Tecnologias de Redes Informáticas (6620)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tecnologias de Redes Informáticas (6620)"

Transcrição

1 Tecnologias de Redes Informáticas (6620) Ano Lectivo 2013/2014 * 1º Semestre Licenciatura em Tecnologias e Sistemas da Informação Aula 9

2 Agenda Não esquecer o trabalho teórico pedido Routing (adaptado de Kurose, Computer Networking, e de Murphy, University College Dublin, Varadarajan, Virginia Tech, spring03/slides/net_routing_1.pdf) outros assuntos?

3 Estratégias para limitar o número de entradas numa tabela de routing: Routing por intervalos ou routing por classes (CIDR) Prefix matching

4 Prefix matching

5 Prefix matching

6 (R) Classless InterDomain Routing (CIDR) A zona de rede tem um comprimento arbitrário O formato usado é xxx.yyy.zzz.kkk / nn em que nn é o número de bits do endereço de rede

7 CIDR The Internet Assigned Numbers Authority (IANA) issues to regional Internet registries (RIRs) large, short-prefix CIDR blocks. For example, /8, with over sixteen million addresses, is administered by RIPE NCC, the European RIR. The RIRs, each responsible for a single, large, geographic area, such as Europe or North America, then subdivide these blocks into smaller blocks and issue them local Internet registries. This subdividing process can be repeated several times at different levels of delegation. End user networks receive subnets sized according to the size of their network and projected short term need. Networks served by a single ISP are encouraged by IETF recommendations to obtain IP address space directly from their ISP. Networks served by multiple ISPs, on the other hand, may obtain provider-independent address space directly from the appropriate RIR. For example, in the late 1990s, the IP address (since reassigned) was used by An analysis of this address identified three CIDR prefixes /11, a large CIDR block containing over 2 million addresses, had been assigned by ARIN (the North American RIR) to MCI. Automation Research Systems, a Virginia VAR, leased an Internet connection from MCI and was assigned the /22 block, capable of addressing just over 1000 devices. ARS used a /24 block for its publicly accessible servers, of which was one. All of these CIDR prefixes would be used, at different locations in the network. Outside of MCI's network, the /11 prefix would be used to direct to MCI traffic bound not only for , but also for any of the roughly two million IP addresses with the same initial 11 bits. Within MCI's network, /22 would become visible, directing traffic to the leased line serving ARS. Only within the ARS corporate network would the /24 prefix have been used. (in Wikipedia.org)

8 in IP in Modern Networks,

9 Dois tipos fundamentais de intra-domain routing Link state Distance vector Há outros algoritmos para inter-domain routing (routing entre Autonomous Systems - AS) Um algoritmo de routing tem que ser: correcto, óptimo, eficiente, robusto, estável, justo (fairness), simples escalável?

10 Dois tipos fundamentais de intra-domain routing Link state Cada router troca informação com todos os routers da rede sobre os seus vizinhos, quando há uma mudança no estado da rede; vizinhos=routers que estão directamente ligados há inundação (flood) da informaçao na rede mudança=se um router vizinho não responde a uma mensagem Distance vector

11 Dois tipos fundamentais de intra-domain routing Link state Cada router troca informação com todos os routers da rede sobre os seus vizinhos, quando há uma mudança no estado da rede; vizinhos=routers que estão directamente ligados há inundação (flood) da informaçao na rede mudança=se um router vizinho não responde a uma mensagem Distance vector cada router troca informações de toda a rede com os seus vizinhos, em intervalos regulares (e.g. a cada 30 segundos)

12

13

14

15

16

17

18 Distance-vector routing usado inicialmente na Arpanet, usado na Internet de hoje como RIP (Routing Information Protocol) uma variação deu origem ao BGP (Border Gateway Protocol), que determina as rotas entre Autonomous Systems (AS); Um AS é uma parte da Internet gerida por uma entidade, e.g. a rede da FCCN é um AS o custo por link pode ser diferente de 1

19 problemas conhecidos em Distance-vector routing em algumas condições, pode ocorrer o count-to-infinity baixa convergência baixa fidelidade quando há falhas de links, uma vez que o router só informa os seus vizinhos.

20 Link-State routing tenta resolver os problemas do Distance- Vector

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30 Os algoritmos de Link-State tem várias características interessantes: rápida convergência geram pouco tráfego respondem rapidamente a mudanças no estado dos links Exemplos na Internet de hoje: OSPF (Open Shortest Path First), IS-IS (Intermediate System to Intermediate System). Problemas: o Dijkstra é muito pesado para processadores de routers, se houver muitas mudanças, há muitas actualizações e isso é mau, usa-se um reliable flooding para os pacotes de link-state.

