O DESMATAMENTO, A MUDANÇA A CLIMÁTICA E O EQUILIBRIO ECOLÓGICO REGIONAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O DESMATAMENTO, A MUDANÇA A CLIMÁTICA E O EQUILIBRIO ECOLÓGICO REGIONAL"

Transcrição

1 O DESMATAMENTO, A MUDANÇA A CLIMÁTICA E O EQUILIBRIO ECOLÓGICO REGIONAL Carlos Nobre, Gilvan Sampaio, Luis Salazar CPTEC/INPE A PROBLEMÁTICA DO DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA LEGAL E SEU PAPEL NAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBALES 11 de Agosto 2006

2 Sumário Múltiplos estados de equilíbrio no sistema biomaclima. O Aquecimento global e a distribuição de Biomas na América do Sul Impactos do desmatamento no Clima

3 Interação CLIMA - VEGETAÇÃO Impacto climático do uso do solo e mudanças na cobertura vegetal Resposta da vegetação as mudanças no clima Representar o sistema acoplado biosfera-atmosfera Clima Vegetação

4 As interações entre o clima e a vegetação são complexas e não-lineares. Portanto, o sistema pode, em teoria, apresentar múltiplos estados de equilíbrio. Existem múltiplos estados de equilíbrio no sistema clima-vegetação na América do Sul? A mudança climática é real. De que maneira a floresta Amazônica responderá ao clima futuro?

5 Modelo de vegetação potencial CPTEC-PVM Os modelos de vegetação potencial diagnosticam o bioma em equilibrio com um dado clima O Modelo de vegetação potencial CPTEC- PVM (Oyama e Nobre, 2003) usa 5 parâmetros climáticos para representar a classificação de biomas. O CPTEC-PVM representa de forma adequada a distribuição de biomas no mundo e especialmente na América do Sul.

6 Variáveis de entrada no modelo de vegetação potencial CPTEC-PVM PVM Valores mensais de precipitação e temperatura g 0 = Temperatura basal de 0 C g 5 = Temperatura basal de 5 C Tc = Temperatura média do mês mais frio h = índice de umidade s = índice de sazonalidade Oyama e Nobre, 2002

7 Comparação visual do CPTEC-PVM PVM versus Mapa de vegetação natural Classificação Biomas SSIB 62% índice de acerto global (res: 2 x 2 ) Oyama and Nobre, 2004

8 Análise objetiva do CPTEC-PVM bioma nome p 0 (%) κ concordância 1 floresta tropical 71 0,73 muito boa 2 floresta temperada 52 0,49 regula 3 floresta mista 26 0,26 pouca 4 floresta de coníferas 55 0,56 boa 5 lariços 70 0,65 boa 6 savana 56 0,60 boa 7 campos extratropicais 76 0,50 regular 8 caatinga 50 0,40 regular 9 semi-deserto 57 0,55 boa 10 tundra 62 0,67 boa 11 deserto 70 0,74 muito boa média global 62 0,58 boa literatura ~ 40 0,40-0,50 regular Oyama and Nobre, 2004

9 Comparação visual do CPTEC-PVM PVM versus Mapa de vegetação natural para América do Sul VEGETAÇÃO NATURAL VEGETAÇÃO POTENCIAL Classificação Biomas SSIB Oyama and Nobre, 2004

10 Os múltiplos estados de equilíbrio clima-vegetação existem na natureza?

11 Estados de equilíbrio do Sistema Bioma-Clima para o Sahel O segundo estado de equilíbrio depende principalmente do feedback da vegetação (albedo) e do feedback oceânico SCHEFFER EL AL., NATURE VOL OCTOBER 2001

12 Modelo conceptual da interação Clima - Bioma para o equilíbrio da floresta-savana savana Vegetação = f (clima) Floresta Clima= f (vegetação) Savana Sternberg, 2001, Global Ecology & Biogeography, 10,

13 Acoplamento assíncrono Modelo de Circulação Geral CPTEC - PVM Estados de equilíbrio clima-vegetação na América do Sul

14 Múltiplos estados de equilíbrio para América do Sul (a) Primeiro Estado: Condição inicial da cobertura vegetal: Floresta. Estes resultados tem uma distribuição similar à vegetação natural atual. (b) Segundo Estado: Condição inicial da cobertura vegetal: Deserto. b) Savanização da Amazônia e desertificação no NE do Brasil Oyama and Nobre, 2003

15 Múltiplos estados de equilíbrio para América do Sul Estado Atual (a) Outro Estado (b) Umidade do solo Anomalias de precipitação Oyama and Nobre, 2003

16 Múltiplos estados de equilíbrio Scheffer et al., 2001 Fonte: Greenpeace/Daniel Beltra

17 Aplicação do modelo de vegetação potencial (CPTEC-PVM) para cenários climáticos futuros

18 CENÁRIOS CLIMÁTICOS DO IPCC/AR4 PRECIPITAÇÃO : CLIMA ATUAL ( ) E CENÁRIO FUTURO A2 ( ) Clima atual Cenário futuro A

19 CENÁRIOS CLIMÁTICOS DO IPCC/AR4 TEMPERATURA: CLIMA ATUAL ( ) E CENÁRIO FUTURO A2 ( ) Clima atual Cenário futuro A

20 DISTRIBUIÇÃO DOS BIOMAS (CENARIO A2 / ) MODELO ECHO_G-CM3 MODELO HadCM3

21 FLORESTA (A2) DISTRIBUIÇÃO DOS BIOMAS (> 50% dos modelos) FLORESTA (B1) SAVANA (A2) SAVANA (B1)

22 12 Projected Global Savanna Area A2 Scenario 10 Área (*10 6 km 2 ) CCCMA A2 CSIRO A2 HADCM A2 pot MÉDIA (valor médio da área prevista pelos modelos) A2 CCSRN A2 GFDLR A2 ECHAM A2 A nível global as mudanças climáticas indicam um aumento da savana Área (*10 6 km 2 ) Projected Global Savanna Area B2 Scenario pot Período CCCMA B2 CSIRO B2 HADCM B2 MÉDIA (valor médio da área prevista pelos modelos) B2 CCSRN B2 GFDLR B2 ECHAM B2

