LICITAÇÃO CONVITE Nº 07/2013 ANEXO II

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LICITAÇÃO CONVITE Nº 07/2013 ANEXO II"

Transcrição

1 LICITAÇÃO CONVITE Nº 07/2013 ANEXO II Memorial Descritivo 2013

2 Sumário OBJETIVO... 6 ATERRAMENTO... 7 INFRA-ESTRUTURA ELETROCALHAS... 7 ELETRODUTOS EM PVC... 7 DUTOS DE ALUMÍNO... 7 CABEAMENTO ESTRUTURADO... 8 ELÉTRICO... 8 SEGURANÇA... 9 DESCRIÇÃO DOS MATERIAIS... 9 ABRAÇADEIRA DE NYLON... 9 CABO ELET. GIGALAN U/UTP 23AWGX4P CAT.6 CM VM ROHS CALHA 19" ABS C/12 TOMADAS 10A NBR ETIQUETAS CONECTOR FEMEA CAT.6 BR GUIA DE CABOS FECHADO 19" X 1U PRETO FRENTE FALSA 19" X 1U PRETO PARAFUSO PHILIPS M5 X 12 NIQUELADO PATCH CORD U/UTP CAT.6 - CM - T568A PATCH PANEL DESCARREGADO 24P ANGULAR 1U PAINEL DE FECHAMENTO ANGULAR 1U'' PATCH PANEL CAT.6 24P PORCA GAIOLA M5 BICROMATIZADA BRACKET FECHADO STANDARD 19"X 12U X 450 MM BEGE VELCRO DUPLA FACE PRETO 20MM RL 3,0 M RACK ABERTO 19'' X 44U PRETO GUIA DE CABOS SUPERIOR DE ALTA DENSIDADE GUIA VERTICAL FECHADO FACE DUPLA mm 44U Parafuso de Rosca Soberba Cabeça Panela 5/16x Bucha Nylon S BANDEJA FIXA 19" X 800 MM PRETA RACK SERVIDOR 19" X 44U (800X1000 MM) DESMONTAVEL PRETO UNIDADE DE TETO P/ RACK C/ 2 VENTILADORES... 22

3 KIT BANDEJA DE EMENDA A CORDÃO DUPLEX SM 1, DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO A CABO OPTICO INDOOR/OUTDOOR 04F SM KIT DIO PLACA "CUIDADO FIBRA OPTICA VOICE PANEL CAT CABO CTP-APL 50/20 PARES CABO VGA RGB 3AFF 28AWG 8 X CONECTOR FEMEA DB SUPORTE DE TETO PARA PROJETOR TELA TENSIONADA ELÉTRICAL 106" 16: SWITCH 48P 10/100POE +2 10/100/ SWITCH 24P 10/100/1000 POE + 2 COMBO SWITCH 24P 10/100/ COMBO GER L MINI GBIC (SFP) 1000 BASE LX 10KM ACCESS POINT GERENCIÁVEL B/G/N POE CENTRAL PABX DIGITAL SOFTWARE DE MONITORAMENTO CÂMERA TIPO DOME INTERNA ANTI-VANDALISMO DISCRETA CÂMERA FIXA DAY & NIGHT DE ALTA DEFINIÇÃO (EXTERNA) SERVIDOR PARA RACK 8T HD DELL NOBREAK 6000VA/230V/19" 5U ON-LINE RACK OU TORRE FP0, BANCO DE BATERIAS 240V/19" 3U PARA NOBREAK 6000VA RACK 19" CENTRAL DE ALARME DIGITAL EVO SENSOR DE ALARME DIGITAL ENDEREÇÁVEL TECLADO DE ALARME LCD CAIXA DE PROTEÇÃO PARA ALARME BATERIA 12V TRANSFORMADOR ARTICULADOR PARA SENSOR DE ALARME SIRENE CABO FLEXÍVEL4 VIAS 22 AWG QUADRO COMANDO 600X480X220MM... 47

4 PAINEL 500 X 400 X TRILHO DIN ISOLADOR EPOXI BARRAMENTO TIPO PENTE TRIFÁSICO 6 DISJUNTORES BARRAMENTO NEUTRO/TERRA DISJUNTOR PADRÃO EUROPEU DISJUNTOR 80A PADRÃOEUROPEU - 3~ CABO FLEXÍVEL ELÉTRICO CABO SINTENAX CONECTOR DE PRESSÃO FITA ISOLANTE 20M 3M PORTA EQUIPAMENTO 3 BLOCOS BLOCOS PARA PORTA EQUIPAMENTO MODÚLO TOMADA 3P ABNT PERFIL DUPLO TAMPA P/ PERFIL 3MT CURVA HORIZONTAL 90º CURVA VERTICAL 90º INTERNA CURVA VERTICAL 90º EXTERNA CAIXA DERIVAÇÃO TIPO X TOTEM PLUS 60 cm BRANCO SEGUIMENTO DE PERFIL DE DERIVAÇÃO ADAPTADOR DE CANALETA PARA ELETRODUTO 3X1" TAMPA TERMINAL PARAFUSO DE ROSCA SOBERBA CABEÇA PANELA 3,9X Bucha Nylon S CONECTOR FIXO PARA ELETRODUTO CORRUGADO METÁLICO 1'' BUCHA DE ALUMÍNIO 1" ARROELA DE ALUMÍNO 1" ELETRODUTO CORRUGADO METÁLICO 1'' COM REVESTIMENTO ABRAÇADEIRA PARA ELETRODUTO CONDULETE MONTAVEL 1" PVC ADAPATADOR PARA CONDULETE MONTAVEL ESPELHO CEGO PARA CONDULET 1"... 58

5 ESPELHO 1XRJ45 PARA CONDULET 1" ELETRODUTO1"X3000 PVC BRANCO CAIXA 2X4 PARA PISO CURVA 90º 1" PVC - BRANCO LUVA1" PVC - BRANCO VERGALHÃO ROSCA TOTAL 1/4" X PARABOLT 1/4"X12MM COM ROSCA INTERNA PARAFUSO CABEÇA LENTILHA AUTO-TRAVANTE 1/4" PORCA SEXTAVADA 1/4" ARRUELA DE PRESSÃO 1/4" ARRUELA LISA 1/4" SAIDA LATERAL PARA ELETRODUTO 1" DIVISOR INTERNO ELETROCALHA ELETROCALHA PERFURADA GANCHO VERTICAL EMENDA INTERNA CURVA HORIZONTAL 90º DERIVAÇÃO EM "T" CURVA DE INVERSÃO 90º CURVA VERTICAL INTERNA 90º DESCIDA VERTICAL EXTERNA 90º REDUÇÕES ELETROCALHA CRUZETA 90º PISO ELEVADO... 66

6 OBJETIVO Para que se possam atingir plenamente os resultados esperados na implantação da rede projetada, faz-se necessário assegurar a obediência às normas, princípios ou premissas que a seguir relacionaremos, os quais deverão nortear as ações do executor das instalações, conforme detalhamento a seguir. Este projeto tem como base as seguintes normas e padrões a seguir relacionados: EIA/TIA 568B: Commercial Building Telecommunications Wiring Standard; EIA/TIA 569: Commercial Building Standard for Telecommunications Pathways and Spaces; EIA/TIA 607: Commercial Building Grounding / Bonding Requirements; EIA/TIA BULLETIN TSB-67; EIA/TIA BULLETIN TSB-75; EIA/TIA BULLETIN TSB-95; NBR NBR 5410 Esta execução estabelece as seguintes premissas que devem nortear as ações do executor: Obediência às normas e padrões recomendados neste documento, garantindo assim padronização e confiabilidade à rede; Utilização de componentes do Sistema de Cabeamento de CATEGORIA 6 e Óptico todos de um mesmo fabricante; Adotar toda a infraestrutura (Calhas, eletrodutos, etc.) com taxa de ocupação máxima de 40%, conforme a norma NBR Os materiais de conectividade (Cabo UTP cat6, fibra óptica, tomada fêmea, patch cords, rack aberto, patch panel, guias de cabo) deverão ser do mesmo fabricante e deverão ter uma garantia mínima de 25 anos. Deverá ser apresentada carta do Fabricante dirigida ao Senac com o número do Certame, atestando que a proponente está apta a prestar os serviços e fornecer os materiais das instalações de forma a atender a garantia exigida de 25 anos. Este documento deverá fazer parte integrante da proposta comercial sob pena de desclassificação.

7 ATERRAMENTO Todas as partes metálicas deverão ser aterradas, tais como: Eletrocalhas (incluindo, curvas e derivações); Dutos de alumínios. (a cada seguimento o perfil do duto deverá ser aterrado); Rack e Brackts; Caixa de piso metálica; Caixa de comando; INFRA-ESTRUTURA. ELETROCALHAS Deverão ficar suspensas por gancho vertical conectado em barra roscada com afastamento do teto de 25 cm; Todas as saídas de eletrodutos deverão ser realizadas por meio de uma saída lateral apropriadas para eletrocalha; Deverá ser obedecida a taxa de ocupação de 40% da área conforme Norma NBR 5410; ELETRODUTOS EM PVC Deverá existir a cada 20m de perímetro, uma caixa de passagem do tipo condulete; Deverá existir uma caixa de passagem entre um intervalo de duas curvas de 90º; As conexões com a eletrocalha deverão ser fixadas com bucha e arruelas do diâmetro do eletroduto; Deverá ser obedecida a taxa de ocupação de 40% da área conforme Norma NBR 5410; DUTOS DE ALUMÍNO Deverá existir em cada lado dos porta equipamentos, uma tampa de 105mm o qual poderá ser futuramente retirada para dar lugar a outro porta equipamentos, conforme necessidade do cliente; Deverão existir adaptadores apropriados para conectar os dutos em eletrodutos; Deverá ser obedecida a taxa de ocupação de 40% da área conforme Norma NBR 5410;

8 CABEAMENTO ESTRUTURADO O cabeamento estruturado segue a topologia estrela, todos os racks deverão possuir BackBones (seja 2 cabos metálicos ou cabo de fibra óptica de 4FO), partindo do Rack localizado na sala técnica; Os Racks R1 e R7 deverão ser providos de Voice panel, o qual permitirá transformar um ponto de telecomunicação em um ponto de voz ou dados, com um simples manuseio do patch cord; Todos os conectores keystones deverão ser ligados no padrão T568A; Todos os cabos metálicos deverão ser inferiores a 90m; Todos os cabos de pontos de telecomunicação deverão ser identificados conforme indicado no projeto; Todos os cabos ópticos deverão ser acomodados em DIO localizado nos Racks; ELÉTRICO Todas as tomadas deverão possuir pino terra; Todas as tomadas deverão ser padrão com designer que atenda a ABNT; Deverá ser rigorosamente seguida a convenção de cores prevista na NBR-5410 para a identificação dos cabos: Azul claro para os condutores do neutro; Verde para os condutores de proteção (terra); Vermelho para os condutores da fase R; Branco para os condutores da fase S; Preto para os condutores da fase T;

9 No caso de cabos com bitola 6 mm² ou superior, poderão ser utilizados cabos com isolação na cor preta marcados com fita isolante colorida em todos os pontos visíveis (quadros de distribuição, caixas de saída e de passagem); Os cabos não deverão ser seccionados exceto onde absolutamente necessário; Em cada circuito, os cabos deverão ser contínuos desde o disjuntor de proteção até a última carga, sendo que, nas cargas intermediárias, serão permitidas derivações; As emendas só poderão ocorrer em caixas de passagem; O fabricante deverá possuir certificação de qualidade do INMETRO; Todas as partes metálicas deverão ser ligadas aos condutores de proteção (terra) para que o potencial de todos os componentes da edificação sejam os mesmos, minimizando assim a possibilidade de choque elétrico; SEGURANÇA Todos os Funcionários deverão ser munidos de EPI (Equipamento de proteção Individual) conforme NR-6 Todos os Funcionários deverão possuir certificado NR-10. Esta Norma Regulamentadora NR 10 estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores que, direta ou indiretamente, interajam em instalações elétricas e serviços com eletricidade. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR 6, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho. A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias: Sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho; Enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; Para atender a situações de emergência. DESCRIÇÃO DOS MATERIAIS Os materiais deverão atender os requisitos descritos a seguir: ABRAÇADEIRA DE NYLON

10 ABRAÇADEIRA T-50R BRANCO ABRAÇADEIRA T-30R BRANCO ABRAÇADEIRA T-18RBRANCO Deverá possuir comprimento de 200 mm; Deverá ser na cor Branca; CABO ELET. GIGALAN U/UTP 23AWGX4P CAT.6 CM VM ROHS Aplicabilidade: Sistemas de Cabeamento Estruturado para tráfego de voz, dados e imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568-B.2-1 Categoria 6, para cabeamento primário e secundário entre os painéis de distribuição (Patch Panels) ou conectores nas áreas de trabalho, em sistemas que requeiram grande margem de segurança sobre as especificações normalizadas para garantia de suporte às aplicações futuras. Descrição Deverá Possuir certificado de performance elétrica (VERIFIED) pela UL ou ETL, conforme especificações da norma ANSI/TIA/EIA-568-B.2-1 CATEGORIA 6 e ISO/IEC 11801bem como certificado para flamabilidade (UL LISTED ou ETL LISTED) CM conforme UL; O cabo utilizado deverá possuir certificação Anatel impressa na capa; O cabo deverá ter diâmetro mínimo de 23 AWG; O produto deverá cumprir com os requisitos quanto à taxa máxima de compostos que não agridam ao meio ambiente conforme a norma RoHS; Deverá possuir certificação de canal para 6 conexões por laboratório de 3a. Parte ETL ou UL; Deverá possuir impresso na capa externa nome do fabricante, marca do produto, e sistema de rastreabilidade que permita identificar a data de fabricação dos cabos; Deverá ser composto por condutores de cobre sólido, capa externa em PVC não propagante à chama; Deverá atender ao código de cores especificado abaixo: par 1: azul-branco, com uma faixa azul (stripe) no condutor branco; par 2: laranja-branco, com uma faixa laranja (stripe) no condutor branco; par 3: verde-branco, com uma faixa verde (stripe) no condutor branco; par 4: marrom-branco, com uma faixa marrom (stripe)no condutor branco; Impedância característica de 100Ω(Ohms); Deverá ser apresentado através de catálogos, testesdas principais características elétricas em transmissões de altas velocidades (valores típicos) de ATENUAÇÃO

11 (db/100m), NEXT (db), PSNEXT(dB), RL(dB), ACR(dB), para frequências de 100, 200, 350 e 550Mhz; O fabricante deverá possuir Certificado ISO 9001 e ISO CALHA 19\" ABS C/12 TOMADAS 10A NBR A calha de tomadas deverá ter padrão 19 deverá estar em acordo com a norma NBR 14136; Deverá Permitir a instalação em racks padrão 19 ; Deverá ocupar 1U de altura; Deverá ser fabricado em plástico de engenharia ABS; Deverá ter cabo 3 x 1,0 mm2, comprimento 2 m; Deverá suportar Tensão AC entrada e saída de 110/220 V; Deverá conter porta fusível, com fusível de 250 V 10 A; Deverá ter capacidade mínima de carga 10 A; Deverá ter um diâmetro de pinagem de 4,3 mm; ETIQUETAS ETIQUETA P/ CABO UTP CAT.6 VINIL LAMINADO ETIQUETA PARA ESPELHOS E TOMADAS Deverão consistir seis camadas de materiais, resultando em fina, extremamente forte, etiquetas; Deverá conter tinta de transferência térmica na parte inferior de um laminado. Imprensado entre duas camadas de pet (polietileno) filme; As etiquetas Deverão ser autoadesivas, com a superfície lisa; Deverão resistir a extremos de calor e frio; Deverá ter tamanho da Largura 12 mm e24 mm; Marca Brother ou similar;

