Sistema de ligação para electroválvulas e distribuidores, compatíveis com bus de terreno PROFIBUS-DP, INTERBUS-S, DEVICE-NET

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema de ligação para electroválvulas e distribuidores, compatíveis com bus de terreno PROFIBUS-DP, INTERBUS-S, DEVICE-NET"

Transcrição

1 ValveConnectionSystem Sistema de ligação para electroválvulas e distribuidores, compatíveis com bus de terreno PROFIBUS-DP, INTERBUS-S, DEVICE-NET P20.PT.R0a

2 O SISTEMA V.C.S. O sistema VCS é um conjunto que assegura a comunicação com os protocolos standard Profibus-DP, Interbus-S, Device- Net O sistema VCS estruturado em anel permite, a partir duma única interface Bus/VCS, unir e utilizar com um cabo plano perfilado de 2 condutores: - até 127 distribuidores MEGA monoestáveis ou biestáveis - até 24 entradas-captadores (em conector VCS ou em módulo suplementar) - Tudo, numa distância máxima de 2, km A interface VCS comunica com o bus de terreno, que está associado e transmite as comunicações para os receptores (electroválvulas, distribuidores) pelo cabo VCS. O retorno da comunicação proveniente dos captadores pode ser conectado sobre o anel e transmitido via interface através do cabo VCS. Possibilidade de pilotar no mesmo anel VCS todas as combinações de electrodistribuidores pneumáticos, hidráulicos e electroválvulas ou válvulas todo fluído para uma maior flexibilidade. O conector inteligente VCS está desenhado para interligar de modo simples, rápido e económico os distribuidores das ilhas MEGA, assim como todas as electroválvulas com bobinas tamanhos 1, 22, 2, 30 e 40 de 3 pinos DIN ou ISO 4400, com um consumo de 24 W (1A) máximo. Redução do tempo de cablagem e colocação em serviço simplificada com endereçamento automático de cada receptor. Segurança de funcionamento por dispositivos integrados de auto-diagnóstico e control dos dados. n Conjunto modular que facilita a ampliação «in situ». n Nível de estanquidade IP6 que permite a adaptaç..ão das ilhas MEGA-VCS directamente sobre as máquinas, junto dos actuadores, para cadências de produção mais elevadas. Os componentes de automatização equipados com o sistema VCS oferecem uma solução mais compacta, rentável, evolutiva e competitiva. bus de campo I 1 3 P B 6 G (C) Possibilidade de ligar no mesmo anel VCS todas as combinações à escolha de electrodistribuidores pneumáticos, hidráulicos e electroválvulas ou válvulas todo fluído. Até 127 conectores VCS e 24 entradas-captadores (C) num comprimento total de 2, km! 4 1 Electrodistribuidor sozinho ou montado na base múltipla 2 Ilha de distribuidores MEGA 3 Electroválvulas todo fluído (C) 4 Válvulas todo fluído Actuador de válvulas de comando pneumático 6 Módulo de 8 entradas, conectores M8 O sistema VCS é composto por 4 elementos principais (ver páginas seguintes): O conector específico VCS, adaptável nas electroválvulas ou electrodistribuidor A interface Bus/VCS, adaptada aos protocolos Profibus-DP, Interbus-S e Device-Net (I) A(s) caixa(s) de alimentação eléctrica (P) O cabo verde de ligação VCS (G) + o cabo negro (B) para alimentação suplementar P20-2

3 O CONECTOR V.C.S. INFORMAÇÕES GERAIS Este conector inteligente tamanho 1, de 4 pinos fêmea + terra, contém um componente ASIC que controla a informação. Adapta-se em cada electroválvula, distribuidor monoestável ou biestável de duplo-piloto e assegura a ligação entre o cabo plano VCS e cada bobina dos distribuidores dos receptores. A instalação realiza-se em poucos segundos... Colocar o cabo VCS Baixar a tampa e... a ligação está realizada! Esta simplicidade de ligação permite eliminar as inconvenientes operações de cortar, descarnar e aparafusar os cabos. Reduz o tempo e custo da instalação. Ligação rápida mediante tomadas denominadas «vampiro» Sem ferramentas Supressão das acções relacionadas com a cablagem Cabo perfilado para uma ligação segura Endereçamento automático Grau de protecção do conector VCS: IP6 Possibilidade de ligação do retorno de informação dos captadores Uma versão de conectores VCS, proposta com 2 tomadas M8 - de 3 pinos fêmeas - integradas na parte superior, permite a ligação das entradas dos captadores para uma cablagem simplificada e uma solução mais compacta (ver exemplos na figura). APRESENTAÇÃO 1 Ligação lateral do receptor tamanho 1-3 pinos fêmeas + terra 2 Tampa para estabelecer a ligação dos cabos verde e negro 3 Encaixe para cabo plano VCS (verde) 4 Encaixe para cabo de alimentação negro, sob encomenda 2 leds de visualização de entradas 6 2 leds de visualização de alimentação das bobinas 7 2 tomadas M8 de 3 pinos fêmeas para a ligação das entradas (captadores de posição), sob encomenda 8 4 etiquetas de identificação VCS O conector VCS adapta-se à maior parte dos produtos ASCO/JOUCOMATIC (24W máx.). 3 versões propostas, a escolher consoante o tipo de ligação VCS a realizar e a potência das bobinas: Conector para 1 cabo VCS - 2 saídas de 100mA máx. Para bobina com potência de 2,4W (neste caso o conector inclui uma protecção contra os curtos-circuitos da bobina) Conector para 2 cabos (VCS + alimentação) - 2 saídas de 100mA máx. Previsto para o sistema VCS com uma adaptação para paragem de emergência (ver página ), adaptável para uma bobina de potência 2,4W (o conector não está protegido contra os curtos-circuitos da bobina) Conector para 2 cabos (VCS + alimentação) - 1 saída 1A máx. Para todas as bobinas com potência > 2,4W (24W máx.). Esta versão adapta-se, perfeitamente, a todas as electroválvula todo fluído e electroválvulas pneumáticas séries O cabo de potência auxiliar (cabo plano negro), destina-se a fornecer a alimentação suplementar necessária para as bobinas > 2,4W ADAPTAÇÃO Geralmente as bobinas com potência < 2,4W são de tamanho 1 com pinos planos DIN (A2,8 x0,) que permitem a adaptação directa do conector VCS. As bobinas com potência > 2,4W geralmente são de tamanho 22, 2, 30 ou 40 com pinos para conector de tamanho 22 ou ISO 4400 (tamanho 30). Neste caso, a montagem do conector VCS necessetita de um adaptador (2) tipo 1/22 ou 1/30 instalado como é indicado na figura ao lado. DIMENSÕES DO CONECTOR (ver páginas seguintes) adaptação do conector VCS para bobina tamanho 22 Bobina tamanho 22 standard industrial 2 pinos planos (entre-eixo 11mm) + terra 2 Bobina 2 LINK tamanho 1 2 pinos + terra adaptação do conector VCS para bobina tamanho 30 tamanho 30 ISO pinos + terra LINK tamanho 1 2 pinos + terra P20-3