23 Projected Global Forest Area A2 Scenario Área (*10 6 km 2 ) pot Período CCCMA CSIRO HADCM MÉDIA (valor médio da área prevista pelos modelos) CCSRN GFDLR ECHAM A nível global as mudanças climáticas indicam uma diminuição da área com florestas Área (*10 6 km 2 ) Projected Global Forest Area B2 Scenario pot Período CCCMA CSIRO HADCM MÉDIA (valor médio da área prevista pelos modelos) CCSRN GFDLR ECHAM

24 Vulnerabilidade da vegetação às secas Condições climáticas para savanas tropicais (Nix( 1983) Tmedia > 24 C 13 C < Tmês mais frio < 18 C P(3 meses mais secos) < 50 mm P(6 meses mais úmidos) > 600 mm 1000 mm < Panual < 1500 mm A) Freqüência observada de seca (% anos); (B) distribuição da vegetação; (C) Área da vegetação para as freqüências de seca (Floresta é multiplicada por 0.1) e (D) porcentagem para condições de savana seguindo o critério de Nix (1983) nos últimos 100 anos Fonte: Hutyara et al, 2005

25 Mudanças climáticas com o modelo acoplado clima-vegetação-co 2 HadCM3LC 2090s s Modelo acoplado Modelo sem o ciclo de carbono Cox et al., 2004

26 Impactos do desmatamento

27 EFEITOS DO DESMATAMENTO DE GRANDE ESCALA P pasture - P forest ( annual, in mm) Cerrado Atlântic Ocean Forest Pasture Caatinga Pacífic Ocean Cerrado Simulações numéricas de desmatamento Rocha, a 2.5 C aumento da temperatura superficial (verificado com observações!) 15% a 30% diminuição da evapotranspiração (verificado com observações!) 5% a 20% diminuição da precipitação (???!)

28 Análise de sensibilidade: Savanização da Amazonia Controle 2033 Savana Resolução: ~ 2ºx2º Precipitação da estação seca* 2033 All Savanna JJA 5,4% -21,7% JJAS 1,9% -21,9% Oliveira et al., 2004 * 12 S-3 N / 50 W-75 W

29 Relação entre a precipitação e a porcentagem de desflorestamento da Amazônia?

30 Modelo Conceptual de desmatamento na Amazônia Avissar et al., 2002

31 ~28% ~45% YEAR Control ~67% 100% 2100 Total Vegetation classification Dorman and Sellers (1989) Projeto Cenários Amazônicos, LBA Source: Soares-Filho (2004)

32 The image file:///c:/users/gilvan/doutorado/experimentos/woods%20hole/novos_cenarios/cenario_veg_b.gif cannot be displayed, because it contains errors. PROJETO CENÁRIOS AMAZÔNICOS MODELO GLOBAL CPTEC RESULTADOS Soares-Filho et al., 2006.

33 Aumento Temperatura experimento Total Anom. Temp. C Projeto Cenários Amazônicos, LBA

34 Diminuição da evapotranspiração Experimento Total Diferença (%) -4.4% -7.8% -11.0% -16.1% Projeto Cenários Amazônicos, LBA

35 Experiment Total Annual Dif. (%) Projeto Cenários Amazônicos, LBA

36 1,00 0,98 0,96 Relative Precipitation 0,94 0,92 0,90 0,88 0,86 0,84 0,82 0,80 control total 0 % deforested area ~28 % deforested area ~45 % deforested area Year (deforestation - %) ~67 % deforested area 100 % deforested area Sampaio et al. (2006) Projeto Cenários Amazônicos, LBA Area: 6 N-6 S / 63 W-45 W

37 Conclusões O futuro da distribuição de biomas na Amazônia ante as mudanças climáticas e o desmatamento Os ecossistemas naturais na Amazônia estão sob forte pressão pelo incremento da mudança no uso do solo. Essa mudança de grande escala pode ocasionar um aumento da temperatura e diminuição de precipitação na Amazônia. As mudanças climáticas projetadas para a Amazônia indicam um clima mais quente, decréscimo da área de floresta e aumento da área de savana para o final de século. A combinação das mudanças climáticas ocasionadas pelo aquecimento global e mudanças no uso do solo, nas próximas décadas poderia mudar o estado de equilíbrio bioma-clima ao novo estado de equilíbrio com savanização de partes da Amazônia e desertificação do nordeste brasileiro

Desmatamento e Mudanças

Desmatamento e Mudanças Cuiabá-MT Agosto de 2007 Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos CPTEC Desmatamento e Mudanças as Climáticas Gilvan Sampaio Carlos Nobre sampaio@cptec.inpe.br

Leia mais

Aquecimento Global, Mudanças Climáticas e impactos no Brasil Jose A. Marengo CPTEC/INPE

Aquecimento Global, Mudanças Climáticas e impactos no Brasil Jose A. Marengo CPTEC/INPE Aquecimento Global, Mudanças Climáticas e impactos no Brasil Jose A. Marengo CPTEC/INPE Foreign & Commonwealth Office Desastre climático e midiático. Uma coisa é produzir dados, outra é torná-los inteligíveis

Leia mais

MUDANÇAS CLIMÁTICAS SOBRE A VEGETAÇÃO DO NORDESTE BRASILEIRO NO PERÍODO DO HOLOCENO MÉDIO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS SOBRE A VEGETAÇÃO DO NORDESTE BRASILEIRO NO PERÍODO DO HOLOCENO MÉDIO MUDANÇAS CLIMÁTICAS SOBRE A VEGETAÇÃO DO NORDESTE BRASILEIRO NO PERÍODO DO HOLOCENO MÉDIO Maria Luciene Dias de Melo Universidade Federal de Alagoas UFAL, ludmelo@gmail.com RESUMO: Com intuito de estudar

Leia mais

PROF. JEFERSON CARDOSO DE SOUZA

PROF. JEFERSON CARDOSO DE SOUZA PROF. JEFERSON CARDOSO DE SOUZA UFRGS 2012 São fatores limitantes dos biomas: Umidade: ausência ou excesso; Solo: tipo de nutrientes e tempo de intemperismo; Temperatura: Amplitude Térmica; Luz solar:

Leia mais

Gestão da Sustentabilidade: Políticas Publicas e Mudanças Climáticas no Estado de São Paulo

Gestão da Sustentabilidade: Políticas Publicas e Mudanças Climáticas no Estado de São Paulo Gestão da Sustentabilidade: Políticas Publicas e Mudanças Climáticas no Estado de São Paulo Fernando Rei Presidente da CETESB Sustentabilidade Conceito sistêmico relacionado com a continuidade dos aspectos