12 CONECTOR FEMEA CAT.6 BR Especificações técnicas Aplicabilidade: Sistemas de Cabeamento Estruturado para tráfego de voz, dados e imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568-B.2-1 Categoria 6, para cabeamento horizontal ou secundário, uso interno, em ponto de acesso na área de trabalho para tomadas de serviços em sistemas estruturados de cabeamento e em sistemas que requeiram grande margem de segurança sobre as especificações normalizadas para garantia de suporte às aplicações futuras. Descrição: Possuir Certificação UL ou ETL LISTED; Possuir Certificação ETL VERIFIED; Possuir certificação de canal para 6 conexões por laboratório de 3a. Parte ETL; Ter corpo em material termoplástico de alto impacto não propagante à chama que atenda a norma UL 94 V-0(flamabilidade); Possuir protetores 110IDC traseiros para as conexões e tampa de proteção frontal (dust cover) removível e articulada com local para inserção, (na própria tampa), do ícone de identificação; Possuir vias de contato produzidas em bronze fosforoso com camadas de 2,54µm de níquel e 1,27 µm de ouro; O keystone deve ser compatível para as terminações T-568ª et-568b, segundo a ANSI/TIA/EIA-568-B.2; Possuir terminação do tipo 110 IDC (conexão traseira) estanhados para a proteção contra oxidação e permitir inserção de condutores de 22 AWG a 26 AWG, permitindo ângulos de conexão do cabo, em até 180 graus. O conector fêmea deverá possibilitar a crimpagem dos 8 condutores ao mesmo tempo proporcionando deste modo uma conectorização homogênea; Suportar ciclos de inserção, na parte frontal, igual ou superior a 750 (setecentas e cinquenta) vezes com conectores RJ-45 e 200 inserções com RJ11; Suportar ciclos de inserção, igual ou superior a 200 (duzentas) vezes com terminações 110 IDC; Identificação do conector como Categoria 6, gravado na parte frontal do conector. Exceder as características elétricas contidas na norma ANSI/TIA/EIA-568-B.2-1 Categoria 6; O produto deve cumprir com os requisitos quanto à taxa máxima de compostos que não agridam ao meio ambiente conforme a diretiva ROHS; O fabricante deverá apresentar certificação ISO 9001 e ISO 14001;

13 GUIA DE CABOS FECHADO 19" X 1U PRETO Aplicações Sistemas de Cabeamento Estruturado, uso interno, para instalação em racks ou brackets, vertical ou primário, em salas ou armários de distribuição principal; ou para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicações (cross-connect), na função de organização e acomodação de cabos. Descrição Deverão ser confeccionados em aço SAE 1020; Deverá ter acabamento em pintura epóxi de alta resistência a riscos na cor preta; Produto deverá ser resistente e protegido contra corrosão, para as condições especificadas de uso em ambientes internos (EIA 569); Deverá possuir largura de 19", conforme requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-310D. Deverá possui tampa metálica removível; Deverá ter capacidades: (Taxa de ocupação 40%); CAT.5e: 40; CAT.6: 24; CAT.6A: 12; Deverá possuir Altura mínima de 44 mm; Deverá apresentar uma profundidade mínima útil de 68 mm; Deverá possuir espessura de chapa da estrutura mínima de 1,2 mm; Deverá ser do mesmo fabricante dos Patch Panels ou dos Distribuidores Ópticos para assegurar a padronização e compatibilidade funcional de todos os recursos; FRENTE FALSA 19" X 1U PRETO Utilizada para fechamento das posições não ocupadas dos planos de Racks e Brackets. Deverá permitir a instalação em Racks padrão 19 ; Deverá possuir estrutura em Aço SAE 1020 de 1,0 mm; Deverá ter alturas disponíveis: 1U, 2U, 4U; Deverá ter pintura epóxi preto RAL 9004; Marca IP Metal ou similar;

14 PARAFUSO PHILIPS M5 X 12 NIQUELADO Utilizada em conjunto com porcas-gaiola M5; Parafuso Philips cabeça panela, M5 x 16 mm, niquelado e com duas arruelas (sendo uma fixa e outra de pressão); PATCH CORD U/UTP CAT.6 - CM - T568A Patch Cord U/Utp Cat.6 - Cm - T568A - 5,0M Vermelho; Patch Cord U/Utp Cat.6 - Cm - T568A - 3,0M Vermelho; Patch Cord U/Utp Cat.6 - Cm - T568A - 2.5M Vermelho; Patch Cord U/Utp Cat.6 - Cm - T568A - 1.5M Vermelho; Aplicabilidade: Sistemas de Cabeamento Estruturado para tráfego de voz, dados e imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568-B.2-1 Categoria 6. Previstos para cabeamento horizontal ou secundário, uso interno, em ponto de acesso à área de trabalho para interligação do hardware de comunicação do usuário às tomadas de conexão da rede e também nas salas de telecomunicações, para manobras entre os painéis de distribuição (Patch Panels) e os equipamentos ativos da rede (hubs, switches, etc.). Descrição: Patch Cord para interligação entre a tomada lógica e a estação de trabalho ou para manobra na Sala de Telecomunicações. Deverá possui Certificação UL ou ETL LISTED; Deverá possuir Certificação ETL VERIFIED; Deverá ter duas certificações Anatel conforme regulamento da entidade: a do cabo flexível e do cordão de manobra; Deverá cumprir com os requisitos quanto à taxa máxima de compostos que não agridam ao meio ambiente conforme a norma RoHS; Deverá possuir certificação de canal para 6 conexões por laboratório de 3a. Parte ETL. Deverão ser montados e testados em fábrica, com garantia de desempenho; O acessório deve ser confeccionado em cabo par trançado, U/UTP Categoria 6 (Unshielded Twisted Pair), 24 AWG x 4 pares, composto por condutores de cobre flexível, multifilar, isolamento em poliolefina e capa externa em PVC não propagante a chama, conectorizados à RJ-45 macho Categoria 6 nas duas extremidades, estes conectores (RJ-45 macho), devem atender às especificações contidas na norma

15 ANSI/TIA/EIA-568-B.2-1 Categoria 6, ter corpo em material termoplástico de alto impacto não propagante a chama que atenda a norma UL 94 V-0(flamabilidade), possuir vias de contato produzidas em bronze fosforoso com camadas de 2,54 µm de níquel e 1,27 µm de ouro, para a proteção contra oxidação, garras duplas para garantia de vinculação elétrica com as veias do cabo; Deverá possuir classe de flamabilidade no mínimo CM; O Cabo utilizado deve apresentar Certificação ETL em conformidade com a norma ANSI/TIA/EIA-568-B.2-1 CATEGORIA 6 (stranded cable); Deverá possuir capa protetora (bota) do mesmo dimensional do RJ-45 plug e proteção à lingueta de travamento. Esta capa protetora deve ajudar a evitar a curvatura excessiva do cabo em movimentos na conexão bem como proteger o pino de destravamento dos conectores contra enroscamentos e quebras; Deverá possuir características elétricas e desempenho testado em frequências de até 250 MHz; O fabricante deverá possuir certificação ISO 9001 e ISO 14001; PATCH PANEL DESCARREGADO 24P ANGULAR 1U Aplicabilidade: Sistemas de cabeamento estruturado, uso interno, para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicações (cross-connect) onde permite a montagem de conectores/adaptadores para UTP, fibra, coaxial e aplicações multimídia (áudio e vídeo). Descrição: Deverá apresentar uma capacidade de 24 portas em 1 unidade de rack; O Painel frontal deverá ser fabricado em aço com local para inserção de porta etiquetas de identificação em acrílico para proteção; Corpo do Patch Panel deverá ser fabricado em aço SAE1020; O acabamento deverá ser em pintura epóxi de alta resistência a riscos na cor preta resistente e protegido contra corrosão; Deverá apresentar largura de 19, conforme requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-310E. Deverá ser compatível com Conectores RJ-45 (Fêmea) Categorias 5e e/ou 6 e/ou 6A UTP, conjuntos adaptadores ópticos (LC, ST); Conjunto adaptador F; Deverá possuir identificação do fabricante no corpo do produto; Deverá possuir identificação dos conectores na parte frontal do Patch Panel (facilitando manutenção e instalação); Deverá possuir local para aplicação de ícones de identificação (para codificação), conforme requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-606-A; Deverá ser fornecido de fábrica com ícones de identificação (nas cores azul e vermelha); O fabricante deverá apresentar certificação ISO 9001 e ISO 14001; PAINEL DE FECHAMENTO ANGULAR 1U''

16 Características Deverá ser confeccionado em aço; Deverá possuir acabamento em pintura epóxi de alta resistência a riscos na cor preta; Deverá ser resistente e protegido contra corrosão, para as condições especificadas de uso em ambientes internos (EIA 569); Deverá apresentar largura de 19", conforme requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-310D; Deverá possui altura de 1U; Deverá permitir fixação em rack aberto; PATCH PANEL CAT.6 24P Aplicabilidade: Sistemas de Cabeamento Estruturado para tráfego de voz, dados e imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568-B.2-1 Categoria 6, uso interno, para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicações (cross-connect) para distribuição de serviços em sistemas horizontais e em sistemas que requeiram grande margem de segurança sobre as especificações normalizadas para garantia de suporte às aplicações como Gigabit Ethernet 1000 Mbps (em modo half ou full-duplex e ATM CBIG). Descrição: Deve possuir Certificação UL ou ETL LISTED; Deve possuir Certificação ETL VERIFIED; O produto deve cumprir com os requisitos quanto à taxa máxima de compostos que não agridam ao meio ambiente conforme a norma RoHS; Deve possuir certificação de canal para 6 conexões por laboratório de 3a. Parte ETL; Deve possuir painel frontal em termoplástico de alto impacto, não propagante a chama que atenda a norma UL 94 V-0(flamabilidade), com porta etiquetas de identificação em acrílico para proteção; Deverá apresentar largura de 19, e altura de 1 U ou 44,5mm para os Patch Panels de 24 portas e 2U ou 89mm para os Patch Panels de 48 portas; Os conectores fêmea RJ-45 devem possuir as seguintes características: Atender a ANSI/TIA/EIA-568-B.2-1 Categoria 6, possuir vias de contato produzidas em bronze fosforoso com camadas de 2,54 µm de níquel e 1,27 µm de ouro, possuir terminação do tipo 110 IDC(conexão traseira) estanhados para a proteção contra oxidação, permitindo inserção de condutores de 22 AWG a 26 AWG; Identificação do fabricante no corpo do produto; Deve Possuir local para aplicação de ícones de identificação (para codificação); Deve possuir de fábrica com ícones de identificação (nas cores azul e vermelha); Deve ser fornecido com guia traseiro perfurado, em material termoplástico de alto impacto, não propagante a chama que atenda a norma UL 94 V-0 (flamabilidade) com

17 possibilidade fixação individual dos cabos, proporcionando segurança, flexibilidade e rapidez na montagem; Deve ser fornecido com acessórios para fixação dos cabos (velcro e cintas de amarração); Deve possuir em sua estrutura, elementos laterais em material metálico, que eliminem o risco de torção do corpo do Patch Panel; Deve suportar ciclos de inserção, igual ou superior a 200 (duzentas) vezes com terminações 110 IDC; Deverá suportar ciclos de inserção, na parte frontal, igual ou superior a 750 (setecentas e cinquenta) vezes com conectores RJ-45 e 200 inserções com RJ11; Deve possuir instrução de montagem na língua Portuguesa; Deve ser compatível com as terminações T568A e T568B, segundo a norma ANSI/TIA/EIA-568-B.2, sem a necessidade de trocas de etiqueta; O fabricante deverá apresentar certificação ISO 9001 e ISO 14001; PORCA GAIOLA M5 BICROMATIZADA Utilizada para a fixação de equipamentos aos planos 19 de Racks em furos de 9 x 9 mm: Deverá ter Gaiola em aço SAE 1070 bicromatizado; Deverá ter Porca M5 em aço SAE 1010 bicromatizado; Deverá ser de uso pesado; BRACKET FECHADO STANDARD 19"X 12U X 450 MM BEGE Deverá possuir porta frontal em vidro temperado; Deverá ter estrutura em aço de 1,2 mm; Deverá possuir dois planos de fixação; Deverá possuir Laterais removíveis com fecho rápido; Deverá possuir entradas de cabos pelo teto e base do gabinete; Deverá possuir teto com preparação para instalação de ventiladores; Deverá ter pintura epóxi bege RAL7035; VELCRO DUPLA FACE PRETO 20 MM RL 3,0 M

18 Utilizado para fixação e organização de feixes de cabo: Deverá possuir Velcro dupla face, colado em Fábrica; Deverá possuir dimensões: Espessura de 1,8 mm e largura 20 mm; Deverá ser rolo de 3m na cor preta; RACK ABERTO 19'' X 44U PRETO Aplicabilidade Sistemas de Cabeamento Estruturado, uso interno, fixado no piso, vertical ou primário, em salas ou armários de distribuição principal, ou para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicações (cross-connect), na função de suporte e fixação de equipamentos e/ou acessórios de cabeamento. As condições e locais de aplicação são especificados pela norma ANSI/TIA/EIA 569 Pathway and Spaces. Descrição: Rack estrutural, aberto, padrão 19 com 44U s de altura útil; Dimensões: Altura 2100 mm, Largura 540 mm, Profundidade 300 mm (pés da base); Os perfis laterais do rack devem ter furação lateral para passagem de cabos; Deve ser fornecido na cor preta; Deve suportar entrada de cabos pela parte superior ou inferior; Deve atender as premissas da norma EIA 310E; A base deve suportar a montagem de capas de proteção, pré-furadas para acomodação de tomadas elétricas (3P ABNT), redondas, para conexão de elementos ativos; Acabamento em pintura de epóxi pó de alta resistência a riscos, protegido contra corrosão, de acordo com as condições indicadas para uso interno, pela EIA 569; Confeccionado em aço SAE 1020; Colunas com espessura mínima de 2 mm; Deve suportar a instalação de 2 guias verticais de cabos na parte frontal e 2guias verticais de cabos na parte traseira, ou 2 guias verticais dupla face; Todos os componentes da solução de Racks, os Guias Verticais, e os Guias Horizontais devem ser do mesmo fabricante dos Patch Panels e Distribuidores Ópticos;

19 GUIA DE CABOS SUPERIOR DE ALTA DENSIDADE Aplicações Sua função é realizar o encaminhamento dos cabos entre os organizadores verticais do lado direito e esquerdo do rack pelo topo do mesmo. Descrição Deverá ser confeccionado em aço; Deverá possuir acabamento em pintura epóxi de alta resistência a riscos na cor preta. O Produto deverá ser resistente e protegido contra corrosão, para as condições especificadas de uso em ambientes internos (EIA-569); Deverá ser projetado para ser fixado na travessa superior do rack sem ocupar espaço útil do mesmo; Deverá ser especialmente projetado para aplicações com alta densidade de cabos; Deverá ter capacidades: (Taxa de ocupação de 50%); 200 CAT.5e. 120 CAT CAT.6A. Deverá possuir Dimensões (mm): ALTURA (mm). 604,5 - LARGURA (mm) PROFUNDIDADE (mm). Todos os componentes da solução de Racks que seja no Rack Estrutural, os Guias Verticais, e os Guias Horizontais devem ser do mesmo fabricante dos Patch Panels e Distribuidores ópticos. GUIA VERTICAL FECHADO FACE DUPLA mm 44U

20 Aplicações Acessório de organização e fixação de cabos indicado para instalação na parte lateral de racks abertos. Devido aos recortes laterais do guia vertical e juntamente com os guias horizontais (cable through) permite o roteamento dos cabos para os lados direito ou esquerdo do rack tanto no topo como em sua base. Largura dimensionada para acomodação de cabos de manobra entre patch panels e equipamentos. Descrição Deverá ser confeccionado em aço; Deverá possuir acabamento em pintura epóxi na cor preta, de alta resistência a riscos e a corrosão. Para uso em ambientes internos (EIA-569); Deverá possui guias frontais e traseiros (face dupla) para cabos dispostos verticalmente, que permitem um melhor arranjo e organização dos cabos de manobra; Deverá possuir altura de 44U; Deverá Possuir abertura superior para conexão com calhas/esteiramentos e inferior para passagem dos cabos para o piso falso; Deverá suporta alta densidade de cabos; Deverá possui tampas de fechamento reversíveis com dobradiças e fecho tipo borboleta; Deverá possuir Capacidades: (Taxa de ocupação de 40%) ; 525 CAT.6; 264 CAT.6A; Deverá possuir dimensões (mm): 2127,1 (44U) ALTURA (mm); 200 LARGURA (mm); 500 PROFUNDIDADE (mm); Todos os componentes da solução de Racks que seja no Rack Estrutural, os Guias Verticais, e os Guias Horizontais devem ser do mesmo fabricante dos Patch Panels e Distribuidores ópticos. Diretiva RoHS O produto deverá estar em conformidade com a Diretiva Europeia RoHS: uma medida restritiva ao uso de metais pesados na fabricação dos produtos e relacionadas à preservação do meio-ambiente. Parafuso de Rosca Soberba Cabeça Panela 5/16x80 Deverá possuir rosca soberba; Deverá ter cabeça panela; Deverá ter dimensões 5/16 x 80; Deverá com a cabeça Fenda ou Philips; Deverá ser de aço inox;