4 O SISTEMA V.C.S. CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA VCS Número máximo de conectores na linha : 127 (para distribuidores monoestáveis ou biestáveis) Número máximo de entradas conectáveis (ØM8) : 24 (retorno de informação dos captadores) Ligação eléctrica/entrada do captador : - directamente no conector VCS (2 entradas por conector) - sob um módulo de 8 conectores M8 ligados ao cabo VCS Endereçamento : automático: aplicação simplificada, sem instruções complexas Ligação eléctrica/distribuidor : por conector específico VCS tamanho 1 com ligação rápida Ligação eléctrica circuito VCS/Interface : por terminal de parafusos Distância máxima entre 2 ilhas : 20 m Comprimento máximo da linha : 2, km Tensão de alimentação/distribuidor : 24V CC Corrente/Potência máxima de saída : conforme as versões dos conectores propostos: - 100mA (2,4W) / saída pelo cabo verde VCS utilizando a fonte de alimentação 3,1A - 1A (24W) / saída com circuito e fonte de alimentação auxiliar 10A para o comando de electroválvulas > 2,4W, séries e electroválvulas todo fluído - ou 100 ma (2,4W) / saída com cabo verde e circuito de alimentação separada (cabo negro) para a gestão da paragem de emergência (ver página seguinte) Protecção dos dados : Retorno de informação e comparação, repetidor em cada conector VCS, verificação da paridade Velocidade de transmissão : cerca de 3,4 ms para 127 distribuidores biestáveis Grau de protecção : conector VCS: IP6 - caixa de alimentação e interface: IP20 Compatibilidade electromagnética : Estes produtos são conformes a directiva europeia CEM/89/336/CEE. Estão certificadas CE n INTERFACE BUS / VCS A interface assegura o diálogo entre o PLC, via o bus de campo e o anel do VCS. Está adaptada aos protocolos normalizados Profibus-DP, Interbus-S e Device-Net. Uma interface pilota e controla até 127 electroválvulas ou distribuidores. Grau de protecção: IP20 (componente para montar em armário) Cada conector emite informações de diagnóstico. A estrutura em anel permite o retorno até à interface de todas as informações e sinais de comando. A interface VCS está prevista de importantes funções de diagnóstico para uma maior segurança de funcionamento e uma fácil aplicação. Os electrodistribuidores MEGA somente se comutam quando os dados transmitidos são idênticos às informações de retorno. A interface VCS detecta e assinala os elementos seguintes: n O estado e os erros do sistema de bus de campo n O estado e os erros do anel VCS n Uma queda de tensão nos conectores VCS do anel n Uma temperatura superior à normal num conector VCS n Um curto-circuito nas saídas das bobinas n Um control de 24V da alimentação auxiliar no cabo preto Transmissão de dados protegida PROGRAMA DE SIMULAÇÃO Diagnóstico autónomo mediante Led na face dianteira da interface. Há um programa de simulação (sob encomenda) destinado a facilitar a tomada de contacto com o sistema VCS. A interface VCS está equipada com um conector RS-232 para ligar a um PC que permite, com a ajuda deste programa, realizar o arranque da instalação (inclusivé sem funcionamento do bus de campo) assim como o seguimento do ciclo de automatização. As funções seguintes podem ser activadas pelo PC: n Activação e leitura das saídas de distribuidores n Leitura das entradas dos captadores n Leitura da informação de diagnóstico n Verificação da configuração actual Possibilidade de se fornecer o cabo RS232 para ligação interface/pc, long.: 1,8m (ver acessórios) P20-4

5 ALIMENTAÇÃO ELÉCTRICA V.C.S. A alimentação do anel VCS depende principalmente da tensão de cada bobina na instalação. BOBINAS 2,4W BOBINAS > 2,4W (24W máx.) n Alimentação directa das ilhas mediante anel VCS BUS n Alimentação das bobinas com a ajuda de uma caixa de alimentação auxiliar 10A BUS 27V = (3,1A) INTERFACE 27V = (3,1A) INTERFACE Esta configuração assegura a alimentação do anel VCS via interface, que permite a transmissão da informação e a alimentação das bobinas das electroválvulas e dos distribuidores de consumo individual 2,4W sobre um único cabo. Para mais de 20 distribuidores, é necessário equipar o anel VCS com uma segunda fonte de alimentação a montar em derivação directamente no cabo VCS verde. (G). Observação importante: A alimentação deve integrar um circuito de desacoplamento «dados/potência» para permitir a sua união directamente no cabo verde. Para realizar esta configuração, é necessário aprovisionar os conectores VCS standard previstos para 2 saídas de 100mA máx. assim como uma fonte de alimentação VCS 3,1A como a definida abaixo. ( ) Esta alimentação 27V - 3,1A conecta-se na entrada «VCS * supply» da interface n Alimentação separada do circuito VCS e das bobinas 27V = (3,1A) BUS INTERFACE 24V = (10A) A interface com a fonte de alimentação VCS (3,1A) e o cabo VCS estão previstos para controlar os dados no anel VCS e para fornecer a potência necessária para as bobinas com 2,4W máx. Quando as electroválvulas estão equipadas com bobinas de consumo > 2,4W (como é o caso da maior parte das electroválvulas-piloto séries ou 192 e das electroválvulas todo fluído com bobinas de tamanho 22, 2, 30 ou 40), é necessário utilizar uma fonte de alimentação auxiliar suplementar de 10A e um cabo de potência, cor negra (B), ligado como é indicado em cima. Para estes tipos de electroválvulas, os conectores VCS devem ser do tipo de 1 saída 1A (24W máx.) com alimentação auxiliar (conectores previstos para ligação dos cabos verde (G) e negro (B)). Este circuito de potência separado permite, igualmente, adaptar um dispositivo de paragem de emergência (A). É possível misturar, no mesmo anel VCS, componentes com potências <2,4W e >2,4W (24W máx.), como mostra o esquema abaixo e a imagem da página 2. BUS A ISO1 (41) B ISO4 (44) 24V = (10A) A B C 27V = (3,1A) INTERFACE Esta configuração permite a adaptação duma paragem de emergência (A) para interromper, em caso de necessidade, a alimentação das bobinas. Se se mantém alimentado, o circuito VCS continua a transmitir os dados de informações unidas aos detectores de posição e ao diagnóstico. Para realizar esta configuração, é necessário aprovisionar os conectores VCS previstos para 2 saídas de 100 ma com alimentação de tensão auxiliar por cabo negro (B) assim como uma fonte de alimentação 3,1A para anel VCS e uma fonte de alimentação 10A para circuito de alimentação separada. ( ) A alimentação 27V - 3,1A conecta-se na entrada «VCS supply» * da interface ( ) No lugar do extremo termorretráctil (C), o extremo do cabo preto pode ser conectado aos bornes «Power control IN» da interface permitindo controlar as variações de tensão no cabo preto e assinalar todas as anomalias no autómato. NOTA - O(s) tipo(s) de fonte(s) de alimentação eléctrica e a quantidade necessária definem-se em função das quantidades, tipos e consumos das electroválvulas e/ou distribuidores, assim como do comprimento do anel VCS, consultar. 24V = (10A) B 302 C 2,4W > 2,4W P20-