Leia mais

Jose A Marengo CCST INPE São Paulo, Brazil jose.marengo@inpe.br

Jose A Marengo CCST INPE São Paulo, Brazil jose.marengo@inpe.br Simulations of climate and natural vegetation in South America during the mid Holocene using the CPTEC atmospheric global climate model and potential vegetation model Jose A Marengo CCST INPE São Paulo,

Leia mais

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE Centro de Ciência do Sistema Terrestre CCST

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE Centro de Ciência do Sistema Terrestre CCST Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE Centro de Ciência do Sistema Terrestre CCST Workshop de Apresentação da Ferramenta GLOBIO para a Projeção de Cenários para Biodiversidade Modelagem da Interação

Leia mais

Os Grandes Biomas Terrestres. PROF Thiago Rocha

Os Grandes Biomas Terrestres. PROF Thiago Rocha Os Grandes Biomas Terrestres PROF Thiago Rocha Bioma: Uma comunidade de plantas e animais, com formas de vida e condições ambientais semelhantes. (Clements, 1916) Florestas tropicais A área de ocorrência

Leia mais

Climas e Formações Vegetais no Mundo. Capítulo 8

Climas e Formações Vegetais no Mundo. Capítulo 8 Climas e Formações Vegetais no Mundo Capítulo 8 Formações Vegetais Desenvolvem-se de acordo com o tipo de clima, relevo, e solo do local onde se situam.de todos estes, o clima é o que mais se destaca.

Leia mais

Carlos A Nobre Centro de Ciência do Sistema Terrestre, INPE. Foto: David McGrath. Senado Federal

Carlos A Nobre Centro de Ciência do Sistema Terrestre, INPE. Foto: David McGrath. Senado Federal MUDANÇAS AS CLIMÁTICAS E O BRASIL Carlos A Nobre Centro de Ciência do Sistema Terrestre, INPE Foto: David McGrath Senado Federal Brasília, 29 de Outubro de 2008 Vulnerabilidade do Brasil às Mudanças Climáticas

Leia mais

Unidade I Geografia física mundial e do Brasil.

Unidade I Geografia física mundial e do Brasil. Unidade I Geografia física mundial e do Brasil. 2 2.1 Conteúdo: Os Grandes Biomas no Mundo. 3 2.1 Habilidade: Entender as características das formações vegetais existentes ao redor do mundo. 4 REVISÃO

Leia mais

CAPÍTULO 9 MUDANÇAS AMBIENTAIS DE CURTO E LONGO PRAZO: PROJEÇÕES, REVERSIBILIDADE E ATRIBUIÇÃO

CAPÍTULO 9 MUDANÇAS AMBIENTAIS DE CURTO E LONGO PRAZO: PROJEÇÕES, REVERSIBILIDADE E ATRIBUIÇÃO CAPÍTULO 9 MUDANÇAS AMBIENTAIS DE CURTO E LONGO PRAZO: PROJEÇÕES, REVERSIBILIDADE E ATRIBUIÇÃO Autores principais: Everaldo Barreiros de Souza UFPA; Antonio Ocimar Manzi INPA Autores colaboradores: Gilvan

Leia mais

Climatologia GEOGRAFIA DAVI PAULINO

Climatologia GEOGRAFIA DAVI PAULINO Climatologia GEOGRAFIA DAVI PAULINO Efeito no clima sobre fatores socioeconômicos Agricultura População Diversidade global de climas Motivação! O Clima Fenômeno da atmosfera em si: chuvas, descargas elétricas,

Leia mais

Disponibilidade de água : impacto das mudanças de uso do solo e do aquecimento global

Disponibilidade de água : impacto das mudanças de uso do solo e do aquecimento global Disponibilidade de água : impacto das mudanças de uso do solo e do aquecimento global Ciclo de conferências Biodiversidade e Recursos Hídricos FAPESP 24 Abr 2014 Humberto Rocha O que é disponibilidade

Leia mais

Mudanças Climáticas Globais

Mudanças Climáticas Globais Mudanças Climáticas Globais Carlos Nobre Centro de Ciência do Sistema Terrestre Instituto Nacional Pesquisas Espaciais - INPE Lançamento do Programa FAPESP de Pesquisa em Mudanças Climáticas Globais PFPMCG

Leia mais

Clima e Vegetação. Clima e Vegetação. Prof. Tiago Fuoco

Clima e Vegetação. Clima e Vegetação. Prof. Tiago Fuoco Clima e Vegetação O Continente Americano possui a maior extensão Norte-Sul entre todos os continentes do globo e está localizado em todas as zonas climáticas da Terra. Os climas presentas na América são:

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM VASSOURAS - RJ

CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM VASSOURAS - RJ CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM VASSOURAS - RJ Gisele dos Santos Alves (1); Célia Maria Paiva; Mônica Carneiro Alves Xavier (1) Aluna do curso de graduação em Meteorologia - UFRJ e-mail:

Leia mais

B I O G E O G R A F I A

B I O G E O G R A F I A B I O G E O G R A F I A BIOMAS DO MUNDO SAVANAS E DESERTOS 2011 Aula VI AS PRINCIPAIS FORMAÇÕES VEGETAIS DO PLANETA SAVANAS As savanas podem ser encontradas na África, América do Sul e Austrália sendo

Leia mais

Fenômenos e mudanças climáticos

Fenômenos e mudanças climáticos Fenômenos e mudanças climáticos A maioria dos fenômenos climáticos acontecem na TROPOSFERA. Camada inferior da atmosfera que vai do nível do mar até cerca de 10 a 15 quilômetros de altitude. Nuvens, poluição,

Leia mais

BIOMAS DOMÍNIOS VEGETAIS. Jonathan Kreutzfeld

BIOMAS DOMÍNIOS VEGETAIS. Jonathan Kreutzfeld BIOMAS DOMÍNIOS VEGETAIS Jonathan Kreutzfeld FITOGEOGRAFIA É a ciência que estuda a distribuição geográfica dos vegetais de acordo com as suas características. BIÓTOPO: Delimitação de um habitat. Temperatura

Leia mais

Os principais tipos climáticos mundiais

Os principais tipos climáticos mundiais Os principais tipos climáticos mundiais Os principais tipos climáticos mundiais 1 massas de ar -Definição - Origens - Tipos - Frentes (fria e quente) 2 Climas -O que define os climas? - Tipos de climas

