA Na última página deste manual encontra-se o Certificado de Garantia, o qual, além de conter informações 3

4 sobre a garantia de seu equipamento, alerta sobre o fato deste poder ser aberto somente por pessoas autorizadas pela Teletronix. Caso o equipamento seja manuseado ou adulterado por pessoas não autorizadas, ou haja qualquer sinal de violação do lacre de segurança, a garantia será imediatamente cessada e a Teletronix isenta de quaisquer responsabilidades perante a ANATEL..5 DESCRIÇÃO GERAL DO EQUIPAMENTO.5. INTRODUÇÃO Este manual técnico possui todas as informações necessárias para a perfeita instalação operação e manutenção do transmissor MW5. Este manual esta organizado de modo a apresentar em seu começo as informações gerais do transmissor e posteriormente as informações detalhadas do equipamento como peças circuitos com completa descrição de funcionamento dos mesmos. Caso este manual não seja suficiente de informar todos os detalhes a cerca do funcionamento do transmissor maiores informações técnicas consulte a penúltima página desse manual..5.2 PROPÓSITO DESTE EQUIPAMENTO Este transmissor destina-se a transmissão de radiodifusão em AM-DSB dentro de um canal ajustado previamente em fábrica em qualquer uma das frequências destinadas a este serviço compreendidas na faixa que se estende de 535KHZ a 75KHZ. A potência nominal do transmissor é de WATTS sem modulação e com % de modulação de 5WATTS, sendo WATTS na portadora 25WATTS em cada raia lateral compreendendo no total a % de modulação os 5WATTS. O transmissor foi projetado com circuitos de última geração concebido totalmente em estado sólido (transistorizado), com configuração modular, entre seu módulo de potência e suas fontes de alimentação chaveadas. Ambos o módulo de potência bem como sua fonte de alimentação de potência, podem ser destacados pelo painel frontal e substituídos com toda facilidade; aconselhamos ao radiodifusor possuir um módulo sobressalente bem como uma fonte, pois caso haja manutenção ele substitua a com defeito pela sobressalente evitando de a emissora ficar fora do ar, neste período e também a fim do técnico responsável ter um tempo adequado para efetuar a manutenção..5.3 DESCRIÇÃO FÍSICA Este transmissor é concebido em forma de rack de 9 polegadas com gabinetes metálicos de alumínio, sua entrada de força fica no painel traseiro bem como a entrada de áudio,estando também na parte de trás a saída para a antena, em conector tipo UHF fêmea, e a saída para monitoração de frequência e modulação. O gabinete possui duas portas laterais que podem ser retiradas, possuindo chaves de interlock, no transmissor que, quando acionadas, desligam a alta potência do transmissor afim de aumentar a segurança de quem opera. Na parte inferior do transmissor encontram-se a placa de proteção de entrada de rede de energia do transmissor com varistores e centelhadores de proteção, encontra-se também a placa de controle de interlock contactor de ativação de rede e transformador de 2Vdc para o módulo de potência. 4

5 Olhando pelo transmissor pela frente, vemos no lado esquerdo o módulo de fonte de alimentação e pelo lado direito o módulo de potência, na parte superior esquerda, temos o display gráfico e teclas de controle painel de medidas e controle do transmissor e na parte superior direita temos o circuito casador de impedâncias do transmissor. Transmissor MW5 As placas de oscilador PLL, fonte de baixa tensão, modulador digital, controles encontram-se na parte interna superior esquerda, já o sistema de casamento de impedâncias na parte interna superior direita. As placas contidas em todo o transmissor são as descritas na tabela abaixo: CÓD. PCI REV. DESCRIÇÃO PI.PCI.23 TE99R Placa Principal de Controle PI.PCI.5 TE87R 2 Excitador PI.PCI.7 27R Oscilador VCO PI.PCI.9 37R Modulador Digital PI.PCI.8 TE98R 2 Módulo de potência PI.PCI.2 TE87R Proteção do módulo de potência PI.PCI.2 TE97R Relé e sangria do módulo PI.PCI.22 TE247R 3 Placa mãe do módulo de potência PI.PCI.24 TE277R Placa dos led's do painel do módulo de potência PI.PCI.25 TE37R 2 Fonte base de alta tensão PI.PCI.26 TE37R Refletômetro PI.PCI. TE298R Proteção de rede de energia. PI.PCI. TE298R Fonte do excitador Tabela : Enumeração de todas as placas do transmissor MW5 5

6 .5.4 DESCRIÇÃO DAS PLACAS DO TRANSMISSOR TE99R Placa do Principal de Controle Nesta placa fica o microcontrolador que faz todo o controle do transmissor, o display gráfico(tft), as teclas de comandos, memórias, circuito do relógio do mesmo que fica continuamente oscilando e em caso de parada do transmissor o mesmo fica alimentado por um capacitor de F(farad), que mantém sua carga alimentando o mesmo, por um período aproximado de trinta dias, sendo que após este tempo, o relógio é desajustado. O circuito de bargraph de modulação que é exibido no display gráfico, circuitos de comunicação RS485, circuitos amplificadores das medidas das potência direta, potência refletida, tensão e corrente que ao passarem pelos mesmos,entram nos portais do microcontrolador. TE87R Excitador Placa onde temos o módulo amplificador de sinal que amplifica o sinal da portadora gerado na placa do VCO a fim de excitar os transistores mosfet's do módulo de potência, é alimentada com fonte de 48V e produz em sua saída potencia de 4 W em carga de 5 Ω. 27R Oscilador VCO Placa geradora do sinal de portadora do transmissor, seu oscilador oscila em uma frequência dez vezes superior o frequência de operação do transmissor, a configuração programação do PLL é feita através de chave do tipo DIP switch, que programa o PLL para a frequência do mesmo. após o oscilador a frequência passa por um divisor por dez, onde teremos a frequência que será entregue em sua saída, que irá exitar o módulo exitador. O cristal fica preso a um circuito térmico que o mantém em temperatura constante de 5 C, afim de manter a frequência de operação, imune a variações de temperatura. 37R Modulador Digital Nesta placa temos o sinal de áudio amplificado e somado ao mesmo, o sinal proveniente do microcontrolador, que irá definir a largura de pulso, que irá definir a potência de operação do transmissor; temos também, nesta placa, o circuito microcontrolado que irá gerar a frequência de PWM(Pulse Width Modulation) de 76kHz, a qual será modulada em largura de pulso, pelo modulador digital o sinal do áudio proveniente da entrada de áudio do transmissor; antes de chegar ao modulador, o sinal de áudio, passa por um filtro passa baixas do tipo bessel; e posteriormente por um circuito de pré distorção, a fim de gerar uma distorção inversa a do modulador, para que no final, o sinal modulado,apresente a menor distorção possível. 6

7 TE98R Módulo de potência Circuito amplificador de RF concebido por mosfet's de alta potência, o sinal presente nos gates dos mesmos deverá possuir tensão de pelo menos Vdc de pico afim de manter cada um o mais saturado possível afim de colocá-los na região de saturação, para não provocar aquecimento nos mesmos, são configurados para trabalhar em paralelo a fim de aumentar a potência final do transmissor, o sinal ao sair dos mesmos vai em direção dos transformadores casadores de impedância para a saída para o circuito casador de impedâncias. TE87R Proteção do módulo de potência Esta placa protege a placa dos mosfet's do módulo de potência contra a queima dos mesmos, isto é feito pois os enrolamentos do primário dos transformadores dos mosfet's, ficam enrolados em contra fase nos transformadores desta placa, então enquanto não existir nenhuma avaria nos mosfet's a tensão resultante no secundário do transformador desta placa é nulo, caso algum mosfet queime então a diferença entre as correntes no primário deixa de ser igual, e em seu secundário passa a existir tensão, que será retificada pelo diodo e irá disparar o SCR da mesma, atuando na placa mãe do módulo desligando-o. TE97R Relé e sangria do módulo: Esta placa possui um relé que é comando por um circuito de tempo presente no módulo de potencia, este circuito após ser energizado leva um tempo para energizar o relé durante este período a corrente que alimenta o módulo passa por um resistor em série para permitir a carga lenta dos capacitores da fonte do mesmo, após este tempo o relé é acionado tira o resistor sai de operação e passa a alimentar o módulo diretamente. Fica nela também o resistor de sangria da fonte que tem como objetivo descarregar os capacitores na ausência de corrente. TE247R Placa mãe do módulo de potência: Esta é a placa principal do módulo de potência do transmissor, nela fica o circuito do exitador e o circuito do modulador bem como parte do circuito de proteção, é bom que saliente que o positivo da fonte fica aterrado, portanto o terra do transmissor é positivo, fica também nesta placa o circuito do filtro de modulação. TE277R Placa dos led's do painel frontal do módulo de potência: Esta é uma placa muito simples que possui somente os leds s indicadores do status do módulo de potência, sendo eles: Led de falha de RF: Este led acende é porque o SCR fora acionado indicando que ouve desbalanceamento nos mosfet's, isto pode ser causado devido a queima dos mosfet's. Led de indicação de -25v: Este lede acende quando há presença de alta tensão no módulo, proveniente da fonte de alta tensão, gaveta esquerda do transmissor olhando de frente para o mesmo. 7