6 7 ValveConnectionSystem ALIMENTAÇÃO ELÉCTRICA V.C.S. FONTE DE ALIMENTAÇÃO 3,1A com desacoplamento «dados/potência» integrado Esta unidade destina-se a alimentar a interface e o anel VCS pelo cabo verde. Tensão de saída : 27V CC Intensidade máx. disponível: 3,1A Ligação por bornes de parafuso Grau de protecção : IP20 CÓDIGO : FONTE DE ALIMENTAÇÃO 10A (sem desacoplamento) Esta unidade permite a alimentação dos dois circuitos separados (ver esquemas da página ) e fornecer uma corrente importante para o comando de 127 bobinas pelo cabo negro. Tensão de saída : 24V CC Intensidade máx. disponível: 10A Ligação por bornes de parafuso Grau de protecção : IP20 CÓDIGO : n CABOS PLANOS PERFILADOS VERDE (G) A tansferência dos dados ao anel VCS realiza-se pelo cabo plano perfilado específico, de cor verde: 2 condutores: 1,mm 2 Guia pela forma perfilada O sentido de transmissões dos dados está indicado por setas no cabo verde e nos conectores VCS Cabo comercializado em 2, 0 ou 100m NEGRO (B) Cabo com a mesma forma perfilada e características idênticas às anteriores mas de cor negra Cabo destinado à alimentação de potência dos distribuidores no caso duma configuração VCS com alimentação separada. DIMENSÕES E PESOS CONECTOR VCS Peso: 0,00 kg INTERFACE BUS/VCS Peso: 0,290 kg ALIMENTAÇÃO VCS 3,1A Peso: 0,60 kg ALIMENTAÇÃO AUXILIAR 10A Peso: 0,90 kg ,8 = = = 6 13 = , 1 ØM3 2, , 64, Estes componentes são previstos para fixação em rail simétrico EN 0022 MÓDULO DE ENTRADAS VCS (8 entradas) Peso: 0,10 kg , VCS IN-7 IN-6 IN- IN-4 IN-3 IN-2 IN-1 IN , ENCOMENDA Na encomenda, definir os códigos dos conjuntos dos componentes necessários para a instalação VCS - Electroválvulas e distribuidores 24V CC (sem conector) - Conectores VCS (ver página 3) - Adaptadores 1/22 ou 1/30 (se necessário) - Interface (segundo o protocolo utilizado) - Fonte(s) de alimentação eléctrica (ver página anterior) - Cabo verde (e negro, se necessário) - Outros acessórios de ligação VCS P20-6 4, ver página seguinte ,

7 LIGAÇÃO V.C.S. CONECTORES E ACESSÓRIOS DE LIGAÇÃO V.C.S. Acessório Designação Código Conector VCS tamanho 1, 24V CC com 2 saídas de 100 ma máx. (ligação unicamente com cabo verde) (1) Conector VCS tamanho 1, 24V CC com 2 saídas de 100 ma máx. e alimentação auxiliar (ligação cabos verde e negro) (1) Conector VCS tamanho 1, 24V CC com 1 saída de 1A máx. e alimentação auxiliar (ligação cabos verde e negro) (1) sem entrada com 2 entradas ØM8 sem entrada com 2 entradas ØM8 sem entrada com 2 entradas ØM (a) Adaptador 1/22 para montagem do conector VCS em bobina tamanho 22 standard industrial (2 pinos planos DIN terra, espaçamento 11mm) Adaptador 1/30 para montagem do conector VCS em bobina de 2 pinos + terra para standard ISO 4400 Interface VCS standard para ligação com protocolo: Interface VCS com 2 saídas analógicas 0-10V (por exemplo, para Sentronic) para ligação com protocolo: Connetor de ligação Profibus-DP, SUB-D 9 pinos machos - IP20 Conector de entrada de rede Interbus-S, SUB-D 9 pinos fêmeas - IP20 (BUS/IN) conector de saída de rede Interbus-S, SUB-D 9 pinos macho - IP20 (BUS/OUT) Disquete de configuração (.GSD /.EDS) para Profibus-DP ou Device-Net Programa de simulação VCS / PC Cabo RS232 para ligações interface/pc, comprimento: 1,8 m (válido em caso de utilização do programa de simulação) Fonte de alimentação VCS 27V CC - 3,1A (a) Profibus-DP Interbus-S Device-Net Profibus-DP Interbus-S Device-Net (b) Fonte de alimentação de potência para cabo negro, 24V CC - 10A (b) Cabo plano perfilado VCS, cor verde, 2 condutores, comprimento: Cabo plano de alimentação auxiliar, cor preta, 2 condutores, comprimento: 2 m 0 m 100 m 2 m 0 m 100 m Módulo de derivação (plano/redondo) para ligação de alimentação VCS suplementar saída em joelho a 90 com vedação para cabo redondo Ø4 a 6mm Prolongamento para cabos planos VCS ou alimentação (plano/redondo) lote de 10 fixações adesivas de fixação do cabo plano 1 lote de 10 extremos termorretrácteis para assegurar a estanquidade IP6 nos extremos do cabo plano preto Lote de 17 etiquetas de identificação, para distribuidor e conector VCS (lembramos que se fornecem 2 etiquetas com cada componente) Módulo de entrada VCS, 8 entradas PNP, 8 conectores M (a) (b) Conector recto M8 de 3 pinos macho para entradas (cabo Ø3, a mm) (a) Conector em joelho a 90 M8 de 3 pinos macho para entradas (cabo Ø3, a mm) (b) 1 lote de 10 guias do cabo plano verde VCS Nota: esta guia é fornecida no interior de cada conector VCS 1 lote de 10 guias do cabo plano negro de alimentação de potência Nota: esta guia é fornecida no interior de cada conector VCS (1) Conector VCS com tomada de terra, consultar P20-7

8 O SISTEMA V.C.S. O sistema de ligação V.C.S. permite o comando, no mesmo anel de automatização, de todas as combinações, à escolha, de electrodistribuidores pneumáticos, hidráulicos e de electroválvulas ou válvulas todo o fluído. Este sistema é compatível com o bus de campo PROFIBUS-DP, INTERBUS-S, DEVICE-NET autómato Alimentação Interface VCS Bus de campo Electroválvula Ilha de distribuição Válvula de processo com indicador de posição Conjunto cilindro/distribuidor Válvula proporcional Números de conectores numa linha VCS Adaptáveis nas bobinas de ligação Tamanhos 1, 22 ou 30 (ISO4400) Número de entradas Endereçamento Ligação eléctrica Distância máx. entre 2 conectores Comprimento máx. da linha Protecção dos dados Velocidade Corrente de saída máx. VCS - O conector inteligente 127 máx. 24 máx. automático fácil ligação sem ferramentas, sem descarnar cabos 20 m 2, km retorno da informação + comparação repetidor em cada conector aprox.. 3,4 ms com 127 conetores 100 ma/24 V por saída (2,4W máx.) ou 1A/24V por cabo separado (24W máx.) P20-8

Ilhas de distribuição. Tamanho 26 mm - Série 503

Ilhas de distribuição. Tamanho 26 mm - Série 503 Ilhas de distribuição Tamanho 26 mm - Série 503 Um caudal máximo para um tamanho mínimo Dimensões reduzidas (26 mm) para instalações menos pesadas Um caudal de 1400 l/min para tamanho de 26 mm Uma conceção

Leia mais

VÁLVULA PROPORCIONAL DE REGULAÇÃO DE PRESSÃO ELECTRÓNICA DIGITAL SENTRONIC D. P302-PT-R4a

VÁLVULA PROPORCIONAL DE REGULAÇÃO DE PRESSÃO ELECTRÓNICA DIGITAL SENTRONIC D. P302-PT-R4a VÁLVULA PROPORCIONAL DE REGULAÇÃO DE PRESSÃO ELECTRÓNICA DIGITAL SENTRONIC D P02-PT-R4a Série 608 / 609 REGULAÇÃO DA PRESSÃO SENTRONIC D: Uma nova geração de reguladores electrónicos de pressão, de controlo

Leia mais

Electrónica de bus de campo e I/O

Electrónica de bus de campo e I/O Electrónica G2-2 Informações gerais Electrónica bus de campo G2-2 Porque razão utilizar o sistema electrónico de bus de campo Numatics? Porque são realmente modulares: Até 32 bobinas e 192 saídas discretas

Leia mais

ILHAS DE DISTRIBUIDORES PNEUMÁTICOS VDMA 24563 - ISO 15407/1 tamanhos 02 e 01 (G1/8 - G1/4) de comando por bus de campo BUSLINK - VDMA INPUT INPUT