21 Bucha Nylon S10 Aplicações Concreto; Alvenaria maciça; Características Deverá ser produzida com poliamida de alta qualidade que permite resistência ao envelhecimento, oxidação, influências climáticas; Deverá possuir Excelente elasticidade, amortecendo vibrações; Deverá possuir nas laterais dentes e Aletas que evitam o giro da bucha dentro do furo permitindo uma excelente fixação; Seu pescoço deverá ser livre de pressões de expansão o que impede o achatamento do reboco e a deterioração de azulejos; BANDEJA FIXA 19" X 800 MM PRETA Deverá possuir quatro pontos de fixação; Deverá possuir espessura da chapa de 1,2 mm; Deverá possuir aletas para ventilação; Deverá ter capacidade de carga 50 kg; Deverá possuir pintura epóxi preto RAL9004; Todos os componentes da solução de Racks que seja no Rack Estrutural, os Guias Verticais, e os Guias Horizontais devem ser do mesmo fabricante dos Patch Panels e Distribuidores ópticos; RACK SERVIDOR 19" X 44U (800X1000 MM) DESMONTAVEL PRETO Deverá atende especificações ANSI/EIA RS-310-D, IEC 297-2, D/N41494 partes 1 e 7 Deverá possuir grau de proteção IP20; Deverá possuir estrutura em aço 2,0 mm;

22 Deverá possuir capacidade de carga estática de 800 kg; Deverá ser totalmente desmontável; Deverá possuir laterais com fecho rápido; Deverá possuir a opção de utilização de chaves nas laterais; Deverá possuir porta frontal reversível em aço perfurado com índice de ventilação de 71%; Deverá possuir porta traseira em aço perfurado bipartida com índice de ventilação de 71%; Deverá possuir perfuração especial em formato hexagonal (tipo colmeia ) aumenta o índice de ventilação; Deverá acompanha 1 par de guias verticais; Deverá possuir fechadura escamoteável com sistema automático de destrave nas portas frontal e traseira; Deverá possuir ângulo de abertura da porta de 180 Planos (frontal e traseiro) galvanizados com numeração e Us; Deverá possuir na estrutura do rack, terminais de aterramento; Deverá possuir entrada e saída de cabos pelo teto ou pela base do rack; Deverá possuir teto com preparação para instalação de ventiladores; Deverá acompanham o conjunto: quatro pés niveladores e quatro rodas (duas com trava); Deverá possuir pintura em micro epóxi, cor preta RAL 9004; Todos os componentes da solução de Racks que seja no Rack Estrutural, os Guias Verticais, e os Guias Horizontais devem ser do mesmo fabricante dos Patch Panels e Distribuidores ópticos; UNIDADE DE TETO P/ RACK C/ 2 VENTILADORES Utilizado para exaustão do ar quente de Racks fechados. Deverá possuir chave liga/desliga; Deverá possuir porta com fusível de 3A; Deverá possuir seletor de voltagem 110/220 VAC; Deverá possuir cabo 3 X 1 mm², comprimento 3 m, tomada 3P ABNT; Deverá possuir dois ventiladores 120 mm x 120 mm x 38 mm Bivolt; Deverá possuir tela de proteção dos ventiladores; KIT BANDEJA DE EMENDA A270

23 Bandeja de Emenda Deverá ser fabricada em termoplástico UL-94 V-0; Deverá apresenta capacidade para até 24 fibras; Deverá possuir um sistema de armazenamento do excesso de fibra óptica em concordância com os raios mínimos previstos na norma ABNT; Deverá possuir um sistema de aletas para acomodação dos protetores de emendas; Deverá permite montagem sobreposta expandindo a capacidade de atendimento do sistema óptico; Protetores de Emenda Deverá possuir tubo termocontrátil de 60 mm, com elemento de sustentação mecânica em aço, responsável por proteger a emenda óptica por fusão; Deverá ser compatível com os distribuidores ópticos; A Bandeja de Emenda deverá ser confeccionada em material termoplástico UL-94 (V- 0); Bandeja de Emenda deverá ter capacidade mínima para 12 fibras; Deverá Permitir montagem de bandejas sobrepostas, expandindo a capacidade do sistema; CORDÃO DUPLEX SM 1,5 Definição Sistemas de Cabeamento Estruturado para tráfego de voz, dados e imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568B.3, uso interno, para cabeamento vertical ou primário, em salas ou armários de distribuição principal, ou para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicações (cross-connect), na função de interligação de distribuidores e bloqueios ópticos com os equipamentos de rede; Características Deverá ser montados em fábrica, em condições de processo controlado, com cabos ópticos do tipo tight (Zip-Cord ou Cordão Monofibra) e com os principais tipos de conectores ópticos. Para aplicações em sistemas Gigabit Ethernet ou 10 Gigabit Ethernet; Zip-Cord O Cabo deverá ser composto por duas fibras ópticas monomodo (SM), com revestimento primário em acrilato e secundário em PVC e sobre este são colocados elementos detração de

24 fios dielétricos e capa em PVC não propagante à chama, com diâmetro externo de 2 mm por cordão; DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO A270 Definição Aplicação em sistemas de Cabeamento Estruturado para tráfego de voz, dados e imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568C.3, uso interno e instalação em racks, para cabeamento vertical ou primário, em salas ou armários de distribuição principal, na função de administração e gerenciamento de backbones ópticos, ou para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicações (cross-connect), na função de distribuição de serviços em sistemas ópticos horizontais. As condições e locais de aplicação são especificados pela norma ANSI/TIA/EIA-569 Pathway and Spaces. Deverá possuir dimensões: Altura de 1U (44,45 mm); Largura de 440 mm; Profundidade de 338 mm; Deverá possuir capacidade para até 48 fibras em apenas 1U de altura; Deverá possuir gaveta deslizante que facilita a instalação dos cabos ópticos e das extensões ópticas; Deverá possuir painel frontal articulável permitindo maior facilidade nas manobras e gerenciamento dos cordões ópticos; Deverá possui versatilidade no acesso de cabos ópticos, permitindo dois acessos laterais e/ou dois acessos traseiros, todos com sistema de fixação do cabo e ancoragem do elemento de tração; Deverá possuir acessos de cordões ópticos laterais na parte frontal do bastidor. Deverá ser resistente e protegido contra corrosão, para as condições especificadas de uso em ambientes internos (TIA-569-B); Deverá ser confeccionado em aço; Deverá possuir acabamento em pintura epóxi de alta resistência a riscos na cor preta. Deverá permitir duas opções de montagem; Emenda por fusão: Até 02 kits Bandeja de Emenda 12F ou 24F; Configurações de 02 a 48 fibras com extensões ópticas conectorizadas D0.9 (0,9mm) com conectores ópticos LC; Configurações de 02 a 24 fibras com extensões ópticas conectorizadas com os demais conectores ópticos SC, SC-Duplex, MT-RJ, E2000, ST e FC;

25 CABO OPTICO INDOOR/OUTDOOR 04F SM Aplicação: Sistemas de Cabeamento Estruturado para tráfego de voz, dados e imagens, com distribuição em campus, entre prédios, que exijam interligações ópticas externas e também em instalações internas, em backbones de interligações verticais entre armários de distribuição principal e de andares ou para atendimento às áreas de trabalho em sistemas FTTD (Fiber To The Desk). Capacidade para tráfego de redes de dados convencionais e de alta velocidade como Fast Ethernet 100 Base FX, FDDI, ATM 155 e 622 Mbps e Gigabit Ethernet 1000 Base SX/LX, padrões normalmente utilizados em backbones corporativos. Instalações externas em infraestrutura de eletrodutos e caixas de passagem subterrâneos, susceptíveis a alagamentos parciais temporários. Instalações internas em infraestrutura de calhas e conduítes. Descrição Cabo óptico tipo tight, constituído por fibras ópticas com revestimento primário em acrilato e revestimento secundário em material polimérico colorido (900μm), reunidas e revestidas por fibras sintéticas dielétricas para suporte mecânico (resistência à tração) e cobertas por uma capa externa em polímero especial para uso interno e externo, na cor preta; Características Deverá ser Imune a interferências eletromagnéticas; Deverá ser totalmente dielétrico, garantindo a proteção dos equipamentos ativos de transmissão contra propagação de descargas elétricas atmosféricas; Deverá ser resistente à umidade, fungos, intempéries e ação solar (proteção UV); Deverá ser retardante à chama; Deverá ser do tipo tight, com alta resistência mecânica; Deverá possuir fácil manuseio sem a utilização de geleia na sua construção; KIT DIO Definição Conectorizada extensão óptica numa das extremidades;

26 Disponível para LC, SC, E2000, FC, MT-RJ e ST, o qual pode ser montado com a fibra multimodo ou monomodo; A extensão é fornecida juntamente com o respectivo adaptador óptico; Característica Deverá possuir diâmetro exterior de 0,9 milímetros; Deverá possuir o comprimento padrão de 1,5 m; Deverá estar Disponível em SM fibras (G.652.B, G.652.D ou G.657.A); PLACA "CUIDADO FIBRA OPTICA Acessório utilizado para identificação de links ópticos em ambientes externos e internos. Deverá ser fixada através do suporte perfurado existente na parte traseira da peça; Deverá ser de polipropileno injetado com adição de componente UV (proteção conforme a norma da Telebrás). Cor amarela com alto relevo pintado em preto; VOICE PANEL CAT.3 Definição VOICE PANEL 30 PORTAS CAT.3 VOICE PANEL 50 PORTAS CAT.3 Sistemas de Cabeamento Estruturado para tráfego de voz, uso interno, para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicação para o serviço de transmissão de voz, Categoria 3. Características Deverá possuir Desempenho garantido dentro dos limites da norma 568 para Categoria 3; Deverá estar disponível em 30 e 50 portas em conectores RJ-45; Deverá possuir Compatibilidade com conectores plug RJ-11; Deverá possuir painel em aço com pintura epóxi;

27 Deverá possuir Fácil espelhamento dos Blocos 110 IDC; Deverá permitir terminação de condutores sólidos de 22 a 24AWG; Deverá atender FCC 68.5 (EMI - Interferência Eletromagnética); Deverá possuir padrão de pinagem para voz: 2 pares por porta (pinos 3, 4, 5 e 6); Deverá possui proteção plástica sobre a placa de circuito impresso, garantindo proteção a danos causados por conectorizações indevidas; Deverá possui certificação ETL; CABO CTP-APL 50/20 PARES Características O Cabo deverá ser constituído por condutores de cobre, maciço, com isolação em termoplástico, reunidos e núcleo protegido por uma capa APL. Condutor: Cobre nu; Isolação: Termoplástico sólido; Núcleo: Seco; Enfaixamento: Fitas de material não higroscópico; Revestimento Externo: Capa APL deverá ser constituída por fita de alumínio revestida com termoplásticos em ambas as faces (Fita APL) e sobre esta deverá ser colocada uma capa de material termoplástico na cor preta; Aplicação Estes cabos são indicados para instalações aéreas espinadas ou subterrâneas em linhas de dutos. CABO VGA RGB 3AFF 28AWG 8 X 28 Especificações: Cabo SVGA / VGA / RGB - 3 Coaxiais + 8 vias; Deverá possuir dupla blindagem (possuir malha de blindagem externa e blindagem interna em capa de alumínio); Aplicação: Exemplo de aplicação: Para ligar o computador até o Projetor ou Monitor; O cabo é padrão, servindo em qualquer computador, monitor ou projetor; CONECTOR FÊMEA DB 15

28 Conector Fêmea DB 15; Conector Macho DB 15; Deverá ser padrão VGA; Deverá possuir conexão em solda estanho; Deverá possuir a seguinte conexão: SUPORTE DE TETO PARA PROJETOR Características Deverá possuir uma instalação totalmente simples e rápida com 4 pontos de fixação; Deverá possuir capacidade de carga de até 15 kg; Deverá possuir inclinação: ângulo de aproximadamente 20 ; Deverá possuir braço com extensor telescópico (máximo 600 mm); Deverá ser na cor branca; Deverá possuir Diâmetro de fixação: aproximadamente 350 mm; Deverá ser fabricado em alumínio e aço carbono; Deverá ser fornecido com parafusos, arruelas, buchas e chave allen;

29 Deverá ser universal: 4 aletas de fixação o tornam compatível com a maioria dos projetores existentes no mercado; TELA TENSIONADA ELÉTRICAL 106" 16:09 Informações Técnicas: Deverá ser Tensionada; Deverá possuir área útil de projeção: 2,35 x 1,32(Largura x Altura); Deverá possuir tamanho: 106 Polegadas (16:9); Tensionada para manter a tela 100% plana; Deverá ser bi volts 110/220 volts; Deverá possuir redutor de velocidade e fim de curso; Acionamento por meio de botoeira (com fio); A tela deverá possuir bordas pretas de 5 cm e tarja superior de 10 cm com a opção de mais 10 cm de recurso (interno) para regulagem; deverá acompanha kit instalação contendo: suporte de fixação em L com parafusos e buchas; SWITCH 48P 10/100POE +2 10/100/1000 Conectividade Deverá possuir 48 portas padrão Gigabit Ethernet 10/100/1000 Base -T em conector RJ45; Deverá possuir 2 portas adicionais ativas Gigabit Ethernet 1000Base-X em slots SFP; As portas 10/100/1000 Base -T deverão suportar auto negociação de velocidade, modo de operação e detecção MDI-MDIX quando operando em 10/100 Base -TX; PoE Deverá suportar alimentação PoE conforme o padrão IEEE 802.3af nas 48 portas RJ45; Deverá suportar alimentação PoE+ conforme o padrão IEEE 802.3at nas 48 portas RJ45; Deverá disponibilizar no mínimo 375 w para utilização exclusiva no PoE sem adição de fonte para esse fim; Controle Deverá suportar Jumbo Frames de até 10K; Deverá implementar 4094 VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q por porta e IEEE 802.1v por protocolo; Deverá suportar a configuração de no mínimo 128 VLANs ativas simultaneamente;

30 Deverá suportar implementação de VLANs Privativas; Deverá suportar implementação de Voice VLANs; Deverá implementar suporte a QinQ; Deverá possuir no mínimo oito filas em hardware para priorização de tráfego por porta; Deverá Implementar QoS com base no protocolo 802.1p CoS, DSCP e precedência IP; Deverá implementar controle de fluxo com o protocolo 802.3X e Back-Pressure; Deverá implementar IGMP Snooping IPv4 v1, v2 e v3; Deverá implementar IGMP Proxy v1, v2 e v3; Deverá implementar IGMP Filtering, Throttling, Immediate Leave e Querier; Deverá implementar MVR (Multicast VLAN Registration); Deverá implementar MLD Snooping IPv6; Deverá possibilitar a limitação de Broadcast, Multicast e Unicast; Deverá implementar o gerenciamento de banda com valores distintos para entrada e saída; Deverá implementar os mecanismos de controle de fila: SP (Strict Priority) ou WRR (Weighted Round Robin) por porta; Deverá suportar accounting com RADIUS e TACACS; Disponibilidade Deverá Implementar o protocolo Spanning Tree (802.1D); Deverá Implementar o protocolo Rapid Spanning Tree (802.3w; Deverá implementar o protocolo Multiple Spanning Tree (802.1s); Deverá implementar BPDU Guard e ROOT Guard; Deverá suportar até 12 grupos de agregação dinâmicos no padrão LACP ou estático de até 12 portas GbE; Gerenciamento Deve possuir suporte a pilha dupla IPv4/IPv6; Deve suportar gerenciamento SNMP v1, v2 e v3; Deve permitir configuração dos parâmetros IP através de serviço DHCP Cliente; Deve permitir acesso a console via Telnet, SSHv2, HTTP ou HTTPs; Deve suportar os grupos 1, 2, 3 e 9 de RMON; Deve implementar cliente e proxy DNS; Deve suportar o protocolo LLDP (IEEE 802.1ab); Deve permitir a atualização de firmware via HTTP ou TFTP em memoria tipo flash; Deve permitir salvar as configurações em um computador local (backup) via HTTP ou TFTP; Deve suportar até 10 grupos de espelhamento de trafego; Deve suportar sflow; Deve suportar LLDP; Deve implementar ICMPv6 e ICMPv6 Redirect (Host); Deve implementar IPv6 Neighbor Discovery; Deve suportar SNMP over IPv6; Deve suportar HTTP over IPv6; Deve suportar IPv6 remote ping;

