Radioterapia Hipofracionada no Câncer de Mama Pode Ser Utilizada em Todas as Pacientes? Eduardo Martella

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Radioterapia Hipofracionada no Câncer de Mama Pode Ser Utilizada em Todas as Pacientes? Eduardo Martella"

Transcrição

1 Radioterapia Hipofracionada no Câncer de Mama Pode Ser Utilizada em Todas as Pacientes? Eduardo Martella

2 NÃO

3 Fatores de Risco para RL Fator prognóstico Efeito Suporte Comentário Idade Jovens RL Múltiplos estudos com análises multivariadas Pouco conflito Muito importante Margens Margens positivas RL Múltiplos estudos com análises multivariadas Pouco conflito Muito importante Terapia sistêmica QT/HT RL Múltiplos estudos Alguns conflitos Pode só postergar do que diminuir Dose de radiação Dose RL Múltiplos estudos Confirmação em trial randomizado Interage com margem e idade (< 50 anos) Boost Componente intraductal extenso CIE RL Alguns estudos confirmatórios Alguns conflitantes Lobular RL Dados conflitantes sem consenso claro Igual CDI BRCA 1/2 Tamanho do tumor Linfonodos Receptores RL Tumor RL LN+ RL ER/PR negativos RL Muitos estudos confirmatórios Alguns resultados conflitantes Alguns estudos confirmatórios Alguns conflitantes Alguns estudos confirmatórios Alguns conflitantes Alguns confirmatórios Poucos conflitantes Margem limpa elimina o risco RL ou novo primário Manipulação hormonal Motivo da indicação de tratamento sistêmico Motivo da indicação de tratamento sistêmico Importante

4 ELIOT Trial 1300 pacientes 6 anos de F.U. médio IORT: 5,8% de RL (esperado 7 7,5%) Shift do 4º para o 6º ano Convencional: 1,1% (esperado 3 3,5%) 8% (1986) 5 anos 3,1% (2006) *Dr Fabricio Brenelli Orecchia R, Oral presentation EBCC 8, Viena, Mar 2012

5 Pacientes que Tinham Indicação mas não Receberam RT Para Mama Anos % Anos 90 20% Para Mama Anos 90 51% INCA: I. Atraso máximo 60 dias II.Deve ser multidisciplinar Pawlik TM, J Am Coll Surg, 199, nº 03, sept/2004 Zaparolli JC, 2003, Oral Comunication

6 RT Hipofracionada na Mama Motivos Idade Seguro Saúde Transporte Serviços Próximos (Hotel) (RT) Perda de Renda (Emprego) Custo Pawlik TM, J Am Coll Surg, 199, nº 03, set/2004

7 Omissão da RT Pós-C/C nos EUA SEER: pacientes DCI 57% BCS 21.1% sem RT % % Multidisciplinaridade Todd M. Tuttle et al. Minnesota University. Cancer, 2011

8 Histórico Overgaard (1987): dose total similar às atuais mas com frações > 300cGy/dia leva a grande aumento em toxicidade usando NSD como forma de cálculo de equivalência Alguns centros ingleses e escoceses permaneceram utilizando alta dose/fração mas com menor dose total (1988)

9 Radiobiologia BED = ND 1 + D α / β D=dose/fração N=número frações Não leva em conta o tempo de tratamento e o volume irradiado

10 Radiobiologia Tem sido utilizado para predizer vantagens terapêuticas de a. α/β do tumor > tecido normal i. Baixa dose por fração e Hiperfracionamento b. α/β do tumor tecido normal i. Alta dose por fração e Hipofracionamento c. Fracionamento acelerado com modesta diminuição da dose total

11 RT Acelerada Total da Mama Estudo Canadense Europeu Francês Start A Start B Fast Esquema (dose/dias) 50/25 42,5/16 50/25 43/13 39/13 N Falha Local 3,2% 2,8% 12,1% 9,6% 14,8% 45/ / /25 39/ /13 50/25 40/15 50/25 30/5 28,5/ % 5.2% 3.5% 3.3% 2.2% START Trialists' Group. Lancet 29;371(9618): , 2008 Whelan T et al. J Natl Cancer Inst 94: , 2002

12 ASTRO Consenso anos CDI T1-2, N0 Boost Cirurgia conservadora Não quimioterapia Critérios de planejamento: Homogeneidade 7% Distância linha média/linha axilar média 25 cm (20) Sem reconstrução imediata* (Witfield 20% R-O 2009)

13 Obrigado! Eduardo Martella

14

15 Comparação Biológica Institução Esquema Fibrose (α/β=2gy) Controle tumoral (α/β =10Gy) Standard 60 2 Gy x RTOG Mammosite Multicenter Trial, Virginia Commonwealth University, William Beaumont Hospital European Insitute of Oncology 3.4 Gy x Gy x Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 60, no. 5, set 2004.

16 RT Acelerada e Parcial da Mama Trials Teleterapia 7 Braquiterapia HDR 7 LDR 8 RT Intra-operatória Orthovoltage Electron-beam 1 4

17 Radioterapia Intra-Operatória Temporais Evitar atraso no início da QT ou da RT Radiobiológicos Evitar repopulação celular Células mais sensíveis Racional Psico-sociais sala de espera Estigmas da RT Custo Tratamento em dose única sem muito arsenal tecnológico Técnicos Avaliação intraoperatória de margens Localização e tratamento somente do parênquima Dose única equivalente

18 Trials Comparando BCT com Mastectomia Institução Ano # Pacientes Sobrevida similar NCI (France) Sim NCI (Milan) Sim NSABP B Sim NCI (USA) Sim EORTC (2012) Sim Danish Group Sim

19 Incidência Cumulativa: RL de acordo com Tipo de Cirurgia Incidência cumulativa (%) QUAD (273) TART (345) QUART (1006) Halsted (349) Anos Copyright 1996 AlphaMed Press Veronesi, U. et al. Oncologist 1996;1:

20 Prognóstico da Recidiva Local Pós-QUART 1,0 1,0 0,8 Sem RL (n=17) 0,8 Sem RL (n=17) Sobrevida Global 0,6 Com RL (n=132) 0,4 0,2 p = 0,0193 Relative risk = 2,34 IC 95%: [1,12 ; 4,89] 0, Meses DFS 0,6 0,4 0,2 Com RL (n=132) Relative risk = 2,09 IC 95%: [1,04 ; 4,19] p = 0,0339 0, Meses Barros et al. Prognostic effects of local recurrence after conservative treatment for early conservative infiltrating breast carcinoma. Tumorí 2002; 88:

21 Radiobiologia Tem sido utilizado para predizer vantagens terapêuticas de a. α/β do tumor tecido normal Baixa dose por fração e Hiperfracionamento b. α/β do tumor tecido normal Alta dose por fração e Hipofracionamento c. Fracionamento acelerado com modesta diminuição da dose total

22 Preditores Moleculares e RT A utilização dos marcadores moleculares nos permitirá: 1. Selecionar pacientes que não se beneficiarão de RT 2. Selecionar pacientes com T1/T2 N (1 a 3 LN) que se beneficiarão de RT, mesmo após mastectomia 3. Melhorar a seleção para tratamentos conservadores e RT ou mastectomia sem RT Miyamoto DT and Harris J. Semin Radiat Oncol 21:35-42, 2011

23

24 Fractionation in WBI 16 or 25? Conclusions on Hypofractionation Radiobiologically sound Good option in patients with difficulty traveling daily for radiation: Better treatment compliance More breast conservation Good option in patients of all breast sizes Care should be exercised to monitor hot spots and skin dose in large breasted women Can be used with prone or supine treatment Reserved for WBI only : If treating regional nodes, use standard fractionation (25 fractions with 5 fraction boost)

25 APBI ASTRO Critério Aceitáveis (todos) Possibilidade de APBI Cuidadosos (qualquer fator) Protocolo Apenas (qualquer fator) Tamanho Até 2cm 2-3cm > 3cm Idade 60 anos anos < 50 anos BRCA Negativo - Positivo Tipo histológico CDI CLI CDIS Margem Negativa < 2mm Positiva Grau Qualquer - - Invasão linfovascular Negativa Focal Extensa Receptor estrógeno Positivo Negativo - CDIS/extensão intraductal Não permitida Até 3 mm > 3 cm Apresentação Unicêntrico - - Linfonodos Negativos Negativos Positivos QT neoadjuvante Não permitida Não permitida Sim Smith BD et al. Int J Radiat Oncol Biol Phys 74(4): , 2009

26 APBI GEC-ESTRO Critério Baixo Risco (aceitável) Possibilidade de APBI Intermediário (possíveis) Alto Risco (contra-indicada) Tamanho T1, T2 T1, T2 T3, T4 Idade 50 anos anos < 40 anos Tipo histológico CDI CLI - Margem Negativa < 2mm Positiva Invasão linfovascular Negativa Negativa Positiva Receptor estrógeno Qualquer Qualquer - CDIS/extensão intraductal Não permitida Não permitida Presente Apresentação Unicêntrico Unicêntrico Multicêntrico Linfonodos Negativos Negativos Positivos QT neoadjuvante Não permitida Não permitida Sim Polgár C et al. Radiother & Oncol 2010 in press

27 Critério APBI Aceitáveis (todos) Possibilidade de APBI Cuidadosos (qualquer fator) ASTRO Out Protocol ELIOT Protocolo suitable: Apenas (qualquer fator) 1,5% at 5y (LR) Tamanho Até 2cm 2-3cm > 3cm Idade 60 anos anos < 50 anos BRCA Negativo - Positivo Tipo histológico CDI CLI CDIS Margem Negativa < 2mm Positiva Grau Qualquer - - Invasão linfovascular Negativa Focal Extensa Receptor estrógeno Positivo Negativo - CDIS/extensão intraductal Não permitida Até 3 mm > 3 cm Apresentação Unicêntrico - - Linfonodos Negativos Negativos Positivos QT neoadjuvante Não permitida Não permitida Sim Smith BD et al. Int J Radiat Oncol Biol Phys 74(4): , 2009

28 APBI GEC-ESTRO Critério Baixo Risco (aceitável) Possibilidade de APBI Intermediário (possíveis) Out Protocol ELIOT suitable: Alto Risco 1,9% at (contra-indicada) 5y (LR) Tamanho T1, T2 T1, T2 T3, T4 Idade 50 anos anos < 40 anos Tipo histológico CDI CLI - Margem Negativa < 2mm Positiva Invasão linfovascular Negativa Negativa Positiva Receptor estrógeno Qualquer Qualquer - CDIS/extensão intraductal Não permitida Não permitida Presente Apresentação Unicêntrico Unicêntrico Multicêntrico Linfonodos Negativos Negativos Positivos QT neoadjuvante Não permitida Não permitida Sim Polgár C et al. Radiother & Oncol 2010 in press

29 Trials of Fractionation in WBI IJROPB 79: 1-9, 2011

RADIOTERAPIA HIPOFRACIONADA EM MAMA: INDICAÇÕES E RESULTADOS

RADIOTERAPIA HIPOFRACIONADA EM MAMA: INDICAÇÕES E RESULTADOS III ENCONTRO DE RESIDENTES DA SBRT 2012 RADIOTERAPIA HIPOFRACIONADA EM MAMA: INDICAÇÕES E RESULTADOS VINICIUS T. MOSCHINI DA SILVA Residente de Radioterapia HSPE/IAMSPE -SP Introdução O câncer de mama:

Leia mais

Casos Clínicos: câncer de mama

Casos Clínicos: câncer de mama Casos Clínicos: câncer de mama Coordenador: Eder Babygton Alves Clinirad Curitiba PR Comentários: Dr. Alvaro Martinez Oakland University William Beaumont School of Medicine Dr. Robert Kuske MD Scottsdale

Leia mais

Hipofracionamento de dose pode ser considerado tratamento padrão para todas as pacientes? NÃO. Robson Ferrigno

Hipofracionamento de dose pode ser considerado tratamento padrão para todas as pacientes? NÃO. Robson Ferrigno Hipofracionamento de dose pode ser considerado tratamento padrão para todas as pacientes? NÃ Robson Ferrigno Estudos fase III Estudo N Período Esquema Seguimento Publicação CNDENSE 1224 1993 1996 16 x

Leia mais

É possível omitir Radioterapia adjuvante em mulheres idosas com Receptor Hormonal positivo?

É possível omitir Radioterapia adjuvante em mulheres idosas com Receptor Hormonal positivo? É possível omitir Radioterapia adjuvante em mulheres idosas com Receptor Hormonal positivo? Rosangela Correa Villar Radioterapia Beneficência Portuguesa- Hospital São Jose FMUSP villardias@uol.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

Declaro não haver nenhum conflito de interesse.