31

32

33

34

35

36

37

38 Autonomous system (Internet) From Wikipedia, the free encyclopedia Within the Internet, an Autonomous System (AS) is a collection of connected Internet Protocol (IP) routing prefixes under the control of one or more network operators that presents a common, clearly defined routing policy to the Internet.[1] Originally, the definition required control by a single entity, typically an Internet service provider or a very large organization with independent connections to multiple networks, that adhere to a single and clearly defined routing policy, as originally defined in RFC 1771.[2] The newer definition in RFC 1930 came into use because multiple organizations can runbgp using private AS numbers to an ISP that connects all those organizations to the Internet. Even though there may be multiple Autonomous Systems supported by the ISP, the Internet only sees the routing policy of the ISP. That ISP must have an officially registered Autonomous System Number (ASN). A unique ASN is allocated to each AS for use in BGP routing. AS numbers are important because the ASN uniquely identifies each network on the Internet. Until 2007, AS numbers were defined as 16-bit integers, which allowed for a maximum of assignments. The Internet Assigned Numbers Authority (IANA) has designated AS numbers through to be used for private purposes. The ASNs 0, , and are reserved by the IANA and should not be used in any routing environment. ASN 0 may be used to label non-routed networks. All other ASNs ( ) are subject to assignment by IANA, and, as of September 9, 2008, only remained unassigned. RFC 4893 introduced 32-bit AS numbers, which IANA has begun to allocate. These numbers are written either as simple integers, or in the form x.y, where x and y are 16-bit numbers. Numbers of the form 0.y are exactly the old 16-bit AS numbers, 1.y numbers and are reserved, and the remainder of the space is available for allocation.[3]the accepted textual representation of Autonomous System Numbers is defined in RFC 5396.[4] The number of unique autonomous networks in the routing system of the Internet exceeded 5000 in 1999, in late 2008, and in mid 2010.[5

39 Na próxima semana, Aplicações Internet! Questões?

Redes de Telecomunicações (11382)

Redes de Telecomunicações (11382) Redes de Telecomunicações (11382) Ano Lectivo 2014/2015 * 1º Semestre Pós Graduação em Information and Communication Technologies for Cloud and Datacenter Aula 4 13/10/2014 1 Agenda Camada de rede, endereçamento

Leia mais

VLSM (Variable Length Subnet Mask)

VLSM (Variable Length Subnet Mask) VLSM e CIDR VLSM (Variable Length Subnet Mask) VLSM (Variable Length Subnet Mask) Técnica que permite que mais de uma máscara de sub-rede seja definida para um dado endereço IP. O campo prefixo de rede

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Rede Roteamento IP RIP OSPF e BGP Slide 1 Roteamento Determinar o melhor caminho a ser tomado da origem até o destino. Se utiliza do endereço de destino para determinar

Leia mais

Visão geral sobre encaminhamento

Visão geral sobre encaminhamento Encaminhamento IP Resumo Algoritmos Escalabilidade 1 Visão geral sobre encaminhamento Forwarding vs Routing forwarding: processo de seleccionar uma porta de saída baseado no endereço de destino e na tabela

Leia mais

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015)

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Encaminhamento IPv4 Encaminhamento estático e encaminhamento dinâmico. Protocolos de encaminhamento: RIP, RIPv2, EIGRP e OSPF. Sistemas autónomos e redistribuição

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Redes

Curso de extensão em Administração de Redes Curso de extensão em Administração de Redes Italo Valcy da Silva Brito 1,2 1 Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia 2 Ponto de Presença

Leia mais

Configuração de Roteadores e Switches CISCO

Configuração de Roteadores e Switches CISCO Configuração de Roteadores e Switches CISCO Introdução ao CISCO IOS Protocolos de Roteamento Módulo - V Professor do Curso de CISCO Prof. Robson Vaamonde, consultor de Infraestrutura de Redes de Computadores

Leia mais

OSPF - Open Shortest Path First. Redes de Comunicação de Dados

OSPF - Open Shortest Path First. Redes de Comunicação de Dados OSPF - Open Shortest Path First Redes de Comunicação de Dados Bibliografia RFC 2328 - OSPF Version 2 http://www.rfc-editor.org/rfc/rfc2328.txt OSPF Design Guide, Cisco Systems http://www.cisco.com/en/us/tech/tk365/technologies_white_paper0

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES UALG/FCT/DEEI 2005/2006

ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES UALG/FCT/DEEI 2005/2006 ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES Endereçamento IPv4 NAT-Network Access Translation Engª de Sistemas e Informática Licenciatura em Informática UALG/FCT/DEEI 2005/2006 1 Endereçamento com classes ou

Leia mais

Módulo 8. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados

Módulo 8. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados Módulo 8 Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados 1 Roteamento IP (Internet Protocol) 2 Roteamento IP 3 Roteamento IP Tarefa executada pelo protocolo

Leia mais

CIDR. Classless Inter-Domain Routing. Prof. José Gonçalves. Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br

CIDR. Classless Inter-Domain Routing. Prof. José Gonçalves. Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br CIDR Classless Inter-Domain Routing Prof. José Gonçalves Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br O Problema Crescimento exponencial da Internet impactando no sistema de roteamento da Internet

Leia mais

Packet Tracer 4.0: Overview Session. Conceitos e práticas

Packet Tracer 4.0: Overview Session. Conceitos e práticas Packet Tracer 4.0: Overview Session Conceitos e práticas Processo de Flooding ou Inundação envia informações por todas as portas, exceto aquela em que as informações foram recebidas; Cada roteador link-state