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM ITAPERUNA - RJ

CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM ITAPERUNA - RJ CLASSIFICAÇÃO E INDÍCIO DE MUDANÇA CLIMÁTICA EM ITAPERUNA - RJ Mônica Carneiro Alves Xavier (1); Célia Maria Paiva; Gisele dos Santos Alves (1) Aluna do curso de graduação em Meteorologia - UFRJ e-mail:

Leia mais

Os diferentes climas do mundo

Os diferentes climas do mundo Os diferentes climas do mundo Climas do Mundo Mapa dos climas do mundo Climas quentes Equatoriais Tropical húmido Tropical seco Desértico quente Climas temperados Temperado Mediterrâneo Temperado Marítimo

Leia mais

Meio ambiente físico e Ecossistemas

Meio ambiente físico e Ecossistemas Meio ambiente físico e Ecossistemas (4 créditos, MAFE 126152 Turma B) Prof. Murilo S. Dias Dep. Ecologia, ICB/UnB Terças 21h-22h40 Sextas 19h-20h40 1 Objetivos do curso Entender os diferentes níveis de

Leia mais

SIMULAÇÃO DO EFEITO DO DESMATAMENTO NO CLIMA SOBRE ÁREAS DE TRANSIÇÃO NOS CERRADOS E AMAZÔNIA.

SIMULAÇÃO DO EFEITO DO DESMATAMENTO NO CLIMA SOBRE ÁREAS DE TRANSIÇÃO NOS CERRADOS E AMAZÔNIA. SIMULAÇÃO DO EFEITO DO DESMATAMENTO NO CLIMA SOBRE ÁREAS DE TRANSIÇÃO NOS CERRADOS E AMAZÔNIA. Fabio C.Cabral 1, Humberto R. Rocha 2, Edmilson D. Freitas 3 RESUMO: Este trabalho verifica as mudanças ocorridas

Leia mais

3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas

3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas 3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas 2 Tipos de vegetação Vegetação é caracterizada como o conjunto de plantas de uma determinada região. Em razão da

Leia mais

Impacto das mudanças climáticas na composição de formas de vida de plantas na fronteira entre Amazônia e Cerrado

Impacto das mudanças climáticas na composição de formas de vida de plantas na fronteira entre Amazônia e Cerrado Impacto das mudanças climáticas na composição de formas de vida de plantas na fronteira entre Amazônia e Cerrado André Vitor Fleuri Jardim Silvana Amaral Dalton de Morisson Valeriano Cristina Bestetti

Leia mais

GABRIELLE FERREIRA PIRES RESPOSTA DO CLIMA AMAZÔNICO AO DESMATAMENTO PROGRESSIVO DA AMAZÔNIA E DO CERRADO

GABRIELLE FERREIRA PIRES RESPOSTA DO CLIMA AMAZÔNICO AO DESMATAMENTO PROGRESSIVO DA AMAZÔNIA E DO CERRADO GABRIELLE FERREIRA PIRES RESPOSTA DO CLIMA AMAZÔNICO AO DESMATAMENTO PROGRESSIVO DA AMAZÔNIA E DO CERRADO Dissertação apresentada à Universidade Federal de Viçosa, como parte das exigências do Programa

Leia mais

LIGAÇÃO ENTRE O EL NIÑO E POSSÍVEIS PROCESSOS DE DESERTIFICAÇÃO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

LIGAÇÃO ENTRE O EL NIÑO E POSSÍVEIS PROCESSOS DE DESERTIFICAÇÃO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE LIGAÇÃO ENTRE O EL NIÑO E POSSÍVEIS PROCESSOS DE DESERTIFICAÇÃO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE José Ivaldo Barbosa de Brito (1); Ioneide Alves de Souza; José Oribe Rocha Aragão (1) Departamento de Ciências

Leia mais

Francis Lacerda MUDANÇAS CLIMÁTICAS E IMPACTOS NO ARARIPE

Francis Lacerda MUDANÇAS CLIMÁTICAS E IMPACTOS NO ARARIPE Francis Lacerda MUDANÇAS CLIMÁTICAS E IMPACTOS NO ARARIPE Introdução O recém divulgado relatório do IPCC AR5 sobre a base científica das mudanças climáticas conclui, com acima de 90% de confiança, que

Leia mais

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.:

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= TEMPO ATMOSFÉRICO

Leia mais

Conjunto de ecossistemas caracterizados por tipos fisionômicos vegetais comuns.

Conjunto de ecossistemas caracterizados por tipos fisionômicos vegetais comuns. OS BIOMAS BIOMAS Conjunto de ecossistemas caracterizados por tipos fisionômicos vegetais comuns. ECOSSISTEMA Comunidade de organismos (biocenose) junto com o ambiente físico e químico (biótopo) no qual

Leia mais

IC II Lab. Geo Física. Aula 5. Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com

IC II Lab. Geo Física. Aula 5. Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com IC II Lab. Geo Física Aula 5 Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Aula de hoje.. Domínios vegetacionais e faunísticos Mudanças climáticas e seres vivos Domínios Morfoclimáticos

Leia mais

A Floresta em Transição

A Floresta em Transição A Floresta em Transição Alessandro C. de Araújo, PhD Pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental Coordenador do Grupo de Micrometeorologia do Programa LBA Sumário Projeto LBA Artigo The Amazon basin in transition

Leia mais

Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana

Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana Humberto Alves Barbosa 1, Ivon Wilson da Silva Júnior 2 1 PhD, LAPIS/UFAL Maceió

Leia mais

Distribuição e caraterização do clima e das formações vegetais

Distribuição e caraterização do clima e das formações vegetais Distribuição e caraterização do clima e das formações vegetais Distribuição e caraterização do clima e das formações vegetais Início Zonas climáticas No planeta Terra existem cinco grandes zonas climáticas:

Leia mais

Climate Change, Energy and Food Security 13 de novembro de 2008 Rio de Janeiro

Climate Change, Energy and Food Security 13 de novembro de 2008 Rio de Janeiro Climate Change, Energy and Food Security Rio de Janeiro Mudanças Climáticas Amazônia, Problemas Ambientais e Proteção da Biomassa Israel Klabin F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A P A R A O D E S E N V

Leia mais

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Professor: Josiane Vill Disciplina: Geografia Série: 1ª Ano Tema da aula: Dinâmica Climática e Formações Vegetais no Brasil Objetivo da aula: conhecer a diversidade

Leia mais

Paisagens Climatobotânicas do Brasil

Paisagens Climatobotânicas do Brasil Paisagens Climatobotânicas do Brasil 1. (UEL-2012) Os domínios morfoclimáticos brasileiros são definidos a partir da combinação dos elementos da natureza, como os climáticos, botânicos, pedológicos, hidrológicos

Leia mais

Unidade I Geografia física mundial e do Brasil.