Declaro não haver nenhum conflito de interesse. Declaro não haver nenhum conflito de interesse. Faculdade de Medicina do ABC Disciplina de Ginecologia Serviço do Prof. Dr. César Eduardo Fernandes Setor de Mastologia IVO CARELLI FILHO Maior dilema da

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Protocolo de tratamento adjuvante e neoadjuvante do câncer de mama Versão eletrônica atualizada em Fevereiro 2009 Tratamento sistêmico adjuvante A seleção de tratamento sistêmico

Leia mais

Sobrevida Mediana Classe I: 7,1 meses Classe II: 4,2 meses Classe III: 2,3 meses

Sobrevida Mediana Classe I: 7,1 meses Classe II: 4,2 meses Classe III: 2,3 meses Tratamento das Metástases Cerebrais Eduardo Weltman Hospital Israelita Albert Einstein Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Tratar ou Não Tratar? Piora do prognóstico Déficits neurológicos

Leia mais

O que há de verdade sobre os efeitos deletérios da radioterapia para o cérebro todo?

O que há de verdade sobre os efeitos deletérios da radioterapia para o cérebro todo? O que há de verdade sobre os efeitos deletérios da radioterapia para o cérebro todo? Rodrigo Hanriot Radioterapeuta Hospital Israelita Albert Einstein Radioterapeuta Hospital Alemao Oswaldo Cruz Tumor

Leia mais

Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM. Erlon Gil 21/06/13

Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM. Erlon Gil 21/06/13 Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM Erlon Gil 21/06/13 RT adjuvante EBCTCG Lancet 2005;366: 2087-2106 Contextualização 20-30% das mulheres não recebem

Leia mais

BRAQUITERAPIA DECABEÇA E PESCOÇO?

BRAQUITERAPIA DECABEÇA E PESCOÇO? HÁ ESPAÇO PARA HÁ ESPAÇO PARA BRAQUITERAPIA DE CABEÇA E PESCOÇO? BRAQUITERAPIA DECABEÇA E PESCOÇO? Dra. Anne Karina S. Kiister R3 - Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE-SP) Braquiterapia Da palavra

Leia mais

O estado da arte da radioterapia em pacientes idosas com tumores de mama iniciais

O estado da arte da radioterapia em pacientes idosas com tumores de mama iniciais XVII CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE RADIOTERAPIA Encontro de Residentes em Radioterapia da SBRT O estado da arte da radioterapia em pacientes idosas com tumores de mama iniciais Arthur Bom Queiroz

Leia mais

ABORDAGEM CIRÚRGICA DO CÂNCER DE MAMA EM ESTÁDIO PRECOCE

ABORDAGEM CIRÚRGICA DO CÂNCER DE MAMA EM ESTÁDIO PRECOCE ABORDAGEM CIRÚRGICA DO CÂNCER DE MAMA EM ESTÁDIO PRECOCE IV JORNADA PAULISTA DE MASTOLOGIA Carlos Alberto Ruiz Assistente Doutor do Serviço de Mastologia - HCFMUSP Diretor Hospital e Maternidade de Vila

Leia mais

Módulo Doença avançada

Módulo Doença avançada Módulo Doença avançada Radioterapia de SNC no Câncer de pulmão: Up date 2013 Robson Ferrigno Esta apresentação não tem qualquer conflito de interesse Metástases Cerebrais Câncer mais freqüente do SNC 1/3

Leia mais

Estamos prontos para guiar o tratamento com base no status do HPV?

Estamos prontos para guiar o tratamento com base no status do HPV? Controvérsias no Tratamento de Câncer de Cabeça e Pescoço Localmente Avançado Estamos prontos para guiar o tratamento com base no status do HPV? Igor A. Protzner Morbeck, MD, MSc Oncologista Clínico Onco-Vida,

Leia mais

TRATAMENTO PÓS OPERATÓRIO NO SEMINOMA E NÃO SEMINOMA DE ESTÁGIO I DE ALTO RISCO Daniel Fernandes Saragiotto

TRATAMENTO PÓS OPERATÓRIO NO SEMINOMA E NÃO SEMINOMA DE ESTÁGIO I DE ALTO RISCO Daniel Fernandes Saragiotto TRATAMENTO PÓS OPERATÓRIO NO SEMINOMA E NÃO SEMINOMA DE ESTÁGIO I DE ALTO RISCO Daniel Fernandes Saragiotto Médico Assistente do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) FMUSP Médico Titular

Leia mais

Radioterapia para Metástases em Coluna Eduardo Weltman Hospital Israelita Albert Einstein Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Radioterapia para Metástases em Coluna Aspectos Clínicos Indicações

Leia mais

CARCINOMA DUCTAL IN SITU GUILHERME NOVITA SERVIÇO O DE MASTOLOGIA DISCIPLINA DE GINECOLOGIA - HCFMUSP

CARCINOMA DUCTAL IN SITU GUILHERME NOVITA SERVIÇO O DE MASTOLOGIA DISCIPLINA DE GINECOLOGIA - HCFMUSP CARCINOMA DUCTAL IN SITU GUILHERME NOVITA SERVIÇO O DE MASTOLOGIA DISCIPLINA DE GINECOLOGIA - HCFMUSP DEFINIÇÃO Mokbel et Cutulli, Lancet Oncol,, 2006; 7: 756-65 65 TIPOS DE CDIS Gaps > 2 cm Baixo grau

Leia mais

Resumo O tratamento do câncer de mama inicial começa com a obtenção do controle

Resumo O tratamento do câncer de mama inicial começa com a obtenção do controle Revisão Radioterapia adjuvante no câncer de mama operável Adjuvant radiotherapy in operable breast cancer Palavras-chave Neoplasias da mama Radioterapia Mastectomia segmentar Keywords Breast neoplasms

Leia mais

Influência do peso corporal no tratamento adjuvante do câncer de mama

Influência do peso corporal no tratamento adjuvante do câncer de mama Influência do peso corporal no tratamento adjuvante do câncer de mama Declaro não haver conflito de interesse Dra Maria Cecília Monteiro Dela Vega Médica Oncologista Clínica- CEBROM e Hospital Araujo Jorge

Leia mais

METÁSTASES ÓSSEAS: QUAL O MELHOR TRATAMENTO?