Leia mais

Sistemas Informáticos Cisco Certified Networking Academy (v5.0)

Sistemas Informáticos Cisco Certified Networking Academy (v5.0) Sistemas Informáticos Cisco Certified Networking Academy (v5.0) Enquadramento Geral Objetivos do Percurso Dotar os formandos de conhecimentos iniciais de Routing e Switching Preparar para os exames de

Leia mais

Professor Guerra Faculdades Santa Cruz. Ab.guerra@gmail.com

Professor Guerra Faculdades Santa Cruz. Ab.guerra@gmail.com Professor Guerra Faculdades Santa Cruz Ab.guerra@gmail.com Protocolo BGP Conceitos de Internet a Internet é um conjunto de redes distintas, agrupadas em estruturas autônomas (AS); um AS não está relacionado

Leia mais

Tolerância a Falhas em Encaminhamento IP

Tolerância a Falhas em Encaminhamento IP Tolerância a Falhas em Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas Hugo Veiga João Caldeira Vasco Soares hveiga@ubi.pt jcaldeira@est.ipcb.pt vasco_g_soares@est.ipcb.pt Hugo Veiga, João Caldeira, Vasco

Leia mais

Tecnologias de Redes Informáticas 2ª Avaliação de Frequência (D) 60 minutos * 18.1.2012

Tecnologias de Redes Informáticas 2ª Avaliação de Frequência (D) 60 minutos * 18.1.2012 1 1. Esta teste serve como avaliação de frequência. 2. Leia as perguntas com atenção antes de responder. 3. Escreva as suas respostas apenas na folha de respostas que é dada em separado. 4. Entregue apenas

Leia mais

Sistemas Autônomos (AS) Brasileiros Introdução

Sistemas Autônomos (AS) Brasileiros Introdução Sistemas Autônomos (AS) Brasileiros Introdução Cleber Martim de Alexandre Eduardo Ascenco Reis GTER28 20091204 GTER28 Sistemas Autônomos (AS) Brasileiros Introdução

Leia mais

Protocolo OSPF. O p e n S h o r t e s t P at h F i r s t. E s pec i a li s ta

Protocolo OSPF. O p e n S h o r t e s t P at h F i r s t. E s pec i a li s ta Ebook Exclusivo Protocolo OSPF O p e n S h o r t e s t P at h F i r s t E s pec i a li s ta em S e rv i ços G e r e n c i a do s Segurança de de Perímetro Sumário Introdução P.3 Ententendendo o Protocolo

Leia mais

VLSM Variable-Length Subnetwork Mask

VLSM Variable-Length Subnetwork Mask VLSM Variable-Length Subnetwork Mask Prof. José Gonçalves Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br Exemplo 1 (O Problema) Dado o bloco de endereços classe C da rede abaixo, implementar um esquema

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática 90 minutos * 24.05.2013 =VERSÃO A= 1 1. Esta teste serve como avaliação de frequência às aulas teóricas. 2. Leia as perguntas com atenção antes de responder. São 70 perguntas de escolha múltipla. 3. Escreva

Leia mais

BC-0506: Comunicação e Redes Aula 04: Roteamento

BC-0506: Comunicação e Redes Aula 04: Roteamento BC-0506: Comunicação e Redes Aula 04: Roteamento Santo André, Q011 1 Roteamento Princípios de Roteamento O que é... Sistemas Autônomos Roteamento Interno e Externo Principais Tipos de Algoritmos Distance-Vector

Leia mais

Tipos de Redes. Dois tipos fundamentais de redes

Tipos de Redes. Dois tipos fundamentais de redes Redes de Tipos de Redes Dois tipos fundamentais de redes LAN = Local Area Network Interliga um conjunto de computadores locais, próximos Tecnologias mais típicas: Ethernet / FastEthernet / GigabitEthernet

Leia mais

Protocolos de roteamento RIP e OSPF

Protocolos de roteamento RIP e OSPF Roberto Néia Amaral et al. 75 Roberto Néia Amaral (Mestre) Curso de Ciência da Computação - Universidade Tuiuti do Paraná Ciro de Barros Barbosa (Doutor) Curso de Ciência da Computação - Universidade Tuiuti

Leia mais

Avaya Networking. Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence

Avaya Networking. Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence Avaya Networking Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence Programação 1. Introdução (02/set - 10:00) 2. Conceitos básicos I (16/set - 10:00) 3. Conceitos básicos II (07/out - 10:00) 4. Conhecimento

Leia mais

Tipos de Redes. Redes de Dados. Comunicação em Rede Local. Redes Alargadas. Dois tipos fundamentais de redes

Tipos de Redes. Redes de Dados. Comunicação em Rede Local. Redes Alargadas. Dois tipos fundamentais de redes Tipos de Redes Redes de Sistemas Informáticos I, 2005-2006 Dois tipos fundamentais de redes LAN = Local Area Network Interliga um conjunto de computadores locais, próximos Tecnologias mais típicas: Ethernet