ILHAS DE DISTRIBUIDORES PNEUMÁTICOS VDMA 24563 - ISO 15407/1 tamanhos 02 e 01 (G1/8 - G1/4) de comando por bus de campo BUSLINK - VDMA INPUT INPUT ILHAS D DISTRIBUIDORS PNUMÁTICOS VDMA 6 - ISO 7/ tamanhos e (/8 - /) de comando por bus de campo BUSLINK - VDMA ASI PWR IN- IN- IN- IN- IN- IN- IN- IN- 6 OUTPUT OUTPUT + V 7 6 7 + V RR/NT MODBUS NTRFAC

Leia mais

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma cabeça escrava para redes PROFIBUS-DP do tipo modular, podendo usar todos os módulos de E/S da série. Pode ser interligada a IHMs (visores

Leia mais

VIESMANN VITOSOLIC. Dados técnicos VITOSOLIC 100 VITOSOLIC 200. Controlador para sistemas de energia solar

VIESMANN VITOSOLIC. Dados técnicos VITOSOLIC 100 VITOSOLIC 200. Controlador para sistemas de energia solar VIESMANN VITOSOLIC Controlador para sistemas de energia solar Nº de referência e preços: ver lista de preços VITOSOLIC 100 Controlador electrónico por diferença de temperatura Para sistemas com produção

Leia mais

HARTING News. A tecnologia HARAX tem sido aplicada a sistemas de interconexão do tipo:

HARTING News. A tecnologia HARAX tem sido aplicada a sistemas de interconexão do tipo: Neste número: Novidades HARAX Novos HARAX M8-S e M12-S Novos HARAX M12-L blindados para Profibus, PROFINet e Ethernet IP. Novidades Han-Snap Novo suporte articulado Desde o lançamento da terminação rápida

Leia mais

MINICOLUNAS. www.simon.pt. Descrição Aplicações Referências Exemplo de configuração Instalação Informação ténica Exemplos de compatibilidade Dimensões

MINICOLUNAS. www.simon.pt. Descrição Aplicações Referências Exemplo de configuração Instalação Informação ténica Exemplos de compatibilidade Dimensões MINICOLUNAS ÍNDICE Descrição Aplicações Referências Exemplo de configuração Instalação Informação ténica Exemplos de compatibilidade Dimensões Descrição Minicolunas para instalações elétricas de châo para

Leia mais

Kits de montagem (Série 501/Série 503)

Kits de montagem (Série 501/Série 503) Séries 0 e 03 Kits de montagem (Série 0/) Kit conetor Sub-D 2 pinos B C Ø. Kit conetor Sub-D 2 pinos P99E4284400 P99E42844002 MONTEM CONETOR SUB-D 2 PINOS SEM CLH DIN MONTEM CONETOR SUB-D 2 PINOS COM CLH

Leia mais

HARTING News IP 65/67. Julho, 2004. Flexibilidade e facilidade de instalação mediante o repetidor PROFIBUS PRC 67-10

HARTING News IP 65/67. Julho, 2004. Flexibilidade e facilidade de instalação mediante o repetidor PROFIBUS PRC 67-10 Neste número: Novos Dispositivos para PROFIBUS HARTING amplia a sua gama de dispositivos para PROFIBUS, Repetidores e Conversores RS-485, para oferecer maiores possibilidades de instalação de uma rede

Leia mais

Electrónica de bus de campo e I/O

Electrónica de bus de campo e I/O Electrónica G2-1 Cablagem e conexão Conector 4 pinos fêmea em M12 com cabo (alimentação de potência) Profibus DP e DeviceNet Descrição A B C D E Peso Referência Conector 4 pinos fêmea com cabo 35,0 20,0

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI GERAÇÃO 3.1 Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 8 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE índice...2 1. Introdução...3 2. Documentos normativos aplicados...3

Leia mais

Módulo de Alimentação de Controlo do Motor LQSE-4M-D Controlador de Motor CA 4 saídas. Unidade do. Painel de parede seetouch QSR.

Módulo de Alimentação de Controlo do Motor LQSE-4M-D Controlador de Motor CA 4 saídas. Unidade do. Painel de parede seetouch QSR. LUTRON Módulo de de Controlo do Motor Controlador de Motor CA 4 saídas Módulo de de Controlo do Motor O módulo de alimentação de controlo do motor consiste numa interface que disponibiliza a integração

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2 INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2 MANUAL ITED 1ª EDIÇÃO Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 10 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. DOCUMENTOS NORMATIVOS APLICADOS...3

Leia mais

PRS 9. Instruções de funcionamento 810549-00 Programador PRS 9

PRS 9. Instruções de funcionamento 810549-00 Programador PRS 9 PRS 9 Instruções de funcionamento 810549-00 Programador PRS 9 1 Dimensões/Componentes 128.5 169 30.01 (6TE) Fig. 1 A B C D E I H G J F MAX 70 C Fig. 2 MAX 95 % 2 Legenda A B C D E F G H I J Selector S1

Leia mais

1. Descrição do Produto

1. Descrição do Produto 1. Descrição do Produto Os repetidores óticos FOCOS/PROFIBUS AL-2431 e AL-2432 destinam-se a interligação de quaisquer dispositivos PROFIBUS, assegurando altíssima imunidade a ruídos através do uso de

Leia mais

PRODUTOS SERIADOS. ME30 infobox

PRODUTOS SERIADOS. ME30 infobox PRODUTOS SERIADOS ME30 infobox SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE SINAIS Adquirir, processar e visualizar de 8 a 40 alarmes ou indicadores de estado Funções de alarme configuráveis Anunciadores com possibilidade

Leia mais

SM213, SM214 Módulo ethernet JBUS/MODBUS para SM103E Módulo ethernet + RS485 para SM103E. Instruções de instalação

SM213, SM214 Módulo ethernet JBUS/MODBUS para SM103E Módulo ethernet + RS485 para SM103E. Instruções de instalação SM213, SM214 Módulo ethernet JBUS/MODBUS para SM103E Módulo ethernet + RS485 para SM103E Instruções de instalação Indice Operacoes preliminares... 1 Informações gerais... 1 Instalação... 3 Diagnóstico

Leia mais

1 Indicações de segurança

1 Indicações de segurança Actuador regulador universal 1 canal, 50-210 W com entrada binária N.º art. 3210 UP Manual de instruções 1 Indicações de segurança A instalação e a montagem de aparelhos eléctricos apenas devem ser realizadas

Leia mais

PLUSCON Cablagem para sensores / actuadores IP 65/67

PLUSCON Cablagem para sensores / actuadores IP 65/67 PLUSCO IP 6/67 Cabos SC pré-preparados em M1 para sensores/actuadores SC P M1 MS 1, PUR M1 FR L B SCO Descrição da referência SC= cabo pré-preparado P= número de (,,, 6,, 1, 17) M1= tipo de conector (M1,

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº1

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº1 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. Electrotécnica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº1 Cablagem estruturada 1 Introdução Vivemos em plena segunda revolução industrial.