METÁSTASES ÓSSEAS: QUAL O MELHOR TRATAMENTO? METÁSTASES ÓSSEAS: QUAL O MELHOR TRATAMENTO? Raphael Colturatto Camargo R3 Hospital de Câncer de Barretos Curitiba 20/06/2012 Metástases ósseas são manifestações comuns de doenças malignas que podem causar

Leia mais

Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Avaliação genética e tratamentos preventivos

Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Avaliação genética e tratamentos preventivos Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Avaliação genética e tratamentos preventivos Simône Noronha Hospital São José São Paulo - Brasil Índice: Radioterapia no câncer de mama hereditário (Revisão) Perfil

Leia mais

Câncer de mama estádio inicial e radioterapia: atualização

Câncer de mama estádio inicial e radioterapia: atualização ARTIGO DE REVISÃO Câncer de mama estádio inicial e radioterapia: atualização Gustavo Nader Marta 1, Samir Abdallah Hanna 2, Eduardo Martella 3, João Luis Fernandes da Silva 4, Heloisa de Andrade Carvalho

Leia mais

Câncer de próstata. Câncer de próstata localmente avançado Resultados do tratamento com radioterapia e supressão hormonal.

Câncer de próstata. Câncer de próstata localmente avançado Resultados do tratamento com radioterapia e supressão hormonal. Câncer de próstata Câncer de próstata localmente avançado Resultados do tratamento com radioterapia e supressão hormonal Robson Ferrigno RT + HT Bloqueio hormonal isolado: sem intuito curativo Associado

Leia mais

RM MAMÁRIA: quando indicar?

RM MAMÁRIA: quando indicar? RM MAMÁRIA: quando indicar? Lucio De Carli Serviço de Diagnóstico por Imagem da Mama Hospital Mãe de Deus SSMD Porto Alegre/RS e-mail: luciodc@terra.com.br RM MAMÁRIA - indicações - Incoerência EF x MG

Leia mais

Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do. Câncer de Cabeça e Pescoço. Contexto da Medicina Baseada em Evidências

Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do. Câncer de Cabeça e Pescoço. Contexto da Medicina Baseada em Evidências CONGRESSO DE AUDITORIA - NATAL - 2015 Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do Câncer de Cabeça e Pescoço Contexto da Medicina Baseada em Evidências Tratamento do Câncer de Cabeça e

Leia mais

DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA

DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA RESSONÂNCIA NUCLEAR MAGNÉTICA DAS MAMAS DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA A crescente experiência com a Ressonância Nuclear Magnética (RNM) vem trazendo dúvidas pertinentes quanto

Leia mais

Radioterapia no cancro da mama

Radioterapia no cancro da mama 39 Radioterapia no cancro da mama Paula Soares 1. INTRODUÇÃO A radioterapia tem um papel bem estabelecido e consolidado no cancro da mama. Diversos estudos têm comprovado a sua eficácia, tanto na terapêutica

Leia mais

Key Words: câncer de mama, quimioterapia neoadjuvante, quimioterapia, resposta patológica, carbopaltina.

Key Words: câncer de mama, quimioterapia neoadjuvante, quimioterapia, resposta patológica, carbopaltina. Alta taxa de resposta completa patológica (prc) em câncer de mama triplo negativo após quimioterapia neoadjuvante sequencial Augusto Ribeiro GABRIEL, MD* Ruffo de FREITAS JÚNIOR, MD, PhD* * Programa de

Leia mais

Câncer de Pulmão: Radioterapia Profilática de Crânio Total. Quais as evidências e os benefícios?

Câncer de Pulmão: Radioterapia Profilática de Crânio Total. Quais as evidências e os benefícios? FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS UNIVERSIDADE DE CAMPINAS Câncer de Pulmão: Radioterapia Profilática de Crânio Total. Quais as evidências e os benefícios? JUMARA MARTINS RADIOTERAPIA UNICAMP 2012 Introdução

Leia mais

AVANÇOS EM RADIOBIOLOGIA e IMPORTÂNCIA PARA RADIOTERAPIA. Helena R. Comodo Segreto

AVANÇOS EM RADIOBIOLOGIA e IMPORTÂNCIA PARA RADIOTERAPIA. Helena R. Comodo Segreto AVANÇOS EM RADIOBIOLOGIA e IMPORTÂNCIA PARA RADIOTERAPIA Helena R. Comodo Segreto Radioterapia Efeitos colaterais DESAFIOS: Conhecer e controlar este agente físico Tratar a doença e preservar o tecido

Leia mais

CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias. Rossano Araújo

CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias. Rossano Araújo CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias Rossano Araújo Papiro do Edwin Smith (Egito, 3.000-2.500 A.C.) Papiro Edwin Smith (Egito, 3000 2500 A.C.) Tumores Protuberantes da Mama Se você

Leia mais

Terapia hormonal prévia e adjuvante à radioterapia externa no tratamento do câncer de próstata

Terapia hormonal prévia e adjuvante à radioterapia externa no tratamento do câncer de próstata Terapia hormonal prévia e adjuvante à radioterapia externa no tratamento do câncer de próstata N o 145 Março/2015 2015 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que

Leia mais

O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio. Maria de Fátima Dias Gaui CETHO

O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio. Maria de Fátima Dias Gaui CETHO O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio Maria de Fátima Dias Gaui CETHO Introdução Objetivo: Definir a extensão da doença: Estadiamento TNM (American Joint Committee on Cancer ). 1- Avaliação

Leia mais

SEXTA FEIRA 04/03/2016. 8h30 - RECONSTRUÇÃO MAMÁRIA APÓS RECIDIVA LOCAL EM CIRURGIA CONSERVADORA. Fabrício Brenelli - SP

SEXTA FEIRA 04/03/2016. 8h30 - RECONSTRUÇÃO MAMÁRIA APÓS RECIDIVA LOCAL EM CIRURGIA CONSERVADORA. Fabrício Brenelli - SP Fortaleza - Ceará Sociedade Brasileira de Mastologia Sociedade Brasileira de Mastologia Regional Ceará 04 e 05 de Março de 2016 - Hotel Luzeiros Fortaleza Ceará ABERTURA Presidente do Congresso - Ércio

Leia mais

Paciente de Alto Risco

Paciente de Alto Risco Paciente de Alto Risco Novas Fronteiras do Bloqueio Estrogênico na Prevenção do Câncer de Mama Não há conflitos de interesse. Nunca recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade

Leia mais

Parecer do Grupo de Avaliação de Tecnologias em Saúde GATS 25/07

Parecer do Grupo de Avaliação de Tecnologias em Saúde GATS 25/07 Parecer do Grupo de Avaliação de Tecnologias em Saúde GATS 25/07 Tema: Linfonodo sentinela no câncer de mama I Data: 27/09/2007 II Grupo de Estudo: Izabel Cristina Alves Mendonça; Célia Maria da Silva;

Leia mais

Qual o melhor tratamento? A favor da radioterapia Eduardo Weltman Hospital Israelita Albert Einstein Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Radioterapia Meningiomas do seio cavernoso Possibilidades

Leia mais

ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR PERSONALIZADA DO CÂNCER DE MAMA

ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR PERSONALIZADA DO CÂNCER DE MAMA ONCOCLÍNICAS DO BRASIL & DANA-FARBER/HARVARD CANCER CENTER ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR PERSONALIZADA DO CÂNCER DE MAMA TIVOLI SÃO PAULO MOFARREJ - BRASIL 07 e 08 de Fevereiro de 2014 COMISSÃO CIENTÍFICA

Leia mais

Revisão da anatomia e definição dos volumes de tratamento: Câncer de estômago. Mariana Morsch Beier R2 Radioterapia - Hospital Santa Rita

Revisão da anatomia e definição dos volumes de tratamento: Câncer de estômago. Mariana Morsch Beier R2 Radioterapia - Hospital Santa Rita Revisão da anatomia e definição dos volumes de tratamento: Câncer de estômago. Mariana Morsch Beier R2 Radioterapia - Hospital Santa Rita EPIDEMIOLOGIA A estimativa do biênio 2012-2013 para o Brasil é

Leia mais

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA NT 38/2013 Solicitante: Dra. Renata Abranches Perdigão do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo Data: 22/02/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO

Leia mais

Bioestatística. Organização Pesquisa Médica. Variabilidade. Porque existe variabilidades nos fenômenos naturais? Fontes de variação:

Bioestatística. Organização Pesquisa Médica. Variabilidade. Porque existe variabilidades nos fenômenos naturais? Fontes de variação: Bioestatística Lupércio F. Bessegato & Marcel T. Vieira UFJF Departamento de Estatística 2010 Organização Pesquisa Médica Variabilidade Porque existe variabilidades nos fenômenos naturais? Fontes de variação:

Leia mais

CIRURGIA CONSERVADORA E RADIOTERAPIA NO TRATAMENTO DE CARCINOMA DE MAMA ESTÁDIOS I E II

CIRURGIA CONSERVADORA E RADIOTERAPIA NO TRATAMENTO DE CARCINOMA DE MAMA ESTÁDIOS I E II Colégio Brasileiro de Radiologia Critérios de Adequação do ACR CIRURGIA CONSERVADORA E RADIOTERAPIA NO TRATAMENTO DE CARCINOMA DE MAMA ESTÁDIOS I E II Painel de Especialistas em Radioterapia Grupo de Trabalho

Leia mais

Hipofracionamento da mama, aplicar sempre? Ernane Bronzatt

Hipofracionamento da mama, aplicar sempre? Ernane Bronzatt Hipofracionamento da mama, aplicar sempre? Ernane Bronzatt Cenário Busca pela diminuição do tempo da Radioterapia adjuvante Aumento da conveniência do tratamento Sem comprometimento dos resultados clínicos

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

Como tratar o câncer de mama na paciente com mutação genética? Prof. Dr. Giuliano Duarte

Como tratar o câncer de mama na paciente com mutação genética? Prof. Dr. Giuliano Duarte Como tratar o câncer de mama na paciente com mutação genética? Prof. Dr. Giuliano Duarte Quem é a paciente com mutação BRCA1/2? Ansiedade Penetrância dos genes BRCA1 e BRCA 2 até os 70 anos Meta-análise

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA

ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA Pinheiro, A.C ¹, Aquino, R. G. F. ¹, Pinheiro, L.G.P. ¹, Oliveira, A. L. de S. ¹, Feitosa,

Leia mais

Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático. Versão eletrônica atualizada em Dezembro 2009

Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático. Versão eletrônica atualizada em Dezembro 2009 Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático Versão eletrônica atualizada em Dezembro 2009 Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático O tratamento de pacientes com câncer de mama metastático

Leia mais

Câncer de Pulmão Estadiamento: o que mudou?

Câncer de Pulmão Estadiamento: o que mudou? Câncer de Pulmão Estadiamento: o que mudou? Ilka Lopes Santoro EPM - Unifesp Conflito de Interesse Nada a declarar For myself I am an optimist it does not seem to be much use being anything else. Sir Winston

Leia mais

André Luís Montagnini Disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo - HC/FMUSP

André Luís Montagnini Disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo - HC/FMUSP PODE A RADIOQUIMIOTERAPIA SUBSTITUIR A DISSECÇÃO LINFONODAL ESTENDIDA NO CÂNCER GÁSTRICO? André Luís Montagnini Disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo - HC/FMUSP http://www.cancerresearchuk.org/home/

Leia mais

13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 O PROJETO DE EXTENSÃO CEDTEC COMO GERADOR DE FERRAMENTAS PARA A PESQUISA EM CÂNCER DE MAMA

13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 O PROJETO DE EXTENSÃO CEDTEC COMO GERADOR DE FERRAMENTAS PARA A PESQUISA EM CÂNCER DE MAMA 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante.

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante. Estudo de sobrevida de mulheres com câncer de mama não metastático tico submetidas à quimioterapia adjuvante Maximiliano Ribeiro Guerra Jane Rocha Duarte Cintra Maria Teresa Bustamante Teixeira Vírgilio

Leia mais

O estado da arte da braquiterapia de mama. Camila Zerbini Residente 3º ano

O estado da arte da braquiterapia de mama. Camila Zerbini Residente 3º ano O estado da arte da braquiterapia de mama Camila Zerbini Residente 3º ano Histórico Tumores iniciais de mama Cirurgia conservadora Irradiação de toda a mama (ITM) Early Breast Cancer Trialists Collaborative

Leia mais

Estado da arte: QT adjuvante para tumor Her-2 negativo

Estado da arte: QT adjuvante para tumor Her-2 negativo Estado da arte: QT adjuvante para tumor Her-2 negativo Ingrid A. Mayer, M.D., M.S.C.I. Professora Assistente Diretora, Pesquisa Clínica Programa de Câncer de Mama Vanderbilt-Ingram Cancer Center Nashville,

Leia mais

Radioterapia intraoperatória para o câncer de mama

Radioterapia intraoperatória para o câncer de mama Radioterapia intraoperatória para o câncer de mama Radioterapia Unidade Brasília Enfª Roberta Fiuza Nas últimas décadas têm ocorrido em todo o mundo aumento significativo da incidência do câncer de mama.