8 Led de indicação de tensão do modulador: Este led apaga quando falta tensão de alimentação no circuito dos mosfet's do modulador, a causa provável de seu apagamento é a queima do fusível que alimenta os mosfet's moduladores localizado na placa mãe do módulo. Led de Sobretemperatura: Este led acende quando ocorre uma sobretemperatura no módulo. TE37R Fonte base de alta tensão Nesta placa fica os circuitos do detector de interlock e fonte base para alimentação dos comandos inicias do transmissor e também o circuito da fonte inicial que controla os interlock s do transmissor. TE37R Refletômetro Placa onde fica os circuitos amplificadores e detectores da potência direta e refletida do transmissor. TE298R Proteção de rede de energia Esta placa é a placa de proteção contra transitórios na rede elétrica, nela encontra-se vários varistores que protegem o transmissor contra transitórios na rede elétrica esta placa também é toda preenchida de centelhadores, que na presença de alta tensão e ocorra um possível transitório na rede o direciona para o terra através dos centelhadores da mesma ou através dos varistores. Em série com cada varístor fica um fusível, pois caso o varístor entre em curto, devido sua atuação o fusível queima deixando-o fora de operação, (sempre que um varístor atua, devido a um transitório, o mesmo entra em curto!). TE257 Fonte do Exitador Fonte chaveada que gera as tensões de +48Vdc para excitação do módulo excitador e as fontes de +5Vdc para o regulador LM782 para a fonte de +2Vdc que alimenta os circuitos de áudio da placa geradora de PWM bem como gera a tensão de -5Vdc que vai para o regulador LM792 para geração da tensão de -2Vdc para a alimentação negativa dos circuitos de áudio da placa geradora de PWM. Sistemas de refrigeração O transmissor possui 3 ventiladores um no módulo de potência, outro na fonte de alta tensão, e um internamente atrás do painel traseiro, são ventiladores silenciosos de velocidade constante e de baixo consumo, que não necessitam de manutenção como lubrificação, etc. Porém os filtros de ar, inseridos no painel da fonte e do módulo de potência requerem uma limpeza continua afim de desobstruir a sujeira nas entradas de refrigeração. 8

9 Sistemas de proteção O transmissor esta amplamente protegido contra falhas internas e externas, em particular incluem proteções de sobrecarga na fonte de alta potência, que reduz sua tensão no caso de sobrecarga, possui sistemas de proteção contra potência refletida e temperatura para os circuitos de potência, possui fusíveis nas fases de entrada fusível no modulador e módulo de potência e fusíveis para cada varístor na placa de proteção, bem como proteção eletrostática tipo spacer-gap na saída de RF da antena. Combinador de saída de RF O módulo de potência possui duas saídas de RF + e - balanceadas em relação ao terra que necessitam passar por um transformador de ferrita a fim de somá-las em seu secundário para obtenção da potência total do transmissor, para que o transformadores somem, estas potências conectamos seus enrolamentos secundários em série. Desta forma temos na ponta do secundário um terminal ligado ao terra e o outro ligado a entrada do casador de impedâncias, circuito tipo tanque de saída. Circuito casador de impedâncias de saída O transmissor possui um rede adaptadora de impedâncias em sua saída que permite adaptar a impedância do secundário dos transformadores somadores das potências dos módulos na impedância da antena que é a impedância padrão de 5+j ohms. Esta rede casadora de impedâncias permite ajustar de forma independente a parte real da impedância e a imaginária da mesma, sobre os amplificadores do módulo. O circuito casador é do tipo pseudo passa baixos desta forma o mesmo transforma a impedância além de funcionar como um filtro passa baixos, eliminando totalmente os harmônicos do sinal. 9

10 SEÇÃO 2 ESPECIFICAÇÕES DO EQUIPAMENTO 2. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Programável para W, 25W, 5W ou Potência de saída W 53kHz a 7kHz sintetizado com Faixa de frequência Impedância de saída Conector de saída Capacidade de modulação Entrada de Áudio balanceada Nível de áudio de entrada para modular o transmissor com % de modulação Variação da frequência da portadora com programação interna 5 ohms UHF-fêmea Até +25% 6Ω dbm /2.2Vpp para % (Zero) Hz +/- % de variação da rede elétrica Potência média de toda a irradiação não essencial gerada em relação a potência >73dB's média na frequência fundamental Característica de regulação da portadora -2,5% para % de modulação Relação sinal ruído a % de modulação -52,5dB com um sinal modulante de 4Hz 2.2 MEDIDAS DE ÁUDIO Resposta de Áudio referenciada a Hz e db para um nível de modulação de 25%, 5 % e 85 %: Frequência(Hz) 25% de Modulação 5% de Modulação 85% de Modulação 5 -,22 -,2 -,5 6 -,44 -,27 -,23 7 -,6 -,7 -,5 8 -,9 -,7 -,7 9 -,4 -,5 -,5, -,3 -,2 2,8,4,4 4,8,,9 8,6,4,3 6,2 -,4 -,2 32,6 -,8 5 -,2 -,3 -, ,27 -,36 -,3 6 -,28 -,37 -, ,28 -,37 -,33 7 -,27 -,35 -, ,24 -,32 -,4

11 Distorção harmônica introduzida pelo transmissor nos sinais de áudio para 85 % e de % de picos negativos de modulação: Frequência (Hz) 85% de Modulação % de Modulação 5,55,8,5,96 4,8,,5, 75,6,2 2.3 DIAGRAMA DE BLOCOS DO TRANSMISSOR Abaixo será demonstrado o diagrama de blocos do transmissor: Figura : Diagrama em Blocos

12 2.4 DIAGRAMA DE CONEXÕES DO TRANSMISSOR 2

13 2.5 INSTALAÇÃO 2.5. INSPEÇÃO INICIAL E DESEMBALAGEM DO TRANSMISSOR O equipamento sai de fábrica embalado em uma caixa de madeira, enrolado em um plástico tipo bolha, destinado a proteger o transmissor contra arranhões e riscos durante o transporte. Retire cuidadosamente o transmissor da caixa que se encontra o mesmo, retire posteriormente o plástico bolha o qual esta embalado, feito isto verifique o estado que se encontra o transmissor quanto a arranhões e principalmente quanto a umidades que por ventura possa ter adquirido durante o transporte do mesmo. Qualquer dano ou avaria que apresente o transmissor fora ocorrido pelo transporte do mesmo, comunique imediatamente a transportadora sobre estes danos, afim de que a mesma tome as providências pertinentes ao ressarcimento dos mesmos ao cliente, e também entre em contato com a fábrica sobre possíveis reparações dos problemas ocorridos durante o transporte do transmissor PLANEJAMENTO DA INSTALAÇÃO A instalação do transmissor é muito simples, porém ela deve ser executada de forma cuidadosa e limpa. A seguir indicaremos os requisitos que deverão ser seguidos para que a mesma ocorra com sucesso DISPONIBILIDADE DE ENERGIA ELÉTRICA O transmissor MW5 requer para seu perfeito funcionamento uma rede de energia elétrica bifásica 22Vac com duas fases de 27Vac cada, ou uma fase com 22Vac em relação ao neutro e que esta rede de energia seja capaz de fornecer potência de 2W, já que o consumo máximo do mesmo é de 8W. A rede elétrica deve possuir também circuitos de proteção adequados como centelhadores entre outros. O diâmetro dos fios de alimentação do transmissor devem possuir diâmetro mínimo de 5,37mm² (Nº AWG) para alimentação bifásica 22Vac com 27+27Vac e de 8,48mm² (Nº 8 AWG) para alimentação monofásica de 22Vac LINHA DE TRANSMISSÃO DE RF O conector de saída de RF está localizado no painel traseiro do transmissor, trata-se de um conector tipo UHF fêmea, com impedância característica de 5Ω, onde conectará o cabo coaxial, também de 5Ω, que se conectará a caixa de sintonia. 3