Unidade I Geografia física mundial e do Brasil. Unidade I Geografia física mundial e do Brasil. 2 2.2 Conteúdo: Os Grandes Biomas no Brasil. 3 2.2 Habilidade: Comparar as formações vegetais existentes no Brasil e seus diferentes biomas. 4 Biomas da

Leia mais

Rede Íbero-americana de Escritorios de Mudança Climática -RIOCC-

Rede Íbero-americana de Escritorios de Mudança Climática -RIOCC- Fundo de Oportunidades Globais - Mudanças Climáticas e Programas de Energia Boletim do Projeto Uso de Cenários de Mudanças Climáticas Regionais em Estudos de Vulnerabilidade e Adaptação no Brasil e na

Leia mais

B I O G E O G R A F I A

B I O G E O G R A F I A B I O G E O G R A F I A BIOMAS BRASILEIROS 2011 Aula VII BRASIL E VARIABILIDADE FITOGEOGRÁFICA O Brasil possui um território de dimensões continentais com uma área de 8.547.403 quilômetros quadrados. 4.320

Leia mais

VARIABILIDADE DE ÍNDICES DE PRECIPITAÇÃO E TEMPERATURA NA AMAZÔNIA OCIDENTAL

VARIABILIDADE DE ÍNDICES DE PRECIPITAÇÃO E TEMPERATURA NA AMAZÔNIA OCIDENTAL VARIABILIDADE DE ÍNDICES DE PRECIPITAÇÃO E TEMPERATURA NA AMAZÔNIA OCIDENTAL Santos, D.C. (1) ; Medeiros, R.M. (1) ; Correia, D. S. () ; Oliveira, V.G. (3) ; Brito, J.I.B. () dariscorreia@gmail.com (1)

Leia mais

VEGETAÇÃO. Página 1 com Prof. Giba

VEGETAÇÃO. Página 1 com Prof. Giba VEGETAÇÃO As formações vegetais são tipos de vegetação, facilmente identificáveis, que dominam extensas áreas. É o elemento mais evidente na classificação dos ecossistemas e biomas, o que torna importante

Leia mais

PROGNÓSTICO DE ESTAÇÃO PARA A PRIMAVERA DE 2001. TRIMESTRE Outubro-Novembro-Dezembro.

PROGNÓSTICO DE ESTAÇÃO PARA A PRIMAVERA DE 2001. TRIMESTRE Outubro-Novembro-Dezembro. 1 PROGNÓSTICO DE ESTAÇÃO PARA A PRIMAVERA DE 2001 TRIMESTRE Outubro-Novembro-Dezembro. A Primavera começa este ano às 22h04min (hora de Brasília), no dia 22 de setembro e termina às 17h20min (horário de

Leia mais

DIVERSIDADE DE CLIMAS = DIVERSIDADE DE VEGETAÇÕES

DIVERSIDADE DE CLIMAS = DIVERSIDADE DE VEGETAÇÕES FORMAÇÕES VEGETAIS - Os elementos da natureza mantém estreita relação entre si. - A essa relação, entendida como a combinação e coexistência de seres vivos (bióticos) e não vivos (abióticos) dá-se o nome

Leia mais

Tarefa online 8º ANO

Tarefa online 8º ANO Tarefa online 8º ANO 1) Estabelecendo-se correlações entre a exploração florestal no Globo e as Zonas Climáticas, pode-se inferir que: 2) O Domínio morfoclimático das pradarias é uma área marcada: a) pelo

Leia mais

1. o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. Jefferson Oliveira Prof. ª Ludmila Dutra

1. o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. Jefferson Oliveira Prof. ª Ludmila Dutra 1. o ANO ENSINO MÉDIO Prof. Jefferson Oliveira Prof. ª Ludmila Dutra Unidade I Geografia física mundial e do Brasil. Aula 6 Revisão e avaliação da unidade I. 2 Tempo Estado momentâneo da atmosfera. Determinada

Leia mais

B I O G E O G R A F I A

B I O G E O G R A F I A B I O G E O G R A F I A FLORESTA AMAZÔNICA 2011 Aula XII O bioma Amazônia representa aproximadamente 30% de todas as florestas tropicais remanescentes do mundo e nele se concentra a maioria das florestas

Leia mais

CLIMATOLOGIA. Profª Margarida Barros. Geografia - 2013

CLIMATOLOGIA. Profª Margarida Barros. Geografia - 2013 CLIMATOLOGIA Profª Margarida Barros Geografia - 2013 CLIMATOLOGIA RAMO DA GEOGRAFIA QUE ESTUDA O CLIMA Sucessão habitual de TEMPOS Ação momentânea da troposfera em um determinado lugar e período. ELEMENTOS

Leia mais

Diagnóstico, Monitoramento de Desastres Naturais com foco na Seca no Semiárido Nordestino

Diagnóstico, Monitoramento de Desastres Naturais com foco na Seca no Semiárido Nordestino Diagnóstico, Monitoramento de Desastres Naturais com foco na Seca no Semiárido Nordestino CEX Seca no Semiárido Nordestino CEMADEN-MCTI Brasília, 28 de Maio de 2015 2 Operação do CEMADEN EM FUNCIONAMENTO

Leia mais

Professores: Clodoaldo e Jaime

Professores: Clodoaldo e Jaime Professores: Clodoaldo e Jaime A atmosfera é uma camada gasosa que envolve a Terra composta por vários gases. Ela é dividida em camadas de acordo com a altitude e as propriedades físicas, e composição

Leia mais

Aulas de Ciências de 12 a 21 5ª série. A Biosfera A terra, um planeta habitado. Biomas e ambientes aquáticos. Os biomas terrestres

Aulas de Ciências de 12 a 21 5ª série. A Biosfera A terra, um planeta habitado. Biomas e ambientes aquáticos. Os biomas terrestres Aulas de Ciências de 12 a 21 5ª série A Biosfera A terra, um planeta habitado De todos os planetas conhecidos do Sistema Solar, a Terra é o único que apresenta uma biosfera, onde a vida se desenvolve.