Leia mais

Câncer da Pele Radioterapia

Câncer da Pele Radioterapia Introdução Éo câncer mais frequente e que apresenta maior índice de cura. A grande maioria dos casos são de carcinoma baso e espino celular. Tipos agressivos : Melanoma Tumor de Merkel A é uma boa opção

Leia mais

CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS

CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS Hospital Erasto Gaertner Serviço de Radioterapia Sílvia Pecoits Câncer de Colo Uterino 500.000 casos novos no mundo com

Leia mais

T.M. Mabel Pinilla Fernández PhD (c) mabelpinilla@udec.cl

T.M. Mabel Pinilla Fernández PhD (c) mabelpinilla@udec.cl T.M. Mabel Pinilla Fernández PhD (c) mabelpinilla@udec.cl Epidemiologia En chile, 2 da causa de muerte en mujeres Clasificación Clínico- patológica y Sobrevida Tamanho Tumoral (T) T1: 2.0cm em sua maior

Leia mais

Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Câncer de mama Tratamento Adjuvante: Hormonioterapia. José Bines Instituto Nacional de Câncer

Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Câncer de mama Tratamento Adjuvante: Hormonioterapia. José Bines Instituto Nacional de Câncer Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Câncer de mama Tratamento Adjuvante: Hormonioterapia José Bines Instituto Nacional de Câncer Índice Podemos selecionar pacientes para não receber tratamento adjuvante?

Leia mais

VaIN II II e III há indicação para tratamentos não- excisionais?

VaIN II II e III há indicação para tratamentos não- excisionais? Trocando Idéias XIV - 2009 VaIN II II e III há indicação para tratamentos não- excisionais? Walquíria Quida Salles Pereira Primo Doutorado e Mestrado UnB Professora da Pós-graduação UnB Unidade de Ginecologia

Leia mais

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto Introdução É realizada a avaliação de um grupo de pacientes com relação a sua doença. E através dele

Leia mais

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante.

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante. CÂNCER DE MAMA Dr. José Bél Mastologista/Ginecologista - CRM 1558 Associação Médico Espírita de Santa Catarina AME/SC QUANDO PEDIR EXAMES DE PREVENÇÃO Anualmente, a mulher, após ter atingindo os 35 ou

Leia mais

QUIMIOTERAPIA CONCOMITANTE À RADIOTERAPIA

QUIMIOTERAPIA CONCOMITANTE À RADIOTERAPIA ARTIGOS / ARTICLES QUIMIOTERAPIA CONCOMITANTE À RADIOTERAPIA NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CÂNCER DA MAMA LOCALIZADO * Concomitant chemotherapy and radiotherapy in the adjuvant treatment of breast cancer

Leia mais

O Papel da Radioterapia no Contexto da Quimioterapia Neoadjuvante do Câncer de Mama. Osmar Barbosa Neto

O Papel da Radioterapia no Contexto da Quimioterapia Neoadjuvante do Câncer de Mama. Osmar Barbosa Neto O Papel da Radioterapia no Contexto da Quimioterapia Neoadjuvante do Câncer de Mama Osmar Barbosa Neto Objetivos do Tratamento Controle da Doença Locorregional + rradicação de Metástases Sistêmicas Oculta

Leia mais

Declaro não haver nenhum conflito de interesse

Declaro não haver nenhum conflito de interesse Declaro não haver nenhum conflito de interesse Universidade Federal de Uberlândia Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Serviços de Mastologia e Ultrassonografia Avaliação pelo Ultrassom Doppler da

Leia mais

Programa de Mastologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás 74690-000, Brasil. rosraquel@hotmail.com; ruffojr@terra.com.

Programa de Mastologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás 74690-000, Brasil. rosraquel@hotmail.com; ruffojr@terra.com. Análise Descritiva de Pacientes Submetidas a Endocrinoterapia Neoadjuvante para Tratamento do Câncer de Mama em Estádios Avançados na Cidade de Goiânia. Raquel Oliveira dos Santos 1, Ruffo de Freitas Junior

Leia mais

Resumo O rastreamento mamográfico aumentou o número de pacientes em estádios

Resumo O rastreamento mamográfico aumentou o número de pacientes em estádios REVISÃO Indicações da cirurgia conservadora no câncer de mama Indications for conservative surgery in breast cancer Luiz Henrique Gebrim 1 Jorge Y. Shida 2 André Mattar 3 Marcelo Madeira 4 Palavras-chave

Leia mais

Posicionamento, Imobilização e. Técnica de Tratamento nos Tumores. do Pulmão

Posicionamento, Imobilização e. Técnica de Tratamento nos Tumores. do Pulmão Posicionamento, Imobilização e Técnica de Tratamento nos Tumores do Pulmão INTRODUÇÃO Tumores malignos que ocorrem no Tórax. Carcinoma de Esôfago, Timoma, Tumores de células germinativas, Doenças Metastáticas,

Leia mais

Tratamento Conservador do Cancro da Mama

Tratamento Conservador do Cancro da Mama Hospital Prof. Doutor Fernando da Fonseca Sessão Clínica Serviço de Ginecologia Diretora de Departamento: Dra. Antónia Nazaré Diretor de Serviço: Dr. Silva Pereira Tratamento Conservador do Cancro da Mama

Leia mais

Câncer de bexiga músculo-invasivo. Limírio Leal da Fonseca Filho

Câncer de bexiga músculo-invasivo. Limírio Leal da Fonseca Filho Câncer de bexiga músculo-invasivo Limírio Leal da Fonseca Filho HSPE-SP HIAE Cistectomia radical + linfadenectomia pelvica é padrão ouro no tratamento dos tumores infiltrativos da bexiga Sobrevida 10 anos

Leia mais

Critérios de ressecabilidade

Critérios de ressecabilidade Rene Claudio Gansl Casos 1.37 Casos 1.77 Mortes 18.3 Mortes 18.3 Jemal,CA Cancer 1. Total de casos: 43.14 Total de mortes: 37.8 Critérios de ressecabilidade ESTADIO Diagn.. SV 5 An. Localizado 8% % Localmente

Leia mais

Revista Portuguesa de. irurgia. II Série N. 27 Dezembro 2013. Órgão Oficial da Sociedade Portuguesa de Cirurgia ISSN 1646-6918

Revista Portuguesa de. irurgia. II Série N. 27 Dezembro 2013. Órgão Oficial da Sociedade Portuguesa de Cirurgia ISSN 1646-6918 Revista Portuguesa de irurgia II Série N. 27 Dezembro 2013 ISSN 1646-6918 Órgão Oficial da Sociedade Portuguesa de Cirurgia CADERNO ESPECIAL Editorial Joaquim Abreu de Sousa Serviço de Oncologia Cirúrgica.