14 2.5.5 CONDIÇOES AMBIENTAIS As condições ideais de funcionamento deste transmissor é um local seco, adequadamente ventilado, com ar limpo devidamente ventilado, bem iluminado e e onde não existam vibrações excessivas. Para a ventilação deve-se tomar o cuidado que a quantidade de calor que o equipamento entrega ao ambiente com W de potência está por volta de 22BTUS por hora. Por outro lado se o ambiente é muito úmido devido o local de instalação do transmissor, deve se tomar o cuidado de que não haja condensação de água nos circuitos do transmissor. É importante salientar que a perfeita confiabilidade de todo equipamento eletrônico profissional em uma perfeita instalação profissional, se degrada se o mesmo opera em uma temperatura maior que 4 C de temperatura e umidades excessivas ATERRAMENTO Este transmissor como todo equipamento eletrônico, principalmente os profissionais como este deve estar devidamente ligado ao terra, o tipo e aterramento e impedância de aterramento deve estar de acordo com o mínimo estabelecido para o país em que o mesmo esteja instalado, recomenda-se que o valor da resistência de aterramento seja a mínima possível e que o fio de terra esteja devidamente conectado na parte traseira do transmissor, de preferência um fio de cobre com diâmetro de mm² devidamente soldado no terra da estação SISTEMA IRRADIANTE O sistema irradiante deve possuir os circuitos adequados para casamento de impedâncias de modo que a impedância de carga na frequência de operação do transmissor seja de 5+j ohms (medidos na entrada da linha de transmissão cabo coaxial). A relação de onda estacionaria ROE, dentro da faixa do canal do transmissor compreendida entre KHZ abaixo da frequência do transmissor e KHZ acima deverá ser inferior a.5: e de forma ideal para uma perfeita instalação de.2:, é muito importante que a parte real da impedância da carga seja simétrica abaixo e acima da frequência de operação do transmissor. Caso contrário o grau de distorção da transmissão será maior para os receptores convencionais que possuem detetores de envoltória. Para assegurar um perfeito casamento de impedâncias do sistema irradiante, é muito importante medir a impedância da antena e da saída da caixa de sintonia com uma ponte de impedâncias adequada para este fim. (Um wattímetro direcional não é o equipamento adequado para este ajuste). O sistema irradiante deve possuir um sistema de descarga estática adequado, bem como possuir um centelhador de esferas na entrada e saída da caixa de sintonia. É muito importante tomar todas as medidas possíveis, que numa eventual descarga atmosférica na antena a mesma descarregue sua energia para a terra, nunca pelo cabo coaxial do transmissor, nem mesmo pelo seu terminal de terra, esta descarga deve ser drenada antes; caso contrário a mesma poderá danificar tanto o cabo coaxial como o transmissor. 4

15 2.5.8 SINAL DE ÁUDIO PARA O TRANSMISSOR De preferência o sinal de áudio deve ser um sinal balanceado pois o mesmo é mais imune a ruídos, com nível de dbm, este sinal preferencialmente deve sair de um processador de AM de boa qualidade afim de manter o nível da modulação constante e de bom nível médio de sinal INSTALAÇÃO DE FATO DO TRANSMISSOR: Para a correta instalação do transmissor proceda como segue a seguir: Meça com um multímetro na medida de tensão AC da rede de energia a mesma deve estar compreendida entre 9 e 24Vac, 5 ou 6Hz. Verificar se no extremo da linha de transmissão que chega ao transmissor se a mesma apresenta a impedância de 5+j ohms, se esta impedância não estiver correta, o transmissor não entrará em operação e atuará sua proteção de potência refletida, o descasamento de impedância da carga não poderá ser superior a uma ROE de::.2 Enrolar o cabo coaxial em um núcleo de ferrita de permeabilidade maior que com duas voltas e conectar este cabo na saída de antena do transmissor. Enrolar os cabos de rede AC também em um mesmo núcleo de ferrita com o máximo de voltas possíveis em cada cabo inclusive o neutro e conectar a entrada de energia do transmissor ao cabo de força. Conectar o cabo de áudio a entrada de áudio do painel traseiro do transmissor, é importante que antes de ligar o áudio a entrada você abaixe o máximo o volume da modulação no ajuste de modulação no painel traseiro do transmissor. Conectar o medidor de modulação a saída de teste do transmissor localizada no painel traseiro do mesmo. 2.6 ATIVAÇÃO º) Inserir o áudio através do conector AUDIO INPUT padrão balanceado com um nível de (Zero) dbm ( volt de pico); 2º) Colocar o disjuntor na posição ON e em seguida pressionar o botão vermelho ON/OFF; 3º) Neste momento o transmissor começará a inicializar o funcionamento, checando as condições de: PLL Locked, PDM Presente, falha de RF e Interlocks das tampas laterais(que devem estar fechadas); 4º) Se as condições do item acima estiverem satisfeitas o transmissor entrará em operação normal com potência de Watts, que já vem programado de fábrica e apresentando no display (Teletronix MW5 Inicializando...), Figura 2. Caso contrário o controlador interromperá a inicialização acionando o alarme correspondente e indicando no display qual a falha ocorreu; 5º) Em seguida com uma chave de fenda gira-se o potenciômetro de modulação AUDIO LEVEL no painel traseiro para % de modulação de acordo com o bargraph no painel frontal ou monitor de modulação. O detalhamento do transmissor será descrito na seção 3. 5

16 SEÇÃO 3 DETALHAMENTO DO EQUIPAMENTO Essa sessão tem como objetivo detalhar a operação do transmissor, serão apresentada nessa sessão as telas de modo a permitir as Leituras, Alarmes e Configurações. 3. TELAS Essa tela de inicialização, Figura 2 é apresentada toda vez que o transmissor é ligado, ela tem por objetivo informar que os módulos estão sendo inicializados. Nesse momento o microcontrolador principal faz a comunicação com o modulador digital e com o módulo de potência afim de verificar possíveis falhas neles. Caso todas as condições de operação estejam em condição normal, ele irá entrar entrar em operação normal, com o led failure apagado, como mostrador na Figura 3, caso contrário ele irá apresentar a mensagem com correspondente a falha e indicar a falha no no painel da Figura 3. Figura 2: Inicialização 3.. TELA PRINCIPAL O transmissor possui diversas telas, autoexplicativas, porém iremos entrar em detalhes das possíveis leituras de cada menu do equipamento. Após a inicialização do transmissor ele irá exibir a tela principal que é apresentada na Figura 3, essa tela ter por finalidade demonstrar todos os estados do transmissor na forma de blocos, que são eles: PLL, PDM, PDMON, RF FAILUR, ANTENA, INTERLOCK, TEMP, HIGH VOLTAGE, FAILURE e o BARGRAPH de MODULAÇÂO. Os blocos indicados com um led verde indica que está em seu estado de operação normal, quando um bloco apresentar um led vermelho indica que o bloco está sob falha. 6

17 Figura 3: Tela Principal Observações: Em alguns menus a função VOLTAR, possui a mesma função da tecla PRINCIPAL. Após 5 segundos sem pressionar nenhuma das teclas do painel o transmissor retorna a tela principal do transmissor, Figura 3. Após minutos na tela principal o transmissor exibe uma tela de proteção de tela TELA LEITURAS E CONFIGURAÇÔES Após exibida a tela principal é possível acessar a tela ajuste pressionando qualquer uma das 8 teclas do painel do transmissor. Um vez que uma das teclas foi acionada irá apresentar a tela de leituras e configurações, mostrada na Figura 4. Figura 4: Tela de Leituras e Configurações 7