Leia mais

COLÉGIO SÃO JOSÉ PROF. JOÃO PAULO PACHECO GEOGRAFIA 1 EM 2011. Correntes marítimas

COLÉGIO SÃO JOSÉ PROF. JOÃO PAULO PACHECO GEOGRAFIA 1 EM 2011. Correntes marítimas COLÉGIO SÃO JOSÉ PROF. JOÃO PAULO PACHECO GEOGRAFIA 1 EM 2011 Correntes marítimas Correntes marítimas Nas aulas anteriores aprendemos sobre a importância do Sol em nossas vidas. Revimos os movimentos da

Leia mais

Bioma é um conceito estabelecido para classificar ambientes com base na

Bioma é um conceito estabelecido para classificar ambientes com base na 1 Bioma é um conceito estabelecido para classificar ambientes com base na composição predominante da vegetação. O padrão climático (temperatura e precipitação) representa o principal aspecto utilizado

Leia mais

Ciclo de Debates Estado e Sociedade: Mudanças Climáticas

Ciclo de Debates Estado e Sociedade: Mudanças Climáticas AS MUDANÇAS AS CLIMÁTICAS E O BRASIL Carlos A Nobre, Centro de Ciência do Sistema Terrestre INPE Ciclo de Debates Estado e Sociedade: Mudanças Climáticas Foto: David McGrath Vitória, ES, 19 de Maio de

Leia mais

Secas Extremas e Mudanças Climáticas: Mudanças Climáticas e os Impactos na Região Sudeste do Brasil

Secas Extremas e Mudanças Climáticas: Mudanças Climáticas e os Impactos na Região Sudeste do Brasil Secas Extremas e Mudanças Climáticas: Mudanças Climáticas e os Impactos na Região Sudeste do Brasil Jose A. Marengo CEMADEN jose.marengo@cemaden.gov.br IPCC WG1, Chapter 3 (2013) Mudancas observadas na

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA VARIABILIDADE INTERANUAL DAS VAZÕES MÉDIAS MENSAIS NA AMERICA DO SUL

CARACTERIZAÇÃO DA VARIABILIDADE INTERANUAL DAS VAZÕES MÉDIAS MENSAIS NA AMERICA DO SUL CARACTERIZAÇÃO DA VARIABILIDADE INTERANUAL DAS VAZÕES MÉDIAS MENSAIS NA AMERICA DO SUL Julián D. Rojo 1, Nelson J. Ferreira 2, Oscar J. Mesa 1 1 UN Medellín Colômbia, 2 CPTEC/INPE - Cachoeira Paulista

Leia mais

OS CLIMAS DO BRASIL Clima é o conjunto de variações do tempo de um determinado local da superfície terrestre.

OS CLIMAS DO BRASIL Clima é o conjunto de variações do tempo de um determinado local da superfície terrestre. OS CLIMAS DO BRASIL Clima é o conjunto de variações do tempo de um determinado local da superfície terrestre. Os fenômenos meteorológicos ocorridos em um instante ou em um dia são relativos ao tempo atmosférico.

Leia mais

GRANDES BIOMAS DO MUNDO

GRANDES BIOMAS DO MUNDO GRANDES BIOMAS DO MUNDO O que é bioma? É um conjunto de ecossistemas terrestres com vegetação característica e fisionomia típica, onde predomina certo tipo de clima. Regiões da Terra com latitudes coincidentes,

Leia mais

Ecologia Produtividade dos Ecossistemas

Ecologia Produtividade dos Ecossistemas Produção primária Produção primária Produção primária Variação da produção primária com o tempo Produção secundária Produção secundária Produção secundária dependência de factores abióticos Produção secundária

Leia mais

Módulo 1 A Ciência da Mudança do Clima

Módulo 1 A Ciência da Mudança do Clima Módulo 1 A Ciência da Mudança do Clima Gás Porcentagem Partes por Milhão Nitrogênio 78,08 780.000,0 Oxigênio 20,95 209.460,0 Argônio 0,93 9.340,0 Dióxido de carbono 0,0379 379,0 Neônio 0,0018 18,0 Hélio

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25 Profº André Tomasini Localizado na Região Centro-Oeste. Campos inundados na estação das chuvas (verão) áreas de florestas equatorial e tropical. Nas áreas mais

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Instituto Nacional de Meteorologia INMET Coordenação Geral de Agrometeorologia

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Instituto Nacional de Meteorologia INMET Coordenação Geral de Agrometeorologia 1 PROGNÓSTICO DE ESTAÇÃO PARA A PRIMAVERA DE 2003 TRIMESTRE Outubro-Novembro-Dezembro. A primavera começa neste ano às 07:47h do dia 23 de setembro e vai até 05:04h (horário de Verão) de Brasília, do dia

Leia mais

O que você deve saber sobre BIOMAS MUNDIAIS

O que você deve saber sobre BIOMAS MUNDIAIS O que você deve saber sobre Elementos do clima, como temperatura e umidade, interferem na formação de diferentes ecossistemas, e em cada um deles há um equilíbrio dinâmico. As regiões polares - Tundra

Leia mais

CONSEQÜÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NOS BIOMAS DA AMÉRICA DO SUL

CONSEQÜÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NOS BIOMAS DA AMÉRICA DO SUL CONSEQÜÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NOS BIOMAS DA AMÉRICA DO SUL Luis Salazar 1, Carlos Nobre 1, e Marcos D. Oyama 2 Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos, Instituto Nacional de Pesquisas

Leia mais

MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS E OS EFEITOS À AGRICULTURA BRASILEIRA. Ana Maria H. de Avila

MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS E OS EFEITOS À AGRICULTURA BRASILEIRA. Ana Maria H. de Avila MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS E OS EFEITOS À AGRICULTURA BRASILEIRA Ana Maria H. de Avila Pelotas, Novembro de 2010 Mudança Climática Global Mudanças no meio ambiente global (incluindo modificações no clima,

Leia mais

CLIMA E DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS DO BRASIL

CLIMA E DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS DO BRASIL CLIMA E DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS DO BRASIL Essa aula vai permitir que você conheça elementos e fatores do clima, as relações entre eles, os tipos de climas do Brasil e as características dos domínios morfoclimáticos