Leia mais

DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II

DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II Modos de programação de registo; Intervalos de registo programáveis; Capacidade de memória para 240.000 medidas; Alimentação por pilhas alcalinas; Ligação a computador

Leia mais

Invólucros Metálicos. Cajas Salientes

Invólucros Metálicos. Cajas Salientes Invólucros Metálicos. Cajas Salientes ÍNDICE Descrição Aplicações Referências Exemplo de configuração Instalação Informação ténica Exemplos de compatibilidade Dimensões Descrição Caixa metálica para instalação

Leia mais

Série de Válvulas Compact Performance

Série de Válvulas Compact Performance Série de Válvulas Compact Performance Largura mínima, consumo de energia muito baixo e vazão extremamente alta. Densidade máxima de potência: _ pequena massa _ dimensões mínimas Montagem da válvula diretamente

Leia mais

José Novais (1997), Método sequencial para automatização electro-pneumática, 3ª Edição, Fundação

José Novais (1997), Método sequencial para automatização electro-pneumática, 3ª Edição, Fundação AUTOMAÇÃO (M323/3073) CAPÍTULO I Introdução à Automação 2013/2014 Bibliografia José Novais (1997), Método sequencial para automatização electro-pneumática, 3ª Edição, Fundação Calouste Gulbenkian Curtis

Leia mais

Folha de dados - SRB 201ZHX3-24VDC

Folha de dados - SRB 201ZHX3-24VDC 11.09.2012-02:01:05h Folha de dados - SRB 201ZHX3-24VDC Comandos bimanual / Supervisão de comandos bimanuais de acordo com a norma EN 574 III A / SRB 201ZHX3 Supervisão de comandos bimanuais de acordo

Leia mais

SUNNY CENTRAL. 1 Introdução. Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra

SUNNY CENTRAL. 1 Introdução. Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra SUNNY CENTRAL Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra 1 Introdução Alguns fabricantes de módulos recomendam ou exigem a ligação à terra negativa ou positiva do gerador fotovoltaico

Leia mais

1.1.2. Gama Platinum PLUS. Componentes opcionais GAMA PLATINUM. Caldeiras murais, de condensação, com painel digital BIOS PLUS (GRANDE POTÊNCIA)

1.1.2. Gama Platinum PLUS. Componentes opcionais GAMA PLATINUM. Caldeiras murais, de condensação, com painel digital BIOS PLUS (GRANDE POTÊNCIA) 1.1. Caldeiras murais a gás de condensação 1.1.2. Gama Platinum PLUS Componentes opcionais GAMA PLATINUM 140040385 Regulador climático programável THINK com cabos 145,00 140040437 Regulador climático programável

Leia mais

Lança de sucção para bombas de dosagem do motor PVC com interruptor de nível e retorno

Lança de sucção para bombas de dosagem do motor PVC com interruptor de nível e retorno Lança de sucção para bombas de dosagem do motor PVC com interruptor de nível e retorno Segurança Geral CUIDADO! Ter em atenção a ficha de segurança do meio de dosagem! O perigo para o pessoal operador

Leia mais

Tapetes de Segurança SMS 4 / SMS 5

Tapetes de Segurança SMS 4 / SMS 5 Tapetes de Segurança SMS 4 / SMS 5 Safe solutions for your industry 2 Índice Princípios de Funcionamento - Tapetes de Segurança Página 4 Cálculo da Distância Segura ao Ponto Perigoso Página 5 Dados Técnicos

Leia mais

Sistemas de válvula Sistemas de válvulas conforme norma ISO 5599-1, tamanho 3, série 581. Catálogo impresso

Sistemas de válvula Sistemas de válvulas conforme norma ISO 5599-1, tamanho 3, série 581. Catálogo impresso ISO 5599-1, tamanho 3, série 581 Catálogo impresso 2 ISO 5599-1, tamanho 3, série 581 Acionamento elétrico Sistema de válvulas, Série 581, tamanho 3 Qn = 4100 l/min Largura da válvula piloto: 22 mm conexão

Leia mais

Distribuidores Pneumáticos

Distribuidores Pneumáticos Estamos presentes onde precisar de nós! Pneumáticos Série 2002 Séries 2005 / 2012 / 2035 Adaptadores segundo ISO 15407-2 Série ISO 5599/2 Electrónica G2 Série Mark 3 Série CL Série ISO 5599/1 Série HF

Leia mais

Painel sinóptico BAT 100 LSN. Guia de instruções

Painel sinóptico BAT 100 LSN. Guia de instruções Painel sinóptico BAT 100 LSN pt Guia de instruções Painel sinóptico Índice pt 3 Índice 1 Instruções de segurança 4 2 Descrição funcional 4 3 Vista geral do sistema 6 4 Instalação 7 5 Ligação 11 6 Manutenção

Leia mais

GESTRA. GESTRA Steam Systems. NRR 2-2e. Manual de Instruções 818464-00 Regulador de nível NRR 2-2e

GESTRA. GESTRA Steam Systems. NRR 2-2e. Manual de Instruções 818464-00 Regulador de nível NRR 2-2e GESTRA GESTRA Steam Systems Manual de Instruções 818464-00 Regulador de nível Dimensões Fig. 2 Fig. 1 Tampa transparente Rede (ver placa de características) Equipado com R m Regulador de esvaziamento Prefer

Leia mais

VÁLVULA ISO 5599/1 SÉRIE IPV-ISV

VÁLVULA ISO 5599/1 SÉRIE IPV-ISV VÁLVULA ISO 99/1 SÉRIE IPV-ISV As válvulas ISO 1 e ISO 2 têm dimensões da superfície de montagem conforme a ISO 99/1. Disponíveis nas versões vias a 2 e 3 posições e com acionamentos do tipo pneumático

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto Descrição do Produto A Série Energy da Altus traz uma solução confiável para um dos pontos mais críticos em uma aplicação industrial: o fornecimento de alimentação para todos os dispositivos do sistema

Leia mais

Chave de segurança codifi cada por transponder CTP com bloqueio

Chave de segurança codifi cada por transponder CTP com bloqueio Chave de segurança codifi cada por transponder CTP com bloqueio A chave de segurança CTP A chave de segurança CTP combina o comprovado princípio de funcionamento das chaves de segurança eletromecânicas

Leia mais

Electroválvulas Tipo 3963

Electroválvulas Tipo 3963 Instruções de Montagem e Operação Electroválvulas Tipo 3963 Fig. 1 Geral A montagem, colocação em funcionamento e operação destes equipamentos só podem ser efectuadas por pessoal experimentado. São assumidos

Leia mais

Dados técnicos. necessário. Consumo de corrente Placa de medição não abrangida 3 ma Placa de medição abrangida

Dados técnicos. necessário. Consumo de corrente Placa de medição não abrangida 3 ma Placa de medição abrangida 0102 Designação para encomenda Características Para montagem na caixa Montagem directa em accionamentos normais Directivas europeias para máquinas cumpridas Certificado de verificação de modelos TÜV99

Leia mais

1 Indicações de segurança. 2 Estrutura do aparelho. Facility Pilot Server. N.º art. : FAPV-SERVER-REG N.º art. : FAPVSERVERREGGB. Manual de instruções

1 Indicações de segurança. 2 Estrutura do aparelho. Facility Pilot Server. N.º art. : FAPV-SERVER-REG N.º art. : FAPVSERVERREGGB. Manual de instruções Facility Pilot Server N.º art. : FAPV-SERVER-REG Facility Pilot Server N.º art. : FAPVSERVERREGGB Manual de instruções 1 Indicações de segurança A instalação e a montagem de aparelhos eléctricos apenas

Leia mais

COMPONENTES DE MANIPULAÇÃO POR VÁCUO Índice

COMPONENTES DE MANIPULAÇÃO POR VÁCUO Índice COMONENTES DE MANIULAÇÃO OR ÁCUO Índice rodutos Série ágina Apresentação geral -3 eças de substituição 78-2 Componentes de alimentação de ar comprimido -2 Gerador de vácuo monofásico 367-6 Gerador de vácuo

Leia mais

Dados técnicos. 0,2 m/s Dados elétricos: U e : 24 VDC 15%/+10% (estabilizado PELV) 1,2 A max. 0,6 A 800 V

Dados técnicos. 0,2 m/s Dados elétricos: U e : 24 VDC 15%/+10% (estabilizado PELV) 1,2 A max. 0,6 A 800 V Encravamento de segurança AZM 200 37,7 3,3 6, 32, GN RD YL 7, M20x1, 220 1, 20 1 Invólucro plástico A tecnologia do sensor permite um ajuste +/ mm entre actuador e encravamento Até PL e de acordo com EN

Leia mais

Este manual de instruções é parte integrante do produto e deve ficar na posse do cliente final. Imagem 1: Vista frontal

Este manual de instruções é parte integrante do produto e deve ficar na posse do cliente final. Imagem 1: Vista frontal Painel de comando e sinalização N.º art. MBT 2424 Manual de instruções 1 Indicações de segurança A instalação e a montagem de aparelhos eléctricos apenas devem ser realizadas por electricistas especializados.