18 Nessa tela é possível visualizar as leituras de potência direta e potência do equipamento, além de possibilitar várias configurações que são elas: POTENCIA: Menu de ajuste de potência de operação do equipamento. ALARMES: Menu de leitura dos alarmes ocorridos no equipamento. AJUSTES: Menu de ajuste de redução/desativação de potência e bloqueio/liberação de telemetria e de leituras de programação de redução de potência, a versão do software e o tempo de operação. EXCITADOR: Menu de leitura da tensão e corrente do excitador de potência. MODULO: Menu de leitura da tensão e corrente do módulo de potência. TEMP: Menu de leitura da temperatura atual do equipamento, e a temperatura máxima que ocorreu no equipamento com data e horário. VSWR: Menu de ajuste de operação do equipamento em modo manual ou automático. ATENÇÂO: Quando acionado o modo de operação MANUAL o circuito de controle do transmissor, desabilita a proteção de potência refletida da antena e coloca a potência direta em 25W. Nessa condição não é possível o transmissor operar com 5 ou W, isso só será possível quando o modo de operação for alterado para AUTOMÁTICO AJUSTE DE POTÊNCIA DE OPERAÇÂO Após exibida a tela principal, mostrada na Figura 4 é possível acessar a tela de ajuste de potência de operação pressionando a tecla POTENCIA. Após ser pressionada a tecla será apresentado a tela mostrada na Figura 5. A potência de operação pode ser ajustada em W, 25W, 5W ou W. Figura 5: Tela Ajuste Potência de Operação 8

19 É possível ajustar a potência de operação através da tecla UP para aumentar e DOWN para diminuir a potência. Após selecionado a potência desejada pressione a tecla ENTER para confirmar o ajuste da potência, então será exibida uma tela de confirmação de ajuste da nova potência, para confirmar pressione a tecla ENTER novamente ou a tecla SIM, para cancelar o ajuste pressione a tecla NAO. Para acessar o menu anterior utilize a tecla VOLTAR. Para acessar a tela principal pressione a tecla PRINCIPAL ALARMES Após exibida a tela principal, mostrada na Figura 4 é possível acessar a tela de alarmes pressionando a tecla ALARMES. Após ser pressionada a tecla será apresentado a tela mostrada na Figura 6. Figura 6: Tela de Alarmes Essa tela tem for finalidade apresentar os alarmes ocorridos no transmissor, caso não possua nenhuma alarme será apresentado a mensagem SEM ALARMES, caso contrário será apresentado a descrição do alarme sua data e seu horário que foi ocorrido. É possível ser armazenado os últimos alarmes ocorridos, é para visualizar cada um dele pressione a tecla PROXIMO ou a tecla ANTERIOR, sendo que o primeiro alarme apresentado na tela foi o último alarmes ocorrido no transmissor. Para apagar os alarmes ocorridos pressione a tecla LIMPAR, então será exibido no painel a mensagem SEM ALARMES na tela. Para acessar o menu anterior utilize a tecla VOLTAR. Para acessar a tela principal pressione a tecla PRINCIPAL. A descrição dos alarmes que poderão ocorrer serão detalhadas no item 3.2. Obs.: o Led Failure no painel frontal ficará piscando se ocorrer qualquer tipo de falha no equipamento e só voltará em seu estado normal(desligado) quando a falha for corrigida. 9

20 3..5 AJUSTES Após exibida a tela principal, mostrada na Figura 4 é possível acessar a tela de ajustes pressionando a tecla AJUSTES. Após ser pressionada a tecla será apresentado a tela mostrada na Figura 7. Figura 7: Tela de Ajustes Nessa tela é possível fazer o ajuste de redução(tecla REDUCAO )/desativação(desat.)) de potência e BIP/TELEM. com a função de de alterar o horário do bip no ar ou até desligar e também o bloqueio/liberação de configurações via telemetria. De acordo com a resolução n 54 de 7 de outubro de 28, a ANATEL estabelece o horário para alteração de potência, para isso foi definido o horário de redução de potência de acordo com o horário definido pela Anatel. Os horários são definidos por estado/território e podem ser consultados vide tabela XX. No painel central é possível visualizar a programação de redução de potência,figura 7, caso a mesma tenha sido programada. Para configurar um redução siga os seguintes passos: Pressione a tecla REDUCAO. Ajuste a potência de redução que pode ser W, 25W ou 5W, Figura 8. Ajuste o estado ou território do local, Figura 9. Para programar uma nova redução siga os passos anteriores novamente. 2

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS... 2

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS... 2 SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS... 2 1.1 INTRODUÇÃO... 2 1.2 APRESENTAÇÃO... 2 1.3 ASSISTÊNCIA TÉCNICA... 2 1.4 INSPEÇÃO NO ATO DO RECEBIMENTO... 2 1.5 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO DISTRIBUIDOR AMPLIFICADOR

Leia mais

SUMÁRIO 2.1 CUIDADOS INICIAIS...7 2.2 ATIVAÇÃO...7 2.3 DESCRIÇÃO DOS CONTROLES MLM-500...8 2.3.1 PAINEL FRONTAL...8 2.3.2 PAINEL TRASEIRO...

SUMÁRIO 2.1 CUIDADOS INICIAIS...7 2.2 ATIVAÇÃO...7 2.3 DESCRIÇÃO DOS CONTROLES MLM-500...8 2.3.1 PAINEL FRONTAL...8 2.3.2 PAINEL TRASEIRO... SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS 1.1 INTRODUÇÃO...3 1.2 APRESENTAÇÃO...3 1.3 ASSISTÊNCIA TÉCNICA...4 1.4 INSPEÇÃO NO ATO DO RECEBIMENTO...4 1.5 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MISTURADOR DE LINHAS DE MICROFONE MLM-500...4

Leia mais

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS 1.1 INTRODUÇÃO... 3 1.2 APRESENTAÇÃO... 3 1.3 ASSISTÊNCIA TÉCNICA... 3 1.4 INSPEÇÃO NO ATO DO RECEBIMENTO... 3 1.5 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROCESSADOR DE ÁUDIO PARA FM FMP-300...4

Leia mais

Fonte de alimentação com duas saídas e proteção

Fonte de alimentação com duas saídas e proteção Fonte de alimentação com duas saídas e proteção Elias Bernabé Turchiello Técnico responsável Este manual se destina unicamente a orientar o montador interessado neste projeto, portanto não se encontram

Leia mais

Sumário. Capítulo 2 COMPONENTES... 5

Sumário. Capítulo 2 COMPONENTES... 5 Sumário Capítulo 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 Apresentação... 3 1.2 Sobre este manual... 3 1.3 Instruções de segurança... 3 1.4 Instruções de instalação... 4 1.4.1 Fixação... 4 1.4.2 Ventilação... 4 1.4.3 Proteção

Leia mais

SUMÁRIO. 1.9 DISTORÇÃO HARMÔNICA SP1095r... 11 1.9.1 DISTORÇÃO HARMÔNICA DE ÁUDIO SCA DE 53 A 100KHZ, SEM DÊ-ÊNFASE... 11

SUMÁRIO. 1.9 DISTORÇÃO HARMÔNICA SP1095r... 11 1.9.1 DISTORÇÃO HARMÔNICA DE ÁUDIO SCA DE 53 A 100KHZ, SEM DÊ-ÊNFASE... 11 SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS 1.1 INTRODUÇÃO... 3 1.2 APRESENTAÇÃO... 3 1.3 LICENCIAMENTO... 4 1.4 ASSISTÊNCIA TÉCNICA... 4 1.5 INSPEÇÃO NO ATO DO RECEBIMENTO... 4 1.6 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... 5 1.6.1

Leia mais

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006 SOLUTION Painel Convencional de Alarme de Incêndio TABELA DE CONTEÚDO Capitulo 1: Descrição do Produto... 2 1.1: Características...2 1.2: Especificações...2 Capitulo 2: Lógica de Detecção e Alarme de Incêndios...