Leia mais

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 25 O PANTANAL, A MATA DE ARAUCÁRIAS E AS PRADARIAS

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 25 O PANTANAL, A MATA DE ARAUCÁRIAS E AS PRADARIAS GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 25 O PANTANAL, A MATA DE ARAUCÁRIAS E AS PRADARIAS Como pode cair no enem? (FUVEST) Estas fotos retratam alguns dos tipos de formação vegetal nativa encontrados no território

Leia mais

CONSEQUÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS SOBRE A VEGETAÇÃO NO PERÍODO DO HOLOCENO MÉDIO

CONSEQUÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS SOBRE A VEGETAÇÃO NO PERÍODO DO HOLOCENO MÉDIO CONSEQUÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS SOBRE A VEGETAÇÃO NO PERÍODO DO HOLOCENO MÉDIO MARIA LUCIENE DIAS DE MELO Dra. Em Meteorologia, Prof. Adjunto, Instituto de Ciências Atmosféricas, Universidade Federal

Leia mais

Elementos e Fatores de Diferenciação

Elementos e Fatores de Diferenciação VEGETAÇÃO Elementos e Fatores de Diferenciação VEGETAÇÃO E ZONEAMENTO CLIMÁTICO A interferência climática sobre a cobertura vegetal é um dos principais fatores que possibilitam uma pluralidade paisagística.

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação COLÉGIO LA SALLE Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Geografia Trimestre: 1º

Leia mais

OS GRANDES BIOMAS TERRESTRES

OS GRANDES BIOMAS TERRESTRES OS GRANDES BIOMAS TERRESTRES Bioma é uma comunidade de plantas e animais, com formas de vidas e condições ambientais semelhantes, cada bioma é representado por um tipo de vegetação principal que lhe confere

Leia mais

Francis Wagner Silva Correia 1*, Regina Célia dos Santos Alvalá 2, Antonio Ocimar Manzi 3 RESUMO

Francis Wagner Silva Correia 1*, Regina Célia dos Santos Alvalá 2, Antonio Ocimar Manzi 3 RESUMO Impacto das Mudanças na Cobertura Vegetal Amazônica na Circulação Atmosférica e na Precipitação em Escalas Regional e Global: Um estudo com Modelo de Circulação Geral da Atmosfera (MCGA) Francis Wagner

Leia mais

Clima e Formação Vegetal. O clima e seus fatores interferentes

Clima e Formação Vegetal. O clima e seus fatores interferentes Clima e Formação Vegetal O clima e seus fatores interferentes O aquecimento desigual da Terra A Circulação atmosférica global (transferência de calor, por ventos, entre as diferentes zonas térmicas do

Leia mais

Atmosfera e o Clima. Clique Professor. Ensino Médio

Atmosfera e o Clima. Clique Professor. Ensino Médio Atmosfera e o Clima A primeira camada da atmosfera a partir do solo é a troposfera varia entre 10 e 20 km. É nessa camada que ocorrem os fenômenos climáticos. Aquecimento da atmosfera O albedo terrestre

Leia mais

Universidade Federal do Paraná

Universidade Federal do Paraná * Universidade Federal do Paraná * *O que são Biomas? *Bioma é uma unidade biológica ou espaço geográfico caracterizado de acordo com o macroclima, a fitofisionomia (aspecto da vegetação de um lugar),

Leia mais

CLIMAS DO BRASIL MASSAS DE AR

CLIMAS DO BRASIL MASSAS DE AR CLIMAS DO BRASIL São determinados pelo movimento das massas de ar que atuam no nosso território. É do encontro dessas massas de ar que vai se formando toda a climatologia brasileira. Por possuir 92% do

Leia mais

A interdependência entre os elementos na BIOSFERA.

A interdependência entre os elementos na BIOSFERA. A interdependência entre os elementos na BIOSFERA. A biosfera contém inúmeros ecossistemas (conjunto formado pelos animais e vegetais em harmonia com os outros elementos naturais). Biomas: conjuntos dinâmicos

Leia mais

Terminologia Vegetal

Terminologia Vegetal Efeitos da latitude e da altitude sobre os biomas. Terminologia Vegetal Aciculifoliadas folhas em forma de ; Coriáceas folhas, e normalmente ; Decíduas antes de secas ou invernos rigorosos; Latifoliadas

Leia mais

BIOMAS BRASILEIROS. Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia

BIOMAS BRASILEIROS. Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia BIOMAS BRASILEIROS Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia BIOMA: É CONJUNTO DE ECOSSISTEMAS TERRESTRES, CLIMATICAMENTE CONTROLADOS, QUE SÃO CARACTERIZADOS POR UMA VEGETAÇÃO PRÓPRIA (RAVEN ET AL., 2001) LOCALIZAÇÃO

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DOS FLUXOS DE ENERGIA NOS ECOSSISTEMAS DE FLORESTA TROPICAL, FLORESTA DE TRANSIÇÃO E PASTAGEM PELO MODELO DE BIOSFERA TERRESTRE IBIS

CARACTERIZAÇÃO DOS FLUXOS DE ENERGIA NOS ECOSSISTEMAS DE FLORESTA TROPICAL, FLORESTA DE TRANSIÇÃO E PASTAGEM PELO MODELO DE BIOSFERA TERRESTRE IBIS CARACTERIZAÇÃO DOS FLUXOS DE ENERGIA NOS ECOSSISTEMAS DE FLORESTA TROPICAL, FLORESTA DE TRANSIÇÃO E PASTAGEM PELO MODELO DE BIOSFERA TERRESTRE IBIS CHARACTERIZATION OF ENERGY FLUX IN TROPICAL FOREST, TRANSITION

Leia mais

REVISÃO UDESC GAIA GEOGRAFIA GEOGRAFIA FÍSICA PROF. GROTH

REVISÃO UDESC GAIA GEOGRAFIA GEOGRAFIA FÍSICA PROF. GROTH REVISÃO UDESC GAIA GEOGRAFIA GEOGRAFIA FÍSICA PROF. GROTH 01. (UDESC_2011_2) Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), existem no Brasil oito Bacias Hidrográficas. Assinale a alternativa