Leia mais

S R E V R I V Ç I O D E E C IR I URGIA I A T O T RÁCIC I A

S R E V R I V Ç I O D E E C IR I URGIA I A T O T RÁCIC I A Neoadjuvância Julio Espinel R2 CIT Cristiano Feijó Andrade Outubro 2009 Importância Estadiamento linfonodal Unificar para discutir e poder propor modificações; Selecionar tratamento multimodais; Discordâncias

Leia mais

MODELO MATEMÁTICO PARA ESTIMAÇÃO DO CUSTO DO TRATAMENTO DO CÂNCER POR RADIOTERAPIA RESUMO

MODELO MATEMÁTICO PARA ESTIMAÇÃO DO CUSTO DO TRATAMENTO DO CÂNCER POR RADIOTERAPIA RESUMO MODELO MATEMÁTICO PARA ESTIMAÇÃO DO CUSTO DO TRATAMENTO DO CÂNCER POR RADIOTERAPIA SUZI WAHL ; GERSON FELDMANN 2 ; TANÍSIA DE CARLI FOLETTO 3 RESUMO Uma metodologia alternativa para o estudo do custo do

Leia mais

Radioterapia após cirurgia conservadora em pacientes idosas e CDIS: indicações e resultados. Renato Ruzza Doneda Filho

Radioterapia após cirurgia conservadora em pacientes idosas e CDIS: indicações e resultados. Renato Ruzza Doneda Filho Radioterapia após cirurgia conservadora em pacientes idosas e CDIS: indicações e resultados Renato Ruzza Doneda Filho Introdução A Radioterapia é um componente essencial no tratamentoconservadordamama,

Leia mais

1ª Edição do curso de formação em patologia e cirurgia mamária. Programa detalhado

1ª Edição do curso de formação em patologia e cirurgia mamária. Programa detalhado 15.6.2012 MÓDULO 1 - Mama normal; Patologia benigna; Patologia prémaligna; Estratégias de diminuição do risco de Cancro da Mama. 1 1 Introdução ao Programa de Formação 9:00 9:15 1 2 Embriologia, Anatomia

Leia mais

RELATO DE CASO INTRODUÇÃO

RELATO DE CASO INTRODUÇÃO RELATO DE CASO Mamoplastia vertical associada à radioterapia parcial acelerada de mama: como técnicas de cirurgia oncoplástica associadas a modernas técnicas de radioterapia podem melhorar o resultado

Leia mais

RADIOTERAPIA. (Tumores de Pulmão) Mauro Cabral de Rosalmeida

RADIOTERAPIA. (Tumores de Pulmão) Mauro Cabral de Rosalmeida RADIOTERAPIA (Tumores de Pulmão) Mauro Cabral de Rosalmeida Índice Terapêutico Positivo X Wilhelm Konrad Röentgen Raios-X Radiologia 1895 Teleterapia: 1897 Evolução Tecnológica da Radioterapia 1897 1951

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA DO TRATAMENTO DO CÂNCER DE MAMA COM RADIOTERAPIA

MODELAGEM MATEMÁTICA DO TRATAMENTO DO CÂNCER DE MAMA COM RADIOTERAPIA MODELAGEM MATEMÁTICA DO TRATAMENTO DO CÂNCER DE MAMA COM RADIOTERAPIA TANISIA DE CARLI FOLETTO, GERSON FELDMANN 2, SUZI DARLI ZANCHETT WAHL 3 RESUMO Este artigo apresenta um modelo matemático não linear

Leia mais

Eletronterapia intraoperatória adjuvante no carcinoma inicial invasivo de mama: tolerabilidade, satisfação estética e eficiência terapêutica

Eletronterapia intraoperatória adjuvante no carcinoma inicial invasivo de mama: tolerabilidade, satisfação estética e eficiência terapêutica SAMIR ABDALLAH HANNA Eletronterapia intraoperatória adjuvante no carcinoma inicial invasivo de mama: tolerabilidade, satisfação estética e eficiência terapêutica Tese apresentada à Faculdade de Medicina

Leia mais

Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas.

Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas. Perguntas que pode querer fazer Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas. Estas são algumas perguntas

Leia mais

Os Mais Importantes Estudos de Quimioterapia Neo-adjuvante. O que ha de novo?

Os Mais Importantes Estudos de Quimioterapia Neo-adjuvante. O que ha de novo? Os Mais Importantes Estudos de Quimioterapia Neo-adjuvante O que ha de novo? Carlos H. Barrios Professor, PUCRS School of Medicine Director, Oncology Research Center, Hospital São Lucas Director, Instituto

Leia mais

Journal of Thoracic Oncology Volume 3, Number 12, December 2008

Journal of Thoracic Oncology Volume 3, Number 12, December 2008 R1 CIT Vinícius Journal of Thoracic Oncology Volume 3, Number 12, December 2008 Prolongamento na sobrevida em pacientes com Câncer avançado não-pequenas células (CPNPC) Recentemente, 2 estudos randomizados,

Leia mais

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo CAPÍTULO 3 CÂnCER DE EnDOMéTRIO O Câncer de endométrio, nos Estados Unidos, é o câncer pélvico feminino mais comum. No Brasil, o câncer de corpo de útero perde em número de casos apenas para o câncer de

Leia mais

TOMOSSINTESE MAMÁRIA DIGITAL. Qual a diferença para a mamografia 2 D?