Leia mais

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS 1.1 INTRODUÇÃO... 3 1.2 APRESENTAÇÃO... 3 1.3 ASSISTÊNCIA TÉCNICA... 3 1.4 INSPEÇÃO NO ATO DO RECEBIMENTO... 3 1.5 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... 4 1.5.1 MONITOR DE MODULAÇÃO FMA-730

Leia mais

Manual de Operação. Cristal 950 TX

Manual de Operação. Cristal 950 TX Manual de Operação Transmissor em UHF 937,5 a 940 e 942 a 960 MHz Link de Áudio Mono / Estéreo Cristal 950 TX Versão 3.1 março 2010 Optima RF Telecomunicações Ltda Av. Raul Veiga, 86 sala 702 CEP: 28.540-000

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES EFA72C35-A/00

MANUAL DE INSTRUÇÕES EFA72C35-A/00 Histórico N. Doc. Revisão Data Descrição Aprovado 601165 A 24/01/14 Inicial Faria Executado: Edson N. da cópia: 01 Página 1 de 7 SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO 2- CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS E MECÂNICAS 2.1 - Entrada

Leia mais

ESCOLA DE COMUNICAÇÕES AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA

ESCOLA DE COMUNICAÇÕES AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA ESCOLA DE COMUNICAÇÕES AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA ESCOLA DE COMUNICAÇÕES OBJETIVOS Descrever a função de cada bloco do diagrama-bloco do RECEPTOR-TRANSMISSOR EB 11-RY 20/ERC; Descrever os procedimentos de medição

Leia mais

Hardware de Computadores

Hardware de Computadores Fonte de Energia Hardware de Computadores Introdução As fontes de alimentação são as responsáveis por distribuir energia elétrica a todos os componentes do computador. Assim, uma fonte de qualidade é essencial

Leia mais

2.5. Placas eletrônicas da central

2.5. Placas eletrônicas da central 2.5. Placas eletrônicas da central Placa eletrônica de laço Piezo Placa de laço Na placa eletrônica de laço podem ser ligados quatro laços de detecção, compostos por detectores de fumaça, detectores termovelocimétricos

Leia mais

CENTRAL DE ALARME SEM FIO AS-321

CENTRAL DE ALARME SEM FIO AS-321 CENTRAL DE E SEM FIO AS- CARACTERÍSTICAS DO APARELHO - Central de alarme sem fio com setor misto ( com e/ou sem fio ); - Caixa plástica com alojamento para bateria selada de 7 A/H; - Carregador de bateria

Leia mais

CENTRAL DE ALARME BRISA 8 VOZ / BRISA 8 SINAL

CENTRAL DE ALARME BRISA 8 VOZ / BRISA 8 SINAL CENTRAL DE ALARME BRISA 8 VOZ / BRISA 8 SINAL CARACTERÍSTICAS BÁSICAS 8 Zonas programáveis sendo 4 mistas, ou seja, com fio e sem fio e 4 com fio; 1 senha mestre; 1 senha de usuário; Entrada para teclado

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Temporizador Automático / Relógio Programador de Horário Para Acionamento Automático de Sirenes e Outros Equipamentos Código: AFKITPROG 2 O REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO REP O Relógio Acionador Automático

Leia mais

CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12

CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12 CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12 INSTALAÇÃO DO CONTROLADOR DE TEMPERATURA Atenção: A Montagem e manutenção devem ser realizadas apenas por profissionais

Leia mais

CENTRAL DE ALARME BRISA-4

CENTRAL DE ALARME BRISA-4 CENTRAL DE ALARME BRISA-4 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS -4 zonas mistas programáveis -disca para até 4 telefones -pânico pelo controle remoto -dupla tecnologia hopping code e rolling code em 4,9mhz -indica

Leia mais

Série Alpha 4000. Sistemas de Rádio Controle Remoto Industrial. Manual de Instruções

Série Alpha 4000. Sistemas de Rádio Controle Remoto Industrial. Manual de Instruções Série Alpha 4000 Sistemas de Rádio Controle Remoto Industrial Manual de Instruções SEYCONEL AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL LTDA www.seyconel.com.br Fone (41) 3201 8000 2 SUMÁRIO 1. INSTRUÇÕES... 1 2. INSTRUÇÕES

Leia mais

1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides

1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides 1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides CONTROLE DE FLUSHING AUTOMÁTICO LCF 12 Modo Periódico e Horário www.lubing.com.br (19) 3583-6929 DESCALVADO SP 1. Instalação O equipamento deve

Leia mais

CAE 80. Manual de Instruções. Revisão 4

CAE 80. Manual de Instruções. Revisão 4 CAE 80 Manual de Instruções Revisão 4 1. INTRODUÇÃO. Parabéns pela aquisição da central endereçável da ILUMAC, modelo CAE80, este equipamento será uma excelente ferramenta na proteção e prevenção contra

Leia mais

DESCRIÇÕES GERAIS SL A X 4 - MT

DESCRIÇÕES GERAIS SL A X 4 - MT DESCRIÇÕES GERAIS SL A X 4 - MT Sua central de alarme SL AX4 - MT, é microcontrolada, com quatro setores independentes, com fios ou sem fios (dependendo dos opcionais instalados), com opções monitoráveis

Leia mais

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador P7C - HI Tecnologia 7C O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador P7C da HI tecnologia (PMU10700100). A lista de verbetes consta na versão

Leia mais

Duplo Indicador de Temperatura com Alarme T204i/2T0-AL HNI Cód. 90.506.0082

Duplo Indicador de Temperatura com Alarme T204i/2T0-AL HNI Cód. 90.506.0082 MANUAL DE OPERAÇÃO Duplo Indicador de Temperatura com Alarme T204i/2T0-AL HNI Cód. 90.506.0082 Programa Executivo: T204AP_2T0AL Modelos: 220VAC, 127VAC e 24VAC. 40.000.0181 Rev. A maio 2011. ÍNDICE 1.

Leia mais

CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS

CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS Parabéns, Você acaba de adquirir uma central de alarme modelo Brisa 4 Plus produzida no Brasil com a mais alta tecnologia de fabricação. - PAINEL FRONTAL Led REDE: Indica

Leia mais

MANUAL REDE CABEADA UTP

MANUAL REDE CABEADA UTP MANUAL REDE CABEADA UTP volt.ind.br 1-QUADRO COMPLETO 2-DISJUNTOR 3-PROTETOR ELÉTRICO 4-FONTE PRIMÁRIA VT 800 5-BATERIAS 6-PD (PONTO DE DISTRIBUIÇÃO) volt.ind.br Pág. 1 1-QUADRO COMPLETO: Equipado por

Leia mais

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-201

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-201 CENTRAL DE ALARME COM FIO AW201 CARACTERÍSTICAS DO APARELHO Central de alarme de 1 setor com fio; Caixa plástica com alojamento para bateria selada de 7 A/H; Carregador de bateria incorporado; Tempo de

Leia mais

ANÁLISE DE DEFEITOS. Antes de chamar o serviço de manutenção, confira os seguintes pontos.

ANÁLISE DE DEFEITOS. Antes de chamar o serviço de manutenção, confira os seguintes pontos. 6 ANÁLISE DE DEFEITOS Antes de chamar o serviço de manutenção, confira os seguintes pontos. Inoperante O fusível de proteção está queimado ou o disjuntor desarmou. A pilha do controle remoto está fraca.

Leia mais

CENTRAL DE ALARME ASD-600 SINAL E VOZ

CENTRAL DE ALARME ASD-600 SINAL E VOZ CENTRAL DE ALARME ASD-6 SINAL E VOZ Parabéns, Você acaba de adquirir uma central de alarme modelo ASD-6 produzida no Brasil com a mais alta tecnologia de fabricação. 1- PAINEL FRONTAL Led REDE: Indica

Leia mais

Compacta e de fácil programação possuindo:

Compacta e de fácil programação possuindo: '(6&5,d (6*(5$,66/$; Sua central de alarme 6/ ± $;, é microcontrolada, com quatro setores independentes, com fios ou sem fios (dependendo dos opcionais instalados), controle remoto e discador telefônico,

Leia mais

Objetivo A presente prática tem por objetivo verificar na prática os diferentes modos de disparo dos TRIACs.

Objetivo A presente prática tem por objetivo verificar na prática os diferentes modos de disparo dos TRIACs. Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Elétrica Laboratório de Engenharia Elétrica V TE067 Prof. James Alexandre Baraniuk Equipe: Data: / / EXPERIMENTO PRÁTICO COM TRIAC Objetivo A presente

Leia mais

Estação de FM Estereofônica MTFM98- RADCOM (5)

Estação de FM Estereofônica MTFM98- RADCOM (5) Estação de FM Estereofônica MTFM98- RADCOM (5) 1 Como utilizar este manual. Este manual tem como objetivo principal levar ao cliente da Montel Sistemas de Comunicação Ltda., informações genéricas a respeito

Leia mais

Termo de Garantia. Extinção da Garantia

Termo de Garantia. Extinção da Garantia OBS IMPORTANTE: Você esta adquirindo um produto de segurança. Verifique com o Engenheiro responsável da obra, se ele atende as necessidades para o local onde será Instalado, pois todo o equipamento de

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES NO BREAK SENOIDAL KNS

MANUAL DE INSTRUÇÕES NO BREAK SENOIDAL KNS Sartor Indústria e Comércio LTDA CNPJ. 94.277.04/0001-59 Rua Evaristo de Antoni Nº 1062 Bairro São José CEP: 95041-000 CAXIAS DO SUL RS BRASIL MANUAL DE INSTRUÇÕES NO BREAK SENOIDAL KNS LINHA ON LINE SENOIDAL...