Leia mais

CAPÍTULO 13 OS CLIMAS DO E DO MUNDOBRASIL

CAPÍTULO 13 OS CLIMAS DO E DO MUNDOBRASIL CAPÍTULO 13 OS CLIMAS DO E DO MUNDOBRASIL 1.0. Clima no Mundo A grande diversidade verificada na conjugação dos fatores climáticos pela superfície do planeta dá origem a vários tipos de clima. Os principais

Leia mais

A mudança climática: Kyoto e cenários de aquecimento global

A mudança climática: Kyoto e cenários de aquecimento global A mudança climática: Kyoto e cenários de aquecimento global Pedro M A Miranda www.cgul.ul.pt Contribuições Projecto CLIMAAT (E B Azevedo) Projecto SIAM (M A Valente, A Tomé, R Trigo, M F Coelho, A Aguiar,

Leia mais

Aquecimento Global e Mudança Climática na Amazônia: Retroalimentação Clima-Vegetação e Impactos nos Recursos Hídricos

Aquecimento Global e Mudança Climática na Amazônia: Retroalimentação Clima-Vegetação e Impactos nos Recursos Hídricos Original em inglês: páginas 273 a 292. Aquecimento Global e Mudança Climática na Amazônia: Retroalimentação Clima-Vegetação e Impactos nos Recursos Hídricos José Marengo, 1 Carlos A. Nobre, 1 Richard A.

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com BIOMAS É um conjunto de vários ecossistemas, que possuem certo nível de homogeneidade. Composto pelo fatores bióticos

Leia mais

AMAZALERT Newsletter. Editorial. Workshop AMAZALERT sobre Limiares da Amazonia, Pontos de não retorno e Sistema de Alerta Precoce

AMAZALERT Newsletter. Editorial. Workshop AMAZALERT sobre Limiares da Amazonia, Pontos de não retorno e Sistema de Alerta Precoce AMAZALERT Newsletter Um projeto de pesquisa sobre mudança climática e mudança de usos da terra na Amazônia Julho 2013 2ª Edição AMAZALERT www.eu.amazalert.org Editorial AMAZALERT cresce lentamente: Sub

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 Conteúdos Habilidades Avaliação COLÉGIO LA SALLE Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Geografia Trimestre: 1º

Leia mais

Mudanças climáticas globais: possíveis impactos nos ecossistemas do país

Mudanças climáticas globais: possíveis impactos nos ecossistemas do país Modelos e cenários para a Amazônia: o papel da ciência Mudanças climáticas globais: possíveis impactos nos ecossistemas do país CARLOS A. NOBRE INTRODUÇÃO Os vários cenários de mudanças climáticas para

Leia mais

INFORMATIVO CLIMÁTICO

INFORMATIVO CLIMÁTICO GOVERNO DO MARANHÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO NÚCLEO GEOAMBIENTAL LABORATÓRIO DE METEOROLOGIA INFORMATIVO CLIMÁTICO MARANHÃO O estabelecimento do fenômeno El Niño - Oscilação Sul (ENOS) e os poucos

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL. Aula 14.2 Conteúdo: Biomas Brasileiros

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL. Aula 14.2 Conteúdo: Biomas Brasileiros Aula 14.2 Conteúdo: Biomas Brasileiros 2 Habilidades: Identificar as principais características que definem os biomas brasileiros, assim como sua localização e diversidade faunística e florística. 3 REVISÃO

Leia mais

Mudanças Climáticas Globais e Desmatamento e suas Influências nos Recursos Hídricos no Brasil

Mudanças Climáticas Globais e Desmatamento e suas Influências nos Recursos Hídricos no Brasil Conferência para o Curso de Altos Estudos de Política e Estratégia-CAEPE Mudanças Climáticas Globais e Desmatamento e suas Influências nos Recursos Hídricos no Brasil Eneas Salati F U N D A Ç Ã O B R A

Leia mais

AS FORMAÇÕES VEGETAIS DO GLOBO E DO BRASIL

AS FORMAÇÕES VEGETAIS DO GLOBO E DO BRASIL AS FORMAÇÕES VEGETAIS DO GLOBO E DO BRASIL AS FORMAÇÕES VEGETAIS DO GLOBO Formações vegetais do globo AS FORMAÇÕES VEGETAIS DO GLOBO As Grandes Formações Vegetais da Superfície da Terra Tundra Vegetação

Leia mais

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL JULHO/AGOSTO/SETEMBRO - 2015 Cooperativa de Energia Elétrica e Desenvolvimento Rural JUNHO/2015 Previsão trimestral Os modelos de previsão climática indicam que o inverno

Leia mais

CESEP Centro de Serviços educacionais do Pará Coordenação do Ensino Médio

CESEP Centro de Serviços educacionais do Pará Coordenação do Ensino Médio PLANO DE CURSO/2015 CESEP Centro de Serviços educacionais do Pará Coordenação do Ensino Médio PROFESSOR: LEONAM DISCIPLINA: BIOLOGIA SÉRIE: 2º ANO CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS HABILIDADES COMO VOU ENSINAR COMO

Leia mais

CEFETES Curso: Engenharia Elétrica Disciplina: Ciências do Ambiente. Os Biomas do Mundo

CEFETES Curso: Engenharia Elétrica Disciplina: Ciências do Ambiente. Os Biomas do Mundo CEFETES Curso: Engenharia Elétrica Disciplina: Ciências do Ambiente Os Biomas do Mundo OS BIOMAS DO MUNDO Onde quer que haja condições similares, desenvolvem-se ecossistemas similares Uma floresta tropical

Leia mais

CONSEQUÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS SOBRE O CLIMA E A VEGETAÇÃO NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL HÁ 6000 ANOS

CONSEQUÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS SOBRE O CLIMA E A VEGETAÇÃO NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL HÁ 6000 ANOS CONSEQUÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS SOBRE O CLIMA E A VEGETAÇÃO NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL HÁ 6000 ANOS MARIA LUCIENE DIAS DE MELO Prof. Adjunto, Instituto de Ciências Atmosféricas, Universidade Federal

Leia mais

Praticando seus conhecimentos sobre desertificação

Praticando seus conhecimentos sobre desertificação Praticando seus conhecimentos sobre desertificação O fenômeno de desertificação pode ocorrer através de um processo natural ou pela ação humana. O manejo inadequado do solo para agricultura, atividades

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Geografia Disciplina: Climatologia Carga Horária: 60h/a (teórica e prática) Semestre: 2013.2 Professor: Lucas Costa de Souza Cavalcanti Obrigatória: (X)

Leia mais