Leia mais

FC721 Central de detecção de incêndio

FC721 Central de detecção de incêndio FC72 Central de detecção de incêndio Série FS720 (MP3.0) Cerberus PRO Central compacta de detecção de incêndio, prefabricada, controlada por microprocessador para a conexão de até 26 endereços A central

Leia mais

Conexões bus estrutura de ligação DDL Estrutura de link DDL, acoplador de bus. Catálogo impresso

Conexões bus estrutura de ligação DDL Estrutura de link DDL, acoplador de bus. Catálogo impresso Estrutura de link DDL, acoplador de bus Catálogo impresso 2 Estrutura de link DDL, acoplador de bus Acoplador de bus com controlador design S Acoplador de bus com controlador Protocolo de bus de campo:

Leia mais

340 www.etaplighting.com REGIE DER GEBOUWEN ( PRÉDIO VICTOR HORTA), BRUSSEL BÉLGICA. webref. SA021AA2

340 www.etaplighting.com REGIE DER GEBOUWEN ( PRÉDIO VICTOR HORTA), BRUSSEL BÉLGICA. webref. SA021AA2 340 www.etaplighting.com REGIE DER GEBOUWEN ( PRÉDIO VICTOR HORTA), BRUSSEL BÉLGICA webref. SA021AA2 SAFETY MANAGER SISTEMA CENTRALIZADO DE GESTÃO E CONTROLO ESM APLICAÇÃO Programa para monitorização,

Leia mais

Módulo de Conversão RS232/RS485

Módulo de Conversão RS232/RS485 Descrição do Produto O módulo de comunicação é um conversor bidirecional RS232/RS485 ou RS232/RS422 da Série FBs. Pode ser utilizado como interface com outros modelos de controladores ou aplicações, sendo

Leia mais

FDS229-R, FDS229-A Luzes intermitentes do receptor acústico de alarmes

FDS229-R, FDS229-A Luzes intermitentes do receptor acústico de alarmes FDS229-R, FDS229-A Luzes intermitentes do receptor acústico de alarmes Para o bus do detector endereçável automático C-NET Cerberus PRO Luzes intermitentes do receptor acústico de alarmes com 11 tonalidades

Leia mais

VÁLVULA ISO 5599/1 SÉRIE IPV-ISV

VÁLVULA ISO 5599/1 SÉRIE IPV-ISV VÁLVULA ISO 5599/1 SÉRIE IPV-ISV As válvulas ISO 1 e ISO têm dimensões da superfície de montagem conforme a ISO 5599/1. Disponíveis nas versões 5 vias de e 3 posições e com acionamentos do tipo pneumático

Leia mais

Instruções de montagem e operação EB 2046 PT. Limitador de Temperatura de Segurança (STL) com Termóstato de Segurança Tipo 2212

Instruções de montagem e operação EB 2046 PT. Limitador de Temperatura de Segurança (STL) com Termóstato de Segurança Tipo 2212 Limitador de Temperatura de Segurança (STL) com Termóstato de Segurança Tipo 2212 Termóstato de Segurança Tipo 2212 Instruções de montagem e operação EB 2046 PT Edição de Março de 2010 Índice Índice 1

Leia mais

Ambientais Processamento ecológico Materiais recicláveis Material electrônico e sintético facilmente separável

Ambientais Processamento ecológico Materiais recicláveis Material electrônico e sintético facilmente separável OH720, OP720, HI720, HI722 Detectores automáticos de incêndio Para o bus de detecção C-NET Cerberus PRO O detector de fumaça ideal para todas as aplicações Processamento de sinais com algoritmos de detecção

Leia mais

Sunny String Monitor - Cabinet

Sunny String Monitor - Cabinet Sunny String Monitor - Cabinet Dados Técnicos O Sunny String Monitor-Cabinet, ou SSM-C na sua forma abreviada, da SMA monitoriza, de forma pormenorizada, o seu gerador fotovoltaico, de acordo com os padrões

Leia mais

T CT T Comtel Centrais telefonicas e acessórios 2906 Central telefonica 01:04 Central com 1 linha telefonica 4 internos ampliavel até 2 linhas telefonicas e 8 derivados. Funções disponíveis: intercomunicantes,

Leia mais

CONJUNTO DE DISTRIBUIÇÃO electropneumática - série 520 ligação eléctrica integrada

CONJUNTO DE DISTRIBUIÇÃO electropneumática - série 520 ligação eléctrica integrada CONJUNTO DE DISTRIBUIÇÃO electropneumática - série 50 ligação eléctrica integrada 3/-5/ Série 50 APRESENTAÇÃO Este produto adapta-se em armário, compõe-se de bases associáveis equipadas de módulos de conexões

Leia mais

Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação

Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação Características Quatro zonas com capacidade de teste/isolamento. Dois circuitos de alarme com possibilidade de isolamento. Fonte de alimentação

Leia mais

1 Componentes da Rede Gestun

1 Componentes da Rede Gestun PROCEDIMENTO PARA DETECÇÃO DE FALHAS EM REDES DATA: 23/06/14. Controle de Alterações DATA 23/06/14 MOTIVO Versão Inicial RESPONSÁVEL Márcio Correia 1 Componentes da Rede Gestun -Módulo de comunicação:

Leia mais

Guia de Seleção Rápida Periféricos dos sistemas de alarme de incêndio LSN

Guia de Seleção Rápida Periféricos dos sistemas de alarme de incêndio LSN Rede de Segurança Local Caracte- rística Cablagem de ligação fácil Capacidade de configuração automática (modo de auto-aprendizagem) Programação de todas as configurações do dispositivo a partir do painel

Leia mais

Relé Auxiliar RCA 116

Relé Auxiliar RCA 116 Relé Auxiliar RCA 116 Aplicação, Estrutura e Funcionamento. Aplicação O Relé Auxiliar RCA 116 é especialmente apropriado para uso em instalações de comando manual, controles automáticos e supervisão. O

Leia mais

Eng.º Domingos Salvador dos Santos. email:dss@isep.ipp.pt

Eng.º Domingos Salvador dos Santos. email:dss@isep.ipp.pt Sistemas e Planeamento Industrial DOMÓTICA REDES DE CAMPO Eng.º Domingos Salvador dos Santos email:dss@isep.ipp.pt Outubro de 2010 Outubro de 2010 2/20 REDES DE CAMPO Fieldbus Fieldbus Estrutura da Apresentação

Leia mais

Manual. Controle de motores via Bluetooth. William Trevine

Manual. Controle de motores via Bluetooth. William Trevine A Manual Controle de motores via Bluetooth 1 William Trevine Sumário 1 Introdução... 4 2 Características... 5 3 Instalação... 6 3.1 Alimentação... 7 3.2 Motores... 8 3.3 Liga e desliga... 9 3.4 Saídas