Leia mais

LINHA DE ALARMES. MANUAL DE INSTALAÇÃO E USO Alarme Microcontrolado. Olimpus AUTOMOTIVE

LINHA DE ALARMES. MANUAL DE INSTALAÇÃO E USO Alarme Microcontrolado. Olimpus AUTOMOTIVE LINHA DE ALARMES MANUAL DE INSTALAÇÃO E USO Alarme Microcontrolado Olimpus AUTOMOTIVE 1 2 Índice 1. Funcionamento...03 1.1 Controle remoto e guia rápido 1.2 Ciclo de disparo do alarme Padlock. 1.3 Função

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO GERADOR DE FUNÇÕES MODELO GV-2002

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO GERADOR DE FUNÇÕES MODELO GV-2002 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO GERADOR DE FUNÇÕES MODELO GV-2002 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do gerador ÍNDICE 1. Introdução... 01 2. Regras de segurança... 02

Leia mais

MANUAL DO INSTALADOR. CENTRAL DE ALARME SUPÉRIA 3000 D4 e SUPÉRIA 3000 D8

MANUAL DO INSTALADOR. CENTRAL DE ALARME SUPÉRIA 3000 D4 e SUPÉRIA 3000 D8 1 2 MANUAL DO INSTALADOR CENTRAL DE ALARME SUPÉRIA 3000 D4 e SUPÉRIA 3000 D8 Parabéns, você adquiriu um sistema de alarme da CS Eletrônica. Os nossos equipamentos foram projetados para lhe oferecer anos

Leia mais

CONTROLE REMOTO VEICULAR

CONTROLE REMOTO VEICULAR Hamtronix MCR300EA Manual de Instalação e Operação Software A Hardware Revisão E ÍNDICE Índice... 02 Suporte Online... 02 Termo de Garantia... 02 COMO FUNCIONA Funcionamento das saídas... 03 Funcionamento

Leia mais

Manual de instalação e operação

Manual de instalação e operação Manual de instalação e operação Central de alarme de incêndio endereçável INC 2000 Central de alarme de incêndio INC 2000 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul.

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO A EQUIPEL assegura ao proprietário deste aparelho garantia de 01 ano contra qualquer defeito de peça ou de fabricação desde que,

Leia mais

AP4/AP4D CENTRAL DE ALARME PARTICIONADA MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Compatec Sistemas Eletrônicos Ltda Indústria Brasileira www.compatec.com.

AP4/AP4D CENTRAL DE ALARME PARTICIONADA MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Compatec Sistemas Eletrônicos Ltda Indústria Brasileira www.compatec.com. SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE COMPATEC ALARMES PARA SUA SEGURANÇA MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO suporte@compatec.com.br fone:(54)4009 4711 Compatec Sistemas Eletrônicos Ltda Indústria Brasileira

Leia mais

CENTRAL DE ALARME BRISA CELL 804

CENTRAL DE ALARME BRISA CELL 804 CENTRAL DE ALARME - PAINEL FRONTAL Led REDE: Indica que o aparelho está sendo alimentado pela rede AC. Led BATERIA: Indica que o aparelho está sendo alimentado pela bateria. Led ARMADO: Aceso indica que

Leia mais

SUPERTEC2007 CONSERTO NO CIRCUITO HORIZONTAL PARTE 2

SUPERTEC2007 CONSERTO NO CIRCUITO HORIZONTAL PARTE 2 XX. CONSERTO NO CIRCUITO HORIZONTAL PARTE 2 NÃO TEM TRAMA NEM ALTA TENSÃO E O LED ACENDE VERDE: 1. Medir +B no coletor do saída H. Observe na figura abaixo: 2. Não tem +B no saída H Veja se sai +B da fonte

Leia mais

Sumário SEÇÃO 1 DADOS GERAIS... 2 SEÇÃO 3 DETALHAMENTO DO ARS300... 6 3.1 DESCRIÇÃO GERAL DO EQUIPAMENTO... 6 3.2 MENUS E NAVEGAÇÃO...

Sumário SEÇÃO 1 DADOS GERAIS... 2 SEÇÃO 3 DETALHAMENTO DO ARS300... 6 3.1 DESCRIÇÃO GERAL DO EQUIPAMENTO... 6 3.2 MENUS E NAVEGAÇÃO... Sumário SEÇÃO 1 DADOS GERAIS... 2 1.1 INTRODUÇÃO... 2 1.2 APRESENTAÇÃO... 2 1.3 ASSISTÊNCIA TÉCNICA... 2 1.4 INSPEÇÃO NO ATO DO RECEBIMENTO... 2 1.5 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO SISTEMA DE REPORTAGEM AUTOMÁTICA

Leia mais

A L A R M E S P A R A S U A S E G U R A N Ç A MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO CENTRAL DE ALARME PARTICIONADA AP2/AP2D

A L A R M E S P A R A S U A S E G U R A N Ç A MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO CENTRAL DE ALARME PARTICIONADA AP2/AP2D COMPATEC A L A R M E S P A R A S U A S E G U R A N Ç A MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO CENTRAL DE ALARME PARTICIONADA AP2/AP2D ÍNDICE Apresentação...3 Conheçendo a central...3 Características Gerais...4

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO MD-1000

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO MD-1000 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO MD-1000 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento =1= ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REGRAS DE SEGURANÇA...

Leia mais

HUMITECH 1. DESCRIÇÃO

HUMITECH 1. DESCRIÇÃO PARA RESFRIAMENTO EVAPORATIVO TEMPER UMIDADE 1. DESCRIÇÃO Controlador microprocessado de alta performance, o Humitech aplica-se em conjunto a sistemas de resfriamento evaporativo para conforto térmico

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES E CERTIFICADO DE GARANTIA 1 2 INTRODUÇÃO Obrigado por adquirir nosso produto e confiar na marca BOOG. Esteja certo de que você acaba de adquirir um produto de eficiente desempenho,

Leia mais

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO CENTRAL MC - 4

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO CENTRAL MC - 4 Central de Alarme MC-4 1. Apresentação 3 2. Características 3 3. Conhecendo a Central de Alarme MC-4 4 4. Instalação 4 4.1 Especificações Técnicas 4 4.2 Especificação da Fiação 5 4.3 Escolha dos Sensores

Leia mais

Manual de Operação do SUPER COLOR. A Century se reserva todos os direitos sobre este Manual podendo alterar seu conteúdo sem aviso prévio.

Manual de Operação do SUPER COLOR. A Century se reserva todos os direitos sobre este Manual podendo alterar seu conteúdo sem aviso prévio. Manual de Operação do SUPER COLOR A Century se reserva todos os direitos sobre este Manual podendo alterar seu conteúdo sem aviso prévio. Parabéns pela aquisição da mais moderna tecnologia em receptores

Leia mais

MÓDULO SINTETIZADOR.

MÓDULO SINTETIZADOR. MÓDULO SINTETIZADOR. O módulo sintetizador é uma placa (PCA) de 3,5pol x 9 pol, ligada a placa mãe em J4 e localizada imediatamente adjacente ao módulo de Referência/Controle do transceptor. Como o módulo

Leia mais

BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA

BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA DISCAGEM POR PULSO E TOM INDICAÇÃO DE POLARIDADE DE LINHA MEMORIZA ÚTIMO NÚMERO DISCADO MONITORAÇÃO EM ALTA IMPEDÂNCIA PROTEÇÃO CONTRA REDIOINTERFERÊNCIA

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES FONTE DE ALIMENTAÇÃO AUTOMOTIVA USINA MODELO: SUV-14460BV Fonte Chaveada Usina 60A-14,4V Antes de Efetuar qualquer ligação em sua fonte, leia atentamente o manual de instruções. Apresentação

Leia mais

Tutorial de Eletrônica Aplicações com 555 v2010.05

Tutorial de Eletrônica Aplicações com 555 v2010.05 Tutorial de Eletrônica Aplicações com 555 v2010.05 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212 Londrina PR Brasil http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas...9 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 Moto é um rastreador exclusivo para Motos desenvolvido com os mais rígidos