31 Deve suportar NTP e NTPv6; Segurança Deve suportar autenticação através de servidor RADIUS e TACACS+; Deve implementar segurança de acesso através do protocolo IEEE 802.1X com suporte a múltiplos hosts e autenticação por MAC; Deve suportar assinalamento automático de VLAN e política de QoS; Deve suportar implementação de VLANs para visitantes; Deve permitir filtragem de pacotes identificados por cabeçalho ethernet ou IP; Deve suportar DHCP snooping; Deve suportar IP Source Guard; Desempenho; Deve possuir capacidade de vazão de ao menos 100 Gbps; Deve chavear no mínimo 74,4Mpps; Deverá Possuir tabela de endereços MAC com capacidade para no mínimo endereços; Padronização Deve ser compatível com os seguintes padrões: IEEE 802.1D (STP) IEEE 802.1p (COS) IEEE 802.1Q (VLAN) IEEE 802.1s (MSTP) IEEE 802.1v (VLAN) IEEE 802.1w (RSTP) IEEE 802.1X (Security) IEEE 802.3ab (1000BASE-T) IEEE 802.3ad (Link aggregation) IEEE 802.3i (10BASE-T) IEEE 802.3u (Fast Ethernet) IEEE 802.3x (Flow control) IEEE 802.3z (Gigabit) IEEE 802.1AB (Link Layer Discovery Protocol) Gerais Deve possuir fonte de alimentação operando em tensões de 100 a 240 V e em frequências de 50 a 60 Hz automaticamente; Deve vir acompanhado do kit de suporte específico para montagem em Rack de 19 ; O equipamento deverá ocupar uma unidade de rack; A proponente deverá possuir técnico certificado pelo fabricante para instalação e configuração do equipamento. Para instalação e configuração do equipamento a proponente deverá possuir técnico certificado pelo fabricante, deverá apresentar, sob pena de desclassificação, comprovante de certificação do referido profissional juntamente com os documentos de habilitação técnica;

32 Garantia O equipamento deverá ter garantia total, on-site por um período de 12 (doze) meses, a partir da data de recebimento definitivo, e a garantia padrão do fabricante de 3 anos. Caso o proponente não seja o fabricante do produto, deverá apresentar, sob pena de desclassificação, junto a proposta comercial carta do fabricante atestando que o mesmo está apto a comercializar e instalar o produto ofertado; Incluso configurações necessárias; SWITCH 24P 10/100/1000 POE + 2 COMBO Conectividade Deve possuir 24 portas padrão Gigabit Ethernet 10/100/1000 Base -T em conector RJ45; Deve possuir 2 portas adicionais ativas Gigabit Ethernet 1000Base-X em slots SFP; As portas 10/100/1000 Base -T deverão suportar auto negociação de velocidade, modo de operação e detecção MDI-MDIX quando operando em 10/100 Base - TX; PoE Deve suportar alimentação PoE conforme o padrão IEEE 802.3af nas 24 portas RJ45; Deve suportar alimentação PoE+ conforme o padrão IEEE 802.3at nas 24 portas RJ45; Deve disponibilizar no mínimo 190 W para utilização exclusiva no PoE sem adição de fonte para esse fim; Controle; Deve suportar Jumbo Frames de até 10K; Deve implementar 4094 VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q por porta e IEEE 802.1v por protocolo; Deve suportar a configuração de no mínimo 128 VLANs ativas simultaneamente; Deve suportar implementação de VLANs Privativas; Deve suportar implementação de Voice VLANs; Deve implementar suporte a QinQ; Possuir no mínimo oito filas em hardware para priorização de tráfego por porta; Implementar QoS com base no protocolo 802.1p CoS, DSCP e precedência IP; Deve implementar controle de fluxo com o protocolo 802.3X e Back-Pressure; Deve implementar IGMP Snooping IPv4 v1, v2 e v3;

33 Deve implementar IGMP Proxy v1, v2 e v3; Deve implementar IGMP Filtering, Throttling, Immediate Leave e Querier; Deve implementar MVR (Multicast VLAN Registration) Deve implementar MLD Snooping IPv6; Deve possibilitar a limitação de Broadcast, Multicast e Unicast; Deve implementar o gerenciamento de banda com valores distintos para entrada e saída; Deve implementar os mecanismos de controle de fila: SP (Strict Priority) ou WRR (Weighted Round Robin) por porta; Deve suportar accounting com RADIUS e TACACS+; Disponibilidade Implementar o protocolo Spanning Tree (802.1D); Implementar o protocolo Rapid Spanning Tree (802.3w); Deve implementar o protocolo Multiple Spanning Tree (802.1s); Deve implementar BPDU Guard e ROOT Guard; Deve suportar até 12 grupos de agregação dinâmicos no padrão LACP ou estático de até 12 portas GbE; Gerenciamento Deve possuir suporte a pilha dupla IPv4/IPv6; Deve suportar gerenciamento SNMP v1, v2 e v3; Deve permitir configuração dos parâmetros IP através de serviço DHCP Cliente; Deve permitir acesso a console via Telnet, SSHv2, HTTP ou HTTPs; Deve suportar os grupos 1, 2, 3 e 9 de RMON; Deve implementar cliente e proxy DNS; Deve suportar o protocolo LLDP (IEEE 802.1ab); Deve permitir a atualização de firmware via HTTP ou TFTP em memoria tipo flash; Deve permitir salvar as configurações em um computador local (backup) via HTTP ou TFTP; Deve suportar até 10 grupos de espelhamento de trafego; Deve suportar sflow; Deve suportar LLDP; Deve implementar ICMPv6 e ICMPv6 Redirect (Host); Deve implementar IPv6 Neighbor Discovery; Deve suportar SNMP over IPv6; Deve suportar HTTP over IPv6; Deve suportar IPv6 remote ping; Deve suportar NTP e NTPv6; Segurança Deve suportar autenticação através de servidor RADIUS e TACACS+; Deve implementar segurança de acesso através do protocolo IEEE 802.1X com suporte a múltiplos hosts e autenticação por MAC; Deve suportar assinalamento automático de VLAN e política de QoS; Deve suportar implementação de VLANs para visitantes; Deve permitir filtragem de pacotes identificados por cabeçalho ethernet ou IP;

34 Deve suportar DHCP snooping; Deve suportar IP Source Guard; Desempenho Deve possuir capacidade de vazão de ao menos 52 Gbps; Deve chavear no mínimo 38,7Mpps; Tabela de endereços MAC com capacidade para no mínimo endereços; Padronização Deve ser compatível com os seguintes padrões: IEEE 802.1D (STP) IEEE 802.1p (COS) IEEE 802.1Q (VLAN) IEEE 802.1s (MSTP) IEEE 802.1v (VLAN) IEEE 802.1w (RSTP) IEEE 802.1X (Security) IEEE 802.3ab (1000BASE-T) IEEE 802.3ad (Link aggregation) IEEE 802.3i (10BASE-T) IEEE 802.3u (Fast Ethernet) IEEE 802.3x (Flow control) IEEE 802.3z (Gigabit) IEEE 802.1AB (Link Layer Discovery Protocol) Gerais Deve possuir fonte de alimentação operando em tensões de 100 a 240 V e em frequências de 50 a 60 Hz automaticamente; Deve vir acompanhado do kit de suporte específico para montagem em Rack de 19 ; O equipamento deverá ocupar uma unidade de rack; Para instalação e configuração do equipamento a proponente deverá possuir técnico certificado pelo fabricante, deverá apresentar, sob pena de desclassificação, comprovante de certificação do referido profissional juntamente com os documentos de habilitação técnica; Garantia O equipamento deverá ter garantia total, on-site por um período de 12 (doze) meses, a partir da data de recebimento definitivo, e a garantia padrão do fabricante de 3 anos.

35 Caso o proponente não seja o fabricante do produto, deverá apresentar, sob pena de desclassificação, junto a proposta comercial carta do fabricante atestando que o mesmo está apto a comercializar e instalar o produto ofertado; Incluso configurações necessárias; SWITCH 24P 10/100/ COMBO GER L2 Conectividade Deve possuir 24 portas padrão Gigabit Ethernet 10/100/1000 Base -T em conector RJ45; Deve possuir 2 portas adicionais ativas Gigabit Ethernet 1000Base-X em slots SFP; As portas 10/100/1000 Base -T deverão suportar auto negociação de velocidade, modo de operação e detecção MDI-MDIX quando operando em 10/100 Base -TX; Controle Deve suportar Jumbo Frames de até 10K; Deve implementar 4094 VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q por porta e IEEE 802.1v por protocolo; Deve suportar a configuração de no mínimo 128 VLANs ativas simultaneamente; Deve suportar implementação de VLANs Privativas; Deve suportar implementação de Voice VLANs; Deve implementar suporte a QinQ; Possuir no mínimo oito filas em hardware para priorização de tráfego por porta; Implementar QoS com base no protocolo 802.1p CoS, DSCP e precedência IP; Deve implementar controle de fluxo com o protocolo 802.3X e Back-Pressure; Deve implementar IGMP Snooping IPv4 v1, v2 e v3; Deve implementar IGMP Proxy v1, v2 e v3; Deve implementar IGMP Filtering, Throttling, Immediate Leave e Querier; Deve implementar MVR (Multicast VLAN Registration) Deve implementar MLD Snooping IPv6; Deve possibilitar a limitação de Broadcast, Multicast e Unicast; Deve implementar o gerenciamento de banda com valores distintos para entrada e saída; Deve implementar os mecanismos de controle de fila: SP (Strict Priority) ou WRR (Weighted Round Robin) por porta; Deve suportar accounting com RADIUS e TACACS+;

36 Disponibilidade Implementar o protocolo Spanning Tree (802.1D); Implementar o protocolo Rapid Spanning Tree (802.3w); Deve implementar o protocolo Multiple Spanning Tree (802.1s); Deve implementar BPDU Guard e ROOT Guard; Deve suportar até 12 grupos de agregação dinâmicos no padrão LACP ou estático de até 12 portas GbE; Gerenciamento; Deve possuir suporte a pilha dupla IPv4/IPv6; Deve suportar gerenciamento SNMP v1, v2 e v3; Deve permitir configuração dos parâmetros IP através de serviço DHCP Cliente; Deve permitir acesso a console via Telnet, SSHv2, HTTP ou HTTPs; Deve suportar os grupos 1, 2, 3 e 9 de RMON; Deve implementar cliente e proxy DNS; Deve suportar o protocolo LLDP (IEEE 802.1ab); Deve permitir a atualização de firmware via HTTP ou TFTP em memoria tipo flash; Deve permitir salvar as configurações em um computador local (backup) via HTTP ou TFTP; Deve suportar até 10 grupos de espelhamento de trafego; Deve suportar sflow; Deve suportar LLDP; Deve implementar ICMPv6 e ICMPv6 Redirect (Host); Deve implementar IPv6 Neighbor Discovery; Deve suportar SNMP over IPv6; Deve suportar HTTP over IPv6; Deve suportar IPv6 remote ping; Deve suportar NTP e NTPv6; Segurança Deve suportar autenticação através de servidor RADIUS e TACACS+; Deve implementar segurança de acesso através do protocolo IEEE 802.1X com suporte a múltiplos hosts e autenticação por MAC; Deve suportar assinalamento automático de VLAN e política de QoS; Deve suportar implementação de VLANs para visitantes; Deve permitir filtragem de pacotes identificados por cabeçalho ethernet ou IP; Deve suportar DHCP snooping; Deve suportar IP Source Guard; Desempenho; Deve possuir capacidade de vazão de ao menos 52 Gbps; Deve chavear no mínimo 38,7Mpps; Tabela de endereços MAC com capacidade para no mínimo endereços;

37 Padronização Deve ser compatível com os seguintes padrões: IEEE 802.1D (STP) IEEE 802.1p (COS) IEEE 802.1Q (VLAN) IEEE 802.1s (MSTP) IEEE 802.1v (VLAN) IEEE 802.1w (RSTP) IEEE 802.1X (Security) IEEE 802.3ab (1000BASE-T) IEEE 802.3ad (Link aggregation) IEEE 802.3i (10BASE-T) IEEE 802.3u (Fast Ethernet) IEEE 802.3x (Flow control) IEEE 802.3z (Gigabit) IEEE 802.1AB (Link Layer Discovery Protocol) Gerais Deve possuir fonte de alimentação operando em tensões de 100 a 240 V e em frequências de 50 a 60 Hz automaticamente; Deve vir acompanhado do kit de suporte específico para montagem em Rack de 19 ; O equipamento deverá ocupar uma unidade de rack; Para instalação e configuração do equipamento a proponente deverá possuir técnico certificado pelo fabricante, deverá apresentar, sob pena de desclassificação, comprovante de certificação do referido profissional juntamente com os documentos de habilitação técnica; Garantia O equipamento deverá ter garantia total, on-site por um período de 12 (doze) meses, a partir da data de recebimento definitivo, e a garantia padrão do fabricante de 3 anos. Caso o proponente não seja o fabricante do produto, deverá apresentar, sob pena de desclassificação, junto a proposta comercial carta do fabricante atestando que o mesmo está apto a comercializar e instalar o produto ofertado; Incluso configurações necessárias; MINI GBIC (SFP) 1000 BASE LX 10KM

38 O Módulo Mini Gbic deverá conter as seguintes especificações: Interface SFP (velocidade de 1 Gbps); Fibra monomodo; Alcance de 10 e 40 km; Conector LC duplex; ACCESS POINT GERENCIÁVEL B/G/N POE Deverá possuir1 porta uplink 10/100 BASE -T; Deverá atender wireless A/B/G/N; Deverá trabalhar na faixa de frequências 2,4 e 5 GHz; Deverá possuir velocidade sem fios de até 300 Mbps; Deverá possuir Antenas internas de 4 dbi (2,4GHz) e 3dBi (5GHz); Deverá possuir as opções de segurança WEP / WAP / WAP2; Deverá ter padrão wireless: IEEE b/g/n 300 Mbps ; Deverá ser gerenciável; Deverá possuir porta LAN 10/100 Mbps: 1; Deverá possuir porta USB: 0; Deverá possuir alimentada pelo Power over Ethernet (IEEE 802.3af); Deverá possuir acesso de controle do dispositivo telas de endereços MAC para garantir que somente clientes confiáveis acessem a WLAN; CENTRAL PABX DIGITAL O PABX Instalação e configuração: Deverá ser retirada Central PABX DIGITAL; equipada com 32 ramais analógicos, 08 ramais digitais e 01 entroncamento digital E1; do Departamento Regional de Santa Catarina sito a rua Felipe Schmidt, 785, sexto e sétimo andares. Esta central deverá ser instalada e configurada na nova Unidade Operativa do Senac em Palhoça.