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE Página 1 de 10 Manual Técnico Transformadores de potência Revisão 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 RECEBIMENTO...2 3 INSTALAÇÃO...3 3.1 Local de instalação...3 3.2 Ligações...3 3.3 Proteções...7 4 MANUTENÇÃO...9

Leia mais

Modelo NV-EC1701 Transceptor Ethernet sobre coaxial EoC com PoE, PoE+ de Alta Potência

Modelo NV-EC1701 Transceptor Ethernet sobre coaxial EoC com PoE, PoE+ de Alta Potência NOVO! Modelo NV-EC1701 Transceptor Ethernet sobre coaxial EoC com PoE, PoE+ de Alta Potência Características: Para transmitir e receber simultaneamente (full duplex), Ethernet sobre Base T 10/100 uma distância

Leia mais

W o r l d w i d e P a r t n e r

W o r l d w i d e P a r t n e r GE Consumer & Industrial Power Protection W o r l d w i d e P a r t n e r Série CB Contactores até 45kW NOVIDADE Série PB Unidades de Comando e Sinalização GE imagination at work Série CB Contactores Tipo

Leia mais

Torres Luminosas Compactas e Modulares

Torres Luminosas Compactas e Modulares Torres Luminosas Compactas e Modulares Safe solutions for your industry Índice TLC-60 Torre Luminosa Compacta Página 4 TLM-70 Torre Luminosa Modular Página 10 3 TLC-60 Torre Luminosa Compacta Desenvolvida

Leia mais

O produto fornecido pode ser diferente da ilustração.

O produto fornecido pode ser diferente da ilustração. 1 00116966 Temperatura ambiente min./máx. +5 C / +50 C Tipo de proteção IP65 Tensão de operação da eletrônica 24 V CC Tolerância de tensão Eletrônica -20% / +20% Tensão de operação dos atuadores 24 V CC

Leia mais

HARTING News. Junho, 2003. Do controlo centralizado até à inteligência distribuída. arquitectura de instalação com inteligência distribuída.

HARTING News. Junho, 2003. Do controlo centralizado até à inteligência distribuída. arquitectura de instalação com inteligência distribuída. Neste número: Novos desenvolvimentos HARTING para Industrial Ethernet e PROFInet Durante a passada edição da feira de Hannover, o grupo tecnológico HARTING apresentou diversos desenvolvimentos para o ambiente

Leia mais

Instruções de funcionamento originais Dispositivo de comutação de segurança com saídas de relé G1501S 706326 / 00 01 / 2014

Instruções de funcionamento originais Dispositivo de comutação de segurança com saídas de relé G1501S 706326 / 00 01 / 2014 Instruções de funcionamento originais Dispositivo de comutação de segurança com saídas de relé G50S 706326 / 00 0 / 204 Índice Introdução 4. Símbolos utilizados 4 2 Instruções de segurança 4 3 Material

Leia mais

Técnica de conexões caixas de linha Caixas de linha série CN1. Catálogo impresso

Técnica de conexões caixas de linha Caixas de linha série CN1. Catálogo impresso Técnica de conexões caixas de linha Caixas de linha série CN Catálogo impresso Técnica de conexões caixas de linha Caixas de linha série CN Caixa de linha formato A Caixa de linha, Série CN 8 mm ISO 4400,

Leia mais

Modelo 775 da Micro Motion

Modelo 775 da Micro Motion Suplemento às Ligações P/N MMI-20016036, Rev. AA Setembro 2009 Modelo 775 da Micro Motion Adaptador Inteligent THUM de Montagem Integral Sem Fios Conteúdo Visão geral do Adaptador THUM..................................

Leia mais

UNIDADE DE SAÍDA ESTENDIDA ÓPTICA ELO.2148/O MANUAL DO USUÁRIO. Junho de 2005. ELO Sistemas Eletrônicos S.A. 5045840068-B

UNIDADE DE SAÍDA ESTENDIDA ÓPTICA ELO.2148/O MANUAL DO USUÁRIO. Junho de 2005. ELO Sistemas Eletrônicos S.A. 5045840068-B UNIDADE DE SAÍDA ESTENDIDA ÓPTICA ELO.2148/O MANUAL DO USUÁRIO Junho de 2005 ELO Sistemas Eletrônicos S.A. 5045840068-B Índice Índice... i Introdução...1-1 Conteúdo Deste Manual...1-1 Onde Obter Mais

Leia mais

Produtos de Baixa Tensão. Produtos de segurança Linha Safety

Produtos de Baixa Tensão. Produtos de segurança Linha Safety Produtos de Baixa Tensão Produtos de segurança Linha Safety Linha Safety PLUTO - CLP de segurança Simplifica os sistemas de proteção de seu sistema, garantindo o mais alto nível de segurança, categoria

Leia mais

ESTAÇÕES DE VÁLVULAS. SÉRIES VM15 e VM18 PRODUTOS

ESTAÇÕES DE VÁLVULAS. SÉRIES VM15 e VM18 PRODUTOS PRODUTOS ESTAÇÕES DE VÁLVULAS MULTIPOLO BUS DE CAMPO AS-I BUS DE CAMPO PROFIBUS DP BUS DE CAMPO DEVICENET VÁLVULAS PARA ESTAÇÕES ESTAÇÕES DE VÁLVULAS SÉRIES e Redução de espaço e tempo de instalação, sendo

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2 INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2 Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 4 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE ÍNDICE...2 1. INTRODUÇÃO...3 2. DOCUMENTOS NORMATIVOS APLICADOS...3

Leia mais

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA MODELO PQM-701 CLASSE A SEGUNDO NORMA 6100-4-30

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA MODELO PQM-701 CLASSE A SEGUNDO NORMA 6100-4-30 ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA MODELO PQM-701 CLASSE A SEGUNDO NORMA 6100-4-30 Suporte redes do tipo: Monofásico; Bifásico, com neutro comum; Trifásico com ligação estrela com e sem neutro Trifásico

Leia mais

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA QUALISTAR MODELO CA 8332

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA QUALISTAR MODELO CA 8332 ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA QUALISTAR MODELO CA 8332 Especialmente concebido para serviços de controlo e manutenção de edifícios industriais ou administrativos, o Qualistar CA 8332 permite obter

Leia mais

Válvula Proporcional Limitadora de Pressão Pilotada Tipo DRE e ZDRE

Válvula Proporcional Limitadora de Pressão Pilotada Tipo DRE e ZDRE RP 29 175/11.2 Substitui: 1.99 Válvula Proporcional Limitadora de Pressão Pilotada Tipo DRE e ZDRE Tamanho Nominal 6 Série 1X Pressão máxima de operação 21 bar Vazão máxima L/min H/A 26/98 Tipo DRE 6-1X/...G2K...com

Leia mais

Configuração da Remota PROFIBUS Série Ponto

Configuração da Remota PROFIBUS Série Ponto Série Ponto Este documento orienta a configuração de uma Remota PROFIBUS-DP da Série Ponto IP20, de forma sistematizada através de diversas etapas. Recomenda-se ao usuário a leitura dos documentos de Características

Leia mais

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Redes Industriais Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Capítulo 3 Rede AS-I Actuador - Sensor - Interface Capítulo 3 Histórico A rede AS-Interface

Leia mais

Conversor USB / RS-485

Conversor USB / RS-485 Conversor USB / RS-485 1 de 7 Índice 1. Apresentação... 3 2. Recursos de Hardware... 4 3. Esquema de Ligação... 5 3.1 Interligação entre os Componentes do Sistema... 5 3.2 Configuração do Conector para