Leia mais

Global Security Network GSN Brasil. 1

Global Security Network GSN Brasil. 1 Global Security Network GSN Brasil. 1 Operação Básica O teclado Spectra 1689 e o Teclado 1641 (cristal liquido) funcionam da mesma maneira, Mas não oferecem a mesma visualização. Nesta seção veremos suas

Leia mais

Decibelímetro Modelo SL130

Decibelímetro Modelo SL130 Manual do Usuário Decibelímetro Modelo SL130 Introdução Parabéns pela sua compra do Decibelímetro SL130 Extech. Desenhado para montagem em parede, mesa, ou montagem em tripé, este medidor está de acordo

Leia mais

A empresa se reserva no direito de fazer alterações sem prévio aviso. Produto produzido por Eletroppar - CNPJ. 02.748.434/0001-08

A empresa se reserva no direito de fazer alterações sem prévio aviso. Produto produzido por Eletroppar - CNPJ. 02.748.434/0001-08 As imagens deste manual são meramente ilustrativas. A empresa se reserva no direito de fazer alterações sem prévio aviso. Produto produzido por Eletroppar - CNPJ. 02.748.434/0001-08 P27130 - Rev. 1 1 Índice

Leia mais

TECNOLOGIA EM SEGURANÇA SOLUÇÕES EM ELETRÔNICA

TECNOLOGIA EM SEGURANÇA SOLUÇÕES EM ELETRÔNICA TECNOLOGIA EM SEGURANÇA SOLUÇÕES EM ELETRÔNICA 3. CARACTERÍSTICAS 3.1 Central de alarme microprocessada com 4 setores expansível para 8 ou 12 setores; 3.2 Acompanha dois transmissores (mod. TSN); 3.3 Acionamento

Leia mais

Contador Digital Up/Down

Contador Digital Up/Down MANUAL DE OPERAÇÃO Contador Digital Up/Down C100D HNI Cód. 90.506.1010 Programa Executivo: C100D HNI v.1.0 Modelos: 220VAC, 127VAC, 24VAC e 12VDC e 24VDC 40-000-0129 Rev. A fevereiro 2008. ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO:...

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 155ED +55 (16) 3383

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 155ED +55 (16) 3383 bambozzi A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 3383 3818 Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

Central de alarme Intelbras ANM 2003

Central de alarme Intelbras ANM 2003 MANUAL DO USUÁRIO Central de alarme Intelbras ANM 2003 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Para conferir todas as vantagens que estão à sua disposição, leia

Leia mais

CENTRAL DE ALARME DE INCÊNDIO MULTIPLEX Série AIM48 (Final)

CENTRAL DE ALARME DE INCÊNDIO MULTIPLEX Série AIM48 (Final) 1 - INTRODUÇÃO: CENTRAL DE ALARME DE INCÊNDIO MULTIPLEX Série AIM48 (Final) Trata-se de uma sistema de alarme de incêndio para utilização onde há somente acionadores manuais e sirenes convencionais, não

Leia mais

Horímetro Digital H100-A HNI

Horímetro Digital H100-A HNI MANUAL DE OPERAÇÃO Horímetro Digital H100-A HNI Programa Executivo: H100A HNI v.1.2 Modelos: 220VAC, 127VAC, 24VAC e 12-24VDC 40-000-0101 Rev. C dezembro 2008. ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO:... 3 2. INSTALAÇÃO

Leia mais

Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Manual do Usuário Versão 3.9f

Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Manual do Usuário Versão 3.9f Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro Manual do Usuário Versão 3.9f 2 ÍNDICE PÁG. 1 APRESENTAÇÃO...03 2 DESCRIÇÃO DO EQUIPAMENTO...04 2.1 ROTINA INICIAL DE AVALIAÇÃO DA REDE ELÉTRICA...04 2.2 TROCA DE

Leia mais

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Contador Digital Microprocessado K204. Versão 1.XX / Rev.

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Contador Digital Microprocessado K204. Versão 1.XX / Rev. Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais Manual de Instruções Contador Digital Microprocessado K204 Versão 1.XX / Rev. 1 Índice Item Página 1. Introdução...02 2. Características...02

Leia mais

Central de Alarme de Oito Zonas

Central de Alarme de Oito Zonas Central de Alarme de Oito Zonas R02 ÍNDICE CARACTERÍSTICAS GERAIS:... 3 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS:... 3 CONHECENDO A CENTRAL:... 4 COMO A CENTRAL FUNCIONA:... 4 COMO APAGAR A MEMÓRIA DA CENTRAL:... 4 COMO

Leia mais

Controlador de Segurança para chamas de Gás

Controlador de Segurança para chamas de Gás Controlador de Segurança para chamas de Gás Para queimadores de gás atmosféricos de 2 estágios: Detecção de chamas: - Sonda de Ionização - Detector de Infra-vermelho IRD 1020 - Sensor de chamas Ultravioleta

Leia mais

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS 1.1 INTRODUÇÃO... 4 1.2 APRESENTAÇÃO... 4 1.3 LICENCIAMENTO... 4 1.4 TECNOLOGIA ALWAYS ON AIR... 4 1.5 ASSISTÊNCIA TÉCNICA... 4 1.6 INSPEÇÃO NO ATO DO RECEBIMENTO... 5 1.7

Leia mais

REDE CABEADA CFTV MANUAL DO USUÁRIO

REDE CABEADA CFTV MANUAL DO USUÁRIO REDE CABEADA CFTV MANUAL DO USUÁRIO Sumário Página 4: Quadro completo Disjuntores Transformador isolador Protetor elétrico Fonte primária VT CFTV Funcionalidades Baterias Página 6: Ponto de distribuição

Leia mais

ÍNDICE. 1.0 Introdução. 2.0 Descrição. 3.0 Instalação e Aplicação. 4.0 Programação. 5.0 Características Técnicas. 6.0 Principais Problemas e Soluções

ÍNDICE. 1.0 Introdução. 2.0 Descrição. 3.0 Instalação e Aplicação. 4.0 Programação. 5.0 Características Técnicas. 6.0 Principais Problemas e Soluções ÍNDICE 1.0 Introdução 2.0 Descrição 3.0 Instalação e Aplicação 4.0 Programação 5.0 Características Técnicas 6.0 Principais Problemas e Soluções Termo de Garantia 5 6 9 16 18 18 21 4 1.0 Introdução A TRANSSEN

Leia mais

AVISO ATENÇÃO: EM CASO DE EMERGÊNCIA, CERTIFIQUE-SE QUE A ENERGIA FOI DESLIGADA. TRATAMENTO PARA CHOQUE ELÉTRICO VIAS AÉREAS RESPIRAÇÃO

AVISO ATENÇÃO: EM CASO DE EMERGÊNCIA, CERTIFIQUE-SE QUE A ENERGIA FOI DESLIGADA. TRATAMENTO PARA CHOQUE ELÉTRICO VIAS AÉREAS RESPIRAÇÃO AVISO Antes de qualquer ação, leia atentamente todo o manual. A instalação, operação e manutenção envolvem riscos tanto para a pessoa como para o equipamento e, por isso não deve ser executado por pessoas

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO MD-1600

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO MD-1600 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO MD-1600 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. REGRAS DE SEGURANÇA...3

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas......8 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 é um rastreador desenvolvido com os mais rígidos padrões de qualidade

Leia mais

ALARMES AUTOMOTIVOS. Olimpus AUTOMOTIVE. MANUAL DE INSTALAÇÃO E USO Alarme Keyless

ALARMES AUTOMOTIVOS. Olimpus AUTOMOTIVE. MANUAL DE INSTALAÇÃO E USO Alarme Keyless ALARMES AUTOMOTIVOS Olimpus AUTOMOTIVE MANUAL DE INSTALAÇÃO E USO Alarme Keyless 1 1. Apresentação...03 2. Funcionamento...04 2.1 Guia rápido para utilização e teste do alarme. 3. Ciclo de disparo do alarme

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: ED-2950

SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: ED-2950 SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: DESCRIÇÃO O sistema de treinamento em comunicação apresenta experimentos planejados para desenvolver comunicações eletrônicas fundamentais. O é

Leia mais

Desenhos das ligações

Desenhos das ligações Desenhos das ligações Para uma melhor complementação do entendimento deste manual é necessário à visualização da "Instrução de Montagem de Cabos e Conectores", a qual pode ser baixada pelo link "http://teletx.tk/instrucaoconsole"

Leia mais

Modulador e demodulador PWM

Modulador e demodulador PWM Modulador e demodulador PWM 2 ATENÇÃO O autor não se responsabiliza pelo uso indevido das informações aqui apresentadas. Danos causados a qualquer equipamento utilizado juntamente com os circuitos aqui

Leia mais

Capítulo 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 Apresentação... 3 1.2 Sobre este manual... 3 1.3 Instruções de segurança... 3

Capítulo 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 Apresentação... 3 1.2 Sobre este manual... 3 1.3 Instruções de segurança... 3 Sumário Capítulo 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 Apresentação... 3 1.2 Sobre este manual... 3 1.3 Instruções de segurança... 3 Capítulo 2 COMPONENTES... 4 Capítulo 3 CONTROLE REMOTO... 5 Capítulo 4 CONFIGURAÇÃO...