39 No Departamento Regional de Santa Catarina sito a rua Felipe Schmidt, 785, sexto e sétimo andares deverá ser instalada e configurada central telefonica CPCT, Tipo PABX CPA-T e acessórios nas configurações discriminadas a seguir: 01 E1 30 canais PCMR2; 08 Troncos Analógicos; 10 licenças para softfone IP (Android e/ou Iphone); 01 Atendedor digital com menu e sub-menu incorporado ao sistema; 12 licenças para telefone IP; 02 telefones IP tipo I; 02 telefones IP tipo II; 06 telefones IP tipo III; 144 Ramais analógicos; 04 Licenças de Softphone IP; 70 Licenças de softphone Básico; 01 Correio de voz integrado com 02 canais, 60 minutos de armazenagem e 200 Caixas postais incorporado ao sistema; 01 Modem incorporado ao sistema para tele manutenção; 01 Licença integração tarifação IP; 01 Kit material de instalação até o lado interno do DG principal, programação, testes e treinamento Operacional aos usuários. SOFTWARE DE MONITORAMENTO SOFTWARE-LICENCA DE 64 CAMERAS PRINCIPAIS RECURSOS: Deverá permitir abrir o boletim de ocorrência dos fatos ocorridos; Deverá permitir anexar vídeos exportados do sistema ao boletim de ocorrência; Deverá permitir anexar documentos e imagens ao boletim de ocorrência; Deverá permitir a organização de vídeos e documentos; Deverá permitir gerar relatório de ocorrências; Deverá permitir gerar gráficos estatísticos das ocorrências registradas; Deverá permitir a criação de categorias para os eventos; Deverá suporte os multiusuários com gerenciamento por nível de acesso para administradores, técnicos e operadores; Deverá permitir a criação de campos personalizados para o sistema;

40 Deverá trabalha com banco de dados SQL Server, podendo ser integrado ao banco de dados atual do cliente; Deverá permitir a consulta de ocorrências por tipo, data, hora, câmera ou texto da ocorrência; Deverá permitir a impressão do boletim de ocorrência com logo personalizado do cliente; Deverá gerar relatórios baseado em filtros especificados pelo usuário; Deverá permitir o registro e acompanhamento das ocorrências internas com a solução de monitoramento (Help-Desk); Deverá permitir acompanhamento do chamado por pelos usuários envolvidos; Deverá possuir notificação por na mudança do status do chamado; CÂMERA TIPO DOME INTERNA ANTI-VANDALISMO DISCRETA Especificação do hardware da câmera Deverá possuir sensor de imagem em estado sólido do tipo CMOS ou CCD de 1/4 ou maior com varredura progressiva; Deve possuir lente entre 2,0 e 4,0 mm; Deve possuir resolução mínima de 1280x720 pixels; Deve possuir sensibilidade mínima igual ou inferior 1,6 lux em modo colorido com F2, 8; Deve permitir os seguintes ajustes manuais da câmera: na posição horizontal (Panorâmico) de 170 ; na vertical (Tilt) de 90 ; e rotação de 320 ; Especificação das funções de vídeo Deve implementar os formatos de compressão H.264 e M-JPEG na máxima taxa de quadros, 30 fps; Deve permitir a transmissão de múltiplos streamings de vídeo em H.264 e Motion Jpeg; Deve possibilitar compensação automática para tomada de imagem contra luz de fundo; Deve possuir funcionalidade de PTZ digital; Deve possuir Wide Dynamic Range; Deve possuir ângulo de visualização de, no mínimo, 80 ; Especificação das funções de rede Deve possuir largura de banda configurável através CBR e VBR; Deve possuir saída UTP para conexão em rede TCP/IP RJ BASE-TX conector RJ- 45; Deve possuir protocolos Internet: RTP, UDP, TCP, IP, HTTP, IGMP, SNMP, SMTP e DNS; Deve possuir os protocolos de segurança HTTPS, SSL e IEEE802.1x;

41 A câmera deve permitir alimentação PoE Classe 1 conforme padrão IEEE 802.3af; Deve possuir a possibilidade de atualização de software e firmware através de software do fabricante da câmera, com disponibilização das versões de firmware na web site do mesmo; Especificação da integração com outros sistemas Deve ser fornecida com capacidade embarcada para a configuração de máscaras de privacidade na própria câmera; Deve ser fornecida com capacidade embarcada para inserir sobreposição de texto e figuras na imagem; Deve ser fornecida com capacidade embarcada para espelhamento de imagem; Deve ser fornecida com capacidade instalada para detectar movimentos através da criação de áreas poligonais de inclusão e exclusão de até 20 pontos; Deve ser fornecida com capacidade embarcada para rotacionar a imagem no sensor em 0, 90, 180 e 270 ; Deve ser fornecida com capacidade instalada para alarmar em caso de violação da câmera; Deve possuir capacidade de analise de vídeo embarcado através da simples adição de licença e software; Deve possuir arquitetura aberta para integração com outros sistemas; Deve possuir capacidade de armazenamento local através de SD card, compact Flash ou USB memory card. Deve possuir capacidade de armazenamento em rede (NAS ou Servidor de Arquivos) através da câmera; Especificação geral da câmera Deve possuir caixa de proteção em policarbonato do tipo domo fumê ou transparente, com no mínimo o nível IK08 de resistência a impacto; A câmera deve ser preparada para uso em forro de teto falso, discreta possuindo dimensão máxima de 10 cm de diâmetro e altura máxima de 6 cm abaixo do teto, ou seja do lado externo; Deve possuir garantia do fabricante de pelo menos 1 ano comprovado por carta de fabricante e ou informação constante no site do fabricante; Deve possibilitar operação a temperatura entre 0º C ~ +45º C Deve possuir certificações: FCC e UL; Obs.: Não será aceito conversor IP externo. O mesmo deve ser parte integrante da câmera. CÂMERA FIXA DAY & NIGHT DE ALTA DEFINIÇÃO (EXTERNA) Especificação do hardware da câmera

42 Deve possuir sensor de imagem em estado sólido do tipo CMOS ou CCD de 1/3" ou maior, com varredura progressiva; Deve possuir lente varifocal de, no mínimo 2.8 a 8 mm com correção de IR, montagem CS; Deve possui filtro de corte de infravermelho removível automaticamente; Deve possuir resolução mínima de 1280 x 960 pixels; Deve possuir sensibilidade mínima igual ou inferior 0,2 lux em modo colorido e 0,02 lux em modo PB, com F1.2; Deve possuir lente auto-íris; Deve possuir o recurso de back foco remoto; Especificação das funções de vídeo; Deve implementar formato de compressão H.264 (Baseline e Main profile) e M-JPEG; Deve permitir a transmissão de pelo menos 2 streamings independentes de vídeo H.264 em resolução HDTV 720p (1280x720), configuráveis de forma independente à máxima taxa de frames (30 fps); Deve possibilitar compensação automática para tomada de imagem contra luz de fundo; Deve possuir Wide Dynamic Range; Deve possuir tempo do obturador entre 1/29000s e 2s; Deve possuir ângulo de visualização de, no mínimo, 80 ; Especificação das funções de rede Deve possuir largura de banda configurável (CBR e VBR); Deve possuir saída UTP para conexão em rede TCP/IP RJ BASE-TX conector RJ- 45; Deve possuir protocolos Internet: RTP, UDP, TCP, IP, HTTP, IGMP, SNMP, SMTP, DNS, CIFS e SMB; Deve possuir os protocolos de segurança HTTPS, SSL eieee802.1x. A câmera deve permitir alimentação PoE conforme padrão IEEE 802.3af sem uso de equipamentos adicionais; Deve possuir a possibilidade de atualização de software e firmware através de software do fabricante da câmera, com disponibilização das versões de firmware na web site do mesmo; Especificação da integração com outros sistemas Deve ser fornecida com capacidade embarcada para a configuração de máscaras de privacidade na própria câmera; Deve ser fornecida com capacidade embarcada para inserir sobreposição de texto e figuras na imagem; Deve ser fornecida com capacidade embarcada para espelhamento de imagem; Deve ser fornecida com capacidade instalada para detectar movimentos através da criação de áreas poligonais de inclusão e exclusão de até 20 pontos; Deve ser fornecida com capacidade instalada para alarmar em caso de violação da câmera; Deve possuir capacidade de analise de vídeo embarcado através da simples adição de licença e software; Deve possuir arquitetura aberta para integração com outros sistemas;

43 Deve possuir capacidade de armazenamento local através de SD/MicroSD card, compact Flash ou USB memory card, com capacidade de no mínimo 64Gb; Deve possuir capacidade de armazenamento em rede através da câmera; Deve ser fornecida com capacidade instalada para conectar-se a sistema amplificador de áudio permitindo a comunicação bidirecional; A câmera deve possuir entrada (mic) e saída (line out) de áudio de 3,5 mm; Deve ser fornecida com capacidade instalada para transportar áudio; Deve possuir, no mínimo, 1 entrada e 1 saída de alarme; Deve possuir porta RS-485/422; Especificação geral da câmera Deve conter caixa de proteção que deve proteger totalmente a câmera da chuva, poeira, umidade e altas temperaturas com grau de proteção IP66 e resistente a impacto com grau de proteção IK10; A caixa de proteção, bem como seus acessórios, deverá ser do mesmo fabricante da câmera ou homologado pela mesma garantindo a qualidade da solução; Deve possuir caixa de proteção com dispositivo para o controle de condensação; Deve possuir suporte para fixação em postes e parede do mesmo fabricante da caixa de proteção; Deve possuir garantia do fabricante de pelo menos 3 anos comprovado por carta de fabricante e ou informação constante no site do fabricante; Deve possibilitar operação a temperatura entre -10º C ~ +50º C; Deve possuir certificação: FCC e UL; Obs.: Não será aceito conversor IP externo. O mesmo deve ser parte integrante da câmera. SERVIDOR PARA RACK 8T HD DELL Deverá possuir densidade de recursos de desempenho em um chassi de 1 U otimizado em rack; Deverá possuir baixo consumo de energia; Deverá possuir processamento de última geração e opções flexíveis de E/S; Deverá possuir opção para12 DIMMs e oito HDDs de conector automático de 2,5"; Deverá possuir Slots de expansão compatíveis com PCI e Gen3; NOBREAK 6000VA/230V/19" 5U ON-LINE RACK OU TORRE FP0,8 Deverá possuir designer para ser acomodado em Rack 19 ;

44 Deverá possuir potências: 6000 VA em 208 (bifásico) ou 230 V (monofásico); Deverá ser compatível com gerador; Deverá possuir Bateria interna selada com autonomia de até 4,5 minutos com 100% de carga; Deverá possuir tecnologia Online corrigindo todas as anormalidades da entrada, tempo zero de transferência para a bateria e com a faixa de tensão de entrada maior, aumentando a vida útil das baterias, pois o equipamento chaveia menos para o modo bateria; Deverá possuir software de desligamento seguro incluso para um micro; Deverá possuir expansão para placa com padrão RS485 ou WEB/SNMP; BANCO DE BATERIAS 240V/19" 3U PARA NOBREAK 6000VA RACK 19" Deverá possuir designer para ser acomodado em Rack 19 ; Deverá possuir invólucro do banco de baterias com o mesmo padrão e desenho do Nobreak; O Banco de Baterias poderá ser instalado em rack com a adição de trilhos; Deverá possuir Conector igual ao padrão do Nobreak; CENTRAL DE ALARME DIGITAL EVO Deverá ser expansível a 48 zonas; Deverá possuir 250 PGMs (2 na placa); Deverá possuir 96 códigos de usuários; Deverá possuir 4 partições; Deverá possuir 1024 eventos de memória; Deverá ser expansível a 127 módulos bus; Deverá permitir registro de 96 controles remotos (com RTX3); Deverá possuir 8 entradas de zonas (16 zonas com zona dupla); Deverá possuir controle de acesso integrado; Deverá possuir Firmware atualizável via interface 307USB e sofware Winload; Deverá ser compatível com o software Neware;

45 Deverá possuir ajuste automático do horário de verão; Deverá ter a opção de ser utilizado detector de fumaça de 2 fios; Deverá ser possível programar controles remotos usando o Código Master ou Código de Instalador; Deverá possuir bateria de backup para relógio em tempo real; Deverá possuir fonte chaveada de 1,7 A; Deverá possuir saída de sirene supervisionada; Deverá possuir saída auxiliar supervisionada; Deverá possuir entrada para linha telefônica supervisionada; Deverá possuir reset por botão (reset ou reinicia sistema); Deverá possuir botão para ligar/desligar a saída auxiliar (ideal para manutenção sem precisar desligar o transformador); SENSOR DE ALARME DIGITAL ENDEREÇÁVEL O sensor deverá possuir as seguintes características: Sensor com elemento retangular duplo; Processamento de sinal digital; 0,2 m ~ 7m/seg. de velocidade de detecção; -20 ~ +50 º C de temperatura de operação; 9 ~ 16 Vdc, 30mA máx de alimentação; 12m X 12m de cobertura; 110º de ângulo de visão; 22 zonas = (lente padrão); 2 m ~ 2.7 m de altura de instalação; Led vermelho aceso por 5 segundos como indicador de alarme; Led vermelho aceso por 0.25 segundos como indicador de detecção; 95% umidade máxima; Compatível com centrais Digiplex e Digiplex NE; TECLADO DE ALARME LCD

46 Deverá possuir 32 caracteres em tela de cristal líquido; Deverá possuir01 entrada para zona de alarme; Deverá possuir Mensagens programáveis; Deverá possuir Iluminação ajustável, com contraste e velocidade de rolagem; CAIXA DE PROTEÇÃO PARA ALARME Deverá ser compatível com Central de Alarme Paradox / Posonic; Deverá possuir espaço para Bateria 12 V; Deverá possuir furação traseira para entrada/saída de fiação; BATERIA 12 V Verá ser do tipo Chumbo ácida regulada por válvulas; Deverá possuir placas em liga Chumbo Cálcio; Deverá operar em larga faixa de temperatura; Deverá possuir alta taxa de descarga; Deverá ter taxa de auto-descarga reduzida; Deverá operar em qualquer posição; TRANSFORMADOR Tensão de Entrada deverá ser 220 V; Tensão de Saída deverá ser de 16,5V; Deverá suportar uma corrente de 2,5A;

47 ARTICULADOR PARA SENSOR DE ALARME Deverá ser compatível com sensor passivo; Deverá ser articulável para parede e teto; Deverá possuir passagem de fio embutida; SIRENE Deverá possuir as seguintes características: Potência audível real de 120 db - 1 metro; Potência elétrica: 20 W atts; Tensão: 11 a 13.8 Volts; Consumo: 1.5 A; CABO FLEXÍVEL4 VIAS 22 AWG O Cabo deverá ser cobre estanhado eletrolítico mole; Deverá possuir o polietileno de baixa densidade colorido; A capa deverá ser de PVC 70C branco ou cinza (componente anti-chama); A bitola deverá ser de22 AWG possibilitando a instalação de equipamentos que consomem mais corrente em maiores distâncias; QUADRO COMANDO 600X480X220MM

48 Deverá possuir as dimensões600x480x220mm; Deverá possuir pino metálico nas dobradiças; Deverá possuir Borracha injetada na porta com abertura 130 graus; Deverá acompanha placa de montagem na cor Laranja RAL 2004; Caixa e porta na cor Bege RAL 7032; PAINEL 500 X 400 X 170 As placas de montagens cegas deverão ser fabricadas em chapa de aço galvanizadas e pintadas em pó na cor laranja RAL Espessuras: Inox-espessura mm; Alumínio-espessura mm; TRILHO DIN Deverá possuir Aba de 15 mm; A barra deverá ter tamanho de 1m; Deverá ser de zinco galvanizado com amarelo cromato passivação; ISOLADOR EPOXI O ISOLADOR EPOXI deverá ter dimensões 16X20 M6; Deverá acompanhar parafuso M6 para ambos os lados; BARRAMENTO TIPO PENTE TRIFÁSICO 6 DISJUNTORES O pente deverá ser Trifásico com 19 ligações (6 disjuntores Trifásicos ou 18 monofásicos); Deverá ser de cobre eletrolítico; Deve aguentar Corrente Elétrica mínima de 80 A; Deverá suportar Tensão Elétrica mínima de 440 V;

49 Deverá possuir tampa externa em Nylon ANTI-CHAMA; Deverá possuir isolador de pino em PVC ANTI-CHAMA; Deverá ser compatível com disjuntores modelo DIN; Disponíveis nos modelos; BARRAMENTO NEUTRO/TERRA Barramento deverá ser de Cobre; Deverá possuir no mínimo 12 furos com parafuso; Deverá possuir 2 parafusos M6 em cada extremo para colocação do isolador Epóxi; DISJUNTOR PADRÃO EUROPEU Disjuntor 20A padrão Europeu- 1~; Disjuntor 32A padrão Europeu- 1~; Deverá possuir Corrente nominal: 20 e 32A conforme diagrama unifilar; Deverá suportar Tensão máxima de emprego nominal Ue: 415 Vca; Deverá possuir 1polo; Deverá possuir Curvas de disparo magnético B e C; Deverá estar em Conformidade com as normas: ABNT NBR NM (3 ka 380/220Vca) e ABNT NBR IEC (4,5 ka 380/220Vca); Deverá possuir Certificação INMETRO; DISJUNTOR 80A PADRÃOEUROPEU - 3~ Deverá possuir Corrente nominal: 8A conforme diagrama unifilar; Deverá suportar Tensão mínima de emprego nominal415v; Deverá possuir 3polos (Fase R, S e T); Deverá possuir Curvas de disparo magnético B e C; Deverá estar em Conformidade com as normas: ABNT NBR NM (3 ka 380/220Vca) e ABNT NBR IEC (4,5 ka 380/220Vca);