Leia mais

Encaminhamento IP. Entrega Directa e Indirecta de Datagramas Tabela de Encaminhamento

Encaminhamento IP. Entrega Directa e Indirecta de Datagramas Tabela de Encaminhamento Encaminhamento IP Entrega Directa e Indirecta de Datagramas Tabela de Encaminhamento Encaminhamento IP Características Baseado em tabelas de encaminhamento (routing) Efectuado pelos routers e pelas máquinas

Leia mais

Roteamento na Internet

Roteamento na Internet Roteamento na Internet IntraAS RIP OSPF InterAS BGP RIP Protocolo de informação de roteamento (Routing Information Protocol) Definido nas RFCs 1058 (versão 1) e 2453 (versão 2) RIPng IPv6 Protocolo de

Leia mais

7.4 Encaminhamento IP

7.4 Encaminhamento IP 7.4 Encaminhamento IP Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia, Electrónica, Telecomunicações e Computadores Redes de Computadores Encaminhamento IP Características Baseado

Leia mais

Comunicação de Dados

Comunicação de Dados Comunicação de Dados Roteamento Prof. André Bessa Faculade Lourenço Filho 22 de Novembro de 2012 Prof. André Bessa (FLF) Comunicação de Dados 22 de Novembro de 2012 1 / 26 1 Introdução 2 Roteamento na

Leia mais

Arquitectura de Redes

Arquitectura de Redes Arquitectura de Redes Routing Dinâmico BGP Arq. de Redes - Pedro Brandão - 2004 1 BGP (Border Gateway Protocol) Os protocolos de encaminhamento exteriores foram criados para controlar o crescimento das

Leia mais

Módulo 10 Fundamentos de Routing e de Sub-redes

Módulo 10 Fundamentos de Routing e de Sub-redes CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 10 Fundamentos de Routing e de Sub-redes Protocolos Roteados (Routed Protocols) 2 Protocolos Roteáveis e Roteados Routable and Routed Protocols Um protocolo roteado

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Prof. Celio Trois portal.redes.ufsm.br/~trois/redes2 Roteamento Dinâmico Os protocolos de roteamento utilizados em redes pertencem a duas categorias: IGP (Interior Gateway Protocol)

Leia mais

Redes de Telecomunicaões (10989)

Redes de Telecomunicaões (10989) Redes de Telecomunicaões (10989) Ano Lectivo 2013/2014 * 1º Semestre Pós-Graduação em TIC para TELCO Aula 1 1 Agenda Apresentação Objectivos Programa Bibliografia Avaliação Regras, truques, avisos, dúvidas,...

Leia mais

Redes de Computadores I Conceitos Básicos

Redes de Computadores I Conceitos Básicos Redes de Computadores I Conceitos Básicos (11 a. Semana de Aula) Prof. Luís Rodrigo lrodrigo@lncc.br http://lrodrigo.lncc.br 2011.02 v1 2011.11.03 (baseado no material de Jim Kurose e outros) Algoritmos

Leia mais

Capítulo. Endereçamento IP. Internet opens a new world of possibilities... Autor: Constantino Seixas Filho UFMG Departamento de Engenharia Eletrônica

Capítulo. Endereçamento IP. Internet opens a new world of possibilities... Autor: Constantino Seixas Filho UFMG Departamento de Engenharia Eletrônica Capítulo 4 Endereçamento IP Internet opens a new world of possibilities... 1 Endereçamento IP O protocolo TCP/IP utiliza três esquemas para encaminhar dados através das redes até o hospedeiro: 1. Endereçamento:

Leia mais

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura

Leia mais

Tabela de roteamento

Tabela de roteamento Existem duas atividades que são básicas a um roteador. São elas: A determinação das melhores rotas Determinar a melhor rota é definir por qual enlace uma determinada mensagem deve ser enviada para chegar

Leia mais

Ao escolher os protocolos nesta fase do projeto, você terá subsídio para listar as características funcionais dos dispositivos a ser adquiridos

Ao escolher os protocolos nesta fase do projeto, você terá subsídio para listar as características funcionais dos dispositivos a ser adquiridos Seleção de Protocolos de Switching e Roteamento Protocolos de switching/roteamento diferem quanto a: Características de tráfego gerado Uso de CPU, memória e banda passante O número máximo de roteadores

Leia mais

Redes de Computadores 3ª Colecção Exercícios diversos 16 de Dezembro de 2005 Spanning Tree, Protocolo IP, Encaminhamento em redes IP e Cam.