Leia mais

R2M CARACTERÍSTICAS. Aplicação - Usada como central de alarme residencial, comercial ou industrial. APRESENTAÇÃO DA PLACA. Buzzer. Placa de RF Antena

R2M CARACTERÍSTICAS. Aplicação - Usada como central de alarme residencial, comercial ou industrial. APRESENTAÇÃO DA PLACA. Buzzer. Placa de RF Antena 38 R2M CENTRAL DE ALARME 2 SETORES MICROPROCESSADA Aplicação - Usada como central de alarme residencial, comercial ou industrial. APRESENTAÇÃO DA PLACA Led - setor 2 Buzzer Placa de RF Antena Led - setor

Leia mais

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A V01R12 Atenção: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Akiyama Tecnologia se reserva no direito de fazer alterações sem aviso

Leia mais

APOSTILA DE TREINAMENTO E DICAS DE REPARO TELEVISORES LCD

APOSTILA DE TREINAMENTO E DICAS DE REPARO TELEVISORES LCD APOSTILA DE TREINAMENTO E DICAS DE REPARO TELEVISORES LCD INDICE DIAGRAMA EM BLOCOS... Pg. 03 AC INPUT... Pg. 04 POWER... Pg. 05 FONTE STANDBY... Pg. 06 PFC FONTE... Pg. 07 FONTE ALTA I... Pg. 08 FONTE

Leia mais

Conjunto Sensor IR Para quem tem fome de vencer

Conjunto Sensor IR Para quem tem fome de vencer Conjunto Sensor IR Para quem tem fome de vencer Introdução: Muito obrigado por adquirir este produto. Ele foi projetado de forma a oferecer a melhor performance possível dentro de sua aplicação. Fornecemos

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO GERADOR DE ÁUDIO MODELO GA-1001

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO GERADOR DE ÁUDIO MODELO GA-1001 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO GERADOR DE ÁUDIO MODELO GA-1001 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do gerador ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS DE SEGURANÇA... 1 3.

Leia mais

Manual do usuário. Central de alarme de incêndio Slim

Manual do usuário. Central de alarme de incêndio Slim Manual do usuário Central de alarme de incêndio Slim Central de alarme de incêndio Slim Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul. Este manual é válido apenas para

Leia mais

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E SIGMA Sistema Integrado de Combate a Incêndio CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E CABO BLINDADO (SHIELD) 4 VIAS 2X2,50 MM + 2X0,75 MM IHM Possibilidade de até 95 loops. LOOP LOOP LOOP CABO

Leia mais

ST 160 ST 160 0 # Manual de Referência e Instalação

ST 160 ST 160 0 # Manual de Referência e Instalação ST 160 ST 160 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 # Manual de Referência e Instalação Descrições 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 # 3 2 Número Descrição 1 Indicador de modo 2 Antena 3 Matriz do Teclado 4 Parafuso Especificações

Leia mais

O circuito integrado 555 (ART011)

O circuito integrado 555 (ART011) O circuito integrado 555 (ART011) Pela utilidade do circuito integrado 555, este artigo é um dos mais acessados deste site. Nele explicamos quase tudo (pois tudo que ele pode fazer é impossível de descrever)

Leia mais

Nova Linha de Equipamentos Trifásicos Classic-DSP

Nova Linha de Equipamentos Trifásicos Classic-DSP Nova Linha de Equipamentos Trifásicos Classic-DSP Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 CEP: 91040-600 Porto Alegre RS Brasil Fone: (51)2131-2407 Fax: (51)2131-2469

Leia mais

CAE-R. Manual de Instruções. Revisão 2

CAE-R. Manual de Instruções. Revisão 2 CAE-R Manual de Instruções Revisão 2 1. INTRODUÇÃO. Parabéns pela aquisição da central endereçável da ILUMAC, linha CAE-R, este equipamento será uma excelente ferramenta na proteção e prevenção contra

Leia mais

Manual de Operação REV 2.2 MMD1 Virtual Sistema Inteligente (VSI) VERSÃO 2.7 OPERAÇÃO

Manual de Operação REV 2.2 MMD1 Virtual Sistema Inteligente (VSI) VERSÃO 2.7 OPERAÇÃO Manual de Operação REV 2.2 MMD1 Virtual Sistema Inteligente (VSI) VERSÃO 2.7 OPERAÇÃO Parabéns! Você acaba de adquirir um produto de alta confiabilidade, projetado e construído dentro dos mais rígidos

Leia mais

MFG-4200 GERADOR DE FUNÇÃO DIGITAL MANUAL DE OPERAÇÃO

MFG-4200 GERADOR DE FUNÇÃO DIGITAL MANUAL DE OPERAÇÃO Capa Industria e Comércio Ltda MFG-4200 GERADOR DE FUNÇÃO DIGITAL MANUAL DE OPERAÇÃO ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 01 2. DESCRIÇÃO DOS PAINÉIS... 01 3. DESCRIÇÃO ELÉTRICA... 02 4. ESPECIFICAÇÕES.... 02 5. INSTALAÇÃO...

Leia mais

SISTEMA DE DISPARO DE TIRISTORES (SCR) EM REDES TRIFÁSICAS

SISTEMA DE DISPARO DE TIRISTORES (SCR) EM REDES TRIFÁSICAS GSI Nº: ART061-09 - CD 382-09 SISTEMA DE DISPARO DE TIRISTORES (SCR) EM REDES TRIFÁSICAS Carlos Alberto Murari Pinheiro João Roberto Cogo Artigo publicado na Revista Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico,

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO IK-1000

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO IK-1000 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO IK-1000 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. Introdução...01 2. Regras de segurança...01

Leia mais

Manual de Operações. SP5025Agile. Transmissor FM 25W. Central de Atendimento: 35 3473.3710. contato@teletronix.com.br www.teletronix.com.

Manual de Operações. SP5025Agile. Transmissor FM 25W. Central de Atendimento: 35 3473.3710. contato@teletronix.com.br www.teletronix.com. Manual de Operações SP5025Agile Transmissor FM 25W Central de Atendimento: 35 3473.3710 contato@teletronix.com.br www.teletronix.com.br SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS 1.1 INTRODUÇÃO... 5 1.2 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Controladora Paralela USB Serial OEM PCi3 / PCi3 v.02. Manual Técnico. hollemax. Soluções Eletrônicas

Controladora Paralela USB Serial OEM PCi3 / PCi3 v.02. Manual Técnico. hollemax. Soluções Eletrônicas Controladora Paralela USB Serial OEM PCi3 / PCi3 v.02 Manual Técnico hollemax Soluções Eletrônicas 2013 Hollemax Soluções Eletrônicas Ltda. Este documento é de propriedade da Hollemax Soluções Eletrônicas

Leia mais

Nobreak. 160 e 300 kva. senoidal on-line trifásico PERFIL PROTEÇÕES

Nobreak. 160 e 300 kva. senoidal on-line trifásico PERFIL PROTEÇÕES Nobreak senoidal on-line trifásico dupla convers o 60 a 300 kva 60 kva de 80 a 120 kva 160 e 300 kva PERFIL Os nobreaks on-line de dupla conversão da linha Gran Triphases foram desenvolvidos com o que

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES E CERTIFICADO DE GARANTIA

MANUAL DE INSTRUÇÕES E CERTIFICADO DE GARANTIA MANUAL DE INSTRUÇÕES E CERTIFICADO DE GARANTIA AB 2200 PLUS AMPLIFICADOR DE POTÊNCIA ESTÉREO PARA AUTOS Car Stereo Booster 360W POTÊNCIA DE SAÍDA (PMPO) CARACTERÍSTICAS 1 Estando conectado à saída para

Leia mais