50 Deverá possuir Certificação INMETRO; CABO FLEXÍVEL ELÉTRICO Cabo Flexível #2,5mm²750 V Vermelho; Cabo Flexível #2,5mm²750 V Preto; Cabo Flexível #2,5mm²750 V Branco; Cabo Flexível #2,5mm²750 V Amarelo; Cabo Flexível #2,5mm²750 V Azul; Cabo Flexível #2,5mm²750 V Verde; Cabo Flexível #6,00mm²750 V- Preto; Cabo Flexível #6,00mm²750 V- Vermelho; Cabo Flexível #6,00mm²750 V- Azul; Cabo Flexível#16,00mm²750 V- Verde; Os cabos deverão está disponíveis nas cores: Vermelho, Preto, Branco, amarelo, azul e verde; Os Cabos deverão está disponíveis nas Bitolas #2,5 mm², #6,00 mm² e #16 mm²; Os Cabos deverão ter isolamento de no mínimo 750 V; CABO SINTENAX Cabo Sintenax#25,00mm²1KV - Azul; Cabo Sintenax#25,00mm²1KV - Preto; O cabo deverá ter dupla isolação permitindo o isolamento mínimo de 1KV; O cabo deverá estar disponível nas cores Azul & Preto; O cabo deverá ser de cobre com bitola de #25,00mm²; CONECTOR DE PRESSÃO Conector de Pressão tipo Pino #2,5mm²; Conector de Pressão tipo Garfo #2,5mm²; Conector de Pressão tipo Pino #6,0mm²;

51 Conector de Pressão tipo Garfo #6,0mm²; Conector de pressão tipo Pino #16,0mm²; Conector de pressão tipo Garfo #16,0mm²; Conector de pressão tipo Pino #25,0mm²; Conector de pressão tipo Garfo #25,0mm²; Os conectores deverão ser pré-isolados; Os conectores deverão ser do tipo Garfo ou Pino, conforme a necessidade da conexão; Os conectores deverão ser conectados no cabo via Pressão; Deverão estar disponíveis no diâmetro de 2,5mm²m, 6,00mm², 16 mm² e 25mm² FITA ISOLANTE 20M 3M Deverá ter dimensões de 19 mm x 20m; Deverá ter espessura de 0,19 mm; Deverá garantir uma alta performance de isolação e alta resistência mecânica na instalação elétrica; PORTA EQUIPAMENTO 3 BLOCOS Deverá ser constituída de alumínio; Não deverá interferir na passagem de cabos no perfil; Deverá disponibilizar 3 espaço para acoplagem de blocos conforme a necessidade; Deverá ser da cor Branca; BLOCOS PARA PORTA EQUIPAMENTO Bloco para conexão DB9/DB15; Bloco cego com furo central; Modulo cego branco; Bloco para RJ45 keystone branco; Deverão ser de PVC;

52 Deverão ser na cor Branco; Deverá ser compatível com Porta Equipamento Standard e Slim; MODÚLO TOMADA 3P ABNT Deverá está em conformidade à norma NBR 14136; A tomada deverá possuir 3P sendo 1 Fase, 1 Terra e um Neutro; A tomada deverá ser compatível com o porta equipamento; Deverá ter corrente nominal mínima de 20A; Deverá ser na Cor Branco; PERFIL DUPLO PERFIL DUPLO 25X3MT- BRANCO PERFIL DUPLO 45X3MT- BRANCO O duto deverá ser de alumínio com dimensões 73x25 e 73x45 conforme solicitado em projeto; Os dutos deverão ser do tipo D (divisória dentro do duto que separará a elétrica do cabeamento); Os dutos deverão ser aterrados em cada seguimento; Deverão ser da cor branca; TAMPA P/ PERFIL 3MT A tampa deverá ser de Alumínio; A tampa deverá possuir Ranhuras; A tampa deverá ser da cor Branca;

53 CURVA HORIZONTAL 90º As curvas deverão ser de alumínio; Deverá ser compatível com o duto; Deverá ter dimensões 73x25 e 73x45 conforme a necessidade; Deverá ser fornecido na cor Branco; CURVA VERTICAL 90º INTERNA As curvas verticais internas deverão ser encaixadas diretamente no perfil do duto; Deverá possuir acabamento igual à tampa utilizada; CURVA VERTICAL 90º EXTERNA Deverão ser fabricados em alumínio injetado; Deverão ser adaptáveis a dutos 73x25 e 73x45 conforme necessidade; Deverá possuir septos metálicos móveis que podem ser colocados na posição que desejar para atender todas as condições; Deverão ser da cor Branca; CAIXA DERIVAÇÃO TIPO X

54 As caixas de derivação são acessórias que permitem realizar todas as soluções de um sistema de instalação aparente. Possuem acabamento externo em alumínio. Utilizadas para fazer derivações tipo X, as caixas de derivação servem para mudar a direção da instalação, alterar altura de dutos e fazer junções com eletrodutos. As caixas de derivação devem possuir selos, removíveis nas laterais para entrada de dutos; As caixas deverão ser na cor Branco; TOTEM PLUS 60 cm BRANCO Deverá ser em alumínio extrusado com duas secções, o que permite a separação dos sinais lógicos e de energia; As tampas, dos dois lados, deverão ser removíveis para colocação do porta equipamentos SLIM; O Acabamento deverá ser em poliéster pó; Acessórios de Fixação do Totem Suporte de Fixação em Duto; Tampa fechamento superior para totem; Acessório de Fixação do Totem Plus 73x25; Luva de Arremate Branco; Porta Equipamento O porta equipamento deverá possuir espaço para 3 blocos; O porta equipamento deverá ser branco; Deverá ser embutido na lateral do totem; SEGUIMENTO DE PERFIL DE DERIVAÇÃO

55 O Segmento deverá ser de alumínio com dimensões 73x25; O Segmento deverá possuir abertura para cruzamento de cabos; O Segmento deverá ser do tipo D (divisória dentro do duto que separará a elétrica do cabeamento); O segmento deverá ser aterrado; Deverão ser da cor branca; ADAPTADOR DE CANALETA PARA ELETRODUTO 3X1" Os adaptadores deverão ser fabricados em alumínio injetado; Os adaptadores deverão ser na cor Branco; Os adaptadores deverão possuir 3 saídas para eletroduto 1"; TAMPA TERMINAL As tampas terminais são utilizadas para acabamento dos dutos 73x25; As tampas deverão ser fabricadas em ABS; PARAFUSO DE ROSCA SOBERBA CABEÇA PANELA 3,9X25 Deverá possuir rosca soberba; Deverá ter cabeça panela; Deverá ter dimensões 3,9X25; Deverá com a cabeça Fenda ou Philips; Deverá ser de aço inox; Bucha Nylon S6 Aplicações Concreto; Alvenaria maciça; Características

56 Deverá ser produzida com poliamida de alta qualidade que permite resistência ao envelhecimento, oxidação, influências climáticas; Deverá possuir Excelente elasticidade, amortecendo vibrações; Deverá possuir nas laterais dentes e Aletas que evitam o giro da bucha dentro do furo permitindo uma excelente fixação; Seu pescoço deverá ser livre de pressões de expansão o que impede o achatamento do reboco e a deterioração de azulejos; CONECTOR FIXO PARA ELETRODUTO CORRUGADO METÁLICO 1'' O Conector deverá ser do tipo Macho reto fixo; Deverá ser fabricado em latão zincado de 1, roscas BSP ou NPT; Deverá possuir Porca de aperto fabricada em alumínio ou latão zincado com rosca BSP; BUCHA DE ALUMÍNIO 1" Deverá possuir rosca interna em BSP ou NPT; ARROELA DE ALUMÍNO 1" Deverá possuir rosca interna em BSP ou NPT; ELETRODUTO CORRUGADO METÁLICO 1'' COM REVESTIMENTO Eletroduto flexível em fita de aço zincada, cobreada ou estanhada com revestido externamente com PVC na cor preta;

57 Deverá possuir dimensões de 1"; ABRAÇADEIRA PARA ELETRODUTO Deverá ser fabricado em PVC; Deverá possuir abraçar eletroduto de1 de diâmetro; Deverá ser compatível com o Eletroduto; Deverá ser na cor branco; CONDULETE MONTAVEL 1" PVC Deverá ser fabricado em PVC; Deverá possuir 6 Entradas de 1 ; Deverá possuir tampão para entradas que não forem utilizadas; Deverá ser na cor branco; ADAPATADOR PARA CONDULETE MONTAVEL Deverá ser fabricado em PVC; Deverá ser compatível com o Condulete; Deverá possuir diâmetro de 1 ; Deverá ser do tipo liso (a pressão); Deverá ser na cor branco;

58 ESPELHO CEGO PARA CONDULET 1" Deverá ser fabricado em PVC; Deverá ser compatível com o Condulete; Deverá ser na cor branco; ESPELHO 1XRJ45 PARA CONDULET 1" Deverá ser fabricado em PVC; Deverá ser compatível com o Condulete; Deverá Acomodar um Keystone Categoria 6; Deverá ser na cor branco; ELETRODUTO1"X3000 PVC BRANCO Deverá ser fabricado em PVC; Deverá ser compatível com o Condulete; Deverá ser de ponta lisa (conexões deverão ser com pressão). Deverá ser na cor branco; CAIXA 2X4 PARA PISO Deverá ser fabricado em Alumínio Fundido; Deverá possuir tampão nas entradas que não forem utilizadas; Deverá possuir entradas para eletroduto de 1 ; Deverá possuir dimensões de 2 polegadas por 4 polegadas;

59 CURVA 90º 1" PVC - BRANCO Deverá ser fabricado em PVC; Deverá ser do tipo sem rosca; Deverá possuir diâmetro de 1 ; Deverá ser na cor branco; Deverá ser compatível com o eletroduto; LUVA 1" PVC - BRANCO Deverá ser fabricado em PVC; Deverá ser compatível com o Eletroduto; Deverá possuir diâmetro para encaixar a pressão eletroduto de 1 ; Deverá ser do tipo liso (a pressão); Deverá ser na cor branco; VERGALHÃO ROSCA TOTAL 1/4" X 3000 Deverá ser galvanizado a fogo; Deverá ter diâmetro de ¼ de polegadas; Deverá possuir 3m de comprimento; Deverá possuir rosca total, em todo seu perímetro; Deverá possuir rosca interna WW; Deverá ser compatível com as porcas e arruelas;

60 PARABOLT 1/4"X12MM COM ROSCA INTERNA Deverá possuir Jaqueta e Cone; Deverá ser do tipo Chumbador Expansivo; Jaqueta e Cone deverá ser compatível com vergalhão de ¼ ; Deverão ser fabricados em aço grau 2 com acabamento galvanizado; Deverão ter a Rosca interna em WW; PARAFUSO CABEÇA LENTILHA AUTO-TRAVANTE 1/4" Deverá possuir cabeça Lentilha (Lisa, sem rebarbas para não danificar o cabo); Deverá ser auto-travante (possuir trava que se acomode na eletrocalha, e não permita o parafuso girar); Deverá ter diâmetro de 1/4 ; Deverá ser fabricado em aço Galvanizado a Fogo; Deverá possuir rosca WW; Deverá ser compatível com porcas e arruelas de 1/4"; PORCA SEXTAVADA 1/4" Deverá possuir Rosca WW; Deverá ter diâmetro interno 1/4"; Deverá ser fabricado em Aço Galvanizado a Fogo; Deverá ser hexagonal;

61 ARRUELA DE PRESSÃO 1/4" Deverá ser fabricado em aço inoxidável /A2; Deverá possuir acabamento passivado; Deverá possuir dimensões: Diâmetro Interno mínimo 6,45 mm; Diâmetro externo máximo 12,37 mm; Espessura Mínima 1,57 mm; ARRUELA LISA 1/4" Deverá ser de Aço Carbono; Deverá possuir acabamento em zinco branco; Deverá ter espessura mínima de 1,10 mm; Diâmetro mínimo interno de 6,90 mm; Diâmetro máximo interno 7,10 mm; Diâmetro Externo 18 mm; SAIDA LATERAL PARA ELETRODUTO 1" Deverão ser fabricada em Chapa 22 de Aço SAE 1008/1010, conforme a NBR e NBR 7013; Deverá possuir furos para ser acoplada na eletrocalha; Deverá possuir diâmetro de 1 para entrada de eletroduto;

62 DIVISOR INTERNO ELETROCALHA Deverá ser fabricada em Chapa 22 de Aço SAE 1008/1010, conforme a NBR e NBR 7013; Deverá possuir furos para ser acoplada na eletrocalha; Deverá possuir altura de 50 mm; Deverá ser perfuradas com furos de 7x25 mm oblongos com espaçamentos entre si em 25 mm no sentido transversal e 38 mm no sentido longitudinal; ELETROCALHA PERFURADA Eletrocalha 200x50x3000 perfurada; Eletrocalha 300x50x3000 perfurada; Deverá ser fabricada em Chapa 22 de Aço SAE 1008/1010, conforme a NBR e NBR 7013; Deverá possuir furos de 7x25mm oblongos com espaçamentos entre si em 25 mm no sentido transversal e 38 mm no sentido longitudinal, oferecendo ventilação aos cabos; Deverá ser dobrada formando um U; Não deverá possuir virola; Deverá possuir dimensões: Largura 200 mm e 300 mm conforme trecho especificado em projeto; Altura de 50 mm; Profundidade 3000 mm;

63 GANCHO VERTICAL Gancho vertical 210x70; Gancho vertical 310x70; Deverá ser fabricada em Chapa 22 de Aço SAE 1008/1010; Deverá possuir furo na parte superior central para conectar com uma barra roscada de 1/4"; Deverá possuir dimensões: Largura 210 mm e 310 mm conforme necessidade; Altura 70 mm; EMENDA INTERNA Emenda Interna c/ base perfurada 200x50x200; Emenda Interna c/ base perfurada 300x50x200; Deverá ser fabricada em Chapa 22 de Aço SAE 1008/1010, conforme a NBR e NBR 7013; Deverá possuir furos de 7x25mm oblongos com espaçamentos entre si em 25 mm no sentido transversal e 38 mm no sentido longitudinal; Deverá possuir dimensões: Largura 200 mm e 300 mm conforme trecho especificado em projeto; Altura de 50 mm; Profundidade 200m; CURVA HORIZONTAL 90º Curva Horizontal 90º 200x50; Curva Horizontal 90º 300x50;

64 Deverá ser fabricada em Chapa 22 de Aço SAE 1008/1010, conforme a NBR e NBR 7013; Deverá possuir furos de 7x25mm oblongos com espaçamentos entre si em 25 mm no sentido transversal e 38 mm no sentido longitudinal; Deverá possuir dimensões: Largura 200 mm e 300 mm conforme trecho especificado em projeto; Altura de 50 mm; Raio de Curvatura deverá ser igual ou superior a 200 mm; DERIVAÇÃO EM "T" Derivação em "T"200x50; Derivação em "T" 300x50; Deverá ser fabricada em Chapa 22 de Aço SAE 1008/1010, conforme a NBR e NBR 7013; Deverá possuir furos de 7x25mm oblongos com espaçamentos entre si em 25 mm no sentido transversal e 38 mm no sentido longitudinal; Deverá possuir dimensões: Largura 200 mm e 300 mm conforme trecho especificado em projeto; Altura de 50 mm; Raio de Curvatura deverá ser igual ou superior a 190 mm; CURVA DE INVERSÃO 90º Deverá ser fabricada em Chapa 22 de Aço SAE 1008/1010, conforme a NBR e NBR 7013;