Redes de Computadores 3ª Colecção Exercícios diversos 16 de Dezembro de 2005 Spanning Tree, Protocolo IP, Encaminhamento em redes IP e Cam. I Bridging Transparente Spanning Tree 1) Considere a rede local, da figura. Admitindo que as bridges são transparentes e correm o algoritmo Spanning Tree (IEEE 802.1d) HOST Y HOST Z HOST X Bridge Prioridade

Leia mais

Sub-Redes, VLSM e CIDR

Sub-Redes, VLSM e CIDR Sub-Redes, VLSM e CIDR Sub-Redes Sub-Redes Mecanismo introduzido originalmente para minimizar o problema do crescimento das tabelas de rotas na Internet (RFC 950/1985). Reduz o tamanho das tabelas de rotas

Leia mais

Mobile Communications. RedesAd-hoc

Mobile Communications. RedesAd-hoc Ad-hoc 1 Mobile Communications RedesAd-hoc Manuel P. Ricardo Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Ad-hoc 2 Redes Ad-Hoc (Nível 3) Rede autoconfigurável Ligações sem fios Nós móveis topologia

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Roteamento www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Roteamento Roteamento é a técnica que define por meio de um conjunto de regras como os dados originados em

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Roteamento IP Redes de Computadores Objetivo Conhecer o modelo de roteamento da arquitetura TCP/IP Entender os conceitos básicos de algoritmo, métrica, tabela e protocolos de roteamento

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Redes

Curso de extensão em Administração de Redes Curso de extensão em Administração de Redes Italo Valcy da Silva Brito1,2 1 Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia 2 Ponto de Presença

Leia mais

Encaminhamento interior OSPF

Encaminhamento interior OSPF Encaminhamento interior OSPF (terceiro trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Bancada de trabalho Topologia genérica (OSPF e BGP) Objectivo e descrição sumária Os

Leia mais

Redes de computadores e a Internet. A camada de rede

Redes de computadores e a Internet. A camada de rede Redes de computadores e a Internet Capitulo Capítulo 4 A camada de rede A camada de rede Objetivos do capítulo: Entender os princípios dos serviços da camada de rede: Roteamento (seleção de caminho) Escalabilidade

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Prof. Celio Trois portal.redes.ufsm.br/~trois/redes2 OSPF Open Shortest Path First - OSPF Protocolo aberto e padronizado pelo IETF (RFC 2328), o que permite que diversas plataformas

Leia mais

para que Software www.aker.com.br Produto: Página: 6.0 Introdução O Aker Firewall não vem com Configuração do PPPoE Solução

para que Software www.aker.com.br Produto: Página: 6.0 Introdução O Aker Firewall não vem com Configuração do PPPoE Solução 1 de 6 Introdução O não vem com a opção de configuração através do Control Center, para a utilização de discagem/autenticação via PPPoE. Este documento visa demonstrar como é feita a configuração do PPPoE

Leia mais

Aula 03 Introdução ao encaminhamento 2004-2005

Aula 03 Introdução ao encaminhamento 2004-2005 Aula 03 Introdução ao encaminhamento V1 V2 FCUL 2004-2005 Sumário Introdução ao encaminhamento. Distance Vector Routing. Link State Routing.. (Nota: a maioria das figuras foram retiradas de A. Tanenbaum

Leia mais

Capítulo 4 Camada de Rede

Capítulo 4 Camada de Rede Redes de Computadores DCC/UFJ Capítulo 4 Camada de Rede Material fortemente baseado nos slides do livro: Computer Networking: A Top-Down Approach Featuring the Internet. Os slides foram disponibilizados

Leia mais

Redes de Alto Desempenho

Redes de Alto Desempenho Redes de Alto Desempenho Professor Guerra Faculdades Santa Cruz Ab.guerra@gmail.com Protocolo BGP Conceitos de Internet a Internet é um conjunto de redes distintas, agrupadas em estruturas autônomas (AS);

Leia mais

Análise dos Prefixos IPv4 BR na tabela BGP e dos impactos decorrentes das soluções para redução do seu tamanho

Análise dos Prefixos IPv4 BR na tabela BGP e dos impactos decorrentes das soluções para redução do seu tamanho Análise dos v4 BR na tabela BGP e dos impactos decorrentes das soluções para redução do seu tamanho Eduardo Ascenço Reis GTER24 Redução da Tabela BGP - CIDR

Leia mais

Endereçamento de IP e colocação em sub-rede para novos usuários

Endereçamento de IP e colocação em sub-rede para novos usuários Endereçamento de IP e colocação em sub-rede para novos usuários Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Informações adicionais Convenções Entendendo endereços IP Máscaras de

Leia mais

PROTOCOLOS DE COMUNICAÇÃO

PROTOCOLOS DE COMUNICAÇÃO PROTOCOLOS DE COMUNICAÇÃO 3º ANO / 2º SEMESTRE 2014 INFORMÁTICA avumo@up.ac.mz Ambrósio Patricio Vumo Computer Networks & Distribution System Group Descrição do File Transfer Protocol - FTP FTP significa

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Redes (Continuação) 2 Camada de Rede 3 NAT: Network Address Translation restante da Internet 138.76.29.7 10.0.0.4 rede local (ex.: rede doméstica) 10.0.0/24

Leia mais

Vítor Vaz da Silva F-1

Vítor Vaz da Silva F-1 No início havia a ARPANET e a SATNET e emergiu a Internet. A Internet funcionava como uma única rede que interligava computadores em centros de investigação e algumas redes locais. Os routers tinham o