TOMOSSINTESE MAMÁRIA DIGITAL. Qual a diferença para a mamografia 2 D? TOMOSSINTESE MAMÁRIA DIGITAL O que é? Qual a diferença para a mamografia 2 D? Quais são suas indicações? TOMOSSINTESE EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DA MAMOGRAFIA Maior detalhe da estrutura mamária Grande promessa

Leia mais

Caso Clínico para Site SBM

Caso Clínico para Site SBM Caso Clínico para Site SBM 18/03/13 Primeira consulta Paciente 35 anos Feminino Parda Casada Brasileira Natural de Pacatuba-CE Queixa Principal: Nódulo doloroso em MAMA DIREITA há 2 meses. Refere Ultrasonografia

Leia mais

TUMOR DE HIPOFARINGE. Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço HUWC. Mário Sérgio R. Macêdo

TUMOR DE HIPOFARINGE. Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço HUWC. Mário Sérgio R. Macêdo TUMOR DE HIPOFARINGE Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço HUWC Mário Sérgio R. Macêdo Anatomia Epidemiologia, Quadro Clínico, Diagnóstico e Estadiamento Tratamento Anatomia Epidemiologia O sítio mais

Leia mais

TUMORES DO PÉNIS: Cirurgia Minimamente Invasiva. Pedro Eufrásio. Serviço de Urologia Centro Hospitalar Tondela-Viseu

TUMORES DO PÉNIS: Cirurgia Minimamente Invasiva. Pedro Eufrásio. Serviço de Urologia Centro Hospitalar Tondela-Viseu TUMORES DO PÉNIS: Cirurgia Minimamente Invasiva Pedro Eufrásio Serviço de Urologia Centro Hospitalar Tondela-Viseu INTRODUÇÃO Tumor do pénis é raro. Variabilidade geográfica. 95% são carcinomas espinho-celulares.

Leia mais

Carcinoma de tireóide ide na infância

Carcinoma de tireóide ide na infância Carcinoma de tireóide ide na infância Dra. Rossana Corbo INCa/UFRJ 2006 Incidência: 5 casos/milhão /ano EUA (1973 1977) crianças as com idade inferior a 20 anos Apresentação clinica: predomínio em meninas

Leia mais

Abstract Resumo. Radioterapia complementar em dose única intra-operatória no tratamento conservador do câncer de mama

Abstract Resumo. Radioterapia complementar em dose única intra-operatória no tratamento conservador do câncer de mama Radioterapia complementar em dose única intra-operatória no tratamento conservador do câncer de mama Full-dose intra operative radiotherapy in the breast cancer conserving treatment at u a l i z a ç ã

Leia mais

Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal

Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal Paulo Eduardo Novaes, MD, PhD Departamento de Radioterapia Hospital AC

Leia mais

Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014. Fabio Kater

Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014. Fabio Kater Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014 Fabio Kater Multivitaminas na prevenção do câncer de mama, próstata e pulmão: caso fechado! Revisão da literatura para tipos específicos de câncer

Leia mais

Resumo da Revisão da Literatura Introdução

Resumo da Revisão da Literatura Introdução Colégio Brasileiro de Radiologia Critérios de Adequação do ACR CARCINOMA DUCTA L IN SITU E DOENÇA MICROINVASIVA Painel de Especialistas em Radioterapia Grupo de Trabalho de Mama: Rachel Abrams Rabinovitch,

Leia mais

13th StGallenInternationalBreast CancerConference2013 Aspectos Clínicos. Marcelo R. S. Cruz Oncologista Clínico

13th StGallenInternationalBreast CancerConference2013 Aspectos Clínicos. Marcelo R. S. Cruz Oncologista Clínico 13th StGallenInternationalBreast CancerConference2013 Aspectos Clínicos Marcelo R. S. Cruz Oncologista Clínico Declaraçãode Conflitosde Interesse Não tenho conflitos para esta apresentação 13th Consenso

Leia mais

Margens cirúrgicas no tratamento conservador do câncer de mama: revisão sistemática

Margens cirúrgicas no tratamento conservador do câncer de mama: revisão sistemática DOI: 10.5327/Z201400030003RBM ARTIGO ORIGINAL Margens cirúrgicas no tratamento conservador do câncer de mama: revisão sistemática Surgical margins in conservative treatment of breast cancer: systematic

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS HÁBITOS H VIDA NO CÂNCER DE MAMA. Prof. Dr. Henrique Brenelli CAISM - UNICAMP

INFLUÊNCIA DOS HÁBITOS H VIDA NO CÂNCER DE MAMA. Prof. Dr. Henrique Brenelli CAISM - UNICAMP INFLUÊNCIA DOS HÁBITOS H DE VIDA NO CÂNCER DE MAMA Prof. Dr. Henrique Brenelli CAISM - UNICAMP Transtornos depressivos e câncer de mama Incidência população geral: 8% pacientes com ca de mama: 30% Qualidade

Leia mais

ATUALIZAÇÃO NEUROBLASTOMA E TUMOR DE WILMS

ATUALIZAÇÃO NEUROBLASTOMA E TUMOR DE WILMS ATUALIZAÇÃO NEUROBLASTOMA E TUMOR DE WILMS Beatriz de Camargo Programa de Hematologia-Oncologia Pediatrica CPq ATUALIZAÇÃO NEUROBLASTOMA /TUMOR DE WILMS Incidência Clinica Fatores prognósticos Tratamento

Leia mais

PRESERVAÇÃO FERTILIDADE HOMEM Recomendações. Alexandra Teixeira

PRESERVAÇÃO FERTILIDADE HOMEM Recomendações. Alexandra Teixeira PRESERVAÇÃO FERTILIDADE HOMEM Recomendações Alexandra Teixeira O número de adultos jovens "long survivors" tem crescido e a preocupação com os efeitos tardios relacionados com os tratamentos tem emergido,

Leia mais

O que é câncer de mama?

O que é câncer de mama? Câncer de Mama O que é câncer de mama? O câncer de mama é a doença em que as células normais da mama começam a se modificar, multiplicando-se sem controle e deixando de morrer, formando uma massa de células

Leia mais

QUIMIOTERAPIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO

QUIMIOTERAPIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO INDICAÇÕES 1 Carcinoma Espinocelular 2 Carcinoma da Rinofaringe 3 Carcinoma de Glândulas Salivares 1- CARCINOMA ESPINOCELULAR INDICAÇÕES: a. tratamento adjuvante: concomitante a RXT b. neo-adjuvante (indução)

Leia mais