65 Deverá possuir furos de 7x25mm oblongos com espaçamentos entre si em 25 mm no sentido transversal e 38 mm no sentido longitudinal; Deverá alterar a posição de subida vertical para um plano horizontal; Deverá possuir dimensões: Largura 200 mm; Altura de 50 mm; Raio de Curvatura deverá ser igual ou superior a 200 mm; CURVA VERTICAL INTERNA 90º Deverá ser fabricada em Chapa 22 de Aço SAE 1008/1010, conforme a NBR e NBR 7013; Deverá possuir furos de 7x25mm oblongos com espaçamentos entre si em 25 mm no sentido transversal e 38 mm no sentido longitudinal; Deverá proporcionar um curvamento interno a face; Deverá possuir dimensões: Largura 200 mm; Altura de 50 mm; Raio de Curvatura deverá ser igual ou superior a 200 mm; DESCIDA VERTICAL EXTERNA 90º Deverá ser fabricada em Chapa 22 de Aço SAE 1008/1010, conforme a NBR e NBR 7013; Deverá possuir furos de 7x25mm oblongos com espaçamentos entre si em 25 mm no sentido transversal e 38 mm no sentido longitudinal; Deverá proporcionar um curvamento externo a face; Deverá possuir dimensões: Largura 300 mm;

Anexo 3 - MEMORIAL DESCRITIVO DA AMPLIAÇÃO DO ALMOXARIFADO - TI ET 07-02-203

Anexo 3 - MEMORIAL DESCRITIVO DA AMPLIAÇÃO DO ALMOXARIFADO - TI ET 07-02-203 Anexo 3 - MEMORIAL DESCRITIVO DA AMPLIAÇÃO DO ALMOXARIFADO - TI ET 07-02-203 1 REDE ESTRUTURADA DE TELECOMUNICAÇÕES Introdução O sistema de Telecomunicações constará alimentação dos pontos de comunicação

Leia mais

PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED

PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED Aplicações imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568A, uso interno, para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicações (cross-connect)

Leia mais

REDE ESTRUTURADA DE TELECOMUNICAÇÕES - TEL

REDE ESTRUTURADA DE TELECOMUNICAÇÕES - TEL REDE ESTRUTURADA DE TELECOMUNICAÇÕES - TEL SISTEMA DE RACK FECHADO 44U E ACESSÓRIOS Rack Fechado 44 U Padrão 19 Rack modelo gabinete com altura máxima de 44U; Estrutura básica em perfis de alumínio estrudado;

Leia mais

Aumentar Diminuir Procura Tela Cheia Imprimir

Aumentar Diminuir Procura Tela Cheia Imprimir ADAPTER CABLE M8v CATEGORIA 5 ENHANCED Sistemas de Cabeamento Estruturado para tráfego de voz, dados e imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568A, incluindo o adendo 5 (Categoria 5e), para

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PARA INSTALAÇÃO DE CABEAMENTO DE REDE LÓGICA

MEMORIAL DESCRITIVO PARA INSTALAÇÃO DE CABEAMENTO DE REDE LÓGICA MEMORIAL DESCRITIVO PARA INSTALAÇÃO DE CABEAMENTO DE REDE LÓGICA 1. ESCOPO DO DOCUMENTO Este documento apresenta o memorial descritivo relativo ao projeto de Cabeamento lógico no Centro Municipal de Saúde

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Departamento de Compras e Licitações - DCL Campus Universitário Trindade Florianópolis SC CEP 88.040-900 CNPJ/MF n 83.899.526/0001-82 Telefone

Leia mais

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS 1- Aplicação: Este produto aplica-se a sistemas de cabeamento estruturado, para tráfego de voz, dados e imagens, do tipo 10BASE-T, 100BASE-Tx, 155M ATM, 4/16MB

Leia mais

Catálogo de. Produtos LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA PRODUTOS INJETADOS MARCAS DISTRIBUÍDAS B5NX-CNC

Catálogo de. Produtos LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA PRODUTOS INJETADOS MARCAS DISTRIBUÍDAS B5NX-CNC FIBRAS ÓPTICAS E ACESSÓRIOS LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA B5NX-CNC PRODUTOS INJETADOS Catálogo de MARCAS DISTRIBUÍDAS Produtos R A Division of Cisco Systems, Inc. RACKS E ACESSÓRIOS Linha

Leia mais

a) Deve possuir certificado de performance elétrica (VERIFIED) pela UL ou ETL, conforme especificações da norma ANSI/TIA-568-C.2 CATEGORIA 6.

a) Deve possuir certificado de performance elétrica (VERIFIED) pela UL ou ETL, conforme especificações da norma ANSI/TIA-568-C.2 CATEGORIA 6. 1 - Cabo UTP - Categoria 6 LSZH a) Deve possuir certificado de performance elétrica (VERIFIED) pela UL ou ETL, conforme especificações da norma ANSI/TIA-568-C.2 CATEGORIA 6.; b) O cabo utilizado deverá

Leia mais

Memorial Descritivo MAFRA

Memorial Descritivo MAFRA Memorial Descritivo MAFRA Sumário OBJETIVO... 5 ATERRAMENTO... 5 INFRA-ESTRUTURA.... 5 ELETROCALHAS... 6 ELETRODUTOS EM PVC... 6 DUTOS DE ALUMÍNO.... 6 CABEAMENTO ESTRUTURADO... 6 ELÉTRICO... 10 SEGURANÇA...

Leia mais

ANSI/TIA/EIA 568 B...

ANSI/TIA/EIA 568 B... Memorial Descritivo Projeto elétrico e Cabeamento Estruturado CAT 5e TRE TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL Campo Grande Mato Grosso do Sul 1 ÍNDICE 1 Objetivo... 3 2 Dados Gerais... 3 3 Infra-estrutura... 4

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO O cabeamento vertical, ou cabeamento de backbone integra todas as conexões entre o backbone do centro administrativo e os racks departamentais,

Leia mais

diagrama de ligações, relatórios emitidos pelo Analisador de Cabos

diagrama de ligações, relatórios emitidos pelo Analisador de Cabos ESPECIFICAÇÔES TÉCNICAS 1 CABEAMENTO HORIZONTAL Instalação da rede para padrão T568B constituída de 466 (quatrocentos e sessenta e seis) pontos, devidamente identificados, conforme localização definida

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

ANEXO IV. Projeto Reestruturação de Rede Lógica 15º Batalhão Policia Militar de Caçador - SC

ANEXO IV. Projeto Reestruturação de Rede Lógica 15º Batalhão Policia Militar de Caçador - SC ANEXO IV Projeto Reestruturação de Rede Lógica 15º Batalhão Policia Militar de Caçador - SC CONSIDERAÇÕES INICIAIS Este projeto tem por objetivo apresentar os equipamentos, serviços e obras de infraestrutura

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 Objeto: Aquisição de Material de e Permanente (Equipamentos e Suprimentos de Informática), para 001 081266-9 CABO UTP CAT5E FLEXíVEL, CAIXA COM 300MT Lote 1- Destino: Uinfor CX 30 002 113294-5

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas TERMO DE REFERÊNCIA Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação; Deve possuir, no mínimo, 24

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ANEXO III PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÃO DE CABEAMENTO PARA REDE LOCAL DE MICROCOMPUTADORES 1.Objetivo Este projeto tem por objetivo descrever a instalação de cabeamento de rede lógica no edifício-sede da

Leia mais

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA Subitem Característica Especificação Exigência CONEXÕES DESEMPENHO 1.1 Portas RJ-45 1.2 Portas GBIC 1.3 Autoconfiguraçã

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA NORMAS AMERICANAS EIA/TIA EIA/TIA 568-B: Commercial Building Telecomunications Cabling Standard Essa norma de 2001 é a revisão da norma EIA/TIA 568-A de

Leia mais

ECO HD. Bloco 110 e Organizadores Bloco 110 Categoria 5e 35 Bloco 110 Categoria 6 36 Organizadores de cabos 38

ECO HD. Bloco 110 e Organizadores Bloco 110 Categoria 5e 35 Bloco 110 Categoria 6 36 Organizadores de cabos 38 Página Patch Panel Patch Panel cat. 6 32 P. Modular 48 portas em 1UR cat.6 32 Patch Panel Modular descar. 24 portas 33 Voice Panel 1UR 50 Portas 34 Bloco 110 e Organizadores Bloco 110 Categoria 5e 35 Bloco

Leia mais

FICHA TÉCNICA JACK RJ-45 C5e

FICHA TÉCNICA JACK RJ-45 C5e FICHA TÉCNICA JACK RJ-45 C5e 1- Aplicação: Este produto aplica-se a sistemas de cabeamento estruturado, para tráfego de voz, dados e imagens, em conformidade com os requisitos estabelecidos na Norma ANSI/TIA/EIA-568B.2

Leia mais

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE São Paulo, 29 de julho de 2010 PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE 1. Informações e recomendações importantes O projeto foi solicitado pela Unidade para a implantação de rede local para o prédio GETS, sendo

Leia mais

LOTE 01 VALOR UNITÁRIO VALOR TOTAL ITEM DESCRIÇÃO RESUMIDA UNIDADE QUANTIDADE

LOTE 01 VALOR UNITÁRIO VALOR TOTAL ITEM DESCRIÇÃO RESUMIDA UNIDADE QUANTIDADE LOTE 01 ITEM DESCRIÇÃO RESUMIDA UNIDADE QUANTIDADE 1.1 Ponto de rede CAT.5E utilizando ponto de consolidação. Os equipamentos e materiais incluem, cabo UTP 4 pares, tomada RJ45 fêmea (obedecendo padrões

Leia mais

DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS

DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS Conectividade 6A Linha de Bandejas Ópticas HDX Linha de Racks ITMAX Linha de Racks Fechados Acessórios de Organização Produtos de alta densidade FTP UTP Descarregado Azul/Branco/Bege

Leia mais

UNSINCROTEL (9274) ELETRÔNICA E TELECOMUNICAÇÕES LTDA 0 261,1800 1

UNSINCROTEL (9274) ELETRÔNICA E TELECOMUNICAÇÕES LTDA 0 261,1800 1 Objeto da Compra: de Preços: PREÇOS 40/2015 Nº: 40/2015 Página: 1/8 1Pacote propagante de vinculação níquel de 100 elétrica de chama, ouro, Conectores com para possuir as veias RJ45 proteção vias Especificação

Leia mais

EDITAL Nº 1939 CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 003/2015 - OBRA PROCESSO ADM. Nº P404068/2014 FL. 251

EDITAL Nº 1939 CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 003/2015 - OBRA PROCESSO ADM. Nº P404068/2014 FL. 251 FL. 251 Montados em fábrica, em condições de processo controlado, com cabos ópticos do tipo tight (Zip-Cord ou Cordão Monofibra) e com os principais tipos de conectores ópticos. Fornecido nas cores laranja

Leia mais

Com o intuito de inovar sem deixar a qualidade e

Com o intuito de inovar sem deixar a qualidade e LINHA DE PRODUTOS ATTIC Com o intuito de inovar sem deixar a qualidade e a relação custo benefício de lado, a Attic apresenta ao mercado soluções com acabamento impecável, modernos e resistentes. A pintura

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS Tipo: Gabinete Rack do tipo bastidor com porta e ventilação forçada 24U x 19"x 670mm, com porta de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA INFRAESTRUTURA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO E DE TELEFONIA DA SALA TÉCNICA (D) E NOVA SALA DO CENTRO DE OPERAÇÕES DE EMERGÊNCIA

Leia mais

Aula 4b Elementos da Infraestrutura

Aula 4b Elementos da Infraestrutura Aula 4b Elementos da Infraestrutura Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Elementos de Infra-estrutura São utilizados em projetos de sistemas de cabeamento para estabelecer o tráfego de voz, dados e imagens,

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Infra-estrutura de cabeamento metálico ou óptico, capaz de atender a diversas aplicações proporcionando flexibilidade de layout, facilidade de gerenciamento, administração e manutenção

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12 TERMO DE REFERÊNCIA I DEFINIÇÃO DO OBJETO O presente Projeto Básico tem por objeto a aquisição de equipamentos para implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE 1 Switch

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento O cabeamento horizontal Compreende os segmentos de cabos que são lançados horizontalmente entre as áreas de trabalho e as salas de telecomunicações

Leia mais

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA APRESENTAÇÃO As especificações contidas neste memorial são referentes às instalações de cabeamento estruturado do prédio sede do Tribunal Regional do Trabalho 12ª Região TRT, localizado na Av. Jorn.Rubens

Leia mais

Rack piso standard. Rack piso Server

Rack piso standard. Rack piso Server Rack piso standard Desenvolvido para atender diversos tamanhos e tipos de redes Monobloco: Estrutura em chapa de aço 1,2 mm Porta frontal em chapa de aço 1,2 mm, visor em acrílico fume e fechadura cilíndrica

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Prefeitura Municipal de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Prefeitura Municipal de Venâncio Aires MEMORIAL DESCRITIVO REESTRUTURAÇÃO E CABEAMENTO ESTRUTURADO E ELÉTRICO 1. APRESENTAÇÃO O presente memorial descritivo refere-se ao projeto de reforma das instalações de Telecomunicações, Cabeamento Estruturado

Leia mais

INDICE LINHA DE RACKS FECHADOS LINHA DE RACKS ABERTOS LINHA DE BRACKETS LINHA DE ACESSÓRIOS

INDICE LINHA DE RACKS FECHADOS LINHA DE RACKS ABERTOS LINHA DE BRACKETS LINHA DE ACESSÓRIOS INDICE LINHA DE RACKS FECHADOS Triunfo Standard Triunfo Server Triunfo Left Triunfo Left Server Triunfo Industrial 05 06 07 08 09 LINHA DE RACKS ABERTOS Triunfo Plus Triunfo HD 10 11 LINHA DE BRACKETS

Leia mais

Linha Met Linha Me alúr t gic alúr a gic

Linha Met Linha Me alúr t gic alúr a gic Linha Metalúrgica Estes gabinetes são utilizados em ambientes internos e servem para acomodar equipamentos óptico-eletrônicos que necessitam de proteção. São totalmente fechados com chaves, sendo a porta

Leia mais

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps Especificações Técnicas Característica/Configurações/Requisitos mínimos: Descrição do Material Switch

Leia mais

PARTE 1 COMPLEMENTO E ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS E SUGESTÕES DISCUTIDOS NA REUNIÃO DA CONSULTA PÚBLICA

PARTE 1 COMPLEMENTO E ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS E SUGESTÕES DISCUTIDOS NA REUNIÃO DA CONSULTA PÚBLICA PARTE 1 COMPLEMENTO E ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS E SUGESTÕES DISCUTIDOS NA REUNIÃO DA CONSULTA PÚBLICA EMPRESA: PROMON PROMON QUESTIONAMENTO 1 MÓDULO REDE LAN (CADERNO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA) Item

Leia mais

Catalogo de Produtos

Catalogo de Produtos Catalogo de Produtos Triunfo Metalúrgica Triunfo Metalúrgica Ltda, empresa genuinamente brasileira, sediada em Curitiba/PR. Instalada em uma área de 10.000m²,atua no mercado desde 1998,desenvolvendo e

Leia mais

LISTA DE PRODUTOS ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: SETEMBRO DE 2008

LISTA DE PRODUTOS ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: SETEMBRO DE 2008 LISTA DE PRODUTOS DE PRODUTOS LISTA ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: SETEMBRO DE 2008 Ativos / Wireless ADSL Modem; Conversores de Mídia; Firewall; Hub s; KVM (2 / 4 / 8 e 16 Portas); Modem Externo; Placas de Rede

Leia mais

Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout

Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout Tipo do Produto Cabo Óptico Pré-Conectorizado Descrição Cabo Óptico de construção tipo " tight buffer" (indoor ou indoor/outdoor) ou cordão multifibra (somente indoor)

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Cabeamento Estruturado

Leia mais

DIRETORIA EXECUTIVA DE ENGENHARIA E GESTÃO PREDIAL - GERÊNCIA DE PROJETOS

DIRETORIA EXECUTIVA DE ENGENHARIA E GESTÃO PREDIAL - GERÊNCIA DE PROJETOS TJMG DIRETORIA EXECUTIVA DE ENGENHARIA E GESTÃO PREDIAL - GERÊNCIA DE PROJETOS PLANILHA COM CUSTOS APURADOS PELO TJMG REFERENTES AOS PROJETOS DAS INSTALAÇÕES COMPLEMENTARES - TELECOMUNICAÇÕES COMARCA:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO OBRA: ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE PROJETO PADRÃO PROPRIETÁRIO: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Especificação Técnica Sistema de Cabeamento Estruturado

Especificação Técnica Sistema de Cabeamento Estruturado Especificação Técnica Sistema de Cabeamento Estruturado Patch Cord Tipo RJ-45 - RJ45 - CATEGORIA 5 Modelo: D8AU Patch Cord com comprimento aproximado de xx metros, com conectores modulares de 8 posições

Leia mais

158516.182014.137447.4474.277995780.540

158516.182014.137447.4474.277995780.540 158516.182014.137447.4474.277995780.540 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Santa Catarina Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Ata de Realização do Pregão Eletrônico

Leia mais

MULTILAN CAT. 5E UTP 24 AWG 4PARES - CM

MULTILAN CAT. 5E UTP 24 AWG 4PARES - CM MULTILAN CAT. 5E UTP 24 AWG 4PARES - CM Características Gerais Descritivo: - Modelo TK 1002B - Condutor de cobre nu, coberto por polietileno. - Os condutores são trançados em pares, 04 pares 24 AWG. -

Leia mais

PROJETO: REDE LOCAL WIRELESS - RH

PROJETO: REDE LOCAL WIRELESS - RH PROJETO: REDE LOCAL WIRELESS - RH Março de 2011 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO: APRESENTAÇÃO PARTES QUE COMPÕEM O PROJETO PARTE I Descrição do Projeto WIRELESS. PARTE II Descrição Sistema de REDE SEM FIO. PARTE

Leia mais

Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC

Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC Tipo do Produto Descrição Cabo Óptico Pré-Conectorizado Cabo óptico de construção tipo tight buffer (indoor ou indoor/outdoor) pré-conectorizado em fábrica com conectores

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1.UNIDADE REQUISITANTE: ETICE 2. DO OBJETO: ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 2.1. Registro de preços para futuras e eventuais aquisições de EQUIPAMENTOS DE REDE CORPORATIVOS ( SWITCHS e ACESSÓRIOS), todos

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO TOCANTINS - TJTO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO TOCANTINS - TJTO NORMA INTERNA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO TOCANTINS - TJTO Sumário 1 OBJETIVO... 7 2 FONTE / HISTÓRICO... 8 3 DESCRITIVO DA OBRA...