Leia mais

Failover com EIGRP usando o exemplo da configuração de VRF

Failover com EIGRP usando o exemplo da configuração de VRF Failover com EIGRP usando o exemplo da configuração de VRF Índice Introdução Pré-requisitos Versões de hardware e software onvenções onfigurar iagrama de Rede onfigurações Verificar comandos show Informações

Leia mais

Protocolos de Roteamento t Dinâmico i I RIP

Protocolos de Roteamento t Dinâmico i I RIP Redes de Computadores Protocolos de Roteamento t Dinâmico i I RIP Reinaldo Gomes reinaldo@cefet-al.br 1 Roteamento Relembrando: O roteamento IP consiste em duas fases: 1. Como repassar um pacote de uma

Leia mais

Conteúdo. Endereçamento IP Sub-redes VLSM Variable Length Subnetwork Mask CIDR Classless Inter-Domain Routing

Conteúdo. Endereçamento IP Sub-redes VLSM Variable Length Subnetwork Mask CIDR Classless Inter-Domain Routing EndereçamentoIP Conteúdo Endereçamento IP Sub-redes VLSM Variable Length Subnetwork Mask CIDR Classless Inter-Domain Routing Endereçamento IP Serviço de Comunicação Universal Um sistema de comunicação

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores por fldotti@inf.pucrs.br Redes de Computadores Nível de Rede Algoritmos de Roteamento - Link State Protocolo OSPF Redes de Computadores 2 Algoritmos de Roteamento - Link State Redes

Leia mais

UM ALGORITMO HEURÍSTICO PARA ROTEAMENTO ROBUSTO E EFICIENTE BASEADO EM AVALIAÇÃO DE FLUXO

UM ALGORITMO HEURÍSTICO PARA ROTEAMENTO ROBUSTO E EFICIENTE BASEADO EM AVALIAÇÃO DE FLUXO MAVERSON EDUARDO SCHULZE ROSA UM ALGORITMO HEURÍSTICO PARA ROTEAMENTO ROBUSTO E EFICIENTE BASEADO EM AVALIAÇÃO DE FLUXO MÁXIMO Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de Mestre

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática 1 1. Este é o exame de 1ª época. 2. Leia as perguntas com atenção antes de responder. São 100 perguntas de escolha múltipla. 3. Escreva as suas respostas apenas na folha de respostas que é dada em separado.

Leia mais

Sistema para diminuir a probabilidade de falhas nas conexões Internet e possibilitar controle de fluxo com base em hosts e aplicações

Sistema para diminuir a probabilidade de falhas nas conexões Internet e possibilitar controle de fluxo com base em hosts e aplicações Sistema para diminuir a probabilidade de falhas nas conexões Internet e possibilitar controle de fluxo com base em hosts e aplicações Marcelo Rios Kwecko 1, Raphael Lucas Moita 1, Jorge Guedes Silveira

Leia mais

Internet: IP Addressing. Internet. IP Addressing. Joao.Neves@fe.up.pt. João Neves, 2010 1. A Abstracção de nuvem. Internet. João Neves, 2010 2

Internet: IP Addressing. Internet. IP Addressing. Joao.Neves@fe.up.pt. João Neves, 2010 1. A Abstracção de nuvem. Internet. João Neves, 2010 2 Internet IP Addressing Joao.Neves@fe.up.pt João Neves, 2010 1 A Abstracção de nuvem Internet João Neves, 2010 2 Internet Evolution Ano Hosts (*) 1983 562 1984 1024 1985 1961 1986 2308 1987 5089 1988 28174

Leia mais

3 Interligação de redes (Camada de rede)

3 Interligação de redes (Camada de rede) 3 Interligação de redes 3 Interligação de redes (Camada de rede) 1/84 3.3 Conceitos de Routing 3.3 Conceitos de encaminhamento 2/84 Redes datagramas Redes de datagramas O modelo da Internet Não há estabelecimento

Leia mais

1 ENDEREÇAMENTO IP. 1.1 Quem gerencia a numeração IP no mundo?

1 ENDEREÇAMENTO IP. 1.1 Quem gerencia a numeração IP no mundo? ENDEREÇAMENTO IP Cada máquina na Internet possui um ou mais endereços de rede que são únicos, ou seja, não podem haver dois endereços iguais. Este endereço é chamado de número Internet, Endereço IP ou

Leia mais

Endereços IP. Endereços são usados para encaminhar pacotes pela rede. Endereço IP é hierárquico com 2 partes:

Endereços IP. Endereços são usados para encaminhar pacotes pela rede. Endereço IP é hierárquico com 2 partes: Endereços IP Endereços são usados para encaminhar pacotes pela rede Na Internet, endereços são únicos e atribuídos pela Internet Assigned Numbers Authority (IANA) Endereço IP é hierárquico com 2 partes:

Leia mais

APRESENTAÇÃO. ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410

APRESENTAÇÃO. ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410 APRESENTAÇÃO ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410 Instalações elétricas de baixa tensão NBR 5410:1997 NBR 5410:2004

Leia mais

Protocolo OSPF UNIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br

Protocolo OSPF UNIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br UNIP rffelix70@yahoo.com.br Introdução Protocolo OSPF O protocolo OSPF é um protocolo de roteamento link-state (estado de enlace). A idéia por trás de roteamento link-state é simples e pode ser apresentada

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática 1 1. Este é o exame de 2ª época. 2. Leia as perguntas com atenção antes de responder. São 100 perguntas de escolha múltipla. 3. Escreva as suas respostas apenas na folha de respostas que é dada em separado.