Leia mais

CONVERSOR ISOLADOR RS232 / RS485 I-7520

CONVERSOR ISOLADOR RS232 / RS485 I-7520 CONVERSOR ISOLADOR RS232 / RS485 I-7520 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso CONVERSOR ISOLADOR RS232 / RS485 I-7520. Para garantir o uso correto e eficiente do I-7520, leia este manual completo

Leia mais

Características Técnicas Série Quasar

Características Técnicas Série Quasar Descrição do Produto A Série Quasar é uma linha de painéis tipo CCMi (centro de controle de motores inteligente) para baixa tensão e correntes até 3150 A, ensaiados conforme a norma NBR/IEC 60439-1 - TTA

Leia mais

HARTING News. Fevereiro 2006. Introdução

HARTING News. Fevereiro 2006. Introdução Fevereiro 2006 Neste número: - Switches Ethernet IP30 - Switches para rack de 19 - Outlets metálicos e plásticos - Isolante Han 3A SC - Conectores RJ Industrial Introdução: Para ampliar a gama de soluções

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS PARA LUMINÁRIAS DE UTILIZAÇÃO DOMÉSTICA

INSTRUÇÕES GERAIS PARA LUMINÁRIAS DE UTILIZAÇÃO DOMÉSTICA INSTRUÇÕES GERAIS PARA LUMINÁRIAS DE UTILIZAÇÃO DOMÉSTICA INSTRUÇÕES GERAIS PARA LUMINÁRIAS DE UTILIZAÇÃO DOMÉSTICA INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA O fabricante aconselha um uso correcto dos aparelhos de iluminação!

Leia mais

Mezzo Compensação. cozinhas. Hottes > hottes tradicionais grande conforto. descrição técnica. p. 926. hotte de cozinha tradicional Conforto.

Mezzo Compensação. cozinhas. Hottes > hottes tradicionais grande conforto. descrição técnica. p. 926. hotte de cozinha tradicional Conforto. Hottes > hottes tradicionais grande conforto cozinhas Mezzo Compensação hotte de cozinha tradicional Conforto vantagens Compensação integrada. Filtros de choque montados de série. Iluminação encastrada

Leia mais

Transdutores proporcionais de pressão. Transdutores proporcionais de vácuo

Transdutores proporcionais de pressão. Transdutores proporcionais de vácuo Transdutor proporcional de pressão Transdutor proporcional de vácuo Novo Cablagem reduzida Protocolos Fieldbus aplicáveis Compacto e leve Peso: g Nota ) (ITV) Consumo de energia: 4 W Nota ) ou menos Transdutores

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Redes I Fundamentos - 1º Período Professor: José Maurício S. Pinheiro Material de Apoio IV TOPOLOGIAS

Leia mais

CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T

CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T Introdução Obrigado por ter escolhido nosso CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T. Para garantir o uso correto e eficiente do TRM-270T, leia este manual completo e atentamente

Leia mais

GDE4000. Gerenciador de Energia

GDE4000. Gerenciador de Energia Gerenciador de Energia Funções avançadas de controle de demanda e fator de potência Seleção de cargas por prioridade e por potências Flexibilidade na programação de demandas sazonais Simulação de fatura

Leia mais

Manual 04/2003. Sistema de accionamento para instalações descentralizadas Interfaces e distribuidores de bus de campo PROFIBUS P R O F I B U S

Manual 04/2003. Sistema de accionamento para instalações descentralizadas Interfaces e distribuidores de bus de campo PROFIBUS P R O F I B U S Sistema de accionamento para instalações descentralizadas Interfaces e distribuidores de bus de campo PROFIBUS Edição 04/2003 P R O F I PROCESS FIELD BUS B U S Manual 10564543 / PT SEW-EURODRIVE Índice

Leia mais

MULTISWITCH Distribuição completa de imagem em um aparelho compacto MICRO 12 3.0 06/2015-PT

MULTISWITCH Distribuição completa de imagem em um aparelho compacto MICRO 12 3.0 06/2015-PT MULTISWITCH Distribuição completa de imagem em um aparelho compacto MICRO 12 3.0 06/2015-PT MULTISWITCH Simples Flexível Compacto Através de uma solução compacta é possível distribuir vários sinais de

Leia mais

José Matias, Ludgero Leote, Automatismos industriais - Comando e regulação, Didáctica Editora

José Matias, Ludgero Leote, Automatismos industriais - Comando e regulação, Didáctica Editora AUTOMAÇÃO (M323) CAPÍTULO III Sistemas Eléctricos 2013/2014 Bibliografia José Matias, Ludgero Leote, Automatismos industriais - Comando e regulação, Didáctica Editora Dores Costa, Fé de Pinho, Comando

Leia mais

Instruções de Operação. Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000

Instruções de Operação. Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000 Instruções de Operação Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000 Conteúdo Instruções de segurança... pág. 03 Função e características... pág. 04 Montagem... pág. 04 Conexão elétrica... pág. 05

Leia mais

SYNCHROTACT 5. Sistemas e equipamentos de sincronização e paralelismo para redes e máquinas síncronas

SYNCHROTACT 5. Sistemas e equipamentos de sincronização e paralelismo para redes e máquinas síncronas SYNCHROTACT 5 Sistemas e equipamentos de sincronização e paralelismo para redes e máquinas síncronas Aplicação SYNCHROTACT 5 é a quinta geração dos equipamentos para sincronização produzidos pela ABB Switzerland

Leia mais

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry.

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry. SIRIUS SENTRON SIVACON Catálogo LV 90 2009 Baixa Tensão Corte, protecção e comando Answers for industry. Interruptores de corte em carga, sistemas de barramentos SENTRON 8US Introdução Apresentação geral

Leia mais

PAS816BTM. Central de Alarme Bi-Direccional & Acessórios INTRUSÃO ESPECIFICAÇÕES. Características distintivas:

PAS816BTM. Central de Alarme Bi-Direccional & Acessórios INTRUSÃO ESPECIFICAÇÕES. Características distintivas: PAS816BTM Características distintivas: - Central de alarme bi-direcional 8 zonas por cabo totalmente programáveis no painel de controle; - Expansível até 16 zonas através de módulos de expansão ou EXM800

Leia mais

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores Attack 1.35 Software de controle e Monitoração de amplificadores 1 Índice 1 Hardware necessário:... 3 1.1 Requisitos do computador:... 3 1.2 Cabos e conectores:... 3 1.3 Adaptadores RS-232 USB:... 4 1.4

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes Descrição do Produto As UCPs PO3x47 são destinadas a supervisão e controle de processos. Devido a sua arquitetura, é possível obter-se um alto desempenho em relação a série anterior de UCPs PO3x42. Com

Leia mais

ACS2000 Sistema de contagem de eixos universal

ACS2000 Sistema de contagem de eixos universal ACS2000 Sistema de contagem de eixos universal PT ACS2000 Sistema de contagem de eixos universal Amigável ao cliente e comprovado Com a implementação do ACS2000 há alguns anos, foram estabelecidos novos

Leia mais

Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h)

Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de O curso tem como objectivos específicos, dotar os participantes de conhecimentos que lhes permitam: Obter a RENOVAÇÃO da CERTIFICAÇÃO reconhecida pela ANACOM como técnico de projecto

Leia mais

Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia em instalações MT e BTE

Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia em instalações MT e BTE Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia em instalações MT e BTE 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONTAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA EM MÉDIA E BAIXA TENSÃO ESPECIAL... 3 2.1. Características

Leia mais