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REDE DA DADOS LOCAL OBRA: CASA DA DUQUE - PINACOTECA ALDO LOCATELLI LOCAL: Rua Duque de Caxias, n. 973

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REDE DA DADOS LOCAL OBRA: CASA DA DUQUE - PINACOTECA ALDO LOCATELLI LOCAL: Rua Duque de Caxias, n. 973 ANEXO III ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REDE DA DADOS LOCAL OBRA: CASA DA DUQUE - PINACOTECA ALDO LOCATELLI LOCAL: Rua Duque de Caxias, n. 973 - Porto Alegre (RS) PROPRIETÁRIO: EPHAC TENSÃO PRIMÁRIA DE ABASTECIMENTO:

Leia mais

Cabeamento estruturado para ambientes industriais

Cabeamento estruturado para ambientes industriais Cabeamento estruturado para ambientes industriais Linha de produtos MultiLan / GigaLan Conhecendo os produtos... Conhecendo os ambientes... Ferrovias Armazéns... Frigoríficos Mineradoras... Terminais portuários

Leia mais

PROJETO PARA INSTALAÇÃO DE 60 PONTOS DE REDE DADOS NO CENTRO CULTURAL SÃO PAULO

PROJETO PARA INSTALAÇÃO DE 60 PONTOS DE REDE DADOS NO CENTRO CULTURAL SÃO PAULO PROJETO PARA INSTALAÇÃO DE 60 PONTOS DE REDE DADOS NO CENTRO CULTURAL SÃO PAULO Unidade: Centro Cultural São Paulo Endereço: Rua: Vergueiro nº1000 São Paulo - SP Tipo mídia/categoria: Cabo UTP 4 pares

Leia mais

PROJETO PARA INSTALAÇÃO DE REDE DE CABEAMENTO ESTRUTURADO (DADOS E VOZ)

PROJETO PARA INSTALAÇÃO DE REDE DE CABEAMENTO ESTRUTURADO (DADOS E VOZ) ANEXO II - A MEMORIAL DESCRITIVO CLIENTE: SENAC SANTA CATARINA PROJETO: PROJETO PARA INSTALAÇÃO DE REDE DE CABEAMENTO ESTRUTURADO (DADOS E VOZ) AGOSTO 2011 INDÍCE INDÍCE... 2 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 - CONSIDERAÇÕES

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Norma 568

Cabeamento Estruturado. Norma 568 Cabeamento Estruturado Norma 568 1 Resumo Evolução da Norma; Onde e como utilizar a norma; Conhecer como a norma ANSI/EIA/TIA 568B está dividida em subsistemas; D e s c r e v e r a s c a r a c t e r í

Leia mais

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX Tipo do Produto Cordão Óptico Família do Produto TeraLan Descrição Cordão Óptico é o cabo óptico monofibra ou duplex com conector óptico nas duas extremidades Aplicação

Leia mais

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO:

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: CABEAMENTO DE REDE QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: MEIO FÍSICO: CABOS COAXIAIS, FIBRA ÓPTICA, PAR TRANÇADO MEIO NÃO-FÍSICO:

Leia mais

Índice. Acessórios...17 Kit fixação...17 Bandejas...18 Tetos...18 Gavetas de ventilação...18 Calha de tomada...19

Índice. Acessórios...17 Kit fixação...17 Bandejas...18 Tetos...18 Gavetas de ventilação...18 Calha de tomada...19 Índice W31 - Womer Server - em Aço...4 W32 - Womer Server - Perfil Arredondado/ em Aço...5 W35 - Max Server Aluminum/ em Alumínio...6 W39 - Max Server Aluminum Perfil Arredondado/ em Alumínio...7 W38 -

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção.

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção. Consiste de um conjunto de produtos de conectividade, empregados de acordo com regras específicas de engenharia; Tais produtos garantem conectividade máxima para os dispositivos existentes e preparam a

Leia mais

Nome : Empresa : Cargo : Endereço : Telefone : FAX: E-mail : Site :

Nome : Empresa : Cargo : Endereço : Telefone : FAX: E-mail : Site : Nome : Empresa : Cargo : Endereço : Cidade: CEP: Telefone : FAX: E-mail : Site : Assinatura Local e Data IMPORTANTE: Preencher os dados completos e em letra legível pois, em caso de aprovação, as informações

Leia mais

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots 1.1.1. Deve possuir no mínimo 06 slots para inserção de módulos de I/O, ou seja, 06 além dos slots para supervisoras; 1.1.2. Deve vir acompanhado de kit de suporte específico

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO Arquitetura - Padrão Ethernet IEEE 802.3

CABEAMENTO ESTRUTURADO Arquitetura - Padrão Ethernet IEEE 802.3 CABEAMENTO ESTRUTURADO Arquitetura - Padrão Ethernet IEEE 802.3 1 2 Cabeamento Estruturado Padrão Ethernet - Evolução O padrão ETHERNET surgiu com 1972 nos laboratórios da Xerox com Robert Metcalfe. Com

Leia mais

CABLING CABOS CONECTORES PATCH PANEL 19 ACESSÓRIOS

CABLING CABOS CONECTORES PATCH PANEL 19 ACESSÓRIOS CABLING CABOS 04 CONECTORES 05 PATCH PANEL 19 06 ACESSÓRIOS 07 02 CABLING CABLAGENS DE COBRE O EIA/TIA 568, de 1991, foi o primeiro padrão americano para os sistemas de cableamento estruturado. Em 1995,

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 001 111586 Nobreak Senoidal de Dupla Conversão de no mínimo 3.0 KVa 1. Todos os equipamentos deverão ser novos de primeiro uso e estar na linha de produção atual do fabricante; 2. A garantia

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REDE LÓGICA

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REDE LÓGICA Obra: Ministério Público do Estado do Acre Local: Rua Marechal Deodoro, nº 472 - Centro ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REDE LÓGICA Cabo UTP categoria 6 - Condutor de cobre nú, coberto por polietileno termoplástico

Leia mais

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços ANSI EIA/TIA 569-B EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços Conforme a EIA/TIA 569A a infra-estrutura é dividida nos seguintes subsistemas: Área de Trabalho; Percursos horizontais; Sala ou armário

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Line Cords e Patch Cables.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SERVIÇOS NECESSÁRIOS À READEQUAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO E METÁLICO DE VOZ DO AEROPORTO DE BAGÉ TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

Infra-estrutura tecnológica

Infra-estrutura tecnológica Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação ATTI Supervisão de Infra-estrutura Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Infra-estrutura tecnológica Rede Lógica

Leia mais

FIBRA ÓTICA CABOS CORDÃO ÓTICO SIMPLEX OU DUPLEX GAVETAS DE DISTRIBUIÇÃO FIBRA ÓTICA TORPEDOS E CAIXAS PARA JUNTAS ADAPTADORES CONVERSORES DE MEIOS

FIBRA ÓTICA CABOS CORDÃO ÓTICO SIMPLEX OU DUPLEX GAVETAS DE DISTRIBUIÇÃO FIBRA ÓTICA TORPEDOS E CAIXAS PARA JUNTAS ADAPTADORES CONVERSORES DE MEIOS FIBRA ÓTICA CABOS CORDÃO ÓTICO SIMPLEX OU DUPLEX GAVETAS DE DISTRIBUIÇÃO FIBRA ÓTICA TORPEDOS E CAIXAS PARA JUNTAS ADAPTADORES CONVERSORES DE MEIOS 04 05 0 07 08 09 02 FIBRA ÓTICA TECNOLOGIA ÓTICA Com

Leia mais

INSTITUCIONAL LINHA DE PRODUTOS

INSTITUCIONAL LINHA DE PRODUTOS INSTITUCIONAL A Sollan, fabricante de avançadas soluções em produtos termoplásticos, de metalurgia, ópticos e de telefonia, atua no mercado nacional desde 1999, comercializando produtos para infraestrutura

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE 1 1. CABEAMENTO ESTRUTURADO Cabeamento estruturado é a disciplina que estuda a disposição organizada e padronizada de conectores e meios

Leia mais

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA PROJETO TELECOMUNICAÇÕES

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA PROJETO TELECOMUNICAÇÕES REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO TELECOMUNICAÇÕES Responsabilidade e Compromisso com o Meio Ambiente MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO TELECOMUNICAÇÕES OBRA: Reforma Sala do Núcleo

Leia mais

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Divisão de Manutenção / Departamento de Manutenção de Sistemas Digitais

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Divisão de Manutenção / Departamento de Manutenção de Sistemas Digitais Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Divisão de Manutenção / Departamento de Manutenção de Sistemas Digitais Especificação Técnica ETD -00.063 Materiais de telecomunicação ópticos Versão:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP) 05/10/2015 COMPRASNET O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração LatinoAmericana Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP)

Leia mais

Instalação Rede Estruturada e Elétrica Estabilizada 26º andar, sala 2602 Agenersa

Instalação Rede Estruturada e Elétrica Estabilizada 26º andar, sala 2602 Agenersa Instalação Rede Estruturada e Elétrica Estabilizada 26º andar, sala 2602 Agenersa Indice 1- Projeto Básico 2- Localização dos pontos de lógica estruturada e elétrica 3- Topologia Física 4- Planta 5- Diagrama

Leia mais

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 4 4. CABEAMENTO ESTRUTURADO- PARTE II Cada nível do subsistema estudado no capítulo anterior foi regulamentado por normas que visam padronizar

Leia mais

Na tabela a seguir os abusos e desreipeitos à Lei são apresentados: SERVIDOR RACK TIPO 01 Pequeno Porte. SERVIDOR RACK TIPO 02 Médio Porte

Na tabela a seguir os abusos e desreipeitos à Lei são apresentados: SERVIDOR RACK TIPO 01 Pequeno Porte. SERVIDOR RACK TIPO 02 Médio Porte Na tabela a seguir os abusos e desreipeitos à Lei são apresentados: ITEM QTDE ATA 1 10 2 10 3 15 4 10 5 4 6 5 7 5 8 5 9 5 10 10 11 30 12 30 DESCRIÇÃO SERVIDOR RACK TIPO 01 Pequeno Porte SERVIDOR RACK TIPO

Leia mais

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE CABEAMENTO ESTRUTURADO ÍNDICE 1 Informativos gerais 2 Especificações e Tabelas

Leia mais

A/C MUNICÍPIO DE FARROUPILHA PROPOSTA 1. PLANILHA GERAL DE MATERIAIS E SERVIÇOS:

A/C MUNICÍPIO DE FARROUPILHA PROPOSTA 1. PLANILHA GERAL DE MATERIAIS E SERVIÇOS: A/C MUNICÍPIO DE FARROUPILHA PROPOSTA PREGÃO Nº: 04/2014 RAZÃO SOCIAL: HSH Instalação e Manutenção de Equipamentos Eletrônicos Ltda. CNPJ: 09.300.659/0001-38 ENDEREÇO: Rua João Pessoa, 086 São José Canoas/RS

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Cabeamento Estruturado. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Cabeamento Estruturado Prof. Marciano dos Santos Dionizio Norma ANSI/EIA/TIA 568B Divide um sistema de cabeamento em subsistemas: 1. Facilidades de Entrada (pela NBR14565: Sala de Entrada de Telecomunicações

Leia mais

www.hepso.com.br Transformando metais em soluções

www.hepso.com.br Transformando metais em soluções www.hepso.com.br Transformando metais em soluções Rack Fechado Fotos: SP Imagens 19 Rack Fechado Rack fechado composto por estrutura monobloco soldada, placas laterais e traseira removíveis por fecho rápido

Leia mais

Especificação de Referência Switch de Acesso I

Especificação de Referência Switch de Acesso I 1 Especificação de Referência Switch de Acesso I Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000045 Switch de

Leia mais

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Na comunicação de dados são usados muitos tipos diferentes de meios de transmissão. A escolha correta dos meios de transmissão no projeto

Leia mais

Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais

Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais Cabeamento estruturado - definição Sistema de cabeamento capaz de prover tráfego de gêneros de informações diferenciadas dentro de um mesmo sistema

Leia mais

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES Prezado cliente, índice Bem-vindo à GVT. Agora sua empresa conta com soluções inovadoras de voz, dados e Internet com o melhor custo-benefício. Para garantir a qualidade dos serviços e aproveitar todos

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Cabo coaxial Cabo par trançado Fibra óptica IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 Foi um dos primeiros tipos de cabo utilizados nas redes de computadores Malha de cobre

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações

Redes de Dados e Comunicações Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Cabo Par Trançado Conector-RJ 45 A norma EIA/TIA padronizou o conector RJ-45 para a conectorização de cabos UTP. Para a conectorização do cabo UTP,

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2014

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2014 APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2014 Política de Qualidade Atender as expectativas dos nossos clientes e requisitos regulamentares com a participação de todos os funcionários, buscando a melhoria contínua em

Leia mais

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa especializada para realizar a atualização tecnológica do backbone óptico da rede lógica para o padrão 10 Gigabit Ethernet, integrante do SISTEMA ELETRÔNICO/TELEMÁTICA

Leia mais

Distribuidor Interno Óptico Gaveta. Distribuidor Interno Óptico Fit

Distribuidor Interno Óptico Gaveta. Distribuidor Interno Óptico Fit Linha Óptica Família de produtos que tem como principal função proporcionar o tráfego de dados, voz e imagem através de cordões e cabos de fibra óptica com o auxílio de acessórios para garantir a infraestrutura

Leia mais

INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade. DG Distribuidor Geral (Quadro de Entrada da Empresa de Telecom);

INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade. DG Distribuidor Geral (Quadro de Entrada da Empresa de Telecom); ABREVIATURAS ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas; ANSI American National Standards Institute; CSA Canadian Standards Association; ISO - International Standard Organization; ITU International

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS 2014 Apresentação A PONTO DA REDE iniciou suas atividades em setembro de 1997, com sede em Salvador-Bahia, onde dispomos de um grande estoque para pronta entrega. Atuamos nos mercados

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP) Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP) Às 10:47 horas do dia 25 de setembro de 2015,

Leia mais