Leia mais

Caracterização dos servidores de email

Caracterização dos servidores de email Caracterização dos servidores de email Neste documento é feita a modulação de um servidor de email, com isto pretende-se descrever as principais funcionalidades e características que um servidor de email

Leia mais

Telecomunicações e Redes de Computadores. 3 Nível de Rede. Prof. Paulo Lobato Correia. IST, DEEC Área Científica de Telecomunicações

Telecomunicações e Redes de Computadores. 3 Nível de Rede. Prof. Paulo Lobato Correia. IST, DEEC Área Científica de Telecomunicações Telecomunicações e Redes de Computadores 3 Nível de Rede Prof. Paulo Lobato Correia IST, DEEC Área Científica de Telecomunicações Objectivos Enquadramento Endereçamento ao nível de rede Encaminhamento

Leia mais

LICENCIATURA EM ENG. DE SISTEMAS E INFORMÁTICA Redes e Serviços de Banda Larga. Laboratório 4. OSPF Backbone

LICENCIATURA EM ENG. DE SISTEMAS E INFORMÁTICA Redes e Serviços de Banda Larga. Laboratório 4. OSPF Backbone Laboratório 4 OSPF Backbone Equipamento necessário: Três OmniSwitches Objectivo: Este laboratório tem como objectivo familiarizar os alunos com as configurações RIP em comutadores OmniSwitch. Sintaxe dos

Leia mais

Protocolo IPv4, cálculo de sub-rede, Classless InterDomain Routing- CIDR e Endereçamento Network Address Translation-NAT

Protocolo IPv4, cálculo de sub-rede, Classless InterDomain Routing- CIDR e Endereçamento Network Address Translation-NAT Protocolo IPv4, cálculo de sub-rede, Classless InterDomain Routing- CIDR e Endereçamento Network Address Translation-NAT Apresentar os conceitos da camada de rede e seus principais protocolos. Camada de

Leia mais

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador Redes de computadores e a Internet Capitulo Capítulo A camada de rede.1 Introdução.2 O que há dentro de um roteador.3 IP: Protocolo da Internet Endereçamento IPv. Roteamento.5 Roteamento na Internet (Algoritmos

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 4.5 Algoritmos de Roteamento Capítulo 4.6 Roteamento na Internet Prof. Jó Ueyama Abril/2011 SSC0641-2011 1 Rede Roteador default? saltos? rotas? SSC0641-2011 2 Roteamento

Leia mais

IPv6.br. Planejando o endereçamento IPv6 de uma rede. Antonio M. Moreiras moreiras@nic.br Rodrigo Regis dos Santos rsantos@nic.br

IPv6.br. Planejando o endereçamento IPv6 de uma rede. Antonio M. Moreiras moreiras@nic.br Rodrigo Regis dos Santos rsantos@nic.br IPv6.br Planejando o endereçamento IPv6 de uma rede Antonio M. Moreiras moreiras@nic.br Rodrigo Regis dos Santos rsantos@nic.br Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR NIC.br 28º. Reunião do GTER

Leia mais

Encaminhamento Inter-AS Protocolo BGP. Redes de Comunicação de Dados

Encaminhamento Inter-AS Protocolo BGP. Redes de Comunicação de Dados Encaminhamento Inter-AS Protocolo BGP Redes de Comunicação de Dados Encaminhamento Inter-AS Introdução Border Gateway Protocol Mensagens BGP Atributos de Rotas Cenário prático: BGP Exemplos práticos BGP

Leia mais

PROJETO INTEGRADO GTI2012M-04. Administração de Redes III

PROJETO INTEGRADO GTI2012M-04. Administração de Redes III Trabalho: PROJETO INTEGRADO GTI2012M-04 Cadeira: Administração de Redes III Data: 23/03/2013 Aluno: Revisões: 1.2 Impresso em 22/04/2013 Página 1 de 22 RESUMO Este documento faz uma análise técnica das

Leia mais

Estudo comparativo entre dois tradicionais algoritmos de roteamento: vetor distância e estado de enlace.

Estudo comparativo entre dois tradicionais algoritmos de roteamento: vetor distância e estado de enlace. Estudo comparativo entre dois tradicionais algoritmos de roteamento: vetor distância e estado de enlace. Ederson Luis Posselt 1, Geovane Griesang 1 1 Instituto de Informática Universidade de Santa Cruz

Leia mais

Protocolos de Roteamento RIP e OSPF

Protocolos de Roteamento RIP e OSPF Protocolos de Roteamento RIP e OSPF Alexandre Urtado de Assis aua@cbpf.br Nilton Alves Jr. naj@cbpf.br http://mesonpi.cat.cbpf.br/naj Resumo Este trabalho aborda alguns protocolos de roteamento, especificamente

Leia mais

1a. Lista de Exercícios

1a. Lista de Exercícios Redes de Computadores Período 2012/2 Prof. José Gonçalves 1a. Lista de Exercícios Matéria: Arquitetura, Ethernet, Endereçamento IP, Sub-Redes, VLSM, CIDR Arquitetura 1. Descreva sucintamente a função de

Leia mais

Protocolos em Redes de Dados

Protocolos em Redes de Dados Protocolos em Redes de Dados Apresentação Arquitectura e evolução da Internet 2009 Dulce Domingos. Reprodução proibida sem autorização prévia. 1 Informações Informação sobre a disciplina http://mocho.di.fc.ul.pt/p/prd

Leia mais

Endereçamento IP Roteamento Internet. Ricardo Patara NIC.BR

Endereçamento IP Roteamento Internet. Ricardo Patara NIC.BR Endereçamento IP Roteamento Internet Ricardo Patara NIC.BR Introdução Visão geral de funcionamento da Internet Usuário e sua conexão Provedor de acesso, provedor de provedor Interconexão Distribuição de

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Módulo A REDES DE COMPUTADORES Equipamentos de Rede ATIVOS E PASSIVOS Além dos dispositivos que atuam na borda da rede (computadores, tablets, smartphones, etc), uma rede é

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Protocolos de Roteamento Interno (Interior Routing Protocols)

Protocolos de Roteamento Interno (Interior Routing Protocols) Introdução A Internet e' uma colecao de redes interconectadas, e os pontos de ligacao sao os roteadores. Estes, por sua vez, estao organizados de forma hierarquica, onde alguns roteadores sao utilizados

Leia mais

Roteamento Unicast e Multicast. Profa. Priscila Solís Barreto

Roteamento Unicast e Multicast. Profa. Priscila Solís Barreto Roteamento Unicast e Multicast Profa. Priscila Solís Barreto Entrega A camada de rede supervisiona a manipulação dos pacotes nas redes física subjacente. Essa manipulação é definida como a entrega de um

Leia mais

Eduardo Ascenço Reis < eduardo@intron.com.br> Frederico A C Neves < fneves@registro.br>

Eduardo Ascenço Reis < eduardo@intron.com.br> Frederico A C Neves < fneves@registro.br> Migrando para um AS Introdução Eduardo Ascenço Reis < eduardo@intron.com.br> Frederico A C Neves < fneves@registro.br> GTER20 Migrando para um AS IntroduçãoEduardo Ascenço Reis e Frederico Neves 2005-12-

Leia mais

Aula 21: Roteamento em Redes de Dados

Aula 21: Roteamento em Redes de Dados Aula : Roteamento em Redes de Dados Slide Redes de Pacotes Comutados Mensagens dividas em Pacotes que são roteados ao seu destino PC PC PC Rede de Pacotes PC PC PC PC Buffer Pacote Comutado Slide Roteamento

Leia mais

Camada de Rede - Roteamento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Camada de Rede - Roteamento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Camada de Rede - Roteamento Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Algoritmos de Roteamento: Roteamento de estado de enlace (link-state LS) Roteamento de Vetor de Distância (distancevector

Leia mais

Certificados Digitais para Endereços IPs. Ricardo Patara LACNIC

Certificados Digitais para Endereços IPs. Ricardo Patara LACNIC Certificados Digitais para Endereços IPs Ricardo Patara LACNIC Resumo Estrutura de Certificados de Chaves Públicas (PKI - Public Key Infrastructure) Autorização/direito de uso de um recurso (não é autenticação)

Leia mais

Sumário. Protocolos em Redes de Dados- Aula 06 -BGP: Introdução p.4. BGP: ilustração. BGP: Border Gateway Protocol

Sumário. Protocolos em Redes de Dados- Aula 06 -BGP: Introdução p.4. BGP: ilustração. BGP: Border Gateway Protocol Sumário Protocolos em Redes de Dados - Aula 06 - Funcionalidades fundamentais do BGP. Tipos de pacotes. Atributos principais. BGP: Introdução Luís Rodrigues ler@di.fc.ul.pt DI/FCUL Protocolos em Redes

Leia mais

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Sumário Fundamentos Arquitetura OSI e TCP/IP Virtual LAN: Dispositivos

Leia mais

Projeto de Redes de Computadores. Projeto do Esquema de Endereçamento e de Nomes

Projeto de Redes de Computadores. Projeto do Esquema de Endereçamento e de Nomes Projeto do Esquema de Endereçamento e de Nomes Lembrar a estrutura organizacional do cliente ajuda a planejar a atribuição de endereços e nomes O mapa topológico também ajuda, pois indica onde há hierarquia

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Exercício Prático: Objectivos Neste exercício deve conseguir completar as seguintes

Leia mais

Multilink PPP em roteadores back-to-back com interfaces seriais múltiplas

Multilink PPP em roteadores back-to-back com interfaces seriais múltiplas Multilink PPP em roteadores back-to-back com interfaces seriais múltiplas Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Produtos Relacionados Convenções Configurar Diagrama de Rede

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Redes Convergentes II Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais